movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas hóspedes estada média taxas ocupação proveitos médios balança turística

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas hóspedes estada média taxas ocupação proveitos médios balança turística"

Transcrição

1 Variações entre os valores anuais de 2005 e 2006: +4,2% no movimento de passageiros desembarcados de voos internacionais clássicos; +38,6% movimento de passageiros desembarcados de voos low-cost; -0,8% no movimento de passageiros nos principais portos marítimos nacionais; +5,6% de dormidas nos estabelecimentos hoteleiros ; +7,6% de hóspedes nos estabelecimentos hoteleiros; estada média nos estabelecimentos hoteleiros mantêm-se nos 3,0 dias; taxa de ocupação-cama, cresceu 1,7 p.p.; taxa de ocupação-quarto, cresceu 2,2 p.p. +1,60 nos proveitos médios por dormidas; movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas hóspedes estada média taxas ocupação proveitos médios +7,3% de receitas do turismo. balança turística

2 movimentos aéreos Movimento Mensal de Passageiros Desembarcados de Voos Internacionais Clássicos - 4º Trimestre 2006/05 - Entre 2005 e 2006, registou-se um aumento de 4,2% dos passageiros desembarcados de voos internacionais. Este comportamento ficou a dever-se ao bom desempenho dos aeroportos de Lisboa e do Funchal, que registaram variações homólogas de, +7,1% e +6,4%, respectivamente. Os aeroportos do Porto e Faro apesar de registarem, decréscimos de 2,5% e 2,2%, respectivamente, não condicionaram a performance do ano, porque representaram apenas 27,4% do movimento geral. No 4º trimestre de 2006, o número de passageiros desembarcados de voos internacionais clássicos nos principais aeroportos nacionais, registou uma variação homóloga positiva de 4,9%. Movimento Mensal de Passageiros Desembarcados de Voos Internacionais Low-Cost - 4º Trimestre 2006/05 - Para o total do ano os passageiros desembarcados de voos low-cost registaram uma variação homóloga de +38,6%. O aeroporto de Faro com 60,1% do movimento total, apresentou uma variação positiva de 16,3%, em relação a Os aeroportos de Lisboa e do Porto assinalaram, as variações homólogas positivas mais elevadas de, respectivamente, 93,8% e 96,8%. Os passageiros desembarcados de voos low-cost atingiram, no 4º trimestre de 2006, um aumento de 47,8%, face ao período homólogo de 2005, para o qual muito contribuiu a variação homóloga positiva de 54,6% registada no mês de Dezembro. 2 / 18

3 movimentos marítimos O ano de 2006 terminou com um ligeiro decréscimo no movimento de cruzeiros, 0,8% face a 2005, apesar do aumento ocorrido nos portos de Ponta Delgada e Lisboa, (25% e 7,2%, respectivamente). Os portos de Lisboa e Funchal, representaram 81,7%, do total do movimento de cruzeiros. Movimento de Cruzeiros nos Principais Portos Marítimos - 4º Trimestre 2006/05 - No 4º trimestre de 2006, o movimento de cruzeiros nos principais portos marítimos, registou um total de 197 cruzeiros, correspondendo a uma variação homóloga positiva de 7,7%. Neste trimestre foi o mês de Novembro que registou a variação mais elevada com 20,0% e pela negativa destacou-se o mês de Dezembro com -8,9%. Este aumento global deveu-se à evolução favorável do porto de Lisboa (+23,4%), que representou, no 4º trimestre de 2006, 32% do movimento total. 3 / 18

4 O ano de 2006 terminou com um crescimento no movimento de passageiros de 2,4% face a Os portos de Lisboa e Funchal movimentaram 87,6% do total de passageiros. No 4º trimestre, o movimento total de passageiros nos principais portos marítimos aumentou 10,1% face ao período homólogo de Os portos de Douro/Leixões e Ponta Delgada apesar da pouca representatividade no total de passageiros a nível do País, registaram aumentos homólogos no número de passageiros de respectivamente, 117,3% e 22,8%. passageiros Movimento de Passageiros nos Portos Marítimos - 4º Trimestre 2006/ Douro e Leixões Lisboa Portimão Ponta Delgada Funchal portos marítimos Fonte: Portos Nacionais Movimento de Passageiros nos Portos Marítimos - 4º Trimestre 2006/05 - Em Dezembro de 2006, à semelhança da evolução do número de cruzeiros, também no número de passageiros se verificou um decréscimo homólogo de 4,9%, face ao mesmo mês de 2005 (em Outubro registou-se a variação positiva mais elevada, 8,1%). 4 / 18

5 dormidas Dormidas nos Estabelecimentos Hoteleiros - País de Residência / 4º Trimestre / Total Anual 2006/05 - Em 2006, as dormidas nos estabelecimentos hoteleiros apresentaram uma variação homóloga positiva de 5,6%. Esta foi também a variação registada tanto para o mercado interno como para o mercado externo, apesar deste representar 67,2% do total das dormidas. O Reino Unido, a Alemanha e a Espanha foram os mercados que registaram os maiores números de dormidas, embora apenas a Espanha tenha registado uma variação homóloga positiva de 17%. O Reino Unido e a Alemanha registaram decréscimos homólogos de 1,2% e 0,8%, respectivamente. Dos restantes principais mercados destacaram-se os aumentos homólogos registados pela Holanda (+6,6%), França (+10,8%) e Itália (+30,8%). No 4º trimestre de 2006, face ao período homólogo de 2005, as dormidas nos estabelecimentos hoteleiros registaram um aumento de 7,2%, motivado pelos crescimentos conjuntos dos mercados interno (+7,1%) e externo (+7,2%). Numa perspectiva mensal, a evolução de 2006 face a 2005 foi sempre positiva, com especial destaque para o mês de Dezembro que apresentou o aumento mais elevado (+12,7%). Os principais mercados emissores apresentaram neste mês aumentos significativos como a Espanha (+48,4%), a Alemanha (+12,5%), a Itália (+47,8%) e a França (+5,2%). 5 / 18

6 Dormidas nos Estabelecimentos Hoteleiros - Tipologias / 4º Trimestre / Total Anual 2006/05 - Tipologias Outubro Novembro Dezembro Total 4º Trimestre Total Anual var. 06/ var. 06/05 % Total 2006 Hotéis ,8% ,8% 55,0% Hotéis-Apartamentos ,2% ,2% 16,3% Pousadas ,1% ,4% 1,1% Motéis ,7% ,5% 0,7% Estalagens ,7% ,3% 2,0% Pensões ,2% ,6% 9,4% Total Est. Hoteleiros ,8% ,5% 84,4% Aldeamentos Turísticos ,5% ,8% 4,5% Apartamentos Turísticos ,8% ,1% 11,0% Total Geral ,9% ,6% 100,0% Fonte: INE (*) Em 2006, os hotéis concentraram 55% das dormidas totais e registaram um aumento homólogo de 10,8%. Os motéis apresentaram o maior crescimento homólogo (+26,5%). Os aldeamentos, os apartamentos e os hotéisapartamentos foram as únicas tipologias a registarem decréscimos homólogos de 3,8%, 4,1% e 1,2%, respectivamente. No último trimestre de 2006, destaca-se o crescimento homólogo de 11,8% registado pelos hotéis que representaram 59% do total. Todos os meses do trimestre apresentaram crescimentos homólogos, no entanto, Dezembro registou o valor mais elevado (+11,6%). Dormidas nos Estabelecimentos Hoteleiros - NUTS II / 4º Trimestre / Total Anual 2006/05 - NUTS II Outubro Novembro Dezembro Total 4º Trimestre Total Anual var. 06/ var. 06/05 % Total 2006 Norte ,3% ,9% 10,2% Centro ,8% ,6% 9,3% Lisboa ,7% ,2% 21,7% Alentejo ,9% ,7% 2,6% Algarve ,5% ,2% 37,7% Continente ,0% ,3% 81,5% Açores ,6% ,0% 3,1% Madeira ,1% ,1% 15,3% Portugal ,9% ,6% 100,0% Fonte: INE (*) Em 2006 todas as regiões atingiram crescimentos face a 2005, salientando-se, no entanto, os mais elevados que ocorreram em Lisboa (+12,2%) e no Norte (+11,9%). As regiões do Algarve (37,7% do total), de Lisboa (21,7%), da Madeira (15,3%) e do Norte (10,2%) continuam a ser as que concentraram, em 2006, o maior número de dormidas. A região de Lisboa registou, no 4º trimestre de 2006, a variação homóloga positiva mais elevada (+15,7%), seguida das regiões do Norte (+13,3%) e do Alentejo (+12,9%). A Região Autónoma da Madeira foi a única região que registou decréscimos homólogos em todos os meses do último trimestre de / 18

7 Tipologias Dormidas nos Estabelecimentos Hoteleiros - Tipologias / Residentes em Portugal/Estrangeiro /Total Anual 2006/ var. 06/05 Residentes em Portugal Residentes no Estrangeiro Total % Total var. 06/05 % Total var. 06/05 Hotéis ,6% 56,6% ,1% 54,1% ,9% 55,0% Hotéis-Apartamentos ,1% 10,7% ,5% 19,1% ,2% 16,3% Pousadas ,5% 1,8% ,4% 0,7% ,2% 1,1% Motéis ,0% 1,6% ,7% 0,3% ,8% 0,7% Estalagens ,2% 1,9% ,5% 2,0% ,1% 2,0% Pensões ,4% 16,3% ,0% 6,0% ,7% 9,4% Total Est. Hoteleiros ,7% 88,9% ,6% 82,3% ,6% 84,4% Aldeamentos Turísticos ,3% 2,3% ,0% 5,6% ,6% 4,5% Apartamentos Turísticos ,6% 8,8% ,1% 12,1% ,9% 11,0% Total Geral ,6% 100,0% ,6% 100,0% ,6% 100,0% % Total 2006 Fonte: INE (*) Em 2006 os hotéis (56,6% do total) e as pensões (16,3%) foram as tipologias que concentraram o maior número de dormidas de residentes em Portugal, apesar de registarem um decréscimo homólogo de 1,4%, nas dormidas de pensões. Os motéis assinalaram a variação homóloga positiva mais elevada (+33,0%), embora representassem apenas 1,6% do total. O mercado estrangeiro registou o maior número de dormidas também nos hotéis (54,1%) e nos hotéisapartamentos (19,1%). Esta tipologia juntamente com os aldeamentos e os apartamentos turísticos constituíram o grupo que, em 2006, apresentou decréscimos homólogos de, 1,5%, 4,0% e 7,1%. As pensões e os hotéis assinalaram os aumentos homólogos mais elevados, com 14,0% e +12,1%, respectivamente. Dormidas nos Estabelecimentos Hoteleiros - NUTS II / Residentes em Portugal/Estrangeiro /Total Anual 2006/05 - As regiões do Algarve e de Lisboa concentraram, em 2006, cerca de 46% do número total de dormidas de residentes em Portugal. Todas as regiões apresentaram variações homólogas positivas, com destaque para Lisboa e Açores onde esses aumentos atingiram 11,3% e 7,2%, respectivamente. As regiões do Algarve, de Lisboa e da Madeira registaram cerca de 21,5 milhões de dormidas de residentes no estrangeiro (85% do total de dormidas). Os aumentos percentuais mais elevados entre 2005 e 2006 ocorreram nas regiões do Norte, Lisboa e Centro, com 20,8%, 12,6% e 11,9%, respectivamente. 7 / 18

8 hóspedes Hóspedes nos Estabelecimentos Hoteleiros - País de Residência / 4º Trimestre / Total Anual 2006/05 - No ano de 2006, registou-se um crescimento homólogo de 7,6% no número de hóspedes nos estabelecimentos hoteleiros. A Áustria, a Itália, a Irlanda e o Brasil constituíram os mercados que assinalaram, os crescimentos homólogos mais acentuados, com 35,5%, 25,5%, 15,1% e 14,7%, respectivamente. A Finlândia, o Japão e a Suécia, foram os únicos mercados com variações homólogas negativas (-4,7%, - 22,0%, -5,6% e -0,1%, respectivamente). Os hóspedes residentes no estrangeiro representaram 52,6% do total, registado em No 4º trimestre de 2006, o total de hóspedes nos estabelecimentos hoteleiros registou uma variação homóloga positiva de 9,6%, com crescimentos tanto de hóspedes residentes em Portugal (7,0%) como no estrangeiro (12,3%). O grupo constituído pelo Reino Unido, Espanha, Alemanha, França, Itália, E.U.A. e Holanda representou 37% do total de hóspedes estrangeiros que permaneceram, no último trimestre de 2006, nos estabelecimentos hoteleiros e que registaram variações homólogas positivas, com realce para os mercados italianos (+38,1%) e espanhol (+26,3%). A Dinamarca, a Finlândia, o Japão e a Suécia foram os únicos mercados que apresentaram decréscimos homólogos de 4,5%, 14,9%, 18,4% e 11,8%, respectivamente. 8 / 18

9 Hóspedes nos Estabelecimentos Hoteleiros - Tipologias / 4º Trimestre / Total Anual 2006/05 - Em 2006, todas as tipologias apresentaram crescimentos no número de hóspedes em relação a 2005, com excepção para as pousadas que registaram uma ligeira quebra (-0,3%). Em termos de variação, o maior crescimento homólogo ocorreu nos motéis com 19,1% o que correspondeu a mais hóspedes. Os hotéis por sua vez, representaram 63,8% do total da hotelaria e apresentaram uma variação homóloga positiva de 9,8% que se traduziu em mais hóspedes. No 4º trimestre de 2006 o número de hóspedes registou variações homólogas positivas em todas as tipologias, excepto nos aldeamentos turísticos onde o decréscimo foi de 7,2%. Os hotéis que representam 66,7%, do total de hóspedes registaram um crescimento homólogo de +11,8% que correspondeu a mais hóspedes. Todos os meses do trimestre apresentaram crescimentos homólogos, destacando-se, o mês de Dezembro, com +15,1%, tal como já sucedera para o número de dormidas. Hóspedes nos Estabelecimentos Hoteleiros - NUTS II / 4º Trimestre / Total Anual 2006/05 - As regiões de Lisboa e do Algarve concentraram, em 2006, 51,3% do total de hóspedes que permaneceram nos estabelecimentos hoteleiros. A região Norte, que ocupou a 3ª posição em termos de peso relativo no total do país, apresentou o maior crescimento (+10,9%). Todas as regiões registaram variações homólogas positivas no número de hóspedes. 9 / 18 Lisboa foi a região que registou o maior volume de hóspedes no 4º trimestre de 2006, 860 milhares de hóspedes e foi também a que apresentou a variação homóloga positiva mais elevada, 13,8%. Mensalmente, todas as regiões apresentaram crescimentos homólogos, com excepção de Novembro, onde a região autónoma da Madeira registou uma regressão de 4,7% no número de hóspedes.

10 Tipologias Hóspedes nos Estabelecimentos Hoteleiros - Tipologias / Residentes em Portugal/Estrangeiro /Total Anual 2006/05 - Residentes em Portugal Residentes no Estrangeiro var. 06/05 % total var. 06/05 % total var. 06/05 % total 2006 Hotéis ,1% 62,3% ,4% 65,1% ,8% 63,8% Hotéis-Apartamentos ,8% 6,9% ,4% 12,4% ,2% 9,8% Pousadas ,2% 2,4% ,3% 1,8% ,3% 2,1% Motéis ,9% 2,4% ,2% 0,2% ,1% 1,3% Estalagens ,2% 2,4% ,8% 2,0% ,5% 2,2% Pensões ,6% 18,3% ,6% 8,5% ,1% 13,1% Total Est. Hoteleiros ,0% 94,7% ,1% 90,0% ,1% 92,2% Aldeamentos Turísticos ,3% 1,0% ,2% 3,3% ,4% 2,2% Apartamentos Turísticos ,6% 4,2% ,5% 6,8% ,8% 5,6% Total Geral ,1% 100,0% ,0% 100,0% ,6% 100,0% Total Fonte: INE (*) Os hotéis (62,3% do total) e as pensões (18,3%) foram as tipologias que registaram o maior número de hóspedes residentes em Portugal, em O maior número de hóspedes residentes no estrangeiro ocorreu nos hotéis (65,1% do total) e nos hotéis-apartamentos (12,4%). As tipologias que apresentaram os maiores crescimentos homólogos foram os motéis, os apartamentos turísticos e os hotéis, com 20,9%, 11,6% e 8,1%, respectivamente. Os aldeamentos turísticos e as pensões apresentaram decréscimos homólogos de 5,3% e 0,6%, respectivamente. Os hotéis (+11,4%) e as pensões (+14,6%) foram as tipologias que atingiram os maiores aumentos. Os únicos decréscimos homólogos registaram-se nas pousadas (-3,3%) e nos apartamentos turísticos (-1,5%). Hóspedes nos Estabelecimentos Hoteleiros - NUTS II / Residentes em Portugal/Estrangeiro /Total Anual 2006/05 - NUTS II Residentes em Portugal Residentes no Estrangeiro Total var. 06/05 % total var. 06/05 % total var. 06/05 % total 2006 Norte ,3% 23,7% ,3% 11,6% ,9% 17,3% Centro ,7% 21,7% ,8% 9,2% ,5% 15,1% Lisboa ,4% 23,2% ,6% 33,9% ,9% 28,8% Alentejo ,0% 7,6% ,1% 2,5% ,3% 4,9% Algarve ,8% 15,9% ,9% 28,3% ,2% 22,5% Continente ,1% 92,1% ,6% 85,5% ,9% 88,6% Açores ,3% 3,4% ,3% 2,1% ,5% 2,7% Madeira ,8% 4,5% ,6% 12,4% ,4% 8,6% Portugal ,1% 100,0% ,0% 100,0% ,6% 100,0% Fonte: INE (*) As regiões do Norte, de Lisboa e do Centro concentraram 68,6% do total dos hóspedes residentes em Portugal, durante o ano de A região de Lisboa (+10,4%) seguida pelas regiões do Norte e dos Açores (+7,3%), atingiram os maiores crescimentos de hóspedes nacionais. O maior número de hóspedes residentes no estrangeiro ocorreu nas regiões de Lisboa (33,9% do total do país) e no Algarve (28,3%). As regiões do Norte (+18,3%) e do Centro (+11,8%) registaram, em 2006, os crescimentos homólogos mais elevados. 10 / 18

11 estada média Estada Média nos Estabelecimentos Hoteleiros - País de Residência / 4º Trimestre / Total Anual 2006/05 - Para o ano de 2006, os países que atingiram as estadas médias mais elevadas foram a Irlanda com 5,6 dias, seguida pelo Reino Unido, Holanda e Finlândia com 5,5 dias e Alemanha com 5,0 dias. O mercado austríaco registou a variação homóloga positiva mais elevada com +0,4 dias. De sinal contrário surgiu a Irlanda com a variação homóloga negativa mais acentuada (-0,4 dias). Em 2006 o mercado estrangeiro registou uma estada média nos estabelecimentos hoteleiros de 3,0 dias (- 0,1 dias que em 2005) e o mercado nacional ficou pelos 2,1 dias (valor igual a 2005). A estada média nos estabelecimentos hoteleiros, no 4º trimestre de 2006 fixou-se nos 2,7 dias, traduzindo-se num decréscimo de 0,1 dias em relação ao período homólogo de 2005, tendo o mercado estrangeiro assinalado uma estada média (3,6 dias) superior à do mercado nacional (1,8 dias). A Finlândia, apesar de só ter representado 1,4% do total das dormidas e 0,7% do total do hóspedes nos estabelecimentos hoteleiros, no 4º trimestre de 2006, foi o país que apresentou a estada média mais elevada, 5,5 dias, com um acréscimo de 0,1 dias face ao 4º trimestre de Dos 5 principais mercados emissores para Portugal, o inglês apresentou a estada média mais elevada, 5,3 dias, seguido do mercado holandês com 5,1 dias e do alemão com 4,8 dias. 11 / 18

12 Estada Média nos Estabelecimentos Hoteleiros - Tipologias / 4º Trimestre / Total Anual 2006/05 - Em 2006, os aldeamentos turísticos registaram a estada média mais elevada com 6,2 dias e as pousadas a mais baixa com 1,6 dias. No que respeita à estada média nos estabelecimentos hoteleiros, no 4º trimestre de 2006 não se verificaram grandes oscilações, relativamente ao mesmo período de Os aldeamentos turísticos apresentaram a estada média mais elevada, 6,1 dias, seguidos dos apartamentos turísticos com 5,3 dias e dos hotéisapartamentos com 4,8 dias. A estada média mensal mais elevada registou-se em Outubro, nos aldeamentos turísticos e foi de 6,3 dias. Estada Média nos Estabelecimentos Hoteleiros - NUTS II / 4º Trimestre / Total Anual 2006/05 - Em 2006 a região autónoma da Madeira registou a estada média mais elevada com 5,4 dias, seguida do Algarve com 5,1 dias e dos Açores com 3,5 dias. No 4º trimestre de 2006, foram também as regiões da Madeira, Algarve e Açores que registaram as estadas médias mais elevadas, com 5,4, 4,6 e 3,5 dias, respectivamente. Mensalmente destaca-se o mês de Dezembro com quebras na estada média para a Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores com 0,4 e 0,3 dias respectivamente. 12 / 18

13 Estada Média nos Estabelecimentos Hoteleiros - Tipologias / Residentes em Portugal/Estrangeiro /Total Anual 2006/05 - (em dias) Tipologias Residentes em Portugal Residentes no Estrangeiro var. 06/ var. 06/ var. 06/05 Hotéis 1,9 1,9 0,0 3,2 3,2 0,0 2,6 2,6 0,0 Hotéis-Apartamentos 3,3 3,4-0,1 6,0 6,3-0,3 5,1 5,3-0,2 Pousadas 1,6 1,6 0,0 1,5 1,5 0,0 1,6 1,5 0,1 Motéis 1,4 1,3 0,1 4,7 4,7 0,0 1,7 1,6 0,1 Estalagens 1,7 1,7 0,0 3,9 3,9 0,0 2,8 2,8 0,0 Pensões 1,9 1,9 0,0 2,8 2,8 0,0 2,2 2,2 0,0 Total Est. Hoteleiros 2,0 2,0 0,0 3,6 3,6 0,0 2,8 2,8 0,0 Aldeamentos Turísticos 4,6 4,4 0,2 6,7 7,1-0,4 6,2 6,5-0,3 Apartamentos Turísticos 4,4 4,6-0,2 7,0 7,4-0,4 6,0 6,5-0,5 Total Geral 2,1 2,1 0,0 3,9 4,0-0,1 3,0 3,1-0,1 Total Fonte: INE (*) No que respeita à estada média dos hóspedes nacionais nas diversas tipologias dos estabelecimentos hoteleiros, em 2006, os aldeamentos turísticos registaram o valor mais elevado, 4,6 dias, e a variação homóloga positiva mais elevada, 0,2 dias. Relativamente ao mercado estrangeiro, os apartamentos turísticos assinalaram o valor mais elevado, 7,0 dias, mas a variação homóloga negativa mais acentuada, 0,4 dias. Estada Média nos Estabelecimentos Hoteleiros - NUTS II / Residentes em Portugal/Estrangeiro /Total Anual 2006/05 - (em dias) NUTS II Residentes em Portugal Residentes no Estrangeiro Total var. 06/ var. 06/ var. 06/05 Norte 1,7 1,7 0,0 2,1 2,0 0,1 1,8 1,8 0,0 Centro 1,8 1,8 0,0 2,0 2,0 0,0 1,9 1,9 0,0 Lisboa 1,7 1,7 0,0 2,6 2,6 0,0 2,3 2,2 0,1 Alentejo 1,6 1,6 0,0 1,6 1,6 0,0 1,6 1,6 0,0 Algarve 3,6 3,5 0,1 5,9 6,1-0,2 5,1 5,3-0,2 Continente 2,0 2,0 0,0 3,5 3,6-0,1 2,8 2,8 0,0 Açores 2,6 2,6 0,0 4,8 5,0-0,2 3,5 3,6-0,1 Madeira 3,1 3,2-0,1 6,1 6,3-0,2 5,4 5,6-0,2 Portugal 2,1 2,1 0,0 3,9 4,0-0,1 3,0 3,1-0,1 Fonte: INE (*) A região do Algarve, em 2006, registou a estada média mais elevada no mercado nacional com 3,6 dias e igualmente a única variação homóloga positiva, 0,1 dias. A estada média dos hóspedes estrangeiros foi mais elevada na região da Madeira com 6,1 dias, seguida da região do Algarve (5,9 dias) e da região dos Açores (4,8 dias). 13 / 18

14 taxas ocupação Taxas de Ocupação (Quarto e Cama) nos Estabelecimentos Hoteleiros - Tipologias / Meses (Outubro a Dezembro) / Total Anual 2006/05 - Em 2006, a taxa de ocupação-quarto atingiu os 57,3%, e a taxa de ocupação-cama registou 48,3%, que correspondeu a variações homólogas positivas de, +2,2 p.p. e + 1,7 p.p.. Os hotéis-apartamentos apresentaram as taxas de ocupação quarto (+62,9%) e cama (+53,6%), mais elevadas, originando variações homólogas positivas de, 1,4 e 2,4 p.p., respectivamente. Refira-se que os hotéis de 5* assinalaram a variação homóloga positiva mais elevada na taxa de ocupaçãoquarto, +5,1 p.p.. Os motéis registaram a variação homóloga negativa mais elevada na ocupação-quarto (-4,8 p.p.). No mês de Outubro de 2006 registaram-se as taxas de ocupação quarto (59,7%) e cama (47,3%) mais elevadas, que se traduziram em variações positivas de 2,3 p.p. e 1,6 p.p., respectivamente. A análise por tipologias permite concluir que, nos últimos três meses de 2006, os aldeamentos e apartamentos turísticos, registaram quebras na taxa de ocupação-cama, todas as outras tipologias apresentaram variações homólogas positivas. 14 / 18

15 Taxas de Ocupação (Quarto e Cama) nos Estabelecimentos Hoteleiros - NUTS II / Meses (Outubro a Dezembro) / Total Anual 2006/05 - No 4º trimestre de 2006, com excepção para a Região Autónoma dos Açores que registou decréscimos de 5,0 p.p., para a ocupação-quarto e de -2,8 p.p., para a ocupação-cama, todas as outras regiões apresentaram comportamentos positivos. Merece especial destaque a região de Lisboa, com variações homólogas de, 4,9 p.p. na ocupação quarto e 6,0 p.p. na ocupação cama. Refira-se que Outubro foi o mês onde se obtiveram taxas de ocupação quarto e cama, mais elevadas em relação ao período homólogo de 2005, (59,7% para ocupação-quarto e 47,3% para ocupaçãocama). Neste mês, a região de Lisboa registou a taxa de ocupação-cama mais elevada (60,2%), que resultou numa subida de 11,0 p.p. em relação ao período homólogo de A região autónoma dos Açores apresentou as taxas de ocupação quarto e cama, no 4º trimestre de 2006, inferiores ao período homólogo, com destaque para o mês de Novembro, com -9,4 p.p ocupação-quarto. 15 / 18

16 Em 2006, a taxa de ocupação-cama da região da Madeira foi a mais elevada, 60,9%, seguida da região de Lisboa (53,5%) e do Algarve (48,2%). As regiões Centro, Alentejo e Açores registaram variações homólogas negativas, face a igual período de 2005, sendo o mais significativo o decréscimo de 2,8p.p. para a Região Autónoma dos Açores. Taxas de Ocupação Cama nos Estabelecimentos Hoteleiros - Tipologias / NUTS II / Total Anual 2006/05- Por tipologias, as taxas de ocupação-cama mais elevadas em relação ao período homólogo verificaram-se nos hotéis de 4* e nos hotéis apartamentos, com 54,0% (+4,3p.p.) e 53,6% (+2,4p.p.), respectivamente. Por regiões e tipologias, as taxas de ocupação-cama mais elevadas verificaram-se nos hotéisapartamentos da Madeira (70,7%), nos hotéis de 4* do Algarve (65,9%) e nos motéis da região Norte com 95,7%. Refira-se que a Região Autónoma da Madeira e a Região de Lisboa, registaram taxas de ocupação-cama superiores à média nacional. Pela negativa destaca-se a regiões Centro, Alentejo e a Região Autónoma dos Açores que em relação ao período homólogo registaram quebras de -1,9 p.p., -0,1 p.p. e -2,8 p.p., respectivamente. 16 / 18

17 proveitos médios Proveitos Médios/Dormida nos Estabelecimentos Hoteleiros - Tipologias / Meses (Outubro a Dezembro) / Total Anual 2006/05 - Em 2006 os proveitos médios/dormida foram de 46,47, que significou uma variação homóloga de 3,6%. A variação homóloga positiva mais elevada ocorreu nos hotéis apartamentos, com 11,5% em relação a No 4º trimestre de 2006, os proveitos médios/dormida foram de 49,15. As estalagens apresentaram o valor mais elevado, 88,01, seguidas das pousadas (83,93 ) e dos hotéis (58,71 ). Os aldeamentos turísticos apresentaram a variação homóloga positiva mais significativa, +12,9 %. O mês de Outubro apresentou o valor mais elevado, 51,73, o que validou uma variação homóloga positiva de 13,3%, face ao mesmo período de Os meses de Novembro e Dezembro apresentaram variações negativas em relação ao período homólogo de, 2,9% e 9,3%. Proveitos Médios/Dormidas nos Estabelecimentos Hoteleiros - NUTS II / Meses (Outubro a Dezembro) / Total Anual 2006/05 - Para 2006, as regiões do Centro, Algarve e Norte registaram as variações positivas mais elevadas em relação a 2005, (5,4%, 4,7% e 4,6%, respectivamente). A região de Lisboa, continua a apresentar o valor mais elevado dos proveitos médios/dormidas com 60, / 18 No 4º trimestre de 2006, a região de Lisboa apresentou o valor mais elevado dos proveitos médios/dormida, 62,35, no entanto registou a variação negativa mais elevada com, 8,4% em relação ao período homólogo. Com variações acima da média estão também as regiões do Norte, Alentejo e Algarve com, 60,11, 50,18 e 49,76, respectivamente.

18 balança turística Receitas e Despesas do Turismo - Meses (Outubro a Dezembro) / Total Anual 2006/05- Para 2006, as receitas do turismo atingiram 6.649,1 milhões de euros o que se traduziu numa variação positiva de 7,3%, em relação ao ano de Estes resultados significaram um saldo positivo de 4.024,1 milhões de euros para 2006, o que correspondeu a um acréscimo de 279,8 milhões de euros face a No 4º trimestre de 2006, as receitas do turismo totalizaram 1.555,5 milhões de euros, traduzindo-se num aumento de 9,3% face ao mesmo período de 2005, enquanto as despesas (627,0 milhões de euros), apresentaram um acréscimo de apenas 2,4%. Perante este cenário, o saldo da balança turística, no 4º trimestre de 2006 registou uma variação homóloga positiva de 14,6% (+118,2 milhões de euros). Para qualquer um dos meses em análise, as receitas apresentaram sempre variações homólogas positivas, destacando-se o mês de Outubro, onde o acréscimo atingiu os 11,6%. Ficha Técnica Subdirectora Geral: Teresa Monteiro Produção:. Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos. Divisão de Recolha e Análise Estatística Sinais Convencionais: (-) valor nulo (*) valor provisório (+) valor revisto ( ) valor não disponível ( ) estimativa (#) valor sem significado estatístico Notas:. A informação estatística divulgada neste boletim tem como fontes as seguintes entidades: - Direcção-Geral do Turismo - Instituto Nacional de Estatística - Banco de Portugal -ANA - DGGE - Portos Nacionais. Por motivos de arredondamentos, os totais podem não corresponder à soma das parcelas. NUTS II Nomenclatura das Unidades Territoriais para fins estatísticos de nível II Endereço: / 18

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas hóspedes estada média taxas ocupação proveitos médios balança turística

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas hóspedes estada média taxas ocupação proveitos médios balança turística Variações relativas ao 3º trimestre 2005: movimentos aéreos +3% no movimento de passageiros desembarcados de voos internacionais clássicos; +40,1%movimento de passageiros desembarcados de voos low-cost;

Leia mais

Estatísticas do Turismo 2001

Estatísticas do Turismo 2001 Informação à Comunicação Social 29 de Agosto de 22 Estatísticas do Turismo 21 Estando disponível na Internet a publicação Estatísticas do Turismo 21, o INE apresenta os principais resultados referentes

Leia mais

Hóspedes do estrangeiro compensam redução de dormidas pelos residentes

Hóspedes do estrangeiro compensam redução de dormidas pelos residentes Atividade Turística Fevereiro 2013 16 de Abril de 2013 Hóspedes do estrangeiro compensam redução de dormidas pelos residentes As dormidas na hotelaria atingiram 1,9 milhões, o que correspondeu a uma variação

Leia mais

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas estada média taxas de ocupação proveitos médios/dormida receitas do turismo

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas estada média taxas de ocupação proveitos médios/dormida receitas do turismo movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas estada média taxas de ocupação proveitos médios/dormida receitas do turismo Em Fevereiro de, o número de passageiros desembarcados de voos internacionais

Leia mais

T U R I S M O E M N Ú M E R O S

T U R I S M O E M N Ú M E R O S HÓSPEDES, DORMIDAS, PROVEITOS E REVPAR em CAMA em apartamentos turísticos QUARTO em hoteleiros Fonte: Turismo de Portugal FLUXOS NOS AEROPORTOS Fonte: ANA Aeroportos de Portugal FLUXOS NOS PORTOS MARÍTIMOS

Leia mais

Atividade Turística Abril 2013

Atividade Turística Abril 2013 Atividade Turística Abril 2013 17 de junho de 2013 Hotelaria com reduções nos hóspedes, dormidas e proveitos As dormidas na hotelaria ascenderam a 3,1 milhões em abril de 2013 (-4,0% que em abril de 2012).

Leia mais

Aumento significativo das dormidas e proveitos

Aumento significativo das dormidas e proveitos 15 de abril de 2016 Atividade Turística Fevereiro de 2016 Aumento significativo das dormidas e proveitos A hotelaria registou 989,9 mil hóspedes e 2,6 milhões de dormidas em fevereiro de 2016, equivalendo

Leia mais

Actividade Turística 2009 (dados preliminares)

Actividade Turística 2009 (dados preliminares) 1177 DDEE MAARRÇÇOO DDEE 22000099 Actividade Turística 2009 (dados preliminares) Hotelaria com decréscimos nos principais indicadores Em Janeiro de 2009, os estabelecimentos hoteleiros registaram 1,7 milhões

Leia mais

DORMIDAS NOS ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS E VIAGENS TURÍSTICAS DOS RESIDENTES EXIBIRAM QUEBRAS EM 2002

DORMIDAS NOS ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS E VIAGENS TURÍSTICAS DOS RESIDENTES EXIBIRAM QUEBRAS EM 2002 ESTATÍSTICAS DO TURISMO 22 29 de Janeiro de 24 DORMIDAS NOS ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS E VIAGENS TURÍSTICAS DOS RESIDENTES EXIBIRAM QUEBRAS EM 22 As dormidas nos estabelecimentos hoteleiros, em 22, sofreram

Leia mais

Hotelaria com melhoria nos principais resultados

Hotelaria com melhoria nos principais resultados 10 de Agosto de 2011 Actividade Turística Junho de 2011 Hotelaria com melhoria nos principais resultados No mês de Junho de 2011, a hotelaria apresentou quatro milhões de dormidas, mais 13% do que no mês

Leia mais

Dormidas de não residentes continuaram em crescimento

Dormidas de não residentes continuaram em crescimento Atividade Turística Junho de 2015 14 de agosto de 2015 Dormidas de não residentes continuaram em crescimento A hotelaria registou 5,0 milhões de dormidas em junho de 2015, a que corresponde um aumento

Leia mais

16 de maio de 2016 ATIVIDADE TURÍSTICA

16 de maio de 2016 ATIVIDADE TURÍSTICA 16 de maio de 2016 ATIVIDADE TURÍSTICA janeiro a março 2016 Na Região Autónoma dos Açores, no mês de março, os estabelecimentos hoteleiros registaram 95,1 mil dormidas, representando um acréscimo homólogo

Leia mais

15 de junho de 2016 ATIVIDADE TURÍSTICA

15 de junho de 2016 ATIVIDADE TURÍSTICA 15 de junho de 2016 ATIVIDADE TURÍSTICA janeiro a abril 2016 Na Região Autónoma dos Açores, no mês de abril, os estabelecimentos hoteleiros registaram 117,6 mil dormidas, representando um acréscimo homólogo

Leia mais

15 de março de 2016 ATIVIDADE TURÍSTICA

15 de março de 2016 ATIVIDADE TURÍSTICA 15 de março de 2016 ATIVIDADE TURÍSTICA janeiro a fevereiro 2016 Na Região Autónoma dos Açores, no mês de fevereiro, os estabelecimentos hoteleiros registaram 63,6 mil dormidas, representando um acréscimo

Leia mais

Atividade Turística manteve resultados positivos em 2015

Atividade Turística manteve resultados positivos em 2015 Estatísticas do Turismo 2015 28 de julho de 2016 Atividade Turística manteve resultados positivos em 2015 Segundo os dados mais recentes publicados pela Organização Mundial de Turismo, as chegadas de turistas

Leia mais

Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos

Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos Atividade Turística Junho 2013 14 de agosto de 2013 Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos A hotelaria registou 4,4 milhões de dormidas em junho de 2013, mais 8,6% do que em junho de 2012. Para

Leia mais

1. Movimento de Passageiros no Aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Movimento de passageiros por país de origem

1. Movimento de Passageiros no Aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Movimento de passageiros por país de origem 1. Movimento de Passageiros no Aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Movimento de passageiros por país de origem 2. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia

Leia mais

Dormidas e proveitos desaceleram

Dormidas e proveitos desaceleram 14 de outubro de 2016 Atividade Turística Agosto de 2016 Dormidas e proveitos desaceleram A hotelaria registou 2,3 milhões de hóspedes e 7,5 milhões de dormidas em agosto de 2016, resultados que se traduziram

Leia mais

DORMIDAS NOS ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS E VIAGENS TURÍSTICAS DOS RESIDENTES REGISTARAM QUEBRAS EM 2003

DORMIDAS NOS ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS E VIAGENS TURÍSTICAS DOS RESIDENTES REGISTARAM QUEBRAS EM 2003 ESTATÍSTICAS DO TURISMO 2003 2 de Julho de 2004 DORMIDAS NOS ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS E VIAGENS TURÍSTICAS DOS RESIDENTES REGISTARAM QUEBRAS EM 2003 As dormidas nos estabelecimentos hoteleiros sofreram,

Leia mais

Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo

Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo Atividade Turística Julho de 20 15 de setembro de 20 Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo A hotelaria registou 5,8 milhões de dormidas em julho de 20, valor correspondente a

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO Índice Introdução Preço Médio por Dormida Proveito Médio de Aposento por Cama Conceitos Anexos Proveitos e Custos nos Estabelecimentos Hoteleiros Ano de 2004 Página 2

Leia mais

TURISMO EM FOCO 2005 A 28 de Junho de 2010 perdeu 1,8 milhões de dormidas entre 2007 e Depois de, entre 2005 e 2007, ter apresentado uma tendência de crescimento nos números de dormidas e de hóspedes,

Leia mais

14 de agosto de 2015 ATIVIDADE TURÍSTICA

14 de agosto de 2015 ATIVIDADE TURÍSTICA 14 de agosto de 2015 ATIVIDADE TURÍSTICA janeiro a junho 2015 Na Região Autónoma dos Açores, no mês de junho, os estabelecimentos hoteleiros registaram 148,5 mil dormidas, representando um acréscimo homólogo

Leia mais

Turismo no Espaço Rural. Análise Acumulada. Janeiro a Setembro 2015

Turismo no Espaço Rural. Análise Acumulada. Janeiro a Setembro 2015 Turismo no Espaço Rural Análise Acumulada Janeiro a Setembro 2015 Condições de Utilização Este documento é da exclusiva propriedade do Observatório do Turismo dos Açores Região Autónoma dos Açores. Nenhuma

Leia mais

Anuário. do Turismo 2008

Anuário. do Turismo 2008 Anuário das Estatísticas do Turismo 2008 Anuário das Estatísticas do Turismo 2008 www.turismodeportugal.pt ÍndIce CAPÍTULO I Séries Internacionais e Nacionais 2000 a 2008 5 Fluxos Turísticos Internacionais

Leia mais

Alojamento turístico acelera crescimento em 2016

Alojamento turístico acelera crescimento em 2016 Estatísticas do Turismo 2016 04 de agosto de 2017 Alojamento turístico acelera crescimento em 2016 De acordo com a Organização Mundial de Turismo, em 2016 registaram-se 1,2 mil milhões de chegadas de turistas

Leia mais

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem boletim trimestral - n.º 5 - julho 2014 algarve conjuntura turística indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem 2.

Leia mais

ACTIVIDADE TURÍSTICA 1999

ACTIVIDADE TURÍSTICA 1999 Informação à Comunicação Social 26 de Junho de 2000 ACTIVIDADE TURÍSTICA 1999 Em 31 de Julho de 1999, o número total de estabelecimentos na hotelaria tradicional recenseada (Hotéis, Hotéis-Apartamentos,

Leia mais

ACTIVIDADE TURÍSTICA Janeiro a Outubro de 2001

ACTIVIDADE TURÍSTICA Janeiro a Outubro de 2001 Informação à Comunicação Social 25 de Janeiro de 2002 ACTIVIDADE TURÍSTICA Janeiro a Outubro de 2001 O INE apresenta os principais resultados preliminares relativos à Oferta Turística em 31 de Julho de

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes, 3º Trimestre 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes, 3º Trimestre 2015 1 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Método e Gestão de Informação Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços

Leia mais

Copyright 2015 OTA a partir do SREA. Todos os direitos reservados. Turismo no Espaço Rural

Copyright 2015 OTA a partir do SREA. Todos os direitos reservados. Turismo no Espaço Rural Copyright 2015 OTA a partir do SREA. Todos os direitos reservados. Análise Semestral Turismo no Espaço Rural Condições de Utilização Este documento é da exclusiva propriedade do Observatório do Turismo

Leia mais

Termas em Portugal Caracterização da oferta e da procura

Termas em Portugal Caracterização da oferta e da procura Termas em Portugal 2014 Caracterização da oferta e da procura ÍNDICE Sumário executivo Caraterização da oferta Caracterização da procura Portugal Norte Centro Área Metropolitana de Lisboa, Alentejo e Algarve

Leia mais

Estatísticas de Alojamento turístico, 2015

Estatísticas de Alojamento turístico, 2015 Estatísticas de Alojamento turístico, 2015 Departamento de Estatísticas Económicas Serviço de Estatísticas de Comércio, Turismo e Transportes Rute Cruz Calheiros CSE - GT DEM, 27/10/2016 As estatísticas

Leia mais

Análise Mensal Abril 2016

Análise Mensal Abril 2016 1 Procura Turística Por Ilha Por Mercados Comparação Em Relação à Média Nacional Hotelaria Tradicional Análise Mensal Abril 2016 Oferta Turística Condições de Utilização 2 Este documento é da exclusiva

Leia mais

Hotelaria: Balanço & Perspetivas. Cristina Siza Vieira Presidente Executiva

Hotelaria: Balanço & Perspetivas. Cristina Siza Vieira Presidente Executiva Hotelaria: Balanço & Perspetivas Cristina Siza Vieira Presidente Executiva The Vintage Lisboa 22 de junho de 2016 AGENDA 1 BALANÇO DO 1º QUADRIMESTRE 2016 2 PERSPETIVAS VERÃO 2016 3 GRANDES EVENTOS IMPACTO

Leia mais

Oferta Turística. Turismo no Espaço Rural nos Açores. 1º Semestre de Procura Turística. Tendência. Por Ilha Por Mercados

Oferta Turística. Turismo no Espaço Rural nos Açores. 1º Semestre de Procura Turística. Tendência. Por Ilha Por Mercados 1 Oferta Turística Turismo no Espaço Rural nos Açores Procura Turística 1º Semestre de 2016 Tendência Por Ilha Por Mercados Condições de Utilização 2 Este documento é da exclusiva propriedade do Observatório

Leia mais

Janeiro a Setembro 2016

Janeiro a Setembro 2016 1 Oferta Turística Turismo no Espaço Rural nos Açores Por Ilha Por Mercados Procura Procura Turística Turística Janeiro a Setembro 2016 Tendência Condições de Utilização 2 Este documento é da exclusiva

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 3º Trimestre 2016

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 3º Trimestre 2016 1 2 FICHA TÉCNICA Instituto Nacional de Estatística Conselho de Administração do INE Presidente Osvaldo Rui Monteiro dos Reis Borges Vice-Presidente Celso Herminio Soares Ribeiro Editor Instituto Nacional

Leia mais

Copyright 2015 OTA a partir do SREA. Todos os direitos reservados. Alojamento Local

Copyright 2015 OTA a partir do SREA. Todos os direitos reservados. Alojamento Local Copyright 2015 OTA a partir do SREA. Todos os direitos reservados. Análise Semestral Alojamento Local Condições de Utilização Este documento é da exclusiva propriedade do Observatório do Turismo dos Açores

Leia mais

Dormidas de não residentes continuam a aumentar

Dormidas de não residentes continuam a aumentar Actividade Turística Novembro de 2010 10 de Janeiro de 2011 Dormidas de não residentes continuam a aumentar No mês de Novembro de 2010 a hotelaria registou cerca de dois milhões de dormidas, valor muito

Leia mais

ANÁLISES DESTA EDIÇÃO

ANÁLISES DESTA EDIÇÃO Observatório D O T U R I S M O D E L I S B O A Dados de agosto ANÁLISES DESTA EDIÇÃO EVOLUÇÃO DOS MERCADOS > Dados da Hotelaria > Cidade de Lisboa > Região de Lisboa INFOGOLFE E CRUZEIROS TAX FREE SHOPPING

Leia mais

MOVIMENTO DE PASSAGEIROS NOS AEROPORTOS AUMENTA NOS PRIMEIROS NOVE MESES DE 2007

MOVIMENTO DE PASSAGEIROS NOS AEROPORTOS AUMENTA NOS PRIMEIROS NOVE MESES DE 2007 ACTIVIDADE DOS TRANSPORTES Janeiro a Setembro 2007 03 de Dezembro de 2007 MOVIMENTO DE PASSAGEIROS NOS AEROPORTOS AUMENTA NOS PRIMEIROS NOVE MESES DE 2007 De Janeiro a Setembro de 2007, movimentaram-se

Leia mais

Bélgica Dezembro Mercado em números

Bélgica Dezembro Mercado em números Dezembro 2016 Mercado em números Designação oficial: Reino da Capital: Bruxelas Localização: Europa Ocidental Fronteiras terrestres: 1.297 km com a Alemanha (133 km), França (556 km), Holanda (478 km)

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária acentuou tendência crescente

Valor médio de avaliação bancária acentuou tendência crescente Dez-14 Jan-15 Fev-15 Mar-15 Abr-15 Mai-15 Jun-15 Jul-15 Ago-15 Set-15 Out-15 Nov-15 Dez-15 Inquérito à Avaliação Bancária na Dezembro de 2015 25 de janeiro de 2016 Valor médio de avaliação bancária acentuou

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2016

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2016 1 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av.

Leia mais

Bélgica Junho Mercado em números

Bélgica Junho Mercado em números Junho 2017 Mercado em números Designação oficial: Reino da Capital: Bruxelas Localização: Europa Ocidental Fronteiras terrestres: 1.297 km com a Alemanha (133 km), França (556 km), Holanda (478 km) e Luxemburgo

Leia mais

Barómetro de Conjuntura verão Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos

Barómetro de Conjuntura verão Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos Barómetro de Conjuntura verão 2016 Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos ÍNDICE Sumário Executivo 3 Perspetivas de evolução da procura - verão 2016 - NUTS II e A.M. Lisboa

Leia mais

Anuário das Estatísticas do Turismo 2009

Anuário das Estatísticas do Turismo 2009 Anuário das Estatísticas do Turismo 2009 1 Índice CAPÍTULO I - Séries Internacionais e Nacionais 2001 a 2009 3 Fluxos Turísticos Internacionais 4 O Turismo na Economia Nacional 12 O Alojamento Turístico

Leia mais

TURISMO ANÁLISE HOTELEIRA

TURISMO ANÁLISE HOTELEIRA TURISMO ANÁLISE HOTELEIRA 1º SEMESTRE www.moneris.pt ANÁLISE HOTELEIRA * PORTUGAL 1º SEMESTRE DORMIDAS DO ESTRANGEIRO No primeiro semestre de, a hotelaria registou 23 milhões de dormidas, mais 11,2 face

Leia mais

Barómetro de Conjuntura Verão Agências de Viagens

Barómetro de Conjuntura Verão Agências de Viagens Barómetro de Conjuntura Verão 17 Agências de Viagens Perspetivas verão 17 Visão regional Atividade turística em gerará melhores resultados neste verão, face ao verão de 16, na opinião de % dos agentes

Leia mais

ESTATÍSTICAS DO TURISMO

ESTATÍSTICAS DO TURISMO ESTATÍSTICAS DO TURISMO DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Resultados Provisórios Dezembro de 2016 Direção Regional de Estatística da Madeira Uma porta aberta para um universo de informação estatística Catalogação

Leia mais

Ligeira diminuição do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação

Ligeira diminuição do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Maio de 2010 29 de Junho de 2010 Ligeira diminuição do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação O valor médio de avaliação bancária 1 de habitação no total

Leia mais

A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2008 foi de 7,7%

A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2008 foi de 7,7% Estatísticas do Emprego 3º trimestre de 2008 18 de Novembro de 2008 A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2008 foi de 7,7 A taxa de desemprego estimada para o 3º trimestre de 2008 foi de 7,7. Este valor

Leia mais

ESTATÍSTICAS DO TURISMO

ESTATÍSTICAS DO TURISMO ESTATÍSTICAS DO TURISMO DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Resultados Provisórios Julho de 2016 Direção Regional de Estatística da Madeira Uma porta aberta para um universo de informação estatística Catalogação

Leia mais

ANÁLISES DESTA EDIÇÃO

ANÁLISES DESTA EDIÇÃO Observatório D O T U R I S M O D E L I S B O A Dados de janeiro 2015 ANÁLISES DESTA EDIÇÃO EVOLUÇÃO DOS MERCADOS > Dados da Hotelaria > Cidade de Lisboa > Região de Lisboa INFOGOLFE E CRUZEIROS INDÍCES

Leia mais

Portugal - o turismo reforça o seu peso económico

Portugal - o turismo reforça o seu peso económico E.E.F. Mercados Financeiros Setembro 217 Portugal - o turismo reforça o seu peso económico O turismo já está a bater novos recordes em 217 A tendência do turismo mundial continua crescente e Portugal tem

Leia mais

INQUÉRITO CARNAVAL- PREVISÕES PÁSCOA

INQUÉRITO CARNAVAL- PREVISÕES PÁSCOA INQUÉRITO CARNAVAL- PREVISÕES PÁSCOA Carnaval 2017 Carnaval 66% dos inquiridos tiveram uma melhor taxa de ocupação quarto e 6 um melhor preço médio por quarto ocupado 57% tiveram uma estada média idêntica

Leia mais

Realizado por: Maria Leonor Silva Coordenado por: Teresinha Duarte

Realizado por: Maria Leonor Silva Coordenado por: Teresinha Duarte Realizado por: Maria Leonor Silva Coordenado por: Teresinha Duarte 1. Índice 1. Introdução 2. Inscrições e Receitas nas Estâncias Termais Portuguesas 3. Inscrições de Estrangeiros nas Estâncias Termais

Leia mais

Parques de Campismo em Portugal Caracterização da oferta e da procura

Parques de Campismo em Portugal Caracterização da oferta e da procura Parques de Campismo em Portugal Caracterização da oferta e da procura ÍNDICE Sumário Executivo 03 Portugal Continental - Caracterização da oferta - Parques e Áreas - Capacidades - Caracterização da procura

Leia mais

Estatísticas do Emprego 4º trimestre de A taxa de desemprego do 4º trimestre de 2008 foi de 7,8% 17 de Fevereiro de 2009

Estatísticas do Emprego 4º trimestre de A taxa de desemprego do 4º trimestre de 2008 foi de 7,8% 17 de Fevereiro de 2009 Estatísticas do Emprego 4º trimestre de 2008 17 de Fevereiro de 2009 A taxa de desemprego do 4º trimestre de 2008 foi de 7,8% A taxa de desemprego estimada para o 4º trimestre de 2008 foi de 7,8%. Este

Leia mais

ESTATÍSTICAS DO TURISMO

ESTATÍSTICAS DO TURISMO ESTATÍSTICAS DO TURISMO DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Resultados Provisórios Junho de 2014 Direção Regional de Estatística da Madeira Uma porta aberta para um universo de informação estatística Catalogação

Leia mais

ISSN Serviços. H ema. Estatísticas do Turismo. Ano de edição 2005

ISSN Serviços. H ema. Estatísticas do Turismo. Ano de edição 2005 Serviços PORTUGAL anos 1935-2005 ISSN 0377-2306 H ema Estatísticas do Turismo 2004 Ano de edição 2005 2 FICHA TÉCNICA Título Estatísticas do Turismo 2004 Editor Instituto Nacional de Estatística Av. António

Leia mais

tal como o número de escalas de navios de cruzeiro, nos primeiros quatro meses do ano. 25 melhores destinos da TripAdvisor e em artigos

tal como o número de escalas de navios de cruzeiro, nos primeiros quatro meses do ano. 25 melhores destinos da TripAdvisor e em artigos DO TURISMO DE LISBOA DADOS abril COMPORTAMENTO POSITIVO Apesar do actual contexto de abrandamento No entanto, destaca-se o facto de o número de económico, visível nos resultados da hotelaria passageiros

Leia mais

VRSA Sociedade de Gestão Urbana E. M. SA Indicadores Temáticos - Turismo

VRSA Sociedade de Gestão Urbana E. M. SA Indicadores Temáticos - Turismo VRSA Sociedade de Gestão Urbana E. M. SA Indicadores Temáticos - Turismo Área temática cod. Indicador Unidade de medida Ano Periodicidade Fonte Informação Entidade a Consultar Estatísticas previsionais

Leia mais

Taxa de variação homóloga do índice de preços da habitação foi 8,0%

Taxa de variação homóloga do índice de preços da habitação foi 8,0% 2T2012 3T2012 4T2012 1T2013 2T2013 3T2013 4T2013 1T2014 2T2014 3T2014 4T2014 1T2015 2T2015 3T2015 4T2015 1T2016 2T2016 3T2016 4T2016 1T2017 2T2017 20 de setembro de 2017 Índice de Preços da Habitação 2º

Leia mais

A taxa de desemprego situou-se em 10,5% no 4.º trimestre e em 11,1% no ano de 2016

A taxa de desemprego situou-se em 10,5% no 4.º trimestre e em 11,1% no ano de 2016 8 de fevereiro de 217 Estatísticas do Emprego 4.º trimestre de 216 A taxa de desemprego situou-se em 1,5 no 4.º trimestre e em 11,1 no ano de 216 A taxa de desemprego do 4.º trimestre de 216 foi de 1,5.

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA. desta edição. Dados da Hotelaria Cidade de Lisboa Grande Lisboa Região de Lisboa. Índice Lisboa (VTQD-96): 1200

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA. desta edição. Dados da Hotelaria Cidade de Lisboa Grande Lisboa Região de Lisboa. Índice Lisboa (VTQD-96): 1200 DO TURISMO DE LISBOA DADOS março RECUPERAÇÃO Durante o mês de Março, os principais indicadores da hotelaria na Cidade, Grande Lisboa e Região, começaram a indicar sinais moderadamente positivos para o

Leia mais

Bélgica Junho Mercado em números

Bélgica Junho Mercado em números Junho 2016 Mercado em números Designação oficial: Reino da Capital: Bruxelas Localização: Europa Ocidental Fronteiras terrestres: 1.297 km com a Alemanha (133 km), França (556 km), Holanda (478 km) e Luxemburgo

Leia mais

Barómetro Turismo Alentejo

Barómetro Turismo Alentejo Barómetro Turismo METODOLOGIA Com a edição do Barómetro de Abril, além de aumentar o número de entidades que aderiram ao sistema enviando dados mensais (94), fortalecemos a metodologia das amostras com

Leia mais

Obras concluídas e licenciamento decrescem mais do que em 2005

Obras concluídas e licenciamento decrescem mais do que em 2005 Estatísticas da Construção e Habitação 2006 31 de Julho 2007 Obras concluídas e licenciamento decrescem mais do que em 2005 Com base nos dados das Estatísticas da Construção e Habitação 2006, a partir

Leia mais

Valor médio de Avaliação Bancária de Habitação com ligeira diminuição

Valor médio de Avaliação Bancária de Habitação com ligeira diminuição Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Fevereiro de 2010 26 de Março 2010 Valor médio de Avaliação Bancária de Habitação com ligeira diminuição O valor médio de avaliação bancária 1 de habitação no

Leia mais

DÉFICE DA BALANÇA COMERCIAL CONTINUA A DIMINUIR

DÉFICE DA BALANÇA COMERCIAL CONTINUA A DIMINUIR 09 de Maio de 2003 Estatísticas do Comércio Internacional Janeiro a Fevereiro de 2003 DÉFICE DA BALANÇA COMERCIAL CONTINUA A DIMINUIR O défice da balança comercial registou, nos dois primeiros meses de

Leia mais

Edifícios licenciados aumentaram 7,4% e edifícios concluídos cresceram 12,2%

Edifícios licenciados aumentaram 7,4% e edifícios concluídos cresceram 12,2% Construção: Obras licenciadas e concluídas 2º Trimestre de 2017 - Dados preliminares 13 de setembro de 2017 Edifícios licenciados aumentaram 7,4% e edifícios concluídos cresceram 12,2% No 2º trimestre

Leia mais

Aumento do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação

Aumento do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Janeiro de 2010 26 de Fevereiro de 2010 Aumento do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação Em Janeiro de 2010, o valor médio de avaliação bancária 1 de

Leia mais

Direcção-Geral do Turismo Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística

Direcção-Geral do Turismo Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Direcção-Geral do Turismo Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Fevereiro/2005 SÍNTESE Em 2004, da população com 15 e mais anos residente no Continente,

Leia mais

Barómetro de Conjuntura Verão Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos

Barómetro de Conjuntura Verão Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos Barómetro de Conjuntura Verão 1 Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos Perspetivas verão 1 Visão regional Atividade turística em gerará melhores resultados neste verão, face

Leia mais

PORTUGAL NA EUROPA: BALANÇO, PERSPETIVAS E TENDÊNCIAS NA HOTELARIA. BTL Feira Internacional de Turismo 3 março 2016

PORTUGAL NA EUROPA: BALANÇO, PERSPETIVAS E TENDÊNCIAS NA HOTELARIA. BTL Feira Internacional de Turismo 3 março 2016 PORTUGAL NA EUROPA: BALANÇO, PERSPETIVAS E TENDÊNCIAS NA HOTELARIA BTL Feira Internacional de Turismo 3 março 2016 AGENDA 1 HOTELARIA EM PORTUGAL: FECHO DO ANO - BALANÇO E PERSPETIVAS EVOLUÇÃO DA HOTELARIA

Leia mais

ANÁLISES DESTA EDIÇÃO

ANÁLISES DESTA EDIÇÃO Observatório D O T U R I S M O D E L I S B O A Dados de abril ANÁLISES DESTA EDIÇÃO EVOLUÇÃO DOS MERCADOS > Dados da Hotelaria > Cidade de Lisboa > Região de Lisboa INFOGOLFE E CRUZEIROS TAX FREE SHOPPING

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Presidente António dos Reis Duarte

FICHA TÉCNICA. Presidente António dos Reis Duarte FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av. Cidade

Leia mais

Dinamarca Junho Mercado em números

Dinamarca Junho Mercado em números Junho 2016 Mercado em números Designação oficial: Reino da Capital: Copenhaga Localização: Norte da Europa Fronteiras terrestres: 140 km com a Alemanha Holanda Alemanha Bélgica Luxemburgo Rep. Checa Polónia

Leia mais

Análise Regional dezembro 2015

Análise Regional dezembro 2015 Portugal Em, o Algarve voltou a liderar o País com 16,6 milhões de dormidas (34% de quota no País) e cresceu 2,7% face a 2014. Lisboa posicionou-se no 2.º lugar com 12,3 milhões de dormidas e assinalou,

Leia mais

AUMENTAM AS ENTRADAS DE VISITANTES E AS SAÍDAS DE RESIDENTES EM PORTUGAL

AUMENTAM AS ENTRADAS DE VISITANTES E AS SAÍDAS DE RESIDENTES EM PORTUGAL Movimento de Pessoas nas Fronteiras - 11 de Abril de 27 AUMENTAM AS ENTRADAS DE VISITANTES E AS SAÍDAS DE RESIDENTES EM PORTUGAL Em, registaram-se cerca de 22,5 milhões de entradas de visitantes não residentes

Leia mais

Obras licenciadas atenuaram decréscimo

Obras licenciadas atenuaram decréscimo Construção: Obras licenciadas e concluídas 1º Trimestre de 2014- Dados preliminares 12 de junho de 2014 Obras licenciadas atenuaram decréscimo No 1º trimestre de 2014 os edifícios licenciados diminuíram

Leia mais

Em 2015, o Algarve foi a região com maior crescimento, impulsionado pelo setor do turismo

Em 2015, o Algarve foi a região com maior crescimento, impulsionado pelo setor do turismo Contas Regionais 2014 e 2015Pe 16 de dezembro de 2016 Em 2015, o Algarve foi a região com maior crescimento, impulsionado pelo setor do turismo De acordo com os resultados preliminares de 2015, no Algarve

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística Estatísticas do Turismo Presidente António dos Reis Duarte

Instituto Nacional de Estatística Estatísticas do Turismo Presidente António dos Reis Duarte Instituto Nacional de Estatística Estatísticas do Turismo 2014 Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Av. Cidade de Lisboa, nº 18, Cx. Postal 116, Praia Tel.: +238

Leia mais

Suécia Junho Mercado em números

Suécia Junho Mercado em números Junho 2017 Mercado em números Designação oficial: Reino da Capital: Estocolmo Localização: Norte da Europa Noruega Dinamarca Finlândia Letónia Lituânia Bielorrússia Fronteiras terrestres: 2.211 km com

Leia mais

Suécia Março Mercado em números

Suécia Março Mercado em números Março 2017 Mercado em números Designação oficial: Reino da Capital: Estocolmo Localização: Norte da Europa Noruega Dinamarca Finlândia Letónia Lituânia Bielorrússia Fronteiras terrestres: 2.211 km com

Leia mais

Nesta operação de Inquérito recensearam-se investigadores, num total de pessoas a trabalhar em actividades de I&D.

Nesta operação de Inquérito recensearam-se investigadores, num total de pessoas a trabalhar em actividades de I&D. RECURSOS HUMANOS EM I&D IPCTN 1999 Os recursos humanos em actividades de I&D Nesta operação de Inquérito recensearam-se 28.375 investigadores, num total de 36.872 pessoas a trabalhar em actividades de

Leia mais

Taxa de desemprego estimada em 12,4%

Taxa de desemprego estimada em 12,4% 11 de maio de 216 Estatísticas do Emprego 1.º trimestre de 216 Taxa de desemprego estimada em 12,4 A taxa de desemprego no 1.º trimestre de 216 foi 12,4. Este valor é superior em,2 pontos percentuais (p.p.)

Leia mais

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE DE DORMIDAS NACIONAIS E ESTRANGEIRAS Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos Acumulado Janeiro Maio 2010/2011 A Turismo

Leia mais

ESTATÍSTICAS DOS TRANSPORTES

ESTATÍSTICAS DOS TRANSPORTES 02 de junho de 2015 ESTATÍSTICAS DOS TRANSPORTES Transportes terrestres Veículos e Extensão de Percursos No âmbito das carreiras urbanas de passageiros, constatou-se que, em 2014, existiam 104 veículos,

Leia mais

Mercados. informação estatística. Mercado Alemanha. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos

Mercados. informação estatística. Mercado Alemanha. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercados informação estatística Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercado Alemanha Janeiro de 2016 Índice 1. Evolução das trocas comerciais de bens de Portugal

Leia mais

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no Aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Movimento mensal

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária acentua diminuição

Valor médio de avaliação bancária acentua diminuição 25 de novembro de 2014 Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Outubro de 2014 Valor médio de avaliação bancária acentua diminuição O valor médio de avaliação bancária 1 do total do País diminuiu 1,5%

Leia mais

SERVIÇOS E EQUIPAMENTO DE ESCRITÓRIO RELATÓRIO DE CONJUNTURA

SERVIÇOS E EQUIPAMENTO DE ESCRITÓRIO RELATÓRIO DE CONJUNTURA SERVIÇOS E EQUIPAMENTO DE ESCRITÓRIO RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Novembro de 2006 O sector da fabricação de máquinas de escritório e de equipamento para o tratamento automático de

Leia mais

Noruega Março Mercado em números

Noruega Março Mercado em números Março 2017 Mercado em números Designação oficial: Reino da Capital: Oslo Localização: Norte da Europa Suécia Finlândia Letónia Lituânia Dinamarca Bielorrússia Polónia Holanda Alemanha Ucrânia Rep. Checa

Leia mais

A taxa de desemprego estimada foi de 15,6%

A taxa de desemprego estimada foi de 15,6% 7 de novembro de 2013 Estatísticas do Emprego 3º trimestre de 2013 A taxa de desemprego estimada foi de 15,6% A taxa de desemprego estimada para o 3º trimestre de 2013 foi de 15,6%. Este valor é inferior

Leia mais

ANÁLISES DESTA EDIÇÃO

ANÁLISES DESTA EDIÇÃO Observatório D O T U R I S M O D E L I S B O A Dados de maio 2015 ANÁLISES DESTA EDIÇÃO EVOLUÇÃO DOS MERCADOS > Dados da Hotelaria > Cidade de Lisboa > Região de Lisboa INFOGOLFE E CRUZEIROS evolução em

Leia mais

Noruega Dezembro Mercado em números

Noruega Dezembro Mercado em números Dezembro 2016 Mercado em números Designação oficial: Reino da Capital: Oslo Localização: Norte da Europa Suécia Finlândia Letónia Lituânia Dinamarca Bielorrússia Polónia Holanda Alemanha Ucrânia Rep. Checa

Leia mais

ÍNDICE. 1.0 Introdução Aeroporto de Faro Caracterização da Procura por Canal de Distribuição... 9

ÍNDICE. 1.0 Introdução Aeroporto de Faro Caracterização da Procura por Canal de Distribuição... 9 2 ÍNDICE 1.0 Introdução... 3 2.0 Aeroporto de Faro... 4 3.0 Caracterização da Procura por Canal de Distribuição... 9 4.0 Peso do Algarve nos Principais Mercados Emissores... 10 5.0 Alojamento Turístico...

Leia mais