Quem somos e o que fazemos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Quem somos e o que fazemos"

Transcrição

1 Última revisão: julho de 2015 Fundação IFRS Conselho de Normas Internacionais de Contabilidade (IASB) Quem somos e o que fazemos O nosso objetivo Desenvolver, com base em princípios claramente articulados, um conjunto único de normas de contabilidade de alta qualidade, compreensíveis, exequíveis e aceitáveis globalmente. Como o atingimos? Um órgão independente emissor de normas contábeis. É supervisionado por uma junta de fiduciários diversificada geográfica e profissionalmente, e presta contas ao Conselho de Monitoramento (Monitoring Board) constituído por autoridades representativas do mercado de valores mobiliários. Apoiado pelo Conselho Consultivo de IFRS (IFRS Advisory Council) e pelo Comitê de Interpretações de Relatório Financeiro Internacional (IFRS Interpretations Committee), ambos externos ao IASB que lhe oferecem orientações para tratar as divergências quanto à interpretação das normas emitidas. Um processo de elaboração de normas sistemático, aberto, participativo e transparente. Interação com investidores, reguladores, empresários e com a profissão contábil em geral, em cada estágio do processo. Esforços de colaboração com a comunidade mundial de emissores de normas de contabilidade.

2 Histórico Evolução da Fundação IFRS Progresso para a definição de normas de contabilidade globais Fiduciários concluem importantes revisões ao Manual de Processo Devido Fiduciários estabelecem o Fórum Consultivo de Padrões de Contabilidade, realiza reunião inaugural 2013 Fundação IFRS publica perfis jurisdicionais para traçar o progresso com relação às normas de contabilidade globais Abertura do escritório da Fundação IFRS na Ásia-Oceania IASB conclui a primeira consultoria da agenda trienal Comitê de Monitoramento e Fiduciários publicam conclusões conjuntas das análises de governança e estratégia 2012 Argentina, México e Rússia: todos começam a usar IFRS Fiduciários estabelecem Grupo de Economias Emergentes do IASB Hans Hoogervorst é nomeado Presidente do IASB, com Ian Mackintosh como Vice-Presidente 2011 Canadá: começa a usar IFRS IFRS para PMEs: quase 80 jurisdições adotaram IFRSs para empresas de pequeno e médio porte ou anunciaram planos de fazê-lo Fiduciários começam revisão da estratégia em paralelo com análise da governança do Comitê de Monitoramento IASB lança programa dedicado de relacionamento com investidores 2010 Comitê de Monitoramento da Fundação IFRS estabelecido para fornecer contabilidade pública aprimorada Fiduciários concluem primeira parte da Revisão da Constituição, expandem IASB para 16 membros, lançam consulta pública trienal da agenda do IASB IASB emite IFRS para empresas de pequeno e médio porte IASB e FASB formam Grupo de Consultoria sobre a Crise Financeira para orientar a reação conjunta à crise G20: líderes apoiam trabalho do IASB, exigem ação rápida para normas de contabilidade globais Japão: aprova roteiro da IFRS, permite adoção voluntária da IFRS Malásia e México: anunciam intenção de adotar IFRS 2007 Estados Unidos: SEC permite que empresas fora dos EUA façam relatórios usando a IFRS, consultas sobre o uso doméstico Brasil, Canadá, Chile, Israel e Coreia: estabelecem cronogramas para adotar a IFRS; mais de 100 países agora exigem ou permitem o uso da IFRS 2006 China: adota normas de contabilidade consistentemente alinhadas com a IFRS, com o objetivo de ter total convergência Estados Unidos: IASB e FASB concordam em acelerar o Memorando de Entendimento (MoU) do programa de convergência Fiduciários concluem primeira Revisão da Constituição, expandem a participação de fiduciários, fortalecem o devido processo 2005 Europa: quase 7 mil empresas em 25 países mudam simultaneamente de GAAPs nacionais para IFRS IASB conclui plataforma estável de IFRSs para adoção em Japão: IASB e ASBJ concordam em convergir IFRS e GAAP japonesa IASB emite primeira norma, IFRS 1, e dá início à transmissão de reuniões pela Web IASB anuncia primeiro programa de projetos técnicos Fundação IFRS é criada. Paul Volcker é nomeado Presidente dos Fiduciários, Sir David Tweedie é o Presidente do IASB Austrália, Hong Kong, Nova Zelândia e África do Sul: concordam em adotar a IFRS a partir de 2005 Europa: União Europeia concorda em adotar a IFRS a partir de 2005 Estados Unidos: IASB e FASB estabelecem programa conjunto para aprimorar as respectivas normas e fazer sua convergência

3 Estrutura de três níveis Comitê de Monitoramento da Fundação IFRS 3. Responsabilidade pública Conselho Consultivo da IRFS Fiduciários da Fundação IFRS 2. Governança e supervisão Fundação IFRS ASAF* Conselho de Normas Internacionais de Contabilidade 1. Definição de normas independente e atividades relacionadas Comitê de Interpretações da IFRS * Fórum Consultivo de Normas de Contabilidade (representantes da comunidade de definição de normas internacionais) Como desenvolvemos as normas Consulta para a Agenda Programa de Pesquisa Programas de Normas Implementação Plano de 3-5 anos Pesquisa Proposta Solicitação de informação Documentos de discussão Minuta de Exposição IFRS definitiva Interpretação / Alteração RPI* * Revisão Pós-Implementação.

4 Fiduciários da Fundação IFRS (IFRS Foundation Trustees) Michel Prada, Presidente dos Fiduciários (Europa) Ex-Presidente da Comissão de Valores Mobiliários da França (AMF); Ex-Presidente do Comitê Técnico da Organização Internacional das Comissões de Valores Mobiliários (IOSCO) (França) Ronald Arculli, Vice-Presidente Sócio Sênior da King & Wood Mallesons, Hong Kong; Ex-Presidente da Hong Kong Exchanges and Clearing Limited; Ex-Diretor da World Federation of Exchanges, a Associação Internacional de Bolsas de Valores (Hong Kong) Sheila Fraser, Vice-Presidente Diretora Corporativa, ex-membro do International Public Sector Accounting Standards Board (IPSASB); Ex-Auditora Geral do Canadá; Ex-Presidente do Conselho de Contabilidade do Setor Público Canadense (Canadá) África Wiseman Nkuhlu Ex-Consultor Econômico do Ex-Presidente da África do Sul Thabo Mbeki; Ex-Presidente do South African Institute of Chartered Accountants; Presidente do Banco de Desenvolvimento do Sul da África (DBSA) (África do Sul) Ásia/Oceania Lynn Wood Ex-Presidente do Conselho de Relatórios Financeiros Australiano; ex-membro do Conselho dos Relatórios Externos da Nova Zelândia; ex-membro do Conselho de Revisão de Investimentos Estrangeiros Australiano, (Austrália) Jin Liqun Presidente da China International Capital Corporation Limited; membro do Comitê Consultivo de Política Externa do Ministério de Relações Exteriores da China; Presidente Honorário do Fórum Internacional sobre os Fundos de Riqueza Soberana (China) Chandrashekhar Bhaskar Bhave (C. B. Bhave) Ex-Presidente do Conselho de Bolsas e Valores Mobiliários da Índia (SEBI) (Índia) Joji Okada Auditor Corporativo e ex Vice-Presidente Executivo Financeiro da Matsui & Company Limited (Japão) Dr. Takafumi Sato Presidente da Japan Exchange Regulation; Ex- Comissário da Agência de Serviços Financeiros (Japão) Duck-Koo Chung Ex-Ministro do Comércio, Indústria e Energia da República da Coreia (República da Coreia) Abdulrahman Al-Humaid Presidente do Comitê para Adoção de Normas de Contabilidade Internacionais da Organização Saudita para Contadores Públicos Certificados; Ex-Presidente do Comitê de Normas de Contabilidade Saudita (Arábia Saudita) Europa Dr. Werner Brandt Presidente do Conselho do Financial Reporting Enforcement Panel (FREP) da Alemanha; membro do Conselho de Supervisão de diversas empresas alemãs proeminentes; exmembro do Conselho do Comitê de Normas de Contabilidade da Alemanha (DRSC) (Alemanha) Marco Onado Professor Titular em Instituições Financeiras, Universidade Bocconi, Milão (Itália) Dick Sluimers Diretor Executivo do Grupo APG; Ex-Presidente e Diretor Executivo da ABP; Ex-Diretor Geral de Orçamento do Ministério das Finanças Holandês (Países Baixos) Antonio Zoido Presidente do Conselho e Diretor Executivo da Bolsa de Valores Mobiliários da Espanha (BME) (Espanha) Sir Callum McCarthy Ex-Diretor da FSA (Financial Services Authority); Diretor não Executivo do Banco de Comércio e Indústria da China e da Intercontinental Exchange Inc (Reino Unido) América do Norte Alan Beller Sócio da Cleary Gottlieb Steen & Hamilton e membro do Conselho da The Travelers Companies; Ex-Diretor da Divisão de Finanças Corporativas da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) e Consultor Sênior da SEC (Estados Unidos) James (Jim) Quigley Diretor Executivo Emérito, Ex-Sócio Sênior da Deloitte U.S; Ex-Diretor Executivo da Deloitte Touche & Tohmatsu Limited (DTTL) (a rede mundial) (Estados Unidos) Heidi Miller Ex-Presidente de Operações Internacionais e Estratégia da JPMorgan Chase & Company; Ex- Diretora Executiva da Unidade de Serviços de Tesouro e Títulos da JPMorgan (Estados Unidos) América do Sul Maria Helena Santana Ex-Presidente e Diretora da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) do Brasil; Ex- Diretora da Bolsa de Valores do Brasil (BOVESPA); Ex-Presidente do Comitê Executivo da IOSCO e membro do Conselho Internacional de Relatórios Integrados (Brasil) O IASB Hans Hoogervorst, Presidente Ex-Presidente da Autoridade de Mercados Financeiros da Países Baixos (AFM) (Países Baixos) Ian Mackintosh, Vice-Presidente Ex-Presidente do Comitê de Normas de Contabilidade do Reino Unido (Nova Zelândia) Stephen Cooper Ex-Diretor coordenador e Diretor da área de Avaliação e Pesquisa Contábil da UBS (Reino Unido) Philippe Danjou Ex-Diretor da Divisão de Contabilidade da Comissão de Valores Mobiliários da França (AMF), o regulador de títulos francês (França) Martin Edelmann Ex-Diretor de Contabilidade Corporativa, Deutsche Bank (Alemanha) Patrick Finnegan Ex-Diretor do Grupo de Política Contábil e Relatório Financeiro do CFA Institute for Financial Market Integrity (Estados Unidos) Amaro Luiz de Oliveira Gomes Ex-Chefe do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro do Banco Central do Brasil (Brasil) Gary Kabureck Diretor Contábil (e Vice-Presidente Corporativo) da Xerox Corporation (Estados Unidos) Suzanne Lloyd Ex-Diretora Sênior de Atividades Técnicas do IASB, (Nova Zelândia) Takatsugu (Tak) Ochi Ex-Assessor Geral Adjunto da Sumitomo Corporation; Ex-Consultor da Nippon Keidanren e do Comitê de Normas de Contabilidade do Japão (Japão) Darrel Scott Ex-Diretor Financeiro do FirstRand Banking Group (África do Sul) Chungwoo Suh Ex-Presidente do Conselho de Normas de Contabilidade da Coreia, Professor de Contabilidade na Universidade de Kookmin, Seul (Coreia) Mary Tokar Ex-Líder do International Financial Reporting Group, KPMG Contadora Chefe Associada Sênior da SEC (Estados Unidos) Wei-Guo Zhang Ex-Diretor Geral da área de Contabilidade e Diretor Geral do Departamento de Relações Internacionais da Comissão de Valores Mobiliários da China (República Popular da China)

5 Equipe Sênior Fundação IFRS Yael Almog Diretora Executiva Mark Byatt Diretor de Comunicações e Assuntos Externos Miranda Corti Diretora de Operações David Loweth Diretor de Atividades de Fiduciários Órgãos consultivos IASB Hugh Shields Diretor Técnico Executivo Peter Clark Diretor Técnico Kumar Dasgupta Diretor Técnico Henry Rees Diretor Técnico Michael Stewart Diretor de Atividades de Implantação Wayne Upton Diretor de Atividades Internacionais, Presidente do Comitê de Interpretações da IFRS Mike Wells Diretor de Iniciativas Educacionais IFRS Órgãos consultivos formais fornecem um importante canal para o IASB receber informações sobre o seu trabalho e consultar as partes interessadas de uma ampla variedade de contextos e regiões geográficas de maneira transparente. Órgãos consultivos formais são estabelecidos especificamente para envolverem-se com o trabalho do IASB em geral regularmente. As reuniões com esses órgãos são realizadas em público e gravadas. Materiais relevantes da reunião são disponibilizados online. Além dos órgãos consultivos formais, o IASB envolve-se em várias entidades e organizações ad hoc como parte das atividades de suporte específicas do projeto. Grupos consultivos especializados ad hoc temporários às vezes são criados para ajudar o IASB em áreas relacionadas a projetos específicos. A tabela abaixo fornece uma visão geral dos órgãos consultivos formais do IASB. Grupo Fórum Consultivo de Normas de Contabilidade Conselho Consultivo da IFRS Comitê Consultivo de Mercados de Capital Grupo de Economias Emergentes Fórum Global de Preparadores Grupo de Implementação de SME Grupos consultivos Um grupo consultivo do IASB consistindo em emissores de normas de contabilidade nacionais e órgãos regionais com interesse em relatório financeiro. O objetivo principal do grupo consultivo é fornecer orientação técnica e feedback ao IASB. O órgão consultivo formal para o IASB e os Fiduciários consistindo em representantes de preparadores, analistas financeiros, acadêmicos, auditores, reguladores, órgãos de contabilidade profissional e grupos de investidores. Grupo consultivo externo do IASB, consistindo em investidores e outros usuários de demonstrações financeiras. Estabelecido para aprimorar a participação de economias emergentes no desenvolvimento da IFRS. A associação atual inclui países-membros de economias emergentes do G20 e a Malásia. Grupo consultivo externo do IASB, consistindo em organizações que preparam demonstrações financeiras de acordo com a IFRS. Apoia a adoção internacional da IFRS para Pequenas e Médias Entidades e monitora sua implementação. Grupos consultivos dão ao IASB acesso a experiência prática e conhecimento adicionais. O IASB normalmente estabelece grupos consultivos para seus principais projetos.

6 IFRSs pelo mundo Desde 2001 quase 120 países requereram ou permitiram o uso das IFRSs. Atualmente os seguintes países do G20 usam as IFRSs* PAÍS SITUAÇÃO EM RELAÇÃO ÀS COMPANHIAS LISTADAS África do Sul Requerido para companhias listadas desde 2005 Alemanha Requerido via processo de adoção e implantação pela UE desde 2005 Arábia Saudita Requerido para bancos e companhias de seguro. Convergência total para as IFRSs planejada Argentina Requerido para anos contábeis iniciados a partir de 1º de janeiro de 2012 Austrália Brasil Canadá China Requerido para todas as empresas do setor privado e usado como base para as empresas do setor público desde 2005 Requerido para demonstrações contábeis consolidadas dos bancos e de companhias listadas a partir de 31 de dezembro de 2010 e para demonstrações individuais progressivamente desde janeiro de 2008 Requerido a partir de 1º de janeiro de 2011 para todas as entidades listadas e permitido para demais entidades do setor privado incluindo organizações sem fins lucrativos Normas substancialmente convergidas Estados Unidos Permitido para emissoras estrangeiras desde 2007 França Requerido via processo de adoção e implantação pela UE desde 2005 Índia Indonésia Convergindo com as IFRSs. Data a ser determinada Processo de convergência em andamento. Itália Requerido via processo de adoção e implantação pela UE desde 2005 Japão Permitido a partir de 2010 para algumas empresas internacionais México Requerido a partir de 2012 Reino Unido Requerido via processo de adoção e implantação pela UE desde 2005 República da Coreia Requerido desde 2011 Rússia Requerido a partir de 2012 Turquia Requerido para companhias listadas desde 2005 União Europeia Todos os estados-membros da UE são requeridos a usar as IFRSs como adotados pela UE para companhias listadas desde 2005 * Este resumo não é um levantamento exaustivo sobre o uso das IFRSs nesses países. Na maioria dos casos a informação foi disponibilizada pela autoridade nacional relevante ou é baseada em informação disponível ao público. Para obter informação fidedigna quanto ao uso das IFRSs em um país em particular ou países, contate diretamente a autoridade ou autoridades nacionais relevantes.

7 Sede Internacional 30 Cannon Street Londres, EC4M 6XH Reino Unido Telefone: +44 (0) Fax: +44 (0) Site: Escritório da Ásia-Oceania Otemachi Financial City South Tower 5F, Otemachi Chiyoda-ku Tóquio Japão Telefone: +81 (0) Fax: +81 (0) Atividades Técnicas O IASB recebe comentários do público como parte integrante de seu compromisso em desenvolver normas de contabilidade mediante um processo de emissão completo, aberto e público. Você pode contatar os membros do IASB ou a Equipe Técnica mediante: Telefone: +44 (0) Comunicações e Relações Externas Profissionais da imprensa devem direcionar suas perguntas para: Kirstina Reitan Chefe de Comunicações Telefone: +44 (0) Ben Letham Editor Web Telefone: +44 (0) Publicações Telefone: +44 (0) Educação Telefone: +44 (0) XBRL Telefone: +44 (0) % Impresso em papel 50% reciclado

Quem somos e o que fazemos

Quem somos e o que fazemos Última revisão: janeiro de 2014 Fundação IFRS Conselho de Normas Internacionais de Contabilidade (IASB) Quem somos e o que fazemos O nosso objetivo Desenvolver, com base em princípios claramente articulados,

Leia mais

Quem somos e o que fazemos

Quem somos e o que fazemos Revisado pela última vez em janeiro 2013 Fundação IFRS Conselho de Normas Internacionais de Contabilidade (IASB) Quem somos e o que fazemos O nosso objetivo Desenvolver, com base em princípios claramente

Leia mais

IFRS ao seu alcance 2014/2015

IFRS ao seu alcance 2014/2015 IFRS ao seu alcance 2014/2015 Um guia para se manter em sintonia com os conceitos do padrão contábil global Acesse este e outros conteúdos em www.deloitte.com.br Prefácio Bem-vindo à nova edição do guia

Leia mais

IFRS INTERNATIONAL FINANCIAL REPORTING STANDARD IFRS NORMAS INTERNACIONAIS DE RELATÓRIOS FINANCEIROS

IFRS INTERNATIONAL FINANCIAL REPORTING STANDARD IFRS NORMAS INTERNACIONAIS DE RELATÓRIOS FINANCEIROS PARTE 1 - IFRS NORMATIVOS E SEUS EFEITOS NO PROCESSO DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS PARTE 2 MENSURAÇÃO DE RISCOS E GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS IFRS GRUPO APLICABILIDADE IFRS FULL ENTIDADES

Leia mais

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CONTABILIDADE INTERNACIONAL FINANCIAL REPORTING

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CONTABILIDADE INTERNACIONAL FINANCIAL REPORTING Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CONTABILIDADE INTERNACIONAL FINANCIAL REPORTING Belo Horizonte 2012 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CONTABILIDADE INTERNACIONAL FINANCIAL

Leia mais

Pedro Malan. Entrevista. Pedro Malan

Pedro Malan. Entrevista. Pedro Malan O IASB é o board (comissão) que emite as IFRSs (Normas Internacionais de Contabilidade, para simplificar), e é um comitê puramente técnico. A entidade jurídica que o abarca é a Fundação IFRS, que é a responsável

Leia mais

International Financial Reporting Standards Mudança de Paradigma na Divulgação das Informações Financeiras D.J. Gannon

International Financial Reporting Standards Mudança de Paradigma na Divulgação das Informações Financeiras D.J. Gannon Julho de 2007 Volume 11 / Número 7 International Financial Reporting Standards Mudança de Paradigma na Divulgação das Informações Financeiras D.J. Gannon D.J. Gannon é sócio da Deloitte & Touche LLP, onde

Leia mais

A VOLTA À ESCOLA EUROPÉIA (SÉCULO XXI)!!!! SERÁ???? FASB OU IASB? QUEM VENCERÁ?

A VOLTA À ESCOLA EUROPÉIA (SÉCULO XXI)!!!! SERÁ???? FASB OU IASB? QUEM VENCERÁ? A VOLTA À ESCOLA EUROPÉIA (SÉCULO XXI)!!!! SERÁ???? FASB OU IASB? QUEM VENCERÁ? ORIGEM DE UMA NOVA ESCOLA Para fazer frente ao enorme poderio econômico norteamericano, após a 2ª Guerra Mundial, alguns

Leia mais

IFRS para PMEs ao seu alcance 2010. Orientações para aproximar sua empresa do novo padrão contábil global

IFRS para PMEs ao seu alcance 2010. Orientações para aproximar sua empresa do novo padrão contábil global IFRS para PMEs ao seu alcance 2010 Orientações para aproximar sua empresa do novo padrão contábil global Prefácio Em seu relatório de transição enviado ao IASB em dezembro de 2000, o IASC declarou haver

Leia mais

IFRS ao seu alcance 2012. Um guia para o aperfeiçoamento dos conceitos do padrão contábil global

IFRS ao seu alcance 2012. Um guia para o aperfeiçoamento dos conceitos do padrão contábil global IFRS ao seu alcance 2012 Um guia para o aperfeiçoamento dos conceitos do padrão contábil global Prefácio Bem-vindo à edição 2012 do guia IFRS ao seu alcance, que traz atualizações até o primeiro semestre

Leia mais

Cisco Systems Incorporation

Cisco Systems Incorporation Cisco Systems Incorporation 1. Principais Características Matriz: Cisco Systems Inc. Localização: São José, Califórnia, Estados Unidos Ano de fundação: 1984 Internet: www.cisco.com Faturamento (2000):

Leia mais

Sessão Especial de Asset Allocation. Vital Menezes

Sessão Especial de Asset Allocation. Vital Menezes Sessão Especial de Asset Allocation Vital Menezes Introdução ao Investimento no Exterior Os 3 Pilares do Investimento no Exterior Por que investir no exterior? 1 COMPOSIÇÃO DO BENCHMARK 2 CORRELAÇÃO E

Leia mais

ÓRGÃOS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE

ÓRGÃOS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE ÓRGÃOS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE 1. Introdução Nos dias atuais, várias entidades trabalham internacionalmente no desenvolvimento e uniformização de normas e procedimentos para a área contábil internacional,

Leia mais

ADOÇÃO E IMPLANTAÇÃO DA NBC TG 1000 CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS: UM ESTUDO NAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DE PERNAMBUCO

ADOÇÃO E IMPLANTAÇÃO DA NBC TG 1000 CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS: UM ESTUDO NAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DE PERNAMBUCO ADOÇÃO E IMPLANTAÇÃO DA NBC TG 1000 CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS: UM ESTUDO NAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DE PERNAMBUCO Marco Antonio Granha - Mestre em Ciências Contábeis Universidade

Leia mais

Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS)

Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS) Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS) África do Sul: Taxa predominante cobrada pelos bancos de contas garantidas prime. Alemanha: Taxa sobre crédito de conta-corrente de

Leia mais

Introdução à abordagem de ensino embasada na Estrutura Conceitual para imobilizado e outros ativos não financeiros

Introdução à abordagem de ensino embasada na Estrutura Conceitual para imobilizado e outros ativos não financeiros 2014 Fundação IFRS : Material de ensino de IFRS embasado na Estrutura Conceitual Introdução à abordagem de ensino embasada na Estrutura Conceitual para imobilizado e outros ativos não financeiros Este

Leia mais

ESTATUTO DO COMITÊ DE AUDITORIA DO CONSELHO DIRETOR 23 DE OUTUBRO DE 2014

ESTATUTO DO COMITÊ DE AUDITORIA DO CONSELHO DIRETOR 23 DE OUTUBRO DE 2014 ESTATUTO DO COMITÊ DE AUDITORIA DO CONSELHO DIRETOR 23 DE OUTUBRO DE 2014 I. FINALIDADE A finalidade do Comitê de Auditoria da AGCO Corporation (a Empresa ) é auxiliar o Conselho Diretor (o Conselho )

Leia mais

Harmonização contábil internacional. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua

Harmonização contábil internacional. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua Harmonização contábil internacional Autor: Ader Fernando Alves de Pádua RESUMO O presente artigo tem por objetivo abordar o conceito e os aspectos formais e legais das Normas Brasileiras de Contabilidade

Leia mais

UNIP Ciências Contábeis. Contabilidade Internacional e Teoria da Contabilidade Prof. MS Celso Marini E-mail: prof.marini@acharyabrasil.com.

UNIP Ciências Contábeis. Contabilidade Internacional e Teoria da Contabilidade Prof. MS Celso Marini E-mail: prof.marini@acharyabrasil.com. UNIP Ciências Contábeis Contabilidade Internacional e Teoria da Contabilidade Prof. MS Celso Marini E-mail: prof.marini@acharyabrasil.com.br AMERICAN INSTITUTE OF CERTIFIED PUBLIC ACCOUNTANTS (AICPA) 1939/1959

Leia mais

Auditoria Efeitos da Convergência. FERNANDO CALDAS Sócio da 100PORCENTO AUDIT, CONSULT, SOLUÇÕES S.A. www.100porcento.srv.br

Auditoria Efeitos da Convergência. FERNANDO CALDAS Sócio da 100PORCENTO AUDIT, CONSULT, SOLUÇÕES S.A. www.100porcento.srv.br Auditoria Efeitos da Convergência FERNANDO CALDAS Sócio da 100PORCENTO AUDIT, CONSULT, SOLUÇÕES S.A. www.100porcento.srv.br Final do Século XX Início do processo de globalização Diminuição das fronteiras

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU. Documento de sessão 9.9.2008 B6-0000/2008 PROPOSTA DE RESOLUÇÃO. apresentada nos termos do artigo 81.

PARLAMENTO EUROPEU. Documento de sessão 9.9.2008 B6-0000/2008 PROPOSTA DE RESOLUÇÃO. apresentada nos termos do artigo 81. PARLAMENTO EUROPEU 2004 Documento de sessão 2009 9.9.2008 B6-0000/2008 PROPOSTA DE RESOLUÇÃO apresentada nos termos do artigo 81.º do Regimento pela Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários sobre

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - Encalso Participações em Concessões S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - Encalso Participações em Concessões S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

MUDANÇAS NO GERADOR DE DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS

MUDANÇAS NO GERADOR DE DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS MUDANÇAS NO GERADOR DE DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS Visando a redução de riscos nos investimentos internacionais, além de ter mais facilidade de comunicação internacional no mundo dos negócios, com o uso de

Leia mais

ADERÊNCIA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DAS ENTIDADES FECHADAS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR AO IAS 26

ADERÊNCIA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DAS ENTIDADES FECHADAS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR AO IAS 26 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Instituto de Ciências Econômicas e Gerenciais Curso de Ciências Contábeis Contabilidade de Entidades de Previdência Privada e Seguradoras ADERÊNCIA DAS

Leia mais

Nossa atuação no setor financeiro

Nossa atuação no setor financeiro Nossa atuação no setor financeiro No mundo No Brasil O porte da equipe de Global Financial Services Industry (GFSI) da Deloitte A força da equipe do GFSI da Deloitte no Brasil 9.300 profissionais;.850

Leia mais

IAASB propõe nova Norma sobre a utilização do trabalho dos auditores internos

IAASB propõe nova Norma sobre a utilização do trabalho dos auditores internos Auditoria IAASB propõe nova Norma sobre a utilização do trabalho dos auditores internos Reconhecendo a evolução do ambiente de auditoria interna e a evolução da relação entre os auditores internos e externos,

Leia mais

CADERNO DE ANOTAÇÕES CONTÁBEIS

CADERNO DE ANOTAÇÕES CONTÁBEIS CADERNO DE ANOTAÇÕES CONTÁBEIS APLICAÇÃO N 3 As novas práticas contábeis instituídas a partir da Lei 11.638/2007 complementadas pela Lei 11.941/2009 e normatização formulada através da edição dos pronunciamentos

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE INVESTIMENTOS. Haroldo R. Levy Neto Vice-Presidente do CCA

CERTIFICAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE INVESTIMENTOS. Haroldo R. Levy Neto Vice-Presidente do CCA Associação Brasileira dos Analistas do Mercado de Capitais CERTIFICAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE INVESTIMENTOS Haroldo R. Levy Neto Vice-Presidente do CCA 05/04/2002 OBJETIVO DAS CERTIFICAÇÕES DA ABAMEC Através

Leia mais

O valor da certificação acreditada

O valor da certificação acreditada Certificado uma vez, aceito em toda parte O valor da certificação acreditada Relatório de Pesquisa Publicado em maio de 212 Em 21/11, o IAF realizou uma pesquisa mundial para capturar o feedback de mercado

Leia mais

33ª Conferência Anual da Organização Internacional das Comissões de Valores (IOSCO)

33ª Conferência Anual da Organização Internacional das Comissões de Valores (IOSCO) Paris, 29 de maio de 2008 Comunicado Final 33ª Conferência Anual da Organização Internacional das Comissões de Valores (IOSCO) A 33ª Conferência Anual da Organização Internacional das Comissões de Valores

Leia mais

NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE

NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE Diocézar Costa de Souza (Unicentro/UFPR) Marcos Roberto Kühl (Unicentro/UFPR) Roberto Rivelino Martins Ribeiro (UEM/UFPR) Resumo Este trabalho realiza um estudo teórico

Leia mais

Fundação IFRS: Material de ensino de IFRS embasado na Estrutura Conceitual. Estágio 3 a hierarquia IAS 8: o estudo de caso da Amalgam

Fundação IFRS: Material de ensino de IFRS embasado na Estrutura Conceitual. Estágio 3 a hierarquia IAS 8: o estudo de caso da Amalgam 2014 Fundação IFRS: Material de ensino de IFRS embasado na Estrutura Conceitual Estágio 3 a hierarquia IAS 8: o estudo de caso da Amalgam Este material de ensino foi preparado pela equipe de educação da

Leia mais

Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora

Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora Institucional Tokio Marine Seguradora Tokio Marine no Mundo Grupo Tokio Marine é o um dos líderes entre os grupos seguradores globais. Fundada em1879 Ativos:US$98bilhões

Leia mais

Introdução à lei Sarbanes- Oxley

Introdução à lei Sarbanes- Oxley Introdução à lei Sarbanes- Oxley A Lei Sarbanes-Oxley (Sarbanes-Oxley Act, normalmente abreviada em SOx ou Sarbox) é uma lei dos Estados Unidos criada em 30 de julho de 2002 por iniciativa do senador Paul

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

São Paulo, 15 de abril de 2013. Discurso do presidente Alexandre Tombini, durante o International Financial Reporting Standards (IFRS).

São Paulo, 15 de abril de 2013. Discurso do presidente Alexandre Tombini, durante o International Financial Reporting Standards (IFRS). São Paulo, 15 de abril de 2013. Discurso do presidente Alexandre Tombini, durante o International Financial Reporting Standards (IFRS). 1 Boa tarde a todos! Em primeiro lugar, gostaria de agradecer, em

Leia mais

Palavra-Chave: Contabilidade Internacional, Adoção as Normas Internacionais de Contabilidade, CPC-PMEs.

Palavra-Chave: Contabilidade Internacional, Adoção as Normas Internacionais de Contabilidade, CPC-PMEs. CONTABILIDADE INTERNACIONAL: a convergência das Normas Internacionais da Contabilidade aplicada às micros e pequenas empresas no município de Barreiras-BA. Acadêmica: Luana Alves Souza 1 E-mail: Lua.luana23@hotmail.com

Leia mais

Toshiba Corporation. Faturamento (2000): US$ 47.950 mi. Empregados (2000): 190.870

Toshiba Corporation. Faturamento (2000): US$ 47.950 mi. Empregados (2000): 190.870 Toshiba Corporation 1. Principais Características Matriz: Toshiba Corporation Localização: Minato-Ku, Tóquio, Japão Ano de fundação: 1875 Internet: www.toshiba.co.jp Faturamento (2000): US$ 47.950 mi Empregados

Leia mais

Revisão da Estrutura Conceitual Para Relatórios Financeiros

Revisão da Estrutura Conceitual Para Relatórios Financeiros Julho 2013 Documento de discussão DP/2013/1 Revisão da Estrutura Conceitual Para Relatórios Financeiros Comentários serão recebidos até 14 de Janeiro de 2014 Revisão da Estrutura Conceitual para Relatórios

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais SET/14

Ranking Mundial de Juros Reais SET/14 Ranking Mundial de Juros Reais SET/14 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14

Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14 Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

PROPOSTA DO IBMEC PROJETO ACESSO DAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS SÃO PAULO 29/06/2012

PROPOSTA DO IBMEC PROJETO ACESSO DAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS SÃO PAULO 29/06/2012 PROPOSTA DO IBMEC PROJETO ACESSO DAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS CEMEC SÃO PAULO 29/06/2012 C.A.ROCCA INDICE 1. Bases da proposta do IBMEC 2. Mercado de capitais brasileiro: regulação, funcionalidade

Leia mais

Resumo executivo. Metodologia. versus RESUMO EXECUTIVO DO EMC PRIVACY INDEX

Resumo executivo. Metodologia. versus RESUMO EXECUTIVO DO EMC PRIVACY INDEX Privacidade versus Conveniência Resumo executivo As manchetes sobre privacidade na Internet estão fomentando um debate sobre quanto de acesso governos e empresas devem ter a atividades, comunicações e

Leia mais

TÍTULO: ESTUDO DE CASO DE APLICAÇÕES DAS NORMAS INTERNACIONAIS DA CONTABILIDADE (IFRS) NAS PMES E O IMPACTO NA SUA APLICABILIDADE

TÍTULO: ESTUDO DE CASO DE APLICAÇÕES DAS NORMAS INTERNACIONAIS DA CONTABILIDADE (IFRS) NAS PMES E O IMPACTO NA SUA APLICABILIDADE TÍTULO: ESTUDO DE CASO DE APLICAÇÕES DAS NORMAS INTERNACIONAIS DA CONTABILIDADE (IFRS) NAS PMES E O IMPACTO NA SUA APLICABILIDADE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS

Leia mais

Modelos Puros de Normatização (Passado(

Modelos Puros de Normatização (Passado( 1 * Modelos Puros de Normatização (Passado( Passado) ) Países de Code Law Governo Legislativo ou Executivo ou Ambos Exemplos: Alemanha Itália Espanha França Japão Brasil etc. 2 Modelos Puros de Normatização

Leia mais

Prof. Egberto L. Teles. Prof. Egberto L. Teles 1

Prof. Egberto L. Teles. Prof. Egberto L. Teles 1 Prof. Egberto L. Teles Prof. Egberto L. Teles 1 Economia Finanças Interação de Conceitos Contabilidade Prof. Egberto L. Teles 2 Segundo Agüero (1996:25): O conceito de valor é bastante discutível e dificilmente

Leia mais

Rodovia das Colinas S.A.

Rodovia das Colinas S.A. Rodovia das Colinas S.A. Informações contábeis intermediárias Referentes ao Trimestre Findo em 31 de Março de 2013 e Relatório de Revisão dos Auditores Independentes sobre as informações contábeis intermediárias

Leia mais

Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar

Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar Introdução O International Accreditation Forum (IAF) é uma associação mundial de Organismos de Acreditação, Associações de Organismos de Certificação e outras

Leia mais

JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 23 de Maio

JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 23 de Maio JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 23 de Maio AGENDA HORÁRIO ATIVIDADE LOCAL 07h00 Café da Manhã Restaurante Principal 08h45 Abertura Brasoftware Salão Tangará 10h00 Business Suite Salão Nobre 13h00

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS u ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS PARECER COM(201 2)782 Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que estabelece um programa da União Europeia de apoio a atividades

Leia mais

VII. Organismos Financeiros Internacionais. Fundo Monetário Internacional

VII. Organismos Financeiros Internacionais. Fundo Monetário Internacional VII Organismos Financeiros Internacionais Fundo Monetário Internacional O FMI foi criado por ocasião da Conferência de Bretton Woods, em 22 de julho de 1944. Entrou em vigor em 27 de dezembro de 1945,

Leia mais

Abertas inscrições para o MBA em IFRS da FIPECAFI

Abertas inscrições para o MBA em IFRS da FIPECAFI Abertas inscrições para o MBA em IFRS da FIPECAFI A FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras) está com as inscrições abertas para a primeira turma do MBA em IFRS (Normas

Leia mais

www.resourceglobal.co.uk

www.resourceglobal.co.uk www.resourceglobal.co.uk INDÚSTRIAS EXTRATIVISTAS MINERAIS DE CONFLITO E DIREITOS HUMANOS SILVICULTURA INVESTIMENTO EM TERRAS SUSTENTABILIDADE DE NEGÓCIOS NORMAS DE CONFORMIDADE CONSULTORIA DE INVESTIMENTO

Leia mais

RAFAEL DOURADO GIARETTON RESUMO

RAFAEL DOURADO GIARETTON RESUMO CONTABILIDADE INTERNACIONAL: Utilização e adequação das Normas Internacionais de Contabilidade no dia a dia dos escritórios contábeis no município de Barreiras-BA. RAFAEL DOURADO GIARETTON RESUMO O objetivo

Leia mais

HARMONIZAÇÃO DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE: IMPACTOS NO PROCESSO DE ADOÇÃO E OS REFLEXOS NA CONTABILIDADE BRASILEIRA RESUMO

HARMONIZAÇÃO DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE: IMPACTOS NO PROCESSO DE ADOÇÃO E OS REFLEXOS NA CONTABILIDADE BRASILEIRA RESUMO HARMONIZAÇÃO DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE: IMPACTOS NO PROCESSO DE ADOÇÃO E OS REFLEXOS NA CONTABILIDADE BRASILEIRA RESUMO No Brasil, o tema Normas Internacionais de Contabilidade (IFRS)

Leia mais

Como a tecnologia pode contribuir para a missão de Educação Financeira Responsabilidade Social Corporativa Visa Inc.

Como a tecnologia pode contribuir para a missão de Educação Financeira Responsabilidade Social Corporativa Visa Inc. Como a tecnologia pode contribuir para a missão de Educação Financeira Responsabilidade Social Corporativa Visa Inc. Sabrina Sciama Relações Corporativas Brasil Quem somos Visa é uma empresa global de

Leia mais

IFRS A nova realidade de fazer Contabilidade no Brasil

IFRS A nova realidade de fazer Contabilidade no Brasil Ano X - Nº 77 - Julho/Agosto de 2014 IFRS A nova realidade de fazer Contabilidade no Brasil Profissionais da Contabilidade deverão assinar prestações de contas das eleições Ampliação do Simples Nacional

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA

REGULAMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA PROPÓSITO E AUTORIDADE QUEPASA CORPORATION REGULAMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA O comitê de auditoria da mesa diretiva do Quepasa Corporation (a Companhia ) se apresenta diante das responsabilidades

Leia mais

Exercícios sobre BRICS

Exercícios sobre BRICS Exercícios sobre BRICS 1. (ENEM) O G-20 é o grupo que reúne os países do G-7, os mais industrializados do mundo (EUA, Japão, Alemanha, França, Reino Unido, Itália e Canadá), a União Europeia e os principais

Leia mais

HARMONIZAÇÃO CONTÁBIL INTERNACIONAL IAS

HARMONIZAÇÃO CONTÁBIL INTERNACIONAL IAS Instituto de Ciências Econômicas e Gerenciais Curso de Ciências Contábeis Contabilidade em Moeda Constante e Conversão de Demonstrações Contábeis para Moeda Estrangeira HARMONIZAÇÃO CONTÁBIL INTERNACIONAL

Leia mais

cargas tributárias para empresas no mundou

cargas tributárias para empresas no mundou Cliente: UHY Moreira Data: 04/10/2011 Veículo: Site Sped Contábil - Porto Alegre Seção/ Pág. : Impostos e Tributos HUhttp://spedcontabilspedfiscal.com.br/impostos-tributacao-arrecadacao/carga-tributaria-brasil-temuma-das-maiores-cargas-tributarias-para-empresas-no-mundo/U

Leia mais

Regulação do mercado de valores mobiliários: modelos e objetivos.

Regulação do mercado de valores mobiliários: modelos e objetivos. Regulação do mercado de valores mobiliários: modelos e objetivos. Flavia Mouta Superintendente de Desenvolvimento do Mercado São Paulo, 11 de setembro de 2014 O conteúdo deste apresentação reflete a opinião

Leia mais

Edital de Audiência Pública SNC FUNDOS nº 01/11 Prazo:18/07/2011. Minuta de Norma Contábil Aplicável aos FII

Edital de Audiência Pública SNC FUNDOS nº 01/11 Prazo:18/07/2011. Minuta de Norma Contábil Aplicável aos FII Edital de Audiência Pública SNC FUNDOS nº 01/11 Prazo:18/07/2011 Minuta de Norma Contábil Aplicável aos FII Apresentação BM&FBOVESPA 12/07/2011 Disclaimer As opiniões e conclusões externadas nesta apresentação

Leia mais

Convergência as Normas Internacionais de Contabilidade. Maio/15

Convergência as Normas Internacionais de Contabilidade. Maio/15 Convergência as Normas Internacionais de Contabilidade Maio/15 Fundações de apoio à FEA-USP Universidades Educação, Pesquisa e Extensão Economia Administração IPSAS: ponto de partida nas IFRS A utopia

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

newsletter Nº 85 FEVEREIRO / 2014

newsletter Nº 85 FEVEREIRO / 2014 newsletter Nº 85 FEVEREIRO / 2014 Assuntos em Destaque Resumo Fiscal/Legal Janeiro de 2014 2 IFRS 10 Demonstrações Financeiras Consolidadas 3 Revisores e Auditores 6 LEGISLAÇÃO FISCAL/LEGAL Presidência

Leia mais

RPM International Inc. Instruções da linha direta

RPM International Inc. Instruções da linha direta RPM International Inc. Instruções da linha direta Embora, em geral, os problemas de conformidade possam ser solucionados a nível local, a linha direta da RPM International Inc. ( RPM ) oferece outro modo

Leia mais

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes.

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes. 3. Geografia Turística 3.1 Geografia Turística: Brasil de Ponta a Ponta Proporcionar ao participante melhor compreensão geográfica do país; Apresentar as principais especificidades existentes nos continentes

Leia mais

A CONTABILIDADE EM PORTUGAL E O 2005

A CONTABILIDADE EM PORTUGAL E O 2005 A CONTABILIDADE EM PORTUGAL E O 2005 Luís Lima Santos 1 até 1974 cinco * tentativas de normalização 1975 trabalho normalização contabilística 1.ª fase 1977 DL 47/77, aprova o 1977 (cria a CNC) 1980 Portaria

Leia mais

mídiakit www.tvgazeta.com.br

mídiakit www.tvgazeta.com.br mídiakit www.tvgazeta.com.br JUNHO / 2015 #HISTÓRIA Fundada no aniversário da cidade de São Paulo, a TV Gazeta fala com uma metrópole globalizada com a intimidade de quem esteve presente na vida e no coração

Leia mais

A/70/250. Assembleia Geral. Organização da septuagésima sessão regular da Assembleia Geral no ONU Jr, procedimentos e dinâmica do comitê.

A/70/250. Assembleia Geral. Organização da septuagésima sessão regular da Assembleia Geral no ONU Jr, procedimentos e dinâmica do comitê. Nações Unidas ONU Jr Assembleia Geral Distr.: Geral 15 Outubro 2014 Original: Português A/70/250 Septuagésima Sessão Conteúdo Organização da septuagésima sessão regular da Assembleia Geral no ONU Jr, procedimentos

Leia mais

O Comitê de Pronunciamentos - CPC. Irineu De Mula Diretor da Fundação Brasileira de Contabilidade - FBC

O Comitê de Pronunciamentos - CPC. Irineu De Mula Diretor da Fundação Brasileira de Contabilidade - FBC O Comitê de Pronunciamentos - CPC Irineu De Mula Diretor da Fundação Brasileira de - FBC Objetivo: O estudo, o preparo e a emissão de Pronunciamentos Técnicos sobre procedimentos de e a divulgação de informações

Leia mais

Os desafios da implementação da Lei 11.638/07

Os desafios da implementação da Lei 11.638/07 Os desafios da implementação da Lei 11.638/07 Nossos principais negócios: 40 empresas e 7 consórcios Corporação Cemig Áreas de Atuação: Geração, transmissão, comercialização e distribuição de energia elétrica

Leia mais

MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM

MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM COLETIVA DE IMPRENSA Participantes: Relatores: Geraldo Soares IBRI; Haroldo Reginaldo Levy Neto

Leia mais

IFRS para PMEs. Semana de Contabilidade do Banco Central. International Financial Reporting Standards para Pequenas 1 e Médias Empresas

IFRS para PMEs. Semana de Contabilidade do Banco Central. International Financial Reporting Standards para Pequenas 1 e Médias Empresas International Financial Reporting Standards para Pequenas 1 e Médias Empresas IFRS para PMEs Semana de Contabilidade do Banco Central 5 a 6 de agosto de 2010 O IFRS para PMEs 2 Boas Demonstrações Contábeis

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 610, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009

DELIBERAÇÃO CVM Nº 610, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009 Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 43 do Comitê de Pronunciamentos Contábeis, que trata da adoção inicial dos pronunciamentos técnicos CPC 15 a 40. A PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM

Leia mais

Compliance e o Desenvolvimento empresarial Marina Araújo 2013

Compliance e o Desenvolvimento empresarial Marina Araújo 2013 Compliance e o Desenvolvimento empresarial Marina Araújo 2013 Qual o impacto do Compliance para o desenvolvimento? Qual o impacto do Compliance para o desenvolvimento? Econômico Como o Compliance das empresas

Leia mais

I Encontro Mackenzie de Controladoria

I Encontro Mackenzie de Controladoria I Encontro Mackenzie de Controladoria Aprimorando a Comunicação entre a Academia e as Empresas Haroldo R. Levy Neto Coordenador do CODIM Vice-coordenador de Relações Institucionais do CPC 18/agosto/2010

Leia mais

Governança Corporativa O ponto de equilíbrio entre as necessidades da sua empresa e as melhores práticas do mercado. 2012 Deloitte Touche Tohmatsu

Governança Corporativa O ponto de equilíbrio entre as necessidades da sua empresa e as melhores práticas do mercado. 2012 Deloitte Touche Tohmatsu Governança Corporativa O ponto de equilíbrio entre as necessidades da sua empresa e as melhores práticas do mercado 2012 Deloitte Touche Tohmatsu Abertura e boas vindas Principais objetivos do encontro

Leia mais

Hamilton Beach Brands, Inc. Perfil dos integrantes do comitê executivo

Hamilton Beach Brands, Inc. Perfil dos integrantes do comitê executivo Hamilton Beach Brands, Inc. Perfil dos integrantes do comitê executivo Gregory H. Trepp Presidente e CEO Gregory H. Trepp é presidente e CEO da Hamilton Beach Brands, Inc., e também CEO da The Kitchen

Leia mais

A visão do mercado de capitais

A visão do mercado de capitais IFRS Um Caminho Para Transparência Painel 1: Por que o IFRS é importante para o Brasil? A visão do mercado de capitais (30/04/2008) Agenda BOVESPA: visão geral Perfil das companhias listadas em bolsa Segmentos

Leia mais

ATMOSFERAS EXPLOSIVAS

ATMOSFERAS EXPLOSIVAS ANOS ATMOSFERAS EXPLOSIVAS PESQUISA, ENSAIOS E CERTIFICAÇÃO APOIANDO O SEU SUCESSO EM ATMOSFERAS EXPLOSIVAS A UL emitiu a primeira certificação para Atmosferas Explosivas em 1915. Desde então, nossos padrões

Leia mais

XBRL como instrumento da contabilidade

XBRL como instrumento da contabilidade REUNIÃO GTSIS - 23/05/2012 XBRL como instrumento da contabilidade Paulo Roberto da Silva Fone : 0xx-51-3323-2219 E-mail: paulo.silva@gerdau.com.br REUNIÃO GTSIS - 23/05/2012 Objetivo: Identificar as facilidades

Leia mais

Desafios para Implementação da Gestão de Energia Dificuldades e incentivos para implementar a ISO 50.001

Desafios para Implementação da Gestão de Energia Dificuldades e incentivos para implementar a ISO 50.001 Desafios para Implementação da Gestão de Energia Dificuldades e incentivos para implementar a ISO 50.001 George Alves Soares Chefe da Assessoria Corporativa e de Novos Negócios em Eficiência Energética

Leia mais

TESTE DE IMPAIRMENT (RECUPERABILIDADE) DE ATIVO

TESTE DE IMPAIRMENT (RECUPERABILIDADE) DE ATIVO TESTE DE IMPAIRMENT (RECUPERABILIDADE) DE ATIVO Alequexandre Galvez de Andrade, Edson Aparecida de Araújo Querido Oliveira, Paulo César Ribeiro Quintairos Universidade de Taubaté/Programa de Mestrado em

Leia mais

Boletim Informativo. 2007 O ano...

Boletim Informativo. 2007 O ano... 2007 O ano...... que fez acontecer ou melhor que a encomenda (Capital Aberto), dos fundos de ações (Valor Econômico), dos IPOs (Gazeta Mercantil), da Bolsa (Folha de São Paulo), de realizações, de recordes,

Leia mais

Apresentar benchmarks considerando: Como os auditores internos avaliam suas competências atuais Quais competências necessitam de aprimoramento Como

Apresentar benchmarks considerando: Como os auditores internos avaliam suas competências atuais Quais competências necessitam de aprimoramento Como 1ª Pesquisa Protiviti/Audibra sobre as Tendências da Auditoria Interna no Brasil Junho, 2010 Objetivo da Pesquisa Apresentar benchmarks considerando: Como os auditores internos avaliam suas competências

Leia mais

ITI Liderança em implantodontia.

ITI Liderança em implantodontia. ITI Liderança em implantodontia. Uma organização dedicada ao avanço do conhecimento e ao compartilhamento de experiência. Professor Dr. Daniel Buser Presidente ITI Dr. Stephen Chen Presidente Comitê de

Leia mais

IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços. São Paulo, 25 de junho de 2013

IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços. São Paulo, 25 de junho de 2013 2013 IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços São Paulo, 25 de junho de 2013 BALANÇA BRASILEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS* - US$ Bilhões 2011 2012 Δ% 2012/2011 Exportações

Leia mais

História do Ibracon 1957: ICPB

História do Ibracon 1957: ICPB História do Ibracon ORIGEM: 1957: ICPB - Instituto dos Contadores Públicos do Brasil 1968: Criação do Instituto Brasileiro de Auditores Independentes (IBAI) DENOMINAÇÃO: 1971: Fundação do Instituto dos

Leia mais

Perspectivas da Economia Brasileira

Perspectivas da Economia Brasileira Perspectivas da Economia Brasileira CÂMARA DOS DEPUTADOS Ministro Guido Mantega Comissão de Fiscalização Financeira e Controle Comissão de Finanças e Tributação Brasília, 14 de maio de 2014 1 Economia

Leia mais

Comunicado Final da XXXI a Conferência Anual da Organização Internacional das Comissões de Valores (IOSCO)

Comunicado Final da XXXI a Conferência Anual da Organização Internacional das Comissões de Valores (IOSCO) Comunicado Final da XXXI a Conferência Anual da Organização Internacional das Comissões de Valores (IOSCO) Os reguladores de valores e futuros do mundo, assim como outros membros da comunidade financeira

Leia mais

RBC BRASIL DTVM LTDA. Confiança que faz a diferença

RBC BRASIL DTVM LTDA. Confiança que faz a diferença RBC BRASIL DTVM LTDA Confiança que faz a diferença Sobre o RBC Brasil O RBC Brasil (RBC Brasil DTVM Ltda) é uma subsidiária integral do Royal Bank of Canada, cuja história de atuação em nosso país remonta

Leia mais

Por dentro do mercado de médio porte: Uma perspectiva para 2011

Por dentro do mercado de médio porte: Uma perspectiva para 2011 Janeiro 2011 Exclusivamente para empresas de médio porte Por dentro do mercado de médio porte: Uma perspectiva para 2011 Relatório para o Brasil Panorama global: Pesquisa com 2.112 líderes do mercado de

Leia mais

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Náutica Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro para

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO. Em atendimento à U.S. Securities and Exchange Commission SEC, o Comitê. na Sarbanes-Oxley Act.

1. APRESENTAÇÃO. Em atendimento à U.S. Securities and Exchange Commission SEC, o Comitê. na Sarbanes-Oxley Act. Aos Conselheiros de Administração Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo 1. APRESENTAÇÃO O Comitê de Auditoria (Comitê) da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo Sabesp é

Leia mais

1.a. Atividades principais a companhia manufatura e comercializa aparelhos domésticos e produtos relacionados.

1.a. Atividades principais a companhia manufatura e comercializa aparelhos domésticos e produtos relacionados. Whirlpool Corporation 1. Principais Características Matriz: Whirlpool Corporation Localização: Benton Harbor, Michigan, Estados Unidos Ano de fundação: 1911 Internet: www.whirlpoolcorp.com Faturamento

Leia mais

Valor do portfólio da Temasek atinge recorde de R$ 250 bilhões

Valor do portfólio da Temasek atinge recorde de R$ 250 bilhões Comunicado à Imprensa Valor do portfólio da Temasek atinge recorde de R$ 250 bilhões - O portfólio apresentou um retorno total de 9% aos acionistas no período de 10 anos - Os investimentos realizados após

Leia mais