PROJETO EXECUTIVO 1ª SGT PM Josélia Rodrigues dos Santos Mat APRESENTAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO EXECUTIVO 1ª SGT PM Josélia Rodrigues dos Santos Mat. 30.345.765-7 1. APRESENTAÇÃO"

Transcrição

1 PROJETO EXECUTIVO 1ª SGT PM Josélia Rodrigues dos Santos Mat APRESENTAÇÃO "Não basta olhar e ouvir o INDIVÍDUO, é preciso mediar o desenvolvimento de competências, habilidades e reconstruir cognitivamente sua narrativa de si e do mundo, monitorando-se resultados". Quando se compreende a vida no seu todo, e a sua própria essência, não há situação que não possa ser resolvida. De fato não há aspecto da vida nem área social que não possa ser melhorado, quando se busca uma qualidade de vida vinculada à qualidade de vida no trabalho (QVT), isto por que as organizações /ou instituições tem em seus colaboradores, ou seja, em seus profissionais uma força de trabalho, força essa que deve estar preparada para enfrentar a massacrante rotina da competitividade na qual o mercado globalizado se encontra. Com este entendimento a Polícia Militar da Bahia, através do DP/Seção de Artes, busca implantar e implementar o PROJETO POLÍCIA EM CENA: Valorização profissional através da arte buscando novos caminhos por uma cultura de Paz, em um intercâmbio cultural entre as Polícias Militares da Bahia, Pará e Defesa Cível. Como uma continuidade e fortalecimento as linhas de ação da Polícia Cidadã vinculada à valorização do policial militar. O referido projeto pretende desenvolver ações no intuito de subsidiar o integrante da Corporação e familiares na promoção do desenvolvimento humano e cognitivo, contudo fazendo com que o policial busque a retomada de suas metas e objetivos do seu projeto pessoal e uma melhor qualidade de vida, uma vez que esta qualidade de vida que o homem tem fora do trabalho é reconhecida por parte das organizações, como forma de tornar o homem mais eficiente em suas atividades laborais. Pois, quando falamos em Polícia Militar, observamos que a humanização do policiamento e uma aproximação cada vez maior com a comunidade são atualmente as principais diretrizes da Polícia Militar da Bahia. Todavia vem sendo implantados programas de modernização e de controle de qualidade total, que são seguidos, hoje, por quase todas as polícias brasileiras. A Corporação realiza, atualmente, atividades voltadas para a segurança da população, e do bem estar do seu efetivo, bem como convênios para a formação e aperfeiçoamento de seus profissionais, além da melhoria constantes dos serviços prestados a comunidade baiana. Com isso ao desenvolver atividades aplicadas a estes princípios, estaremos buscando por um melhoramento dessa qualidade de vida fora e dentro das atividades laborais do homem, e assim estaremos tentando buscar fazer coisas eficazes para amenizar situações e circunstâncias como dificuldade no relacionamento intra e interpessoal, ansiedade, estresse, amor próprio, motivação, elevação da auto-estima, dependência química e alcoólica, a injustiça e a violência que infiltrar-se em toda a nossa civilização. 2. NOME: PROJETO POLÍCIA EM CENA: Valorização profissional através da arte buscando novos caminhos por uma cultura de Paz

2 3. JUSTIFICATIVA A arte foi, é e sempre será a expressão maior das origens e da história de um povo. A consciência cultural é um meio bastante abrangente de se determinar o futuro de um povo, e a tomada desta consciência também é responsabilidade do ser humano que faz parte desse povo. Cabe a nós abrir e implantar espaços para que a arte reflita não só a sociedade como também suas idéias e principalmente a criação de suas novas ideologias. Na Instituição Policial Militar a arte também tem sua importância e riqueza e ela advêm exatamente da sua capacidade de reunir todas as dimensões humanas - a emotiva, a racional, a mística, a corporal. O tipo de experiência que a arte é capaz de proporcionar é único, e não pode ser substituído por nenhuma outra área do conhecimento humano. Isso significa que sem a arte nosso entendimento do mundo e também de nós mesmos fica, empobrecido. Conhecer e entender a arte produzida pelo grupo cultural a que pertencemos é fundamental na construção da nossa identidade. Por outro lado, o contato com a arte de outras culturas dá oportunidade de perceber o que temos de singular, e também amplia nossa visão do mundo. Pode-se dizer que o Homem é fruto do meio em que vive e que é administrado por necessidades básicas que podem motivar ou não. Dentre essas necessidades podemos destacar as fisiológicas (alimentar-se, sono, atividade física, etc...) psicológica (participação, afeição, auto-confiança, segurança íntima), além da necessidade de auto-realização como impulso para realizar o próprio potencial, estar em continuo desenvolvimento. Atualmente somos testemunhas do iminente declínio ocidental com relação às mazelas que afligem, ao homem, e que conseqüentemente estamos envolvidos nele, e que ele tem grande importância para nós. Podemos observar que o que estar em causa é se sobreviveremos aos ideais que partilhamos ou se iremos vencer ou vivenciar algum novo conjunto de valores abomináveis. Encontramo-nos atualmente num momento de mudança crucial da História e as nossas ações vão decidir se o mundo continua a deslizar para uma nova era escura. Diante do novo panorama, a aplicação do Projeto Polícia em cena no cotidiano das Unidades Militares do Estado do Pará e da Defesa Cível, proporcionará a demonstração de como a arte vem valorizando os policiais inseridos no contexto de Segurança Pública no Estado da Bahia, além de pretender a sistematização e aplicação de um conjunto de contribuições significativas à nossa reflexão sobre a importância de novos paradigmas que surgem dentro da Instituição Policial Militar, reveste-se em valorizar meios e alternativas para a criação/ou construção de fóruns de discussão, análise e implantação de estratégias co relacionadas a assuntos ainda tabus não só para as organizações tanto públicas quanto privadas como um todo. Assim, a Polícia Militar da Bahia apresenta mais um aspecto positivo quando busca alternativas para o melhoramento intra e interpessoal através da Arte, bem como dos problemas que a maioria dos policiais apresentam, como: ansiedade, dificuldade de se relacionar, seja este relacionamento pessoal, familiar ou social, estresse, falta de motivação, baixa da auto-estima, motivação, dependência química e alcoólica, injustiça, a violência e ao suicídio em evidência, mas pouco discutido e focado em suas causas dentro da própria Instituição. Partindo da análise da proposta do Polícia em Cena, o projeto nasce das demandas, interesses, particularidades e potencialidades da comunidade miliciana, fortalecendo assim o estreitamento das atividades sociais que a PMBA já desenvolve junto à sociedade, dando um suporte mais direcionado para as questões pissicosocial, motivacional, e cultural os quais os policiais militares estão envolvidos, penetrando e fazendo uma abordagem mais ampla e

3 sustentável de maneira delicada, precisa e segura para os policiais militares com relação a todas a essas questões. Portanto, o Polícia em Cena, vem tão somente reafirmar que a reflexão a questão do que é inerente ao aprender a ser e a conhecer os outros para se melhorar em suas relações é indispensável para a ressignificação, conseqüentemente, refletir sobre o individual e o coletivo, trazendo a possibilidade da tomada da consciência e da inovação através da criação de novos espaços de relação com a aprendizagem no seu aspecto sócio-cultural. 4. RESUMO EXECUTIVO Este projeto apresenta à Secretaria de Segurança Pública do Estado do Pará e da Defesa Civil proposta de implantação de possíveis ações educativas e culturais, visando através da integração Polícia Militar da Bahia, do Pará e Defesa Civil um intercâmbio cultural, através de oficinas de arte-educação no ambiente de trabalho de forma a fortalecer e melhorar as relações interpessoais no âmbito da Corporação. propiciando o desenvolvimento de políticas públicas para a melhoria do desenvolvimento humano interno da Corporação para com a Comunidade, norteados pelas linhas gerais da Polícia Cidadã. A integração e o intercâmbio Cultural que propomos aqui visa contribuir para o enriquecimento e desenvolvimento perceptivo e reflexivo dos indivíduos no que diz respeito a sua postura quanto cidadão, apresentando-se como ser autônomo, participativo e atuante no meio em que vive, adquirindo um posicionamento efetivo e consciente nas decisões e reformulações comunitárias, oportunamente o sentimento e o respeito à dignidade da pessoa humana.. Assim sendo, é de fundamental importância o envolvimento das instituições locais no intuito de favorecer de maneira mais intensa e proveitosa o fortalecimento na execução do Projeto: POLICIA EM CENA: Valorização profissional através da arte buscando novos caminhos por uma cultura de Paz, viabilizando a promoção de experiências que despertem valores e possibilitem a junção de habilidades e atitudes visando à conservação da ordem pública e o bem estar comum. O Projeto Polícia em Cena se constitui em uma proposta inovadora de favorável através da Arte, à criação de um espaço democrático de reflexão e a participação ativa dos policiais militares na sua relação consigo mesmo, com a família, com a Instituição e a comunidade. A estimulação da participação do policial militar como o ser protagonista da sua própria história e a base de suas relações (relacionamento), na construção do aprender a ser e a conhecer o outro, possibilitará o fortalecimento das suas relações lhes proporcionando uma melhor motivação e o melhoramento interpessoal para o desenvolvimento da sua atividade laboral. A história da instituição e seus representantes refletem na cultura e nas ações representadas pela instituição, para tanto o respeito à diversidade é fundamental observando-se sempre a construção e sustentação do ser cognoscente em toda sua completude, o eu, a emoção a relação e a razão.

4 5. OBJETIVOS 5.1. Objetivo Geral Subsidiar reflexões e atividades que vão ao encontro da necessidade que todo ser humano tem de conviver em grupo, bem como se conhecer para poder conhecer o outro. Proporcionando assim, uma nova consciência sobre a importância das relações intra e interpessoais através da Arte Objetivos correlatos Fortalecer o vínculo entre polícia militar, família e comunidade principalmente a comunidade a qual o policial estar inserido na atividade diária; Fornecer subsídios básicos para a prática de uma consciência critica entre os policiais militares, familiares e os indivíduos da sociedade; Aplicar técnicas práticas através de manifestações artísticas e culturais para minimizar a ansiedade, dificuldade de se relacionar, pessoal, familiar ou social, estresse, falta de motivação, baixa da auto-estima, motivação, dependência química e alcoólica, injustiça, a violência que decorrem no cotidiano própria Instituição. Alertar o indivíduo para a criticidade na obtenção dos saberes, despertando o sentimento de solidariedade e o sentimento de justiça do dever cumprido. Identificar os conhecimentos básicos de auto-ajuda através da formação para a construção do saber no exercício da cidadania, enfatizando conceitos básicos na preservação da saúde física e mental; Conscientizar o cidadão para a necessidade da prática do bem estar comum, partindo e tomando como base os princípios morais. 5.3 Objetivos conceituais Compreender os elementos básicos que compõem as regras da boa conduta para um convívio em sociedade; Entender a ação preventiva como subsidio necessário para o combate de todo e qualquer tipo de mazela dentro e fora do âmbito familiar e da Instituição policial militar; Reconhecer seu modo de vida como conseqüência para a conservação da ordem publica e o bem estar comum; Conhecer os elementos que favorecem ao seu desequilíbrio mental e emocional no desenvolvimento das suas funções profissionais; Compreender o processo de desenvolvimento do projeto de apoio ao melhoramento interpessoal e seus elementos Objetivos atitudinais Conscientizar-se como ser atuante e participativo de uma sociedade;

5 Cultivar e desenvolver na comunidade a qual estar inserido valores e princípios de conservação e manutenção da ordem publica e capacitá-lo a viver em equilíbrio com as pessoas que estão a sua volta; Promover de forma significativa, mudanças na valorização da cultura local resgatando a história da Humanidade a fim de enfatizar a importância do reconhecimento de cada integrante da comunidade como sujeito capaz de participar, decidir e transformar a realidade em que estar inserido. Despertar o interesse do cidadão policial militar que faz parte do pólo social, em relação à valorização do sentido de convivência familiar, social, cultural harmonioso e de equilíbrio bem como a preservação dos seus costumes e valores morais de boa conduta de maneira a recuperar o orgulho de viver nesta sociedade; 5.5. Objetivos procedimentais Estabelecer vínculo entre família, Instituição policial militar e comunidade desenvolvendo uma consciência crítica social globalizada, através de palestras, oficinas, ciclo de leitores, seminários, workshop etc. para que possam tomar decisões que transforme sua própria cultura. Participação e monitoramento na formulação de políticas públicas sociais básicas; Realização de pesquisas setoriais e diagnósticos da realidade em que serão desenvolvidas as ações; Articulação junto a órgãos governamentais, não-governamentais, sociedade civis organizada, artistas e outros segmentos; 6. RESULTADOS ESPERADOS _Criação de um espaço democrático e de participação ativa da comunidade; _Elaboração de propostas de defesa e promoção do bem estar dos policiais militares, familiares e comunidade para uma melhor qualidade de vida. _Promoção de experiências significativas de aprendizagem e melhoramento intra e interpessoal através de manifestação cultural que auxiliem no desenvolvimento da atividade laboral; _ Articulação na promoção da proposta de Criação de um Núcleo/ ou Pólo Cultural entre as Policiais do Pará e Defesa Civil; _ Intercâmbio com o Corpo de Bombeiros do Estado de Minas Gerais em virtude do mesmo ter um Grupo de Teatro atuante; _Desenvolvimento pessoal, fortalecimento da auto-estima, exercício pleno de cidadania, humanização; paz. _Qualificação dos conhecimentos, inserção social, aprendizagem significativa; _Cultivo de valores e princípios de conservação da ordem pública e preservação da _Repensar a formação do indivíduo de forma significativa; _Fortalecimento dos laços com a Polícia Militar, Família e Comunidade;

6 _Contribuição para o planejamento de políticas públicas que fortaleçam a busca pelo equilíbrio mental no desenvolvimento da atividade laboral; _Participação ativa contribuindo, apoiando e avaliando as ações do projeto no âmbito institucional; _Focalizar o papel do policial militar dentro e fora da Instituição a qual ele pertence de forma ampla e objetiva; _Desenvolvimento do projeto dentro dos parâmetros estabelecidos no Policiamento Comunitário; _Ampliar e aperfeiçoar os mecanismos de diálogo e articulação entre a Polícia Militar, Defesa Civil e Comunidade na promoção da Segurança Pública e do bem estar comum. 7. DEMONSTRAÇÃO DE QUE A PROPOSTA ATENDE AOS PRINCÍPIOS ESTABELECIDOS DO PLANO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA O Projeto que ora apresentamos atende aos princípios teóricos e metodológicos do Plano Nacional de Segurança Pública: Como demonstrado, apresenta um novo ângulo de abordagem que assume que a compreensão dos fenômenos da ansiedade, dificuldade de se relacionar, pessoal, familiar ou social, estresse, falta de motivação, baixa da auto-estima, motivação, dependência química e alcoólica, injustiça, são complexos e multidimensionais, uma vez que envolve dimensões objetivas e subjetivas e são condicionados por fatores diversos, variáveis, cuja eficácia depende dos contextos. Além disso, busca uma intervenção efetivamente capaz de prevenir a ansiedade, dificuldade de se relacionar, estresse, falta de motivação, baixa da auto-estima, e a dependência química e alcoólica, através da modificação das condições propiciatórias imediatas, isto é, as condições diretamente ligadas às práticas que se deseja eliminar. Propõe a implementação de políticas integradas que focalizem os três domínios fundamentais para a vida social: a polícia militar, a família, e a comunidade fazendo a mediação entre as macro-políticas estruturais e as políticas públicas especializadas ou seja, aquelas intervenções tópicas especificamente devotadas à valorização do profissional em Segurança Pública via interceptação das dinâmicas que a produzem. Incentivará a organização e aplicação de atividades no âmbito da Corporação e também para a Comunidade, voltadas para a cultura. 8. METODOLOGIA A avaliação do Projeto Polícia em Cena apresenta uma abordagem metodológica que necessariamente conduzirá os processos com base nos seguintes estágios seguintes estágios: Diagnóstico das dinâmicas sociais, criminais e dos fatores de risco (seja de vitimização, seja de atração para o crime), local e geral, sensível às variações ditadas pelas circunstâncias e as conjunturas;

7 Elaboração de um plano de ação, capaz de formular uma agenda, identificar prioridades e recursos, e estipular metas; A dinâmica de implementação prevê tarefas de coordenação e de garantia de cumprimento de metas e cronogramas; A avaliação dos resultados e do processo seguida do monitoramento, que visa a correção de rumo ditada pela constatação dos erros; Implantação de projetos piloto e observação crítica dos casos como experimentosdemonstração. Processos democráticos de diagnóstico, seleção das prioridades, e identificação das metas e de avaliação dos projetos implementados; Articulação com as instâncias governamentais mobilizadas e com a sociedade civil. A participação é considerada condição indispensável para elaboração competente das soluções e do monitoramento racional da política pública de segurança que se pretenda consistente e conseqüente. A abordagem propõe a transformação do policial num novo sujeito institucional, num protagonista da cidadania, capaz de contribuir efetivamente para a construção de uma nova aliança ou uma nova modalidade de pacto com a sociedade, assegurando que a política de segurança seja conseqüente, participativa e transparente, voltada para a restauração da confiança popular nas polícias e nas instituições públicas. 9. RECURSOS NECESSÁRIOS (PLANILHA) 10. CONSIDERAÇÕES FINAIS Os dias atuais exigem que as instituições modernas adotem uma concepção mais horizontalizada, com definição dos papéis, em que os colaboradores assumam autoridade e responsabilidade genuínas no momento em que estiverem interagindo com o cidadão-cliente. Todavia, sabemos que delegar sem dar às pessoas os pré-requisitos para decidir de forma independente não leva a nada. Para tanto, o Projeto Polícia em Cena estar pautado no principio do PROJETO POLÍCIA CIDADÃ, que se propõe a apresentar soluções, alternativas para o controle da criminalidade, e do bem estar dos seus co-participes, de forma que a comunidade respalde todas as ações de polícia comunitária, e que a Polícia Militar busque assim, sempre atingir a excelência fazendo uso de modernos conceitos de gerenciamento. Onde entre eles rezam a MOTIVAÇÃO - do cidadão-cliente e do cidadão-policial para agirem em direção à nova ordem estabelecida; o USO DE FATOS E DADOS - como uma cultura na tomada de decisões e o APRENDIZADO CONTÍNUO - Estabelecendo um processo de forma que o aporte de conhecimentos seja uma das tarefas dos colaboradores; Baseando-se em alguns dos pressupostos da Polícia Cidadã, o Projeto Polícia em Cena, visa neste sentido, buscar a aproximação deste contexto entre Comandantes e comandados, e Comunidade, potencializando a prática educativa de maneira a preservar e difundir os costumes e valores morais de boa conduta como forma de recuperar o orgulho de viver em sociedade. As atividades artísticas e culturais, além de educativas que serão abordadas e aplicados no âmbito da Polícia Militar do Pará e Defesas Civil precisam estar diretamente

8 relacionadas às ações realizadas no cotidiano das Instituições. Portanto, devem-se priorizar os recursos disponíveis, explorando-os em diversas atividades, estimulando o desenvolvimento de competências e habilidades e a participação de todos os membros da comunidade miliciana. O projeto na perspectiva de intervenção coletiva busca não apenas gerenciar os problemas de segurança que afetam a comunidade miliciana, mas também traçar estratégias participativas que possam solucionar ou atenuar os problemas existentes que possam estar afligindo a comunidade, levando em consideração que pode não ter só o que gostaríamos que s Instituições tivessem, mas podendo fazer dela um lugar bem melhor. 11. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Minidicionário da língua portuguesa, século XXI. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, PRESTES, Maria Lúcia de Mesquita. A pesquisa e a construção do conhecimento científico. 1ª ed. São Paulo: Respel, 2002.

9 ANEXOS: 1. RELAÇÃO DO EFETIVO DA SEÇÃO DE ARTES ORD POSTO/GRAD NOME 1. CEL PM Nivaldo Nascimento dos Anjos 2. CAP PM Tiago Garcez da Cruz 3. SGT PM Joselia Rodrigues dos Santos 4. SGT PM Luciene de Jesus Nascimento 5. SGT PM Marizete Brandão Ribeiro 6. SD PM Andréia Iêda de Sousa Rocha dos Santos 7. SD PM Anildo Bonfim Cabral 8. SD PM Cinira Ticiana Ferreira de Assis 9. SD PM Claudemiro de Assis Moraes 10. SD PM Gleide da Silva Santana 11. SD PM Humberto Santos Teles 12. SD PM Izabel Angelo Emanuel M. dos Reis 13. SD PM Kleber Vieira dos Reis 14. SD PM Lazaro Hermes Machado da Silva 15. SD PM Luis Anselmo P. dos Santos 16. SD PM Luis Carlos Lima Santos 17. SD PM Marcelo de Almeida Magalhães 18. SD PM Milena Celina dos S. Santana 19. SD PM Pedro Teles Pereira 20. SD PM Robson Tadeu Bispo 21. SD PM Rogério Almeida dos Santos 22. SD PM Ubaldo Nascimento Pereira 23. SD PM Vania Silva Oliveira 24. SD PM Wellington Souza Santos 25. SD PM Zuleica da Silva Gonçalves

10 2. RELESE DAS APRESENTAÇÕES TEATRAIS 2.1 Ópera da Cidadania 2.2 A Peleja de João para ser um Cidadão A Polícia Militar da Bahia, através do DP/SEVAP/Seção de Artes, acredita que a arte, que é um poderoso canal de comunicação e entendimento entre a polícia e a sociedade, possui um viés de possibilidades para o diálogo na troca de saberes e conhecimentos. Assim, o Grupo de Teatro da Polícia Militar da Bahia apresenta a Ópera da Cidadania, que é um espetáculo musical que trabalha a alegria, o colorido, a magia e a musicalidade do povo baiano e os convida a conhecer algumas das principais manifestações populares baianas. A Ópera foi apresentada no 4º Congresso Mundial de Performance, em outubro de 2007, em Nova Iorque, Estados Unidos da América, e tem como objetivo promover oportunidades de aprendizagem, valorizar o capital intelectual organizacional, fortalecer a auto-estima do A peleja de João para ser um Cidadão", é um cordel musical que tem como tema o fortalecimento da cidadania e respeito às diferenças. O trabalho tem como proposta dialogar com a cultura popular enfatizando a importância de atitude éticas e solidárias para a manutenção da cidadania. A peça percorre algumas manifestações populares do interior da Bahia como o samba de roda, trança fita, bumba meu boi dentre outras. Proporcionando um espetáculo educativo e divertido.. No elenco Policiais Militares, que desenvolvem, através das artes cênicas, a prática sócio educativa como um valioso instrumento de sensibilização e diálogo como a comunidade. Com a atual produção da Seção de Artes da Polícia Militar da Bahia, esta é mais uma campanha educativa de Utilidade Pública da Polícia Militar sem fins lucrativos.

11 3. PROCEDIMENTOS DAS ATIVIDADES PROPOSTAS A SEREM DESENVOLVIDAS 1. Informação das atividades a quem se destina: 1.1 _ Pauta das atividades iniciais; 1.2 _ Local e horário; 1.3 _ Proposta e quem executarão; 1.4 _ Que providencias tomar de maneira antecipada; 1.5 _ Assuntos a serem abordados nos encontros. 2. Coleta de informações e dados: 2.1 _ Formação da equipe; 2.2. Aplicação de questionários 3. Relatório 3.1 _ Esboçar os procedimentos que foram executados durante cada atividade proposta; 3.2 _ Analise e diagnóstico. 4. Confecção do Projeto de Apresentação 4.1 _ Construção do Projeto; 4.2 _ Encaminhamento ao Comando Geral; 4.3 _ Discussão da proposta apresentada; 4.4 _ Confecção e formatação: _ Estabelecer prazos, data e o local; _Relação de convidados; _Confecção de convites, folderes do evento e cerimonial; _Arrumação do local; _Divulgação na intranet e Internet; _Considerações finais relativas ao projeto de apresentação. 4. OFICINAS E PALESTRAS 4.1 PALESTRAS: _Serviço de Valorização do Policial Militar no âmbito da PMBA; CEL PM Nivaldo Nascimento dos Anjos. _ Criação da seção de Artes na PMBA _ desafios e conquistas _ CAP PM Tiago Garcez da Cruz. _Programa PM E Arte faça a sua parte! _ CAP PM Tiago Garcez da Cruz. _ Procedimentos legais para a implementação do Núcleo de artes no âmbito da PMBA _ CAP PM Tiago Garcez da Cruz.

12 4.2_ OFICINAS: _ Programa de Melhoramento Interpessoal (PMI): 1ª SGT PM Josélia Rodrigues dos Santos A importância das Relações Interpessoais no ambiente de trabalho; Aprendendo a lidar com gente_ relações interpessoais no seu cotidiano; Qualidade de vida versus as relações interpessoais; Afetividade e motivação no ambiente de trabalho: em que eles podem contribuir? A melhoria do relacionamento humano e o trabalho em equipe. _ Integração com manifestações culturais: Dança, música, teatro entre outras atividades desenvolvidas pelo grupo de teatro da PMBA. _ SD PM Vânia Oliveira Todo este trabalho será Coordenado e orientado pelo Chefe da Seção de Artes CAP PM TIAGO GARCÊZ DA CRUZ, sob Direção Geral do Diretor de Departamento Pessoal da Policia Militar da Bahia, CEL PM NIVALDO NASCIMENTO DOS ANJOS.

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre Sumário I. Apresentação do Manual II. A Prevenção de Acidentes com Crianças III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre IV. Como a Educação pode contribuir para a Prevenção de Acidentes no Trânsito V. Dados

Leia mais

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT Proposta do CDG-SUS Desenvolver pessoas e suas práticas de gestão e do cuidado em saúde. Perspectiva da ética e da integralidade

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais

NOSSA MISSÃO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES

NOSSA MISSÃO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES Desde 1999 NOSSA MISSÃO AÇÕES DE TREINAMENTO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES MISSÃO Inspirar nossos clientes para a expansão de ideias e formação de relacionamentos saudáveis e duradouros no ambiente

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim - ES PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Introdução O Programa Municipal de Educação Ambiental estabelece diretrizes, objetivos, potenciais participantes, linhas

Leia mais

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social PAPÉIS COMPETÊNCIAS

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social PAPÉIS COMPETÊNCIAS PAPÉIS E COMPETÊNCIAS O SERVIÇO PSICOSSOCIAL NO CREAS... O atendimento psicossocial no serviço é efetuar e garantir o atendimento especializado (brasil,2006). Os profissionais envolvidos no atendimento

Leia mais

A AÇÃO COMUNITÁRIA NO PROJOVEM. Síntese da proposta de Ação Comunitária de seus desafios 2007

A AÇÃO COMUNITÁRIA NO PROJOVEM. Síntese da proposta de Ação Comunitária de seus desafios 2007 A AÇÃO COMUNITÁRIA NO PROJOVEM Síntese da proposta de Ação Comunitária de seus desafios 2007 A AÇÃO COMUNITÁRIA NO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO Dimensão formativa do programa voltada à educação para a cidadania

Leia mais

e construção do conhecimento em educação popular e o processo de participação em ações coletivas, tendo a cidadania como objetivo principal.

e construção do conhecimento em educação popular e o processo de participação em ações coletivas, tendo a cidadania como objetivo principal. Educação Não-Formal Todos os cidadãos estão em permanente processo de reflexão e aprendizado. Este ocorre durante toda a vida, pois a aquisição de conhecimento não acontece somente nas escolas e universidades,

Leia mais

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: FAÇO SABER

Leia mais

TRANSVERSALIDADE. 1 Educação Ambiental

TRANSVERSALIDADE. 1 Educação Ambiental TRANSVERSALIDADE Os temas transversais contribuem para formação humanística, compreensão das relações sociais, através de situações de aprendizagens que envolvem a experiência do/a estudante, temas da

Leia mais

Plano de Ação. Colégio Estadual Ana Teixeira. Caculé - Bahia Abril, 2009.

Plano de Ação. Colégio Estadual Ana Teixeira. Caculé - Bahia Abril, 2009. Plano de Ação Colégio Estadual Ana Teixeira Caculé - Bahia Abril, 2009. IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR Unidade Escolar: Colégio Estadual Ana Teixeira Endereço: Av. Antônio Coutinho nº 247 bairro São

Leia mais

Por uma pedagogia da juventude

Por uma pedagogia da juventude Por uma pedagogia da juventude Juarez Dayrell * Uma reflexão sobre a questão do projeto de vida no âmbito da juventude e o papel da escola nesse processo, exige primeiramente o esclarecimento do que se

Leia mais

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI Grupo Acadêmico Pedagógico - Agosto 2010 O Projeto Pedagógico Institucional (PPI) expressa os fundamentos filosóficos,

Leia mais

Bacharelado em Serviço Social

Bacharelado em Serviço Social Informações gerais: Bacharelado em Serviço Social Duração do curso: 04 anos (08 semestres) Horário: Vespertino e Noturno Número de vagas: 300 vagas anuais Coordenador do Curso: Profª Ms. Eniziê Paiva Weyne

Leia mais

Projeto de Extensão. Título: Esporte e Inclusão Social no Instituto de Educação Física da Universidade Federal Fluminense

Projeto de Extensão. Título: Esporte e Inclusão Social no Instituto de Educação Física da Universidade Federal Fluminense Projeto de Extensão Título: Esporte e Inclusão Social no Instituto de Educação Física da Universidade Federal Fluminense 1.0 - JUSTIFICATIVA Considerando que a Extensão Universitária tem entre as suas

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Elisa Maçãs IDÉIAS & SOLUÇÕES Educacionais e Culturais Ltda www.ideiasesolucoes.com 1

Leia mais

Programa de Capacitação

Programa de Capacitação Programa de Capacitação 1. Introdução As transformações dos processos de trabalho e a rapidez com que surgem novos conhecimentos e informações têm exigido uma capacitação permanente e continuada para propiciar

Leia mais

FUNK CONSCIENTIZA. VAI 1 - música

FUNK CONSCIENTIZA. VAI 1 - música PROGRAMA PARA A VALORIZAÇÃO DE INICIATIVAS CULTURAIS VAI SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA São Paulo, fevereiro de 2010 FUNK CONSCIENTIZA VAI 1 - música Proponente Nome RG: CPF: Endereço Fone: E-mail: DADOS

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CENTRO DE ENSINO ATENAS MARANHENSE FACULDADE ATENAS MARANHESE DIRETORIA ACADÊMICA NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO E DE DESENVOLVIMENTO PEDAGÓGICO - NADEP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL SÃO

Leia mais

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM CORRENTES DO PENSAMENTO DIDÁTICO 8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Se você procurar no dicionário Aurélio, didática, encontrará o termo como feminino substantivado de didático.

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Introdução A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional afirma que cabe aos estabelecimentos de ensino definir

Leia mais

Rompendo os muros escolares: ética, cidadania e comunidade 1

Rompendo os muros escolares: ética, cidadania e comunidade 1 PROGRAMA ÉTICA E CIDADANIA construindo valores na escola e na sociedade Rompendo os muros escolares: ética, cidadania e comunidade 1 Ulisses F. Araújo 2 A construção de um ambiente ético que ultrapasse

Leia mais

PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária

PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária Apoio: Secretária municipal de educação de santo Afonso PROJETO INTERAÇÃO FAMÍLIA X ESCOLA: UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA. É imperioso que dois dos principais

Leia mais

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Responsabilidade Social das Faculdades Integradas Ipitanga (PRS- FACIIP) é construído a partir

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL SANTO ANTÔNIO VIVENCIANDO VALORES NA ESCOLA POR UMA CULTURA DE PAZ

ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL SANTO ANTÔNIO VIVENCIANDO VALORES NA ESCOLA POR UMA CULTURA DE PAZ ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL SANTO ANTÔNIO VIVENCIANDO VALORES NA ESCOLA POR UMA CULTURA DE PAZ Passo Fundo, 2005 1-Justificativa Talvez não haja palavra mais falada, nos dias de hoje, que a

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003 Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC ATRIBUIÇÕES DOS GESTORES ESCOLARES DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO VERSÃO PRELIMINAR SALVADOR MAIO/2003 Dr. ANTÔNIO JOSÉ IMBASSAHY DA SILVA Prefeito

Leia mais

O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização

O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização Cristiane dos Santos Schleiniger * Lise Mari Nitsche Ortiz * O Terceiro Setor é o setor da sociedade que emprega aproximadamente 1 milhão de pessoas.

Leia mais

introdução Trecho final da Carta da Terra 1. O projeto contou com a colaboração da Rede Nossa São Paulo e Instituto de Fomento à Tecnologia do

introdução Trecho final da Carta da Terra 1. O projeto contou com a colaboração da Rede Nossa São Paulo e Instituto de Fomento à Tecnologia do sumário Introdução 9 Educação e sustentabilidade 12 Afinal, o que é sustentabilidade? 13 Práticas educativas 28 Conexões culturais e saberes populares 36 Almanaque 39 Diálogos com o território 42 Conhecimentos

Leia mais

PROJETO MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA: CONVIVÊNCIA, CIDADANIA, SAÚDE E LAZER

PROJETO MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA: CONVIVÊNCIA, CIDADANIA, SAÚDE E LAZER SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA AGROTÉCNICA FEDERAL DE UBERLÂNDIA Fazenda Sobradinho, s/ nº, Município de Uberlândia, CEP: 38.400-974, telefone: (34) 3233-8800 Fax: (34) 3233-8833,

Leia mais

Escola de Políticas Públicas

Escola de Políticas Públicas Escola de Políticas Públicas Política pública na prática A construção de políticas públicas tem desafios em todas as suas etapas. Para resolver essas situações do dia a dia, é necessário ter conhecimentos

Leia mais

POLÍTICAS DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS APRESENTAÇÃO

POLÍTICAS DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS APRESENTAÇÃO POLÍTICAS DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS APRESENTAÇÃO A universidade vivencia, em seu cotidiano, situações de alto grau de complexidade que descortinam possibilidades, mas também limitações para suas

Leia mais

INTRODUÇÃO. Sobre o Sou da Paz: Sobre os Festivais Esportivos:

INTRODUÇÃO. Sobre o Sou da Paz: Sobre os Festivais Esportivos: 1 INTRODUÇÃO Sobre o Sou da Paz: O Sou da Paz é uma organização que há mais de 10 anos trabalha para a prevenção da violência e promoção da cultura de paz no Brasil, atuando nas seguintes áreas complementares:

Leia mais

PLANTANDO NOVAS SEMENTES NA EDUCAÇÃO DO CAMPO

PLANTANDO NOVAS SEMENTES NA EDUCAÇÃO DO CAMPO PLANTANDO NOVAS SEMENTES NA EDUCAÇÃO DO CAMPO Alunos Apresentadores:Aline Inhoato; Rafhaela Bueno de Lourenço; João Vitor Barcelos Professor Orientador: Mario Ubaldo Ortiz Barcelos -Email: muobubaldo@gmail.com

Leia mais

Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1

Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1 Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1 É comum hoje entre os educadores o desejo de, através da ação docente, contribuir para a construção

Leia mais

PROTEÇÃO INTEGRAL EM REDES SOCIAIS

PROTEÇÃO INTEGRAL EM REDES SOCIAIS PROTEÇÃO INTEGRAL EM REDES SOCIAIS ENCONTRO DE GRUPOS REGIONAIS DE ARTICULAÇÃO- ABRIGOS - SÃO PAULO O QUE É UMA REDE DE PROTEÇÃO SOCIAL? sistemas organizacionais capazes de reunir indivíduos e instituições,

Leia mais

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA!

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! NOSSA VISÃO Um mundo mais justo, onde todas as crianças e todos os adolescentes brincam, praticam esportes e se divertem de forma segura e inclusiva. NOSSO

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL Curso: Tecnologia Social e Educação: para além dos muros da escola Resumo da experiência de Avaliação do Programa "Apoio

Leia mais

REGULAMENTO NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO/PSICOPEDAGÓGICO NAP/NAPP. Do Núcleo de Apoio Pedagógico/Psicopedagógico

REGULAMENTO NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO/PSICOPEDAGÓGICO NAP/NAPP. Do Núcleo de Apoio Pedagógico/Psicopedagógico REGULAMENTO NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO/PSICOPEDAGÓGICO NAP/NAPP Capítulo I Do Núcleo de Apoio Pedagógico/Psicopedagógico Art. 1º O Núcleo de Apoio Pedagógico/Psicopedagógico- NAP/NAPP do Centro de Ensino

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DRA. MARIA AUGUSTA SARAIVA MANUAL DE ESTÁGIO PROFISSIONAL

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DRA. MARIA AUGUSTA SARAIVA MANUAL DE ESTÁGIO PROFISSIONAL 2012 ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DRA. MARIA AUGUSTA SARAIVA MANUAL DE ESTÁGIO PROFISSIONAL APRESENTAÇÃO Este Manual foi elaborado com o objetivo de normalizar o Estágio Profissional Supervisionado, para os

Leia mais

PROPOSTA DE SERVIÇOS EM PSICOLOGIA CLÍNICA

PROPOSTA DE SERVIÇOS EM PSICOLOGIA CLÍNICA PROPOSTA DE SERVIÇOS EM PSICOLOGIA CLÍNICA A importância do bem-estar psicológico dos funcionários é uma descoberta recente do meio corporativo. Com este benefício dentro da empresa, o colaborador pode

Leia mais

Educação para a Cidadania linhas orientadoras

Educação para a Cidadania linhas orientadoras Educação para a Cidadania linhas orientadoras A prática da cidadania constitui um processo participado, individual e coletivo, que apela à reflexão e à ação sobre os problemas sentidos por cada um e pela

Leia mais

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS 1 FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS MAURICIO SEBASTIÃO DE BARROS 1 RESUMO Este artigo tem como objetivo apresentar as atuais

Leia mais

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013 Relatório Despertar 2013 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA. Responsabilidade Social não é apenas adotar um sorriso.

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA. Responsabilidade Social não é apenas adotar um sorriso. PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA 1. Introdução Responsabilidade Social não é apenas adotar um sorriso. Não é trabalhar uma única vez em algum projeto social e ficar

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento ético

Leia mais

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME)

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) Palmas 2010 1. Apresentação O Núcleo de Apoio Didático e Metodológico NADIME é o órgão da Faculdade Católica do Tocantins responsável pela efetivação da

Leia mais

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CÍCERO WILLIAMS DA SILVA EMERSON LARDIÃO DE SOUZA MARIA DO CARMO MEDEIROS VIEIRA ROBERTO GOMINHO DA SILVA

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de:

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de: Relatório Despertar 2014 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

04 Despertar a ideologia sócio-econômicaambiental na população global, Mobilização política para os desafios ambientais

04 Despertar a ideologia sócio-econômicaambiental na população global, Mobilização política para os desafios ambientais TRATADO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA SOCIEDADES SUSTENTÁVEIS E RESPONSABILIDADE GLOBAL CIRCULO DE ESTUDOS IPOG - INSTITUTO DE PÓSGRADUAÇÃO MBA AUDITORIA, PERÍCIA E GA 2011 Princípios Desafios Sugestões 01

Leia mais

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: SERVIÇO

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

Resumo Aula-tema 08: Ideário ético. Desafios, questionamentos e propostas.

Resumo Aula-tema 08: Ideário ético. Desafios, questionamentos e propostas. Resumo Aula-tema 08: Ideário ético. Desafios, questionamentos e propostas. O ideário ético é um conjunto essencial de valores que deve ser conscientizado por todos na Organização para que se consiga implantar

Leia mais

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA Autores: FIGUEIREDO 1, Maria do Amparo Caetano de LIMA 2, Luana Rodrigues de LIMA 3, Thalita Silva Centro de Educação/

Leia mais

Segurança Comunitária

Segurança Comunitária Segurança Comunitária Ciclos de Palestras Secretaria da Segurança Pública e Justiça Gerência Executiva de Direitos Humanos Gerência Executiva dos CIOpS CICLO I PALESTRAS DE SENSIBILIZAÇÃO SOBRE A IMPORTÂNCIA

Leia mais

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Guia do Educador CARO EDUCADOR ORIENTADOR Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 2. PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Objetivo GERAL 5 METODOLOGIA 5 A QUEM SE DESTINA? 6 O QUE

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FNDE PROINFÂNCIA BAHIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA FACULDADE DE EDUCAÇÃO - FACED DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO Texto:Ângela Maria Ribeiro Holanda ribeiroholanda@gmail.com ribeiroholanda@hotmail.com A educação é projeto, e, mais do que isto,

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO

O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO Maria Salete da Silva Josiane dos Santos O Programa Assistência Sócio-Jurídica, extensão do Departamento de Serviço Social, funciona no Núcleo

Leia mais

Integrar o processo de ensino, pesquisa e extensão;

Integrar o processo de ensino, pesquisa e extensão; REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE AGRONOMIA DO IFES CAMPUS ITAPINA O Estágio Curricular constitui um momento de aquisição e aprimoramento de conhecimentos e de habilidades essenciais ao

Leia mais

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM)

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) A extensão é o processo educativo, cultural e científico que articula, amplia, desenvolve e reforça o ensino e a pesquisa,

Leia mais

OFICINA DE LÍNGUA PORTUGUESA COMO MEDIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NOS CURSOS SUBSEQÜENTES DO IFRN - CAMPUS NATAL/CIDADE ALTA

OFICINA DE LÍNGUA PORTUGUESA COMO MEDIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NOS CURSOS SUBSEQÜENTES DO IFRN - CAMPUS NATAL/CIDADE ALTA OFICINA DE LÍNGUA PORTUGUESA COMO MEDIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NOS CURSOS SUBSEQÜENTES DO IFRN - CAMPUS NATAL/CIDADE ALTA Dayvyd Lavaniery Marques de Medeiros Professor do IFRN Mestrando do PPGEP

Leia mais

Atuação do psicólogo na Assistência Social. Iolete Ribeiro da Silva Conselho Federal de Psicologia

Atuação do psicólogo na Assistência Social. Iolete Ribeiro da Silva Conselho Federal de Psicologia Atuação do psicólogo na Assistência Social Iolete Ribeiro da Silva Conselho Federal de Psicologia Concepção de Assistência Social Assistência social direito social e dever estatal Marco legal: Constituição

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE LORENA

PREFEITURA MUNICIPAL DE LORENA PREFEITURA MUNICIPAL DE LORENA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROJETO JUDÔ NA ESCOLA: A SALA DE AULA E O TATAME Projeto: Domingos Sávio Aquino Fortes Professor da Rede Municipal de Lorena Semeie um pensamento,

Leia mais

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes 1 SÉRIE DESENVOLVIMENTO HUMANO FORMAÇÃO DE LÍDER EMPREENDEDOR Propiciar aos participantes condições de vivenciarem um encontro com

Leia mais

O trabalho social com famílias. no âmbito do Serviço de Proteção e. Atendimento Integral à Família - PAIF

O trabalho social com famílias. no âmbito do Serviço de Proteção e. Atendimento Integral à Família - PAIF O trabalho social com famílias no âmbito do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família - PAIF Contexto Social: Acesso diferencial às informações Uso e abuso de substâncias psicoativas Nulo ou

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE ESPAÇO FÍSICO NA CRECHE ( os cantinhos ), que possibilitou entender o espaço como aliado do trabalho pedagógico, ou seja, aquele que

ORGANIZAÇÃO DE ESPAÇO FÍSICO NA CRECHE ( os cantinhos ), que possibilitou entender o espaço como aliado do trabalho pedagógico, ou seja, aquele que Introdução A formação continuada iniciou-se com um diagnóstico com os profissionais que atuam nos Centros de Educação Infantil do nosso município para saber o que pensavam a respeito de conceitos essenciais

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS EDUCAÇÃO BÁSICA ENSINO SUPERIOR EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL EDUCAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SISTEMA DE JUSTIÇA E SEGURANÇA EDUCAÇÃO E MÍDIA Comitê Nacional de Educação

Leia mais

Diretrizes para Implementação dos Serviços de Responsabilização e Educação dos Agressores

Diretrizes para Implementação dos Serviços de Responsabilização e Educação dos Agressores PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA MULHERES SECRETRIA DE ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES Diretrizes para Implementação dos Serviços de Responsabilização e Educação dos Agressores

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

CURSO: ENFERMAGEM. Objetivos Específicos 1- Estudar a evolução histórica do cuidado e a inserção da Enfermagem quanto às

CURSO: ENFERMAGEM. Objetivos Específicos 1- Estudar a evolução histórica do cuidado e a inserção da Enfermagem quanto às CURSO: ENFERMAGEM Missão Formar para atuar em Enfermeiros qualificados todos os níveis de complexidade da assistência ao ser humano em sua integralidade, no contexto do Sistema Único de Saúde e do sistema

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local

RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local 1 Por: Evandro Prestes Guerreiro 1 A questão da Responsabilidade Social se tornou o ponto de partida para o estabelecimento

Leia mais

COMPETÊNCIAS E SABERES EM ENFERMAGEM

COMPETÊNCIAS E SABERES EM ENFERMAGEM COMPETÊNCIAS E SABERES EM ENFERMAGEM Faz aquilo em que acreditas e acredita naquilo que fazes. Tudo o resto é perda de energia e de tempo. Nisargadatta Atualmente um dos desafios mais importantes que se

Leia mais

FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS. Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília

FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS. Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília Nome do Evento: Fórum Mundial de Direitos Humanos Tema central: Diálogo e Respeito às Diferenças Objetivo: Promover um

Leia mais

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Roteiro 1. Contexto 2. Por que é preciso desenvolvimento de capacidades no setor

Leia mais

EDUCAÇÃO EM SAÚDE AMBIENTAL:

EDUCAÇÃO EM SAÚDE AMBIENTAL: EDUCAÇÃO EM SAÚDE AMBIENTAL: AÇÃO TRANSFORMADORA IV Seminário Internacional de Engenharia de Saúde Pública Belo Horizonte Março de 2013 Quem sou eu? A que grupos pertenço? Marcia Faria Westphal Faculdade

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA 1. FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO 2. JUSTIFICATIVA. Promover a saúde e a segurança dos servidores e magistrados.

QUALIDADE DE VIDA 1. FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO 2. JUSTIFICATIVA. Promover a saúde e a segurança dos servidores e magistrados. QUALIDADE DE VIDA 1. FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Promover a saúde e a segurança dos servidores e magistrados. 2. JUSTIFICATIVA Segundo França (1996), a Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) representa

Leia mais

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense 1. DISCRIMINAÇÃO DO PROJETO Título do Projeto Educação de Qualidade: direito de todo maranhense Início Janeiro de 2015 Período de Execução Término

Leia mais

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE 1. JUSTIFICATIVA A região do Baixo Tocantins apresenta-se na área cultural e artística, é um grande celeiro de talentos, que vem enraizado culturalmente em nosso povo,

Leia mais

Ministério do Esporte

Ministério do Esporte EDUCAÇÃO PELO ESPORTE PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO Ministério do Esporte Um brasileiro Ayrton Senna tinha Uma paixão pelo Brasil e seu povo Um sonho Ajudar a criar oportunidades de desenvolvimento para

Leia mais

PROGRAMAs de. estudantil

PROGRAMAs de. estudantil PROGRAMAs de empreendedorismo e protagonismo estudantil Ciclo de Palestras MAGNUM Vale do Silício App Store Contatos Calendário Fotos Safari Cumprindo sua missão de oferecer uma educação inovadora e de

Leia mais

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem da Criança de 0 a 5 anos Docente do Curso Gilza Maria Zauhy Garms Total da Carga

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

A importância da Educação para competitividade da Indústria

A importância da Educação para competitividade da Indústria A importância da Educação para competitividade da Indústria Educação para o trabalho não tem sido tradicionalmente colocado na pauta da sociedade brasileira, mas hoje é essencial; Ênfase no Direito à Educação

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS Art. 1. A Política de Assistência Estudantil da Pós-Graduação da UFGD é um arcabouço de princípios e diretrizes

Leia mais

Este Fórum Local da Agenda 21 se propõe a escutar, mobilizar e representar a sociedade local, para construirmos em conjunto uma visão compartilhada

Este Fórum Local da Agenda 21 se propõe a escutar, mobilizar e representar a sociedade local, para construirmos em conjunto uma visão compartilhada Fórum da Agenda 21 de Guapimirim Aprender a APRENDER e a FAZER. Aprender a CONVIVER, e Aprender a SER Cidadãos Participativos, Éticos e Solidários Este Fórum Local da Agenda 21 se propõe a escutar, mobilizar

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios LEI N. 1.343, DE 21 DE JULHO DE 2000 Institui a Política Estadual do Idoso - PEI e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que a Assembléia Legislativa do Estado

Leia mais

A ARTICULAÇÃO DE REDE EM PROJETOS DE JUSTIÇA RESTAURATIVA

A ARTICULAÇÃO DE REDE EM PROJETOS DE JUSTIÇA RESTAURATIVA Cristina Telles Assumpção Meirelles Cecília Assumpção Célia Bernardes Heloise Pedroso Marta Marioni Monica Cecília Burg Mlynarz Violeta Daou Vania Curi Yazbek - Coordenadora da Equipe ARTICULAÇÃO DE REDES

Leia mais

2-Titulo: CUIDANDO DO TRABALHADOR DA SAÚDE UMA EXPERIÊNCIA NO DISTRITO DE SAÚDE LESTE

2-Titulo: CUIDANDO DO TRABALHADOR DA SAÚDE UMA EXPERIÊNCIA NO DISTRITO DE SAÚDE LESTE 2º SEMINÁRIO NACIONAL HUMANIZA SUS Em Resposta, envio os dados sobre nosso trabalho: 1- Diretriz Valorização do trabalho e do trabalhador da saúde. 2-Titulo: CUIDANDO DO TRABALHADOR DA SAÚDE UMA EXPERIÊNCIA

Leia mais

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA Conceito: PROJETO: -Proposta -Plano; Intento -Empreendimento -Plano Geral de Construção -Redação provisória de lei; Estatuto Referência:Minidicionário - Soares Amora

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO CONSELHO DE CLASSE O Conselho de Classe é um órgão colegiado, de cunho decisório, presente no interior da organização escolar, responsável pelo processo de avaliação do desempenho pedagógico do aluno.

Leia mais

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA Conceito: PROJETO: -Proposta -Plano; Intento -Empreendimento -Plano Geral de Construção -Redação provisória de lei; Estatuto Referência:Minidicionário - Soares Amora

Leia mais