XXII CBBD CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA, DOCUMENTAÇÃO E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO. BRASILIA, 2007.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "XXII CBBD CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA, DOCUMENTAÇÃO E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO. BRASILIA, 2007."

Transcrição

1 ÁREA: GESTÃO SUB-ÁREA: GESTÃO DA INFORMAÇÃO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA TíTULO: CRIAÇÃO DE INDICADORES SOBRE O SERVIÇO DE EMPRÉSTIMO ENTRE BIBLIOTECAS DA BCO/UFSCAR ATRAVÉS DE ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA AUTOMATIZADA Roniberto Morato do Amaral Ronildo Santos Prado - 1 Lígia Maria Silva e Souza - 1 Aisten Baldan 12 José de Carvalho Assumpção 1 Leandro Innocentini Lopes de Faria Biblioteca Comunitária BCo/UFSCar Universidade Federal de São Carlos - UFSCar Rodovia Washington Luís, km 235 CEP São Carlos - SP - Brasil (16) Departamento de Ciência da Informação - DCI Universidade Federal de São Carlos - UFSCar Rodovia Washington Luís, km 235 CEP São Carlos SP - Brasil (16) ou Núcleo de Informação Tecnológica em Materiais - NIT/Materiais Universidade Federal de São Carlos - UFSCar Rodovia Washington Luís, km 235 CEP São Carlos - SP - Brasil (16) ou Departamento de Engenharia de Produção - DEP Universidade Federal de São Carlos - UFSCar Rodovia Washington Luís, km 235 CEP São Carlos - SP - Brasil (16) ou

2 RESUMO: Este trabalho apresenta um estudo dos atendimentos e solicitações realizados pelo Serviço de Empréstimo Entre Bibliotecas - EEB da Biblioteca Comunitária da Universidade Federal de São Carlos - BCo/UFSCar em O objetivo do estudo foi construir indicadores sobre os atendimentos e solicitações feitos pela BCo/UFSCar através do EEB para analisar a evolução desse serviço. Para a construção dos indicadores foi utilizada a análise bibliométrica automatizada. Como dados iniciais, foram utilizados 521 formulários, entre atendimentos e solicitações realizados pela BCo/UFSCar em , obtidos na base de dados EEB. Os formulários foram tratados com o software Vantagepoint para construção de indicadores a partir dos campos "situação do pedido", "data do pedido", "data do atendimento", "biblioteca", "material bibliográfico" e "usuário" entre outros. Como resultados, foram construídos indicadores relacionados ao tempo de atendimento, à freqüência de solicitação e atendimento, aos materiais bibliográficos solicitados e aos usuários. Como o procedimento desenvolvido é automatizado, será possível atualizar periodicamente os indicadores para seu acompanhamento ao longo do tempo. PALAVRAS-CHAVE: Empréstimo entre bibliotecas; Bibliometria; Indicadores. 1 INTRODUÇÃO Reconhecidamente nas universidades brasileiras concentra-se o maior número de pesquisas e a geração de novas tecnologias desenvolvidas no país. Ás bibliotecas universitárias compete fornecer serviços de informação científica e tecnológica em níveis compatíveis com as necessidades dos usuários servindo de apoio imprescindível a essas atividades. O controle bibliográfico, através dos catálogos on line, tem permitido uma maior cobertura dos documentos e assegurado um acesso mais rápido e eficaz às referencias bibliográficas. Atualmente a tecnologia da informação permite acesso às bases de dados nacionais e internacionais e constitui-se em importante fator para a produção de novas ferramentas bibliográficas. Porém o acesso ao documento primário não se encontra na mesma situação, já que as pressões econômicas têm obrigado as bibliotecas a reduzirem suas aquisições (JESUS & GOMES, 2001). Foi neste estágio que o empréstimo entre bibliotecas começou a adquirir maior importância, uma vez que a experiência tem indicado que a única solução plausível é a de uma determinada biblioteca apoiar-se nos recursos de outras (EVARISTO, 1982).

3 Propõe-se por meio deste estudo dar continuidade aos trabalhos apresentados por Amaral et al (2005; 2006), de analise dos serviços prestados pela Biblioteca Comunitária da Universidade Federal de São Carlos - BCo/UFSCar, através do uso de métodos de estudos bibliométricos e tratamento automatizado dos dados extraídos a partir das base de dados do serviço de Empréstimo Entre Bibliotecas - EEB da BCo/UFSCar, focando a criação de indicadores. Com a visibilidade das informações sobre o serviço foi possível identificar, através da construção de gráficos e quadros, quais as instituições que mais atenderam e solicitaram material bibliográfico a BCo/UFSCar, quais os principais usuários do serviço, qual a tipologia do material solicitado, a freqüência de solicitações por periódico. Os estudos bibliométricos combinados a outros indicadores podem ajudar tanto na avaliação do estado atual da ciência como na tomada de decisão e no gerenciamento da pesquisa, importantes em estudos para a área acadêmica (WORMELL, 1998). 2 REFERENCIAL TEÓRICO O empréstimo entre bibliotecas foi definido por Campelo (1986), como o ato de uma biblioteca ceder indiretamente a um individuo, através de outra biblioteca, materiais de seu acervo. Isso pode ser feito pelo empréstimo do próprio original ou de reprodução dele. O empréstimo entre bibliotecas assume uma importância cada vez mais relevante no conjunto de atividades dos serviços de documentação nas bibliotecas universitárias, pois aprimora o compartilhamento dos acervos, garantindo aos usuários o acesso a um diversificado e maior número de documentos. Mediante a revisão de literatura, constata-se que as bibliotecas não têm condições de atender à sua comunidade, pois possuem seus acervos defasados ou incompletos e quando se utilizam do empréstimo entre bibliotecas, reduzem seus gastos com obras que poderiam ter pouca ou temporária utilidade (SANTOS, 2002). Toda uma argumentação foi elaborada a respeito do compartilhamento de acervos por Silva (2001). Baseado em uma revisão de literatura explanou os motivos pelos quais as bibliotecas podem optar pelo compartilhamento de acervos. São arrolados os benefícios que as bibliotecas venham a desfrutar do

4 compartilhamento no tocante a economia de custos, desenvolvimento de coleções, progresso da biblioteca e divulgação da informação. O Brasil não dispõe de mecanismos formais que viabilizem o empréstimo sistemático entre bibliotecas. Assim, todos os recursos aplicados pelas próprias Instituições de Ensino Superior (IES) ou por Agências de fomento na aquisição de livros, beneficiam apenas a comunidade local. Para que o empréstimo entre bibliotecas seja desenvolvido o Ministério da Educação (MEC) afirma que é necessário dispor de instrumentos próprios que assegurem o transito do livro de uma biblioteca para outra, em condições satisfatórias de prazo, segurança e confiabilidade no serviço oferecido. A falta de infra-estrutura é apontada como um empecilho para o bom funcionamento do empréstimo entre bibliotecas no Brasil, ocasionando um serviço feito á base da informalidade, da boa vontade, quase sempre a nível local ou institucional (BRASIL, 1990). Atualmente a informação é matéria-prima para o desenvolvimento tecnológico. Assume um novo papel como fator de produção que, aliado ao trabalho, matéria-prima e capital se torna o elemento indutor das mudanças tecnológicas essenciais para as empresas que lutam por sua sobrevivência (FUJINO, 1994). A valorização da informação trouxe benefícios para o desenvolvimento e emprego de técnicas voltadas para a análise da informação, entre elas a bibliometria, que possibilita realizar estudos a organização dos setores científicos e tecnológicos a partir de fontes bibliográficas para identificar os autores, suas relações e tendências (SPINAK, 1998). A bibliometria analisa a comunicação escrita, através da contagem de palavras. Atualmente está relacionada à contagem não apenas de elementos textuais presentes no suporte de papel, mas principalmente de informações extraídas de base de dados bibliográficos. Tarapanoff (1995) define a bibliometria como o estudo de aspectos quantitativos da produção, distribuição e uso da informação registrada, a partir de modelos matemáticos, para o processo de tomada de decisão. Alguns pesquisadores observaram que a distribuição de freqüência dos dados em um texto ou em um conjunto de referências bibliográficas segue certos padrões. Essas observações deram origem às leis bibliométricas: Lei de Lotka determina a contribuição de cada autor para o avanço da Ciência; Lei de

5 Bradford, um método para selecionar os periódicos mais representativos para uma área da ciência; e a Lei de Zipf, verificou que se as palavras que ocorrem em um texto forem contadas e classificadas em ordem decrescente de número de ocorrências, a multiplicação do número de ocorrências pela posição no ranking para cada palavra é uma constante. A lei de Zipf é valida para todas as contagens feitas em textos, conjunto de textos ou referências bibliográficas, tanto para contagem de palavras, como de elementos bibliográficos como: autores, data de publicação, fonte da publicação entre outros (WORMELL, 1998). Através da bibliometria, conjuntos de centenas ou milhares de registros bibliográficos de artigos científicos, patentes, notícias e outros documentos podem ser analisados para dar origem a novas informações bastante sintéticas e de alto valor agregado, chamados indicadores, que não dizem respeito a um documento em particular, mas ao conjunto dos documentos analisados. Os indicadores bibliométricos podem ser usados para estudos de prospecção tecnológica, inteligência competitiva e análise da produção cientifica (FARIA, 2001). Indicadores é uma forma indireta de avaliar algo intangível, como ciência e tecnologia. Considerando a ciência e tecnologia como sistema gerador de informação, conhecimento e inovação, que requer insumos para funcionar e produz resultados, podem-se construir indicadores de ciência e tecnologia a partir da medição dos insumos aplicados e os resultados obtidos (SPINAK, 1998). Os indicadores bibliométricos são classificados em indicadores de uma ou de duas dimensões. Os indicadores de duas dimensões são chamados de indicadores de ligação e os indicadores de uma dimensão são divididos em indicadores de atividades (contagem de publicações) e indicadores de impacto (contagem de citações recebidas). Os indicadores de ligação têm sido aplicados para elaboração de mapas descritivos do conhecimento e de redes de relacionamento entre pesquisadores, instituições e países (FARIA, 2001). Eles são de fundamental importância, pois contam os relacionamentos entre os diversos campos de uma base de dados. Por exemplo, são importantes para a identificação das parcerias entre autores ou entre instituições e para mostrar ligações entre temas ou áreas de pesquisa. Os indicadores de atividade são criados a partir da contagem de publicações e visam à elaboração de listas de freqüência ou ranking de pesquisadores, instituições, empresas, países, e outros

6 (FARIA, 2001). Este tipo de indicador permite identificar os autores mais produtivos de uma determinada área, analisar sua evolução no decorrer dos anos e mapear quais são os temas de pesquisa prioritários de cada país, dentre outras possibilidades. Os indicadores de impacto, que são criados a partir da contagem de citações. O Indicador de impacto mais conhecido é o Fator de Impacto. Calculado freqüentemente pelo Institute for Scientific Information (ISI, 2007) para os periódicos indexados na base Science Citation Index, com base nas citações recebidas pelos artigos publicados nesses periódicos nos últimos anos. Na década de 80, começaram a ser desenvolvidas ferramentas (softwares) para permitir automatização da análise bibliométrica, que consiste em produzir os indicadores bibliométricos a partir de dados extraídos de base de dados eletrônicas com o auxilio do computador. A análise automatizada conta com as etapas: a) recuperação dos dados; b) preparação dos dados; c) tratamento bibliométrico dos dados para a contagem de ocorrências de palavras nos registros recuperados e criação de listas e matrizes; d) tratamento estatístico; e e) representação gráfica para facilitar o entendimento da análise (FARIA, 2001). Para estudos sistemáticos e de duração mais longa, como a produção de indicadores para a avaliação da produção cientifica, se é necessário à criação de um sistema de informação perene, aprimorado ao longo do tempo com a experiência resultante de sucessivas aplicações (VAN RAAN, 1997). Diversos pesquisadores brasileiros já desenvolveram estudos a cerca da bibliometria. Quoniam (2001) mostrou em seu trabalho, de análise das teses brasileiras inseridas na base de dados francesa Doc Thèses, que é possível obter conhecimento, a partir do tratamento automatizado, para auxiliar o processo decisório em todos os níveis, pois oferecem subsídios para a consolidação, investimento e desenvolvimento de ações políticas e cientificas. 3 MÉTODO Para analisar os atendimentos e solicitações de material bibliográfico feitos pela BCo/UFSCar, através do EEB, e construir indicadores sobre esse serviço, foi utilizado o método desenvolvido por Quoniam (2001). Como dados iniciais foram utilizados os 521 formulários de atendimentos e solicitações realizados pela

7 BCo/UFSCar em , obtidos nas bases de dados do EEB. Optou-se por extrair registros referentes aos formulários, pela quantidade de informações presentes a respeito do serviço de EEB, que opera com duas bases de dados: USER e PEDIDO, sua estrutura proporciona uma eficiente gestão do serviço e um alto nível de detalhamento das características dos seus usuários, assim como do material solicitado. Estas informações complementam os estudos de uso e usuários que a BCo/UFSCar realiza periodicamente, com o intuito de manter atualizado seu acervo, identificando futuras demandas. Para a análise dessas informações foi necessária a recuperação de 521 formulários em , tendo em vista os dados relevantes sobre cada operação (solicitação ou atendimento) (Dia atendimento; Usuário; Dia do pedido; Biblioteca; Titulo do material bibliográfico; e etc.). O sistema informatizado de gestão do EEB fornece informações em um formato bibliométrico, adequado ao tratamento automatizado, conforme visualizado no quadro 1, não sendo necessário a fase de tratamento sugerida por Faria (2001). QUADRO 1 Formato bibliométrico. Nome: Sheila Abadia Rocha Carvalho Autor: CHALHOUB, Sidney Titulo: Trabalho, lar e botequim: o cotidiano dos trabalhos do Rio de Janeiro Ano: 2001 Tipo: Livro Status: cancelado Biblioteca: UNESP/FCL - Faculdade de Ciências e Letras - Araraquara Data: 17/03/2006 Usuário: usuário Obs.: Não encontra-se na biblioteca Curso: Ciências Sociais Grau: Graduação As informações obtidas sobre o EEB foram processadas pelo software VantagePoint (capaz de, a partir de um arquivo texto contendo registros bibliográficos, produzir indicadores de uma ou duas dimensões, além de representar gráficos através de mapas estatísticos). O software Vantagepoint foi usado para fazer o tratamento bibliométrico, que resultou na criação de listas de freqüência, matrizes de relacionamentos e mapas. Por fim, o software Microsoft

8 Excel foi utilizado para importar os dados obtidos com o Vantagepoint e representar graficamente os indicadores bibliométricos. A figura 1 abaixo sintetiza todas as etapas do trabalho. FIGURA 1 Síntese do método (QUONIAM, 2001). Este estudo foi realizado em parceria com o Núcleo de Informação Tecnológica em Materiais NIT/Materiais e o Departamento de Ciência da Informação DCI/UFSCar. A estrutura utilizada para desenvolver o trabalho, tanto hardware como software, foi disponibilizada pelo NIT/Materiais. O núcleo é especializado em Inteligência Competitiva (NIT, 2007). 4 RESULTADOS No período analisado, entre , foram efetuados 521 solicitações/atendimentos (Pedidos) pelo EEB, 440 em 2006 e 81 em A figura 2 apresenta a evolução do serviço no período de Em setembro foi registrado um pico no atendimento, nos meses de janeiro, fevereiro e março o EEB fica suspenso, o serviço tem seu funcionamento atrelado ao ano letivo da UFSCar. Os usuários do EEB foram classificados em quatro grupos: alunos de Pósgraduação (doutorandos ou mestrandos), alunos de Graduação, Docentes e Técnicos administrativos. No quadro 2 é possível visualizar que a demando pelo serviço esta concentrada nos alunos, representando cerca de 67% do total demandado. O quadro 2 também apresenta uma alta porcentagem de pedidos cancelados. Os principais motivos de cancelamento levantados são: a biblioteca possui o material solicitado (19 ocorrências), a biblioteca não empresta o material

9 solicitado (19 ocorrências), usuário cancelou (18 ocorrências) material não localizado (9 ocorrências). Com essas informações foi possível desenvolver um treinamento específico para solucionar estes cancelamentos. Nº de pedidos Jan Fev Mar Abr Maio Jun JULH Ago STE Out Nov Dez Mês Figura 2 Evolução dos pedidos no período de Quadro 2 Classificação dos usuários do EEB. Total de pedidos Grau cancelado 197 Pós-Graduação 36,55% 151 Graduação 34% 49 Docente 32% 14 Não identificado 7% 6 Técnico Administrativo 0% Entre os alunos de graduação, os cursos que mais tiveram ocorrências de pedidos foram os cursos de Engenharia Urbana e Biblioteconomia. Conforme pode ser visualizado no quadro 3, estes cursos merecem uma atenção especial por parte dos responsáveis pelo desenvolvimento de coleções da biblioteca, afim de verificar a qualidade do seu acervo, quanto as necessidades da demanda. Quanto à tipologia dos materiais solicitados foram 418 pedidos para livros e 102 para teses/dissertações. Os principais títulos pedidos podem ser visualizados no quadro 4. As informações apresentadas no quadro 4 podem ser usadas pelo departamento de aquisição, para verificar a possibilidade de compra do material, atualizando o acervo da biblioteca com a orientação de seus usuários.

10 Quadro 3 Cursos de graduação. Total de pedidos CURSO DE GRADUACAO 36 Biblioteconomia e Ciência da Informação 30 Engenharia Urbana 21 Engenharia de Produção 21 Engenharia Civil 20 Ciências Sociais 16 LETRAS 16 Física 13 Ciências Biológicas 10 Engenharia Física 9 Matemática Quadro 4 Principais títulos pedidos. Total de pedidos Título pedido 3 Aspectos humanos de la forma urbana 3 Introdução a isostática 3 Paleontologia 2 a lírica trovadoresca 2 Anatomia do aparelho locomotor : osteologia, artrologia, miologia, 2 Anatomia do Aparelho Locomotor, Osteologia, Artrologia, Miologia, 2 Compreender e transformar o ensino 2 Construzioni Metalliche 2 Fundamentos de espectroscopia raman e infravermelho 2 Fundamentos de Transferencia de calor e massa 2 Física para cientistas e engenheiros 2 Hilda Furacão 2 historia de portugal medievo 2 Imagem da Cidade 2 Microbiologia dos alimentos 2 Mécanique analytique 2 O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e 2 O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e 2 O segredo de Luisa 2 Perturbation theory for linear operators 2 Principles of Farm Machinery 2 Química do Processamento de Alimentos 2 Solvable Models in Quantum Mechanics 2 Statistical methods for reliability data 2 Zoologia dos Invertebrados A BCo/UFSCar tem convênio firmado com 66 bibliotecas, que no período recebera, 432 pedidos de empréstimo da BCo/UFSCar. O quadro 5 foi construído com as bibliotecas que receberam mais de 10 pedidos. A BCo/UFSCar foi solicitada 89 vezes por suas parceiras, isto mostra uma relação vantajosa proporcionada pelo EEB a BCo/UFSCar.

11 Quadro 5 Bibliotecas parceiras da BCo/UFSCar. Total de pedidos Biblioteca parceira 79 USP/EESC - Escola de Engenharia de São Carlos 40 Centro de Ciências Agrárias - Araras - BSCA 35 UNESP/FCL - Faculdade de Ciências e Letras - Araraquara 34 USP/ICMC - Instituto de Ciências Matemáticas e Computação 19 UNICAMP/BCCE - Biblioteca Central Cesar Lattes 17 UNESP/BRC - Campus Rio Claro 15 UNICAMP/FE - Faculdade de Educação (sedex) 12 UNICAMP/BC - Biblioteca Central 11 USP/IFSC - Instituto de Física de São Carlos 10 UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina - Central 10 USP/FE - Faculdade de Educação 10 USP/POLI - Engenharia de Produção 5 CONCLUSÃO Com os resultados foi possível a BCo/UFSCar melhorar o seu serviço de EEB junto aos usuários, promovendo treinamentos direcionados aos seus principais usuários e visando novos usuários. Os resultados permitiram uma melhor seleção das instituições na hora de efetuar as futuras solicitações, pois é possível visualizar a eficiência do atendimento de cada instituição. Também foi possível um melhor controle do acervo, já que algumas publicações solicitadas encontram-se em nosso acervo com algum tipo de problema e outras puderam ser indicadas para aquisição devido ao seu volume de solicitações. Conforme foi citado no referencial teórico, os trabalhos desenvolvidos com o tratamento bibliométrico tendem a evoluir conforme a sua aplicação. O presente artigo é parte de uma série abordando o desenvolvimento do EEB, o trabalho se caracteriza por seus resultados, em um mecanismo de verificação e controle do desenvolvimento do EEB. Como o procedimento desenvolvido é automatizado, será possível atualizar periodicamente os indicadores para seu acompanhamento ao longo do tempo, podendo a BCO/UFSCar melhorar o seu próprio indicador de eficiência, no atendimento a outras instituições. 6 REFERÊNCIAS AMARAL, R. M. et al. Criação de indicadores sobre o serviço de comutação bibliográfica da BCo/UFSCar através de análise bibliométrica automatizada. In:

12 CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA, DOCUMENTAÇÃO E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO CBBD, 21., 2005, Curitiba. Anais... Curitiba: [s.n.], CD-ROM. AMARAL, R. M. et al. Desenvolvimento e aplicação de uma ferramenta para o uso e gestão do serviço de empréstimo entre bibliotecas na BCo/UFSCar. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 14., 2006, Salvador. Anais... Salvador:UFBA, CD-ROM. BRASIL. Ministério da Educação. Ministério da Ciência e Tecnologia. Modelos alternativos de empréstimos-entre-bibliotecas. Brasília: O Programa, CAMPELO, B. S. Empréstimo entre bibliotecas. Revista da Escola de Biblioteconomia da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, v. 15, n. 1, p. 7-34, mar., EVARISTO, M. F. Sistemas nacionais de acesso ao documento: um modelo para o Brasil. Revista Brasileira Biblioteconomia Documentação, v, 10, n. 1, p , jan.-jun., FARIA, L. I. L. Prospecção tecnológica em materiais: aumento da eficiência do tratamento bibliométrico. 225 f Tese (Doutorado em Engenharia de Materiais) Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, FUJINO, A. A informação e o lucro da empresa. Palavra-Chave, n.7, p.15, INSTITUTE FOR SCIENTIFIC INFORMATION - ISI. Disponível em: <http:// Acesso em:12 mar JESUS, A. P.; GOMES, J. J. Criação do sistema integrado de bibliotecas do Sistema ACAFE: utilizando JAVA e XML. [SI: sn], NÚCLEO DE INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA EM MATERIAIS - NIT. Disponível em: <http://www.nit.ufscar.br> Acesso em: 04 mar QUONIAM, L. et al. Inteligência obtida pela aplicação de data mining em base de teses francesas sobre o Brasil. Ciência da Informação, Brasília, v.30, n.2, p.24, SANTOS, P. R. F. Empréstimos entre bibliotecas: biológicas, exatas e humanidades. 54 f. Marília: UNESP/Curso de Biblioteconomia, 2002.Trabalho de Conclusão de Curso. SILVA, T. Compartilhar é a solução. Nova Friburgo: UERJ/Instituto Politécnico, SPINAK, E. Indicadores cienciométricos. Ciência da Informação, Brasília, v.27, n.2, p , maio/ago., TARAPANOFF, K.; MIRANDA, D. M.; ARÁUJO JÚNIOR, R. H. Técnicas para tomada de decisão nos sistemas de informação. Brasilia: Thesaurus, VAN RAAN, A. F. J. Scientometrics: state-of-the-art. Scientometrics, v. 38, n. 1, p , WORMELL, I. Informetria: explorando bases de dados como instrumentos de análise. Ciência da Informação, Brasília, v.27, n.2, p , 1998.

CRIAÇÃO DE INDICADORES SOBRE O SERVIÇO DE COMUTAÇÃO BIBLIOGRÁFICA DA BCO/UFSCAR em 2004-2005, ATRAVÉS DE ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA AUTOMATIZADA

CRIAÇÃO DE INDICADORES SOBRE O SERVIÇO DE COMUTAÇÃO BIBLIOGRÁFICA DA BCO/UFSCAR em 2004-2005, ATRAVÉS DE ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA AUTOMATIZADA CRIAÇÃO DE INDICADORES SOBRE O SERVIÇO DE COMUTAÇÃO BIBLIOGRÁFICA DA BCO/UFSCAR em 2004-2005, ATRAVÉS DE ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA AUTOMATIZADA Roniberto Morato do Amaral - roniberto@nit.ufscar.br 1234 Ronildo

Leia mais

Cooperação e intercâmbio em bibliotecas universitárias

Cooperação e intercâmbio em bibliotecas universitárias Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) Cooperação e intercâmbio em bibliotecas universitárias Roniberto Morato do Amaral (UFSCar) - roniberto@nit.ufscar.br Aline Grasiele Cardoso de Brito (UFSCAR) - aline.brito@gmail.com

Leia mais

ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA UNESP

ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA UNESP 1 ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA UNESP ANA PAULA SANTULO CUSTÓDIO DE MEDEIROS UNESP - Instituto de Biociências Av. 24-A, 1515 Bela Vista 13506-900 - Rio Claro SP / Brasil asantulo@rc.unesp.br

Leia mais

Título: SISTEMÁTICA PARA O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE BIBLIOTECAS: CASO BIBLIOTECA COMUNITÁRIA DA UFSCAR

Título: SISTEMÁTICA PARA O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE BIBLIOTECAS: CASO BIBLIOTECA COMUNITÁRIA DA UFSCAR Área Temática: ACESSO À INFORMAÇÃO Sub-área: Acesso à informação e competitividade Título: SISTEMÁTICA PARA O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE BIBLIOTECAS: CASO BIBLIOTECA COMUNITÁRIA DA UFSCAR Roniberto Morato

Leia mais

Análise da produção científica dos docentes do Departamento de Ciência da Informação da UFPE indexada no portal de periódicos da capes.

Análise da produção científica dos docentes do Departamento de Ciência da Informação da UFPE indexada no portal de periódicos da capes. Análise da produção científica dos docentes do Departamento de Ciência da Informação da UFPE indexada no portal de periódicos da capes. Natanael Vitor Sobral (UFPE) natan_sobral@yahoo.com.br Ielma Costa

Leia mais

LISTA DE AUTORIDADES DE INSTITUIÇÕES BRASILEIRAS DE ENSINO E PESQUISA PARA APOIO À ELABORAÇÃO DE INDICADORES DE COLABORAÇÃO CIENTÍFICA

LISTA DE AUTORIDADES DE INSTITUIÇÕES BRASILEIRAS DE ENSINO E PESQUISA PARA APOIO À ELABORAÇÃO DE INDICADORES DE COLABORAÇÃO CIENTÍFICA XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 LISTA DE AUTORIDADES

Leia mais

FONTES DE INFORMAÇÃO (FI) PARA PESQUISA E USO DE BD

FONTES DE INFORMAÇÃO (FI) PARA PESQUISA E USO DE BD FONTES DE INFORMAÇÃO (FI) PARA PESQUISA E USO DE BD Luciane Meire Ribeiro STRAUD Biblioteca FCAV (Seção Técnica de Referência, Atendimento ao Usuário e Documentação) 1. Introdução: Definição de FI (em

Leia mais

Sistema de Gestão pela Qualidade Total

Sistema de Gestão pela Qualidade Total Sistema de Gestão pela Qualidade Total Indicadores Márcia Elisa Garcia de Grandi megrandi@usp.br Rosa Maria Fischi rmfzani@usp.br 29/10/2012 Indicadores Segundo a Norma ISO 11620*, indicador de desempenho

Leia mais

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES E MANUTENÇÃO DA INFRAESTRUTURA FÍSICA DA BIBLIOTECA UNIFAMMA

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES E MANUTENÇÃO DA INFRAESTRUTURA FÍSICA DA BIBLIOTECA UNIFAMMA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES E MANUTENÇÃO DA INFRAESTRUTURA FÍSICA DA BIBLIOTECA UNIFAMMA MARINGÁ 2012 1 APRESENTAÇÃO O Desenvolvimento de Coleções, qualquer que seja o tipo de biblioteca (pública,

Leia mais

Temática(s): ACESSIBILIDADE COMUNICACIONAL RELATO DE EXPERIÊNCIA

Temática(s): ACESSIBILIDADE COMUNICACIONAL RELATO DE EXPERIÊNCIA Temática(s): ACESSIBILIDADE COMUNICACIONAL RELATO DE EXPERIÊNCIA ACESSIBILIDADE INFORMACIONAL: alunos com deficiência visual na Universidade Federal do Rio Grande do Norte MELO, E. S. F. de. (Universidade

Leia mais

FAPPES FACULDADE PAULISTA DE PESQUISA E ENSINO SUPERIOR ORGANIZAÇÃO, POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DE ACERVO

FAPPES FACULDADE PAULISTA DE PESQUISA E ENSINO SUPERIOR ORGANIZAÇÃO, POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DE ACERVO FAPPES FACULDADE PAULISTA DE PESQUISA E ENSINO SUPERIOR ORGANIZAÇÃO, POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DE ACERVO A Biblioteca da FAPPES é uma Biblioteca especializada, mantida pela Sociedade

Leia mais

Uso de patentes para o monitoramento tecnológico

Uso de patentes para o monitoramento tecnológico Uso de patentes para o monitoramento tecnológico Leandro Innocentini Lopes de Faria Núcleo de Informação Tecnológica em Materiais - NIT/Materiais Depto Eng Materiais - Universidade Federal de São Carlos

Leia mais

Indicadores de qualidade em Bibliotecas Universitárias como torná-las bem sucedidas

Indicadores de qualidade em Bibliotecas Universitárias como torná-las bem sucedidas Indicadores de qualidade em Bibliotecas Universitárias como torná-las bem sucedidas Ligia Scrivano Paixão Diretora do Sistema de Bibliotecas e coordenadora do curso de Biblioteconomia da Universidade Santa

Leia mais

PUBLICAÇÃO CIENTÍFICA RESULTANTE DAS DISSERTAÇÕES E TESES EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL

PUBLICAÇÃO CIENTÍFICA RESULTANTE DAS DISSERTAÇÕES E TESES EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL PUBLICAÇÃO CIENTÍFICA RESULTANTE DAS DISSERTAÇÕES E TESES EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL Alexandre Soares dos Santos 1. Jose Dorival Gleria 2. Michele Silva Sacardo 3. RESUMO Saber se as dissertações e teses,

Leia mais

Biblioteca Virtual em Medicina Veterinária e Zootecnia

Biblioteca Virtual em Medicina Veterinária e Zootecnia Biblioteca Virtual em Medicina Veterinária e Zootecnia Elaborado por: Rosa Maria Fischi São Paulo 2008 Coordenação: Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Biblioteca Virginie

Leia mais

VERIFICAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE OFERTA PARA FINS DE RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA

VERIFICAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE OFERTA PARA FINS DE RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR - SESu COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS EM ENSINO EM MEDICINA VETERINÁRIA VERIFICAÇÃO

Leia mais

BIBLIOTECA PROF. JOSÉ ROBERTO SECURATO RELATÓRIO DE GESTÃO 2014. São Paulo

BIBLIOTECA PROF. JOSÉ ROBERTO SECURATO RELATÓRIO DE GESTÃO 2014. São Paulo BIBLIOTECA PROF. JOSÉ ROBERTO SECURATO RELATÓRIO DE GESTÃO 2014 São Paulo 2015 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. REALIZAÇÕES... 3 2.1 Acervo... 3 2.2 Plano de atualização e expansão do acervo... 3 2.3 Divulgação...

Leia mais

MIGRAÇÃO DO MÓDULO DE CIRCULAÇÃO DO BANCO DE DADOS BIBLIOGRÁFICOS DA USP - DEDALUS, DO SOFTWARE ALEPH 300 PARA O ALEPH 500: RELATO DE EXPERIÊNCIA

MIGRAÇÃO DO MÓDULO DE CIRCULAÇÃO DO BANCO DE DADOS BIBLIOGRÁFICOS DA USP - DEDALUS, DO SOFTWARE ALEPH 300 PARA O ALEPH 500: RELATO DE EXPERIÊNCIA MIGRAÇÃO DO MÓDULO DE CIRCULAÇÃO DO BANCO DE DADOS BIBLIOGRÁFICOS DA USP - DEDALUS, DO SOFTWARE ALEPH 300 PARA O ALEPH 500: RELATO DE EXPERIÊNCIA Adriana Domingos Santos 1, Ana Maria de Castro Badiali

Leia mais

Acesso à informação científica no Brasil: políticas, estratégias e programas. Diretoria de Programas - CAPES

Acesso à informação científica no Brasil: políticas, estratégias e programas. Diretoria de Programas - CAPES Acesso à informação científica no Brasil: políticas, estratégias e programas Diretoria de Programas - CAPES Como deveria ser a infra-estrutura de TI das nossas bibliotecas? A infra-estrutura de TI de uma

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA DISCIPLINA METODOLOGIA DA PESQUISA E REDAÇÃO CIENTÍFICA EM DISSERTAÇÕES E TESES DA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA DA UNICAMP

A INFLUÊNCIA DA DISCIPLINA METODOLOGIA DA PESQUISA E REDAÇÃO CIENTÍFICA EM DISSERTAÇÕES E TESES DA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA DA UNICAMP A INFLUÊNCIA DA DISCIPLINA METODOLOGIA DA PESQUISA E REDAÇÃO CIENTÍFICA EM DISSERTAÇÕES E TESES DA FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA DA UNICAMP Maria Isabel Santoro - santoro@bestway.com.br Universidade

Leia mais

PROPOSTA DE MELHORIA DE MARKETING DOS PRODUTOS E SERVIÇOS DA BIBLIOTECA PROF. ACHILLE BASSI

PROPOSTA DE MELHORIA DE MARKETING DOS PRODUTOS E SERVIÇOS DA BIBLIOTECA PROF. ACHILLE BASSI PROPOSTA DE MELHORIA DE MARKETING DOS PRODUTOS E SERVIÇOS DA BIBLIOTECA PROF. ACHILLE BASSI Regina Célia Vidal Medeiros 1, Gláucia Maria Saia Cristianini 1 1 Bibliotecária, Instituto de Ciências Matemáticas

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) Edital nº002/2015. 2º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2015

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) Edital nº002/2015. 2º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2015 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) Edital nº002/2015 2º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2015 O INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA (IBICT), Unidade de Pesquisa do Ministério

Leia mais

MEC/CAPES. Portal de Periódicos

MEC/CAPES. Portal de Periódicos MEC/CAPES Portal de Periódicos A CAPES e a formação de recursos de alto nível no Brasil Criada em 1951, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) é uma agência vinculada ao

Leia mais

POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP

POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP 1. POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP 1.1. Objetivos Nas últimas décadas as bibliotecas passaram por mudanças

Leia mais

Plano de Utilização do Acervo e Acessos

Plano de Utilização do Acervo e Acessos FACULDADE DE RONDÔNIA INSTITUTO JOÃO NEÓRICO Plano de Utilização do Acervo e Acessos SUMÁRIO 1 OBJETIVO GERAL...2 2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS...2 3. ABRANGÊNCIA...2 4. BIBLIOTECA...2 4.1 Espaço Físico...4

Leia mais

MAPEANDO AS CORRELAÇÕES ENTRE PRODUTIVIDADE E INVESTIMENTOS DE BOLSAS EM PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO: o caso da Universidade Federal de Goiás

MAPEANDO AS CORRELAÇÕES ENTRE PRODUTIVIDADE E INVESTIMENTOS DE BOLSAS EM PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO: o caso da Universidade Federal de Goiás MAPEANDO AS CORRELAÇÕES ENTRE PRODUTIVIDADE E INVESTIMENTOS DE BOLSAS EM PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO: o caso da Universidade Federal de Goiás Dalton Lopes Martins (UFG) dmartins@gmail.com Arlon Silva (UFG)

Leia mais

GESTÃO DE EMPRESAS PARCEIRAS NA CELPA

GESTÃO DE EMPRESAS PARCEIRAS NA CELPA XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil GESTÃO DE EMPRESAS PARCEIRAS NA CELPA Severo Ferreira Sampaio Gelson Nunes Felfili

Leia mais

O Portal de Periódicos da Capes Katyusha Madureira Loures de Souza Novembro de 2014

O Portal de Periódicos da Capes Katyusha Madureira Loures de Souza Novembro de 2014 O Portal de Periódicos da Capes Katyusha Madureira Loures de Souza Novembro de 2014 Breve histórico 1986 - Plano Nacional de Bibliotecas Universitárias Programa de Aquisição Planificada de Periódicos 1990

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL PARANÁ Campus Curitiba BIBLIOTECA DO CAMPUS CURITIBA RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2012

INSTITUTO FEDERAL PARANÁ Campus Curitiba BIBLIOTECA DO CAMPUS CURITIBA RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2012 INSTITUTO FEDERAL PARANÁ Campus Curitiba BIBLIOTECA DO CAMPUS CURITIBA RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2012 CURITIBA 2013 INSTITUTO FEDERAL PARANÁ Campus Curitiba Equipe responsável pela gestão no ano letivo

Leia mais

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI ANEXO III Cronograma detalhado do PROAVI 65 PROGRAMA DE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA PUC-CAMPINAS CRONOGRAMA COMPLEMENTAR DETALHANDO AS ATIVIDADES E AS AÇÕES DE DIVULGAÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

Leia mais

Sistemas de informação para a gestão por competências: uma revisão da literatura

Sistemas de informação para a gestão por competências: uma revisão da literatura Sistemas de informação para a gestão por competências: uma revisão da literatura Ítalo Otávio Gonçalves de Oliveira¹; Samuel Pereira Dias². ¹ Estudante de Engenharia de Computação. Instituto Federal de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto:

Leia mais

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES PDC DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA DA UDESC

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES PDC DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA DA UDESC POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES PDC DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA DA UDESC Florianópolis, 2011 Universidade do Estado de Santa Catarina Biblioteca Universitária POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES

Leia mais

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009 Identificação Área de Avaliação: EDUCAÇÃO Coordenadora de Área: CLARILZA PRADO DE SOUSA Coordenadora-Adjunta de Área: ELIZABETH FERNANDES DE MACEDO Modalidade: Acadêmica I. Considerações gerais sobre o

Leia mais

PROPOSTA PARA CONSTRUÇÃO DE UMA BIBLIOTECA DIGITAL COMO FERRAMENTA DE AUXÍLIO NO ENSINO À DISTÂNCIA

PROPOSTA PARA CONSTRUÇÃO DE UMA BIBLIOTECA DIGITAL COMO FERRAMENTA DE AUXÍLIO NO ENSINO À DISTÂNCIA PROPOSTA PARA CONSTRUÇÃO DE UMA BIBLIOTECA DIGITAL COMO FERRAMENTA DE AUXÍLIO NO ENSINO À DISTÂNCIA Daniel Gonzaga dos Santos 1 Faculdade Cidade de João Pinheiro Resumo: Este artigo aborda as etapas para

Leia mais

POLÍTICA DE BIBLIOTECAS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE BIBLIOTECAS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE BIBLIOTECAS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Sumário 1 Objetivo... 3 2 Conceitos... 3 3 Referências... 6 4 Princípios... 7 5 Diretrizes... 9 6 Responsabilidades...12 7 Disposições Gerais...15 2 1 Objetivo

Leia mais

BIBLIOTECA JUSCELINO KUBITSCHEK

BIBLIOTECA JUSCELINO KUBITSCHEK PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DA BIBLIOTECA JUSCELINO KUBITSCHEK (INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR PLANALTO IESPLAN) Brasília Janeiro/2014 1 EQUIPE TÉCNICA Thayanne Farias das Virgens Ferreira Bibliotecária Diretora

Leia mais

Portaria nº 64, de 24 de março de 2010

Portaria nº 64, de 24 de março de 2010 Portaria nº 64, de 24 de março de 2010 O PRESIDENTE DA COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR CAPES, no uso das atribuições conferidas pelo art. 26, inciso IX, do Decreto nº 6.316,

Leia mais

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades

Leia mais

As etapas de automação

As etapas de automação As etapas de automação NEGREIROS, Leandro Ribeiro. Sistemas eletrônicos de gerenciamento de documentos arquivísticos: um questionário para escolha, aplicação e avaliação. Dissertação (mestrado em Ciência

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA ALINE CRISTINA DE FREITAS ANA CLÁUDIA ZANDAVALLE CAMILA RIBEIRO VALERIM FERNANDO DA COSTA PEREIRA

Leia mais

Art. 1º Aprovar o Regimento Interno da Divisão de Biblioteca DIBIB, anexo a esta Resolução. São João del-rei, 16 de fevereiro de 2009.

Art. 1º Aprovar o Regimento Interno da Divisão de Biblioteca DIBIB, anexo a esta Resolução. São João del-rei, 16 de fevereiro de 2009. RESOLUÇÃO N o 003, de 16 de fevereiro de 2009. Aprova Regimento Interno da Divisão de Biblioteca DIBIB. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ, no uso de

Leia mais

ANÁLISE DE CITAÇÕES EM LITERATURA INGLESA NAS DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE MESTRADO EM BIOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

ANÁLISE DE CITAÇÕES EM LITERATURA INGLESA NAS DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE MESTRADO EM BIOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA ANÁLISE DE CITAÇÕES EM LITERATURA INGLESA NAS DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE MESTRADO EM BIOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Eixo temático: Análise de Citação Modalidade: Apresentação oral 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

Seção de Acesso a Bases de Dados. Estratégias de busca e recuperação de informação online para Profissionais de Informação

Seção de Acesso a Bases de Dados. Estratégias de busca e recuperação de informação online para Profissionais de Informação Seção de Acesso a Bases de Dados Estratégias de busca e recuperação de informação online para Profissionais de Informação Sumário 1. Instrumentos de Busca 2. Bom atendimento ao usuário 3. Conhecimento

Leia mais

Sandra Lopes Coelho (UFF. SDC. Coordenadora de Bibliotecas)

Sandra Lopes Coelho (UFF. SDC. Coordenadora de Bibliotecas) Projeto de modernização do sistema de automação das bibliotecas da Universidade Federal Fluminense: uma questão de oportunidade... 1 INTRODUÇÃO Sandra Lopes Coelho (UFF. SDC. Coordenadora de Bibliotecas)

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE VILA VELHA ESTRUTURA BIBLIOTECA FESVV

FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE VILA VELHA ESTRUTURA BIBLIOTECA FESVV FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE VILA VELHA ESTRUTURA BIBLIOTECA FESVV VILA VELHA 2010 1. BIBLIOTECAS DA FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ ESPÍRITO SANTO As Bibliotecas da Faculdade Estácio de Sá Espírito Santo, seguem

Leia mais

PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DE EXCELÊNCIA NO BRASIL: colaboração internacional e impacto na área de Zootecnia

PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DE EXCELÊNCIA NO BRASIL: colaboração internacional e impacto na área de Zootecnia PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DE EXCELÊNCIA NO BRASIL: colaboração internacional e impacto na área de Zootecnia Fabio Sampaio Rosas (UNESP) fabiosrosas@hotmail.com Maria Cláudia Cabrini

Leia mais

COORDENAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICIOS: UM SISTEMA PARA PROGRAMAÇÃO E CONTROLE DO FLUXO DE ATIVIDADES DO PROCESSO DE PROJETOS

COORDENAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICIOS: UM SISTEMA PARA PROGRAMAÇÃO E CONTROLE DO FLUXO DE ATIVIDADES DO PROCESSO DE PROJETOS COORDENAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICIOS: UM SISTEMA PARA PROGRAMAÇÃO E CONTROLE DO FLUXO DE ATIVIDADES DO PROCESSO DE PROJETOS José Francisco Pontes ASSUMPÇÃO Professor da UFSCar, Rod. Washington Luís, km

Leia mais

AUTOR(ES): ADRIANA LAURA VICTORETTI, HENRIQUE MARINHO MASCARENHAS, LAÍS REGINA RODRIGUES CARVALHO

AUTOR(ES): ADRIANA LAURA VICTORETTI, HENRIQUE MARINHO MASCARENHAS, LAÍS REGINA RODRIGUES CARVALHO TÍTULO: INICIAÇÃO CIENTÍFICA: ESTAMOS ATUANDO CORRETAMENTE? CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DE SOROCABA AUTOR(ES): ADRIANA LAURA

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Cruzada Maranata de Evangelização UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Batista Brasileira, com sede no

Leia mais

SUB-PROJETO CT-INFRA 01/2013

SUB-PROJETO CT-INFRA 01/2013 SUB-PROJETO CT-INFRA 01/2013 COORDENADOR DO SUB-PROJETO: Nome: Kelma Patrícia de Souza CPF: 030686066-08 Titulação: Especialista em Biblioteconomia Titulação: Especialista em Biblioteconomia Instituição/País/Ano:

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

Pós-Graduação e Ensino de Ciências e Matemática

Pós-Graduação e Ensino de Ciências e Matemática Anais do VIII ENEM Mesa Redonda 1 Pós-Graduação e Ensino de Ciências e Matemática Tânia Maria Mendonça Campos - tania@pucsp.br A Pós-Graduação é a Unidade Universitária responsável pela formação de recurso

Leia mais

BIBLIOTECA 1.1 INFORMAÇÕES GERAIS

BIBLIOTECA 1.1 INFORMAÇÕES GERAIS BIBLIOTECA 1.1 INFORMAÇÕES GERAIS A Biblioteca possui atenção especial dos dirigentes da UCSal, por constituirse em um instrumento de apoio valioso aos programas de ensino, pesquisa e extensão. O foco

Leia mais

SERVIÇO DE REFERÊNCIA E INFORMAÇÃO: DO TRADICIONAL AO ON-LINE.

SERVIÇO DE REFERÊNCIA E INFORMAÇÃO: DO TRADICIONAL AO ON-LINE. 1 SERVIÇO DE REFERÊNCIA E INFORMAÇÃO: DO TRADICIONAL AO ON-LINE. LIDIANE DOS SANTOS CARVALHO (lidianebiblio@hotmail.com) ELAINE R. DE OLIVEIRA LUCAS (lani@udesc.br) Contextualiza as Bibliotecas Universitárias

Leia mais

Núcleo de Coordenação de Bibliotecas - NCB. Relatório Biblioteca Penha Shopping

Núcleo de Coordenação de Bibliotecas - NCB. Relatório Biblioteca Penha Shopping Núcleo de Coordenação de Bibliotecas - NCB Relatório Biblioteca Penha Shopping 2015 SUMÁRIO 1 SISTEMA INTEGRADO DE BIBLIOTECAS - SIBi... 02 2 NÚCLEO DE COORDENAÇÃO DE BIBLIOTECAS - NCB... 02 3 UNIDADE

Leia mais

PROCESSO DE REENGENHARIA DA INFORMAÇÃO

PROCESSO DE REENGENHARIA DA INFORMAÇÃO A EXPERIÊNCIA DO SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO ODONTOLÓGICA OLÓGICA DA FACULD CULDADE DE ODONTOL OLOGIA OGIA DA USP, NO PROCESSO DE REENGENHARIA DA INFORMAÇÃO Rosal osaly y Faver ero o Krzyzanowski Telma de

Leia mais

Política de Desenvolvimento de Coleções da Biblioteca Comendador Primo Tedesco

Política de Desenvolvimento de Coleções da Biblioteca Comendador Primo Tedesco Universidade Alto Vale do Rio do Peixe UNIARP 82.798.828/0001-00 Rua Victor Baptista Adami, 800 - Centro - Cx. Postal 232 CEP 89500-000 - Caçador - SC Fone/Fax: (49)3561-6200/3561-6202 Política de Desenvolvimento

Leia mais

A PRODUÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES NA PERSPECTIVA DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO

A PRODUÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES NA PERSPECTIVA DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO 22 a 24 de julho de 205 A PRODUÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES NA PERSPECTIVA DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO INTRODUÇÃO Eva Dayane Jesus dos Santos Bibliotecária da Universidade do Estado da Bahia eva@uneb.br Marivaldina

Leia mais

SUB-PROJETO CT- INFRA 01/2009

SUB-PROJETO CT- INFRA 01/2009 1 SUB-PROJETO CT- INFRA 01/2009 TITULO: Modernização tecnológica do Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal de Uberlândia SIGLA: DIRBI /09 OBJETIVO: Revitalizar a modernização do Sistema de Bibliotecas

Leia mais

PROPLAN Diretoria de Informações. Tutorial SisRAA Biblioteca

PROPLAN Diretoria de Informações. Tutorial SisRAA Biblioteca PROPLAN Tutorial SisRAA Biblioteca Ana Carla Macedo da Silva Jaciane do Carmo Ribeiro Diego da Costa Couto Mauro Costa da Silva Filho Dezembro 2014 SUMÁRIO 1. Menu: Acessibilidade... 3 1.1 Opção de menu:

Leia mais

CURSO: MESTRADO ACADÊMICO

CURSO: MESTRADO ACADÊMICO COMUNICADO no 002/2012 ÁREA DE ZOOTECNIA E RECURSOS PESQUEIROS ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: Zootecnia e Recursos Pesqueiros PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO DE PUBLICAÇÃO

Leia mais

ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL - ESPECIALISTA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO/DESENVOLVIMENTO

ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL - ESPECIALISTA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO/DESENVOLVIMENTO ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL - ESPECIALISTA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO/DESENVOLVIMENTO Requisitos: graduação em qualquer curso da área de Tecnologia da Informação - Elaborar

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: UNIME - União Metropolitana para o Desenvolvimento da UF: BA Educação e Cultura ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade

Leia mais

WIKI COMO FERRAMENTA DE GESTÃO DO CONHECIMENTO: UM ESTUDO DE CASO NA BIBLIOTECA AMADEU AMARAL

WIKI COMO FERRAMENTA DE GESTÃO DO CONHECIMENTO: UM ESTUDO DE CASO NA BIBLIOTECA AMADEU AMARAL WIKI COMO FERRAMENTA DE GESTÃO DO CONHECIMENTO: UM ESTUDO DE CASO NA BIBLIOTECA AMADEU AMARAL Graduanda: Juliana Camargo Souza Macedo Orientadora: Iris Abdallah Motivos para escolha do tema: A disciplina

Leia mais

RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA E COMUNIDADE PERCEPÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SERVIÇO NO MUNICÍPIO DE PALMAS/TOCANTINS

RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA E COMUNIDADE PERCEPÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SERVIÇO NO MUNICÍPIO DE PALMAS/TOCANTINS RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA E COMUNIDADE PERCEPÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SERVIÇO NO MUNICÍPIO DE PALMAS/TOCANTINS LISY MOTA DA CRUZ Orientador: Prof. Dr. Gilberto Tadeu Reis da Silva

Leia mais

O espaço físico da Biblioteca da Unidade Santo Agostinho I possui 407 m2, distribuído nos seguintes setores:

O espaço físico da Biblioteca da Unidade Santo Agostinho I possui 407 m2, distribuído nos seguintes setores: 19 BIBLIOTECAS DA FACULDADE NOVOS HORIZONTES 19.1 Espaço Físico 19.1.1 Biblioteca da Unidade Santo Agostinho I O espaço físico da Biblioteca da Unidade Santo Agostinho I possui 407 m2, distribuído nos

Leia mais

GRUPO XV GRUPO DE ESTUDO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, PESQUISA E DESENVOLVIMENTO GPD GESTÃO DOCUMENTAL NA COPEL

GRUPO XV GRUPO DE ESTUDO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, PESQUISA E DESENVOLVIMENTO GPD GESTÃO DOCUMENTAL NA COPEL SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GPD - 23 16 a 21 Outubro de 2005 Curitiba - Paraná GRUPO XV GRUPO DE ESTUDO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, PESQUISA E DESENVOLVIMENTO GPD

Leia mais

PREPARANDO SUA BIBLIOTECA PARA AVALIAÇÃO DO MEC RESUMO

PREPARANDO SUA BIBLIOTECA PARA AVALIAÇÃO DO MEC RESUMO PREPARANDO SUA BIBLIOTECA PARA AVALIAÇÃO DO MEC Maria Elisa Americano do Sul Barcelos Maria Lúcia Barcelos Martins Gomes RESUMO Com a expansão do número de Instituições de Ensino Superior no Brasil, e

Leia mais

Perguntas frequentes sobre a Biblioteca

Perguntas frequentes sobre a Biblioteca Perguntas frequentes sobre a Biblioteca Como funciona o Sistema de Bibliotecas da UFPI? O sistema de Bibliotecas SIBI/UFPI é formado por 01(uma) biblioteca comunitária e 09 (nove) bibliotecas setoriais:

Leia mais

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CURVELO - FACIC

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CURVELO - FACIC POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CURVELO - FACIC CURVELO 2010 SUMÁRIO 1 POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES...3 1.1Objetivos...3. 1.2 Comissão

Leia mais

Mediadora: Marta Pião Florianópolis, SC junho 2015

Mediadora: Marta Pião Florianópolis, SC junho 2015 Mediadora: Marta Pião Florianópolis, SC junho 2015 ORGANOGRAMA DA EDUCAÇÃO PROCESSOS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR PARA QUE AS INSTITUIÇÕES DE ENSINO TENHAM SEUS CURSOS APROVADOS E REGULAMENTADOS, É NECESSÁRIO

Leia mais

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES DA BIBLIOTECA DO IFSP - CAMPUS SÃO CARLOS

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES DA BIBLIOTECA DO IFSP - CAMPUS SÃO CARLOS POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES DA BIBLIOTECA DO IFSP - CAMPUS SÃO CARLOS São Carlos 2012 SUMÁRIO 1 POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES... 3 1.1 OBJETIVOS... 3 2 FORMAÇÃO DO ACERVO... 3 2.1

Leia mais

O USO DE INDICADORES DE PRODUÇÃO INTELECTUAL NO PROCESSO DE GESTÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

O USO DE INDICADORES DE PRODUÇÃO INTELECTUAL NO PROCESSO DE GESTÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL O USO DE INDICADORES DE PRODUÇÃO INTELECTUAL NO PROCESSO DE GESTÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Janise Silva Borges da Costa, Beatriz Helena de Souza Cestari, Carla Metzler

Leia mais

Biblioteca Digital da Unicamp

Biblioteca Digital da Unicamp Biblioteca Digital da Unicamp Luiz Atilio Vicentini vicentin@unicamp.br Florianópolis, novembro 2009. 2004 3.932 Teses = 627 mil visitas 370 mil downloads Formulário previa que as teses poderiam não ser

Leia mais

TÍTULO / TÍTULO: COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA UFSCAR

TÍTULO / TÍTULO: COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA UFSCAR TÍTULO / TÍTULO: COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA UFSCAR AUTOR / AUTOR: Ednéia Silva Santos-Rocha, Carlos Roberto Massao Hayashi INSTITUIÇÃO / INSTITUCIÓN: Universidade

Leia mais

DOCUMENTO 03 ENSINO SUPERIOR NO BRASIL

DOCUMENTO 03 ENSINO SUPERIOR NO BRASIL DOCUMENTO 03 ENSINO SUPERIOR NO BRASIL Com o advento da nova Constituição em 1988 e a promulgação e da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional em fins de 1996, novas perspectivas foram colocadas

Leia mais

Deve ser claro, conciso e conter de forma resumida o assunto a ser pesquisado.

Deve ser claro, conciso e conter de forma resumida o assunto a ser pesquisado. MODELODEPROJETODEPESQUISA (Form_pesq_01) TÍTULO DO PROJETO Deve ser claro, conciso e conter de forma resumida o assunto a ser pesquisado. AUTORES Relacionar todos os autores participantes do projeto: coordenador,

Leia mais

Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP. Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira

Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP. Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira Centro de Documentação e Informação da FAPESP São Paulo 2015 Sumário Introdução... 2 Objetivos...

Leia mais

FONTES DE INFORMAÇÃO (FI) PARA PESQUISA E USO DE BD

FONTES DE INFORMAÇÃO (FI) PARA PESQUISA E USO DE BD FONTES DE INFORMAÇÃO (FI) PARA PESQUISA E USO DE BD Luciane Meire Ribeiro STRAUD Biblioteca FCAV (Seção Técnica de Referência, Atendimento ao Usuário e Documentação) Out./2014 Este material foi elaborado

Leia mais

BIBLIOTECA ESCOLAR ESTADUAL JOAQUIM MARIA MACHADO DE ASSIS DO COLÉGIO ESTADUAL DE CAMPO MOURÃO. PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES.

BIBLIOTECA ESCOLAR ESTADUAL JOAQUIM MARIA MACHADO DE ASSIS DO COLÉGIO ESTADUAL DE CAMPO MOURÃO. PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES. BIBLIOTECA ESCOLAR ESTADUAL JOAQUIM MARIA MACHADO DE ASSIS DO COLÉGIO ESTADUAL DE CAMPO MOURÃO. PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES. 1. INTRODUÇÃO A biblioteca Joaquim Maria Machado de Assis do Colégio

Leia mais

REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO OBIGATÓRIO CURRICULAR NA BIBLIOTECA SETORIAL DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIAS, CONTÁBEIS E SECRETARIADO

REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO OBIGATÓRIO CURRICULAR NA BIBLIOTECA SETORIAL DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIAS, CONTÁBEIS E SECRETARIADO XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO

Leia mais

N de cursos ofertados; % de vagas ocupadas/ formas de ingresso.

N de cursos ofertados; % de vagas ocupadas/ formas de ingresso. Anexo II Dimensões Elementos Indicadores quantitativos Indicadores qualitativos % de cursos com projeto pedagógico/ adequados ao Projeto Condições de implementação dos Projetos Projeto Pedagógico dos Institucional

Leia mais

Caracterização do banco de teses e dissertações da CAPES

Caracterização do banco de teses e dissertações da CAPES Caracterização do banco de teses e dissertações da CAPES Jesús P. Mena-Chalco 1, Vladimir Rocha 2 1 Centro de Matemática, Computação e Cognição - Universidade Federal do ABC 2 Escola Politécnica - Universidade

Leia mais

Regulamento de Avaliação e Credenciamento de Docente Atuando na Pós-Graduação da COPPE/UFRJ

Regulamento de Avaliação e Credenciamento de Docente Atuando na Pós-Graduação da COPPE/UFRJ Regulamento de Avaliação e Credenciamento de Docente Atuando na Pós-Graduação da COPPE/UFRJ Resolução 01/2008 do Conselho Deliberativo da COPPE/UFRJ Dispõe sobre as regras de avaliação e credenciamento

Leia mais

A PRÁTICA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO II e III NA BIBLIOTECA DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL DO CEARÁ SENAC-CE

A PRÁTICA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO II e III NA BIBLIOTECA DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL DO CEARÁ SENAC-CE XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 A PRÁTICA DO ESTÁGIO

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO Programa Institucional de Doutorado Sanduiche no Exterior (PDSE) 2015 CAPES

EDITAL DE SELEÇÃO Programa Institucional de Doutorado Sanduiche no Exterior (PDSE) 2015 CAPES EDITAL DE SELEÇÃO Programa Institucional de Doutorado Sanduiche no Exterior (PDSE) 2015 CAPES 1. Objetivo O PDSE é um programa institucional da CAPES com o objetivo de apoiar a formação de recursos humanos

Leia mais

Biblioteca Virtual em Saúde (BVS): Instrumento para a gestão da informação em Saúde

Biblioteca Virtual em Saúde (BVS): Instrumento para a gestão da informação em Saúde Biblioteca Virtual em Saúde (BVS): Instrumento para a gestão da informação em Saúde Objetivo: Apresentar o Modelo da BVS: conceitos, evolução, governabilidade, estágios e indicadores. Conteúdo desta aula

Leia mais

Avaliação da biblioteca universitária: conjunturas e diversidades para alcançar a excelência

Avaliação da biblioteca universitária: conjunturas e diversidades para alcançar a excelência Avaliação da biblioteca universitária: conjunturas e diversidades para alcançar a excelência Prof. Dr. Laboratório de Engenharia de Produção Universidade Estadual do Norte Fluminense Tópicos 1. Motivações

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2011. Manual do Usuário

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2011. Manual do Usuário MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO GERAL DO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

PROJETO PARA INFORMATIZAÇÃO DA BIBLIOTECA DO COLÉGIO VISÃO UNIDADE KOBRASOL COM A IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE PHL

PROJETO PARA INFORMATIZAÇÃO DA BIBLIOTECA DO COLÉGIO VISÃO UNIDADE KOBRASOL COM A IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE PHL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA CIN5329 - AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS PROESSORA URSULA BLATTMANN ALEXANDRE PEDRO DE OLIVEIRA ANDRÉ ALEXANDRE

Leia mais

POLÍTICA DE ATUALIZAÇÃO E AMPLIAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA SIMONSEN

POLÍTICA DE ATUALIZAÇÃO E AMPLIAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA SIMONSEN POLÍTICA DE ATUALIZAÇÃO E AMPLIAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA SIMONSEN Padre Miguel, RJ 2012 1 POLÍTICA DE ATUALIZAÇÃO E AMPLIAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA SIMONSEN A política de desenvolvimento de coleções

Leia mais

CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO NO PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES: estudo bibliométrico para avaliação da coleção

CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO NO PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES: estudo bibliométrico para avaliação da coleção CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO NO PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES: estudo bibliométrico para avaliação da coleção Wesley Rodrigo Fernandes 1, Beatriz Valadares Cendón 2 1 Mestrando ECI/UFMG e Bibliotecário da Faculdade

Leia mais

Universidade Federal do Maranhão Reitor Dr. Natalino Salgado Filho. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Pró-Reitor Dr. Fernando Carvalho Silva

Universidade Federal do Maranhão Reitor Dr. Natalino Salgado Filho. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Pró-Reitor Dr. Fernando Carvalho Silva 1 Universidade Federal do Maranhão Reitor Dr. Natalino Salgado Filho Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Pró-Reitor Dr. Fernando Carvalho Silva Diretora do Departamento de Pós-Graduação Dra. Maria

Leia mais

Regulamento das Atividades Complementares da Faculdade de Ciências Sociais de Guarantã do Norte

Regulamento das Atividades Complementares da Faculdade de Ciências Sociais de Guarantã do Norte Regulamento das Atividades Complementares da Faculdade de Ciências Sociais de Guarantã do Norte 2010 Apresentação As Atividades de Extensão são ações desenvolvidas sob forma de programas, projetos, cursos,

Leia mais

AUXÍLIO FINANCEIRO A CURSOS PROJETO DE PESQUISA APLICADA SUMÁRIO

AUXÍLIO FINANCEIRO A CURSOS PROJETO DE PESQUISA APLICADA SUMÁRIO 1 AUÍLIO FINANCEIRO A CURSOS PROJETO DE PESQUISA APLICADA SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 2 2 O QUE É UM PROJETO?... 2 2.1 PROJETO DE PESQUISA... 2 3 CLASSIFICAÇÃO DAS PESQUISAS... 4 4 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA

Leia mais

DESCRIÇÃO DA BIBLIOTECA

DESCRIÇÃO DA BIBLIOTECA Descrição da biblioteca quanto ao seu acervo de livros e periódicos, por área de conhecimento, política de atualização e informatização, área física disponível e formas de acesso e utilização. DESCRIÇÃO

Leia mais

Temática I: Informação, Conteúdos e Conhecimento na Sociedade da Informação.

Temática I: Informação, Conteúdos e Conhecimento na Sociedade da Informação. Temática I: Informação, Conteúdos e Conhecimento na Sociedade da Informação. ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA BIODIVERSIDADE AMAZÔNICA: O CASO DO GUARANÁ Angela Emi Yanai 1 Danielly Oliveira

Leia mais

Experiência: Sistema PIER e Gestão por Resultados (Painel de Indicadores Estratégicos)

Experiência: Sistema PIER e Gestão por Resultados (Painel de Indicadores Estratégicos) Experiência: Sistema PIER e Gestão por Resultados (Painel de Indicadores Estratégicos) SERPRO - Serviço Federal de Processamento de Dados Ministério da Fazenda Responsável: Adinilson Martins da Silva Técnico

Leia mais

BIBLIOMETRIA UMA ABORDAGEM PRÁTICA

BIBLIOMETRIA UMA ABORDAGEM PRÁTICA BIBLIOMETRIA UMA ABORDAGEM PRÁTICA Apresentação: M.Sc. Sandra Miranda Neves (doutoranda UNESP) Apoio: M.Sc. Aneirson Francisco da Silva (Doutorando UNESP) Julio Estanislau Caovila de Melo (IC UNESP) SUMÁRIO.

Leia mais