Eu controlo meu diabetes

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Eu controlo meu diabetes"

Transcrição

1 Eu controlo meu diabetes guia adulto Orientações de Pacientes da Universidade Federal de Juiz de Fora Organização Prof.ª Mônica Barros Costa Colaboradores Antonio Paulo André de Castro Bruno Feital Barbosa Motta Christiane Chaves Augusto Leite Simão Layla de Souza Pires Luciana dos Santos Soares Samuel de Castro Braga Vera Hotz Prof.a Dra. Darcília M. N. da Costa Prof.a Dra. Mônica Barros Costa

2 Editora UFJF, 2013 Este livro ou parte dele não pode ser reproduzido por qualquer meio sem autorização expressa da editora. O conteúdo desta obra, além de autorizações relacionadas à permissão de uso de imagens ou textos de outro(s) autor(es),são de inteira responsabilidade do(s) autor(es) e/ou organizador(es). Autores/Pacientes: Cleuza Pinto da Rocha Emanuel Castor Helio Gonçalves Maria Aparecida Raimundo Marília Cleide Toledo Alvim Sônia Cristina Maciel Terezinha de Jesus Silva Castor Terezinha Sinfronio Reitor Henrique Duque de Miranda Chaves Filho Vice-Reitor José Luiz Rezende Pereira Supervisão e organização: Equipe multidisciplinar do projeto de Extensão Educação em Diabetes da UFJF Supervisão e organização: Antonio Paulo André de Castro Bruno Feital Barbosa Motta Layla de Souza Pires Luciana dos Santos Soares Samuel de Castro Braga Vera Hotz Prof. a Dr. a Darcília M. N. da Costa Prof. a Dr. a Mônica Barros Costa Diretor da Editora UFJF/ Presidente do Conselho Editorial Antenor Salzer Rodrigues Conselho Editorial Afonso Celso Carvalho Rodrigues Fabrício Alvim Carvalho Frederico Braida Henrique Nogueira Reis Rogerio Casagrande Sueli Maria dos Reis Santos Eu controlo meu diabetes : guia adulto : orientações de pacientes da Universidade Federal de Juiz de Fora / Mônica Barros Costa (org.), colaboradores, Antonio Paulo André de Castro... [et al.] Juiz de Fora : Editora UFJF, p. : il. ISBN Diabetes Mellitus. 2. Educação em Saúde. 3. Promoção da saúde. I. Costa, Mônica Barros. II. Castro, Antonio Paulo André de. CDU Studio Editora UFJF Projeto gráfico, editoração e capa Luciana Inhan Revisão de português e normas técnicas Andressa Marques Pinto Imagens Morguefi le, Stock.xchng Editora UFJF Rua Benjamin Constant, 790. Centro - Juiz de Fora - MG. CEP: Fone/Fax: (32) (32)

3 Apresentação Esse manual foi construído a partir de depoimentos de pacientes atendidos no Ambulatório de Diabetes Mellitus do Serviço de Endocrinologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Foram colhidos os depoimentos de todos os participantes que, posteriormente, foram transcritos visando a elaboração deste manual. Durante todo o processo, a coordenação foi realizada por membros da equipe multiprofissional que desenvolve projeto de extensão universitária na área de Educação em Diabetes no Hospital Universitário da UFJF que incluiu médico, enfermeiro, educador físico, nutricionista, psicólogo e jornalista. Nosso objetivo é oferecer aos portadores de diabetes mellitus e às suas famílias textos que auxiliem na convivência e no cuidado com esta doença. Eu tenho uma história muito grande no que diz respeito ao diabetes, o que ela me provocou, como eu controlo, como eu vivo... A gente contar a história da gente serve para as outras pessoas entenderem o diabetes e a aprenderem a conviver com ela. E as crianças de hoje que podem ter diabetes e a família não sabe como combater! Eu acho que as famílias devem falar e conversar para poder ajudar. A gente sabe que a diabetes não tem cura e somente, às vezes, uma melhora: a gente tem que correr atrás e batalhar e aprender a cuidar da gente. (Helio)

4 Apresentação da Editora UFJF A Editora da Universidade Federal de Juiz de Fora (EDUFJF) tem o prazer de distribuir a cartilha Eu controlo meu diabetes. Este impresso faz parte do projeto social da EDUFJF e é distribuído gratuitamente, além de estar disponível no site da editora para acesso sem qualquer ônus financeiro.

5 Sumário Capítulo 1: Motivação para o Tratamento...9 Capítulo 2: Noções Gerais sobre Diabetes...11 Diabetes: afinal qual é o problema com o organismo?...11 Quantos tipos de diabetes existem? Como saber se uma pessoa tem diabetes?...12 O que fazer para o diabetes ficar bem controlado?...12 Capítulo 3: A Alimentação do Diabético...13 O que representa a alimentação para o diabético? Quais são os principais grupos de alimentos? Como diabético deve comer?...15 O que deve ser evitado?...15 E os adoçantes?...15 O que são alimentos diet e light?...15 No momento de comprar os alimentos, o que o diabético deve observar nos rótulos? Capítulo 4: Exercícios físicos e diabetes O que é preciso saber?...17 Qual a diferença entre Atividade Física e Exercício Físico? Como o exercício físico ajuda no tratamento do diabetes?... 17

6 Que tipo de exercício o diabético pode fazer?...18 Como eu devo me exercitar (roupas, lugar, horário)? Quais são os cuidados que devem ser tomados para praticar exercícios físicos? Quando não é recomendável fazer exercícios?...19 Capítulo 5: Os Medicamentos...20 Os Antidiabéticos Orais...20 Tipos de Antidiabéticos Orais...20 Cuidados de Armazenamento...21 A insulina Tipos de Insulina Quais os cuidados devem ser tomados pelos pacientes que usam insulina? Técnica de Aplicação da Insulina Capítulo 6: O Diabetes e Outras Doenças Hipoglicemia: Causas, sintomas e como evitar Febre e Infecções Cuidados com os Olhos Cuidados com os Rins Cuidados com os Pés Cuidados com os Dentes Cuidados com Coração e o Circulação O cigarro

7 Capítulo 7: Como saber sobre o controle da doença - A automonitorização O que se entende por automonitorização da glicemia? Quando a automonitorização é necessária? Quais os benefícios da automonitorização? Quais cuidados precisam ser tomados para a medida da glicemia capilar? Como receber o glicosímetro? Capítulo 8: Dicas para se sentir bem Capítulo 9: Considerações finais

8

9 Motivação para o tratamento...quando eu recebi a notícia que era diabética, fiquei assustada, preocupada. Naquele dia eu fiquei só pensando: sou diabética e agora, o que fazer? (Marilia) Quando se recebe o diagnóstico de diabetes as reações podem ser variadas, como: Susto; Preocupação; Negação; Conformismo; Sensação de desafio por estar diante de algo novo. Após a notícia do diagnóstico de diabetes muitas coisas vão mudar, dentre elas: Os hábitos alimentares; O cuidado com o corpo e com a saúde; A prática de exercícios físicos; A automonitorização das taxas de glicose no sangue; O uso de medicamentos. Algumas coisas parecem complicadas à primeira vista: Alimentar-se adequadamente, com quantidade apropriada e [ 9

10 na hora certa, consumindo alimentos saudáveis; Aplicar a insulina; Tomar os remédios corretamente; Praticar exercícios físicos regularmente. Nesse momento é importante buscar ajuda para iniciar o tratamento. Esse apoio pode ser encontrado: Na família; No diálogo com outros pacientes; Nas consultas do ambulatório de diabetes; Em reuniões e palestras sobre o diabetes; Em grupos terapêuticos; Nas informações trazidas pela mídia como jornais, revistas e programas de TV. Apesar das mudanças e dificuldades trazidas pelo diabetes é muito importante encontrar motivação para o tratamento. A motivação pode estar: Na vontade de estar bem; Na família; Na aceitação de portar uma doença crônica; Na preocupação com as complicações decorrentes do diabetes; No bom atendimento dos profissionais de saúde. 10 ]

11 Noções gerais sobre diabetes Andar em dia com aquilo que você tem para fazer: a alimentação, os médicos, os exames... e frequentar os médicos que você precisa para controlar a hipertensão, a diabetes e, se às vezes, aparecer alguma coisa diferente, não esperar porque pode ser proveniente da diabetes e quanto antes você procurar ajuda você estará evitando complicações. (SÔNIA) Diabetes: afinal qual é o problema com o organismo? Quando nos alimentamos, estamos absorvendo nutrientes dos alimentos, como, por exemplo, o carboidrato que será quebrado em glicose (açúcar). Uma parte dessa glicose será utilizada pelas nossas células e a outra irá para o fígado, onde será formada uma reserva para ser utilizada quando necessário. A glicose deve entrar na célula para produzir energia para o nosso corpo. Para que isso aconteça, é necessária a presença do hormônio chamado insulina, produzido pelo pâncreas. Nos portadores de diabetes, este órgão não é capaz de produzir insulina ou, apesar da produção, as células possuem resistência à utilização do hormônio e com isso a glicose se acumula no sangue e afeta vários órgãos do corpo. Quantos tipos de diabetes existem? Os tipos de diabetes mais comuns são tipo 1 e tipo 2: Diabetes mellitus tipo 1: Acomete principalmente crianças e adolescentes e, ocasionalmente, adultos; Geralmente aparece em pessoas magras; É considerado autoimune: há lesão das células do pâncreas e com isso não há produção de insulina; Os sintomas aparecem abruptamente; [ 11

12 Há necessidade de insulina. Diabetes mellitus tipo 2: Atinge, principalmente, adultos e pessoas mais velhas; Geralmente aparece em pessoas obesas; Sua causa está ligada a vários fatores como obesidade, sedentarismo e genética; Inicialmente o pâncreas ainda produz insulina, mas existe resistência das células em utilizar o hormônio; Os sintomas podem demorar a aparecer; Pode ser tratado com medicação oral e, posteriormente, na maioria dos casos, haverá necessidade do uso da insulina. Como saber se uma pessoa tem diabetes? O diabetes é uma doença hereditária. Pode não apresentar sintomas e uma pessoa pode ter a doença e sem saber; Mesmo apresentando sintomas, eles podem ser mal definidos; O diabetes pode acometer vários órgãos do corpo e apenas ser diagnosticado quando as complicações crônicas já se manifestaram A melhor forma de se ter certeza se uma pessoa tem ou não diabetes é através dos exames. Os sintomas mais comuns são: - Muita sede - Boca seca - Urinar muito - Emagrecimento - Muita fome - Cansaço e dores nas pernas - Mal-estar, tonteiras e visão turva - Dormência nos pés - Urina doce O que fazer para o diabetes ficar bem controlado? Assim que uma pessoa recebe o diagnóstico da doença, é muito importante: Realizar consultas e exames periodicamente Seguir orientação médica e dos demais profissionais da saúde (nutricionista, enfermeiro, educador físico, psicólogo e farmacêutico) Fazer a dieta prescrita e realizar exercícios físicos. 12 ]

13 A alimentação do diabético A alimentação complementa o tratamento com os remédios. É muito importante para nós. Não adianta tomar os remédios e não fazer a dieta de acordo. (Emmanuel) O que representa a alimentação para o diabético? A alimentação para paciente diabético é de extrema importância, uma vez que ela faz parte do tratamento e está relacionada aos níveis de glicose no sangue. A alimentação precisa ser balanceada e variada para se obter de cada alimento os nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo. Além de ser fundamental para o bem-estar e qualidade de vida. Quais são os principais grupos de alimentos? Os alimentos são divididos em grupos, de acordo com suas propriedades. Grupo 1: Carboidratos É o grupo do arroz, pão, batata e macarrão. Devemos dar preferência aos grãos integrais. Recomenda-se [ 13

14 comer de 5 a 9 porções desse grupo por dia. Grupo 2: Hortaliças É o grupo dos vegetais, verduras e legumes. Recomenda-se comer de 4 a 5 porções desse grupo por dia. Grupo 3: Frutas Recomenda-se comer de 3 a 5 porções desse grupo por dia. Grupo 4: Leguminosas É o grupo do feijão, ervilha, lentilha e soja. Recomenda-se comer 1 porção desse grupo por dia. Grupo 5: Carnes e ovos Recomenda-se comer 1 a 2 porções desse grupo por dia. Grupo 6: Leite e derivados Recomenda-se comer 3 porções desse grupo por dia, dando preferência aos desnatados. Grupo 7: Gorduras e óleos Recomenda-se comer 1 a 2 porções desse grupo, por dia. Seu consumo deve ser muito cuidadoso, pois são alimentos muito calóricos. Grupo 8: Açúcares Recomenda-se comer 1 a 2 porções desse grupo por dia. A pirâmide dos alimentos é um instrumento gráfico que ajuda a visua lizar as proporções dos alimentos a serem consumidos em um dia. 14 ]

15 Como o diabético deve comer? Alimentar-se de três em três horas; Respeitar a quantidade recomendada pelos médicos e nutricionistas; Manter a alimentação nos mesmos horários, sempre que possível; Preferir verduras, legumes, carnes mais magras (peito de frango, patinho, coxão-duro), cereais integrais e frutas; Comer peixes marinhos, duas vezes por semana; Preferir carne cozida ou assada. Ao prepará-la, retirar a gordura aparente antes de cozinhar; Comer ovo somente cozido e uma vez por semana; Consumir os alimentos que vêm de embaixo da terra, na quantidade informada pelo médico ou nutricionista; Utilizar azeite de oliva extra- -virgem; Preferir leite desnatado e queijo branco, como a ricota, o queijo minas ou queijo tipo cottage; Substituir o refrigerante por sucos naturais adoçados com adoçante; Consumir acima de oito copos de água por dia; Utilizar adoçantes caso queira adoçar bebidas e outros alimentos. O que deve ser evitado? Gorduras e açúcares, já que eles já são utilizados no preparo dos alimentos. É o caso dos salgadinhos fritos, balas e doces; Bebidas alcoólicas; Alimentos gordurosos, frituras e massas; Comidas com corantes e muitos conservantes; Comer exageradamente; Passar longos períodos sem se alimentar; Seguir a orientação de estranhos ou não-profissionais de saúde. E os adoçantes? Para substituir o açúcar no preparo dos alimentos, os pacientes diabéticos devem usar os adoçantes. Existem vários adoçantes, porém é preciso verificar com o médico ou nutricionista qual é o melhor a ser usado, já que cada um apresenta vantagens e desvantagens. O que são alimentos diet e light? O produto light é um alimento que tem redução de no mínimo 25% de algum nutriente, e essa redução geralmente é de açúcares ou gorduras. [ 15

16 O produto diet tem a isenção de algum nutriente, podendo ser açúcares, gorduras, sódio ou proteínas, e são destinados para diabéticos, hipertensos, cardíacos e outros. É muito importante que o paciente diabético observe o rótulo dos alimentos para verificar se ele, realmente, não contém açúcar. No momento de comprar os alimentos, o que os diabéticos devem observar nos rótulos? Observar a validade: o consumo de produtos com prazo de validade vencido é prejudicial à saúde; Observar o teor de macronutrientes, ou seja, carboidratos, proteínas e gorduras; No item carboidratos, observar qual o tipo de açúcar presente no alimento; No item gorduras, devem ser evitadas as gorduras saturadas e as chamadas gorduras trans; Observar o teor de sódio, que significa teor de sal do alimento, que não deve ser consumido em excesso, sobretudo por pessoas portadoras de hipertensão arterial; Os rótulos, muitas vezes, são difíceis de entender, por isso, se necessário, peça ajuda. 16 ]

17 Exercícios físicos e diabetes O que é preciso saber? Em nosso dia a dia, o exercício ajuda tanto o diabético quanto quem tem hipertensão. O exercício físico complementa o tratamento com remédios e ajuda o organismo a não ficar mais debilitado. Funciona como um complemento muito importante do tratamento. (Sônia) Qual a diferença entre atividade física e exercício físico? Atividade Física Geralmente, corresponde às nossas atividades do dia a dia, como: Varrer, lavar, cozinhar, capinar, podar uma árvore, cuidar da horta, cuidar do jardim, dentre outros. Exercício Físico É uma atividade física programada, na qual a quantidade e a intensidade do esforço são determinados previamente, além de serem definidos os dias da semana em que devem ser feitos. São exemplos de exercício físico: Caminhada, Bicicleta, Hidroginástica e musculação (academia). Como o exercício físico ajuda no tratamento do diabetes? São muitos os benefícios proporcionados pelo exercício físico. Vejamos alguns: Ajuda na redução do açúcar (glicose) no sangue; Promoção do bem-estar físico; Auxilia o tratamento não só do diabetes, mas também de outras doenças, como hipertensão arterial e doenças das articulações; Ajuda no controle da ansiedade; Ajuda a melhorar as dores no corpo; Quando realizado em grupo, amplia a rede de contatos sociais.; Promove bem-estar físico e mental. [ 17

18 Ajuda a perder peso Que tipo de exercício o diabético pode fazer? Caminhada, andar de bicicleta, musculação na academia e hidroginástica. Tanto o homem quanto a mulher podem fazer os mesmos exercícios dependendo das condições e a capacidade de cada um, levando em conta, ainda, os possíveis problemas de saúde. Como eu devo me exercitar (roupas, lugar, horário)? Roupas leves, calçados confortáveis, fechados e não apertados e meias de algodão, preferencialmente de cor clara; Realizar o exercício físico em lugar plano, tranquilo, iluminado, com pouca poluição e sem trânsito; Alimentar-se antes do exercício físico; Levar algum alimento, água e o cartão do diabético (contendo nome, endereço, telefone e informação sobre ser portador de diabetes tipo 1 ou diabetes tipo 2); Evitar caminhar assim que acordar; Evitar exercitar-se sozinho. 18 ]

19 Quais são os cuidados que devem ser tomados para praticar exercícios físicos? Para que o diabético possa se exercitar de forma correta e segura, alguns cuidados devem ser tomados: Alimentar-se adequadamente. Não devemos comer e ir fazer exercício em seguida. Devemos aguardar um período de pelo menos 30 minutos. Quem faz uso de insulina não deve aplicá-la no local que será muito exercitado. Por exemplo, se for caminhar, não fazer a aplicação da insulina na coxa, preferir aplicar no braço ou no abdome. Antes de sair para se exercitar, é bom fazer alongamentos, principalmente, da musculatura que será exercitada. O alongamento prepara o organismo para o exercício. Usar roupas confortáveis, que permitam a movimentação do corpo e não esquentem em excesso. Evitar se exercitar em locais pouco arejados e sob sol forte. Quando não é recomendável fazer exercícios? Portadores de diabetes que estejam com a glicose ou a pressão arterial descontrolados devem consultar o médico antes de começar a fazer exercícios No dia de se exercitar, se a glicose estiver alta (acima de 300 mg/dl) ou baixa (abaixo de 80 mg/dl) não fazer exercício Em caso de mal-estar, não iniciar o exercício e, caso se sinta mal durante a atividade, deve- -se interrompê-la. As pessoas que estiverem com ferimentos nos pés devem evitar exercícios que os forcem. [ 19

20 Os medicamentos A dificuldade é com os horários de tomar o remédio e o esquecimento, pois às vezes [me] programo para sair e esqueço de levar o remédio. Mas procuro evitar ao máximo que isso aconteça. Quando saio e vou demorar tenho uma caixinha, dividida pelos dias da semana, e coloco os comprimidos ali. (Hélio) Os Antidiabéticos Orais O uso de medicamentos pela pessoa que tem diabetes não serve apenas para abaixar ou manter os níveis glicêmicos dentro da normalidade. Eles possuem também a importante função de diminuir ao máximo as complicações crônicas causadas pelo diabetes mellitus. Atualmente, além da dieta e dos exercícios físicos, existem várias medicações para manter o controle glicêmico. Tipos de Antidiabéticos Orais Os antidiabéticos orais são classificados de acordo com seu mecanismo de ação. É muito importante a orientação médica para a escolha do medicamento adequado para cada pessoa. Os principais grupos de medicamentos usados por via oral são: Sulfonilureias: Elas aumentam a secreção de insulina em células do pâncreas. São elas: a glibenclamida, a glimepirida e a gliclazida e a clorpropamida Glinidas: Também aumentam a secreção de insulina pelo pâncreas, principalmente após as refeições. São elas a repaglinida e a nateglinida. Biguanidas: Reduzem a produção hepática de glicose melhorando a resposta dos tecidos à insulina. Corresponde à metformina. Glitazonas: Promovem a melhora da sensibilidade à insulina em vários tecidos do organismo. São a rosiglitazona e a pioglitazona. Gliptinas: Aumentam a produção e a secreção de insulina. São elas: vildagliptina, sitagliptina e saxagliptina. 20 ]

21 Cuidados de Armazenamento Alguns cuidados devem ser tomados para o armazenamento dos comprimidos: Guardar em local fresco, sem exposição à luz solar; Verificar a data de vencimento; Deixar fora do alcance de crianças. A Insulina Tipos de Insulina Nos portadores de diabetes tipo 2, o controle glicêmico pode ser obtido inicialmente por mudanças no estilo de vida. Com o passar do tempo, ocorre a perda gradual da capacidade de secreção de insulina pelo pâncreas. Dessa forma, com a evolução da doença será necessária a introdução dos antidiabéticos ou da insulina. Nos portadores de diabetes tipo 1, o uso da insulina é a base do tratamento. Existem vários tipos de insulina e análogos de Insulina que podem ser utilizados no tratamento do diabetes. Estas insulinas e suas características podem ser vista no quadro abaixo. TIPO DE INSULINA AÇÃO INÍCIO DE AÇÃO PICO DE AÇÃO DURAÇÃO DA AÇÃO NPH Intermediária 2-4 horas 4-10 horas horas Regular Rápida 0,5-1 hora 2-3 horas 8-10 horas Lispro Ultra-rápida 5-15 minutos 0,5-1,5 hora 4-6 horas Glulisina Ultra-rápida 5-15 minutos 0,5-1,5 hora 4-6 horas Asparte Ultra-rápida 5-15 minutos 0,5-1,5 hora 4-6 horas Detemir Lenta 4-6 horas Sem pico horas Glargina Lenta 2-4 horas Sem pico horas Quais os cuidados devem ser tomados pelos pacientes que usam insulina? Seringas: É muito importante verificar a graduação da seringa para não errar a dose que deve ser aspirada. Existem vários tipos de seringas, a saber: seringas de 1mL, graduadas em até 100 unidades; seringas de 0,5mL, graduadas em até 50 unidades; seringas de 0,3ml, graduadas em até 30 unidades. Agulhas: O tamanho da agulha deve ser [ 21

22 proporcional à espessura da pele. Sua função é atravessar a pele e liberar a insulina na gordura subcutânea. Armazenamento: Os frascos de insulina que estejam fechados devem ser armazenados em geladeira (2 a 8 C), evitar tanto a proximidade com o congelador quanto a porta do refrigerador; Uma vez aberto, o frasco pode ser mantido sob refrigeração ou em temperatura ambiente, entre 15 e 30 C, e deverá ser utilizado dentro do período de 30 dias; Quando o frasco está em uso e guardado na geladeira, ele poderá ser retirado 10 a 20 minutos antes da aplicação para melhor conforto, já que a insulina gelada pode causar dor na aplicação. Transporte Para transporte de curta duração, evitar exposição à luz solar direta, nunca deixar em porta- -luvas nem no bagageiro de carro; Para transporte de longa duração, usar caixa de isopor, porém sem contato direto com o gelo para evitar o congelamento da insulina. Técnica de Aplicação da Insulina Lave bem as mãos antes de iniciar a preparação da injeção; Prepare o material a ser usado: algodão, álcool, seringa, agulha e insulina; Antes de aspirar a insulina, role, gentilmente, o frasco entre as mãos para misturar a suspensão; Limpe a tampa do frasco com algodão embebido em álcool; Introduza ar, na seringa, de acordo com a dose prescrita e injete no frasco; Inverta o frasco e aspire a quantidade desejada. Se necessário, bata com os dedos na seringa, para retirar as bolhas de ar; Em caso de combinação de dois tipos de insulina, aspire antes a insulina de ação rápida (insulina regular, que é incolor); Limpe a pele com algodão embebido em álcool antes de iniciar a aplicação da insulina. Realize uma prega cutânea antes de introduzir a agulha que deve ser introduzida em ângulo de 90 graus. 22 ]

23 Antes de injetar, puxe o êmbolo para verifi car a presença de sangue. Caso venha sangue, realize a aplicação em outro local; Após injetar a insulina, pressione o local com algodão e retire a agulha sem fazer massagem local. Locais de aplicação da insulina A insulina pode ser aplicada em diversos locais: face posterior do braço, abdome, face anterior da coxa e nádegas. É recomendável fazer o rodízio dos locais de aplicação, de modo a manter uma distância mínima de 1,5 cm a cada injeção. FRENTE COsTAs Canetas Injetoras A insulina pode ser aplicada também através do uso de canetas injetoras. Estes dispositivos podem ser descartáveis ou reutilizáveis e auxiliam, principalmente, os pacientes que fazem uso de múltiplas doses diárias de insulina. [ 23

24 São comercializadas em flaconetes ( refill ) com volume de 3mL, equivalente a 300 unidades de insulina. Têm a vantagem da conveniência na aplicação, praticidade e precisão na dose. Os procedimentos para aplicação são os seguintes: Retire a tampa e desrosque a caneta; Acomode o refill de insulina no corpo da caneta; Rosqueie a agulha para a caneta, na ponta do refill; Selecione duas unidades e pressione completamente o botão injetor, repetindo a operação até o aparecimento de uma gota de insulina na ponta da agulha; Selecione o número de unidades de insulina necessárias; Introduzir a agulha no tecido subcutâneo e pressione o botão injetor; Após a administração, aguarde cinco segundos antes de retirar a agulha; Retire a agulha e pressione o local por mais cinco segundos; Retire e descarte a agulha utilizada; Recoloque a tampa da caneta e guarde-a em temperatura ambiente. Descarte do material utilizado O material utilizado (seringas, agulhas etc.) deve ser colocado em material adequado para isso. Caso não esteja disponível, é possível improvisar o armazenamento em um recipiente como garrafa pet. Assim que o recipiente estiver cheio leve a um posto de sáude (Unidade Básica de Saúde) para o descarte adequado. 24 ]

25 O diabetes e outras doenças Quem é diabético tem que fazer um controle rigoroso por causa da alteração do diabetes, que altera tudo, pressão, circulação, coração onde tem circulação, pode entupir... Procuro fazer o melhor por mim, pois os médicos estão lá para ajudar a gente, mas precisamos nos cuidar para não precisar[mos] deles... (Hélio) Hipoglicemia: causas, sintomas e prevenção A hipoglicemia é um evento com sintomas indesejáveis e perigosos, mais comum em pacientes que usam insulina. Quando os níveis de glicose no sangue caem abaixo de 50 mg/dl, geralmente, aparecem os sintomas de hipoglicemia, porém, esse valor pode variar de pessoa para pessoa. Causas A hipoglicemia pode acontecer em algumas situações como: Intervalos prolongados entre as refeições. Exercício não programado ou extenuante. Dose excessiva de insulina ou de antidiabético oral. Erro na dosagem de insulina. Sintomas Os principais sintomas da hipoglicemia são: Tremores, sudorese fria, taquicardia Dificuldade de raciocínio, sonolência Visão turva, mal-estar, fraqueza, enjoo Convulsões e coma Prevenção Alimente-se regularmente (isto é, a cada três horas); Evite exercícios extenuantes; Tome medicação no horário certo; Evite estresse; Fique atento à dose de insulina; Esteja sempre com um alimento para ingerir caso os sintomas apareçam; [ 25

26 Siga a orientação médica. Febre e Infecções Na presença de alguma intercorrência como quadros de febre e infecções, o diabético deve continuar tomando a medicação e procurar o médico para saber a causa da infecção. Cuidados com os Olhos As complicações oculares do diabetes estão relacionadas, principalmente, ao tempo de doença e seu mau controle. As doenças dos olhos mais frequentes são a retinopatia, a catarata e o glaucoma. Para retardar ou evitar o aparecimento dessas complicações é necessário: manter o controle adequado dos níveis de glicose e também de colesterol e triglicérides no sangue; realizar periodicamente consultas oftalmológicas para avaliação da acuidade visual, e exame de fundo de olho. Manter os niveis glicêmicos, as taxas lipídicas e a pressão arterial bem controlados; Fazer acompanhamento médico periódico incluindo exames de urina para avaliar a perda de proteínas pelo rim. Cuidados com os Pés Para evitar uma complicação grave do diabetes conhecida como pé diabético, que pode levar até a amputação dos membros, alguns cuidados precisam ser tomados: Usar sapatos confortáveis e meias de algodão; Evitar usar chinelos; Evitar andar descalço, mesmo dentro de casa; Não cortar a cutícula das unhas nem os calos, se os possuir; Cortar as unhas em linha reta, sem arredondar os cantos; Lavar bem os pés com água morna e sabão neutro; Cuidados com os Rins O comprometimento renal devido ao diabetes mellitus pode ser silencioso, ou seja, assintomático. Para evitar a doença renal relacionada ao daibetes é necessário: 26 ]

27 Secar bem os pés, dando especial atenção à região entre os dedos; Usar creme hidratante na pele evitando passá-lo entre os dedos; Examinar os pés à procura de qualquer ferimento; Verifi car se não há algum objeto dentro dos sapatos, antes de calçá-los; Não usar bolsas de água quente. Cuidados com os Dentes O mau controle do diabetes e a higiene defi ciente podem levar a doenças das gengivas e dos tecidos que apoiam os dentes, favorecendo o acúmulo de restos alimentares e bactérias, infecção e até amolecimento e perda dos dentes. Dessa forma, para o diabético, é fundamental a higiene bucal, ou seja, escovação dos dentes e língua, o uso de fi o dental e visitas periódicas ao dentista. Dessa forma, evitam-se infecções e outras doenças da boca e das gengivas. Cuidados com o Coração e a Circulação A hiperglicemia pode causar lesões na circulação, atingindo tanto os grandes quanto os pequenos vasos sanguíneos. Em associação com taxas elevadas de lípides (gorduras) no sangue pode levar a infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral e amputação dos membros. Para evitar estas complicações é necessário: Manter o bom controle dos níveis de glicose, colesterol, triglicérides e pressão arterial; Realizar consultas médicas periódicas acompanhadas de exames como eletrocardiograma, teste de esforço e exames de sangue sempre que necessário. O cigarro O cigarro difi culta a ação da insulina e aumenta os níveis de glicose no sangue. Dessa forma, favorece o surgimento de doenças cardíacas,lesões dos vasos sanguíneos, e doenças pulmonares, dentre outras. Por tudo isso, todo diabético deve interromper o hábito de fumar. [ 27

Como viver bem com diabetes

Como viver bem com diabetes Como viver bem com diabetes Sumário 3 5 7 8 10 12 14 15 16 17 19 O que é diabetes? Como saber se tenho diabetes? Por que controlar bem o diabetes? Alimentação Por que fazer exercícios físicos? Tratamento

Leia mais

PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR

PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR A Diabetes afeta cerca de 366 milhões de pessoas em todo o mundo e cerca de 1 milhão de Portugueses. A cada 7 segundos morre no Planeta Terra

Leia mais

EXERCÍCIO E DIABETES

EXERCÍCIO E DIABETES EXERCÍCIO E DIABETES Todos os dias ouvimos falar dos benefícios que os exercícios físicos proporcionam, de um modo geral, à nossa saúde. Pois bem, aproveitando a oportunidade, hoje falaremos sobre a Diabetes,

Leia mais

AVISO IMPORTANTE ESTA CARTILHA ESTÁ SENDO DISTRIBUÍDA PARA TODOS OS PROFESSORES DO BLOG: http://www.sosprofessor.com.br/blog

AVISO IMPORTANTE ESTA CARTILHA ESTÁ SENDO DISTRIBUÍDA PARA TODOS OS PROFESSORES DO BLOG: http://www.sosprofessor.com.br/blog AVISO IMPORTANTE ESTA CARTILHA ESTÁ SENDO DISTRIBUÍDA PARA TODOS OS PROFESSORES DO BLOG: http://www.sosprofessor.com.br/blog DICAS PARA UTILIZAÇÃO DESTA CARTILHA 1. Você pode distribuí-la para todos os

Leia mais

Tome uma injeção de informação. Diabetes

Tome uma injeção de informação. Diabetes Tome uma injeção de informação. Diabetes DIABETES O diabetes é uma doença crônica, em que o pâncreas não produz insulina em quantidade suficiente, ou o organismo não a utiliza da forma adequada. Tipos

Leia mais

0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br

0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br ANS - Nº 34.388-9 0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br Março 2007 Programa de Atenção ao Diabetes O que é diabetes? AUnimed-BH preocupa-se com a saúde e o bem-estar dos seus clientes, por isso investe em

Leia mais

D I R E T O R I A D E S A Ú D E

D I R E T O R I A D E S A Ú D E Saúde In Forma Junho/2013 Dia 26 de Junho Dia Nacional do Diabetes Diabetes é uma doença metabólica caracterizada por um aumento anormal da glicose ou açúcar no sangue. A glicose é a principal fonte de

Leia mais

conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS

conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS 2013 Diretoria Executiva Diretor-Presidente: Cassimiro Pinheiro Borges Diretor Financeiro: Eduardo Inácio da Silva Diretor de Administração: André Luiz de Araújo Crespo

Leia mais

Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes

Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes Objetivos: - Desenvolver uma visão biopsicossocial integrada ao ambiente de trabalho, considerando

Leia mais

Entendendo Melhor o Diabetes. Hipoglicemia X Hiperglicemia

Entendendo Melhor o Diabetes. Hipoglicemia X Hiperglicemia Diabetes Diabetes O setor de Promoção da Saúde da Fundação Fiat preparou para você esta cartilha com informações importantes relacionadas ao cuidado com a sua saúde. Embora ainda não haja cura para o

Leia mais

SUMÁRIO DIABETES...4 O QUE É PRÉ-DIABETES...5 TIPO DE DIABETES...6 PREVENÇÃO...8 DIAGNÓSTICO...8 DETECÇÃO DO DIABETES...9 TRATAMENTO...

SUMÁRIO DIABETES...4 O QUE É PRÉ-DIABETES...5 TIPO DE DIABETES...6 PREVENÇÃO...8 DIAGNÓSTICO...8 DETECÇÃO DO DIABETES...9 TRATAMENTO... 2 SUMÁRIO DIABETES...4 O QUE É PRÉ-DIABETES...5 TIPO DE DIABETES...6 PREVENÇÃO...8 DIAGNÓSTICO...8 DETECÇÃO DO DIABETES...9 TRATAMENTO...10 PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA...17 PLANO ALIMENTAR...18 CUIDANDO

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE PÉ DIABÉTICO

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE PÉ DIABÉTICO O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE PÉ DIABÉTICO PROBLEMAS CAUSADOS PELO DIABETES MELLITUS CORAÇÃO: Doença arterial coronariana e risco de infarto do miocárdio RINS: Nefropatia CÉREBRO: Acidente vascular cerebral

Leia mais

Proteger nosso. Futuro

Proteger nosso. Futuro Proteger nosso Futuro A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) é uma entidade sem fins lucrativos criada em 1943, tendo como objetivo unir a classe médica especializada em cardiologia para o planejamento

Leia mais

Como surge o diabetes? Como surge o diabetes?

Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Com a queda da produção de insulina, hormônio importante para o funcionamento do organismo, resultando no aumento da quantidade de açúcar. Áreas afetadas pelo

Leia mais

Guia do Paciente DAPAGLIFLOZINA

Guia do Paciente DAPAGLIFLOZINA Guia do Paciente DAPAGLIFLOZINA Índice Tratando seu diabetes tipo 2 com DAPAGLIFLOZINA 3 Como funciona? 4 Como devo utilizar? 5 Quais são os principais efeitos colaterais do tratamento com DAPAGLIFLOZINA?

Leia mais

Conheça mais sobre. Diabetes

Conheça mais sobre. Diabetes Conheça mais sobre Diabetes O diabetes é caracterizado pelo alto nível de glicose no sangue (açúcar no sangue). A insulina, hormônio produzido pelo pâncreas, é responsável por fazer a glicose entrar para

Leia mais

Quais são os sintomas? O sucesso no controle do diabetes depende de quais fatores? O que é monitorização da glicemia? O que é diabetes?

Quais são os sintomas? O sucesso no controle do diabetes depende de quais fatores? O que é monitorização da glicemia? O que é diabetes? Quais são os sintomas? Muita sede, muita fome, muita urina, desânimo e perda de peso. Esses sintomas podem ser observados antes do diagnóstico ou quando o controle glicêmico está inadequado. O aluno com

Leia mais

Aula 10: Diabetes Mellitus (DM)

Aula 10: Diabetes Mellitus (DM) Aula 10: Diabetes Mellitus (DM) Diabetes Mellitus (DM) Doença provocada pela deficiência de produção e/ou de ação da insulina, que leva a sintomas agudos e a complicações crônicas características; Insulina:

Leia mais

Agora que tenho diabetes... O que posso fazer para permanecer no controle?

Agora que tenho diabetes... O que posso fazer para permanecer no controle? Agora que tenho diabetes... O que posso fazer para permanecer no controle? Tenho diabetes: o que isso significa, afinal? Agora que você recebeu o diagnóstico de diabetes, você começará a pensar em muitas

Leia mais

DIABETES ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA OS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE

DIABETES ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA OS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE DIABETES ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA OS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE Governo do Estado da Bahia Jacques Wagner Secretário de Saúde do Estado da Bahia Jorge José Santos Pereira Solla Superintendência de Atenção

Leia mais

O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl

O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl O colesterol pode ser considerado um tipo de lipídio (gordura) produzido em nosso organismo. Ele está presente em alimentos de origem animal

Leia mais

Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes

Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes Uma vida normal com diabetes Obesidade, histórico familiar e sedentarismo são alguns dos principais fatores

Leia mais

NOSSO ALUNOCOM DIABETES

NOSSO ALUNOCOM DIABETES NOSSO ALUNOCOM DIABETES NOSSO ALUNOCOM DIABETES Estamos fornecendo algumas informações importantes sobre diabetes para auxiliar a equipe da escola na rotina escolar do aluno com Diabetes. Quando houver

Leia mais

O QUE É COLESTEROL? TIPOS

O QUE É COLESTEROL? TIPOS O QUE É COLESTEROL? O colesterol pode ser considerado um tipo de lipídio (gordura) produzido em nosso organismo. Ele está presente em alimentos de origem animal (carne, leite integral, ovos etc.). Em nosso

Leia mais

Entendendo a lipodistrofia

Entendendo a lipodistrofia dicas POSITHIVAS Entendendo a lipodistrofia O que é a lipodistrofia? Lipodistrofia é quando o corpo passa a absorver e a distribuir as gorduras de maneira diferente. Diminui a gordura nas pernas, braços,

Leia mais

CUIDANDO DO SEU CORAÇÃO Controle e Prevenção da Doença Aterosclerótica Coronariana

CUIDANDO DO SEU CORAÇÃO Controle e Prevenção da Doença Aterosclerótica Coronariana HOSPITAL DAS CLÍNICAS - UFMG Programa de Reabilitação Cardiovascular e Metabólica Residência Multiprofissional em Saúde Cardiovascular CUIDANDO DO SEU CORAÇÃO Controle e Prevenção da Doença Aterosclerótica

Leia mais

Diabetes. Introdução. Sintomas

Diabetes. Introdução. Sintomas Diabetes Introdução A diabetes desenvolve-se quando o organismo não consegue controlar a quantidade de glicose (açúcar) no sangue. Isto pode acontecer se o corpo não produzir quantidades suficientes da

Leia mais

A PESSOA COM DIABETES

A PESSOA COM DIABETES A PESSOA COM DIABETES A diabetes mellitus é uma doença crónica com elevados custos humanos, sociais e económicos, em rápida expansão por todo o mundo. Calcula-se que Portugal terá, na segunda década deste

Leia mais

II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES

II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES Orientações básicas de nutrição para o autocuidado em DM Maria Palmira C. Romero Nutricionista Marisa Sacramento

Leia mais

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e outros sintomas Nutricionista Camila Costa Unidade de Reabilitação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício InCor/FMUSP Será que o que você come influencia

Leia mais

N o 36. Abril 2015. Insulina com duração de até 42 horas: nova opção para os insulinodependentes

N o 36. Abril 2015. Insulina com duração de até 42 horas: nova opção para os insulinodependentes N o 36 Abril 2015 Centro de Farmacovigilância da UNIFAL-MG Site: www2.unifal-mg.edu.br/cefal Email: cefal@unifal-mg.edu.br Tel: (35) 3299-1273 Equipe editorial: prof. Dr. Ricardo Rascado; profa. Drª. Luciene

Leia mais

Dicas Para Emagrecer com Saúde

Dicas Para Emagrecer com Saúde 2011 www.blog.vivaplenamente.com Página 1 DIREITOS DE DISTRIBUIÇÃO Você pode distribuir este e-book livremente, assim como presenteá-lo a través do seu site ou blog aos seus visitantes e clientes. A única

Leia mais

Insulinização. http://www.imepen.com/niepen. Niepen Programa de Educação Continuada Educação Continuada para APS. Dra Carla Lanna Dra Christiane Leite

Insulinização. http://www.imepen.com/niepen. Niepen Programa de Educação Continuada Educação Continuada para APS. Dra Carla Lanna Dra Christiane Leite Insulinização http://www.imepen.com/niepen Niepen Programa de Educação Continuada Educação Continuada para APS Dra Carla Lanna Dra Christiane Leite CONTROLE GLICÊMICO NO BRASIL: Mendes AB, et al. Acta

Leia mais

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem!

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Convivendo bem com a doença renal Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Nutrição e dieta para diabéticos: Introdução Mesmo sendo um paciente diabético em diálise, a sua dieta ainda

Leia mais

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO (segunda parte) A ESCOLHA Responda à seguinte pergunta: Você gosta de carro? Se você gosta, vamos em frente. Escolha o carro de seus sonhos: Mercedes,

Leia mais

Cartilha de Prevenção. ANS - nº31763-2. Diabetes. Fevereiro/2015

Cartilha de Prevenção. ANS - nº31763-2. Diabetes. Fevereiro/2015 Cartilha de Prevenção 1 ANS - nº31763-2 Diabetes Fevereiro/2015 Apresentação Uma das missões da Amafresp é prezar pela qualidade de vida de seus filiados e pela prevenção através da informação, pois esta

Leia mais

RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE.

RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE. RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE. 1. DOENÇA CELIACA É uma doença que causa inflamações nas camadas da parede do intestino delgado,

Leia mais

Cartilha Medicamentos para Diabetes

Cartilha Medicamentos para Diabetes Universidade Federal de São João del-rei Campus Centro-Oeste - Dona Lindu Divinópolis, Minas Gerais Cartilha Medicamentos para Diabetes Projeto Empoderamento Farmacoterapêutico de pacientes com Diabetes

Leia mais

HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04920

HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04920 CDS19NOV10 HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04920 APRESENTAÇÕES HUMALOG KWIKPEN é uma solução aquosa clara, incolor, para administração subcutânea contendo 100 unidades

Leia mais

DIABETES MELLITUS. Prof. Claudia Witzel

DIABETES MELLITUS. Prof. Claudia Witzel DIABETES MELLITUS Diabetes mellitus Definição Aumento dos níveis de glicose no sangue, e diminuição da capacidade corpórea em responder à insulina e ou uma diminuição ou ausência de insulina produzida

Leia mais

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano.

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano. Oficina CN/EM 2012 Alimentos e nutrientes (web aula) Caro Monitor, Ao final da oficina, o aluno terá desenvolvido as habilidade: H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo

Leia mais

Saúde. Equilíbrio. Diabetes. Consulte nosso farmacêutico ou o seu médico.

Saúde. Equilíbrio. Diabetes. Consulte nosso farmacêutico ou o seu médico. Como posso prevenir as complicações do? Mantenha os valores de açúcar no sangue sob controle Mantenha a pressão arterial dentro dos valores normais (130/80mmHg) Perca peso e controle o colesterol Cuide

Leia mais

DIABETES MELLITUS PATRÍCIA DUPIM

DIABETES MELLITUS PATRÍCIA DUPIM DIABETES MELLITUS PATRÍCIA DUPIM Introdução É um conjunto de doenças metabólicas que provocam hiperglicemia por deficiência de insulina Essa deficiência pode ser absoluta, por baixa produção, ou relativa

Leia mais

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE DEFESA DA SAÚDE CESAU

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE DEFESA DA SAÚDE CESAU ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 50 /2015 - CESAU Salvador, 23 de março de 2015 Objeto: Parecer. Promotoria de Justiça GESAU / Dispensação de medicamentos. REFERÊNCIA: Promotoria de Justiça de Conceição do Coité/

Leia mais

DOENÇAS CARDÍACAS NA INSUFICIÊNCIA RENAL

DOENÇAS CARDÍACAS NA INSUFICIÊNCIA RENAL DOENÇAS CARDÍACAS NA INSUFICIÊNCIA RENAL As doenças do coração são muito freqüentes em pacientes com insuficiência renal. Assim, um cuidado especial deve ser tomado, principalmente, na prevenção e no controle

Leia mais

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de vida. A infância e adolescência são idades ideais para

Leia mais

à diabetes? As complicações resultam da de açúcar no sangue. São frequentes e graves podendo (hiperglicemia).

à diabetes? As complicações resultam da de açúcar no sangue. São frequentes e graves podendo (hiperglicemia). diabetes Quando Acidente a glicemia vascular (glicose cerebral no sangue) (tromboses), sobe, o pâncreas uma das principais O que Quais é a diabetes? as complicações associadas à diabetes? produz causas

Leia mais

HUMALOG insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04920

HUMALOG insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04920 1 CDS12JUL06 HUMALOG insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04920 FORMAS FARMACÊUTICAS, APRESENTAÇÕES E COMPOSIÇÃO HUMALOG é uma solução aquosa clara, incolor, para administração subcutânea

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS:

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS: JUSTIFICATIVA Para termos um corpo e uma mente saudável, devemos ter uma alimentação rica em frutas, verduras, legumes, carnes, cereais, vitaminas e proteínas. Sendo a escola um espaço para a promoção

Leia mais

Os portadores de diabetes representam 30% dos pacientes que se internam em unidades coronarianas.

Os portadores de diabetes representam 30% dos pacientes que se internam em unidades coronarianas. A Diabetes é a sexta causa mais frequente de internação hospitalar e contribui de forma significativa (30% a 50%) para outras causas como cardiopatias isquêmicas, insuficiência cardíacas, AVC e hipertensão.

Leia mais

PROGRAMA Viver Bem. Gerenciamento de Crônicos. Dicas para aproveitar a melhor idade com saúde.

PROGRAMA Viver Bem. Gerenciamento de Crônicos. Dicas para aproveitar a melhor idade com saúde. PROGRAMA Viver Bem Gerenciamento de Crônicos Dicas para aproveitar a melhor idade com saúde. Apresentação Este material foi elaborado por profissionais de saúde da Unimed, com o objetivo de orientar e

Leia mais

Iremos apresentar alguns conselhos para o ajudar a prevenir estes factores de risco e portanto a evitar as doenças

Iremos apresentar alguns conselhos para o ajudar a prevenir estes factores de risco e portanto a evitar as doenças FACTORES DE RISCO Factores de risco de doença cardiovascular são condições cuja presença num dado indivíduo aumentam a possibilidade do seu aparecimento. Os mais importantes são o tabaco, a hipertensão

Leia mais

ESCALA DE AVALIAÇÃO DAS CAPACIDADES DE AUTOCUIDADO DA PESSOA PORTADORA DE DIABETES MELLITUS TIPO 2.

ESCALA DE AVALIAÇÃO DAS CAPACIDADES DE AUTOCUIDADO DA PESSOA PORTADORA DE DIABETES MELLITUS TIPO 2. ESCALA DE AVALIAÇÃO DAS CAPACIDADES DE AUTOCUIDADO DA PESSOA PORTADORA DE DIABETES MELLITUS TIPO 2. INSTRUÇÕES: Leia cada afirmação para o (a) entrevistado(a) e circule o número apropriado, que indica

Leia mais

HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante)

HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) 1 CDS12JUL06 HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) FORMAS FARMACÊUTICAS, APRESENTAÇÕES E COMPOSIÇÃO HUMALOG KWIKPEN é uma solução aquosa clara, incolor, para administração subcutânea

Leia mais

Viver bem com DIABETES

Viver bem com DIABETES Viver bem com DIABETES Índice O que é diabetes?...4 Tipos de diabetes...5 Como saber se tenho diabetes?...6 Por que controlar bem o diabetes?...9 Alimentação...12 Por que fazer exercícios físicos?...17

Leia mais

O que é diabetes mellitus tipo 2?

O que é diabetes mellitus tipo 2? O que é diabetes mellitus tipo 2? Todas as células do nosso corpo precisam de combustível para funcionar. O principal combustível chama-se glicose, que é um tipo de açúcar. Para que a glicose consiga entrar

Leia mais

VOCÊ CUIDA DO SEU DIABETES, A GENTE CUIDA DE VOCÊ.

VOCÊ CUIDA DO SEU DIABETES, A GENTE CUIDA DE VOCÊ. Referências bibliográficas: 1. Sociedade Brasileira de Diabetes. Algoritmo para o tratamento do diabetes tipo 2 atualização 2011. Posicionamento Oficial SBD no. 3. São Paulo: SBD; 2011. 2. Sociedade Brasileira

Leia mais

CORAÇÃO. Na Saúde combata...os inimigos silenciosos! Trabalho Elaborado por: Ana Cristina Pinheiro Mário Quintaneiro

CORAÇÃO. Na Saúde combata...os inimigos silenciosos! Trabalho Elaborado por: Ana Cristina Pinheiro Mário Quintaneiro Trabalho Elaborado por: Na Saúde combata...os inimigos silenciosos! Ana Cristina Pinheiro Mário Quintaneiro CORAÇÃO Olá! Eu sou o seu coração, trabalho dia e noite sem parar, sem descanso semanal ou férias.

Leia mais

47 Por que preciso de insulina?

47 Por que preciso de insulina? A U A UL LA Por que preciso de insulina? A Medicina e a Biologia conseguiram decifrar muitos dos processos químicos dos seres vivos. As descobertas que se referem ao corpo humano chamam mais a atenção

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE União Metropolitana de Educação e Cultura Faculdade: Curso: NUTRIÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE Disciplina: INTRODUÇÃO A NUTRIÇÃO Carga horária: Teórica 40 Prática 40 Semestre: 1 Turno:

Leia mais

O diabetes ocorre em qualquer idade e se caracteriza por um excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). Os principais sintomas são emagrecimento,

O diabetes ocorre em qualquer idade e se caracteriza por um excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). Os principais sintomas são emagrecimento, O diabetes ocorre em qualquer idade e se caracteriza por um excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). Os principais sintomas são emagrecimento, fome e sede constantes, vontade de urinar diversas vezes,

Leia mais

Colesterol O que é Isso? Trabalhamos pela vida

Colesterol O que é Isso? Trabalhamos pela vida Colesterol O que é Isso? X O que é o Colesterol? Colesterol é uma gordura encontrada apenas nos animais Importante para a vida: Estrutura do corpo humano (células) Crescimento Reprodução Produção de vit

Leia mais

SENADO FEDERAL PRESSÃO CONTROLADA SENADOR CLÉSIO ANDRADE

SENADO FEDERAL PRESSÃO CONTROLADA SENADOR CLÉSIO ANDRADE SENADO FEDERAL PRESSÃO CONTROLADA SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Pressão controlada apresentação Chamada popularmente de pressão alta, a hipertensão é grave por dois motivos: não apresenta sintomas, ou seja,

Leia mais

PREFERENCIALMENTE PARA ADMINISTRAÇÃO SUBCUTÂNEA

PREFERENCIALMENTE PARA ADMINISTRAÇÃO SUBCUTÂNEA CDS19NOV10 Humalog insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04920 APRESENTAÇÕES HUMALOG é uma solução aquosa clara, incolor, contendo 100 unidades (U-100) de insulina lispro (ADN* recombinante)

Leia mais

Saúde Bucal (Cartilha)

Saúde Bucal (Cartilha) SAÚDE BUCAL 2014. Secretaria de Saúde do Estado da Bahia- SESAB. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta o bra, desde que citada a fonte e que não seja para venda

Leia mais

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final Laís Cruz Nutricionista CRN 3 18128 2013 Período de transição entre infância e vida adulta (dos 10 aos 19 anos de idade) Muitas transformações físicas, psicológicas e sociais Acelerado crescimento e desenvolvimento:

Leia mais

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL?

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? O Ministério da Saúde está lançando a versão de bolso do Guia Alimentar para a População Brasileira, em formato de Dez Passos para uma Alimentação Saudável, com o objetivo

Leia mais

APOSTILA AULA 2 ENTENDENDO OS SINTOMAS DO DIABETES

APOSTILA AULA 2 ENTENDENDO OS SINTOMAS DO DIABETES APOSTILA AULA 2 ENTENDENDO OS SINTOMAS DO DIABETES 1 Copyright 2014 por Publicado por: Diabetes & Você Autora: Primeira edição: Maio de 2014 Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta apostila pode

Leia mais

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje.

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. CENTRO UNIVERSITÁRIO ASSUNÇÃO- Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. Profa. Dra. Valéria Batista O que é vida saudável? O que é vida saudável? Saúde é o estado de complexo bem-estar físico,

Leia mais

Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes

Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes Diabetes é uma doença ocasionada pela total falta de produção de insulina pelo pâncreas ou pela quantidade insuficiente da substância no corpo. A insulina

Leia mais

HIPERTENSÃO ARTERIAL Que conseqüências a pressão alta pode trazer? O que é hipertensão arterial ou pressão alta?

HIPERTENSÃO ARTERIAL Que conseqüências a pressão alta pode trazer? O que é hipertensão arterial ou pressão alta? HIPERTENSÃO ARTERIAL O que é hipertensão arterial ou pressão alta? A hipertensão arterial ou pressão alta é quando a pressão que o sangue exerce nas paredes das artérias para se movimentar é muito forte,

Leia mais

HIPERTENSÃO ARTERIAL

HIPERTENSÃO ARTERIAL HIPERTENSÃO ARTERIAL O que é hipertensão arterial ou pressão alta? A hipertensão arterial ou pressão alta é quando a pressão que o sangue exerce nas paredes das artérias para se movimentar é muito forte,

Leia mais

Você sabe os fatores que interferem na sua saúde?

Você sabe os fatores que interferem na sua saúde? DICAS DE SAÚDE 2 Promova a sua saúde. Você sabe os fatores que interferem na sua saúde? Veja o gráfico : 53% ao estilo de vida 17% a fatores hereditários 20% a condições ambientais 10% à assistência médica

Leia mais

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008 Oficina de Promoção da Alimentação Saudável para Agentes Comunitários de Saúde III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família Brasília,

Leia mais

A importância da Atividade Física

A importância da Atividade Física A importância da Atividade Física Introdução Mas o que é atividade física? De acordo com Marcello Montti, atividade física é definida como um conjunto de ações que um indivíduo ou grupo de pessoas pratica

Leia mais

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO... 2 SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...12 OUTROS HÁBITOS SAUDÁVEIS...14 ATIVIDADE FÍSICA...14 CUIDADOS

Leia mais

apoios ao doente diabético ORIENTAÇÕES PARA O DOENTE DIABÉTICO HOSPITAL DE EGAS MONIZ, S. A. SERVIÇO DE ENDOCRINOLOGIA

apoios ao doente diabético ORIENTAÇÕES PARA O DOENTE DIABÉTICO HOSPITAL DE EGAS MONIZ, S. A. SERVIÇO DE ENDOCRINOLOGIA 12 apoios ao doente diabético Para usufruir dos apoios previstos, os utentes diabéticos necessitam possuir o GUIA DO DIABÉTICO que é distribuído pelo CENTRO DE SAÚDE O FORNECIMENTO DOS MEDICAMENTOS PARA

Leia mais

sobre pressão alta Dr. Decio Mion

sobre pressão alta Dr. Decio Mion sobre pressão alta Dr. Decio Mion 1 2 Saiba tudo sobre pressão alta Dr. Decio Mion Chefe da Unidade de Hipertensão do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP)

Leia mais

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO SENADO FEDERAL CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Cuidados com a alimentação apresentação Uma boa saúde é, em grande parte, resultado de uma boa alimentação. Há muita verdade no dito

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

Prof.: Luiz Fernando Alves de Castro

Prof.: Luiz Fernando Alves de Castro Prof.: Luiz Fernando Alves de Castro Dia Nacional de Combate ao Câncer O Dia 27 de Novembro, Dia Nacional de Combate ao Câncer, é uma data que deve ser lembrada não para comemorarmos e, sim, para alertarmos

Leia mais

American Dietetic Association

American Dietetic Association É um método sistemático para resolução de problemas que os profissionais de nutrição empregam para pensar de modo crítico e tomar decisões para resolver problemas nutricionais e prestar assistência nutricional

Leia mais

O TAMANHO DO PROBLEMA

O TAMANHO DO PROBLEMA FÍSICA MÉDICA O TAMANHO DO PROBLEMA Quantos hipertensos existem no Brasil? Estimativa de Prevalência de Hipertensão Arterial (1998) 13 milhões se considerar cifras de PA > 160 e/ou 95 mmhg 30 milhões

Leia mais

Dependendo dos motivos, o diabetes pode ser de dois tipos:

Dependendo dos motivos, o diabetes pode ser de dois tipos: DIABETES O diabetes já é tratado como uma epidemia nos EUA. O Brasil é o quinto país no mundo em número de diabéticos, com 7,6 milhões de casos em 2007 ele estava na oitava posição, dos quais 50% não sabem

Leia mais

Humalog. Solução injetável. 100 UI/mL. Frasco 10 ml e Refil 3 ml

Humalog. Solução injetável. 100 UI/mL. Frasco 10 ml e Refil 3 ml Humalog Solução injetável 100 UI/mL Frasco 10 ml e Refil 3 ml CDS19NOV10 HUMALOG insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04920 APRESENTAÇÕES HUMALOG é uma solução aquosa clara, incolor,

Leia mais

azul NOVEMBRO azul Saúde também é coisa de homem. Doenças Cardiovasculares (DCV)

azul NOVEMBRO azul Saúde também é coisa de homem. Doenças Cardiovasculares (DCV) Doenças Cardiovasculares (DCV) O que são as Doenças Cardiovasculares? De um modo geral, são o conjunto de doenças que afetam o aparelho cardiovascular, designadamente o coração e os vasos sanguíneos. Quais

Leia mais

O QUE SABE SOBRE A DIABETES?

O QUE SABE SOBRE A DIABETES? O QUE SABE SOBRE A DIABETES? 11 A 26 DE NOVEMBRO DE 2008 EXPOSIÇÃO PROMOVIDA PELO SERVIÇO DE MEDICINA INTERNA DO HOSPITAL DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO, EPE DIABETES MELLITUS É uma doença grave? Estou em

Leia mais

INTRODUÇÃO. Diabetes & você

INTRODUÇÃO. Diabetes & você INTRODUÇÃO Diabetes & você Uma das coisas mais importantes na vida de uma pessoa com diabetes é a educação sobre a doença. Conhecer e saber lidar diariamente com o diabetes é fundamental para levar uma

Leia mais

Diabetes e doença cardiovascular

Diabetes e doença cardiovascular Diabetes e doença cardiovascular A diabetes implica um risco aumentado de doença cardiovascular? Sim! As pessoas com diabetes têm um risco aumentado de doenças cardiovasculares, tais como a doença coronária

Leia mais

CARTILHA DE PREVENÇÃO DA OBESIDADE NA CRIANÇA E ADOLESCENTE.

CARTILHA DE PREVENÇÃO DA OBESIDADE NA CRIANÇA E ADOLESCENTE. CARTILHA DE PREVENÇÃO DA OBESIDADE NA CRIANÇA E ADOLESCENTE. NÚCLEO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE CARTILHA DE PREVENÇÃO DA OBESIDADE NA CRIANÇA E ADOLESCENTE POR QUE estamos mais gordinhos? O estilo de vida + hábitos

Leia mais

SUMÁRIO O QUE É...4 PREVENÇÃO...5 DIAGNÓSTICO...6 TRATAMENTO...7 ORIENTAÇÕES...8 ALIMENTAÇÃO CORRETA...9 OUTRAS DICAS...12 ATIVIDADE FÍSICA...

SUMÁRIO O QUE É...4 PREVENÇÃO...5 DIAGNÓSTICO...6 TRATAMENTO...7 ORIENTAÇÕES...8 ALIMENTAÇÃO CORRETA...9 OUTRAS DICAS...12 ATIVIDADE FÍSICA... 2 SUMÁRIO O QUE É...4 PREVENÇÃO...5 DIAGNÓSTICO...6 TRATAMENTO...7 ORIENTAÇÕES...8 ALIMENTAÇÃO CORRETA...9 OUTRAS DICAS...12 ATIVIDADE FÍSICA...14 FIQUE SABENDO...16 3 O QUE É A dislipidemia é o aumento

Leia mais

Parabéns!! Você está grávida!

Parabéns!! Você está grávida! Parabéns!! Você está grávida! Você está grávida e mudanças acontecerão no seu corpo e nas suas emoções. É um caminho, um tempo e uma experiência ímpar, que você não perceberá, mas fará de você uma nova

Leia mais

A utilização da insulina

A utilização da insulina 1 Tipos de insulina Existem muitos tipos diferentes de insulina, os quais oferecem mais flexibilidade relativamente à quantidade e ao momento preciso de apanhar as injeções necessárias, tornando mais fácil

Leia mais

EXCLUSIVAMENTE PARA ADMINISTRAÇÃO SUBCUTÂNEA USO ADULTO ACIMA DE 18 ANOS INFORMAÇÕES AO PACIENTE

EXCLUSIVAMENTE PARA ADMINISTRAÇÃO SUBCUTÂNEA USO ADULTO ACIMA DE 18 ANOS INFORMAÇÕES AO PACIENTE CDS19NOV10 HUMALOG MIX 50 KWIKPEN insulina lispro (50% de insulina lispro e 50% de insulina lispro protamina) derivada de ADN* recombinante D.C.B. 04920 APRESENTAÇÕES HUMALOG MIX 50 KWIKPEN é uma suspensão

Leia mais

Questionário: Risco de ter diabetes

Questionário: Risco de ter diabetes Questionário: Risco de ter diabetes ATENÇÃO! Este questionário não deve ser aplicado a gestantes e pessoas menores de 18 anos. Preencha o formulário abaixo. Idade: anos Sexo: ( ) Masculino ( ) Feminino

Leia mais

Manual de Rotulagem de Alimentos

Manual de Rotulagem de Alimentos Manual de Rotulagem de Alimentos Agosto 2013 Programa Mesa Brasil Sesc O Mesa Brasil Sesc é um programa de segurança alimentar e nutricional sustentável, que redistribui alimentos excedentes próprios para

Leia mais

Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista

Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista Secretaria de Estado da Saúde - SESAU Superintendência de Assistência em Saúde SUAS Diretoria de Atenção Básica - DAB Gerência do Núcleo do Programa Saúde e Nutrição Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista

Leia mais

Novolin R insulina humana

Novolin R insulina humana Novolin R insulina humana IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Novolin R insulina humana APRESENTAÇÕES Solução injetável em um frasco-ampola. 100 UI/mL Embalagem contendo 1 frasco-ampola com 10 ml. O frasco-ampola

Leia mais

Manual com Diretrizes para Professores de Crianças com Diabetes

Manual com Diretrizes para Professores de Crianças com Diabetes Manual com Diretrizes para Professores de Crianças com Diabetes Índice Página 1. Aprendendo a conviver com o diabetes. 3 2. O que é diabetes? 4-5 3. Hiperglicemia e Cetoacidose. 6 4. Planeje com antecedência.

Leia mais

Cartilha. pela Saúde da Mulher

Cartilha. pela Saúde da Mulher Cartilha pela Saúde da Mulher Cólica Menstrual Excesso de Gorduras no Sangue A cólica menstrual ou dismenorreia é uma dor abdominal provocada pelas contrações uterinas que ocorrem durante a menstruação.

Leia mais