RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO DA INVESTPREV SEGUROS E PREVIDÊNCIA S/A Exercício do primeiro semestre de 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO DA INVESTPREV SEGUROS E PREVIDÊNCIA S/A Exercício do primeiro semestre de 2011"

Transcrição

1 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO DA INVESTPREV SEGUROS E PREVIDÊNCIA S/A Exercício do primeiro semestre de 2011 Srs. Acionistas, A Investprev Seguros e Previdência S/A, em cumprimento às disposições legais e estatutárias, colocam à disposição de V.Sas, para apreciação, as Demonstrações Financeiras e o Parecer dos Auditores Independentes, relativos ao exercício do 1º semestre de MERCADO SEGURADOR O ano de 2010 e o 1º semestre de 2011 consolidaram a expectativa de crescimento expressiva do Mercado Segurador, com destaque principal para o Seguro Garantia, que deverá manter essa evolução nos próximos anos. O Brasil deve se transformar num grande canteiro de obras, em função do Programa de Aceleração do Crescimento PAC e da realização dos três maiores eventos esportivos do mundo, a Copa das confederações de Futebol em 2013, a Copa do Mundo de Futebol em 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016 na cidade do Rio de Janeiro. Caberá ao Mercado demonstrar a sua capacidade de garantir a realização das obras de infraestrutura e a solução dos problemas que o Brasil tem na área de serviços, que permitam a realização de eventos desta envergadura. DESEMPENHO ECONÔMICO FINANCEIRO A empresa teve no período do exercício de 2011 um lucro líquido de R$ ,37, iniciando seu processo de crescimento e consolidação no Mercado Segurador. CONTROLES INTERNOS A Sociedade, visando o atendimento à Circular SUSEP n 249/04, alterada pela Circular SUSEP n 363/08, mantém contrato de Auditoria Interna com Soares & Associados Auditores Independentes Soc. Simples, no intuito de aferir a manutenção de seus procedimentos de controles internos. Todos os procedimentos necessários ao pleno atendimento à Circular SUSEP n 280/04 foram observados, estando a Sociedade resguardada por um sistema de controles internos em funcionamento, disponibilizado, via Intranet, para todos os colaboradores, contendo manuais,

2 organogramas e fluxogramas que permeiam os processos e a estrutura da Sociedade, atendendo às determinações previstas neste normativo. O sistema de controles internos da empresa, voltado para a mitigação de riscos, visa à eficiência de suas operações, à geração de relatórios financeiros e observância às normas internas e externas, sendo mantido em contínuo aprimoramento e considerado adequado ao porte e complexidade dos negócios. PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO A Investprev desenvolve continuamente a prática de como utilizar o manual de prevenção de lavagem de dinheiro a todos seus colaboradores, envolvendo todos os níveis da sua estrutura organizacional, para tanto utilizando ferramentas de gestão e consultores externos, tudo de acordo com a lei Este treinamento está inserido nas rotinas operacionais e parte integrante do programa de treinamento da área de Recursos Humanos. CAPITAL MÍNIMO RESOLUÇÃO SUSEP N 227/2010 O Conselho Nacional de Seguros Privados CNSP, em 06 de dezembro de 2010 editou a Resolução CNSP n 227, que dispõe sobre Capital Mínimo e Plano Diretivo de Recuperação de Solvência das Entidades Seguradoras, de Previdência e de Capitalização, que entrou em vigor a partir de 01/01/2011. A Investprev já possui Patrimônio Líquido compatível para atender a referida disposição legal. DECLARAÇÃO DE CAPACIDADE FINANCEIRA Em atenção à Circular SUSEP n 424, de 29 de abril de 2011, e alterações posteriores, declaramos que a empresa possui capacidade financeira compatível com as suas operações. CONSIDERAÇÕES FINAIS Para o exercício de 2011, aproveitando a perspectiva de crescimento do Mercado Segurador, a Investprev vem se atualizando constantemente em termos de infra-estrutura física de filiais e tecnologia, automação das áreas operacionais, financeira, num profundo processo de desburocratização da estrutura organizacional. Neste período lançamos um novo portfólio de produtos e uma nova identidade visual. Nosso objetivo para este ano é operacionalizar as novas parcerias que formalizamos, consolidando nossa Companhia junto ao nicho em que atuamos.

3 Ao findar esse semestre, reafirmamos nossa crença no comportamento ético, respeitando as Leis e Diretrizes que norteiam nossa atividade, que são os balizadores de nossa atuação na direção da Empresa. Aproveitamos para agradecer aos nossos clientes e aos nossos colaboradores, que contribuíram para a realização dos projetos da Empresa, transformando em realidade os nossos ideais. Porto Alegre, 15 de setembro de A Diretoria

4 Demonstrações Financeiras Investprev Seguros e Previdência S.A. 30 de junho de 2011 com relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras

5 Demonstrações Financeiras 30 de junho de 2011 Índice Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras... 1 Demonstrações financeiras auditadas Balanços patrimoniais... 3 Demonstrações do resultado... 5 Demonstrações das mutações do patrimônio líquido... 6 Demonstrações dos fluxos de caixa... 7 Notas explicativas às demonstrações financeiras... 9

6 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Diretores e Acionistas da Investprev Seguros e Previdência S.A. Examinamos as demonstrações financeiras da Investprev Seguros e Previdência S.A. ( Seguradora ), que compreendem o balanço patrimonial em 30 de junho de 2011 e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o semestre findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações financeiras A administração da Seguradora é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, aplicáveis às entidades supervisionadas pela Superintendência de Seguros Privados SUSEP e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração das demonstrações financeiras livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes Centro Empresarial Moinhos de Vento Rua Hilário Ribeiro, 202 8º Andar Moinhos de Vento Porto Alegre, RS, Brasil Tel: (5551) Fax: (5551) Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações financeiras com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações financeiras estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e das divulgações apresentadas nas demonstrações financeiras. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações financeiras, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações financeiras da Seguradora para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Seguradora. Uma auditoria inclui, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião com ressalva. 1 Uma empresa-membro da Ernst & Young Global Limited

7 Eduardodo Braga Perdigão Contador CRC-1CE013803/O-8 "S"-RS Base para opinião com ressalva a) Em nossos exames identificamos saldos sem composição analítica ou com diferenças não conciliadas nas seguintes contas e valores em 30 de junho de 2011: (i) Ativo circulante: Créditos das operações com previdênciaia complementar no montante de R$ 809 mil e Prêmios a receberr no montante de R$ 159 mil; (ii) passivo circulante: Outras contas a pagar no montante de R$ 154 mil, Operações com resseguradoras no montante de R$ 252 mil, Corretores de seguros e resseguros no montante de R$ 469 mil, Depósitos de terceiros no montante de R$ mil e Provisão matemática de benefícios a conceder (PMBaC) no montante de R$ 919 mil. Consequentemente, não nos foi possível concluir sobre a adequação dos referidos valores apresentados em 30 de junho de b) O Teste de Adequação de Passivos (TAP) apresentado pela Seguradora não foi realizado em consonância com os princípios apresentados na Circular SUSEP 410/2010. Consequentemente, não nos foi possível concluir sobre a necessidade ou não de complemento dos saldos das provisões técnicas de seguros e previdência complementar, constituídas pela Seguradora em 30 de junho de com base nas normas e regulamentações da SUSEP. c) Nossossos exames relevaram que as provisões técnicas previdência complementar, constituídas pela Seguradora em 30 de junho de 2011, estavam superestimadas em aproximadamente R$ mil. Consequentemente, o patrimônio líquido em 30 de junho de 2011 e o resultado do semestre findo naquela data estão subavaliados em aproximadamente R$ mil, líquidos dos efeitos tributários. Opinião com ressalva Em nossa opinião, exceto pelos possíveis efeitos dos assuntos descritos nos itens a) e b), se algum, e dos efeitos do assunto descrito no item c) do parágrafo Base para opinião com ressalva, as demonstrações financeiras anteriormente referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da Investprev Seguros e Previdência S.A. em 30 de junho de 2011, o desempenho de suas s operações e os seus fluxos de caixa para o semestre findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicáveis às entidades supervisionadas pela Superintendência de Seguros Privados - SUSEP. Porto Alegre, 15 de setembro de ERNST & YOUNG TERCO Auditores Independentes S.S. CRC-2SP015199/O-6 F - RS 2

8 Balanços patrimoniais 30 de junho de 2011 e 31 de dezembro de / /2010 Ativo Circulante Disponível Caixa e bancos Aplicações Créditos das operações com seguros e resseguros Prêmios a receber Outros créditos operacionais 34 - Créditos das operações com previdência complementar Valores a receber Títulos e créditos a receber Títulos e créditos a receber Créditos tributários e previdenciários Depósitos judiciais e fiscais 13 - Outros créditos Outros valores e bens Outros valores Despesas antecipadas 8 4 Ativo não circulante Realizável a longo prazo Aplicações Títulos e créditos a receber Depósitos judiciais e fiscais Despesas antecipadas 2 - Investimentos Participações societárias Imóveis destinados a renda Outros investimentos 4 4 Imobilizado Imóveis de uso próprio Bens móveis Outras imobilizações Intangível 9 9 Outros intangíveis 9 9 Total do ativo

9 06/ /2010 Passivo Circulante Contas a pagar Obrigações a pagar Impostos e encargos sociais a recolher Encargos trabalhistas Empréstimos e financiamentos 31 3 Impostos e contribuições Outras contas a pagar Débitos de operações com seguros e resseguros Operações com resseguradoras Corretores de seguros e resseguros Débitos de operações com previdência complementar Débitos de resseguros Outros débitos operacionais Depósitos de terceiros Provisões técnicas - seguros Pessoas Vida individual Vida com cobertura de sobrevivência Provisões técnicas - previdência complementar Planos bloqueados Planos não bloqueados PGBL / PRGP Passivo não circulante Contas a pagar 69 - Empréstimos e financiamentos 69 - Provisões técnicas - previdência complementar Planos bloqueados Planos não bloqueados Outros débitos Provisões judiciais Patrimônio líquido Capital social Reservas de capital 4 4 Reservas de lucros Lucros acumulados Total do passivo e patrimônio líquido As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. 4

10 Demonstrações do resultado (Em milhares de reais, exceto o lucro / (prejuízo) líquido por ação) 06/ /2010 Renda de contribuições e prêmios (-) Constituição da provisão de benefícios a conceder (1.168) (819) (=) Receitas de contribuições e prêmios de VGBL (511) (82) (-) Variação de outras provisões técnicas 862 (1.121) (-) Benefícios retidos (3.932) (1.467) (-) Custos de aquisição (4.267) (811) (+/-) Outras receitas e despesas operacionais (+/-) Resultado com operações de resseguro (4) (64) (+) Prêmios emitidos líquidos (-) Contribuições para cobertura de riscos (-) Variação das provisões técnicas de prêmios (=) Prêmios ganhos (-) Sinistros ocorridos (2.612) (1.264) (+/-) Outras receitas e despesas operacionais (441) (8) (-) Despesas administrativas (4.952) (4.706) (-) Despesas com tributos (580) (438) (+/-) Resultado financeiro (+) Resultado patrimonial (1) (1) (=) Resultado operacional 718 (1.005) Ganhos ou perdas com ativos não correntes (=) Resultado antes dos impostos e participações 721 (487) (-) Imposto de renda (199) - (-) Contribuição social (128) - (=) Lucro / (Prejuízo) líquido do semestre 394 (487) Quantidade de ações Lucro / (Prejuízo) líquido por ação R$ 2,80 (3,46) As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. 5

11 Demonstrações das mutações do patrimônio líquido Capital Social Reserva de Capital Reserva de lucros Legal Lucros / (Prejuízos) acumulados Patrimônio Líquido Saldos em 31 de dezembro de Resultado líquido do período (487) (486) Saldos em 30 de junho de (487) Saldos em 31 de dezembro de Ajustes de exercícios anteriores Resultado líquido do período Saldos em 30 de junho de As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. 6

12 Demonstrações dos fluxos de caixa 06/ /2010 Atividades operacionais Recebimentos de prêmios de seguro, contribuições de previdência, taxas de gestão e outros Outros recebimentos operacionais (salvados, ressarcimentos e outros) Pagamentos de sinistros, benefícios, resgates e comissões (14.619) (5.208) Pagamentos de despesas com operações de seguros e resseguros (68) (169) Pagamentos de despesas e obrigações (10.596) (2.494) Pagamento de indenizações e despesas em processos judiciais (3) (3.194) Outros pagamentos operacionais (1.066) - Recebimentos de juros e dividendos Constituição de depósitos judiciais (1.055) (146) Resgates de depósitos judiciais Caixa consumido pelas operações (11.128) (962) Impostos e contribuições pagos: Juros pagos (2.701) (699) Investimentos financeiros Aplicações (21.627) (82.151) Vendas e resgates Caixa líquido gerado / (consumido) nas atividades operacionais (139) Atividades de investimentos Pagamento pela compra de ativo permanente: Imobilizado (141) (6) Intangível - 14 Recebimento pela venda de ativo permanente: Imobilizado Caixa líquido gerado / (consumido) nas atividades de investimento (141) 111 Atividades de financiamentos Distribuição de dividendos e juros sobre o capital próprio - (1.764) Pagamento de empréstimos (11) - Caixa líquido consumido nas atividades de financiamento (11) (1.764) Aumento / (Redução) líquido de caixa e equivalentes de caixa (291) 30 Caixa e equivalentes de caixa no início do semestre Caixa e equivalentes de caixa no final do semestre Aumento / (Redução) líquido de caixa e equivalentes de caixa (291) 30 As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. 7

13 Demonstrações dos fluxos de caixa--continuação Conciliação entre o lucro líquido e o caixa líquido gerado nas atividades operacionais 06/ /2010 Lucro / (Prejuízo) líquido do semestre 394 (487) Ajuste para conciliar o resultado com o valor das disponibilidades geradas / (aplicadas) Depreciações e amortizações Ajustes de exercícios anteriores Pagamento de dividendos - (1.764) Variações nos ativos e passivos Variação das aplicações Variação dos créditos das operações (1.259) (72) Variação de títulos e créditos a receber (3.251) 522 Variação de outros valores e bens 17 5 Variação das despesas antecipadas (7) - Variação de contas a pagar (526) (2.198) Variação de débitos das operações com seguros e resseguros (101) 113 Variação dos débitos das operações com previdência (10) (7) Variação dos depósitos de terceiros Variação das provisões técnicas - seguros e resseguros (1.947) 490 Variação das provisões técnicas - previdência complementar (3.422) 963 Variação de outros débitos (1) (30) Disponibilidades líquidas (geradas) / consumidas pelas atividades operacionais 139 (1.683) As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. 8

14 Notas explicativas às demonstrações financeiras 1. Contexto operacional A Investprev Seguros e Previdência S.A ( Companhia ), controlada pelo Banco Rural S.A, é uma sociedade de capital fechado com fins lucrativos, com autonomia administrativa e financeira, e tem como objetivo social operar em atividades de previdência complementar, renda e pecúlio, bem como de seguros do ramo vida em geral no território nacional. A Companhia está localizada na Av. Carlos Gomes, º andar, Sala 1.001, Porto Alegre Rio Grande do Sul - Brasil. Em 30 de junho de 2011, a Companhia mantém a mesma estrutura do controle acionário, ou seja, 99,99% do Banco Rural S.A. O Banco Rural S.A., controlador da Investprev Seguros e Previdência S.A., firmou em 2 de março de 2010 um Termo de compromisso com opção de compra com a empresa Nova Geração, que concede o direito de preferência na aquisição total ou parcial das ações da referida Cia. Esta operação encontra-se em processo de aprovação pela SUSEP. Objetivando alavancar suas operações no mercado, a Investprev criou planos de seguro de vida e acidentes pessoais nas modalidades de contratação individual e coletiva. São planos de seguros com coberturas de morte e invalidez voltadas tanto para pessoas físicas quanto jurídicas. Essas demonstrações financeiras foram aprovadas pelo Conselho da Diretoria em 13 de setembro de Elaboração e apresentação das demonstrações financeiras a) Declaração de conformidade Em 29 de abril, a SUSEP emitiu a Circular nº 424 que dispõe sobre as alterações das normas contábeis a serem observadas pelas entidades abertas de previdência complementar, sociedades de capitalização, sociedades seguradoras e resseguradoras locais, com efeitos retroativos a partir de 1 de janeiro de Essa circular homologa os pronunciamentos técnicos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), e revoga as Circulares SUSEP nº 379/2008, 385/2009, 406/2009 e 408/

15 2. Elaboração e apresentação das demonstrações financeiras-- Continuação a) Declaração de conformidade--continuação Desta forma, as demonstrações financeiras foram elaboradas conforme os dispositivos da Circular SUSEP nº 424/2011 e os pronunciamentos técnicos, as orientações e as interpretações emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), e normas do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), doravante práticas contábeis adotadas no Brasil aplicáveis às instituições autorizadas a funcionar pela SUSEP. A Companhia efetuou a segregação de itens patrimoniais em circulante quando atendem as seguintes premissas: Espera-se que seja realizado, ou pretende-se que seja vendido ou consumido no decurso normal do ciclo operacional (12 meses) da Companhia; Está mantido essencialmente com o propósito de ser negociado; e Espera-se que seja realizado até doze meses após a data do balanço. Todos os itens que não atendem ao exposto acima foram classificados como não circulantes. A Companhia definiu a data de 1º de janeiro de 2010 como a data de transição para os dispositivos da Circular SUSEP nº424/11 e os pronunciamentos técnicos (CPC). As demonstrações financeiras não sofreram ajustes significativos decorrentes da aplicação dos novos CPCs homologados pela SUSEP, vide comentários na nota explicativa nº 19. b) Base para mensuração As demonstrações financeiras foram elaboradas de acordo com o custo histórico, com exceção dos seguintes itens materiais no balanço patrimonial: Instrumentos financeiros mensurados pelo valor justo por meio do resultado; Provisões técnicas, mensuradas de acordo com as determinações da SUSEP. 10

16 2. Elaboração e apresentação das demonstrações financeiras-- Continuação c) Comparabilidade As demonstrações financeiras estão sendo apresentadas com informações comparativas de períodos anteriores, conforme disposições do CPC 21 e instruções do órgão regulador. Para o balanço patrimonial, utilizou-se as informações constantes no período findo imediatamente precedente (31 de dezembro de 2010), e para as demais peças, utilizou-se o mesmo período intermediário do ano anterior (semestre findo em 30 de junho). d) Continuidade A administração avaliou a habilidade da Companhia em continuar operando normalmente e está convencida de que a Companhia possui recursos para dar continuidade a seus negócios no futuro. Adicionalmente, a Administração não tem o conhecimento de nenhuma incerteza material que possa gerar dúvidas significativas sobre a capacidade de continuar operando. Portanto, as demonstrações financeiras foram preparadas com base nesse princípio. e) Moeda funcional e de apresentação As demonstrações financeiras foram elaboradas em reais (R$), que é a moeda funcional da Companhia, e estão sendo apresentadas em milhares de reais. A Companhia não possui ativos e passivos monetários denominados em moeda estrangeira na data do fechamento do balanço. f) Uso de estimativas e julgamentos A preparação de demonstrações financeiras de acordo com as normas homologadas pela SUSEP exige que a Administração registre determinados valores de ativo, passivos, receitas e despesas com base em estimativa, as quais são estabelecidas a partir de julgamentos e premissas quanto a eventos futuros. Os valores reais de liquidação das operações podem divergir dessas estimativas em função da subjetividade inerente ao processo de sua determinação. 11

17 2. Elaboração e apresentação das demonstrações financeiras-- Continuação f) Uso de estimativas e julgamentos--continuação Estimativas e premissas são revistas periodicamente. Revisões com relação a estimativas contábeis são reconhecidas no período em que as estimativas são revisadas e em quaisquer períodos futuros afetados. Informações sobre áreas em que o uso de premissas e estimativas é significativo para as demonstrações financeiras e nas quais, portanto, existe um risco significativo de ajuste material dentro do próximo semestre financeiro estão sendo incluídas nas seguintes notas explicativas: Nota 7 Prêmios a receber; Nota 14 Provisões técnicas; Nota 15 Passivos contingentes; Nota 6 Aplicações financeiras. 3. Resumo das principais práticas contábeis As principais práticas contábeis utilizadas na preparação das demonstrações financeiras estão demonstradas a seguir. Essas políticas foram aplicadas consistentemente para todos os períodos comparativos apresentados. a) Classificação dos contratos de seguros e de investimento As principais definições das características de um contrato de seguro estão descritas no pronunciamento técnico CPC 11 Contratos de seguros, emitido pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis. Além disso, a Superintendência de Seguros Privados SUSEP, por meio da Circular nº 424/11 estabeleceu critérios para identificação de um contrato de seguro. A Companhia classifica os contratos emitidos como contratos de seguro quando os contratos transferem risco significativo de seguro. Como guia geral, define-se risco significativo de seguro como a possibilidade de pagar benefícios adicionais significativos ao segurado na ocorrência de um acontecimento futuro incerto específico que possa afetá-lo de forma adversa. Nesse contexto, a Administração procedeu às devidas análises dos contratos emitidos com base nas normas supracitadas e não identificou contratos classificados como contratos de investimentos. 12

18 3. Resumo das principais práticas contábeis--continuação b) Caixa e equivalentes de caixa Incluem caixa, saldos positivos em conta movimento, aplicações financeiras resgatáveis no prazo de 90 dias entre a data de aquisição e vencimento igual ou inferior a 90 dias e com risco insignificante de mudança de seu valor de mercado e que não afetem a vinculação como ativos garantidores. c) Instrumentos financeiros Ativos financeiros A Companhia classifica seus ativos financeiros nas seguintes categorias: Valor justo por meio do resultado Mantidos até o vencimento. Disponíveis para venda; e Empréstimos e recebíveis. A classificação dentre as categorias é definida pela Administração no momento inicial e depende da estratégia pela qual o ativo foi adquirido. Ativos financeiros designados a valor justo por meio do resultado Um ativo financeiro é classificado pelo valor justo por meio do resultado caso seja classificado como mantido para negociação e seja designado como tal no momento do reconhecimento inicial. A Companhia gerencia tais investimentos e toma decisões de compra e venda, baseadas em seus valores justos de acordo com a gestão de riscos e estratégia de investimentos. Esses ativos são medidos pelo valor justo, e mudanças no valor justo desses ativos são reconhecidas no resultado do semestre. Ativos financeiros mantidos até o vencimento São classificados nessa categoria caso a Administração tenha intenção e a capacidade de manter esses ativos financeiros até o vencimento. Os investimentos mantidos até o vencimento são registrados pelo custo amortizado deduzidos de qualquer perda por redução ao valor recuperável. 13

19 3. Resumo das principais práticas contábeis--continuação c) Instrumentos financeiros--continuação Ativos financeiros--continuação Empréstimos e recebíveis Compreende, principalmente, os recebíveis originados de contratos de seguros, tais como os saldos de prêmios a receber de segurados e valores a receber e direitos junto aos resseguradores. Após o reconhecimento inicial são mensurados pelo custo amortizado pelo método da taxa efetiva de juros. Os juros, a atualização monetária, menos perdas do valor recuperável, quando aplicável, são reconhecidos no resultado, quando incorridos, na linha de receitas ou despesas financeiras. Determinação do valor justo Os valores justos têm sido apurados para propósitos de mensuração e/ou divulgação. Quando aplicável, as informações adicionais sobre as premissas utilizadas na apuração dos valores justos estão divulgadas na nota explicativa n 6. Redução ao valor recuperável (ativos financeiros) Um ativo tem perda no seu valor recuperável se uma evidência objetiva indica que um evento de perda ocorreu após o reconhecimento inicial do ativo financeiro. A evidência objetiva de que os ativos financeiros (incluindo títulos patrimoniais) perderam valor pode incluir o não-pagamento ou atraso no pagamento por parte do devedor, indicações de que o devedor ou emissor entrará em processo de falência, ou o desaparecimento de um mercado ativo para o título. Além disso, para um instrumento patrimonial, um declínio significativo ou prolongado em seu valor justo abaixo do seu custo é evidência objetiva de perda por redução ao valor recuperável. As perdas são reconhecidas no resultado e refletidas em conta redutora do ativo correspondente. Quando um evento subsequente indica reversão da perda de valor, a diminuição na perda de valor é revertida e registrada no resultado. 14

20 3. Resumo das principais práticas contábeis--continuação c) Instrumentos financeiros--continuação Ativos financeiros--continuação Redução ao valor recuperável (ativos financeiros)--continuação Perdas de valor (redução ao valor recuperável) nos ativos financeiros disponíveis para venda são reconhecidas pela reclassificação da perda cumulativa que foi reconhecida em outros resultados abrangentes no patrimônio líquido para o resultado. A perda cumulativa que é reclassificada de outros resultados abrangentes para o resultado é a diferença entre o custo de aquisição, líquido de qualquer reembolso e amortização de principal, e o valor justo atual, decrescido de qualquer redução por perda de valor recuperável previamente reconhecida no resultado. Todavia, qualquer recuperação subsequente no valor justo de um ativo financeiro disponível para venda para o qual tenha sido registrada perda do valor recuperável, é reconhecida em outros resultados abrangentes. Passivos financeiros Compreende, substancialmente, fornecedores, contas a pagar e as contas que compõem o grupo débitos com operações de seguros, que são reconhecidos, inicialmente, ao valor justo. Após reconhecimento inicial são mensurados pelo custo amortizado pelo método da taxa efetiva de juros. Os juros, a atualização monetária e a variação cambial, quando aplicáveis, são reconhecidos no resultado quando incorridos. d) Prêmios de seguros Os prêmios a receber parceladamente e as respectivas despesas de comercialização são registrados pelo seu valor futuro, deduzido dos juros a apropriar que são reconhecidos pelo regime de competência como receitas financeiras. A provisão para riscos de créditos é calculada para cobrir as perdas esperadas na realização dos créditos com prêmios de seguros, com base no percentual de perda histórica aplicados sobre a totalidade das parcelas vencidas. 15

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES Ilmos. Srs. Diretores e Acionistas de BVA Seguros S/A Rio de Janeiro - RJ RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Examinamos as demonstrações financeiras individuais

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO DA RURAL SEGURADORA S/A Exercício do 1º semestre de 2011.

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO DA RURAL SEGURADORA S/A Exercício do 1º semestre de 2011. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO DA RURAL SEGURADORA S/A Exercício do 1º semestre de 2011. Srs. Acionistas, A Rural Seguradora S/A, em cumprimento às disposições legais e estatutárias, coloca à disposição de

Leia mais

Demonstrações Financeiras. Investprev Seguros e Previdência S.A.

Demonstrações Financeiras. Investprev Seguros e Previdência S.A. Demonstrações Financeiras Investprev Seguros e Previdência S.A. 30 de junho de 2014 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO DA INVESTPREV SEGUROS E PREVIDÊNCIA S/A 1º SEMESTRE DE 2014 Srs. Acionistas, A Investprev

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

MONGERAL AEGON SEGUROS E PREVIDÊNCIA S.A.

MONGERAL AEGON SEGUROS E PREVIDÊNCIA S.A. A Administração da MONGERAL AEGON Seguros e Previdência S/A tem a satisfação de apresentar aos seus clientes, parceiros comerciais e acionistas as Demonstrações Financeiras referentes ao exercício findo

Leia mais

Demonstrações Financeiras Intermediárias Austral Seguradora S.A.

Demonstrações Financeiras Intermediárias Austral Seguradora S.A. Demonstrações Financeiras Intermediárias Austral Seguradora S.A. Em com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Intermediárias Demonstrações financeiras intermediárias

Leia mais

Demonstrações Financeiras Consolidadas Yasuda Seguros S.A.

Demonstrações Financeiras Consolidadas Yasuda Seguros S.A. Demonstrações Financeiras Consolidadas Yasuda Seguros S.A. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras consolidadas Índice Relatório da administração...

Leia mais

Companhia de Seguros Aliança do Brasil RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO JUNHO DE 2013

Companhia de Seguros Aliança do Brasil RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO JUNHO DE 2013 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO JUNHO DE 2013 Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras da Companhia de Seguros Aliança do Brasil, relativas ao semestre findo em 30

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras MAPFRE Vera Cruz Seguradora S.A. e relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Senhores Acionistas, MAPFRE VERA CRUZ SEGURADORA S.A. RELATÓRIO DA

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO ABS

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO ABS RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO ABS Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras da Aliança do Brasil Seguros S.A., anteriormente denominada Santa Catarina Vida e Previdência

Leia mais

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras

Leia mais

2012 (reapresentado) Passivo Nota 2013

2012 (reapresentado) Passivo Nota 2013 Seguros Gerais S.A. CNPJ 61.074.175/0001-38 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras da Seguros Gerais S.A., relativas ao exercício

Leia mais

Demonstrações Financeiras Brasmotor S.A. 31 de dezembro de 2010 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Brasmotor S.A. 31 de dezembro de 2010 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Brasmotor S.A. 31 de dezembro de 2010 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO. BALANÇOS PATRIMONIAIS Levantados em 30 de Junho de 2014 e de Dezembro de 2013 (Em Milhares de Reais - R$)

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO. BALANÇOS PATRIMONIAIS Levantados em 30 de Junho de 2014 e de Dezembro de 2013 (Em Milhares de Reais - R$) SENHORES ACIONISTAS De acordo com as disposições legais e estatutárias, apresentamos as Demonstrações Financeiras relativas ao semestre encerrado em 30 de junho de 2014 da Mitsui Sumitomo Seguros S.A.,

Leia mais

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A.

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. 31 de dezembro de 2014 com o relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

MAPFRE Affinity Seguradora S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO JUNHO DE 2013

MAPFRE Affinity Seguradora S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO JUNHO DE 2013 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO JUNHO DE 2013 Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras da MAPFRE Affinity Seguradora S.A., relativas ao semestre findo em, elaboradas

Leia mais

Metropolitan Life Seguros e Previdência Privada S.A.

Metropolitan Life Seguros e Previdência Privada S.A. Metropolitan Life Seguros e Previdência Privada S.A. Demonstrações Financeiras Intermediárias Referentes ao Semestre Findo em 30 de Junho de 2014 e Relatório dos Auditores Independentes Deloitte Touche

Leia mais

Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Yuny Incorporadora S.A. Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 e 2012

Leia mais

Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras consolidadas 7. Demonstrações de resultado abrangente 11

Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras consolidadas 7. Demonstrações de resultado abrangente 11 Demonstrações Financeiras Consolidadas em 31 de Dezembro de 2011 e 2010 Demonstrações financeiras consolidadas Conteúdo Relatório da diretoria 3 Parecer avaliação atuarial 5 Relatório dos auditores independentes

Leia mais

Demonstrações Financeiras Consolidadas MAPFRE Seguros Gerais S.A. 31 de dezembro de 2012 e 2011 Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Consolidadas MAPFRE Seguros Gerais S.A. 31 de dezembro de 2012 e 2011 Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Consolidadas MAPFRE Seguros Gerais S.A. Relatório dos Auditores Independentes Condomínio São Luiz Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 1830 Torre I - 8º Andar - Itaim Bibi 04543-900

Leia mais

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014.

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Relatório da Administração Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições legais e estatutárias, submetemos

Leia mais

Demonstrações Financeiras Enel Green Power Damascena Eólica S.A.

Demonstrações Financeiras Enel Green Power Damascena Eólica S.A. Demonstrações Financeiras Enel Green Power Damascena Eólica S.A. 31 de dezembro de 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras 31 de dezembro

Leia mais

Outros créditos (Nota 8.4) 368 420 Provisões técnicas - seguros (Nota 18) 728.719 671.251

Outros créditos (Nota 8.4) 368 420 Provisões técnicas - seguros (Nota 18) 728.719 671.251 Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração e as demonstrações financeiras relativas aos exercícios findos em 31 de dezembro e, acompanhadas do relatório dos auditores

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Notas explicativas às Demonstrações Contábeis dos Planos de Assistência Médica, Hospitalar e Odontológica da Fundação Celesc de Seguridade Social do Exercício Findo em 31 de dezembro de 2011 e 2010. NOTAS

Leia mais

Safra Vida e Previdência S.A. Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

Safra Vida e Previdência S.A. Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes SAFRA VIDA E PREVIDÊNCIA S.A. AV. PAULISTA, 2100 SÃO PAULO SP CNPJ: 30.902.142/0001-05 Submetemos

Leia mais

AUXILIADORA PREVIDENCIA CARTA PATENTE N.º 061 CÓDIGO SUSEP 1097/9 CNPJ N.º 17.188.350/0001-26 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

AUXILIADORA PREVIDENCIA CARTA PATENTE N.º 061 CÓDIGO SUSEP 1097/9 CNPJ N.º 17.188.350/0001-26 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO AUXILIADORA PREVIDENCIA CARTA PATENTE N.º 061 CÓDIGO SUSEP 1097/9 CNPJ N.º 17.188.350/0001-26 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO A Diretoria da Auxiliadora Previdência vem submeter ao exame e apreciação do Conselho

Leia mais

FAMILIA BANDEIRANTE PREVIDÊNCIA PRIVADA CNPJ No. 62.874.219/0001-77 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 30 DE JUNHO DE 2011.

FAMILIA BANDEIRANTE PREVIDÊNCIA PRIVADA CNPJ No. 62.874.219/0001-77 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 30 DE JUNHO DE 2011. FAMILIA BANDEIRANTE PREVIDÊNCIA PRIVADA CNPJ No. 62.874.219/0001-77 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 30 DE JUNHO DE 2011. 1 - APRESENTAÇÃO E COMPOSIÇÃO SOCIAL: A Família Bandeirante Previdência

Leia mais

PORTO SEGURO VIDA E PREVIDÊNCIA S.A.

PORTO SEGURO VIDA E PREVIDÊNCIA S.A. terça-feira, 26 de fevereiro de 2013 Diário Oficial Empresarial São Paulo, 123 (36) 105 Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração e as demonstrações financeiras

Leia mais

SINAF PREVIDENCIAL CIA DE SEGUROS

SINAF PREVIDENCIAL CIA DE SEGUROS SINAF PREVIDENCIAL CIA DE SEGUROS CNPJ 44.019.198/0001-20 Av. Rio Branco 245, 29 o. andar Rio de Janeiro - RJ RELATÓRIO DA DIRETORIA Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias,

Leia mais

Instituto Ling. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2010 e 2009

Instituto Ling. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2010 e 2009 Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2010 e 2009 Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2010 e 2009 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3-4

Leia mais

31 de dezembro de 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras

31 de dezembro de 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Monetar Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. (Anteriormente denominada Sommar Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda) 31 de dezembro de 2014 com Relatório

Leia mais

Demonstrações Financeiras Medise Medicina Diagnóstico e Serviços S.A.

Demonstrações Financeiras Medise Medicina Diagnóstico e Serviços S.A. Demonstrações Financeiras Medise Medicina Diagnóstico e Serviços S.A. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório auditores independentes

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 e 2010 Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 e 2010 KPMG Assurance Services Ltda. Agosto de 2012 KPDS 41367 Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 e 2010 Conteúdo Relatório dos auditores

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração e as demonstrações financeiras relativas aos semestres findos e 2010 e do exercício findo

Leia mais

Generali Brasil Seguros S.A. 30 de junho de 2013 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as. Demonstrações Financeiras Intermediárias

Generali Brasil Seguros S.A. 30 de junho de 2013 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as. Demonstrações Financeiras Intermediárias Demonstrações Financeiras Intermediárias Generali Brasil Seguros S.A. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Intermediárias Demonstrações financeiras intermediárias

Leia mais

Demonstrações Financeiras Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - Ecosul

Demonstrações Financeiras Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - Ecosul Demonstrações Financeiras Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - Ecosul 31 de dezembro de 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 Índice

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS 1º SEMESTRE 2012

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS 1º SEMESTRE 2012 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS 1º SEMESTRE 2012 1 / 49 Sumário 1 - Relatório da Administração... 3 2 - Balanço Patrimonial 2.1 - Ativo... 4 2.2 - Passivo... 5 3 - Demonstração do Resultado...

Leia mais

Demonstrações Financeiras Auditadas Banco ABC Brasil S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Auditadas Banco ABC Brasil S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Auditadas Banco ABC Brasil S.A. com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes... 1 Demonstrações financeiras

Leia mais

Mitsui Sumitomo Seguros S.A.

Mitsui Sumitomo Seguros S.A. Mitsui Sumitomo Seguros S.A. Demonstrações Financeiras Intermediárias Referentes ao Semestre Findo em 30 de Junho de 2011 e Relatório dos Auditores Independentes Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

Leia mais

Relatório da Administração:

Relatório da Administração: Relatório da Administração: Atendendo às disposições legais vigentes, apresentamos as demonstrações financeiras referentes ao semestre findo em 30/06/2014 e informamos: Contexto Institucional: A Chubb

Leia mais

MAPFRE Affinity Seguradora S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - JUNHO DE 2014

MAPFRE Affinity Seguradora S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - JUNHO DE 2014 Senhores Acionistas, MAPFRE Affinity Seguradora S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - JUNHO DE 2014 Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras Intermediárias da MAPFRE Affinity Seguradora

Leia mais

Demonstrações Financeiras Concessionária Ecovias dos Imigrantes S.A.

Demonstrações Financeiras Concessionária Ecovias dos Imigrantes S.A. Demonstrações Financeiras Concessionária Ecovias dos Imigrantes S.A. 31 de dezembro de 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Condomínio São Luiz Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 1830 Torre

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

Vida Seguradora S.A. CNPJ 02.238.239/0001-20

Vida Seguradora S.A. CNPJ 02.238.239/0001-20 sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014 Diário Oficial Empresarial São Paulo, 124 (41) 283 Vida Seguradora S.A. CNPJ 02.238.239/0001-20 Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações

Leia mais

Sancor Seguros do Brasil S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015

Sancor Seguros do Brasil S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração

Leia mais

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Administradores e Acionistas HTL

Leia mais

Crédito y Caución Seguradora de Crédito à Exportação S.A. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes

Crédito y Caución Seguradora de Crédito à Exportação S.A. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório da Administração Senhores Acionistas Submetemos à apreciação de V.Sas as demonstrações financeiras da

Leia mais

Demonstrações Financeiras. MAPFRE Nossa Caixa Vida e Previdência S.A.

Demonstrações Financeiras. MAPFRE Nossa Caixa Vida e Previdência S.A. Demonstrações Financeiras MAPFRE Nossa Caixa Vida e Previdência S.A. e relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Senhores Acionistas, MAPFRE NOSSA CAIXA VIDA E PREVIDÊNCIA

Leia mais

Circular Susep nº 483/14 Principais mudanças na norma contábil. 1º de abril de 2014 SUSEP/DITEC/CGSOA/COASO

Circular Susep nº 483/14 Principais mudanças na norma contábil. 1º de abril de 2014 SUSEP/DITEC/CGSOA/COASO 1 Circular Susep nº 483/14 Principais mudanças na norma contábil 1º de abril de 2014 Roteiro 2 Alterações na Norma Contábil Principais justificativas para as alterações na norma contábil Alterações promovidas

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

CESCEBRASIL Seguros de Garantias e Crédito S.A. Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes

CESCEBRASIL Seguros de Garantias e Crédito S.A. Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes CESCEBRASIL Seguros de Garantias e Crédito S.A. Demonstrações financeiras individuais em 30 de e relatório dos auditores independentes Relatório da administração Senhores Acionistas, Em cumprimento às

Leia mais

Instituto Ling. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012

Instituto Ling. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 em 31 de dezembro de 2013 e 2012. em 31 de dezembro de 2013 e 2012 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de superávit

Leia mais

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2009 e 2008 HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.S.as o Relatório da Administração e as Demonstrações Financeiras da SUHAI Seguros S.A. relativas ao semestre findo em, apuradas

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração e as demonstrações financeiras relativas aos semestres findos em 30 de junho de 2015 e de

Leia mais

MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014

MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 Crowe Horwath Bendoraytes & Cia. Member of Crowe Horwath International Avenida das Américas, 4200

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

MONGERAL AEGON SEGUROS E PREVIDÊNCIA S.A.

MONGERAL AEGON SEGUROS E PREVIDÊNCIA S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO A Administração da Mongeral AEGON Seguros e Previdência S/A tem a satisfação de apresentar aos seus clientes, A operação só será concretizada após aprovação das autoridades brasileiras

Leia mais

Brasilveículos Companhia de Seguros RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO JUNHO DE 2013

Brasilveículos Companhia de Seguros RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO JUNHO DE 2013 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO JUNHO DE 2013 Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras da Brasilveículos Companhia de Seguros, relativas ao semestre findo em 30 de

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS 1º SEMESTRE 2014

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS 1º SEMESTRE 2014 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS 1º SEMESTRE 2014 1 / 48 Sumário 1 - Relatório dos Auditores Independentes... 3-5 2 - Relatório da Administração... 6 3 - Balanço Patrimonial 2.1 - Ativo... 7 2.2

Leia mais

Santander Seguros S.A.

Santander Seguros S.A. Senhores Acionistas: Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração, as demonstrações financeiras e o relatório dos auditores independentes,

Leia mais

Safra Seguros Gerais S.A. Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

Safra Seguros Gerais S.A. Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes 3 SAFRA SEGUROS GERAIS S.A. AV. PAULISTA, 2100 SÃO PAULO SP CNPJ: 06.109.373/0001-81 Submetemos à

Leia mais

Instituto Lina Galvani

Instituto Lina Galvani Balanços patrimoniais Em milhares de reais Ativo 31 de dezembro de 2011 31 de dezembro de 2010 Passivo e patrimônio social 31 de dezembro de 2011 31 de dezembro de 2010 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

Banco Volkswagen S.A. Demonstrações financeiras consolidadas em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes

Banco Volkswagen S.A. Demonstrações financeiras consolidadas em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras consolidadas em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes Aos administradores Banco Volkswagen S.A. Examinamos as demonstrações

Leia mais

Zurich Vida e Previdência S.A. Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2012 e relatório dos auditores independentes

Zurich Vida e Previdência S.A. Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2012 e relatório dos auditores independentes Zurich Vida e Previdência S.A. Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2012 e relatório dos auditores independentes Relatório da administração Senhores Acionistas, Atendendo às disposições

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração e as demonstrações financeiras relativas aos semestres findos em 30 de junho de 2015 e de

Leia mais

Demonstrações Financeiras Consolidadas em IFRS Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais S.A. BDMG

Demonstrações Financeiras Consolidadas em IFRS Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais S.A. BDMG Demonstrações Financeiras Consolidadas em IFRS Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais S.A. BDMG 31 de dezembro de 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras consolidadas

Leia mais

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1 ATIVO 1 11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1113 BANCOS CONTA DEPÓSITOS 11131 BANCOS CONTA DEPÓSITOS - MOVIMENTO

Leia mais

CHUBB DO BRASIL COMPANHIA DE SEGUROS

CHUBB DO BRASIL COMPANHIA DE SEGUROS quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 Diário Oficial Empresarial São Paulo, 125 (37) 59 Atendendo às disposições legais vigentes, apresentamos as demonstrações financeiras referentes ao exercício findo

Leia mais

BVA SEGUROS S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS SEMESTRES FINDOS EM 30 DE JUNHO DE 2012 E 2011 ACOMPANHADAS DO RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES

BVA SEGUROS S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS SEMESTRES FINDOS EM 30 DE JUNHO DE 2012 E 2011 ACOMPANHADAS DO RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES BVA SEGUROS S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS SEMESTRES FINDOS EM 30 DE JUNHO DE 2012 E 2011 ACOMPANHADAS DO RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES BVA SEGUROS S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS SEMESTRES

Leia mais

Vida Seguradora S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - JUNHO DE 2014

Vida Seguradora S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - JUNHO DE 2014 Senhores Acionistas, Vida Seguradora S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - JUNHO DE 2014 Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras Intermediárias da Vida Seguradora S.A., relativas ao

Leia mais

Demonstrações Financeiras Consolidadas Yasuda Seguros S.A.

Demonstrações Financeiras Consolidadas Yasuda Seguros S.A. Demonstrações Financeiras Consolidadas Yasuda Seguros S.A. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras consolidadas. Demonstrações financeiras consolidadas Índice Relatório

Leia mais

MAPFRE Seguros Gerais S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - JUNHO DE 2014

MAPFRE Seguros Gerais S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - JUNHO DE 2014 Senhores Acionistas, MAPFRE Seguros Gerais S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - JUNHO DE 2014 Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras Intermediárias da MAPFRE Seguros Gerais S.A., relativas

Leia mais

Demonstrações Financeiras Turma do Bem

Demonstrações Financeiras Turma do Bem Demonstrações Financeiras Turma do Bem com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras... 1 Demonstrações

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 162, DE 2006.

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 162, DE 2006. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 162, DE 2006. Institui regras e procedimentos para a constituição das provisões técnicas das sociedades seguradoras, entidades

Leia mais

Safra Vida e Previdência S.A.

Safra Vida e Previdência S.A. Safra Vida e Previdência S.A. Demonstrações Contábeis Referentes aos Períodos Findos em 30 de Junho de 2015 e Relatório dos Auditores Independentes PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes ÍNDICE

Leia mais

Azul Companhia de Seguros Gerais Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2011 e relatório dos auditores independentes

Azul Companhia de Seguros Gerais Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2011 e relatório dos auditores independentes Azul Companhia de Seguros Gerais Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2011 e relatório dos auditores independentes RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas.

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 KPDS 82388 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações

Leia mais

Demonstrações Financeiras Avista S/A. Administradora de Cartões de Crédito

Demonstrações Financeiras Avista S/A. Administradora de Cartões de Crédito Demonstrações Financeiras Avista S/A. Administradora de Cartões de Crédito Em 31 de dezembro de 2012 e 2011 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 e

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração e as demonstrações financeiras relativas aos semestres findos em 30 de junho de 2013 e de

Leia mais

Federal Vida e Previdência S. A. Demonstrações contábeis Intermediárias Em 30 de junho de 2012

Federal Vida e Previdência S. A. Demonstrações contábeis Intermediárias Em 30 de junho de 2012 Federal Vida e Previdência S. A. Demonstrações contábeis Intermediárias Em 30 de junho de 2012 2 Federal Vida e Previdência S. A. Demonstrações contábeis Intermediárias em 30 de junho de 2012 Conteúdo

Leia mais

Zurich Resseguradora Brasil S.A. Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2012 e relatório dos auditores independentes

Zurich Resseguradora Brasil S.A. Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações e relatório dos auditores independentes Relatório da administração Senhores acionistas: Atendendo às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações

Leia mais

Relatório dos Auditores Independentes

Relatório dos Auditores Independentes Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações contábeis em 31 de dezembro de 2011 e 2010 JRS/NMT/ SAD Demonstrações contábeis em 31 de dezembro de 2011 e 2010 Conteúdo Relatório dos Auditores Independentes

Leia mais

American Life Companhia de Seguros Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes

American Life Companhia de Seguros Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes American Life Companhia de Seguros Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório da Administração Senhores acionistas: Em cumprimento às

Leia mais

Normas Contábeis Orientações da SUSEP ao Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta, Capitalização e Resseguro

Normas Contábeis Orientações da SUSEP ao Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta, Capitalização e Resseguro Normas Contábeis Orientações da SUSEP ao Previdência Complementar Aberta, Capitalização e Resseguro julho/2013 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 1.1. Área Responsável... 2 1.2. Base Legal... 2 1.3. Abrangência...

Leia mais

RELATÓRIO DA DIRETORIA

RELATÓRIO DA DIRETORIA RELATÓRIO DA DIRETORIA Senhores Participantes, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias vigentes, submetemos a apreciação de V.Sas. às demonstrações contábeis intermediárias relativas ao semestre

Leia mais

Bovespa Supervisão de Mercados - BSM

Bovespa Supervisão de Mercados - BSM 1. C ontexto operacional A Bovespa Supervisão de Mercados BSM (BSM) criada em 16 de agosto de 2007 como uma associação civil sem finalidade lucrativa, em cumprimento ao disposto na regulamentação pertinente

Leia mais

Aqua-Rio Aquário Marinho do Rio de Janeiro S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de

Aqua-Rio Aquário Marinho do Rio de Janeiro S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de Aqua-Rio Aquário Marinho do Rio de Janeiro S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Relatório

Leia mais

Demonstrações Financeiras Hortigil Hortifruti S.A.

Demonstrações Financeiras Hortigil Hortifruti S.A. Demonstrações Financeiras Hortigil Hortifruti S.A. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes sobre

Leia mais

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014 Diário Oficial Empresarial São Paulo, 124 (41) 309

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014 Diário Oficial Empresarial São Paulo, 124 (41) 309 sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014 Diário Oficial Empresarial São Paulo, 124 (41) 309 Aos Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o Relatório da Administração e as Demonstrações Financeiras da

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TAEKWONDO

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TAEKWONDO CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TAEKWONDO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 e 2013 14 RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Aos Administradores da Confederação

Leia mais

Kyoei do Brasil Companhia de Seguros Demonstrações financeiras intermediárias em 30 de junho de 2015 e relatório dos auditores independentes

Kyoei do Brasil Companhia de Seguros Demonstrações financeiras intermediárias em 30 de junho de 2015 e relatório dos auditores independentes Kyoei do Brasil Companhia de Seguros Demonstrações financeiras intermediárias em de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos administradores Aos Senhores Acionistas Em cumprimento às

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS ORIENTAÇÃO CPC-O - 01. Entidades de Incorporação Imobiliária

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS ORIENTAÇÃO CPC-O - 01. Entidades de Incorporação Imobiliária COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS ORIENTAÇÃO CPC-O - 01 Entidades de Incorporação Imobiliária Descrição Item Objetivo e alcance 1 Formação do custo do imóvel, objeto da incorporação imobiliária 2-9 Despesas

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012 CIRCULANTE 67.424 76.165 DISPONIBILIDADES 4 5.328 312 TITULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E INTRUMENTOS

Leia mais

CENTAURO VIDA E PREVIDÊNCIA S/A Nilo Cairo, 171 - Curitiba - PR - CNPJ 42.516.278/0001-66

CENTAURO VIDA E PREVIDÊNCIA S/A Nilo Cairo, 171 - Curitiba - PR - CNPJ 42.516.278/0001-66 6ª feira 28/Fev/2014 - Edição nº 9157 61 CENTAURO VIDA E PREVIDÊNCIA S/A Nilo Cairo, 171 - Curitiba - PR - CNPJ 42.516.278/0001-66 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação

Leia mais