MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA"

Transcrição

1 2013 MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

2 Sumário 1. EVOLUÇÃO GERAL Movimentação do emprego - comparação com o setor de Serviços e Construção Civil Setor de serviços Setor da construção civil MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA Movimentação do emprego por região Região Norte Região Nordeste Região Sudeste Região Sul Região Centro Oeste Movimentação do emprego por unidade federativa Fonte

3 1. EVOLUÇÃO GERAL O mercado de trabalho formal começou mais fraco em 2013, com um crescimento reduzido (28.900) no estoque de pessoas empregadas, apesar do início de recuperação do setor industrial. Foi o pior janeiro desde 2009, na criação de empregos. Já o mês de fevereiro mostrou sinais de recuperação da economia e do mercado de trabalho, não obstante ter crescido menos que fevereiro de Ressalte-se a continuidade do crescimento do setor industrial. Segundo os dados do CAGED, durante o primeiro bimestre de 2013, todos os setores da economia foram responsáveis pela contratação de 3,56 milhões de pessoas, com destaque para fevereiro, que foi responsável por 1,7 milhões de contratações. As contratações apresentam uma ampliação de 3,39%, em relação ao mesmo período do ano passado. Apesar do desempenho satisfatório das admissões, os desligamentos alcançaram uma variação maior, com um aumento das demissões de 7,36%, o que totaliza 3,41 milhões de desligamentos, e um saldo acumulado de 150 mil postos de trabalho. Gráfico 1 - Admissões e desligamentos efetuados em todos os setores da economia (jan-fev) Extrativa mineral Indústria de transformação Serviços Industr Construção Civil Comércio Servicos Administração de Utilidade Pública Pública Admissões Demissões Agropecuária, extr vegetal, caça e pesca O mercado de trabalho brasileiro gerou em fevereiro postos de trabalho formais, um aumento de 0,31% em relação ao estoque obtido no mês anterior. Esse crescimento é resultado da geração de admissões, contra desligamentos ocorridos no mês. 2

4 Comparando o resultado alcançado com o mesmo exercício de anos anteriores, contatase que o número de postos de trabalho adicionais gerados é o 4º menor desde A diferença significativa para o cenário atual é que hoje o país possui a taxa de desemprego em seu menor nível, o que faz com que o cenário atual seja considerado estável ou positivo. Gráfico 2 - Comparação dos postos de trabalho gerados em todos os setores da economia, no mês fevereiro fev-03 fev-04 fev-05 fev-06 fev-07 fev-08 fev-09 fev-10 fev-11 fev-12 fev-13 No acumulado de janeiro e fevereiro, a maior geração de postos de trabalho adicionais foi verificada no setor de serviços, com , acompanhada da indústria, com , e construção civil, que gerou postos de trabalho. O comércio e a agropecuária foram os únicos que registraram cancelamento de postos de trabalho, ambos influenciados negativamente por conta da sazonalidade do período. 3

5 Gráfico 3 - Saldo de movimentação do emprego por setores da economia - (jan/fez) Extrativa mineral Indústria de transformação 4228 Serviços Industr de Utilidade Pública Construção Civil Comércio Servicos Administração Pública Agropecuária, extr vegetal, caça e pesca Diante do desempenho nacional, o segmento da arquitetura e engenharia consultiva teve uma participação de 0,96% no volume de admissões efetuadas e de 1,06% nas demissões. Em relação ao saldo de movimentação, o setor teve uma influência negativa no resultado do bimestre. Tabela 1 - Participação do segmento da arquitetura e engenharia na movimentação do emprego nacional (jan/fev) 2013 Admissões Desligamentos Período Brasil A&EC % Período Brasil A&EC % jan/ ,98% jan/ ,03% fev/ ,95% fev/ ,06% Total ,96% Total ,04% Saldo de Movimentação do emprego Período Brasil A&EC % jan/ ,02 fev/ ,01 Total ,83% 4

6 1.1. Movimentação do emprego - comparação com o setor de Serviços e Construção Civil Setor de serviços Assim como no ano passado, o setor de serviços continua sendo o responsável pela manutenção da força de trabalho no país. As admissões apresentaram uma expansão de 3,55% e os desligamentos atingiram uma taxa de 8,98%, quando comparado aos resultados obtidos no mesmo exercício do ano passado. A participação do segmento da arquitetura e engenharia dentro do macrossetor de serviços do qual faz parte mantém-se estável neste início de ano. Quando se trata das admissões, o setor contribuiu com 2,52% das contratações efetuadas e, no caso dos desligamentos, o índice de participação é maior, com 2,81%. Com relação ao saldo de movimentação do emprego, o setor da A&EC teve influência negativa, corroborando com um percentual negativo de 1,30%. Tabela 2 - Participação da arquitetura e engenharia dentro do macrossetor de serviços (jan/fev) 2013 Admissões Desligamentos Período Serviços A&EC % Período Serviços A&EC % jan/ ,62% jan/ ,76% fev/ ,41% fev/ ,86% Total ,52% Total ,81% Saldo de Movimentação do emprego Período Serviços A&EC % jan/ ,44% fev/ ,92% Total ,30% Setor da construção civil Embora as empresas de engenharia e arquitetura estejam enquadradas em seção diversa da utilizada para a classificação das empresas da construção civil, elas são partes de uma mesma cadeia produtiva e, portanto, o acompanhamento da movimentação do emprego se faz necessária. Assim como a arquitetura e engenharia, as admissões na construção civil também registraram um recuo de -0,16% em relação ao resultado obtido no ano passado. Os 5

7 desligamentos tiveram uma expansão de 5,13%, resultado este um pouco menor do que o obtido pela A&EC. O saldo de movimentação do emprego registrou a criação de 49 mil postos de trabalho durante o primeiro bimestre: mesmo com este cenário positivo, a geração de postos de trabalho teve uma queda de 29% em relação ao mesmo período do ano passado. O setor da construção civil, que apresentou grande dinamismo nos dois anos anteriores, mostra uma acomodação, mas ainda com crescimento das vagas. Tabela 3 - Movimentação do emprego na construção civil (jan/fev) 2013 Admissões Desligamentos Construção civil % Construção civil % jan/ ,92% jan/ ,05% fev/ ,39% fev/ ,26% Total ,16% Total ,13% Saldo de Movimentação do emprego Construção civil % jan/ ,80% fev/ ,78% Total ,93% 6

8 2. MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA O setor da Arquitetura e Engenharia Consultiva registrou, durante o exercício analisado, profissionais contratados, sendo que foram provenientes de janeiro e de fevereiro. No comparativo, o volume de profissionais contratados sofreu um recuo de 9,14%, em relação ao acumulado no mesmo período. As demissões totalizaram o afastamento de profissionais, sendo que foram efetuadas em janeiro e , em fevereiro. Constata-se que o volume de desligamentos foi superior às contratações de profissionais no setor, o que revela certo desestímulo ao crescimento neste início de ano. Por outro lado, algumas medidas tomadas pelo governo como, por exemplo, a desoneração da folha de pagamentos, pode funcionar como um incentivo para a criação de novos postos de trabalho no setor. Outra medida importante adotada pelo Governo, cuja repercussão deverá ser avaliada ao longo do ano, é a obrigação de conteúdo nacional nas obras do PAC, envolvendo os segmentos de arquitetura e engenharia consultiva. Gráfico 4 - Admissões e desligamentos efetuados no segmento da Arquitetura e Engenharia no Brasil (jan/fev) jan-13 ADM TOTAL fev-13 DES TOTAL Devido ao crescimento do número de profissionais demitidos no setor, o saldo de movimentação do emprego acumula entre janeiro e fevereiro de 2013 o cancelamento de postos de trabalho. Este resultado é bem diferente do ocorrido no mesmo período do ano passado, quando houve a criação de mais de 5 mil postos de trabalho. 7

9 Gráfico 5 - Saldo de movimentação do emprego no segmento da arquitetura e engenharia no Brasil (jan/fev) jan fev Na tabela a seguir encontram-se as contratações e desligamentos realizados de acordo com a categoria profissional, no caso estão elencados os 20 maiores cargos de acordo com a movimentação. Tabela 4 - Admissões e desligamentos efetuados no segmento da arquitetura e engenharia por categoria profissional (20 principais categoria de acordo com o volume) (jan/fev) 2013 ADMISSÕES DESLIGAMENTOS CBO 2002 Família Total CBO 2002 Família Total Ajudantes de Obras Civis 6554 Ajudantes de Obras Civis 5909 Escriturários em Geral, Agentes, Assistentes e Auxiliares Administrativos. Trabalhadores de Estruturas de Alvenaria Trabalhadores de Estruturas de Alvenaria 3717 Escriturários em Geral, Agentes, Assistentes e Auxiliares Administrativos. Farmacêuticos 1407 Farmacêuticos 1330 Trabalhadores de Forjamento de Metais 1175 Trabalhadores de Instalações Elétricas 816 Técnicos em Telecomunicações e Telefonia 667 Trabalhadores de Montagem de Estruturas de Madeira, Metal e Compósitos em Obras Civis. Trabalhadores de Tratamento de Superfícies de Metais e de Compósitos (Termoquímicos) Trabalhadores de Instalações Elétricas 468 Trabalhadores Operacionais de Conservação de Vias Permanentes (Exceto Trilhos) Trabalhadores de Soldagem e Corte de Metais e de Compósitos Técnicos em Topografia, Agrimensura e Hidrografia Técnicos em Telecomunicações e Telefonia Trabalhadores de Montagem de Estruturas de Madeira, Metal e Compósitos em Obras Civis Trabalhadores Operacionais de Conservação de Vias Permanentes (Exceto Trilhos) Técnicos em Topografia, Agrimensura e Hidrografia 461 Supervisores da Construção Civil 478 Trabalhadores de Manutenção de Rocadeiras, Motosserras e Similares Técnicos em Construção Civil (Obras de Infraestrutura) 441 Engenheiros em Computação Técnicos em Construção Civil (Obras de Infraestrutura)

10 Supervisores da Construção Civil 416 Técnicos de Controle da Produção 363 Engenheiros Civis e Afins 383 Técnicos em Construção Civil (Edificações) 346 Engenheiros em Computação 378 Engenheiros Civis e Afins 337 Técnicos de Odontologia 307 Técnicos em Secretariado, Taquígrafos e Estenotipistas 304 Técnicos em Secretariado, Taquígrafos e Estenotipistas Trabalhadores nos Serviços de Manutenção e Conservação de Edifícios e Logradouros Técnicos em Construção Civil (Edificações) 301 Técnicos em Segurança no Trabalho 300 Trabalhadores Tipográficos Linotipistas e Afins 281 Trabalhadores nos Serviços de Administração de Edifícios Movimentação do emprego por região Região Norte Entre janeiro e fevereiro de 2013, a região Norte foi responsável pela contratação de profissionais, entretanto o número de desligamentos foi maior, com pessoas demitidas. Ao contrário de outras regiões onde houve crescimento, o volume de desligamentos registrou um recuo de 2,79% frente ao realizado no mesmo período do exercício anterior. Porém, o que foi decisivo para o cenário negativo foi uma retração maior das admissões, exatamente 27,01%. A partir deste resultado, o saldo de movimentação do emprego fechou o período analisado negativo com o cancelamento de 237 empregos. Gráfico 6 - Admissões e desligamentos efetuados no segmento da Arquitetura e Engenharia na região norte jan / fev jan-13 fev-13 ADM DES 9

11 Região Nordeste O Nordeste foi responsável pela admissão de profissionais, sendo que o maior número de admissões ocorreu no mês de janeiro, com a abertura de postos de trabalho. O totalizado durante o primeiro bimestre de 2013 revela que houve um recuo de 11,44% no volume de contratação. Em relação aos desligamentos, assim como em outras localidades do país, ocorreu uma ampliação do número de profissionais afastados de seus cargos. Ao todo, entre janeiro e fevereiro foram efetuados desligamentos contra 4.882, o que revela um aumento de 15,98%. A localidade foi uma das poucas regiões a registrar um saldo de movimentação positivo, que culminou com a geração de 227 postos de trabalho. Apesar deste resultado, a criação de novos empregos foi inferior ao alcançado no mesmo período do ano passado, que atingiu novos postos de trabalho. Gráfico 7 - Admissões e desligamentos efetuados no segmento da Arquitetura e Engenharia na região nordeste jan / fev jan-13 ADM fev-13 DES Região Sudeste O segmento da arquitetura e engenharia na região Sudeste foi responsável pela admissão de pessoas, sendo que o maior volume de profissionais admitidos foi obtido em janeiro. No comparativo, o setor sofreu uma retração de 9,54% no volume de contrações realizadas pelas empresas do setor. As demissões alcançaram uma ampliação de 10,34% no exercício vigente, acumulando pessoas demitidas na região. 10

12 Com o resultado alcançado, pela primeira vez em muitos anos o Sudeste inicia o ano de 2013 com um saldo de movimentação negativo, o pior resultado obtido quando comparado a outras regiões no país. A região, que é responsável por concentrar o maior volume de admissões e desligamentos, começou o exercício analisado com o cancelamento de empregos. Algumas localidades conseguiram gerar novos empregos no setor, mas este resultado local acabou influenciando negativamente o desempenho nacional. Gráfico 8 - Admissões e desligamentos efetuados no segmento da Arquitetura e Engenharia na região sudeste jan / fev jan-13 ADM fev-13 DES Região Sul Entre janeiro e fevereiro de 2013, as empresas representantes do segmento contrataram profissionais, sendo que o movimento do emprego na Região Sul apresentou um decréscimo de 17,34% em relação à mesma época do ano anterior. O número de profissionais demitidos no período analisado foi de 4.377, que registrou um pequeno aumento de 3,60%, a menor variação registrada no país. Com este resultado, o saldo de movimentação do emprego na região fechou o período com o cancelamento de 9 postos de trabalho, resultado bem diferente ao alcançado em 2012, quando a localidade criou novos postos de trabalho. 11

13 Gráfico 9 - Admissões e desligamentos efetuados no segmento da Arquitetura e Engenharia na região sul jan / fev jan-13 fev-13 ADM DES Região Centro Oeste A região Centro-Oeste foi responsável por admitir profissionais, sendo que o melhor desempenho obtido ocorreu no mês de janeiro, com contratações. Comparando com os resultados obtidos no mesmo período do ano anterior, houve uma ampliação no volume de profissionais contratados pelas empresas do setor localizadas na região: um percentual de 43,72%. É importante ressaltar que a taxa de crescimento da contratação de profissionais foi a maior alcançada em todo o país. Os desligamentos no Centro-Oeste totalizaram o afastamento de profissionais, revelando um percentual de aumento de 2,44% em relação a Gráfico 10 - Admissões e desligamentos efetuados no segmento da Arquitetura e Engenharia na região centro oeste jan / fev jan-13 fev-13 ADM DES 12

14 2.2. Movimentação do emprego por unidade federativa Na movimentação do emprego por estado brasileiro, verifica-se que o estado de São Paulo possui a maior contribuição no volume total de admissões realizadas no segmento da Arquitetura e Engenharia no Brasil, com contratações no bimestre, o que representa 29,49% do total efetuado nacionalmente. Minas Gerais aparece na sequência, representando 13,64% do total e pessoas, e o Rio de Janeiro surge em terceiro lugar, com admissões e um índice de 12,77%. Tabela 5 - Relação mensal das admissões efetuadas no segmento da Arquitetura e da Engenharia por unidade federativa jan / fev 2013 UF jan/13 fev/13 Total TOTAL São Paulo Minas Gerais Rio de Janeiro Bahia Pernambuco Paraná Rio Grande do Sul Santa Catarina Espírito Santo Distrito Federal Mato Grosso Goiás Ceará Amapá Amazonas Rio Grande do Norte Maranhão Mato Grosso do Sul Para Sergipe Piauí Paraíba Tocantins Alagoas Rondônia Acre Roraima

15 No caso dos desligamentos, a participação dos estados citados acima se mantém inalterada. Por possuir o maior volume de contratação, São Paulo aparece na primeira colocação e é responsável por demissões efetuadas. Minas Gerais apresenta uma participação de 18,05%, e na sequência aparece o Rio de Janeiro, com um índice de 14,97% e profissionais. Tabela 6 Relação mensal das demissões efetuadas no segmento da Arquitetura e da Engenharia por unidade federativa jan / fev 2012 UF jan/13 fev/13 Total TOTAL São Paulo Minas Gerais Rio de Janeiro Bahia Paraná Pernambuco Rio Grande do Sul Santa Catarina Espírito Santo Para Distrito Federal Goiás Mato Grosso Ceará Maranhão Amapa Mato Grosso do Sul Rio Grande do Norte Amazonas Sergipe Tocantins Alagoas Paraíba Piaui Rondônia Acre Roraima O saldo de movimentação do emprego expressa o que está ocorrendo no setor. Apesar do resultado negativo na criação de empregos do Sudeste, São Paulo foi o estado com 14

16 contribuição mais efetiva na geração de postos de trabalho, com 865 novos postos de trabalho no setor da A&EC. O estado de Pernambuco, mesmo com uma movimentação de empregos muito menor quando comparado aos estados localizados no Sudeste, é responsável pela segunda maior participação nos postos de trabalho gerados, com um saldo de 349 empregos. Na terceira colocação, surge o estado do Mato Grosso, com 230 novos postos de trabalho e, na sequência, vem o estado do Amazonas, também com um bom resultado de abertura de novas vagas no setor. É de suma importância destacar o bom desempenho destes dois estados, pois é a confirmação de que a geração de emprego no segmento da Arquitetura e Engenharia vêm se descentralizando ao longo dos anos e ganhando forças em outras localidades, impulsionada por grandes investimentos nas áreas de energia, saneamento e infraestrutura urbana. Os piores desempenhos foram provenientes dos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro, que em conjunto foram responsáveis pela extinção de postos de trabalho. Tabela 7 Saldo de movimentação do emprego no segmento da Arquitetura e da Engenharia por unidade federativa jan / dez 2012 UF jan/13 fev/13 Total São Paulo Pernambuco Mato Grosso Amazonas Santa Catarina Distrito Federal Ceará Goiás Rio Grande do Norte Espírito Santo Rio Grande do Sul Piaui Paraíba Amapa Sergipe Roraima Acre Mato Grosso do Sul Rondônia Alagoas Tocantins Maranhão

17 Paraná Bahia Para Rio de Janeiro Minas Gerais TOTAL

18 Fonte CAGED - Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. Bases Estatísticas do CAGED. Site do MTE Ministério do Trabalho e Emprego,

MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA Sumário. EVOLUÇÃO GERAL..... Movimentação do emprego - comparação com todos os setores da economia, o setor de Serviços e Construção

Leia mais

MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA São Paulo 211 Conteúdo INTRODUÇÃO... 3 1. MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

Leia mais

MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA São Paulo 2010 Sumário 1. Movimentação Nacional do Emprego no segmento da Arquitetura e Engenharia Consultiva 2010...

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro em 2013 FEVEREIRO DE 2014 RESUMO O país criou 730.687 novos postos de trabalho em 2013, desempenho este 16% menor do que o apresentado em 2012. No

Leia mais

MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA 201 MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA Sumário INTRODUÇÃO... 2 1. EVOLUÇÃO GERAL... 1.1. Movimentação do emprego - comparação com todos os setores da economia, o setor

Leia mais

Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Indústria Janeiro/2014

Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Indústria Janeiro/2014 EMPREGO INDUSTRIAL Janeiro de 2014 Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO APRESENTOU O MELHOR DESEMPENHO

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO MAIO DE 2013 A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO.

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO MAIO DE 2013 A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO. EMPREGO INDUSTRIAL MAIO DE 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO. FORAM GERADAS 31.531 VAGAS ENTE JANEIRO E MAIO, correspondendo a um acréscimo

Leia mais

NÍVEL DE EMPREGO FORMAL CELETISTA Outubro 2017 CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS CAGED

NÍVEL DE EMPREGO FORMAL CELETISTA Outubro 2017 CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS CAGED NÍVEL DE EMPREGO FORMAL CELETISTA Outubro 2017 CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS CAGED BRASIL SALDO DO EMPREGO FORMAL - SEM AJUSTES - PERÍODO DE OUTUBRO DE 2016 A OUTUBRO 2017 2 BRASIL SALDO

Leia mais

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 REGIÃO NORTE 5.951.408 87,35 861.892 12,65 6.813.300 RONDÔNIA 760.521 88,11 102.631 11,89 863.152 ACRE 298.081 85,86 49.094

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro JANEIRO DE 214 BRASIL O saldo líquido de empregos formais no primeiro mês de 214 foi de 29.595 empregos em todo o país, segundo o Cadastro Geral

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 Emprego industrial 28 de Janeiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO - no acumulado do ano, foi

Leia mais

Síntese de indicadores. nº 1 setembro 2012 CAGED

Síntese de indicadores. nº 1 setembro 2012 CAGED Síntese de indicadores nº 1 setembro 2012 CAGED Síntese de indicadores CAGED Apresentação A partir deste mês, os Observatórios do Trabalho do DIEESE passam a divulgar a Síntese de Indicadores, com resultados

Leia mais

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações (1.069 postos).

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações (1.069 postos). JAN/2016 Sumário Executivo No mês de janeiro de 2016, o saldo de empregos em Santa Catarina aumentou em relação a dezembro (7.211 postos e variação de 0,4%). A indústria de transformação também teve desempenho

Leia mais

Na comparação com o mesmo mês, foi o menor saldo de empregos da indústria de transformação para fevereiro desde 2010.

Na comparação com o mesmo mês, foi o menor saldo de empregos da indústria de transformação para fevereiro desde 2010. Sumário Executivo FEV/2016 No mês de fevereiro de 2016, o saldo de empregos em Santa Catarina aumentou em relação a janeiro (4.793 postos e variação de 0,2%). A indústria de transformação também teve desempenho

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Novembro de 2013

EMPREGO INDUSTRIAL Novembro de 2013 EMPREGO INDUSTRIAL Novembro de 2013 Emprego industrial 02 de Janeiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO APRESENTOU O SEGUNDO MELHOR

Leia mais

Emprego Industrial Dezembro de 2014

Emprego Industrial Dezembro de 2014 Emprego Industrial Dezembro de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de dezembro de 2014, o saldo de empregos em Santa Catarina recuou em relação ao estoque de novembro (-36.691 postos e variação de -1,8%). A

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Maio de 2014

EMPREGO INDUSTRIAL Maio de 2014 EMPREGO INDUSTRIAL Maio de 2014 EMPREGO INDUSTRIAL FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO O mercado de trabalho catarinense não cresceu em maio. A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO

Leia mais

Emprego Industrial Fevereiro de 2015

Emprego Industrial Fevereiro de 2015 Emprego Industrial Fevereiro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de fevereiro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina cresceu em relação ao estoque de janeiro (12.108 postos e variação de 0,6%). A

Leia mais

Acre Previsão por Coeficiente no Estado

Acre Previsão por Coeficiente no Estado Acre 0,6 121.073,55 262.729,59 0,8 161.431,39 350.306,12 1,0 201.789,24 437.882,66 1,2 242.147,09 525.459,19 1,4 - - 1,6 322.862,79 700.612,25 1,8 363.220,64 788.188,78 2,0 - - 2,2 - - 2,4 - - 2,6 524.652,03

Leia mais

Dezembro/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Dezembro/2013

Dezembro/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Dezembro/2013 Dezembro/2013 - BRASIL Análise do emprego Brasil Dezembro/2013 2013. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

Emprego Industrial Julho de 2014

Emprego Industrial Julho de 2014 Emprego Industrial Julho de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No acumulado do ano (jan-jul), a indústria de transformação foi a atividade econômica que mais gerou empregos em Santa Catarina (25.147), de um total

Leia mais

Emprego Industrial Janeiro de 2015

Emprego Industrial Janeiro de 2015 Emprego Industrial Janeiro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de janeiro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina cresceu em relação a dezembro (14.637 postos e variação de 0,7%). A indústria de transformação

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA Relatório Mensal: A Movimentação do Mercado de Trabalho Formal no Município de Diadema Março de 2008 Termo de Contrato Nº. 226/2007 MAIO de 2008 SUMÁRIO Apresentação

Leia mais

Emprego Industrial Junho de 2015

Emprego Industrial Junho de 2015 Emprego Industrial Junho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de junho de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de maio (-7.922 postos e variação de -0,4%). A indústria

Leia mais

Emprego Industrial Dezembro de 2015

Emprego Industrial Dezembro de 2015 Emprego Industrial Dezembro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de embro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de novembro (-34.971 postos e variação de -1,7%). A indústria

Leia mais

Emprego Industrial Outubro de 2014

Emprego Industrial Outubro de 2014 Emprego Industrial Outubro de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de outubro de 2014, o saldo de empregos em Santa Catarina voltou a crescer (4.973 postos e variação de 0,2% em relação ao estoque de setembro).

Leia mais

Emprego Industrial Julho de 2015

Emprego Industrial Julho de 2015 Emprego Industrial Julho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de julho de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de junho (-14.770 postos e variação de -0,7%). A indústria

Leia mais

Emprego Industrial Setembro de 2015

Emprego Industrial Setembro de 2015 Emprego Industrial Setembro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de setembro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de agosto (-4.425 postos e variação de -0,2%). A indústria

Leia mais

Emprego Industrial Setembro de 2014

Emprego Industrial Setembro de 2014 Emprego Industrial Setembro de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de setembro de 2014, o saldo do emprego voltou a crescer em Santa Catarina (7.033 postos e variação de 0,3% em relação ao estoque de agosto).

Leia mais

Emprego Industrial Agosto de 2014

Emprego Industrial Agosto de 2014 Emprego Industrial Agosto de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de agosto de 2014, o saldo de emprego em Santa Catarina voltou a crescer (6.599 postos e variação de 0,3% em relação ao estoque de julho). A indústria

Leia mais

Emprego Industrial Outubro de 2015

Emprego Industrial Outubro de 2015 Emprego Industrial Outubro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de ubro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de setembro (-4.475 postos e variação de -0,2%). A indústria

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Junho de 2014

EMPREGO INDUSTRIAL Junho de 2014 EMPREGO INDUSTRIAL Junho de 2014 Emprego industrial FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO CATARINENSE fechou 1.344 postos de trabalho em junho,

Leia mais

O setor de Serviços foi o maior gerador de empregos formais no mês de julho (1.372 postos), seguido da Construção Civil (564 postos).

O setor de Serviços foi o maior gerador de empregos formais no mês de julho (1.372 postos), seguido da Construção Civil (564 postos). EMPREGO INDUSTRIAL JULHO DE 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO CATARINENSE APRESENTOU DIMINUIÇÃO DO EMPREGO EM JULHO. O número de demissões foi maior que o de admissões resultando em um

Leia mais

ADMISSÕES E DESLIGAMENTOS ANO 2016

ADMISSÕES E DESLIGAMENTOS ANO 2016 ADMISSÕES E DESLIGAMENTOS ANO 2016 Brasília DF Junho/2017 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 1.1 CAGED... 2 2. OBJETIVOS... 3 3. METODOLOGIA... 3 4. RESULTADOS... 4 4.1 Número e Variação de Trabalhadores por Tipo

Leia mais

GRÁFICO 1 Saldo do Emprego Bancário Brasil janeiro/2015 a junho/2016

GRÁFICO 1 Saldo do Emprego Bancário Brasil janeiro/2015 a junho/2016 Saldo de Empregos no Setor Bancário Janeiro a junho de 2016 Analise do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e Emprego No primeiro semestre de 2016 foram fechados 6.785

Leia mais

Participação dos Pequenos Negócios no Emprego

Participação dos Pequenos Negócios no Emprego Participação dos Pequenos Negócios no Emprego CAGED fevereiro/2013 2013. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Abril de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Abril de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

Mercado de Trabalho Empregos formais. Estado de São Paulo Município: Capivari

Mercado de Trabalho Empregos formais. Estado de São Paulo Município: Capivari Mercado de Trabalho Empregos formais Estado de São Paulo Município: Capivari SÍNTESE Estado de São Paulo População estimada em 2014 44.035.304 População 2010 41.262.199 Área (km²) 248.222,36 Densidade

Leia mais

Janeiro/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Janeiro/2014

Janeiro/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Janeiro/2014 Janeiro/2014 - BRASIL Análise do emprego Brasil Janeiro/2014 2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - ABRIL/2015

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - ABRIL/2015 Saldo (Admissão - Desligamentos) Saldo (Admissão - Desligamentos) GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - ABRIL/215 1. Geração de Empregos no Brasil - Mercado de Trabalho volta a Demitir O Ministério do Trabalho

Leia mais

9, R$ , , R$ ,

9, R$ , , R$ , Rondônia 2005 R$ 601.575,17 2005 10.154 2004 1.027.983 2004 108.139 2004 10,52 2006 R$ 609.834,21 2006 10.757 2005 1.025.249 2005 101.539 2005 9,90 2007 R$ 1.229.490,00 2007 9.100 2006 1.047.004 2006 111.068

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. Fevereiro/2013 (dados até Janeiro)

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. Fevereiro/2013 (dados até Janeiro) ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Fevereiro/2013 (dados até Janeiro) Características da pesquisa Objetivo: - medir o impacto da conjuntura econômica nos Pequenos Negócios e suas

Leia mais

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações no ano (3.907 postos).

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações no ano (3.907 postos). Sumário Executivo MAR/2016 No mês de março de 2016, o saldo de empregos em Santa Catarina recuou em relação a fevereiro (-3.803 postos e variação de -0,2%). A indústria de transformação teve desempenho

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA Relatório Mensal: A Movimentação do Mercado de Trabalho Formal no Município de Diadema Maio de 2008 Termo de Contrato Nº. 226/2007 JUNHO de 2008 SUMÁRIO Apresentação

Leia mais

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Dezembro/2016 e acumulado de 2016 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui

Leia mais

Maio/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Maio/2014

Maio/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Maio/2014 Maio/2014 - BRASIL Análise do emprego Brasil Maio/2014 2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no

Leia mais

Março/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Março/2014

Março/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Março/2014 Março/2014 - BRASIL Análise do emprego Brasil Março/2014 2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

Admissões e Desligamentos Ano 2015

Admissões e Desligamentos Ano 2015 Admissões e Desligamentos Ano 2015 Brasília DF Fevereiro/2016 1. INTRODUÇÃO A movimentação de admitidos e desligados no setor de segurança privada é observada mensalmente através do Ministério do Trabalho

Leia mais

Admissões e Desligamentos Julho de 2016

Admissões e Desligamentos Julho de 2016 Admissões e Desligamentos Julho de 2016 Brasília DF Setembro/2016 1. INTRODUÇÃO A movimentação de admitidos e desligados no setor de segurança privada é observada mensalmente através do Ministério do Trabalho

Leia mais

Admissões e Desligamentos Março de 2016

Admissões e Desligamentos Março de 2016 Admissões e Desligamentos Março de 2016 Brasília DF Maio/2016 1. INTRODUÇÃO A movimentação de admitidos e desligados no setor de segurança privada é observada mensalmente através do Ministério do Trabalho

Leia mais

Resultado do Estoque de Empregos Formais RAIS 2002 a 2013

Resultado do Estoque de Empregos Formais RAIS 2002 a 2013 Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

Emprego Industrial Novembro de 2015

Emprego Industrial Novembro de 2015 Emprego Industrial Novembro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de novembro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de ubro (-6.418 postos e variação de -0,3%). A indústria

Leia mais

Saldo de Empregos no Setor Bancário Janeiro a setembro de 2017 Analise do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho

Saldo de Empregos no Setor Bancário Janeiro a setembro de 2017 Analise do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho Saldo de Empregos no Setor Bancário Janeiro a setembro de 2017 Analise do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho Entre janeiro e setembro de 2017, foram fechados 16.879

Leia mais

2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Junho/2014 2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

Nível de Emprego Formal Celetista

Nível de Emprego Formal Celetista Nível de Emprego Formal Celetista Cadastro Geral de Empregados e Desempregados CAGED FEVEREIRO de 2014 1 Geração de Empregos Formais Celetistas Total de Admissões em fevereiro de 2014... 1.989.181 Total

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Novembro de 2015

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Novembro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Novembro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Novembro de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

GERAÇÃO DE VAGAS ATINGIU MAIS DA METADE DOS SUBSETORES NO 1º TRIMESTRE

GERAÇÃO DE VAGAS ATINGIU MAIS DA METADE DOS SUBSETORES NO 1º TRIMESTRE GERAÇÃO DE VAGAS ATINGIU MAIS DA METADE DOS SUBSETORES NO 1º TRIMESTRE Apesar do saldo agregado negativo nos três primeiros meses do ano, 13 dos 25 subsetores de atividade geraram postos formais de trabalho.

Leia mais

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Maio/2017 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Junho de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Junho de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Junho de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Junho de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Março/2017 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

Geração de Empregos Celetistas no Ceará - 1º Semestre de 2014

Geração de Empregos Celetistas no Ceará - 1º Semestre de 2014 Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

Admissões e Desligamentos Primeiro Semestre de 2016

Admissões e Desligamentos Primeiro Semestre de 2016 Admissões e Desligamentos Primeiro Semestre de 2016 Brasília DF Outubro/2016 1. INTRODUÇÃO A movimentação de admitidos e desligados no setor de segurança privada é observada mensalmente através do Ministério

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Março de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

Admissões e Desligamentos Primeiro Semestre de 2015

Admissões e Desligamentos Primeiro Semestre de 2015 Admissões e Desligamentos Primeiro Semestre de 2015 Brasília DF Agosto/2015 1. INTRODUÇÃO A movimentação de admitidos e desligados no setor de segurança privada é observada mensalmente através do Ministério

Leia mais

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Outubro/2015 2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos

Leia mais

CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do segmento econômico da Arquitetura e Engenharia Consultiva

CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do segmento econômico da Arquitetura e Engenharia Consultiva CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do segmento econômico da Arquitetura e Engenharia Consultiva São Paulo 2009 CONTEÚDO 1.MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO DO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA

Leia mais

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Março/2015 2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE. Relatório Mensal: Movimentação do emprego formal em setembro de 2010 no Rio Grande do Norte

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE. Relatório Mensal: Movimentação do emprego formal em setembro de 2010 no Rio Grande do Norte OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE Relatório Mensal: Movimentação do emprego formal em setembro de 2010 no Rio Grande do Norte Contrato de Prestação de Serviços Nº. 011/2010 - SETHAS/DIEESE

Leia mais

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Dezembro/2014 2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos

Leia mais

Emprego Industrial Agosto de 2015

Emprego Industrial Agosto de 2015 Emprego Industrial Agosto de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de sto de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de julho (-6.925 postos e variação de -0,3%). A indústria

Leia mais

ÍNDICE A ECONOMIA BRASILEIRA VOLTOU A CRESCER? EMPREGO FORMAL... 03

ÍNDICE A ECONOMIA BRASILEIRA VOLTOU A CRESCER? EMPREGO FORMAL... 03 CONSTRUÇÃO CIVIL EM ANÁLISE Nº 02 FEVEREIRO 2017 1 ÍNDICE A ECONOMIA BRASILEIRA VOLTOU A CRESCER?... 02 1 EMPREGO FORMAL... 03 1.1 SALDO MENSAL DE EMPREGO NA CONSTRUÇÃO CIVIL DO ESTADO DO PARÁ... 04 1.2

Leia mais

Nível de Emprego Formal Celetista

Nível de Emprego Formal Celetista Nível de Emprego Formal Celetista Cadastro Geral de Empregados e Desempregados CAGED Abril de 2014 1 Geração de Empregos Formais Celetistas Total de Admissões em abril de 2014... 1.862.515 Total de Desligamentos

Leia mais

SÍNTESE DO COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL EM ALAGOAS ABRIL DE 2015

SÍNTESE DO COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL EM ALAGOAS ABRIL DE 2015 SÍNTESE DO COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL EM ALAGOAS ABRIL DE 2015 Superintendência de Produção da Informação e do Conhecimento (SINC) Diretoria de Estatística e Indicadores Analisando os

Leia mais

BOLETIM EMPREGO Julho 2014

BOLETIM EMPREGO Julho 2014 Introdução A seguir são apresentados os últimos resultados disponíveis sobre o emprego no Brasil, com foco no ramo Metalúrgico. Serão utilizadas as bases de dados oficiais, são elas: a RAIS (Relação Anual

Leia mais

Van MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

Van MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA Van 2015 MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA Presidente Nacional José Roberto Bernasconi Diretor

Leia mais

Perfil do Setor da Arquitetura e Engenharia Consultiva 2008

Perfil do Setor da Arquitetura e Engenharia Consultiva 2008 Perfil do Setor da Arquitetura e Engenharia Consultiva São Paulo 2010 Apresentação O Sinaenco Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva divulga na presente publicação os resultados

Leia mais

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Abril/2016 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Janeiro/2015 2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos

Leia mais

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Julho/2016 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Setembro/2016 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos

Leia mais

RESULTADOS DAS PESQUISAS PIM-PF E PMC DO IBGE 1

RESULTADOS DAS PESQUISAS PIM-PF E PMC DO IBGE 1 RESULTADOS DAS PESQUISAS PIM-PF E PMC DO IBGE 1 Produção Industrial Mensal Produção Física: Março de 2012 Os indicadores da Pesquisa Industrial Mensal Produção Física PIM-PF, referentes ao mês de março

Leia mais

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Junho/2017 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Fevereiro/2015 2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos

Leia mais

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Junho/2016 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

FLUXO CONSTRUÇÃO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO CONSTRUÇÃO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 29 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 29 FLUXO - OBRAS DE INFRA-ESTRUTURA, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Alexsandre Lira Cavalcante *

Alexsandre Lira Cavalcante * 1. Volume de vendas do comércio varejista Alexsandre Lira Cavalcante * De acordo com dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), realizada pelo IBGE, o volume de vendas do comércio varejista comum cearense

Leia mais

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Abril/2015 2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Rio de Janeiro Balanço de 2011

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Rio de Janeiro Balanço de 2011 GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Rio de Janeiro Balanço de 2011 NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, FEVEREIRO DE 2012 08 2012 O ano de 2011 foi marcado

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro Balanço de 2012

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro Balanço de 2012 NOTA CONJUNTURAL GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro Balanço de 2012 OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JANEIRO DE 2013 19 2013 PANORAMA GERAL Os

Leia mais

Na média de 2015, a economia brasileira fechou mais de 525,3 mil postos de trabalho em relação aos dez primeiros meses de O setor de serviços,

Na média de 2015, a economia brasileira fechou mais de 525,3 mil postos de trabalho em relação aos dez primeiros meses de O setor de serviços, Novembro de 2015 1 Na média de 2015, a economia brasileira fechou mais de 525,3 mil postos de trabalho em relação aos dez primeiros meses de 2014. O setor de serviços, contudo, continuou abrindo vagas.

Leia mais

2017. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2017. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Julho/2017 2017. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

Pressão sobre os salários continua em queda, apesar da taxa de desemprego estável

Pressão sobre os salários continua em queda, apesar da taxa de desemprego estável Pressão sobre os salários continua em queda, apesar da taxa de desemprego estável Estimativa da Fipe e da Catho para a taxa de desemprego do décimo mês do ano é de 5,0%, 0,1 ponto percentual maior do que

Leia mais

Boletim Mensal de Emprego Formal do Estado de São Paulo Fevereiro de 2016

Boletim Mensal de Emprego Formal do Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 2016 Boletim Mensal de Emprego Formal do Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Balanço do trabalho formal para o Mês de Fevereiro de 2016 Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Estado de São Paulo.

Leia mais

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Fonte: IBGE/Pnad. Elaboração própria. Nota: a PNAD até o ano de 2003 não abrangia a área rural da região Norte (exceto o Tocantins). Nos anos de 1994, 2000

Leia mais

SANTA CATARINA REGISTRA O SEGUNDO MENOR SALDO DE EMPREGOS PARA O MÊS DE JUNHO DESDE 2002

SANTA CATARINA REGISTRA O SEGUNDO MENOR SALDO DE EMPREGOS PARA O MÊS DE JUNHO DESDE 2002 Informação e Análise do Mercado de Trabalho Informativo Mensal de Emprego CAGED nº 07/2012 1 23/07/2012 SANTA CATARINA REGISTRA O SEGUNDO MENOR SALDO DE EMPREGOS PARA O MÊS DE JUNHO DESDE 2002 Os dados

Leia mais

Produção Brasileira de Melão por Estado 2007 Estados Área (ha) Volume (Ton) Valor (Mil R$) Rio Grande do Norte Ceará 6.

Produção Brasileira de Melão por Estado 2007 Estados Área (ha) Volume (Ton) Valor (Mil R$) Rio Grande do Norte Ceará 6. Produção Brasileira de Abacaxi por Estado 2007 Pará 15.462 701.948 125.596 Paraíba 11.600 625.527 150.054 Minas Gerais 7.593 596.668 127.597 Bahia 6.430 282.634 63.185 São Paulo 3.620 271.380 76.161 Rio

Leia mais

O mercado de trabalho no setor de A&EC

O mercado de trabalho no setor de A&EC O mercado de trabalho no setor de A&EC (RAIS) 2013 Relatório dos empregos formais por categoria profissional. SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA Presidente Nacional

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE Relatório Mensal: Movimentação do emprego formal em agosto de 2010 no Rio Grande do Norte Contrato de Prestação de Serviços Nº. 011/2010 - SETHAS/DIEESE

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Março de 2014

EMPREGO INDUSTRIAL Março de 2014 EMPREGO INDUSTRIAL Março de 2014 Emprego industrial FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO APRESENTOU O MELHOR DESEMPENHO ENTRE OS SETORES DA

Leia mais

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego Fevereiro de 2015 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 19/03/2015

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego Fevereiro de 2015 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 19/03/2015 INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego Fevereiro de 2015 - Brasil Subseção Dieese Força Sindical Elaboração: 19/03/2015 Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Leia mais