Auditoria Eletrônica Contínua. Itaú-Unibanco Holding S.A. USP / Maio 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Auditoria Eletrônica Contínua. Itaú-Unibanco Holding S.A. USP / Maio 2015"

Transcrição

1 Auditoria Eletrônica Contínua Itaú-Unibanco Holding S.A USP / Maio 2015

2 Agenda Conceitos e timeline Framework (como nos estruturamos) Volumetrias (Auditoria Eletrônica Contínua) Desafios Painel de Indicadores (Desenvolvimento 2014) Parceria Rutgers Cases de Auditoria Contínua

3 Auditoria Eletrônica e Contínua no Itaú-Unibanco Conceitos Conceitos Auditoria Eletrônica: Automatização de procedimentos de auditoria através do uso de ferramentas de análise de dados. Provê relevante ganho de performance na execução e abrangência de análise. Nos referimos aos testes automatizados como CAATs. Auditoria Contínua: Avaliação de risco de forma perene ao longo do tempo através do uso de indicadores ou de técnicas de monitoramento como participação em fóruns, leitura de relatórios, reuniões periódicas, acompanhamento do mercado, dentre outras atividades. Análise de Dados / Datamining: Uso de técnicas estatísticas para identificação de comportamentos ou tendências atreladas ao risco da área ou processo. Big Data: Acesso a grande volume de dados, tanto de origem endógena como exógena, com processamento rápido em função de sua característica de replicação de dados. Aliado ao uso de técnicas estatísticas e cruzamento de informações permite a identificação de comportamentos, padrões, tendências, etc. Objetivos / Benefícios da Auditoria Eletrônica Contínua Aumentar a abrangência dos testes (análise abrangente ao invés de análise amostral); Aumentar o timing das análises (realizar análises próximas à data de corte); Aumentar a eficiência na execução dos testes (análises mais abrangentes com menor esforço humano); Identificar novos riscos através da análise de dados; Acesso rápido a dados confiáveis e íntegros. Nota: CAAT Computer Aided Audit Techniques (Técnicas de Auditoria Assistidas por Computador)

4 Auditoria Eletrônica e Contínua no Itaú-Unibanco Timeline Linha do Tempo da Auditoria Eletrônica e Contínua no Itaú-Unibanco Fusão 2009 Dashboard de Riscos Desenvolvimento de CAATs Investimento substancial em Softwares e Treinamentos Desenvolvimento de Robôs Aumento significativo no volume de testes automatizados Aumento na demanda de construção de indicadores Melhorias no Dashboard Estudo de novas ferramentas 1ª revisão do DASHBOARD Segregação de indicadores estratégicos e operacionais Reestruturação Gerência de Extração de Dados Gerência de Auditoria Contínua Célula de Ferramentas Definição da Missão da área Incentivo ao desenvolvimento de CAATs pelos auditores Suporte ao desenvolvimento de CAATs Nova ferramenta de catálogo de CAATs Desenvolvimento de treinamento interno de análise de dados (ACL) Dashboard 2.0 Desenvolvimento de treinamento interno de análise de dados (SAS) Data Mining / Text Mining Uso de funções estatísticas para identificação de exceções

5 Auditoria Eletrônica e Contínua (Framework) Framework de Auditoria Auditoria Eletrônica Contínua Ferramenta/Método 1 Planejamento Estratégico 2 Entendimento (Negócio, Riscos e Controles) 3 Avaliação dos Controles (Testes) 4 Report 5 Follow Up Análise de Dados Análise de Indicadores Projetos (Internos e Consultoria) Dashboard (reportado mensalmente) Produção (execução de Indicadores) Desenvolvimento de Indicadores Técnicas de Auditoria Auxiliadas por Computador (TAAC ou CAAT) SAS / ACL (Suporte) SAS / ACL (Manutenção do Ambiente) Treinamento Monitoramento ( ambiente SAS / ACL) Dashboard (memorandos) SAS / ACL Data Mining Rotação de ênfase Dashboard SAS Indicadores (fontes externas) MS-Excel MS-Access ACL SAS Tableau * OBS: * Software em fase de testes

6 Auditoria Eletrônica e Contínua (Volumetrias) Indicadores 46 indicadores estratégicos: 107 indicadores operacionais: Treinamento de Análise de Dados (ACL) 100% de auditores capacitados em ACL Mais de 10 turmas realizadas CAATs catalogadas Revisão DASHBOARD CAATs catalogadas 209 CAATs catalogadas 54 CAATs catalogadas 660 novos CAATs em 3 anos! 64 Indicadores cancelados 78 Indicadores incluídos (áreas de negócio) 15 Novos indicadores desenvolvidos 7 Manutenções de indicadores Suporte (SAS/ACL) Processamento (2014) ACL 143 Atendimentos realizados 1065 Indicadores processados/executados SAS 16 Atendimentos realizados 1397 Extratos de contas correntes emitidos

7 Desafios Acesso a dados Um de nossos principais desafios é de obter dados de forma rápida e com conteúdo fidedigno. Fontes: Os dados devem ser obtidos sempre de fontes confiáveis e com conteúdo fidedigno. De preferência os dados devem ser obtidos na seguinte ordem: 1) Área de tecnologia; 2) Relatórios sistêmicos e 3) departamentos de MIS (DWs). Validações: Quando o dado é obtido via MIS é imprescindível que tenha seu conteúdo validado e que o auditor compreenda o motivo de criação do conjunto de tabelas avaliados. Treinamentos O auditor deve ser capaz de interpretar dados, de correlacionar tabelas e identificar padrões/tendências. Estamos investindo fortemente na formação de nossos auditores de forma a prepara-los para lidar com ferramentas de análises de dados. Análise de dados: Elaboramos treinamentos de análise de dados com enfoque em ACL e agora estamos adaptando este treinamento para o SAS. Nossa proposta é de nivelar o conhecimento técnico/teórico sobre análise de dados e ao mesmo tempo ensinar o uso correto das ferramentas que disponibilizamos. Treinamentos especiais Rutgers: Como temos contrato de parceria com a Rutgers, em todas as visitas de trabalho do professor Miklos nós aproveitamos para realizar mini-treinamentos de variados temas estatísticos e de análise de dados. Já promovemos diversos treinamentos interessantes.

8 Desafios Mindset auditor Outro grande desafio é de preparar o auditor do futuro. Entendemos que o auditor deve ser um profissional com grande habilidade para gerar resultado através da análise de grandes volumes de dados. A auditoria eletrônica contínua deve estar na vanguarda no uso de técnicas de análise de dados com o objetivo de identificar novos riscos, os riscos que não são detectáveis através da abordagem de auditoria tradicional e assim ajudar na definição do escopo de trabalho realizado periodicamente pelo departamento de auditoria interna. Através da auditoria eletrônica contínua nós podemos ajudar os auditores internos a desenvolver algumas competências como: Excelente pensamento analítico Pensamento crítico Poder de persuasão Personalidade inquisitiva Mentalidade globalizada

9 Painel de Indicadores (Desenvolvimento ) Corporativos 1. EPS (Estudos sobre empresas prestadoras de serviços) Auditoria de projetos 2. Monitoramento Financeiro dos Projetos Auditoria Corporate Center 3. Projeto Ponto Eletrônico 4. Regras de PLD Auditoria de Crédito (Veículos / Cartões / Crédito Imobiliário) 5. Política de CDC 6. Inibição de Cobrança ITAUCRED (Veículos) 7. Credenciamento de Revendas (Correspondentes no País) 8. Pagamento de Retornos as Revendas/Lojistas 9. Alteração das condições comerciais - taxas e/ou prazos - Financiamento de Veículos 10. Garantias - Operações de Veículos e Crédito Imobiliário (Sistemas produto X Sistema de garantias) 11. Compulsório Operações de Financiamento Veículos Atendimento aos requisitos regulamentares 12. Escritório de cobranças (Itaú Veículos) 13. Concessão de Limite de Crédito fora das regras definidas em Política (Cartões) 14. Autorização de transações no cartão de débito fora dos limites estabelecidos no Tabelódromo 15. Regras de conversão de pontos parametrizadas não aderentes ao regulamento do Programa PSP e falhas nas regras de resgate de pontos em milhas e expiração de pontos Auditoria Tesouraria 16. Indicador PDD Auditoria Banco de Varejo 17. Inibição de Cobrança PF 18. Avaliação de Prevenção a Lavagem de Dinheiro (KYC) na abertura e movimentação de contas do segmento Personnalité 19. Avaliação da qualidade de campos relevantes do cadastro lógico de clientes (CC) 20. Vendas Auditoria Empresas 21. Decisão do Crédito - Elegibilidade do produto crédito imobiliário mutuário 22. Regras de câmbio Auditoria Private Bank / Seguros 23. Transferências originadas pela Wire Transfer e aprovadas pelas agências Varejo 24. Seguro Vida (alçadas, concentrações por aprovador e regras)

10 Parceria com a Universidade Rutgers Business School (Newark - NJ) Desde 2008, estabelecemos uma parceria com a Universidade Rutgers, sob a liderança do Professor Miklos, reconhecido mundialmente por seus trabalhos na área de Auditoria Eletrônica e Contínua. Desenvolvemos projetos com professores e estudantes da universidade abordando as várias técnicas de análises de dados, como clustering, correlações, sumarização de dados, análise logica e sequencial e técnicas de visualização. A Rutgers é pioneira em estudos de datamining, com uso inclusive de texto e voz, e também em técnicas visuais. Benefícios: Capacitação dos nossos auditores; Treinamentos específicos; Desenvolvimento de procedimentos analíticos nos trabalhos de auditoria; Suporte ao desenvolvimento de CAATs e Indicadores. Exemplos de projetos: Pagadoria; Cartões de crédito; Seguros; Prevenção à lavagem de dinheiro e controle de riscos; Modelagem; Text mining. Professor Dr. Miklos Vasarhelyi

11 Estudo de casos Auditoria Eletrônica Objetivo : Apresentar casos práticos de datamining através da ferramenta Tableau, destacando seus benefícios e resultados obtidos. Porque utilizamos o Tableau: Para trabalhar rapidamente com grandes volumes de dados; Correlacionar dados de múltiplas dimensões; Analisar dinamicamente gráficos complexos; Extrair o máximo de informações que a base pode conter, tendo uma visão mais abrangente dos dados, o que possibilita identificar riscos regulatórios e/ou operacionais e situações não previstas, além do escopo de trabalho; Facilitar o direcionamento dos testes.

12 Estudo de casos Auditoria Eletrônica Concentração de quantidade de apólice por ramo e comissão

13 Estudo de casos Auditoria Eletrônica Seguro de garantia estendida: Identificação das maiores concentrações de aprovador do sinistro e valor de produto.

14 Estudo de casos Auditoria Eletrônica Avaliação de campos zerados nas bases de dados Análise visual da início e término de vigência de apólice Identificados de campos com CPF zerado Início de vigência em 2014 Fim de vigência em 2015

15 Estudo de casos Auditoria Eletrônica Facilita a verificação geográfica de concentração de movimentos de apólice por estado, tipo de movimentação e ramos:

16 Estudo de casos Auditoria Eletrônica Valor de premio de seguro Concentração por idade

17 Auditoria Interna Itaú Unibanco

Ambiente de Controles Internos

Ambiente de Controles Internos Ambiente de Controles Internos Agosto/2012 Gerência de Gestão de Riscos, Compliance e Controles Internos Gestão de Controle Interno Responsabilidades GESTÃO DE RISCOS AUDITORIA INTERNA Mapeamento dos Riscos

Leia mais

Indicadores para Auditoria Contínua

Indicadores para Auditoria Contínua Indicadores para Auditoria Contínua Ronaldo Fragoso Sócio. Deloitte. Agenda Objetivo da auditoria contínua Contexto e evolução da auditoria interna Tendências em auditoria contínua Implementação metodologia

Leia mais

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS Governança Corporativa se faz com Estruturas O Itaú se orgulha de ser um banco essencialmente colegiado. A Diretoria atua de forma integrada e as decisões são tomadas em conjunto, buscando sempre o consenso

Leia mais

FÁBRICA DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS FÍSICOS

FÁBRICA DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS FÍSICOS FÁBRICA DE SOFTWARE Quem somos A Fábrica de Software da Compugraf existe desde 1993 e atua em todas as etapas de um projeto: especificação, construção, testes, migração de dados, treinamento e implantação.

Leia mais

Compêndio de Projetos de Auditoria Contínua

Compêndio de Projetos de Auditoria Contínua Copyright 2009 ACL Services Ltd. 1 Technology for Business Assurance Compêndio de Projetos de Auditoria Contínua Luiz Ribeiro Gerente de Soluções Tech Supply Perrotti Partners Quem somos? Soluções Governança,

Leia mais

Os impactos da Auditoria Contínua no trabalho do Auditor

Os impactos da Auditoria Contínua no trabalho do Auditor 12/04/2013 Os impactos da Auditoria Contínua no trabalho do Auditor Hélio Takashi Ito Chefe da Auditoria Interna CPFL Energia Agenda 1. O Grupo CPFL Energia 2. Estrutura e Subordinação da Auditoria 3.

Leia mais

Resolução 3.721 e Default Management. Setembro de 2010

Resolução 3.721 e Default Management. Setembro de 2010 Resolução 3.721 e Default Management. Setembro de 2010 1 Agenda Parte I Risco de Crédito Parte II Estrutura de Cobrança 2 I. Risco de Crédito Visão Geral de Basiléia II Regulamentação Adequação à Resolução

Leia mais

Apresentar benchmarks considerando: Como os auditores internos avaliam suas competências atuais Quais competências necessitam de aprimoramento Como

Apresentar benchmarks considerando: Como os auditores internos avaliam suas competências atuais Quais competências necessitam de aprimoramento Como 1ª Pesquisa Protiviti/Audibra sobre as Tendências da Auditoria Interna no Brasil Junho, 2010 Objetivo da Pesquisa Apresentar benchmarks considerando: Como os auditores internos avaliam suas competências

Leia mais

Indicadores de Risco. Monitoramento e Avaliação dos Indicadores de Risco em Instituições Financeiras

Indicadores de Risco. Monitoramento e Avaliação dos Indicadores de Risco em Instituições Financeiras Indicadores de Risco Monitoramento e Avaliação dos Indicadores de Risco em Instituições Financeiras Agenda Ambiente Atual de Negócios Indicadores de Risco Inteligência em Riscos Abordagem de Implementação

Leia mais

Gestão de Comissões e Incentivos

Gestão de Comissões e Incentivos Gestão de Comissões e Incentivos SAP FORUM BRASIL 1 Diversidade de Comissionamento Comissão sobre Vendas Participação, co-participação, campanhas, etc Comissão de Angariamento Transferência de carteira

Leia mais

Relatório de Auditoria. Dossiê de Crédito

Relatório de Auditoria. Dossiê de Crédito Relatório de Auditoria Dossiê de Crédito Expediente Coordenação e Redação Diego Torres Martins Thereza Miranda Projeto Gráfico Sheila Santana Introdução solução da Acesso Digital pode ser utilizada por

Leia mais

Regulamento da MultiConta Prestige

Regulamento da MultiConta Prestige Regulamento da MultiConta Prestige Mais serviços e mais benefícios feitos para quem recebe seu crédito de salário ou aposentadoria no Itaú Personnalité. A MultiConta Prestige oferece um maior número de

Leia mais

Sistema de Estacionamento DMP Parking

Sistema de Estacionamento DMP Parking Sistema de Estacionamento DMP Parking Dimensões: Indisponível Características Gerais Sistema de Estacionamento DMP Parking para o controle e gerenciamento de todas as funções automatizadas no estacionamento,

Leia mais

Impactos da nova regulação de meios de pagamento para o setor supermercadista Em 3 aspectos principais: aceitação, emissor e empregador

Impactos da nova regulação de meios de pagamento para o setor supermercadista Em 3 aspectos principais: aceitação, emissor e empregador Impactos da nova regulação de meios de pagamento para o setor supermercadista Em 3 aspectos principais: aceitação, emissor e empregador 25 de Abril de 2014 1 Somos uma consultoria especializada em Varejo

Leia mais

Curso Data warehouse e Business Intelligence

Curso Data warehouse e Business Intelligence Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Apresentação Os projetos de Data Warehouse e Business Intelligence são dos mais interessantes e complexos de desenvolver

Leia mais

Apresentação 3. Sobre a Módulo Risk Manager Academy 3. Portfólio 4

Apresentação 3. Sobre a Módulo Risk Manager Academy 3. Portfólio 4 2 Apresentação 3 Sobre a Módulo Risk Manager Academy 3 Portfólio 4 RM-01 Conheça o Módulo Risk Manager 4 RM-02 Meu Espaço e Navegação Básica 6 RM-03 Modelando a Organização 8 RM-05 Conhecimentos para Gestão

Leia mais

Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento. Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009

Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento. Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009 Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009 Agenda Estrutura do Mercado de Cartões Principais Números da Indústria de Cartões no Brasil Situação Atual da Indústria

Leia mais

Diretoria Executiva de Controles Internos e Risco Operacional

Diretoria Executiva de Controles Internos e Risco Operacional Diretoria Executiva de Controles Internos e Risco Operacional Seminário de Segurança da Informação 2014 Painel "A dinâmica do cenário de ameaças à rede interna frente a um contexto GRC e às novas ferramentas

Leia mais

Governança de Riscos em Instituições Financeiras

Governança de Riscos em Instituições Financeiras 1 Governança de Riscos em Instituições Financeiras Sérgio Ribeiro da Costa Werlang Vice Presidente Executivo da Área de Controle de Risco e Financeiro Itaú - Unibanco São Paulo, 20 de outubro de 2011 2

Leia mais

Desenvolvimento e utilização do Painel de Auditoria Contínua Agências pela Auditoria Interna do Banco do Brasil

Desenvolvimento e utilização do Painel de Auditoria Contínua Agências pela Auditoria Interna do Banco do Brasil PRÁTICA 1) TÍTULO Desenvolvimento e utilização do Painel de Auditoria Contínua Agências pela Auditoria Interna do Banco do Brasil 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA - limite de 8 (oito) páginas: A Auditoria Interna

Leia mais

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 Universo TOTVS Fundada em 1983 6ª maior empresa de software (ERP) do mundo Líder em Software no Brasil e

Leia mais

Auditoria de Sistemas. UNIPAC Ipatinga Segurança e Auditoria de Sistemas Prof. Thiago Lopes Lima

Auditoria de Sistemas. UNIPAC Ipatinga Segurança e Auditoria de Sistemas Prof. Thiago Lopes Lima Auditoria de Sistemas UNIPAC Ipatinga Segurança e Auditoria de Sistemas Prof. Thiago Lopes Lima Auditoria É uma atividade que engloba o exame das operações, processos, sistemas e responsabilidades gerenciais

Leia mais

TÉCNICAS DE INFORMÁTICA WILLIAN FERREIRA DOS SANTOS

TÉCNICAS DE INFORMÁTICA WILLIAN FERREIRA DOS SANTOS TÉCNICAS DE INFORMÁTICA WILLIAN FERREIRA DOS SANTOS Vimos em nossas aulas anteriores: COMPUTADOR Tipos de computadores Hardware Hardware Processadores (CPU) Memória e armazenamento Dispositivos de E/S

Leia mais

Auditoria e Segurança de Sistemas Aula 02 Auditoria. Felipe S. L. G. Duarte Felipelageduarte+fatece@gmail.com

Auditoria e Segurança de Sistemas Aula 02 Auditoria. Felipe S. L. G. Duarte Felipelageduarte+fatece@gmail.com Auditoria e Segurança de Sistemas Aula 02 Auditoria Felipe S. L. G. Duarte Felipelageduarte+fatece@gmail.com Evolução / Necessidade Empresas com Capital Fechado Aumento da concorrência Investimento em

Leia mais

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Tecnologia da Informação CAASP DIS Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Introdução...03 Projetos e Fatos Relevantes 2008...03 Raio X de Investimentos e Custos...10 Considerações

Leia mais

BPM e o Modelo de Gestão NeoGrid. Out/2013

BPM e o Modelo de Gestão NeoGrid. Out/2013 BPM e o Modelo de Gestão NeoGrid Out/2013 QUEM SOMOS? Uma multinacional brasileira presente em cinco continentes, provendo soluções para a sincronização da cadeia de suprimentos São mais de empresas gerenciando

Leia mais

Relatório da Administração. 1º Semestre de 2015

Relatório da Administração. 1º Semestre de 2015 Relatório da Administração 1º Semestre de 2015 Sumário 1. Senhores Acionistas... 3 2. Banco Luso Brasileiro S.A.... 3 3. Estrutura Acionária... 3 4. Desempenho Operacional... 3 5. Destaques do Semestre...

Leia mais

Ciclo Apimec 2015 Geraldo Soares Superintendente de Relações com Investidores. Santos 18/06/2015

Ciclo Apimec 2015 Geraldo Soares Superintendente de Relações com Investidores. Santos 18/06/2015 Ciclo Apimec 2015 Geraldo Soares Superintendente de Relações com Investidores Santos 18/06/2015 Ciclo Apimec 2015 Itaú Unibanco Holding S.A. A apresentação faz referências e declarações sobre expectativas,

Leia mais

Núcleo de Métricas: Alcançando a Excelência na Governança de TI

Núcleo de Métricas: Alcançando a Excelência na Governança de TI Núcleo de Métricas: Alcançando a Excelência na Governança de TI Gustavo Siqueira Simões - PMP e CFPS http://www.linkedin.com/in/gustavosimoes gustavo.simoes@fattocs.com.br skype: gustavosimoes +55(11)

Leia mais

Ponto pra Você. Programa de Relacionamento do Banco do Brasil para Clientes PF

Ponto pra Você. Programa de Relacionamento do Banco do Brasil para Clientes PF Ponto pra Você Programa de Relacionamento do Banco do Brasil para Clientes PF JULHO/2013 Sumário - O que é o Programa Ponto pra Você?... 3 - Quem participa do Programa?... 3 - Pontos: quais os tipos?...

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Data Warehouse - Conceitos Hoje em dia uma organização precisa utilizar toda informação disponível para criar e manter vantagem competitiva. Sai na

Leia mais

Manual Wincall Atualizado em 19/09/2007 Pág. 1

Manual Wincall Atualizado em 19/09/2007 Pág. 1 MANUAL CALL CENTER Pág. 1 INTRODUÇÃO AO MODULO CALL CENTER Esse módulo do Sistema gerencia todo relacionamento da empresa com seus clientes, registrando todos os contatos realizados, controlando todo o

Leia mais

Avenida Jamaris, 100, 10º e 3º andar, Moema São Paulo SP 04078-000 55 (11) 5051-8880

Avenida Jamaris, 100, 10º e 3º andar, Moema São Paulo SP 04078-000 55 (11) 5051-8880 APRESENTAÇÃO DA EMPRESA E DOS SERVIÇOS AUDITORIA CONSULTORIA EMPRESARIAL CORPORATE FINANCE EXPANSÃO DE NEGÓCIOS CONTABILIDADE INTRODUÇÃO A FATORA tem mais de 10 anos de experiência em auditoria e consultoria

Leia mais

O futuro da área de finanças Simplificação, eficiência e produtividade. Othon de Almeida 1 de julho de 2015

O futuro da área de finanças Simplificação, eficiência e produtividade. Othon de Almeida 1 de julho de 2015 O futuro da área de finanças Simplificação, eficiência e produtividade Othon de Almeida 1 de julho de 2015 Os desafios da área de finanças Os desafios da área de finanças em um ambiente competitivo Acompanhamento

Leia mais

Metodologia de Modelagem de Processos

Metodologia de Modelagem de Processos Metodologia de Modelagem de Processos Sugestão de Frame Work Metodologia de Modelagem de Processos O termo metodologia é formado pela fusão de método e lógica. Metodologia é a forma de direcionar os esforços

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

GERENCIAMENTO DO RISCO DE CRÉDITO - Resolução Bacen 3.721

GERENCIAMENTO DO RISCO DE CRÉDITO - Resolução Bacen 3.721 GERENCIAMENTO DO RISCO DE CRÉDITO - Resolução Bacen 3.721 RESOLUÇÃO 3.721 RISCO DE CRÉDITO Possibilidade de ocorrência de perdas associadas ao não cumprimento pelo tomador ou contraparte de suas respectivas

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA SEMPRE PRESENTE

REGULAMENTO DO PROGRAMA SEMPRE PRESENTE 1) O PROGRAMA DE RECOMPENSAS REGULAMENTO DO PROGRAMA SEMPRE PRESENTE 1.1. As presentes disposições regulam o programa de recompensas Sempre Presente, ( programa ), por meio do qual são atribuídos pontos

Leia mais

Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People.

Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People. Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People. O SoftExpert BPM Suite é uma suíte abrangente de módulos e componentes perfeitamente integrados, projetados para gerenciar todo o ciclo de

Leia mais

3.4.1. As contas que tiverem alguma pendência cadastral no período de elegibilidade, tais como nome, endereço ou CPF irregular.

3.4.1. As contas que tiverem alguma pendência cadastral no período de elegibilidade, tais como nome, endereço ou CPF irregular. O Banco do Brasil S.A., por meio da Diretoria de Empréstimos e Financiamentos, localizada no SAUN, Quadra 5 Lote B Ed. Banco do Brasil Torre I 1º andar em Brasília DF, é o realizador da Promoção Carro

Leia mais

Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura

Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Apresentação Os projetos de Data Warehouse e Business Intelligence são dos mais interessantes e complexos de desenvolver

Leia mais

PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES

PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES Fábio S. de Oliveira 1 Daniel Murara Barcia 2 RESUMO Gerenciar informações tem um sido um grande desafio para as empresas diante da competitividade

Leia mais

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA.

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus valores e princípios,

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu. Gestão e Tecnologia da Informação

PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu. Gestão e Tecnologia da Informação IETEC - INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu Gestão e Tecnologia da Informação BAM: Analisando Negócios e Serviços em Tempo Real Daniel Leôncio Domingos Fernando Silva Guimarães Resumo

Leia mais

Aplicação de BI na redução das perdas comerciais

Aplicação de BI na redução das perdas comerciais Aplicação de BI na redução das perdas comerciais Carlos Augusto Couto, gerente de perdas, Celpa, Belém, Brasil Agenda Institucional; Problema que a Empresa enfrentava; Solução Encontrada; Projeto e-revenue

Leia mais

Novas Condições de Comercialização para Seguros - Ramo Automóvel Vigência a partir de 1/06/2010

Novas Condições de Comercialização para Seguros - Ramo Automóvel Vigência a partir de 1/06/2010 (Atualizações indicadas com esta seta ) CIRCULAR COBRANÇA AUTO Prezado Corretor, Ref.: Novas Condições de Comercialização para Seguros - Ramo Automóvel Vigência a partir de 1/06/2010 Seguem condições atualizadas

Leia mais

Identificação: R.01 Revisão: 04 Folha: 1 / 11

Identificação: R.01 Revisão: 04 Folha: 1 / 11 Identificação: R.01 Revisão: 04 Folha: 1 / 11 Artigo 1 - Objetivo do documento 1.1. Este documento tem como objetivo regulamentar as atividades para credenciamento de uma empresa no Selo Excelência ABCEM.

Leia mais

HABILITAÇÃO COMPONENTE TITULAÇÃO

HABILITAÇÃO COMPONENTE TITULAÇÃO Operação de Software Aplicativo Científica Engenharia da Produção Engenharia de Engenharia de Produção Matemática Aplicada às Matemática Aplicada e Científica Matemática com Tecnologia em - Ênfase em Gestão

Leia mais

Colhendo os frutos de uma abordagem ampliada do risco operacional

Colhendo os frutos de uma abordagem ampliada do risco operacional Colhendo os frutos de uma abordagem ampliada do risco operacional Maio 2015 As informações contidas neste documento são de propriedade do CPqD. Este documento ou suas informações não podem ser copiados,

Leia mais

Nossa atuação no setor financeiro

Nossa atuação no setor financeiro Nossa atuação no setor financeiro No mundo No Brasil O porte da equipe de Global Financial Services Industry (GFSI) da Deloitte A força da equipe do GFSI da Deloitte no Brasil 9.300 profissionais;.850

Leia mais

SOFTWARE PROFIT 2011.

SOFTWARE PROFIT 2011. apresenta o SOFTWARE PROFIT 2011. GESTÃO DE TRANSPORTES O software PROFIT já está implantado há mais de 3 anos na REQUIN TRANSPORTES, em Belo Horizonte, e mais recentemente na ASUS. É um programa direcionado

Leia mais

6 PASSOS PARA IMPLEMENTAR UMA AUDITORIA CONTÍNUA EM SUA ORGANIZAÇÃO. Washington Lopes da Silva

6 PASSOS PARA IMPLEMENTAR UMA AUDITORIA CONTÍNUA EM SUA ORGANIZAÇÃO. Washington Lopes da Silva 6 PASSOS PARA IMPLEMENTAR UMA AUDITORIA CONTÍNUA EM SUA ORGANIZAÇÃO Washington Lopes da Silva Agenda Histórico da Auditoria Contínua A Evolução do Ambiente de TI nas Organizações A Evolução da Automação

Leia mais

Francisco Alexandre A. B. Paes Leme Gerente de Auditoria da Caixa Econômica Federal Coordenador da Subcomissão de Auditoria de TI da FEBRABAN

Francisco Alexandre A. B. Paes Leme Gerente de Auditoria da Caixa Econômica Federal Coordenador da Subcomissão de Auditoria de TI da FEBRABAN Auditoria Contínua: desafiando paradigmas da auditoria convencional. Francisco Alexandre A. B. Paes Leme Gerente de Auditoria da Caixa Econômica Federal Coordenador da Subcomissão de Auditoria de TI da

Leia mais

Itaú Unibanco Holding S.A. APIMEC 2012 APIMEC 2012

Itaú Unibanco Holding S.A. APIMEC 2012 APIMEC 2012 Itaú Unibanco / Desafios novo perfil do cliente Ambiente Regulatório Controle de Riscos Alto Volume de Informações Agilidade Desafios Qualidade Disponibilidade Internacionalização 2 Infraestrutura e Operações

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE ANEXO I DETALHAMENTO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO APLICÁVEL À PROVA DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA GERAL 10º EXAME DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA 1. LEGISLAÇÃO E ÉTICA PROFISSIONAL. a) A LEGISLAÇÃO SOBRE A ÉTICA PROFISSIONAL

Leia mais

A sua operação de mina faz uso de uma solução de software de planejamento integrado ou utiliza aplicações de software isoladas?

A sua operação de mina faz uso de uma solução de software de planejamento integrado ou utiliza aplicações de software isoladas? XACT FOR ENTERPRISE A ênfase na produtividade é fundamental na mineração à medida que as minas se tornam mais profundas, as operações se tornam cada vez mais complexas. Empresas de reconhecimento mundial

Leia mais

Guia Prático para você. O Besc é Banco do Brasil. Veja a diferença que isso faz no seu dia-a-dia.

Guia Prático para você. O Besc é Banco do Brasil. Veja a diferença que isso faz no seu dia-a-dia. Guia Prático para você. O Besc é Banco do Brasil. Veja a diferença que isso faz no seu dia-a-dia. guia_pf.indd 1 3/24/09 10:53:08 AM Índice Introdução...02 Relacionamento com o Banco do Brasil...03 Conta

Leia mais

SOLUÇÕES NASSOFT ERP - GESTÃO EMPRESARIAL

SOLUÇÕES NASSOFT ERP - GESTÃO EMPRESARIAL SOLUÇÕES NASSOFT ERP - GESTÃO EMPRESARIAL NASSOFT ERP MANAGER Padronização em gestão Para ser líder de mercado é preciso estratégia Para ter estratégia é preciso inteligência Não há inteligência sem informação

Leia mais

A prevenção e a contenção de riscos operacionais e financeiros é fundamental para a excelência de nossos serviços.

A prevenção e a contenção de riscos operacionais e financeiros é fundamental para a excelência de nossos serviços. QUEM SOMOS A Agência Brasileira de Controle de Risco - ABCR atua exclusivamente no ramo empresarial detectando, reprimindo, prevenindo e recuperando perdas patrimoniais e financeiras, relacionadas às falhas

Leia mais

ESTRATÉGIAS E SOLUÇÕES MOBILE TELEMÁTICA LTDA. 11 5686-6957 11 9930-9700

ESTRATÉGIAS E SOLUÇÕES MOBILE TELEMÁTICA LTDA. 11 5686-6957 11 9930-9700 ESTRATÉGIAS E SOLUÇÕES MOBILE TELEMÁTICA LTDA. 11 5686-6957 11 9930-9700 Mobilidade Corporativa Introdução A democratização e alcance das tecnologias móveis (wireless) e a convergência tecnológica irão

Leia mais

CobiT: Visão Geral e domínio Monitorar e Avaliar. Daniel Baptista Dias Ernando Eduardo da Silva Leandro Kaoru Sakamoto Paolo Victor Leite e Posso

CobiT: Visão Geral e domínio Monitorar e Avaliar. Daniel Baptista Dias Ernando Eduardo da Silva Leandro Kaoru Sakamoto Paolo Victor Leite e Posso CobiT: Visão Geral e domínio Monitorar e Avaliar Daniel Baptista Dias Ernando Eduardo da Silva Leandro Kaoru Sakamoto Paolo Victor Leite e Posso CobiT O que é? Um framework contendo boas práticas para

Leia mais

Guia de Atendimento Exclusivo

Guia de Atendimento Exclusivo Guia de Atendimento Exclusivo Procons e Entidades de Defesa do Consumidor Ouvidoria_Itaú_Unibanco_:) Relacionamento com o Sistema Nacional de Defesa do Consumidor Serviço de Atendimento aos Procons por

Leia mais

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA Habilidades Computacionais 32 h/a Oferece ao administrador uma visão sobre as potencialidades da tecnologia

Leia mais

Desafios na Implementação de uma Auditoria Contínua Efetiva

Desafios na Implementação de uma Auditoria Contínua Efetiva 21/06/13 Desafios na Implementação de uma Auditoria Contínua Efetiva Igor Estrada Gouvêa, CIA, CRMA Head de Auditoria Interna Qualicorp Soluções em Saúde Todas as informações fornecidas e opiniões emitidas

Leia mais

Tecnologia e Segurança da Informação no trabalho de auditoria

Tecnologia e Segurança da Informação no trabalho de auditoria Tecnologia e Segurança da Informação no trabalho de auditoria Cesar Morales CIA, CISA, CCSA Diretor de Auditoria de TI e Projetos Especiais Walmart Tópicos Processos de Auditoria e a tecnologia Pesquisa

Leia mais

SAP Insurance Insurance Analyzer. Giovanni Menegat Arquiteto de Soluções - Insurance

SAP Insurance Insurance Analyzer. Giovanni Menegat Arquiteto de Soluções - Insurance SAP Insurance Insurance Analyzer Giovanni Menegat Arquiteto de Soluções - Insurance AGENDA Desafios de Tecnologia Insurance Analyzer Overview da Solução Comparativo de Projetos (Tradicional x Insurance

Leia mais

Proposta de Franquia SMS Marketing. A Empresa

Proposta de Franquia SMS Marketing. A Empresa Proposta de Franquia SMS Marketing A Empresa A DeOlhoNaWeb Soluções Digitais é uma empresa de internet em forte crescimento, que foi fundada em 2012 com objetivo de oferecer soluções inovadoras por um

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA

MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA A Serveloja soluções empresariais é uma empresa de tecnologia, especialista em consultoria, serviços financeiros e softwares. Disponibilizamos diversas soluções de cobranças

Leia mais

Maior capacidade de distribuição do Brasil. 90% CLIENTES do Banco. Rede de Atendimento Varejo e Prime 18% REDE DE ATENDIMENTO 25% 23,3% 7,4% 19% 16,5%

Maior capacidade de distribuição do Brasil. 90% CLIENTES do Banco. Rede de Atendimento Varejo e Prime 18% REDE DE ATENDIMENTO 25% 23,3% 7,4% 19% 16,5% Maior capacidade de distribuição do Brasil Rede de Atendimento Varejo e Prime REDE DE ATENDIMENTO D 6% D 18% Agências Varejo e Prime 4.565 M 25% M 23,3% Espaços Bradesco Prime 410 Postos de Atendimento

Leia mais

)))* "*+$ Núcleo de Projetos Especiais Divisão de Processos e Segurança da Informação "$%&'(

)))* *+$ Núcleo de Projetos Especiais Divisão de Processos e Segurança da Informação $%&'( )))* "*+$!"# Núcleo de Projetos Especiais Divisão de Processos e Segurança da Informação "$%&'( , $-. Cecom Centro de Computação: atendimento das demandas corporativas da universidade. LCC Laboratório

Leia mais

GESTÃO DE RISCOS CORPORATIVOS. Modelo FUNCEF Antônio Bráulio de Carvalho

GESTÃO DE RISCOS CORPORATIVOS. Modelo FUNCEF Antônio Bráulio de Carvalho GESTÃO DE RISCOS CORPORATIVOS Modelo FUNCEF Antônio Bráulio de Carvalho AGENDA A FUNCEF INFORMAÇÕES INSTITUCIONAIS FUNDAÇÃO 1ºde Agosto de 1977 34 anos PATROCINADO RAS Missão COLEGIADOS CAIXA ECONÔMICA

Leia mais

Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal

Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal Universidade Federal do Rio Grande FURG C3 Engenharia de Computação 16 e 23 de março de 2011 Processo de Desenvolvimento de Software Objetivos

Leia mais

Orbitall. Autora: Carolina Fernandes Corrêa Leite. Orientadora: Profa. Ms. Ana Maria Santiago Jorge de Melo. Universidade Presbiteriana Mackenzie

Orbitall. Autora: Carolina Fernandes Corrêa Leite. Orientadora: Profa. Ms. Ana Maria Santiago Jorge de Melo. Universidade Presbiteriana Mackenzie Orbitall Autora: Carolina Fernandes Corrêa Leite Orientadora: Profa. Ms. Ana Maria Santiago Jorge de Melo Universidade Presbiteriana Mackenzie Introdução O setor de cartões de crédito tem crescido a taxas

Leia mais

www.atncapital.com.br

www.atncapital.com.br www.atncapital.com.br www.atncapital.com.br Agradecemos a oportunidade de apresentar a tn Capital. APRESENTAÇÃO Somos uma empresa de recuperação de recebíveis, administrada por profissionais oriundos de

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES 1. Introdução As tabelas a seguir apresentam os MACROPROCESSOS do BNDES, segregados por plataformas. As

Leia mais

MANUAL DE NORMAS. InterClubNet / Manual de Normas You Are Here:

MANUAL DE NORMAS. InterClubNet / Manual de Normas You Are Here: MANUAL DE NORMAS InterClubNet / Manual de Normas You Are Here: Manual de Normas InterClubNet 1.0 - Objetivo Este manual tem como objetivo estabelecer um conjunto de critérios para o bom funcionamento do

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Somos um escritório jurídico que reúne especialistas nos mais diversos ramos do direito empresarial. Priorizamos a ética nas relações com os clientes e nos dedicamos muito ao

Leia mais

Módulos de Formação 2013

Módulos de Formação 2013 Módulos de Formação 2013 Documento de trabalho Editores Banco de Portugal Comissão do Mercado de Valores Mobiliários Instituto de Seguros de Portugal Design, impressão e acabamento Banco de Portugal Departamento

Leia mais

% em sua dívida! Aproveite, pague à vista ou em parcelas.

% em sua dívida! Aproveite, pague à vista ou em parcelas. São Paulo, 30 de JANEIRO de 2014 Prezado(a) JEFERSON BATISTA DA SILVA, temos uma ótima oportunidade para você. Pague à vista Pague 48 Parcelas de R$ 82,60 R$ 2.223,95 Ou (*) cada. (*) Este é o valor para

Leia mais

A COBRANÇA NO MUNDO DOS CARTÕES: SEMELHANÇAS E DIFERENÇAS NOS RAMOS DE NEGÓCIO

A COBRANÇA NO MUNDO DOS CARTÕES: SEMELHANÇAS E DIFERENÇAS NOS RAMOS DE NEGÓCIO A COBRANÇA NO MUNDO DOS CARTÕES: SEMELHANÇAS E DIFERENÇAS NOS RAMOS DE NEGÓCIO José Roberto Romeu Roque Presidente da ASERC A QUESTÃO DO CRÉDITO E A RECUPERAÇÃO DE CRÉDITO Via comparativo da oferta do

Leia mais

IBM Software IBM Business Process Manager Simples e Poderoso

IBM Software IBM Business Process Manager Simples e Poderoso IBM Software IBM Business Process Manager Simples e Poderoso Uma única plataforma BPM que oferece total visibilidade e gerenciamento de seus processos de negócios 2 IBM Business Process Manager Simples

Leia mais

Benner Jurídico. Soluções inovadoras em Governança Corporativa

Benner Jurídico. Soluções inovadoras em Governança Corporativa Benner Soluções inovadoras em Governança Corporativa Melhor do que prometer tudo para sua empresa é fazer toda a diferença. Nós fazemos! >> A BENNER 16 anos de história Mais de 3.500 sistemas implantados

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA Anexo II.6 Especificações do Sistema de Bilhetagem Eletrônica PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA ÍNDICE 1 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 2 CONCEPÇÃO DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA... 2 2.1 Processos

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Esp. Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com Sistemas de informação Disciplina: Introdução a SI Noções de sistemas de informação Turma: 01º semestre Prof. Esp. Marcos Morais

Leia mais

A Inovação Aprendizagem e crescimento dos funcionários treinando-os para melhoria individual, numa modalidade de aprendizagem contínua.

A Inovação Aprendizagem e crescimento dos funcionários treinando-os para melhoria individual, numa modalidade de aprendizagem contínua. Balanced Score Card A Tecnologia da Informação é considerada fundamental para os vários setores, tanto no nível operacional como estratégico. Muitas das razões para Tecnologia da Informação fazer parte

Leia mais

CODIGO DA LISTA SERVIÇOS CÓDIGO DE TRIBIBUTAÇÃO DESIF DESCRIÇÃO DO CÓDIGO DE TRIBIBUTAÇÃO DESIF ALÍQUOTA

CODIGO DA LISTA SERVIÇOS CÓDIGO DE TRIBIBUTAÇÃO DESIF DESCRIÇÃO DO CÓDIGO DE TRIBIBUTAÇÃO DESIF ALÍQUOTA CODIGO DA LISTA SERVIÇOS CÓDIGO DE TRIBIBUTAÇÃO DESIF DESCRIÇÃO DO CÓDIGO DE TRIBIBUTAÇÃO DESIF ALÍQUOTA 101 10100001 Análise e desenvolvimento de sistemas 5,00% 102 10200001 Programação 5,00% 103 10300001

Leia mais

apresentação corporativa

apresentação corporativa apresentação corporativa 2 Índice 1. Apresentação da BBS a) A empresa b) Evolução c) Valores d) Missão e Visão 2. Áreas de Negócio a) Estrutura de Serviços b) Accounting/Tax/Reporting c) Management & Consulting

Leia mais

MAIS RENTABILIDADE, SEGURANÇA E AGILIDADE NA GESTÃO DE SEUS CONTRATOS, PROJETOS E SERVIÇOS.

MAIS RENTABILIDADE, SEGURANÇA E AGILIDADE NA GESTÃO DE SEUS CONTRATOS, PROJETOS E SERVIÇOS. MAIS RENTABILIDADE, SEGURANÇA E AGILIDADE NA GESTÃO DE SEUS CONTRATOS, PROJETOS E SERVIÇOS. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus

Leia mais

O atual estágio da implantação do BANCO DO BRASIL

O atual estágio da implantação do BANCO DO BRASIL O atual estágio da implantação do modelo de risco operacional no BANCO DO BRASIL 14 de maio de 2010 1 Agenda I OBancodoBasil Brasil - GandesNúmeos Grandes Números II Estrutura de Gerenciamento de RO III

Leia mais

COMPLIANCE FUNÇÃO, CONSOLIDAÇÃO E. Vanessa Alessi Manzi 19/09/08

COMPLIANCE FUNÇÃO, CONSOLIDAÇÃO E. Vanessa Alessi Manzi 19/09/08 COMPLIANCE FUNÇÃO, CONSOLIDAÇÃO E DESAFIOS Vanessa Alessi Manzi 19/09/08 Agenda 1. Compliance conceito e missão 2. Atuação de Compliance nas instituições 3. Ferramentas de Compliance 4. Auditoria e Compliance

Leia mais

O APLICATIVO. Cartão de débito virtual por meio de um aplicativo para celular ou tablet.

O APLICATIVO. Cartão de débito virtual por meio de um aplicativo para celular ou tablet. A EMPRESA A Genesis Card criou um sistema de cash back revolucionário, onde você ganha dinheiro consumindo dentro de uma rede credenciada. É um projeto inovador que, por meio de um programa de fidelização,

Leia mais

Recursos do Sistema Gerenciador de Seguros VS IT 2014

Recursos do Sistema Gerenciador de Seguros VS IT 2014 Recursos do Sistema Gerenciador de Seguros IT 2014 1.1) Corretoras Prêmio por anos de trabalho da Corretora Tabela de acréscimos sobre a comissão recebida da Corretora Teto máximo para o repasse ao produtor

Leia mais

Gerenciamento de Risco de Crédito Santander Brasil

Gerenciamento de Risco de Crédito Santander Brasil Gerenciamento de Risco de Crédito Santander Brasil Abril/2011 1 Índice 1. Objetivos, abrangência e atualização da política... 03 2. Estrutura organizacional de Gerenciamento de Risco de Crédito... 03 a.

Leia mais

CURSO: SICONV 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO

CURSO: SICONV 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO CURSO: SICONV TEMAS CENTRAIS 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO 2) PROPOSIÇÃO, AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS - CEDENTE, CELEBRAÇÃO DE UM CONVÊNIO E ALTERAÇÕES 3) EXECUÇÃO,

Leia mais

Banco Fidis S.A. Belo Horizonte, 18 Junho 2012

Banco Fidis S.A. Belo Horizonte, 18 Junho 2012 Banco Fidis S.A. Agenda Contexto do Banco FIDIS 2 O Projeto de Processo: Concessão de crédito Varejo 3 Próximas Etapas 2 BANCO FIDIS S/A Ativo Total vs Carteira 2008-20 Valores em Milhões R$ 6.000 5.50

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Internet promoveu: Transformação Novos padrões de funcionamento Novas formas de comercialização. O maior exemplo desta transformação é o E- Business

Leia mais

Banco do Brasil S.A. Consulta ao Mercado - RFP - Request for Proposa Aquisição de Ferramenta de Gestão de Limites Dúvida de Fornecedor

Banco do Brasil S.A. Consulta ao Mercado - RFP - Request for Proposa Aquisição de Ferramenta de Gestão de Limites Dúvida de Fornecedor 1. Em relação ao módulo para Atribuição de Limites, entendemos que Banco do Brasil busca uma solução para o processo de originação/concessão de crédito. Frente a essa necessidade, o Banco do Brasil busca

Leia mais

REGULAMENTO DO AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO

REGULAMENTO DO AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO REGULAMENTO DO AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO O presente instrumento estabelece as normas regulamentares do AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO, destinado ao atendimento de Pessoas Jurídicas de direito público,

Leia mais

APRESENTAÇÃO. www.maissolucoeslogisticas.com.br

APRESENTAÇÃO. www.maissolucoeslogisticas.com.br APRESENTAÇÃO www.maissolucoeslogisticas.com.br Acreditamos que as pequenas e médias empresas de transporte, armazenagem, operadores logísticos e empresas de e-commerce podem ter processos eficientes, uma

Leia mais