V. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "V. CONSIDERAÇÕES FINAIS"

Transcrição

1 AGENDA I. PERSPECTIVAS DA GESTÃO Trabalhando DA SAÚDE em Redes Cooperativas: Compartilhamento II. ABORDAGENS para DE CUSTEIO SUStentabilidade Case I Apresentação do III. EXPERIÊNCIA DAS SANTAS CASAS DE SÃO PAULO NA Projeto de Custos - FEHOSP GESTÃO DE CUSTOS IV. AVANÇOS NO ÂMBITO DO PROCESSAMENTO E ANÁLISE DAS INFORMAÇÕES V. CONSIDERAÇÕES FINAIS MAIO/2013

2 AGENDA I. ABORDAGENS DE CUSTEIO II. EXPERIÊNCIA DAS SANTAS CASAS DE SÃO PAULO NA GESTÃO DE CUSTOS III. AVANÇOS NO ÂMBITO DO PROCESSAMENTO E ANÁLISE DAS INFORMAÇÕES IV. CONSIDERAÇÕES FINAIS

3 AGENDA I. PERSPECTIVAS DA GESTÃO DA SAÚDE I. ABORDAGENS DE CUSTEIO II. ABORDAGENS DE CUSTEIO III. EXPERIÊNCIA DAS SANTAS CASAS DE SÃO PAULO NA GESTÃO DE CUSTOS IV. AVANÇOS NO ÂMBITO DO PROCESSAMENTO E ANÁLISE DAS INFORMAÇÕES V. CONSIDERAÇÕES FINAIS

4 ABORDAGENS DE CUSTEIO o CUSTEIO POR ABSORÇÃO o CUSTEIO DIRETO o CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADE

5 CUSTEIO POR ABSORÇÃO APROPRIAÇÃO DE CUSTOS POR CENTRO DE CUSTO CUSTEIO DE PROCEDIMENTOS HOSPITALARES Unidade de Internação Unidade de Terapia Intensiva Centro Cirúrgico Pronto Socorro Ambulatório Laboratório de Análises Clínicas Radiologia Parto normal Herniorrafia inguinal Revascularização do miocárdio Cirurgia de varizes

6 CUSTEIO DIRETO $ $ Ponto de Equilíbrio Margem de Contribuição Alavancagem Operacional MC CF Qpe Q Q

7 CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADE RECURSOS ATIVIDADES PRODUTOS OU SERVIÇOS CONSOMEM GERAM

8 O PROCESSO DE PRODUÇÃO DOS SERVIÇOS HOSPITALARES Recursos UTI Centro Cirúrgico Unidade de Internação Radiologia Diárias Cirurgia Exame Aparelhos Paciente Atendido Farmácia Materiais Etapa 1 EFICIÊNCIA Perfil padrão dos custos Etapa 2 EFICÁCIA Protocolo padrão de tratamento

9 PERSPECTIVA DA GESTÃO DE CUSTOS EFICÁCIA PACIENTE ESPECIALIDADE MÉDICA CLIENTE TIME COMPORTAMENTO COMPORTAMENTO TIPO HISTÓRICO ATUAL PADRÃO FIXO FIXO VARIÁVEL PESSOAL PESSOAL MATERIAIS GERAIS GERAIS EFICIÊNCIA

10 AGENDA II. EXPERIÊNCIA DAS SANTAS CASAS DE SÃO PAULO NA GESTÃO DE CUSTOS I. PERSPECTIVAS DA GESTÃO DA SAÚDE II. ABORDAGENS DE CUSTEIO III. EXPERIÊNCIA DAS SANTAS CASAS DE SÃO PAULO NA GESTÃO DE CUSTOS IV. AVANÇOS NO ÂMBITO DO PROCESSAMENTO E ANÁLISE DAS INFORMAÇÕES V. CONSIDERAÇÕES FINAIS

11 OBJETIVO Implantar a metodologia para Gestão Estratégica de Custos Hospitalares e sua utilização como ferramenta para controle das operações, tomada de decisões e avaliação dos preços dos serviços prestados.

12 ENTIDADES PARTICIPANTES 1. Fundação Civil Casa de Misericórdia de Franca 2. Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho 3. Santa Casa de Misericórdia de Dracena 4. Santa Casa de Misericórdia de Itapeva 5. Santa Casa de Misericórdia de Marília 6. Santa Casa de Misericórdia de Ourinhos 7. Santa Casa de Misericórdia de Palmital 8. Santa Casa de Misericórdia de Rio Claro 9. Santa Casa de Misericórdia de Votuporanga

13 ATIVIDADES E PRODUTOS DESENVOLVIDOS o Elaboração de estrutura de centros de custos adequada, com a devida classificação dos centros de custos em produtivos, auxiliares e administrativos. o Avaliação e adequação da metodologia e dos critérios de apropriação dos custos: fórmulas e métodos de rateio dos custos indiretos e dos centros auxiliares e administrativos. o Verificação e análise do plano de contas (itens de custos), bem como a classificação destes em fixos, variáveis ou mistos.

14 ATIVIDADES E PRODUTOS DESENVOLVIDOS o Reorganização do processo de coleta de dados, através da identificação da disponibilidade das informações, com orientações pertinentes a cada uma das fontes de coleta e fixação de cronograma para a geração dos dados solicitados. o Estabelecimento de parâmetros e indicadores (benchmarking) para comparação entre as instituições participantes. o Apresentação em reuniões periódicas ao grupo de instituições, permitindo a análise comparativa e a qualificação permanente dos profissionais envolvidos.

15 ATIVIDADES E PRODUTOS DESENVOLVIDOS o Apuração, avaliação e análise dos custos totais e unitários, de cada instituição, referentes ao ano de o Elaboração de relatórios gerenciais para cada instituição e comparativo das 9 instituições participantes. o Apuração, avaliação e análise dos custos de 25 procedimentos (13 cirúrgicos, 4 clínicos e 8 oncológicos). o Elaboração de relatório comparativo dos custos dos procedimentos entre as instituições participantes e com o valor de remuneração da tabela SUS.

16 COMPOSIÇÃO DOS CUSTOS

17 COMPOSIÇÃO DOS CUSTOS - ÁREAS DE GESTÃO

18 COMPORTAMENTO DOS CUSTOS

19 CUSTOS UNITÁRIOS UNIDADES DE INTERNAÇÃO Custo Médio Unitário Diária Ocupação REAL 66,2% R$ 234,05 (*) Custo Médio Unit. Diária (Ocupação 80%) = R$ 181,44 (*) (*) sem mat./med.

20 CUSTOS UNITÁRIOS UTIs Custo Médio Unitário Diária UTI Ocupação REAL 85,4% R$ 468,28 (*) Custo Médio Unitário Diária UTI Ocupação 80% R$ 485,33 (*) (*) sem mat./med.

21 CUSTOS UNITÁRIOS PRONTO SOCORRO/ATENDIMENTO e AMBULATÓRIOS Custo médio unitário Atendimento Pronto Socorro R$ 59,14 (*) variando de R$ 39,25 a R$ 90,00 Custo médio unitário Atendimento/Consulta Ambulatórios R$ 112,39 (*) variando de R$ 54,23 a R$ 274,00 (*) com mat./med.

22 CUSTOS UNITÁRIOS CENTRO CIRÚRGICO Custo médio unitário Hora de utilização de sala cirúrgica com mat/med R$ 732,46 Custo médio unitário Hora de utilização de sala cirúrgica sem mat/med R$ 526,87 Custo médio unitário Hora de utilização de sala cirúrgica sem mat/med e HM R$ 401,53

23 CUSTOS UNITÁRIOS SADTs Radiologia = R$ 21,47 Ultrassonografia = R$ 50,78 Tomografia = R$ 173,40 Lab. Anál. Clínicas =R$ 5,45 Fisioterapia = R$ 16,91

24 CUSTOS UNITÁRIOS SERVIÇOS AUXILIARES Lavanderia, Rouparia e Costura Custo Médio Kg de roupa Processada R$ 1,95 Limpeza Custo Médio m² limpo R$ 5,70 SND Custo Médio dia de refeições (5 ou 6) R$ 22,45

25 TABELA SUS X CUSTOS DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS Valor Total Custo Médio Variação MÉDIA COMPLEXIDADE Tabela SUS (Ocupação Real) (SUS -Santas Casas) % COLECISTECTOMIA 695, , ,84-156% COLECISTECTOMIA VIDEO 693, ,48-712,43-103% PARTO CESARIANO 545, ,23-825,50-151% APENDICECTOMIA 414, ,53-988,91-239% TRATAMENTO CIRÚRGICO DE VARIZES (BILATERAL) HERNIOPLASTIA INGUINAL / CRURAL (UNILATERAL) 582, ,96-525,92-90% 445,51 944,58-499,07-112% POSTECTOMIA 219,12 679,46-460,34-210% TRATAMENTO CIRÚRGICO DE FRATURA DA DIÁFISE DO FÊMUR TRATAMENTO CIRÚRGICO DE FRATURA TRANSTROCANTERIANA 972, , ,02-236% 972, , ,70-249%

26 TABELA SUS X CUSTOS DE PROCEDIMENTOS

27 TABELA SUS X CUSTOS DE PROCEDIMENTOS 10 PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS Valor Total Custo Médio Variação ALTA COMPLEXIDADE Tabela SUS (Ocupação Real) (SUS -Santas Casas) ANGIOPLASTIA CORONARIANA C/ IMPLANTE DE STENT 4.598, , ,95-23% % ARTROPLASTIA TOTAL PRIMÁRIA DO JOELHO REVASC. MIOCARDICA C/ USO DE EXTRACORPÓREA (C/ 2 OU MAIS ENXERTOS) CATETERISMO CARDIACO ADULTO 3.648, , ,13-55% 8.541, , ,78-38% 614,72 996,18-381,46-62%

28 TABELA SUS X CUSTOS DE PROCEDIMENTOS

29 TABELA SUS X CUSTOS DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS CLÍNICOS Valor Total Custo Médio Variação MÉDIA COMPLEXIDADE Tabela SUS (Ocupação Real) (SUS -Santas Casas) % TRATAMENTO DE PNEUMONIAS OU INFLUENZA (GRIPE) 582, , ,64-181% PARTO NORMAL 443, ,67-809,27-183% TRATAMENTO DE INSUFICIÊNCIA CARDÍACA TRATAMENTO DE ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL - AVC (ISQUEMICO OU HEMORRÁGICO AGUDO) 699, ,70-827,24-118% 463, , ,69-260%

30 TABELA SUS X CUSTOS DE PROCEDIMENTOS

31 TABELA SUS X CUSTOS DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS ONCOLÓGICOS GASTRECTOMIA COM OU SEM VAGOTOMIA GASTRECTOMIA TOTAL EM ONCOLOGIA MASTECTOMIA RADICAL COM LINFADENECTOMIA RECONSTRUÇÃO COM RETALHO MIOCUTANEO RESSECÇÃO ENDOSCOPICA DA PROSTATA RETOSSIGMOIDECTOMIA ABDOMINAL EM ONCOLOGIA TORACOSTOMIA COM DRENAGEM PLEURAL FECHADA RESSECÇÃO ENDOSCÓPICA DE TUMOR VESICAL EM ONCOLOGIA Valor Total Custo Médio Variação Tabela SUS (Ocupação Real) (SUS -Santas Casas) % 902, , ,29-271% 3.494, , ,45-89% 2.462, ,38 96,47 4% 3.359, , ,43 44% 594, ,14-649,46-109% 5.434, ,97-79,57-1% 1.029, ,13-754,69-73% 1.040, , ,05-114%

32 TABELA SUS X CUSTOS DE PROCEDIMENTOS

33 TABELA SUS X CUSTOS DE PROCEDIMENTOS o 96% dos custos dos procedimentos (ocupação 80%) é superior ao valor da tabela SUS. o Procedimentos Cirúrgicos Média Complexidade - variação média negativa em 142%. o Procedimentos Cirúrgicos Alta Complexidade - variação média negativa em 40%. o Procedimentos Clínicos Média Complexidade - variação média negativa em 159%. o Procedimentos Oncológicos - variação média negativa em 69%.

34 PRÓXIMOS PASSOS o Levantamento de mais procedimentos para apuração dos custos. o Aprimoramento dos Custos SND - cálculo peso conforme modelo, custo de cada tipo de refeição. o Aprimoramento dos Custos CME - cálculo peso conforme modelo, custo de cada tipo de volume esterilizado. o Aprimoramento dos Custos dos Exames - custo por tipo de exame. o Levantamento das receitas para apuração dos resultados por unidade de negócio.

35 III. AVANÇOS NO ÂMBITO DO PROCESSAMENTO E ANÁLISE DAS INFORMAÇÕES

36

37 IV. CONSIDERAÇÕES FINAIS

38 CENÁRIO EXIGE MENTE AMPLIADA DE GESTÃO PERSPECTIVA DA GESTÃO DA SAÚDE VISÃO INTERNA o GESTÃO DOS INVESTIMENTOS EM SAÚDE o GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS o APERFEIÇOAMENTO DOS MECANISMOS DE PAGAMENTO: Reivindicações ao SUS mais fundamentadas. Melhoria das Relações com a Saúde Suplementar

39 OBRIGADO! Afonso José de Matos Maria Beatriz Nunes Pires Eduardo Agostini João Romitelli Moema Rosa Paulo Milan Av. Paulista, andar Cjs. 1708/14 São Paulo/SP - Brasil Tel Site:

ACREDITA MINAS. João Romitelli 07/11/14

ACREDITA MINAS. João Romitelli 07/11/14 ACREDITA MINAS João Romitelli 07/11/14 AGENDA I. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA II. METODOLOGIA PARA GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS III. APRESENTAÇÃO DO PRODUTO HECOS APRESENTAÇÃO DA EMPRESA Atuação no mercado

Leia mais

PROJETO DE APERFEIÇOAMENTO DO MODELO DE REMUNERAÇÃO DE SERVIÇOS HOSPITALARES

PROJETO DE APERFEIÇOAMENTO DO MODELO DE REMUNERAÇÃO DE SERVIÇOS HOSPITALARES PROJETO DE APERFEIÇOAMENTO DO MODELO DE REMUNERAÇÃO DE SERVIÇOS HOSPITALARES ESCOPO DO PROJETO o PLANO E METODOLOGIA DE TRABALHO o DIAGNÓSTICO E ANÁLISE DO MIX DE PROCEDIMENTOS HOSPITALARES o FORMATAÇÃO

Leia mais

OBJETIVOS DA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

OBJETIVOS DA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Gestão Financeira O Principal: OBJETIVOS DA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Maximizar a riqueza dos proprietários da empresa (privado). Ou a maximização dos recursos (público). rentabilidade - retorno sobre o

Leia mais

O ESFORÇO PARA MELHORAR A QUALIDADE DA INFORMAÇÃO DE CUSTOS NAS INSTITUIÇÕES FILANTRÓPICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO

O ESFORÇO PARA MELHORAR A QUALIDADE DA INFORMAÇÃO DE CUSTOS NAS INSTITUIÇÕES FILANTRÓPICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO 1 O ESFORÇO PARA MELHORAR A QUALIDADE DA INFORMAÇÃO DE CUSTOS NAS INSTITUIÇÕES FILANTRÓPICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO Maria Fátima da Conceição - FEHOSP. 2 INTRODUÇÃO Os hospitais são organizações complexas

Leia mais

Remuneração Hospitalar. Modelo com Diária e Atendimento Semi-Global

Remuneração Hospitalar. Modelo com Diária e Atendimento Semi-Global Remuneração Hospitalar Modelo com Diária e Atendimento Semi-Global Sobre a Unimed Vitória UNIMED VITÓRIA / ES 310.000 CLIENTES, SENDO DESTES, 20.000 EM ATENÇÃO PRIMÁRIA; 2.380 MÉDICOS COOPERADOS; 208 PRESTADORES

Leia mais

Serviços de Saúde no Brasil e Articulação com a Indústria. José Carvalho de Noronha Secretário de Atenção à Saúde Ministério da Saúde

Serviços de Saúde no Brasil e Articulação com a Indústria. José Carvalho de Noronha Secretário de Atenção à Saúde Ministério da Saúde Serviços de Saúde no Brasil e Articulação com a Indústria José Carvalho de Noronha Secretário de Atenção à Saúde Ministério da Saúde Gastos em Saúde, Brasil, 2006 Gastos em Saúde, Brasil, 2006 (milhões

Leia mais

Sistemática para apuração de custos por procedimento médico-hospitalar

Sistemática para apuração de custos por procedimento médico-hospitalar Produção, v. xx, n. x, p. xx-xx, xxx/xxx, xxxx doi:./- Sistemática para apuração de custos por procedimento médico-hospitalar Maury Leoncine a *, Antonio Cezar Bornia b, Katia Abbas c a *maury_leoncine@yahoo.com.br,

Leia mais

SISTEMÁTICAS DE REMUNERAÇÃO DOS HOSPITAIS QUE ATUAM NA SAÚDE SUPLEMENTAR: PROCEDIMENTOS GERENCIADOS

SISTEMÁTICAS DE REMUNERAÇÃO DOS HOSPITAIS QUE ATUAM NA SAÚDE SUPLEMENTAR: PROCEDIMENTOS GERENCIADOS SISTEMÁTICAS DE REMUNERAÇÃO DOS HOSPITAIS QUE ATUAM NA SAÚDE SUPLEMENTAR: PROCEDIMENTOS GERENCIADOS GRUPO DE TRABALHO SOBRE REMUNERAÇÃO DOS HOSPITAIS REGRAS GERAIS Outubro de 2012 Associação Brasileira

Leia mais

Serviço de Controle Financeiro SAC Sistema de Apuração de Custos

Serviço de Controle Financeiro SAC Sistema de Apuração de Custos Universidade Federal de Santa Catarina Hospital Universitário Serviço de Controle Financeiro SAC Sistema de Apuração de Custos RELATÓRIO DE ANÁLISE DE CUSTOS MARÇO/2012 I Introdução Sabe-se que as empresas

Leia mais

Nutrição e dietética:

Nutrição e dietética: O sistema permite o cadastro de vários almoxarifados, e controla os estoques separadamente de cada um, bem como o cadastro de grupos de estocagem, visando o agrupamento dos insumos estocáveis, classificados

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA PLANILHA SIG SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS

ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA PLANILHA SIG SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA PLANILHA SIG SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS 1. ORIENTAÇÕES As planilhas possuem vínculos, portanto pedimos que NÃO INCLUAM E NEM EXCLUAM LINHAS, para que não tenhamos

Leia mais

PROCEDIMENTOS MÉDICOS GERENCIADOS

PROCEDIMENTOS MÉDICOS GERENCIADOS PROCEDIMENTOS MÉDICOS GERENCIADOS Apresentação Índice Prezado (a) Doutor (a), A fim de padronizar o atendimento de seus pacientes particulares pelo Hospital Santa Catarina, apresentamos a tabela de Procedimentos

Leia mais

PROCEDIMENTOS MÉDICOS GERENCIADOS

PROCEDIMENTOS MÉDICOS GERENCIADOS PROCEDIMENTOS MÉDICOS GERENCIADOS Apresentação Prezado (a) Doutor (a), A fim de padronizar o atendimento de seus pacientes particulares e agilizar a consulta aos preços praticados pelo Hospital Santa Catarina,

Leia mais

LISTA DE CIRURGIAS DATA PRE AGENDAMENTO ESPECIALIDADE Nº CODIGO PROCEDIMENTO SAME DN MUNICIPIO

LISTA DE CIRURGIAS DATA PRE AGENDAMENTO ESPECIALIDADE Nº CODIGO PROCEDIMENTO SAME DN MUNICIPIO CIRURGIA GERAL 1 401020045 EXCISAO E ENXERTO DE PELE (HEMANGIOMA, NEVUS OU TUMOR ) 11/11/09 309635 27/10/51 SANTO ANDRE CIRURGIA GERAL 2 401020045 EXCISAO E ENXERTO DE PELE (HEMANGIOMA, NEVUS OU TUMOR

Leia mais

Usando dados do mundo real para sustentabilidade econômica do SUS

Usando dados do mundo real para sustentabilidade econômica do SUS Usando dados do mundo real para sustentabilidade econômica do SUS PAULO VAZ - DIRETOR GERAL NEWBD Conflito de interesse: Diretor Geral da NewBD, empresa especializada na produção de estudos com uso de

Leia mais

Mais do que financiar empresas ajudamos a transformar grandes ideias em negócios ainda mais rentáveis, oferecendo crédito sustentável.

Mais do que financiar empresas ajudamos a transformar grandes ideias em negócios ainda mais rentáveis, oferecendo crédito sustentável. QUEM SOMOS A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo que promove o crescimento sustentável das pequenas e médias empresas e municípios paulistas. Nosso objetivo é colaborar

Leia mais

Programas de Qualificação dos Prestadores de Serviços - ANS

Programas de Qualificação dos Prestadores de Serviços - ANS Programas de Qualificação dos Prestadores de Serviços - ANS São Paulo - 18 de junho de 2013 GERPS/GGISE/DIDES/ANS Agenda Cenário Atual da Qualidade no Setor. Programas de Qualificação dos Prestadores de

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO SISTEMA PÚBLICO DE SAÚDE POR BENEFICIÁRIOS DA SAÚDE SUPLEMENTAR. Diretoria de Desenvolvimento Setorial

UTILIZAÇÃO DO SISTEMA PÚBLICO DE SAÚDE POR BENEFICIÁRIOS DA SAÚDE SUPLEMENTAR. Diretoria de Desenvolvimento Setorial UTILIZAÇÃO DO SISTEMA PÚBLICO DE SAÚDE POR BENEFICIÁRIOS DA SAÚDE SUPLEMENTAR Diretoria de Desenvolvimento Setorial Dezembro/2014 1 AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO SETORIAL

Leia mais

APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTE AO EXERCÍCIO DE 2012 E PROJETOS PARA 2013. IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO CARLOS

APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTE AO EXERCÍCIO DE 2012 E PROJETOS PARA 2013. IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO CARLOS IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO CARLOS APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTE AO EXERCÍCIO DE 2012 E PROJETOS PARA 2013. FINANCEIRO Feito por: Diego dos Santos CONTABILIDADE/CUSTOS

Leia mais

REDES DE ATENDIMENTO NO ESTADO DE SÃO PAULO

REDES DE ATENDIMENTO NO ESTADO DE SÃO PAULO REDES DE ATENDIMENTO NO ESTADO DE SÃO PAULO SANTA CASA SUSTENTÁVEL wpollara@saude.sp.gov.br 3% 97% Km 2 21% Estado de São Paulo 79% BRASIL 33% 67% $ São Paulo 44% da Alta Complexidade Do Brasil + 8.514.876

Leia mais

LISTA DE CIRURGIAS DATA PRE AGENDAMENTO ESPECIALIDADE Nº CODIGO PROCEDIMENTO SAME DN MUNICÍPIO

LISTA DE CIRURGIAS DATA PRE AGENDAMENTO ESPECIALIDADE Nº CODIGO PROCEDIMENTO SAME DN MUNICÍPIO CIRURGIA CABECA E PESCOCO 1 402010043 TIREOIDECTOMIA TOTAL 23/12/11 180863 06/11/50 MAUA CIRURGIA CABECA E PESCOCO 2 402010043 TIREOIDECTOMIA TOTAL 26/12/11 203470 08/03/45 SANTO ANDRE CIRURGIA CABECA

Leia mais

LISTA DE CIRURGIAS DATA PRE AGENDAMENTO ESPECIALIDADE Nº CODIGO PROCEDIMENTO SAME DN MUNICIPIO

LISTA DE CIRURGIAS DATA PRE AGENDAMENTO ESPECIALIDADE Nº CODIGO PROCEDIMENTO SAME DN MUNICIPIO CIRURGIA GERAL 1 401020045 EXCISAO E ENXERTO DE PELE (HEMANGIOMA, NEVUS OU TUMOR ) 11/11/09 309635 27/10/51 SANTO ANDRE CIRURGIA GERAL 2 401020045 EXCISAO E ENXERTO DE PELE (HEMANGIOMA, NEVUS OU TUMOR

Leia mais

O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE:

O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE: PORTARIA N 42/MS/SAS DE 17 DE MARÇO DE 1994 O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE: 1. Estabelecer os procedimentos de Alta Complexidade da área de Ortopedia. constantes

Leia mais

RELATÓRIO CIRCUNSTANCIADO DE ATIVIDADES - EXERCÍCIO DE 2012

RELATÓRIO CIRCUNSTANCIADO DE ATIVIDADES - EXERCÍCIO DE 2012 RELATÓRIO CIRCUNSTANCIADO DE ATIVIDADES - EXERCÍCIO DE 2012 APRESENTAÇÃO Estatutariamente, a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Garça é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins econômicos

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31587 de 18/01/2010

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31587 de 18/01/2010 DIÁRIO OFICIAL Nº. 31587 de 18/01/2010 SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO INSTITUTO DE ASSISTÊNCIA AOS SERVIDORES DO ESTADO Republicação da resolução n 04 de 21 de dezembro de 2009 Número de Publicação:

Leia mais

Fixação de padrões na atividade hospitalar

Fixação de padrões na atividade hospitalar Fixação de padrões na atividade hospitalar Valdinei Machado Guimaraes (Universidade Regional de Blumenau FURB SC- Brasil) valdinei.guimaraes@uol.com.br Magnus Amaral Costa (Universidade Regional de Blumenau

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento

Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento 1 Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento I Congresso Informação de Custos e Qualidade do Gasto no Setor Público Oficina II Informação de Custo para

Leia mais

ANEXO I Descrição dos Cargos

ANEXO I Descrição dos Cargos ANEXO I Descrição dos Cargos DESCRIÇÃO: 1. - Auxiliar de Enfermagem: Prestar cuidados diretos de enfermagem ao paciente, por delegação e sob a supervisão do enfermeiro e do médico. Administrar medicação

Leia mais

TABELA SUS: uma avaliação do CRMMG

TABELA SUS: uma avaliação do CRMMG Debate: o reajuste da Tabela SUS aplicável aos hospitais filantrópicos 31 de março de 2015 TABELA SUS: uma avaliação do CRMMG Cons. Fábio Augusto Guerra CRMMG A Portaria nº 321/GM, de 8 de fevereiro de

Leia mais

MENSURANDO OS CUSTOS EM SAÚDE APERFEIÇOAMENTO DA GESTÃO ASSISTENCIAL E DO MODELO DE REMUNERAÇÃO DOS PROVEDORES DE SERVIÇOS HOSPITALARES

MENSURANDO OS CUSTOS EM SAÚDE APERFEIÇOAMENTO DA GESTÃO ASSISTENCIAL E DO MODELO DE REMUNERAÇÃO DOS PROVEDORES DE SERVIÇOS HOSPITALARES APERFEIÇOAMENTO DA GESTÃO ASSISTENCIAL E MENSURANDO OS CUSTOS EM DO MODELO DE REMUNERAÇÃO DOS SAÚDE PROVEDORES DE SERVIÇOS HOSPITALARES Sérgio Lopez Bento 07.11.2014 R econhecimento de uma H istória de

Leia mais

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 001/2016

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 001/2016 RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 001/2016 A Diretoria Administrativa do Consórcio Público Intermunicipal de Saúde do Norte Pioneiro - CISNORPI, no uso de suas atribuições legais, resolve: Regulamentar o Credenciamento

Leia mais

LISTA DE CIRURGIAS DATA PRE AGENDAMENTO ESPECIALIDADE Nº CODIGO PROCEDIMENTO SAME DN MUNICIPIO

LISTA DE CIRURGIAS DATA PRE AGENDAMENTO ESPECIALIDADE Nº CODIGO PROCEDIMENTO SAME DN MUNICIPIO CIRURGIA CABECA E PESCOCO 1 412010038 COLOC DE PROT LARINGO-TRAQ, TRAQ, TRAQUEO-BRONQ, BRONQ POR VIA ENDOSC (INCLUI PROTESE) 06/04/15 173277 15/12/77 MAUA CIRURGIA GERAL 1 401020045 EXCISAO E ENXERTO DE

Leia mais

Nº / ANO DA PROPOSTA: 022985/2011 DADOS DO CONCEDENTE OBJETO: Aquisição de Equipamentos e Material Permanente para a Santa Casa de Marília.

Nº / ANO DA PROPOSTA: 022985/2011 DADOS DO CONCEDENTE OBJETO: Aquisição de Equipamentos e Material Permanente para a Santa Casa de Marília. MINISTERIO DA SAUDE PORTAL DOS CONVÊNIOS SICONV - SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIOS Nº / ANO DA PROPOSTA: 022985/2011 OBJETO: DADOS DO CONCEDENTE Aquisição de Equipamentos e Material Permanente para a Santa

Leia mais

Relatório emitido em 17/03/2015 10:41:08

Relatório emitido em 17/03/2015 10:41:08 MINISTERIO DA SAUDE PORTAL DOS CONVÊNIOS SICONV - SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIOS Nº / ANO DA PROPOSTA: 099186/2013 OBJETO: DADOS DO CONCEDENTE AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTO E MATERIAL PERMANENTE PARA UNIDADE

Leia mais

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES.

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES. MAPA AUDITÓRIO ÓPERA DE ARAME (200 LUGARES) DOMINGO 02 DE AGOSTO DE 2015. 8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:00 8:15 TEMA LIVRE SELECIONADO. 8:15 8:30 TEMA LIVRE SELECIONADO.

Leia mais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais O Modelo de Gestão FHEMIG e a Prestação de Contas ao Paciente: a implantação do sistema de custos hospitalares e o uso da informação de custos como ferramenta gerencial da transparência do gasto público

Leia mais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais O Modelo de Gestão FHEMIG e a Prestação de Contas ao Paciente: a implantação do sistema de custos hospitalares e o uso da informação de custos como ferramenta gerencial da transparência do gasto público

Leia mais

Aplicabilidade das Data: FMEA Falta de Energia Elétrica. 3º SEPAGE - Coren-SP 22/07/2011

Aplicabilidade das Data: FMEA Falta de Energia Elétrica. 3º SEPAGE - Coren-SP 22/07/2011 Aplicabilidade das Ferramentas Título da da Palestra: Qualidade Data: FMEA Falta de Energia Elétrica 3º SEPAGE - Coren-SP 22/07/2011 História dos Riscos Construção do Empire State 1930 102 andares Cenário

Leia mais

DIÁRIA POR INTERNAÇÃO HOSPITALAR DIH 692 - DIH 693 (PROC. SUSEP Nº 15414.004510/2012-11) da Capemisa Seguradora de Vida e Previdência S/A

DIÁRIA POR INTERNAÇÃO HOSPITALAR DIH 692 - DIH 693 (PROC. SUSEP Nº 15414.004510/2012-11) da Capemisa Seguradora de Vida e Previdência S/A DIÁRIA POR INTERNAÇÃO HOSPITALAR DIH 692 - DIH 693 (PROC. SUSEP Nº 15414.004510/2012-11) da Capemisa Seguradora de Vida e Previdência S/A CONDIÇÃO ESPECIAL DA GARANTIA BÁSICA DE DIÁRIA POR INTERNAÇÃO HOSPITALAR

Leia mais

EM ENFERMAGEM PROF. DRA. SARAH MUNHOZ ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM CONSULTORA PHILIPS HEALTH CRITICAL CARE

EM ENFERMAGEM PROF. DRA. SARAH MUNHOZ ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM CONSULTORA PHILIPS HEALTH CRITICAL CARE SEMINÁRIO PAULISTA DE GESTÃO EM ENFERMAGEM PROF. DRA. SARAH MUNHOZ ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM CONSULTORA PHILIPS HEALTH CRITICAL CARE SUS Do ponto de vista de negócios Organizações/Saúde podem

Leia mais

COPARTICIPAÇÃO MÉDICA E MELHORIAS NA. Clique para editar os estilos do texto mestre ASSISTÊNCIA

COPARTICIPAÇÃO MÉDICA E MELHORIAS NA. Clique para editar os estilos do texto mestre ASSISTÊNCIA COPARTICIPAÇÃO MÉDICA E MELHORIAS NA ASSISTÊNCIA JULHO/2013 REDE DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE Aumento da Rede credenciada MÊS DE REFERÊNCIA Dez/11 Dez/12 CLINICA 508 653 CLINICA ODONTOLÓGICA 42 41 HOSPITAL 161

Leia mais

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA LORENA - SP Curso: Enfermagem Disciplina: Enfermagem Cirurgica Ano letivo 2011 Série 3º Carga Horária Total 108 h/a T 54 h/a P 54 h/a Professora: Fabiola Vieira Cunha

Leia mais

Rede de Cardiologia de Alta Complexidade do Estado do Rio de Janeiro

Rede de Cardiologia de Alta Complexidade do Estado do Rio de Janeiro Parâmetros para quantitativos de habilitações por tipo de serviço Serviços Parâmetros Nº máximo de unidades Quantitativo atual Cirurgia 1:600.000/Portaria 210 26 20 Cardiovascular Cirurgia Pediátrica 1:800.000/Portaria

Leia mais

RESOLUÇÃO CIB Nº 265/2012

RESOLUÇÃO CIB Nº 265/2012 RESOLUÇÃO CIB Nº 265/2012 Aprova a Tabela de Valores Diferenciados da Tabela Unificada do SUS para Procedimentos Cirúrgicos Eletivos referentes à Portaria GM/MS Nº 1.340 de 29 de junho de 2012, no âmbito

Leia mais

MS/DATASUS 24/04/2015 15:00:39 M330455001

MS/DATASUS 24/04/2015 15:00:39 M330455001 24/04/2015 15:00:39 Gestor: - Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro Página: 1 Estabelecimento: 2269341 SMS HOSPITAL MUNICIPAL JESUS AP 22 3315101123851 0403010101 DERIVACAO VENTRICULAR PARA PERITONEO

Leia mais

Manual Específico Unimed-Rio - TISS

Manual Específico Unimed-Rio - TISS UNIME D-RIO Manual Específico Unimed-Rio - TISS Área de Relacionamento com Hospitais Rio 2 PADRONIZAÇÃO DOS NOVOS FORMULÁRIOS QUE SERÃO UTILIZADOS PELOS PRESTADORES PARA ENVIO PARA A UNIMED-RIO. Estes documentos

Leia mais

OBJETIVOS GERAIS OBJETIVOS ESPECÍFICOS

OBJETIVOS GERAIS OBJETIVOS ESPECÍFICOS OBJETIVOS GERAIS O Programa de Residência Médica opcional de Videolaparoscopia em Cirurgia do Aparelho Digestivo (PRMCAD) representa modalidade de ensino de Pós Graduação visando ao aperfeiçoamento ético,

Leia mais

II Forum PLANISA de Gestão da Saúde. Como o Hospital Mãe de Deus usa o Planejamento Estratégico como ferramenta de Gestão

II Forum PLANISA de Gestão da Saúde. Como o Hospital Mãe de Deus usa o Planejamento Estratégico como ferramenta de Gestão II Forum PLANISA de Gestão da Saúde Como o Hospital Mãe de Deus usa o Planejamento Estratégico como ferramenta de Gestão HOSPITAL MÃE DE DEUS 380 leitos 2.234 funcionários 68.000 m 2 - área construída

Leia mais

MS/DATASUS 23/05/2012 10:23:44 E430000001

MS/DATASUS 23/05/2012 10:23:44 E430000001 23/05/2012 10:23:44 Gestor: - Secretaria Estadual da Saúde do Estado do Rio Grande do Sul Página: 1 PASSO FUNDO COMPLEXIDADE: MEDIA COMPLEXIDADE FINANCIAMENTO: Fundo de Ações Estratégicas e TIPO FINANC:

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014 Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social Entidade: Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil Endereço: Rua Antônio Miguel Pereira

Leia mais

XXVII Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS RUE

XXVII Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS RUE XXVII Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS RUE Marcos Calvo Secretário de Saúde de Santos A organização da Rede de Atenção às Urgências

Leia mais

MS/DATASUS 26/09/2011 12:52:37 M330455001

MS/DATASUS 26/09/2011 12:52:37 M330455001 26/09/2011 12:52:37 Página: 1 COMPLEXIDADE: MEDIA COMPLEXIDADE FINANCIAMENTO: Fundo de Ações Estratégicas e TIPO FINANC: Central Nacional de Estabelecimento: 2273276 MS INTO INSTITUTO NACIONAL DE TRAUMATOLOGIA

Leia mais

Doenças Crônicas. uma nova transição. Paulo A. Lotufo. FMUSP Coordenador do Centro de Pesquisa Clínica e Epidemiológica da USP

Doenças Crônicas. uma nova transição. Paulo A. Lotufo. FMUSP Coordenador do Centro de Pesquisa Clínica e Epidemiológica da USP Doenças Crônicas uma nova transição Paulo A. Lotufo Professor Titular de Clínica Médica FMUSP Coordenador do Centro de Pesquisa Clínica e Epidemiológica da USP esclarecimentos O termo doença crônica pode

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Noções de Engenharia de Produção

Curso de Engenharia de Produção. Noções de Engenharia de Produção Curso de Engenharia de Produção Noções de Engenharia de Produção - Era mercantilista: Receita (-) Custo das mercadorias vendidas (comprada de artesãos) = Lucro Bruto (-) Despesas = Lucro Líquido - Empresas

Leia mais

Secretaria da Administração do Estado da Bahia

Secretaria da Administração do Estado da Bahia ELABORAÇÃO REFERENCIAL PROCEDIMENTO: CIRURGIA TORÁCICA OUT/2008 GOVERNADOR DO ESTADO JAQUES WAGNER SECRETÁRIO DA ADMINISTRAÇÃO MANOEL VITÓRIO DA SILVA FILHO REALIZAÇÃO COORDENADOR GERAL SONIA MAGNÓLIA

Leia mais

Humberto Façanha Rosa Prestes

Humberto Façanha Rosa Prestes Cálculo dos custos e análise da rentabilidade em laboratórios clínicos Modelo CUSTO CERTO Humberto Façanha Rosa Prestes 6/10/2008 1 Perguntas que o gestor do laboratório deve responder: Quanto custa cada

Leia mais

Solicitações de Liberação - BLOQUEADAS Competência: 09/2015

Solicitações de Liberação - BLOQUEADAS Competência: 09/2015 Página: 1 ADEMIR QUERINO Nascimento: 02/02/1953 Especialidade: 03 AIH: 421510304139-1 Prontuário: 000000000 Internação: 10/08/2015 Saída: 10/08/2015 Proc. Solicitado:030307012-9 TRATAMENTO DE TRANSTORNOS

Leia mais

SulAmérica Saúde. Rede Referenciada 445 / GRUPAL GLOBAL TRAD ADAPTADO / ESPECIAL RN - MOSSORO. Saúde. sulamerica.com.br

SulAmérica Saúde. Rede Referenciada 445 / GRUPAL GLOBAL TRAD ADAPTADO / ESPECIAL RN - MOSSORO. Saúde. sulamerica.com.br SulAmérica Saúde Rede Referenciada 445 / GRUPAL GLOBAL TRAD ADAPTADO / ESPECIAL RN - MOSSORO Saúde Este documento foi gerado eletronicamente através do site sulamerica.com.br/saudeonline na data 03/03/2011

Leia mais

EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO MULTIPROFISSIONAL SEGUNDO SEMESTRE DE 2015.

EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO MULTIPROFISSIONAL SEGUNDO SEMESTRE DE 2015. EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO MULTIPROFISSIONAL SEGUNDO SEMESTRE DE 2015. O torna público o Edital para os cursos de Aperfeiçoamento Multiprofissional, segundo semestre

Leia mais

IX ENCONTRO DA ABCP. Nome da Área Temática: Estado e Políticas Públicas

IX ENCONTRO DA ABCP. Nome da Área Temática: Estado e Políticas Públicas IX ENCONTRO DA ABCP Nome da Área Temática: Estado e Políticas Públicas GESTÃO DE CUSTOS EM HOSPITAIS: MAPEAMENTO NACIONAL DAS UNIDADES CONVENIADAS AO SUS Maria Cristina Lima de Melo Universidade de São

Leia mais

Qualificação e Remuneração de Prestadores. Ary Ribeiro MD; PhD

Qualificação e Remuneração de Prestadores. Ary Ribeiro MD; PhD Qualificação e Remuneração de Prestadores Ary Ribeiro MD; PhD Faz-se necessário reformar o modelo de remuneração dos prestadores hospitalares na saúde suplementar brasileira? Sim, pois o atual modelo,

Leia mais

Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP

Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP 2 ª Reunião do GT de Indicadores Hospitalares 09/04/2012 GERPS/GGISE/DIDES/ANS Agenda Comparação

Leia mais

Resolução CNRM Nº 02, de 20 de agosto de 2007

Resolução CNRM Nº 02, de 20 de agosto de 2007 Resolução CNRM Nº 02, de 20 de agosto de 2007 Dispõe sobre a duração e o conteúdo programático da Residência Médica de Cirurgia da Mão O PRESIDENTE DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA, no uso das

Leia mais

II Seminário de Gestão do Corpo Clínico Experiências e modelos para gestão do corpo clínico

II Seminário de Gestão do Corpo Clínico Experiências e modelos para gestão do corpo clínico II Seminário de Gestão do Corpo Clínico Experiências e modelos para gestão do corpo clínico Fundação São Francisco Xavier Instituída em 1969 pela Usiminas Fundação de Direito Privado, sem fins lucrativos

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA Quando da apresentação de protocolos, manual de normas e rotinas, procedimento operacional padrão (POP) e/ou outros documentos,

Leia mais

Processo Seletivo 2016.2 GABARITO DEFINITIVO

Processo Seletivo 2016.2 GABARITO DEFINITIVO CARGO: TÉCNICO EM ENFERMAGEM - CENTRO CIRÚRGICO - CME 1) 04 16) 01 26) 03 2) 02 17) 02 27) 02 3) 01 18) 01 28) 05 4) 05 19) 04 29) 05 5) 04 20) 05 30) 01 6) 02 21) 04 31) 01 7) 01 22) 02 32) 03 8) 01 23)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇAO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇAO EM ADMINISTRAÇAO CURSO DE ESPECIALIZAÇAO EM GESTAO EM SAÚDE Cristina Varisco COMPARAÇÃO ENTRE OS CUSTOS DO SERVIÇO

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS EM RADIOLOGIA INTERVENCIONISTA E CIRURGIA ENDOVASCULAR

PADRONIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS EM RADIOLOGIA INTERVENCIONISTA E CIRURGIA ENDOVASCULAR PADRONIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS EM RADIOLOGIA INTERVENCIONISTA E CIRURGIA ENDOVASCULAR Sociedade Brasileira de Radiologia Intervencionista e Cirurgia Endovascular SoBRICE Colégio Brasileiro de Radiologia

Leia mais

A segurança do paciente como um valor para os hospitais privados: a experiência dos hospitais da ANAHP. Laura Schiesari Diretora Técnica

A segurança do paciente como um valor para os hospitais privados: a experiência dos hospitais da ANAHP. Laura Schiesari Diretora Técnica A segurança do paciente como um valor para os hospitais privados: a experiência dos hospitais da ANAHP Laura Schiesari Diretora Técnica AGENDA I. A ANAHP II. Melhores Práticas Assistenciais III. Monitoramento

Leia mais

Dados das Internações Sobrepostas ou Próximas (obtidas a partir de todas as internações no estado)

Dados das Internações Sobrepostas ou Próximas (obtidas a partir de todas as internações no estado) 09/11/2015 07:40:05 Internação Sobreposta (Estado) - BLOQUEADAS Página: 1 Número CNS: 160363918550009 Paciente: DIANA APARECIDA LIDANI Nascimento: 09/10/1994 Sexo: F AIH: 4215103740529 Prontuário:0000000000014

Leia mais

02 DE AGOSTO DE 2015 (DOMINGO)

02 DE AGOSTO DE 2015 (DOMINGO) 02 DE AGOSTO DE 2015 (DOMINGO) Horário Programação 8:00: 08:30 Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. Procedimentos Robóticos em Cirurgia abdominal 8:45-9:00 Cirurgia Robótica das afecções do

Leia mais

ADENDO MODIFICADOR DO EDITAL N.º 13/2015-IEP/HCB

ADENDO MODIFICADOR DO EDITAL N.º 13/2015-IEP/HCB ADENDO MODIFICADOR DO EDITAL N.º 13/2015-IEP/HCB Por este instrumento o Conselho de Pós-Graduação (CPG) do Programa de Pós-Graduação em Oncologia do Hospital de Câncer de Barretos Fundação Pio XII, torna

Leia mais

FUNDAÇÃO SERVIÇOS DE SAÚDE DE NOVA ANDRADINA FUNSAU-NA HRNA - HOSPITAL REGIONAL DE NOVA ANDRADINA DR. FRANCISCO DANTAS MANIÇOBA

FUNDAÇÃO SERVIÇOS DE SAÚDE DE NOVA ANDRADINA FUNSAU-NA HRNA - HOSPITAL REGIONAL DE NOVA ANDRADINA DR. FRANCISCO DANTAS MANIÇOBA FUNDAÇÃO SERVIÇOS DE SAÚDE DE NOVA ANDRADINA FUNSAU-NA HRNA - HOSPITAL REGIONAL DE NOVA ANDRADINA DR. FRANCISCO DANTAS MANIÇOBA 38ª REUNIÃO CONSELHO CURADOR RELATÓRIO DE GESTÃO DE OUTUBRO DE 2015 FUNDAÇÃO

Leia mais

Comparando a saúde no Brasil com os países da OCDE: Minerando Dados de Saúde Pública. Anexos

Comparando a saúde no Brasil com os países da OCDE: Minerando Dados de Saúde Pública. Anexos Cecília Pessanha Lima Comparando a saúde no Brasil com os países da OCDE: Minerando Dados de Saúde Pública Anexos Mestrado em Modelagem Matemática da Informação EMAP - Escola de Matemática Aplicada FGV

Leia mais

ÍNDICE. Foto: João Borges. 2 Hospital Universitário Cajuru - 100% SUS

ÍNDICE. Foto: João Borges. 2 Hospital Universitário Cajuru - 100% SUS ÍNDICE Apresentação...03 Hospital Universitário Cajuru...04 Estrutura...04 Especialidades Atendidas...05 Diferenças entre atendimento de urgência, emergência e eletivo...06 Protocolo de Atendimento...07

Leia mais

ESTADO: CEP: TELEFONE: FAX: DIRETOR TÉCNICO:

ESTADO: CEP: TELEFONE: FAX: DIRETOR TÉCNICO: ANEXO I FORMULÁRIO PARA VISTORIA DO GESTOR NORMAS DE CLASSIFICAÇÃO E HABILITAÇÃO DE CENTRO DE ATENDIMENTO DE URGÊNCIA TIPO I AOS PACIENTES COM AVC (deve ser preenchido e assinado pelo Gestor) (esse formulário

Leia mais

II Seminário de Hospitais de Ensino do Estado de São Paulo

II Seminário de Hospitais de Ensino do Estado de São Paulo II Seminário de Hospitais de Ensino do Estado de São Paulo Conhecendo o Grupo 18 COLÉGIOS - PR / SC / RJ / SP/ RS 1 HOSPITAL UNIVERSITÁRIO - HUSF FUNCLAR FUNDAÇÃO CLARA DE ASSIS UNIFAG UNIDADE DE PESQUISA

Leia mais

SulAmérica Saúde. Rede Referenciada 557 / PME AMB HOSP C OBST ADAPTADO / EXATO SP - PRAIA GRANDE. Saúde. sulamerica.com.br

SulAmérica Saúde. Rede Referenciada 557 / PME AMB HOSP C OBST ADAPTADO / EXATO SP - PRAIA GRANDE. Saúde. sulamerica.com.br SulAmérica Saúde Rede Referenciada 557 / PME AMB HOSP C OBST ADAPTADO / EXATO SP - PRAIA GRANDE Saúde Este documento foi gerado eletronicamente através do site sulamerica.com.br/saudeonline na data 15/05/2014

Leia mais

A Omint dispõe de planos Hospitalares e Odontológicos cujas condições poderão ser apresentadas sob consulta.

A Omint dispõe de planos Hospitalares e Odontológicos cujas condições poderão ser apresentadas sob consulta. 1 Planos Omint Completo C19 C20 C21 C22 C23 Cobertura ambulatorial, hospitalar e obstétrica, incluindo pré-natal, na rede credenciada Omint e Skill ou pelo sistema de livre escolha, através de reembolso

Leia mais

Perguntas Frequentes 1. Quais são os principais benefícios deste seguro? 2. Quem pode adquirir este seguro?

Perguntas Frequentes 1. Quais são os principais benefícios deste seguro? 2. Quem pode adquirir este seguro? Perguntas Frequentes 1. Quais são os principais benefícios deste seguro? Este seguro garante a quitação das parcelas em aberto (apurado a partir da 3ª parcela) de apólice do seguro Zurich Automóvel, caso

Leia mais

Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN

Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN DIMENSIONAMENTO DE SERVIÇOS ASSISTENCIAIS E DA GERÊNCIA DE ENSINO E PESQUISA BRASÍLIA-DF, 27 DE MARÇO DE 2013. Página 1 de 20 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 3 1.1.

Leia mais

Custos para Tomada de Decisões. Terminologia e Conceitos: comportamento dos custos, ponto de equilíbrio e margem de contribuição

Custos para Tomada de Decisões. Terminologia e Conceitos: comportamento dos custos, ponto de equilíbrio e margem de contribuição Custos para Tomada de Decisões Terminologia e Conceitos: comportamento dos custos, ponto de equilíbrio e margem de contribuição Exemplo Planilha de Custos Quantidade Vendida 10.000 12.000 Item de Custo

Leia mais

Gestão do Corpo Clínico Avaliação da Prática Médica Baseada em Evidências Antonio Antonietto agosto 2012

Gestão do Corpo Clínico Avaliação da Prática Médica Baseada em Evidências Antonio Antonietto agosto 2012 Gestão do Corpo Clínico Avaliação da Prática Médica Baseada em Evidências Antonio Antonietto agosto 2012 antonio.antonietto@hsl.org.br Até meados dos anos 70 - hospitais universitários ou de organizações

Leia mais

CIRURGIA ONCOLÓGICA, GERAL E COLOPROCTOLÓGICA

CIRURGIA ONCOLÓGICA, GERAL E COLOPROCTOLÓGICA 2012 VALORES REFERENCIAIS CIRURGIA ONCOLÓGICA, GERAL E COLOPROCTOLÓGICA VALOR REFERENCIAL PROCEDIMENTO: CIRURGIA ONCOLÓGICA, GERAL E COLOPROCTOLÓGICA SETEMBRO / 2012 2 GOVERNADOR DO ESTADO JAQUES WAGNER

Leia mais

Edição 03/08. Apresentações: Nome Cidade Nome do Hospital Atividade desenvolvida Tempo de experiência profissional

Edição 03/08. Apresentações: Nome Cidade Nome do Hospital Atividade desenvolvida Tempo de experiência profissional Edição 03/08 Seminário Kaizen Apresentações: Nome Cidade Nome do Hospital Atividade desenvolvida Tempo de experiência profissional 1 Cronograma do Seminário Kaizen O que? Apresentação do Projeto Mais Gestão

Leia mais

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE INTERNAÇÃO (11) 4414-6072. Horário de Funcionamento: De 2ª a 6ª: das 6h às 22h Sábados e feriados: das 7h às 19h

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE INTERNAÇÃO (11) 4414-6072. Horário de Funcionamento: De 2ª a 6ª: das 6h às 22h Sábados e feriados: das 7h às 19h O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE INTERNAÇÃO Tel.: (11) 4414-6000 - Ramal: 6420 (11) 4414-6072 Horário de Funcionamento: De 2ª a 6ª: das 6h às 22h Sábados e feriados: das 7h às 19h Seja bem-vindo ao nosso

Leia mais

REVISÃO: Diretoria Hospital João XXIII; Gerência de enfermagem: Gerência do bloco cirúrgico; Coordenação urgência e emergência DATA: 07/01/2013

REVISÃO: Diretoria Hospital João XXIII; Gerência de enfermagem: Gerência do bloco cirúrgico; Coordenação urgência e emergência DATA: 07/01/2013 Hospital João XXIII Plano Atendimento a Desastres Hospital João XXIII TÍTULO: Plano de Atendimento a Desastres Hospital João XXIII PALAVRAS-CHAVE: Desastres, Crise, e PS ELABORAÇÃO: Diretoria Hospital

Leia mais

Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Banco de Tecidos Salvador Arena BANCO DE TECIDOS MÚSCULO-ESQUELÉTICOS Nº SNT 35205 SP 17

Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Banco de Tecidos Salvador Arena BANCO DE TECIDOS MÚSCULO-ESQUELÉTICOS Nº SNT 35205 SP 17 Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo BANCO DE TECIDOS MÚSCULO-ESQUELÉTICOS Nº SNT 35205 SP 17 ORIENTAÇÕES PARA CREDENCIAMENTO DE ESTABELECIMENTO PARA TRANSPLANTES Formular o processo de

Leia mais

Este plano possui cobertura médica em todo o Brasil para urgência e emergência na forma de reembolso. Ubatuba

Este plano possui cobertura médica em todo o Brasil para urgência e emergência na forma de reembolso. Ubatuba Este plano possui cobertura médica em todo o Brasil para urgência e emergência na forma de reembolso. Veja onde estão localizados os Núcleos de Atendimento Unimed Fácil: De segunda a sexta-feira, das 8h

Leia mais

Frequência de internação nos hospitais do SUS-BH, por causa básica, em menores de 1 ano, residentes em Belo Horizonte, 1996-1999.

Frequência de internação nos hospitais do SUS-BH, por causa básica, em menores de 1 ano, residentes em Belo Horizonte, 1996-1999. Frequência de internação nos hospitais do SUS-BH, por causa básica, em menores de 1 ano, residentes em Belo Horizonte, 1996-1999. Broncopneumonia não especificada 3388 2564 1637 1734 Diarréia e gastroenterite

Leia mais

Manual de Orientação ao Cliente

Manual de Orientação ao Cliente Manual de Orientação ao Cliente Prezado Cliente O Hospital IGESP reúne em um moderno complexo hospitalar, os mais avançados recursos tecnológicos e a excelência na qualidade do atendimento prestado por

Leia mais

Processo Seletivo 2015.1

Processo Seletivo 2015.1 Processo Seletivo 2015.1 Edital 1. O Curso 2. Hospitais Sedes 3. Das Inscrições 4. Das vagas e seleção 5. Prova escrita / Entrevista 6. Apresentação do Programa 7. Requesitos para inscrição 8. Cronograma

Leia mais

Curso Anual de Revisão em Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista SBHCI 2011

Curso Anual de Revisão em Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista SBHCI 2011 Curso Anual de Revisão em Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista SBHCI 2011 A remuneração do intervencionista: a realidade do SUS e da saúde suplementar Adriano Dias Dourado Oliveira Cardiologista

Leia mais

Novos Credenciados. Economus Instituto de Seguridade Social

Novos Credenciados. Economus Instituto de Seguridade Social Novos Credenciados NOME NOME FANTASIA ESPECIALIDADE CREDENCIAMENTO CIDADE MARIO VIOTTI CAMPOS MARIO VIOTTI CAMPOS ANGIOLOGIA/ CIRURGIA VASCULAR JANEIRO/2015 PRESIDENTE PRUDENTE MARIO VIOTTI CAMPOS MARIO

Leia mais

RESUMO. Autoria: Domingos Fernandes Campos, Isabel Cristina Pansiera Marques

RESUMO. Autoria: Domingos Fernandes Campos, Isabel Cristina Pansiera Marques Custeamento ABC numa Organização Hospitalar Privada: Um Estudo Comparativo do Custo de Cirurgias Eletivas com os Valores Reembolsados pelos Planos de Saúde RESUMO Autoria: Domingos Fernandes Campos, Isabel

Leia mais

PLANO DE SAÚDE PARA OS SERVIDORES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE

PLANO DE SAÚDE PARA OS SERVIDORES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE PLANO DE SAÚDE PARA OS SERVIDORES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE Bem-vindo a Unimed-BH Mais de 39 anos de mercado Mais de 4.800 cooperados com 93% de avaliação positiva com a Unimed-BH* Mais

Leia mais

PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM. Santa Maria, 06 de Junho de 2013.

PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM. Santa Maria, 06 de Junho de 2013. PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM Santa Maria, 06 de Junho de 2013. INTRODUÇÃO Trata-se de uma proposta de Plano de Saúde no sistema de pré-pagamento para atender os associados da ASSUFSM de Santa Maria/RS,

Leia mais

Manual Ilustrado Gestão de Custos

Manual Ilustrado Gestão de Custos Manual Ilustrado Gestão de Custos Setembro - 2014 Índice 1. Objetivos... 4 2. Introdução... 4 3. Ambientação... 5 3.1. Tela de Pesquisa... 5 4. Cadastros... 7 4.1. Critérios de Rateio... 7 4.1.1. Cadastrando

Leia mais