GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS. Secretaria da Fazenda LEIAUTE DE IMPORTAÇÃO DE DADOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS. Secretaria da Fazenda LEIAUTE DE IMPORTAÇÃO DE DADOS"

Transcrição

1 GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS Secretaria da Fazenda LEIAUTE DE IMPORTAÇÃO DE DADOS Declaração de Atividades do ontribuinte DA 2.2 Dúvidas: all enter SEFAZ: Atualização: Março de 2004

2 SUMÁRIO 1. EXPLIAÇÕES GERAIS 3 2. ESPEIFIAÇÕES TÉNIAS 3 3. ESTRUTURA DO ARQUIVO 4 4. ESTRUTURA DOS REGISTROS 6 5. ONVENÇÕES DE FORMATO E TAMANHO DOS AMPOS 7 6. DESRIÇÃO DOS REGISTROS REGISTRO TIPO 00: ABEÇALHO DO ARQUIVO REGISTRO TIPO 01: ENDEREÇOS DE ORREIO ELETRÔNIO REGISTRO TIPO 10: IDENTIFIADOR DA DELARAÇÃO REGISTRO TIPO 21: ENTRADAS DE MERADORIAS BENS E/OU AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE E OMUNIAÇÃO REGISTRO TIPO 22: SAÍDAS DE MERADORIAS BENS E/OU AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE E OMUNIAÇÃO REGISTRO TIPO 23: REEITAS DE SAÍDAS SIMPLIFIADAS REGISTRO TIPO 24: SAÍDAS DE MERADORIAS BENS E/OU AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE E OMUNIAÇÃO REGISTRO TIPO 25: TOTAIS DE ENTRADAS DE MERADORIAS BENS E/OU AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE E OMUNIAÇÃO ADQUIRIDAS EXLUSIVAMENTE DOS ESTADOS DO SUL E SUDESTE EXETO ESPÍRITO SANTO REGISTRO TIPO 31: APURAÇÃO DO IMS REGISTRO TIPO 32: APURAÇÃO DO IMS REGISTRO TIPO 33: DETALHAMENTO DE OUTROS DÉBITOS E OUTROS RÉDITOS DO IMS REGISTRO TIPO 34: TRANSFERÊNIAS DE RÉDITOS REGISTRO TIPO 35: APURAÇÃO DO IMS SIMPLIFIADA REGISTRO TIPO 41: OBRIGAÇÕES FISAIS APURADAS REGISTRO TIPO 42: OBRIGAÇÕES FISAIS PAGAS REGISTRO TIPO 43: ENTRADAS INTERESTADUAIS DE PRODUTOS OM SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA FORNEEDOR INSRITO NO AEAL REGISTRO TIPO 44: ENTRADAS INTERESTADUAIS DE PRODUTOS OM SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA FORNEEDOR NÃO INSRITO NO AEAL REGISTRO TIPO 45: RELATÓRIO DE NOTAS FISAIS REGISTRO TIPO 46: NOTAS FISAIS ANELADAS REGISTRO TIPO 61: MUNIÍPIOS - OPERAÇÕES INTERNAS DE PRODUTOS REGISTRO TIPO 62: MUNIÍPIOS - OPERAÇÕES INTERNAS DE SERVIÇOS REGISTRO TIPO 63: OPERAÇÕES REALIZADAS POR UF - ENTRADAS REGISTRO TIPO 64: OPERAÇÕES REALIZADAS POR UF - SAÍDAS REGISTRO TIPO 65: ESTOQUE E BALANÇO REGISTRO TIPO 66: DADOS ONTÁBEIS REGISTRO TIPO 67: DADOS DO ONSUMO DE ENERGIA REGISTRO TIPO 68: OUTRAS DESPESAS NO PERÍODO REGISTRO TIPO 90: TOTALIZADOR DA DA ANEXOS 25 2

3 ! " #! # % # & # # ' % #! (! )! % (! # # %! # + # % ( # #! # #! % # -! )./.0 1! 2!! ( # 2 3 Periodicidade Mensal Quadrimestral Anual Normal Tipo de ontribuinte Empresa de Pequeno Porte - EPP Microempresa ME Produtor Rural ou Extrator Ambulante AMB " 4 5# 6#4 # ( 7889#' : ;.2! # /" 1 3)+ %/ 2 7<=1 7 " Organização Delimitadores de registro (EOL) Hex 0D + Hex 0A Finalizador de Arquivo (EOF) Tamanho de registro Nome do arquivo aracterísticas dos registros Seqüencial ASII de Hex 20 a Hex 7E Hex 1A opcional Variável variável com extensão.da conforme laiaute 3

4 9 > <# >! 77# # ( # 78 % '% #!? 2 -? + # %!.! 88 " #! %? ( : A 6 # : A 3B #.+ -.! 8 3. % 2!.! 8 3..! D=! (! #" 6! ). ( # >! #: 6? A! %? + E F2 4

5 "? + E #! ( A!! ( <# A! (! A! (3 A H Leite I Ovos J Mel <8 Melaço < G Litro UNID KG Ton ; K! 88#88#! # ; 7K A! 7#77#79#7<#7=#9#97#99#9<#9=#<#<7#<9<< # A (!! (/?! 1 ; 9KG G?! <=<D#! <D! <=# #! <="!?! <D ; <K! D#D7#D9#D<#D=#DD#DHDI #!!! ; =K?! J8! L #! # = 79 < /! 1 )? #! 5

6 =.! "! # # #!.! ;. 88! A ! A ) 79 9! : : 7< 7< 9 7= 7= 9 B 97 B 99 9< B B B B! A! 997#! A! 999<# 9= B : : < < M <7 <7 M7 <9 <9 M << << M7 <= M <D M D D D7 D7 B D9 D9 B D< D< B 7 D= DD M M9 DD M7 DH DH M9 DI DI M J8 '! <D! A! <=<D J8 -! A 6

7 D ; /1 N : O 78#+ 97 E /1 N : O 98#+ <I " < # 7? > P7? > 6.0! # /-1 +? #?.0 %! + # % Q.0?.R.0 # A!? " / 1 M # > > +? # M % + E QM + # %? " # > #? > 6 +? #? 6 %! Q6 + # %? "? 4444# D I # 3 K P 44K4: P KP + % +? #? % + E Q + # %? " 8 MM666666M6. +? # " +? # " < 6S +? # " < # 6S " # > F 6S # > # +? # " J 2 +? #? " <?? )))) ))))- A! T! P 6.) P - +? #?! "! )2 / N : O 881P ). # # 6S # 2 6.)!! P 7

8 H.! 2!? U W! 3 Q QQ! A! A! D.! Tipo onstante Sistema onstante DA 89 9 = M 03 Versão onstante 2 8 D D 6 04 Release onstante 2 8 H H 6 05 Sub-release onstante I J 6 06 Reservado Brancos 8D 8 = M 07 AEAL Inscrição estadual do contribuinte 8J D 7< 2 08 Tipo de declaração Período da declaração ompetência da declaração O Original R Retificadora Indicador do período da declaração: M Mensal Q Quadrimestral A Anual 8 7= 7= M 8 7D 7D M AAAAMM 8D 7H Reservado Brancos 8 99 <7 M! #"! A! 88 8J3 ( ( % ' (X U4W#44X : : +(X U5W#44X : /U8<W#U8IWU7W1 +(X UW#44X U88W 3) %! 7889# : "U78898IW6 7889/4;.1# : U788988W 4).6 ).63 - ) 6 6 (/ 8J14 7- ) 4 4 (/ 8J15 9- ) 4;. (/ 8J1 <- 788<#' : ;.2 788</ 8X 788<8<1# 6# 4! 7889 = </ # # 1#! > 788</ 8JX UW 8X U788<88W1Y 6 4 8J ( 1 8

9 D7.! 83 & 01 Tipo onstante ontribuinte Endereço de correio eletrônico da empresa D8 9 D7 M 03 ontador Endereço de correio eletrônico do contador D8 D9 77 M 04 Responsável Legal Endereço de correio eletrônico do responsável legal pela empresa D8 79 I7 M 05 Telefone ontador Telefone do ontador = I9 JH M 06 Telefone Responsável Legal Telefone do responsável legal pela empresa = JI 77 M! 8! &? + E 9

10 D9.! Tipo onstante AEAL Inscrição estadual do contribuinte 8J PF/NPJ NPJ ou PF do contribuinte < 7 7= F 6S 04 Razão Social Razão Social do contribuinte <8 7D D= M 05 Período Inicial 06 Período Final 07 Data Inicial 08 Data Final 09 Indicador de Movimento 10 Faixa de Recolhimento 11 Quantidade de empresas que participam da Receita para Enquadramento 12 R do ontador 13 PF do ontador 14 Nome do ontador 15 PF do Responsável 16 Nome do Responsável 17 Indicador de Encerramento AAAAMM Período fiscal inicial desta declaração AAAAMM Período fiscal final desta declaração AAAAMMDD Data do início do período referente às informações prestadas AAAAMMDD Data do final do período referente às informações prestadas Indica se ocorreu movimento na empresa no período declarado: S Sim N Não Este campo será desconsiderado nesta versão do leiaute Quantidade de empresas que participam na composição da Receita Bruta Anual para enquadramento R do contador responsável pela empresa PF do contador responsável pela empresa Nome do contador responsável pela empresa PF do responsável legal da empresa Nome do responsável legal da empresa Indica se esta declaração é de encerramento de atividades: S Sim N Não 8D DD H Q 8D H7 HH Q 8I HI I= 8I ID J9 8 J< J< M 87 J= JD Q6 87 JH JI 6 8 JJ 8I. 8J J <8 78 =J M D8 H8 <8 H 78 M M! 8#"! A #! 6S # 8=-8D 8D3( : : : 8J! U88W+ # #'#: "! : )A!! 8H-8I 8I3! % : 8J! U88W 3+ ( : " # 8H U788988W 8I U788989W# A 2 <F8F7889# 8H U78898<W 3 )! A 4 10

11 4; #! U8WP 7 7- <3) 4#4;.P H3 U+W " # # # # % U6W# %#% % P D<.! 73 4 #; F + 01 Tipo onstante Período Inicial AAAAMM 8D 9 I 03 Período Final AAAAMM 8D J < 04 FOP 05 Valor ontábil ódigo Fiscal de Operação e Prestação Valor contábil constante no documento fiscal 8< = I 6 < J 97.R 06 Base de álculo Base de álculo do IMS < 99 <D.R 07 IMS Normal reditado Montante do imposto < <H D8.R 08 Isentas ou Não-Tributadas 09 Outras 10 Valor ontábil de Mercadorias com IMS Antecipado Valor amparado por isenção ou não incidência Valor que não confira débito ou crédito do IMS Valor das mercadorias com IMS antecipado e fase de tributação encerrada < D H<.R < H= II.R < IJ 87.R! )? : :.! #.#(" / 8=8D! 81 +4#(" # 8<3 A! % ) 4? ) U )+ W 8=3 6? 11

12 D=.! 773+(4 #; F + 01 Tipo onstante Período Inicial AAAAMM 8D 9 I 03 Período Final AAAAMM 8D J < 04 FOP ódigo Fiscal de Operação e Prestação 8< = I 6 05 Valor ontábil Valor contábil constante no documento fiscal < J 97.R 06 Base de álculo Base de álculo do IMS < 99 <D.R 07 IMS Normal Debitado Montante do imposto < <H D8.R 08 Isentas ou Não-Tributadas 09 Outras 10 Valor ontábil de Mercadorias com IMS Antecipado Valor amparado por isenção ou não incidência Valor que não confira débito ou crédito do IMS Valor das mercadorias cuja entrada de deu com antecipação do IMS com encerramento da fase de tributação.! 6. ).! )(? ( (" 8<3 A! % ) 8=3 6? DD.! (+ < D H<.R < H= II.R < IJ 87.R 01 Tipo onstante Período Inicial AAAAMM 8D 9 I 03 Período Final AAAAMM 8D J < 04 Outras Receitas no Período Outras receitas no período < = 7I.R 05 Receita Bruta no Período Receita bruta no período < 7J <7 Q.0 06 Receita Base de Recolhimento Receita base de recolhimento < <9 =D Q.0.!? 4! : (" # 12

13 DH.! 7<3+(4 #; F + 01 Tipo onstante Período Inicial AAAAMM 8D 9 I 03 Período Final AAAAMM 8D J < 04 FOP ódigo Fiscal de Operação e Prestação 8< = I 6 05 Valor ontábil Valor contábil das mercadorias < J 97.R 06 IMS Antecipado Isentas ou Não- Tributadas IMS Suspenso ou Diferido Redução da Base de álculo Valor das saídas cujo imposto já tenha sido pago por substituição tributária ou antecipação Valor amparado por isenção ou não incidência Valor das saídas de mercadorias realizadas com suspensão ou diferimento do imposto Valor das saídas ocorridas com redução da base de cálculo relativo a parte reduzida < 99 <D.R < <H D8.R < D H<.R < H= II.R 10 Vendas anceladas Valor das vendas canceladas < IJ 87.R.! 4! )? : : (" # 4 8<3 A! % ) 4? ) U )+ W 8=3 6? DI.! 7=3 4 #; F + + +# (+ 01 Tipo onstante Período Inicial AAAAMM 8D 9 I 03 Período Final AAAAMM 8D J < 04 Tipo de Operação onstante 4 8 = = 6 05 Valor ontábil Valor contábil das mercadorias < D 7J.0 06 Base de álculo Base de álculo do IMS < 98 < IMS Normal reditado Montante do imposto < << =H.0 08 Isentas ou Não- Tributadas 09 Outras 10 Valor ontábil de Mercadorias com IMS Antecipado Valor amparado por isenção ou não incidência Valor que não confira débito ou crédito do IMS Valor das mercadorias cuja entrada de deu com antecipação do IMS com encerramento da fase de tributação < =I H.0 < H7 I=.0 < ID JJ.0!!? #.+#+ #.#+#.S

14 # # ( " P + 4 # ( " # 8=3 6? DJ.! Tipo onstante Período Inicial AAAAMM 8D 9 I 03 Período Final AAAAMM 8D J < 04 Saldo redor do Período Anterior Saldo credor do período anterior < = 7I.R 05 Deduções Deduções sobre o saldo devedor < 7J <7.R 06 Histórico de deduções 07 Saldo do IMS para o período seguinte 08 IMS Debitado 09 Total de Outros Débitos Descrição do valor informado em deduções Saldo credor ou a recolher do IMS para o período seguinte Valor das saídas com débito do imposto Total de Outros Débitos informados no registro tipo <9 <7 M < <9 =D Q.0 < =H H8 Q.0 < H I< Q.0 10 Estorno de rédito Estorno de créditos < I= JI.R 11 Histórico do Estorno Descrição de estorno de crédito 88 JJ 7JI M 12 Total de Débitos Total do débito do IMS < 7JJ 97 Q.0 13 IMS reditado 14 Total de Outros réditos Valor das entradas com crédito do imposto Total de Outros réditos informados no registro tipo 33 < 99 97D Q.0 < 97H 9<8 Q.0 15 Estorno de Débito Estorno de débito < 9< 9=<.R 16 Histórico do Estorno Descrição de estorno de débito 88 9== <=< M 17 Total do rédito Total do crédito do IMS < <== <DI Q.0.! 6! (" 8H 8H3 + +! P 14

15 D8.! Tipo onstante Período Inicial AAAAMM 8D 9 I 03 Período Final AAAAMM 8D J < 04 Saldo do IMS no Período Anterior Saldo do imposto no final do ano anterior < = 7I.0 05 Deduções Deduções sobre o saldo devedor < 7J <7.R 06 Histórico de deduções 07 Saldo do IMS para o Período Seguinte 08 IMS Debitado 09 Total de Outros Débitos Descrição do valor informado em deduções Saldo do IMS a ser recolhido ou creditado no ano seguinte Valor das saídas com débito do imposto Total de Outros Débitos informados no registro tipo <9 <7 M < <9 =D.0 < =H H8.R < H I< Q.0 10 Estorno de rédito Estorno de crédito < I= JI.R 11 Histórico do estorno Descrição do estorno de crédito 88 JJ 7JI M 12 Total do Débito Total do débito do IMS < 7JJ 97 Q.0 13 IMS reditado 14 Total de Outros réditos Valor das entradas com crédito do imposto Total de Outros réditos informados no registro tipo 33 < 99 97D.R < 97H 9<8 Q.0 15 Estorno de Débito Estorno de débito < 9< 9=<.R 16 Histórico Descrição do estorno de débito 88 9== <=< M 17 Total de réditos 18 IMS Retido por ST (Operações Internas) Total de créditos apurados no ano calculado IMS retido por substituição tributária nas operações internas.!.! U97W (" 8<3 + +! 8H 8H3 + +! < <== <DI Q.0 < <DJ <I7.R 15

16 D.! 993 )" ) " Tipo onstante Período Inicial AAAAMM 8D 9 I 03 Período Final AAAAMM 8D J < 04 Transferência de réditos Acumulados Total das transferências de créditos acumulados informados no registro tipo 34 < = 7I Q.0 05 Outras Hipóteses Outros débitos não descritos < 7J <7.R 06 Histórico Descrição de outras hipóteses 88 <9 <7 M 07 IMS Antecipado IMS antecipado < <9 =D.R 08 rédito Presumido rédito presumido < =H H8.R 09 rédito Presumido 21 rédito presumido conforme Art. 21 < H I<.R 10 rédito Ativo Imobilizado 11 rédito Transferência rédito do ativo imobilizado < I= JI.R Total dos créditos acumulados recebidos por transferência < JJ 77.R 12 IMS Importação IMS importação < 79 77D.R 13 IMS Restituição IMS restituição < 77H 7<8.R 14 Outras Hipóteses Outros créditos não descritos < 7< 7=<.R 15 Histórico Descrição de outras hipóteses 88 7== 9=< M!! U9WU97W # U)" WU) "W! U99W (" 8< 8<-8D 8D3 U)" W 8H 8H-= =3 U) "W D7.! 9<3 : " 01 Tipo onstante Período Inicial AAAAMM 8D 9 I 03 Período Final AAAAMM 8D J < 04 Inscrição Estadual 05 Número do Processo AEAL da empresa favorecida pela transferência Número do processo que autoriza a transferência 8J = 79 2 < 7< 9H 6.) 06 Valor Valor da transferência < 9I =.R 07 Dispositivo Legal Dispositivo Legal regulador da transferência 88 =7 = M!! U9WU97W # U : " W (" 8=3! ( 8H3!? : " 3 JJJFJJJJ 16

17 D9.! 9= Tipo onstante Período Inicial AAAAMM 8D 9 I 03 Período Final AAAAMM 8D J < 04 Débito do IMS 05 rédito Presumido I 06 rédito Presumido II 07 Abatimento por antecipação do IMS Valor do débito do imposto conforme receita base de recolhimento e faixa de recolhimento réditos presumidos para manutenção e geração de empregos conforme Art. 27 do decreto 545/02 réditos presumidos para incentivar a produção e a aquisição interna de mercadorias conforme Art. 27 do decreto 545/02 Abatimento do imposto devido por valores efetivamente pagos a título de antecipação tributária no período de referência conforme Art. 20 4º do decreto 545/02 < = 7I.R < 7J <7.R < <9 =D.R < =H H8.R 08 Outras Deduções Outras deduções < H I<.R 09 Imposto Devido Imposto devido < I= JI Q.0.!! U9=W : : ( # 8< 8<3 " 4+?! U79W#. ;. / 8D1 8=3 "3) 9=Z " / U8< 8<W1 8D3 "3) =Z 8Z " / U8< 8<W1 8= =-8D 8D3 " <8Z " / U8< 8<W1 D<.! <3)! 01 Tipo onstante Período Inicial AAAAMM 8D 9 I 03 Período Final AAAAMM 8D J < 04 ódigo da Receita 05 Data de Vencimento ódigo da receita conforme tabela de tributos Data de vencimento do tributo ou do seu diferimento se houver 8= = J 6 8I 78 7H 06 Valor da Receita Valor da receita < 7I <.R.! #(" +#(" # 8< 8<3 A! % + E 8=3 ( P 17

18 D=.! <73)!! 01 Tipo onstante ódigo da Receita ódigo da receita 8= 9 H 6 03 Data do Pagamento 04 Valor Total Pago 05 Agente Arrecadador 06 Descrição do Agente Data do efetivo pagamento do tributo AAAAMMDD Valor do pagamento verificado possíveis descontos ou acréscimos legais ódigo do agente arrecadador (local onde foi realizado o pagamento) Descrição do agente arrecadador caso tenha sido utilizado o código 999 Outro Agente 8I I = < D 7J.R <8 99 H7 M +A!! /1 873 A! % 893! (: P 8=3 A! %? 8= A!! 88 Banco do Brasil 88< BNB Banco do Nordeste do Brasil 87J 899 8< = 79H 9< 9J7 <8J D< III JJH JJJ BANERJ BANESPA aixa Econômica Federal Banco Nossa aixa Banco Bradesco Banco Itaú Banco Mercantil de São Paulo UNIBANO Banco Bilbao Vizcaya AGS ET - Empresa de orreios e Telégrafos Outros Agentes Não adastrados! DD.! <93 + %K 2 01 Tipo onstante AEAL AEAL do fornecedor 8J Base de álculo Base de álculo do IMS substituição tributária < 7 7=.R 04 Valor do IMS Valor do IMS substituição tributária < 7D 9J.R 05 Devoluções Devoluções < <8 =9.R 06 IMS Devoluções IMS Devoluções < =< DH.R 07 Ressarcimentos Ressarcimentos < DI I.R 8936!? 18

19 DH.! <<3 + %K 2 01 Tipo onstante NPJ NPJ do fornecedor < 9 D 6S 03 Tipo da Guia Utilizada G GNRE D DAR 8 H H M 04 Base de álculo Base de álculo < I 9.R 05 Valor do IMS Valor do IMS < 97 <=.R 06 Devoluções Devoluções < <D =J.R 07 IMS Devoluções IMS Devoluções < D8 H9.R 8<36!? DI.! <=3.A 6 01 Tipo onstante Número AIDF Número da Autorização para Impressão de Documentos Fiscais Modelo ódigo do modelo da nota fiscal 87 < = M 04 Espécie Espécie da nota fiscal conforme tabela em anexo 89 D I 6 05 Série Série da nota fiscal 89 J 7 M 06 Sub-Série Sub-série da nota fiscal M 07 Inicio do Intervalo 08 Fim do Intervalo 09 Quantidade de Notas anceladas Número da primeira nota fiscal do intervalo Número da última nota fiscal do intervalo Quantidade de notas fiscais canceladas no período 8D 7< 7J 6 8D 98 9= 6 8D 9D < / 8H8I1 893 A! % 8<3 A! % " 8=3 6 U+"Y W!! % /U+"Y W# U+"Y 7W 1 G #! % N 8I 8I3 8H/U W1 8J 8J3 / 8IK 8H1 19

20 DJ.! <D36 01 Tipo onstante Número AIDF Número da Autorização para Impressão de Documentos Fiscais Modelo ódigo do modelo da nota fiscal 87 < = M 04 Espécie Espécie da nota fiscal conforme tabela em anexo 89 D I 6 05 Série Série da nota fiscal 89 J 7 M 06 Sub-Série Sub-série da nota fiscal M 07 Inicio do Intervalo 08 Fim do Intervalo Número da primeira nota fiscal do intervalo Número da última nota fiscal do intervalo 8D 7< 7J 6 8D 98 9= 6! U<= <=W# #??! U<D <DWP 87-8D 8D3! U<=W 8H - 8I3 8! U<DW # > U5 6 W! U<= <=W/ 1)! U<= <=W 8I3 U W/ 8H1 D78.! D34 (-) 01 Tipo onstante Município ódigo do município 8D 9 I 6 03 Produto ódigo do produto conforme tabela 89 J 6 04 Quantidade Quantidade de produtos < 7 7= 6 05 Valor Valor total dos produtos < 7D 9J.R A! % ( 893 A! % 8<3? D7.! D734 (-) + 01 Tipo onstante Município ódigo do município conforme tabela 8D 9 I 6 03 Serviço ódigo do serviço conforme tabela 89 J 6 04 Valor Valor total dos serviços < 7 7=.R 05 usto Proporcional usto proporcional do serviço por município < 7D 9J.R A! % ( 893 A! % ( 20

21 D77.! D93)? G - 01 Tipo onstante UF Sigla da unidade federativa 87 9 < M 03 Valor ontábil Valor ontábil < = I.R 04 Base de álculo Base de álculo < J 97.R 05 Outras Outras < 99 <D.R 06 IMS ST Petróleo e Energia IMS ST Petróleo e Energia < <H D8.R 07 IMS ST Outros IMS ST Outros < D H<.R G %/! G 1 D79.! D<3)? G -+( 8Q Tipo onstante Q UF Sigla da unidade federativa 87 9 < M 89 8< 8= 8D Valor ontábil ontribuinte Valor ontábil Não ontribuinte Base de álculo ontribuinte Base de álculo Não ontribuinte Valor ontábil ontribuinte < = I.R Valor ontábil Não ontribuinte < J 97.R Base de álculo ontribuinte < 99 <D.R Base de álculo Não ontribuinte < <H D8.R 8H Outras Outras < D H<.R 8I IMS Retido ST IMS retido para outros estados em operações com substituição tributária G %/! G 1 < H= II.R 21

22 D7<.! D=3 ; 01 Tipo onstante Data do Balanço AAAAMMDD 8I Mercadorias Tributadas: Inicial Mercadorias Tributadas: Final Mercadorias Isentas ou Não Tributadas: Inicial Mercadorias Isentas ou Não Tributadas: Final Mercadorias com IMS Antecipado ou ST: Inicial Mercadorias com IMS Antecipado ou ST: Final Outras Mercadorias: Inicial Outras Mercadorias: Final Indicador do critério de apuração do Lucro Bruto Indicador do Sistema de Inventário Indicador do Método de álculo do Estoque 14 Número de Empregados Estoque inicial de mercadorias tributadas Estoque final de mercadorias tributadas Estoque inicial de mercadorias isentas ou não tributadas Estoque final de mercadorias isentas ou não tributadas Estoque inicial de mercadorias com IMS antecipado com encerramento da fase de tributação ou de mercadorias com Substituição Tributária Estoque final de mercadorias com IMS antecipado com encerramento da fase de tributação ou de mercadorias com Substituição Tributária < 7<.R < 7= 9I.R < 9J =7.R < =9 DD.R < DH I8.R < I J<.R Estoque inicial de outras mercadorias < J= 8I.R Estoque final de outras mercadorias < 8J 77.R P Presumido R Real A Anual 1 P - Periódico M - usto Médio P PEPS Quantidade de empregados na empresa M 8 7< 7< M 8 7= 7= M 8= 7D Outras Receitas Valor de outras receitas obtidas < 9 <<.R 3 B X UW 73 B X UW 93 B X U4W <3 " 4; #? =3 " 4; #? " P 22

23 D7=.! DD3 % 01 Tipo onstante Ativo irculante: Inicial Ativo irculante no início do período < 9 D.R 03 Ativo irculante: Final Ativo irculante no final do período < H 98.R 04 Disponibilidades: Inicial Disponibilidades no início do período < 9 <<.R 05 Disponibilidades: Final Disponibilidades no final do período < <= =I.R 06 lientes: Inicial lientes no início do período < =J H7.R 07 lientes: Final lientes no final do período < H9 ID.R Outras ontas a Receber: Inicial Outras ontas a Receber: Final Outras ontas a Receber no início do período Outras ontas a Receber no final do período < IH 88.R < 8 <.R 10 Ativo Permanente: Inicial Ativo Permanente no início do período < = 7I.R 11 Ativo Permanente: Final Ativo Permanente no final do período < 7J <7.R 12 Ativo Imobilizado: Inicial Ativo Imobilizado no início do período < <9 =D.R 13 Ativo Imobilizado: Final Ativo Imobilizado no final do período < =H H8.R 14 Passivo irculante: Inicial Passivo irculante no início do período < H I<.R 15 Passivo irculante: Final Passivo irculante no final do período < I= JI.R 16 Fornecedores: Inicial Fornecedores no início do período < JJ 77.R 17 Fornecedores: Final Fornecedores no final do período < 79 77D.R Empréstimos e Financiamentos: Inicial Empréstimos e Financiamentos: Final 20 Outras ontas a Pagar: Inicial Empréstimos e Financiamentos no início do período Empréstimos e Financiamentos no final do período Outras ontas a Pagar no início do período < 77H 7<8.R < 7< 7=<.R < 7== 7DI.R 21 Outras ontas a Pagar: Final Outras ontas a Pagar no final do período < 7DJ 7I7.R 22 Patrimônio Líquido: Inicial Patrimônio Líquido no início do período < 7I9 7JD.R 23 Patrimônio Líquido: Final Patrimônio Líquido no final do período < 7JH 98.R 24 Total do Passivo: Inicial Total do Passivo no início do período < 9 97<.R 25 Total do Passivo: Final Total do Passivo no final do período < 97= 99I.R 26 Lucro Bruto: Inicial Lucro Bruto no início do período < 99J 9=7.R 27 Lucro Bruto: Final Lucro Bruto no final do período < 9=9 9DD.R 28 Lucro Líquido: Inicial Lucro Líquido no início do período < 9DH 9I8.R 29 Lucro Líquido: Final Lucro Líquido no final do período < 9I 9J<.R.! #6.? D7D.! DH3! 01 Tipo onstante Número do Medidor Número do medidor de energia 8I onsumo Quantidade de onsumo em KWh < 7< A! (!? 2! /! 1 23

24 D7H.! DI3) ( 01 Tipo onstante ódigo da Despesa ódigo da despesa conforme tabela 89 9 = M 03 Valor Valor total das despesas que se enquadram neste código < D J.R A! % D7I.! J83? 01 Tipo onstante Quantidade de Registros Quantidade total de registros de todos os tipos inclusive o totalizador gravados no arquivo (Tipo 00 + Tipo Tipo 68 + Tipo 90 ) 8D 9 I 6 24

25 I 6M)+ 2 7<8 Normal 7< Normal 7<9 Produtor Rural ou Extrator 7<= 7<D 7<H 7<I 7<J Substituto Tributário Empresa de Pequeno Porte Ambulante Microempresa Especial ); +3) + #! #! : 6 )+ KG? 4 ) 788 <88 == Devoluções de vendas de mercadorias ou serviços - operações internas Entradas internas de mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária ompra de bem para o ativo imobilizado operações internas Demais entradas ou aquisição de serviços operações internas Devoluções de vendas de mercadorias ou serviços operações interestaduais 7<88 Entradas interestaduais de mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária 7== ==8 988 ==8 ompra de bem para o ativo imobilizado operações interestaduais Demais entradas ou aquisição de serviços operações interestaduais Devoluções de vendas de mercadorias ou serviços - operações externas ompra de bem para o ativo imobilizado operações externas Demais entradas ou aquisição de serviços operações externas Transferências de mercadorias ou serviços para outros estabelecimentos da mesma empresa =788 Devoluções de compra de mercadorias ou serviços para origem em operações internas =<88 ===8 =88 D788 D<88 D==8 D88 H788 H==8 H88 Saídas internas de mercadorias cuja entrada ocorreu com substituição tributária Saídas internas em virtude de desintegração de bens do ativo imobilizado Demais saídas de mercadorias ou prestações de serviços em operações internas Devoluções de compra de mercadorias ou serviços para origem em operações interestaduais Saídas interestaduais de mercadorias cuja entrada ocorreu com substituição tributária Saídas interestaduais em virtude de desintegração de bens do ativo imobilizado Demais saídas de mercadorias ou prestações de serviços em operações interestaduais Devoluções de compra de mercadorias ou serviços para origem em operações externas Saídas para o exterior em virtude de desintegração de bens do ativo imobilizado Demais saídas de mercadorias ou prestações de serviços em operações externas 25

26 =<=F7887? 4 ) Desintegração de bens do ativo imobilizado (Art. 4º 2º I) Devolução de mercadorias para a origem (Art. 4º 2º II) Transferências para outros estabelecimentos da mesma empresa (Art. 4º 2º IV Art. 24 IV) Mercadorias cujo imposto já tenha sido pago por substituição tributária (Art. 24º I) ódigo J <H 78 77I 79D 9H8 97I 977D 97= <7 9<78 9=8 9=8 9=7I 9I<D 9J7H 9J9= 9J<9 <8D8 << =787 =9I= =9J9 =<8H =<= =<DD IPVA IPVA PARELAMENTO IPVA AUTO DE INFRAAO IPVA ARESIMOS ITD ITD AUTO DE INFRAAO ITD ARESIMOS IMS NORMAL IMS TRANSPORTE IMS OMUNIAAO IMS IMPORTAAO IMS EXPORTAAO IMS ESTIMATIVA VARIAVEL IMS ESTIMATIVA FIXA IMS SUBSTITUI?O TRIBUTARIA IMS EPP - EMP PEQ PORTE IMS AMBULANTE IMS INENTIVADO IMS OUTROS IMS NOTIFIAAO DE DEBITOS IMS ARESIMOS IMS PEUARIA IMS AGRIULTURA IMS PARELAMENTO Descrição do Tributo IMS ANT. AVES E PROD.OMESTIVEIS RES. SUA MATANA IMS ANTEIP. - MADEIRA SEUS DERIV. E FORMIA IMS ANTEIPADO - OUTROS IMS ANTEIPADO IMS AUTO DE INFRAAO 26

27 ódigo Descrição do Tributo =<I7 IMS MIRO - EMPRESA =D8 IMS ENERGIA ELETRIA =D8 IMS DIFERENIAL DE ALIQUOTA =J=< IMS REMISSAO =JD7 IMS REMISS?O LEI 6141/99 =JH8 IMS REMISSAO - LEI 6323/2002 D88< IMS PARELAMENTO ESPEIAL SETOR SUROALOOLEIRO 7I8II ONTRIBUIAO DE MELHORIA 9J8J TAXA JUDIIARIA 9778< TAXA EMOLUMENTO REG. OM. 999DH TAXA DE PROTEAO AMBIENTAL 9=I= TAXA DE FISAL. E SERV. DIVERSOS 9DD8J TAXA APROV. PROJ. E ONST. 9DD=8 TAXA PREV. E OMBATE A INENDIO 9DDDI TAXA DE FIS. E UTIL DE SERVIOS PUBLIOS - TFUSP 9DDJ7 TAXA DE FISALIZAAO SOBRE SERVIOS PUBLIOS 9DH8D REEITAS DE SERVIOS DA ESOLA FAZENDARIA <8DI RENDAS EVENTUAIS <JJI8 OUTRAS REEITAS DIVERSAS <JJJJ OUTRAS REEITAS-DOAOES AO FIA/AL =797J MULTAS DO IMS =799H MULTAS DO IPVA =79<= MULTAS DO ITD =<8 MULTAS PREV. NA LEG. AMBIENTAL =<878 MULTAS DE DEFESA E PROT. AO ONSUMIDOR ===8D MULTAS DE PREV. ONTRA INENDIO =D<D MULTAS DE OUTRAS ORIGENS =DD7 MULTAS SENTENA PENAL ONDENADORIA =HD98 PARELAMENTO DA DÍVIDA ATIVA D877< ALUGUEIS E ARRENDAMENTOS D8D=I FOROS E LAUDEMIOS D7JH PARTIIPAAO E DIVIDENDOS D77D8 ALIENAAO DE BENS MOVEIS D98H8 ALIENAAO DE BENS IMOVEIS D9DJ O REEITAS PATRIMONIAIS DH9 INDENIZ. E RESTIT. DIVERSAS DI<< REDORES DIVERSOS DIJ88 OUTRAS RE. EXTRA-ORAMENTARIAS DIJI OUTROS AUTO DE INFRAAO DIJ7D OUTROS ARESIMOS DIJHH OUTRAS REEITAS DE APITAL DJJI REEITAS DE LEILAO HJ78 JUROS DE MORA DE O REEITAS HJ==9 JUROS DE MORA DO IMS IHD7J DIVIDA ATIVA DO IMS 27

28 ódigo Descrição do Tributo IHD9H DIVIDA ATIVA ( MULTAS AESSORIAS ) IHH88 IHHI JI77 JI7I8 JI987 JI98 JI97J JJJJD REEITA D. ATIVA NAO TRIBUTARIA IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE DEPOSITOS AUOES E FIANAS FIANAS PENITENIARIAS LOTERIA SOIAL DO ESTADO DE ALAGOAS - LOTEAL SELO DE AUTENTIIDADE FISAL LEI PELÉ TRIBUTO NAO IDENTIADO Nota Fiscal Nota Fiscal Nota Fiscal de Venda a onsumidor Nota Fiscal de Entrada < Nota Fiscal de Produtor D H I J 8 9 < = D H I Nota Fiscal onta de Energia Elétrica Nota Fiscal de Serviços de Transporte 4 onhecimento de Transporte Rodoviário de argas onhecimento de Transporte Aquaviário de argas onhecimento Aéreo onhecimento de Transporte Ferroviário de argas Bilhete de Passagem Rodoviário Bilhete de Passagem Aquaviário Bilhete de Passagem e Nota de Bagagem Bilhete de Passagem Ferroviário Despacho de Transporte Resumo Movimento Diário Ordem de oleta de arga Nota Fiscal de Serviço de omunicação Nota Fiscal de Serviço de Telecomunicações 7< Autorização de arregamento e Transporte 7= Manifesto de arga 28

29 " " " 4. ATESTADO DE INTERVENAO EM MAQ REGISTRADORA 7 ATESTADO DE INTERVENAO EM P D V 9 ATESTADO INTERV EM EQ EMISSOR DE UPOM FISAL = AUTORIZAAO DE ARREGAMENTO E TRANSPORTE 7< D BILHETE DE PASSAGEM AQUAVIARIO < H BILHETE DE PASSAGEM E NOTA DE BAGAGEM = I BILHETE DE PASSAGEM FERROVIARIO D J BILHETE DE PASSAGEM RODOVIARIO 9 8 ERTIFIADO DE PESAGEM DE ANA OMPROVANTE DE PESAGEM 7 ONHEIMENTO AÉREO 8 = ONHEIMENTO DE TRANSPORTE AQUAVIARIO DE ARGAS J D ONHEIMENTO DE TRANSPORTE FERROVIARIO DE ARGAS H ONHEIMENTO DE TRANSPORTE RODOVIARIO DE ARGAS I I DESPAHO DE TRANSPORTE H 9J MANIFESTO DE ARGAS 7= < MAPA RESUMO EF <7 MAPA RESUMO P D V <= NOTA DE MOVIMENTAAO DE MATERIAIS INSUMOS <H NOTA FISAL - ONTA ENERGIA ELETRIA D <I NOTA FISAL - FATURA <I NOTA FISAL - FATURA D7 NOTA FISAL DE SERVIO DE OMUNIAAO 7 D< NOTA FISAL DE SERVIO DE TELEOMUNIAÇÃO 77 DI NOTA FISAL DO PRODUTOR < H8 NOTA FISAL FATURA DE SERVIO DE TRANSPORTE H H9 NOTA FISAL FATURA SERVIOS DE OMUNIAAO 7 HI NOTA FISAL SERVIO DE TRANSPORTE H I NOTA FISAL VENDA AO ONSUMIDOR 7 I9 NOTA FISAL I9 NOTA FISAL I< NOTA RESUMO DE VENDA I= ORDEM DE OLETA DE ARGAS 78 ID RELATÓRIO DE VENDAS IH RESUMO DE MOVIMENTO DIÁRIO I II ROMANEIO J NOTA FISAL FATURA E DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS J9 ORDEM DE RETIRADAS DE PRODUTOS J< DOUMENTO DE REEBIMENTO DE LEITE J= MAPA DE REEBIMENTO DE LEITE JH NOTA DE MOVIMENTAÇAO DE MATERIAL JI RELATORIO DE ASSISTENIA TENIA 29

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM ALAGOAS

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM ALAGOAS ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM ALAGOAS Dezembro de e Janeiro e fevereiro de François E. J. de Bremaeker Rio de Janeiro, dezembro de ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM ALAGOAS Dezembro de e Janeiro e fevereiro

Leia mais

SUMÁRIO. 1 Apresentação. 2 Notas Informativas. 3 Características de Instrução da População - Alagoas. 4 Indicadores Educacionais Alagoas

SUMÁRIO. 1 Apresentação. 2 Notas Informativas. 3 Características de Instrução da População - Alagoas. 4 Indicadores Educacionais Alagoas SUMÁRIO 1 Apresentação 2 Notas Informativas 3 Características de Instrução da População - Alagoas Pessoas com 5 Anos ou Mais, Analfabetas Segundo os Grupos de Idade - Alagoas 2001/2007 Taxa de Analfabetismo,

Leia mais

APLICAÇÃO DOS RECURSOS DO FUNDEB REALIDADE DE ALAGOAS 24.01.2013

APLICAÇÃO DOS RECURSOS DO FUNDEB REALIDADE DE ALAGOAS 24.01.2013 APLICAÇÃO DOS RECURSOS DO FUNDEB REALIDADE DE ALAGOAS 24.01.2013 Palestra: Conselho de Representantes do SINTEAL. MILTON CANUTO DE ALMEIDA Consultor Técnico em: Financiamento, Planejamento e Gestão da

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS. Secretaria de Estado da Fazenda INSTRUÇÕES DE IMPORTAÇÃO. Versão 2.2.12 para Optantes do Simples Nacional Exercício 2008

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS. Secretaria de Estado da Fazenda INSTRUÇÕES DE IMPORTAÇÃO. Versão 2.2.12 para Optantes do Simples Nacional Exercício 2008 GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS Secretaria de Estado da Fazenda INSTRUÇÕES DE IMPORTAÇÃO Declaração de Atividades do Contribuinte Versão 2.2.12 para Optantes do Simples Nacional Exercício 2008 Dúvidas: dac@sefaz.al.gov.br

Leia mais

LEVANTAMENTO SOBRE LAI E PORTAIS DA TRANSPARÊNCIA NOS MUNICÍPIOS ALAGOANOS

LEVANTAMENTO SOBRE LAI E PORTAIS DA TRANSPARÊNCIA NOS MUNICÍPIOS ALAGOANOS MUNICÍPIO SITE SITUAÇÃO OBSERVAÇÃO ÁGUA http://www.aguabranca.al.gov.br/ BRANCA ANADIA www.prefeituradeanadia.com.br SITE NÃO ATIVO ARAPIRACA http://www.arapiraca.al.gov.br/v3/ SEM LAI Informações sobre

Leia mais

Série Histórica da Rubéola em Alagoas

Série Histórica da Rubéola em Alagoas ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE SUPERINTENDENCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Série Histórica da Rubéola em Alagoas ALAGOAS - 2012 Governo do Estado de

Leia mais

SITE INATIVO CONTA SUSPENSA

SITE INATIVO CONTA SUSPENSA MUNICÍPIO SITE SITUAÇÃO LEI DE ACESSO TRANSPARÊNCIA SITE/BLOG OBSERVAÇÃO DADOS TRANSPARÊNCIA 1 ÁGUA BRANCA http://www.aguabranca.al.gov.br/index2.php SITE ATIVO Não possui Portal da próprio Sem conteúdo

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE ATENÇÃO A SAÚDE

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE ATENÇÃO A SAÚDE ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA ESTADUAL SUPERINTENDÊNCIA DE ATENÇÃO A SAÚDE MAPA DE VINCULAÇÃO DA REDE CEGONHA DISTRIBUIÇÃO DE LEITOS OBSTÉTRICOS POR REGIÃO 1ª MACRORREGIÃO REGIÃO TERRITÓRIO REFERÊNCIA 1ª

Leia mais

Vestibular Estácio -AMA

Vestibular Estácio -AMA Vestibular Estácio -AMA Maceió, 2014 A Faculdade Estácio de Alagoas em parceria com a Associação dos Municípios de Alagoas-AMA, disponibiliza o Vestibular Estácio -AMA, com o objetivo de viabilizar o acesso

Leia mais

Manual Prático do MerchSintegra

Manual Prático do MerchSintegra Manual Prático do MerchSintegra Bento Gonçalves Setembro de 2010 Índice 1. Introdução... 3 2. O MerchSintegra... 4 2.1. Configurador... 4 2.2. Inconsistências... 16 2.2.1. Gerar Nota Entrada... 16 2.2.2.

Leia mais

Cartilha com Instruções sobre o SPED Fiscal

Cartilha com Instruções sobre o SPED Fiscal artilha com Instruções sobre o SPE Fiscal Operacionalização do SPE EXATUS - na Prática ESRIÇÃO O PAPEL E AA ATOR ENVOLVIO NO PROESSO: A) SOFTWARE HOUSE: (Produtora de software de gestão empresarial).

Leia mais

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007 PLANO DE S FOLHA: 000001 1 - ATIVO 1.1 - ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 - DISPONÍVEL 1.1.1.01 - BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.0001 - (0000000001) - CAIXA 1.1.1.02 - DEPÓSITOS BANCÁRIOS 1.1.1.02.0001 - (0000000002)

Leia mais

Orientações relativas à EFD ICMS/IPI para os contribuintes do IPI situados em Pernambuco

Orientações relativas à EFD ICMS/IPI para os contribuintes do IPI situados em Pernambuco Orientações relativas à F IMS/IPI para os contribuintes do IPI situados em Pernambuco Os contribuintes do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) situados no stado de Pernambuco, por força da Instrução

Leia mais

Número de Processos em 31/05/2015 Classificação. Número de Processos em31/12/2014

Número de Processos em 31/05/2015 Classificação. Número de Processos em31/12/2014 Relação das unidades judiciarias com processos da meta 2/2009(ajuizados até 31/12/2005) ainda pendentes de julgament Ordem decrescente de maior quantitativo de processos em 31/05/2015 Número de Processos

Leia mais

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar A seguir um modelo de Plano de Contas que poderá ser utilizado por empresas comerciais, industriais e prestadoras de serviços, com as devidas adaptações: 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante 1.1.1 Disponível 1.1.1.01

Leia mais

PORTARIA N.º 1.505/2002-SEFAZ DE 26 DE NOVEMBRO DE 2002 ANÉXO ÚNICO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO CONTRIBUINTE

PORTARIA N.º 1.505/2002-SEFAZ DE 26 DE NOVEMBRO DE 2002 ANÉXO ÚNICO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO CONTRIBUINTE PORTARIA N.º 1.505/2002-SEFAZ DE 26 DE NOVEMBRO DE 2002 ANÉXO ÚNICO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO CONTRIBUINTE OBSERVAÇÃO: Para alteração desta portaria e de seu anexo foram utilizadas as nomenclaturas: Texto

Leia mais

Espaço EFD. EFD Contribuições PIS/COFINS/Previdência. Comentários do Guia Prático da Efd Contribuições

Espaço EFD. EFD Contribuições PIS/COFINS/Previdência. Comentários do Guia Prático da Efd Contribuições Espaço EFD EFD ontribuições Empresas do Lucro Real, Presumido e Arbitrado EFD ontribuições PIS/OFINS/Previdência omentários do Guia Prático da Efd ontribuições SUMÁRIO BLOO 0 ABERTURA, IDENTIFIAÇÃO E REFERÊNIAS...

Leia mais

ESTRUTURA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEDUC LEI DELEGADA Nº 47, DE 10 DE AGOSTO DE 2015

ESTRUTURA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEDUC LEI DELEGADA Nº 47, DE 10 DE AGOSTO DE 2015 ESTRUTURA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEDUC LEI DELEGADA Nº 47, DE 10 DE AGOSTO DE 2015 Art. 27. A Secretaria de Estado da Educação SEDUC é integrada por: I Órgãos Colegiados: a) Conselho Estadual de Educação;

Leia mais

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso Sistema Questor SPED PIS E COFINS SPED Sistema Público de Escrituração Digital EFD Escrituração Fiscal Digital Instrutor: - Jocenei Friedrich Apoio: - Sejam todos bem-vindos Objetivos do Curso Conhecer

Leia mais

SISTEMA DE ESCRITURAÇÃO FISCAL - SEF-PE

SISTEMA DE ESCRITURAÇÃO FISCAL - SEF-PE SISTEMA DE ESCRITURAÇÃO FISCAL - SEF-PE O arquivo digital do Sistema de Escrituração Fiscal (SEF) deve ser declarado pelos contribuintes inscritos no Cadastro de Contribuintes do Estado de Pernambuco CACEPE,

Leia mais

1. Introdução 2. Grupos 3. CFOP Das Saídas de Mercadorias, Bens ou Prestações de Serviços

1. Introdução 2. Grupos 3. CFOP Das Saídas de Mercadorias, Bens ou Prestações de Serviços CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES - CFOP - SAÍDA Sumário 1. Introdução 2. Grupos 3. CFOP Das Saídas de Mercadorias, Bens ou Prestações de Serviços 1. INTRODUÇÃO Neste trabalho, dando continuidade

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS

NORMAS E PROCEDIMENTOS 1. DESCRIÇÃO DO SERVIÇO Instruções para preenchimento da Declaração de Operações Tributáveis - DOT que deverá ser entregue pela internet, com transmissão pelo programa Transmissão Eletrônica de Documentos

Leia mais

Atividade de Contabilidade Gerencial

Atividade de Contabilidade Gerencial FAULAE E TENOLOGIA SENA GOIÁS ontabilidade Gerencial IV PERÍOO Gestão da Tecnologia da Informação Noturno Atividade de ontabilidade Gerencial Professora: Niuza Adriane da Silva Aluno: Thiago hagas astilho

Leia mais

Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de

Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de comunicação - ICMS BASE CONSTITUCIONAL E LEGAL Artigo 155,

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR Lei nº 6.673/2005

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR Lei nº 6.673/2005 LEI Nº 6.673, DE 4 DE JANEIRO DE 2006. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DA AGÊNCIA DE DEFESA E INSPEÇÃO AGROPECUÁRIA DE ALAGOAS ADEAL, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS Faço saber que o

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

3.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO OU PRODUÇÃO RURAL, COMERCIALIZAÇÃO OU PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS.

3.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO OU PRODUÇÃO RURAL, COMERCIALIZAÇÃO OU PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. 1.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO OU PRODUÇÃO RURAL, COMERCIALIZAÇÃO OU 2.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO OU PRODUÇÃO RURAL, COMERCIALIZAÇÃO OU 3.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO OU PRODUÇÃO RURAL,

Leia mais

Tabelas de Guarda de Documentos Âmbito Estadual (SP)

Tabelas de Guarda de Documentos Âmbito Estadual (SP) Tabelas de Guarda de Documentos Âmbito Estadual (SP) DOCUMENTOS DE COMPETÊNCIA ESTADUAL Livros Fiscais Registro de Entradas, modelo 1 Registro de Entradas, modelo 1-A; Registro de Saídas, modelo 2; Registro

Leia mais

O que temos? O que devemos fazer?

O que temos? O que devemos fazer? Dengue, Zika e Chikungunya Aedes aegypti O que temos? O que devemos fazer? E Zika... Dengue... Situação da doença - 2015 (jan a nov): 28 mil casos notificados (16 mil 2014). (inclui suspeita de Zika e

Leia mais

ANEXO 18 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

ANEXO 18 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD ANEXO 18 REVOGADO OS ARTIGOS 1º, 2º, 3º, 4º, 5º, 6º, 7º, 8º e 8º-A pela RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA 10/11 de 14.12.11. Alteração: Resolução Administrativa nº 03/2015 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Acrescentado

Leia mais

DAS ENTRADAS DE MERCADORIAS E BENS E DA AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS

DAS ENTRADAS DE MERCADORIAS E BENS E DA AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS A partir de 01 de janeiro de 2003 os contribuintes do ICMS passaram a adotar os novos Códigos Fiscais de Operações e Prestações com 4 (quatro) algarismos, o que tem gerado inúmeras dificuldades aos nossos

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009

FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009 FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009 RELATÓRIO DE PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO: UM ESTUDO DE CASO EM EMPRESA QUE ATUA NO RAMO DE SITUADA NO MUNICÍPIO DE

Leia mais

Códigos Fiscais de Operações e Prestações de Serviços - CFOP. 1.101 2.101 3.101 Compra para industrialização ou produção rural

Códigos Fiscais de Operações e Prestações de Serviços - CFOP. 1.101 2.101 3.101 Compra para industrialização ou produção rural Códigos Fiscais de Operações e Prestações de Serviços - CFOP INTERNO INTERESTADUAL EXTERIOR OPERAÇÃO/ PRESTAÇÃO 1.100 2.100 3.100 COMPRA PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, PRODUÇÃO RURAL, COMERCIALIZAÇÃO OU PRESTAÇÃO

Leia mais

MANUAL DO SINTEGRA GRF-CBT

MANUAL DO SINTEGRA GRF-CBT MANUAL DO SINTEGRA GRF-CBT ÍNDICE Quem deve entregar o arquivo magnético?...7 Contribuinte enquadrado como microempresa no cadastro de contribuintes do ICMS da SEFAZ / SP está obrigado a entregar informações

Leia mais

CÓDIGO FISCAL DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES (CFOP) SAÍDAS

CÓDIGO FISCAL DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES (CFOP) SAÍDAS CÓDIGO FISCAL DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES (CFOP) SAÍDAS INTERNO INTERESTADUAL EXTERIOR OPERAÇÃO/PRESTAÇÃO 5.100-6.100 7.100 VENDA DE PRODUÇÃO PRÓPRIA OU DE TERCEIROS 5.101 6.101 7.101 Venda de produção do

Leia mais

Sistema licenciado para CONTAX ORGANIZACAO CONTABIL S/C LTDA

Sistema licenciado para CONTAX ORGANIZACAO CONTABIL S/C LTDA Página: 01 1-000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1-100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO OU PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS 1-101 Compra para industrialização 1-102 Compra para comercialização

Leia mais

Relatório do Plano de Contas

Relatório do Plano de Contas 1 10000 ATIVO 1.01 10001 ATIVO CIRCULANTE 1.01.01 10002 DISPONIVEL 1.01.01.01 10003 CAIXA 1.01.01.01.00001 10004 CAIXA GERAL S 1.01.01.02 10020 BANCO CONTA MOVIMENTO 1.01.01.02.00001 10021 BANCO DO BRASIL

Leia mais

Respostas às dúvidas mais frequentes a respeito do SINTEGRA

Respostas às dúvidas mais frequentes a respeito do SINTEGRA Respostas às dúvidas mais frequentes a respeito do SINTEGRA Quando vou transmitir o arquivo o sistema me pede nome de usuário e senha. O que fazer? Você esta tentando transmitir o arquivo no formato TXT.

Leia mais

1. Lista de CFOP s... 3 1.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO... 3 2.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DE OUTROS ESTADOS...

1. Lista de CFOP s... 3 1.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO... 3 2.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DE OUTROS ESTADOS... Lista de CFOP's Sumário: 1. Lista de CFOP s... 3 1.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO... 3 2.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DE OUTROS ESTADOS... 7 3.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES

Leia mais

A partir da referência maio de 2009 (entrega até 10/06) foram feitas as seguintes adequações relacionadas à DIME e DCIP:

A partir da referência maio de 2009 (entrega até 10/06) foram feitas as seguintes adequações relacionadas à DIME e DCIP: Senhores Contabilistas, A partir da referência maio de 2009 (entrega até 10/06) foram feitas as seguintes adequações relacionadas à DIME e DCIP: 1 - VALIDADOR DA DIME - CRÍTICA DOS CFOP COM CAMPOS ESPECÍFICOS

Leia mais

TABELA DE CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES (CFOP) ENTRADAS E PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS

TABELA DE CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES (CFOP) ENTRADAS E PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS TABELA DE CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES (CFOP) ENTRADAS E PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS Ajuste SINIEF n 4, de 9 de Julho de 2010 INTERNO INTERESTADUAL EXTERIOR OPERAÇÃO/ PRESTAÇÃO COMPRA PARA INDUSTRIALIZAÇÃO,

Leia mais

Contabilidade Básica Prof. Jackson Luis Oshiro joshiro@ibest.com.br Conceito Conta Nome dado aos componentes patrimoniais (bens, direitos, obrigações e Patrimônio Líquido) e aos elementos de resultado

Leia mais

Tabela de Códigos Fiscais de Operações e Prestações (CFOP) Entradas e Prestações de Serviços

Tabela de Códigos Fiscais de Operações e Prestações (CFOP) Entradas e Prestações de Serviços Tabela de Códigos Fiscais de Operações e Prestações (CFOP) Entradas e Prestações de Serviços INTERNO INTERESTADUAL EXTERIOR OPERAÇÃO/ PRESTAÇÃO 1.100 2.100 3.100 COMPRA PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, PRODUÇÃO

Leia mais

CÓDIGO DE GUIAS CFOP DE SAÍDAS DE MERCADORIAS E PRESTAÇÕES DE SERVIÇO CFOP. Descrição da operação ou prestação. Interna Interestadual Importação

CÓDIGO DE GUIAS CFOP DE SAÍDAS DE MERCADORIAS E PRESTAÇÕES DE SERVIÇO CFOP. Descrição da operação ou prestação. Interna Interestadual Importação CÓDIGO DE GUIAS CFOP DE SAÍDAS DE MERCADORIAS E PRESTAÇÕES DE SERVIÇO CFOP Interna Interestadual Importação 5.100 6.100 7.100 5.101 6.101 7.101 5.102 6.102 7.102 5.103 6.103 5.104 6.104 Descrição da operação

Leia mais

Tabela de CFOP - Código Fiscal de Operações e Prestação

Tabela de CFOP - Código Fiscal de Operações e Prestação Tabela de CFOP - Código Fiscal de Operações e Prestação 1.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1.100 - COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO OU PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS 1.101 - Compra

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP 5º CCN 2012.1 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP 5º CCN 2012.1 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO O artigo 187 da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976 (Lei das Sociedades por Ações), instituiu a Demonstração do Resultado do Exercício. A Demonstração do Resultado

Leia mais

EDITAL CREDENCIAMENTO N.º ARSAL-001/2012 RETIFICADO

EDITAL CREDENCIAMENTO N.º ARSAL-001/2012 RETIFICADO EDITAL CREDENCIAMENTO N.º ARSAL-001/2012 RETIFICADO CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE GUINCHAMENTO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES APREENDIDOS PELA ARSAL. EDITAL DE CREDENCIAMENTO N.º ARSAL-001/2012

Leia mais

Tabela de CFOP - Código Fiscal de Operações e Prestação

Tabela de CFOP - Código Fiscal de Operações e Prestação Tabela de CFOP - Código Fiscal de Operações e Prestação 1.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1.100 - COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO OU PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS 1.101 - Compra

Leia mais

CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES CFOP

CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES CFOP CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES CFOP DAS ENTRADAS DE MERCADORIAS E BENS E DA AQUISIÇÃO DE SERVIÇO 1.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1.100 - COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, PRODUÇÃO

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte TEORIA DA CONTABILIDADE 1. CONTA: Conta é o nome técnico que identifica cada componente patrimonial (bem, direito ou obrigação), bem como identifica um componente de resultado (receita ou despesas). As

Leia mais

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos Luiz Campos 1 Livro de Apuração do IPI - CFOP CFOP DESCRIÇÃO 1.000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, PRODUÇÃO RURAL,

Leia mais

1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE

1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE PLANO DE CONTAS Associações, Sindicatos e Outras Entidades. 1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE 1.1.1. Disponibilidades 1.1.1.1. Caixa 1.1.1.2. Bancos c/ Movimento 1.1.1.3. Aplicações Financeiras 1.1.2. Créditos

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD 1 - Informações referentes à Escrituração Fiscal Digital EFD A Escrituração Fiscal Digital é um dos módulos do um sistema púbico

Leia mais

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC)

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) EMPRESA: LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) NOME DO ARQUIVO Existem dois nomes possíveis: um para as notas de saída e outro para as notas de entrada. - Saídas : O nome do arquivo deve

Leia mais

Notas de Saída. Modelo: Posições Observações. Descrição do Campo. Página 1 de 5

Notas de Saída. Modelo: Posições Observações. Descrição do Campo. Página 1 de 5 Espécie do documento 1 3 Alfanumérico - espécie da nota ou *CT Série e subsérie 4 3 Alfanumérico-0 a 9/A a Z Número da Nota Fiscal ( ) 7 6 Numérico com zeros a esquerda Número da Nota Fiscal ( Final )

Leia mais

Tabela CFOP - RICMS-ES Anexo XXVII, art.651

Tabela CFOP - RICMS-ES Anexo XXVII, art.651 CFOP Descrição da Operação ou Prestação 1.000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, PRODUÇÃO RURAL, COMERCIALIZAÇÃO OU PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS 1.101 Compra para

Leia mais

Tabela de CFOP(Código Fiscal de Operações e Prestação) 1.000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO

Tabela de CFOP(Código Fiscal de Operações e Prestação) 1.000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO Tabela de CFOP(Código Fiscal de Operações e Prestação) 1.000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO OU PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS 1.101 Compra para

Leia mais

Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde (PQA-VS)

Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde (PQA-VS) Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde (PQA-VS) Herbert Charles S. Barros Diretor de Informação e Análise da Situação de Saúde DIASS/SUVISA/SESAU OBJETIVO Induzir o aperfeiçoamento das

Leia mais

CFOP - CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES

CFOP - CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES CFOP - CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES A presente relação de códigos fiscais é baseada no Convênio SINIEF s/nº, de 15.12.1970, com suas respectivas alterações. A relação encontra-se devidamente

Leia mais

EDUCAÇÃO. Atalaia. Barra de. Santo Antônio. Batalha. Belém. Belo Monte. Boca da Mata. Branquinha. Cacimbinhas. Cajueiro. Campestre.

EDUCAÇÃO. Atalaia. Barra de. Santo Antônio. Batalha. Belém. Belo Monte. Boca da Mata. Branquinha. Cacimbinhas. Cajueiro. Campestre. Projeto TRILHAS, do Instituto Natura, chega a mais de duas mil escolas da rede pública de Alagoas EDUCAÇÃO Projeto TRILHAS, do Instituto Natura, chega a mais de duas mil escolas da rede pública de Alagoas

Leia mais

Projeção da População dos Municípios Alagoanos 2011-2016

Projeção da População dos Municípios Alagoanos 2011-2016 Governo do Estado de Alagoas ISSN 2237-5716 Projeção da População dos Municípios Alagoanos 2011-2016 v.3 2011 Secretaria de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS

Leia mais

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui Atenção 01 Aqueles contribuintes obrigados ao envio mensal do arquivo SINTEGRA ao SEFAZ, devem observar a data de entrega, conforme definido pelo fisco. Atenção 02 Essas informações não substituem aquelas

Leia mais

Assunto: Situação Atual da Dengue em Alagoas. Quadro Síntese

Assunto: Situação Atual da Dengue em Alagoas. Quadro Síntese Assunto: Situação Atual da Dengue em Alagoas. Quadro Síntese A partir de janeiro de 2014 o Brasil adotou a nova classificação de casos de dengue, revisada da Organização Mundial de Saúde e Ministério da

Leia mais

Plano de Contas Pag.: 1 de 7

Plano de Contas Pag.: 1 de 7 Plano de Contas Pag.: 1 de 7 1 ATIVO 1.1 ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 ATIVO DISPONIVEL 1.1.1.001 NUMERARIOS 1.1.1.001.0001-0 CAIXA PEQUENO 11110 X 1.1.1.002 BANCOS CONTA MOVIMENTO 1.1.1.002.0001-5 BANCO BRADESCO

Leia mais

SICOOB - Contabilidade. Período: 01/12/2010 a 31/12/2010. Conta Cod. Red. Descrição da Conta Saldo Anterior Débitos Créditos Saldo Atual

SICOOB - Contabilidade. Período: 01/12/2010 a 31/12/2010. Conta Cod. Red. Descrição da Conta Saldo Anterior Débitos Créditos Saldo Atual 1.0.0.00.00-7 CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 9.671.194,34 29.326.303,91 29.462.756,13 9.534.742,12 1.1.0.00.00-6 DISPONIBILIDADES 80.215,82 11.749.129,63 11.810.017,76 19.327,69 1.1.1.00.00-9 CAIXA

Leia mais

1. INVENTÁRIOS 1.2 INVENTÁRIO PERIÓDICO. AGENTE E ESCRIVÃO DA POLICIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Corrêa. 1..

1. INVENTÁRIOS 1.2 INVENTÁRIO PERIÓDICO. AGENTE E ESCRIVÃO DA POLICIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Corrêa. 1.. 1. INVENTÁRIOS 1..1 Periódico Ocorre quando os estoques existentes são avaliados na data de encerramento do balanço, através da contagem física. Optando pelo inventário periódico, a contabilização das

Leia mais

É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização

É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização É expressamente proibida cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização dos autores conforme legislação vigente. Agosto/2005

Leia mais

Secretaria Executiva de Fazenda. Declaração de Atividades do Contribuinte DAC 2.1

Secretaria Executiva de Fazenda. Declaração de Atividades do Contribuinte DAC 2.1 GOVERNO DE ALAGOAS Secretaria Executiva de Fazenda MANUAL DE PREENCHIMENTO Declaração de Atividades do Contribuinte DAC Mensal Empresa normal DAC Quadrimestral EPP e ME DAC 2.1 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...4

Leia mais

TABELA DE RECEITAS 201 ITCD 301 IPVA 302 IPVA - PARCELAMENTO 309 IPVA - PARCELAM. DIVIDA ATIVA 310 IPVA - DIVIDA ATIVA

TABELA DE RECEITAS 201 ITCD 301 IPVA 302 IPVA - PARCELAMENTO 309 IPVA - PARCELAM. DIVIDA ATIVA 310 IPVA - DIVIDA ATIVA TABELA DE RECEITAS 201 ITCD 301 IPVA 302 IPVA - PARCELAMENTO 309 IPVA - PARCELAM. DIVIDA ATIVA 310 IPVA - DIVIDA ATIVA 401 AIR - ADICIONAL DO IMPOSTO DE RENDA 510 COTA PARTE DO FUNDO DE PARTICIPACAO DOS

Leia mais

=CAIXA ******6.053,07D *****200.073,85 *****179.146,19 *****26.980,73D

=CAIXA ******6.053,07D *****200.073,85 *****179.146,19 *****26.980,73D Diário:6 Folha: 12 [7]ATIVO [14]ATIVO CIRCULANTE [21]CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA [28]CAIXA [35]CAIXA 6.053,07D 200.073,85 179.146,19 26.980,73D =CAIXA ******6.053,07D *****200.073,85 *****179.146,19

Leia mais

SUPERINTENDENTE DE VIGILÂNCIA DA SAÚDE - SUVISA DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DIVEP

SUPERINTENDENTE DE VIGILÂNCIA DA SAÚDE - SUVISA DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DIVEP SUPERINTENNTE VIGILÂNCIA DA SAÚ - SUVISA DIRETORIA VIGILÂNCIA EPIMIOLÓGICA DIVEP BOLETIM INFORMATIVO SEMANAL Nº51/2014 Assunto: Situação Atual da Dengue em Alagoas 05 JANEIRO 2015. Quadro Síntese Atualmente,

Leia mais

ANEXO 7 MODELOS DE LIVROS E DOCUMENTOS FISCAIS TERMO DE APRESENTAÇÃO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DA FAZENDA TERMO DE APRESENTAÇÃO

ANEXO 7 MODELOS DE LIVROS E DOCUMENTOS FISCAIS TERMO DE APRESENTAÇÃO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DA FAZENDA TERMO DE APRESENTAÇÃO ANEXO 7 MODELOS DE LIVROS E DOCUMENTOS FISCAIS TERMO DE APRESENTAÇÃO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DA FAZENDA TERMO DE APRESENTAÇÃO ESCRITURAÇÃO FISCAL DO A ESCRITURAÇÃO FISCAL A SEGUIR REGISTRADA, REGIDA

Leia mais

Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria

Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria 1ª Versão 1 Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria PROCESSO DE CLASSIFICAÇÃO/ ESCRITURAÇÃO FISCAL CONTÁBIL E OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS

Leia mais

1. a. Preencha os balancetes: 1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200

1. a. Preencha os balancetes: 1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200 EXERCÍCIOS EXTRAS 1. a. Preencha os balancetes: 1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200 S.DEVEDORES (APLICAÇÕES)............ S.CREDORES (ORIGENS)...... t o t a

Leia mais

Diário :18 Folha: 222 Descrição Classificação Conta Exercício Atual

Diário :18 Folha: 222 Descrição Classificação Conta Exercício Atual Diário :18 Folha: 222 R E C E I T A S OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS OUTRAS RECEITAS RECEITAS DE ALUGUEIS RECEITA DE LOCAÇÃO 3-2-09-01-03 9 500,00C =RECEITAS DE ALUGUEIS ********500,00C =OUTRAS RECEITAS

Leia mais

19ª Região - Alagoas

19ª Região - Alagoas 19ª Região - Alagoas SERVIÇO DE DISTRIBUIÇÃO DE FEITOS DAS VARAS DE MACEIÓ Av. da Paz, nº 1994, Térreo - Centro Fone: (82) 2121-8192 Fax 2121-8238 Cep: 57.020-440 Maceió/AL e-mail: dist@trt19.gov.br Jurisdição:

Leia mais

LEIAUTE ARQUIVO TEXTO DIF ELETRÔNICO - VERSÃO 2014

LEIAUTE ARQUIVO TEXTO DIF ELETRÔNICO - VERSÃO 2014 ANEXO ÚNICO À PORTARIA SEFAZ N o 1.300, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013. ANEXO III À PORTARIA SEFAZ N o 1.859 DE 23 DE DEZEMBRO DE 2009 LEIAUTE ARQUIVO TEXTO DIF ELETRÔNICO - VERSÃO 2014 1. DADOS TÉCNICOS DE

Leia mais

ICMS - Tabela - Códigos Fiscais de Operações e Prestações (CFOP)

ICMS - Tabela - Códigos Fiscais de Operações e Prestações (CFOP) ICMS - Tabela - Códigos Fiscais de Operações e Prestações (CFOP) Este procedimento apresenta todos os Códigos Fiscais de Operações e Prestações (CFOP) a serem utilizados nas operações de entrada e saída

Leia mais

Os valores totais do Ativo e do Patrimônio Líquido são, respectivamente,

Os valores totais do Ativo e do Patrimônio Líquido são, respectivamente, Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Exercícios de Contabilidade Professora Niuza Adriane da Silva 1º A empresa XYZ adquire mercadorias para revenda, com promessa de pagamento em 3 parcelas iguais, sendo

Leia mais

SINDCONT-SP SINDCONT-SP

SINDCONT-SP SINDCONT-SP Sindicato dos Contabilistas de São Paulo (Ex-Instituto Paulista de Contabilidade - Fundado em 1919) ÓRGÃO DE PROFISSÃO LIBERAL SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS DISPOSIÇÕES GERAIS CONCEITOS Lei Complementar

Leia mais

VAGAS CRE Municípios a serem atendidos

VAGAS CRE Municípios a serem atendidos EDITAL DE SELEÇÃO PARA TUTORES A DISTÂNCIA Programa PROINFO INTEGRADO Edital 01/2014 A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte - SEE/AL através da Superintendência de Gestão da Rede Estadual de Ensino

Leia mais

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64 1.... ATIVO 152.101.493,67 50.040.951,48 153.182.697,98 1.10... ATIVO CIRCULANTE 12.634.079,13 49.780.167,34 14.042.894,83 1.10.10.. DISPONIBILIDADES 10.621.727,62 40.765.261,82 12.080.213,47 1101001 BENS

Leia mais

CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações

CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações CÓDIGOS DE OPERAÇÕES DE ENTRADAS 1.000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO Classificam-se, neste grupo, as operações ou prestações em que o estabelecimento

Leia mais

ANEXO II ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE PROJETO TÉCNICO ECONÔMICO FINANCEIRO PARA PLEITOS DE INCENTIVO TRIBUTÁRIO

ANEXO II ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE PROJETO TÉCNICO ECONÔMICO FINANCEIRO PARA PLEITOS DE INCENTIVO TRIBUTÁRIO ANEXO II ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE PROJETO TÉCNICO ECONÔMICO FINANCEIRO PARA PLEITOS DE INCENTIVO TRIBUTÁRIO 1 CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA 1.1. Razão Social: 1.2. Endereços: Fone: - Escritório - Fábrica 1.3.

Leia mais

CURSO ESCRITÓRIO CONTÁBIL MODELO. Próxima turma com inicio em Março de 2012

CURSO ESCRITÓRIO CONTÁBIL MODELO. Próxima turma com inicio em Março de 2012 CURSO ESCRITÓRIO CONTÁBIL MODELO Próxima turma com inicio em Março de 2012 Conteúdo Programático: Abertura e Encerramento de Empresas: Decisão quanto a forma jurídica; Empresa Individual; Sociedade Empresária

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL AULA 03: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS TÓPICO 03: ORIGEM E EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA QUALIDADE A DRE tem por objetivo evidenciar a situação econômica de uma empresa,

Leia mais

decorrentes de prestações de serviços de comunicação. 1.206 2.206 3.206 Anulação de valor relativo à prestação de serviço de transporte

decorrentes de prestações de serviços de comunicação. 1.206 2.206 3.206 Anulação de valor relativo à prestação de serviço de transporte CFOP DE ENTRADA DE MERCADORIA/UTILIZAÇÃO DE SERVIÇO CFOP IMPORTAÇÃO DESCRIÇÃO DA OPERAÇÃO OU PRESTAÇÃO 1.100 2.100 3.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, PRODUÇÃO RURAL, COMERCIALIZA- ÇÃO OU PRESTAÇÃO DE

Leia mais

SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. Anexo II Lançamento de Ajustes por documento.

SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. Anexo II Lançamento de Ajustes por documento. SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. Anexo II Lançamento de Ajustes por documento. NF Modelo 1 e 1A, Avulsa, Produtor e NF-e. Este anexo detalha todos os lançamentos de Observações e Ajustes (filhos

Leia mais

Distrito Federal > Novembro/2015

Distrito Federal > Novembro/2015 OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Distrito Federal

Leia mais

Créditos. a. das aquisições de bens para revenda efetuadas no mês;

Créditos. a. das aquisições de bens para revenda efetuadas no mês; Créditos Dos valores de Contribuição para o PIS/Pasep e Cofins apurados, a pessoa jurídica submetida à incidência não-cumulativa poderá descontar créditos, calculados mediante a aplicação das alíquotas

Leia mais

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins 29/05/2012 1 O Sped fiscal e Pis/Confins é uma arquivo gerado através do sistema da SD Informática, onde este arquivo contem todos os dados de entrada e saída

Leia mais

CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES - CFOP - ENTRADA

CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES - CFOP - ENTRADA CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES - CFOP - ENTRADA 1. Introdução 2. Grupos 3. CFOP de Entrada ou Aquisição de Serviço 1. INTRODUÇÃO Os Códigos Fiscais de Operações e Prestações - CFOP são códigos

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Nas questões de 31 a 60, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a folha de respostas, único documento válido para a correção das

Leia mais

PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração

PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração Sumário 1. Considerações Iniciais 2. Codificação 3. Abertura de Contas Novas 4. Manual de Contas 5. Estrutura e Classificação Das Contas Patrimoniais 6. Modelo

Leia mais

BALANCETE ANALÍTICO - JUNHO/2015

BALANCETE ANALÍTICO - JUNHO/2015 : 1 1 ATIVO 6.696.323,89D 1.488.250,06 1.434.586,10 6.749.987,85D 1.1 ATIVO CIRCULANTE 4.489.543,31D 1.482.146,36 1.418.329,94 4.553.359,73D 1.1.1 DISPONIBILIDADES 4.192.202,67D 1.192.026,76 1.128.756,69

Leia mais

ANEXO DO CONVÊNIO S/Nº, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1970 (CFOP)

ANEXO DO CONVÊNIO S/Nº, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1970 (CFOP) ANEXO DO CONVÊNIO S/Nº, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1970 (CFOP) Atualizada até 09/04/2008 Alterado pelos Ajustes nº 07/01, 05/02, 05/03, 09/03, 03/04, 09/04, 02/05, 05/05, 06/05, 09/05, 06/07 e 03/08. A Cláusula

Leia mais

Configuração de Acumuladores

Configuração de Acumuladores Configuração de Acumuladores Os acumuladores são cadastro usados pelo Módulo Domínio Sistemas Fiscal para permitir a totalização dos valores lançados nos movimentos de entradas, saídas, serviços, outras

Leia mais

SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital.

SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA LANÇAMENTO DE UM DOCUMENTO FISCAL. 1. APRESENTAÇÃO. 2. PREPARAÇÃO PARA A GERAÇÃO DOS REGISTROS. 2.1. Classificação Física dos Documentos

Leia mais

CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações

CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações A presente relação de códigos fiscais é baseada noconvênio SINIEF s/nº, de 15.12.1970, com suas respectivas alterações. A relação encontra-se devidamente

Leia mais