D. Afonso Henriques O Conquistador ( )

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "D. Afonso Henriques O Conquistador ( )"

Transcrição

1 Pro of. Pedro Simões D. Afonso Henriques O Conquistador ( ) 1 Miguel de Carvalho Passeira Peredo Nº 108º B

2 Índice Introdução... 3 O início do caminho para a independência portuguesa... 4 D. Henrique... 4 O Condado Portucalense... 4 A morte de D. Henrique e o aparecimento de D. Afonso I... 5 Afonso I O novo rei português... 6 A subida ao trono... 6 Acção de D. Afonso Henriques para conquistar a independência do Condado Portucalense... 6 A descendência de D. Afonso Henriques... 7 Bibliografia

3 D. Afonso Henriques Prof rof. Pedro Simões Introdução Neste trabalho escrito, vou falar sobre a vida daquele que foi o primeiro Rei de Portugal D. Afonso Henriques. Afonso I, mais conhecido por D. Afonso Henriques, nasceu a 25 de Julho de 1109, tendo depois morrido no dia 6 de Dezembro de Foi ele que conquistou a independência portuguesa, em relação ao Reino de Castela. Foi-lhe lhe cognominado o nome de O Conquistador, Conquistador, uma vez que conquistou muitas terras e territórios. Também é conhecido como O Fundador. Os muçulmanos, em sinal de respeito, chamavam-lhe chamavam Ibn-Arrik, Arrik, que significava filho de Henrique. 3

4 Século XI O início do caminho para a independência portuguesa D. Henrique Foi com D. Henrique que tudo isto começou. Este, que viria a ser o pai de D. Afonso Henriques, era, por esta altura, um cavaleiro. O seu primo, Raimundo era também um cavaleiro. Estes dois primos cavaleiros ajudaram o Rei de Leão, Afonso VI. Os dois cavaleiros receberam recompensas, pelos serviços prestados ao rei de Leão, em 1096: Henrique de Borgonha: Recebeu a mão da filha de Afonso VI, D. Teresa em casamento. Recebe também o Condado Portucalense. Raimundo: Recebeu o governo do Condado da Galiza. Recebe também a mão da sua outra filha D. Urraca em casamento. Século XII O Condado Portucalense Com a entrega do condado, D. Henrique ficava apenas com o governo do reino de Portucale, e não com a independência em relação ao reino de Castela. O Condado Portucalense e os reinos espanhóis 4

5 A morte de D. Henrique e o aparecimento de D. Afonso I Em 1109, nasceu o filho de D. Henrique e de D. Teresa, D. Afonso Henriques, que viria, mais tarde, a ser o primeiro Rei de Portugal. Nasceu em Viseu, ou em Guimarães ou em Coimbra e viveu até 1128 em Guimarães. O Conde de Portucale, Henrique de Borgonha morreu em 1112, sem conseguir a independência do Condado que era o seu objectivo. D. Henrique tinha fixado em Guimarães a sua habitação, em paços próprios, dentro do castelo que ali fora edificado no século anterior. O Castelo de Guimarães Uma vez morto, D. Henrique deixa o governo do Condado Portucalense à sua mulher, D. Teresa. Isto porque D. Afonso Henriques era demasiado novo para ser rei. D. Teresa começa, em 1121 a intitular-se «Rainha», mas os conflitos com o alto clero e sobretudo a intimidade com Fernão Peres, fidalgo galego e seu amante a quem entregara o governo dos distritos do Porto e Coimbra, trouxeram-lhe a revolta dos Portucalenses, dos nobres do Condado e do próprio filho, sistematicamente afastados, da gerência dos negócios públicos. É por esta altura que Afonso VII, filho de D. Raimundo e de D. Urraca (primo de D. Afonso Henriques) sobe ao trono do reino de Leão e Castela. Após este ter subido ao trono, D. Teresa recusa-se a prestar-lhe vassalagem. D. Afonso VII, então, invade o Condado Portucalense, em Após esta invasão, D. Teresa acaba por lhe jurar fidelidade. 5

6 Afonso I O novo rei português A subida ao trono Os nobres do Condado Portucalense estavam descontentes com o sucedido, pois queriam a independência do Condado. Decidem, então, apoiar D. Afonso Henriques, filho de D. Teresa. Em 1125, o jovem Afonso Henriques arma-se a si próprio cavaleiro segundo o costume dos reis tornando-se assim guerreiro independente. A 24 de Junho de 1128, trava-se a Batalha de São Mamede (Guimarães) entre D. Afonso Henriques e os seus partidários, e as tropas de sua mãe, D. Teresa e do Conde Fernão Peres de Trava, que se tentava apoderar do governo do Condado Portucalense. Estes últimos são vencidos no Campo de São Mamede, perto de Guimarães e D. Afonso Henriques passa a governar o Condado Portucalense. Existem rumores não confirmados que D. Teresa tenha sido aprisionada no Castelo de Lanhoso. Acção de D. Afonso Henriques para conquistar a independência do Condado Portucalense Teve de combater contra os Mouros: em 1139, na Batalha de Ourique, D. Afonso Henriques vence os Mouros. Esta foi a primeira grande vitória militar de D. Afonso Henriques, que assim se autoproclamou Rei de Portugal. Teve de combater contra o seu primo, D. Afonso VII, Rei de Leão e Castela. Fez-se assim, em 1143 o Tratado de Zamora, assinado entre estes dois reis. Neste tratado, D. Afonso VII reconhece que o Condado Portucalense passa a ser Independente, e que D. Afonso Henriques passa a ser o rei desse Reino então criado. 6

7 Após este tratado, D. Afonso Henriques dirigiu uma acção militar para a conquista de terras aos muçulmanos: conquistou Santarém e Lisboa (1147); Sintra, Palmela, Alcácer do Sal, Évora e Beja (1159). Por fim teve de se colocar sob vassalagem de Santa Fé: em 1179, através da Bula Manifestis Probatum, o Papa Alexandre III concede o título de rei a D. Afonso Henriques e reconhece Portugal como um Reino. Portugal era finalmente um Reino independente. A descendência de D. Afonso Henriques No final da carreira militar de D. Afonso Henriques, dedicou-se à administração dos territórios com a co-regência do seu filho D. Sancho. Procurou fixar a população, promoveu o municipalismo e concedeu forais. D. Sancho ( ), filho de D. Afonso Henriques, tornou-se sucessor de D. Afonso Henriques quando este morreu. D. Sancho I tornou-se assim, em 1185, o segundo rei de Portugal. 7

8 Bibliografia (s.d.). Obtido em 4 de Dezembro de 2008, de Afonso I de Portugal. (s.d.). Obtido em 15 de Novembro de 2008, de Web site de Wikipedia: Condado Portucalense. (s.d.). Obtido em 30 de Novembro de 2008, de Web site de Wikipedia: Mattoso, J. (2006). D. Afonso Henriques. Rio de Mouro: Círculo de Leitores. Tratado de Zamora. (s.d.). Obtido em 15 de Novembro de 2008, de Web site de Wikipedia: Apontamentos das aulas de História de 7º Ano, do Ano Lectivo

DE HENRIQUE DE BORGONHA A DOM AFONSO HENRIQUES NASCIMENTO DE UM NOVO REINO

DE HENRIQUE DE BORGONHA A DOM AFONSO HENRIQUES NASCIMENTO DE UM NOVO REINO DE HENRIQUE DE BORGONHA A DOM AFONSO HENRIQUES NASCIMENTO DE UM NOVO REINO Entre os séculos XI e XIII, durante um período histórico chamado de Reconquista, os Cristãos lutavam para reconquistar as terras

Leia mais

TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL

TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Agrupamento de Escolas de Arraiolos Escola EB 2,3/S Cunha Rivara de Arraiolos Ano Lectivo 2009/2010 HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5º C Teste de Avaliação nº 4 TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA

Leia mais

TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL

TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Agrupamento de Escolas de Arraiolos Escola EB 2,3/S Cunha Rivara de Arraiolos Ano Lectivo 2009/2010 HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5º C Teste de Avaliação nº 4 TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA

Leia mais

HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL

HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5.º ANO SEGUNDO CICLO DO ENSINO BÁSICO ANA FILIPA MESQUITA CLÁUDIA VILAS BOAS HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL DOMÍNIO A DOMÍNIO B A PENÍNSULA IBÉRICA: LOCALIZAÇÃO E QUADRO NATURAL A PENÍNSULA IBÉRICA:

Leia mais

TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL

TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Agrupamento de Escolas de Arraiolos Escola EB 2,3/S Cunha Rivara de Arraiolos Ano Lectivo 2009/2010 HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5º A Teste de Avaliação nº 4 TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA

Leia mais

TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL

TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Agrupamento de Escolas de Arraiolos Escola EB 2,3/S Cunha Rivara de Arraiolos Ano Lectivo 2009/2010 HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5º A Teste de Avaliação nº 4 TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA

Leia mais

1 Assinala com um X a afirmação verdadeira: Ao conjunto de 206 ossos do corpo humano ligados uns ao outros e nas suas corretas posições chamamos

1 Assinala com um X a afirmação verdadeira: Ao conjunto de 206 ossos do corpo humano ligados uns ao outros e nas suas corretas posições chamamos 4º ANO RUBRICA: NOME: ESCOLA: DATA: INFORMAÇÃO: 1 Assinala com um X a afirmação verdadeira: Ao conjunto de 206 ossos do corpo humano ligados uns ao outros e nas suas corretas posições chamamos cabeça.

Leia mais

O Passado de Caldas de Aregos. Vila Medieval Nos Alvores da Nacionalidade Portuguesa. Nas Épocas Moderna e Contemporânea VILA MEDIEVAL 1 / 9

O Passado de Caldas de Aregos. Vila Medieval Nos Alvores da Nacionalidade Portuguesa. Nas Épocas Moderna e Contemporânea VILA MEDIEVAL 1 / 9 Vila Medieval Nos Alvores da Nacionalidade Portuguesa Nas Épocas Moderna e Contemporânea VILA MEDIEVAL 1 / 9 Este lugar, situado à beirinha do Douro, na zona mais baixa do actual concelho de Resende, tem

Leia mais

Reis e Rainhas de Portugal. hmarques 1

Reis e Rainhas de Portugal. hmarques 1 Reis e Rainhas de Portugal hmarques 1 O que é uma dinastia? Dinastia é um conjunto de soberanos (ou reis) que pertencem a uma mesma família. hmarques 2 Quantas dinastias houve em Portugal? Em Portugal,

Leia mais

Prova Escrita de História e Geografia de Portugal

Prova Escrita de História e Geografia de Portugal PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de História e Geografia de Portugal 6º Ano de Escolaridade Prova 05 / 2.ª Fase 12 Páginas Duração da Prova: 90 minutos.

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2016/2017 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2016/2017 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2016/2017 PLANIFICAÇÃO ANUAL 2º CICLO HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5.º ANO Documento(s) Orientador(es): Programa de História e Geografia de Portugal

Leia mais

rei de Portugal, Primeira, Segunda, Terceira e Quarta Dinastias 4º ANO DE ESCOLARIDADE Professor Luzia Lagoa

rei de Portugal, Primeira, Segunda, Terceira e Quarta Dinastias 4º ANO DE ESCOLARIDADE Professor Luzia Lagoa Reis de Portugal Primeira, Segunda, Terceira e Quarta Dinastias 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO DE MOGADOURO 4º ANO DE ESCOLARIDADE Professor Luzia Lagoa Primeira Dinastia - de Borgonha ou Afonsina - 1.º Dom

Leia mais

PGA - Prova Global do Agrupamento

PGA - Prova Global do Agrupamento PGA - Prova Global do Agrupamento Direção de Serviços Região Algarve Agrupamento de Escolas Silves Sul Departamento de Ciências Sociais e Humanas Disciplina: História e Geografia de Portugal 5º Ano Prova

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA código 171608 Escola Básica D. Domingos Jardo MANUAL ADOPTADO: HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - HGP AUTORES: ANA OLIVEIRA/ FRANCISCO CANTANHEDE/ MARÍLIA GAGO

Leia mais

Planificação Anual. Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015

Planificação Anual. Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015 Planificação Anual Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015 UNIDADE DIDÁTICA: TEMA A: DOS PRIMEIROS POVOS À FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL.

Leia mais

Prova de Aferição de História e Geografia de Portugal Prova 57 5.º Ano de Escolaridade 2017

Prova de Aferição de História e Geografia de Portugal Prova 57 5.º Ano de Escolaridade 2017 A PREENCHER PELO ALUNO Nome completo Rubricas dos professores vigilantes Documento de identificação CC n.º Assinatura do aluno Prova de Aferição de História e Geografia de Portugal Prova 57 5.º Ano de

Leia mais

Os mitos da fundação

Os mitos da fundação Os mitos da fundação H enrique, sendo um dos filhos mais novos do duque Roberto de Borgonha, nobre francês da dinastia dos Capetos, sabe que, por via das rígidas regras sucessórias em vigor no século xii,

Leia mais

Plano Curricular de História e Geografia de Portugal - 2º Ciclo - 5º ano - Ano lectivo 2014/2015

Plano Curricular de História e Geografia de Portugal - 2º Ciclo - 5º ano - Ano lectivo 2014/2015 Plano Curricular de História e Geografia de Portugal - 2º Ciclo - 5º ano - Ano lectivo 2014/2015 Domínios Subdomínios-Objectivos Gerais Descritores Nº Aulas I. A Península Ibérica: Localização e quadro

Leia mais

Durante o reinado de Fernando I (1035-1063), os territórios cristãos já se estendiam até Coimbra e avançavam em direção ao sul

Durante o reinado de Fernando I (1035-1063), os territórios cristãos já se estendiam até Coimbra e avançavam em direção ao sul A DIVISÃO DO GALEGO-PORTUGUÊS EM PORTUGUÊS E GALEGO, DUAS LÍNGUAS COM A MESMA ORIGEM Nilsa Areán-García (USP) nilsa.arean@gmail.com / nilsa.garcia@usp.br RESUMO Na Alta Idade Média, de acordo com Silva

Leia mais

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O sistema feudal entra em crise com o advento das cidades e a expansão do comércio, somados a outros fatores. 1) Necessidade de moedas, crescimento das cidades

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Distribuição dos tempos letivos disponíveis para o 5 º ano de escolaridade 1º Período 2º Período 3º Período *Início:15-21 de setembro 2015 *Fim:17 dezembro 2015 *Início:4

Leia mais

Nome: Data: 1 A Península Ibérica. Observo e investigo

Nome: Data: 1 A Península Ibérica. Observo e investigo Nome: Data: Autor: SÉRGIO FERNANDES Publicado em: http://www.escolovar.org/ Observo e investigo 1 A Península Ibérica Portugal é a nossa pátria. Juntamente com a Espanha, forma a Península Ibérica. Há

Leia mais

TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL

TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Agrupamento de Escolas de Arraiolos Escola EB 2,3/S Cunha Rivara de Arraiolos Ano Lectivo 2009/2010 HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5º Ano Teste de Avaliação nº 5 TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA

Leia mais

843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno.

843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno. História 8A - Aula 22 As Monarquias Feudais 843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno. -Séculos IX e X sociedade francesa se feudalizou. -Poder real enfraqueceu. -Condes,

Leia mais

HISTORIA DE PORTUGAL

HISTORIA DE PORTUGAL A. H. DE OLIVEIRA MARQUES HISTORIA DE PORTUGAL Manual para uso de estudantes e outros curiosos de assuntos do passado pátrio EDITORIAL PRESENÇA ÍNDICE GERAL PREFACIO 11 INTRODUÇÃO AS RAÍZES DE UMA NAÇÃO

Leia mais

ESTADOS NACIONAIS SOBERANOS

ESTADOS NACIONAIS SOBERANOS ESTADOS NACIONAIS SOBERANOS e uma breve história de sua formação Material elaborado pelo prof. Nilton Aguilar DeCosta, da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal. Reprodução integral ou parcial

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL 2º CICLO HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5.º ANO Documento(s) Orientador(es): Programa de História e Geografia de Portugal

Leia mais

Carlos Jorge Martins Fertuzinhos. A Aprendizagem da História no 1º Ciclo do Ensino. Básico e o uso do Texto Prosa e da Banda Desenhada

Carlos Jorge Martins Fertuzinhos. A Aprendizagem da História no 1º Ciclo do Ensino. Básico e o uso do Texto Prosa e da Banda Desenhada arlos Jorge Martins Fertuzinhos A Aprendizagem da História no 1º iclo do Ensino Básico e o uso do Texto Prosa e da Banda Desenhada Um estudo com alunos do 4º ano de escolaridade Anexos Instituto de Educação

Leia mais

A formação dos Estados Nacionais M3_Unid.1. Profª Viviane Jordão

A formação dos Estados Nacionais M3_Unid.1. Profª Viviane Jordão A formação dos Estados Nacionais M3_Unid.1 Profª Viviane Jordão O que é Nação? Nação é um contrato político. Os integrantes de uma nação compartilham os mesmos direitos e uma mesma história. Ser brasileiro

Leia mais

BANDEIRA DA FUNDAÇÃO. D. Afonso Henriques. (1128-1185) Fundador de Portugal

BANDEIRA DA FUNDAÇÃO. D. Afonso Henriques. (1128-1185) Fundador de Portugal BANDEIRA DA FUNDAÇÃO D. Afonso Henriques (1128-1185) Fundador de Portugal ÍNDICE Origem de Portugal Península Ibérica 8 Primeiros habitantes da Península Ibérica (Iberos-Celtas)... 8 Lusitanos 9 Lusitânia

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5º ANO História e Geografia de Portugal

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5º ANO História e Geografia de Portugal PLANIFICAÇÃO ANUAL DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5º ANO História e Geografia de Portugal Tema 0 - Conhecer o Manual 2012/2013 Aulas previstas-5 1º Período Apresentação Material necessário para o

Leia mais

1. Portugal no século XIV tempo de crise

1. Portugal no século XIV tempo de crise 1. Portugal no século XIV tempo de crise A situação que se viveu em Portugal no século XIV foi de uma situação de crise, e foram vários os fatores que contribuíram para isso: Crise agrária os Invernos

Leia mais

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Conteúdos Ano Lectivo Período Lectivo Tema A-A península Ibérica: dos primeiros povos à formação

Leia mais

Luís Vaz de Camões. 1º Abs Joana Santos nº2486

Luís Vaz de Camões. 1º Abs Joana Santos nº2486 Luís Vaz de Camões 1º Abs Joana Santos nº2486 Ano lectivo: 2010/2011 Índice.. 2 Introdução...3 Vida de Luís de Camões.. 4 Obra. 5 Conclusão 6 Bibliografia..7 2 Neste trabalho irei falar sobre Luís Vaz

Leia mais

Moinho de Palmela. Entre em sintonia com o Ambiente e sinta o esplendor da Natureza

Moinho de Palmela. Entre em sintonia com o Ambiente e sinta o esplendor da Natureza Moinho de Palmela Entre em sintonia com o Ambiente e sinta o esplendor da Natureza Palmela foi desde a sua génese um território propício à fixação humana, como nos documentam os sucessivos testemunhos

Leia mais

Isabel Lencastre. Bastardos Reais. Os Filhos Ilegítimos dos Reis de Portugal

Isabel Lencastre. Bastardos Reais. Os Filhos Ilegítimos dos Reis de Portugal Isabel Lencastre Bastardos Reais Os Filhos Ilegítimos dos Reis de Portugal OS PRIMEIROS BASTARDOS REAIS Filho de uma bastarda real D. Teresa, que o rei Afonso VI de Castela e Leão houve de Ximena Nuñez

Leia mais

CENTRO CULTURAL DE BELÉM. PALESTRAS SOBRE HISTÓRIA DE PORTUGAL Janeiro Março de 2015. Segunda Parte Época Moderna

CENTRO CULTURAL DE BELÉM. PALESTRAS SOBRE HISTÓRIA DE PORTUGAL Janeiro Março de 2015. Segunda Parte Época Moderna CENTRO CULTURAL DE BELÉM PALESTRAS SOBRE HISTÓRIA DE PORTUGAL Janeiro Março de 2015 Segunda Parte Época Moderna Nuno Gonçalo Monteiro Instituto de Ciências Sociais Universidade de Lisboa Quarta Sessão

Leia mais

Prof. Alexandre Goicochea História

Prof. Alexandre Goicochea História FRANCO Merovíngia Carolíngio ISLÂMICO Maomé Xiitas (alcorão) e Sunitas (suna e alcorão) BIZÂNTINO Justiniano Igreja Santa Sofia Iconoclastia Monoticismo (Jesus Cristo só espírito) Corpus Juris Civilis

Leia mais

Aula 3 Concepções de poder e soberania: elementos da monarquia e da realeza em Portugal e Espanha

Aula 3 Concepções de poder e soberania: elementos da monarquia e da realeza em Portugal e Espanha Aula 3 Concepções de poder e soberania: elementos da monarquia e da realeza em Portugal e Espanha Formação dos Reinos da Península Ibérica Meados do Século XIII DATAS DA CONQUISTA IDENTIFICAM CIDADES Catedral

Leia mais

ATIVIDADES ESTRATÉGIAS

ATIVIDADES ESTRATÉGIAS ENSINO BÁSICO Agrupamento de Escolas Nº 1 de Abrantes ESCOLA BÁSICA DOS 2.º E 3.º CICLOS D. MIGUEL DE ALMEIDA DISCIPLINA: HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL ANO: 5º ANO 2013/2014 METAS DE APRENDIZAGEM: A

Leia mais

Anexo XIII. Monografia Histórica

Anexo XIII. Monografia Histórica Anexo XIII Monografia Histórica Texto monográfico Há muitos, muitos anos atrás, habitaram os primeiros povos na Península Ibérica que se chamavam Iberos. Vinham das margens do Rio Ebro. Mais tarde chegaram

Leia mais

Urbanização da Bela Vista, nº 12 A, Cód. Postal: Av. Joaquim Vieira Natividade, nº 13 A, Cód. Postal:

Urbanização da Bela Vista, nº 12 A, Cód. Postal: Av. Joaquim Vieira Natividade, nº 13 A, Cód. Postal: Albufeira Loja de Albufeira Urbanização da Bela Vista, nº 12 A, Cód. Postal: 8200-127 Alcobaça Alcobaça Av. Joaquim Vieira Natividade, nº 13 A, Cód. Postal: 2460-071 Algés Algés Av. Bombeiros Voluntários

Leia mais

REIS DE PORTUGAL MONARQUIA PORTUGUESA. Primeira Dinastia. D. Teresa de Aragão

REIS DE PORTUGAL MONARQUIA PORTUGUESA. Primeira Dinastia. D. Teresa de Aragão REIS DE PORTUGAL MONARQUIA PORTUGUESA Primeira Dinastia D. Teresa de Aragão Filha ilegítima de D. Afonso VI de Leão, Castela e Galiza, desconhece-se a sua data de nascimento, sabendo-se apenas que morreu

Leia mais

Protocolos firmados no âmbito das Autarquias: Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens

Protocolos firmados no âmbito das Autarquias: Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens 1 Abrantes Santarém 2 Águeda Aveiro 3 Albufeira Faro 4 Alcanena Santarém 5 Alcobaça Leiria 6 Alcoutim Faro 7 Alenquer Lisboa 8 Alfândega da Fé Bragança 9 Aljustrel Beja 10 Almada Setúbal 11 Almodôvar Beja

Leia mais

CHEGA-NOS DO OCIDENTE UM RUMOR TERRÍVEL: ROMA ATACADA! FOI CONQUISTADA ESTA CIDADE QUE UM DIA CONQUISTARA O MUNDO

CHEGA-NOS DO OCIDENTE UM RUMOR TERRÍVEL: ROMA ATACADA! FOI CONQUISTADA ESTA CIDADE QUE UM DIA CONQUISTARA O MUNDO CHEGA-NOS DO OCIDENTE UM RUMOR TERRÍVEL: ROMA ATACADA! FOI CONQUISTADA ESTA CIDADE QUE UM DIA CONQUISTARA O MUNDO Capítulo 22 OS REINOS BÁRBAROS E O REINO FRANCO BÁRBAROS OU POVOS GERMÂNICOS QUEM ERAM

Leia mais

ÍNDICE. Nas brumas da história, terá havido uma civilização notável no território português?... 21

ÍNDICE. Nas brumas da história, terá havido uma civilização notável no território português?... 21 AUTORES 13 PRÓLOGO 16 I PARTE - ANTES DA FUNDAÇÃO DE PORTUGAL 19 Nas brumas da história, terá havido uma civilização notável no território português?... 21 Endovélico - 0 mais importante centro sagrado

Leia mais

Os Primeiros Povos. A Península Ibérica é habitada há muitos milhares de anos.

Os Primeiros Povos. A Península Ibérica é habitada há muitos milhares de anos. Os Primeiros Povos A Península Ibérica é habitada há muitos milhares de anos. Os Povos que habitavam a Península Ibéria eram Nómadas, viviam da caça, da pesca e dos frutos silvestres. Com a descoberta

Leia mais

HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL

HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços da Região Centro PROJECTO CURRICULAR DE DISCIPLINA ANO LECTIVO 2015/2016 HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA SÉ GUARDA

Leia mais

AS BATALHAS QUE FIZERAM PORTUGAL

AS BATALHAS QUE FIZERAM PORTUGAL C APÍTULOS SUSANA LIMA AS BATALHAS QUE FIZERAM PORTUGAL 5 A S BATALHAS QUE FIZERAM PORTUGAL 4 C APÍTULOS ÍNDICE Introdução... 1. São Mamede A primeira tarde portuguesa... 2. Ourique Viva o Rei!... 3. Aljubarrota

Leia mais

EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ANO LETIVO 2011/2012 MATRIZ DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL

EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ANO LETIVO 2011/2012 MATRIZ DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL MATRIZ DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 1. Introdução Os exames de equivalência à frequência incidem sobre a aprendizagem definida para o final do 2.º ciclos do ensino básico, de acordo

Leia mais

1ª Dinastia Afonsina ou Borgonha

1ª Dinastia Afonsina ou Borgonha CRONOLOGIA - REIS DE PORTUGAL O seguinte quadro pretende resumir as quatro dinastias portuguesas bem como indicar algumas informações de acontecimentos importantes ocorridos em cada reinado. 1ª Dinastia

Leia mais

António Carlos Martins Costa. 01/04/ /03/2015 Estagiário na área do Património Associação Portuguesa dos Amigos dos Castelos, Lisboa (Portugal)

António Carlos Martins Costa. 01/04/ /03/2015 Estagiário na área do Património Associação Portuguesa dos Amigos dos Castelos, Lisboa (Portugal) CURRICULUM VITAE ANTÓNIO CARLOS MARTINS COSTA INVESTIGADOR DO CENTRO DE HISTÓRIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA INFORMAÇÃO PESSOAL António Carlos Martins Costa Rua General da Silva Freire, nº 31 B, R/C Esqº,

Leia mais

Rede Oferta de Adultos NUT III

Rede Oferta de Adultos NUT III Rede Oferta de Adultos 2016-2017 - NUT III Ações de Formação de Português para Falantes de Outras Línguas - Atualizada 2016.08.26 PFOL Alentejo Évora Évora Agrupamento de Escolas n.º 2 de Évora 2 2 Alentejo

Leia mais

e meu reino siga : a leitura digital do

e meu reino siga : a leitura digital do II SEMINÁRIO INTERNACIONAL «HISTÓRIA E LÍNGUA: INTERFACES» e meu reino siga : a leitura digital do testamento de Afonso II Dália Guerreiro UÉ / CIDEHUS http://purl.pt/13800 Universidade de Évora 2014 Bolsa

Leia mais

A OCUPAÇÃO MUÇULMANA DA PENÍNSULA IBÉRICA

A OCUPAÇÃO MUÇULMANA DA PENÍNSULA IBÉRICA A OCUPAÇÃO MUÇULMANA DA PENÍNSULA IBÉRICA SUMÁRIO 0 - INTRODUÇÃO 1 A INVASÃO MUÇULMANA 1.1 - A península governada por muçulmanos 2 O DOMÍNIO MUÇULMANO 2.1 Os Califas 2.2 As Taifas 2.3 Os Almorávidas 3

Leia mais

Formação das monarquias nacionais: França e Inglaterra

Formação das monarquias nacionais: França e Inglaterra Bimestre 2 Formação das monarquias nacionais: França e Inglaterra 1 A formação das monarquias europeias Aulas 28 e 29 2 A trajetória da monarquia francesa 3 A Guerra dos Cem Anos 4 A trajetória da monarquia

Leia mais

TRADUÇÃO DO FORAL DO CONDE D. HENRIQUE

TRADUÇÃO DO FORAL DO CONDE D. HENRIQUE Foral de Guimarães Tradução Aires Augusto do Nascimento Revista de Guimarães, n.º 106, 1996, pp. 35-41 TRADUÇÃO DO FORAL DO CONDE D. HENRIQUE Observação preliminar: A tradução do foral de Guimarães pretende

Leia mais

Departamento de Ciências Sociais e Humanas PLANIFICAÇÃO ANUAL DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5º ano PCA

Departamento de Ciências Sociais e Humanas PLANIFICAÇÃO ANUAL DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5º ano PCA Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Departamento de Ciências Sociais e Humanas PLANIFICAÇÃO ANUAL DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA

Leia mais

Avanço manual. Património português classificado pela UNESCO como Património da Humanidade

Avanço manual. Património português classificado pela UNESCO como Património da Humanidade Avanço manual Património português classificado pela UNESCO como Património da Humanidade Centro histórico de Évora A catedral Ala do claustro da catedral O zimbório O templo de Diana A Igreja da Graça

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 294/IX ELEVAÇÃO DA POVOAÇÃO DE SANTO ESTEVÃO, NO CONCELHO DE CHAVES, À CATEGORIA DE VILA. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º 294/IX ELEVAÇÃO DA POVOAÇÃO DE SANTO ESTEVÃO, NO CONCELHO DE CHAVES, À CATEGORIA DE VILA. Exposição de motivos PROJECTO DE LEI N.º 294/IX ELEVAÇÃO DA POVOAÇÃO DE SANTO ESTEVÃO, NO CONCELHO DE CHAVES, À CATEGORIA DE VILA Exposição de motivos 1 - Contributos históricos A aldeia de Santo Estêvão foi outrora vila medieval

Leia mais

Ficha de Avaliação Trimestral

Ficha de Avaliação Trimestral icha de Avaliação Trimestral (dezembro) ESTUDO DO MEIO Nome Data 11.dez.2013 Classificação O Professor Enc. de Educação 1. Identifica o animal a que pertence o esqueleto. O esqueleto pertence ao pato.

Leia mais

LEONOR TELES (1350M410?)

LEONOR TELES (1350M410?) Sumário PARTE O EXÓRDIO 15 Introdução 17 Fernão Lopes, a verdade e a história 21 Preâmbulo 27 A linhagem de Leonor Teles 30 A família direta 32 A linhagem de Leonor Teles no seio da nobreza medieval e

Leia mais

Sobre a Cultura Ibérica

Sobre a Cultura Ibérica Sobre a Cultura Ibérica Joaquina Pires-O Brien O livre comércio universal sem dúvida seria economicamente benéfico à humanidade, se não fosse pela suspeita e animosidade que as nações sentem umas pelas

Leia mais

História das bandeiras de Portugal

História das bandeiras de Portugal 1 de 7 História das bandeiras de Portugal Desde o tempo de D. Henrique. pai de D. Afonso Henríques que hove bandeiras que simbolizaram o reino. Depois da implantação da República a bandeira tomou um significado

Leia mais

ROTA DE APRENDIZAGEM História e Geografia de Portugal - 5º Ano

ROTA DE APRENDIZAGEM História e Geografia de Portugal - 5º Ano ROTA DE APRENDIZAGEM 2016-17 História e Geografia de Portugal - 5º Ano DOMÍNIO A - A PENÍNSULA IBÉRICA: LOCALIZAÇÃO E QUADRO NATURAL Subdomínio A1- A Península Ibérica Localização Meta 1 Conhecer e utilizar

Leia mais

DOCUMENTOS DE D. DINIS ( ) CATÁLOGO

DOCUMENTOS DE D. DINIS ( ) CATÁLOGO DOCUMENTOS DE D. DINIS (1279-1325) CATÁLOGO Sumário elaborados por Miguel Gomes Martins Design Joana Pinheiro Arquivo Municipal de Lisboa 2009 1 1281, Maio, 19, Castelo de Vide D. Dinis determina que os

Leia mais

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM A Formação Específica

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM A Formação Específica IMUNOHEMOTERAPIA Centro Hospitalar de Lisboa Norte (Santa Maria, E.P.E. e Pulido Valente, E.P.E.) Normal 1 IMUNOHEMOTERAPIA Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio, E.P.E. Hospital Prof. Dr. Fernando

Leia mais

Base de Dados das Empresas Novas Portugal

Base de Dados das Empresas Novas Portugal Base de Dados de Portugal É a Base de Dados das empresas e entidades Portuguesas mais completa e mais utilizada por profissionais em Portugal. Campos: NIF, Entidade, Morada, Localidade, Código postal,

Leia mais

Aprimoramento 3. parte 2. Prof. Osvaldo

Aprimoramento 3. parte 2. Prof. Osvaldo Aprimoramento 3 parte 2 Prof. Osvaldo 03. (UFPR) Leia os seguintes excertos da Magna Carta inglesa de 1215. 12 Nenhum imposto ou pedido será estabelecido no nosso reino sem o consenso geral. [...] que

Leia mais

Estatuto Jurídico dos Judeus e Mouros na Idade Média Portuguesa

Estatuto Jurídico dos Judeus e Mouros na Idade Média Portuguesa A/490020 JOAQUIM DE ASSUNÇÃO FERREIRA Estatuto Jurídico dos Judeus e Mouros na Idade Média Portuguesa (Luzes e Sombras, na convivência entre as três religiões) UNIVERSIDADE CATÓLICA EDITORA LISBOA 2006

Leia mais

H14 - A FORMAÇÃO DO FEUDALISMO

H14 - A FORMAÇÃO DO FEUDALISMO H14 - A FORMAÇÃO DO FEUDALISMO Desagregação do Império Romano do Ocidente Povos germânicos habitavam da região além do Rio Reno até o sul da Escandinávia hábitos seminômades viviam do pastoreio e agricultura

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS BARREIRO

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS BARREIRO ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS BARREIRO Teste sumativo de História A º Ano Turma C Professor: Renato Albuquerque Duração da prova: 90 minutos. Tolerância: minutos 4 páginas (9).março.2012 Este teste é

Leia mais

Curso de História. Prof. Fabio Pablo. efabiopablo.wordpress.com

Curso de História. Prof. Fabio Pablo. efabiopablo.wordpress.com Conteúdo Multimídia A Dinastia Merovíngia A Dinastia Carolíngia Recomendo! #A DINASTIA MEROVÍNGIA Entre os diferentes povos responsáveis pela invasão do Império Romano do Ocidente, os francos destacam-se

Leia mais

FEUDALISMO P R O F E S S O R R O D R I G O AL C A N T A R A G AS P A R

FEUDALISMO P R O F E S S O R R O D R I G O AL C A N T A R A G AS P A R FEUDALISMO P R O F E S S O R R O D R I G O AL C A N T A R A G AS P A R FEUDALISMO Este curso têm por objetivo trazer noções básicos sobre o Feudalismo. De forma que para maiores detalhes e aprofundamento

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CUBA Escola Básica Integrada c/ Jardim de Infância Fialho de Almeida, Cuba Ano Lectivo 2007/2008

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CUBA Escola Básica Integrada c/ Jardim de Infância Fialho de Almeida, Cuba Ano Lectivo 2007/2008 Planificação Anual da Área Curricular de História e Geografia de Portugal 5º Ano 1. Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar situações e problemas

Leia mais

Institutions Index. State-run Higher Education- Universities. Name of Institutions

Institutions Index. State-run Higher Education- Universities. Name of Institutions Institutions Index Code Name of Institutions State-run Higher Education- Universities 6800 Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa Universidade dos Açores 0110 Universidade dos Açores -

Leia mais

Protocolo. Data de. Entidade. Definição de articulação técnica DGSP

Protocolo. Data de. Entidade. Definição de articulação técnica DGSP s Entidade Data de DGSP 01.06.1984 Instituto de Apoio à Emigração e Comunidades Portuguesas 01.08.1993 Fundação para o Desenvolvimento das Tecnologias da Educação 14.02.2004 Ministério da Ciência e Tecnologia

Leia mais

Capítulo 05 * Portugal na Baixa Idade Média * A expansão comercial e marítima europeia * O período Pré-Colonial. Profª Maria Auxiliadora 1º Ano

Capítulo 05 * Portugal na Baixa Idade Média * A expansão comercial e marítima europeia * O período Pré-Colonial. Profª Maria Auxiliadora 1º Ano Capítulo 05 * Portugal na Baixa Idade Média * A expansão comercial e marítima europeia * O período Pré-Colonial Profª Maria Auxiliadora 1º Ano As Monarquias Ibéricas (Portugal / Espanha) REVOLUÇÃO

Leia mais

O que foram as Cruzadas? Prof. Tácius Fernandes

O que foram as Cruzadas? Prof. Tácius Fernandes O que foram as Cruzadas? Prof. Tácius Fernandes Compreendendo as Cruzadas a partir de imagens Mapa da Primeira Cruzada Pintura sobre a sétima Cruzada. Data: século 13. Autor desconhecido. Imagem retirada

Leia mais

15. Europa Ocidental: das migrações ao mundo Carolíngio. Páginas 30 à 43.

15. Europa Ocidental: das migrações ao mundo Carolíngio. Páginas 30 à 43. 15. Europa Ocidental: das migrações ao mundo Carolíngio Páginas 30 à 43. Recordando... Marcando o tempo... IDADE MÉDIA Das invasões bárbaras e da destruição do Império Romano do Ocidente (por volta do

Leia mais

Nova Rede de Urgências

Nova Rede de Urgências Nova Rede de Urgências Objectivos Reunião da Comissão Técnica com a Comunicação Social O processo de definição da Rede de Urgências A Comissão Técnica de Apoio ao Processo de Requalificação das Urgências

Leia mais

FORMAÇÃO DOS ESTADOS NACIONAIS

FORMAÇÃO DOS ESTADOS NACIONAIS FORMAÇÃO DOS ESTADOS NACIONAIS Os Estados Nacionais Os Estados Nacionais surgiram da unificação dos feudos em uma determinada região. Suas características são: 1 Poder centralizado nas mãos do rei (executivo,

Leia mais

REIS DE PORTUGAL. Maria Beatriz Silva Sara Marinho

REIS DE PORTUGAL. Maria Beatriz Silva Sara Marinho REIS DE PORTUGAL Maria Beatriz Silva Sara Marinho Índice 1ª Dinastia... 1 D. João de Portugal... 1 Henrique de Borgonha, conde de Portucale... 2 Dinis I de Portugal... 2 2ª Dinastia... 3 Sebastião de Portugal...

Leia mais

EXTERNATO DA LUZ ANO LECTIVO DE 2010 / 2011

EXTERNATO DA LUZ ANO LECTIVO DE 2010 / 2011 SUBTEMA 1: A PENÍNSULA IBÉRICA AMBIENTE NATURAL E PRIMEIROS POVOS Características Naturais da Península Ibérica O Relevo e os Rios 1. Quais as principais penínsulas da Europa? 2. Em relação ao continente

Leia mais

1. A multiplicidade de poderes

1. A multiplicidade de poderes 1. A multiplicidade de poderes Europa dividida - senhorios (terras de um senhor) - poder sobre a terra e os homens - propriedade (lati)fundiária - por vezes, descontinuada - aldeias, bosques, igrejas -

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DA MAGISTRATURA Projecto do Movimento Judicial de Relação

CONSELHO SUPERIOR DA MAGISTRATURA Projecto do Movimento Judicial de Relação 1280 - Alberto Augusto Vicente Ruço Tribunal da Relação do Porto Promoção e colocação 323 Tribunal da Relação de Coimbra > Lugar de Efectivo 1281 - Ana Luísa Teixeira Neves Bacelar Cruz Tribunal da Relação

Leia mais

Transforma os anos em séculos.

Transforma os anos em séculos. Transforma os anos em séculos. 1 Indica um ano que pertença a cada um dos seguintes séculos: 2 Indica os séculos dos a que correspondem os seguintes anos: 3 Ordena, cronologicamente, os acontecimentos,

Leia mais

ÍNDICE D. AFONSO HENRIQUES - OS MISTÉRIOS E A LÓGICA

ÍNDICE D. AFONSO HENRIQUES - OS MISTÉRIOS E A LÓGICA D. AFONSO HENRIQUES - OS MISTÉRIOS E A LÓGICA ÍNDICE Introdução Geral 7 A - Fundação da Europa 8 B - Estratégias de Defesa 9 C - Portugal, um Projecto europeu cristão 9 D - Pátria, Mito e Sacralização

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRA EB DE MIRA PLANIFICAÇÂO ANUAL DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - 5º ANO. Ano letivo 2013/2014

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRA EB DE MIRA PLANIFICAÇÂO ANUAL DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - 5º ANO. Ano letivo 2013/2014 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRA EB DE MIRA PLANIFICAÇÂO ANUAL DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - 5º ANO Ano letivo 2013/2014 Manual de História e Geografia de Portugal do 5º Ano : «Saber

Leia mais

«Aqui nasce Portugal!»

«Aqui nasce Portugal!» «Aqui nasce Portugal!» A formação dos reinos cristãos no processo da Reconquista: do Condado Portucalense ao Reino de Portugal. A ação do D. Afonso Henriques no processo de Reconquista e de Independência

Leia mais

Aula 7 A RECONQUISTA CRISTÃ DA PENÍNSULA E A CONSTITUIÇÃO DO REINO PORTUGUÊS. Antônio Ponciano Bezerra

Aula 7 A RECONQUISTA CRISTÃ DA PENÍNSULA E A CONSTITUIÇÃO DO REINO PORTUGUÊS. Antônio Ponciano Bezerra Aula 7 A RECONQUISTA CRISTÃ DA PENÍNSULA E A CONSTITUIÇÃO DO REINO PORTUGUÊS META Mostrar os movimentos de expulsão dos invasores e a conseqüência disso para o reino português. OBJETIVOS Ao fi nal desta

Leia mais

Descrição da situação

Descrição da situação Situação 3 - A Árvore Genealógica Atitude do Mestre de Jogo: Interactivo Conteúdos da situação: Imaginário; Acção Categorias: Pedagógico; Aventura Tarefa apela para: Cultura Geral; noções de genealogia;

Leia mais

TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA

TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA Agrupamento de Escolas de Fronteira Escola Básica Integrada Frei Manuel Cardoso Ano Lectivo 2010/2011 HISTÓRIA 7º ano Teste de Avaliação nº 4 TESTE DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA Nome: Turma: 7º B Nº: Avaliação:

Leia mais

Origens Medievais do Estado Moderno e seus Teóricos

Origens Medievais do Estado Moderno e seus Teóricos Origens Medievais do Estado Moderno e seus Teóricos Deus faz o rei, o Rei faz a lei Prof. Alan Carlos Ghedini A Crise do Sistema Feudal Na Baixa Idade Média o feudalismo entra em sua mais séria crise.

Leia mais

Índice de estabelecimentos Ensino Superior Público - Universitário 6800 Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa

Índice de estabelecimentos Ensino Superior Público - Universitário 6800 Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa Índice de estabelecimentos Ensino Superior Público - Universitário 6800 Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa Universidade dos Açores 0110 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo

Leia mais

A expansão portuguesa do século XV

A expansão portuguesa do século XV A expansão do século XV O gigante Adamastor Águas ferventes e terra plana Motivações da expansão O Motivações sociais: O Clero: expandir a fé cristã entre outros povos O Nobreza: obter recompensas

Leia mais

RANKING DAS ESCOLAS: 2014/2015

RANKING DAS ESCOLAS: 2014/2015 Renascença rr.sapo.pt RANKING DAS ESCOLAS: 2014/2015 O ranking elaborado pela Renascença tem por base dados divulgados pelo Ministério da Educação e tratados pelo jornal Público. Para o ensino básico foram

Leia mais

O Foral e a Organização Municipal Torriense

O Foral e a Organização Municipal Torriense O Foral e a Organização Municipal Torriense Foral Medieval de Torres Vedras, 1250 In O Foral Medieval da vila de Torres Vedras: 15 de Agosto de 1250. VICENTE, António Balcão, [et al.] - O foral medieval

Leia mais

INATEL TURISMO PARA TODOS 267 A PREÇOS ECONÓMICOS

INATEL TURISMO PARA TODOS 267 A PREÇOS ECONÓMICOS www.inatel.pt FUNDAÇÃO INATEL TURISMO PARA TODOS PORTUGAL 2013 Desde 267 INCLUI: TRANSPORTE TERRESTRE + 5 NOITES ALOJAMENTO, REFEIÇÕES, PASSEIOS, ANIMAÇÃO E SEGURO. Descubra o que Portugal tem de melhor

Leia mais