A relação entre os canais de atendimento e a satisfação dos clientes: estudo de caso na agência alfa em São Bento do Una - PE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A relação entre os canais de atendimento e a satisfação dos clientes: estudo de caso na agência alfa em São Bento do Una - PE"

Transcrição

1 A relação entre os canais de atendimento e a satisfação dos clientes: estudo de caso na agência alfa em São Bento do Una - PE Lucyanno Moreira Cardoso de Holanda (FAVIP/UNESC) Thayanne Naelly Pontes dos Santos (FAVIP) Resumo: A presente pesquisa tem como objetivo identificar quais atributos exerce influência nos canais de atendimento em relação aos níveis de satisfação dos clientes, pessoa física, da agência Alfa em São Bento do Una PE. Os canais analisados foram o atendimento pessoal, caixa eletrônico e home banking. Para consecução dos objetivos do trabalho utilizou-se como ferramenta metodológica o estudo de caso, já a coleta das informações aconteceu através do questionário. Os resultados apontam que o caixa eletrônico é o canal favorito (60%). Palavras chave: canais de atendimento, atendimento, satisfação. The relationship between the channels of service and satisfaction customer: a case study in the agency alpha in Sao Bento do Una - PE Abstract The present research objectifies to attributes which influence the service channels in relation to levels of customer satisfaction, individual, agency Alfa in Sao Bento do Una - PE. The channels were analyzed to personal service, ATMs and home banking. For that, it was used a case study and data collection performed by application of the questionnaire. The results shows that the ATM is the favorite channel (60%). Key-words: service channels, assistance, satisfaction. 1 Introdução O atual setor bancário vem sofrendo grandes impactos em termos de concorrência, passando a ter como diferencial os serviços diferenciados. Muitos bancos têm direcionado cada vez mais investimentos em tecnologias, procurando atender de forma satisfatória seus clientes através de diversos canais de atendimento: atendimento pessoal, autoatendimento por meio do home banking e caixas eletrônicos. Pesquisas foram realizadas procurando identificar as necessidades dos clientes a fim de auxiliar para que o atendimento seja satisfatório, conquistando a lealdade e melhorando a qualidade do serviço.

2 O pressuposto principal é que clientes satisfeitos nos canais de atendimento são os que pretendem continuar seu relacionamento com a instituição. Aumentando a sua satisfação, este tende a aumentar seus negócios e investimentos com o banco, gerando rentabilidade para a instituição. (FIEBIG e FREITAS, 2011) O principal desafio é atender e superar a expectativa dos clientes, para isso é necessário identificar atributos que são relevantes na avaliação dos clientes nos canais de atendimento, atributos como: tempo de espera, agilidade no serviço, cordialidade, praticidade, facilidade no atendimento, divulgação e clareza das informações, segurança nas operações e entre outros atributos. Para esta pesquisa, a população são os clientes, pessoa física, da agência Alfa de São Bento do Una - PE, e os canais avaliados: atendimento pessoal, internet banking e caixa eletrônico. A pesquisa foi desenvolvida em duas etapas, a primeira fase foi qualitativa, que identificou atributos pelos quais os clientes avaliam a satisfação dos canais de atendimento, a segunda fase foi através de uma pesquisa quantitativa onde foi avaliado por meio de um questionário o nível de satisfação dos clientes do Banco Alfa em relação a seus canais de atendimento. Diante do contexto inicial formula-se a seguinte questão: Quais atributos exercem influência nos canais de atendimento em relação aos níveis de satisfação dos clientes, pessoa física, da agência Alfa em São Bento do Una - PE? Além do problema geral, foram atribuídos os seguintes problemas secundários: analisar a relação entre os canais de atendimento e o grau de satisfação dos clientes; avaliar o nível fidelização dos clientes em relação aos atributos dos canais de atendimento; determinar quais consequências de uma possível ausência de atributos, preferidos pelos clientes, podem afetar a competitividade da agência Alfa. Além desta parte introdutória, o artigo aborda no seu referencial teórico os principais conceitos de marketing, e marketing de serviço. Em seguida, são explicitados os procedimentos metodológicos, depois a apresentação e análise dos resultados obtidos, seguido das considerações finais. 2 Fundamentação teórica 2.1 Marketing Para Cobra (2003, p.14), a expressão anglo-saxônica marketing, é derivada do latim mercare que definia o ato de comercializar produtos na antiga Roma. Nessa época essa atividade era considerada desnecessária, já que existia uma grande demanda e tudo que se produzia era vendido. Ainda segundo autor a expressão se desenvolve no coração do capitalismo, Estado Unidos da America (EUA) na década de No Brasil esse conceito foi instituído somente no ano de 1954, pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da Fundação Getulio Vargas. O conceito de marketing é geralmente confundido, pelas pessoas, com vendas e propaganda (KOTLER e ARMSTRONG, 2007, p. 02), porém ele é mais completo e seus efeitos, muito mais potentes do que se imagina (FIEBIG e FREITAS, 2011, p.745). O professor Theodore Levitt, de Harvard, estabeleceu um contraste claro entre os conceitos de vendas e marketing (KOTLER, 1998, p.37). A venda focaliza-se nas necessidades do vendedor; marketing nas necessidades do comprador. A venda está preocupada com a necessidade do vendedor transformar seu produto em dinheiro; marketing com a ideia de satisfazer às necessidades do

3 consumidor por meio do produto e de um conjunto de valores associados com a criação, entrega e finalmente, seu consumo (KOTLER, 1998, p.37). Com o objetivo de esclarecer o conceito de marketing, o quadro um aborda alguns estudiosos sobre o tema. Autor Quadro 1: conceitos sobre marketing Conceito Peter Drucker (1954). Uma força poderosa a ser considerada pelos administradores. Ohio State University (1965). O Processo na sociedade pelo qual a estrutura da demanda para bens econômicos e serviços é antecipada ou abrangida e satisfeita através da concepção, promoção, troca e distribuição física de bens e serviços. American Marketing Association AMA (apud KOTLER, KARTAJAYA e SETIAWAN, 2010, p. 18). Marketing é a atividade, conjunto de instituições e processos para criar, comunicar, oferecer e trocar ofertas que tenham valor para consumidores, clientes, parceiros e para a sociedade como um todo. Las Casas (2006, p.10). Engloba todas as atividades concernentes às relações de troca, orientadas para a satisfação dos desejos e necessidades dos consumidores visando alcançar determinados objetivos de empresas ou indivíduos e considerando sempre o ambiente de atuação e o impacto que essas relações causam no bem estar da sociedade. Kotler (2000). Marketing é o processo por meio do qual pessoas e grupos de pessoas obtêm aquilo de que necessitam e que desejam com a criação, oferta e livre negociação de produtos e serviços de valor com outros. Kotler e Armstrong (2003, p.3). Marketing como um processo administrativo e social pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e desejam, por meio da criação, oferta e troca de produtos e valor com os outros. Fonte: adaptado de Las Casas (2006, p.10) e atualizado pelo autor A partir das definições pode-se entender que não existe um concenso entre os autores sobre o conceito, porém é possivel observar que marketing relaciona com atividade de troca, com objetivo de atender as necessidades e desejos dos clientes. Como é possivel observar nos conceitos de marketing apresentados, que a satisfação dos clientes é tratada como atributo principal para o crescimento organizacional (foco deste estudo). Ainda segundo Kotler (2000) já não basta simpesmente satisfazer clientes, é preciso encantá-los. Diante do contexto inicial, o próximo tópico abordará a marketing de serviço. 2.2 Marketing de serviço Quando se fala em marketing de serviço é importante a principio entender as características dos serviços para então aplicá-las as ferramentas de marketing.

4 Kotler (1998 p.412) qualquer ato ou desempenho que uma parte possa oferecer à outra e que seja essencialmente intangível e não resulte na propriedade de nada. Sua produção pode ou não estar vinculada a um produto físico. Associação Americana de Marketing (apud Las Casas, 2006, p.285) aquelas atividades, vantagens, ou mesmo satisfações que são oferecidas a venda ou que são proporcionadas em conexão com a venda de mercadorias. A partir da definição é possível perceber que o serviço apresenta como característica principal, a intangibilidade. Um serviço é considerado intangível pelo fato de não poder ser visto, nem tocado, podendo apenas ser consumido, produzido; inseparabilidade por não ter como existir uma separação entre a produção; variabilidade por possuírem resultados diferenciados, dependendo de quem e como são executados; são considerados perecíveis, pois estes não podem ser estocados e só podem ser produzidos de acordo com a demanda (KOTLER, 1998). Além da intangibilidade, Kotler e Armstrong (2007, p. 217), acrescenta mais três características aos serviços, que são: inseparabilidade, variabilidade e perecibilidade, conforme figura dois. Figura 1: Quatro características dos serviços Fonte: Kotler e Armstrong (2007, p. 217) Ainda segundo o autor, os serviços podem ser classificados em duas maneiras: Serviços baseados em equipamentos: são aqueles automatizados; Serviços baseados em pessoas: são os que variam conforme são proporcionados por mão de obra. Apresentado os conceitos e características dos serviços torna-se necessário entender o marketing para esse setor. Para Las Casas (2006) na abordagem de mercado não existem diferenças entre o marketing de bens e serviços. Porém, o autor faz uma ressalva e afirma que as diferenças principais estão na própria elaboração tática do composto de marketing. Na elaboração do produto, do preço, da

5 distribuição e da promoção. E acrescenta que o composto de marketing para serviço tem oito pés, conforme a Figura dois. Figura 2: Composto de serviço (oito pês) Fonte: Las Casas (2006, p.287) Kotler e Armstrong (2007), também apresentam diferenças para o marketing de serviço, os autores afirmam que há a necessidade de se fazer uso de abordagens diferentes de marketing. Para os autores, o marketing de serviços requer, além de marketing interno, marketing externo e marketing interativo: Marketing interno: significa que a empresa prestadora de serviços deve proporcionar orientação e motivação efetivas aos funcionários que entram em contato com os clientes, como também a todo pessoal de serviços de apoio, possibilitando que o trabalho em equipe forneça satisfação aos clientes. Marketing externo: significa que uma empresa, por meio de suas ações gera promessas a seus clientes, levando em conta quais expectativas eles podem ter e como as mesmas serão atendidas; logo é responsável pelas tarefas relacionadas à geração de promessas para os consumidores de serviços. Compreende as tradicionais tarefas desempenhadas por profissionais especialistas em marketing. Marketing interativo: significa que a qualidade dos serviços prestados é dependente da qualidade da interação estabelecida entre o comprador e o vendedor, durante sua execução. O domínio deste tipo de marketing é essencial para quem comercializa serviços (KOTLER; ARMSTRONG, 2007, p. 218). A figura quatro apresenta o pensamento de Kotler e Armstrong (2007, p.218) Figura 3: Os três tipos de marketing para o setor de serviço Fonte: Kotler e Armstrong (2007, p. 218)

6 Para o marketing externo, as organizações prestadoras de serviços (como bancos, objeto deste estudo), devem tomar medidas para garantir a satisfação de clientes como investir em um sistema onde o consumidor possa opinar em relação aos serviços prestados, com intuito de logo que detectada as deficiências possam ser rapidamente corrigidas antes que possam gerar um maior desconforto na relação cliente e organização. Quando os clientes reclamam, dão à empresa a oportunidade de corrigir o problema e, curiosamente, se a empresa é bem-sucedida na recuperação, pode aumentar a lealdade e os lucros, criando um fenômeno conhecido na literatura de marketing de serviços como o paradoxo da recuperação do serviço. (SMITH e BOLTON, 1998 apud ZACHARIAS,FIGUEIREDO, ALMEIDA,2008). A partir das reclamações apresentadas pelos clientes, inicia-se a um novo relacionamento entre cliente e banco. 3. Procedimentos Metodológicos 3.1 Método Científico Nessa pesquisa foi utilizado o método indutivo. Lakatos e Marconi (2001, p.86), afirmam que esse método como um processo mental por intermédio do qual, partindo de dados particulares, suficientemente constatados, infere-se uma verdade geral ou universal não contida nas partes examinadas. Os resultados obtidos na agência do Banco alfa, São Bento do Uma PE podem ser generalizados para outros clientes do mesmo banco ou para outras instituições financeiras. 3.2 Classificação da pesquisa A pesquisa pode ser classificada como aplicada, qualitativa e quantitativa, descritiva e estudo de caso Quanto à natureza: Aplicada. A pesquisa aplicada tem por objetivo gerar conhecimentos para aplicação prática dirigida à solução de problemas específicos. Envolve verdades e interesses locais (SILVA e MENEZES, 2001 p.20). Os novos conhecimentos provenientes da pesquisa poderão nortear os gestores para ações relacionadas com as preferências dos clientes nos canais de atendimento Quanto à forma de abordagem do problema: Qualitativa e Quantitativa Segundo Patton (1990) numa pesquisa podem-se coletar dados qualitativos como quantitativos. O uso da abordagem qualitativa nessa pesquisa permite analisar quais atributos exercem maiores influencia na satisfação dos clientes. Já a pesquisa quantitativa permitiu o uso de ferramentas estatísticas para relacionar as variáveis pesquisadas Quanto aos objetivos: Descritiva. A pesquisa descritiva visa descrever as características de determinada população ou fenômeno ou o estabelecimento de relações entre variáveis (GIL, 2002 p.21). Neste sentido, a pesquisa descritiva apresenta quais são os atributos preferidos nos canais de atendimento através das variáveis pesquisadas Quanto aos procedimentos técnicos: Estudo de caso Silva e Menezes (2001, p. 21) afirmam que o estudo de caso envolve o estudo profundo e exaustivo de um ou poucos objetos, de maneira que se permita o seu amplo e detalhado conhecimento. Já que nesse trabalho a intenção é conhecer detalhadamente quais atributos nos

7 canais de atendimentos geram maior satisfação do cliente na agencia alfa de São Bento do Una PE, considerou-se o estudo de caso o mais indicado. 3.3 População e amostra População (ou universo da pesquisa) é a totalidade de indivíduos que possuem as mesmas características definidas para um determinado estudo (SILVA; MENEZES, 2001 p. 32). Diante do conceito exposto, a população desse estudo compreendem todos os clientes pessoa física com movimentação ativa, sendo estes (1700) mil e setecentos clientes. Ainda segundo os mesmos autores, a amostra é parte da população ou do universo, selecionada de acordo com uma regra ou plano. Portanto, nesse estudo a amostra é considerada não probabilística e aconteceu por acessibilidade (compostas por acaso, com pessoas que vão aparecendo) compreendendo cento e cinco (105) respondentes. 3.4 Instrumentos de coleta de dados Para esse estudo foi escolhido como instrumento de coleta de dados o questionário. De acordo com Silva e Menezes, (2001, p.33), o questionário é uma série ordenada de perguntas que devem ser respondidas por escrito pelo informante. Ainda segundo os autores, o questionário deve ser objetivo, limitado em extensão e estar acompanhado de instruções As instruções deve esclarecer o propósito de sua aplicação, ressaltar a importância da colaboração do informante e facilitar o preenchimento. O questionário utilizado na pesquisa foi desenvolvido por Fiebig e Freitas (2011) e adaptado para ser aplicado na agência alfa. As questões utilizadas no questionário fechadas. Elas foram agrupadas por canal de atendimento (atendimento pessoal, caixa eletrônico e atendimento pela internet home banking). Para essas questões utilizou-se a escala Likert com escala de um (1) a cinco (5), solicitando-se aos respondentes que indicassem seu grau de satisfação com o atributo apresentado. Quanto maior o número atribuído pelo entrevistado ao atributo, maior o seu grau de satisfação. 3.5 Tratamento dos dados Como já mencionado, a coleta de dados aconteceu através da aplicação do questionário. Após a coleta, partiu-se para a sua tabulação e análise. Os dados foram reunidos em gráficos, estes foram gerados através do programa Microsoft Excel, versão A análise dos atributos aconteceu sem auxilio de ferramentas estatísticas, esta foi realizada através de porcentagem. 4. Resultados As informações contidas nesse capítulo foram obtidas através de questionários aplicados com clientes, pessoa física, do banco alfa, localizado em são bento do Una PE. Conforme explicitado anteriormente os respondentes não precisaram se identificar. 4.1 Grau de preferência dos canais de atendimentos O Gráfico um expõe o nível de satisfação atribuída aos canais de atendimentos.

8 Gráfico 1: Grau de preferência nos canais de atendimento Fonte: pesquisa de campo, Percebe-se que os clientes estão mais satisfeitos com o atendimento nos caixas eletrônicos (60%), seguido, respectivamente, pelo atendimento pessoal e internet banking. O resultado pode indicar que as pessoas já se acostumaram a utilizar os serviços bancários eletrônicos. Também é possível inferir que quanto maior o grau de escolaridade das pessoas mais facilidade elas terão para manusear os meios eletrônicos. Esse resultado contraria com o trabalho de Fiebig e Freitas (2011), onde os clientes, pessoa física, do banco Banrisu, cidade de Dois Irmãos-RS, optaram pelo canal Atendimento Pessoal. Os tópicos 4.2, 4.3 e 4.4 avaliam os canais de atendimento separadamente. Também serão investigados quais são os atributos mais preferidos pelos clientes e as consequências dos menos preferidos para cada canal. 4.2 Caixa Eletrônico Os caixas eletrônicos apresentaram-se como o canal de atendimento mais preferido, conforme se evidenciou no Gráfico 1.

9 Verificou-se que os melhores atributos avaliados são: Quantidade de serviços disponíveis nos caixas eletrônicos (79% satisfeito e 6% muito satisfeito); orientação de atendentes sobre o uso dos caixas eletrônicos (73% satisfeito e 15% muito satisfeito) e rapidez com que as transações são efetuadas (73% satisfeito e 5% muito satisfeito). É possível inferir, através da amostra pesquisada, que a quantidade de serviços disponíveis, pessoas capacitadas orientando o uso e a rapidez nas transações nos caixas eletrônicos são atributos necessários para elevar o nível de satisfação dos clientes. Já os atributos com as piores avaliações se refere ao horário em que os caixas eletrônicos são disponibilizados para uso (44% insatisfeito e 15% muito insatisfeito) e limites de valores para efetuar as operações (35% insatisfeito e 17% muito insatisfeito).

10 Para esses resultados, pode-se deduzir que melhorias em relação a horários e limites de valores elevariam significativamente a satisfação dos clientes. 4.3 Atendimento pessoal Conforme se confirmou no Gráfico 1, o atendimento pessoal aparece como o segundo canal de atendimento favorito dos clientes. A satisfação atribuída pelos clientes revelou os principais atributos que são: recebimento de orientações/informações corretas (76% satisfeito e 12% muito satisfeito); conhecimento dos funcionários sobre os produtos/serviços (71% satisfeito e 18% muito satisfeito) e interesse dos funcionários em propor alternativas para sua necessidade (58% Satisfeito e 10% muito satisfeito).

11 Diante das informações do parágrafo anterior, é possível afirmar que os funcionários da agência alfa receberam capacitação para exercer suas funções e são comprometidos em prestar um bom atendimento. As piores avaliações, nesse canal de atendimento, se referem ao tempo de espera para ser atendido (32% insatisfeito e 26% muito insatisfeito) e agilidade e rapidez dos funcionários para iniciar o atendimento (24% insatisfeito e 8% muito insatisfeito). Em relação aos piores resultados, pode-se inferir que reduzir a burocracia e contratar funcionários ajudará a reduzir o tempo de espera e agilizará o inicio do atendimento, elevando significativamente a satisfação dos clientes. 4.3 Internet Banking Utilizando novamente do Gráfico 1, nota-se que o canal internet banking é o menos preferido dentre os três canais pesquisados.

12 Para esses atributos é importante observar que boa parte dos clientes da agência alfa não sabe opinar, por não fazer o uso desse canal de atendimento (entre 36% e 42%). Esse fato pode estar atrelado ao desconhecimento do cliente para com o canal de atendimento virtual, dificuldade no acesso a internet, e/ou medo de fazer transações no canal virtual. Para os clientes que fazem o uso, eles afirmaram, através das respostas, que estão mais satisfeitos com os atributos possibilidade de atender suas necessidades sem solicitar ajuda (50% satisfeito e 4% muito satisfeito); divulgação de informações sobre a forma de acessar as informações/transações no internet banking (49% satisfeito e 6% muito satisfeito) e clareza nas informações disponibilizadas no site do banco (48% satisfeito e 3% muito satisfeito). A partir das informações acima, os clientes estão satisfeito nesse canal de atendimento, graças à autonomia e comodidade. Eles não precisam enfrentar trânsito e nem se deslocar até a agência alfa para resolver seus problemas. Para os atributos que precisam melhorar, os clientes (que usam esse canal) classificaram como os piores: segurança em relação às operações e informações pessoais fornecidas (10% insatisfeito e 1% muito insatisfeito); facilidade de encontrar informações sobre produtos e serviços do banco no site (6% insatisfeito e 1% muito insatisfeito) e limites de valores para efetuar as operações (6% insatisfeito e % muito insatisfeito). Os piores resultados refletem problemas como segurança, informações de localização dos produtos e serviço no portal, e limites de valores para efetuar as operações. Um resultado que chama atenção é a preocupação das pessoas com a segurança nas operações virtuais, em decorrência das fraudes existentes, ao mesmo tempo, elas se sentem insatisfeitas por algum tipo de limitação monetária imposta pelo banco. 5. Considerações Finais O objetivo geral do presente trabalho foi Identificar os atributos que exercem influencia nos canais de atendimento em relação aos níveis de satisfação dos clientes, pessoa física, da agência Alfa em São Bento do Una-PE. Para atingir o objetivo geral foram definidos os seguintes objetivos específicos: Analisar a intensidade da relação entre os canais de atendimento e o grau de satisfação dos clientes; Avaliar o nível fidelização dos clientes em relação aos atributos dos canais de atendimento e; Determinar quais consequências de uma possível ausência de atributos, preferidos pelos clientes, podem afetar a competitividade da agência Alfa. Através da aplicação do questionário e com a análise das respostas dos clientes, pessoa física, da agência alfa foi possível alcançar o objetivo geral e os específicos. O canal de atendimento preferido pelos clientes da agência alfa é o caixa eletrônico, seguido pelo atendimento pessoal e home banking. Diante do explicitado, é possível inferir que, com a aplicação do estudo na agência alfa, ajudou ainda mais a fortalecer a relação entre os conceitos de níveis de satisfação e canais de atendimento. A principal limitação encontrada no estudo foi à dificuldade dos clientes ao responderem o questionário. Eles sempre chegam ao banco para resolver problemas e necessitam retornar o mais rápido a suas atividades, e vários deles não quiseram responder em decorrência da falta de tempo, o que restringiu a amostra. Deve-se destacar que os conceitos apresentados são de relevante importância para se entender as relações dos canais de atendimento e a satisfação dos clientes. No entanto, as teorizações e evidências apresentadas não têm a pretensão de ser tornar uma teoria definitiva e sim visam estimular o debate e a crítica junto à comunidade acadêmica.

13 REFERÊNCIAS FIEBIG, E. A.; FREITAS, E. C. Canais de atendimento, satisfação e lucratividade de clientes em serviços: um caso bancário. Revista eletrônica de Administração, Porto Alegre. Ed. 70. Nº 3. Setembro/Dezembro, p , GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.Ed. São Paulo: Atlas, KOTLER, Philip. Administração de marketing. 10. Ed. São Paulo: Pearson, KOTLER, Philip. Administração de marketing: analise, implantação e controle. 4ª Ed. São Paulo: Atlas, KOTLER, Philip. ARMSTRONG, Gary. Princípios de marketing. 12 Ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, LAS CASAS, Alexandre L. Administração de marketing: conceitos, planejamentos e aplicações à realidade brasileira. São Paulo: Atlas, LAS CASAS, Alexandre Luzzi. Marketing de Serviços. 4ª edição. São Paulo: Atlas, 2006 LAKATOS, E.; MARCONI, M. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas, PATTON, M. Q. Qualitative evaluation and research methods. 2. ed. Sage: Newbury. Park, SILVA, E. L. da; MENEZES, E. M. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 3. Ed. Florianópolis: Laboratório de Ensino à Distância da Universidade Federal de Santa Catarina, ZACHARIAS, Maria, L. B. Determinantes de satisfação dos clientes com serviços bancário, RAE eletrônica, 2008.

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG 1 OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG Camila Alves Teles 1 Maria Solange dos Santos 2 Rodrigo Honório Silva 3 Romenique José Avelar 4 Myriam Angélica Dornelas 5 RESUMO O presente

Leia mais

Satisfação dos consumidores: estudo de caso em um supermercado de Bambuí/MG

Satisfação dos consumidores: estudo de caso em um supermercado de Bambuí/MG Satisfação dos consumidores: estudo de caso em um supermercado de Bambuí/MG Ana Clara Rosado Silva (1) ; Daiane Oliveira Borges (2) ; Tatiana Morais Leite (3) ; Vanessa Oliveira Couto (4) ; Patrícia Carvalho

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA 1 TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA Alan Nogueira de Carvalho 1 Sônia Sousa Almeida Rodrigues 2 Resumo Diversas entidades possuem necessidades e interesses de negociações em vendas, e através desses

Leia mais

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Bruna Jheynice Silva Rodrigues 1 ; Lauriene Teixeira Santos 2 ; Augusto Chaves Martins 3 ; Afonso Régis Sabino

Leia mais

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Metodologia de Ensino 1) Noções de Marketing 2) Marketing de Serviço 3) Marketing de Relacionamento 1 2 1) Noções de Marketing 3 4 5 6 www.lacconcursos.com.br

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

Análise da qualidade de vida no trabalho em uma empresa prestadora de serviços de fotocópias e serviços diversos no município de Bambuí/MG

Análise da qualidade de vida no trabalho em uma empresa prestadora de serviços de fotocópias e serviços diversos no município de Bambuí/MG Análise da qualidade de vida no trabalho em uma empresa prestadora de serviços de fotocópias e serviços diversos no município de Bambuí/MG Kamyla Espíndola Gibram REIS 1 ; Estefânia Paula da SILVA 2 ;

Leia mais

Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM

Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM Fábio Pires 1, Wyllian Fressatti 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil pires_fabin@hotmail.com wyllian@unipar.br RESUMO. O projeto destaca-se

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO MARKETING (PROPAGANDA E PUBLICIDADE) EM PERÍODOS DE CRISE:

A IMPORTÂNCIA DO MARKETING (PROPAGANDA E PUBLICIDADE) EM PERÍODOS DE CRISE: A IMPORTÂNCIA DO MARKETING (PROPAGANDA E PUBLICIDADE) EM PERÍODOS DE CRISE: um caso de sucesso na empresa Jota Print Comunicação Visual na cidade de Muritiba Bahia Jamylle Carvalho Cardoso Correia 1 Jorge

Leia mais

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Ana Carolina Trindade e-mail: carolinatrindade93@hotmail.com Karen

Leia mais

Item 2- Marketing. Atendimento

Item 2- Marketing. Atendimento Item 2- Marketing Atendimento Item 2- Marketing Atendimento Processo usado para determinar quais produtos ou serviços poderão interessar aos consumidores e qual a melhor estratégia a ser utilizada nas

Leia mais

Introdução ao Marketing. História do Conceito

Introdução ao Marketing. História do Conceito História do Conceito O termo marketing, de acordo com Cobra (1988, p. 34) é uma expressão anglo-saxônica derivada da palavra mercari, do latim, que significa comércio, ou ato de mercar, comercializar ou

Leia mais

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki Martins 2,Gerliane

Leia mais

Prof: Carlos Alberto

Prof: Carlos Alberto AULA 1 Marketing Prof: Carlos Alberto Bacharel em Administração Bacharel em Comunicação Social Jornalismo Tecnólogo em Gestão Financeira MBA em Gestão de Negócios Mestrado em Administração de Empresas

Leia mais

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 RECURSOS HUMANOS EM UMA ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR COM PERSPECTIVA DE DESENVOLVIVENTO DO CLIMA ORGANIZACONAL: O CASO DO HOSPITAL WILSON ROSADO EM MOSSORÓ RN

Leia mais

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA 1. Escolha do tema 2. Formulação do problema 3. Justificativa 4. Determinação dos objetivos 5. Referencial teórico 6. Referências 1 Escolha do Tema 1. Escolha do Tema Nesta

Leia mais

Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO

Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO OBJETIVOS Definir com maior precisão o que é marketing; Demonstrar as diferenças existentes entre marketing externo, marketing interno e marketing de treinamento;

Leia mais

Sistema de indicadores de qualidade como ferramenta de gestão em um restaurante universitário: estudo de caso.

Sistema de indicadores de qualidade como ferramenta de gestão em um restaurante universitário: estudo de caso. Sistema de indicadores de qualidade como ferramenta de gestão em um restaurante universitário: estudo de caso. Lúcia Rosa de Carvalho (UFF) lucianut@hotmail.com Sérgio Leusin de Amorim (UFF) leusin@civil.uff.br

Leia mais

A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO

A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO 122 A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO Edilene Mayumi Murashita Takenaka, Sérgio Luís Destro, João Vitor Minca Campioni, Dayane Magalhães Fernandes, Giovana Maria

Leia mais

QUALIDADE NO ATENDIMENTO E GRAU DE SATISFAÇÃO ATRIBUÍDO PELO CONSUMIDOR AO COMÉRCIO VAREJISTA DE TRÊS LAGOAS/MS

QUALIDADE NO ATENDIMENTO E GRAU DE SATISFAÇÃO ATRIBUÍDO PELO CONSUMIDOR AO COMÉRCIO VAREJISTA DE TRÊS LAGOAS/MS 1 QUALIDADE NO ATENDIMENTO E GRAU DE SATISFAÇÃO ATRIBUÍDO PELO CONSUMIDOR AO COMÉRCIO VAREJISTA DE TRÊS LAGOAS/MS Elisângela de Aguiar Alcalde (Docente MSc. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS)

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «21. É falacioso falar que o marketing é filho do capitalismo e, portanto, apenas ajudaria a concentrar a renda satisfazendo necessidades supérfluas

Leia mais

Marcelo Bruno de Araújo Lacerda. O papel do propagandista como agente operacional das estratégias de marketing no segmento cardiovascular em Salvador.

Marcelo Bruno de Araújo Lacerda. O papel do propagandista como agente operacional das estratégias de marketing no segmento cardiovascular em Salvador. Marcelo Bruno de Araújo Lacerda O papel do propagandista como agente operacional das estratégias de marketing no segmento cardiovascular em Salvador. Artigo científico apresentado para conclusão do curso

Leia mais

Revista Eletrônica Aboré Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Edição 03/2007 ISSN 1980-6930

Revista Eletrônica Aboré Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Edição 03/2007 ISSN 1980-6930 AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS SEGUNDO A PERCEPÇÃO DOS COLABORADORES Érica de Souza Rabelo 1 Helen Rita Menezes Coutinho

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING PÓS-GRADUAÇÃO / FIB-2009 Prof. Paulo Neto O QUE É MARKETING? Marketing: palavra em inglês derivada de market que significa: mercado. Entende-se que a empresa que pratica

Leia mais

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR KOTLER, 2006 AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR. OS CANAIS AFETAM TODAS AS OUTRAS DECISÕES DE MARKETING Desenhando a estratégia

Leia mais

INTRODUÇÃO AO TRADE MARKETING Fazendo a diferença no Ponto de Venda. www.pdvativo.com.br

INTRODUÇÃO AO TRADE MARKETING Fazendo a diferença no Ponto de Venda. www.pdvativo.com.br Fazendo a diferença no Ponto de Venda EBOOK Sumário Revisão O que é Trade Marketing? Entenda o Comportamento de Compra do Consumidor O que é Merchandising? Revisão Para entender sobre Trade Marketing devemos

Leia mais

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA João Antonio Jardim Silveira 1 Amilto Muller ¹ Luciano Fagundes da Silva ¹ Luis Rodrigo Freitas ¹ Marines Costa ¹ RESUMO O presente artigo apresenta os resultados

Leia mais

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 Tatiana Pereira da Silveira 1 RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados da

Leia mais

As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R

As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R INTRODUÇÃO A pesquisa é um procedimento reflexivo e crítico de busca de respostas para problemas ainda não solucionados. O

Leia mais

Marketing. - Fatos históricos.

Marketing. - Fatos históricos. Marketing - Fatos históricos. Escambo. Produção e consumo baixos. Crescimento do consumo. Crescimento da produção = paridade. Explosão da produção. Marketing é o desempenho das atividades de negócios que

Leia mais

INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS

INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS Ari Lima Um empreendimento comercial tem duas e só duas funções básicas: marketing e inovação. O resto são custos. Peter Drucker

Leia mais

Introdução Ao Marketing

Introdução Ao Marketing Introdução Ao Marketing O que é Marketing? Isso não é Marketing Muitas pessoas pensam em marketing apenas como vendas e propaganda e isso não causa nenhuma surpresa; Entretanto, vendas e propaganda constituem

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO

PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO 552 PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO Silvio Carvalho Neto (USP) Hiro Takaoka (USP) PESQUISA EXPLORATÓRIA

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Módulo 15 AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO E DA INSATISFAÇÃO DOS CLIENTES Objetivo: Ao final desta aula, você deverá saber (1) sobre os fatores que causam a satisfação

Leia mais

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Resumo O presente case mostra como ocorreu o processo de implantação do Departamento Comercial em

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

2. Provas presenciais avaliação presencial das duas disciplinas cursadas, visando testar os conhecimentos obtidos nas atividades on-line;

2. Provas presenciais avaliação presencial das duas disciplinas cursadas, visando testar os conhecimentos obtidos nas atividades on-line; Encontro Presencial Introdução ao Marketing e Marketing de Serviços Caro aluno, Conheça as três atividades distintas que ocorrerão durante o Encontro Presencial... 1. Revisão estudo, orientado pelo Professor-Tutor,

Leia mais

A l e x a n d r a P a u l o

A l e x a n d r a P a u l o A l e x a n d r a P a u l o ESCOLA SECUNDÁRIA SERAFIM LEITE TRABALHO FINAL TÉCNICAS DE VENDA Alexandra Paulo 11ºI Nº 21160 Disciplina: Comercializar e vender Prof: João Mesquita 20-12-2012 2012-2013 1

Leia mais

Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso.

Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso. 1 Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso. Daiane Maria ALONGE 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2 Resumo Com a atual concorrência, entender os desejos

Leia mais

GESTÃO DO CRÉDITO: AVALIAÇÃO DO RISCO, E ANÁLISE PARA TOMADA DE DECISÃO DE CRÉDITO

GESTÃO DO CRÉDITO: AVALIAÇÃO DO RISCO, E ANÁLISE PARA TOMADA DE DECISÃO DE CRÉDITO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 109 GESTÃO DO CRÉDITO: AVALIAÇÃO DO RISCO, E ANÁLISE PARA TOMADA DE DECISÃO DE CRÉDITO Claudinei Higino da Silva,

Leia mais

PRIAD: GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES

PRIAD: GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES PRIAD: GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES ALUNO RA: ASSINATURA: DATA: / / AS RESPOSTAS DEVERRÃO SER TOTALMENTE MANUSCRITAS Prof. Claudio Benossi Questionário: 1. Defina o que é Marketing? 2. Quais são

Leia mais

O uso da tecnologia CRM em uma empresa de pequeno porte no município de Bambuí-MG

O uso da tecnologia CRM em uma empresa de pequeno porte no município de Bambuí-MG O uso da tecnologia CRM em uma empresa de pequeno porte no município de Bambuí-MG Caroline Passatore¹, Dayvid de Oliveira¹, Gustavo Nunes Bolina¹, Gabriela Ribeiro¹, Júlio César Benfenatti Ferreira² 1

Leia mais

Empresa Júnior como espaço de aprendizagem: uma análise da integração teoria/prática. Comunicação Oral Relato de Experiência

Empresa Júnior como espaço de aprendizagem: uma análise da integração teoria/prática. Comunicação Oral Relato de Experiência Empresa Júnior como espaço de aprendizagem: uma análise da integração teoria/prática Elisabete Ap. Zambelo e-mail: elisabete.zambelo@usc.br Daniel Freire e Almeida e-mail: daniel.almeida@usc.br Verônica

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV Bloco Comercial CRM e AFV Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos CRM e AFV, que fazem parte do Bloco Comercial. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA

FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA Abordagem da estratégia Análise de áreas mais específicas da administração estratégica e examina três das principais áreas funcionais das organizações: marketing,

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços

Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo Objetivos Definir ; Conhecer as diferenças básicas entre Produtos (Bens e Serviços); Analisar uma visão geral do Setor de Serviços; Conhecer o processo de Prestação

Leia mais

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 Conhecimento em Tecnologia da Informação Alinhamento Estratégico A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 2010 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS Nadia Al-Bdywoui (nadia_alb@hotmail.com) Cássia Ribeiro Sola (cassiaribs@yahoo.com.br) Resumo: Com a constante

Leia mais

ANÁLISE DA EXISTÊNCIA DE ESTRATÉGIAS DE MARKETING APLICADAS NOS MATERIAIS DE DIVULGAÇÃO TURÍSTICA DE PONTA GROSSA-PARANÁ

ANÁLISE DA EXISTÊNCIA DE ESTRATÉGIAS DE MARKETING APLICADAS NOS MATERIAIS DE DIVULGAÇÃO TURÍSTICA DE PONTA GROSSA-PARANÁ ANÁLISE DA EXISTÊNCIA DE ESTRATÉGIAS DE MARKETING APLICADAS NOS MATERIAIS DE DIVULGAÇÃO TURÍSTICA DE PONTA GROSSA-PARANÁ Camilla Moro Piekarski 1 RESUMO Dentro de uma nova ordem mundial, com meios cada

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

CRM. Customer Relationship Management

CRM. Customer Relationship Management CRM Customer Relationship Management CRM Uma estratégia de negócio para gerenciar e otimizar o relacionamento com o cliente a longo prazo Mercado CRM Uma ferramenta de CRM é um conjunto de processos e

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

Obtendo resultados reais através do CRM

Obtendo resultados reais através do CRM Porque investir em CRM? Aresposta é simples: Seus clientes consideram o foco da empresa no consumidor como prérequisito, não como diferencial. Eles esperam poder negociar com você quando, onde e como quiserem.

Leia mais

GESTÃO DE FILAS: UM ESTUDO DE CASO EM TORNO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS NUMA AGÊNCIA BANCÁRIA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE - PE

GESTÃO DE FILAS: UM ESTUDO DE CASO EM TORNO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS NUMA AGÊNCIA BANCÁRIA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE - PE GESTÃO DE FILAS: UM ESTUDO DE CASO EM TORNO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS NUMA AGÊNCIA BANCÁRIA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE - PE Debora Barbosa Guedes (UEPB ) deborabguedes@yahoo.com.br Anna Cristina

Leia mais

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado.

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. TECNICAS E TECNOLOGIAS DE APOIO CRM Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. Empresas já não podem confiar em mercados já conquistados. Fusões e aquisições

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

A PESQUISA E SUAS CLASSIFICAÇÕES

A PESQUISA E SUAS CLASSIFICAÇÕES 1/6 A PESQUISA E SUAS CLASSIFICAÇÕES Definir o que é pesquisa; mostrar as formas clássicas de classificação das pesquisas; identificar as etapas de um planejamento de pesquisa. INTRODUÇÃO O que é pesquisa?

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO FINCK, Silvia Christina Madrid (UEPG) 1 TAQUES, Marcelo José (UEPG) 2 Considerações iniciais Sabemos

Leia mais

1. Introdução. 1.1 Apresentação

1. Introdução. 1.1 Apresentação 1. Introdução 1.1 Apresentação Empresas que têm o objetivo de melhorar sua posição competitiva diante do mercado e, por consequência tornar-se cada vez mais rentável, necessitam ter uma preocupação contínua

Leia mais

4 Metodologia da Pesquisa

4 Metodologia da Pesquisa 79 4 Metodologia da Pesquisa Este capítulo se preocupa em retratar como se enquadra a pesquisa de campo e como foram desenvolvidas as entrevistas incluindo o universo pesquisado e a forma de analisá-las

Leia mais

Como Publicar seu Livro sem custo. O caminho mais fácil para se tonar escritor(a).

Como Publicar seu Livro sem custo. O caminho mais fácil para se tonar escritor(a). Como Publicar seu Livro sem custo O caminho mais fácil para se tonar escritor(a). Introdução A principal dor de cabeça do escritor(a) ocorre na hora de publicar sua obra. As várias dúvidas que surgem,

Leia mais

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugerimos, para elaborar a monografia de TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), que o aluno leia atentamente essas instruções. Fundamentalmente,

Leia mais

As Vendas e Prestações de Serviços

As Vendas e Prestações de Serviços Disciplina: Técnicas de Secretariado Ano lectivo: 2009/2010 Prof: Adelina Silva As Vendas e Prestações de Serviços Trabalho Realizado por: Susana Carneiro 12ºS Nº18 Marketing Marketing é a parte do processo

Leia mais

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br.

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br. Marketing Ambiental Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. O que temos visto e ouvido falar das empresas ou associado a elas? Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br 2 3 Sílvia

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE

IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE GEduc 2012 - Novos Rumos para a Gestão Educacional Pág 1 Temas Pressupostos teórico-metodológicos As necessidades

Leia mais

Marketing Turístico e Hoteleiro

Marketing Turístico e Hoteleiro 1 CAPÍTULO I Introdução ao Marketing Introdução ao Estudo do Marketing Capítulo I 1) INTRODUÇÃO AO MARKETING Sumário Conceito e Importância do marketing A evolução do conceito de marketing Ética e Responsabilidade

Leia mais

INTRODUÇÃO MARKETING

INTRODUÇÃO MARKETING Aula 2 INTRODUÇÃO AO MARKETING Prof. Fábio Guerra guerra@f12consultoria.com.br OBJETIVOS DA DISCIPLINA Objetivo da disciplina é demonstrar a importância do Marketing dentro da sociedade moderna, apresentando

Leia mais

UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios

UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios É evidente a importância de um bom plano de negócios para o empreendedor, mas ainda existem algumas questões a serem respondidas, por exemplo: Como desenvolver

Leia mais

INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA

INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA Profa. Ms. Rose Romano Caveiro CONCEITO E DEFINIÇÃO É um conjunto de abordagens, técnicas e processos utilizados pela ciência para formular e resolver problemas

Leia mais

Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior INTRODUÇÃO O que é pesquisa? Pesquisar significa, de forma bem simples, procurar respostas para indagações propostas. INTRODUÇÃO Minayo (1993, p. 23), vendo por

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG 26/09/2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG

Leia mais

GESTÃO DE MARKETING RECAPITULANDO. Prof. Marcopolo Marinho

GESTÃO DE MARKETING RECAPITULANDO. Prof. Marcopolo Marinho GESTÃO DE MARKETING RECAPITULANDO Prof. Marcopolo Marinho Marketing: É a área do conhecimento que engloba todas as atividades referente às relações de troca de bens entre pessoas ou instituições, buscando

Leia mais

PESQUISA DE MARKETING

PESQUISA DE MARKETING PESQUISA DE MARKETING CONCEITOS É a busca de informação, a investigação do fenômeno que ocorre no processo de transferência de bens ao consumidor Trata da coleta de qualquer tipo de dados que possam ser

Leia mais

SAC: Fale com quem resolve

SAC: Fale com quem resolve SAC: Fale com quem resolve A Febraban e a sociedade DECRETO 6523/08: UM NOVO CENÁRIO PARA OS SACs NOS BANCOS O setor bancário está cada vez mais consciente de seu papel na sociedade e deseja assumi-lo

Leia mais

IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA

IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA SILVA, Paulo Henrique Rodrigues da Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerencias E-mail: ph.rs@hotmail.com SILVA, Thiago Ferreira da Docente da Faculdade

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

3 Metodologia. 3.1. Introdução

3 Metodologia. 3.1. Introdução 3 Metodologia 3.1. Introdução Este capítulo é dedicado à forma de desenvolvimento da pesquisa. Visa permitir, através da exposição detalhada dos passos seguidos quando da formulação e desenvolvimento do

Leia mais

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS ADRIELI DA COSTA FERNANDES Aluna da Pós-Graduação em Administração Estratégica: Marketing e Recursos Humanos da AEMS PATRICIA LUCIANA

Leia mais

PERFIL EMPREENDEDOR DE ALUNOS DE GRADUAÇÃO EM DESIGN DE MODA

PERFIL EMPREENDEDOR DE ALUNOS DE GRADUAÇÃO EM DESIGN DE MODA PERFIL EMPREENDEDOR DE ALUNOS DE GRADUAÇÃO EM DESIGN DE MODA Alini, CAVICHIOLI, e-mail¹: alini.cavichioli@edu.sc.senai.br Fernando Luiz Freitas FILHO, e-mail²: fernando.freitas@sociesc.org.br Wallace Nóbrega,

Leia mais

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo 5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo Este estudo teve como objetivo contribuir para a compreensão do uso das mídias sociais, como principal ferramenta de marketing da Casar é Fácil, desde o momento da sua

Leia mais

PLANEJAMENTO OPERACIONAL - MARKETING E PRODUÇÃO MÓDULO 11 PESQUISA DE MERCADO

PLANEJAMENTO OPERACIONAL - MARKETING E PRODUÇÃO MÓDULO 11 PESQUISA DE MERCADO PLANEJAMENTO OPERACIONAL - MARKETING E PRODUÇÃO MÓDULO 11 PESQUISA DE MERCADO Índice 1. Pesquisa de mercado...3 1.1. Diferenças entre a pesquisa de mercado e a análise de mercado... 3 1.2. Técnicas de

Leia mais

AUDITORIA INTERNA DA ATLAS

AUDITORIA INTERNA DA ATLAS AUDITORIA INTERNA DA ATLAS A auditoria interna serve à administração como meio de identificação de que todos os processos internos e políticas definido pela ATLAS, assim como sistemas contábeis e de controle

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação O Valor da TI Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

PLANEJAMENTO DE MARKETING

PLANEJAMENTO DE MARKETING PLANEJAMENTO DE MARKETING A análise ambiental e o planejamento beneficiam os profissionais de marketing e a empresa como um todo, ajudando os gerentes e funcionários de todos os níveis a estabelecer prioridades

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS INTERFACES DO MARKETING E ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS INTERFACES DO MARKETING E ENGENHARIA DE PRODUÇÃO ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS INTERFACES DO MARKETING E ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Carolina K. Souza Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC Departamento de Engenharia de Produção, Campus universitário

Leia mais

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros Quem somos Nossos Serviços Processo de Negociação Clientes e Parceiros O NOSSO NEGÓCIO É AJUDAR EMPRESAS A RESOLVEREM PROBLEMAS DE GESTÃO Consultoria empresarial a menor custo Aumento da qualidade e da

Leia mais

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO Apesar de as empresas brasileiras estarem despertando para o valor das ações de educação corporativa em prol dos seus negócios, muitos gestores ainda

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG.

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Bambuí/MG - 2008 A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Ana Cristina Teixeira AMARAL (1); Wemerton Luis EVANGELISTA

Leia mais

A BUSCA DA QUALIDADE NOS SERVIÇOS DE SAÚDE

A BUSCA DA QUALIDADE NOS SERVIÇOS DE SAÚDE A BUSCA DA QUALIDADE NOS SERVIÇOS DE SAÚDE Heliton E. M. Damasceno 1, Aline R. Gomes Damasceno 2, Antônio Pascoal Del arco Júnior 3, Francisco Cristovão de Melo 4 1 Graduação,Rua Visconde do Rio Branco,210,Centro,122000-000,Taubaté,SP,helitondamasceno@ig.com.br

Leia mais

INDICADORES DE RENTABILIDADE: UMA ANÁLISE ECONOMICO FINANCEIRA SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTABEIS DA INDÚSTRIA ROMIA S/A

INDICADORES DE RENTABILIDADE: UMA ANÁLISE ECONOMICO FINANCEIRA SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTABEIS DA INDÚSTRIA ROMIA S/A INDICADORES DE RENTABILIDADE: UMA ANÁLISE ECONOMICO FINANCEIRA SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTABEIS DA INDÚSTRIA ROMIA S/A AUTOR ANTONIA TASSILA FARIAS DE ARAÚJO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ RESUMO O presente

Leia mais

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI)

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) APARECIDA DE GOIÂNIA 2014 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Áreas de processo por

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE TERCEIRIZAÇÃO - TST -

AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE TERCEIRIZAÇÃO - TST - AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE TERCEIRIZAÇÃO - TST - (4 e 5 de outubro de 2011) PROF. LÍVIO GIOSA PROF. LÍVIO GIOSA Administrador de Empresas com Pós Graduação em Business Administration pela New York University

Leia mais

ANÁLISE ORGANIZACIONAL DE UMA EMPRESA DO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS EM SANTA MARIA (RS) Lúcia dos Santos Albanio 1 Ezequiel Redin 2

ANÁLISE ORGANIZACIONAL DE UMA EMPRESA DO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS EM SANTA MARIA (RS) Lúcia dos Santos Albanio 1 Ezequiel Redin 2 ANÁLISE ORGANIZACIONAL DE UMA EMPRESA DO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS EM SANTA MARIA (RS) Lúcia dos Santos Albanio 1 Ezequiel Redin 2 1 INTRODUÇÃO As empresas do setor moveleiro foram impulsionadas, nos

Leia mais

Objetivos da comunicação

Objetivos da comunicação Prof. Edmundo W. Lobassi Use palavras simples, que todos compreendam, assim todos irão entendê-lo. (Prof. Edmundo W. Lobassi) 1 Estude algumas pesquisas e ouça pessoas experts, pois nada é mais importante

Leia mais