JACQUELINE M. MOSER MARKETING DE VAREJO EM UM SUPERMERCADO DE VIZINHANÇA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "JACQUELINE M. MOSER MARKETING DE VAREJO EM UM SUPERMERCADO DE VIZINHANÇA"

Transcrição

1 JACQUELINE M. MOSER MARKETING DE VAREJO EM UM SUPERMERCADO DE VIZINHANÇA Instituto Cenecista Fayal de Ensino Superior Itajaí (SC) 2009

2 JACQUELINE M. MOSER MARKETING DE VAREJO EM UM SUPERMERCADO DE VIZINHANÇA Trabalho de conclusão de Estágio Supervisionado do Curso de Administração do Instituto Cenecista Fayal de Ensino Superior IFES. Instituto Cenecista Fayal de Ensino Superior Itajaí (SC) 2009

3 MARKETING DE VAREJO EM UM SUPERMERCADO DE VIZINHANÇA Este trabalho de conclusão de curso foi julgado aprovado para a obtenção do grau de Bacharel em Administração do Instituto Cenecista Fayal de Ensino Superior IFES Itajaí, 05 de Junho de 2009 Leandro Costa Coordenador de estágios Banca Examinadora Prof. Carlos Marcelo Ardigó Orientador Prof. Wilson Reginatto Junior Prof. Anderson de Assunção

4 EQUIPE TÉCNICA Estagiário: Jacqueline Modesta Moser Coordenador de estágio: Leandro Costa Orientador de conteúdo: Carlos Marcelo Ardigó Orientador de Metodologia: Marcello Soares Supervisor de Campo Júlia Westphal Moser

5 Aos meus pais, Alexandre Moser e Júlia Westphal Moser, pelo exemplo de vida e pelos ensinamentos preciosos dos valores morais e humanos.

6 AGRADECIMENTOS Esta é a final de mais uma etapa de minha vida, e para encerrar não poderia esquecer de agradecer algumas pessoas que foram muito importante durante este período. Primeiramente a Deus, por me dar uma vida tão cheia de possibilidades, condições necessárias, de estar concluindo e realizando este sonho. Meu agradecimento especial ao meu orientador, Professor Carlos Marcelo Ardigó, que imparcialmente, opinou,ensinou e, principalmente, incentivou este trabalho, contribuindo para que eu me tornasse muito mais criativa e reflexiva. Aos meus familiares, em especial, Alexsandro Moser e Suzana Silva, que, pacientemente, muitas vezes, abriram mão de suas atividades para dar espaço às cansativas pesquisas de campo, noites e fins de semanas de leituras, acreditando que o resultado conquistado compensaria todos os esforços. Aos professores, pela paciência e dedicação e principalmente por compartilharem comigo seus ricos conhecimentos. Em especial professor Wilson Reginatto Junior. Aos colegas de turma, que se fizeram presentes nos momentos mais difíceis, mostrando o valor do carinho, do companheirismo de um amigo, por todas as contribuições e dicas. Às muitas pessoas que direta ou indiretamente contribuíram para a realização desta pesquisa. A todos o meu muito obrigado.

7 RESUMO O presente trabalho foi desenvolvido com o objetivo de analisar as estratégias do composto de marketing de varejo aplicadas em supermercado de vizinhança e de como ampliar os resultados atuais da empresa de acordo com elas. A fundamentação teórica está composta de uma exposição de temas sobre o mix de varejo, mercado atual, consumidores, o próprio supermercado de vizinhança (Mercado Moser), buscando entender a importância das ferramentas de marketing neste contexto. O pequeno varejo busca cada vez mais participação no mercado atual, visando, assim, atender as expectativas do seu público alvo, que busca além de preços competitivos, qualidade e comodidade nos serviços prestados. Tem como objetivos específicos descrever as ações de varejo, empreendidas atualmente pelo Mercado Moser; identificar o perfil dos clientes atendidos pela empresa; avaliar a percepção dos clientes em relação ao conjunto de ações mercadológicas de varejo do Mercado Moser; identificar os participantes diretos do ambiente competitivo da empresa; propor ações, baseado na análise, para melhoria dos aspectos analisados. O estudo, quanto à metodologia é caracterizado como qualitativa e quantitativa através de um estudo de caso. Para o levantamento de dados utilizaram-se relatórios internos e um questionário aplicado com uma amostra não probabilística de 161 clientes. Nesta pesquisa constatou-se que existiam varias deficiências no composto de marketing e na parte operacional da empresa. Constatou-se também o perfil dos clientes do mercado, por conhecer o perfil desses consumidores pode-se entender que existem muitas ações que poderão ser mais bem trabalhadas devido ao conhecimento da necessidade de cada perfil. A partir do diagnóstico sugeriram-se ações como, otimização interna e externa, melhores promoções e ampliação do mix de produtos. PALAVRAS CHAVES: Marketing, Varejo, Supermercado de vizinhança.

8 LISTA DE FIGURAS Figura 1: Fachada do PDV do Mercado Moser...15 Figura 2: Layout padrão de hipermercado...42 Figura 3: Layout padrão do Supermercado de Vizinhança Figura 4: Layout ideal para lojas varejistas...44 Figura 5: Gôndola em forma de ilha...46 Figura 6: Gôndolas com display especial...46 Figura 7: Pontos privilegiados dentro de supermercados Sinalização e pontas de gôndolas Figura 8: Circulação adequada e a combinação de produtos coloridos nas prateleiras Figura 9: Modelo de posicionamento dos produtos na gôndola conforme a margem do produto...48 Figura 10: cinco padrões de seleção de mercado-alvo...56 Figura 11: Descrição das etapas de investigação...63 Figura 12: Display para comunicação ofertas do Mercado Moser...68 Figura 13: Layout atual do Mercado Moser...69 Figura 14: Imagens dos corredores da área de Bazar...70 Figura 15: Imagens dos corredores da área dos Enlatados...70 Figura 16: Imagens dos corredores da área das Bebidas...71 Figura 17: Imagens dos corredores da área dos Hortifruti...71 Figura 18: Imagens dos corredores da área de Higiene Figura 19: Imagens dos corredores da área de Limpeza Figura 20: Imagens dos corredores da área da Mercearia...72 Figura 21: Imagens dos corredores da área dos Embutidos e Frios...73 Figura 22: Imagens dos corredores da área de Laticínios Figura 23: Imagem dos colaboradores do Mercado Moser...75 Figura 24: Mapa da localização do Mercado Moser...76 Figura 25: Fachada do concorrente Mercado Itaipava...93 Figura 26: fachada do concorrente Mercado Vicente...95

9 LISTA DE GRÁFICOS Gráfico 1: Razões de escolha do local de compra...31 Gráfico 2: Gênero do entrevistado Gráfico 3: Estado civil do entrevistado...78 Gráfico 4: Faixa etária do entrevistado...78 Gráfico 5: Nível de instrução do entrevistado...79 Gráfico 6: Renda familiar do entrevistado...79 Gráfico 7: Distância de moradia do Mercado Moser Gráfico 8: Freqüência de visita no Mercado Moser Gráfico 9: Tempo que o cliente freqüenta o Mercado Moser...81 Gráfico 10: Freqüência de compra no Mercado Moser...81 Gráfico 11: Proporção de compras de supermercado no Mercado Moser...82 Gráfico 12: Forma de pagamento nas compras...82 Gráfico 13: Encontra o que procura no Mercado Moser...83 Gráfico 14: Produtos vendidos pelo Mercado Moser atendem as necessidades do cliente...84 Gráfico 15: Qualidade dos produtos perecíveis...84 Gráfico 16: Qualidade na variedade de produtos...85 Gráfico 17: Média de preço praticado...85 Gráfico 18: Grau de satisfação com as opções de pagamento das compras...86 Gráfico 19: Comunicação dos produtos em promoção no ambiente interno do Mercado Moser...86 Gráfico 20: Comunicação dos produtos em promoção no ambiente externo do Mercado Moser...87 Gráfico 21: Qualidade no espaço de circulação entre as gôndolas...87 Gráfico 22: Organização dos produtos na loja facilita a sua circulação...87 Gráfico 23: exposição dos produtos nas gôndolas facilita o encontro dos mesmos...88 Gráfico 24: Imagem e estrutura interna do Mercado Moser...88 Gráfico 25: Qualidade do atendimento dos funcionários...89 Gráfico 26: Qualidade do atendimento nos caixas...89 Gráfico 27: Grau de satisfação nas entregas...89

10 Gráfico 28: Qualidade do horário de funcionamento...90 Gráfico 29: Setor que precisa melhorar...90 Gráfico 30: Outros Supermercados que freqüenta...91 Gráfico 31: O que faz ser um cliente do Mercado Moser...96

11 LISTA DE QUADROS Quadro 1: Modelos de varejo sem loja Quadro 2: Principais tipos de organização no varejo corporativo Quadro 3: Formato e tipos de lojas do varejo alimentício Quadro 4: Composto varejista os 6 P s...32 Quadro 5: Perfil dos principais tipos de mídia...36 Quadro 6: Principais ferramentas de promoção para o consumidor Quadro 7: Principais ferramentas de promoção para o varejo...40 Quadro 8: Dimensões da atmosfera da loja varejista...41 Quadro 9: Itens para a escolha do ponto de venda...52 Quadro 10: Mix de produtos do Mercado Moser Quadro 11: Mark-up dos produtos do Mercado Moser Quadro 12: Concorrentes diretos do Supermercado Moser...97

12 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO Tema de pesquisa Contextualização da empresa do estágio Problema de pesquisa Justificativa de pesquisa OBJETIVOS DE PESQUISA Objetivo Geral Objetivos Específicos FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Segmentação de mercado e mercado alvo Marketing Evolução Marketing de Varejo Definição de Varejo Tipos de varejos e níveis de serviço O varejo alimentício, os supermercados e as lojas de vizinhança Composto varejista Mix de Produtos Preços Promoção Apresentação, layout e exposição de produtos: Pessoal Ponto ou Localização Ambiente competitivo METODOLOGIA DE PESQUISA Modalidades de pesquisa Campo de observação Instrumentos de coleta de dados Critérios para análise de dados Descrição das etapas da investigação RESULTADO DA PESQUISA Diagnósticos das ações de varejo empreendidas pelo Mercado Moser...64

13 5.2 Perfil dos clientes atendidos pela empresa Avaliação da percepção dos clientes em relação ao conjunto de ações mercadológicas de varejo do Mercado Moser Apresentação e descrição dos participantes diretos do ambiente competitivo da empresa Proposta de ações, baseado na análise, para melhoria dos aspectos analisados CONCLUSÃO REFERÊNCIAS APÊNDICE ANEXO...114

14 13 1 INTRODUÇÃO Seria impossível imaginar a vida contemporânea das pessoas sem a figura dos supermercados. Essa instituição de varejo faz parte do cotidiano de uma imensidade de famílias ao redor do mundo. No Brasil, o modelo de lojas do tipo pegue e pague estão presentes há praticamente seis décadas, porém sempre se reinventado. Dados da ACNilsen (1997) apud Rojo (1998) mostram que a partir da década de 70, com o I Plano Nacional de Desenvolvimento os supermercados tiveram um crescimento expressivo na distribuição de alimentos no Brasil representando 26% das vendas de gênero alimentícios. Nos anos 80 o setor supermercadista sofreu com a queda da rentabilidade, consequencia de diversos planos governamentais e inúmeras concorrências deixando assim o setor em grandes dificuldades. Nos anos 90 os supermercados passaram a buscar a tendência dos mercados qualificando o pessoal, reduzindo custos e aumentando a produtividade. O mercado passou a investir na melhoria do atendimento e aos serviços dos consumidores. Muitos supermercados implantaram melhorias baseadas nas sugestões dos clientes, outros montaram serviços de atendimento ao consumidor. O setor se expandiu e é formado atualmente por diferentes tipos de lojas, classificadas de acordo com seu formato, tamanho e localização. Tendo como exemplo os supermercados de vizinhança que procuram combinar as qualidades do hipermercado com as facilidades de uma loja de conveniência. Há também as tradicionais mercearias, encontradas em diversos bairros das grandes cidades e que vem ganhando muito espaço. Destinadas a consumidores que vivem o dia-a-dia agitado e tem a necessidade de serviços práticos e rápidos, próximos a seus lares ou trabalho. A importância do setor também se reflete em números. Segundo Morita (2008), só as lojas do setor, do tipo supermercado, tiveram crescimento, descontado a inflação, de 9% em relação a 2006, e atingiram receita de R$ 96 bilhões em Os hipermercados elevaram em 3% seus faturamentos, e atingiram vendas de R$ 40 bilhões no mesmo ano. Para a autora, o crescimento superior dos supermercados de vizinhança reflete a atual situação econômica do país, que no último ano registrou aumento no poder de compra do público das classes C e D, mercado alvo destes varejos.

15 14 Como mencionado anteriormente o setor do varejo supermercadista vem se reinventando. Esse propósito reflete a necessidade de se adaptar a dinâmica do mercado ao perfil do consumidor brasileiro. Porém, essas mudanças não impedem os varejos de vizinhança, ou seja, aqueles de um a nove checkouts de continuarem a utilizar práticas que fazem diferença, como a proximidade com o cliente e a tradicional caderneta (KAWABATA, s.a. apud MORITA, 2008). 1.1 Tema de pesquisa Seja um varejo supermercadista de formato hiper ou de vizinhança, o fato é que esses estabelecimentos comerciais têm agregado as suas ofertas valores intangíveis através dos serviços, procurando diferenciar-se para conquistar e manter seus clientes. As pessoas que estão à frente de estabelecimentos como estes devem estar atentas a como os clientes avaliam suas empresas, que deve ir além de apenas vender bens de consumo. Neste tipo de negócio, que tem o atendimento como um dos fatores principais para ser competitivo e diferenciado. No momento em que os preços entre uma loja e seu concorrente estão semelhantes, é o atendimento que poderá fazer a diferença. Deste modo, a empresa precisa colocar em prática uma gestão mais eficiente que possa lhe proporcionar um entendimento das necessidades do mercado. Essa gestão deve estar orientada para o mercado e, portanto, para o marketing. Segundo Kotler (1999, p. 155) marketing é a ciência e a arte de conquistar e manter clientes e desenvolver relacionamentos lucrativos com eles. No caso de uma organização varejista, essa ciência e arte devem estar presentes em atitudes que levem os gestores a tomarem decisões acertadas sobre, primeiramente o mercado alvo, e consequentemente para atender a este mercado, o sortimento e suprimentos de produtos, serviços e ambiente da loja, preço, promoção e localização (KOTLER, 2000). Desta forma, a organização não perde tempo buscando atingir todo tipo de cliente, algo que é impossível. Sendo assim, se identifica o mercado-alvo, a aparência do estabelecimento e se passa a ter clareza suficiente para tomar decisões com relação a preços, promoções, descontos, dentre outros.

16 15 Assim, o tema deste estudo, observará o marketing e especificamente o marketing de varejo, procurando avaliar a percepção dos clientes frente às várias decisões mercadológicas necessárias a empresas varejistas, já mencionadas no parágrafo anterior, observando especificamente um varejo supermercadista, considerado de vizinhança. 1.2 Contextualização da empresa do estágio Empresa 100% familiar, o Mercado Moser foi fundado em 1990 pelos empresários: Alexandre Moser e Júlia Westphal Moser. Seu início foi a partir de uma pequena mercearia com 32m², situada à Rua Vereador Germano Luiz Vieira, nº. 2000, no bairro Km12 - Itaipava, em Itajaí SC. Atualmente conta com uma nova estrutura em uma área de 300m². A atual fachada da empresa é apresentada na figura 1. É um ambiente agradável possuindo alguns setores como: bazar, bebidas, carnes, frios, higiene, hortifruti, laticínios, limpeza e mercearia, abrangendo uma variedade de produtos que gira em torno de 900 itens. Figura 1: Fachada do PDV do Mercado Moser Fonte: Acadêmica

17 16 Essa variedade do mix de oferta visa contemplar os vários tipos de clientes da empresa, que tanto residem nas proximidades do ponto de venda (PDV), quanto em bairros mais afastados. Diariamente, freqüentam o PDV do Mercado Moser em média 80 pessoas. No início era somente uma funcionária e atualmente conta com quatro funcionários. Esses colaboradores desempenham funções específicas como: açougueiro, operação de caixa e serviços gerais. A empresa é administrada por Julia Westphal Moser, que além de atender aos clientes, desenvolve atividades administrativas e de compras. O horário de atendimento normal do Mercado Moser é de Segunda a Sábado das 8h as 12h e, das 14h as 20h. Aos Domingos o atendimento ocorre entre as 8h e 12h. A harmonia do ambiente de trabalho é mantida graças à valorização e incentivo dispensados aos funcionários, que são vistos como verdadeiros parceiros em agradar e receber seus clientes. Tem como fornecedores principais, empresas atacadistas e distribuidoras como: Atacado Mufatão, Atacado Jorge Motter, Atacado Arcon, Atacado Joinville e Distribuidora Muller, que revendem produtos de marcas nacionais e regionais no varejo supermercadista, assim como marcas de abrangência local. Devido ao seu potencial de compra, as mesmas dificilmente são feitas diretamente com as indústrias. 1.3 Problema de pesquisa Devido ao aumento da clientela do Mercado Moser Ltda. e a falta de sistemas computacionais que possam ajudar a conhecer e entender melhor seus clientes surgiu à necessidade de saber que tipo de cliente freqüenta a empresa, e como o mesmo avalia as ações mercadológicas definidas pela mesma. É com a preocupação de dispor de maiores informações sobre as preferências e avaliações de seus clientes, que a empresa poderá tomar decisões orientadas para o mercado. Deste modo, traçadas as linhas preliminares do estudo, define-se a seguinte questão como problema de pesquisa: Como ampliar os resultados atuais do Mercado Moser, observando as decisões de marketing de varejo?

18 Justificativa de pesquisa Um trabalho de conclusão de curso dever ter sua importância justificada, tanto para o acadêmico que o desenvolve, como para a organização que possibilita a realização do mesmo. Segundo a ótica do acadêmico, associar a teoria absorvida durante o período de estudo, colocando em prática, todos estes conhecimentos e desta maneira adquirir uma visão crítica da realidade organizacional e social de uma empresa, é uma oportunidade impar. Já do ponto de vista da organização foco do estágio, principalmente tratando-se de uma empresa de pequeno porte, ter um estudo que possibilite melhor penetração na área supermercadista, analisando a percepção dos clientes em relação aos serviços prestados e a qualidade no atendimento por este estabelecimento, pode lhe dar a oportunidade de avaliar melhor suas atividades. Desta forma, identificando o perfil do consumidor e as suas necessidades diárias, dando a entender que estudos e análises desses clientes passarão a ser feita, vindo a favorecer não somente o proprietário que conhecerá melhor o seu cliente, mas o próprio cliente, que ficará ciente de que a empresa pretende investir cada vez mais no serviço e no atendimento prestado atualmente.

19 18 2 OBJETIVOS DE PESQUISA Seguindo os caminhos da realização deste trabalho, definem-se a seguir o objetivo geral e específico deste estudo. 2.1 Objetivo Geral de varejo. Ampliar os resultados atuais do Mercado Moser, observando as decisões de marketing 2.2 Objetivos Específicos Descrever as ações de varejo, empreendidas atualmente pelo Mercado Moser; Identificar o perfil dos clientes atendidos pela empresa; Avaliar a percepção dos clientes em relação ao conjunto de ações mercadológicas de varejo do Mercado Moser; Identificar os participantes diretos do ambiente competitivo da empresa; Propor ações, baseado na análise, para melhoria dos aspectos analisados.

20 19 3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Serão apresentados neste capítulo temas que embasam a pesquisa proposta como: marketing, administração, conceitos e evolução, marketing de varejo, as definições e tipos de varejo, os níveis de serviços, o varejo alimentício, os supermercados e as lojas de vizinhança, o composto varejista, o segmento de mercado, o ambiente competitivo e as decisões estratégicas de marketing de varejo. Como fontes dessas temáticas utilizaram-se autores como Allen; Alvarez; Azevedo; Berkowitz; Blessa; Boone; Borges; Camargo; Churchill; Christensen; Cobra; Duailibi; D urso; Drezner; Druker; Ferraciu; Furto; Gracioso; Gonçalves; Huskes; Keller; Kotler; Kurtz; Las Casas; Lazer; Levy; Lewison; Lima; Longaresi; Mara; Marconi; Mendonça; Minayo; Morgado; Mota; Palmer; Parente; Peter; Pomeranz; Rocha; Santos; Schommer; Serralvo; Shimp; Spohn; Todeschini;Weitz; Yin; Zenone. 3.1 Marketing administração, conceitos e evolução. Assim como nas diversas áreas compreendidas na administração, a atividade de marketing procura incorporar na gestão um conjunto de técnicas administrativas em busca de objetivos organizacionais. É claro que na administração de marketing, essas técnicas estarão focadas em atividades específicas inerentes ao tema. Segundo Kotler (1998, p. 37) o conceito de marketing assume que a chave para atingir as metas organizacionais consiste em ser mais eficaz que os concorrentes para integrar as atividades de marketing, satisfazendo, assim, as necessidades e desejos dos mercados-alvo. Porém nem sempre esse foi o propósito da atividade de marketing. Segundo Cobra (1997, p. 23) o conceito apresentado em 1965 na Ohio State University definia marketing como [...] o processo na sociedade pelo qual a estrutura da demanda para bens econômicos e serviços é antecipada ou abrangida e satisfeita através da concepção, promoção, troca e distribuição física de bens e serviços.

21 20 Seguindo uma linha de pensamento os autores colocam uma visão muito mais abrangente e mostram que o fator tempo é suficiente para que o conceito de marketing passe a sofrer alterações. Kotler (1994, p. 25) apresentava o marketing como um processo social e gerencial pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação, oferta e troca de produtos de valor com outros. O mesmo autor, (1999, p. 155) observando especificamente o marketing define-o como a ciência e a arte de conquistar e manter clientes e desenvolver relacionamentos lucrativos com eles. Ainda segundo o mesmo autor, marketing significa a atividade humana que ocorre em relação a mercados. Marketing significa trabalhar com mercados para realizar trocas potenciais para o propósito de satisfazer as necessidades e desejos humanos (KOTLER, 2000, p. 30). Observando a administração de marketing, o autor ainda cita que Marketing é o processo administrativo pelo qual os produtos são lançados adequadamente no mercado através do qual, são efetuados transferências de propriedade (KOTLER, 2001, p. 30). Esse último conceito abordado por Kotler, vem de encontro com o conceito da Associação Americana de Marketing (AMA) apresentado por Cobra (1992, p. 34), que apresenta-o baseado em relações de troca: Marketing é o processo de planejamento e execução desde a concepção, apressamento, promoção e distribuição de idéias, mercadorias e serviços para criar trocas que satisfaçam os objetivos individuais e organizacionais. Já Gracioso (1997, p. 16) descreve marketing como a planificação e execução de um conjunto de atividades comerciais, tendo como objetivo final a troca de produtos, ou serviços, entre produtores e consumidores. Semanticamente, segundo Cobra (1994, p. 56) a palavra marketing é uma expressão anglo-saxônica derivada da palavra mercari, do latim, que significa comércio, ou ato de mercar, comercializar ou transacionar. Para Las Casas (2001, p. 26): Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca, orientadas para a satisfação e desejos e necessidades dos consumidores, visando alcançar determinados objetivos de empresas ou indivíduos e considerando sempre o meio ambiente de atuação e impacto que estas relações causam no bem estar da sociedade. Observa-se, porém que os conceitos vão com o tempo tomando forma, e se arraigando mais na sociedade e que, se antigamente o que interessava era a produção massificada e

22 21 comercialização desenfreada, atualmente o que se esperam das empresas é que considerem o fator: pessoas, desejos e necessidades, como o primeiro passo para se chegar a excelência naquilo que se produz e que é repassado ao mercado consumidor, buscando com isso consolidar mercados (DRUKER, 2003). Se antes o consumidor só comprava o produto por simples características, hoje ele escolhe, de acordo com seus desejos e necessidades, e com certeza, está cada vez mais exigente Marketing Evolução Seguindo conceitos de autores renomeados no contexto mercadológico, buscou-se levantar informações apropriadas e que transmitissem uma base sólida para a execução deste projeto de pesquisa. Diante deste contexto, levantaram-se aspectos importantes inerentes às várias categorias de marketing existentes, ou melhor, as várias transformações que o conceito vem sofrendo ao longo do tempo. Já a partir de 1969, autores como Kotler, Levy, Lazer, citados por Cobra (1997) começam a enfatizar as dimensões societárias do marketing, ou seja, em que medida as empresas estão praticando marketing de forma ética e socialmente responsável, visando minimizar os conflitos entre os desejos de curto prazo do consumidor e seu bem estar em longo prazo. Assim surge o marketing societal, preocupado com outras dimensões da relação de troca, que segundo Kotler (2000, p. 47): (...) sustenta que a tarefa da organização é determinar as necessidades, os desejos e os interesses dos mercados-alvo e fornecer as satisfações desejadas mais eficaz e eficientemente do que a concorrência, de uma maneira que preserve ou melhore o bem-estar do consumidor e da sociedade. Mas antes de chegar a esta incorporação da sociedade como propósito do marketing e das empresas, outras orientações ou filosofias devem ser observadas como guias para as organizações ao longo do tempo. Ainda há quatro outras filosofias diferentes pelas qual a organização pode se orientar:

23 A orientação de produção: sustenta que os consumidores dão preferência a produtos fáceis de encontrar e de baixo custo; [...] 2 - A orientação do produto: sustenta que os consumidores dão preferência a produtos que ofereçam qualidade e desempenho superiores ou que tenham características inovadoras; 3 - A orientação de vendas: parte do principio de que os consumidores e as empresas, por vontade própria, normalmente não compram os produtos da organização em quantidade suficiente. A organização deve, portanto empreender um esforço agressivo de vendas e promoção; 4 - A orientação de marketing: sustenta que a chave para alcançar as metas organizacionais está no fato de a empresa ser mais efetiva que a concorrência na criação, entrega e comunicação de valor para o cliente de seus mercados alvos selecionados (KOTLER, 2000, p ). Paralelo a isto, Cobra (2005) descreve o marketing em três eras: A era da produção: Tempos em que não se dava importância para marketing, promoções, propagandas, tempos em que a produção era constante e o consumo desenfreado dos produtos saciava os anseios dos consumidores, independente do valor cobrado por um produto e outro. A era da venda: Nada do que passou a acontecer após a era da produção em massa, foi novidade. Produção excessiva, resultado, produtos parados e por conseqüência necessidade enorme de vendê-los o mais rápido possível. Começa a entrar em vigor daí em diante outras formas de venda, nada peculiar àqueles modos utilizados na era passada. Pessoas começam a vender produtos de porta em porta, catálogos ao estilo de nossas atuais vendas on line começaram a surgir, com forte intuito de que, daqueles formatos de venda em diante tudo se tornaria mais fácil para os produtores, vendedores e fiéis pensadores de que produzir e vender seriam métodos simples para toda a vida. Isso também se baseava em um mercado que seguiria sempre a mesma linha de raciocínio e seus hábitos seriam para sempre inalterados. A era do marketing: Forçado pela humanidade o mercado teve de se moldar e crescer para acompanhar o desenvolvimento após a crise de 1929, definitivamente o marketing teve início e se instalou de vez. A geração que teve a maior responsabilidade por toda essa mudança foi denominada de geração baby boomer, nomeada assim pelo fato de sua criação diferente. Os jovens convocados para o serviço militar, sabendo que iriam para a guerra, engravidavam suas namoradas e consequentemente mais tarde a necessidade de fraldas, comida, brinquedos fez o mercado se aquecer e se modificar para atender a demanda. Como já mencionado, além destas quatro, uma última orientação que vem se destacando é a orientação para o marketing societal. A lógica societal do marketing, leva em

24 23 consideração as mudanças verificadas nas relações sociais, evoluindo da concepção tradicional de marketing, buscando reconhecer e satisfazer desejos e necessidades dos consumidores e aos interesses da sociedade em suas tomadas de decisão. De uma disciplina de gestão empenhada em aumentar as vendas, passa a ser aplicado como ciência comportamental concebida a partir do equilíbrio entre sistemas de compra e venda, ou seja, sistemas de troca (MENDONÇA; SCHOMMER, 2000 p. 7). Enfim, de acordo com a última definição apresentada pela AMA (2008), (tradução nossa) o marketing é definido como uma função da organização e um conjunto de processos para criação, comunicação e entrega de ofertas para gerar valor para os clientes, parceiros e sociedade em geral. Envolvido, portanto, com toda a geração de valor, não apenas para a empresa, com também não só para o mercado, mas para toda a sociedade. Assim, observou-se a evolução do conceito de marketing passando por diferentes estágios onde em princípio se orienta para a produção, vendas e depois para um sentido integrado, não só das ferramentas de marketing, mas também com a sociedade. Com o passar do tempo observa-se que as práticas e ferramentas de marketing tomam um sentido abrangente podendo ser utilizadas em qualquer tipo de organização, lucrativas ou nãolucrativas, governamentais ou não-governamentais. O conceito passa a ser mais amplo, atingindo a organização como um todo como visto até aqui. Essa lógica faz com que o marketing passasse também a ser ferramenta gerencial de empresas varejistas. O marketing de varejo é abordado a seguir. 3.2 Marketing de Varejo O marketing de varejo não significa um novo ou um outro marketing, mas apenas a aplicação da ciência do marketing em função de empresas do setor varejista, compreendendo especificidades desta atividade. Para que se possa discutir o marketing de varejo é importante antes tratar de varejo até alcançar o tema principal. Neste tópico serão apresentados as definições e tipos de varejo, os níveis de serviços, o varejo alimentício, os supermercados e as lojas de vizinhança e o composto varejista.

O Varejo. Distinguir entre varejo com loja e sem loja. Definir as categorias básicas de varejistas.

O Varejo. Distinguir entre varejo com loja e sem loja. Definir as categorias básicas de varejistas. O Varejo 16 Aula 16/5/2008 Objetivos da aula Explicar como os varejistas podem contribuir para o processo de criar valor. Distinguir entre varejo com loja e sem loja. Definir as categorias básicas de varejistas.

Leia mais

Unidade I MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino

Unidade I MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino Unidade I MARKETING DE VAREJO E NEGOCIAÇÃO Profa. Cláudia Palladino O que é varejo Setor do comércio que vende diretamente para os consumidores finais. Fabricantes e atacadistas quando vendem para o consumidor

Leia mais

VAREJO. Os principais setores varejistas brasileiros são:

VAREJO. Os principais setores varejistas brasileiros são: O que é? São todas as atividades envolvidas na venda de bens ou serviços diretamente a consumidores finais para seu uso pessoal, e não empresarial. (Philip Kotler) Não importa como os produtos são vendidos

Leia mais

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Fabiano Akiyoshi Nagamatsu Everton Lansoni Astolfi Eduardo Eufrasio De

Leia mais

Canais de marketing. Trade Marketing. Trade Marketing. Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis:

Canais de marketing. Trade Marketing. Trade Marketing. Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis: Canais de marketing Prof. Ricardo Basílio ricardobmv@gmail.com Trade Marketing Trade Marketing Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis: Distribuidores; Clientes; Ponto de venda.

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «21. É falacioso falar que o marketing é filho do capitalismo e, portanto, apenas ajudaria a concentrar a renda satisfazendo necessidades supérfluas

Leia mais

Introdução ao Marketing. História do Conceito

Introdução ao Marketing. História do Conceito História do Conceito O termo marketing, de acordo com Cobra (1988, p. 34) é uma expressão anglo-saxônica derivada da palavra mercari, do latim, que significa comércio, ou ato de mercar, comercializar ou

Leia mais

Unidade II MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino

Unidade II MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino Unidade II MARKETING DE VAREJO E NEGOCIAÇÃO Profa. Cláudia Palladino Preço em varejo Preço Uma das variáveis mais impactantes em: Competitividade; Volume de vendas; Margens e Lucro; Muitas vezes é o mote

Leia mais

Empresas que atuavam fora do Brasil, começam a olhar para o nosso mercado e investem na busca de crescer a sua base de clientes, tais como:

Empresas que atuavam fora do Brasil, começam a olhar para o nosso mercado e investem na busca de crescer a sua base de clientes, tais como: TENDÊNCIAS 1. Globalização Empresas que atuavam fora do Brasil, começam a olhar para o nosso mercado e investem na busca de crescer a sua base de clientes, tais como: Grupo Casino Carrefour Wal-Mart C&A

Leia mais

EMPREENDEDORISMO Marketing

EMPREENDEDORISMO Marketing Gerenciando o Marketing EMPREENDEDORISMO Marketing De nada adianta fabricar um bom produto ou prestar um bom serviço. É preciso saber colocálo no mercado e conseguir convencer as pessoas a comprá-lo. O

Leia mais

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010 Técnicas de Secretariado Departamento Comercial e Marketing Módulo 23- Departamento Comercial e Marketing Trabalho realizado por: Tânia Leão Departamento

Leia mais

As Vendas e Prestações de Serviços

As Vendas e Prestações de Serviços Disciplina: Técnicas de Secretariado Ano lectivo: 2009/2010 Prof: Adelina Silva As Vendas e Prestações de Serviços Trabalho Realizado por: Susana Carneiro 12ºS Nº18 Marketing Marketing é a parte do processo

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

Modelo para elaboração do Plano de Negócios

Modelo para elaboração do Plano de Negócios Modelo para elaboração do Plano de Negócios 1- SUMÁRIO EXECUTIVO -Apesar de este tópico aparecer em primeiro lugar no Plano de Negócio, deverá ser escrito por último, pois constitui um resumo geral do

Leia mais

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA Há muito se discute que o mercado de farmácias é ambiente competitivo e que a atividade vem exigindo profissionalismo para a administração de seus processos, recursos e pessoal.

Leia mais

Administrando os canais de distribuição (aula 2)

Administrando os canais de distribuição (aula 2) 13 Aula 2/5/2008 Administrando os canais de distribuição (aula 2) 1 Objetivos da aula Explicar como os profissionais de marketing usam canais tradicionais e alternativos. Discutir princípios para selecionar

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Trade Marketing é confundido por algumas empresas como um conjunto de ferramentas voltadas para a promoção e a comunicação dos produtos. O

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Módulo 2 CLIENTES: DEFINIÇÕES E ENTENDIMENTOS Objetivo: Ao final desse módulo, você estará capacitado a termos, como: cliente, comprador, cliente final, consumidor,

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

INTRODUÇÃO AO TRADE MARKETING Fazendo a diferença no Ponto de Venda. www.pdvativo.com.br

INTRODUÇÃO AO TRADE MARKETING Fazendo a diferença no Ponto de Venda. www.pdvativo.com.br Fazendo a diferença no Ponto de Venda EBOOK Sumário Revisão O que é Trade Marketing? Entenda o Comportamento de Compra do Consumidor O que é Merchandising? Revisão Para entender sobre Trade Marketing devemos

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING PÓS-GRADUAÇÃO / FIB-2009 Prof. Paulo Neto O QUE É MARKETING? Marketing: palavra em inglês derivada de market que significa: mercado. Entende-se que a empresa que pratica

Leia mais

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO.

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. 1 ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. Juliana da Silva RIBEIRO 1 RESUMO: O presente trabalho enfoca as estratégias das operadoras de telefonia móvel TIM,VIVO e CLARO

Leia mais

MBA Executivo UFPE FORMATOS E MODELOS DE VAREJO

MBA Executivo UFPE FORMATOS E MODELOS DE VAREJO MBA Executivo UFPE Disciplina: Ambiente de Negócios Setembro/2011 FORMATOS E MODELOS DE VAREJO Fonte: MATTAR, Fauze Najib. Administração de Varejo. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011 Prof. Bosco Torres www.boscotorres.com.br

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Prof. Me. Dennys Eduardo Rossetto. Objetivos da Aula 1. O composto de marketing. 2. Administração do P

Leia mais

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Esta seção apresenta alguns dos problemas da gestão da cadeia de suprimentos discutidos em mais detalhes nos próximos capítulos. Estes problemas

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: 2004 2.4d_ização de

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte Março/15 A mostra o desempenho dos negócios do comércio no mês de Fevereiro/2015 e identifica a percepção dos empresários para o mês de Março/2015. Neste mês, 20,8% dos empresários conseguiram aumentar

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

Confederação Nacional do Comércio Comissão de Enquadramento e Registro Sindical do Comércio

Confederação Nacional do Comércio Comissão de Enquadramento e Registro Sindical do Comércio Confederação Nacional do Comércio Comissão de Enquadramento e Registro Sindical do Comércio Processo CERSC 1.398 Expediente DS nº 483/07 Origem: Sindicato dos Lojistas do Comércio do Município do Rio de

Leia mais

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com.

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado Análise de Mercado A análise de mercado é um dos componentes do plano de negócios que está relacionado ao marketing da organização. Ela apresenta o entendimento

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS.

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. A Rio Quality existe com o objetivo de proporcionar a total satisfação dos clientes e contribuir para o sucesso de todos. Essa integração se dá através do investimento

Leia mais

Princípios e Conceitos de Marketing. Prof. Felipe A. Pires

Princípios e Conceitos de Marketing. Prof. Felipe A. Pires Princípios e Conceitos de Marketing Prof. Felipe A. Pires O que é Marketing? É a execução de um conjunto de atividades comerciais, tendo como objetivo final a troca de produtos ou serviços entre produtores

Leia mais

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve.

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve. Balanced Scorecard BSC 1 2 A metodologia (Mapas Estratégicos e Balanced Scorecard BSC) foi criada por professores de Harvard no início da década de 90, e é amplamente difundida e aplicada com sucesso em

Leia mais

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Nada é mais perigoso do que uma idéia, quando ela é a única que temos. (Alain Emile Chartier) Neste módulo, faremos, a partir

Leia mais

A. Conceito de Trade Marketing, responsabilidades, atividades, amplitude de atuação e limites

A. Conceito de Trade Marketing, responsabilidades, atividades, amplitude de atuação e limites 5 Conclusão Trade Marketing é um termo conhecido por grande parte dos profissionais das áreas comercial e de marketing, principalmente entre as indústrias de bens de consumo. Muitas empresas já incluíram

Leia mais

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na Visão das Seguradoras: Uma análise da distribuição de seguros no Brasil Francisco Galiza Mestre em Economia (FGV), membro do Conselho Editorial da FUNENSEG, catedrático pela ANSP e sócio da empresa "Rating

Leia mais

whitepaper PRECIFICAÇÃO DINÂMICA

whitepaper PRECIFICAÇÃO DINÂMICA whitepaper PRECIFICAÇÃO DINÂMICA INTRODUÇÃO Quando se fala em precificar um produto, a primeira coisa que vem em mente é que essa é uma tarefa muito óbvia - são somados ao preço da mercadoria: os custos,

Leia mais

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções.

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções. Uma publicação: Estratégias para aumentar a rentabilidade 04 Indicadores importantes 06 Controle a produção 08 Reduza filas 09 Trabalhe com promoções 10 Conclusões 11 Introdução Dinheiro em caixa. Em qualquer

Leia mais

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico.

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. TENDÊNCIAS NO COMÉRCIO ELETRÔNICO Atualmente, muitos negócios são realizados de forma eletrônica não sendo necessário sair de casa para fazer compras

Leia mais

Módulo 12 Segmentando mercados

Módulo 12 Segmentando mercados Módulo 12 Segmentando mercados Há alguns anos que os profissionais de marketing perceberam que não se pode atender todo o mercado com um único composto de produto. Nem todos os consumidores querem um carro

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix)

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Dentro do processo de administração de marketing foi enfatizado como os profissionais dessa área identificam e definem os mercados alvo e planejam as estratégias

Leia mais

PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRA E CONFIANÇA DO CONSUMIDOR

PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRA E CONFIANÇA DO CONSUMIDOR DEZEMBRO/2010 PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRA E CONFIANÇA DO CONSUMIDOR RELATÓRIO MENSAL DA PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRA E CONFIANÇA DO CONSUMIDOR DE MANAUS, ANO 2010 - N 12 MANAUS AM 67,2% dos consumidores

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS LUIZ PAULO RONCHI FREITAS

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS LUIZ PAULO RONCHI FREITAS 0 UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS LUIZ PAULO RONCHI FREITAS AS FUNÇÕES DA CONTROLADORIA E O PERFIL DO CONTROLLER NAS EMPRESAS INTEGRANTES DOS PRINCIPAIS

Leia mais

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing Questão 01: (ENADE 2009): Um fabricante de sapatos pode usar a mesma marca em duas ou mais linhas de produtos com o objetivo de reduzir os custos de

Leia mais

DESEMPENHO RECENTE DO COMÉRCIO VAREJISTA

DESEMPENHO RECENTE DO COMÉRCIO VAREJISTA ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 - AO2 GERÊNCIA SETORIAL DE COMÉRCIO E SERVIÇOS Data: Dezembro/98 N o 20 DESEMPENHO RECENTE DO COMÉRCIO VAREJISTA O comércio é a ponta da cadeia produtiva e é o primeiro

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Metodologia de Ensino 1) Noções de Marketing 2) Marketing de Serviço 3) Marketing de Relacionamento 1 2 1) Noções de Marketing 3 4 5 6 www.lacconcursos.com.br

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

Como criar um novo negócio

Como criar um novo negócio Processos Gerenciais Profª. Silvia Cristina da Silva Okabayashi Como Criar um Novo Negócio Plano de Negócios Laboratório de Administração Tema 1 Como criar um novo negócio Como criar um novo negócio Primeiramente

Leia mais

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce).

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). A natureza global da tecnologia, a oportunidade de atingir

Leia mais

FUNDAMENTOS DE MARKETING

FUNDAMENTOS DE MARKETING FUNDAMENTOS DE MARKETING Há quatro ferramentas ou elementos primários no composto de marketing: produto, preço, (ponto de) distribuição e promoção. Esses elementos, chamados de 4Ps, devem ser combinados

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET

FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET CONCEITOS, OBJETIVOS, BENEFÍCIOS E TENDÊNCIAS Renato Schumacher

Leia mais

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR &DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR Toda comunicação publicitária visa atender a alguma necessidade de marketing da empresa. Para isso, as empresas traçam estratégias de comunicação publicitária, normalmente traduzidas

Leia mais

AULA 4 Marketing de Serviços

AULA 4 Marketing de Serviços AULA 4 Marketing de Serviços Mercado Conjunto de todos os compradores reais e potenciais de um produto ou serviço. Trata-se de um sistema amplo e complexo, que envolve: FORNECEDORES CONCORRENTES CLIENTES

Leia mais

FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA

FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA Abordagem da estratégia Análise de áreas mais específicas da administração estratégica e examina três das principais áreas funcionais das organizações: marketing,

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso:

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso: PLANO DE NEGÓCIOS Causas de Fracasso: Falta de experiência profissional Falta de competência gerencial Desconhecimento do mercado Falta de qualidade dos produtos/serviços Localização errada Dificuldades

Leia mais

1- O que é um Plano de Marketing?

1- O que é um Plano de Marketing? 1- O que é um Plano de Marketing? 2.1-1ª etapa: Planejamento Um Plano de Marketing é um documento que detalha as ações necessárias para atingir um ou mais objetivos de marketing, adaptando-se a mudanças

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

CONCEITO. O conceito BI Soluções PME foi inspirado em três premissas:

CONCEITO. O conceito BI Soluções PME foi inspirado em três premissas: Parceria com: CONCEITO O conceito BI Soluções PME foi inspirado em três premissas: Reunir empresários de um mesmo setor afim de cooperar esforços para atingir resultados maiores e melhores com mais economia.

Leia mais

PLANO DE MARKETING. Trabalho realizado por: Vera Valadeiro, nº20. TAG 4/2010 17 Valores

PLANO DE MARKETING. Trabalho realizado por: Vera Valadeiro, nº20. TAG 4/2010 17 Valores 0366 PLANO DE MARKETING Trabalho realizado por: Vera Valadeiro, nº20 TAG 4/2010 17 Valores Índice Introdução Diagnóstico Análise do Mercado Análise da Concorrência Análise da Empresa Análise SWOT Objectivos

Leia mais

Capítulo 18 - Distribuição

Capítulo 18 - Distribuição Capítulo 18 - Distribuição A escolha dos canais de distribuição é provavelmente a decisão mais complexa em marketing internacional. Em alguns mercados, o que prevalece é a concentração de grandes hipermercados

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO Odilio Sepulcri odilio@emater.pr.gov.br www.odiliosepulcri.com.br www.emater.pr.gov.br Telefone: (41) 3250-2252 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. Perfil para empreender

Leia mais

MARKETING DESENVOLVIMENTO HUMANO

MARKETING DESENVOLVIMENTO HUMANO MRKETING DESENVOLVIMENTO HUMNO MRKETING rte de conquistar e manter clientes. DESENVOLVIMENTO HUMNO É a ciência e a arte de conquistar e manter clientes e desenvolver relacionamentos lucrativos entre eles.

Leia mais

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PLANO DE NEGÓCIOS:... 2 2.1 RESUMO EXECUTIVO... 3 2.2 O PRODUTO/SERVIÇO... 3 2.3 O MERCADO... 3 2.4 CAPACIDADE EMPRESARIAL... 4 2.5

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

VENDAS DIRETAS COMO UMA FORMA DE EMPREENDER RESUMO

VENDAS DIRETAS COMO UMA FORMA DE EMPREENDER RESUMO 146 VENDAS DIRETAS COMO UMA FORMA DE EMPREENDER Carolina Guimarães de Souza Eliane Vargas de Campos RESUMO O presente artigo tem como objetivo conhecer o processo de Vendas Diretas, suas principais características

Leia mais

Gestão de. O que é Marketing? Steven Albuquerque. Steven Albuquerque DISCIPLINA. Conceituação de Marketing. Conceituação de Marketing 15/02/2016

Gestão de. O que é Marketing? Steven Albuquerque. Steven Albuquerque DISCIPLINA. Conceituação de Marketing. Conceituação de Marketing 15/02/2016 2 Gestão de Mestre em Administração Univ. Federal de Pernambuco - UFPE Master em International Business Universidad de Barcelona MBA em Estratégico Univ. Federal de Pernambuco - UFPE Administrador Univ.

Leia mais

Marketing Estratégico no Agronegócio Brasileiro

Marketing Estratégico no Agronegócio Brasileiro Marketing Estratégico no Agronegócio Brasileiro Prof. Adriano Alves Fernandes DCAB - Departamento de Ciências Agrárias e Biológicas CEUNES - Universidade Federal do Espírito Santo 1- Introdução Uma grande

Leia mais

Marketing e Comunicação Cláudio Pessanha

Marketing e Comunicação Cláudio Pessanha Marketing e Comunicação Cláudio Pessanha Vamos Discutir... Um produto fala? Mesmo sendo esse produto um chinelo? Leiam o texto abaixo e falem comigo. Um produto tem o poder de falar por si só? E de que

Leia mais

MERCADOLOGIA 2º ANO DE ADMINISTRAÇÃO FARN 2009.1. sc. Prof. Franklin Marcolino de Souza, M.sc. Slide 01

MERCADOLOGIA 2º ANO DE ADMINISTRAÇÃO FARN 2009.1. sc. Prof. Franklin Marcolino de Souza, M.sc. Slide 01 MERCADOLOGIA 2º ANO DE ADMINISTRAÇÃO FARN 2009.1 Prof. Franklin Marcolino de Souza, M.sc sc. Slide 01 O QUE O MARKETING NÃO É? MARKETING NÃO É PROPAGANDA. MARKETING NÃO É VENDAS. MARKETING NÃO É MERAMENTE

Leia mais

Gestão estratégica dos custos para formação do preço de venda: Um estudo de caso em um supermercado de médio porte

Gestão estratégica dos custos para formação do preço de venda: Um estudo de caso em um supermercado de médio porte Gestão estratégica dos custos para formação do preço de venda: Um estudo de caso em um supermercado de médio porte Sergio Silva Braga Junior Edgard Monforte Merlo Silvio Mandarano Scarsiotta Samuel Stabile

Leia mais

Marketing Visão 360º. O nosso objetivo é ter uma visão ampla dos temas de Marketing, abordando os seguintes tópicos.

Marketing Visão 360º. O nosso objetivo é ter uma visão ampla dos temas de Marketing, abordando os seguintes tópicos. Marketing Visão 360º O Mundo do Marketing em parceria com a TNS Research International está realizando pesquisas mensais com profissionais da área de marketing para investigar temas relacionados ao dia-a-dia

Leia mais

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR KOTLER, 2006 AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR. OS CANAIS AFETAM TODAS AS OUTRAS DECISÕES DE MARKETING Desenhando a estratégia

Leia mais

FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES Uma nova abordagem

FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES Uma nova abordagem ICPG Instituto Catarinense de Pós-Graduação www.icpg.com.br 1 FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES Uma nova abordagem Carlos de Andrade Giancarlo Moser Professor de Metodologia da Pesquisa Curso de Pós-Graduação em

Leia mais

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO E SUSTENTABILIDADE Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações

Leia mais

Como criar um novo negócio

Como criar um novo negócio Processos Gerenciais Profª. Silvia Cristina da Silva Okabayashi Como Criar um Novo Negócio Plano de Negócios Laboratório de Administração Tema 1 Como criar um novo negócio Como criar um novo negócio Primeiramente

Leia mais

PESQUISA DE MARKETING

PESQUISA DE MARKETING PESQUISA DE MARKETING CONCEITOS É a busca de informação, a investigação do fenômeno que ocorre no processo de transferência de bens ao consumidor Trata da coleta de qualquer tipo de dados que possam ser

Leia mais

DICAS DE COMO PARTICIPAR DE FEIRAS

DICAS DE COMO PARTICIPAR DE FEIRAS DICAS DE COMO PARTICIPAR DE FEIRAS VITÓRIA 2004 Dicas de como participar de feiras Introdução As feiras são eventos ricos em oportunidades de negócios. São ambientes privilegiados para o incremento das

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

Marketing Turístico e Hoteleiro

Marketing Turístico e Hoteleiro 1 CAPÍTULO I Introdução ao Marketing Introdução ao Estudo do Marketing Capítulo I 1) INTRODUÇÃO AO MARKETING Sumário Conceito e Importância do marketing A evolução do conceito de marketing Ética e Responsabilidade

Leia mais

5.500 postos de serviço

5.500 postos de serviço 5.500 postos de serviço Em 2009, a Ipiranga manteve sua trajetória de expansão acelerada da escala, com a aquisição das operações da rede de distribuição de combustíveis da Texaco no Brasil e investimentos

Leia mais

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO PONTA GROSSA

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO PONTA GROSSA FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO ANÁLISE CONJUNTURAL DO MÊS DE JANEIRO DE 2014 PONTA GROSSA Este relatório, referente ao mês de Janeiro de 2014, da Pesquisa Conjuntural

Leia mais

Plano de Direcionamento. Conhecimento de Mercado

Plano de Direcionamento. Conhecimento de Mercado Plano de Direcionamento Conhecimento de Mercado Conhecimento de Mercado É necessário conhecer o mercado para que sejam desenvolvidos produtos que atendam as necessidades e expectativas dos clientes. Segmentação

Leia mais

Visão Geral dos Sistemas de Informação

Visão Geral dos Sistemas de Informação Visão Geral dos Sistemas de Informação Existem muitos tipos de sistemas de informação no mundo real. Todos eles utilizam recursos de hardware, software, rede e pessoas para transformar os recursos de dados

Leia mais

Plano de Marketing. Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing

Plano de Marketing. Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing Plano de Marketing Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing 1 Plano de Marketing É o resultado de um processo de planejamento. Define o quevai ser vendido, por quanto,

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Prof. Milton Henrique mcouto@catolica-es.edu.br

Prof. Milton Henrique mcouto@catolica-es.edu.br Prof. Milton Henrique mcouto@catolica-es.edu.br Qual é o seu Negócio? Hoje em dia existe um excesso de: empresas similares, empregando pessoas similares, que tiveram educações similares, exercendo funções

Leia mais