FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL. Presidente: Vice-Presidente: UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL. Reitor: Vice-Reitor:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL. Presidente: Vice-Presidente: UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL. Reitor: Vice-Reitor:"

Transcrição

1

2 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL Presidente: João Paulo Reginatto Vice-Presidente: Roque Maria Bocchese Grazziotin UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL Reitor: Prof. Isidoro Zorzi Vice-Reitor: Prof. José Carlos Avino Pró-Reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Prof. João Ignacio Pires Lucas Pró-Reitora de Graduação Profa. Nilva Lúcia Rech Stedile Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa Prof. José Clemente Pozenato Pró-Reitor de Extensão Prof. Alexandre Viecelli Pró-Reitor Administrativo Prof. Gilberto Henrique Chissini Diretora do Centro de Ciências Humanas Profa. Silvana Regina Ampessan Marcon

3 CADERNO DE RESUMOS ABSTRACTS

4 CADERNO DE RESUMOS / ABSTRACTS Organização / Organization Marcos Antonio Rocha Baltar Neires Maria Soldatelli Paviani Niura Maria Fontana Normélio Zanotto Tradução / Translation Cristina Pescador Adail Sobral Digitação / Typing Jaqueline Lenzi Gisele Souza Luisa Verza Taciana Pedrotti Vanessa França Diagramação e projeto gráfico / Graphic project Upplay Soluções em Comunicação Impressão / Printing Gráfica Calábria Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) Universidade de Caxias do Sul UCS - BICE - Processamento Técnico / Cataloging-in-publication data C749r Simpósio Internacional de Estudos de Gêneros Textuais (5. : 2009 ago : Caxias do Sul, RS) Caderno de resumos do V Simpósio Internacional de Estudos de Gêneros Textuais / Organizadores Marcos Antonio Rocha Baltar [et al.]. Caxias do Sul. RS : Educs, p. ;... cm. ISBN: Gêneros textuais Congresso. 2. Linguagem : Gêneros Textuais. I. Baltar, Marcos Antonio Rocha. II. Título CDU: 81 22(063) Índice para o catálogo sistemático: 1. Gêneros textuais Congresso 81 22(063) 2. Linguagem : Gêneros textuais Catalogação na fonte elaborada pelo Bibliotecário Marcos Leandro Freitas Hübner Registro CRB 10/1253 4

5 ORGANIZAÇÃO E REALIZAÇÃO DO V SIGET Coordenação Geral / Local Chairs Marcos Antonio Rocha Baltar (Presidente) Neires Maria Soldatelli Paviani Niura Maria Fontana Normelio Zanotto Coordenação Nacional / National Chairs Désirée Motta-Roth Maria Marta Furlanetto Coordenação Internacional / International Chairs Charles Bazerman Comissão Científica / Scientific committee Acir Mário Karwoski - UFTM - Brasil Adail Ubirajara Sobral - UNIMEP - Brasil Adair Bonini - UNISUL - Brasil Adriane Teresinha Sartori - UCS - Brasil Amy Devitt - University of Kansas - EUA Ana Maria Guimarães - UNISINOS - Brasil Angela Paiva Dionisio - UFPE - Brasil Anna Rachel Machado - PUC-SP - Brasil Antônia Dilamar Araújo - UECE - Brasil Charles Bazerman University of California - Santa Barbara EUA Clécio dos Santos Bunzen Júnior - UNICAMP - Brasil David Russell - Iowa State University - EUA Débora de Carvalho Figueiredo - UNISUL - Brasil Désirée Motta-Roth - UFSM - Brasil Elvira Lopes Nascimento - UEL - Brasil Fabiele Stockmans De Nardi - UCS - Brasil Fábio José Rauen - UNISUL - Brasil Giselle O. M. Dal Corno - UCS - Brasil Glaís Cordeiro - Université de Genève - Suiça Guiomar Elena Ciapuscio - UBA - Argentina Iara Bemquerer Costa - UFPR - Brasil Isabel Maria Paese Pressanto - UCS - Brasil Jean-Paul Bronckart - Université de Genève - Suiça Joaquim Dolz - Université de Genève - Suiça Julio César Rosa de Araújo - UFC - Brasil Marcos Antonio Rocha Baltar - UCS - Brasil Maria Antónia Diniz Caetano Coutinho - UNL - Portugal Maria Aparecida Garcia Lopes-Rossi - UNITAU - Brasil Maria Eugênia Turra Gasteldello - UCS - Brasil Maria Marta Furlanetto - UNISUL - Brasil Mariléia Silva dos Reis - UNISUL - Brasil 5

6 Mary R. Lea - Open University - UK Najara Ferrari Pinheiro - UCS - Brasil Neires Maria Soldatelli Paviani - UCS - Brasil Niura Maria Fontana - UCS - Brasil Normelio Zanotto - UCS - Brasil Odete Maria Benetti Boff - UCS - Brasil Orlando Vian Junior - UNIFESP - Brasil Paula Carlino - Universidade de Buenos Aires Argentina Regina Lúcia Péret Dell Isola - UFMG - Brasil Rosinda de Castro Guerra Ramos - PUC-SP - Brasil Roxane Helena Rodrigues Rojo - UNICAMP - Brasil Sandoval Nonato Gomes Santos - UFPA - Brasil Tânia Maris de Azevedo - UCS - Brasil Vanilda Salton Köche - UCS - Brasil Vera Lúcia Lopes Cristóvão - UEL - Brasil Projeto: Coordenação Geral / Project Coordination Giselle Dal Corno Articulação Intra e Extrainstitucional / Intra and Extra-institutional Articulation Normelio Zanotto Inscrições e Site / Registration and Website Cristina Maria Pescador Isabel Pressanto Claudia Bressan Logística / Logistics Suzana Pagot Morgana Rossetti Falavigna Valneide Azpiroz Transporte e Hospedagem / Transport and Lodging Giselle Dal Corno Sandra Porsche Flavia Saretta Milton Bentancor Alimentação / Boarding Magaly Ruwer Adriane Homann Marta Gobatto Maria Valésia Silva da Silva Tradução / Translation Adail Sobral 6

7 Flavia Saretta Giselle Dal Corno Elsa Monica Basso Milton Bentancor Certificação / Certificates Niura Fontana Palestras (Conferência, mesas-redondas e painéis) / Lectures (Conferences, round tables and panels) Coordenação geral / Local Chairs Marcos Antonio Rocha Baltar Neires Maria Soldatelli Paviani Niura Maria Fontana Normelio Zanotto Comunicações Coordenadas / Coordinated Paper Presentations Meris Mascarelo Comunicações Individuais / Individual Paper Presentations Tania Maris de Azevedo Cristina Knapp Minicursos / Minicourses Carina Granzotto Pôsteres / Posters Diego Chiapinotto Cineri Facchin Morais Anais / Caderno de Resumos / Proceedings and Book of Abstracts Marcos Antonio Rocha Baltar Neires Maria Soldatelli Paviani Niura Maria Fontana Normelio Zanotto Lançamento de Livros / Book Launch Acir M. Karwoski (Coordenação Geral) Acompanhamentos de Palestrantes / Facilitadores / Lecturers Escorting / Facilitating Team Elsa Monica Basso Magda Custódio Turismo, Cultura e Entretenimento / Tourism, Culture and Entertainment Dolaimes Comunicação e Eventos Ana Lídia Bisol 7

8 Relações Internacionais e Facilitadores / International Affairs and Facilitators Luciane Stalivieri Captação de Recursos / Resources Normelio Zanotto Dolaimes Comunicação e Eventos Financeiro / Financial Committee Elizabeth Dalcorno Normelio Zanotto Secretaria Geral / General Secretary Suzana Damiani Marlene Detanico Formolo Gisele Souza Luísa Verza Taciana Pedroni Vanessa de Almeida França Daniela Catuzzo Suporte e Organização / Support and Organization Dolaimes Comunicação e Eventos Monitoria / Monitors Débora Oss Comunicação / Communications Dimas Augusto Felippi Dolaimes Comunicação e Eventos Patrocínio / Sponsorship Apoio / Partners PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA, PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO, PROGRAMA DE PÓS GRA- DUAÇÃO EM LETRAS CULTURA E REGIONALIDADE, SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA, SECRETARIA MUNICIPAL DE TURISMO, ARMAZÉM E PANIFICADORA FLORENSE, CLAÚDIO LUIS TURATTO, CLÍNICA DENTÁRIA LEONARDO S. PAVIANI, ERVA-MATE JACU- TINGA, ESSÊNCIAS DA TERRA, GERMANI ALIMENTOS, IBRAVIN, JOSÉ SOZO VINHOS, LIVRARIA ROSSI, MATADOURO GAVAZZONI, PERUZZATTO PRODUTOS COLONIAIS, PRODUTOS COLONIAIS TIA REGINA, RASIP, SAMAE, SUPER CASTELÃO, TOQUE ALIMENTOS. 8

9 APRESENTAÇÃO Prezados amigos sigetianos Há algumas décadas, os estudos sobre gêneros textuais têm chamado a atenção de inúmeros pesquisadores de variados campos epistemológicos e metodológicos, em diferentes países. No Brasil, é possível afirmar que os trabalhos científicos nessa área começaram a emergir no final da década de 90. Em 2003, na Universidade Estadual de Londrina, Paraná, iniciamos os simpósios específicos para tratar dos estudos de gêneros. Depois disso, seguimos nos encontrando em União da Vitória, Paraná, em 2004; em Santa Maria, Rio Grande do Sul, em 2005 e em Tubarão, Santa Catarina, em O presente encontro de, 11 a 14 de agosto de 2009, em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, tem como foco o ensino de gêneros, seja na educação superior, seja na educação básica. Os trabalhos inscritos abordam os seis eixos temáticos do evento: gêneros textuais e perspectivas epistemológicas e metodológicas; gêneros textuais e ensino de línguas; gêneros textuais e formação de professores; gêneros textuais e instâncias profissionais; gêneros textuais e mídia e gêneros textuais e letramento. Constituem o Simpósio, nas diferentes modalidades, uma conferência de abertura, vinte e um minicursos, vinte e quatro conferências em mesas-redondas e painéis e quarenta e quatro sessões coordenadas com especialistas de várias regiões do Brasil, além de alguns estrangeiros. Participam, também, estudiosos dos diferentes temas com comunicações individuais e pôsteres. Neste Caderno de Resumos, apresentamos a programação geral acadêmica, incluindo também a programação artística, seguida dos resumos dos trabalhos. Em suma, o leitor encontrará neste Caderno uma amostra significativa da ampla pesquisa que vem sendo relizada no Brasil e no exterior acerca deste importante tema na perspectiva dos estudos da linguagem, em especial no que diz respeito à Linguística Aplicada. Cordialmente, Marcos Baltar Neires Soldatelli Paviani Niura Fontana Normelio Zanotto Coordenação Geral Caxias do Sul, 11 de agosto de 2009 PRESENTATION Dear Sigetian Friends, For a few decades, studies on text genres have called the attention of a countless number of researchers from several methodological and epistemological fields in different countries. In Brazil it is possible to say that scientific studies in this area started in the late 90 s. It was back in 2003, at the State University of Londrina, Paraná, that we started having these symposiums to deal specifically with studies related to genre. After that, we met again in União da Vitória, Paraná, in 2004; in Santa Maria, Rio Grande do Sul, in 2005, and then in Tubarão, Santa Catarina, in This meeting from August 11 to 14, 2009, in Caxias do Sul, Rio Grande do Sul focuses on teaching genres, whether that means in higher education or basic education. Papers for the presentations approach the six themes of the symposium: text genres and epistemological and methodological perspectives; text genres and language teaching; text genres and teacher training; text genres and professional areas; text genres and media; and textual genres and literacy. The Symposium in its different modalities is comprised of an opening conference, 21 mini-courses, 24 round-table conferences and panels, and 44 coordinated paper presentations with experts from different regions of Brazil, along with some foreigners. There are also scholars studying the different themes of the event and presenting individual papers and posters. In this Book of Abstracts, we present the general academic program and also include the artistic program, followed by the abstracts of the papers in the event. In short, readers will find in this Book a significant sample of the wide range of research that has been carried out in Brazil and abroad about this important subject from the perspective of language studies, especially in what refers to Applied Linguistics. Regards, Marcos Baltar Neires Soldatelli Paviani Niura Fontana Normelio Zanotto Coordenação Geral Caxias do Sul, 11 de agosto de

10 SUMÁRIO / TABLE CONTENTS PROGRAMAÇÃO GERAL DO SIMPÓSIO / SYMPOSIUM S GENERAL SCHEDULE pag 11 RESUMO DOS MINICURSOS / ABSTRACTS OF WORKSHOPS - Programação geral pag 15 CONFERÊNCIA DE ABERTURA / OPENING CONFERENCE pag 23 RESUMO DOS SESSÕES PLENÁRIAS / ABSTRACTS OF PLENARIES - Mesas redondas dia 12/08 - Round table pag 24 - Mesas redondas dia 13/08 - Round table pag 25 - Mesas redondas dia 14/08 - Round table pag 28 - Painéis dia 12/08 - Panels pag 30 - Painéis dia 13/08 - Panels pag 32 - Painéis dia 14/08 - Panels pag 33 RESUMO DAS COMUNICAÇÕES COORDENADAS / ABSTRACTS OF COMUNICATIONS COORDENADAS - Comunicações Coordenadas 12/08 - Cordinated paper presentations pag 35 - Comunicações Coordenadas 13/08 - Cordinated paper presentations pag 80 - Comunicações Coordenadas 14/08 - Cordinated paper presentations pag 112 RESUMO DAS COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS / ABSTRACTS OF COMUNICATIONS INDIVIDUALS - Comunicações Coordenadas 12/08 - Individual paper presentations pag Comunicações Coordenadas 13/08 - Individual paper presentations pag Comunicações Coordenadas 14/08 - Individual paper presentations pag 266 RESUMO DOS PÔSTERES / ABSTRACTS OF POSTERS pag 310 APÊNDICE/ APPENDIX pag 380 ÍNDICE DE AUTORES / AUTHORS INDEX pag

11 V SIGET Simpósio Internacional de Estudos de Gêneros Textuais PROGRAMAÇÃO: 11 de agosto terça-feira 8h Credenciamento e distribuição de material Bloco F Salas 103, 104 e Saguão. Secretaria do evento Bloco F Sala 106 9h Minicursos Blocos F e I 12h Almoço 13h30min Minicursos (continuação) Blocos F e I 15h30min Café Saguão do Bloco F 16h Credenciamento e distribuição de material Bloco F Salas 103 e h Cerimônia de Abertura e Homenagem Especial a Luiz Antônio Marcuschi Bloco M UCS Teatro 19h Conferência de Abertura com Bernard Schneuwly UNIGE Suíça Bloco M UCS Teatro 20h Concerto do Coro da Universidade de Caxias do Sul Bloco M UCS Teatro 20h30min Coquetel Filó Restaurante Ícaro 12 de agosto quarta-feira 8h Credenciamento e distribuição de material Secretaria do evento Bloco F - Saguão e Sala 106 8h30min Mesa-redonda Perspectivas epistemológicas e metodológicas Bloco M UCS Teatro Carolyn Miller North Carolina State University, EUA; Maria Antonia Coutinho Universidade Nova de Lisboa, Portugal; Maria Izabel Santos Magalhães UnB, Brasil; Maria Marta Furlanetto UNISUL, Brasil; 11h30min Exposição de Pôsteres Bloco J Auditório h Almoço 13h30min Comunicações Individuais Blocos E e F 15h30min Café Blocos E e F 15h45min Comunicações Coordenadas Blocos E e F 17h45min Lanche Restaurante Ícaro 18h15min Painel Gêneros textuais e instâncias profissionais Bloco M UCS Teatro Adair Bonini UNISUL, Brasil; Anna Rachel Machado PUC SP, Brasil; Charles Bazerman University of California, of Santa Bárbara, EUA; Vijay Bhatia City University of Hong Kong, China 20h15min Lançamento de livros Centro de Convivência 13 de agosto - quinta-feira 8h30min Mesa-redonda Gêneros textuais e formação de professores Bloco M UCS Teatro Guiomar Elena Ciapuscio UBA, Argentina; Joaquim Dolz UNIGE, Suíça; Solange T. R. de Castro UNITAU, Brasil; Vera Lúcia Lopes Cristóvão UEL, Brasil 11h30min Exposição de Pôsteres Bloco J Auditório h45min Recepção aos conferencistas Reitoria Bloco A Sala dos Conselhos 12h Almoço 13h30min Comunicações Individuais Blocos E e F 11

12 15h30min Café Blocos E e F 15h45min Comunicações Coordenadas Blocos E e F 17h45min Lanche Restaurante Ícaro 18h15min Painel Gêneros Textuais e Mídia Bloco M UCS Teatro David Russel Iowa State University, EUA; Gisele de Carvalho UERJ, Brasil; Patrick Charaudeau Université Paris XIII, França; Viviane M. Heberle UFSC, Brasil 20h15min Intervalo 20h45min Concerto da Orquestra Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul Bloco M UCS Teatro 14 de agosto sexta-feira 8h30min Mesa-redonda Gêneros textuais e ensino de línguas Bloco M UCS Teatro Amy Devitt University of Kansas EUA; Ana Maria de Mattos Guimarães UNISINOS, Brasil; Blanca Yaneth González Pinzón Universidad Sergio Arboleda, Colômbia; Glaís Sales Cordeiro UNIGE, Suíça; 11h30min Exposição de Pôsteres Bloco J Auditório h Almoço 13h30min Comunicações Individuais Blocos E e F 15h30min Café Blocos E e F 15h45min Comunicações Coordenadas Bloco E e F 17h45min Intervalo 18h Painel Gêneros textuais e letramento Bloco M UCS Teatro Brian Street King s College London, Reino Unido; Maria do Socorro Oliveira UFRN, Brasil; Paula Carlino UBA, Argentina, Roxane Rojo UNICAMP, Brasil 20h Plenária V SIGET Bloco M UCS Teatro 21h Jantar por adesão *Churrascaria Gaudério *Haverá transposte gratuito com saída do terminal de ônibus da UCS. V SIGET 5th International Symposium on Genre Studies SCHEDULE: August 11th Tuesday 8h Registration and material pickup Building F Rooms 103, 104 and Lobby. Secretary s Office Building F Room 106 9h Minicourses Buildings F and I 12h Lunch Break 13h30min Minicourses (continuation) Buildings F and I 15h30min Coffee Break Lobby of Building F 16h Registration and material pickup Building F Rooms 103 and h Opening Ceremony and Special Tribute to Luiz Antônio Marcuschi Building M UCS Theater 19h Opening Conference with Bernard Schneuwly UNIGE (Switzerland) Building M UCS Theater 12

13 20h Concert by the Universidade de Caxias do Sul Choir Building M UCS Theater 20h30min Cocktail Filó Ícaro Restaurant August 12 Wednesday 8h Registration and material pickup Secretary s Office Building F Lobby and Room 106 8h30min Round Table Text genre: epistemology and methodology Building M UCS Theater Carolyn Miller North Carolina State University (USA); Maria Antonia Coutinho Universidade Nova de Lisboa (Portugal); Maria Izabel Santos Magalhães UnB (Brazil); Maria Marta Furlanetto UNISUL (Brazil); 11h30min Poster Session Building J Auditorium h Lunch Break 13h30min Individual Paper Presentations Buildings E and F 15h30min Coffee Break Buildings E and F 15h45min Coordinated Paper Presentations Buildings E and F 17h45min Snack Break Ícaro Restaurant 18h15min Panel Text genres and professional areas Building M UCS Theater Adair Bonini UNISUL (Brazil); Anna Rachel Machado PUC SP (Brazil); Charles Bazerman University of California of Santa Barbara (USA); Vijay Bhatia City University of Hong Kong (China) 20h15min Book launch session Social Center and Cultural Spaces August 13 Thursday 8h30min Round table Text genre and teacher training Building M UCS Theater Guiomar Elena Ciapuscio UBA (Argentina); Joaquim Dolz UNIGE (Switzerland); Solange T. R. de Castro UNITAU (Brazil); Vera Lúcia Lopes Cristóvão UEL (Brazil) 11h30min Poster Exhibit Building J Auditorium h45min Welcome Reception for the Conferencists University Board of Directors Building A Council Room 12h Lunch Break 13h30min Individual Paper Presentations Buildings E and F 15h30min Coffee Break Buildings E and F 15h45min Coordinated Paper Presentations Buildings E and F 17h45min Snack Break Ícaro Restaurant 18h15min Panel Text Genres and Media Building M UCS Theater David Russel Iowa State University (USA); Gisele de Carvalho UERJ (Brazil); Patrick Charaudeau Université Paris XIII (France); Viviane M. Heberle UFSC (Brazil) 20h15min Break 20h45min Concert by the Symphonic Orchestra of the University of Caxias do Sul Building M UCS Theater August 14 Friday 8h30min Round table Text genre and language teaching Building M UCS Theater Amy Devitt University of Kansas (USA); Ana Maria de Mattos Guimarães UNISINOS ( Brazil); Blanca Yaneth González Pinzón Universidad Sergio Arboleda (Colombia); Glaís Sales Cordeiro UNIGE (Switzerland); 11h30min Poster Exhibit Building J Auditorium

14 12h Lunch Break 13h30min Individual Paper Presentations Buildings E and F 15h30min Coffee Break Buildings E and F 15h45min Coordinated Paper Presentations Building E and F 17h45min Break 18h Panel Text genres and literacy Building M UCS Theater Brian Street King s College London (UK); Maria do Socorro Oliveira UFRN (Brazil); Paula Carlino UBA (Argentina), Roxane Rojo UNICAMP (Brazil) 20h V SIGET Plenary Session Building M UCS Theater 21h Conference dinner (Sign up for it) *Churrascaria Gaudério *There will be free transport leaving the bus terminal at UCS. 14

15 » TABELA GERAL DE MINICURSOS / TABLE WORKSHOPS TÍTULO AUTOR SALA BLOCO 01 - Multimodalidade, intergenericidade e leitura 02 - Gêneros na escola: ensino ou transmissão? 03 - A construção de modelos didáticos como ferramentas para a produção de sequências didáticas 04 - Trabalhando gêneros textuais em sequências didáticas 05 - Pôster acadêmico: um gênero ou um evento? 06 - Gêneros acadêmicos na sala de aula: proposta de ensino por meio de atividades etnográficas 07 - Décrire l objet enseigné en classe - une méthodologie multifocale: l exemple du texte argumentatif 08 - Gêneros textuais nas perspectivas da Análise Crítica do Discurso (ACD) e da Linguística Sistêmico-Funcional (LSF) 09 - Perspectivas analíticas e pedagógicas de textos eletrônicos de popularização da ciência Acir Mario Karwoski (UFTM) Beatriz Gaydeczka (USP) Adail Ubirajara Sobral (UCPEL) 409 F 301 E Adair Gonçalves (UFGD) Alexandra Santos Pinheiro (UFGD) 111 F Ana Maria Guimarães (UNISINOS) Rafaela Fetzner Drey (UNISINOS) Angela Dionísio (UFPE) Antônia Dilamar Araújo (UEC) Bernard Schneuwly (UNIGE) Débora Figueiredo (UNISUL) 112 F 113 F 114 F 302 F 303 F Désirée Motta-Roth (UFSM) Thaiane da Silva Scoloski (UFSM) 310 F 10 - O jogo digital no ensino de línguas Dinorá Fraga (UNISINOS) 119 I 11 - Gêneros textuais e ensino no Interacionismo Sociodiscursivo 12 - O dispositivo sequência didática na formação dos professores da educação básica como ferramentas para desenvolver capacidades linguageiras 13 - Os gêneros do discurso como objeto de ensino-aprendizagem de língua: avanços, problemas a superar e outras perspectivas 14 - O dispositivo sequência didática na formação dos professores da educação básica como ferramentas para desenvolver capacidades linguageiras 15 - Gêneros e letramentos na Web 2.0: interação e ensino Eliane Gouvêa Lousada (UNIGE) Lília Santos Abreu-Tardelli (CEFET) Luzia Bueno (USF) Elvira Nascimento (UEL) Fabrício Decândio (UNIGE) Eliana Merlin Daganutti de Barros (UEL) Jacqueline Peixoto Barbosa (PUC-SP) Joaquim Dolz (UNIGE) Roxane Gagnon (UNIGE) Yann Millet (UNIGE) Julio Cesar Rosa de Araújo (UFC) 311 F 313 F 403 F 314 F 401 F 15

16 TÍTULO AUTOR SALA BLOCO 16 - Rádio escolar: ferramenta de interação sociodiscursiva na escola Marcos Baltar (UCS) Renata Vitto (UCS) 110 F 17 - Dos gêneros de texto à gramática: perspectivas de ensino-aprendizagem 18 - Atividades de leitura de gêneros discursivos em sala de aula 19 - Gêneros acadêmicos na formação inicial do professor 20 - Análise e produção de elaboração didática para leitura e para produção textual a partir dos gêneros do discurso 21 - Gêneros do discurso e ensino de línguas: uma abordagem intercultural Maria Antonia Coutinho (FCSH/ UNL) Maria Aparecida G. Lopes-Rossi (UNITAU) Maria Auxiliadora Bezerra (UFPE) 404 F 408 F 415 F Rosângela Hammes Rodrigues (UFSC) 412 F Roxane Helena Rodrigues Rojo (UNICAMP) 301 F» MINICURSOS/ 9h - 12h e 13h30min - 15h30min / Blocos E, F e I 01 - MULTIMODALIDADE, INTERGENERICIDADE E LEITURA - SALA 409 / BLOCO F Acir Mário Karwoski - UFTM Beatriz Gaydeczka - USP De acordo com Kress e van Leeuwen, (1996), multimodalidade é processo em que um texto é formado por vários modos semióticos - palavras e imagens por exemplo. Muito recentemente em anúncios publicitários há combinação de palavras, imagens e sensações, movimentos, ações, a encenação textual intergenérica, conforme Pagano (2001). Intergenericidade é o fenômeno composicional híbrido de um gênero com uma forma facilmente identificada pelo leitor, porém com função de outro gênero. Para explorar estratégias de leitura de gêneros multimodais o professor de língua portuguesa deve conduzir o aluno a perceber, por exemplo, que a intergenericidade é um fenômeno dinâmico e comum na sociedade, exigindo dessa forma mais habilidades de leitura e senso de criticidade. O objetivo dessa oficina é mostrar que a análise de gêneros híbridos, especialmente do domínio midiático, deve privilegiar o gênero como uma prática sóciohistórica situada contextualmente, dependente do leitor e de sua competência metagenérica, fiador legítimo dos efeitos de sentidos. A leitura de gêneros multimodais exige do leitor diversas estratégias GÊNEROS NA ESCOLA: ENSINO OU TRANSMISSÃO? - SALA 301 / BLOCO E Adail Ubirajara Sobral - UNIMEP Este minicurso busca abordar, da perspectiva bakhtiniana, as vicissitudes por que tem passado o conceito de gênero em sua didatização, bem como, e principalmente, resgatar sua definição no âmbito das teorias bakhtinianas, com ênfase no fato de que, ao assimilar gêneros, a esfera educacional os transforma em gêneros escolares, impondo-lhe alterações que modificam sua natureza genérica. No caso dos editoriais, por exemplo, muitos julgam que ensinam editoriais, quando em verdade transmitem a forma textual 16

17 editorial, exceto no curso de jornalismo. O minicurso vai discutir formas de integrar os gêneros ao ensino de língua portuguesa levando em conta as esferas de sua produção, recepção e circulação sociais em geral e sua assimilação na escola, a fim de mostrar como é válido ensinar, mas não transmitir, gêneros A CONSTRUÇÃO DE MODELOS DIDÁTICOS COMO FERRAMENTAS PARA A PRODU- ÇÃO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS - SALA 111 / BLOCO F Adair Gonçalves - UFGD Alexandra Santos Pinheiro - UFGD Este minicurso pretende discutir a construção de modelos didáticos para o ensino de língua materna para o Ensino Fundamental e Médio. Em seguida, por meio de atividades práticas, construiremos modelos de gêneros do agrupamento do argumentar. Segundo Rojo (2001), muitas das ações voltadas para o campo da linguagem, língua, letramento, etc. têm se descuidado dos aspectos didáticos da implementação das teorias numa prática escolar. A autora cita ainda que, em suas ações de formação de professores, um dos pontos de estrangulamento é a construção de modelos didáticos. Nós, do mesmo modo, apoiando-nos em Dolz & Scnheuwly (2004), acreditamos que a construção dos modelos didáticos seja um dos momentos cruciais para a posterior construção da sequência didática TRABALHANDO GÊNEROS TEXTUAIS EM SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS - SALA 112 / BLOCO F Ana Maria de Mattos Guimarães - UNISINOS Rafaela Fetzner Drey - UNISINOS Apresentar e discutir a proposta de trabalho com gêneros textuais, organizada em torno do formato de sequências didáticas, como alternativa de trabalho com as práticas de linguagem escritas e orais na escola; refletir sobre os aspectos teórico-metodológicos que envolvem a adoção desta perspectiva de trabalho na escola PÔSTER ACADÊMICO: UM GÊNERO OU UM EVENTO? - SALA 113 / BLOCO F Angela Dionisio - UFPE A participação em sessão de pôsteres/ não se limita à exposição do material impresso. O planejamento e a organização dessa participação não termina com a confeção do texto impresso, pois a forma de apresentação oral da pesquisa, ou seja, a apresentação pública é parte integrante dessa participação em eventos. Neste curso, discutiremos o pôster acadêmico em duas perspectivas: gênero e evento multimodal GÊNEROS ACADÊMICOS NA SALA DE AULA: PROPOSTA DE ENSINO POR MEIO DE ATIVIDADES ETNOGRÁFICAS - SALA 114 / BLOCO F Antonia Dilamar Araújo - UEC / CE É cada vez mais crescente o interesse e preocupacão com os estudos de gêneros do ponto de vista instrucional e curricular. Autores como Devitt (2004), Hyland (2004), Johns, (2002) e Swales (1990) argumentam 17

18 que o ensino explícito de gêneros é útil para conscientizar e empoderar estudantes a terem acesso e participarem de práticas discursivas de diferentes comunidades disciplinares. Apesar do reconhecimento da importância de se ensinar gêneros nas escolas, o seu ensino ainda parece ser um desafio tanto em língua materna, quanto em língua estrangeira. Para um público-alvo constituído de professores de língua materna e estrangeira, essa oficina tem por objetivo geral discutir e analisar propostas de ensino de gêneros textuais a partir de abordagens que focalizam na análise de atividades e estratégias etnográficas, cuja ênfase está na concepção de gêneros como formas de ação retórica que são intimamente relacionadas às formas de organização e ação social DÉCRIRE L OBJET ENSEIGNÉ EN CLASSE UNE MÉTHODOLOGIE MULTIFOCALE: L EXEMPLE DU TEXTE ARGUMENTATIF - SALA 302 / BLOCO F Bernard Schneuwly - UNIGE Comment décrire l objet enseigné? Dans notre intervention nous allons proposer une méthodologie de recherche développée pour répondre à cet ambitieuse question. Nous allons procéder en trois temps : 1. Il s agit dans un premier temps de définir ce que nous entendons par «objet enseigné», ce que nous ferons en nous référons à la théorie de la transposition didactique. 2. Nous allons ensuite définir la meilleure entrée pour saisir l objet enseigné et démontrerons théoriquement qu il s agit pour nous du travail de l enseignant en classe dont nous décrirons quelques éléments essentiels du point de vue qui est le nôtre 3. Sur cette base nous définirons une approche empirique constituée de trois éléments essentiels a. Recueil de données b. Traitement des données pour les réduire en éléments lisibles et manipulables c. Analyse et description multifocale des données, avec i. approche globale de chaque séquence à travers sa macrostructure et l enchaînement des activités ; ii. saisie de l objet à travers des gestes professionnels observés dans l ensemble des séquences comme l évaluation ou l institutionnalisation ; iii. observation des flux entre sous-disciplines du «français» (grammaire écriture ; travail sur le texte argumentation) L approche empirique sera présentée et explicitée concrètement, à travers des exemples précis issu de notre recherche portant sur le texte argumentatif. Ceci permettra en même temps de présenter quelques résultats de la recherche dont la conclusion générale peut-être résumée comme suit : De la classique conception représentationnelle de l objet, décelé dans la macrostructure des séquences au marquage communicatif des séquences par leur matériau, les textes : c est la tension qui donne naissance aux objets enseignés dans les séquences consacrés au texte argumentatifs, objets certes variés, mais objets toujours construits le long de la même tension constitutive à travers des pratiques sédimentées, comprenant en synchronie des éléments provenant de périodes historiques différentes GÊNEROS TEXTUAIS NAS PERSPECTIVAS DA ANÁLISE CRÍTICA DO DISCURSO (ACD) E DA LINGUÍSTICA SISTÊMICO-FUNCIONAL (LSF) - SALA 303 / BLOCO F Débora de Carvalho Figueiredo - UNISUL / SC Esse minicurso tem como objetivo apresentar três abordagens teoricamente interligadas de análise de gêneros textuais: a proposta por Hasan (1989), a proposta por Martin (2000, 1997, 1992, 1989), e a pro- 18

19 posta por Fairclough (1999, 2003, 2006). Fairclough define gêneros como aspectos discursivos das formas como agimos e interagimos em eventos sociais (2003, p. 65). Isto é, os gêneros são formas particulares de relações sociais entre agentes sociais (indivíduos ou organizações). Do ponto de vista da ACD, portanto, a análise de gêneros tem como foco o papel desempenhado pelos gêneros no estabelecimento de ações/ interações sociais em eventos sociais. O modelo de Fairclough para a análise genérica é composto de três partes: análise de cadeias de gêneros; análise de combinação de gêneros em textos específicos; e análise de gêneros particulares em textos particulares. Uma vez que a ACD adota, como teoria lingüística de base, a gramática sistêmico-funcional de Halliday (1985, 1994, 2004), a proposta de análise genérica de Hasan tem pontos de similaridade com a de Fairclough. A perspectiva de Hasan, alinhada com a LSF, concebe a linguagem como um sistema de significações que medeia a existência social (MOTTA-ROTH; HEBERLE, 2005, p. 12), podendo e devendo ser analisada como um sistema semiótico. Assim, o modelo da autora teoriza e discute as relações sistemáticas e funcionais entre linguagem e contexto de uso, enfatizando a necessidade de qualquer análise lingüística incluir a investigação dos fatores contextuais que enquadram, determinam e limitam os usos humanos da linguagem. A proposta de análise de gêneros de Martin, baseada numa perspectiva teleológica, está ligada à de Hasan pelo uso comum da LSF como teoria lingüística, e à de Fairclough pelo foco analítico na organização da linguagem e sua relação com o uso e o modo como a linguagem e o contexto social em que é produzida se inter-relacionam, de modo que um realize o outro (VIAN JR; LIMA-LOPES, 2005, p. 30). O modelo de contexto utilizado por Martin provém de seus próprios trabalhos, mas também inclui elaborações dos conceitos de contexto de situação e registro (HALLIDAY, 1978), do conceito de gênero de Bakhtin (1992), e da relação entre texto e contexto proposta por Halliday e Hasan (1989). O presente minicurso pretende apresentar subsídios teórico-analíticos provenientes de abordagens discursivas críticas e funcionais que possam embasar o trabalho com gêneros textuais, tanto por professores de língua (LM ou LE) quanto por pesquisadores da linguagem PERSPECTIVAS ANALÍTICAS E PEDAGÓGICAS DE TEXTOS ELETRÔNICOS DE POPU- LARIZAÇÃO DA CIÊNCIA - SALA 310 / BLOCO F Désirée Motta-Roth - UFSM Thaiane da Silva Socoloski - UFSM Ensinar línguas é ensinar a analisar discursos na materialidade de textos sócio-historicamente situados. Neste minicurso, serão apresentadas perspectivas analíticas e pedagógicas para o ensino de línguas com foco em gêneros textuais, a partir de exemplos de notícias de popularização da ciência divulgadas na Internet O JOGO DIGITAL NO ENSINO DE LÍNGUAS - SALA 119 / BLOCO I Dinorá Fraga - UNISINOS Os participantes terão oportunidade de jogar e realizar atividades para o ensino de línguas já desenvolvidas com alunos de Ensino Fundamental e Médio. A partir dessas atividades, o significado do jogo e sua importância para a educação serão discutidos, sob forma de seminário, numa perspectiva cultural (Maturana, 2006) e sociodiscursiva (Fraga, 2008; Bronckart,2008). 19

20 11 - GÊNEROS TEXTUAIS E ENSINO NO INTERACIONISMO SOCIODISCURSIVO - SALA 311 / BLOCO F Eliane Gouvêa Lousada - USP Lília Santos Abreu-Tardelli - F / SP Luzia Bueno - USF / SP Este minicurso visa a apresentar o modelo de análise de gêneros textuais do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD), conforme Bronckart (1999, 2008). Temos, ainda, por objetivo, propiciar a reflexão sobre como usá-lo na análise e elaboração de materiais didáticos para o ensino de língua materna ou estrangeira. Para tanto, basear-nos-emos, também, nos trabalhos de Schneuwly & Dolz (2004) sobre o uso dos pressupostos teóricos do ISD para a elaboração de sequências didáticas elaboradas a partir da noção de gênero textual. Para tanto, discutiremos conceitos teóricos tais como gêneros textuais, folhado textual, capacidades de linguagem, transposição didática, modelo didático, sequência didática, entre outros, e proporemos atividades práticas de análise e de elaboração de materiais didáticos O DISPOSITIVO SEQUÊNCIA DIDÁTICA NA FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA COMO FERRAMENTAS PARA DESENVOLVER CAPACIDADES LINGUA- GEIRAS - SALA 313 / BLOCO F Elvira Lopes Nascimento - UEL Fabrício Decândio - UNIGE Eliana Merlin Deganutti de Barros - UEL O objetivo deste minicurso é o de apresentar o modelo de sequência didática e discutir dados relacionados à sua aplicabilidade a diferentes contextos socio-culturais. Serão ministradas oficinas enfocando diversos gêneros textuais nas quais analisaremos os projetos de comunicação que resultam em produções significativas e contextualizadas. Em cada projeto de seqüência didática avaliaremos a produção inicial como um diagnóstico para o planejamento de objetivos a serem atingidos nas oficinas e avaliaremos o progresso do aluno demonstrado na produção final. Cada oficina será ministrada por uma dupla: um professor brasileiro e um professor suíço, o que permitirá um diálogo que vai demonstrar as adaptações da ferramenta para contextos culturais distintos OS GÊNEROS DO DISCURSO COMO OBJETO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUA: AVANÇOS, PROBLEMAS A SUPERAR E OUTRAS PERSPECTIVAS - SALA 403 / BLOCO F Jacqueline Peixoto Barbosa - PUC / SP Desde a publicação dos PCNs de Língua Portuguesa de Ensino Fundamental é notável o aumento de propostas curriculares e de materiais didáticos que propõem a articulação do trabalho com as práticas de linguagem a partir dos gêneros do discurso. Nesse contexto, é importante destacar os avanços que estes documentos e materiais trouxeram para a prática pedagógica da área, apontar caminhos para a superação de problemas a enfrentar e vislumbrar outras possibilidades de trabalho. O presente minicurso pretende assim discutir os seguintes tópicos: Os gêneros do discurso como objeto de ensino-aprendizagem: avanços a destacar e problemas a superar; Gêneros do discurso e práticas de linguagem: seriam os gêneros do discurso meio ou fim?; Modalidades didáticas e gêneros do discurso: para além das sequências didáticas 20

GRUPO DE ESTUDOS LINGUÍSTICOS DO NORDESTE UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE LETRAS www.gelne.org.br. Primeira Circular VI ECLAE

GRUPO DE ESTUDOS LINGUÍSTICOS DO NORDESTE UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE LETRAS www.gelne.org.br. Primeira Circular VI ECLAE GRUPO DE ESTUDOS LINGUÍSTICOS DO NORDESTE UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE LETRAS www.gelne.org.br Primeira Circular VI ECLAE CONVITE O Grupo de Estudos Linguísticos do Nordeste

Leia mais

DIGITAL STORYTELLING: O GÊNERO NARRATIVA AUTOBIOGRÁFICA DIGITAL EM AULAS DE INGLÊS

DIGITAL STORYTELLING: O GÊNERO NARRATIVA AUTOBIOGRÁFICA DIGITAL EM AULAS DE INGLÊS DIGITAL STORYTELLING: O GÊNERO NARRATIVA AUTOBIOGRÁFICA DIGITAL EM AULAS DE INGLÊS Débora Bortolon (Colégio Estadual Castelo Branco /Paraná) Terezinha Marcondes Diniz Biazi (/UNICENTRO/GP) e-mail: emebiazi@hotmail.com

Leia mais

DOCUMENTOS OFICIAIS DO GOVERNO - SUBSÍDIOS PARA A PRÁTICA DOCENTE DO PROFESSOR DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

DOCUMENTOS OFICIAIS DO GOVERNO - SUBSÍDIOS PARA A PRÁTICA DOCENTE DO PROFESSOR DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DOCUMENTOS OFICIAIS DO GOVERNO - SUBSÍDIOS PARA A PRÁTICA DOCENTE DO PROFESSOR DE LÍNGUA ESTRANGEIRA Alciene Ribeiro Feitoza da SILVA 1 Módulo Centro Universitário Ao atuar na formação de professores de

Leia mais

A COLABORAÇÃO NA PESQUISA ETNOGRÁFICA: O DIÁLOGO ENTRE ESCOLA E UNIVERSIDADE

A COLABORAÇÃO NA PESQUISA ETNOGRÁFICA: O DIÁLOGO ENTRE ESCOLA E UNIVERSIDADE A COLABORAÇÃO NA PESQUISA ETNOGRÁFICA: O DIÁLOGO ENTRE ESCOLA E UNIVERSIDADE Autora: Lorena Valin Mesquita Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) - lm_valin@hotmail.com Coautora: Roberta Souza

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: PNLD, livro didático, língua estrangeira, gênero.

PALAVRAS-CHAVE: PNLD, livro didático, língua estrangeira, gênero. PNLD 2011: ANÁLISE DE UMA COLEÇÃO DE LIVRO DIDÁTICO DE INGLÊS Universidade Federal de Goiás Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística Mestranda: Maria Letícia Martins Campos FERREIRA mleticiaf@hotmail.com

Leia mais

EMENTÁRIO LETRAS EaD INGLÊS

EMENTÁRIO LETRAS EaD INGLÊS EMENTÁRIO LETRAS EaD INGLÊS 1ª FASE LLE 931 Introdução aos Estudos da Linguagem Total h/a Introdução aos conceitos de língua e língua(gem); características da língua(gem) humana; a complexidade da língua(gem)

Leia mais

Cognição e Aprendizagem em História e Ciências Sociais. Isabel Barca, Ana Catarina Simão, Júlia Castro, Carmo Barbosa, Marília

Cognição e Aprendizagem em História e Ciências Sociais. Isabel Barca, Ana Catarina Simão, Júlia Castro, Carmo Barbosa, Marília Projectos de investigação Cognição e Aprendizagem em História e Ciências Sociais Coordenador: Isabel Barca Equipa de investigação Isabel Barca, Ana Catarina Simão, Júlia Castro, Carmo Barbosa, Marília

Leia mais

Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia

Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia 1. Componentes curriculares O currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia engloba as seguintes dimensões. 1.1. Conteúdos de natureza teórica Estes conteúdos

Leia mais

Objectivos Proporcionar experiências musicais ricas e diversificadas e simultaneamente alargar possibilidades de comunicação entre Pais e bebés.

Objectivos Proporcionar experiências musicais ricas e diversificadas e simultaneamente alargar possibilidades de comunicação entre Pais e bebés. O estudo do desenvolvimento musical da criança é um campo de trabalho privilegiado pela CMT, tendo em conta o perfil curricular de alguns dos seus elementos, com ligações ao meio universitário. Um pouco

Leia mais

Gêneros textuais e educação inicial do professor de língua inglesa Vera Lúcia Lopes CRISTOVÃO (UEL)

Gêneros textuais e educação inicial do professor de língua inglesa Vera Lúcia Lopes CRISTOVÃO (UEL) 2/29 veracristovao@yahoo.com Gêneros textuais e educação inicial do professor de língua inglesa Vera Lúcia Lopes CRISTOVÃO (UEL) OBJETIVOS: a) contribuir para as reflexões sobre questões que consideram

Leia mais

VIII SEMINÁRIO NACIONAL SOBRE ENSINO DE LÍNGUA MATERNA E ESTRANGEIRA E DE LITERATURA I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS EM LINGUAGENS

VIII SEMINÁRIO NACIONAL SOBRE ENSINO DE LÍNGUA MATERNA E ESTRANGEIRA E DE LITERATURA I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS EM LINGUAGENS VIII SEMINÁRIO NACIONAL SOBRE ENSINO DE LÍNGUA MATERNA E ESTRANGEIRA E DE LITERATURA E I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS EM LINGUAGENS 15 a 17 de outubro de 2013 Campina Grande - Paraíba TEMA: Formação

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID DETALHAMENTO DO SUBPROJETO 1. Unidade: 2. Área do Subprojeto: Dourados 3. Curso(s) envolvido(s) na proposta: Letras - Inglês Obs.: Para proposta

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina Centro de Educação, Comunicação e Artes Departamento de Educação Programa de Pós-Graduação em Educação

Universidade Estadual de Londrina Centro de Educação, Comunicação e Artes Departamento de Educação Programa de Pós-Graduação em Educação Universidade Estadual de Londrina Centro de Educação, Comunicação e Artes Departamento de Educação Programa de Pós-Graduação em Educação LINHA 1 - PERSPECTIVAS FILOSÓFICAS, HISTÓRICAS E POLÍTICAS DA EDUCAÇÃO

Leia mais

II ENCONTRO DE DIVULGAÇÃO DE ATIVIDADES DE PESQUISA, ENSINO E EXTENSÃO PIBID UENP: DESAFIOS E PERSPECTIVAS

II ENCONTRO DE DIVULGAÇÃO DE ATIVIDADES DE PESQUISA, ENSINO E EXTENSÃO PIBID UENP: DESAFIOS E PERSPECTIVAS PIBID INGLÊS - AÇÃO INTERVENTIVA NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE CORNÉLIO PROCÓPIO Bolsistas: ALMEIDA, D.; IDALGO, L.; KISHI, C; FAUSTINO, V.; SOUZA, E. (PIBID- LEM/ UENP) Orientadoras: Célia Regina Capellini

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID DETALHAMENTO DO SUBPROJETO 1. Unidade: 2. Área do Subprojeto: Campo Grande 3. Curso(s) envolvido(s) na proposta: Letras - Inglês Obs.: Para

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Alfabetização de Crianças O Professor Alfabetizador é o profissional responsável por planejar e implementar ações pedagógicas que propiciem,

Leia mais

Curso: Letras Português ( 1 ª Licenciatura) II Bloco

Curso: Letras Português ( 1 ª Licenciatura) II Bloco Curso: Letras Português ( 1 ª Licenciatura) I Bloco Filosofia da Educação 60 horas Metodologia Científica 60 horas Iniciação à Leitura e Produção de Textos Acadêmicos 60 horas Introdução à filosofia e

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

Estudo de um Sistema de Gêneros em um Curso Universitário

Estudo de um Sistema de Gêneros em um Curso Universitário Departamento de Letras Estudo de um Sistema de Gêneros em um Curso Universitário Aluna: Esther Ruth Oliveira da Silva Orientadora: Profª. Bárbara Jane Wilcox Hemais Introdução O presente projeto se insere

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO. Mínimo: 8 semestres CELSO HENRIQUE SOUFEN TUMOLO 37219288

CURRÍCULO DO CURSO. Mínimo: 8 semestres CELSO HENRIQUE SOUFEN TUMOLO 37219288 71 EaD_UAB LETRAS LICENCIATURA EM LÍNGUA INGLESA 009 Documentação: jetivo: Titulação: Diplomado em: Resolução n. 005/CEG/009, de 5/03/009 Habilitar professores para o pleno exercício de sua atividade docente,

Leia mais

ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA ACERCA DO PROJETO A CONSTRUÇÃO DO TEXTO DISSERTATIVO/ARGUMENTATIVO NO ENSINO MÉDIO: UM OLHAR SOBRE A REDAÇÃO DO ENEM

ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA ACERCA DO PROJETO A CONSTRUÇÃO DO TEXTO DISSERTATIVO/ARGUMENTATIVO NO ENSINO MÉDIO: UM OLHAR SOBRE A REDAÇÃO DO ENEM ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA ACERCA DO PROJETO A CONSTRUÇÃO DO TEXTO DISSERTATIVO/ARGUMENTATIVO NO ENSINO MÉDIO: UM OLHAR SOBRE A REDAÇÃO DO ENEM Daniela Fidelis Bezerra Túlio Cordeiro de Souza Maria Elizabete

Leia mais

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS SANDRA MARIA MORAIS VALENTE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO Área de

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Câmpus de Bauru

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Câmpus de Bauru UNESP UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Câmpus de Bauru Curso: Licenciatura em Pedagogia Departamento: Educação-FC IDENTIFICAÇÃO Código: 4419 Disciplina: CONTEÚDOS E METODOLOGIA DO

Leia mais

PROJETOS DISCIPLINA DA FORMAÇÃO COMUM ANÁLISE E PRODUÇÃO DO TEXTO DIDÁTICO

PROJETOS DISCIPLINA DA FORMAÇÃO COMUM ANÁLISE E PRODUÇÃO DO TEXTO DIDÁTICO PROJETOS DISCIPLINA DA FORMAÇÃO COMUM ANÁLISE E PRODUÇÃO DO TEXTO DIDÁTICO OBJETIVO GERAL Oportunizar o desenvolvimento de competências, habilidades e estratégias essenciais para a recepção e produção

Leia mais

OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: 184 Parábola Editorial, 2010.

OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: 184 Parábola Editorial, 2010. Resenha OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: 184 Parábola Editorial, 2010. Leticia Macedo Kaeser * leletrasufjf@gmail.com * Aluna

Leia mais

Língua francesa para deficientes visuais em Diadema, São Paulo: uma proposta de ensino de. inclusão social concebida segundo a abordagem acional

Língua francesa para deficientes visuais em Diadema, São Paulo: uma proposta de ensino de. inclusão social concebida segundo a abordagem acional Língua francesa para deficientes visuais em Diadema, São Paulo: uma proposta de ensino de Mestranda: Michelle A. G. Honório inclusão social concebida segundo a abordagem acional Orientadora: Profa. Dra.

Leia mais

CONVITE/EDITAL. De: Fundação Municipal de Educação Para: Escolas e CEIs da Rede Municipal de Ensino de Tubarão Assunto: Convite nº01/2015.

CONVITE/EDITAL. De: Fundação Municipal de Educação Para: Escolas e CEIs da Rede Municipal de Ensino de Tubarão Assunto: Convite nº01/2015. COORDENADORIA DE ENSINO E POLÍTICAS EDUCACIONAIS CONVITE/EDITAL Tubarão, 29 de janeiro de 2015. De: Fundação Municipal de Educação Para: Escolas e CEIs da Rede Municipal de Ensino de Tubarão Assunto: Convite

Leia mais

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO DE LETRAS PORTUGUÊS/ESPANHOL O ensino da língua espanhola no contexto da escola pública INTRODUÇÃO Este plano procura articular-se de forma integrada com o plano de trabalho institucional, que

Leia mais

REVISÃO E REESCRITA DO GÊNERO CARTA DO LEITOR: O FOCO NA CORREÇÃO DO PROFESSOR

REVISÃO E REESCRITA DO GÊNERO CARTA DO LEITOR: O FOCO NA CORREÇÃO DO PROFESSOR REVISÃO E REESCRITA DO GÊNERO CARTA DO LEITOR: O FOCO NA CORREÇÃO DO PROFESSOR Gabriela Martins Mafra (PICV), Eliana Merlin Deganutti de Barros (orientadora), e-mail: gabi_martins_mafra@hotmail.com. Universidade

Leia mais

COMUNICADO n o 001/2012 ÁREA DE ENSINO ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de maio de 2012

COMUNICADO n o 001/2012 ÁREA DE ENSINO ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de maio de 2012 COMUNICADO n o 001/2012 ÁREA DE ENSINO ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de maio de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: Ensino PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO DE PUBLICAÇÃO DESTE DOCUMENTO:

Leia mais

GT14 SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO. Coordenador: Dr. Lindomar Wessler Boneti (PUC/PR) Membro do Comitê Científico: Dra. Ione Ribeiro Valle (UFSC) Programação

GT14 SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO. Coordenador: Dr. Lindomar Wessler Boneti (PUC/PR) Membro do Comitê Científico: Dra. Ione Ribeiro Valle (UFSC) Programação GT14 SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO Coordenador: (PUC/PR) Membro do Comitê Científico: Dra. Ione Ribeiro Valle (UFSC) Programação Dia 29 de julho de 2012, domingo 14h às 17h30min Credenciamento Local: Bloco E

Leia mais

Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás

Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás COSTA, Bianca Ribeiro Morais OLIVEIRA, Eliane Carolina de Universidade Federal de Goiás- UFG Programa de

Leia mais

II Seminário Internacional de Língua, Literatura e Processos Culturais

II Seminário Internacional de Língua, Literatura e Processos Culturais II Seminário Internacional de Língua, Literatura e Processos Culturais ESPAÇO TERRITÓRIO REGIÃO De 19 a 21 de maio de 2014 PRIMEIRA CIRCULAR Novembro, 2013 ORGANIZAÇÃO Universidade de Caxias do Sul (UCS)

Leia mais

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem da Criança de 0 a 5 anos Docente do Curso Gilza Maria Zauhy Garms Total da Carga

Leia mais

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA Dayane Ribeiro da Silva (PICV/PRPPG/ UNIOESTE), Greice da Silva Castela (Orientadora), e-mail: greicecastela@yahoo.com.br

Leia mais

PROJETOS DE LETRAMENTO, SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS E PRÁTICAS DE LETRAMENTO: INSTRUMENTOS (INTER)MEDIADORES PARA A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO DO PROFESSOR

PROJETOS DE LETRAMENTO, SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS E PRÁTICAS DE LETRAMENTO: INSTRUMENTOS (INTER)MEDIADORES PARA A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO DO PROFESSOR PROJETOS DE LETRAMENTO, SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS E PRÁTICAS DE LETRAMENTO: INSTRUMENTOS (INTER)MEDIADORES PARA A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO DO PROFESSOR Thassiana Reis Félix (PG-UEL) Maria IlzaZirondi (UEL) Resumo:

Leia mais

AS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS E O INCENTIVO À LEITURA E CRIAÇÃO TEXTUAL

AS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS E O INCENTIVO À LEITURA E CRIAÇÃO TEXTUAL 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA AS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS E O INCENTIVO À LEITURA E CRIAÇÃO

Leia mais

NAP NÚCLEO DE ASSESSORIA PEDAGÓGICA: PROPOSIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA NA UEPG

NAP NÚCLEO DE ASSESSORIA PEDAGÓGICA: PROPOSIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA NA UEPG 110. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA NAP NÚCLEO DE ASSESSORIA PEDAGÓGICA: PROPOSIÇÕES PARA

Leia mais

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional Maria Madalena Dullius, madalena@univates.br Daniela Cristina Schossler,

Leia mais

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos A PRODUÇÃO ACADÊMICA DO CURSO DE LETRAS: O QUE E PARA QUE SE PRODUZ? Francisca Olavia Gomes de Morais (UERR) olaviagomes627@yahoo.com.br Luzineth Rodrigues Martins (UERR) luzinethmartins@yahoo.com.br Antonia

Leia mais

PARA UMA EDUCAÇÃO INTERCULTURAL, APRENDER E ENSINAR EM CONTEXTOS DE LÍNGUA SEGUNDA

PARA UMA EDUCAÇÃO INTERCULTURAL, APRENDER E ENSINAR EM CONTEXTOS DE LÍNGUA SEGUNDA PARA UMA EDUCAÇÃO INTERCULTURAL, APRENDER E ENSINAR EM CONTEXTOS DE LÍNGUA SEGUNDA Instituição: Instituto Camões/ Rutgers Uviversity Data prevista: 15 de Março de 2007 Duração: 8 horas Local: Center for

Leia mais

EDITAL Nº 077/ 2014 EDITAL DE CHAMADA PARA SELEÇÃO DE ALUNOS PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS EJA NA DIVERSIDADE

EDITAL Nº 077/ 2014 EDITAL DE CHAMADA PARA SELEÇÃO DE ALUNOS PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS EJA NA DIVERSIDADE EDITAL Nº 077/ 2014 EDITAL DE CHAMADA PARA SELEÇÃO DE ALUNOS PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS EJA NA DIVERSIDADE A Universidade Federal do Paraná (UFPR), por meio do, da

Leia mais

ASSESSORIA PEDAGÓGICA PORTFÓLIO DE PALESTRAS E OFICINAS

ASSESSORIA PEDAGÓGICA PORTFÓLIO DE PALESTRAS E OFICINAS Dificuldades de Palestra EF e EM Todas Conscientizar sobre as dificuldades de aprendizagem aprendizagem que podem ser manifestadas pelos alunos numa sala de aula e sugerir ações de encaminhamento, conforme

Leia mais

UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE AS SITUAÇÕES DE ESCRITA EM CONTEXTOS COMUNICATIVOS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO INICIAL

UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE AS SITUAÇÕES DE ESCRITA EM CONTEXTOS COMUNICATIVOS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO INICIAL Título do artigo: UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE AS SITUAÇÕES DE ESCRITA EM CONTEXTOS COMUNICATIVOS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO INICIAL Disciplina: Alfabetização Selecionadora: Beatriz Gouveia 16ª Edição do

Leia mais

O ENVOLVIMENTO DOS DOCENTES DO ENSINO FUNDAMENTAL COM OS LETRAMENTOS DIGITAIS 1

O ENVOLVIMENTO DOS DOCENTES DO ENSINO FUNDAMENTAL COM OS LETRAMENTOS DIGITAIS 1 O ENVOLVIMENTO DOS DOCENTES DO ENSINO FUNDAMENTAL COM OS LETRAMENTOS DIGITAIS 1 Bruno Ciavolella Universidade Estadual de Maringá RESUMO: Fundamentado na concepção dialógica de linguagem proposta pelo

Leia mais

JORNAL COMENDADOR EEB COMENDADOR ROCHA: Relato de Experiência

JORNAL COMENDADOR EEB COMENDADOR ROCHA: Relato de Experiência JORNAL COMENDADOR EEB COMENDADOR ROCHA: Relato de Experiência Marvin Patrick Pires Fortes i Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC marvin_fortes@hotmail.com Fabiola Sucupira Ferreira Sell ii

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) RUMO AO V SEMINÁRIO INTERNACIONAL DA REDE ASTE OS SINDICATOS, ASSOCIAÇÕES E SUAS PROPOSTAS EDUCACIONAIS.

Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) RUMO AO V SEMINÁRIO INTERNACIONAL DA REDE ASTE OS SINDICATOS, ASSOCIAÇÕES E SUAS PROPOSTAS EDUCACIONAIS. Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) RUMO AO V SEMINÁRIO INTERNACIONAL DA REDE ASTE OS SINDICATOS, ASSOCIAÇÕES E SUAS PROPOSTAS EDUCACIONAIS. 4 a 6 de junho de 2014 Local das Atividades: Mesas

Leia mais

OBJETIVO Reestruturação de dois laboratórios interdisciplinares de formação de educadores

OBJETIVO Reestruturação de dois laboratórios interdisciplinares de formação de educadores OBJETIVO Reestruturação de dois laboratórios interdisciplinares de formação de educadores Laboratório Multidisciplinar de Ensino de Ciências e Matemática (LabMEC), vinculado ao Instituto de Ciências Exatas:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 91 Município: São Carlos-SP Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Programação de Jogos

Leia mais

1ª Oficina - 2013 Curso 4

1ª Oficina - 2013 Curso 4 1ª Oficina - 2013 Curso 4 1ª Oficina - 2013 Curso 4 Bem-vindo ao curso de formação de Professores do Programa Um Computador por Aluno PROUCA Iniciamos o nosso curso de formação desenvolvendo a 1ª Oficina

Leia mais

PROGRAMA DE PESQUISA - REDE DOCTUM DE ENSINO

PROGRAMA DE PESQUISA - REDE DOCTUM DE ENSINO PROGRAMA DE PESQUISA - REDE DOCTUM DE ENSINO O Programa de Pesquisa da Rede Doctum de Ensino parte de três princípios básicos e extremamente importantes para o processo de Pesquisa: 1. O princípio de INDISSOCIABILIDADE

Leia mais

EDITAL PRG nº/22/2013/prg/ufla

EDITAL PRG nº/22/2013/prg/ufla UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO Caixa Postal 3037 - Lavras - MG - 37200-000 (35) 3829 1113 http://www.prg.ufla.br prg@ufla.br EDITAL PRG nº/22/2013/prg/ufla EDITAL PARA O PROGRAMA

Leia mais

PROJETO INTEGRADO ESCOLA VERDE: EDUCAÇÃO, SAÚDE E SOCIEDADE. Por Prof. Carlos Henrique de Freitas Burity (Coordenador Unigranrio)

PROJETO INTEGRADO ESCOLA VERDE: EDUCAÇÃO, SAÚDE E SOCIEDADE. Por Prof. Carlos Henrique de Freitas Burity (Coordenador Unigranrio) PROJETO INTEGRADO ESCOLA VERDE: EDUCAÇÃO, SAÚDE E SOCIEDADE Por Prof. Carlos Henrique de Freitas Burity (Coordenador Unigranrio) Parceria: Bayer, Unigranrio e SME "O projeto Escola Verde, realizado nos

Leia mais

UMA CÂMERA OU CELULAR NA MÃO E UMA IDEIA NA CABEÇA: TRABALHANDO O GÊNERO DOCUMENTÁRIO EM SALA DE AULA

UMA CÂMERA OU CELULAR NA MÃO E UMA IDEIA NA CABEÇA: TRABALHANDO O GÊNERO DOCUMENTÁRIO EM SALA DE AULA UMA CÂMERA OU CELULAR NA MÃO E UMA IDEIA NA CABEÇA: TRABALHANDO O GÊNERO DOCUMENTÁRIO EM SALA DE AULA Wanda Patrícia de Sousa Gaudêncio (UFPB/PROFLETRAS) wandapatricia@evl.com.br Sandra Regina Pereira

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Leitura. Escrita. Perspectiva sócio-cognitiva e interativa.

PALAVRAS-CHAVE: Leitura. Escrita. Perspectiva sócio-cognitiva e interativa. LEITURA E ESCRITA COMO PROCESSO: UMA PROPOSTA PEDAGÓGICA NA PERSPECTIVA SÓCIO-COGNITIVA E INTERATIVA Marta Oliveira Barros¹ Josias Silvano Barros² ORIENTADORA: Dra. Maria de Lourdes da Silva Leandro³ RESUMO

Leia mais

Ensinar com TIC: Aprendizagem disruptiva, realidade aumentada e tecnologia wearable no ensino superior

Ensinar com TIC: Aprendizagem disruptiva, realidade aumentada e tecnologia wearable no ensino superior Ensinar com TIC: Aprendizagem disruptiva, realidade aumentada e tecnologia wearable no ensino superior Curso de Março a Abril de 2015 INSCRIÇÕES aceites por ORDEM DE CHEGADA workshops presenciais: até

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edson Crisostomo dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES edsoncrisostomo@yahoo.es

Leia mais

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Brincar é fonte de lazer, mas é, simultaneamente, fonte de conhecimento; é esta dupla natureza que nos leva a considerar o brincar

Leia mais

êneros TExTUAIS NO ENSINO-APRENDIzAGEM E NA FORMAçÃO DO PROFESSOR DE LÍNGUAS NA PERSPECTIVA INTERACIONISTA SOCIODISCURSIVA

êneros TExTUAIS NO ENSINO-APRENDIzAGEM E NA FORMAçÃO DO PROFESSOR DE LÍNGUAS NA PERSPECTIVA INTERACIONISTA SOCIODISCURSIVA G êneros TExTUAIS NO ENSINO-APRENDIzAGEM E NA FORMAçÃO DO PROFESSOR DE LÍNGUAS NA PERSPECTIVA INTERACIONISTA SOCIODISCURSIVA VERA LÚCIA LOPES CRISTOVÃO G êneros TExTUAIS NO ENSINO-APRENDIzAGEM E NA FORMAçÃO

Leia mais

A importância dos Registros de Representação Semiótica no Ensino da Matemática

A importância dos Registros de Representação Semiótica no Ensino da Matemática A importância dos Registros de Representação Semiótica no Ensino da Matemática PROF. MS. JOSÉ JOÃO DE MELO (josejoaomelo@gmail.com) PROF ESP. AUGUSTO RATTI FILHO (gutoratti@outlook.com.br) PROF DR. ROGERIO

Leia mais

SEGUNDA CIRCULAR. São Paulo, 01 de dezembro de 2014.

SEGUNDA CIRCULAR. São Paulo, 01 de dezembro de 2014. SEGUNDA CIRCULAR São Paulo, 01 de dezembro de 2014. 1. APRESENTAÇÃO A Associação de Professores de Espanhol do Estado de São Paulo (APEESP), em conjunto com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)

Leia mais

CONCEPÇÕES DE PROFESSORES SOBRE GÊNEROS TEXTUAIS/DISCURSIVOS NA ESCOLA. Fernanda Cargnin Gonçalves goncalves.fernandac@gmail.com

CONCEPÇÕES DE PROFESSORES SOBRE GÊNEROS TEXTUAIS/DISCURSIVOS NA ESCOLA. Fernanda Cargnin Gonçalves goncalves.fernandac@gmail.com CONCEPÇÕES DE PROFESSORES SOBRE GÊNEROS TEXTUAIS/DISCURSIVOS NA ESCOLA Fernanda Cargnin Gonçalves goncalves.fernandac@gmail.com O que faremos? Recorte de uma pesquisa realizada no ano de 2010 com 84 professores

Leia mais

Edital 049/2012/CAPES/INEP Programa Observatório da Educação. Resultado preliminar

Edital 049/2012/CAPES/INEP Programa Observatório da Educação. Resultado preliminar Nº Nº do Projeto Sigla IES Sede Título do Projeto 1 12987 FEEVALE PROJETO OBEDUC 2 21097 FEEVALE PROJETO OBEDUC DIVERSIDADE, ACESSO E PERMANÊNCIA: PRÁTICAS SOCIAIS E PEDAGÓGICAS NA EDUCAÇÃO BÁSICA 3 23969

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.

INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com. INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.br 1. Introdução A rede mundial tem permitido novas práticas

Leia mais

GESTÃO DA COMUNICAÇÃO NAS ATIVIDADES CRIATIVAS E CULTURAIS. Proposta de curso. Edição 2014.

GESTÃO DA COMUNICAÇÃO NAS ATIVIDADES CRIATIVAS E CULTURAIS. Proposta de curso. Edição 2014. GESTÃO DA COMUNICAÇÃO NAS ATIVIDADES CRIATIVAS E CULTURAIS Proposta de curso Edição 2014. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Título: Gestão da Comunicação nas Atividades Criativas e Culturais Local de realização:

Leia mais

Oficinas pedagógicas: relato de uma experiência

Oficinas pedagógicas: relato de uma experiência Oficinas pedagógicas: relato de uma experiência 5 Neires Maria Soldatelli Paviani * Niura Maria Fontana ** Resumo: No âmbito educacional, a articulação entre teoria e prática encontra na metodologia das

Leia mais

Sequências Didáticas para o ensino de Língua Portuguesa: objetos de aprendizagem na criação de tirinhas

Sequências Didáticas para o ensino de Língua Portuguesa: objetos de aprendizagem na criação de tirinhas Sequências Didáticas para o ensino de Língua Portuguesa: objetos de aprendizagem na criação de tirinhas Manoela Afonso UNESP - Campus Bauru-SP manoela_afonso@hotmail.com Comunicação Oral Pesquisa Concluída

Leia mais

ESTÁGIO DOCENTE DICIONÁRIO

ESTÁGIO DOCENTE DICIONÁRIO ESTÁGIO DOCENTE Ato educativo supervisionado realizado no contexto do trabalho docente que objetiva a formação de educandos que estejam regularmente frequentando cursos e/ou programas de formação de professores

Leia mais

A DISLEXIA COMO DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM SOB A ÓTICA DO PROFESSOR UM ESTUDO DE CASO

A DISLEXIA COMO DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM SOB A ÓTICA DO PROFESSOR UM ESTUDO DE CASO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO EM EDUCAÇÃO A DISLEXIA COMO DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM SOB A ÓTICA DO PROFESSOR UM ESTUDO DE CASO NEUZA APARECIDA GIBIM PONÇANO Presidente Prudente SP

Leia mais

Projetos compartilhados

Projetos compartilhados espaço ibero-americano espacio iberoamericano Projetos compartilhados OEI inicia o Programa Arte-educação, Cultura e Cidadania e o Projeto Ibero-americano de Teatro Infantojuvenil A aprendizagem da arte

Leia mais

Accueil Discussions Pages

Accueil Discussions Pages Palestra com Jean-Pierre Chupin - Concursos: conflitos de interpretacao... http://groups.google.com/group/docomomo-bsb/msg/6877c42076bca18... 1 sur 2 2010-09-02 11:36 Message de la discussion Palestra

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE I... 4 02 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 4 03 PROFISSIONALIDADE DOCENTE... 4 04 RESPONSABILIDADE

Leia mais

TRANSVERSALIDADE. 1 Educação Ambiental

TRANSVERSALIDADE. 1 Educação Ambiental TRANSVERSALIDADE Os temas transversais contribuem para formação humanística, compreensão das relações sociais, através de situações de aprendizagens que envolvem a experiência do/a estudante, temas da

Leia mais

O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL PROPAGANDA

O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL PROPAGANDA O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL PROPAGANDA Anilda Costa Alves Jamile Alves da Silva Leônidas José da Silva Jr Universidade Estadual da Paraíba anildauepb@gmail.com milygta10@hotmail.com

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Metodologia do Ensino na Educação de Jovens e Adultos Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 4º 1 - Ementa (sumário, resumo)

Leia mais

ATIVIDADE WEBQUEST COMO ABORDAGEM DIDÁTICA

ATIVIDADE WEBQUEST COMO ABORDAGEM DIDÁTICA ATIVIDADE WEBQUEST COMO ABORDAGEM DIDÁTICA Renato dos Santos Diniz renatomatematica@hotmail.com Adelmo de Andrade Carneiro adelmomatematico@yahoo.com.br Wesklemyr Lacerda wesklemyr@hotmail.com Abigail

Leia mais

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE*

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* 1 O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* Resumo Este trabalho se propõe a analisar o curso de extensão universitária CESB (Curso de Espanhol Básico) para

Leia mais

JORNALISMO ON-LINE: modos de fazer. organização Carla Rodrigues

JORNALISMO ON-LINE: modos de fazer. organização Carla Rodrigues JORNALISMO ON-LINE: modos de fazer organização Carla Rodrigues Reitor Pe. Josafá Carlos de Siqueira, S.J. Vice-Reitor Pe. Francisco Ivern Simó, S.J. Vice-Reitor para Assuntos Acadêmicos Prof. José Ricardo

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Filosofia da Educação I Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceitos básicos: filosofia,

Leia mais

Apresentação V.B.M.P.S.

Apresentação V.B.M.P.S. ISSN 0102-7077 the ESP São Paulo Vol. 25 nº 1 p. 1-106 2004 The Especialist/Centro de Pesquisas, Recursos e Informação em Leitura da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo CEPRIL. V. 1, n. 1 (1980)-.

Leia mais

Centro Universitário São Camilo ES Cursos de Comunicação Social e Letras

Centro Universitário São Camilo ES Cursos de Comunicação Social e Letras Centro Universitário São Camilo ES Cursos de Comunicação Social e Letras EVENTOS: X Poster Session 9ª Semana de Comunicação 1º Seminário Interdisciplinar Comunicação e Linguagem PERÍODO: 22 a 27 de novembro

Leia mais

A FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA A INCLUSÃO DOS ALUNOS NO ESPAÇO PEDAGÓGICO DA DIVERSIDADE 1

A FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA A INCLUSÃO DOS ALUNOS NO ESPAÇO PEDAGÓGICO DA DIVERSIDADE 1 A FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA A INCLUSÃO DOS ALUNOS NO ESPAÇO PEDAGÓGICO DA DIVERSIDADE 1 Rita Vieira de Figueiredo 2 Gosto de pensar na formação de professores (inspirada no poema de Guimarães) Rosa

Leia mais

ESCOLAS DO GÊNERO: ENTRE TRADIÇÕES E PERSPECTIVAS

ESCOLAS DO GÊNERO: ENTRE TRADIÇÕES E PERSPECTIVAS ESCOLAS DO GÊNERO: ENTRE TRADIÇÕES E PERSPECTIVAS Sueder S. de Souza-UTFPR 1 Ederson Luís Silveira-UFSC 2 RESUMO: Este trabalho tem por objetivo expor as três escolas estrangeiras que proporcionaram métodos

Leia mais

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRICULO

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRICULO FATEA Faculdades Integradas Teresa D Ávila Curso: Pedagogia Carga Horária: 36h Ano: 2011 Professor: José Paulo de Assis Rocha Plano de Ensino Disciplina: Arte e Educação Período: 1º ano Turno: noturno

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 07/02/2012 19:33

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 07/02/2012 19:33 7//1 19:33 Centro de Ciências da Educação Curso: 9 Pedagogia (Noturno) Currículo: 11/ 1 CNA.157.-3 Biologia Humana Ementa: Natureza Biológica e Visão Sistêmica do Ser humano. Sistemas do corpo humano.

Leia mais

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO ESTRUTURA GERAL DOS ROTEIROS DE ESTUDOS QUINZENAL Os roteiros de estudos, cujo foco está destacado nas palavras chaves, estão organizados em três momentos distintos: 1º MOMENTO - FUNDAMENTOS TEÓRICOS -

Leia mais

Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual

Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual Adriana Cristina Lázaro e-mail: adrianaclazaro@gmail.com Milena Aparecida Vendramini Sato e-mail:

Leia mais

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID BARROS, Raquel Pirangi. SANTOS, Ana Maria Felipe. SOUZA, Edilene Marinho de. MATA, Luana da Mata.. VALE, Elisabete Carlos do.

Leia mais

II. Atividades de Extensão

II. Atividades de Extensão REGULAMENTO DO PROGRAMA DE EXTENSÃO I. Objetivos A extensão tem por objetivo geral tornar acessível, à sociedade, o conhecimento de domínio da Faculdade Gama e Souza, seja por sua própria produção, seja

Leia mais

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Responsabilidade Social das Faculdades Integradas Ipitanga (PRS- FACIIP) é construído a partir

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas DISCIPLINA: Atividades de Estágio em Língua Portuguesa (Licenciatura em Letras)

Leia mais

(IM)PACTOS DA/COM A LEITURA LITERÁRIA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES ALFABETIZADORES Fernanda de Araújo Frambach UFRJ

(IM)PACTOS DA/COM A LEITURA LITERÁRIA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES ALFABETIZADORES Fernanda de Araújo Frambach UFRJ (IM)PACTOS DA/COM A LEITURA LITERÁRIA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES ALFABETIZADORES Fernanda de Araújo Frambach UFRJ Resumo O presente trabalho objetiva apresentar uma pesquisa em andamento que

Leia mais

Proposta Didático-Pedagógica para Desenvolvimento de Disciplinas de Cursos de Graduação e Pós- Graduação na Modalidade a Distância

Proposta Didático-Pedagógica para Desenvolvimento de Disciplinas de Cursos de Graduação e Pós- Graduação na Modalidade a Distância Proposta Didático-Pedagógica para Desenvolvimento de Disciplinas de Cursos de Graduação e Pós- Graduação na Modalidade a Distância Maio 2007 na Lúcia Tinoco - UNICSUL ana.cabral@unicsul.br Carlos Fernando

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO 2011-2 DISCIPLINA: Gestão Democrática da Escola JP0015 PROFESSOR: Ms. Claudemir Madeira I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Carga Horária Teórica: 60h Carga Horária Prática: 15h II EMENTA A disciplina

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

Desigualdade e desempenho: uma introdução à sociologia da escola brasileira

Desigualdade e desempenho: uma introdução à sociologia da escola brasileira Desigualdade e desempenho: uma introdução à sociologia da escola brasileira Maria Lígia de Oliveira Barbosa Belo Horizonte, MG: Argvmentvm, 2009, 272 p. Maria Lígia de Oliveira Barbosa, que há algum tempo

Leia mais

DOCUMENTO ORIENTADOR DE INTERVENÇÃO NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DOS ANOS INICIAIS - 2009

DOCUMENTO ORIENTADOR DE INTERVENÇÃO NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DOS ANOS INICIAIS - 2009 DOCUMENTO ORIENTADOR DE INTERVENÇÃO NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DOS ANOS INICIAIS - 2009 No ano de 2009 o Departamento de Educação Fundamental, tem como meta alfabetizar 100% das crianças dos anos iniciais

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas

Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas Metodologia Científica 60 horas História da Educação 60 horas Sociologia da Educação I 60 horas Filosofia

Leia mais