Convocatória para Apresentação de Propostas de Projeto para o Programa ASA Kommunal 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Convocatória para Apresentação de Propostas de Projeto para o Programa ASA Kommunal 2015"

Transcrição

1 Convocatória para Apresentação de Propostas de Projeto para o Programa ASA Kommunal 2015 Prezadas Senhoras, prezados Senhores, Por meio desta lançamos o convite de submeter sua proposta de projeto para o Programa ASA Kommunal 2015 até o dia 15 de julho de Conheça os objetivos do Programa ASA Kommunal Em cooperação com o Centro de Serviços para os Municípios em Um Só Mundo (SKEW), o Programa ASA iniciou, em 2013, o ASA Kommunal, um programa de cooperação entre municípios (kommunal, em português, significa municipal). O novo programa explora as sinergias existentes entre o Programa ASA, de aprendizagem e qualificação na área da política de desenvolvimento, e o SKEW, centro de competência na área da cooperação municipal para desenvolvimento: o programa é um instrumento de apoio - temático e de recursos humanos - à cooperação externa dos municípios e vem ampliando o leque de atividades por meio de projetos e oportunidades de engajamento no contexto da cooperação municipal para o desenvolvimento. Por meio de sua participação do ASA Kommunal, os municípios podem aprofundar as relações com seus parceiros, contam com apoio para projetos de cooperação para o desenvolvimento e conquistam multiplicadores jovens que assumem um compromisso municipal. Nos projetos do ASA Kommunal, com duração de três ou seis meses, os participantes têm a oportunidade de (a) aprofundar o conhecimento e a compreensão das interdependências globais e dos principais assuntos da cooperação municipal para o desenvolvimento; (b) adquirir capacidades transformadoras no contexto internacional; e (c) apoiar, ao mesmo tempo, os municípios parceiros, no âmbito de um projeto concreto, por meio de sua contribuição qualificada para os objetivos da parceria. Após sua volta do projeto no exterior, os participantes, na Alemanha, dão seguimento ao compromisso com o desenvolvimento global sustentável e realizam uma atividade de Aprendizagem Global no município alemão. Conheça os programas envolvidos no ASA Kommunal Em janeiro de 2012, o Programa ASA foi integrado na organização ENGAGEMENT GLOBAL da qual também faz parte o SKEW. Ele é um programa de aprendizagem e qualificação na área da política de desenvolvimento. Seu objetivo consiste em capacitar jovens talentos dispostos a assumir um compromisso com o desenvolvimento global sustentável. No programa, estes multiplicadores aprendem a lidar com questões de dimensão global. O Ciclo de Aprendizagem ASA é a atividade central do programa: a cada ano, aprox. 250 bolsistas frequentam cursos de qualificação intercalados com um período prático, ou seja, um estágio no exterior. Para informações adicionais sobre o Programa ASA, em alemão, francês, inglês e espanhol, consulte o site O SKEW é o centro de competência na Alemanha para as políticas municipais em prol do desenvolvimento. O SKEW dá enfoque aos temas decisivos para o futuro das parcerias municipais, como: migração e desenvolvimento na esfera local, comércio justo e regimes justos de compras governamentais. O SKEW apoia atores municipais nas suas atividades de cooperação para o desenvolvimento por meio de medidas de qualificação, articulação, informação e consultoria e oferece fomento objetivo às relações internacionais dos

2 municípios por meio de recursos financeiros e humanos. O Programa ASA Kommunal é um dos novos instrumentos destinados a apoiar as parcerias com recursos humanos e aportes temáticos. Para informações adicionais sobre o SKEW em português, consulte o site Como funciona o Programa ASA Kommunal? O Programa ASA Kommunal oferece apoio a dois tipos de projetos: Programa Básico No Programa Básico, dois participantes da Alemanha trabalham durante três meses no município parceiro na África, Ásia, América Latina ou no Sudeste europeu. Os participantes frequentam cursos de preparação e avaliação do Programa ASA nos quais, ao longo de vários dias, estudam as relações globais e a metodologia de formação na área da política de desenvolvimento. Antes de sua viagem ao município parceiro, eles se familiarizam com os processos de trabalho do município alemão. Após sua volta, eles realizam uma atividade de Aprendizagem Global no município alemão. Programa Norte-Sul Os projetos Norte-Sul são uma extensão dos projetos do Programa Básico. Dois participantes da Alemanha (participantes do Norte) e outros dois dos município parceiro (participantes do Sul) atuam em equipe: após um período conjunto de três meses na Alemanha, cooperam ao longo de outros três no município parceiro. O objetivo consiste em proporcionar um diálogo entre parceiros, nos dois sentidos, e em promover um diálogo Sul-Norte em pé de igualdade para debater soluções e demandas de desenvolvimento que existem tanto no Norte como no Sul. Juntamente com os participantes do Norte, os participantes do Sul participam dos cursos do Programa Asa nos meses de abril e junho. Os cursos apoiam as equipes Sul-Norte no seu processo de aprendizagem conjunta. Após sua volta à Alemanha, os participantes do Norte realizam uma atividade de Aprendizagem Global no município alemão. Para a etapa realizada na Alemanha, as entidades na Alemanha, responsáveis pela organização e execução do projeto nos municípios, arcam com um montante de 2.000,00 euros por participante do Sul. Tendo em vista tratar-se de duplas, seu custo com um projeto Sul-Norte costuma montar a 4.000,00 euros. 1. Saiba quem propõe e quem executa os projetos do Programa ASA Kommunal Propostas podem ser submetidas por municípios do Norte e do Sul que mantêm uma relação de parceria. As medidas do Programa ASA Kommunal são implantadas no contexto de um projeto conjunto que é executado pelos dois municípios no âmbito de sua parceria. Os projetos podem ser implantados pela própria administração municipal ou delegados a ONGs, entidades ou organizações locais. Em todos os casos, o monitoramento e recebimento dos resultados do projeto são prerrogativa do município que submeteu a proposta.

3 2. Saiba que países podem apresentar propostas de projeto no âmbito do Programa ASA Kommunal A princípio, municípios de todos os países CAD podem submeter suas propostas, com as seguintes exceções: o Ministério de Relações Exteriores da Alemanha publica uma lista de alertas a viajantes. Para evitar que os participantes jovens fiquem expostos a riscos, os países incluídos nesta lista não podem submeter projetos ao Programa ASA. Para consultar a lista atualizada dos países em questão, cf. o site do Ministério de Relações Exteriores da Alemanha. Em certos casos, o alerta diz respeito a determinadas regiões de um país. Além disto, o Programa ASA observa as restrições de segurança aplicáveis aos destacamentos do programa de estagiários weltwärts. Assim sendo, infelizmente não aceitamos propostas provenientes de países ou regiões avaliados como impróprios para destacamentos no âmbito do programa weltwärts. Para consultar a relação atualizada destes países, consulte 3. Conheça os temas dos projetos no âmbito da política de desenvolvimento Como enfoques temáticos, podem ser escolhidos todas as tarefas municipais relacionadas com os serviços públicos básicos e a boa governança local. Além disto, estamos abertos a avaliar enfoques inovadores, nomeadamente aqueles conjugados com o "comércio justo" e o assunto "migração e desenvolvimento". Nas propostas submetidas ao Programa Sul-Norte, concernentes às etapas práticas do projeto na Alemanha (abril a junho de 2015) e no município parceiro (entre o início de julho e dezembro de 2015), é preciso definir um enfoque temático que tenha relevância para ambos os municípios. 4. Saiba quais são as tarefas que os participantes do Programa ASA Kommunal podem exercer nos projetos Os participantes do Programa ASA estão motivados e capazes de apoiar um projeto durante três meses e de exercer tarefas qualificadas: podem ser incumbidos de projetos de pesquisa ou análises; do desenvolvimento, planejamento e organização de medidas; do apoio a projetos em andamento; etc. Não obstante, convém ter em mente que os participantes se encontram em uma fase de aprendizagem, que ainda não são especialistas e que não possuem experiência internacional de longa data. Os participantes do Programa Básico realizam seus projetos em duplas. No Programa Sul- Norte, os participantes dos municípios da Alemanha e do Sul Global cooperam, nas duas etapas do projeto, em equipes formadas por quatro pessoas. As tarefas a realizar em ambas as etapas do Programa Sul-Norte devem proporcionar a cooperação em equipe e a aprendizagem mútua, evitando, com isto, uma transferência unilateral de experiências do Norte para o Sul. Quando da definição das tarefas para a etapa do projeto na Alemanha, convém ter em mente que os participantes do Sul normalmente não dominam a língua alemã. No Programa Básico e no Programa Sul-Norte, os participantes devem contar com pessoas responsáveis (mentores) que se incumbem do acompanhamento técnico e organizacional (preparação temática e logística, pedido de visto, alojamento, introdução à realidade local, etc.). 5. Conheça o propósito da atividade de Aprendizagem Global Por meio da atividade de Aprendizagem Global, os participantes partilham e socializam as experiências adquiridas no estágio e nos cursos do Programa Asa: o objetivo consiste em sensibilizar a sociedade alemã de questões de dimensão global e de assuntos relacionados com a política de desenvolvimento, de mostrar e explicar as interdependências globais em que vivemos e indicar caminhos rumo a uma atuação responsável. A forma e o contexto da atividade ficam a critério dos participantes (peça de teatro de rua no calçadão para divulgar o comércio justo, atos públicos sobre parcerias entre cidades / parcerias para o clima,

4 jornadas de projetos em escolas, palestras, exposições, etc.). Cabe ao município alemão apoiar os participantes no desenvolvimento das propostas de atividades de Aprendizagem Global e apoiar sua realização. Após sua estadia no projeto, os participantes podem frequentar a "Kommunalwerkstatt", um curso de qualificação o Programa ASA. Nesta "Oficina Municipal", eles conhecem metodologias para realizar suas atividades de Aprendizagem Global nos municípios alemães e são preparados para seu compromisso futuro com a cooperação municipal para o desenvolvimento. 6. Saiba quem são os participantes do Programa ASA que vêm da Alemanha Processo de recrutamento, seleção e preparação O grupo-alvo do Programa ASA são jovens na faixa etária de 21 a 30 anos, residentes e domiciliados na Alemanha, que estejam frequentando um curso de ensino superior ou tenham completado um curso profissionalizante. O Programa ASA recruta candidatos das mais diversas profissões e cursos superiores que estão motivados a assumir um compromisso com seu município. Preferência será dada a munícipes do município que submete a proposta ou que possuem uma relação forte com este. Os participantes que não apresentam este elo, devem ter conhecimento suficiente dos processos de trabalho do município alemão. Este conhecimento pode ser adquirido por meio de estágios curtos no município. Os municípios têm o direito de propor candidatos. Os candidatos passam pelo processo de candidatura e triagem do Programa ASA com seleção posterior pelas entidades ASA e SKEW. Os critérios de seleção são a aptidão técnica (qualificação técnico-profissional e domínio de idiomas relevantes) e, além disto, a motivação de agir, no futuro, como multiplicador na área da formação em política do desenvolvimento. Antes de sua viagem ao país anfitrião, os participantes frequentam cursos de preparação: desenvolvem expectativas realistas quanto à sua atuação no projeto, conhecem as metodologias e adquirem as competências necessárias para sua estadia no projeto e sua futura atuação como multiplicadores. 7. Saiba como os participantes do município parceiro do Sul Global (participantes do Sul) são recrutados, selecionados e preparados para o Programa Sul-Norte Os participantes do Sul são recrutados e selecionados pelo município parceiro; a seleção é ratificada pelo ASA e pelo SKEW. Os participantes do Sul devem ser estudantes de ensino superior ou profissionais jovens, na faixa etária de 21 a 35 anos, que vivem no município parceiro. Os participantes do município parceiro são selecionados conforme sua qualificação técnica (habilidades técnico-profissionais, domínio de idiomas e a motivação de adquirir conhecimentos básicos da língua alemã). Além disto, são consideradas sua motivação e possibilidade de participar das duas etapas do projeto, na Alemanha e no país de origem. Cabe aos participantes do Sul solicitar um visto de 90 dias com a devida antecedência (não é possível permanecer por mais de 90 dias na Alemanha). Juntamente com os participantes do Norte, os participantes do Sul frequentam os cursos de treinamento do Programa ASA, nos meses de abril e junho, destinados a acompanhar a aprendizagem conjunta e a fomentar o trabalho em equipe. 8. Qual é o apoio financeiro dado aos participantes do Programa ASA? Saiba quais são os custos adicionais para os promotores e executores dos projetos e os participantes do Programa ASA Para os três meses no exterior, os participantes da Alemanha recebem um subsídio único de, em média, 2.000,00 euros destinado a cobrir parte de suas despesas de viagem e estadia. Além disto, o Programa ASA providencia seguro-saúde, seguros de acidentes pessoais e responsabilidade civil. Tendo em vista que esta bolsa cobre apenas uma parte

5 das despesas de viagem e estadia, as demais despesas são assumidas pelos próprios participantes. Para os três meses na Alemanha, os participantes do Programa Sul-Norte que vivem na Alemanha recebem, além disto, uma verba única de 450,00 euros. Para os participantes do Programa Sul-Norte que vêm do município parceiro, o município alemão (ou a entidade envolvida na execução do projeto) recebe um subsídio único de 1.730,00 euros por participante do Sul (valor total para três meses). Tendo em vista que este subsídio cobre apenas uma parte do total das despesas dos participantes do Sul durante a etapa do projeto na Alemanha (viagem de ida e volta, acomodação, custo de vida, despesas de viagem na Alemanha), a entidade promotora ou executora do projeto arca com as despesas adicionais (as despesas nominais por participante montam a aprox ,00 euros, 350,00 euros dos quais correspondem ao custo de vida por mês). Estas despesas adicionais devem ser especificadas na proposta de projeto. Ademais, o Programa ASA providencia seguro-saúde, seguros de acidentes pessoais e responsabilidade civil e arca com 270,00 euros por participante do Sul (montante total para três meses). Além disto, o Programa ASA arca com as despesas de viagem dos participantes do Sul para participar dos cursos ASA, nos meses de abril e junho de 2015 (preço da passagem de trem, tarifa "Bahncard"). Para informações adicionais, cf. o documento anexo "Informações importantes relativos ao Financiamento do Programa Sul- Norte". A execução do projeto em si não deve causar despesas adicionais para os participantes do Programa Básico e do Programa Sul-Norte. Em função disto, os municípios ou entidades envolvidas na execução do projeto devem arcar com eventuais despesas causadas pela execução do projeto (despesas locais dos participantes, como despesas de material e viagem caso os participantes precisem realizar várias viagens nacionais). Como propor um projeto? Interessado em contar com o apoio do Programa ASA Kommunal na sua parceria? Basta preencher o formulário de proposta de projeto (ver anexo) juntamente com seu município parceiro e enviar sua proposta até o dia 15 de julho de 2014 aos responsáveis do Programa ASA e do SKEW (ver embaixo). Estamos à sua disposição para apoiar a elaboração de sua proposta de projeto. Após a submissão, nos enviamos os nossos comentários. O prazo de alterações termina em 15 de setembro de Estamos à disposição para apoiar a redação final. A proposta definitiva instruída com o Termo de Cooperação, a ser assinado pelos representantes legais dos municípios parceiros ou seus substitutos, deve ser submetida ao Programa ASA até 15 de setembro de Em outubro, o Programa ASA e o SKEW vão selecionar os projetos vencedores. Para conhecer os pormenores dos Programas Básico e Sul-Norte, cf. o cronograma anexo. Em caso de sugestões ou dúvidas, estamos à sua disposição. SKEW: Anne Klanke, fone: , Programa ASA: Cornelia Hufeisen, fone: ,

6 ASA Kommunal Cronograma Período Programa Básico Componentes adicionais do Programa Sul-Norte 15 de julho de Prazo para submissão das propostas iniciais de setembro de 2014 Prazo para submissão das propostas finais e do Termo de Cooperação Final de outubro Seleção dos projetos por ASA e SKEW de 2014 Novembro 2014 Os municípios parceiros são informados dos projetos aprovados e recebem informações sobre as próximas etapas. O município parceiro no Sul Global identifica e seleciona candidatos adequados no próprio município (participantes do Sul) até início de janeiro. 20 de novembro de 2014 Até 10 de janeiro de 2015 Fevereiro de 2015 Março de 2015 Abril a junho de 2015 Entre julho e dezembro de 2015 Entre outubro de 2015 e junho de 2016 Janeiro a março de 2015 Divulgação dos projetos do Programa ASA Kommunal selecionados no site do Programa ASA e início das candidaturas online. O Programa ASA e o município parceiro na Alemanha apoiam a divulgação dos projetos nos municípios alemães para encontrar candidatos adequados. Prazo para submissão de candidaturas de participantes da Alemanha Seleção dos participantes do Programa ASA Kommunal na Alemanha por ASA e SKEW de acordo com processo de seleção do Programa ASA. Antes da decisão final, os parceiros da Alemanha têm a oportunidade de esclarecer dúvidas e perguntas com os candidatos pré-selecionados por telefone. Os participantes da Alemanha recebem a confirmação e as informações necessárias. O Programa ASA comunica aos municípios envolvidos os nomes dos participantes selecionados. Antes da estadia no Sul Global, os participantes do Programa ASA Kommunal frequentam os cursos obrigatórios do Programa ASA (junto com outros integrantes do Programa ASA), entram em contato com seus interlocutores nos municípios e, eventualmente, realizam um estágio de curta duração no município alemão. Início da etapa trimestral no município parceiro Os participantes da Alemanha realizam suas atividades de Aprendizagem Global nos municípios alemães. Para preparar suas atividades, eles têm a oportunidade de frequentar cursos de qualificação promovidos pela Kommunalwerkstatt (Oficina Municipal) a partir de setembro de Seminário ASA para os participantes do Programa ASA Kommunal da Alemanha: avaliação da estadia no pais anfitrião, preparação e troca de experiências e ideias com vistas ao trabalho futuro. O município parceiro do Sul Global seleciona os participantes do Sul em consenso com o Programa ASA. O Programa ASA envia a confirmação e as informações necessárias aos participantes do Sul e informa as embaixadas competentes. Assinatura do Acordo de Financiamento com o Programa ASA relativo à etapa do projeto na Alemanha. Realização da etapa trimestral do projeto na Alemanha (etapa Norte): o participantes do Sul trabalham no município alemão juntamente com os participantes da Alemanha (participantes do Norte) e frequentam com eles os cursos do Programa ASA que oferecem acompanhamento pedagógico ao processo de aprendizagem dos participantes durante a etapa no Norte. Os participantes do Sul e do Norte trabalham juntamente no município parceiro (etapa Sul). Julho/agosto: Comprovação da utilização correta do subsídio que o Programa ASA concedeu aos participantes do Sul.

7 Informações importantes relativas ao financiamento de um Projeto Sul-Norte no âmbito do Programa ASA Kommunal No âmbito do Programa ASA Kommunal, o município alemão (ou a entidade envolvida na execução do projeto) recebe um subsídio único no montante de 1.730,00 euros por participante do Sul (valor total para o período de três meses). Além disto, o Programa ASA providencia seguro-saúde, seguros de acidentes pessoais e responsabilidade civil e arca com 270,00 euros por participante do Sul (valor total para três meses). O Programa ASA arca, ainda, com as despesas de viagem dos participantes do Sul para participar dos cursos do Programa ASA, nos meses de abril e junho de 2015 (preço da passagem de trem, tarifa "Bahncard", conforme Regulamentação de Despesas de Viagem do Programa ASA). 2. Todas as despesas dos participantes do Sul incorridas durante sua estadia na Alemanha serão financiadas pelo município promotor do projeto ou pela entidade envolvida na execução do projeto. O subsídio no montante global de 1.730,00 euros por participante do Sul cobre apenas uma parte das despesas (i.e., viagem de ida e volta dos participantes do Sul entre a Alemanha e o país de origem, acomodação, custo de vida, despesas de viagem na Alemanha. Além disto, podem surgir despesas adicionais: custos de material no projeto, curso de línguas, relações públicas, etc.). Assim sendo, o município promotor do projeto ou a entidade envolvida na sua execução deve disponibilizar um montante de aprox ,00 euros por participante do Sul. Este montante pode ser pago com recursos próprios ou verbas de patrocínio. Tendo em vista tratar-se de duplas, o custo com um projeto Sul-Norte costuma montar a 4.000,00 euros. 3. Em fevereiro de 2015, o Programa ASA vai celebrar um Acordo de Financiamento com o município alemão ou a entidade envolvida na execução do projeto para definir os tipos de custos que podem ser cobertos com o subsídio Programa ASA. Após o término da etapa na Alemanha, é necessário prestar contas, apresentando os comprovantes originais das despesas realizadas, para comprovar a utilização adequada das verbas de fomento. Modificações do Acordo de Financiamento carecem da forma escrita. 4. Como ajuda de custo, os participantes do Sul devem receber, no mínimo, 350,00 euros por mês. Além disto, é necessário arcar com as despesas de acomodação e transporte (como passe mensal para o sistema de transporte público e despesas de viagem realizadas no âmbito do projeto; se for o caso, cartão "Bahncard" para viagens de trem). O participante do Sul recebe esta ajuda de custo uma vez por mês, num determinado dia do mês, em dinheiro ou por transferência à sua conta bancária. Dependendo da data de entrada no país, os pagamentos devem ser efetuados no primeiro ou décimo quinto dia do mês. 5. Independentemente de sua proveniência (orçamento do Programa ASA, outras fontes), é necessário provar o pagamento da ajuda de custo aos participantes do Sul. O mesmo se aplica às despesas de acomodação e viagem durante a estadia dos participantes do Sul na Alemanha. 6. Para a participação da etapa trimestral realizada no seu país de origem, os participantes do Sul recebem um subsídio único no valor de 450,00 euros.

Edital de Projetos para o Programa ASA Kommunal 2016

Edital de Projetos para o Programa ASA Kommunal 2016 Edital de Projetos para o Programa ASA Kommunal 2016 Conheça os objetivos do Programa ASA Kommunal Em cooperação com o Centro de Serviços para os Municípios em Um Só Mundo (SKEW), o Programa ASA lançou,

Leia mais

Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2010/2011 DAAD - CAPES CNPq

Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2010/2011 DAAD - CAPES CNPq Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2010/2011 DAAD - CAPES CNPq I. DEFINIÇÃO E OBJETIVO As bolsas do Programa conjunto de doutorado na Alemanha são concedidas em cooperação

Leia mais

Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2011/2012 DAAD/ CAPES/CNPq

Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2011/2012 DAAD/ CAPES/CNPq Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2011/2012 DAAD/ CAPES/CNPq I. DEFINIÇÃO E OBJETIVO As bolsas do Programa conjunto de doutorado na Alemanha são concedidas em cooperação

Leia mais

Institutional Skills Development. Diretrizes para Propostas

Institutional Skills Development. Diretrizes para Propostas Institutional Skills Development Sumário da chamada Público-alvo: instituições públicas e da sociedade civil brasileira, museus de ciência e jardins botânicos Prazo para envio de propostas: 20 de janeiro

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 08 SETEMBRO/2011 Escritório de Assuntos Internacionais Universidade Federal da Grande Dourados

BOLETIM INFORMATIVO Nº 08 SETEMBRO/2011 Escritório de Assuntos Internacionais Universidade Federal da Grande Dourados Prezados leitores, A nona edição/2011 do Boletim Informativo do ESAI/UFGD destaca o programa do Governo Federal e CNPQ para alunos de graduação, Ciência sem Fronteira, assim como as oportunidades de bolsas

Leia mais

AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS

AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS Acção 1 1 AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS A B Parcerias Estratégicas na área da Educação, Formação

Leia mais

II. Contexto organizacional. III. Funções / Principais Resultados Esperados TERMO DE REFERÊNCIA

II. Contexto organizacional. III. Funções / Principais Resultados Esperados TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA Assistente de Programa I. Informação sobre o posto LOCAL: Brasília, DF, Brasil Prazo de candidatura: De 20.04 a 10.05.2015 Tipo de contrato: Service Contract -( SB3-3 ) Nível do Posto

Leia mais

DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE INCENTIVO A TALENTOS DA KONRAD-ADENAUER-STIFTUNG

DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE INCENTIVO A TALENTOS DA KONRAD-ADENAUER-STIFTUNG DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE INCENTIVO A TALENTOS DA KONRAD-ADENAUER-STIFTUNG e. V. - INCENTIVO A ESTRANGEIROS - SELEÇÃO NO EXTERIOR Janeiro de 2011 OBJETIVOS A Konrad-Adenauer-Stiftung (KAS) incentiva

Leia mais

Auxílios à Participação Individual em Eventos Científicos (APE) - FAPERGS

Auxílios à Participação Individual em Eventos Científicos (APE) - FAPERGS Auxílios à Participação Individual em Eventos Científicos (APE) - FAPERGS Objetivo Esta modalidade de auxílio destina-se a apoiar pesquisadores doutores, com expressiva produção científica, tecnológica,

Leia mais

Ministério Federal do Trabalho e dos Assuntos Sociais

Ministério Federal do Trabalho e dos Assuntos Sociais Ministério Federal do Trabalho e dos Assuntos Sociais Directiva para o programa especial da Federação Alemã para o Fomento da mobilidade profissional de jovens interessados em formação e jovens profissionais

Leia mais

1. O Fórum Educação e Sociedade : O Fórum Educação e Sociedade é organizado por entidades brasileiras e francesas e tem por objetivo:

1. O Fórum Educação e Sociedade : O Fórum Educação e Sociedade é organizado por entidades brasileiras e francesas e tem por objetivo: Chamada para Seleção das Candidaturas de Alunos para participar do Forum Educação e Sociedade desenvolvido em parceria pela Rede Brasil (França), Fiocruz e Rede Federal de Educação Tecnológica a ser realizado

Leia mais

C A P E S. 1. Apresentação. 2. Objetivo do programa. 3. Quem pode se candidatar

C A P E S. 1. Apresentação. 2. Objetivo do programa. 3. Quem pode se candidatar C A P E S Instruções para Candidatos a Bolsa de Doutorado Sanduíche Vinculados a Projetos Conjuntos da Coordenação-Geral de Cooperação Internacional da CAPES/CGCI. 1. Apresentação Este documento busca

Leia mais

ACORDO SOBRE O PROJETO FOMENTO DA GESTÃO AMBIENTAL E DE PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MEDIAS EMPRESAS

ACORDO SOBRE O PROJETO FOMENTO DA GESTÃO AMBIENTAL E DE PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MEDIAS EMPRESAS MERCOSUL/CMC/DEC. Nº 09/04 ACORDO SOBRE O PROJETO FOMENTO DA GESTÃO AMBIENTAL E DE PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MEDIAS EMPRESAS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, as

Leia mais

ACORDO SOBRE O PROJETO DE FOMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL E PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

ACORDO SOBRE O PROJETO DE FOMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL E PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS MERCOSUL/CMC/DEC. Nº 03/02 ACORDO SOBRE O PROJETO DE FOMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL E PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e a

Leia mais

PROGRAMA DE COOPERAÇÃO TÉCNICA DESCENTRALIZADA SUL-SUL RETIFICADO

PROGRAMA DE COOPERAÇÃO TÉCNICA DESCENTRALIZADA SUL-SUL RETIFICADO PROGRAMA DE COOPERAÇÃO TÉCNICA DESCENTRALIZADA SUL-SUL I. CONTEXTO RETIFICADO Nos anos 90 e início dos 2000, diversas cidades brasileiras e latino-americanas lançaram-se em ações internacionais, prática

Leia mais

O apoio da CAPES obedece ao interstício entre estágios dessa natureza, que varia com a duração da estada no exterior, conforme tabela abaixo:

O apoio da CAPES obedece ao interstício entre estágios dessa natureza, que varia com a duração da estada no exterior, conforme tabela abaixo: C A P E S Instruções para Candidatos a Estágio Pós-Doutoral no Exterior Vinculados a Projetos Conjuntos da Coordenação-Geral de Cooperação Internacional da CAPES - CGCI. 1. Apresentação Este documento

Leia mais

FAQ As perguntas mais freqüentes sobre o Incoming (Serviço voluntário na Alemanha)

FAQ As perguntas mais freqüentes sobre o Incoming (Serviço voluntário na Alemanha) 7139 Karlsruhe Tel.: +49 (0)721/ 35480-120, -128 FAQ As perguntas mais freqüentes sobre o Incoming (Serviço voluntário na Alemanha) Perguntas gerais Na verdade eu que eu quero é estudar na Alemanha. O

Leia mais

Programa de Apoio a Projetos de Cooperação Internacional da UFMG Propostas de Consolidação e de Contrapartida Fundo para Internacionalização da UFMG

Programa de Apoio a Projetos de Cooperação Internacional da UFMG Propostas de Consolidação e de Contrapartida Fundo para Internacionalização da UFMG Programa de Apoio a Projetos de Cooperação Internacional da UFMG Propostas de Consolidação e de Contrapartida Fundo para Internacionalização da UFMG Edital de Seleção 006-2013 O Diretor de Relações Internacionais

Leia mais

AÇÃO 1 APRENDIZAGEM E MOBILIDADE JUVENIL

AÇÃO 1 APRENDIZAGEM E MOBILIDADE JUVENIL AÇÃO 1 APRENDIZAGEM E MOBILIDADE JUVENIL Acção 1 1 CAPA da KA1 Acção 1 2 AÇÃO 1 APRENDIZAGEM E MOBILIDADE JUVENIL A Intercâmbios de Jovens B C D Serviço Voluntário Europeu Mobilidade de profissionais activos

Leia mais

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA, PARA ALUNOS DA UEA, PARA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA FRANÇA

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA, PARA ALUNOS DA UEA, PARA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA FRANÇA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA, PARA ALUNOS DA UEA, PARA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA FRANÇA Tendo em vista a oportunidade propiciada pelo Programa Ciência sem Fronteiras, a Assessoria

Leia mais

Bolsa de Estudo para

Bolsa de Estudo para Bolsa de Estudo para Formação de Líderes da Comunidade Nikkei (Para o Ano Fiscal de 2.011) JICA-Japan International Cooperation Agency Av.Brigadeiro Luis Antonio, 2729 6.andar- São Paulo- SP CEP:01401-000

Leia mais

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA. Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n.

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA. Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n. CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n. 118/2012 O QUE É GESTOR Processo de seleção de candidatos de

Leia mais

.: DAI - Divisão de Atos Internacionais

.: DAI - Divisão de Atos Internacionais 1 von 6 31.05.2010 10:06.: DAI - Divisão de Atos Internacionais DECRETO Nº 2.579, DE 6 DE MAIO DE 1998. Promulga o Acordo Básico de Cooperação Técnica, celebrado entre o Governo da República Federativa

Leia mais

U CAN Bolsas de Estudo Universitárias Regulamento. Preâmbulo

U CAN Bolsas de Estudo Universitárias Regulamento. Preâmbulo U CAN Bolsas de Estudo Universitárias Regulamento Preâmbulo O Programa Escolhas, tutelado pela Presidência do Conselho de Ministros e integrado no Alto Comissariado para as Migrações, I.P., tem como um

Leia mais

EDITAL 003/2014 COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR - CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR - PDSE

EDITAL 003/2014 COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR - CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR - PDSE EDITAL 003/2014 COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR - CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR - PDSE A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Ciências

Leia mais

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONSULTORIA COORDENADOR/A DE CAPACITAÇÃO 1. Antecedentes Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional O Projeto Cooperação Humanitária Internacional tem por objetivo o desenvolvimento

Leia mais

Guia de Fellowship Português

Guia de Fellowship Português Guia de Fellowship Português 1 DESCRIÇÃO DO PROGRAMA Página 3 2 CARACTERÍSTICAS DO PROGRAMA Página 4 3 CONDIÇÕES Página 7 4 PROCESSO DE INSCRIÇÃO, SELEÇÃO E CERTIFICAÇÃO Página 8 5 APOIO FINANCEIRO Página

Leia mais

EDITAL FACEPE 07/2014 APOIO A PROGRAMAS DE FORMAÇÃO EM ENGENHARIA AUTOMOTIVA EM PARCERIA COM O POLITECNICO DI TORINO SDEC POLITO

EDITAL FACEPE 07/2014 APOIO A PROGRAMAS DE FORMAÇÃO EM ENGENHARIA AUTOMOTIVA EM PARCERIA COM O POLITECNICO DI TORINO SDEC POLITO EDITAL FACEPE 07/2014 APOIO A PROGRAMAS DE FORMAÇÃO EM ENGENHARIA AUTOMOTIVA EM PARCERIA COM O POLITECNICO DI TORINO SDEC POLITO A, em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDEC), torna

Leia mais

BOLSA CAPES EMBAIXADA AMERICANA FULBRIGHT CERTIFICAÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS PARA PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA

BOLSA CAPES EMBAIXADA AMERICANA FULBRIGHT CERTIFICAÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS PARA PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA BOLSA CAPES EMBAIXADA AMERICANA FULBRIGHT CERTIFICAÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS PARA PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA Edital nº. 52/2010/CAPES 1. DA APRESENTAÇÃO A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

1. DA APRESENTAÇÃO 2. OS OBJETIVOS

1. DA APRESENTAÇÃO 2. OS OBJETIVOS 1. DA APRESENTAÇÃO A Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), por meio de sua Diretoria de Formação de Professores da Educação Básica (DEB) no uso de suas atribuições,

Leia mais

Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha Seleção 2013/2014 CAPES/CNPq/DAAD Chamada nº. 04/2013

Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha Seleção 2013/2014 CAPES/CNPq/DAAD Chamada nº. 04/2013 Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha Seleção 2013/2014 CAPES/CNPq/DAAD Chamada nº. 04/2013 A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAPES, instituída

Leia mais

EDITAL 02/2008 - PROJETO 914BRA1109 SELECIONA

EDITAL 02/2008 - PROJETO 914BRA1109 SELECIONA Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura EDITAL 02/2008 - PROJETO 914BRA1109 SELECIONA Consultor por Produto para Projeto da Organização das Nações Unidas para a Educação, a

Leia mais

Bolsa de Estudo para

Bolsa de Estudo para Bolsa de Estudo para Formação de Líderes da Comunidade Nikkei (Ano Fiscal de 2016) Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) Escritório Regional da JICA em São Paulo Av.Brigadeiro Luis Antonio,

Leia mais

I Prêmio Novo Nordisk de Sustentabilidade

I Prêmio Novo Nordisk de Sustentabilidade I Prêmio Novo Nordisk de Sustentabilidade Apresentação Para a Novo Nordisk, responsabilidade social vai além do cuidado com as pessoas e com o meio ambiente. Nosso objetivo é propiciar um ambiente sustentável

Leia mais

Projeto Empreendedores Cívicos

Projeto Empreendedores Cívicos Projeto Empreendedores Cívicos I. Conceito Empreendedores Cívicos são agentes de inovação social que fomentam e promovem transformações positivas em benefício da coletividade rumo a um Brasil Sustentável.

Leia mais

Passaporte para o Empreendedorismo

Passaporte para o Empreendedorismo Passaporte para o Empreendedorismo Enquadramento O Passaporte para o Empreendedorismo, em consonância com o «Impulso Jovem», visa através de um conjunto de medidas específicas articuladas entre si, apoiar

Leia mais

INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Mobilidade Internacional para Estudos REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade

Leia mais

Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa

Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa MOBILIDADE INTERNACIONAL PARA ESTUDOS REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional

Leia mais

da Universidade Católica Portuguesa

da Universidade Católica Portuguesa Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa MOBILIDADE INTERNACIONAL PARA ESTUDOS REGULAMENTO Aprovado no Conselho Científico de 2 de julho de 2014 CAPÍTULO I Disposições

Leia mais

LÍDERES DA CPLP ENCONTRO DE JOVENS. Este desafio é nosso! Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA

LÍDERES DA CPLP ENCONTRO DE JOVENS. Este desafio é nosso! Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA ENCONTRO DE JOVENS Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA Aveiro, 22 a 24 de Junho de UNIVERSIDADE DE AVEIRO Entidades Promotoras Parceiros Apoios O que é o Festival

Leia mais

EDITAL 2012 PARA APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO - CULTURAIS NA UFSCar - CCult

EDITAL 2012 PARA APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO - CULTURAIS NA UFSCar - CCult EDITAL 2012 PARA APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO - CULTURAIS NA UFSCar - CCult JUSTIFICATIVA O estatuto da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) no Capítulo 1, artigo 3º. define como finalidade

Leia mais

Programa STIC AmSud/CAPES

Programa STIC AmSud/CAPES Programa STIC AmSud/CAPES PROGRAMA DE COOPERAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO FRANÇA - AMÉRICA DO SUL Edital CGCI n. 002/2008 1. Do programa 1.1 O Programa é uma iniciativa da

Leia mais

EURES: uma carreira na Europa

EURES: uma carreira na Europa EURES: uma carreira na Europa REDE EURES http://www.youtube.com/watch?v=-b-cf05oo7y&list=plw_7qqldjbjd-uce36bl25dpvwljlyxfq&index=93 Porquê ir para fora? MOTIVAÇÕES Perspetivas de emprego Enriquecimento

Leia mais

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação;

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação; DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 * Programa Ciência sem Fronteiras. * Institui o Programa Ciência sem Fronteiras. A Presidenta da República, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84,

Leia mais

REGULAMENTO DA REDE DE PERCEÇÃO E GESTÃO DE NEGÓCIOS DO PROGRAMA IMPULSO JOVEM. CAPÍTULO I Âmbito de aplicação

REGULAMENTO DA REDE DE PERCEÇÃO E GESTÃO DE NEGÓCIOS DO PROGRAMA IMPULSO JOVEM. CAPÍTULO I Âmbito de aplicação REGULAMENTO DA REDE DE PERCEÇÃO E GESTÃO DE NEGÓCIOS DO PROGRAMA IMPULSO JOVEM CAPÍTULO I Âmbito de aplicação Artigo 1.º Objeto O presente Regulamento define o regime de acesso aos apoios concedidos pelo

Leia mais

Ciências sem Fronteiras 2012

Ciências sem Fronteiras 2012 Ciências sem Fronteiras 2012 Qual o papel da UFABC no processo seletivo? A UFABC participa somente da Etapa 1 Homologação da IES, presente nos editais. O papel da IES é informar ao programa quais são os

Leia mais

1. ATELIÊ PRODUIRE AU SUD / IMAGEM DOS POVOS DE COPRODUÇÃO CINEMATOGRAFICA internacional

1. ATELIÊ PRODUIRE AU SUD / IMAGEM DOS POVOS DE COPRODUÇÃO CINEMATOGRAFICA internacional 1. ATELIÊ PRODUIRE AU SUD / IMAGEM DOS POVOS DE COPRODUÇÃO CINEMATOGRAFICA internacional Os Workshops do PRODUIRE AU SUD foram criados em 2000 em Nantes, França, dentro do Festival dos 3 Continents a fim

Leia mais

Integração de Dados Nacionais sobre o Oceano CONVITE À APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

Integração de Dados Nacionais sobre o Oceano CONVITE À APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Integração de Dados Nacionais sobre o Oceano CONVITE À APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Informação de Referência: EEA PT02 PA objetivo Bom Estado Ambiental nas águas marinhas e costeiras da Europa EEA PT02

Leia mais

Missão Permanente do Brasil junto à Organização das Nações Unidas e Outros Organismos Internacionais em Genebra CONVOCATÓRIA

Missão Permanente do Brasil junto à Organização das Nações Unidas e Outros Organismos Internacionais em Genebra CONVOCATÓRIA Missão Permanente do Brasil junto à Organização das Nações Unidas e Outros Organismos Internacionais em Genebra 1. Descrição CONVOCATÓRIA Programa de Formação Complementar Processo de Seleção para as Turmas

Leia mais

Abrasa - Ponto de Cultura, Internacional Brasileiros na Áustria.

Abrasa - Ponto de Cultura, Internacional Brasileiros na Áustria. 1 Abrasa - Ponto de Cultura, Internacional Brasileiros na Áustria. Quem somos: A Abrasa Associação Brasileiro-Afro-Brasileira para o Desenvolvimento da Dança, Cultura Educação e Arte, é uma Instituição

Leia mais

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE)

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) É o chamado do Ministério da Educação (MEC) à sociedade para o trabalho voluntário de mobilização das famílias e da comunidade pela melhoria da

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 14/2015 de 23 de Janeiro de 2015

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 14/2015 de 23 de Janeiro de 2015 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 14/2015 de 23 de Janeiro de 2015 Considerando os objetivos do Governo dos Açores em promover, na Região, um conhecimento especializado de temáticas

Leia mais

EURES: uma carreira na Europa

EURES: uma carreira na Europa EURES: uma carreira na Europa Delegação Regional do Algarve do IEFP - EURES Volta de Apoio ao Emprego III AGE - Albufeira,23-10-2014 EURES: encontrar um emprego na Europa Delegação Regional do Algarve

Leia mais

Programa Estágio de Curta Duração. CAPES/Fundação Carolina

Programa Estágio de Curta Duração. CAPES/Fundação Carolina Programa Estágio de Curta Duração CAPES/Fundação Carolina Edital DRI/CAPES nº. 007/2010 A Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), por meio de sua Diretoria de Relações

Leia mais

Subsídios Distritais Bolsas de Estudo

Subsídios Distritais Bolsas de Estudo Subsídios Distritais Bolsas de Estudo Melhores Práticas Conteúdo PANORAMA... 2 GERENCIAMENTO DO PROCESSO... 2 TIPOS DE BOLSAS... 3 REQUISITOS DE PARTICIPAÇÃO... 4 PROCESSOS DE INSCRIÇÃO E SELEÇÃO... 5

Leia mais

POLÍTICA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DOS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

POLÍTICA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DOS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA POLÍTICA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DOS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA Brasília, 25 de novembro de 2009 1 POLÍTICA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DOS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO,

Leia mais

Bolsas Templeton para Professores Visitantes

Bolsas Templeton para Professores Visitantes Bolsas Templeton para Professores Visitantes Ciência, Filosofia e Teologia na América Latina Ian Ramsey Centre (IRC) for Science and Religion University of Oxford Chamada Objetivo e Resumo As Bolsas Oxford

Leia mais

Universidade de Coimbra 1. Universidade de Lisboa 1. Universidade de Aveiro 1. Universidade de Algarve 1. Universidade Técnica de Lisboa 1

Universidade de Coimbra 1. Universidade de Lisboa 1. Universidade de Aveiro 1. Universidade de Algarve 1. Universidade Técnica de Lisboa 1 UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Assessoria de Assuntos Internacionais Coordenação de Cooperação e Intercâmbio Campus Universitário Darcy Ribeiro Asa Norte Brasília/DF CEP 70910-900 Telefone: (61) 33072654 FAX:

Leia mais

REGULAMENTO DO PASSAPORTE PARA O EMPREENDEDORISMO

REGULAMENTO DO PASSAPORTE PARA O EMPREENDEDORISMO REGULAMENTO DO PASSAPORTE PARA O EMPREENDEDORISMO Artigo 1º Âmbito Ao abrigo do n.º 1 do artigo 8.º da Portaria n.º 370-A/2012, de 15 de novembro de 2012, o presente regulamento estabelece os procedimentos

Leia mais

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO - PROPG PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS SANTANDER UNIVERSIDADES EDITAL PROPG abril/2015

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO - PROPG PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS SANTANDER UNIVERSIDADES EDITAL PROPG abril/2015 PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO - PROPG PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS SANTANDER UNIVERSIDADES EDITAL PROPG abril/2015 O Centro Universitário Cesmac (Cesmac) torna pública a seleção para o Programa

Leia mais

ACORDO ENTRE A ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA A UNIVERSIDADE DE ÉVORA RELATIVO

ACORDO ENTRE A ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA A UNIVERSIDADE DE ÉVORA RELATIVO ACORDO ENTRE A ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA E A UNIVERSIDADE DE ÉVORA RELATIVO À CRIAÇÃO DE UMA CÁTEDRA UNESCO EM PATRIMÓNIO IMATERIAL E SABER-FAZER TRADICIONAL:

Leia mais

Diretrizes do Programa Vilmar Faria em Análise Quantitativa e Políticas Públicas PVF CAPES e Universidade do Texas, Austin. Edital CGCI n.

Diretrizes do Programa Vilmar Faria em Análise Quantitativa e Políticas Públicas PVF CAPES e Universidade do Texas, Austin. Edital CGCI n. Diretrizes do Programa Vilmar Faria em Análise Quantitativa e Políticas Públicas PVF CAPES e Universidade do Texas, Austin Edital CGCI n. 017 /2005 1. Do Programa 1.1 O Programa Vilmar Faria em Análise

Leia mais

EDITAL 004/2015 COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR - CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR - PDSE

EDITAL 004/2015 COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR - CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR - PDSE EDITAL 004/2015 COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR - CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR - PDSE A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Ciências

Leia mais

UNIVERSIDADE NILTON LINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE NILTON LINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL INICIAÇÃO CIENTÍFICA/2015-2016 Programa de Iniciação Científica PROIC/NILTON LINS A Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade NILTON LINS, por meio da Coordenação de Iniciação Científica,

Leia mais

PROPOSTA DE CONSULTADORIA MAIS BENEFÍCIOS

PROPOSTA DE CONSULTADORIA MAIS BENEFÍCIOS SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE ALBUFEIRA 2014 PROPOSTA DE CONSULTADORIA MAIS BENEFÍCIOS Uma consultadoria eficaz e rentável vocacionada para fornecer às empresas serviços integrais de formação e recrutamento.

Leia mais

Manual do Voluntariado da Cidade Europeia do Desporto - Guimarães 2013

Manual do Voluntariado da Cidade Europeia do Desporto - Guimarães 2013 Manual do Voluntariado da Cidade Europeia do Desporto - Guimarães 2013 Preâmbulo De acordo com o disposto no art.º 2.º da Lei n.º 71/98, de 3 de Novembro, o voluntariado é o conjunto de ações de interesse

Leia mais

Sumário. Antecedentes legais. Atividades relevantes. O que é o SIGAP. Estrutura simplificada do SIGAP. Principais benefícios

Sumário. Antecedentes legais. Atividades relevantes. O que é o SIGAP. Estrutura simplificada do SIGAP. Principais benefícios Sumário Antecedentes legais Atividades relevantes O que é o SIGAP Relevância do SIGAP para o acompanhamento de projetos Estrutura simplificada do SIGAP Principais benefícios Atividades em desenvolvimento

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. Código: CFDN/ABC/HAITI

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. Código: CFDN/ABC/HAITI 1 INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA Código: CFDN/ABC/HAITI 1. OBJETO DA CONSULTORIA Prestação de serviços de consultoria de pessoa física especializados para apoiar a estruturação

Leia mais

PERFIL DA VAGA: GERENTE DE CONTEÚDOS E METODOLOGIAS

PERFIL DA VAGA: GERENTE DE CONTEÚDOS E METODOLOGIAS O Instituto Akatu é uma organização não governamental sem fins lucrativos que trabalha pela conscientização e mobilização da sociedade para o Consumo Consciente. PERFIL DA VAGA: PERFIL GERAL DA FUNÇÃO

Leia mais

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional para estágio dos estudantes de Licenciatura

Leia mais

Programa Consórcios em Educação Superior Brasil e Estados Unidos

Programa Consórcios em Educação Superior Brasil e Estados Unidos Programa Consórcios em Educação Superior Brasil e Estados Unidos CAPES/FIPSE Edital Nº 8/2010 CAPES A Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), por meio de sua Diretoria

Leia mais

IIDENTIFICAÇÃO SUMARIA DO PROJETO

IIDENTIFICAÇÃO SUMARIA DO PROJETO IIDENTIFICAÇÃO SUMARIA DO PROJETO Título do projeto: Pensar Global, Agir Global Oito objetivos de Desenvolvimento para o Milénio, Oito Caminhos para mudar o Mundo Localização detalhada da ação (país, província,

Leia mais

Erasmus Mundus Action 2. Fellow Mundus @ UAlg. Universidade do Algarve (UAlg) / Gabinete de Relações Internacionais (GRIM) / Erasmus Mundus, 2014/15

Erasmus Mundus Action 2. Fellow Mundus @ UAlg. Universidade do Algarve (UAlg) / Gabinete de Relações Internacionais (GRIM) / Erasmus Mundus, 2014/15 Erasmus Mundus Action 2 Fellow Mundus @ UAlg Universidade do Algarve (UAlg) / Gabinete de Relações Internacionais (GRIM) / Erasmus Mundus, 2014/15 Visto e Autorização de Residência Todos os bolseiros têm

Leia mais

Reunião do dia 06 de dezembro de 2012 para tirar dúvidas sobre o programa Ciência sem Fronteiras.

Reunião do dia 06 de dezembro de 2012 para tirar dúvidas sobre o programa Ciência sem Fronteiras. Reunião do dia 06 de dezembro de 2012 para tirar dúvidas sobre o programa Ciência sem Fronteiras. 1. Faço mais de um curso pós BCT. Posso me inscrever por qualquer um deles? R. Na inscrição da UFABC você

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA

TERMOS DE REFERÊNCIA Nô Pintcha Pa Dizinvolvimentu UE-PAANE - Programa de Apoio aos Actores Não Estatais TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATO DE ASSISTÊNCIA TECNICA PARA FORMADOR/A EM COMUNICAÇÃO E VISIBILIDADE DAS ORGANIZAÇÕES UE-PAANE

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS A

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS A AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS A GRANDES PROJETOS DO DOMÍNIO DE ATUAÇÃO A: «PARTICIPAÇÃO DAS ONG NA CONCEÇÃO E APLICAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS, A NÍVEL NACIONAL, REGIONAL E LOCAL» NO ÂMBITO DO

Leia mais

Prémio Redes para o Desenvolvimento

Prémio Redes para o Desenvolvimento Prémio Redes para o Desenvolvimento Regulamento 6 de outubro de 2015 www.redesparaodesenvolvimento.org Este Prémio é lançado no âmbito do Projeto Redes para o Desenvolvimento: Educação Global para uma

Leia mais

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE BOLSA PESQUISA NO EXTERIOR

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE BOLSA PESQUISA NO EXTERIOR REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE BOLSA PESQUISA NO EXTERIOR A Fundação de Apoio ao Instituto de Pesquisas Tecnológicas FIPT, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com fulcro no seu Estatuto,

Leia mais

PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL

PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE RECURSOS HUMANOS O PROGRAMA O Programa Municipal de Voluntariado

Leia mais

EDITAL. Programa de Formação Complementar e Pesquisa em Comércio Internacional Processo de Seleção para as Turmas de 2013

EDITAL. Programa de Formação Complementar e Pesquisa em Comércio Internacional Processo de Seleção para as Turmas de 2013 Delegação do Brasil junto à Organização Mundial do Comércio e a outras Organizações Econômicas em Genebra Avenue Louis-Casaï 71 Case Postale 120 1216 Cointrin Genebra - Suíça EDITAL Programa de Formação

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSAS SANTANDER LUSO-BRASILEIRAS CONVOCATÓRIA 2015

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSAS SANTANDER LUSO-BRASILEIRAS CONVOCATÓRIA 2015 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSAS SANTANDER LUSO-BRASILEIRAS CONVOCATÓRIA 2015 É do interesse das Instituições de Ensino Superior promover a excelência do ensino, propiciando aos seus estudantes

Leia mais

BOLSA DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR INFORMAÇÕES GERAIS

BOLSA DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR INFORMAÇÕES GERAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS UFMG ESCOLA DE ENGENHARIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SANEAMENTO, MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS BOLSA DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR INFORMAÇÕES GERAIS 2 INTRODUÇÃO

Leia mais

Sistematização do GT Capoeira, profissionalização, organização social e. internacionalização

Sistematização do GT Capoeira, profissionalização, organização social e. internacionalização 1 Sistematização do GT Capoeira, profissionalização, organização social e internacionalização Introdução: O Grupo de Trabalho Capoeira, Profissionalização, Organização Social e Internacionalização se reuniu

Leia mais

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Existe a compreensão evidente por parte das lideranças empresariais, agentes de mercado e outros formadores de opinião do setor privado

Leia mais

PROGRAMA DE PESQUISA EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SOBRE GESTÃO PÚBLICA - FAPERGS

PROGRAMA DE PESQUISA EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SOBRE GESTÃO PÚBLICA - FAPERGS PROGRAMA DE PESQUISA EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SOBRE GESTÃO PÚBLICA - FAPERGS Objetivo Apoiar projetos de pesquisa em ciência, tecnologia e inovação sobre a Gestão Pública nas seguintes áreas de

Leia mais

Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007

Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007 Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa UNIBRAL, apoiado no acordo de cooperação assinado entre Brasil e Alemanha em 31 de outubro de 2000, tem como objetivo estimular

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 064/2011 CEPE ANEXO ÚNICO NORMAS GERAIS DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RESOLUÇÃO Nº 064/2011 CEPE ANEXO ÚNICO NORMAS GERAIS DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO RESOLUÇÃO Nº 064/2011 CEPE ANEXO ÚNICO NORMAS GERAIS DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Art. 1º O Estágio Curricular Obrigatório é ato educativo supervisionado, desenvolvido em ambiente de trabalho, que

Leia mais

Anexo I ACORDO DE ESTÁGIO PROGRAMA INOV CONTACTO ESTÁGIOS INTERNACIONAIS DE JOVENS QUADROS

Anexo I ACORDO DE ESTÁGIO PROGRAMA INOV CONTACTO ESTÁGIOS INTERNACIONAIS DE JOVENS QUADROS Anexo I ACORDO DE ESTÁGIO PROGRAMA INOV CONTACTO ESTÁGIOS INTERNACIONAIS DE JOVENS QUADROS Entre: Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, E.P.E., Pessoa Coletiva de Direito Público

Leia mais

2ª Edição. Projeto de Voluntariado em Moçambique

2ª Edição. Projeto de Voluntariado em Moçambique 2ª Edição Projeto de Voluntariado em Moçambique O Projeto: Nyumba-Kaya é o Mundo A 1ª Edição do projeto Nyumba-kaya é o Mundo foi realizada entre os meses de julho e setembro de 2009. 11 voluntários tiveram

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO 5ª EDIÇÃO, 2015-16

REGULAMENTO DO CONCURSO 5ª EDIÇÃO, 2015-16 REGULAMENTO DO CONCURSO ESTÁGIOS DE CURTA DURAÇÃO EM PORTUGAL PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE PROVENIENTES DOS PAÍSES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA E TIMOR-LESTE 5ª EDIÇÃO, 2015-16 Artigo 1º Âmbito O presente

Leia mais

GABINETE DO REITOR COORDENAÇÃO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

GABINETE DO REITOR COORDENAÇÃO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS GABINETE DO REITOR COORDENAÇÃO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS PROGRAMA DE GRADUAÇÃO / DOUTORADO SANDUÍCHE / PÓS-DOUTORADO / PESSOAL ACADEMICO E ADMINISTRATIVO PROGRAMA ERASMUS MUNDUS EBW+ Edital de Seleção

Leia mais

CRIAR UM EMPREGO CRIA MUITO MAIS DO QUE UM EMPREGO.

CRIAR UM EMPREGO CRIA MUITO MAIS DO QUE UM EMPREGO. CRIAR UM EMPREGO CRIA MUITO MAIS DO QUE UM EMPREGO O emprego tem uma enorme importância tanto para os indivíduos como para a sociedade Para além de ser uma fonte de rendimento, uma forma de ocupação e

Leia mais