[RELATÓRIO] GABINETE DE ESTRATÉGIA E PLANEAMENTO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "[RELATÓRIO] GABINETE DE ESTRATÉGIA E PLANEAMENTO"

Transcrição

1 GABINETE DE ESTRATÉGIA E PLANEAMENTO Equipa de Estudos e Políticas de Segurança Social [RELATÓRIO] Sistema de Proteção Social de Cidadania Subsistema de Solidariedade Eventualidades: Insuficiência de recursos, Invalidez, Velhice e Morte.

2 Nº de bneficiários Nota Introdutória O relatório que se apresenta traduz-se numa breve divulgação da análise evolutiva (25-211) do comportamento das principais variáveis referentes às eventualidades por Insuficiência de recursos, Invalidez, Velhice e Morte no âmbito do Subsistema de Solidariedade, do Sistema de Proteção Social de Cidadania. A informação reporta a 31 de Dezembro de cada ano. INSUFICIÊNCIA DE RECURSOS RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO (RSI) Número de beneficiários com prestações pagas (25-211) Nº de beneficiários O Número de beneficiários da prestação Rendimento Social de Inserção aumentou de forma progressiva até ao ano de 21, vindo a diminuir ligeiramente em 211. Ainda assim, por comparação a 25, verifica-se em 211 uma taxa de crescimento de 84,1%. Número de beneficiários com prestações pagas, por género (25-211) 2

3 Nº de beneficiários Escalão etário Nº de beneficiários Feminino Masculino No que respeita à distribuição por género do número de beneficiários de RSI, observase ao longo do período de referência uma predominância do género feminino. A diferença entre géneros foi mais significativa nos de 28 e 29 (mais e 29.93, respetivamente). Número de beneficiários com prestações pagas, por grupo etário (25-211) Até a a a e mais Até 3 3 a 39 4 a 49 5 a 59 6 e mais Através da leitura do dados em presença, constata-se que o escalão etário predominante dos beneficiários de RSI tem sido desde o ano de 25 o dos 4 aos 49. Num segundo plano, mas destacando-se dos demais surge o escalão dos 3 aos 39, verificando-se que esta prestação é sobretudo usufruída por beneficiários de meia idade ou relativamente jovens. Número de beneficiários com regresso à medida (25-211) Nº de beneficiários

4 Nº de famílias Dimensão do agregado Verifica-se uma evolução crescente do número de beneficiários do RSI que, tendo deixado de receber a prestação, posteriormente regressaram à medida. Esta situação poderá indiciar que para um número significativo de beneficiários a sua inserção profissional não foi conseguida na sua plenitude. Número de famílias com prestações pagas, por dimensão do agregado familiar (25-211) 1 Pessoa > Dimensão do agregado 1 Pessoa Dimensão do agregado 2 Dimensão do agregado 3 Dimensão do agregado 4 Dimensão do agregado 5 Dimensão do agregado 6 Dimensão do agregado 7 Dimensão do agregado 8 Dimensão do agregado 9 Dimensão do agregado 1 Os dados evidenciam que cerca de 5% das famílias beneficiárias desta prestação são compostas no máximo por 2 pessoas, sendo que cerca de 2/3 tem até 3 membros. Deste modo e independentemente do ano em análise, observa-se uma relação inversamente proporcional entre o número de membros e o número de famílias que recebem RSI. 4

5 Escalão de duração da prestação SEM COM SEM COM SEM COM SEM COM SEM COM SEM COM SEM COM Nº de famílias Número de famílias com e sem rendimento, com prestações pagas (25-211) Rendimentos SEM COM SEM COM SEM COM SEM COM Nº familias Rendimentos SEM COM SEM COM SEM COM Nº familias a proporção varia entre os 61%-39% (ano de 27) e os 75%-25% (ano de 211). As famílias beneficiárias de RSI têm na sua maioria outros embora de valor inferior ao definido como limite para o direito à prestação. Analisando o peso percentual das famílias com em relação às que não usufruem de outro tipo de rendimento, observa-se que Número de famílias com prestações pagas, por escalão de duração da prestação (25-211) Menos de 3 meses a 6 meses a 1 meses a 14 meses a 18 meses a 23 meses ou mais

6 Escalão do valor pago Nº de famílias Menos de 3 meses 3 a 6 meses 7 a 1 meses 11 a 14 meses 15 a 18 meses 19 a 23 meses O tempo de duração da prestação de RSI tem vindo a aumentar no período de referência, com mais destaque a partir de 28, ano em que a percentagem de famílias a receber RSI há 2 ou mais atingiu 55,1% ou mais Número de famílias com prestações pagas anualmente, por escalão do valor pago (25-211) [,1 [ [1,2 [ [2,3 [ [3,4 [ [4,5 [ >= [,1 [ [1,2 [ [2,3 [ [3,4 [ [4,5 [ >= 5 A grande maioria dos agregados (entre 71% e 76%) que beneficiam da prestação RSI, recebem um montante anual até 3. O escalão dos 2. aos 3., que de 27 a 21 é o mais representativo, detém um peso percentual nestes entre os 25% e os 27%. 6

7 Motivos para a cessação da prestação Nº de famílias Número de famílias com cessação da prestação (25-211) Nº de famílias O número de famílias cuja prestação de RSI foi cancelada veio a aumentar ao longo do período de referência, sendo 21 o ano que se verificou um maior número de cancelamentos. O padrão de distribuição dos cancelamentos de 25 a 211 acompanha a evolução do número de beneficiários de RSI. Esta relação direta poderá traduzir-se num dos fatores explicativos deste aumento das prestações canceladas, um outro, poder-se-á imputar não só a alterações dos requisitos para o usufruto da medida, como também a uma progressiva melhoria dos processos de fiscalização. Número de famílias com prestações pagas, por motivo de cessação da prestação (25-211) Incumprimento do contrato e outras razões A pedido do requerente Alteração de Rendimentos Deixou de ter residência legal em Portugal Integração no mercado de trabalho Morte do titular / elemento do Agregado

8 Nº de Titulares Nº de famílias Incumprimento do contrato e outras razões A pedido do requerente Alteração de Rendimentos Deixou de ter residência legal em Portugal Integração no mercado de trabalho Morte do titular / elemento do Agregado A alteração de e o incumprimento do contrato de inserção, aliado a outras razões não especificadas, são os principais motivos para a cessação da prestação de RSI. Como se pode constatar, a inserção no mercado de trabalho é o motivo menos representativo dos seis analisados, o que se constitui num aspeto de reflexão e preocupação, tendo em conta o objetivo principal desta medida. COMPLEMENTO SOLIDÁRIO PARA IDOSOS (CSI) Número de titulares com prestações pagas (26-211) Nº de titulares O número de titulares com prestação de CSI tem vindo a evoluir muito significativamente ao longo do período de referência, passando de em 26 para em 211, o que representa uma taxa de crescimento assinalável. Este facto em parte pode ser explicado pelo alargamento progressivo da prestação a partir dos 65. 8

9 Escalão etário Nº de Titulares Número de titulares com prestações pagas, por género (25-211) Género Feminino Género Masculino Analisando a distribuição por género dos titulares de CSI, observa-se de forma indiscutível a predominância do género feminino. De 26 a 211, as mulheres representam em qualquer um dos em análise mais do dobro dos homens, sendo 26 o ano em que essa diferença é maior. Número de titulares com prestações pagas, por escalão etário (25-211) a a a a a ou mais Até a 69 7 a 74 8 a a 89 9 a ou mais No que respeita ao escalão etário dos titulares do CSI, verifica-se que desde 28, ano em que se alargou esta prestação aos beneficiários a partir dos 65, a maioria das titulares tinha ente os 65 e os 74, sendo o escalão dos 65 aos 69 predominante nos últimos 2 em análise. 9

10 Escalão da prestação Fonte: MSSS II, I. Valor médio anual das prestações auferidas (25-211) O valor médio anual das prestações auferidas aumentou substancialmente de 26 (primeiro ano de vigência) para 27 na razão de 267%. A partir de 27 observa-se uma relativa estabilidade no valor auferido, rondando os 31. Número de titulares por escalão mensal do valor das prestações auferidas (25-211) [, 5 [ [5, 1 [ [1, 15 [ [15, 2 [ [2, 25 [ [25, 3 [ [3, 35 [ >= [, 5 [ [5, 1 [ [1, 15 [ [15, 2 [ [2, 25 [ [25, 3 [ [3, >=35 35 [ A grande maioria dos titulares do CSI aufere mensalmente até 15, oscilando o escalão modal durante os em análise entre os intervalos: até aos 5 e dos 5 aos 1. 1 Escalão da prestação

11 Nº de Titulares Nº de Titulares PENSÃO SOCIAL DE INVALIDEZ Número de titulares com prestações pagas (25-211) Nº de titulares O número de titulares de Pensão Social de Invalidez tem vindo a evoluir progressivamente ao longo de período de referência, existindo em 211 mais titulares do que em 25, o que representa uma taxa de crescimento de 5,5%. Número de titulares com prestações pagas, por género (25-211) Género Feminino Género Masculino No que respeita à análise por género dos titulares da Pensão Social de Invalidez, os dados em presença colocam em evidência a supremacia do género masculino. O ano de 211 é aquele em que a diferença entre géneros é mais significativa (mais 497). 11

12 Nº de Titulares Nº de Titulares Escalão etário Número de titulares com prestações pagas, por escalão etário (25-211) < aos aos aos aos Escalão etário < 2 Escalão etário 2 aos 29 Escalão etário 3 aos 39 Escalão etário 4 aos 49 Escalão etário 5 aos 59 Escalão etário 6 64 Relativamente ao escalão etário, a maioria dos titulares tem entre 3 e 49 (entre 58% e 61%). Até ao ano de 27 o escalão modal era o que compreendia os pensionistas com idades entre os 3 a 39, passando a partir desse ano a ser o dos 4 aos 49. PENSÃO SOCIAL DE VELHICE Número de titulares com prestações pagas, (25-211) Nº de titulares O número de titulares da Pensão Social de Velhice tem vindo a decrescer desde o ano de 25, existindo em 211 menos do que no início do período de referência, o que presenta uma redução de - 9, 2% dos titulares

13 Nº de Titulares Escalão etário Nº de Titulares Número de titulares com prestações pagas, por género (25-211) Género Feminino Género Masculino Ao contrário do observado para a Pensão Social de Invalidez, a maioria dos beneficiários de Pensão Social de Velhice são do género feminino. Não obstante o facto relatado, a diferença relativa entre os géneros tem vindo a decrescer desde Número de titulares com prestações pagas, por escalão etário (25-211) Até aos a a a Escalão etário Até aos 69 Escalão etário 7 a 74 Escalão etário 75 a 79 Escalão etário 8 a 84 Escalão etário 8 A maioria dos titulares da Pensão Social de Velhice tem mais de 75 (cerca de 6% em média). Até ao ano de 28, o escalão etário dos 75 aos 79 surge como o mais representativo, passando a partir desse ano a ser o grupo etário que 13

14 Nº de Titulares Nº de Titulares compreende os beneficiários dos 7 aos 74. PENSÃO SOCIAL DE SOBREVIVÊNCIA Número de titulares com prestações pagas, (25-211) Nº de titulares O Número de pensionistas de Pensão Social de Sobrevivência tem vindo a aumentar ao longo do período de referência, existindo em 211 mais 365 beneficiários do que em 25, o que representa uma taxa de crescimento de 21,5%. Número de titulares com prestações pagas, por género (25-211) Género Feminino Género Masculino Analisando a distribuição por género dos titulares de pensão Social de Sobrevivência, observa-se de forma indiscutível a predominância do género feminino. De 25 a 211, as mulheres representam entre 6% e 63% do total dos titulares. 14

15 15

GABINETE DE ESTRATÉGIA E PLANEAMENTO

GABINETE DE ESTRATÉGIA E PLANEAMENTO 25-213 GABINETE DE ESTRATÉGIA E PLANEAMENTO Equipa de Estudos e Políticas de Segurança Social Sistema de Proteção Social de Cidadania Subsistema de Solidariedade Eventualidades: Insuficiência de recursos,

Leia mais

Indicadores. Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de Lisboa

Indicadores. Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de Lisboa Indicadores Concelho de Amadora Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de Lisboa RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO (RSI) RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO (RSI) Nº de Famílias no Concelho Valor Médio

Leia mais

Direção Regional de Estatística da Madeira

Direção Regional de Estatística da Madeira 28 de novembro de 2014 PROTEÇÃO SOCIAL 2004-2013 Nota introdutória A Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM) divulga, pela primeira vez, no seu novo portal, uma série retrospetiva com os principais

Leia mais

GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE INVALIDEZ INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE INVALIDEZ INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE INVALIDEZ INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pensão Social de Invalidez (7010 v4.28) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR

Leia mais

Praça da República - Apartado 47, Setúbal

Praça da República - Apartado 47, Setúbal Ficha Técnica: Versão: Data: Autor: Responsável: Morada: Email: 1.0 10-03-2016 ISS,IP - Centro Distrital de Setúbal - UAD-NAGPGI (JL, CN) ISS,IP - Centro Distrital de Setúbal - UAD-NAGPGI (JR) Praça da

Leia mais

SEGURANÇA SOCIAL EM NÚMEROS

SEGURANÇA SOCIAL EM NÚMEROS SEGURANÇA SOCIAL SEGURANÇA SOCIAL EM NÚMEROS Continente e Regiões Autónomas SETEMBRO/2017 Direção-Geral da Segurança Social Instituto de Informática, I.P. Í NDICE PÁGINA Pirâmide etária da população residente

Leia mais

TARIFA SOCIAL UTILIZADORES DOMÉSTICOS

TARIFA SOCIAL UTILIZADORES DOMÉSTICOS TARIFA SOCIAL UTILIZADORES DOMÉSTICOS A Tarifa Social para os utilizadores domésticos foi criada com o objetivo de apoiar os utilizadores finais domésticos com baixos rendimentos e em risco de pobreza

Leia mais

Dia Internacional da Família 15 de maio

Dia Internacional da Família 15 de maio Dia Internacional da Família 15 de maio 14 de maio de 14 (versão corrigida às 16.3H) Na 1ª página, 5º parágrafo, 3ª linha, onde se lia 15-65 anos deve ler-se 15-64 anos Famílias em Portugal As famílias

Leia mais

O Risco de Pobreza e a Privação Material das Pessoas Idosas « O Risco de Pobreza e a Privação Material das Pessoas Idosas

O Risco de Pobreza e a Privação Material das Pessoas Idosas « O Risco de Pobreza e a Privação Material das Pessoas Idosas O Risco de Pobreza e a Privação Material das Pessoas Idosas Cristina Gonçalves INE DES/CV (20.10.2010) O Risco de Pobreza e a Privação Material das Pessoas Idosas População idosa = pessoas com 65 ou mais

Leia mais

3,11% 3,03% 2,82% 2,76% 2,56% 1,92% 1,62% 1,52% 1,48% 0,00% 1,00% 2,00% 3,00% 4,00% 5,00% 6,00%

3,11% 3,03% 2,82% 2,76% 2,56% 1,92% 1,62% 1,52% 1,48% 0,00% 1,00% 2,00% 3,00% 4,00% 5,00% 6,00% Problemáticas Especificas e Respostas Sociais Famílias e comunidade Rendimento Social de Inserção População Beneficiária de RSI (%) Barreiro Montijo Almada Setúbal Peninsula de Setúbal Portugal Continental

Leia mais

(112,47) ^^encia a 413,36

(112,47) ^^encia a 413,36 (112,47) ^^encia a 413,36 Este documento pretende proceder a uma análise sintética das principais variáveis sociais, económicas e demográficas do Distrito de Évora salientando os aspetos que se afiguram

Leia mais

nº de beneficiários de subsidio de desemprego por sexo

nº de beneficiários de subsidio de desemprego por sexo O presente documento pretende fazer de forma sintética uma análise das principais caraterísticas do Distrito de Faro no que à área social diz respeito. Pretendemos que sirva como elemento de consulta base

Leia mais

TÁXI SOCIAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA

TÁXI SOCIAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA Sexo TÁXI SOCIAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA (nº SM ) Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra 1. Identificação (nome completo), Nascido em (data:) / /, estado civil: género: Masculino Feminino

Leia mais

GUIA PRÁTICO FUNDO ESPECIAL DE SEGURANÇA SOCIAL DO PESSOAL DA INDÚSTRIA DE LANIFÍCIOS

GUIA PRÁTICO FUNDO ESPECIAL DE SEGURANÇA SOCIAL DO PESSOAL DA INDÚSTRIA DE LANIFÍCIOS GUIA PRÁTICO FUNDO ESPECIAL DE SEGURANÇA SOCIAL DO PESSOAL DA INDÚSTRIA DE LANIFÍCIOS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/11 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Fundo

Leia mais

GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO POR CÔNJUGE A CARGO

GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO POR CÔNJUGE A CARGO Manual de GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO POR CÔNJUGE A CARGO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/7 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Complemento por Cônjuge a Cargo (N03

Leia mais

FARMÁCIA ACESSÍVEL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA

FARMÁCIA ACESSÍVEL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA Sexo FARMÁCIA ACESSÍVEL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA (nº SM ) Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra 1. Identificação (nome completo), Nascido em (data:) / /, estado civil: género: Masculino Feminino

Leia mais

ANEXO. Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

ANEXO. Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Estrasburgo, 13.12.2016 COM(2016) 815 final ANNEX 1 ANEXO Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que altera o Regulamento (CE) n.º 883/2004, relativo à coordenação

Leia mais

Continente e Regiões Autónomas. Agosto/2014. Instituto de Informática, I.P.

Continente e Regiões Autónomas. Agosto/2014. Instituto de Informática, I.P. SEGURANÇA SOCIAL Continente e Regiões Autónomas Agosto/2014 Direção-Geral da Segurança Social Instituto de Informática, I.P. Í NDICE PÁGINA Pirâmide etária da população residente em e 2060 3 Alguns indicadores

Leia mais

Beneficiários de RSI a frequentar FP - janeiro 2016

Beneficiários de RSI a frequentar FP - janeiro 2016 Beneficiários de RSI a frequentar FP - janeiro 2016 ILHA / CONCELHO Total ILHA DE SANTA MARIA 14 VILA DO PORTO 14 ILHA DE SÃO JORGE 16 CALHETA 5 VELAS 11 ILHA DE SÃO MIGUEL 676 LAGOA 60 NORDESTE 15 PONTA

Leia mais

QUANTO CUSTA? Oferece um desconto de 25% face ao preço da assinatura normal.

QUANTO CUSTA? Oferece um desconto de 25% face ao preço da assinatura normal. O QUE É? Assinatura mensal Andante, válida para o percurso casa/escola, destinada a todos os estudantes dos 4 aos 18 anos (inclusivé) que não frequentam o ensino superior e que não beneficiam de transporte

Leia mais

NOTA MARÇO/2017 DSRHDO/DRH

NOTA MARÇO/2017 DSRHDO/DRH NOTA ATUALIZAÇÃO DOS MONTANTES DO ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS, DO ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL, E RESPETIVAS MAJORAÇÕES, DO SUBSÍDIO DE FUNERAL E DAS PRESTAÇÕES POR DEFICIÊNCIA E DEPENDÊNCIA

Leia mais

NOTA INFORMATIVA SOBRE AS PRINCIPAIS ALTERAÇÕES LABORAIS NA LEI DO ORÇAMENTO DO ESTADO PARA LEI N.º 42/2016, DE 28 DE DEZEMBRO

NOTA INFORMATIVA SOBRE AS PRINCIPAIS ALTERAÇÕES LABORAIS NA LEI DO ORÇAMENTO DO ESTADO PARA LEI N.º 42/2016, DE 28 DE DEZEMBRO NOTA INFORMATIVA SOBRE AS PRINCIPAIS ALTERAÇÕES LABORAIS NA LEI DO ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2017 - LEI N.º 42/2016, DE 28 DE DEZEMBRO I. Trabalhadores do setor privado Durante o ano de 2017, o subsídio

Leia mais

Regulamento sobre a atribuição de apoios para aquisição de medicação e do cartão municipal do idoso. Preâmbulo

Regulamento sobre a atribuição de apoios para aquisição de medicação e do cartão municipal do idoso. Preâmbulo Regulamento sobre a atribuição de apoios para aquisição de medicação e do cartão municipal do idoso Preâmbulo Os apoios sociais assumem particular relevância perante o atual panorama de fragilidade em

Leia mais

Trata-se de uma situação excecional para vigorar apenas no ano em curso.

Trata-se de uma situação excecional para vigorar apenas no ano em curso. PL 157/2013 Exposição de Motivos Na sequência da decisão do Tribunal Constitucional sobre o Orçamento do Estado do ano de 2012, a Lei do Orçamento do Estado para 2013 estabeleceu que um dos subsídios anteriormente

Leia mais

GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pensão Social de Velhice (7009 v4. 22) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR Centro

Leia mais

Residentes em Portugal realizaram 15,4 milhões de viagens turísticas em 2010

Residentes em Portugal realizaram 15,4 milhões de viagens turísticas em 2010 PROCURA TURÍSTICA DOS RESIDENTES Janeiro a Dezembro de 2010 30 de Maio de 2011 Residentes em Portugal realizaram 15,4 milhões de viagens turísticas em 2010 Em 2010 foram realizadas cerca de 15,4 milhões

Leia mais

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Seguro Social Voluntário

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Seguro Social Voluntário Seguro Social Voluntário Ficha Técnica Título Autor de Segurança Social Seguro Social Voluntário Conceção gráfica Edição Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação http://www.seg-social.pt/dgss-direccao-geral-da-seguranca-social

Leia mais

ASECE Apoio Social Extraordinário ao Consumidor de Energia. Aspetos principais

ASECE Apoio Social Extraordinário ao Consumidor de Energia. Aspetos principais Apoio Social Extraordinário ao Consumidor de Energia Aspetos principais 1. Em que consiste o Apoio Social Extraordinário ao Consumidor de Energia (ASECE)? O ASECE é um instrumento de apoio social extraordinário

Leia mais

APPDA-Setúbal. Segurança Social. Subsídios

APPDA-Setúbal. Segurança Social. Subsídios APPDA-Setúbal Segurança Social Subsídios ACÃO SOCIAL A ação social é um sistema que: - tem como objetivos fundamentais a prevenção e reparação de situações de carência e desigualdade socioeconómica, de

Leia mais

VAB das empresas não financeiras aumenta 3,7%, em termos nominais, em 2014

VAB das empresas não financeiras aumenta 3,7%, em termos nominais, em 2014 Empresas em Portugal 2010-28 de setembro de 2015 VAB das empresas não financeiras aumenta 3,7%, em termos nominais, em Os dados preliminares de das estatísticas das empresas reforçam os sinais positivos

Leia mais

97% Dos indivíduos com idade entre os 10 e os 15 anos utilizam computador, 93% acedem à Internet e 85% utilizam telemóvel

97% Dos indivíduos com idade entre os 10 e os 15 anos utilizam computador, 93% acedem à Internet e 85% utilizam telemóvel Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias: Indivíduos dos 1 aos 15 anos 3 de Fevereiro 9 97% Dos indivíduos com idade

Leia mais

Tarifa Social na Eletricidade e impactes. Aspetos principais

Tarifa Social na Eletricidade e impactes. Aspetos principais Tarifa Social na Eletricidade e impactes Aspetos principais Tarifa Social de eletricidade FATURA MÉDIA ELETRICIDADE CONSUMIDOR MÉDIO NO CONJUNTO DE CLIENTES COM POTÊNCIA CONTRATATADA ATÉ 6,9 kva Valor

Leia mais

BA Balanço Social 2014

BA Balanço Social 2014 BA Balanço Social 204 D I R E Ç Ã O - G E R A L D A Q U A L I F I C A Ç Ã O D O S T R A B A L H A D O R E S E M F U N Ç Õ E S P Ú B L I C A, I N A Índice. Introdução... 2 2. Aspetos a salientar... 2 3.

Leia mais

Foram ouvidos os órgãos de governo próprio das Regiões Autónomas.

Foram ouvidos os órgãos de governo próprio das Regiões Autónomas. Tal como havia inscrito no seu programa, o XVII Governo Constitucional, pelo decreto-lei n.º 232/2005, de 29 de Dezembro, instituiu uma prestação extraordinária de combate à pobreza dos idosos que designou

Leia mais

Município de Vieira do Minho

Município de Vieira do Minho REGULAMENTO MUNICIPAL DE COMPARTICIPAÇÃO EM MEDICAMENTOS E TRANSPORTE DE DOENTES Preâmbulo O Concelho de Vieira do Minho, tal como a maioria dos Concelhos do interior do país, tem vindo a assistir nas

Leia mais

Observatório Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa

Observatório Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa Observatório Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa Apresentação realizada para a Rede Social de Lisboa Plataforma para a Área do Envelhecimento Zona Oriental www.observatorio-lisboa.eapn.pt observatoriopobreza@eapn.pt

Leia mais

PROPOSTA DE RECOMENDAÇÃO. Criação da tarifa social da água e implementação automatizada da mesma

PROPOSTA DE RECOMENDAÇÃO. Criação da tarifa social da água e implementação automatizada da mesma GRUPO MUNICIPAL DE AVEIRO PROPOSTA DE RECOMENDAÇÃO Criação da tarifa social da água e implementação automatizada da mesma A tarifa social da água Um dos instrumentos recomendados é a aplicação da tarifa

Leia mais

Guia Prático Majorações do Abono de Família para Crianças e Jovens e do Abono de Família Pré-natal

Guia Prático Majorações do Abono de Família para Crianças e Jovens e do Abono de Família Pré-natal Manual de GUIA PRÁTICO MAJORAÇÕES DO ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS, DO ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E DA BONIFICAÇÃO POR DEFICIÊNCIA [famílias com duas ou mais crianças/famílias monoparentais/

Leia mais

FICHA TÉCNICA TÍTULO PROPRIEDADE AUTOR MORADA DATA DE PUBLICAÇÃO

FICHA TÉCNICA TÍTULO PROPRIEDADE AUTOR MORADA DATA DE PUBLICAÇÃO FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio por Morte PROPRIEDADE Instituto Nacional de Segurança Social AUTOR Instituto Nacional de Segurança Social MORADA Rua Cirilo da Conceição e Silva, 42, 1º andar

Leia mais

QUEBRA DE NADOS-VIVOS EM 2003

QUEBRA DE NADOS-VIVOS EM 2003 Estatísticas Vitais - Natalidade Resultados provisórios de 23 8 de Junho de 24 QUEBRA DE NADOS-VIVOS EM 23 Em 23, a natalidade decresce ligeiramente no país, o número de nados-vivos fora do casamento continua

Leia mais

GUIA PRÁTICO PENSÃO DE ORFANDADE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PENSÃO DE ORFANDADE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PENSÃO DE ORFANDADE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pensão de Orfandade (7006 V4.18) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR Centro Nacional

Leia mais

GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO POR DEPENDÊNCIA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO POR DEPENDÊNCIA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO POR DEPENDÊNCIA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Complemento por Dependência (7013 v4.20) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR

Leia mais

BALANÇO SOCIAL

BALANÇO SOCIAL BALANÇO SOCIAL 205 Índice Índice... 2 Introdução.... Organograma... 4 2. Aspetos a salientar... 5. Caracterização dos efetivos/movimentação de recursos humanos... 5 4. Trabalhadores Segundo o Género, Estrutura

Leia mais

Público ou Privado: quem ensina na Europa?

Público ou Privado: quem ensina na Europa? Público ou Privado: quem ensina na Europa? Em Portugal, entre 2000 e 2012, cerca de 6% das escolas são privadas e financiadas pelo Estado. Os aumentos mais expressivos de escolas desta natureza verificaram-se

Leia mais

POPULAÇÃO ESTRANGEIRA EM PORTUGAL MODERA CRESCIMENTO

POPULAÇÃO ESTRANGEIRA EM PORTUGAL MODERA CRESCIMENTO População Estrangeira Residente em Portugal Resultados provisórios 2002 2 de Julho de 2003 POPULAÇÃO ESTRANGEIRA EM PORTUGAL MODERA CRESCIMENTO Em 2002, a população estrangeira com a situação regularizada,

Leia mais

PROJETO REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROGRAMA DE COMPARTICIPAÇÃO DE MEDICAMENTOS AOS IDOSOS CARENCIADOS

PROJETO REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROGRAMA DE COMPARTICIPAÇÃO DE MEDICAMENTOS AOS IDOSOS CARENCIADOS PROJETO REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROGRAMA DE COMPARTICIPAÇÃO DE MEDICAMENTOS AOS IDOSOS CARENCIADOS PREÂMBULO Os idosos são tradicionalmente um grupo social com dificuldades reconhecidas que advém, sobretudo

Leia mais

Tabela População segundo a existência de plano de saúde - Ceilândia - Distrito Federal Plano de Saúde Nº %

Tabela População segundo a existência de plano de saúde - Ceilândia - Distrito Federal Plano de Saúde Nº % Quanto à existência de Plano de Saúde observa-se em Ceilândia que 80,9% não contam com este serviço, enquanto 11,0% possui plano empresarial, o que é previsível dado o expressivo percentual de domicílios

Leia mais

Prestações Familiares

Prestações Familiares EVOLUÇÃO DOS MONTANTES EVOLUÇÃO DOS MONTANTES Prestações Familiares Encargos Familiares Deficiência Dependência de 1997 a 217 Ficha Técnica Título Evolução dos montantes das prestações familiares: encargos

Leia mais

Decreto-Lei n.º 246/2015, de 20 de outubro

Decreto-Lei n.º 246/2015, de 20 de outubro Decreto-Lei n.º 246/2015, de 20 de outubro A Lei n.º 90/2009, de 31 de agosto, que aprova o regime especial de proteção na invalidez, teve por objetivo a unificação de vários regimes especiais de proteção

Leia mais

Lei do Orçamento do Estado para Alterações relevantes em sede de IRS:

Lei do Orçamento do Estado para Alterações relevantes em sede de IRS: Guia Fiscal IRS 2014 Esta informação é um resumo dos benefícios fiscais associados a produtos comercializados pelo NOVO BANCO, constantes da Lei do Orçamento do Estado (OE) para 2014 - Lei nº. 83-C/2013,

Leia mais

ENDIVIDAMENTO E INCUMPRIMENTO NO CRÉDITO BANCÁRIO AO CONSUMO

ENDIVIDAMENTO E INCUMPRIMENTO NO CRÉDITO BANCÁRIO AO CONSUMO ENDIVIDAMENTO E INCUMPRIMENTO NO CRÉDITO BANCÁRIO AO CONSUMO UM ESTUDO DE CASO CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS DA FACULDADE DE ECONOMIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Fevereiro de 2002 Índice Introdução... 1 1.

Leia mais

GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pensão Social de Velhice (7009 v4.18) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR Centro

Leia mais

Decreto-Lei n.º 160/2004, de 2 de Julho

Decreto-Lei n.º 160/2004, de 2 de Julho Decreto-Lei n.º 160/2004, de 2 de Julho A Lei n.º 9/2002, de 11 de Fevereiro, introduziu significativas alterações no regime aplicável à contagem do tempo de serviço militar dos antigos combatentes, prestado

Leia mais

GUIA PRÁTICO BOLSA DE ESTUDO

GUIA PRÁTICO BOLSA DE ESTUDO Manual de GUIA PRÁTICO BOLSA DE ESTUDO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/11 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Bolsa de Estudo (4010 v1.10) PROPRIEDADE Instituto

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO 1.º SEMESTRE 215 RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE SEGURADORA ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões Relatório de evolução da atividade seguradora 1.º Semestre 215 I. Produção e custos

Leia mais

Observatório Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa

Observatório Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa Observatório Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa Apresentação realizada para a Rede Social de Lisboa Plataforma para a Área do Envelhecimento Zona Norte www.observatorio-lisboa.eapn.pt observatoriopobreza@eapn.pt

Leia mais

Subsidio Social Parental Atualizado em:

Subsidio Social Parental Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL Subsidio Social Parental Atualizado em: 04-01-2017 Esta informação destina-se a que cidadãos Cidadãos nacionais e cidadãos estrangeiros, refugiados e apátridas: não abrangidos por qualquer

Leia mais

Pensão de sobrevivência Atualizado em:

Pensão de sobrevivência Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL Pensão de sobrevivência Atualizado em: 03-08-2017 Esta informação destina-se a que cidadãos Aos familiares de beneficiário falecido do regime geral da Segurança Social e do regime do Seguro

Leia mais

Subsídio Social por Riscos Específicos Atualizado em:

Subsídio Social por Riscos Específicos Atualizado em: Subsídio Social por Riscos Específicos Atualizado em: 04-01-2017 SEGURANÇA SOCIAL Esta informação destina-se a que cidadãos Cidadãs abrangidas por regime de proteção social obrigatório ou pelo regime do

Leia mais

REGIME DOS TRABALHADORES INDEPENDENTES

REGIME DOS TRABALHADORES INDEPENDENTES REGIME DOS TRABALHADORES INDEPENDENTES TERESA FERNANDES 1 REGIME DOS TRABALHADORES INDEPENDENTES Âmbito Pessoal Âmbito Material Relação Jurídica de Vinculação Relação Jurídica Contributiva 2 ÂMBITO PESSOAL

Leia mais

Balanço Social Abril de 14

Balanço Social Abril de 14 Abril de 14 Índice Introdução... 3 BALANÇO SOCIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013... 4 1. Estrutura orgânica... 4 2. Recursos Humanos... 4 3. Caraterização do efectivo global... 5 3.1 Por estrutura jurídica...

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPARTICIPAÇÃO EM DESPESAS COM MEDICAMENTOS. Nota Justificativa

REGULAMENTO DE COMPARTICIPAÇÃO EM DESPESAS COM MEDICAMENTOS. Nota Justificativa REGULAMENTO DE COMPARTICIPAÇÃO EM DESPESAS COM MEDICAMENTOS Nota Justificativa O quadro sócio demográfico atual diverge do tradicional. As questões do envelhecimento das populações estão em foco devido

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DO TARIFÁRIO SOCIAL DE ÁGUA, SANEAMENTO E RESÍDUOS SÓLIDOS DA MAIA PREÂMBULO

REGULAMENTO MUNICIPAL DO TARIFÁRIO SOCIAL DE ÁGUA, SANEAMENTO E RESÍDUOS SÓLIDOS DA MAIA PREÂMBULO PREÂMBULO 1. A progressiva degradação da situação económica das famílias portuguesas, em virtude da situação em que se encontra todo o território nacional, exige aos serviços públicos, a tomada de decisões

Leia mais

Evolução da população do Concelho de Cascais

Evolução da população do Concelho de Cascais Evolução da população do Concelho de Cascais 197-211 5, 4,5 4, 3,5 Homens 3, 2,5 2, 1,5 1,,5, Idades 95 + 9-94 85-89 8-84 75-79 7-74 65-69 6-64 55-59 5-54 45-49 4-44 35-39 3-34 25-29 2-24 15-19 1-14 5-9

Leia mais

Introdução de ajustamentos nos escalões de rendimentos para aplicação das taxas marginais de imposto.

Introdução de ajustamentos nos escalões de rendimentos para aplicação das taxas marginais de imposto. Guia Fiscal IRS 2017 Esta informação é um resumo dos benefícios fiscais associados a produtos comercializados pelo Novo Banco, em vigor após a publicação da Lei do Orçamento do Estado (OE) para 2017 -

Leia mais

O Perfil do Pai que vive com os filhos

O Perfil do Pai que vive com os filhos 19 de março: Dia do Pai 18 de março 2013 O Perfil do Pai que vive com os filhos Em Portugal, 1 631 376 Pais vivem com filhos/as. A idade média dos Pais é de 47,1 anos. Na sua maioria são casados e vivem,

Leia mais

Regulamento do Cartão Municipal do Idoso

Regulamento do Cartão Municipal do Idoso Regulamento do Cartão Municipal do Idoso Preâmbulo Considerando a importância crescente do papel das autarquias locais, no âmbito do apoio às populações, a Câmara Municipal de Grândola atenta que está

Leia mais

Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento estabelece as regras de adesão e utilização do Cartão Almodôvar Solidário.

Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento estabelece as regras de adesão e utilização do Cartão Almodôvar Solidário. Regulamento do Cartão Almodôvar Solidário Preâmbulo Decorridos cerca de seis anos sobre a implementação do Cartão Municipal do Idoso, o qual constituiu um importante marco no apoio aos mais desfavorecidos,

Leia mais

Lei n.º 3/2009, de 13 de Janeiro. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte:

Lei n.º 3/2009, de 13 de Janeiro. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Lei n.º 3/2009, de 13 de Janeiro Regula os efeitos jurídicos dos períodos de prestação de serviço militar de antigos combatentes para efeitos de atribuição dos benefícios previstos nas Leis n. os 9/2002,

Leia mais

Fevereiro Homens Mulheres Total. Número de beneficiários de subsídio de desemprego por sexo. Âmbito geográfico

Fevereiro Homens Mulheres Total. Número de beneficiários de subsídio de desemprego por sexo. Âmbito geográfico Fevereiro 2016 O presente documento pretende fazer de forma sintética uma análise das principais caraterísticas do Distrito de Viseu no que à área social diz respeito. Pretendemos que sirva como elemento

Leia mais

Palavras-chave: Arranjos domiciliares; Benefício de Prestação Continuada; Idoso; PNAD

Palavras-chave: Arranjos domiciliares; Benefício de Prestação Continuada; Idoso; PNAD Idosos atendidos pelo Benefício de Prestação Continuada (BPC) que vivem em domicílios com outros rendimentos: perfil sociodemográfico e comparação com os idosos que vivem em domicílios com presença de

Leia mais

PROTEÇÃO SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL. Pessoas Idosas

PROTEÇÃO SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL. Pessoas Idosas PROTEÇÃO SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL Pessoas Idosas Junho 2016 Ficha Técnica Título Proteção Social Pessoas Idosas Autor Direção-Geral da Segurança Social (DGSS) - Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação

Leia mais

MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO

MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO Entidades Promotoras: Entidades privadas, com ou sem fins lucrativos e Autarquias Locais. Destinatários: Jovens à procura de emprego, entre os 18 e os 30 anos, inscritos no IEFP

Leia mais

2. Dados de adesão efectiva

2. Dados de adesão efectiva 2. Dados de adesão efectiva 2.1 Evolução do número de aderentes O programa e.iniciativas registava no final de Novembro de 2008 um total de 534.285 adesões, valor que representa cerca de 5% da população

Leia mais

Mapa de trabalhadores do IPMA por por sexo

Mapa de trabalhadores do IPMA por por sexo Distribuição por Género FEMININO 0 MASCULINO 5 Mapa de trabalhadores do IPMA por por sexo 5 0 O Mapa de Pessoal do IPMA, I.P. a 0 de outubro de 05 apresenta um total de 5 trabalhadores, sendo dividido

Leia mais

SEGURANÇA SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL DAS PESSOAS IDOSAS

SEGURANÇA SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL DAS PESSOAS IDOSAS SEGURANÇA SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL DAS PESSOAS IDOSAS Maio 2015 Ficha Técnica Autor Direção-Geral da Segurança Social (DGSS) - Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação (DSIA) - Maria Gabriela Mateus

Leia mais

GUIA PRÁTICO PENSÃO DE ORFANDADE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PENSÃO DE ORFANDADE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PENSÃO DE ORFANDADE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pensão de Orfandade (7006 V4.16) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR Centro Nacional

Leia mais

Estimativas de População Residente, Portugal, NUTS II, NUTS III e Municípios

Estimativas de População Residente, Portugal, NUTS II, NUTS III e Municípios Estimativas de População Residente 09 de Junho 2010 Estimativas de População Residente, Portugal, NUTS II, NUTS III e Municípios A evolução demográfica em caracteriza-se por um ligeiro crescimento da população

Leia mais

Número médio de crianças por mulher aumentou ligeiramente

Número médio de crianças por mulher aumentou ligeiramente Estatísticas Demográficas 2010 16 de dezembro de 2011 Número médio de crianças por mulher aumentou ligeiramente De acordo com os factos demográficos registados, em 2010 o número de nados vivos aumentou

Leia mais

05 de maio: Dia da Mãe

05 de maio: Dia da Mãe 03 de maio 2013 05 de maio: Dia da Mãe O retrato da Mãe que vive com os filhos A idade das Mães ao nascimento do primeiro filho tem vindo a aumentar. Em 2001 era-se Mãe pela primeira vez aos 26,8 anos.

Leia mais

GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pensão Social de Velhice (7009 v4.19) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR Centro

Leia mais

DOCUMENTO DE SUPORTE PARA A APRESENTAÇÃO DO MINISTRO DE ESTADO E DAS FINANÇAS EM CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

DOCUMENTO DE SUPORTE PARA A APRESENTAÇÃO DO MINISTRO DE ESTADO E DAS FINANÇAS EM CONFERÊNCIA DE IMPRENSA DOCUMENTO DE SUPORTE PARA A APRESENTAÇÃO DO MINISTRO DE ESTADO E DAS FINANÇAS EM CONFERÊNCIA DE IMPRENSA A 14 DE JULHO DE 2011 1 Cenário Macroeconómico 2010 2011 2012 Despesa Nacional - taxa de variação

Leia mais

ALTERA O COMPLEMENTO SOLIDÁRIO PARA IDOSOS TORNANDO MAIS JUSTA A SUA ATRIBUIÇÃO

ALTERA O COMPLEMENTO SOLIDÁRIO PARA IDOSOS TORNANDO MAIS JUSTA A SUA ATRIBUIÇÃO PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 367/XI-1ª ALTERA O COMPLEMENTO SOLIDÁRIO PARA IDOSOS TORNANDO MAIS JUSTA A SUA ATRIBUIÇÃO Exposição de motivos As políticas de «combate

Leia mais

Subsídio de educação especial Atualizado em:

Subsídio de educação especial Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL Subsídio de educação especial Atualizado em: 07-09-2016 Esta informação destina-se a que cidadãos Crianças e jovens com deficiência com idade inferior a 24 anos. O que é e quais as condições

Leia mais

Os números do Mercado Imobiliário Residencial em 2015

Os números do Mercado Imobiliário Residencial em 2015 Os números do Mercado Imobiliário Residencial em 2015 A AECOPS divulga a sua análise do comportamento do mercado imobiliário residencial em 2015, detalhando a evolução das vendas de alojamentos novos e

Leia mais

OE 2017 Segurança Social

OE 2017 Segurança Social OE 2017 Segurança Social Jorge Miguel Bravo NOVA IMS Instituto BBVA de Pensões E-mail: jbravo@novaims.unl.pt Fundação Calouste Gulbenkian, 28 Outubro 2016 Universidade Nova de Lisboa Agenda 1. Orçamento

Leia mais

Regras Técnicas

Regras Técnicas Regras Técnicas 2007-2008 2008 Considerando o regime de atribuição de bolsas de estudo a estudantes do Ensino Superior Público, determino os critérios e procedimentos técnicos a adoptar pelos Serviços

Leia mais

SEGUROS DE VIDA IRS 2016

SEGUROS DE VIDA IRS 2016 SEGUROS DE VIDA IRS 2016 (Lei n.º 7 - A/2016 de 30 de Março) generali.pt 2 IRS 2016 - Seguros de Vida Índice I II III Seguros de Vida 1. Dedução dos prémios... 3 2. Tributação dos benefícios... 3 2.1.

Leia mais

Projecto de Lei n.º 12/XI

Projecto de Lei n.º 12/XI Grupo Parlamentar Projecto de Lei n.º 12/XI Altera as Regras da Atribuição do Subsídio de Desemprego, introduzindo uma maior justiça social O desemprego em Portugal atinge actualmente níveis dramáticos,

Leia mais

Proteção no desemprego para os trabalhadores independentes Decreto-Lei n.º 65/2012, de 15 de março

Proteção no desemprego para os trabalhadores independentes Decreto-Lei n.º 65/2012, de 15 de março Proteção no desemprego para os trabalhadores independentes Decreto-Lei n.º 65/2012, de 15 de março Através do presente decreto-lei o Governo instituiu um regime jurídico de proteção na eventualidade desemprego,

Leia mais

ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO

ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO O requerimento deve ser preenchido manualmente. Para este efeito utilize o

Leia mais

PROVA ANUAL DE RENDIMENTOS/AGREGADO FAMILIAR

PROVA ANUAL DE RENDIMENTOS/AGREGADO FAMILIAR PROVA ANUAL DE RENDIMENTOS/AGREGADO FAMILIAR Antes do preenchimento do presente requerimento aconselha-se a leitura atenta das informações em anexo. As falsas declarações são punidas com coimas, nos termos

Leia mais

As medidas do governo para incentivar a natalidade vão ter reduzidos efeitos Pág. 1

As medidas do governo para incentivar a natalidade vão ter reduzidos efeitos Pág. 1 As medidas do governo para incentivar a natalidade vão ter reduzidos efeitos Pág. 1 AS MEDIDAS ANUNCIADAS PELO GOVERNO PARA INCENTIVAR A NATALIDADE VÃO TER EFEITOS REDUZIDOS RESUMO O governo acabou de

Leia mais

Viagens turísticas aumentam no 4º trimestre e no ano de 2015

Viagens turísticas aumentam no 4º trimestre e no ano de 2015 Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2015 02 de maio de 2016 Viagens turísticas aumentam no 4º trimestre e no ano de 2015 No 4º trimestre de 2015 a população residente em Portugal realizou

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE EMPREGO

PESQUISA MENSAL DE EMPREGO PESQUISA MENSAL DE EMPREGO ESTIMATIVAS PARA O MÊS DE J ANE I R O DE 2004 REGIÕES METROPOLITANAS DE: RECIFE, SALVADOR, BELO HORIZONTE, RIO DE JANEIRO, SÃO PAULO e PORTO ALEGRE I) INTRODUÇÃO Para o primeiro

Leia mais

GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO SOLIDÁRIO PARA IDOSOS

GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO SOLIDÁRIO PARA IDOSOS Manual de GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO SOLIDÁRIO PARA IDOSOS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/16 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Complemento Solidário para Idosos

Leia mais

GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO SOLIDÁRIO PARA IDOSOS

GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO SOLIDÁRIO PARA IDOSOS Manual de GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO SOLIDÁRIO PARA IDOSOS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/20 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Complemento Solidário para Idosos

Leia mais

GUIA PRÁTICO BOLSA DE ESTUDO

GUIA PRÁTICO BOLSA DE ESTUDO Manual de GUIA PRÁTICO BOLSA DE ESTUDO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/11 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Bolsa de Estudo (4010 v1. 15) PROPRIEDADE Instituto

Leia mais

Através do seguro social voluntário Atualizado em:

Através do seguro social voluntário Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL Através do seguro social voluntário Atualizado em: 05-01-2017 Esta informação destina-se a que cidadãos Pessoas abrangidas pelo seguro social voluntário O que é O regime do seguro social

Leia mais

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

DIA INTERNACIONAL DA MULHER 4 de Março de 2004 Dia Internacional da Mulher DIA INTERNACIONAL DA MULHER O Instituto Nacional de Estatística não quis deixar de se associar à comemoração do Dia Internacional da Mulher, 8 de Março, apresentando

Leia mais