Luiz Barretto e Paulo Okamoto durante a cerimônia de posse no Sebrae

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Luiz Barretto e Paulo Okamoto durante a cerimônia de posse no Sebrae"

Transcrição

1 1 1A ANO Publicação dos Despachos da Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro PÁGINAS 4 e 5 1ª Fase 1875 a ª Fase Ano II Edição nº 288 Câmbio (R$) Dólar / BC Compra Venda Paralelo 1,73 1,84 Comercial 1,658 1,66 Turismo 1,627 1,76 Euro / BC 2,275 2,278 Ouro (R$) Grama 76,010 Variação - 0,64% Blue Chips % BMF Bovespa ON + 3,30 Bradesco PN - 1,82 Gerdau PN - 3,04 Itaú Unibanco PN - 2,29 Petrobras PN - 3,00 Sid Nacional PN - 4,26 Vale PNA - 2,58 Economia As vendas, em volume, da Coca-Cola Brasil subiram 11% em 2010, para 10,6 bilhões de litros. O faturamento somou R$ 17,7 bilhões. O quarto trimestre, com alta de 7%, registrou o 27º trimestre consecutivo de avanço nas vendas da companhia no País. PÁGINA 6 Rio O Índice de Confiança do Empresário Industrial Fluminense (Icei-RJ), divulgado pela Firjam, mostra desaceleração na avaliação do empresariado em relação à economia. O indicador caiu de 63,2 pontos, em outubro de 2010, para 62,3 pontos em janeiro de PÁGINA 9 José Geraldo da Fonseca Direitos e Deveres O contrato de trabalho pode ser tácito, isto é, as partes não desejam um contrato de trabalho, mas se comportam como se um fosse empregado e outro fosse patrão. Nesses casos, a Justiça do Trabalho costuma reconhecer vínculo de emprego. PÁGINA 8 Quinta-feira, 10 de Fevereiro de 2011 R$ 1,00 Do total, R$ 18 bi são de emendas de parlamentares, que totalizavam inicialmente R$ 21 bi O governo decidiu cortar cerca de R$ 50 bilhões do Orçamento da União deste ano. A decisão foi tomada na terça-feira à noite, depois de longa reunião no Palácio do Planalto, com a participação da presidente Dilma Rousseff, e que terminou por volta da meia-noite. Dos R$ 50 bilhões que serão contingenciados, R$ 18 bilhões são de emendas parlamentares, que somavam inicialmente R$ 21 bilhões. Não haverá contingenciamento de obras do Programa de Aleceração Econômica (PAC) e o governo vai manter o Luiz Barretto e Paulo Okamoto durante a cerimônia de posse no Sebrae O ex-ministro do Turismo Luiz Barretto foi empossado ontem na presidência do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em substituição a Paulo Okamoto. Em seu discurso, Barretto prometeu formalizar este ano 500 mil pequenos negócios por meio do programa Empreendedor Individual. Atualmente, há 909 mil microempreendedores individuais formalizados. De acordo com Barretto, a regularização de grande número de autônomos terá reflexos positivos para o País. PÁGINA 5 O presidente do Grupo EBX, Eike Batista, rompeu ontem um silêncio de três meses para anunciar novidades nas empresas de seu conglomerado, negar rumores de que estaria doente e responder às críticas sobre a evasão de executivos de suas companhias. Animado, o empresário revelou detalhes de negócios de diferentes setores do seu grupo, todos envolvendo quantias bilionárias, e afirmou que três de suas cinco companhias com ações negociadas na bolsa de valores - que chegaram a ser chamadas de empresas de vento - começarão efetvamente a gerar fluxo de caixa em agosto deste ano. PÁGINA 6 Elza Fiúza / ABr Wagner Rossi: otimista com a safra José Cruz / ABr mesmo patamar de investimentos do programa Minha Casa Minha Vida de 2010, e não ampliá-lo como era a expectativa. Os investimentos nas áreas de saúde e educação serão também preservados. Ontem, durante entrevista ao lado do ministro da Fazenda, Guido Mantega, a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, afirmou que os ministérios fizeram a lição de casa e apresentaram, até sexta-feira da semana passada, suas propostas de cortes nos gastos este ano. Segundo a ministra, a equipe econômica agora concluirá os ajustes com as demais pastas, para que o Decreto de Programação Orçamentária de 2011 possa ser publicado até o fim da próxima semana. Vamos fazer da eficiência com o gasto público um mantra dentro de cada ministério. Vai ser uma tarefa permanente dentro do governo, afirmou. Miriam informou que Dilma Rousseff publicará decreto na próxima semana reduzindo em 50% as despesas com diárias e passagens de servidores e autoridades federais em PÁGINA 2 O Banco Central informou ontem que o País recebeu uma enxurrada de dólares no mês passado. Janeiro fechou com fluxo cambial positivo de US$ 15,513 bilhões, o saldo mais alto para um mês desde junho de Em janeiro de 2010, o fluxo foi positivo em US$ 1,075 bilhão. Segundo o BC, no entanto, nos primeiros dias de fevereiro o fluxo de dólares arrefeceu, registrando, até o dia 4, saldo positivo de apenas US$ 39 milhões. O segmento financeiro (que registra investimentos diretos, em títulos e ações, empréstimos, remessas de lucros, entre outros) foi quem puxou o resultado de janeiro e também determinou o fraco desempenho na primeira semana deste mês. Também ontem, em sua mais impactante mea-culpa, o FMI admitiu ter subestimado os sinais da crise financeira de 2008 por causa de sua governança débil, de sua oposição ao pensamento crítico e sua crença excessiva na solidez das grandes instituições financeiras. PÁGINA 3 Com grande otimismo, o ministro da Agricultura, Wagner Rossi, apresentou ontem os números do quinto levantamento da safra de grãos 2010/2011, preparado pela Conab. A colheita prevista é de 153,06 milhões de toneladas, volume recorde e que representará crescimento de 2,6% sobre o total de 149,2 milhões de toneladas da safra 2009/2011. Hoje podemos dar a garantia de uma excelente safra, do suprimento adequado do mercado do Brasil e de geração de excedente para o comércio mundial. Os números antecipam um novo recorde histórico para a safra de grãos, disse Rossi. PÁGINA 3

2 2 ECONOMIA Quinta-feira, 10 de Fevereiro de 2011 Do total do contingenciamento, R$ 18 bilhões são de emendas de parlamentares, que somavam inicialmente R$ 21 bilhões Tânia Monteiro O corte no Orçamento da União deste ano será em torno de R$ 50 bilhões. Desse total, R$ 18 bilhões são de emendas parlamentares, que somavam inicialmente R$ 21 bilhões A decisão foi tomada na terça-feira à noite, depois de uma longa reunião no Palácio do Planalto, que contou com a participação da presidente Dilma Rousseff, e que terminou por volta da meia-noite. Segundo fonte do governo, que participou da reunião, não haverá contingenciamento de obras do Programa de Aleceração Econômica (PAC) e o governo vai manter o mesmo patamar de investimentos do programa Minha Casa Minha Vida de 2010, e não ampliá-lo como era a expectativa. Os investimentos nas áreas de saúde e educação serão preservados. A presidente Dilma Rousseff espera que os ministros se adequem às necessidades de cortes, sem criar polêmicas pela imprensa, conforme já recomendou na primeira reunião ministerial. Segundo a fonte do governo, Dilma e a área econômica estão preocupados com a inflação e a presidente tem uma posição firme em mostrar que o seu governo tem responsabilidade fiscal. Em relação ao salário mínimo, a decisão da presidente é encaminhar ainda esta semana ao Congresso Nacional projeto de lei assegurando o valor de R$ 545. Dilma sinalizou para os líderes do governo no Congresso que não vai deixá-los sozinhos nessa discussão, numa possível negociação com as centrais sindicais e base aliada. O raciocínio do governo é de que segurando as contas agora, mantendo os R$ 545 para o mínimo, e com a economia crescendo dentro das previsões, não haverá ameaça de descontrole fiscal e inflação e com isso ficará assegurado para 2012 um reajuste do mínimo que poderia chegar a 13%, dependendo do índice de crescimento da economia neste ano. Para o governo a mudança de regra agora no reajuste do mínimo é desfavorável aos trabalhadores. O governo, segundo a fonte, tem se queixado que as centrais querem atingir seus objetivos sem levar em conta a economia do País e as regras preestabelecidas que precisam ser asseguradas. O aumento dos aposentados não está em discussão pelo governo e quanto mais demorada na votação do salário mínimo mais tempo o governo gastará para resolver a correção da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física. A fonte informou que ainda não há decisão quanto ao pagamento da diferença do mínimo de R$ 540, fixado por medida provisória, para R$ 545. A ideia é criar uma espécie de abono compensatório para não gerar problemas nas empresas, como o pagamento do INSS. Eduardo Rodrigues, Adriana Fernandes e Renata Verissimo A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, afirmou ontem que os ministérios fizeram a lição de casa e apresentaram, até sexta-feira passada, as suas propostas de cortes nos gastos este ano. Segundo a ministra, a equipe econômica agora concluirá os ajustes com as demais pastas, para que o Decreto de Programação Orçamentária de 2011 possa ser publicado até o fim da próxima semana. Vamos fazer da eficiência com o gasto público um mantra dentro de cada ministério. Vai ser uma tarefa permanente dentro do governo, afirmou a ministra, durante entrevista ao lado do ministro da Fazenda, Guido Mantega. Segundo Miriam, o primeiro foco do ajuste fiscal será na folha de pagamentos, um dos maiores gastos da União. Para tanto, o governo está contratando com a Fundação Getúlio Vargas uma auditoria na folha para detectar incorreções. Para isso, haverá um sistema de alerta que avisará quando ocorrer desvios em relação aos Alessandra Saraiva O ritmo mais lento na produção industrial brasileira no fim do ano passado atingiu quase todas as regiões do País: 11 dos 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) registraram recuo de novembro para dezembro, embora o resultado do ano de 2010 tenha sido positivo. São Paulo mostrou alta de 10,1% na atividade industrial em relação a 2009, a mais forte variação em sete anos. O gerente da coordenação de indústria do IBGE, André Macedo, comentou que o desempenho do parque fabril paulista, o mais importante do País, que concentra 40% da produção geral, foi semelhante ao resultado nacional, que subiu 10,5%. Os destaques positivos em São Paulo foram a fabricação de veículos automotores (24,6%) e de máquinas e equipamentos (26,6%). Macedo observou que, no primeiro trimestre de 2010, ainda estava em vigor a redução de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) na cadeia automotiva. Isso estimulou a produção de veículos nos primeiros meses de 2010, e impulsionou o Guido Mantega e Miriam Belchior durante a entrevista na qual foram anunciadas medidas para reduzir gastos A produção industrial em São Paulo apresentou alta de 10,1% em 2010, ante 2009, a mais forte variação em sete anos, segundo o IBGE resultado anual da indústria do setor. No caso de máquinas e equipamentos, a boa oferta de financiamentos para o setor no cenário pós-crise ajudou a melhorar o nível de atividade. Porém, assim como ocorreu com a indústria nacional, a atividade industrial de São Paulo mostrou sinais de desaceleração entre o terceiro e o quarto trimestre de No período, a produção saiu de alta de 0,6% para queda de 0,1%. Somente em dezembro a queda foi de 1,2% em relação a novembro. Na verdade, o que tivemos em São Paulo, nos últimos meses do ano passado foi uma desaceleração generalizada no ritmo de atividade. Poucos setores apresentaram melhora no desempenho, afirmou. O quadro negativo de São Paulo se repetiu em outros locais, mas de forma mais intensa. O IBGE também apurou quedas na atividade industrial de novembro para dezembro em Rio de Janeiro (-5,7%); Paraná (-5%); e Bahia (-3,9%). Agroindústria - Após amargar queda de 4,8% em 2009, devido à crise global, a produção agroindustrial brasileira subiu 4,7% no ano passado, a mais intensa elevação em quatro anos. O bom desempenho da agricultura em 2010 impulsionou o setor, segundo economista do Departamento de Indústria do IBGE Fernando Abritta O economista explicou que a produção agrícola representa em torno de 65% da agroindústria brasileira. Ou seja: qualquer impacto positivo no setor se reflete quase que diretamente no setor agroindustrial. Abritta recordou que o ano de 2010 apresentou safra recorde de grãos, além de um clima favorável. Outro ponto destacado pelo economista para o bom desempenho da agroindustrial em 2010 foi o comportamento favorável do açúcar, para o produtor no Brasil - que contou com preços em alta, e demanda forte do produto, tanto no mercado internacional como no doméstico. parâmetros estabelecidos para os gastos com a folha. Além disso, um outro sistema investigará indícios de irregularidades, como a acumulação de cargos e aposentadorias. De acordo com Miriam, 13 estados já cooperam com o sistema, que realizará cruzamentos semestrais das informações Também faremos auditorias especiais sobre todas as rubricas, em especial sobre as SERASA A inadimplência dos consumidores brasileiros cresceu 24,8% em janeiro deste ano, ante o igual mês de 2010, informou ontem a Serasa Experian, empresa especializada em análise de crédito. Este é o maior aumento anual desde julho de Na comparação com dezembro do ano passado, a inadimplência recuou 3,3% em janeiro. Na avaliação dos economistas da Serasa Experian, o recuo de dezembro para janeiro e o contexto econômico indicam que a inadimplência está sob controle no País. A queda de 3,3% na comparação mensal mostra que a inadimplência do consumidor não conta com a mesma aceleração dos meses anteriores - foram oito altas seguidas entre maio e dezembro de Já o crescimento de 24,8% da inadimplência em janeiro ante o igual mês do ano passado, conforme a Serasa Experian, é resultado do endividamento dos consumidores, que cresceu durante todo o ano passado. Os cheques sem fundos foram os principais responsáveis pelo recuo mensal da inadimplência, com queda de 13,4%. A inadimplência não bancária - que inclui cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços - recuou 1,6%. No caso dos bancos, houve baixa de 1,7% e, entre os títulos protestados, recuo de 13,1%. gratificações, afirmou Miriam, explicando que a medida tem o objetivo de evitar que benefícios sejam estendidos a um número maior de servidores que não têm esse direito. Além disso, o governo está criando um novo Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos (Siape), com uma tecnologia mais moderna para aumentar o controle sobre a folha de pagamentos. Marcelo Casal Jr / AE A presidente Dilma Rousseff publicará um decreto na próxima semana reduzindo em 50% as despesas com diárias e passagens de servidores e autoridades federais em 2011, de acordo com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior. Além disso, afirmou ela, a medida limitará as autorizações para esse tipo de despesas. Segundo Miriam, dentro do esforço para reduzir em R$ 50 bilhões as despesas este ano, o governo também proibirá a aquisição, reforma ou aluguel de novos imóveis e a compra de novos veículos para uso administrativo. É claro que ninguém vai proibir a compra de ambulâncias, mas não haverá aquisição para uso administrativo, disse a ministra. Miriam informou que os ministérios da Justiça, Planejamento, Trabalho e Educação irão implementar processos de maior eficiência nos gastos com telefonia, energia, água e material de consumo. Faremos um teste nesses ministérios para depois levar isso para toda a esplanada e também para a administração indireta, acrescentou a ministra. Outra medida será uma ampliação das compras compartilhadas de materiais de consumo entre os ministérios, uma vez que o aumento da escala nessas aquisições tende a reduzir os preços dos produtos. O governo também planeja se debruçar sobre os gastos com o abono e o auxílio-desemprego para combater desvios nesses benefícios. Karla Mendes e Tânia Monteiro Em uma reunião bastante tensa que adentrou até tarde da noite da última terça-feira para tratar do apagão do Nordeste, a presidente Dilma Rousseff exigiu da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que intensifique a fiscalização preventiva nas principais linhas de transmissão e subestações do País. E que todas as explicações técnicas sobre a causa do incidente, que deixou 46 milhões de pessoas no escuro, estejam nas mãos dela até amanhã ou, no máximo, até o início da semana que vem. O estilo dela é de cobrar e é de cobrar mesmo. Ela quer saber tudo nos mínimos detalhes, revelou uma fonte que participou da reunião. Segundo essa fonte, ao contrário de muitos ministros, que deixam decretos e projetos de lei nas mãos da equipe técnica, e simplesmente tomam conhecimento dos resultados apenas no final, Dilma acompanha de perto todas as etapas. Se alguém faz um decreto, um projeto de lei, muitos ministros não se envolvem, não é o caso dela como ministra nem como presidente da República. Ela quer saber os detalhes dos detalhes dos detalhes, ressaltou. Em virtude de uma ocorrência de forte repercussão como essa, que atingiu oito estados na última sexta-feira, ainda mais no setor que ela esteve à frente durante anos, como ministra de Minas e Energia no primeiro do governo Lula, Dilma foi categórica. Ela quer muito mais ações preventivas para ter um sistema absolutamente confiável, afirmou a fonte. Outra fonte do Palácio do Planalto revelou que a presidente Dilma continua insistindo em não aceitar como explicação para o ocorrido a falha no cartão de proteção da subestação Luiz Gonzaga, em Pernambuco. Falhas - O diretor-geral da Aneel, Nelson Hubner, disse que, de fato, há alguns anos, não era prática da agência fazer muitas fiscalizações preventivas, mas que a agência passou a atuar nessa frente de forma mais intensa nos últimos anos. Ano passado fizemos muito mais fiscalizações do que a média histórica da agência, ressaltou. E confirmou que a presidente quer que o órgão regulador priorize esse tipo de fiscalização. Ela quer que faça tudo. Vamos atualizar e reforçar isso tudo, afirmou. Para cumprir essa demanda, Hubner informou que o quadro de funcionários da equipe de fiscalização terá de ser reforçado. Temos que colocar mais gente nas linhas (de transmissão). De fato ela quer e acho que é muito importante mesmo, disse. Publicação da empresa JGN Editora Ltda. Departamento Comercial e Administração Rua Debret, 23 Sobreloja 116 e 117 Centro - Rio de Janeiro CEP Diretora Geral Elizabeth Campos Comercial: PABX (21) Conselho Editorial: Des. José Geraldo da Fonseca Des. José Lisboa da Gama Malcher Mônica de Cavalcanti Gusmão Redação: (21) / Projeto Gráfico:dtiriba design gráfico Impressão: Gráfica Monitor Mercantil Rua Marcílio Dias, 26 - Centro - RJ Editor- chefe: Jorge Chaves Subeditora: Rafaela Pereira Diagramação: Felipe Ribeiro Rodrigo Gurski Artigos & Colunas: Filiado à Preços de Assinatura Trimestral...R$ 60,00 Semestral...R$ 110,00 Anual...R$ 210,00 Serviço Noticioso Agências Brasil e Estado As matérias e artigos são de responsabilidade dos autores e não representam, necessariamente, a opinião deste jornal

3 ECONOMIAQuinta-feira, 10 de Fevereiro de Saldo cambial em janeiro foi o mais alto para um mês desde junho de No início deste mês, o fluxo já arrefeceu Fabio Graner O mês de janeiro encerrou com um fluxo cambial positivo de US$ 15,513 bilhões, o saldo mais alto para um mês desde junho de 2007, de acordo com os dados divulgados pelo Banco Central. Em janeiro de 2010, o fluxo foi positivo em US$ 1,075 bilhão. 0s primeiros dias de fevereiro, contudo, o fluxo de dólares arrefeceu, registrando, até o dia 4, saldo positivo de apenas US$ 39 milhões. Nos quatro primeiros dias úteis de fevereiro do ano passado, o fluxo cambial foi positivo em US$ 1,863 bilhão. O segmento financeiro (que registra investimentos diretos, em títulos e ações, empréstimos, remessas de lucros, entre outros) foi quem puxou o resultado de janeiro e também determinou o fraco desempenho na primeira semana do atual mês. Segundo o BC, o fluxo financeiro no mês passado foi positivo em US$ 14,435 bilhões, valor que supera com folga o verificado em quase todos os meses de 2010 (em janeiro do ano passado, por exemplo, o saldo foi de US$ 1,215 bilhão), perdendo apenas para os US$ 16,716 bilhões de setembro, mês marcado pela capitalização da Petrobras. Denise Chrispim Marin Em sua mais impactante meaculpa, o Fundo Monetário Internacional (FMI) admitiu ontem ter subestimado os sinais da crise financeira de 2008 por causa de sua governança débil, de sua oposição ao pensamento crítico e sua crença excessiva na solidez das grandes instituições financeiras. O abalo na economia mundial desencadeado pela bolha no setor imobiliário dos Esatados Unidos provocou a mais grave recessão desde os anos 30. Responsável pela autocrítica, o Escritório de Avaliação Independente (IEO, na sigla em inglês) do FMI recomendou uma reforma mais profunda na instituição do que a planejada até o momento. Críticas - A admissão de culpa já havia sido exposta pelo atual diretor-gerente, Dominique Strauss-Kahn, e outras autoridades do Fundo. Mas, a intensidade e a comprovação das críticas jamais haviam sido tão contundentes como no relatório apresentado ontem pelo IEO, uma espécie de auditor interno do FMI para temas específicos. O estudo da falha do FMI em prever a crise de 2008 cobriu o período de 2004 a 2007, quando o Fundo teve o espanhol Rodrigo Rato como diretor-gerente. O relatório conclui que o Fundo não foi capaz de cumprir sua missão de alertar sobre riscos para as economias e de propor os ajustes necessários. Segundo o texto, o elevado nível de pensamento uniforme, a captura intelectual e a percepção, em geral, de que uma grande crise nas grandes economias seria improvável impediu o Fundo de identificar a mais grave turbulência desde a Grande Recessão. O FMI, de acordo com o organismo auditor, estava dominado por uma governança débil e por uma cultura desalentadora do pensamento crítico. O IOE identificou apenas poucos sinais de advertências claras do Fundo sobre os riscos no setor de financiamento imobiliário e as vulnerabilidades dos sistemas financeiros. O FMI teria mantido uma confiança excessiva na solidez das grandes instituições financeiras. Os riscos associados ao auge do setor imobiliário foram minimizados, da mesma forma que a necessidade de regulação mais robusta para enfrentar os riscos, assinalou o texto. A inflação do varejo desacelerou em todas as sete capitais pesquisadas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) para cálculo do Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) de até 7 de fevereiro. Segundo informou ontem a instituição, da quarta quadrissemana de janeiro para a primeira prévia de fevereiro, a inflação em São Paulo passou de 1,31% para 1,30% no período. A capital paulista representa quase 50% do total do indicador. As outras cidades que mostraram taxa de inflação mais fraca, no mesmo período, foram Recife (de 1% para 0,75%), Rio de Janeiro (de 1,39% para 1,24%), Brasília (de 1% para 0,80%), Salvador (de 1,36% para 1,05%), Belo Horizonte (de 1,06% para 0,93%) e Porto Alegre (de 0,95% para 0,86%). Aneontem, a FGV informou que a taxa total do IPC- S foi de 1,16% na primeira prévia de fevereiro, ante a taxa de 1,27% do fim do mês de janeiro. Do dia 1 a 4 de fevereiro, no entanto, o fluxo financeiro foi negativo em US$ 118 milhões, ante superávit de US$ 1,360 bilhão nos quatro primeiros dias úteis de fevereiro de No segmento comercial, o saldo em janeiro foi positivo em US$ 1,077 bilhão (ante US$ 140 milhões negativo em igual mês de 2010) e nos quatro primeiros dias úteis de fevereiro, superavitário em US$ 157 milhões, ante US$ 504 milhões em fevereiro de O BC informou ainda que as compras de dólares executadas no mercado à vista elevaram as reservas internacionais em janeiro em US$ 7,992 bilhões e em fevereiro, até o dia 4, em US$ 2,836 bilhões. É importante lembrar que o dado das intervenções da autoridade monetária têm defasagem de dois dias em relação à compra executada em mercado. Aposta dos bancos - Respondendo à medida adotada pelo Banco Central no início do mês passado, os bancos já reduziram fortemente suas apostas na valorização do real. De acordo com dados divulgados ontem pelo BC, a chamada posição vendida no mercado de câmbio, que revela essa aposta no fortalecimento do real ante o dólar americano, fechou o mês em US$ 11,02 bilhões. Em dezembro, somava US$ 16,78 bilhões. Ou seja, a queda na posição especulativa dos bancos foi de 34,3% ou US$ 5,77 bilhões. Em 6 de janeiro, o BC anunciou a criação de um recolhimento compulsório para as instituições financeiras que mantiverem posições vendidas superiores a US$ 3 bilhões ou acima do seu patrimônio. O objetivo da autoridade monetária era levar o conjunto dessas apostas no mercado de câmbio à vista para a casa de US$ 10 bilhões. Apesar de a iniciativa definir um prazo de até três meses para adaptação às novas regras, os bancos aproveitaram o forte fluxo de dólares para o País em janeiro e, ao invés de venderem tudo ao BC, ficaram com parte do dinheiro para desmontarem boa parte de suas posições, que já estão apenas US$ 1 bilhão acima do que queria o governo. A medida do BC deu certo, mas o órgão também contou com a sorte de ter um mês com fluxo muito grande de dólares, o que facilitou o trabalho, disse o economista da Tendências Consultoria, André Sacconato, acrescentando que o fato de o BC ter comprado proporcionalmente menos dólares em mercado também influenciou a aceleração do processo. Da redação, com agências O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, apresentou ontem os números do quinto levantamento da safra de grãos 2010/2011 com extremo otimismo. O estudo, preparado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), indica que a colheita atingirá 153,06 milhões de toneladas. Se alcançado, o volume será recorde e representará crescimento de 2,6% (cerca de 3,8 milhões de toneladas) sobre o total de 149,2 milhões de toneladas da safra 2009/2011. A Conab informou que o aumento da produção pode ser atribuído à ampliação de áreas de cultivo do algodão, de feijão, da soja e do arroz, aliada principalmente à menor influência do fenômeno La Niña sobre as culturas, nas quais a má distribuição das chuvas foi menos prejudicial à produtividade. Segundo o estudo, a área cultivada também atingirá um novo patamar recorde, com 48,84 milhões de hectares, alta de 3,1% em comparação com os 47,39 milhões de hectares da safra passada. Hoje podemos dar a garantia de uma excelente safra e a garantia do suprimento adequado do mercado do Brasil e de geração de excedente para o comércio mundial. Os números antecipam um novo recorde histórico para a safra de grãos, disse Rossi. O ministro destacou que o clima surpreendeu e foi bastante positivo na maior parte das regiões produtoras. Havia expectativa sobre o impacto do fenômeno La Niña, mas o clima tem sido bastante positivo para a safra , com algumas exceções, disse o ministro, referindo-se à estiagem no sul do Rio Grande do Sul. Ele destacou que as previsões para os próximos meses não reservam surpresas desagradáveis para a agricultura brasileira. Entre as culturas, o algodão apresenta o maior crescimento percentual em área (56%), para 1,305 milhão de hectares (mi/ha). A área com feijão (três safras) deve aumentar 8,4%, para 3,913 mi/ha. No caso da soja, o crescimento é de 2,8%, para 24,1 mi/ha. A contribuição da área do arroz para o desempenho da safra também foi significativa. O crescimento é de 2,5%, para 2,8 mi/ha. IBGE - Em outra divulgação de dados sobre a safra, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) previu ontem que a safra brasileira de grãos em 2011 deve alcançar 146,8 milhões de toneladas e ser 1,8% menor que a apurada em Neste ano agrícola, o governo acredita que será necessária intervenção oficial somente nos mercados de arroz e de feijão. O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, destacou que a produção de arroz é estimada em 12,83 milhões de toneladas (alta de 10% em relação ao total de 11,66 milhões de toneladas do ano passado), o que representa excedente no mercado, pois o consumo interno anual é de 12 milhões de toneladas. Somado ao excedente interno, Rossi destacou que há expectativa de grande oferta de arroz, pois os parceiros do Mercosul (Argentina, Uruguai e Paraguai) também são fortes produtores orizícolas. Por isso o esforço do governo para trazer o arroz para perto do preço mínimo, disse o ministro, relembrando os mecanismos de apoio aos produtores de arroz e de feijão lançados no Rio Grande do Sul. Segundo Rossi, serão utilizados os instrumentos de Prêmio de Escoamento de Produto (PEP) e Aquisições do Governo Federal (AGF). Para o arroz, o governo planeja realizar leilão para 360 mil toneladas do produto. A safra total de feijão deverá resultar em 3,77 milhões de toneladas (alta de 13,6% em relação ao total de 3,32 milhões de toneladas da safra passada), destaca o quinto levantamento de safra da Conab. Ou seja, justamente por causa da maior oferta é que será exigida intervenção do governo para dar sustentação aos preços. Rossi destacou que poucos meses atrás o feijão apresentava preços altos, gerando preocupação entre os consumidores. Agora a situação é exatamente contrária, com preços baixos pagos aos produtores. A intervenção oficial será feita para evitar que os agricultores sejam desestimulados e, no futuro, haja queda de oferta, voltando a pressionar os preços finais. O ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) pregou a unidade do partido e uma atuação forte da oposição ao governo Dilma Rousseff, em reunião da bancada tucana na Câmara. Ele afirmou que o salário mínimo de R$ 600 é factível e que as contas públicas podem suportar esse valor. Serra disse que irá ao Senado, se for convidado, como pretende o senador Itamar Franco (PPS-MG), para defender o valor de R$ 600 como propôs durante a campanha eleitoral para a Presidência da República. Apresentei essa proposta e posso fundamentála. E apresentarei as principais questões que me levaram a fazer essa proposta que envolve não só o financiamento direto de um mínimo menos indecente do que é hoje, como também as questões correlacionadas da nossa economia, disse. Manifestação - O Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes organizou manifestação no início da manhã de ontem em 19 fábricas do Estado de São Paulo em defesa de um salário mínimo de R$ 580. O ato contou com a mobilização de cerca de 13 mil trabalhadores, de acordo com a entidade, que atrasaram em duas horas o início do turno. Trabalhadores ligados às centrais sindicais CTB, CUT, CGTB, Força, NCST e UGT prometem ocupar o Congresso Nacional, em Brasília, na tarde da próxima terça-feira, 15. Segundo a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), os sindicalistas farão um corpo a corpo com os parlamentares para sensibilizá-los para a importância da aprovação do valor de R$ 580 para a classe trabalhadora. BALANÇOS PATRIMONIAIS Exercícios findos em 22/10/09 e 31/12/08 (Em Processo de Liquidação - R$) ATIVO Circulante , ,84 Disponibilidades , ,22 Contas a receber... 0, ,73 Adiantamentos , ,28 Impostos a Recuperar , ,61 Não Circulante , ,85 Investimentos , ,00 Imobilizado , ,11 Intangível , , , ,69 PASSIVO Circulante , ,86 Obrigações trabalhistas e encargos sociais a recolher , ,86 Outras contas a pagar , ,00 Exigível a Longo Prazo: Outros Créditos , ,38 Patrimônio Líquido , ,46 Capital Social , ,00 Reserva Legal , ,25 Lucros (Prejuízos) Acumulados... ( ,33) ( ,79) , ,69 A DIRETORIA Contador: Marco Antonio S. Nunes - CRC/RJ /0-6 PARATY INVESTIMENTOS S/A CNPJ/MF Nº / DEMONSTRAÇÕES DE RESULTADOS - Exercícios findos em 22/10/09 e 31/12/08 (Em Processo de Liquidação - R$) Receita Operacional Bruta , ,06 Taxa de Administração e Performance ,06 Prestação de Serviços - Exterior ,00 Outras Receitas ,80 - Deduções da Receita: Impostos Diretos... - ( ,48) Resultado Operacional , ,58 Despesas Operacionais... ( ,18) ( ,25) Administrativas... (97.092,52) ( ,46) Pessoal... (3.523,85) ( ,45) Depreciação... ( ,74) ( ,34) Outras Despesas Operacionais... (8.731,07) - Resultado Financeiro Líquido ,84 (12.375,84) Resultado antes das provisões tributárias.. ( ,54) ( ,51) Imposto de Renda / Contribuição Social Resultado do Exercício... ( ,54) ( ,51) Resultado por Ação... (0,1541) (0,2400) DEMONSTRAÇÕES DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS Exercícios findos em 22/10/09 e 31/12/08 (Em Processo de Liquidação - R$) Origens de recursos... (43.366,80) (28.232,86) Das operações sociais: Lucro (Prejuízo)do Exercício.. ( ,54) ( ,51) Despesas que não afetam o capital circulantelíquido: AjustesdeExercícios Anteriores - (1.331,69) Depreciações , ,34 Aplicações de recursos... ( ,08) ,64 No ativo permanente: Investimentos ,00 Imobilizado... ( ,08) ,64 Aumento (redução) do capital circulante líquido ,27 (57.501,51) Capital circulante: Ativo circulante:... (61.900,00) ,26 No fim do exercício , ,84 No início do exercício , ,58 Passivo circulante:... ( ,27) ,77 No fim do exercício , ,86 No início do exercício , ,09 Aumento (redução) do capital circulante líquido ,27 (57.501,51) DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO - Exercícios findos em 22/10/09 e 31/12/08 (Em Processo de Liquidação - R$) Capital Social Reserva Legal Lucros Acumulados Total Saldo em 31 de dezembro de , ,25 ( ,59) ,66 Ajustes de Exercícios Anteriores (1.331,69) (1.331,69) Lucro do Exercício ( ,51) ( ,51) Saldo em 31 de dezembro de , ,25 ( ,79) ,46 Lucro do Exercício ( ,54) ( ,54) Saldo em 22 de outubro de , ,25 ( ,33) ,92

4 4 Quinta-feira, 10 de Fevereiro de 2011 JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Despachos de 9 de Fevereiro de 2011 Documentos Deferidos PROC. EMPRESA A C ALCANTARA DE F H SILVA A C ALCANTARA DE F H SILVA A C COMERCIO LOCACAO DE ROUPAS E ACESSORIOS A L X COMERCIO DE EQUIPAMENTOS INDUSTRIAL A L X COMERCIO DE EQUIPAMENTOS INDUSTRIAL A M I RIO EQUIPAMENTOS DE TELECOMUNICACOES E VIDEO SEGURANCA A S DE SOUZA SERVICOS E MANUTENCAO MECANICA DE VEICULOS A S DE SOUZA SERVICOS E MANUTENCAO MECANICA DE VEICULOS ABENGOA CONCESSOES BRASIL HOLDING S/A AC - AUTOMACAO E CONTROLE - INDUSTRIA COMERCIO E SERVICOS ACO MANIA COMERCIO DE FERRAMENTAS ACO MANIA COMERCIO DE FERRAMENTAS ADALBERTO SOUSA PAIVA ADALBERTO SOUSA PAIVA ADALEX CONSTRUCOES ADELINO MATIAS DE CARVALHO ADELINO MATIAS DE CARVALHO ADELMO DE MATOS NASCIMENTO ADRIANA DE SOUZA PEREIRA ADRIANA DE SOUZA PEREIRA BAZAR E ARMARINHO AGANTE & SILVA PNEUS EPP AGB COMERCIO DE MATERIAL PROMOCIONAL AGNALDO BUENO ROCHA JUNIOR ME AGRIMALDO SANT ANNA JUNIOR AGROPECUARIA RINCAO AGROPECUARIA RINCAO AGUAS DO IMPERADOR S/A AGUILA RIGAUD SANTOS AK9 ESTAMPARIA CONFECCAO E ARTIGOS ESPORTIVOS ALEX ARCHER MARQUES GOMES ALL CONSULTORIA EMPRESARIAL ALL CONSULTORIA EMPRESARIAL ALLCAD COMERCIO SERVICOS PROPAGANDA E MARKETING ALUBAN BANDEIRANTES ALUMINIO AMANHECER DA FERNANDA COMERCIO VAREJISTA E DISTRIBUICAO DE ALIMENTOS AMARO & ALEXANDRIA PECAS E SERVICOS AMARO & ALEXANDRIA PECAS E SERVICOS AMBIENTAL IMUNIZACOES E SERVICOS AMBIENTAL IMUNIZACOES E SERVICOS ANA LEYLA SANTOS COMERCIO E CONFECCAO DE ROUPAS ANA LEYLA SANTOS COMERCIO E CONFECCAO DE ROUPAS ANBEV COMERCIO DE ALIMENTOS E BEBIDAS ANBEV COMERCIO DE ALIMENTOS E BEBIDAS ANDRE LUIZ LOPES PINHEIRO ANDREA MAZONI ROUPAS E ACESSORIOS ME ANDREIA FARIA RODRIGUES ANGELICA LINGERIE DE ITAOCARA ANGELICA LINGERIE DE ITAOCARA ANGRA PARTNERS GESTAO DE RECURSOS ANGRAMIX CONCRETO ANGRAMIX CONCRETO ANTARES DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS DE HIGIENE E COSMETICOS ANTONIO CARLOS PEREIRA DOS SANTOS ANTONIO JOSE DE OLIVEIRA ANTONIO JOSE DE OLIVEIRA AON HOLDINGS CORRETORES DE SEGUROS ARMAZEM DAS LONAS ARQUITEC DO JARDIM GRAMACHO METAIS ATAULFO COLCHOES X EPP ATIVO MED MEDICINA AMBULATORIAL ATRIUM COMERCIO E PARTICIPACOES S/A AUREA RIOS DA SILVEIRA BAR E LANCHONETE AUSTIN ENGENHARIA AUTO OFICINA CARAMIS AUTO POSTO LUAR DA RIO SANTOS II AUTOPARK S/A AVENIDA CHILE 230 INVESTIMENTOS IMOBILIARIOS AVENTION CONSULTORIA EMPRESARIAL B G N 1990 ASSESSORIA TECNICA COMERCIAL E REPRESENTACAO B G N 1990 ASSESSORIA TECNICA COMERCIAL E REPRESENTACAO BAR E LANCHONETE RECANTO DA PAZ BAR E LANCHONETE RECANTO DA PAZ BAR E RESTAURANTE RECANTO DA BICA BARROS E DUARTE LANTERNAGEM E PINTURA BAZAR AXEI AKI DE MARICA BAZAR CARRACELAS BAZAR N R DE SAO GONCALO BEBAL DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS BEM VIVER MATERIAIS MEDICO HOSPITALAR BIKE DO BRASIL INDUSTRIA BILA & BETA RESTAURANTE BOTECO DA SARA COMERCIO DE ALIMENTOS BR SOLUTIONS SERVICOS E CONSERVACAO BRACO SA COMPANHIA BRASILEIRA DE COMERCIO DE COSMETICOS BRASCAN IMOBILIARIA HOTELARIA E TURISMO S/A BRASIF S/A ADMINISTRACAO E PARTICIPACOES BRASIL 352 POSTO DE SERVICOS BRASIL BROKERS PARTICIPACOES S A BRASIL BROKERS PARTICIPACOES S A BRATEX QUIMICA BRAZIL BIOMASS ENERGY S/A BRF FORNECEDORA DE MATERIAIS DE CONSTRUCAO BRUNO MOLLERI DA SILVA COSTA BSM ENGENHARIA S/A BUONA QUALITA EMBALAGENS C M CAMPOS DE CARVALHO INDUSTRIA E COMERCIO DE METAIS ME C S MACEDO REPRESENTACOES C S MACEDO REPRESENTACOES C V L ASSESSORIA EMPRESARIAL C V L ASSESSORIA EMPRESARIAL CAFE GRAO NOBRE CAFE SORELLE CAFE VELLOSO BOTAFOGO CALDEMAR COMERCIO E MANUTENCAO CALDEMAR COMERCIO E MANUTENCAO CALIFORNIA BEACH INTERNET CAFE & RESTAURANTE CAMARGO MARIANO CONSTRUTORA E EMPREENDIMENTOS CAMARIM KIDS CABELEIREIRO CANTIK MATERIAIS DE CONSTRUCAO CANTINA DELICIAS DO AMARANTE CANTINA SEGURASSE CANTINA SEGURASSE CAPITAL DYNAMICS INVESTIMENTOS CARDOSO E DIAS TRAUMATO ORTOPEDICO CARLA CITTADINO PESCADOS CARLOS ROBERTO DE OLIVEIRA CASA LOUCA COMERCIO DE UTILIDADES PARA O LAR CASTELO COMERCIO DE VEICULOS CENTRAL EOLICA ARCO VERDE CENTRAL EOLICA ARENA CENTRAL EOLICA BURITI CENTRAL EOLICA MUNDAU CENTRAL EOLICA MURUJUBA CENTRAL EOLICA PEDRAS CENTRO DE BELEZA E ESTETICA SOUZA DUARTE CENTRO DE BELEZA E ESTETICA SOUZA DUARTE CENTRO DE EMBELEZAMENTO REGIS HAIR DESIGNER CENTRO DE TREINAMENTO E CONVENCOES ITAIPAVA PETROPOLIS CENTRO EDUCACIONAL CASTELO DE ENCANTOS CENTRO EDUCACIONAL EMILE SOUZA CENTRO EDUCACIONAL EMILE SOUZA CENTRO EDUCACIONAL JOAQUIM ELIAS CEPEC CENTRO EDUCACIONAL PETROPOLITANO CRISTAO CEREZO FULL AUTOPECAS CF BRANDS PROMOCAO E DIVULGACAO CF BRANDS PROMOCAO E DIVULGACAO CHAPELCO MONTAGEM DE MOVEIS CHAPELCO MONTAGEM DE MOVEIS CHEVRON BRASIL LUBRIFICANTES CHILDREN KID S COMERCIO DE ROUPAS CHOPERIA ARABE DE LARANJEIRAS CHRYSO CIA 44 DE NEGOCIOS S A CIFRA CRED PROMOTORA FINANCEIRA E ASSESSORIA CITTA ROMA SERVICOS DE TRANSPORTE CLAMA COMERCIAL CLAP METAIS CLAUDIA RODRIGUES FERREIRA CML MERON & BRAGA COMERCIO REPRESENTACAO E INTERMEDIACAO DE APARELHOS E EQUIPAMENTOS ELETRONICOS COCA COLA INDUSTRIAS COESA TRANSPORTES COLINA INDUSTRIA COMERCIO E TRANSPORTES COLT VILA DA PENHA SERVICOS DE ACESSO A INTERNET COMERCIO DE RACOES PENHA COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRAFEGO CET RIO COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRAFEGO CET RIO COMPANHIA DE INVESTIMENTOS RESULTADO COMPANHIA DE TURISMO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TURISRIO COMPANHIA DE TURISMO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TURISRIO COMPANHIA FLUMINENSE DE REFRIGERANTES CONCESSIONARIA AGUAS DE JUTURNAIBA S/A CONDUTO COMPANHIA NACIONAL DE DUTOS CONSORCIO CONSTRUTOR FLUMINENSE CONSTRUTORA E EMPREITEIRA PINHEIRO E OLIVEIRA PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS CONSTRUTORA E EMPREITEIRA PINHEIRO E OLIVEIRA CONSTRUTORA NORBERTO ODEBRECHT BRASIL S A CONSTRUTORA SANTA RITA S/A COOPERATIVA DOS CATADORES DE MATERIAL RECICLAVEL DE JARDIM GRAMACHO COOPERJARDIM COPDUC -CLINICA DE ORTOPEDIA E PSICOLOGIA DE DUQUE DE CAXIAS CORREA MEDEIROS ESQUADRIAS COSTA E DOMINGUES SERVICOS ELETRICOS COSTA E DOMINGUES SERVICOS ELETRICOS CRIO ANGRA RADIOLOGIA CRISTIANA SOARES DE ALMEIDA PASSOS CRM EXPRESS CRUZEIRO DO SUL HOLDING FINANCEIRA S A CRUZEIRO DO SUL HOLDING FINANCEIRA S A CURSO PLA PORTUGUES LINCOLN MOURA E ALEXANDRE SOARES CURSO PLA PORTUGUES LINCOLN MOURA E ALEXANDRE SOARES D JAN MOTOS DANDAO DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS DB MEDICINA LOGISTICA DB2X TECNOLOGIA EM INFORMATICA DB2X TECNOLOGIA EM INFORMATICA DELICIAS DA AMELIA RESTAURANTE DELICIAS DA AMELIA RESTAURANTE DELPHOS SERVICOS TECNICOS S/A DESCA DO SALTO DESCA DO SALTO DESTAC PADUA COMERCIAL E REPRESENTACOES DIAS PRODUCOES E EVENTOS DIAS PRODUCOES E EVENTOS DILVA DE FATIMA PERES LOPES RESTAURANTE E LANCHONETE DILVA DE FATIMA PERES LOPES RESTAURANTE E LANCHONETE DIONIZIO E BARBOSA REPRESENTACOES DIONIZIO E BARBOSA REPRESENTACOES DIRCEU REZENDE DE SOUZA DIRCEU REZENDE DE SOUZA DISTRIBUIDORA ARAPO ITAOCARA DISTRIBUIDORA DE PAULA DISTRIBUIDORA SOUZA DOS ANJOS DONNA DUDA COMERCIO VAREJISTA DE ROUPAS CALCADOS E ACESSORIOS DOREX ADMINISTRACAO E PARTICIPACOES S/A DROGARIA DOIS BAIRROS DROGARIA GALANTI DE NOVA IGUACU DROGARIA MEXICO DROGARIA SUPERSTAR E & J SUB EMPREITEIRA A CONCRETO DE MAO DE OBRA E M ARAUJO TRANSPORTES E LOCACOES E M ARAUJO TRANSPORTES E LOCACOES E MANHAES DE FREITAS PRODUTOS ALIMENTICIOS ME EACH ONE INGLES ESPECIFICO E CONVERSACAO EACH ONE INGLES ESPECIFICO E CONVERSACAO ECO Q PARA DESENVOLVIMENTO COMERCIO E INVESTIMENTO ECONET INFORMATICA EDULI DOS MICROS COMERCIO DE INFORMATICA EKO ADVANCE COMERCIO DE MOVEIS ELETRODOMESTICOS E ARTIGOS DE DECORACOES ELETROBRAS TERMONUCLEAR S/A ELETRONUCLEAR ELIAS GONCALVES PIRES ELIAS GONCALVES PIRES ELOIR ABDALLA CANDIDO VEICULOS ELOIR ABDALLA CANDIDO VEICULOS EMPRESA DE NAVEGACAO ELCANO S/A EMPRESA SUL FLUMINENSE DE SOLUCOES E SERVICOS DE ASSESSORIA. ME EMPROTEC PROJETOS INDUSTRIAIS ENCANTO TELEFONIA CELULAR E INFORMATICA ENERGIA COMERCIO DE ROUPAS ENERGIA COMERCIO DE ROUPAS ENERGIA DO BEM & STAR PRODUTOS NATURAIS ENERGIA HOLDING COMPANY S/A ERALDO FERREIRA DO NASCIMENTO ERIK WOO JAE KIM COMERCIO DE ROUPAS ERIK WOO JAE KIM COMERCIO DE ROUPAS ESCARLATE CORRETORA DE SEGUROS ESPACO TERAPEUTICO MD LOREDO ESPACO TERAPEUTICO MD LOREDO ESQUINA DA PICANHA BAR RESTAURANTE E LANCHONETE ESTRELA GUIA SERVICOS DE REPRESENTACAO ESTRELA GUIA SERVICOS DE REPRESENTACAO EVENMOB CONSULTORIA DE IMOVEIS F A M DE FIGUEIREDO COMERCIO DE ROUPAS F A M DE FIGUEIREDO COMERCIO DE ROUPAS F D DE ANGRA PADARIA LANCHONETE E MERCEARIA F D DE ANGRA PADARIA LANCHONETE E MERCEARIA F G N COMERCIO DE ROUPAS F I T TIMBER PARTICIPACOES S A F R AMIGOS AUTO FREIOS F R AMIGOS AUTO FREIOS FABIO 2009 COMERCIO DE MATERIAIS DE CONSTRUCAO FABIO DOS SANTOS TRUBAT FABRICA CARIOCA DE CATALISADORES S/A FABRICA CARIOCA DE CATALISADORES S/A FABRINI ARTIGOS DE BIJUTERIAS FABRINI ARTIGOS DE BIJUTERIAS FACE GARDEN TRANSPORTE DE ANIMAIS E COMERCIO DE PRODUTOS ANIMAIS FACTORING EXPRESS FOMENTO MERCANTIL FARMACIA AGRESTE FERNANDO JOSE DA SILVA SOUZA FERREIRA & OLIVEIRA PRODUTOS ALIMENTICIOS FIARCEN FILTROS DE AR CENTRAL FIXO EQUIPAMENTOS PARA CONSTRUCAO CIVIL INDUSTRIA E COMERCIO FLAVIA DA SILVA DIAS FERNANDES FLORESTINHA RACOES FOROSUL PRODUCOES CULTURAIS E ARTISTICAS FRATELLI VITA BEBIDAS S A FRB PAR INVESTIMENTOS S/A FREESOM 2000 ACESSORIOS G M P NATAL CONFECCOES DE ROUPAS ME GAIAN DE OLIVEIRA MARIANO GARRA INDUSTRIA E COMERCIO DE REBOQUES GENESIO RODRIGUES DA SILVA GEODATA SERVICOS OFFSHORE S A GERA SOLUCOES EM INFORMATICA GERALDO G PATRIOTA SERVICOS DE HOSPEDAGEM GERMASIL MATERIAL DE CONSTRUCAO GERMASIL MATERIAL DE CONSTRUCAO GILSON JOAQUIM DIAS FILHO ME GLOSS MODAS FINTELMAM GLOSS MODAS FINTELMAN GLYNWED INDUSTRIA DE BOMBAS E VALVULAS GMT SHIPPING BRASIL AGENCIA MARITIMA GMT SHIPPING BRASIL AGENCIA MARITIMA GOLDEN PRESS GRAFICA GOLDEX BAR E RESTAURANTE GONZALO BAR E RESTAURANTE GONZALO BAR E RESTAURANTE GOYTAGAS ENERGIA S A GPX PARTICIPACOES GTI IMPORTACOES E EXPORTACOES GUIMA INTERMEDIACAO DE NEGOCIOS HAPPY BERRY ALIMENTOS HARDMED ENGENHARIA MEDICA HARKNESS COMERCIO IMPORTACAO E EXPORTACAO E DISTRIBUICAO HEA FENIX INSTALACOES E INFRAESTRUTURA HEBROM 100 CURSO E MATERIAL DIDATICO HEIMEZER INDUSTRIAL DE BEBIDAS E DE ALIMENTOS HELANGE DOS SANTOS E ALMEIDA PADARIA E LANCHONETE HERMANNY E HERMANNY ENERGIA SUSTENTAVEL HERMANNY E HERMANNY ENERGIA SUSTENTAVEL HIPERPAPER COMERCIO DE PAPEIS HOME SHOPPING CONSULTORIA DE COMUNICACAO E MARKETING HORTIFRUTI URUCUIA HORTIFRUTI URUCUIA I C REDE IMPORTACAO E EXPORTACAO DE MEDICAMENTOS VETERINARIOS IDALIO GOMES DA VICTORIA IDEIASNET S/A IDEIASNET S/A IMAGEM BRASIL IMPORTACAO E EXPORTACAO INALARE ASSISTENCIA TECNICA DE APARELHOS MEDICOS INDUSTRIA DE LATICINIOS SAO JOSE INDUSTRIA FARMACEUTICA MILIAN EPP INFO 21 COMERCIO E SERVICOS EM INFORMATICA INK JET INK COMERCIO DE REENVAZAMENTO DE PRODUTOS TECNICOS DE LIMPEZA INK JET INK COMERCIO DE REENVAZAMENTO DE PRODUTOS TECNICOS DE LIMPEZA INOVA AIR COMERCIO E SERVICOS DE REFRIGERACAO INOVA AIR COMERCIO E SERVICOS DE REFRIGERACAO IPIRANGA PRODUTOS DE PETROLEO S A IRB BRASIL RESSEGUROS S/A IRMAOS DENTAL COMERCIO E REPRESENTACOES IRMAOS OKUMURA FOTO STUDIO LABORATORIO IRMAOS OKUMURA FOTO STUDIO LABORATORIO IRMAOS SANTOS SERVICOS E LIMPEZA IRMAOS SANTOS SERVICOS E LIMPEZA ISMIL ISOLANTES TERMICOS ITACAR MOTOS CAMPOS ITAFER DISTRIBUIDORA DE ARTIGOS DE PAPELARIA E INFORMATICA ITAMAR JUNIOR DE NOVA FRIBURGO ITAMARAJU PARTICIPACOES S/A ITNX COMERCIO E TECNOLOGIA ITNX COMERCIO E TECNOLOGIA J A DA SILVA SUB EMPREITEIRA J A DA SILVA SUB EMPREITEIRA J GONCALVES INDUSTRIA E COMERCIO JABR PARTICIPACOES S A JLS PRODUCOES ARTISTICAS E SERVICOS GRAFICOS JOAO CARLOS DA SILVA MADEIRA ME JOCA MODAS JOCA MODAS JOSE CARLOS FREIRE DA CRUZ COMERCIO DE ACESSORIOS E ARTIGOS DE VESTUARIO JOSE CARLOS FREIRE DA CRUZ COMERCIO DE ACESSORIOS E ARTIGOS DE VESTUARIO JOTAELE MATERIAIS DE CONSTRUCAO JPA SERVICE VIAGENS E TURISMO JR DISTRIBUIDORA ITAOCARENSE JR DISTRIBUIDORA ITAOCARENSE JULIA SILVA DE ALMEIDA JULIO E GABRIG COMERCIO DE ARTIGOS ESPORTIVOS E BICICLETARIA K E RJ INFORMATICA KARLA VALERIA MEDINA KARLOG SERVICOS E LOGISTICA KLABIN COMERCIAL METALURGICA KNAWHOW MARCENARIA KRIOLA PARTICIPACOES KROMA CONSTRUCOES E SERVICOS L M 85 COMPUTADORES E PERIFERICOS LANCHONETE CENTRAL DE CAXIAS LANCHONETE CENTRAL DE CAXIAS LANG ELETRO MEDICINA EPP LARAMO INFORMATICA LATAPACK BALL EMBALAGENS LAVAZZA DO BRASIL INDUSTRIA E COMERCIO LB RODRIGUES CORRETORA DE SEGUROS ME LEATICOM INFORMATICA ALUGUEL DE MAQUINAS E EQUIPAMENTOS LEATICOM INFORMATICA ALUGUEL DE MAQUINAS E EQUIPAMENTOS LEB 103 COMERCIO DE UTILIDADES DOMESTICAS LEREBY PRODUCOES SPE BRASILEIRAS LESTADA COMERCIO IMPORTACAO E EXPORTACAO LIBERE COMERCIO DE ROUPAS CALCADOS RELOGIOS E ACESSORIOS LIBERE COMERCIO DE ROUPAS CALCADOS RELOGIOS E ACESSORIOS LIMATRIAS REPRESENTACOES LINHA DE TRANSMISSAO CORUMBA LINK LU SERVICOS DE INFORMATICA LINS E PIRES MATERIAL ELETRICO E HIDRAULICO LINS E PIRES MATERIAL ELETRICO E HIDRAULICO LLX ACU OPERACOES PORTUARIAS S/A LLX LOGISTICA S/A LLX MINAS RIO LOGISTICA COMERCIAL EXPORTADORA S/A LM 13 BAR E LANCHONETE LM 13 BAR E LANCHONETE LOPES E CARVALHO CONFECCOES LOPES E CARVALHO CONFECCOES LUCSAN COMERCIO DE MAT VESTUARIO LUIS FERNANDES MONTEIRO DA SILVA LUIZ CLAUDIO FERREIRA LEONARDO LUIZ DA SILVA ALMEIDA LUIZ DA SILVA ALMEIDA LUMINA RESIDUOS INDUSTRIAIS S A M A S PRESTACAO DE SERVICOS DE VOLTA REDONDA M A S PRESTACAO DE SERVICOS DE VOLTA REDONDA M BARROS MAKE UP PERFUMARIA E COSMETICOS M LEDERMAN PRODUCOES DE EVENTOS M V DE ARAUJO COMERCIO DE ROUPAS M V DE ARAUJO COMERCIO DE ROUPAS MACHADO & RAPOSO CONSTRUCOES MADRIO COMERCIO DE MADEIRAS MAIO REPRESENTACCOES E EVENTOS MAIO REPRESENTACOES E EVENTOS MANIA DE ARTE COMERCIO DE ARTESANATO MANIA DO RECREIO ALIMENTOS MANIA DO RECREIO ALIMENTOS MANIA DO RECREIO ALIMENTOS MARB MEL INDUSTRIA E COMERCIO DE BEBIDAS MARCEU S RJ COMERCIO DE LIVROS DIDATICOS EPP MARCOS ANTONIO ALVES DE LIMA MARCUS VINICIUS MENEZES CARVALHO ME MARDOQUEU COMERCIO DE EQUIPAMENTOS DE SEGURANCA MARDOQUEU COMERCIO DE EQUIPAMENTOS DE SEGURANCA MARFISA DE ABREU PINHEIRO DE JESUS CONTABILIDADE MARIA EDINETE MESQUITA MARMORARIA IRAJAENSE MATERIAIS DE CONSTRUCOES ALMEIDA E PEREIRA MATERIAIS DE CONSTRUCOES ALMEIDA E PEREIRA MAYARA DOS SANTOS COSTA GOMES OLIVEIRA MB CONSULTORIA METROLOGIA MB CONSULTORIA METROLOGIA MDRJ 20 EMPREENDIMENTOS E PARTICIPACOES S/A MEGA TACOGRAFO MEGA TACOGRAFO MELQUISEDEQUE LANCHES MENEZES CARVALHO SUL COMERCIO E SERVICOS DE MONTAGEM INDUSTRIAL MERCADINHO SIMERIA MERCADINHO SIMERIA MERCADO JONEL MERCADO SILVA REZENDE MERCADO SILVA REZENDE MERCANTIL RIO DAS OSTRAS MATERIAL DE CONSTRUCAO MERCEARIA JURUJUBA NOTA MERCEARIA JURUJUBA NOTA MERCEARIA TRIUNFO DE TAMOIOS MERCEARIA TWO FRIENDS DE SANTA CRUZ MESQUITA ELETRO MOVEIS E UTILIDADES PARA O LAR MESQUITA ELETRO MOVEIS E UTILIDADES PARA O LAR MESTRE ARTES GRAFICAS EPP METALURGICA PONTO AZUL INDUSTRIA E COMERCIO MICROCIS CONSULTORIA INFORMATICA E SERVICOS MICROS MOURA RIO COMERCIO E SERVICOS DE INFORMATICA MIDAX EMPREENDIMENTOS MINAS FACTORING COMERCIO E INDUSTRIA MINERACAO NAQUE S/A MINISTERIO DE LOUVOR DIANTE DO TRONO MIRIAN E HERMINIO BUFFET MOK DA BARRA SERVICOS DE ALIMENTACAO EPP MONSENHOR VEICULOS MONT RIO SERVICOS E REFORMAS MONZA AUTOMOVEIS MORLIM PARTICIPACOES S/A MOVELITE MOVEIS PARA ESCRITORIO EPP MP VALQUEIRE PIZZARIA MP VALQUEIRE PIZZARIA MR COMERCIO DE INFORMATICA MR COMERCIO DE INFORMATICA MUDAR NEGOCIOS IMOBILIARIOS MUDAR SPE 24 EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS N CERQUEIRA CONSTRUCAO E REFORMAS EM GERAL E MONTAGEM DE GALPAO N CERQUEIRA CONSTRUCAO, REFORMAS E MONTAGEM DE GALPAO N F VIEIRA ME N S FELICIO LOCACAO DE MAQUINAS E SERVICOS NADJARA DA SILVA GIOVANNINI NAILA MIRANDA DE SA ME NINA LANES CONFECCAO E COMERCIO DE ROUPAS NORSE ENERGY DO BRASIL S/A NORTEK TERRAPLENAGEM E EMPREENDIMENTOS NOSTRO JARDIM MATERIAIS DE CONSTRUCAO NOTA 10 SERVICOS PROMOCIONAIS NOTA 10 SERVICOS PROMOCIONAIS NOVA ARQUITETAS ASSOCIADAS NOVA INDUSTRIA 2011 DE MARMORES E GRANITOS BARREIRA SIMOES NOVA INDUSTRIA 2011 DE MARMORES E GRANITOS BARREIRA SIMOES O D FONSECA SERVICOS TECNICOS DE ENGENHARIA OG NET S/A OIKOS PESQUISA APLICADA OLEARYS TECNOLOGIA E CIENCIA S A OLIVEIRA & SARMENTO COMERCIO DE COLCHOES OLIVEIRA & SARMENTO COMERCIO DE COLCHOES ONDAFIX ONDAFIX OTENIEL FRANCA DOS SANTOS OTICA BRITANIA OTICA ESTRELA DALVA OTIMIX ENGENHARIA E CONSTRUCOES DE BOM JESUS OTIMIX ENGENHARIA E CONSTRUCOES DE BOM JESUS PADARIA E CONFEITARIA SEGREDO DO PAO PADARIA E MERCADO BRACHUY PADARIA E MERCADO BRACUHY PAMYGO ALIMENTOS PANIFICACAO CACHOEIRO DE CARDOSO MOREIRA PARADA 1621 GAS NATURAL PARKS & GAMES GRANDE RIO EPP PEREIRA E GONCALVES DROGARIA PERFORMANCE CRUZEIRO EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS S A PET SHOP VETENKASA HIGIENE E EMBELEZAMENTO DE ANIMAIS

5 DOMESTICOS PET SHOP VETENKASA HIGIENE E EMBELEZAMENTO DE ANIMAIS DOMESTICOS PIA PRODUCAO E COMUNICACAO PIA PRODUCAO E COMUNICACAO PJ CONSTRUCOES E REFORMAS PJ CONSTRUCOES E REFORMAS PLANEJE DESIGN MOVEIS MODULADOS PLANETA H CAMPOS VEICULOS PLAZA 1000 TENNIS ARTIGOS ESPORTIVOS EPP PMSM PUBLICIDADE E COMUNICACAO POLI SAUDE SERVICOS DE IMAGENS E MEDICINA DO TRABALHO POLMART COMERCIO DE MATERIAIS DESCARTAVEIS POLMART COMERCIO DE MATERIAIS DESCARTAVEIS PONTA DA AREIA QD XIV PARTICIPACOES PORTO REAL S/A COMERCIO INDUSTRIA E AGROPECUARIA POSTO 5 ESTRELAS DE VALAO DO BARRO POUSADA CASA DE VERONA POUSADA CASA DE VERONA POUSADA CASA DE VERONA POUSADA PORTO & SIQUEIRA POUSADA PORTO & SIQUEIRA PRADO COMERCIO VAREJISTA DE FRUTAS E LEGUMES PRADO COMERCIO VAREJISTA DE FRUTAS E LEGUMES PREMER COMERCIO EQUIPAMENTOS E SERVICOS DE CONSULTORIA PROLINE EQUIPAMENTOS ELETRONICOS PUMA DE PARATY TELECOMUNICACOES PUMA DE PARATY TELECOMUNICACOES R B DA SILVA EMPREITEIRA R B DA SILVA EMPREITEIRA R B RIBEIRO INFORMATICA R B RIBEIRO INFORMATICA R C RAMOS SERVICOS DE LIMPEZA R CAMARA REBOQUE PRESTADORA DE SERVICOS ME R D M REPRESENTACOES COMERCIAIS R D M REPRESENTACOES COMERCIAIS R M D COMERCIO DE PRODUTOS EROTICOS R M D COMERCIO DE PRODUTOS EROTICOS R R DE JESUS REPRESENTACAO COMERCIAL R R DE JESUS REPRESENTACAO COMERCIAL RADIOLOGIA E ULTRASSONOGRAFIA TANNUS RAFAELA LEGENTIL RABELLO VELOSO RAIA S/A RBD 10 COMERCIO DE ROUPAS REAL PRUMO CONSTRUCAO E REFORMAS REALENGO COMERCIO DE ALUMINIO REALENGO COMERCIO DE ALUMINIO REALEZA IGUACU COMERCIO DE ALUMINIO REALEZA IGUACU COMERCIO DE ALUMINIO REDE AUTORIZADA AUDIO E VIDEO REI DO MILHO DISTRIBUIDORA E TRANSPORTADORA DE CEREAIS REI DO MILHO DISTRIBUIDORA E TRANSPORTADORA DE CEREAIS REILANA ROSA DOS VENTOS MATERIAL DE CONSTRUCAO REPAR COMERCIO DE EMBALAGENS RESTAURANTE E CHURRASCARIA ASSIM ASSADO RESTAURANTE E CHURRASCARIA ASSIM ASSADO RESTAURANTE E LANCHONETE RECANTO DA AMENDOEIRA DE RIO BONITO RG CRED SERVICOS ADMINISTRATIVOS RGV CONSULTORIA E REPRESENTACAO RICARDO DA FONSECA RICARDO LUCIO SCHLOSSER RICARDO LUCIO SCHLOSSER RIQUALY 2003 COPIADORA RJ SERVICOS CINE VIDEO RJT TENNIS COMERCIAL EPP RL ESCRITORIO VIRTUAL DE SERVICOS ADMINISTRATIVOS PARA TERCEIROS RL ESCRITORIO VIRTUAL DE SERVICOS ADMINISTRATIVOS PARA TERCEIROS ROCHA E SILVA REPRESENTACOES DE PRODUTOS FARMACEUTICOS RODRIGUES & BRITTO COMERCIO ELETRONICO RODRIGUES & BRITTO COMERCIO ELETRONICO ROMANEL SERVICOS E TRANSPORTES EPP ROMANY PRODUTOS HORTIGRANJEIROS EPP ROSA LEAL AUTOMACAO E MONTAGEM RUGATTO PECAS E SERVICOS AUTOMOTIVOS RUGATTO PECAS E SERVICOS AUTOMOTIVOS RZ RODRIGUES TRANSPORTES S CARRETIERO COMERCIO DE ROUPAS E SONORIZACOES ME S P STUSSI JUNIOR ALIMENTOS E REPRESENTACOES ME S S WHITE ARTIGOS DENTARIOS SA CAVALCANTE EMPREENDIMENTOS SA CAVALCANTE GUARULHOS EMPREENDIMENTOS SALUC LANCHONETE E PIZZARIA DE JACAREPAGUA JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS SAMBA VR EVENTOS SANDER ARTIGOS PARA PRESENTES SANDRA DE ABREU CONFECCAO SAUR LOCACAO DE MAQUINAS E EQUIPAMENTOS SAUR LOCACAO DE MAQUINAS E EQUIPAMENTOS SC2 PARTICIPACOES SCHLAUDER METAL INDUSTRIA E COMERCIO S/A SCUTELLATA PARTICIPACOES S/A SEISMIC MICRO TECHNOLOGY SOUTH AMERICA SOFTWARE SERPEL COMERCIO DE MATERIAL DE CONSTRUCAO - ME SERRARIA VALE DO RIO PRETO. ME SERTRADING S/A SERTRADING S/A SERTRADING S/A SERTRADING S/A SERTRADING S/A SHALOON ADONAI RECUPERADORA DE AUTOMOVEIS SHALOON ADONAI RECUPERADORA DE AUTOMOVEIS SHOW MOVEIS PADUA SINGULAR COMERCIO DE CALCADOS E ACESSORIOS SINGULAR COMERCIO DE CALCADOS E ACESSORIOS SKG COMERCIO DE MATERIAL ELETRICO HIDRAULICO E FERRAGENS SM BOTELHO REPRESENTACAO COMERCIAL SM MATERIAIS ELETRICOS E HIDRAULICOS SM MATERIAIS ELETRICOS E HIDRAULICOS SOCIEDADE DE ENSINO CRESCER SOCIEDADE DE ENSINO CRESCER SOCIEDADE S C TOLEDO CURSO DE IDIOMAS SOL FILME SOUZA E CASTRO COMERCIAL MAGAZINE SP ELETROELETRONICOS DA AMAZONIA SPACE CORRETORA DE SEGUROS SPACE CORRETORA DE SEGUROS SPECTRUM COMERCIO E REPRESENTACAO SPICE INVESTMENT 2000 S/A SPIEGEL ADMINISTRACAO E PARTICIPACOES SPIL SERVICOS TECNICOS DE ENGENHARIA STARDOM SPORTS COMERCIO E SERVICOS ESPORTIVOS STUDIO DO BEM ESTAR GKMX SUAD VENDAS E SERVICOS SUCUPIRA PORTELA COMERCIO DE MOVEIS SUNSET TEXTEIS & BAZAR INDUSTRIA E COMERCIO SUPER SAO VICENTE COMERCIO VAREJISTA DE GAS SUPER SAO VICENTE COMERCIO VAREJISTA DE GAS SUPPORT IMPORTACAO E EXPORTACAO T D F VALENTE RACHID SA REGO POUSADA T D F VALENTE RACHID SA REGO POUSADA TABU PARTICIPACOES E INVESTIMENTOS S/A TECNOLOGIA APLICADA AO RISCO E A GESTAO DO TRANSPORTE DO BRASIL S/A TARGET BRASIL TECON RIO TRANSPORTES E SERVICOS TELEMAR NORTE LESTE S/A TELMAX SECURITY E TELEFONIA TESCO DO BRASIL TETRAPOLOS MATERIAIS ELETRICOS TETRAPOLOS MATERIAIS ELETRICOS THE AXXON GROUP PRIVATE EQUITY PARTICIPACOES THE BEST JARDINAGEM E SERVICOS THIAGO JOSE DE SOUSA RODRIGUES THOMAZ E LEAL COMERCIO DE VERDURAS THOMAZ E LEAL COMERCIO DE VERDURAS TINOS S/A TNL PCS S/A TOC E LOC DISCOS E FITAS TOC E LOC DISCOS E FITAS TOP BEST TECNOLOGIA-SERVICOS E COMERCIO TOP BEST TECNOLOGIA-SERVICOS E COMERCIO TOPA TUDO 21 LOCACAO E OPERACAO DE BALSAS TORGRAN GRANITOS TRANSMISSORA ALIANCA DE ENERGIA ELETRICA S A TRANSPORTADORA RODOVIARIO LISBOA TRANZEPI CANTINA E RESTAURANTE TRANZEPI CANTINA E RESTAURANTE UAPE UROLOGISTAS ASSOCIADOS DE PETROPOLIS URBANIZADORA AGAELLES V S COUTINHO V S COUTINHO VANDER MOTOS ACESSORIOS PARA MOTOCICLETAS VELUDONNO DISTRIBUIDORA DE MATERIAL DE LIMPEZA VERA LUCIA BOECHAT POUBEL ME VERDE OLIVA TRANSPORTE E LOCACAO DE MAQUINAS VIA CONSULTORIA EMPRESARIAL S A VIA EXPRESSA AUTO POSTO VILA CYBER INTERNET GAMES & SERVICOS EPP VINCI PARTNERS INVESTIMENTOS VISION CONSULTORIA EM COMERCIO EXTERIOR ECONOMIA Ex-ministro do Turismo Luiz Barretto toma posse em substituição a Paulo Okamoto Da redação, com agências Com a promessa de formalizar este ano 500 mil pequenos negócios por meio do programa Empreendedor Individual, tomou posse ontem o novo presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o ex-ministro do Turismo Luiz Barretto, que substitui Paulo Okamoto. Na mesma solenidade, foi empossada toda a nova diretoria executiva do Sebrae. De acordo com Barretto, a formalização de um grande contingente de microempreendedores individuais terá reflexos positivos para o País. Isso vai contribuir decisivamente para o crescimento e fortalecimento da economia brasileira, com a inserção de milhares e milhares de pessoas na economia formal., disse ele, em seu discurso. Exportadoras - Atualmente, há 909 mil microempreendedores individuais formalizados. A criação desse status legal, que permite aos trabalhadores os benefícios da Previdência Social, foi possível por causa dos ajustes ao Estatuto Nacional das Microempresa e Empresa de Pequeno Porte a Lei Complementar nº 123/2006. Outra meta da nova diretoria do Sebrae é atender 1,1 milhão de empresas este ano. E o nosso objetivo não é apenas alcançá-la em termos quantitativos, queremos atender nossos clientes com qualidade, afirmou Barreto. Barretto assume o Sebrae Nacional também empenhado para que o Congresso Nacional aprove outra mudança no Estatuto: o Projeto de Lei Complementar (PLC) nº 591/2010, ampliando o teto e criando novas categorias para inclusão de empresas que podem se beneficiar com o regime de tributação especial (Simples Nacional), para pagar menos impostos e de forma desburocratizada. Presente na solenidade, o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), disse que o projeto, que está arquivado, poderá ser votado ainda este mês. A proposta tem apoio do PSDB. Para o governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, o PLC é de interesse de todos. Exportadoras - Um dos objetivos da nova gestão também será aumentar o número de micro e pequenas empresas exportadoras, que hoje são em torno de 12 mil, ou 1,3% das empresas brasileiras que exportam. De acordo com o Sebrae, há 5,9 milhões de micro e pequenas empresas no Brasil (99% do total de empresas), com 13,6 milhões de empregados (53% da mão de obra formal). Apesar da importância das micro e pequenas empresas no Brasil, a estrutura econômica é muito mais concentrada no país Elza Fiúza / ABr Barretto: formalização de microempreendedores terá reflexos positivos para o País que na Argentina e na Europa, por exemplo. No Brasil, as micro e pequenas empresas movimentam um quinto do Produto Interno Bruto (PIB), enquanto que na Argentina elas representam 60% do PIB e na União Europeia, 43%, segundo o empresário rural Roberto Simões, que tomou posse na presidência do Conselho Deliberativo do Sebrae. Além da posse de Barretto e Simões para mandatos de quatro anos, foram reconduzidos aos cargos Carlos Alberto dos Santos (diretor técnico) e José Cláudio dos Santos (diretor de administração e finanças). Quinta-feira, 10 de Fevereiro de W M UTILIDADES W M UTILIDADES W R DE OLIVEIRA PADARIA W R DE OLIVEIRA PADARIA W S ALBUQUERQUE BOLSAS E ARTIGOS PARA PRESENTES W S G INDUSTRIA DE MOLAS W SIMOES LOGISTICA E TURISMO W SIMOES LOGISTICA E TURISMO WBM AUTOMACOES ELETRICAS E COMERCIO VAREJISTA DE MATERIAL ELETRICO WILSIMAR DE SOUSA SILVA WILSIMAR DE SOUSA SILVA WILSON GOMES PEREIRA WKS EMPREENDIMENTOS E PARTICIPACOES WORKSHIP DO BRASIL SERVICOS TECNICOS XEROX SERVICOS E PARTICIPACOES ZAASVIG COMERCIO E SERVICOS DE EQUIPAMENTOS DE SEGURANCA ZAHAV COMERCIO IMPORTACAO E EXPORTACAO ZEN SOLUCOES EM ESTETICA CORPORAL ZEN SOLUCOES EM ESTETICA CORPORAL DOCUMENTOS EM EXIGÊNCIA O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Mauricio Tolmasquim, afirmou ontem que o próximo leilão de energia, previsto para o fim de junho, deverá contar com 6 mil a 9 mil MW disponíveis provenientes de projetos eólicos. O número, segundo o executivo, é projetado com base em volumes habilitados pela EPE no passado e não contratados, assim como por projetos não habilitados anteriormente. No último leilão tínhamos 8,3 mil MW habilitados, e contratamos cerca de 2 mil MW. Ou seja, são 6,2 mil MW em projetos já habilitados. Além disso, temos outros 3 mil MW (de projetos) que não foram habilitados pela EPE, mas que já podem ter conseguido licenças, explicou o executivo. Além de destacar o montante a ser incluído no leilão A-3, para início de suprimento de energia elétrica em 1º de janeiro de 2014, Tolmasquim também ressaltou a possibilidade de novas surpresas em relação a preços. A energia eólica atingiu um preço bastante competitivo, mas como a cada leilão temos sido surpreendidos, espero ser surpreendido novamente, destacou o executivo, que participou ontem do evento Wind Forum Brazil, realizado em São Paulo. Por isso, o presidente da EPE evita fazer projeções em relação a preços para o próximo leilão. São duas forças em sentido contrário. Por um lado os melhores sítios foram leiloados primeiro. Então, teoricamente, vamos para sítios 5 menos competitivos. Por outro, a tecnologia vai melhorando, você tem mais empresas fornecedoras no Brasil, e a tendência é baixar o preço. O leilão que vai revelar quem vai ganhar, comentou. Mercado livre - O ganho de competitividade da energia eólica abre perspectivas para que a fonte passe a ser negociada no mercado livre. O caminho, para isso, já está aberto. O Brasil é o único país do mundo a ter energia eólica competitiva no mercado, sem a necessidade de subsídios, destacou. Com isso, Tolmasquim acredita que a energia eólica já está em uma faixa de preço que possa atrair grandes consumidores. No ponto de vista de regulação, Tolmasquim destaca que a metodologia a ser aplicada para a energia eólica no mercado livre será semelhante àquela vista nos projetos incluídos nos leilões. Se as informações forem as mesmas utilizadas por quem já participou do leilão, os cálculos já foram feitos (anteriormente), explicou. O ganho de competitividade da geração de energia a partir de projetos eólicos abre perspectivas de que não precisem ser feitos novos leilões específicos para esses projetos. Essa é a perspectiva do executivo da área de Regulação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) presente no evento, Aymoré de Castro Alvim Filho. Acredito que não precise mais haver leilão específico para a eólica. A (energia) eólica já se mostrou bastante competitiva, disse.

6 6 Quinta-feira, 10 de Fevereiro de 2011ECONOMIA Claudia Violante, Silvana Rocha e Márcio Rodrigues A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) operou a sessão de ontem toda no vermelho e, no final da tarde, renovou as mínimas até quase perder o nível de 64 mil pontos - o patamar de 65 mil pontos havia sido perdido no início da tarde. Os investidores estrangeiros continuaram sua saga de fuga das ações domésticas e desencadearam um movimento de stop loss nos papéis, que desabaram generalizadamente. Varejo, construção civil e blue chips estiveram entre os setores mais penalizados. O Ibovespa encerrou o pregão com retração de 2,36%, maior queda porcentual desde 23 de novembro passado (-2,41%), para ,52 pontos, menor nível desde 26 de agosto de 2010 (63.867,48 pontos). Na mínima, registrou pontos (-2,67%) e, na máxima, pontos (-0,01%). No mês, a queda atinge 3,54% e, no ano, 7,34%. O giro financeiro totalizou R$ 7,516 bilhões. A bola de neve ladeira abaixo na Bovespa ganhou força no início da tarde, depois que o índice perdeu os 65 mil pontos. Agora, há uma resistência forte ao redor dos 63 mil pontos, nível que pode ser buscado nos próximos dias se nada mudar. A agenda de ontem reservava dois destaques e eles não serviram para trazer alívio à Bovespa. Um deles foi o depoimento do presidente do Fed, Ben Bernanke, na Câmara, onde ele não disse nada diferente do que já havia falado. Se não ajudou, também não atrapalhou, e os investidores engataram uma realização de lucros nas bolsas americanas. Às 18h21, o Dow Jones caía 0,16%, o S&P, 0,48%, e o Nasdaq, 0,30%. O segundo destaque era o anúncio do corte do Orçamento brasileiro. O governo cumpriu com o que se ouvia no mercado e prometeu reduzir em R$ 50 bilhões a conta. O dado veio em linha e também não pesou sobre a bolsa. Nesse nível de preços, há boas oportunidades de compras, segundo analistas, e isso pode dar alguma sustentação aos papéis nos próximos dias. Ontem, apenas três papéis subiram: LLX ON (+6,68%), BM&FBovespa ON (+3,57%) e OGX ON (+0,23%). Do outro lado, lideraram as perdas do índice Rossi ON (-4,88%), Lojas Renner ON (-4,84%) e Gol PN (-4,37%). Petrobras ON perdeu 3%, PN, 2,89%, Vale ON, 3,04%, e PNA, 2,44%. Câmbio - No fechamento, o pronto caiu 0,36%, para R$ 1,660 no balcão - menor valor desde 3 de janeiro deste ano (a R$ 1,650). Neste mês, acumula queda de 0,84% ante o real e, no ano, -0,24%. Na BM&F, a moeda encerrou com perda de 0,93%, a R$ 1,6599. Com a continuidade do fluxo favorável, o BC atuou duas vezes comprando moeda à vista. As taxas de corte nessas operações foram de R$ 1,6659 e R$ 1,6606. Às 16h40, o euro subia a US$ 1,3730, de US$ 1,3625 no fim da tarde de ontem em Nova York. O dólar estava a 82,405 ienes, de 82,37 ienes anteontem. Juros - Ao término da negociação normal da BM&F, antes do anúncio oficial do governo, a taxa do DI julho de 2011 ( contratos) indicava 11,87%, mesmo valor do ajuste de anteontem. O DI janeiro de 2012 marcava 12,31%, de 12,30%, com volume de contratos, enquanto o vencimento para janeiro de 2013 apontava 12,68%, igual a anteontem, com giro de contratos. O DI janeiro de 2014 recuava a 12,66%, de 12,67%, com contratos. O DI janeiro de 2017 indicava 12,51%, de 12,56%, e o DI janeiro de 2021 tinha taxa de 12,43%, de 12,48%, com volumes de e contratos negociados, respectivamente. As bolsas de valores de Londres e do Canadá fecharam acordo de fusão e de criação de uma nova bolsa de valores transatlântica, marcando um novo ponto de consolidação do setor. A London Stock Exchange Group (LSE) e a TMX Group Inc disseram que estavam em negociações avançadas, mas que concordaram com os termos do negócio, que criará um dos maiores locais do mundo com listagens de empresas, especialmente de recursos naturais, mineração e commodities. O negócio avalia a TMX em cerca de 2 bilhões de libras (US$ 3,21 bilhões), com base no preço de fechamento da ação da empresa na Bolsa de Londres na terçafeira. A fusão, que ainda está sujeita a aprovação dos órgãos reguladores do governo do Reino Unido e do Canadá, ocorre apenas uma semana depois das principais bolsas de valores da Rússia, a Micex Group e a RTS, anunciarem que planejavam uma fusão e a realização de uma oferta pública inicial de ações (IPO, em inglês) no segundo semestre de Como parte do acordo, os acionistas da TMX receberão 2,9963 ações da LSE por cada ação da empresa canadense que possuem. Os acionistas da LSE terão 55% e os da TMX ficarão com 45% capital social ampliado da holding do grupo resultante da fusão. As operadoras de bolsas Nyse Euronext e Deustche Boerse AG confirmaram que estão em negociações avançadas para uma fusão, numa combinação que criará a maior plataforma de negociações de ações e derivativos. Duncan Niederauer, executivo-chefe da Nyse Euronext, deverá ocupar a mesma posição na empresa combinada, segundo declaração das companhias confirmando as discussões. A companhia deverá ter sede dupla em Nova York e Frankfurt, com um comitê executivo igualmente formado por integrantes das duas organizações. Segundo as companhias, ainda não foi fechado nenhum acordo. Uma fonte disse que a transação deveria ser anunciada na próxima terça-feira, mas as companhias estavam preocupadas com eventuais vazamentos e decidiram fazer o anúncio ontem. Após a divulgação do comunicado, as negociações com as ações das duas empresas foram paralisadas. O anúncio se segue à notícia de que o London Stock Exchange Group PLC e o TMX Group, com sede em Toronto, acertaram uma fusão entre iguais, que criará um grupo transatlântico pesado em listagens de empresas dos setores de matérias-primas e energia limpa. O maior obstáculo para um acordo deve ser conseguir a aprovação dos reguladores europeus, que apresentaram objeções às propostas de combinações de plataformas de transações de ações no continente nos últimos anos. Após voltarem a ser negociadas, as ações da Nyse Euronext estavam em alta de 13,57%, em US$ 37,95, por volta das 15h30, de Brasília. Empresário rompe silêncio de 3 meses e dá detalhes de negócios de diferentes setores Sabrina Valle e Kelly Lima Da Agência Animado e cheio de frases de efeito, no melhor estilo Eike Batista, o presidente do Grupo EBX rompeu ontem silêncio de três meses para anunciar novidades nas empresas de seu conglomerado, negar rumores de que estaria doente e responder às críticas sobre a evasão de executivos de suas companhias. Num dia em que a bolsa fechou em baixa de 2,4%, Eike viu os papéis de algumas de suas empresas subirem até 8%. O empresário deu detalhes de negócios de diferentes setores, todos de cifras bilionárias. Afirmou que três de suas cinco companhias listadas na bolsa - que chegaram a ser chamadas de empresas de vento - começarão a gerar fluxo de caixa em agosto deste ano. Disse que listará papéis em Londres, comentou a descoberta de um poço de petróleo com características inéditas e anunciou ainda o lançamento de uma nova empresa do grupo, também com o indefectível X que marca seus negócios: CCX, de carvão colombiano. Esta fábrica de rumores dos trópicos já disse que estou tendo colapso nervoso, perdendo funcionários, perdendo a mão, perdendo a direção das empresas. Não tem nada disso, afirmou. Estou aqui com 11 dos nossos TAM/LAN O presidente da TAM, Líbano Barroso, afirmou ontem que a previsão de fusão da companhia aérea com a chilena LAN está mantida em até nove meses, ou seja para setembro deste ano. A previsão que divulgamos entre seis e nove meses, entre julho e setembro, ainda é a última, disse o executivo, durante evento da TAM em São Carlos (SP). No final de janeiro, a Justiça do Chile barrou a operação, entrou em férias forenses em fevereiro e o caso só será retomado em março. Posição mais clara, só após a manifestação da Justiça chilena. Qualquer recurso ocorrerá no âmbito daquele judiciário, onde a LAN está tomando todas as providências para cumprir a lei, afirmou. Barroso reafirmou que os acordos conjuntos de code share (compartilhamento de voos) com a LAN e de manutenção de aviões da companhia estrangeira no centro baseado na cidade do interior paulista estão mantidos, mas que todas as outras operações estão suspensas. Indagado se a TAM teria um plano B caso a fusão com a LAN fracasse, Barroso foi enfático: Nossos planos são para criar a Latam e todos os esforços são para isso; acreditamos que no decorrer do tempo normal essa fusão ocorrerá, explicou. Viracopos - Barroso disse que a TAM tem planos de aumentar a participação em voos e nas operações de manutenção de aviões em Viracopos, em Campinas (SP), quando houver a ampliação do aeroporto. Recentemente, o governo paulista concedeu a licença ambiental que ainda travava as obras. A TAM comemorou ontem, em São Carlos, os 10 anos do centro de manutenção da companhia aérea, o MRO (Maintenance, Repair and Overhaul) na cidade paulista. Durante o período, foram reparadas 1,4 mil aeronaves da frota própria e de outras companhias nacionais e 14 internacionais de nove países. Entre as aeronaves atendias está o avião oficial da Presidência da República. 44 diretores mostrando que o grupo tem uma consistência importante e que minha saúde não poderia estar melhor. Colômbia - Um dos grandes destaques ficou por conta do anúncio de planos para a criação da CCX, a partir de uma mina de carvão na Colômbia hoje subordinada à MPX, da área de energia. A abertura de capital (IPO) deve ocorrer até o primeiro trimestre de 2012 simultaneamente nas bolsas de São Paulo, Londres e Bogotá, e deve arrecadar até US$ 1,5 bilhão, espera Eike. Este é o Carajás do carvão, disse, sobre a qualidade do recurso, numa comparação ao minério de altas cotações da mina da Vale no Pará. Ricardo Correa, da Ativa Corretora, disse que o anúncio de Eike de aumentar a produção da mina de 5 milhões de toneladas em 2012 para 35 milhões de toneladas em 2015 fez a corretora elevar os cálculos de preço de rentabilidade de R$ 7 para entre R$ 10 e R$ 15 por ação. Eike também anunciou que MPX, OGX (petróleo) e OSX (equipamentos e serviços navais) vão se tornar operacionais em agosto, somando-se à MMX (mineração), até hoje a única empresa do grupo a gerar caixa. Apenas a LLX (logística) ficará pendente, gerando caixa a partir de Suas empresas de petróleo e A conclusão da perfuração de um poço da OGX na Bacia de Campos, anunciada ontem, poucos minutos antes da teleconferência de Eike Batista com analistas financeiros, foi considerada por muitos como a melhor notícia do dia, que se perdeu em meio a tantos outros anúncios feitos pelo empresário. Eike Batista estima que os ativos da companhia na Bacia de Campos tiveram valorização entre 30% e 40% somente com o anúncio de viabilidade daquela área e a perspectiva de início de produção a partir de agosto. Ainda bem que não vendemos nossos ativos no ano passado, porque agora podemos ganhar mais, disse o empresário, lembrando ter recusado oferta da chinesa SK para a aquisição de parte da concessão. A empresa tem planos de investir US$ 3 bilhões até 2013 mineração terão os papéis listados em Londres até o início do segundo semestre, garantiu. O objetivo, disse, é acessar mercados e investidores que possam na campanha exploratória, que inclui 87 poços, dos quais 37 já foram perfurados. O poço concluído comprovou sua elevada produtividade, em volumes semelhantes ao verificado no pré-sal, com a vantagem de estar localizado em águas rasas e muito próximo à costa. Essas características reduzem bastante o custo exploratório e valorizam o ativo. A área de Waimea apresentou vazão de 40 mil barris por dia, o que permitirá tirar em média 20 mil barris diários. Novos testes devem puxar para cima o volume de reservas estimado para a área, que estavam entre 600 milhões e 1 bilhão de barris. O principal destaque, aponta o analista Gustavo Gatass, é que a conclusão dos estudos indica que a aposta da OGX em um tipo de rocha diferente do padrão da visada na Bacia de Campos foi acertada. melhor financiar as empresas, já que alguns se sentem atraídos pelo Brasil, mas ficam intimidados com toda a burocracia que existe para entrar no mercado. Suzana Inhesta As vendas, em volume, da Coca- Cola Brasil subiram 11% em 2010, para 10,6 bilhões de litros comercializados. O faturamento somou R$ 17,7 bilhões. Somente no quarto trimestre do ano passado, o percentual de crescimento foi de 7%, registrando o 27º trimestre consecutivo de avanço nas vendas no País. O resultado da filial brasileira superou os percentuais globais e da região da América Latina. Em termos globais, as vendas cresceram 5% no ano e 6% no quarto trimestre de O crescimento na América Latina foi de 5% no ano e 5% no último período. O Brasil tem cumprido seu papel no atual cenário global, onde estão cada vez mais evidentes suas demonstrações de fôlego para crescer e abrigar negócios bem-sucedidos, baseados em seus fundamentos, afirmou o presidente da Coca-Coca Brasil, Xiemar Zarazúa. Segundo o executivo, a Coca-Cola acompanha o crescimento da economia brasileira e o desafio da companhia é continuar ampliando o portfólio de produtos vendidos para atender as demandas dos atuais e futuros consumidores. Para isso, a empresa anunciou investimentos de R$ 2,5 bilhões somente em 2011, 25% maior do que o aporte efetuado em Nos cinco anos, contados a partir de 2010 até 2014, queremos somar R$ 11 bilhões de investimentos no País, afirmou Zarazúa. A Coca-Cola ainda destacou que em 2010 lançou a garrafa sustentável PlantBottle - o Brasil foi o primeiro a usar a embalagem feita de 30% à base de planta entre os países de atuação da Coca-Coca na América Latina -, inaugurou, em abril, em Maceió, a primeira fábrica verde de refrigerantes do Sistema Coca-Cola na América Latina e lançou o Powerade, a bebida esportiva escolhida pela Fifa para a hidratação dos atletas da Copa do Mundo Fifa Célia Froufe A Shell terá de revender a uma terceira empresa os ativos físicos comprados da Jacta, braço da Cosan que atua na área de combustíveis para aviação, se quiser pelo menos manter a carteira de clientes que obteve com o negócio. A ação, que terá de ocorrer em até 90 dias, foi determinada ontem pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Caso descumpra a medida, a Shell terá de pagar multa diária de aproximadamente R$ 20 mil. O órgão antitruste foi rígido com o negócio fechado em 2009, por R$ 150 milhões, pois está preocupado com a competitividade do setor aéreo brasileiro, que está em franco crescimento no País. O abastecimento é insumo essencial para a aviação e representa grande parte dos custos, disse o presidente interino do Cade, Fernando Furlan. Além disso, teremos eventos importantes no País proximamente e este é um mercado de relevante valor estratégico, acrescentou, referindo-se à Copa do Mundo de Futebol (2014) e às Olimpíadas do Rio (2016). O caso foi a julgamento pelo Conselho há cerca de três meses, e chegou a receber aprovação do então presidente Arhtur Badin e do então relator do processo, César Mattos. Os dois tiveram seus mandatos expirados em novembro. Furlan, no entanto, pediu um prazo maior para se aprofundar no tema. E não gostou do que viu. Por isso, estimulou a Shell a apresentar uma proposta de acordo até a última segunda-feira. Sigilo - As sugestões, que estão sob sigilo, chegaram ao Cade na terça, mas a avaliação dos conselheiros foi a de que a proposta era insuficiente para fomentar a concorrência no setor. Por isso, a determinação conta também com a venda do direito do uso de participação no Parque de Abastecimento de Aeronave (PAA) nos aeroportos internacionais do Rio de Janeiro, de Guarulhos e de Recife. O conselho decidiu ainda que é preciso vender o direito de uso do parque próprio que a Jacta possui nos aeroportos internacionais de Belo Horizonte, Brasília, Campinas e Curitiba.

7 SAÚDE Remédio genérico contra a Aids será produzido no País Lígia Formenti O Brasil vai passar a produzir a versão genérica do Tenofovir, medicamento usado por 64 mil pessoas com aids e outras 1,5 mil com hepatite. O remédio será feito pelo laboratório oficial da Fundação Ezequiel Dias (Funed) do governo de Minas Gerais. O governo calcula que nos próximos cinco anos a economia com a produção do remédio genérico será de R$ 440 milhões. Atualmente, a droga é importada laboratório americano Gilead. O projeto para fabricação do Tenofovir, feito em parceria com iniciativa privada, foi apresentado em outubro de Desde aquele anúncio, o preço do remédio distribuído pelo produtor começou a cair - de R$ 6,73 a unidade para R$ 4,02. Até agora, somente com a redução, tivemos uma economia de R$ 110 milhões, disse o diretor do complexo industrial e inovação do Ministério da Saúde, Zich Moyses Filho. Com o Tenofovir, o Brasil passa a produzir 10 dos 20 medicamentos usados no coquetel antiaids. O primeiro lote começará a ser produzido semana que vem. A expectativa é de que a droga esteja disponível para pacientes no fim de março. A produção será suficiente para atender toda a demanda nacional. Nada impede que parceiros privados exportem o produto, disse Zich. O diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Dirceu Greco informou ainda haver a possibilidade de a produção nacional ser objeto de projetos de cooperação com outros países. O Tenofovir estava livre de patente. Essa condição, no entanto, somente foi conquistada depois que o Instituto de Tecnologia de Fármacos (Farmanguinhos) e a Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids (Abia) ingressaram com um processo no Instituto Nacional de Propriedade Industrial contestando a solicitação de patente feita pelo fabricante. Em 2008, depois de o Ministério da Saúde declarar interesse público da droga, o INPI apressou a análise do processo. Poucos meses depois, o pedido foi indeferido. Antes desse impasse, Tenofovir era um dos medicamentos mais caros usados no tratamento de pacientes com aids. Em 2008, sozinho, ele representava 10% dos gastos com remédios do programa nacional. O País ganha de diversas formas com a produção nacional: maior independência, fortalecimento do parque industrial, além de maior poder de negociação com fabricantes, disse Moyses Filho. Greco tem avaliação semelhante: A oferta a longo prazo fica garantida, porque o País deixa de depender da indústria internacional. Moyses Filho ressalta, no entanto, que a independência completa é algo que não há como se alcançar: A indústria está constantemente lançando remédios, drogas com indicações específicas que precisam ser adquiridas para garantir o sucesso do tratamento de pacientes brasileiros. Em 2010, o Brasil gastou R$ 577,6 milhões na compra de antirretrovirais importados e R$ 224,9 milhões na fabricação de nacionais. O preço inicial do Tenofovir nacional será, no início, de R$ 4,02. A intenção é reduzir o preço a R$ 3,60. A expectativa é a de que, até o fim do ano, Funed entregue para o Ministério da Saúde 36 milhões de comprimidos. Rede privada na luta contra a dengue Alex Rodrigues O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, voltou a destacar ontem a importância de os hospitais e clínicas particulares estarem aptos a atender pacientes suspeitos de dengue. Segundo o ministro, toda a rede pública e privada de atenção à saúde, dos postos aos hospitais mais sofisticados, deve ser capaz de identificar e lidar com os casos suspeitos da doença. Em janeiro, logo após o Ministério da Saúde ter implantado um cartão com o protocolo de atendimento médico específico para os casos suspeitos, Padilha se reuniu com representantes das operadoras de planos de saúde. Ele propôs às empresas que ajudem a divulgar os procedimentos entre os profissionais dos estabelecimentos privados. Na ocasião, Padilha revelou que pesquisas feitas pelo ministério indicam que o número de mortes é maior na rede particular. Hoje, o ministro reforçou o argumento, ao destacar que, de seis mortes por dengue recentemente registradas no estado do Amazonas, quatro ocorreram em hospitais particulares. Fizemos uma reunião com as operadoras de saúde e solicitamos que o protocolo de atenção usado na rede pública passe a ser usado também na rede privada para que ela esteja preparada para atender aos casos de dengue de forma prioritária, explicou Padilha ao participar, durante a manhã, da abertura oficial da campanha do Dia Nacional de Mobilização Contra a Dengue. Promovida com o objetivo de sensibilizar e mobilizar a população para a necessidade de todos participarem da luta contra o mosquito transmissor da doença (Aedes aegypti), a campanha irá se estender às superintendências estaduais da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) de todo o país. Padilha não descartou o risco real de uma epidemia, mas garantiu que o governo tem ações permanentes para evitar que isso ocorra. A médio prazo, o esforço é para que tenhamos uma vacina, que é a forma mais eficaz de combater a doença, disse. PAÍSQuinta-feira, 10 de Fevereiro de CÂMARA DEM protocola PEC sobre posse de suplentes Proposta é para empossar pela ordem das coligações e não dos partidos Eduardo Bresciani O deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) protocolou, com 190 assinaturas, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que visa manter a posse de suplentes na Casa pela ordem das coligações e não dos partidos, como deseja o Supremo Tribunal Federal (STF). A proposta deverá ser encaminhada agora à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e terá de passar por uma comissão especial antes de chegar ao plenário. A expectativa, porém, é de uma tramitação acelerada que permita à Câmara decidir o tema em março. A PEC tenta resolver um imbróglio que pode alterar até 20 cadeiras na composição da Casa. Duas liminares já foram concedidas pelo STF determinando a troca de suplentes empossados por outros que pertençam aos mesmos partidos de deputados licenciados. Até agora, porém, a Câmara ainda não reuniu sua Mesa Diretora para debater o tema. A tendência é encaminhar cada caso para a Corregedoria. Somente depois de um processo interno é que as liminares poderiam ser acatadas. O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), tem apoiado nos bastidores a PEC dos suplentes. Em reunião com o presidente do STF, Cezar Peluso, Maia afirmou que a solução para o caso tinha que vir do Legislativo. Com o apoio de Maia e dos líderes, a PEC pode ser pautada em uma sessão extraordinária no plenário e, com isso, ser votada mesmo com a pauta trancada por Medidas Provisórias. Apesar disso, alguns parlamentares procuram alguma solução mais ágil do que a PEC. Uma ideia é fazer algum projeto infraconstitucional tratando do tema. O problema é que uma lei desta forma poderia ser derrubada posteriormente pelo Supremo por inconstitucionalidade. JUSTIÇA ELEITORAL Cerca de 1,4 milhão de eleitores devem acertar situação Débora Zampier Cerca de 1,4 milhão de brasileiros terão um mês para regularizar a situação na Justiça Eleitoral. Segundo levantamento feito pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), essa é a quantidade de pessoas que não votaram nem justificaram a ausência nas urnas nas três últimas eleições. Pessoas nessa situação devem procurar cartórios eleitorais entre os dias 14 de fevereiro e 14 de abril para pôr em ordem a documentação. PARÁ PF quebra esquema de laudos ambientais falsos Um milionário esquema de liberação de licenças ambientais e planos de manejo em troca de dinheiro de madeireiras que atuam no Pará foi montado na Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema). O esquema, cujo processo corre sob segredo de Justiça, foi denunciado em 2009 à Polícia Federal, que deve concluir as investigações no fim deste mês. Quinze pessoas são investigadas, entre eles servidores, madeireiros, despachantes e políticos. Em conversas telefônicas gravadas com ordem judicial, a então governadora Ana Júlia Carepa (PT) tem seu nome citado por dirigentes da secretaria como interessada em desbloquear projetos de empresas que tinham problemas no órgão. Cinco deputados federais e estaduais eleitos também aparecem nas gravações, interferindo para que os projetos fossem liberados. São eles os deputados federais Cláudio Puty (PT), Giovanni Queiroz (PDT) e os estaduais Cássio Andrade (PSB), Bernadette ten Caten (PT) e Gabriel Guerreiro (PV). Cinco deputados federais e estaduais eleitos também aparecem nas gravações, interferindo para que os projetos fossem liberados Para atuar em uma determinada área florestal é preciso ter um plano de manejo aprovado pelo governo. No plano, a empresa aponta de que forma explorará a floresta de maneira sustentável Escutas - Em uma gravação, o servidor Dionísio Gonçalves de Oliveira, da Sema, reclama do tratamento que estaria recebendo do secretário adjunto do órgão, Cláudio Cunha. Oliveira diz que, se sete projetos de manejo que tinham pendências e irregularidades fossem aprovados, receberia R$ 800 mil (que seriam divididos com seu interlocutor na gravação) e R$ 300 mil ficariam para a chefa. Segundo a PF, trata-se de uma referência à liberação de dinheiro para a campanha eleitoral de Ana Júlia, que não se reelegeu. Em outra gravação, o secretário de Meio Ambiente, Edvaldo Pereira da Silva, que substituiu no cargo o investigado Aníbal Picanço, liga para o gerente Fernando Diniz e cobra a liberação do Cadastro de Exploradores e Consumidores de Produtos Florestais, dizendo que era um pedido da governadora. A suposta interferência seria a favor de duas madeireiras. Diniz responde que o cadastro já havia sido liberado, mas que um outro ainda dependia de numeração que a governadora não havia fornecido. Segundo a PF, centenas de projetos tiveram laudos forjados. Vistorias de campo em planos eram realizadas sem que os técnicos da Sema saíssem de seus gabinetes - bastava pagar entre R$ 5 mil e R$ 7 mil. Quem não pagava propina não tinha o plano de manejo aprovado. Listas com os nomes e números de inscrição de quem foi enquadrado como irregular serão fixadas nos cartórios eleitorais de cada cidade. O maior número de eleitores faltosos é registrado nos estados com maior colégio eleitoral: São Paulo ( ), Rio de Janeiro ( ), Minas Gerais ( ) e Bahia ( ). Os estados com menos faltosos são Roraima (4.182) e Amapá (6.921). A Justiça Eleitoral computou as ausências nas eleições gerais e municipais, além de pleitos suplementares determinados pelos tribunais regionais eleitorais. Não foram registradas as ausências em eleições que foram anuladas por determinação da Justiça. A partir do dia 2 de maio, a Justiça Eleitoral começa a cancelar os títulos de quem não acertou sua situação. O cancelamento, porém, não é definitivo, uma vez que a pessoa pode reativar seu título caso pague a multa e regularize a situação. Enquanto permanece com o título irregular, o eleitor não pode votar e tem suspensos a emissão de passaporte e de carteira de identidade, o recebimento de salário, caso seja funcionário público, e a obtenção de alguns empréstimos. Os eleitores que têm voto facultativo não terão os títulos cancelados. Se encaixam nesse quesito os os analfabetos, os que à época da eleição tinham entre 16 e 18 anos e os maiores de 70 anos. Também não terão os títulos cancelados os eleitores portadores de deficiência que torne impossível ou extremamente oneroso o cumprimento das obrigações eleitorais. Marcello Casal Jr / ABr Eunício Oliveira (PMDB) SENADO Eleito presidente da CCJ Os senadores da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) elegeram o peemedebista Eunício Oliveira (CE) para presidir o colegiado pelos próximos dois anos. O vice-presidente será o petista, José Pimentel. Assim que assumiu, Eunício Oliveira, propôs como primeira providência o desarquivarmo das propostas que tramitavam na comissão e foram arquivadas por exigência do fim do ano legislativo. BALANÇOS PATRIMONIAIS Exercícios findos em 15/12/10 e 31/12/09 (Em Processo de Liquidação - R$) ATIVO Circulante , ,17 Disponibilidades , ,78 Adiantamentos , ,16 Impostos a Recuperar , ,23 Não Circulante , ,27 Investimentos ,00 300,00 Imobilizado , ,09 Intangível , , , ,44 PASSIVO Circulante ,38 Obrigações trabalhistas e encargos sociais a recolher ,77 Outras contas a pagar ,61 Exigível a Longo Prazo: Outros Créditos ,38 Patrimônio Líquido , ,69 Capital Social , ,00 Reserva Legal , ,25 Lucros (Prejuízos) Acumulados... ( ,83) ( ,56) , ,44 A DIRETORIA Contador: Marco Antonio S. Nunes - CRC/RJ /0-6 PARATY INVESTIMENTOS S/A CNPJ/MF Nº / DEMONSTRAÇÕES DE RESULTADOS Exercícios findos em 15/12/10 e 31/12/09 (Em Processo de Liquidação - R$) Receita Operacional Bruta , ,21 Prestação de Serviços - Exterior ,76 Outras Receitas , ,45 Deduções da Receita: Impostos Diretos... - (1.229,63) Resultado Operacional , ,58 Despesas Operacionais... (78.723,02) ( ,05) Administrativas... (13.789,34) ( ,95) Pessoal... (17.851,59) (9.380,75) Depreciação... (47.082,09) ( ,31) Outras Despesas Operacionais... - (12.300,04) Resultado Financeiro Líquido... (3.774,35) ,37 Resultado antes das provisões tributárias... (64.054,27) ,90 Imposto de Renda ,17 Contribuição Social ,50 Resultado do Exercício... (64.054,27) ,23 Resultado por Ação... (0,0641) 0,0932 DEMONSTRAÇÕES DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS Exercícios findos em 15/12/10 e 31/12/09 (Em Processo de Liquidação - R$) Origens de recursos... (16.972,18) ,54 Das operações sociais: Lucro (Prejuízo)do Exercício.. (64.054,27) ,23 Despesas que não afetam o capital circulante líquido: Depreciações , ,31 Aplicações de recursos ,36 ( ,28) De Terceiros: Diminuição do exigível a longo prazo ,36 - No ativo permanente: Investimentos... - (10.000,00) Imobilizado... - ( ,28) Aumento (redução) do capital circulante líquido... (23.130,55) ,81 Capital circulante Ativo circulante:... (45.142,93) ,33 No fim do exercício , ,17 No início do exercício , ,84 Passivo circulante:... (22.012,38) ( ,48) No fim do exercício ,38 No início do exercício , ,86 Aumento (redução) do capital circulante líquido.. (23.130,55) ,81 DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO - Exercícios findos em 15/12/10 e 31/12/09 (Em Processo de Liquidação - R$) Capital Social Reserva Legal Lucros Acumulados Total Saldo em 31 de dezembro de , ,25 ( ,79) ,46 Lucro do Exercício , ,23 Saldo em 31 de dezembro de , ,25 ( ,56) ,69 Lucro do Exercício (64.054,27) (64.054,27) Saldo em 15 de dezembro de , ,25 ( ,83) ,42

8 JUSTIÇA 8 Quinta-feira, 10 de Fevereiro de 2011 José Geraldo da Fonseca FORÇAS ARMADAS Débora Zampier O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu ontem que a partir de janeiro de 2012 as Forças Armadas não poderão mais exigir, por meio de edital, limite de idade para admissão em concurso. Os ministros entenderam, por unanimidade, que é inconstitucional a imposição de limite idade por intermédio de ato administrativo, uma vez que a Constituição determina que só uma lei pode fazer isso. Os ministros também decidiram que quem entrou na Justiça contestando o limite de idade nos concursos das Forças Armadas terá esse direito assegurado. O julgamento do caso começou em março do ano passado e foi interrompido por dois pedidos de vista. Segundo o voto da relatora Cármen Lúcia, além de ser inconstitucional, o limite de idade por meio de edital esbarra em uma súmula vinculante do STF. PARATY INVESTIMENTOS S.A. CNPJ/MF Nº / NIRE: Assembléia Geral Extraordinária: I. Data, Hora e Local: Às 10h do dia 23/10/09, na sede social, à Av. Borges de Medeiros, 633/501, Leblon, RJ. II. Quorum: Acionistas representando a totalidade do capital social, indicados ao nal desta Ata. III. Convocação: Dispensada, na forma do 4º do Art. 124 da Lei 6.404/76. IV. Mesa: Presidente: Ian Robert Dubugras Junior; Secretária: Martha Campos de Castilho. V. Deliberações: Os Acionistas presentes, representando a totalidade do capital social da Cia., decidiram por unanimidade: A. Aprovar a dissolução de pleno direito da Cia., na forma prevista no Art. 206, I, c da Lei 6.404/76; B. Nomear como liquidantes da Cia., Ian Robert Dubugras Junior e Martha Campos de Castilho, abaixo quali cados, a quem competirá, sempre em conjunto, praticar todos os atos necessários à liquidação, inclusive a alienação de bens móveis, na forma do Art. 211 da Lei 6.404/76. C. Fixar honorários de R$ 500,00 mensais para cada um dos liquidantes durante o período de liquidação. D. Dispensar a instalação do Conselho Fiscal durante o período de liquidação da Cia.. E. Aprovar o Balanço Patrimonial da Cia. levantado nesta data, dispensado pelos acionistas sua transcrição no corpo da presente Ata. F. Aprovar, atendidos os pressupostos previstos no Art. 215, 1º da Lei 6.404/76 e na forma nele prevista, condições especiais para a partilha de parcela do ativo da Cia., com a atribuição dos seguintes bens aos acionistas: (i) ações ON escriturais de emissão da CETIP S.A. - Balcão Organizado de Ativos e Derivativos, CNPJ / ( CETIP ), pelo valor de R$ 3,04 por ação; (ii) parcela do saldo de caixa e saldo de bancos existentes nesta data, no valor de R$ ,19, conforme indicado no Balanço Patrimonial acima referido e nos extratos bancários da Cia.; e (iii) equipamentos de informática e infraestrutura utilizados nas atividades da empresa, conforme relação detalhada em anexo (Anexo I), pelo valor contábil constante do Balanço Patrimonial levantado em 30/09/09. G. Os bens relacionados na deliberação anterior são atribuídos aos acionistas, da seguinte forma: (i) ao acionista Ian Robert Dubugras Junior, brasileiro, separado judicialmente, RG SSP/RJ, CPF , residente e domiciliado na Av. Vieira Souto, 206/201, Ipanema, RJ, são atribuídas: (a) ações ON escriturais de emissão da CETIP; (b) R$ ,00; e (c) os equipamentos a seguir nomeados, conforme a listagem do Anexo I; (ii) à acionista Martha Campos de Castilho, brasileira, empresária, separada judicialmente, RG Detran-RJ, CPF , residente e domiciliada na Rua Intendente Costa Pinto, 56, Barra da Tijuca, RJ, são atribuídas: (a) ações ON escriturais de emissão da CETIP; (b) R$ ,00; e (c) os equipamentos a seguir nomeados, conforme a listagem do Anexo I; e (iii) ao acionista Marco Antonio François Franklin, brasileiro, casado, engenheiro, RG IFP-RJ, CPF , residente e domiciliado na Av. Epitácio Pessoa, 4.560/302, Lagoa, são atribuídas ações ON escriturais de emissão da CETIP; e (b) R$ ,00. H. Aprovar a retenção da parcela restante do saldo do caixa da Cia., no valor de R$ ,19, como provisão, para que a Cia. arque com os custos e despesas que incorrer durante a sua liquidação. Ao nal dos procedimentos, o saldo dessa quantia, assim como qualquer outra parcela do acervo líquido remanescente se houver, será atribuído aos acionistas na proporção em que participam do capital social da Cia.. I. Fica o Sr. Liquidante autorizado a proceder à imediata suspensão do CNPJ da sociedade, com vistas a paralisar a exigência de obrigações acessórias. J. Consignar, na forma do Art. 212 da Lei 6.404/76, que em todos os atos e operações da Cia. o Liquidante deverá usar a denominação Paraty Investimentos S.A. ( Em Liquidação ). K. Aprovar a lavratura da presente Ata em forma de sumário, conforme faculta o 1º do Art. 130 da Lei 6.404/76. VI. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, deram por encerrada a presente Assembléia, tendo-se antes feito lavrar a presente Ata que, lida e achada conforme, vai devidamente assinada pelos acionistas presentes. RJ, 23/10/09. Ian Robert Dubugras Junior - Presidente; Martha Campos de Castilho - Secretária. Acionistas Presentes: Ian Robert Dubugras Junior; Martha Campos de Castilho; Marco Antonio François Franklin. Administradores Presentes: Ian Robert Dubugras Junior; Martha Campos de Castilho; Marco Antonio François Franklin.JUCERJA, em 18/05/10. Valéria G. M. Serra - Secretária Geral. PARATY INVESTIMENTOS S.A. - EM LIQUIDAÇÃO CNPJ/MF Nº / NIRE: Assembléia Geral Extraordinária. I. Data, Hora e Local: Às 10h do dia 15/12/10, na sede social, à Av. Borges de Medeiros, 633/501, Leblon, RJ. II. Quorum: Acionistas representando a totalidade do capital social, indicados ao nal desta Ata, inclusive os sócios Sra. Martha Campos de Castilho e Sr. Ian Robert Dubugras Junior nomeados liquidantes da Cia. em Assembléia Geral da Cia. realizada em 23/10/2009. III. Convocação: Dispensada, na forma do 4º do Art. 124 da Lei 6.404/76. IV. Mesa: Presidente: Ian Robert Dubugras Junior; Secretária: Martha Campos de Castilho. V. Deliberações: Os Acionistas presentes, representando a totalidade do capital social da Cia., decidiram por unanimidade: A. Aprovar, sem quaisquer ressalvas, todos os atos e operações realizados pelos Liquidantes no decorrer do processo de liquidação da Cia., bem como as contas nais ora apresentadas pelos Liquidantes no curso desta Assembléia, dispensada pelos acionistas sua transcrição no corpo desta ata, os Acionistas e a Cia. outorgam aos liquidantes a mais plena, ampla, geral, irrevogável e irretratável quitação pelos serviços prestados e atos praticados, inclusive no que tange à transferência aos acionistas dos ativos objeto da partilha antecipada aprovada pela AGE de 23/10/09, no montante total de R$ ,16; B. Concluídos os atos inerentes ao processo de liquidação e integralmente pagos os passivos, resta partilhar entre os acionistas o ativo remanescente no valor de R$ 6.923,18, constante do Balanço especial levantado em , cuja distribuição deverá se dar na seguinte proporção: (i) ao acionista Ian Robert Dubugras Junior, brasileiro, divorciado, RG , SSP/RJ, CPF , residente e domiciliado na Av. Vieira Souto, 206/201, Ipanema, RJ, são atribuídos R$ 3.461,59; (ii) à acionista Martha Campos de Castilho, brasileira, empresária, divorciada, RG , Detran- RJ, CPF , residente e domiciliada na Rua Intendente Costa Pinto, nº 56, Barra da Tijuca, RJ, são atribuídos R$ 2.561,58; e (iii) ao acionista Marco Antonio François Franklin, brasileiro, casado, engenheiro, RG , IFP-RJ, CPF , residente e domiciliado na Av. Epitácio Pessoa, nº 4.560/302, Lagoa, são atribuídos R$ 900,01; C. Aprovar a baixa integral do saldo remanescente ativo não circulante não liquidado da Cia., em virtude do seu reduzido valor de mercado e inexistência de interessados em sua aquisição. D. Aprovar, tendo em vista a ultimação dos negócios da Cia., a realização do passivo e a conclusão da partilha do ativo remanescente, entre os acionistas, conforme item anterior, a extinção da Cia. com base no que preceitua o inciso I do Art. 219 da Lei 6.404/76, cessando sua personalidade jurídica, o patrimônio autônomo, não sendo mais a Cia. sujeita de direitos e obrigações. A extinção da Cia. se efetivará plenamente após a publicação e registro na JUCERJA da Ata da presente AGE. E. Os Liquidantes carão responsáveis em proceder à baixa da Cia. nos órgãos competentes, em especial perante o CNPJ, cando os Liquidantes, ainda, responsáveis pela publicação e arquivamento na JUCERJA, da Ata da presente AGE. As funções dos Liquidantes se encerrarão uma vez publicada e arquivada na JUCERJA a Ata da presente AGE. F. Aprovar a lavratura da presente Ata em forma de sumário, conforme faculta o 1º do Art. 130 da Lei 6.404/76. VI. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, deram por encerrada a presente Assembléia, tendo-se antes feito lavrar a presente Ata que, lida e achada conforme, vai devidamente assinada pelos acionistas presentes. RJ, 15/12/10. Ian Robert Dubugras Junior - Presidente; Martha Campos de Castilho - Secretária. Acionistas Presentes: Ian Robert Dubugras Junior; Martha Campos de Castilho; Marco Antonio François Franklin. Administradores Presentes: Ian Robert Dubugras Junior; Martha Campos de Castilho; Marco Antonio François Franklin. JUCERJA, em 26/01/11. Valéria G. M. Serra - Secretária Geral. AEROPORTOS Infraero e Duty Free respondem por prejuízo de R$ 50 milhões Vladimir Platonow Empresas devem responder por irregularidades referentes à concessão de uso de áreas comerciais nos dois aeroportos cariocas O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro (MPF/RJ) está movendo duas ações civis públicas de improbidade administrativa contra a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o grupo Duty Free e 29 executivos de ambas empresas. Eles vão responder por irregularidades referentes à concessão de uso de áreas comerciais no Aeroporto Internacional Tom Jobim e no Aeroporto Santos Dumont. A informação foi divulgada ontem pelo MPF. As ações movidas pelo procurador da República Edson Abdon Filho na 12ª Vara Federal do Rio de Janeiro apontam prejuízo de R$ 50,3 milhões, referente à assinatura de contratos de concessão sem licitação para exploração de lojas francas e de venda de produtos estrangeiros, de peças de publicidade e de construção de depósitos para as mercadorias. Segundo o MPF, a empresa se instalou no Galeão em 1987 e no Santos Dumont em 1998, com reiteradas prorrogações contratuais até SENADO O procurador ressaltou que embora a Lei de Licitações seja de 1993, existia à época dos contratos o Código Brasileiro de Aeronáutica, de 1986, que já previa a necessidade de licitação para exploração de áreas nos aeroportos. Não satisfeita em ceder áreas para comercialização de mercadorias estrangeiras, começaram a ceder veículos publicitários e espaços para edificação de depósitos. Tudo isso foi feito sem licitação, disse o procurador. Os funcionários da Infraero nos dois processos somam 20 pessoas, que se condenadas terão de restituir parte dos valores previstos na ação e poderão ser demitidos do serviço público. A Duty Free informou que não se manifesta em questões sob o exame da Justiça. A Infraero foi procurada e disse que ainda não foi citada na ação judicial em questão. Mariana Jungmann Luiz Fux foi aprovado ontem, por unanimidade, pelo Senado para ocupar a vaga de 11º ministro no Supremo Tribunal Federal. Ele foi indicado pela presidente Dilma Rousseff para ocupar a cadeira deixada vaga pelo ex-ministro Eros Graus, há cerca de seis meses. Fux é carioca, formado em direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, onde também já deu aula. O novo ministro já foi promotor de Justiça do Rio, e depois juiz de carreira. O seu último cargo foi de ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), SÃO PAULO Fábio Rodrigues Pozzebom / ABr Luiz Fux durante sabatina Recentemente, Fux coordenou o projeto de reforma do Código de Processo Civil no Senado a pedido do presidente da Casa, senador José Sarney (PMDB-AP). Gustavo Porto O desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), suspendeu, liminarmente, a falência da Indústria de Alimentos Nilza, decretada pelo juiz da 4ª Vara Cível de Ribeirão Preto (SP), Héber Mendes Batista, no último dia 24 de janeiro. O desembargador acatou o pedido de efeito suspensivo feito pelos advogados da companhia, até que o recurso encaminhado ao TJ-SP pelos advogados da Nilza seja julgado pela Câmara de Falências e Recuperações Judiciais. No despacho, Pereira Calças sustentou que a demora no julgamento do recurso poderá, em tese, causar lesão grave de difícil reparação, haja vista que, decretada a conversão da recuperação judicial em falência, tal fato praticamente impedirá eventual retomada do processo recuperatório. Segundo Sílvia de Luca, advogada da Nilza, a decisão liminar do desembargador deve impedir que a Justiça leiloe ativos da companhia até o julgamento do mérito do recurso, o que pode demorar de três a cinco meses. Caso houvesse o leilão, poderiam ocorrer danos irreversíveis, disse Sílvia. O juiz Héber Mendes Batista decretou a falência após constatar fraude no processo de recuperação judicial, com a compra de votos de credores para que fossem favoráveis ao novo plano de recuperação judicial. Toda a negociação foi flagrada por meio de escutas telefônicas do Ministério Público e revelada com exclusividade pela Agência Estado. Batista já havia solicitado à Deloitte, administradora judicial da Nilza, a avaliação da massa falida para possibilitar os leilões das unidades da empresa em Ribeirão Preto (SP) e Campo Belo (MG). Ele não foi localizado no início da noite de hoje pela reportagem. Ainda segundo a advogada, a intenção da Nilza é seguir com o previsto no plano de recuperação judicial, aprovado na assembleia de credores no ano passado e efetivar a negociação de venda para a Airex Capital Partners Ltda. Essa operação, no entanto, só será finalizada caso a Câmara de Falências e Recuperações Judiciais acate o recurso da Nilza e reverta a falência. No mesmo despacho, o desembargador Pereira Calças negou a devolução de R$ 5,2 milhões bloqueados pelo juiz de Ribeirão Preto. O valor havia sido depositado em juízo pela Airex para garantir o pagamento da parcela de credores trabalhistas da Nilza. Batista questionou a origem do dinheiro e ainda apontou a Airex como suspeita de ser uma empresa de fachada. A companhia tem sede em Manaus (AM), que não foi encontrada durante diligências da Polícia Federal, e ampliou o capital social de R$ 50 mil para mais de R$ 5 milhões durante as negociações para a aquisição da Nilza. Direitos e Deveres blogzegera.blogspot.com R elação de emprego é um estado de fato onde um dos sujeitos está no poder jurídico de dar ordens e outro na situação jurídica de ter de obedecê-las. Essa relação jurídica assimétrica chamase subordinação jurídica. Subordinação vem do latim sub ordinare, isto é, estar sob ordens, debaixo de ordens. Se provadas a onerosidade, a habitualidade e a subordinação jurídica, haverá contrato de trabalho. Contrato de trabalho é o acordo tácito, ou expresso, que corresponde à relação de emprego. No contrato de trabalho escrito, ou no verbal, as partes deliberadamente querem o contrato de trabalho, e firmam as cláusulas essências de boca (verbalmente), ou por escrito. Mas o contrato de trabalho também pode ser tácito, isto é, nem o empregado nem o patrão querem firmar qualquer contrato de trabalho, mas se conduzem nessa relação informal de tal modo que acabam reunindo todos os requisitos de um contrato verdadeiro, como a onerosidade, a habitualidade, a subordinação. Nessa relação tácita, um se comporta como empregado e outro como patrão. Ou seja: um se investe do poder jurídico de dar ordens lícitas de trabalho, e outro da situação jurídica de ter de cumpri-las. Recentemente, dei provimento a um recurso ordinário onde um flanelinha pedia vínculo de emprego com uma grande rede de fast food na Barra da Tijuca. Flanelinha, vocês sabem, é aquele sujeito que, não tendo uma ocupação formal, se apossa de um espaço público e transforma-o numa espécie de estacionamento privado, cobrando propina dos donos de veículos pela sua guarda efetiva ou pela ação de presença, isto é, pela permanência ostensiva na proximidade do veículo de modo a fazer supor que de fato está vigiando o veículo por ordem ou consentimento do proprietário. No caso julgado, os autos revelaram indícios que me levaram a reconhecer o vínculo de emprego. O réu explorava uma grande loja de fast food na Barra da Tijuca. Na rua onde a loja estava situada havia um guardador de carros que já estava na imediação muito antes de a loja se instalar ali. Todos os transeuntes já se tinham habituado à sua presença. Os proprietários dessa loja decidiram comprar um terreno vizinho para ampliar o negócio. Enquanto a reforma não vinha, muraram esse terreno e mandaram pintar na face externa do muro o logotipo e o nome da firma, transformando a área num grande estacionamento para a clientela. Por camaradagem, oportunismo ou tino para o negócio, permitiram que o flanelinha ficasse na vigilância dos carros dos clientes. Deram-lhe um jaleco e um chapéu de cozinheiro com o nome da firma e toleraram que guardasse os carros dos clientes naquele terreno. Durante cinco anos esse flanelinha trabalhou dessa forma para a clientela da loja. Os clientes lhe davam a chave dos veículos e, à saída, uma gorjeta. Lá um dia, os donos decidiram vender o terreno e desmanchar o estacionamento, proibindo o flanelinha de guardar os carros da clientela a partir de então. O guardador veio à Justiça do Trabalho reclamar vínculo de emprego. Deferi o pedido. Para mim, a ação de presença configurava contrato tácito de trabalho. Os clientes da loja tinham razões de sobra para supor que aquele homem simples, trajando jaleco e chapéu com o nome da firma era um guardador de carros da própria loja. Essa ação de presença dava segurança à clientela e representava um valor agregado ao dono da loja, uma espécie de mais-valia que não podia ser desprezada. Qualquer do povo que travasse contato com esse flanelinha presumiria que ele estava ali executando tarefas a mando do dono da loja, ou com a expressa autorização dele. Aquele a quem o sedizente empregado nomina seu patrão não pode, em juízo, vir contrariar o próprio fato (venire contra factum proprium), isto é, adotar comportamento contraditório àquele que tinha antes do processo, negando a relação ou afirmando que essa relação é indiferente ao direito. Para mim, a boa-fé objetiva que aproximou o flanelinha à empresa impede que o tomador, tendo tomado a mão de obra do prestador por longo tempo, e disso se beneficiado direta ou indiretamente em favor de sua clientela, se comporte agora de modo inteiramente contrário àquele que tinha quando da execução do contrato tácito de trabalho. O contrato de trabalho pode ser tácito, isto é, as partes não desejam um contrato de trabalho, mas se comportam como se um fosse empregado e outro fosse patrão. Nesses casos, a Justiça do Trabalho costuma reconhecer vínculo de emprego José Geraldo da Fonseca é desembargador Federal do Trabalho no Rio de Janeiro (7ª Turma), membro da SEDI e da Comissão de Jurisprudência do TRT/ RJ, presidente do Conselho Consultivo da ESACS (Escola de Capacitação do TRT/RJ), especialista em Processo Civil pela PUC/SP e em Direito Processual do Trabalho pela UFF/Escola Judicial do TRT/RJ, autor e professor universitário.

9 Alana Gandra O Índice de Confiança do Empresário Industrial Fluminense (Icei-RJ), divulgado ontem pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), mostra desaceleração na avaliação do empresariado em relação às condições atuais da economia. Esse indicador caiu de 63,2 pontos, em outubro de 2010, para 62,3 pontos em janeiro de O gerente de Estudos Econômicos da Firjan, Guilherme Mercês, disse que o otimismo mais moderado em relação às condições econômicas atuais, em especial no que diz respeito à economia nacional (de 56,2 pontos para 53,7 pontos) deveuse à aceleração da inflação e ao aumento dos juros. As expectativas dos empresários no médio e longo prazo, no entanto, mostram crescimento do índice geral (de 66,1 pontos para 66,4 pontos) e também dos indicadores da economia brasileira (de 61,2 pontos para 62 pontos) e Mercês diz que movimento começou a partir da segunda metade de 2010, quando o estado passou a ganhar projetos importantes da economia fluminense (de 64,4 pontos para 65,4 pontos). Mercês disse que o movimento otimista começou a partir da segunda metade de 2010, quando o estado do Rio de Janeiro passou a ganhar projetos importantes. A Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA) é um exemplo. E, agora, o ano de 2011 marcará o surgimento de outros projetos. O Icei/RJ de janeiro de 2011 não incluiu a tragédia provocada pelas enxurradas do começo do ano na região serrana. RIOQuinta-feira, 10 de Fevereiro de Bird vai liberar recursos não-reembolsáveis para as áreas atingidas pelas chuvas Os municípios da Região Serrana do Rio de Janeiro, atingidos pelos temporais do mês passado, ganharam mais um reforço no trabalho de recuperação da agricultura. O Banco Mundial (Bird) garantiu recursos não-reembolsáveis para o desenvolvimento de ações voltadas para produtores rurais de Nova Friburgo, Teresópolis, Petrópolis, Bom Jardim, São José do Vale do Rio Preto, Sumidouro e Areal. O anúncio foi feito ontem, pelo secretário de Agricultura e Pecuária, Christino Áureo, depois de apresentar ao gerente do Bird, Álvaro Soler, propostas de parcerias para ajudar na reconstrução da região. O banco recebe o diagnóstico da secretaria sobre a Região Serrana desde o primeiro momento. Depois de conhecer os locais afetados, os especialistas do Bird vão estipular o valor dos recursos que serão investidos na recomposição das mais de mil moradias rurais atingidas e das condições de produções. No próximo dia 15, quando entregaremos 70 veículos a municípios do interior, vamos informar quanto será o crédito concedido pelo Banco Mundial. Queremos ampliar o limite de crédito que possuímos junto ao Bird e repor os recursos que já nos disponibilizaram e utilizamos, anunciou Christino Áureo. Visita - A comitiva do Bird visitará, durante três dias, as microbacias de Petrópolis, Teresópolis e Friburgo, acompanhada pela equipe do Programa Rio Rural. Os técnicos do programa da Secretaria de Agricultura e Pecuária apresentarão ao gerente do Banco Mundial e aos especialistas em desenvolvimento rural, meio ambiente, produção agropecuária e estradas os pontos críticos da Região Serrana. A missão ficará no Rio de Janeiro até a próxima semana e anunciará um plano conjunto emergencial e de médio a longo prazo para ajudar a minimizar os estragos causados pelos temporais. Vamos a campo analisar as cidades e chegar a um projeto em comum. O banco já flexibilizou a realocação dos recursos de um empréstimo solicitado à área rural. Iremos definir quais as atividades imediatas que podem auxiliar no recomeço da máquina produtiva e na reconstrução das condições de habitações. A longo prazo, vamos trabalhar para evitar esse tipo de catástrofe, o que pode gerar recursos adicionais, afirmou Álvaro Soler. Créditos rurais - Para que os 3,2 mil mini agricultores que perderam suas propriedades em decorrência das chuvas possam retomar a produção e a comercialização de seus produtos, a Secretaria de Agricultura propõe a captação de mais créditos rurais. A reestruturação econômica das pequenas propriedades inclui ainda a reconstrução de estradas vicinais, a construção de imóveis e obras de melhoria no saneamento básico. Desde o início do trabalho de recuperação da região, o governo estadual disponibiliza maquinários fundamentais para o escoamento da produção rural, além de ferramentas de trabalho para o produtor. Apresentei o Plano Emergencial de Reconstrução da Região Serrana ao governador Sérgio Cabral, que apoiou a visão que tivemos em relação à captação de parcerias nos setores do governo e em instituições como o Banco Mundial. Cem mil pessoas e km² da região foram prejudicados na zona rural. Os prejuízos somaram R$ 269 milhões. Segundo a nossa análise, serão necessários recursos para recuperar e reconstruir estradas, pontes, moradias, maquinários, áreas de agricultura e pecuária e instalações. São ações importantes, já que a Região Serrana tem a maior participação do PIB agropecuário, com 28,41%, somando R$ 1 bilhão por ano, destacou o secretário. Cidade será a primeira do País a ter rede subterrânea mapeada A Cedae participou, na manhã de ontem, da assinatura do convênio com a Prefeitura do Rio, CEG, Light e Oi para ordenamento e mapeamento digital em conjunto de todas as redes e serviços subterrâneos da cidade. A primeira fase do projeto receberá R$ 2 milhões de investimentos e englobará todo o centro da cidade. Os trabalhos desta etapa começam em abril e serão concluídos em dezembro deste ano. O projeto é inspirado na experiência de Barcelona, que teve sistema similar durante os preparativos para as Olimpíadas de Barcelona Desde segunda-feira, um grupo de representantes da Prefeitura e das empresas que participam do convênio está em Barcelona para conhecer melhor o sistema. MUNDO Na região do Novo Vale, a polícia entrou em choque com manifestantes Milhares de funcionários públicos começaram greves ontem em repartições e empresas estatais no Egito, enquanto manifestantes da oposição faziam um esforço para ampliar os protestos contra o presidente Hosni Mubarak, de 82 anos, do qual querem a renúncia imediata. Na região do Novo Vale, no sul do país, a polícia entrou em choque com manifestantes pelo segundo dia seguido. Pelo menos 3 pessoas foram mortas e 100 ficaram feridas, informou uma autoridade à agência France Presse. Os esforços do vice-presidente Omar Suleiman para dialogar com parte do oposição chegaram ao fracasso. O grupo guerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) libertou ontem o primeiro de cinco reféns que havia prometido libertar esta semana, informou o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV). María Cristina Rivera, porta-voz da Cruz Vermelha, leu comunicado no qual informou que o vereador Marcos Baquero foi entregue à exsenadora colombiana Piedad Córdoba e a representantes do CICV. C U R T A S Baquero, membro do Conselho Municipal de San José del Guaviare, sul do país, foi sequestrado em junho de 2009 pelas Farc. Outros dois homens serão entregues pelos rebeldes na sextafeira e os demais no final de semana, afirmou Córdoba. O governo do presidente Juan Manuel Santos saudou as libertações, mas reiterou que as Farc devem entregar todos os reféns. Carceragem das delegacias da Polinter pode ser extinta O Governo do Estado do Rio de Janeiro pretende extinguir de forma gradual as celas para os presos temporários nas Delegacias da Polinter. O Secretário da Casa Civil, Régis Fichtner ressaltou a importância de acabar com a carceragem na Polinter, com o objetivo de, entre outros fatores, diminuir a corrupção dentro das delegacias. O Secretário da Casa Civil afirmou que foi elaborado pelo Governo um plano para o início da construção de novas casas de custódia este ano. De acordo com ele, serão 500 vagas para presos temporários em Magé, até junho, e mil em São Gonçalo e 500 na Região dos Lagos, até dezembro. Para 2012, a expectativa é a criação de mais três mil vagas em todo o Estado. Na noite desta terça-feira, Suleiman teve uma reunião com diretores de jornais egípcios e advertiu que poderia ocorrer um golpe no país se os manifestantes continuarem a negar uma negociação. Ele insinuou que o Egito não está preparado para a democracia e afirmou que uma comissão integrada por juízes, a maioria indicados por Mubarak, apresentará o projeto de reforma constitucional, o qual será submetido a referendo. Oposição - Além das manifestações de hoje, a oposição também respondeu verbalmente a Suleiman. Em coletiva de imprensa, no qual foram discutidos vários assuntos, a Irmandade Muçulmana, maior grupo da oposição, definiu como um monólogo, o diálogo de Suleiman com a própria Irmandade e alguns grupos opositores. Líderes jovens que emergiram com o levante foram mais críticos que a Irmandade. Ele ameaça impor a lei marcial, o que significa esmagar todos na praça, disse Abdul-Rahman Samir, porta-voz da coalizão dos cinco principais grupos de jovens que organizam os protestos na praça Tahrir (Libertação) no centro do Cairo. Samir afirma que Suleiman está gerando uma situação desastrosa no Egito. Estamos em greve, vamos protestar e só negociaremos quando Mubarak renunciar. Quem quiser partir para as ameaças, pode começar, afirmou. 16º dia de protesto - Quase 10 mil pessoas se concentraram, ontem, em manifestações contra Mubarak na praça Tahrir, marcando o 16º dia de protestos. A poucos quarteirões de distância, uma multidão de 2 mil pessoas fechou os acessos ao Parlamento e exigiu sua dissolução. Os manifestantes também fizeram apelos gerais para a desobediência civil e as greves. Promotores italianos pediram ontem que o primeiro-ministro Silvio Berlusconi seja indiciado pelas acusações de ter pago para manter relações sexuais com uma adolescente de 17 anos, a marroquina Kharima El-Marough, apelidada de Ruby, e que também aproveitou sua influência para encobrir o fato. A promotoria abriu o pedido em Milão. Um juiz deverá decidir se aceita a petição dos promotores e abre o processo contra o premier de 74 anos ou se recusa o pedido. Berlusconi negou ter cometido um ato ilícito e disse que as acusações têm motivação política. Após a abertura do pedido, Berlusconi disse que a acusação é repugnante e tem como objetivo prejudicar seu governo. Se indiciado, será o quarto processo criminal que o bilionário premier italiano enfrentará.

10 10 ARTES Quinta-feira, 10 de Fevereiro de 2011 Mais de 60 super-heróis e personagens dos desenhos animados participam do mais irreverente dos blocos CARNAVAL Aquecendo os tamborins com Desliga da Justiça O bloco foi criado em 2009 e já vem arrastando foliões pelas ruas cariocas O Desliga da Justiça foi criado em plena Quarta-feira de Cinzas do ano de 2009 e é formado por percussionistas que já tocam em outros blocos cariocas, como Monobloco, Quizomba, Bangalafumenga e Empolga às 9. No ano passado, na Praça Santos Dumont, na Gávea, o Desliga da Justiça se consagrou como o mais irreverente do carnaval carioca e para esse ano preparou novidades. O grupo de batuqueiros está maior - agora são cerca de 60 super-heróis e personagens dos desenhos animados, filmes e das séries de televisão - e ensaia, desde o fim do carnaval passado, as surpresas deste ano. Em seu repertório muito samba-rock, funk, reggae e os clássicos do samba. Quem ESPORTES também não fica de fora é o samba-enredo do bloco, que no ano passado contagiou com o refrão Deixa eu te mostrar... o meu super poder. Como o carnaval neste ano é apenas em março, o grupo se apresenta hoje, no Baile Chiquita Bacana, no Centro Cultural Carioca. Após o show, o baile continua com os DJ s Ratón e Sapucaia. Deputados aprovaram criação do Bolsa Atleta. MP segue ainda para votação no Senado AMISTOSO Seleção perde de 1 a 0 da França Mano Menezes perdeu seu segundo clássico seguido Jamil Chade O Brasil mostrou futebol tímido, apático, foi derrotado por 1 a 0 e não foi capaz de quebrar tabu de 19 anos sem vitória contra a França. Mano Menezes, comandante da seleção desde julho, perdeu o seu segundo clássico seguido - em novembro, derrota contra a Argentina também por 1 a 0. Ontem, no Stade de France, a equipe verde-amarela não teve nenhuma chance clara de gol. Hernanes deixou o estádio como vilão. Foi expulso no primeiro tempo e a história do jogo mudou. Por outro lado, o goleiro Julio Cesar se destacou e evitou um revés ainda pior. Estreia de uniformes, jogadores novos, ânimos renovados e técnicos em início de trabalho. Em fase de reconstrução, as duas seleções entraram em campo com muitas coincidências e uma certeza: a partida não seria encarada como um mero amistoso, embora não valesse rigorosamente nada. Havia rivalidade e tradição em jogo, ingredientes suficientes para motivar os times e o público. Antes de a bola rolar, no telão do estádio, imagens da final da Copa do Mundo de 1998 soavam como provocação. A cada recordação, os torcedores franceses vibravam como se aquele jogo em que o Brasil perdeu o título fosse hoje. 1, 2, 3 a 0, cantavam, referindo-se ao placar da histórica vitória do país. Mano Menezes já tem de 70% a 80% da equipe definida para a Copa América, a ser disputada em julho, na Argentina. Por isso mesmo, o amistoso desta quarta serviu como vestibular para quem deseja assegurar as últimas vagas. O estreante apoiador Renato Augusto teve atuação discreta e, certamente, o volante Hernanes perdeu muitos pontos com o treinador. Aos 39 minutos do primeiro tempo, num lance de pura imprudência, Hernanes entrou com pé alto no peito do atacante Benzema e recebeu cartão vermelho. Deixou a vida da seleção complicada diante de um rival decidido a retomar a confiança da torcida, depois do vexame na Copa do Mundo da África do Sul, no ano passado. Foto Arena / AE Equipe verde-amarela não teve nenhuma chance clara Considerando a expulsão justa, Mano Menezes virou as costas para Hernanes quando o volante saiu de campo e até fez sinal de positivo para Laurent Blanc, treinador da França. Antes disso, o Brasil fazia jogo equilibrado, teve chance de abrir o placar, embora não fosse brilhante. Demonstrou problemas normais de falta de entrosamento, principalmente no meio de campo, muito reformulado. Depois, a França só não construiu um placar maior porque Julio Cesar mostrou que é um dos melhores do mundo e, de certa forma, começou a apagar a imagem negativa do Mundial da África - quando falhou num dos gols da Holanda, algoz do Brasil nas quartas de final da competição. Ele fez duas defesas difíceis em chutes de Benzema, o maior tormento da zaga canarinho. Divulgação O Centro Cultural Carioca fica na Rua do Teatro, nº 37, na Praça Tiradentes. A partir das 20 h Preços: R$ 20,00 - inteira R$ 15,00 - lista amiga (Envie nome e sobrenome para até às 17h do dia do evento) Depois de ser afastado e reintegrado, o meia Felipe reconquistou a condição de titular da equipe do Vasco FÓRMULA 1 Possíveis substitutos de Kubica são testados Livio Oricchio A equipe Lotus Renault distribuiu um comunicado ontem a noite para informar mudança no seu programa de testes no segundo treino coletivo da Fórmula 1, de hoje a domingo no circuito de Jerez de la Frontera, na Espanha. Conforme o planejado inicialmente, o companheiro do polonês Robert Kubica, em recuperação do acidente, no último domingo, numa prova de rali, o russo Vitaly Petrov, vai testar o novo e revolucionário modelo R31 hoje e amanhã, mas o time confirmou também que Bruno Senna treinará entre sábado e domingo, com programação a ser definida. A má notícia para ele é que Eric Boullier, diretor da Lotus Renault, decidiu testar ao mesmo tempo o experiente alemão Nick Heidfeld, para eventualmente substituir Robert Kubica. Para Bruno ter chance de vir a ser o escolhido para substituir Kubica, ele terá, primeiro, de mostrar ser possível. O comunicado da Lotus Renault, nesta quarta, sugere que essa hipótese não está sendo considerada. Assim, para convencer Boullier e Gerard Lopes, sócio da escuderia, Bruno terá de ser veloz, preferencialmente mais de Heidfeld. Mais: não cometer erros relevantes e demonstrar sensibilidade para acertar o carro e facilidade de se relacionar muito bem com os muitos recursos interativos do modelo R31. Ou seja, terá de passar a ideia de um piloto pronto para assumir a vaga de uma equipe com elevadas aspirações na competição. LITERATURA Variações sobre o prazer, um livro para degustar Pedro Fávaro Jr. Sofrimento e prazer. Era o livro que ele diz, já de cara, no prefácio, que não deveria ter escrito. Não achava o fim. Mas lendo que Albert Camus queria escrever tudo que lhe passasse pela cabeça, sem ordem ( Cadernos da Juventude ), e morreu antes, decidiu fazer um Livro Sem Fim ( Loyola) que, na reedição, lançada em janeiro deste ano (Editora Planeta), virou Variações Sobre o Prazer. Um livro saboroso, feito para ser devorado. Rubem Alves, poeta, cronista, teólogo, psicanalista e escritor com mais de 80 obras publicadas conseguiu, como um chef, juntar e temperar, nele, como ele mesmo diz, palavras que são boas para comer. Essa é a verdadeira função de um escritor, defende em entrevista à Agência Estado para falar da publicação - um livro sem notas de rodapé mas, C U R T A como foi feito para ser comido, com notas de canapé para se saborear na caminhada por Descartes, Nietzsche, Marx, Agostinho de Hypona, Kierkegaard, Kant com paisagens e contrapontos de Goethe, Mário Quintana, Fernando Pessoa, Roland Barthes, Manoel Barros, Octávio Paz, García Márques, Gustavo Corção, Borges... Uma delícia. O escritor garante - não fez um livro contra o método. Mas não nega: o fez para libertar-se das regras do discurso acadêmico. Não queria um livro para a razão, um livro útil, do mundo dos saberes. Mas desejava tocar o mundo da sapientia que pudesse ser corpo e sangue dele, experiência dele, os sabores que ele fosse capaz de contar para todo mundo que experimentou e que lhe deram alegria, mas para o qual os saberes não serviriam, porque não conseguiriam traduzir o gosto. O sofrimento, como no parto, passou. Ficou o livro. Filmes brasileiros serão exibidos em seções paralelas O Festival de Berlim de 2011 não selecionou nenhum filme do Brasil para a competição de longas, mas José Padilha volta ao cenário do seu triunfo exibindo Tropa de Elite 2 no Panorama Especial. Tiago Mata Machado, está curioso para ver a reação do público alemão à sua discussão sobre a utopia, leva Os Residentes para o Fórum. Haverá também um curta nacional - Ensolarado, de Ricardo Targino, conta a história de uma família que se vê obrigada a entregar a filha a outra família. Argentina bate Portugal por 2 a 1. Messi e Cristiano Ronaldo foram os protagonistas do jogo CAMPEONATO CARIOCA Joel Santana diz que não poupará nenhum jogador O Botafogo já tem garantido um lugar na semifinal da Taça Guanabara - o primeiro turno do Campeonato Carioca -, mas Joel Santana quer mesmo é garantir a primeira colocação do Grupo B e evitar um cruzamento com o Flamengo. Por isso, o técnico refuta qualquer possibilidade de poupar jogadores para a partida deste domingo contra o Macaé, no Engenhão Nem mesmo aqueles que estão pendurados com dois cartões amarelos e, portanto, sujeitos a suspensão na rodada eliminatória serão preservados. Vou usar o que tenho, pois não estamos garantidos no primeiro lugar. Precisamos ir com o que temos de melhor no momento, garantiu Joel, que vê no adversário qualidade suficiente para aprontar uma surpresa. Não se brinca com o futebol. Se o Macaé vence, tudo o que é bonito fica feio. Estamos em estado de alerta, porque quando menos se espera o perigo aparece. Ausência confirmada apenas a do volante Marcelo Mattos e do centroavante uruguaio Loco Abreu, suspensos. Os pendurados são Márcio Rosário, Bruno, Somália e Caio. Flamengo ainda é uma equipe em formação O Flamengo está invicto no Campeonato Carioca, é o único time com 100% de aproveitamento em seis jogos e já garantiu a liderança do Grupo A da Taça Guanabara - o primeiro turno da competição. Nada disso, porém, é suficiente para deixar os jogadores confortáveis com relação às apresentações da equipe. Na última partida, a vitória veio apenas nos minutos finais, com muito sofrimento. O técnico Vanderlei Luxemburgo faz questão de manter os jogadores atentos e humildes. Para ele e os líderes do elenco, a equipe ainda não está pronta. Não dá para dizer quando o time vai encaixar porque ainda tem muita gente chegando e o nosso esquema ainda não está definido. Não adianta ter uma atuação nota nove seguida por outra nota quatro. Melhor ficar entre seis e meio, sete, disse o meia Thiago Neves. O jogador, recém-contratado, afirma que está feliz com toda a atenção dedicada a Ronaldinho Gaúcho e com o relativo anonimato que está curtindo na Gávea. O foco fica nele (Ronaldinho) e acaba sobrando espaço para mim. Só desejo ajudar o Flamengo da melhor forma possível e tomara que realmente possa arrebentar aqui, comentou o meia.

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015 Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 O cenário econômico nacional em 2014 A inflação foi superior ao centro da meta pelo quinto

Leia mais

Dólar sem freios. seu dinheiro #100. Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana

Dólar sem freios. seu dinheiro #100. Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana #100 seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais Dólar sem freios Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana Festa no exterior Brasileiros continuam gastando cada vez mais fora

Leia mais

DEFESA DE MONOGRAFIA Sala: 101

DEFESA DE MONOGRAFIA Sala: 101 CURSO DE BANCA 1 15/12 (Terça) 17:30h Prof. André Brown de Carvalho, Prof. Carlos Henrique Soares e Profa. Carolina Silveira Machado ALINE SIMÕES BARROS A IMPORTÂNCIA DOS INDICADORES SOCIAIS E ECONÔMICOS

Leia mais

1. COMÉRCIO 1.1. Pesquisa Mensal de Comércio

1. COMÉRCIO 1.1. Pesquisa Mensal de Comércio Nº 46 - Julho/2015 1. COMÉRCIO 1.1. Pesquisa Mensal de Comércio O volume de vendas do comércio varejista restrito do estado do Rio de Janeiro registrou, em abril de 2015, queda de 3,9% em relação ao mesmo

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Agosto 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line

Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line Boletim 853/2015 Ano VII 15/10/2015 Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line O impacto das novas plataformas deve ser maior no médio e longo prazo, principalmente com a

Leia mais

DESEMPENHO DOS BANCOS 1º SEMESTRE DE 2012

DESEMPENHO DOS BANCOS 1º SEMESTRE DE 2012 Set/2012 DESEMPENHO DOS BANCOS 1º SEMESTRE DE 2012 Provisionamento excessivo e fechamento de postos de trabalho são destaques nos balanços dos seis maiores bancos no 1º semestre de 2012 A s demonstrações

Leia mais

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER SEMANA DE 29 DE OUTUBRO A 1º DE NOVEMBRO Um dos destaques desta semana é a reportagem do UOL sobre o recuo de 1% na produção industrial brasileira, entre setembro

Leia mais

CAMARA MUNICIPAL DE ARAGUARI MINAS GERAIS **** Diário de Pagamento MÊS DE FEVEREIRO/2015 PAGAMENTOS ORÇAMENTÁRIOS

CAMARA MUNICIPAL DE ARAGUARI MINAS GERAIS **** Diário de Pagamento MÊS DE FEVEREIRO/2015 PAGAMENTOS ORÇAMENTÁRIOS CAMARA MUNICIPAL DE ARAGUARI MINAS GERAIS **** Diário de Pagamento MÊS DE FEVEREIRO/2015 PAGAMENTOS ORÇAMENTÁRIOS NE FORNECEDOR CNPJ/CPF FICHA DESCRIÇÃO DO OBJETO PAGAMENTO VALOR R$ 6-1 Telemar Norte Leste

Leia mais

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012 Notícias Economia Internacional e Indicadores Brasileiros Nº 1/2 Julho de 2012 Sindmóveis - Projeto Orchestra Brasil www.sindmoveis.com.br www.orchestrabrasil.com.br Realização: inteligenciacomercial@sindmoveis.com.br

Leia mais

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA HENRIQUE MARINHO MAIO DE 2013 Economia Internacional Atividade Econômica A divulgação dos resultados do crescimento econômico dos

Leia mais

Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano

Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano Associação Brasileira de Supermercados Nº51 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 29 de Abril de 2015 Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano Crescimento moderado

Leia mais

Rafael de Farias Costa Moreira (Sebrae)

Rafael de Farias Costa Moreira (Sebrae) Rafael de Farias Costa Moreira (Sebrae) Metodologia Entrevistas por telefone com 9.657 Microempreendedores Individuais feitas em abril de 2015. Análise da base de dados do Microempreendedor Individual

Leia mais

1º a 15 de agosto de 2011

1º a 15 de agosto de 2011 1º a 15 de agosto de 2011 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

1 a 15 de setembro de 2011

1 a 15 de setembro de 2011 1 a 15 de setembro de 2011 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

O AMBIENTE ECONÔMICO. Boletim n.º 05 1º trimestre de 2013. Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM)

O AMBIENTE ECONÔMICO. Boletim n.º 05 1º trimestre de 2013. Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM) Boletim n.º 05 1º trimestre de O AMBIENTE ECONÔMICO Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM) Atividade econômica A economia brasileira, medida pelo desempenho do Produto Interno

Leia mais

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas 1 O conturbado cenário nacional Economia em recessão: queda quase generalizada do PIB no 2º trimestre de 2015, com expectativa de

Leia mais

2013 14,98% de reajuste para contrato coletivo com até 30(trinta) beneficiários

2013 14,98% de reajuste para contrato coletivo com até 30(trinta) beneficiários 2013 14,98% de reajuste para contrato coletivo com até 30(trinta) beneficiários Contratante Código Registro do Produto Mês de Reajuste Alexandre de Freitas 2001 423.454/99-5 abril Peixoto LCP Transportes

Leia mais

Assunto: falta de recursos do governo federal para agricultura do Paraná

Assunto: falta de recursos do governo federal para agricultura do Paraná Assunto: falta de recursos do governo federal para agricultura do Paraná A FAEP tem solicitado ao governo federal que libere os recursos anunciados de R$ 5,6 bilhões na Política de Garantia de Preços Mínimos

Leia mais

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 1 Senhores Associados: RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 Temos a satisfação de apresentar o Relatório da Gestão e as Demonstrações Contábeis da CREDICOAMO Crédito Rural Cooperativa, relativas às atividades desenvolvidas

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

ACADEMIA Sport Forma ACESSÓRIOS PARA CARROS E MONTAGEM Dauto Peças AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO/PUBLICIDADE Mais Comunicação ALINHAMENTO Auto Center Unaí

ACADEMIA Sport Forma ACESSÓRIOS PARA CARROS E MONTAGEM Dauto Peças AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO/PUBLICIDADE Mais Comunicação ALINHAMENTO Auto Center Unaí ACADEMIA Sport Forma ACESSÓRIOS PARA CARROS E MONTAGEM AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO/PUBLICIDADE Mais Comunicação ALINHAMENTO Auto Center Unaí ALUGUEL DE CAÇAMBA Disk Caçamba ARMAZÉM/MERCEARIA Armazém do Helinho

Leia mais

Informe Econômico N 3

Informe Econômico N 3 Conjuntura Econômica Gerente Legislativa: Sheila Tussi da Cunha Barbosa Analista Legislativa: Cláudia Fernanda Silva Almeida Assistente Administrativa: Quênia Adriana Camargo Ferreira Estagiário: Tharlen

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS O COMÉRCIO RESPONDE POR 12,7% DO PIB BRASILEIRO O COMÉRCIO VAREJISTA É RESPONSÁVEL POR 42% DO COMÉRCIO

Leia mais

Análise Macroeconômica Projeto Banco do Brasil

Análise Macroeconômica Projeto Banco do Brasil Análise Macroeconômica Projeto Banco do Brasil Segundo Trimestre de 2013 Energia Geração, Transmissão e Distribuição Conjuntura Projeto Banco Macroeconômica do Brasil Energia Geração, Transmissão e Distribuição

Leia mais

Análise Semanal. Edição nº 23 10/07/15 CONJUNTURA ECONÔMICA. Mais um plano

Análise Semanal. Edição nº 23 10/07/15 CONJUNTURA ECONÔMICA. Mais um plano Mais um plano CONJUNTURA ECONÔMICA A chave da agenda positiva tão perseguida pelo governo federal em tempos de crise política e volta da inflação parece ser a preservação dos empregos. Na última terça-feira

Leia mais

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ASSESSORIA ECONÔMICA PAINEL PRINCIPAIS INDICADORES DA ECONOMIA BRASILEIRA Número 35 15 a 30 de setembro de 2009 EMPREGO De acordo com a Pesquisa

Leia mais

TABELA 1 Destaques dos seis maiores bancos Brasil - 2013

TABELA 1 Destaques dos seis maiores bancos Brasil - 2013 DESEMPENHO DOS BANCOS EM 2013 Resultados diferenciados e fechamento de postos de trabalho caracterizaram o desempenho do setor bancário em 2013 Em 2013, os seis maiores bancos do país 1 apresentaram resultados

Leia mais

Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso

Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso 01 Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso A série SAIBA MAIS esclarece as dúvidas mais frequentes dos empresários atendidos pelo SEBRAE-SP nas seguintes áreas: Organização Empresarial Finanças

Leia mais

ITAUTEC S.A. - GRUPO ITAUTEC RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE MARÇO DE 2010

ITAUTEC S.A. - GRUPO ITAUTEC RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE MARÇO DE 2010 CENÁRIO ITAUTEC S.A. - GRUPO ITAUTEC RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE MARÇO DE 2010 A atividade econômica brasileira apresentou sinais de expansão no primeiro trimestre de 2010, com crescimento da atividade

Leia mais

RESUMO EXECUTIVO Todos os direitos reservados. Distribuição e informações:

RESUMO EXECUTIVO Todos os direitos reservados. Distribuição e informações: RESUMO EXECUTIVO O Ministro da Fazenda, Guido Mantega, comunicou no dia 27 de dezembro de 2011 que vai mudar o regime de tributação para a importação de produtos têxteis do atual ad valorem, em que no

Leia mais

QUANTITATIVO - EMPRESAS ATIVAS MINAS GERAIS 2010. Leonardo Faria Lima

QUANTITATIVO - EMPRESAS ATIVAS MINAS GERAIS 2010. Leonardo Faria Lima QUANTITATIVO - EMPRESAS ATIVAS MINAS GERAIS 2010 Leonardo Faria Lima Belo Horizonte 2010 2 O Estado de Minas Gerais encerrou o ano de 2010 com o total de 756.273 1 empresas ativas segundo os dados estáticos

Leia mais

ANEXO II PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO URBANO AMBIENTAL DE CAPÃO DA CANOA GRUPOS DE ATIVIDADES.

ANEXO II PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO URBANO AMBIENTAL DE CAPÃO DA CANOA GRUPOS DE ATIVIDADES. 1 ANEXO II PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO URBANO AMBIENTAL DE CAPÃO DA CANOA GRUPOS DE ATIVIDADES. 1.HABITAÇÃO 2.MEIOS DE HOSPEDAGEM 3.COMÉRCIO VAREJISTA I 4.COMÉRCIO VAREJISTA II 5.COMÉRCIO VAREJISTA

Leia mais

ANO 4 NÚMERO 28 JUNHO DE 2014 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO

ANO 4 NÚMERO 28 JUNHO DE 2014 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO ANO NÚMERO 28 JUNHO DE 21 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO 1 - CONSIDERAÇÕES INICIAIS A divulgação do crescimento do PIB no primeiro trimestre desse ano, além de revelar uma taxa

Leia mais

DESTAQUES. Ibovespa renova máxima no ano Eletrobrás capta r$ 6,5 bilhões com BB e Caixa Lucro da Embratel sobe 10%

DESTAQUES. Ibovespa renova máxima no ano Eletrobrás capta r$ 6,5 bilhões com BB e Caixa Lucro da Embratel sobe 10% DESTAQUES Ibovespa renova máxima no ano Eletrobrás capta r$ 6,5 bilhões com BB e Caixa Lucro da Embratel sobe 10% Receita bruta da JSL no 2º trimestre sobe 20,4% Aliansce tem alta de 8,6% nos aluguéis

Leia mais

Selic cai e poupança rende menos

Selic cai e poupança rende menos Selic cai e poupança rende menos Publicação: 30 de Agosto de 2012 às 00:00 São Paulo (AE) - O Banco Central anunciou ontem mais uma redução da taxa básica de juros, a Selic, de 8% para 7,5% ao ano. Um

Leia mais

RELATÓRIO DOS PROCESSOS LICITATÓRIOS REALIZADOS NO CRECI/PE EM 2014

RELATÓRIO DOS PROCESSOS LICITATÓRIOS REALIZADOS NO CRECI/PE EM 2014 RELATÓRIO DOS PROCESSOS LICITATÓRIOS REALIZADOS NO CRECI/PE EM 2014 Publicação de Licitações nos Jornais de Grande Circulação Regional: DIÁRIO DE PERNAMBUCO E JORNAL DO COMÉRCIO. Contratação de Empresa

Leia mais

Pesquisas de Orçamentos Familiares POF:

Pesquisas de Orçamentos Familiares POF: Número 107 Fevereiro de 2012 Pesquisas de Orçamentos Familiares POF: A necessária atualização e as mudanças de pesos em um índice de preços Pesquisas de Orçamentos Familiares - POF: a necessária atualização

Leia mais

O MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA EM 2011 E

O MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA EM 2011 E O MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA EM 2011 E 2012 Camila Cristina Farinhaki Henrique Alves dos Santos Lucas Fruet Fialla Patricia Uille Gomes Introdução Este artigo tem como objetivo

Leia mais

ANO 1 NÚMERO 03 NOVEMBRO 2011 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO

ANO 1 NÚMERO 03 NOVEMBRO 2011 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO ANO 1 NÚMERO 03 NOVEMBRO 2011 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO CONSIDERAÇÕES INICIAIS Aos poucos as turbulências no mercado financeiro europeu e seus impactos nas atividades econômicas

Leia mais

Prefeitura Municipal de Nova Ubiratã Gestão: 2001/2004 LEI N 200/2001 DATA: 20 DE DEZEMBRO DE 2001

Prefeitura Municipal de Nova Ubiratã Gestão: 2001/2004 LEI N 200/2001 DATA: 20 DE DEZEMBRO DE 2001 LEI N 200/2001 DATA: 20 DE DEZEMBRO DE 2001 SÚMULA: SÚMULA REGULAMENTA OS SERVIÇOS DE FISCALIZAÇÃO REALIZADOS EM ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS, INDUSTRIAIS, PRESTADORES DE SERVIÇOS, E DA OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

Controles financeiros Edição de bolso

Controles financeiros Edição de bolso 03 Controles financeiros Edição de bolso A série SAIBA MAIS esclarece as dúvidas mais frequentes dos empresários atendidos pelo SEBRAE-SP nas seguintes áreas: Organização Empresarial Finanças Marketing

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Fevereiro de 2015 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Fevereiro de 2015...

Leia mais

Edição 44 (Abril/2014)

Edição 44 (Abril/2014) Edição 44 (Abril/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação tem maior alta desde janeiro de 2013 O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação oficial,

Leia mais

TÓPICO ESPECIAL Agosto

TÓPICO ESPECIAL Agosto Jan-94 Dec-94 Nov-95 Oct-96 Sep-97 Aug-98 Jul-99 Jun-00 May-01 Apr-02 Mar-03 Feb-04 Jan-05 Dec-05 Nov-06 Oct-07 Sep-08 Aug-09 Jul-10 Jun-11 May-12 Apr-13 Mar-14 Feb-15 Mar-10 Jul-10 Nov-10 Mar-11 Jul-11

Leia mais

Fabricação de artigos do vestuário, produzidos em malharias e tricotagens, exceto meias

Fabricação de artigos do vestuário, produzidos em malharias e tricotagens, exceto meias CNAE Grupo CNAE Descrição CNAE Grau de risco 4.-8 4 Confecção de roupas íntimas 4.-6 4 Confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas 4.3-4 4 Confecção de roupas profissionais 4.4-4 Fabricação

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Crise Mundo Os EUA e a Europa passam por um forte processo de desaceleração economica com indicios de recessão e deflação um claro sinal de que a crise chegou

Leia mais

Número do lote 103 - Edital JST Substituição 23/2014-05/12/2014 a 15/12/2014. Contribuinte

Número do lote 103 - Edital JST Substituição 23/2014-05/12/2014 a 15/12/2014. Contribuinte Justificativa Período Fiscal Inscrição Estadual 022234/2014 out/14 0389125-97 M. P. SUPERMERCADO Razão Social 022236/2014 out/14 0451997-36 CATAVENTO DERIVADOS DE PETROLEO ME 022248/2014 out/14 0415109-76

Leia mais

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa cai ao nível de 2009 com tensão global CCR tem expectativa positiva de crescimento para o próximo ano Ações PNA da Vale fecham na menor cotação desde 2006 Corte de produção na China e

Leia mais

SICOOB CREDIROCHAS. Resultados

SICOOB CREDIROCHAS. Resultados SICOOB CREDIROCHAS Resultados 2014 MENSAGEM DA DIRETORIA O Sicoob Credirochas conseguiu ótimos resultados numa clara demonstração da força do trabalho cooperativo, na busca por maior participação no mercado

Leia mais

ACADEMIA Sport Forma ACESSÓRIOS PARA CARROS E MONTAGEM Dauto Peças ACESSÓRIOS PARA CAMINHÕES E MONTAGEM Bruto e Veloz ADUBOS Capul AGÊNCIA DE

ACADEMIA Sport Forma ACESSÓRIOS PARA CARROS E MONTAGEM Dauto Peças ACESSÓRIOS PARA CAMINHÕES E MONTAGEM Bruto e Veloz ADUBOS Capul AGÊNCIA DE ACADEMIA Sport Forma ACESSÓRIOS PARA CARROS E MONTAGEM Dauto Peças ACESSÓRIOS PARA CAMINHÕES E MONTAGEM Bruto e Veloz ADUBOS Capul AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO/PUBLICIDADE Mais Comunicação ALINHAMENTO Auto Center

Leia mais

News Release. PwC, a mais admirada no Brasil pelo 7º ano consecutivo

News Release. PwC, a mais admirada no Brasil pelo 7º ano consecutivo News Release PricewaterhouseCoopers Brasil Avenida Francisco Matarazzo, 1400 Torre Torino - São Paulo - SP Tel. 55 11 3674 2000 FaX. 55 11 3674 2077 PwC, a mais admirada no Brasil pelo 7º ano consecutivo

Leia mais

Terça-feira, 28 de Abril de 2015. DESTAQUES

Terça-feira, 28 de Abril de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Petrobras é alvo de vendas e puxa correção da bolsa Hypermarcas prevê aumento de preços de produtos de consumo Lopes vende participação majoritária na Dall'Oca Tractebel vê tendência de crescimento

Leia mais

O grande salto das marcas: a valorização das principais grifes nacionais

O grande salto das marcas: a valorização das principais grifes nacionais O grande salto das marcas: a valorização das principais grifes nacionais JUNIOR, M.E.F.O 1 LIMA, M.S 2 FREDERICO, V.M 3 LACERDA, T.A 4 RAMOS, C.P. 5 SANTOS, F.A.A 6 RESUMO Esse artigo abordará a crescente

Leia mais

Plano de Contas Pag.: 1 de 7

Plano de Contas Pag.: 1 de 7 Plano de Contas Pag.: 1 de 7 1 ATIVO 1.1 ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 ATIVO DISPONIVEL 1.1.1.001 NUMERARIOS 1.1.1.001.0001-0 CAIXA PEQUENO 11110 X 1.1.1.002 BANCOS CONTA MOVIMENTO 1.1.1.002.0001-5 BANCO BRADESCO

Leia mais

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 15 de maio de 2007

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 15 de maio de 2007 M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 1 de maio de 27 Síntese gráfica trimestral do comércio bilateral e do desempenho macroeconômico chinês Primeiro trimestre de 27 No primeiro trimestre de 27, a economia chinesa

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Apesar do bom crescimento de Produtos Alimentícios e Máquinas e Equipamentos,

Leia mais

Academia Sport & Forma Acessórios para carros Tele Latas Acessórios para motos FM Motos Agência de Comunicação/publicidade Zulatto Mídia e Foco

Academia Sport & Forma Acessórios para carros Tele Latas Acessórios para motos FM Motos Agência de Comunicação/publicidade Zulatto Mídia e Foco Academia Sport & Forma Acessórios para carros Tele Latas Acessórios para motos FM Motos Agência de Comunicação/publicidade Zulatto Mídia e Foco Alinhamento Auto Center Unaí Armazém / Mercearia Armazém

Leia mais

Análise de Endividamento do Consumidor

Análise de Endividamento do Consumidor Belo Horizonte - 2015 A Análise Mensal do Endividamento do Consumidor traça o quadro de endividamento e inadimplência dos consumidores da capital. Essas informações são importantes porque englobam dados

Leia mais

Especial Lucro dos Bancos

Especial Lucro dos Bancos Boletim Econômico Edição nº 90 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Especial Lucro dos Bancos 1 Tabela dos Lucros em 2014 Ano Banco Período Lucro 2 0 1 4 Itaú Unibanco

Leia mais

Tabela de Códigos de Atividades Econômicas - CAE (Título I, Capítulo X, 2.2.2.7, "d", da IN/DRP nº 045/98)

Tabela de Códigos de Atividades Econômicas - CAE (Título I, Capítulo X, 2.2.2.7, d, da IN/DRP nº 045/98) Tabela de Códigos de Atividades Econômicas - CAE (Título I, Capítulo X, 2.2.2.7, "d", da IN/DRP nº 045/98) A) COMÉRCIO VAREJISTA: C A E DESCRIÇÃO DO C A E 801000000 AÇOUGUES E PEIXARIAS 801010000 Açougues

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 008 PIB avança e cresce 6% Avanço do PIB no segundo trimestre foi o maior desde 00 A economia brasileira cresceu mais que o esperado no segundo trimestre, impulsionada

Leia mais

CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR

CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR Situação Atual do Setor Têxtil e de Confecção Aguinaldo Diniz Filho Presidente da Abit Brasília, 19 de junho de 2013 PERFIL DO SETOR ESTRUTURA DA CADEIA TEXTIL E DE CONFECÇÃO

Leia mais

Panorama da Economia Brasileira. Carta de Conjuntura do IPEA

Panorama da Economia Brasileira. Carta de Conjuntura do IPEA : Carta de Conjuntura do IPEA Apresentadoras: PET - Economia - UnB 25 de maio de 2012 1 Nível de atividade 2 Mercado de trabalho 3 4 5 Crédito e mercado financeiro 6 Finanças públicas Balanço de Riscos

Leia mais

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bolsa encerra semana em alta Mercado aguarda IPCA para ajustar cenários Divisão Consumo da Hypermarcas cresce 10% M.Dias Branco tem lucro de R$108 mi Contax aprovou R$ 55,4 milhões em dividendos

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

SUMÁRIO EMPRESÔMETRO CENSO DAS EMPRESAS E ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS BRASILEIRAS. 3 QUANTIDADE DE EMPREENDIMENTOS EM ATIVIDADE NO BRASIL...

SUMÁRIO EMPRESÔMETRO CENSO DAS EMPRESAS E ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS BRASILEIRAS. 3 QUANTIDADE DE EMPREENDIMENTOS EM ATIVIDADE NO BRASIL... 1 SUMÁRIO EMPRESÔMETRO CENSO DAS EMPRESAS E ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS BRASILEIRAS. 3 QUANTIDADE DE EMPREENDIMENTOS EM ATIVIDADE NO BRASIL... 4 QUANTIDADE DE EMPREENDIMENTOS POR ESTADO... 4 QUANTIDADE

Leia mais

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 1 Fundamentos macroeconômicos sólidos e medidas anti-crise 2 % a.a. Inflação na meta 8 6 metas cumpridas

Leia mais

Balancete Analítico. Saldo Mês Inicial

Balancete Analítico. Saldo Mês Inicial 100000000 - Ativo 40.014.044,69 1.247.288.939,72 645.839.588,07 641.463.396,34 D 110000000 - Ativo Circulante 15.145.606,97 309.093.371,32 315.398.093,96 8.840.884,33 D 111000000 - Disponivel 15.141.043,39

Leia mais

Copa ou hotel de luxo?

Copa ou hotel de luxo? #124 seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais Copa ou hotel de luxo? As alternativas para quem pretende fugir do Mundial de 2014 O lado bom da aposentadoria Várias despesas desaparecem na melhor

Leia mais

SECRETARIA DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO E MINERAÇÃO SICM SUPERINTENDÊNCIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS SCS Informativo CODAV ATACADO, VAREJO E DISTRIBUIÇÃO

SECRETARIA DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO E MINERAÇÃO SICM SUPERINTENDÊNCIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS SCS Informativo CODAV ATACADO, VAREJO E DISTRIBUIÇÃO PÁGINA 1 Página 1 SECRETARIA DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO E MINERAÇÃO SICM SUPERINTENDÊNCIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS SCS Informativo CODAV ATACADO, VAREJO E DISTRIBUIÇÃO I N F O R M A T I V O B I M E S T R A L

Leia mais

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013. DESTAQUES

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bolsa interrompe série de altas Dólar cai após seis altas com ação do BC Tesouro dá liquidez aos títulos Latam registra prejuízo líquido no 2º tri Itaú renova acordo com Fiat Faturamento da Minerva

Leia mais

TURMA 10 H. CURSO PROFISSIONAL DE: Técnico de Multimédia RELAÇÃO DE ALUNOS

TURMA 10 H. CURSO PROFISSIONAL DE: Técnico de Multimédia RELAÇÃO DE ALUNOS Técnico de Multimédia 10 H 7536 Alberto Filipe Cardoso Pinto 7566 Ana Isabel Lomar Antunes 7567 Andreia Carine Ferreira Quintela 7537 Bruno Manuel Martins Castro 7538 Bruno Miguel Ferreira Bogas 5859 Bruno

Leia mais

FORUM DO IMPACTO DA CRISE NA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

FORUM DO IMPACTO DA CRISE NA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA FORUM DO IMPACTO DA CRISE NA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA LINHAS DE FINANCIAMENTO E ACESSO AO CRÉDITO PARA MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO 13 / 4 / 09 ACESSO AO CRÉDITO PARA AS MICROS E

Leia mais

3. A lista está organizada por Profissional Indicado pela Pessoa Jurídica (pág. 02 à 03) e Profissional Individual (pág. 04 à 11).

3. A lista está organizada por Profissional Indicado pela Pessoa Jurídica (pág. 02 à 03) e Profissional Individual (pág. 04 à 11). SEBRAE AL Edital 01/ 2011 Credenciamento de Profissionais Individuais e Pessoas Jurídicas para Compor o Cadastro de Consultores e Instrutores do Sistema SEBRAE RESULTADO DO PROCESSO DE CREDENCIAMENTO Publicado

Leia mais

LUCRO DO SUBMARINO SOBE 316% NO TERCEIRO TRIMESTRE 2005

LUCRO DO SUBMARINO SOBE 316% NO TERCEIRO TRIMESTRE 2005 LUCRO DO SUBMARINO SOBE 316% NO TERCEIRO TRIMESTRE 2005 São Paulo, 07 de Novembro de 2005 - O Submarino S.A. (Bovespa: SUBA3), empresa líder dentre aquelas que operam exclusivamente no varejo eletrônico

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO (Em milhares de reais) ATIVO

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO (Em milhares de reais) ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO (Em milhares de reais) ATIVO As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis. BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO (Em milhares de reais) PASSIVO

Leia mais

VAREJO INTENSIFICA LIQUIDAÇÕES PARA MINIMIZAR PERDAS EM 2015

VAREJO INTENSIFICA LIQUIDAÇÕES PARA MINIMIZAR PERDAS EM 2015 VAREJO INTENSIFICA LIQUIDAÇÕES PARA MINIMIZAR PERDAS EM 2015 Atravessando seu pior ano em mais de uma década e necessitando reduzir estoques para vendas de final de ano, varejo reduz os preços de 41,6%

Leia mais

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO PONTA GROSSA

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO PONTA GROSSA FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO ANÁLISE CONJUNTURAL DO MÊS DE JANEIRO DE 2014 PONTA GROSSA Este relatório, referente ao mês de Janeiro de 2014, da Pesquisa Conjuntural

Leia mais

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado Políticas Públicas Lélio de Lima Prado Política Cambial dez/03 abr/04 ago/04 dez/04 abr/05 ago/05 Evolução das Reservas internacionais (Em US$ bilhões) dez/05 abr/06 ago/06 dez/06 abr/07 ago/07 dez/07

Leia mais

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Janeiro de 2014

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Janeiro de 2014 Associação Brasileira de Supermercados Nº48 tou ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Janeiro de 2014 Vendas dos supermercados crescem 2,24% em 2014 Em dezembro, as

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

INSTITUTO LOJAS RENNER

INSTITUTO LOJAS RENNER 2011 RELATÓRIO DE ATIVIDADES INSTITUTO LOJAS RENNER Instituto Lojas Renner Inserção de mulheres no mercado de trabalho, formação de jovens e desenvolvimento da comunidade fazem parte da essência do Instituto.

Leia mais

inflação de 2001. Supera a Meta 15 C ONJUNTURA FLÁVIA SANTOS DA SILVA* LUIZ ALBERTO PETITINGA**

inflação de 2001. Supera a Meta 15 C ONJUNTURA FLÁVIA SANTOS DA SILVA* LUIZ ALBERTO PETITINGA** 15 C ONJUNTURA Inflação de 2001 Supera a Meta A inflação em 2001, medida pelo IPCA, atingiu o patamar de 7,67%, superando a meta de 6% estabelecida pelo Banco Central. Choques internos e externos à economia

Leia mais

MÉRITO LOJISTA PARA CDLS Planejamento

MÉRITO LOJISTA PARA CDLS Planejamento MÉRITO LOJISTA PARA CDLS Planejamento O Mérito Lojista municipal, em algumas cidades é conhecido como Maiores e Melhores, pode ser escolhido junto aos associados da CDL e/ou junto à população, aqueles

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO FINANCEIRA: BALANÇO PATRIMONIAL Blume Pfleger Valmira Trapp Fernandes

DEMONSTRAÇÃO FINANCEIRA: BALANÇO PATRIMONIAL Blume Pfleger Valmira Trapp Fernandes DEMONSTRAÇÃO FINANCEIRA: BALANÇO PATRIMONIAL Blume Pfleger Valmira Trapp Fernandes RESUMO: Dentro do plano de contas de uma empresa, o Balanço Patrimonial, deve ser produzido de maneira minuciosa e exata,

Leia mais

ASSOC DOS S. DA P. M. DE COLOMBO FL. 1 PG. 1

ASSOC DOS S. DA P. M. DE COLOMBO FL. 1 PG. 1 ASSOC DOS S. DA P. M. DE COLOMBO FL. 1 PG. 1 ATIVO 455.828,06 635.374,77 652.076,48 A - CIRCULANTE 300.139,78 635.195,77 652.076,48 1-1000000 DISPONIVEL 290.974,52 634.095,77 650.353,98 2-1000000 1 CAIXA

Leia mais

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão 16 a 31 de agosto de 2012 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

A Construção na Ótica da Indústria de Materiais. Walter Cover 27/08/2014

A Construção na Ótica da Indústria de Materiais. Walter Cover 27/08/2014 A Construção na Ótica da Indústria de Materiais Walter Cover 27/08/2014 Representatividade ABRAMAT 10% Do PIB Nacional Cadeia da Construção 5,5 Milhões de trabalhadores formais (3,5 na construção Civil)

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O Copom decidiu, por unanimidade, elevar a taxa de juros Selic em 0,5 p.p., a 14,25% ao ano, conforme esperado pelo mercado. A decisão ocorreu após elevação de 0,5 p.p no último encontro.

Leia mais

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Nelson

Leia mais

ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000

ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000 ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000 Comércio Varejista 2000 Comércio a Varejo e por Atacado de VeículosAutomotores 50 Manutenção e Reparação de VeículosAutomotores

Leia mais

www.fecomercio-ma.com.br ANÁLISE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS PARA O DIA DAS CRIANÇAS 30, 31 DE AGOSTO E 1º DE SETEMBRO DE 2012 SÃO LUÍS - MA

www.fecomercio-ma.com.br ANÁLISE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS PARA O DIA DAS CRIANÇAS 30, 31 DE AGOSTO E 1º DE SETEMBRO DE 2012 SÃO LUÍS - MA www.fecomercio-ma.com.br ANÁLISE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS PARA O DIA DAS CRIANÇAS 30, 31 DE AGOSTO E 1º DE SETEMBRO DE 2012 SÃO LUÍS - MA Outubro é mês das crianças O Dia das Crianças é a quarta

Leia mais

Monitor do Déficit Tecnológico. Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro

Monitor do Déficit Tecnológico. Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro Monitor do Déficit Tecnológico Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro de 2012 Monitor do Déficit Tecnológico de 2012 1. Apresentação

Leia mais

Figura 38 - Resultado global do Balanço de Pagamentos (US$ bilhões acum. Em 12 meses) Dez/95-Mar/07

Figura 38 - Resultado global do Balanço de Pagamentos (US$ bilhões acum. Em 12 meses) Dez/95-Mar/07 113 6. SETOR EXTERNO Fernando Ribeiro de Leite Neto 6.1 Balanço de Pagamentos 6.1.1 Resultado Global do Balanço de Pagamentos Ao longo de 2006, o setor externo da economia brasileira logrou registrar o

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 11 Pronunciamento sobre a questão

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Novembro 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Considerações Iniciais

Considerações Iniciais ANO 2 NÚMERO 6 ABRIL 212 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO RABELO Considerações Iniciais Neste primeiro trimestre de 212 a economia brasileira apresenta índices econômicos preocupantes

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Perfil Corporativo Julho de 2014. 5. Market Share. 1. Perfil. 2. Principais Marcas. 3. Faturamento Local. 4. Principais Players

Perfil Corporativo Julho de 2014. 5. Market Share. 1. Perfil. 2. Principais Marcas. 3. Faturamento Local. 4. Principais Players Perfil Corporativo 1. Perfil 2. Principais Marcas 3. Faturamento Local 4. Principais Players 5. Market Share 6. Governança Corporativa 7. Sustentabilidade 8. Tendências 9. Últimas Notícias 10. Resultados

Leia mais