Análise da Imagem. Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Educação de Santarém. Antropologia da Imagem.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Análise da Imagem. Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Educação de Santarém. Antropologia da Imagem."

Transcrição

1 Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Educação de Santarém Antropologia da Imagem Análise da Imagem Joyce Tenneson 1º Ano de ECM, Data: Trabalho Realizado por: Marina Plácido Nº 96

2 Índice Introdução Análise da Imagem Identificação Elementos Formais de Composição Registos de Imagem Estereótipo O Autor Joyce Tenneson Outros trabalhos realizados pela fotógrafa Fotos de Celebridades captadas por Joyce Tenneson Joyce Tenneson em revistas e publicidade Componentes Culturais e Sócio-culturais Contemporâneos de Joyce Tenneson Graça Martins Diana Blok 20 Conclusão 21 Webgrafia 22 pág. Página 1 de 23

3 Introdução Fazendo uma breve abordagem pelo o que considero ser Antropologia da Imagem. E ao investigar sobre o tema, posso dizer que: sendo a imagem uma representação daquilo que vemos e a antropologia o estudo do ser humano que o relaciona com a cultura e a sociedade. Posso assim dizer que Antropologia da imagem é o estudo da imagem e daquilo que ela reflecte para o ser humano. Assim, e depois de tentar compreender o que é a Antropologia referente a uma imagem, vou tentar fazer um estudo antropológico de uma imagem de Joyce Tenneson que é uma fotografa conceituada norte-americana, tentando referir todos os aspectos relevantes para a compreensão da imagem. Página 2 de 23

4 1. Análise da Imagem Título: Heather and Erian, United States (Colecção Light Warriors) Autor: Joyce Tenneson Origem: Estados Unidos Ano: 2000 Página 3 de 23

5 1.1. Identificação Género: Fotografia de Retracto Descrição: Fotografia de duas irmãs gémeas abraçadas sobre um fundo preto acastanhado com muito pouca luminosidade, com grande contraste entre o claro (cor da pele) e o fundo escuro. Esta falta de luminosidade remete para a noite ou para a intimidade. As duas irmãs estão sozinhas e são elementos únicos e principais. Página 4 de 23

6 1.2. Elementos Formais de Composição Ponto: A forma como as duas irmãs se abraçam, define o maior ponto na imagem. Este ponto capta atenção e dá uma ideia de um lugar idílico. Por si só este grande ponto principal já nos remete para a intimidade e para o feminino. É também esta a única zona que é circundada pela pouca luz existente proveniente do fundo. Página 5 de 23

7 Linhas Verticais: Numa primeira abordagem, observo que a imagem está muito bem enquadrada e centralizada, o que torna as duas irmãs elementos centrais e principais. A divisão do segundo quadrante apresenta uma linha vertical estática, com muito peso nesta imagem representada pelo corpo da primeira irmã, esta linha é como se fosse um tronco que suporta equilibra a imagem. A divisão do terceiro quadrante também apresenta uma linha vertical estática que compõe e equilibra a imagem, esta passa ao longo do braço da segunda irmã Linhas Horizontais: Além das linhas verticais que estabilizam e dão suporte à imagem ainda existem pelo menos duas linhas horizontais relevantes que servem de suporte à imagem e também dão estabilidade à mesma. Estas linhas passam pela parte inferior e superior do grande ponto de referência central constituído pelo abraço das duas irmãs. Página 6 de 23

8 Linhas Obliquas: No entanto existem várias linhas oblíquas representadas na imagem que sublinhei a verde e a azul. Estas linhas fazem com que a imagem ganhe dinamismo e movimento. Ao olharmos parece que uma das irmãs está a cair sobre a outra e que esta a suporta. O equilíbrio é dado pelas linhas horizontais e verticais que enunciei anteriormente e que se cruzam com as obliquas da imagem. Existe ainda uma outra linha oblíqua que se contrapõe a uma outra obliqua, esta linha também é deveras importante pois divide o plano horizontal superior em duas partes iguais, provocando uma simetria na imagem. As duas irmãs pelo facto de serem gémeas já são simétricas mas estas duas linhas ainda vão acentuar mais esse aspecto. Página 7 de 23

9 Outras linhas: Existe ainda uma outra linha oblíqua que se contrapõe a uma outra obliqua, esta linha também é deveras importante pois divide o plano horizontal superior em duas partes iguais, provocando uma simetria na imagem. As duas irmãs pelo facto de serem gémeas já são simétricas mas estas duas linhas ainda vão acentuar mais esse aspecto. Forma: A forma predominante é a circular/ oval. Encontramos essas formas nos rostos das figuras femininas, o rosto e olhos representam formas circulares/ovais. Os seios são formas circulares. As curvas que formam as costas dos corpos também apresentam formas circulares. Todas estas formas são compensadas pelo abraço formado pelas irmãs provoca ainda outra grande forma circular central. Página 8 de 23

10 Textura, cor e volume: A imagem apresenta um fundo muito escuro. Porém, há uma pequena textura que nos faz pensar em noite, num tom acastanhado. A textura por um lado parece quase rugosa que parece uma textura tipo tronco de uma árvore, por outro lado parece uma textura suave como nuvens num céu muito escuro, ou ainda como se fosse uma textura de pedra. A inexistência de profundidade de campo provoca um equilíbrio entre os corpos e a textura em questão. Os corpos das figuras femininas são as únicas formas volumosas da imagens e que se demarcam pela cor clara num fundo muito escuro. Página 9 de 23

11 Luz: Esta imagem pertence a uma colecção de imagens intitulado Light Warriors (Guerreiros claros - tradução à letra) todas com um fundo semelhante. Se relacionar o próprio nome da colecção posso observar que existe um grande contraste entre o claro dos corpos e o escuro do fundo. A pouca luz proveniente é incidida nos corpos, assim existe uma sobreposição da luz na parte circundante dos corpos, esta faz com que o grande ponto central da imagem se destaque ainda mais e provoca uma definição maior da sua forma. O fundo é apresentado com muito pouca luz, quase inexistente, que nos leva a pensar em escuridão da noite Registos de Imagem Observando a imagem poderia fazer várias leituras em relação ao seu registo. No entanto vou associar esta imagem como ficção drama, devido as duas irmãs estarem muito abraçadas e uma suportar a outra com uma expressão séria e triste. Poderia associar as suas posições a sentimentos como o medo, pois um fundo escuro remete para a noite e para a escuridão, nas histórias míticas a maior parte das cenas de terror acontecem à noite. O escuro provoca ainda a impossibilidade de visão, daí despertar esse tipo de sentimentos e esse campo de visão. Também a nudez dos corpos pode significar o desconforto, a insegurança. O corpo nu está desprotegido dos perigos e do mal, é ainda significado de intimidade. As duas irmãs tentam cobrir-se uma à outra com os próprios corpos, provoca ainda o medo da invasão, medo da separação. Página 10 de 23

12 1.4 Estereotipo Na fotografia que está a ser estudada conseguimos ver de facto o estereotipo da mulher. A presença feminina das duas irmãs gémeas é sem duvida o grande estereotipo de referência nesta imagem. 2. O Autor Joyce Tenneson 2.1. Joyce Tenneson Nasceu em 1945, em Boston, Massachusetts, Joyce Tenneson. O facto de ter crescido num convento devido aos seus pais trabalharem lá, influenciou o seu trabalho. Segundo Joyce Tenneson essa experiência de vida motivou-a pelas diferentes etapas da vida: do nascimento à velhice, e depois, a regeneração. O fascínio pela identidade, pelas relações interiores, realidades humanas e pelos reflexos surgem em Tenneson devido á sua mãe ter morrido muito nova e também ser gémea idêntica. Página 11 de 23

13 Ela afirma: Fico hipnotizada com o modo como os espelhos parecem ter a sua própria e mágica vida. Para mim, a realidade é uma combinação de realidades exteriores e interiores, e o uso de espelhos e outras técnicas, como as duplas-exposições, abrem espaço para o desconhecido, que emerge. Considerada uma das fotógrafas mais procuradas do nosso tempo, tem uma assinatura e estilo imediatamente reconhecíveis. É descrita pela crítica como um dos maiores expoentes no retrato e figura humana da América. Está entre as dez fotógrafas mais influentes da história da fotografia, de acordo com um inquérito realizado pela American Photo Magazine, com inúmeros créditos que lhe valeram a nomeação Fotógrafa do Ano pela organização internacional Women in Photography, em 1990,e o prémio International Center of Photography s Infinity Award. Fotografou celebridades e personalidades públicas como: Jodie Foster, Demi Moore, Kathleen Battle, Patrick Stewart, Natasha Richardson, Ed Harris, Susan Sarandon e Judith Jamison, entre outros. Participa regularmente em publicações como: New York Times, Premiere, Fortune e Time. É autora de sete livros e faz exposições pelo mundo inteiro. Tenneson é também fundadora duma organização sem fins lucrativos, com o mesmo nome Light Warriors, dedicada a estimular o crescimento criativo e espiritual através da dádiva e compaixão pelos outros. As pessoas são o centro do meu trabalho artístico, e eu estarei sempre interessada nas suas vidas interiores. É o que está para lá do que é superficial que me fascina. Página 12 de 23

14 2.2 Outros trabalhos realizados pela fotógrafa Da mesma colecção da imagem que estou a analisar Light Warriors light warriors De outras colecções Intimacy Fotografia de celebridades Wise woman Página 13 de 23

15 Transformations Iluminations Joyce Tenneson, devido à sua criação é fascinada pelas vidas interiores de cada ser humano, como ela própria afirma. A questão da dualidade de vidas humanas, e nisto refiro-me aos gémeos, ela compara-os como se fossem espelhos com vida própria. A artista procura o encontro com o desconhecido em cada imagem que capta. Também a questão do mistério que sugere o novo e o velho, a beleza natural e interior de cada pessoa, Tenneson tenta sempre aprofundar no seu trabalho nesse sentido. As formas e tensões circulares são predominantes no seu trabalho. Estas formas buscam alem da intimidade estão associadas ao ciclo da vida desde que se nasce até quando se morre, de uma perspectiva filosófica Tenneson empenha o seu esforço no sentido de encontrar respostas para o que está para além da vida, não só o interior de cada ser mas também aquilo que está para além da morte. É considerada uma fotógrafa de retracto, e retrata predominantemente a figura feminina tendo ganho alguns prémios no âmbito da fotografia. Os panos a cobrir os corpos, ou mesmo corpos nus e seminus, encontram-se muitas vezes no trabalho de Tenneson. O traje de freira é muitas das vezes também muitas vezes referido pela artista de uma forma discreta e subliminar, esta influência provêm da sua criação em criança, Tenneson serve-se muitas vezes de memórias e aplica-as no seu trabalho. Página 14 de 23

16 2.3. Fotos de Celebridades captadas por Joyce Tenneson Estas são algumas fotos de celebridades tiradas por Joyce Tenneson, porém existem muitas outras personagens do cinema, musica, moda e política que ficaram registadas pela câmara de Joyce Tenneson. A fotógrafa em praticamente todo o seu trabalho, gosta de se exprimir com fundos deste tipo de textura ou muito escuros. Joga com tensões em vários elementos. A nudez é bastante frequente aparecer nos seus trabalhos devido ao seu fascínio pelo nascimento, pela morte e pelo oculto. O equilíbrio está na expectativa que a imagem provoca no observador. Joyce Tenneson, combina a expressão do cliente com as cores, tons, o enquadramento fotográfico, e as referências de carácter culturais e sócio-culturais que cada ser lhe provoca. As formas circulares são constantes nas suas fotografias assim como a dualidade e simetria de imagens. B.B. King Jodi Foster Norah Jones Demi Moore Página 15 de 23

17 2.4. Joyce Tenneson em revistas e publicidade É uma fotógrafa conceituada cujas suas imagens se tornaram populares. Tenneson apresentou mais de 150 exposições em todo o mundo. Participou em vários trabalhos para revistas como: Time, Life, Dance Magazine, Entertainment Weekly, New York Times Magazine, Esquire, Opera Magazine e várias publicidades como: prescriptives entre outros. Tenneson começou recentemente a implementar a captura digital no seu trabalho, além de usar o computador para a criação de livros e promoção comercial, impondo novos requisitos de fluxo de trabalho, o seu trabalho é reconhecido por retratar a essência dos temas, além de ser imediatamente reconhecível pela forma como capta a imagem, é considerada uma das mais interessantes retratistas dos EUA da alma humana Tenneson descreve o seu trabalho como uma combinação de retrato e mitologia, e tenta fazer com que cada imagem tenha uma representação expressiva da pessoa que ela está fotografar, e tenta ir mais além do aquela pessoa simplesmente parece. A luz que incide sobre a figura humana serve para a própria pessoa sentir a sua própria essência e darem lugar ao registo dessas revelações. A fotografa ao longo dos anos tem ganho diversos prémios pelas suas imagens, incluído o Infinity Award de melhor fotografia aplicada do International Center of Photography and Photographer of the Year da organização internacional Women in Photography. Ela também foi considerada uma das dez fotógrafas mais influentes na história da fotográfica em uma pesquisa feita pela revista American PHOTO. Considerada mestre nos processos tradicionais de fotografia, decidiu implantar a tecnologia digital nos seus trabalhos. Página 16 de 23

18 Alguns trabalhos publicitários de Joyce Tenneson 2.5. Componentes Culturais e Sócio-culturais No trabalho de Joyce Tenneson existem vários aspectos culturais mas sobretudo sócio-culturais que devo referir. É de certo que Joyce Tenneson aponta nos seus traços biográficos uma infância vivida num convento devido aos seus pais trabalharem lá, o que a faz transparecer no seu trabalho referências culturais e socioculturais. Sobretudo do hábito de freira, também aspectos como o cobrir do corpo com leves panos, muitas vezes semitransparentes, ou mesmo cobrir o corpo com o próprio corpo como na imagem que analisei posso referir esses aspectos culturais, a nudez como tabu poderá também ser uma referência cultural, pois as freiras por exemplo, estão todas cobertas, apenas mostram a face. Nos trabalhos de Tenneson ainda encontramos uma vertente mitológica, a mitologia é trazida para a fotógrafa através da tentativa de compreender o que está para além do nascer, viver e morrer. Página 17 de 23

19 Referências culturas ocidentais e orientais também são muitas vezes inspiração para Joyce Tenneson. 3. Contemporâneos de Joyce Tenneson 3.1. Graça Martins Graça Martins Pintora e Artista Gráfica A fotografia de nu tem inspirado os artistas em geral, e os que lidam directamente com as Belas-Artes em particular. O corpo humano transmite-nos mistério e beleza, Página 18 de 23

20 sensualidade e erotismo, e, ao mesmo tempo, mostra-nos como pode oferecer-nos simplicidade e complexidade. Escolhi uma pintora e artista gráfica portuguesa chamada Graça Martins, pelo facto de se identificar bastante com o perfil característico de Joyce Tenneson. Cronologicamente posterior a Tenneson, inspira-se em fotografias como as da fotógrafa para realizar muitos dos seus trabalhos. Ambas são seguidoras de um estilo muito próprio de sentido sobretudo feminista, pois preferem projectar na maioria dos seus trabalhos a figura feminina. Graça Martins acredita que a mulher vê e sente diferente do homem, tenta passar imagens sensuais com uma mensagem muito forte. Preocupa-se com o lugar que a mulher ocupa na sociedade. A maioria das imagens fotográficas que motivam a pintora Graça Martins provêm de mulheres fotografas como: JOYCE TENNESON, DIANA BLOK E MARLO BROEKMANS etc Nas imagens seguintes podemos ver projecções de alguns dos trabalhos de Graça Martins, onde conseguimos encontrar, além da forte presença feminina também um leque de cores e contraste entre o claro da pele e o negro do fundo em tons castanhos e pretos. Esta linha e seguida fortemente pela pintora e característica nas fotografias de Joyce Tenneson. O seu fascínio pela fotografia de Joyce Tenneson faz com que ela recrie na sua pintura fotografias como a segunda fotografia representada em baixo, de um dos trabalhos realizados pela fotógrafa da colecção Light Warriors Página 19 de 23

21 3.2. Diana Blok Diana Blok Fotógrafa De muitos fotógrafos da mesma época de Joyce Tenneson escolhi uma fotógrafa autodidacta conceituada chamada Diana Blok. O seu trabalho artístico passa pela descoberta constante da vida interior e da revelação da própria identidade. Por estes aspectos característicos decidi escolher esta fotógrafa como a segunda fotógrafa contemporânea de referência, por apresentar no seu trabalho aspectos importantes, marcantes também evidenciados nas fotografias de Joyce Tenneson. A dualidade e as simetrias são trazidas novamente por esta fotógrafa como é evidente nas reproduções de alguns dos seus trabalhos apresentados a seguir. É de salientar também a luz, o enquadramento das fotos e o grande contraste entre tons claros (cor da pele) com o fundo escuro das imagens, fazem transparecer de facto semelhanças entre as fotógrafas. Página 20 de 23

22 Conclusão Depois de fazer um estudo mais pormenorizado vou fazer uma apreciação global da imagem como conclusão ao estudo antropológico da imagem por mim estudada da fotógrafa Joyce Tenneson. Penso que todos os aspectos relevantes foram referidos no estudo da imagem. A imagem possuiu um enquadramento central com um linhas horizontais, verticais de estabilidade e obliquas de desequilíbrio e movimento, o que provocam alguma tensão em alguns momentos da imagem, possuindo ainda um enorme ponto de tensão central. Este ponto capta a atenção não só pela dimensão mas também pela cor, é a parte onde se nota uma maior área clara na imagem. A forma, textura, cor e volume também foram referidos no estudo antropológico, assim como referências culturais e sócio-culturais. Tentei aproximar este trabalho a outros trabalhos da mesma fotógrafa e de outros autores contemporâneos, para captar referências pessoais e culturais dos mesmos no estudo da imagem e na compreensão dos traços principais da fotógrafa Joyce Tenneson. Porém e ainda tive oportunidade de referir e falar um pouco sobre Joyce Tenneson em revistas e publicidade, assim como referir algumas fotos de algumas celebridades captadas por Joyce Tenneson. Página 21 de 23

23 Webgrafia enneson.mspx sw.php?action=act_sing_ph&p1=joyce Te nneson&p2=abcdefghijkln Pesquisa Google de mais imagens Página 22 de 23

OLHAR GLOBAL. Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas. A poeira do. renascimento. Fotografe Melhor n o 207

OLHAR GLOBAL. Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas. A poeira do. renascimento. Fotografe Melhor n o 207 OLHAR GLOBAL Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas A poeira do renascimento 36 Fotografe Melhor n o 207 Olivier convida pessoas que encontra na rua ou na internet para posarem

Leia mais

no. 49 O NU FEMININO COMO IDEAL DE BELEZA

no. 49 O NU FEMININO COMO IDEAL DE BELEZA O NU FEMININO COMO IDEAL DE BELEZA por rose klabin Escrevo-te toda inteira e sinto um sabor em ser e o sabor-ati é abstrato como o instante. É também com o corpo todo que pinto os meus quadros e na tela

Leia mais

Aprender a ver. a preto e branco. Escolher o assunto certo é crucial para o sucesso das

Aprender a ver. a preto e branco. Escolher o assunto certo é crucial para o sucesso das Aprender a ver a preto e branco Escolher o assunto certo é crucial para o sucesso das suas fotos a preto e banco. Obtenha imagens únicas. No que toca à fotografia preto e branco, ser capaz de "ver" como

Leia mais

Composição fotográfica

Composição fotográfica 3. Uso de diagonais 4. Regra dos terços 5. O Ponto Dourado Composição fotográfica 15 dicas para ter imagens com harmonia e proporção. Este tutorial vai ajudá-lo a usar melhor uma câmera fotográfica, compacta

Leia mais

ENSAIO. L âme de fond. As impressionantes longas exposições de Philippe Mougin estimulam viagens muito além da imaginação

ENSAIO. L âme de fond. As impressionantes longas exposições de Philippe Mougin estimulam viagens muito além da imaginação ENSAIO L âme de fond As impressionantes longas exposições de Philippe Mougin estimulam viagens muito além da imaginação 48 Bola Teixeira Fotos: Philippe Mougin Philippe Mougin é um fotógrafo francês de

Leia mais

ARTES AVALIAÇÃO. Aula 3.2 - AVALIAÇÃO

ARTES AVALIAÇÃO. Aula 3.2 - AVALIAÇÃO Aula 3.2-2 1. A Anunciação é uma das obras mais conhecidas de Leonardo da Vinci. Feita por volta do ano de 1472, ela retrata uma das cenas bíblicas mais famosas de todos os tempos. Escreva nas linhas abaixo

Leia mais

OFICINA EDUCOMUNICATIVA EM FOTOGRAFIA

OFICINA EDUCOMUNICATIVA EM FOTOGRAFIA OFICINA EDUCOMUNICATIVA EM FOTOGRAFIA Uma proposta para aplicação no Programa Mais Educação Izabele Silva Gomes Universidade Federal de Campina Grande UFCG izabelesilvag@gmail.com Orientador (a): Professora

Leia mais

CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES

CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES Silvia Eula Muñoz¹ RESUMO Neste artigo pretendo compartilhar os diversos estudos e pesquisas que realizei com orientação do Prof. Me. Erion

Leia mais

CAIXAS DE MEMÓRIAS. O que guarda o Centro de Arte Moderna? Quem pensa e faz obras de arte? escultor. Sobre o que nos fala uma obra de arte?

CAIXAS DE MEMÓRIAS. O que guarda o Centro de Arte Moderna? Quem pensa e faz obras de arte? escultor. Sobre o que nos fala uma obra de arte? CAIXAS DE MEMÓRIAS No CAM existem muitas obras de arte, cheias de ideias e histórias para nos contar, tantas que nem sempre nos conseguimos lembrar de todas... a não ser que elas se transformem em memórias!

Leia mais

f r a n c i s c o d e Viver com atenção c a m i n h o Herança espiritual da Congregação das Irmãs Franciscanas de Oirschot

f r a n c i s c o d e Viver com atenção c a m i n h o Herança espiritual da Congregação das Irmãs Franciscanas de Oirschot Viver com atenção O c a m i n h o d e f r a n c i s c o Herança espiritual da Congregação das Irmãs Franciscanas de Oirschot 2 Viver com atenção Conteúdo 1 O caminho de Francisco 9 2 O estabelecimento

Leia mais

OBJETIVOS: ARTES VISUAIS EDUCAÇÃO INFANTIL PRÉ II DATA: PERÍODO:

OBJETIVOS: ARTES VISUAIS EDUCAÇÃO INFANTIL PRÉ II DATA: PERÍODO: ARTES VISUAIS EDUCAÇÃO INFANTIL PRÉ II DATA: PERÍODO: CONTEÚDO: Gênero: Retrato /Fotografia Técnica: Pintura óleo sobre tela Elementos formais: cor e luz Os recursos formais de representação: figuração

Leia mais

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

Imagens de professores e alunos. Andréa Becker Narvaes

Imagens de professores e alunos. Andréa Becker Narvaes Imagens de professores e alunos Andréa Becker Narvaes Inicio este texto sem certeza de poder concluí-lo de imediato e no intuito de, ao apresentá-lo no evento, poder ouvir coisas que contribuam para continuidade

Leia mais

Projeto Internos: a fotografia no hospital

Projeto Internos: a fotografia no hospital CRIAÇÃO Projeto Internos: a fotografia no hospital Haná Vaisman É impossível ficar três meses lidando com uma pessoa todo dia e falar que ela é só paciente e você só médico. Você acaba tendo preocupações

Leia mais

PADRÃO PLÁSTICO TOM.

PADRÃO PLÁSTICO TOM. PADRÃO PLÁSTICO TOM. Os princípios de dinâmica de um padrão tonal são muito parecidos com o que vimos em relação aos da linha. Ao colocarmos algumas pinceladas de preto sobre um campo, eles articulam uma

Leia mais

IV PARTE FILOSOFIA DA

IV PARTE FILOSOFIA DA IV PARTE FILOSOFIA DA 119 P á g i n a O que é? Como surgiu? E qual o seu objetivo? É o que veremos ao longo desta narrativa sobre a abertura do trabalho. Irmos em busca das estrelas, no espaço exterior,

Leia mais

Curso de Design Linguagem Visual. Luciano Pedroza

Curso de Design Linguagem Visual. Luciano Pedroza Curso de Design Linguagem Visual Luciano Pedroza O Designer O designer, ao contrário do pensamento comum não é artista, mas utiliza elementos da arte no desenvolvimento do projeto. O artista, por definição,

Leia mais

2. Equilíbrio. Dividiremos as formas de equilíbrio visual nas seguintes categorias:

2. Equilíbrio. Dividiremos as formas de equilíbrio visual nas seguintes categorias: 2. Equilíbrio O equilíbrio é um parâmetro da imagem que está diretamente relacionado com o inconsciente. Andamos de modo equilibrado, sem pensar que o estamos fazendo. Ao tentarmos a mesma experiência

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

MARIA MIGUEL RODRIGUES 12ºD2 LEWIS WICKES HINE

MARIA MIGUEL RODRIGUES 12ºD2 LEWIS WICKES HINE MARIA MIGUEL RODRIGUES 12ºD2 LEWIS WICKES HINE PROPOSTA DE TRABALHO Para este trabalho, foi-nos proposto realizar três fotografias interpretando o olhar fotográfico de um fotógrafo significante da história

Leia mais

10 simples passos que irão mudar a forma como você tira fotos

10 simples passos que irão mudar a forma como você tira fotos VERSÃO FOTOGRAFIA 10 simples passos que irão mudar a forma como você tira fotos Existem várias formas de alterar o resultado final de uma foto, seja através do ISO, da velocidade do obturador, da abertura

Leia mais

Exemplos de Boas Práticas de RSE

Exemplos de Boas Práticas de RSE Exemplos de Boas Práticas de RSE 7.4. Pritchard Englefield Filme sobre a RSE na comunidade Resumo A empresa Pritchard Englefield foi fundada em 1848. Está sediada na City de Londres (Grã-Bretanha). A Pritchard

Leia mais

PAGE versões alternadas: entre print e pixel

PAGE versões alternadas: entre print e pixel 23 03 10 PAGE versões alternadas: entre print e pixel Marta Jardim / Pedro Carvalho THE ZONE natureza híbrida e específica A concepção de objectos que correspondam aos objectivos propostos privilegiam

Leia mais

Percepção de Portugal no mundo

Percepção de Portugal no mundo Percepção de Portugal no mundo Na sequência da questão levantada pelo Senhor Dr. Francisco Mantero na reunião do Grupo de Trabalho na Aicep, no passado dia 25 de Agosto, sobre a percepção da imagem de

Leia mais

SÉRIE 1: retrato/ Autorretrato. para olhar. pensar, imaginar... e fazer. Vincent van Gogh. Autorretrato. 1889 Óleo sobre tela.

SÉRIE 1: retrato/ Autorretrato. para olhar. pensar, imaginar... e fazer. Vincent van Gogh. Autorretrato. 1889 Óleo sobre tela. 1 The Bridgeman Art Library SÉRIE 1: retrato/ Vincent van Gogh 1889 Óleo sobre tela. 4 Ministério da Cultura e Endesa Brasil apresentam: Arteteca:lendo imagens (PRONAC 09-7945). para olhar pensar, imaginar...

Leia mais

A alma da liderança Por Paulo Alvarenga

A alma da liderança Por Paulo Alvarenga A alma da liderança Por Paulo Alvarenga A palavra liderança é uma palavra grávida, tem vários significados. Desde os primórdios dos tempos a humanidade vivenciou exemplos de grandes líderes. Verdadeiros

Leia mais

Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1

Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1 Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1 Entrevista com Ricardo de Paiva e Souza. Por Flávia Gomes. 2 Flávia Gomes Você acha importante o uso de meios de comunicação na escola? RICARDO

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

Plano de aula para três encontros de 50 minutos cada. Tema: Vida e obra de Vincent Van Gogh. Público alvo: 4º série do Ensino fundamental

Plano de aula para três encontros de 50 minutos cada. Tema: Vida e obra de Vincent Van Gogh. Público alvo: 4º série do Ensino fundamental UDESC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA DAV- DEPARTAMENTO DE ARTES VISUAIS Curso: Licenciatura em Artes Visuais Disciplina: Cultura Visual Professora: Jociele Lampert Acadêmica: Cristine Silva Santos

Leia mais

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE.

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE. OS 4 PASSOS PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA HIGHSTAKESLIFESTYLE. Hey :) Gabriel Goffi aqui. Criei esse PDF para você que assistiu e gostou do vídeo ter sempre por perto

Leia mais

LEITURA DA ENTREVISTA 2. E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste

LEITURA DA ENTREVISTA 2. E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste LEITURA DA ENTREVISTA 2 E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste trabalho que estou a desenvolver. Como lhe foi explicado inicialmente, esta entrevista está

Leia mais

Agradeço seu contato e interesse pela minha arte. Esta apresentação tem o intuito de mostrar um pouco do meu trabalho, os serviços e produtos que

Agradeço seu contato e interesse pela minha arte. Esta apresentação tem o intuito de mostrar um pouco do meu trabalho, os serviços e produtos que Agradeço seu contato e interesse pela minha arte. Esta apresentação tem o intuito de mostrar um pouco do meu trabalho, os serviços e produtos que ofereço para o casamento. Para maiores detalhes faça contato

Leia mais

FEMINISMOS PLURAIS E FEMINISMOS EM ÁFRICA

FEMINISMOS PLURAIS E FEMINISMOS EM ÁFRICA FEMINISMOS PLURAIS E FEMINISMOS EM ÁFRICA FEMINISMO Filosofia de vida da qual deriva uma atitude crítica frente aos factos e perante a sociedade Tomada de consciência Resposta que conduz à mudança, a partir

Leia mais

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de 1 Nesta aula você aprenderá a diferenciar um desenhista de um ilustrador e ainda iniciará com os primeiros exercícios de desenho. (Mateus Machado) O DESENHISTA E O ILUSTRADOR Ainda que não sejam profissionais

Leia mais

Exercícios para estabelecer o contato com a nossa criança interior

Exercícios para estabelecer o contato com a nossa criança interior Exercícios para estabelecer o contato com a nossa criança interior C omo este é o mês das crianças, decidi propor para aqueles que estão em busca de autoconhecimento, alguns exercícios que ajudam a entrar

Leia mais

Por uma pedagogia da juventude

Por uma pedagogia da juventude Por uma pedagogia da juventude Juarez Dayrell * Uma reflexão sobre a questão do projeto de vida no âmbito da juventude e o papel da escola nesse processo, exige primeiramente o esclarecimento do que se

Leia mais

Pedro Bandeira. Leitor em processo 2 o e 3 o anos do Ensino Fundamental

Pedro Bandeira. Leitor em processo 2 o e 3 o anos do Ensino Fundamental Pedro Bandeira Pequeno pode tudo Leitor em processo 2 o e 3 o anos do Ensino Fundamental PROJETO DE LEITURA Coordenação: Maria José Nóbrega Elaboração: Rosane Pamplona De Leitores e Asas MARIA JOSÉ NÓBREGA

Leia mais

exposição de fotografia mundos mudos de antónio sobral 03 jan-11 mar 08 alcaidaria do castelo de loulé

exposição de fotografia mundos mudos de antónio sobral 03 jan-11 mar 08 alcaidaria do castelo de loulé exposição de fotografia mundos mudos de antónio sobral 03 jan-11 mar 08 alcaidaria do castelo de loulé António Manuel Brilhante Sobral nasceu em Foz Côa, em 1963. Fez a instrução primária em Freixo de

Leia mais

Uma globalização consciente

Uma globalização consciente Uma globalização consciente O apelo a uma globalização mais ética tornou se uma necessidade. Actores da globalização como as escolas, devem inspirar por estes valores às responsabilidades que lhes são

Leia mais

PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL

PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL F PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL Carga Horária: 96 horas/aulas Módulo 01: Desenho de observação DESCRIÇÃO: Neste módulo o você irá praticar sua percepção de linhas e formas, bem como a relação entre

Leia mais

emanuel dimas de melo pimenta 1 9 9 7

emanuel dimas de melo pimenta 1 9 9 7 J A N U S 1 9 9 7 também conferência em CiberFestival Lisboa Exposição Janus Lisboa, Portugal, Janus Emanuel Dimas de Melo Pimenta título: JANUS autor: Emanuel Dimas de Melo Pimenta ano: Arte, estética

Leia mais

personal cool brand anouk pappers & maarten schäfer

personal cool brand anouk pappers & maarten schäfer personal cool brand Os holandeses Anouk Pappers e Maarten Schäfer, da CoolBrands, trabalham há 12 anos fazendo storytelling para marcas, que se trata de extrair histórias sobre elas por meio de conversas

Leia mais

Paula Almozara «Paisagem-ficção»

Paula Almozara «Paisagem-ficção» Rua da Atalaia, 12 a 16 1200-041 Lisboa + (351) 21 346 0881 salgadeiras@sapo.pt www.salgadeiras.com Paula Almozara «Paisagem-ficção» No âmbito da sua estratégia internacional, a Galeria das Salgadeiras

Leia mais

Não é o outro que nos

Não é o outro que nos 16º Plano de aula 1-Citação as semana: Não é o outro que nos decepciona, nós que nos decepcionamos por esperar alguma coisa do outro. 2-Meditação da semana: Floresta 3-História da semana: O piquenique

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - INSTITUTO DE ARTES ESCOLA DE ARTES VISUAIS DO PARQUE LAGE

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - INSTITUTO DE ARTES ESCOLA DE ARTES VISUAIS DO PARQUE LAGE UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - INSTITUTO DE ARTES ESCOLA DE ARTES VISUAIS DO PARQUE LAGE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENSINO DA ARTE - TURMA 2015 PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EMENTAS DOS CURSOS Arte

Leia mais

O Erotismo. através do bilhete postal ilustrado. Prefácio de Baptista-Bastos

O Erotismo. através do bilhete postal ilustrado. Prefácio de Baptista-Bastos O Erotismo através do bilhete postal ilustrado Prefácio de Baptista-Bastos ndice Apresentação 4 Prefácio 6 O Nu 16 O Nu com Adorno 32 O Beijo 44 Arcimboldesco 50 Pecados Capitais 56 A Meia como Símbolo

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE A QUESTÃO SOCIAL

REFLEXÕES SOBRE A QUESTÃO SOCIAL TEORIA MARXISTA NA COMPREENSÃO DA SOCIEDADE CAPITALISTA Disciplina: QUESTÃO E SERVIÇO Professora: Maria da Graça Maurer Gomes Türck Fonte: AS Maria da Graça Türck 1 Que elementos são constitutivos importantes

Leia mais

O que Vês na Imagem?

O que Vês na Imagem? O que Vês na Imagem? Fonte: Farol, versão portuguesa do COMPASS: www.humanaglobal.com Duração aproximada: 30 minutos a 1 hora Palavras-chave: direitos humanos, interpretação/visão individual dos direitos

Leia mais

Guia Curta Fácil 1 Festival Nacional Curta no Celular de Taubaté

Guia Curta Fácil 1 Festival Nacional Curta no Celular de Taubaté 1 Conteúdo TIPOS DE PLANOS... 3 PLANO GERAL... 3 PLANO MÉDIO... 3 PLANO AMERICANO... 4 PRIMEIRO PLANO OU CLOSE-UP... 4 PRIMEIRÍSSIMO PLANO... 4 MOVIMENTOS DE CÂMERA... 5 PANORÂMICAS - PANS... 5 PANORÂMICA

Leia mais

A CRIANÇA E O BRINCAR COMO OBRA DE ARTE

A CRIANÇA E O BRINCAR COMO OBRA DE ARTE ANTÓNIO CAMILO CUNHA SARA TIAGO GONÇALVES A CRIANÇA E O BRINCAR COMO OBRA DE ARTE ANALOGIAS E SENTIDOS WH!TEBOOKS ANTÓNIO CAMILO CUNHA SARA TIAGO GONÇALVES ANTÓNIO CAMILO CUNHA SARA TIAGO GONÇALVES A CRIANÇA

Leia mais

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA Ficha técnica no. 2.1 Atividade Principal 2.1 SENTINDO A NATUREZA Objetivo da 2 Os escoteiros estão trabalhando por um mundo onde o habitat natural seja suficiente para suportar as espécies nativas. Objetivos

Leia mais

Habilidades Específicas em Artes Visuais. Prova de História da Arte

Habilidades Específicas em Artes Visuais. Prova de História da Arte Habilidades Específicas em Artes Visuais Prova de História da Arte I. Analise as duas obras cujas reproduções foram fornecidas, comentando suas similaridades e diferenças no que se refere aos aspectos

Leia mais

ALUNO: Nº SÉRIE/ANO: TURMA: TURNO: 8º D V. DISCIPLINA: TIPO DE ATIVIDADE: PROFESSOR (A): HISTÓRIA DA ARTE TEXTO COMPLEMENTAR - 1 2º trimestre TATIANE

ALUNO: Nº SÉRIE/ANO: TURMA: TURNO: 8º D V. DISCIPLINA: TIPO DE ATIVIDADE: PROFESSOR (A): HISTÓRIA DA ARTE TEXTO COMPLEMENTAR - 1 2º trimestre TATIANE Fonte: http://www.musee-orsay.fr/fr/collections/catalogue-des-oeuvres/resultatcollection.html?no_cache=1&zoom=1&tx_damzoom_pi1%5bzoom%5d=0&tx_da mzoom_pi1%5bxmlid%5d=001089&tx_damzoom_pi1%5bback%5d=fr%2fcollec

Leia mais

O que procuramos está sempre à nossa espera, à porta do acreditar. Não compreendemos muitos aspectos fundamentais do amor.

O que procuramos está sempre à nossa espera, à porta do acreditar. Não compreendemos muitos aspectos fundamentais do amor. Capítulo 2 Ela representa um desafio. O simbolismo existe nas imagens coloridas. As pessoas apaixonam-se e desapaixonam-se. Vão onde os corações se abrem. É previsível. Mereces um lugar no meu baloiço.

Leia mais

LISTA DE ARTE. Quais são os elementos construídos no quadro, pelo artista em questão, que enfatizam os acontecimentos em destaque?

LISTA DE ARTE. Quais são os elementos construídos no quadro, pelo artista em questão, que enfatizam os acontecimentos em destaque? Ensino Médio Unidade Parque Atheneu Professor (a): Elias Aluno (a): Série: 3ª Data: / / 2015. LISTA DE ARTE 1) Após analisar a obra a seguir, responda o que se pede. Os fuzilamentos de 3 de Maio de 1808.

Leia mais

Concurso Logotipo do Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet. Segue, o Logotipo colorido, preto e branco e uma breve explicação de cada um.

Concurso Logotipo do Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet. Segue, o Logotipo colorido, preto e branco e uma breve explicação de cada um. Concurso Logotipo do Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet Prezados, Segue, o Logotipo colorido, preto e branco e uma breve explicação de cada um. LOGOTIPO - 01 DESCRIÇÃO: Com apelo visual forte,

Leia mais

Caderno de Apresentação Franquia

Caderno de Apresentação Franquia Caderno de Apresentação Franquia A Empresa A Genial Books iniciou suas actividades em dez/95 depois de um dos sócios conhecer o "Livro Personalizado", numa viagem de férias aos Estados Unidos. Vislumbrando

Leia mais

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido 1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido No estudo da Comunicação, a publicidade deve figurar como um dos campos de maior interesse para pesquisadores e críticos das Ciências Sociais e Humanas.

Leia mais

coleção Conversas #14 - outubro 2014 - e r r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #14 - outubro 2014 - e r r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. não Eu Não r que o f existe coleção Conversas #14 - outubro 2014 - a z fu e r tu r uma fa o para c ul m d im ad? e. Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção

Leia mais

CLIENTE ENTREVISTA. H: Opine as possibilidades que podemos fazer em meu conforto, my favorite place, também conhecido como meu quarto.

CLIENTE ENTREVISTA. H: Opine as possibilidades que podemos fazer em meu conforto, my favorite place, também conhecido como meu quarto. Hugo Dellasta, 17 Anos Estudante. CLIENTE ENTREVISTA H: Opine as possibilidades que podemos fazer em meu conforto, my favorite place, também conhecido como meu quarto. K: Então, gostaria de saber o que

Leia mais

- Transição da Idade Média para Idade Moderna

- Transição da Idade Média para Idade Moderna Renascimento - Transição da Idade Média para Idade Moderna - Movimento que começou na Itália por volta do século XV devido ao grande desenvolvimento econômico das cidades italianas (Genova, Veneza, Milão,

Leia mais

A Formação Pessoal. e Social. no Pré-Escolar

A Formação Pessoal. e Social. no Pré-Escolar A Formação Pessoal e Social no Pré-Escolar A Formação Pessoal e Social é considerada uma área transversal, dado que todas as componentes curriculares deverão contribuir para promover nas crianças atitudes

Leia mais

REDE PRÓ-MENINO. ECTI - Escola no Combate ao Trabalho Infantil ATIVIDADE MÓDULO 2 (COLAGEM) EM INTEGRAÇÃO COM O MÓDULO 1- B (ENTREVISTA)

REDE PRÓ-MENINO. ECTI - Escola no Combate ao Trabalho Infantil ATIVIDADE MÓDULO 2 (COLAGEM) EM INTEGRAÇÃO COM O MÓDULO 1- B (ENTREVISTA) REDE PRÓ-MENINO ECTI - Escola no Combate ao Trabalho Infantil CURSISTA: JACKELYNE RIBEIRO CINTRA MORAIS CPF: 014275241-06 ATIVIDADE MÓDULO 2 (COLAGEM) EM INTEGRAÇÃO COM O MÓDULO 1- B (ENTREVISTA) Características

Leia mais

COM CONTA, PESO E MEDIDA!

COM CONTA, PESO E MEDIDA! COM CONTA, PESO E MEDIDA! Poderemos nós medir uma obra de arte Terão as ideias e as sensações que ela nos provoca um peso certo O que teremos de utilizar para medir as obras muito pequeninas e as muito

Leia mais

. Instituto Politécnico de Lisboa

. Instituto Politécnico de Lisboa Jorge Veríssimo O CORPO NA PUBLICIDADE Edições Colibri. Instituto Politécnico de Lisboa Biblioteca Nacional Catalogação na Publicação VERÍSSIMO, Jorge, 1966- O corpo na publicidade. (Caminhos do conhecimento

Leia mais

A Licensee of The Coca-Cola Company

A Licensee of The Coca-Cola Company A Licensee of The Coca-Cola Company Um século de publicidade de uma marca mítica Desde que começou a ser comercializada em 1886, a Coca-Cola foi pioneira em todos os aspectos relacionados com o marketing

Leia mais

Conceitos de Identidade Relação "eu" e "outro" Para Vygotsky

Conceitos de Identidade Relação eu e outro Para Vygotsky FAMOSP - FACULDADE MOZARTEUM DE SÃO PAULO PEDAGOGIA - 1 o SEMESTRE PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO Conceitos de Identidade Relação "eu" e "outro" Para Vygotsky Deyse Maria Souza Almeida Eliete Pereira Nunes

Leia mais

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 A maior Ambição do Homem é querer Colher aquilo que Não Semeou. Hebert Schiavelli (Empreendedor) Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade

Leia mais

energia que vai longe

energia que vai longe Como melhorar seus Clicks energia que vai longe CLICK 2014 Introdução A fotografia é uma das principais ferramentas de comunicação da atualidade. Com o avanço tecnológico das câmeras fotográficas e celulares,

Leia mais

Press Release 21 de junho de 2013

Press Release 21 de junho de 2013 Press Release 21 de junho de 2013 O Instituto Sacatar tem a satisfação de anunciar a chegada de um novo grupo de seis artistas premiados, cada um, com um período de residência de oito semanas de duração

Leia mais

Benedicto Silva. Foto 1. Minha mãe e eu, fotografados pelo meu pai (setembro de 1956).

Benedicto Silva. Foto 1. Minha mãe e eu, fotografados pelo meu pai (setembro de 1956). 1. INTRODUÇÃO 1.1. MINHA RELAÇÃO COM A FOTOGRAFIA Meu pai tinha uma câmara fotográfica. Ele não era fotógrafo profissional, apenas gostava de fotografar a família e os amigos (vide Foto 1). Nunca estudou

Leia mais

A formação moral de um povo

A formação moral de um povo É um grande desafio evangelizar crianças nos dias de hoje. Somos a primeira geração que irá dizer aos pais e evangelizadores como evangelizar os pequeninos conectados. Houve um tempo em que nos colocávamos

Leia mais

Identidade visual corporativa e institucional

Identidade visual corporativa e institucional Identidade visual corporativa e institucional O ser humano pensa visualmente! Ao contrário das palavras, as imagens agem diretamente sobre a percepção do cérebro. O homem moderno está cada vez mais privilegiando

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA Nome: Nº 2 a. Série Data: / /2015 Professores: Gabriel e Marcelo Nota: (valor: 1,0) 3º bimestre de 2015 A - Introdução Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e

Leia mais

Análise da mortalidade em Portugal.

Análise da mortalidade em Portugal. Análise da mortalidade em Portugal. Paulo Canas Rodrigues; João Tiago Mexia (E-mails: paulocanas@fct.unl.pt; jtm@fct.unl.pt) Resumo Neste trabalho apresentam-se tabelas de mortalidade para a população

Leia mais

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio 1º ANO - ENSINO MÉDIO Objetivos Conteúdos Expectativas - Conhecer a área de abrangência profissional da arte e suas características; - Reconhecer e valorizar

Leia mais

4.1.1) ATUALIZAÇÃO. (1) www.nuevamirada.cl/la_pedagogiahtml

4.1.1) ATUALIZAÇÃO. (1) www.nuevamirada.cl/la_pedagogiahtml Figura 96 - Trecho do desenho da paisagem local, formado por desenhos individuais colados justapostos um no outro, constituindo uma só peça, um extenso rolo A localização da escola, no tocante a sua topografia,

Leia mais

Construção, desconstrução e reconstrução do ídolo: discurso, imaginário e mídia

Construção, desconstrução e reconstrução do ídolo: discurso, imaginário e mídia Construção, desconstrução e reconstrução do ídolo: discurso, imaginário e mídia Hulda Gomides OLIVEIRA. Elza Kioko Nakayama Nenoki do COUTO. Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Letras. huldinha_net@hotmail.com

Leia mais

Anexo F Grelha de Categorização da Entrevista à Educadora Cooperante

Anexo F Grelha de Categorização da Entrevista à Educadora Cooperante Anexo F Grelha de Categorização da Entrevista à Educadora Cooperante CATEGORIAS SUBCATEGORIAS INDICADORES 1.1. Tempo de serviço docente ( ) 29 anos (1) 1.2. Motivações pela vertente artística ( ) porque

Leia mais

Instituto de Educação Infantil e Juvenil Verão, 2015. Londrina, Nome: Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição 2 MMXV Intermediária 2 Grupo A

Instituto de Educação Infantil e Juvenil Verão, 2015. Londrina, Nome: Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição 2 MMXV Intermediária 2 Grupo A Instituto de Educação Infantil e Juvenil Verão, 2015. Londrina, Nome: de Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição 2 MMXV Intermediária 2 Grupo A A TEMPESTADE É um quadro que mostra um profundo senso de

Leia mais

BEBÊS SUBMARINOS SETH CASTEEL TRADUÇÃO DE FLORA PINHEIRO

BEBÊS SUBMARINOS SETH CASTEEL TRADUÇÃO DE FLORA PINHEIRO BEBÊS SUBMARINOS Colton, 11 meses Valentina, 9 meses BEBÊS SUBMARINOS SETH CASTEEL TRADUÇÃO DE FLORA PINHEIRO Copyright 2015 Seth Casteel Publicado mediante acordo com Little, Brown and Company, Nova

Leia mais

SANTA TERESA DE JESUS, UMA APROXIMAÇÃO PEDAGÓGICO-PASTORAL Por ocasião do V Centenário do Nascimento de Santa Teresa de Jesus, o Colégio Teresiano

SANTA TERESA DE JESUS, UMA APROXIMAÇÃO PEDAGÓGICO-PASTORAL Por ocasião do V Centenário do Nascimento de Santa Teresa de Jesus, o Colégio Teresiano 1 SANTA TERESA DE JESUS, UMA APROXIMAÇÃO PEDAGÓGICO-PASTORAL Por ocasião do V Centenário do Nascimento de Santa Teresa de Jesus, o Colégio Teresiano assumiu o compromisso de fazer memória da vida singular

Leia mais

Nem tudo o que parece, é! Estereótipos de género, os meios de comunicação social, as e os jovens

Nem tudo o que parece, é! Estereótipos de género, os meios de comunicação social, as e os jovens Nem tudo o que parece, é! Estereótipos de género, os meios de comunicação social, as e os jovens Senhora Presidente da CIG, Caras parceiras e parceiro de mesa, Caras senhoras e caros senhores, É com grande

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes Aluno (a): 5º ano: Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Este trabalho deverá ser entregue IMPRETERIVELMENTE no dia da prova. Prezado(a)

Leia mais

Walter Benjamin - Questões de Vestibulares

Walter Benjamin - Questões de Vestibulares Walter Benjamin - Questões de Vestibulares 1. (Uem 2011) A Escola de Frankfurt tem sua origem no Instituto de Pesquisa Social, fundado em 1923. Entre os pensadores expoentes da Escola de Frankfurt, destaca-se

Leia mais

Morro da Favella. Fatos e lendas da primeira favela do Brasil

Morro da Favella. Fatos e lendas da primeira favela do Brasil Fatos e lendas da primeira favela do Brasil Fatos e lendas da primeira favela do Brasil FORMATO: Documentário: 1X 52 HD FULL 16:9 GENERO: Documentário em técnica mista: SINOPSE: Morro da Favella é um documentário

Leia mais

Fotobiografia microcosmo despercebido

Fotobiografia microcosmo despercebido 52 Fotobiografia microcosmo despercebido Pedro Alberto Nacer Zilli Texto e fotos M eu nome é Pedro Alberto Nacer Zilli, nasci no Uruguai em 1942, filho de pais descendentes de imigrantes italianos e libaneses.

Leia mais

Ivete Sangalo Aulas grátis desenho passo a passo

Ivete Sangalo Aulas grátis desenho passo a passo Ivete Sangalo Aulas grátis desenho passo a passo Bom dia amigos É com um enorme prazer que crio esse site e essa 1º aula para levar até vocês todos os conhecimentos por mim adquirido nessa área profissional

Leia mais

Anelise de Brito Turela Ferrão Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Edição de um filme a partir de fotografias

Anelise de Brito Turela Ferrão Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Edição de um filme a partir de fotografias PROJETO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO RELATÓRIO DE ATIVIDADE Anelise de Brito Turela Ferrão Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP Edição de um filme a partir de fotografias ANIVERSÁRIO GEMEOS / 7

Leia mais

Os trabalhos e os dias

Os trabalhos e os dias 21º CONCURSO LATINO-AMERICANO DE FOTOGRAFIA DOCUMENTAL Os trabalhos e os dias Vinte e um anos revelando o mundo do trabalho REGULAMENTO 1. O tema das fotografias deve girar ao redor de seres humanos (sem

Leia mais

KIT ONLINE PARA SEU SALÃO DE BELEZA Como criar um blog de sucesso para seu salão de beleza e triunfar nas redes sociais

KIT ONLINE PARA SEU SALÃO DE BELEZA Como criar um blog de sucesso para seu salão de beleza e triunfar nas redes sociais KIT ONLINE PARA SEU SALÃO DE BELEZA Como criar um blog de sucesso para seu salão de beleza e triunfar nas redes sociais INTRODUÇÃO Em plena era 2.0 é imprescindível que as empresas estejam presentes na

Leia mais

Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua

Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua É a palavra que identifica o ser humano, é ela seu substrato que possibilitou a convivência humana

Leia mais

Patrocínio Institucional Parceria Apoio

Patrocínio Institucional Parceria Apoio Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 71 A Gestão Social no Brasil 13 de Fevereiro de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura

Leia mais

O Alma é um projeto educacional que busca olhar e cuidar da sua fotografia como um todo, do clique ao post: técnica, fluxo de trabalho, estilo,

O Alma é um projeto educacional que busca olhar e cuidar da sua fotografia como um todo, do clique ao post: técnica, fluxo de trabalho, estilo, O Alma é um projeto educacional que busca olhar e cuidar da sua fotografia como um todo, do clique ao post: técnica, fluxo de trabalho, estilo, pós-produção, referências, precificação, atendimento ao cliente,

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISCIPLNAR: EMRC PLANIFICAÇÕES 8º Ano ANO 2008/2009 1/7

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISCIPLNAR: EMRC PLANIFICAÇÕES 8º Ano ANO 2008/2009 1/7 8º Ano ANO 2008/2009 1/7 Módulo 1- O GOSTO PELA AVENTURA Tema 1 - A atracção ao desconhecido Experiência de aventuro. (Situações que exprimem experiências de aventura como a condução de veículos, iniciação

Leia mais

PESADELOS DE MARIANNA GARTNER PUBLICADO EM ARTES E IDEIAS POR CAROLINA CARETTIN

PESADELOS DE MARIANNA GARTNER PUBLICADO EM ARTES E IDEIAS POR CAROLINA CARETTIN PESADELOS DE MARIANNA GARTNER PUBLICADO EM ARTES E IDEIAS POR CAROLINA CARETTIN Pintura e fotografia numa inspiradora mistura artística Marianna Gartner, "Diablo Baby" (óleo sobre tela). A arte é capaz

Leia mais

RODA DE BICICLETA, BAMBOLÊ OU CICLO TRIGONOMÉTRICO?

RODA DE BICICLETA, BAMBOLÊ OU CICLO TRIGONOMÉTRICO? RODA DE BICICLETA, BAMBOLÊ OU CICLO TRIGONOMÉTRICO? Lessandra Marcelly Sousa da Silva Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho lessandramarcelly@gmail.com Resumo: Este trabalho é um relato

Leia mais

Quem vê ra vê coraçõe

Quem vê ra vê coraçõe Quem vê ra vê coraçõe 74 9 Dezembro 2007 Pública abos s As normas mandam escondê-los, mas há uma exposição que os mostra. Texto de Nuno Ribeiro, em Madrid Pública 9 Dezembro 2007 75 De todas as partes

Leia mais

Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social. O Projeto Social Luminando

Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social. O Projeto Social Luminando Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social O Projeto Social Luminando O LUMINANDO O Luminando surgiu como uma ferramenta de combate à exclusão social de crianças e adolescentes de comunidades

Leia mais