Publicação Trimestral do Centro de Quimioterapia Antiblástica e Imunoterapia - Ano 1 - N 1-1º Trimestre 2012

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Publicação Trimestral do Centro de Quimioterapia Antiblástica e Imunoterapia - Ano 1 - N 1-1º Trimestre 2012"

Transcrição

1 Publicação Trimestral do Centro de Quimioterapia Antiblástica e Imunoterapia - Ano 1 - N 1-1º Trimestre 2012 Nossa história Há 30 anos, o CQAI investiu em muito trabalho e pesquisa, diferenciando-se pelo pioneirismo e pela equipe multidisciplinar. Estudo de Caso Especialista do CQAI, relata os avanços no tratamento da mama. Pág. 6 Solidariedade Projeto ConheSer aproximam casais na luta contra o câncer. Pág. 8 1

2 Editorial Educação Permanente Lançar a primeira edição do Jornal CQAI Notícias é motivo de muito orgulho para a equipe do Centro de Quimioterapia. Este jornal representa o canal de comunicação por meio do qual vamos registrar todas as nossas realizações e projetos que queremos compartilhar com médicos, novos e ex-residentes, convênios, e, sobretudo, nossos clientes e a comunidade. A cada edição, o leitor irá encontrar um espaço dedicado a discussões de casos clínicos, publicação de artigos produzidos por nossa equipe ou comentários sobre publicações de grande repercussão, além de outras notícias sobre os recentes progressos no tratamento do câncer.também reservamos espaço para as ações desenvolvidas por nossos colegas das equipes de Enfermagem, Serviço Social, Farmácia, bem como sobre suas participações nos diversos cursos, simpósios e congressos nacionais e internacionais. Sempre focado em sua missão, nossas atividades são dedicadas ao acolhimento de nossos pacientes, através do Projeto ConheSer, que certamente terá um lugar especial a cada edição do Jornal CQAI Notícias. Nossos projetos de ensino e pesquisa também encontram neste espaço um importante canal de divulgação. Desejamos que você faça uma ótima leitura e que possa contribuir com sugestões que aprimorem ainda mais esta publicação. Dr. Eduardo Nascimento Diretor e oncologista clínico do CQAI Novos profissionais capacitados O Centro de Quimioterapia Antiblástica e Imunoterapia (CQAI) foi o primeiro no Brasil a criar uma residência em oncologia clínica. Em 2011, quatro médicos residentes do Centro finalizaram suas monografias. Eles agora fazem parte do grupo de aproximadmamente 100 oncologistas formados pelo CQAI desde 1973, que estão atuando em hospitais de todo o Brasil. Conheça os recém-formados e o tema dos seus trabalhos: Domício Carvalho Lacerda Monografia: Avaliação dos resultados das pacientes com câncer de mama submetidas à quimioterapia neoadjuvante no CQAI no período de janeiro de 2001 a dezembro de Érika Pereira Brandão Avaliação da qualidade de vida em mulheres portadoras de câncer de mama em primeiro tratamento quimioterápico no serviço de oncologia da Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte. Florinda Almeida Santos Resultados do tratamento de leucemia linfática aguda em adultos com o protocolo AIEOP 95 modificado no período de janeiro 2007 a março 2011 no Centro de Quimioterapia Antiblástica e Imunoterapia de Belo Horizonte. Maurício de Lima Pereira Bessa Osteossarcoma: aspectos clínicos, epidemiológicos e experiência na sua abordagem, no período de 2000 a Equipe médica CQAI Dr. Alexandre José Silva Fenelon CRM Dra. Ana Alice Vieira Barbosa CRMMG Dr. Álvaro Pimenta Dutra CRMMG Dr. Eduardo Carvalho Brandão CRMMG 8321 Dr. Eduardo Nascimento CRMMG 6440 Dr. Eugênio Baumgratz Lopes CRMMG 8287 Dr. Flávio Silva Brandão CRMMG Dr. Joaquim Caetano de Aguirre Neto CRMMG Dra. Maria Nunes Álvares CRMMG 8113 Dra. Nedda Maria Vasconcelos Novaes CRMMG Dr. Sebastião Cabral Filho CRMMG 6439 Dr. Wagner Brant CRMMG 6699 Expediente Diretor Administrativo: Dr. Eduardo Nascimento Assessoria de Comunicação: Mirian Pinheiro Jornalista resp.: Nadjanaira Costa 5052 JPMG Redação: Alexandre Farid, Camila Leopoldino, Isabella Antunes, Marina Dias Projeto Gráfico e Diagramação: Fernanda Braga Fotos: Banco de imagens, Marco Aurélio Lara e Nadjanaira Costa Rua Dr. Antônio Mourão Guimarães, 30, Cachoeirinha Belo Horizonte, MG Tel: (31)

3 acolhendo Dicas que cabem no bolso Cartilha da enfermagem: orientações simples e didáticas. Os pacientes do CQAI e seus familiares estão muito mais tranquilos para manter os cuidados de seu tratamento em casa. Desde novembro, eles têm à sua disposição quatro cartilhas com orientações para os portadores de traqueostomia, gastrostomia, sonda vesical e bolsa de colostomia. A distribuição é feita no bloco cirúrgico do Hospital São Lucas Pediatria e Setor de Internação Oncológica da Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte. A enfermeira Luciana Mendes Bruzi, do Centro de Quimioterapia, é uma das responsáveis pela elaboração da cartilha, com ajuda das colegas Célia Regina, Nelisa Tófan e Elizandra Vieira. Segundo ela, a ideia surgiu para dar apoio aos inúmeros pacientes com dificuldades para assimilar todos os procedimentos ensinados no ambulatório. Temos tido retorno positivo tanto da parte dos pacientes quanto dos profissionais. Foi um ganho a mais para eles, que se queixavam por não ter uma referência, destaca Luciana. Muitos pacientes voltavam com as mesmas dúvidas a cada sessão de quimioterapia. Depois que distribuímos a cartilha, as dúvidas diminuíram muito, observa Daniele Cabral, também da equipe de enfermagem do CQAI. Daniele cita o exemplo de uma adolescente que resistia a usar a sonda nasoentérica por questões estéticas e pelo incômodo do procedimento. Com a cartilha em mãos e as orientações da enfermeira Rita, o tratamento alcançou seus objetivos. A paciente aceitou usar a sonda até a sua recuperação, desaparecendo as complicações relacionadas ao mau uso do aparelho, afirma. Procedimentos esclarecidos Cartilhas orientam sobre: Troca de cateter; limpeza de bolsas coletoras; fixação de sondas; dietas; vida útil dos equipamentos; incômodos, irritações e efeitos colaterais durante o tratamento. investimento Reforma traz mais comodidade As reformas realizadas pelo Centro de Quimioterapia, iniciadas no ano passado, vem contemplando a revitalização de corredores, móveis e trazem Reformas realizadas na ALA A trazem mais conforto. novidades, com o intuito de levar mais comodidade para todos que utilizam a Ala A, no 8º andar da Santa Casa. Com a reforma, a diretoria do CQAI visa proporcionar mais conforto para os acompanhantes. Para isso, foram adquiridos sofá e televisão e montada uma biblioteca na sala de lazer. Os acompanhantes contam, ainda, com escaninhos, um novo refeitório e exemplares de revistas. Além do benefício para eles, que não podem comer ao lado dos pacientes, o refeitório representou também mais segurança para quem está internado, pois evita possíveis contaminações, explica a oncologista clínica do CQAI, Nedda Maria Vasconcelos Novaes. A reforma incluiu também a restauração de uma sala, que é utilizada para reuniões com acompanhantes dos pacientes, psicólogos e médicos, além de melhorias no quarto dos residentes e na sala da enfermagem. 3

4 destaque Uma história de avanços Pioneirismo em uma época de muito trabalho, pouco dinheiro e grande expectativa da equipe do CQAI que apostou alto no tratamento do câncer em Minas Gerais. A história do Centro de Quimioterapia Antiblástica e Imunoterapia (CQAI) começa em 1965, ano em que Sebastião Cabral Filho muda-se de Uberlândia para Belo Horizonte, para cursar medicina na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Ainda estudante, teve seu primeiro contato com o tratamento do câncer no antigo Hospital Borges da Costa, onde trabalhava. Foi lá que Cabral Filho decidiu-se pela oncologia. Mudou- -se para São Paulo em 1970, onde fez residência no Hospital A.C. Camargo. Foi um susto. São Paulo estava muito mais adiantado no tratamento do câncer que Belo Horizonte, onde ainda nem se sabia o que era quimioterapia, recorda. De volta à capital mineira, em 1973, foi convidado a integrar a equipe de João Augusto Moreira Teixeira na Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte e no Hospital Santa Mônica, hoje, Hospital Belo Horizonte. Um ano mais tarde, a equipe ganha o reforço do médico Eduardo Nascimento, recém-chegado da primeira residência em oncologia pediátrica do Brasil, realizada também no A.C. Camargo. Naquela época, ainda não existia uma estrutura de clínica oncológica em Minas Gerais, muito menos de clínica privada. O Instituto do Rádio e o Hospital Mário Penna eram depósitos de pacientes terminais de câncer. Íamos até lá realizar filantropia e receitar morfina, recorda Eduardo Nascimento. Primeiros anos Em 1974, chefiados por João Augusto, fundaram o CQAI. Inicialmente, o Centro funcionava apenas no Serviço de Oncologia Clínica da Santa Casa, mais tarde foi ampliado com a instalação da quimioterapia no antigo Hospital Santa Mônica. Éramos apenas três médicos para cuidar de 170 internos, que ocupavam dois andares de cada hospital, muitos deles vindo de outros estados, como Bahia e Espírito Santo, conta Cabral Filho. De acordo com o oncologista clínico, foi um tempo de muito trabalho e pouco dinheiro. Segundo eles, nem os próprios médicos acreditavam que o câncer tinha tratamento. Para mudar essa cultura, publicaram trabalhos científicos, ministraram aulas e realizaram palestras em congressos. Funcionando em dois andares da Santa Casa com mais outros dois no Hospital Belo Horizonte, equipados com setor de internação, radioterapia, quimioterapia e outras especialidades, o CQAI conta atualmente com 110 funcionários, entre médicos, farmacêuticos, enfermeiros, psicólogos, assistente social e pessoal administrativo. A equipe é formada por 12 médicos oncologistas clínicos, que atendem a uma média de 3,5 mil pacientes por mês. Desde a sua fundação, o Centro já tratou de cerca de 100 mil pacientes, entre adultos e crianças. Ciente da importância do fator emocional no tratamento, o CQAI se vale da vasta experiência de Eduardo Nascimento, que possui também mestrado em Psicologia Social e é o fundador da Sociedade Mineira de Psico-oncologia. Dispõe também de dois psicólogos e uma estagiária para dar suporte emocional constante a pacientes, familiares e profissionais nas duas unidades. Não se trata de marcar uma consulta com o psicólogo. Os profissionais estão disponíveis a todo instante, circulando pelos leitos e dependências dos hospitais, frisa Cabral Filho. O CQAI possui convênio com diversos planos de saúde, incluindo 1982 Sebastião Cabral, um dos visionários do CQAI,em seu consultório Cresce a procura pelo tratamento dos oncologistas na Santa Casa. 4

5 Exemplo de perseverança e dedicação O professor Sebastião Cabral Filho é chefe do serviço de oncologia clínica da Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte, da clínica oncológica do Hospital Belo Horizonte, além de ser diretor presidente do CQAI. O médico foi também coordenador estadual de oncologia da Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais em duas gestões e atua como professor do Curso de Especialização em Oncologia Clínica da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais. Sua trajetória ainda inclui a participação em algumas das mais importantes sociedades médicas nacionais e internacionais: foi presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica por duas vezes ( e ), além de ter sido presidente do Centro de Estudos e Pesquisas Oncoló- gicas de Minas Gerais (CEOMG). É membro titular da Sociedade Brasileira de Cancerologia, membro efetivo da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO), da Sociedade Europeia de Oncologia Clínica (ESMO) e do CEOMG. Por ser um dos mais destacados profissionais da oncologia clínica brasileira e médico que dedica boa parte de sua vida à pesquisa e à prática clínica em oncologia, foi criado, em sua homenagem, o Prêmio Professor Sebastião Cabral Filho, uma iniciativa que visa incentivar a produção científica em oncologia clínica entre os jovens oncologistas do Brasil. O prêmio tem o apoio da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), da Sociedade Brasileira de Cancerologia (SBC) e do Laboratório Sandoz do Brasil. o SUS e oferece aos pacientes três profissionais de Serviço Social, que orientam sobre como obter acesso a remédios, moradia, transporte e outras necessidades do tratamento, principalmente para quem vem do interior e para aqueles que não dispõem de recursos financeiros suficientes para cobrir as despesas. Residência médica e pesquisa Alguns anos depois, o CQAI cria na Santa Casa a primeira residência em oncologia fora do eixo Rio-São Paulo. Com aproximadamente 100 médicos diplomados atuando em todo o Brasil, o CQAI contribui para diminuir a falta de médicos da área e para que Minas Gerais mantenha a posição de maior centro de formação de oncologistas do Brasil, responsável por cerca de dois terços dos profissionais brasileiros. Ainda na área acadêmica, o CQAI é um dos principais parceiros do Centro de Estudos e Pesquisas Oncológicas de Minas Gerais (Ceomg), entidade que, desde 1973, é voltada para o estudo e a pesquisa no tratamento do câncer. A parceria torna possível a realização de cursos, seminários, congressos, entre outras atividades, visando promover a atualização dos profissionais da área, a educação continuada e a democratização de experiências. O Ceomg concede bolsas de estudos a residentes, estagiários e acadêmicos, mantém uma biblioteca com acervo sempre atualizado, além de promover outras contribuições, inclusive com o desenvolvimento de um sistema de processamento de dados que facilita nas pesquisas sobre tratamento do câncer no estado. Ampliação da estrutura de atendimento Alguns anos depois, o CQAI passa por um importante momento, ao adquirir imóveis no entorno do Hospital Belo Horizonte, para onde transferiu suas atividades administrativas. O centro projeta a construção de uma Unidade Hospital com 30 mil m², dedicada exclusivamente à oncologia clínica de ponta. O projeto arquitetônico já foi elaborado e agora irá passar para a fase estrutural. A unidade deverá ficar pronta em 2015 e será construída com recursos próprios. Os investimentos na edificação serão de R$ 30 milhões. Contando com equipamentos, deve chegar a R$ 130 milhões. A unidade terá tecnologia avançada e oferecerá 30 leitos diários para internação, com capacidade de 300 atendimentos por dia Equipe reestrutura serviço e amplia atendimento no estado Serviço conta com equipe multidisciplinar e tecnologia de ponta. 5

6 estudo de caso Tratamento para câncer de mama Processos emocionais de pacientes podem comprometer ciclo de quimioterapia e adiar uma melhora que já é percebida por toda equipe envolvida no tratamento. O relato abaixo é um dos exemplos. A paciente MCF, sexo feminino, 52 anos, admitida no nosso serviço em 11 de março de 2011 com diagnóstico de câncer de mama direita, com tumoração de 5cm x 5cm, com comprometimento cutâneo no local, sem linfonodos axilares palpáveis. Tomografia Computadorizada (TC) de abdomem revelou linfonodomegalia peripancreática e nódulo em supra renal esquerda, lesões consideradas metastáticas. O raio-x de tórax e cintilografia óssea não mostravam lesões metastáticas. A paciente foi estadiada como T4b- N0M1, IV. Apresentava receptores hormonais e HER 2 negativos. Foi iniciada quimioterapia paliativa com 5-fluorouracil, adriamicina e ciclofosfamida (FAC), no dia 10 de maio de Em 3 de outubro do mesmo ano, após seis ciclos de quimioterapia com boa tolerância, TC de abdome revelou desaparecimento dos linfonodos peripancreáticos e do nódulo em suprarrenal esquerda. O tumor na mama direita não era mais palpável, havia apenas um espessamento no local, o que configurava uma resposta parcial. A paciente completou oito ciclos de FAC e a adriamicina foi modificada para metotrexate, devido ao risco de cardiotoxicidade. Foram realizados mais cinco ciclos do CMF, o último em 8 de fevereiro de 2012, quando apresentou mucosite. A pa- ciente não apresenta mais qualquer sinal da doença, tanto em mama quanto em abdome, nem qualquer sintoma relacionado à doença. Foi proposta a continuidade do tratamento até completar um ano, visto o grande benefício e a ausência de possibilidade de hormonioterapia, mas a paciente encontra-se deprimida e deseja interromper o tratamento. Foi iniciado antidepressivo e adiado o reinício da quimioterapia. Caso enviado por Dr. Flávio Silva Brandão Oncologista CRM RJ Em todas as edições do CQAI Notícias, este espaço será destinado à publicação de estudos de casos ocorridos no Centro de Quimioterapia. A intenção é que a editoria seja dedicada ao compartilhamento de informações e conhecimento. Envie o seu comentário sobre o caso publicado ou uma experiência que possa ser compartilhada para o 6

7 artigo Câncer da mulher: panorama atual Dr. Wagner Brant Moreira Oncologista clínico do Centro de Quimioterapia (CQAI) e presidente do Ceomg (Centro de Estudo e Pesquisas Oncológicas de Minas Gerais). O mês de março, quando se comemora o dia internacional da mulher, é um bom momento para uma avaliação e reflexão sobre o estado atual do diagnóstico e tratamento dos tipos de cânceres que afetam as mulheres. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), estima- -se que ocorrerão cerca de 190 mil novos casos de câncer (exceto câncer de pele não-melanoma), o que equivale a 188 novos casos por 100 mil mulheres por ano. A grande maioria dessas pacientes será acometida por câncer de mama (27,9%), secundado por colo de útero (9,3%), e cólon e reto (8,4%); essas três localizações correspondem a quase metade dos casos. A grande importância desses números é a informação de que cerca de 37% dos casos de câncer feminino são passíveis de diagnóstico precoce, com medidas simples de saúde pública, o que aumentaria acentuadamente sua taxa de cura. No entanto, relatório recentemente publicado pelo Tribunal de Contas da União (TCU), com o título de Relatório de Auditoria Operacional sobre Política de Atenção Oncológica, revelou que, em 2010, cerca de 60% dos pacientes com diagnóstico de câncer, foram diagnosticados com a doença em estágios avançados (estágios 3 e 4), conforme descrito no gráfico 1. Estudo realizado no Serviço de Oncologia Clínica da Santa Casa de Belo Horizonte, em 2011, que Gráfico 1 Estadiamento no momento do diagnóstico- Brasil, ,1% 6,2% ,2% 2 34,1% serviu de base à monografia de mestrado da profissional de Estatística do CQAI, Aleida Nazareth Soares, revelou que a incidência de diagnóstico de casos iniciais de câncer de mama (estágios 1 e 2) aumentou no período entre1980 e 2000, mas houve ligeiro declínio em 2010, com o correspondente aumento do diagnóstico em estágios mais avançados. Estes dados, associados ao fato de que os gastos do governo federal com os tratamentos oncológicos passaram de 0,81 bilhões de reais em 2002 para 1,92 bilhões em 2010, definem, a meu ver, um quadro muito preocupante. O referido relatório faz várias recomendações para a melhoria dos serviços prestados pelo SUS à população, mas entendo que a sociedade deve ter participação ativa no planejamento e no controle do uso dos recursos destinados à oncologia. Somente com a organização e integração das várias entidades de profissionais, de pacientes e do governo, será possível o uso racional destes recursos e, assim, atender às reais necessidades da população e facilitar a fiscalização de possíveis desvios de conduta. 3 26,4% 4 7

8 solidariedade Apoio e troca de experiências entre pacientes com câncer Com o objetivo de dar apoio e orientação médica e psicológica às mulheres portadoras de câncer de mama, o Centro de Quimioterapia Antiblástica e Imunoterapia (CQAI) realiza o Projeto ConheSer, uma parceria com o Laboratório Roche, com a colaboração da Santa Casa de Belo Horizonte, do Centro de Estudos e Pesquisas Oncológicas de Minas Gerais (Ceomg) e do Hospital Belo Horizonte. Lourival e Aparecida Costa: casal unido contra o câncer. Cerca de 600 pessoas já passaram pelo projeto que existe há 12 anos e promove reuniões trimestrais com palestras e depoimentos de pacientes que já vivenciaram a batalha contra o câncer de mama ou que ainda passam pelo problema. A ideia é proporcionar a troca de experiências entre as mulheres em tratamento, seus familiares e profissionais da área da saúde e levar informações com palestras dos especialistas da área, conta a coordenadora do serviço social do projeto, Lílian Ferraz. Apoio fundamental Um exemplo de que a união da família e a troca de informações fazem a diferença no tratamento é o da aposentada Maria Aparecida da Costa, de 57 anos, que descobriu o câncer de mama em Hoje, totalmente curada, ela ainda faz questão de participar das reuniões e mostra que o enfrentamento da doença é menos sofrido quando se pode contar com o apoio de familiares. Tento mostrar para outras pessoas que não estamos sozinhos e que a vida não termina no diagnóstico, relata. Desde o início do tratamento Maria Aparecida tem a companhia do marido, o também aposentado, Lourival Ferreira da Costa. Ela diz que a presença dele dá a certeza de não estar sozinha nessa luta e que ele foi o maior incentivador no tratamento. Meu marido e minhas filhas nunca me deixaram fraquejar e até hoje todos cuidam de mim, afirma. Ela completa que com informação e com a participação da família é possível descobrir sua própria força e encarar o problema. Para conhecer melhor o Projeto ConheSer entre em contato pelo telefone (31)

O que é câncer de mama?

O que é câncer de mama? Câncer de Mama O que é câncer de mama? O câncer de mama é a doença em que as células normais da mama começam a se modificar, multiplicando-se sem controle e deixando de morrer, formando uma massa de células

Leia mais

PRÊMIO ABF- AFRAS. Destaque em Responsabilidade Social WWW.DEPYLACTION.COM.BR. Elaborado por:

PRÊMIO ABF- AFRAS. Destaque em Responsabilidade Social WWW.DEPYLACTION.COM.BR. Elaborado por: PRÊMIO ABF- AFRAS Destaque em Responsabilidade Social Elaborado por: Depyl Action Franchising Av. Bias Fortes, 932 sl. 304 Lourdes CEP: 30170-011 Belo Horizonte / MG Fone: 31 3222-7701 Belo Horizonte,

Leia mais

INTRODUÇÃO (WHO, 2007)

INTRODUÇÃO (WHO, 2007) INTRODUÇÃO No Brasil e no mundo estamos vivenciando transições demográfica e epidemiológica, com o crescente aumento da população idosa, resultando na elevação de morbidade e mortalidade por doenças crônicas.

Leia mais

Instituto Avon investe R$ 2,1 milhões em Minas Gerais para combate ao Câncer de Mama

Instituto Avon investe R$ 2,1 milhões em Minas Gerais para combate ao Câncer de Mama Instituto Avon investe R$ 2,1 milhões em Minas Gerais para combate ao Câncer de Mama São Paulo, 25 de julho de 2014 Minas Gerais recebeu um reforço de R$ 2,1 milhões na luta contra o câncer de mama. O

Leia mais

OUTUBRO. um mes PARA RELEMBRAR A IMPORTANCIA DA. prevencao. COMPARTILHE ESSA IDEIA.

OUTUBRO. um mes PARA RELEMBRAR A IMPORTANCIA DA. prevencao. COMPARTILHE ESSA IDEIA. OUTUBRO ROSA ^ um mes PARA RELEMBRAR A IMPORTANCIA DA ~ prevencao. COMPARTILHE ESSA IDEIA. ~ ^ O movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa é comemorado em todo o mundo. O nome remete

Leia mais

Programa de Apoio a Pacientes Oncológicos e

Programa de Apoio a Pacientes Oncológicos e Programa de Apoio a Pacientes Oncológicos e Família Secretaria Municipal de Saúde CASC - Centro de Atenção a Saúde Coletiva Administração Municipal Horizontina RS Noroeste do Estado Distante 520 Km da

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014 Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social Entidade: Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil Endereço: Rua Antônio Miguel Pereira

Leia mais

Uma área em expansão. Radiologia

Uma área em expansão. Radiologia Uma área em expansão Conhecimento especializado e treinamento em novas tecnologias abrem caminho para equipes de Enfermagem nos serviços de diagnóstico por imagem e radiologia A atuação da Enfermagem em

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 8 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM DOR Unidade Dias e Horários

Leia mais

GOVERNO DA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA Centro Estadual de Oncologia. Salvador, 14 de março de 2013

GOVERNO DA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA Centro Estadual de Oncologia. Salvador, 14 de março de 2013 GOVERNO DA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA Centro Estadual de Oncologia Salvador, 14 de março de 2013 ROTEIRO O CICAN Breve Histórico Missão Perfil Ambulatórios Quimioterapia Centro Cirúrgico

Leia mais

Tratamento do câncer no SUS

Tratamento do câncer no SUS 94 Tratamento do câncer no SUS A abordagem integrada das modalidades terapêuticas aumenta a possibilidade de cura e a de preservação dos órgãos. O passo fundamental para o tratamento adequado do câncer

Leia mais

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo Projeto Amplitude Plano de Ação 2015 P r o j e t o A m p l i t u d e R u a C a p i t ã o C a v a l c a n t i, 1 4 7 V i l a M a r i a n a S ã o P a u l o 11 4304-9906 w w w. p r o j e t o a m p l i t u

Leia mais

Ensino. Principais realizações

Ensino. Principais realizações Principais realizações Reestruturação dos Programas de ; Início do Projeto de Educação à Distância/EAD do INCA, por meio da parceria com a Escola Nacional de Saúde Pública ENSP/FIOCRUZ; Três novos Programas

Leia mais

BOLETIM ELETRÔNICO DO GRUPO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO E INFORMAÇÕES DE SAÚDE

BOLETIM ELETRÔNICO DO GRUPO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO E INFORMAÇÕES DE SAÚDE GAI informa junho/2009 ano 1 nº2 BOLETIM ELETRÔNICO DO GRUPO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO E INFORMAÇÕES DE SAÚDE Editorial Neste segundo número do Boletim Gais Informa apresenta-se um resumo das principais discussões

Leia mais

PSICOLOGIA E ONCOLOGIA: UMA PARCERIA ESSENCIAL?

PSICOLOGIA E ONCOLOGIA: UMA PARCERIA ESSENCIAL? PSICOLOGIA E ONCOLOGIA: UMA PARCERIA ESSENCIAL? Aline Fernanda Sartori Kanegusuku¹; Marina Tiemi Kobiyama Sonohara 1 ; Angélica Aparecida Valenza¹; Nemerson José Jesus¹; Sandra Diamante² RESUMO Para compreender

Leia mais

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade.

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade. No programa de governo do senador Roberto Requião, candidato ao governo do estado pela coligação Paraná Com Governo (PMDB/PV/PPL), consta um capítulo destinado apenas à universalização do acesso à Saúde.

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM ONCOLOGIA - CURITIBA Unidade

Leia mais

Neste estudo apresenta-se uma breve análise de como era a Santa Casa de Caridade de Bagé desde a sua fundação em 1883 até a atualidade.

Neste estudo apresenta-se uma breve análise de como era a Santa Casa de Caridade de Bagé desde a sua fundação em 1883 até a atualidade. Neste estudo apresenta-se uma breve análise de como era a Santa Casa de Caridade de Bagé desde a sua fundação em 1883 até a atualidade. Neste sentido, os estudos bibliográficos que compõem o referencial

Leia mais

Fazendo a diferença nos Serviços de Saúde: Visão do Técnico Especialista

Fazendo a diferença nos Serviços de Saúde: Visão do Técnico Especialista Fazendo a diferença nos Serviços de Saúde: Visão do Técnico Especialista Tec. de Enfermagem Claudia Sterque claudiasterque@yahoo.com.br 11 de novembro de 2010 VISÃO DO TÉCNICO ESPECIALISTA Quando comecei

Leia mais

Nº 3 - Nov/14 TRABALHO COMUNITÁRIO

Nº 3 - Nov/14 TRABALHO COMUNITÁRIO ! Nº 3 - Nov/14 o ã ç n e t a A T S PRE TRABALHO COMUNITÁRIO Apresentação Esta nova edição da Coleção Presta Atenção! apresenta pontos importantes para a implantação de projetos e programas de base comunitária.

Leia mais

PESQUISA INSTITUTO AVON/IPSOS ALERTA PARA A IMPORTÂNCIA DE MULTIPLICAR INFORMAÇÕES SOBRE CÂNCER DE MAMA

PESQUISA INSTITUTO AVON/IPSOS ALERTA PARA A IMPORTÂNCIA DE MULTIPLICAR INFORMAÇÕES SOBRE CÂNCER DE MAMA PESQUISA INSTITUTO AVON/IPSOS ALERTA PARA A IMPORTÂNCIA DE MULTIPLICAR INFORMAÇÕES SOBRE CÂNCER DE MAMA Nilcéa Freire, Ministra de Estado Chefe da Secretaria de Políticas para as Mulheres, enalteceu hoje,

Leia mais

PORTARIA Nº 1.038, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013

PORTARIA Nº 1.038, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013 PORTARIA Nº 1.038, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013 A SECRETÁRIA-EXECUTIVA DO MINISTÉRIO DA SAÚDE, no uso das suas atribuições legais que lhe confere o art. 54 do Anexo I do Decreto n 8.065, de 7 de agosto de

Leia mais

NOTÍCIAS. Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal. V.4 - N.4 - Setembro de 2015

NOTÍCIAS. Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal. V.4 - N.4 - Setembro de 2015 V.4 - N.4 - Setembro de 2015 Vilma Lúcia da Silva 05 Assessora de Comunicação do Parque da Cidade Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal Só no mês de setembro o Parque da Cidade recebeu

Leia mais

Descobrindo o valor da

Descobrindo o valor da Descobrindo o valor da Ocâncer de mama, segundo em maior ocorrência no mundo, é um tumor maligno que se desenvolve devido a alterações genéticas nas células mamárias, que sofrem um crescimento anormal.

Leia mais

O lançamento aconteceu em 8 de março de 2004, Dia Internacional da Mulher.

O lançamento aconteceu em 8 de março de 2004, Dia Internacional da Mulher. Sinopse As últimas décadas marcaram o avanço do papel da mulher na economia. Cada vez mais mulheres são responsáveis pela administração de seus lares e é crescente sua participação no mercado de trabalho,

Leia mais

Seminário de Residência Médica de Cancerologia Clínica Seminar of Residence in Clinical Oncology

Seminário de Residência Médica de Cancerologia Clínica Seminar of Residence in Clinical Oncology RESIDÊNCIA MÉDICA Seminário de Residência Médica de Cancerologia Clínica Seminar of Residence in Clinical Oncology José Luiz Miranda Guimarães* Neste número estamos divulgando o resultado parcial do Seminário

Leia mais

2 o Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão. Um paciente muito especial: retrato da saúde do adolescente no Brasil.

2 o Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão. Um paciente muito especial: retrato da saúde do adolescente no Brasil. 2 o Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão Um paciente muito especial: retrato da saúde do adolescente no Brasil. Sumário Pauta...2 Justificativa...2 Objetivos...3 Metodologia...3 Potencial de

Leia mais

CBA. Certification in Business Administration

CBA. Certification in Business Administration CBA Pós - Graduação QUEM SOMOS PARA PESSOAS QUE TÊM COMO OBJETIVO DE VIDA ATUAR LOCAL E GLOBALMENTE, SEREM EMPREENDEDORAS, CONECTADAS E BEM POSICIONADAS NO MERCADO, PROPORCIONAMOS UMA FORMAÇÃO DE EXCELÊNCIA

Leia mais

INCA - Relatório Anual 2003 - Ensino

INCA - Relatório Anual 2003 - Ensino 54 55 Ensino Principais realizações Início da primeira etapa do Projeto de Diagnóstico de Recursos Humanos em Oncologia no país. Implementação da inscrição informatizada. Início do Projeto de Educação

Leia mais

Prevenção em dobro. Eixo de Prevenção do Câncer ganha segunda Unidade Móvel CAPA

Prevenção em dobro. Eixo de Prevenção do Câncer ganha segunda Unidade Móvel CAPA Prevenção em dobro Eixo de Prevenção do Câncer ganha segunda Unidade Móvel O eixo de Prevenção do Câncer do Programa Cuide-se+ acaba de ganhar um importante reforço no atendimento aos trabalhadores das

Leia mais

Profa. Dra. Sheila Rodrigues de Sousa Porta PLANO DE AÇÃO 2013-2017

Profa. Dra. Sheila Rodrigues de Sousa Porta PLANO DE AÇÃO 2013-2017 UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Escola Técnica de Saúde Profa. Dra. Sheila Rodrigues de Sousa Porta PLANO DE AÇÃO 2013-2017 Proposta de trabalho apresentada como pré-requisito para inscrição no processo

Leia mais

TÍTULO: "SE TOCA MULHER" CONHECIMENTO DAS UNIVERSITÁRIAS SOBRE O CÂNCER DE MAMA

TÍTULO: SE TOCA MULHER CONHECIMENTO DAS UNIVERSITÁRIAS SOBRE O CÂNCER DE MAMA TÍTULO: "SE TOCA MULHER" CONHECIMENTO DAS UNIVERSITÁRIAS SOBRE O CÂNCER DE MAMA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ENFERMAGEM INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO

Leia mais

FAZENDO SEXO APÓS O CÂNCER DE PRÓSTATA. Alícia Flores Jardim

FAZENDO SEXO APÓS O CÂNCER DE PRÓSTATA. Alícia Flores Jardim FAZENDO SEXO APÓS O CÂNCER DE PRÓSTATA Alícia Flores Jardim Dedicatórias Dedico este trabalho a meu pai que morreu em janeiro de 2013, após um câncer de próstata descoberto tardiamente. Ao meu marido

Leia mais

COMO SE TORNAR UM VOLUNTÁRIO?

COMO SE TORNAR UM VOLUNTÁRIO? COMO SE TORNAR UM VOLUNTÁRIO? Apresentação Ir para a escola, passar um tempo com a família e amigos, acompanhar as últimas novidades do mundo virtual, fazer um curso de inglês e praticar um esporte são

Leia mais

Superando o tabu da doença: controle do câncer ganha destaque na mídia com campanhas de prevenção. Ano V - nº 18 - Rio Pesquisa 30

Superando o tabu da doença: controle do câncer ganha destaque na mídia com campanhas de prevenção. Ano V - nº 18 - Rio Pesquisa 30 Superando o tabu da doença: controle do câncer ganha destaque na mídia com campanhas de prevenção Ano V - nº 18 - Rio Pesquisa 30 31 Rio Pesquisa - nº 18 - Ano V SAÚDE Conhecer o passado para cuidar do

Leia mais

CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002 Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002 Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Ao Ministério da Saúde Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde Departamento de Gestão da Educação na Saúde E-mail: deges@saude.gov.br - prosaude@saude.gov.br CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002

Leia mais

Analisar a sobrevida em cinco anos de mulheres. que foram submetidas a tratamento cirúrgico, rgico, seguida de quimioterapia adjuvante.

Analisar a sobrevida em cinco anos de mulheres. que foram submetidas a tratamento cirúrgico, rgico, seguida de quimioterapia adjuvante. Estudo de sobrevida de mulheres com câncer de mama não metastático tico submetidas à quimioterapia adjuvante Maximiliano Ribeiro Guerra Jane Rocha Duarte Cintra Maria Teresa Bustamante Teixeira Vírgilio

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

EDUCAÇÃO E PROGRESSO: A EVOLUÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO DA ESCOLA ESTADUAL ELOY PEREIRA NAS COMEMORAÇÕES DO SEU JUBILEU

EDUCAÇÃO E PROGRESSO: A EVOLUÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO DA ESCOLA ESTADUAL ELOY PEREIRA NAS COMEMORAÇÕES DO SEU JUBILEU 1 EDUCAÇÃO E PROGRESSO: A EVOLUÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO DA ESCOLA ESTADUAL ELOY PEREIRA NAS COMEMORAÇÕES DO SEU JUBILEU Resumo Rodrigo Rafael Pinheiro da Fonseca Universidade Estadual de Montes Claros digasmg@gmail.com

Leia mais

MOVIMENTO CASCAVEL ROSA - NA LUTA CONTRA O CÂNCER

MOVIMENTO CASCAVEL ROSA - NA LUTA CONTRA O CÂNCER MOVIMENTO CASCAVEL ROSA - NA LUTA CONTRA O CÂNCER Área Temática: Saúde Adriane de Castro Martinez Martins 1 (Coordenadora) Claudecir Delfino Verli 2 Aline Maria de Almeida Lara 3 Modalidade: Comunicação

Leia mais

Instituto Nacional de Câncer Fisioterapia HCII/INCA

Instituto Nacional de Câncer Fisioterapia HCII/INCA Instituto Nacional de Câncer Fisioterapia HCII/INCA QUALIFICAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NOS SERVIÇOS ASSISTENCIAIS DO SUS PARA CÂNCER DE MAMA E CÂNCER DO COLO DO ÚTERO. Fátima Bussinger Chefe da Fisioterapia

Leia mais

NOVEMBRO DOURADO VIVA ESTA IDEIA! VENHA PARTICIPAR!

NOVEMBRO DOURADO VIVA ESTA IDEIA! VENHA PARTICIPAR! NOVEMBRO DOURADO VIVA ESTA IDEIA! VENHA PARTICIPAR! Serviço de OncoHematologia do HIJG DIA NACIONAL DE COMBATE AO CÂNCER NA CRIANÇA E NO ADOLESCENTE O Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil (lei

Leia mais

- PROJETO CUIDADOR IPC (INSTITUTO PAULISTA DE CANCEROLOGIA)

- PROJETO CUIDADOR IPC (INSTITUTO PAULISTA DE CANCEROLOGIA) - PROJETO CUIDADOR IPC (INSTITUTO PAULISTA DE CANCEROLOGIA) Vera Anita Bifulco ministrou a aula: Quem é o cuidador? Quem cuida do cuidador? Cuidados paliativos no Projeto Cuidador, em 02 de Junho de 2009,

Leia mais

Instituto Ronald McDonald

Instituto Ronald McDonald Instituto Ronald McDonald Audiência Pública na Comissão de Assuntos Sociais do Senado Federal. Requerimento nº 49 de 2010-CAS de autoria da Presidente da Comissão, Senadora Rosalba Ciarlini, e do Senador

Leia mais

Chat com Fernanda Dia 17 de março de 2011

Chat com Fernanda Dia 17 de março de 2011 Chat com Fernanda Dia 17 de março de 2011 Tema: O papel do terapeuta ocupacional para pessoas em tratamento de leucemia, linfoma, mieloma múltiplo ou mielodisplasia Total atingido de pessoas na sala: 26

Leia mais

OUTUBRO ROSA REFORÇA A IMPORTÂNCIA DO DIAGNÓSTICO PRECOCE NA CURA DO CÂNCER DE MAMA

OUTUBRO ROSA REFORÇA A IMPORTÂNCIA DO DIAGNÓSTICO PRECOCE NA CURA DO CÂNCER DE MAMA OUTUBRO ROSA REFORÇA A IMPORTÂNCIA DO DIAGNÓSTICO PRECOCE NA CURA DO CÂNCER DE MAMA Enviado por LINK COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL 01-Out-2015 PQN - O Portal da Comunicação LINK COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL - 01/10/2015

Leia mais

LINHA DE CUIDADOS DE SAÚDE EM ONCOLOGIA

LINHA DE CUIDADOS DE SAÚDE EM ONCOLOGIA SAÚDE EM DIA O Programa Saúde em Dia consiste em linhas de cuidados integrais, com foco na patologia e na especialidade médica, direcionados a melhoria da saúde dos beneficiários de planos de saúde empresariais.

Leia mais

Ação Integrada Centro Legal Nova Luz (Cracolândia) Cidade de Sao Paulo. Luca Santoro Gomes Cooordenadoria de Atencao as Drogas Secretaria Municipal

Ação Integrada Centro Legal Nova Luz (Cracolândia) Cidade de Sao Paulo. Luca Santoro Gomes Cooordenadoria de Atencao as Drogas Secretaria Municipal II JORNADA REGIONAL SOBRE DROGAS ABEAD/MPPE Recife, 9&10 Setembro Ação Integrada Centro Legal Nova Luz (Cracolândia) Cidade de Sao Paulo. Luca Santoro Gomes Cooordenadoria de Atencao as Drogas Secretaria

Leia mais

OUTUBRO ROSA UMA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DA SOFIS TECNOLOGIA

OUTUBRO ROSA UMA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DA SOFIS TECNOLOGIA C A R T I L H A OUTUBRO ROSA UMA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DA SOFIS TECNOLOGIA OOUTUBRO ROSA é um movimento mundial pela prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. Com suas ações especialmente

Leia mais

Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório

Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório Maio de 2013 Magnitude do Câncer no Brasil 518 mil novos casos em 2013 Câncer de pele não melanoma deve responder

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo:

Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo: Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo: Análise dos dados e indicadores de qualidade 1. Análise dos dados (jan ( janeiro eiro/2000 a setembro/201 /2015) Apresenta-se aqui uma visão global sobre a base

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES MARIÁ BARBALHO NARDI Orientadora: Prof.ª Drª Isabel Cristina Echer

Leia mais

Você conhece a Medicina de Família e Comunidade?

Você conhece a Medicina de Família e Comunidade? Texto divulgado na forma de um caderno, editorado, para a comunidade, profissionais de saúde e mídia SBMFC - 2006 Você conhece a Medicina de Família e Comunidade? Não? Então, convidamos você a conhecer

Leia mais

ACS Assessoria de Comunicação Social

ACS Assessoria de Comunicação Social DISCURSO DO MINISTRO DA EDUCAÇÃO, HENRIQUE PAIM Brasília, 3 de fevereiro de 2014 Hoje é um dia muito especial para mim. É um dia marcante em uma trajetória dedicada à gestão pública ao longo de vários

Leia mais

Cartilha REGISTROS DE CÂNCER E O RHC DO HAJ

Cartilha REGISTROS DE CÂNCER E O RHC DO HAJ Cartilha REGISTROS DE CÂNCER E O RHC DO HAJ O que é um registro de câncer? -Centro de coleta, armazenamento, processamento e análise - de forma sistemática e contínua - de informações (dados) sobre pacientes

Leia mais

Positive Deviance: Engajamento da equipe para melhorar a adesão ao Checklist Cirúrgico Time Out Perfeito

Positive Deviance: Engajamento da equipe para melhorar a adesão ao Checklist Cirúrgico Time Out Perfeito Positive Deviance: Engajamento da equipe para melhorar a adesão ao Checklist Cirúrgico Time Out Perfeito Ana L. Vasconcelos Coordenadora Programa Integrado de Cirurgia O Protocolo de cirurgia segura do

Leia mais

Apesar de ser um tumor maligno, é uma doença curável se descoberta a tempo, o que nem sempre é possível, pois o medo do diagnóstico é muito grande,

Apesar de ser um tumor maligno, é uma doença curável se descoberta a tempo, o que nem sempre é possível, pois o medo do diagnóstico é muito grande, Cancêr de Mama: É a causa mais frequente de morte por câncer na mulher, embora existam meios de detecção precoce que apresentam boa eficiência (exame clínico e auto-exame, mamografia e ultrassonografia).

Leia mais

A Importância da Causa

A Importância da Causa A Importância da Causa Panorama do Cenário Brasileiro Leucemia é o câncer mais comum entre crianças, e o linfoma é o 3º câncer mais comum entre este público Se detectados logo e tratados adequadamente,

Leia mais

Palavras-chave: Projeto de ensino; reprovação em Matemática; monitoria.

Palavras-chave: Projeto de ensino; reprovação em Matemática; monitoria. REPROVAÇÃO EM MATEMÁTICA NO ENSINO SUPERIOR: UMA TENTATIVA DE REDUZIR OS ALTOS ÍNDICES Profa. Dra. Camila Pinto da Costa Universidade Federal de Pelotas camila.ufpel@gmail.com Profa. Dra. Rejane Pergher

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR II REALIZADO NA UNIDADE BÁSICA DE SÁUDE VILA GAÚCHA PRISCILA DOS SANTOS LEDUR Porto Alegre 2011 PRISCILA DOS

Leia mais

MONITORAMENTO DAS AÇÕES DE CONTROLE DOS CÂNCERES DO COLO DO ÚTERO E DE MAMA

MONITORAMENTO DAS AÇÕES DE CONTROLE DOS CÂNCERES DO COLO DO ÚTERO E DE MAMA Abril a Junho/ 2010/ n 2 MONITORAMENTO DAS AÇÕES DE CONTROLE DOS CÂNCERES DO COLO DO ÚTERO E DE MAMA Apresentação Neste segundo boletim de 2010, são apresentados os dados parciais para acompanhamento dos

Leia mais

Outonos da Vida Associação para os Cuidados Paliativos e Dor Crónica do Médio Tejo APRESENTAÇÃO

Outonos da Vida Associação para os Cuidados Paliativos e Dor Crónica do Médio Tejo APRESENTAÇÃO Outonos da Vida Associação para os Cuidados Paliativos e Dor Crónica do Médio Tejo APRESENTAÇÃO OUTONOS DA VIDA Instituição sem fins lucrativos, candidata a IPSS da área da Saúde com interacção com a Segurança

Leia mais

RELATÓRIO PARA A. SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

RELATÓRIO PARA A. SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE Este relatório é uma versão resumida do relatório técnico

Leia mais

DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal

DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal Grupo temático: Direito à vida, à saúde e a condições

Leia mais

Panorama da Radioterapia no Brasil

Panorama da Radioterapia no Brasil Panorama da Radioterapia no Brasil Robson Ferrigno Presidente da Sociedade Brasileira de Radioterapia A radioterapia é definida como a especialidade médica que utiliza radiação ionizante para tratar e

Leia mais

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04 Práticas de Gestão Editorial Geovanne. 02 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) Como faço isso? Acesse online: 03 e 04 www. No inicio da década de 90 os

Leia mais

O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA

O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA DAL BEN: SUA PARCEIRA EM CUIDADOS ASSISTENCIAIS A saúde no Brasil continua em constante transformação. As altas taxas de ocupação dos hospitais brasileiros demandam dos profissionais

Leia mais

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT Proposta do CDG-SUS Desenvolver pessoas e suas práticas de gestão e do cuidado em saúde. Perspectiva da ética e da integralidade

Leia mais

Curso de Especialização em GESTÃO EM SAÚDE MENTAL

Curso de Especialização em GESTÃO EM SAÚDE MENTAL Curso de Especialização em GESTÃO EM SAÚDE MENTAL ÁREA DO CONHECIMENTO: Saúde. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Gestão em Saúde Mental. PERFIL PROFISSIONAL: Entender

Leia mais

PLANO DE TRABALHO EXERCÍCIO 2014. Dados de Identificação: Nome da Entidade: Associação de Cegos Louis Braille - ACELB. Bairro: Rubem Berta

PLANO DE TRABALHO EXERCÍCIO 2014. Dados de Identificação: Nome da Entidade: Associação de Cegos Louis Braille - ACELB. Bairro: Rubem Berta ASSOCIAÇÃO DE CEGOS LOUIS BRAILLE CNPJ. 88173968/0001-60 Endereço: Rua Braille, 480 Núcleo Residencial Costa e Silva Bairro: Rubem Berta POA-RS - CEP: 91150-140 e-mail: acelb@terra.com.br Fone: 3344-18-04-33406840

Leia mais

DIAGNÓSTICO MÉDICO DADOS EPIDEMIOLÓGICOS FATORES DE RISCO FATORES DE RISCO 01/05/2015

DIAGNÓSTICO MÉDICO DADOS EPIDEMIOLÓGICOS FATORES DE RISCO FATORES DE RISCO 01/05/2015 01/05/2015 CÂNCER UTERINO É o câncer que se forma no colo do útero. Nessa parte, há células que podem CÂNCER CERVICAL se modificar produzindo um câncer. Em geral, é um câncer de crescimento lento, e pode

Leia mais

Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório

Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório Recursos Humanos Coordenação de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório Introdução No dia 04 de Agosto de 2011, durante a reunião de Planejamento, todos os

Leia mais

THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES.

THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES. THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES. ANA LUCIA MESQUITA DUMONT; Elisa Nunes Figueiredo. Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SMSA-BH (Atenção Básica)

Leia mais

AVALIAÇÃO DA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL: ESTUDO DE CASO DA FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO

AVALIAÇÃO DA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL: ESTUDO DE CASO DA FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO Colocar foto de autor AVALIAÇÃO DA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL: ESTUDO DE CASO DA FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO Autoras: Queiroz, Helena Maria Gomes Coelho, Michelle Queiroz Introdução Objetivo Geral:

Leia mais

DIREITO. Pós-Graduação

DIREITO. Pós-Graduação DIREITO Pós-Graduação QUEM SOMOS PARA PESSOAS QUE TÊM COMO OBJETIVO DE VIDA ATUAR LOCAL E GLOBALMENTE, SER EMPREENDEDORAS, CONECTADAS E BEM POSICIONADAS NO MERCADO, PROPORCIONAMOS UMA FORMAÇÃO DE EXCELÊNCIA,

Leia mais

PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL

PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE RECURSOS HUMANOS O PROGRAMA O Programa Municipal de Voluntariado

Leia mais

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Conselho Regional de Medicina rayer@usp.br

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Conselho Regional de Medicina rayer@usp.br Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Conselho Regional de Medicina rayer@usp.br RELAÇÃO DOS MÉDICOS COM A INDÚSTRIA DE MEDICAMENTOS, ÓRTESES/ PRÓTESE E EQUIPAMENTOS MÉDICO-HOSPITALARES Conhecer

Leia mais

Unidades de Negócios

Unidades de Negócios Grupo Clivale Como surgiu? História Tudo começou com a iniciativa de Raphael Serravalle ao perceber a carência de um serviço médico especializado na cidade do Salvador, calçada, induziu dois de seus filhos:

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CLÍNICA Unidade Dias e Horários

Leia mais

Desigualdades no Acesso à Tecnologia: Relevância para Grupos de Pacientes

Desigualdades no Acesso à Tecnologia: Relevância para Grupos de Pacientes Desigualdades no Acesso à Tecnologia: Relevância para Grupos de Pacientes Capacitação ACS /FEMAMA 2012 Eduardo Cronemberger Oncologia em 120 anos Willian Halsted Aqui está minha sequencia! Mastectomia

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE ACADÊMICOS PARA A LIGA ACADÊMICA ACRIANA DE ENFERMAGEM EM TRANSPLANTES

EDITAL PARA SELEÇÃO DE ACADÊMICOS PARA A LIGA ACADÊMICA ACRIANA DE ENFERMAGEM EM TRANSPLANTES EDITAL PARA SELEÇÃO DE ACADÊMICOS PARA A LIGA ACADÊMICA ACRIANA DE ENFERMAGEM EM TRANSPLANTES A (LAAET), fundada em 23 de Setembro de 2011, afiliada à Universidade Federal do Acre, Grupo HEPATO, Central

Leia mais

Saúde Informa Nº 02 Distrito Sanitário Centro DSCe

Saúde Informa Nº 02 Distrito Sanitário Centro DSCe Saúde Informa Nº 2 Distrito Sanitário Centro DSCe Agosto/211 Apresentação Esta é a segunda edição do informativo do DSCe e o dedicamos a discussão das atividades de educação permanente, ao monitoramento

Leia mais

CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADES ABC: UMA APLICAÇÃO EM UMA ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR UNIVERSITÁRIA. Ernani Mendes Botelho

CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADES ABC: UMA APLICAÇÃO EM UMA ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR UNIVERSITÁRIA. Ernani Mendes Botelho UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADES ABC: UMA APLICAÇÃO

Leia mais

Relatório: Campanha Ajuda à Serra

Relatório: Campanha Ajuda à Serra Relatório: Campanha Ajuda à Serra De janeiro a junho de 2011 Sumário Introdução pág. 3 Origem das Doações pág. 4 Destino das Doações pág. 5 Atuação Move Rio pág. 6 Vale do Cuiabá, Petrópolis pág. 6 Santa

Leia mais

Sistema de Ouvidoria em Saúde Pública do Estado

Sistema de Ouvidoria em Saúde Pública do Estado No Ceará, as queixas de quem procura o sistema de saúde são atendidas, encaminhadas e respondidas, ajudando a melhorar os serviços SAÚDE Sistema de Ouvidoria em Saúde Pública do Estado (ESTADO DO CEARÁ)

Leia mais

PROGRAMA DO PÓS-GRADUAÇÃO EM SEXOLOGIA CLÍNICA

PROGRAMA DO PÓS-GRADUAÇÃO EM SEXOLOGIA CLÍNICA PROGRAMA DO PÓS-GRADUAÇÃO EM SEXOLOGIA CLÍNICA 1. Nome do curso e Área(s) do Conhecimento - Pós-Graduação/Especialização em Sexologia Clínica - Área do conhecimento: Medicina - Forma de oferta: presencial

Leia mais

Ciclo de Palestras O Dia Delas

Ciclo de Palestras O Dia Delas Ciclo de Palestras O Dia Delas INTRODUÇÃO O câncer é uma das doenças que mais provocam temor na população. Esse diagnóstico freqüentemente é compreendido como vergonhoso, incapacitante e incurável. Os

Leia mais

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 Modelo 2: resumo expandido de relato de experiência Resumo expandido O Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São

Leia mais

EMENTA: Câncer urológico - Critérios de alta para pacientes com câncer CONSULTA

EMENTA: Câncer urológico - Critérios de alta para pacientes com câncer CONSULTA PARECER Nº 2422/2013 CRM-PR PROCESSO CONSULTA N.º 11/2013 PROTOCOLO N. º 10115/2013 ASSUNTO: CRITÉRIOS DE ALTA DE SERVIÇOS DE CANCEROLOGIA PARECERISTA: CONS. JOSÉ CLEMENTE LINHARES EMENTA: Câncer urológico

Leia mais

Letícia Casado Serviço de Edição e Informação Técnico Cientifica CGPV-Coordenação Geral de Prevenção e Vigilância

Letícia Casado Serviço de Edição e Informação Técnico Cientifica CGPV-Coordenação Geral de Prevenção e Vigilância Letícia Casado Serviço de Edição e Informação Técnico Cientifica CGPV-Coordenação Geral de Prevenção e Vigilância O que é uma Biblioteca Virtual? É um tipo de biblioteca que compila e organiza informações

Leia mais

RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA. Dados do Intercâmbio

RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA. Dados do Intercâmbio RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA Nome: Juliana Malacarne de Pinho No. USP 7166759 Curso ECA: Jornalismo Dados do Intercâmbio Universidade: Universidade NOVA de Lisboa Curso: Comunicação Social Período:

Leia mais

HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO À MULHER COM CÂNCER. Enfª Rosenice Perkins D S Clemente Enfermagem oncológica

HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO À MULHER COM CÂNCER. Enfª Rosenice Perkins D S Clemente Enfermagem oncológica HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO À MULHER COM CÂNCER Enfª Rosenice Perkins D S Clemente Enfermagem oncológica 12 de julho de 2013 Cena 1 Joana - casada, dois filhos pequenos, do lar, evangélica, desinteressada

Leia mais

Relatório de Conclusão do Estágio Curricular III Serviços Hospitalares

Relatório de Conclusão do Estágio Curricular III Serviços Hospitalares 1 Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Enfermagem THAÍLA TANCCINI Relatório de Conclusão do Estágio Curricular III Serviços Hospitalares Porto Alegre 2011 2 THAÍLA TANCCINI Relatório de

Leia mais

O que é câncer de estômago?

O que é câncer de estômago? Câncer de Estômago O que é câncer de estômago? O câncer de estômago, também denominado câncer gástrico, pode ter início em qualquer parte do estômago e se disseminar para os linfonodos da região e outras

Leia mais

O Portal do Servidor Homenageia Marília Careli, Servidora que faz a diferença para a comunidade na Praça de Esportes do Setor Pedro Ludovico

O Portal do Servidor Homenageia Marília Careli, Servidora que faz a diferença para a comunidade na Praça de Esportes do Setor Pedro Ludovico Marília Careli O Portal do Servidor Homenageia Marília Careli, Servidora que faz a diferença para a comunidade na Praça de Esportes do Setor Pedro Ludovico Por: Waldedy Maria de Paula, equipe Portal do

Leia mais

MODELO PROJETO: PRÊMIO POR INOVAÇÃO E QUALIDADE

MODELO PROJETO: PRÊMIO POR INOVAÇÃO E QUALIDADE MODELO PROJETO: PRÊMIO POR INOVAÇÃO E QUALIDADE 1 Identificação Título Câncer de Colo de útero: a importância de diagnostico precoce. Área temática Comunicação, Promoção e Educação em Saúde Lotação Boninal

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM ACONSELHAMENTO GENÉTICO

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM CANCEROLOGIA Ato de Oficialização: Ata de 21/12/1981 Conselho Departamental

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM CANCEROLOGIA Ato de Oficialização: Ata de 21/12/1981 Conselho Departamental PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM CANCEROLOGIA Ato de Oficialização: Ata de 21/12/1981 Conselho Departamental 1. Nome do Curso e Área de Conhecimento: Curso de Especialização em

Leia mais