Auditoria no Sistema Nacional de Integração de Informações em Justiça e Segurança Pública (Infoseg)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Auditoria no Sistema Nacional de Integração de Informações em Justiça e Segurança Pública (Infoseg)"

Transcrição

1 1 Auditoria no Sistema Nacional de Integração de Informações em Justiça e Segurança Pública (Infoseg) Renato Braga, CISA Novembro de 2008

2 2 Objetivo Apresentar a auditoria realizada pelo TCU no sistema Infoseg e os principais resultados da avaliação realizada.

3 3 Agenda Por que o TCU está auditando sistemas e dados? Descrição do sistema Infoseg Origem, objetivo e critérios da auditoria Método e técnicas Planejamento da auditoria Resultados obtidos Maiores desafios

4 Referencial estratégico do TCU 4

5 5 Agenda Por que o TCU está auditando sistemas e dados? Descrição do sistema Infoseg Origem, objetivo e critérios da auditoria Método e técnicas Planejamento da auditoria Resultados obtidos Maiores desafios

6 Infoseg Sistema Nacional de Integração de Informações em Justiça e Segurança Pública 6 Integração das informações dos órgãos de segurança pública, justiça e fiscalização da União, dos Estados e do Distrito Federal. (Ilustração cedida pela Senasp/MJ)

7 7 Finalidade do Infoseg Disponibilização dessas informações para os agentes públicos federais, estaduais, distritais e municipais cadastrados no sistema por meio... da Internet (páginas Web); do telefone celular (mensagem SMS); da Intranet (via Web Services);...

8 8 Módulos de consulta Indivíduos Armas Índice Nacional (IN) de inquéritos, processos, mandados de prisão, registro de armas,... Consultas detalhadas. Consulta à base do Sistema Sinarm - Sistema Nacional de Armas - mantido pelo Departamento de Polícia Federal. Veículos Consulta à base do Sistema Renavam - Registro Nacional de Veículos Automotores - mantido pelo Denatran. Condutores Consulta à base do Sistema Renach - Registro Nacional de Carteiras de Habilitação - mantido pelo Denatran.

9 9 Arquitetura do Infoseg (Ilustração cedida pela Senasp/MJ)

10 10 Ambientes heterogêneos

11 11 Reflexão: Qual o potencial desse sistema para agregar valor ao negócio segurança pública? Vamos lembrar da consulta via Web Services...

12 12 Agenda Por que o TCU está auditando sistemas e dados? Descrição do sistema Infoseg Origem, objetivo e critérios da auditoria Método e técnicas Planejamento da auditoria Resultados obtidos Maiores desafios

13 13 Origem da auditoria Auditoria operacional do TCU no SUSP - Sistema Único de Segurança Pública - indicou problemas na implantação do Infoseg Acórdão n.º 724/ TCU Plenário Mas já no início do planejamento identificamos que o sistema estava implantado em todos (menos um) estados!

14 14 Objetivo da auditoria Avaliar aspectos relacionados com a segurança e a consistência das informações gerenciadas pelo sistema Infoseg. Segurança no sistema de segurança?

15 15 Critérios de auditoria Finalidade do sistema Dispositivos legais NBR/ISO/IEC 17799:2005 Cobit

16 16 Agenda Por que o TCU está auditando sistemas e dados? Descrição do sistema Infoseg Origem, objetivo e critérios da auditoria Método e técnicas Planejamento da auditoria Resultados obtidos Maiores desafios

17 17 Auditoria de conformidade Matriz de Planejamento Matriz de Procedimentos Matriz de Achados Matriz de Responsabilização Guia de auditoria de conformidade do TCU

18 18 Automação: Sistema Fiscalis

19 19

20 20 Técnicas utilizadas Análise documental Entrevistas presenciais Entrevistas virtuais (questionário eletrônico) Análise de dados (TAAC) Inspeção Observação

21 21 Agenda Por que o TCU está auditando sistemas e dados? Descrição do sistema Infoseg Origem, objetivo e critérios da auditoria Método e técnicas Planejamento da auditoria Resultados obtidos Maiores desafios

22 22 Questões de auditoria Q.1. As informações do Índice Nacional - IN - refletem as informações das bases de dados dos agentes de segurança pública? Q.2. As Políticas de Segurança da Informação estabelecidas pelo MJ contribuem para uma boa gestão de segurança da informação na rede Infoseg? Q.3. O perímetro de segurança e os controles de acesso físico garantem a segurança das instalações?

23 23 Questões de auditoria Q.4. A gerência do Infoseg possui gestão de controle de acesso para a rede Infoseg que dificulte o uso indevido das informações? Q.5. A estrutura de Recursos Humanos da área de TI é satisfatória para atendimento das necessidades de TI do Infoseg? Q.6. Os contratos de prestação de serviços contemplam requisitos de segurança? Q.7. Os contratos de locação de mão-de-obra contemplam requisitos de segurança?

24 24 Questões de auditoria Q.8. A Senasp detém o conhecimento e controle técnico do Infoseg? Q.9. Há um Plano de Continuidade do Negócio - PCN - compatível com as necessidades operacionais do Infoseg? Q.10. A usabilidade do sistema pelo usuário (manual, help online, helpdesk) é satisfatória?

25 25 Q.10. Usabilidade usuários responderam o questionário

26 Q.1. Consistência das informações - Principais Riscos 26 Indivíduo consta do IN e não consta da base estadual. Indivíduo consta da base estadual e não consta do IN. Indivíduo consta do IN e da base estadual, mas as informações estão inconsistentes. Ferramenta TAAC

27 27 Arquivos Índice Nacional (IN) base de indivíduos possuía 16 milhões de registros. Foram realizados cruzamentos do IN com as bases de 6 entes que alimentam o Infoseg.

28 28 Agenda Por que o TCU está auditando sistemas e dados? Descrição do sistema Infoseg Origem, objetivo e critérios da auditoria Método e técnicas Planejamento da auditoria Resultados obtidos Maiores desafios

29 29 Resultados obtidos Praticamente todos os possíveis achados se confirmaram Relatório completo no site do TCU Acórdão nº 71/2007 TCU Plenário Sumário executivo do trabalho no site da Sefti/TCU

30 30 Principais resultados Em todos os entes visitados, a equipe de auditoria constatou inconsistências entre as informações constantes das bases dos entes e da base do Índice Nacional - IN -, conforme evidenciado nos Ofícios de Requisição...

31 31 Principais resultados (cont.) Considerando a existência de inconsistência nas informações sobre mandados de prisão em aberto, as notificações supra foram encaminhadas tanto ao Secretário Nacional de Segurança Pública quanto ao interlocutor do ente visitado (normalmente o coordenadoradministrativo do Infoseg) de forma a permitir maior agilidade nas eventuais correções.

32 32 Principais resultados (cont.) Registre-se que todos os entes visitados já realizaram, pelo menos uma vez, a operação de recarga da base, quando foi solicitado à Senasp que excluísse todos os registros daquele ente, para que pudessem ser incluídas informações consistentes.

33 33 Principais resultados (cont.) As inconsistências encontradas evidenciam controles de processamento insuficientes (item , da NBR ISO/IEC 17799:2005), e podemos dividi-las em três grupos: registros constantes do IN sem correspondência nas bases do ente; registros constantes das bases do ente sem correspondência no IN; registros constantes das bases do ente e do IN, porém com conteúdos divergentes

34 34 Principais resultados Recursos humanos Equipe composta por 12 funcionários de 2 empresas contratadas (alocação de mão-de-obra) e 1 servidor público temporário Sistema desenvolvido, mantido e operado na Senasp/MJ, sem supervisão do setor de TI do MJ

35 35 Principais resultados Foram identificadas boas práticas... Utilização de padrões abertos (XML) permitiu superar as dificuldades detectadas durante a auditoria operacional que deu origem a este trabalho o que resultou na implantação do sistema Havia uma boa gestão dos contratos com a prestadora de serviços de link de comunicação

36 36 Agenda Por que o TCU está auditando sistemas e dados? Descrição do sistema Infoseg Origem, objetivo e critérios da auditoria Método e técnicas Planejamento da auditoria Resultados obtidos Maiores desafios

37 37 Maiores desafios Por conta da especificidade do Infoseg Segurança Pública e o Princípio Federativo da Constituição Federal Regra de negócio não-uniforme

38 38 Maiores desafios Por conta da legislação brasileira Critérios para auditoria de gestão da segurança da informação não constam explicitamente da legislação brasileira Jurisdição do TCU

39 39 Maiores desafios Por conta da distribuição do sistema Diversidade de tecnologias Segurança no todo depende da segurança nas partes Governança no todo depende da governança nas partes

40 40 Objetivo Apresentar a auditoria realizada pelo TCU no sistema Infoseg e os principais resultados da avaliação realizada.

41 41 Equipe de auditoria Harley Alves Ferreira integrante Carlos Renato Araujo Braga coordenador Roberta Ribeiro de Queiroz Martins supervisora

42 42 Grato pela atenção. Renato Braga, CISA Missão da Sefti: Assegurar que a tecnologia da informação agregue valor ao negócio da Administração Pública em benefício da sociedade.

Utilização de ferramentas CAAT em auditorias de grandes bases de dados

Utilização de ferramentas CAAT em auditorias de grandes bases de dados Utilização de ferramentas CAAT em auditorias de grandes bases de dados Renato Braga, CISA Setembro de 2008 Agenda Por que o TCU está auditando dados? O que são ferramentas CAAT Um método para fazer auditoria

Leia mais

Segurança da informação

Segurança da informação Segurança da informação Roberta Ribeiro de Queiroz Martins, CISA Dezembro de 2007 Agenda Abordagens em auditoria de tecnologia da informação Auditoria de segurança da informação Critérios de auditoria

Leia mais

Auditoria no Sistema Nacional de Integração de Informações em Justiça e Segurança Pública - Infoseg

Auditoria no Sistema Nacional de Integração de Informações em Justiça e Segurança Pública - Infoseg Endereço para contato, solicitação de exemplares e consulta na Internet TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação (Sefti) SAFS, Quadra 4, Lote 1 Anexo I, Sala 311

Leia mais

Unidade especializada em auditoria de TI. caso TCU. Renato Braga, CISA Tribunal de Contas da União

Unidade especializada em auditoria de TI. caso TCU. Renato Braga, CISA Tribunal de Contas da União Unidade especializada em auditoria de TI caso TCU Renato Braga, CISA Tribunal de Contas da União 2 O participante aprenderá mais sobre: As diferenças entre unidades de auditoria especializada e não especializada

Leia mais

Encontro com o mercado privado de TI Contratações Públicas de TI Sistemas Integrados de Gestão das Empresas Estatais

Encontro com o mercado privado de TI Contratações Públicas de TI Sistemas Integrados de Gestão das Empresas Estatais Encontro com o mercado privado de TI Contratações Públicas de TI Sistemas Integrados de Gestão das Empresas Estatais Wesley Vaz, MSc., CISA Sefti/TCU Brasília, 6 de novembro de 2012 Sistemas Integrados

Leia mais

Governança de Tecnologia da Informação e Contas Públicas

Governança de Tecnologia da Informação e Contas Públicas 1 Governança de Tecnologia da Informação e Contas Públicas Renato Braga, CISA Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba Junho de 2009 2 Objetivo Apresentar como a governança de tecnologia da informação se

Leia mais

REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO

REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO Rede InfoSeg REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO Situação da Rede INFOSEG (novembro/2003) Defasagem de atualização dos dados; Pouca participação dos

Leia mais

Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública. André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011

Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública. André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011 Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011 André Luiz Furtado Pacheco, CISA Graduado em Processamento de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO

REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO Rede InfoSeg REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO O que é a? É uma estrutura de links capilarizada nos 26 Estados da Federação e no Distrito Federal,

Leia mais

igovti e Classificação da Informação

igovti e Classificação da Informação igovti e Classificação da Informação André Luiz Furtado Pacheco, CISA Secretaria de Fiscalização de TI/TCU Brasília, 2 de outubro de 2014 Agenda 1. igovti 2. Classificação da Informação 3. Conclusão 2

Leia mais

Auditoria Interna na Área de Tecnologia da Informação

Auditoria Interna na Área de Tecnologia da Informação Auditoria Interna na Área de Tecnologia da Informação André Luiz Furtado Pacheco, CISA 4º Workshop de Auditoria de TI da Caixa Brasília, agosto de 2011 Agenda Introdução Exemplos de Deliberações pelo TCU

Leia mais

A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, Dispõe sobre a Política de Segurança da Informação no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª. Região. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

Avaliação da Segurança da Informação no âmbito da APF

Avaliação da Segurança da Informação no âmbito da APF Avaliação da Segurança da Informação no âmbito da APF Pedro Coutinho Filho Sefti Brasília, 17 de maio de 2013 www.tcu.gov.br/fiscalizacaoti 2 da TI o Levantamento IGovTI o Objetivos Agenda o Principais

Leia mais

Governança de TI e Auditoria Interna

Governança de TI e Auditoria Interna Governança de TI e Auditoria Interna Renato Braga, CISA, CIA, CGAP, CCI Diretor Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação Tribunal de Contas da União Florianópolis, 25 de abril de 2012 Agenda

Leia mais

Por que pregão? Renato Braga, CISA, CIA, CGAP Sefti/TCU

Por que pregão? Renato Braga, CISA, CIA, CGAP Sefti/TCU 1 Por que pregão? Renato Braga, CISA, CIA, CGAP Sefti/TCU 2 Um homem que trabalha com suas mãos é um operário; o que trabalha com suas mãos e o seu cérebro é um artesão, e o que trabalha com suas mãos,

Leia mais

100 vezes Boletim. nº 100 - Brasília, 05 de Setembro de 2008

100 vezes Boletim. nº 100 - Brasília, 05 de Setembro de 2008 nº 100 - Brasília, 05 de Setembro de 2008 100 vezes Boletim Você acaba de receber o Boletim Digital de número 100. Esse veículo vem contando, há quase dois anos e meio, a história da consolidação da Infra

Leia mais

José Geraldo Loureiro Rodrigues Orientador: João Souza Neto

José Geraldo Loureiro Rodrigues Orientador: João Souza Neto José Geraldo Loureiro Rodrigues Orientador: João Souza Neto Análise dos três níveis: Governança Corporativa Governança de TI Gerenciamento da Área de TI ORGANIZAÇÃO Governança Corporativa Governança

Leia mais

Gestão e Uso da TI na APF

Gestão e Uso da TI na APF Gestão e Uso da TI na APF Renato Braga, CISA, CIA, CGAP, CCI Brasília, 05 de novembro de 2012 1 Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina Cora Coralina, poeta goiana. 2 Objetivo Apresentar

Leia mais

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD.

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 203. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. GESTÃO EAD Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

Auditoria de Governança e Terceirização de TI

Auditoria de Governança e Terceirização de TI 1 Auditoria de Governança e Terceirização de TI Renato Braga, CISA VI CNASI Brasília Junho de 2008 2 Questão preliminar: o que é a Sefti? 3 Criação da Sefti Em agosto de 2006 (Resolução TCU n.º 193/2006)

Leia mais

PORTARIA Nº 60, DE 25 DE JANEIRO DE 2010

PORTARIA Nº 60, DE 25 DE JANEIRO DE 2010 PORTARIA Nº 60, DE 25 DE JANEIRO DE 2010 Estabelece orientações e procedimentos a serem adotados na celebração de Contratos, Termos de Cooperação, Acordos de Cooperação Técnica e outros instrumentos congêneres,

Leia mais

Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando Alves Rodrigues 2, Silvio Francisco dos Santos 3

Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando Alves Rodrigues 2, Silvio Francisco dos Santos 3 DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA INFORMATIZADO PARA O CONTROLE DE PROCESSOS DA QUALIDADE NA DIRETORIA DE METROLOGIA CIENTÍFICA E INDUSTRIAL DIMCI/INMETRO. Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETI) Secretaria de Tecnologia da Informação Florianópolis, março de 2010. Apresentação A informatização crescente vem impactando diretamente

Leia mais

A gestão da Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação

A gestão da Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação A gestão da Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação Cláudio Castello Branco Introdução A criação da Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação (Sefti) no Tribunal de Contas da

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

AUDITORIA DE PROCESSOS BASEADA EM RISCOS. Diorgens Miguel Meira

AUDITORIA DE PROCESSOS BASEADA EM RISCOS. Diorgens Miguel Meira AUDITORIA DE PROCESSOS BASEADA EM RISCOS Diorgens Miguel Meira AGENDA 1 2 3 4 5 O BANCO DO NORDESTE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO BNB AUDITORIA NO BANCO DO NORDESTE SELEÇÃO DE PROCESSOS CRÍTICOS AUDITORIA

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Uso de TIC nas IFES Planejamento e Governança

Uso de TIC nas IFES Planejamento e Governança Uso de TIC nas IFES Planejamento e Governança IV Encontro do Forplad Daniel Moreira Guilhon, CISA Novembro/2012 1 O que pretendemos? Conceituar os aspectos relacionados à boa governança para assegurar

Leia mais

Governança de TI. Heleno dos Santos Ferreira

Governança de TI. Heleno dos Santos Ferreira Governança de TI Heleno dos Santos Ferreira Agenda Governança de TI Heleno dos Santos Ferreira ITIL Publicação dos Livros revisados 2011 ITIL Correções ortográficas e concordâncias gramaticais; Ajustes

Leia mais

ACÓRDÃO Nº 1233/2012 TCU Plenário

ACÓRDÃO Nº 1233/2012 TCU Plenário ACÓRDÃO Nº 1233/2012 TCU Plenário 1. Processo nº TC 011.772/2010-7. 2. Grupo I Classe de Assunto V: Relatório de Auditoria 3. Interessados/Responsáveis: 3.1. Interessada: Secretaria de Fiscalização de

Leia mais

PLANO ENSINO. Nivelamento Normas de Auditoria. DATA: 9 a 13/11/2015. HORÁRIO: 13:00 a 18:00 PERÍODO DE INSCRIÇÕES: OBJETIVO GERAL: PÚBLICO ALVO:

PLANO ENSINO. Nivelamento Normas de Auditoria. DATA: 9 a 13/11/2015. HORÁRIO: 13:00 a 18:00 PERÍODO DE INSCRIÇÕES: OBJETIVO GERAL: PÚBLICO ALVO: PLANO ENSINO CURSO: Nivelamento Normas de Auditoria CARGA HORÁRIA: 25 horas-aula DATA: 9 a 13/11/2015 HORÁRIO: 13:00 a 18:00 PERÍODO DE INSCRIÇÕES: INSTRUTOR (ES): Marcelo Luiz Souza da Eira OBJETIVO GERAL:

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO PLANO DE AUDITORIA DE LONGO PRAZO (PALP) 2013-2014 Sumário: 1 INTRODUÇÃO... 3 2 BIÊNIO 2013-2014: ATIVIDADES DE MONITORAMENTO E ACOMPANHAMENTO.... 3 2.1 Apoio ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo...

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO CONSULTA DE RELACIONAMENTOS

MANUAL DO USUÁRIO CONSULTA DE RELACIONAMENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elaborado: Equipe SAG Revisado: Aprovado: Data: 08/09/2008 Data: 18/11/2008 Data: A autenticação do documento consta no arquivo primário da Qualidade Referencia:

Leia mais

O que é o Sinesp? julho de 2012, que tornará obrigatória a produção e o envio de

O que é o Sinesp? julho de 2012, que tornará obrigatória a produção e o envio de O que é o Sinesp? O Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisional e sobre Drogas (Sinesp) é um portal de informações integradas, possibilitando consultas operacionais, investigativas

Leia mais

SISTEMAS Á DISPOSIÇÃO DA PRIMEIRA INSTÂNCIA

SISTEMAS Á DISPOSIÇÃO DA PRIMEIRA INSTÂNCIA 0 SISTEMAS Á DISPOSIÇÃO DA PRIMEIRA INSTÂNCIA 1. APOLO Descrição: Sistema de acompanhamento processual. Usuários: Juízes, servidores, advogados e partes de processos distribuídos nas Comarcas. Objetivo:

Leia mais

DEPARTAMENTO NACIONAL DE AUDITORIA DO SUS - DENASUS

DEPARTAMENTO NACIONAL DE AUDITORIA DO SUS - DENASUS DEPARTAMENTO NACIONAL DE AUDITORIA DO SUS - DENASUS 14 AUDHOSP Congresso Nacional de Auditoria em Saúde e Qualidade da Gestão e da Assistência Hospitalar Auditoria no SUS Adelina Maria Melo Feijão Águas

Leia mais

ATO Nº 233/2013. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 233/2013. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 233/2013 Institui a Política de Gerenciamento de Serviços de Tecnologia da Informação (TI) no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO

Leia mais

Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação

Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação Emerson de Melo Brasília Novembro/2011 Principais Modelos de Referência para Auditoria de TI Como focar no negócio da Instituição

Leia mais

REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO

REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO Rede InfoSeg REDE DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA, JUSTIÇA E FISCALIZAÇÃO O que é a? É uma estrutura de links capilarizada nos 26 Estados da Federação e no Distrito Federal,

Leia mais

Identificação Acórdão 2.471/2008- Plenário

Identificação Acórdão 2.471/2008- Plenário Identificação Acórdão 2.471/2008- Plenário Acórdão Vistos, relatados e discutidos estes autos que tratam de fiscalizações de orientação centralizada, realizadas no âmbito do Tema de Maior Significância

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE GERÊNCIA DE CONTROLE DE TESOURARIA ANÁLISE DE RISCO OPERACIONAL RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG Belo Horizonte 01 de Julho de 2008 1 SUMÁRIO 1. Introdução...02

Leia mais

SOCINALS.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO

SOCINALS.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO SOCINALS.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO RELATÓRIO DE GESTÃO DO RISCO OPERACIONAL - EXERCICIO 2014 SUMÁRIO 1. Introdução; 2. Política Institucional para Gestão de Risco Operacional; 3. Estrutura

Leia mais

UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos

UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos Exercício 2015 Auditoria Interna Unidade de Auditoria Interna - CEFET/RJ Normativos: Portaria nº 07, de 15/01/2001: cria a Unidade de Auditoria

Leia mais

Integração de protocolos do Governo Federal facilitando o acesso a informações

Integração de protocolos do Governo Federal facilitando o acesso a informações Integração de protocolos do Governo Federal facilitando o acesso a informações Departamento de Governo Eletrônico - SLTI/MP Brasília, junho 2012 Competência DGE/SLTI/MP Objetivo Benefícios Instrumentos

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional. Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação.

TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional. Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação. TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional 1. Função no Projeto: Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação. 2. Nosso Número BRA/12/010 3. Antecedentes A missão

Leia mais

Opção pelo Simples Nacional 2015-26/12/2014. Confira abaixo as principais informações sobre o processo de Opção pelo Simples Nacional.

Opção pelo Simples Nacional 2015-26/12/2014. Confira abaixo as principais informações sobre o processo de Opção pelo Simples Nacional. Opção pelo Simples Nacional 2015-26/12/2014 Confira abaixo as principais informações sobre o processo de Opção pelo Simples Nacional. Solicitação de Opção pelo Simples Nacional Podem optar pelo Simples

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE GERÊNCIA DE CONTROLE DE TESOURARIA ANÁLISE DE RISCO OPERACIONAL RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 Belo Horizonte

Leia mais

Assessoria de Comunicação Social

Assessoria de Comunicação Social Salvador, Bahia Terça-feira 4 de Fevereiro de 2014 Ano XCVIII N o 21.349 Departamento Estadual de Trânsito DETRAN Extrato de Portarias de 03 de fevereiro de 2014 Diretoria-Geral Licença Prêmio Deferida

Leia mais

I Workshop de Governança a de TI Embrapa, 30/08 a 03/09/2010. Governança a de TI

I Workshop de Governança a de TI Embrapa, 30/08 a 03/09/2010. Governança a de TI I Workshop de Governança a de TI Embrapa, 30/08 a 03/09/2010 Governança a de TI Cláudio Silva da Cruz MSc, CGEIT, Auditor Federal de Controle Externo/TCU As ideias relacionadas neste trabalho são interpretações

Leia mais

Portaria nº 147/2011/GP/DETRAN-MT

Portaria nº 147/2011/GP/DETRAN-MT Portaria nº 147/2011/GP/DETRAN-MT Disciplina a tramitação dos processos de habilitação, a ordem de apresentação dos documentos obrigatórios e da outras providencias. O PRESIDENTE DO DEPARTAMENTO ESTADUAL

Leia mais

RENAJUD. Restrições Judiciais de Veículos Automotores. Manual do Usuário Versão 1.0

RENAJUD. Restrições Judiciais de Veículos Automotores. Manual do Usuário Versão 1.0 RENAJUD Restrições Judiciais de Veículos Automotores Manual do Usuário Versão 1.0 Sumário I. SOBRE O SISTEMA RENAJUD... 3 1 RENAJUD versão 1.0... 3 2 Usuários... 3 3 Habilitação no Sistema... 4 II. ACESSO

Leia mais

Governança de TI no Ministério da Educação

Governança de TI no Ministério da Educação Governança de TI no Ministério da Educação José Henrique Paim Fernandes Secretário Executivo Ministério da Educação Novembro de 2008 Governança de TI no Ministério da Educação Contexto Gestão e Tecnologia

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 017/2014

SUMÁRIO EXECUTIVO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 017/2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA EMPRESA BRASIL DE COMUNICAÇÃO AUDITORIA INTERNA SUMÁRIO EXECUTIVO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 017/2014 Tema: EXAME DAS ATIVIDADES DE TI SOB A RESPONSABILIDADE DA SUCOM. Tipo de Auditoria:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM CONTROLADORIA-GERAL DO MUNICÍPIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM CONTROLADORIA-GERAL DO MUNICÍPIO TRILHA DE AUDITORIA CONVÊNIOS - SICONV CONTROLADORIA-GERAL DO MUNICÍPIO Contagem, 09 de Março de 2015 Nicolle Ferreira Bleme AUDITORA-GERAL EQUIPE RESPONSÁVEL Flaviano Coelho Barbosa GERENTE DE AUDITORIA

Leia mais

PORTARIA Nº 236, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA Nº 236, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA Nº 236, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014. Regulamenta o credenciamento de empresas de tecnologia para geração de códigos de segurança cifrados (CSC) inseridos em códigos bidimensionais de resposta rápida

Leia mais

TCU - Relatório Governança de TI

TCU - Relatório Governança de TI TCU - Relatório Governança de TI 1. OBJETIVO Apresentar o resumo do levantamento realizado pelo TCU em maio de 2010 sobre o nível da Governança de TI no Banco da Amazônia e demais instituições do governo

Leia mais

Controle Interno do Tribunal de Contas da União

Controle Interno do Tribunal de Contas da União Controle Interno do Tribunal de Contas da União Resumo: o presente artigo trata de estudo do controle interno no Tribunal de Contas da União, de maneira expositiva. Tem por objetivo contribuir para o Seminário

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO PROCESSO DE EMISSÃO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS NO MUNICIPIO DE BELO HORIZONTE

ESPECIFICAÇÃO DO PROCESSO DE EMISSÃO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS NO MUNICIPIO DE BELO HORIZONTE ESPECIFICAÇÃO DO PROCESSO DE EMISSÃO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS NO MUNICIPIO DE BELO HORIZONTE Guilherme Bertoldo Anastácio 1 Raphael Ribeiro Gomide 2 Maria Renata Silva Furtado 3 RESUMO Na

Leia mais

Gestão de Contratos: Peculiaridades da JT em Bens e Serviços

Gestão de Contratos: Peculiaridades da JT em Bens e Serviços Gestão de Contratos: Peculiaridades da JT em Bens e Serviços Justiça do Trabalho Fonte: Justiça em Números 2014 - CNJ Fabiano de Andrade Lima - JUNHO - 2015 Investimento TI A Secretaria de Receita Federal

Leia mais

Resultados da fiscalização do TCU na área de tecnologia da informação

Resultados da fiscalização do TCU na área de tecnologia da informação Resultados da fiscalização do TCU na área de tecnologia da informação Apresentação para a Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática - CCT Secretaria de Fiscalização de TI Sefti

Leia mais

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao»

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Proposta Comercial Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Data 14 de setembro de 2012 Preparado para: «Nome» «Sobrenome» 1. Objetivo

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor]

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Data Gerador do documento: Gerente de Negociação: Versões Versão Data Revisão Autor Aprovação (Ao assinar abaixo, o cliente concorda com todos os

Leia mais

Seminário O controle interno governamental no Brasil Velhos Desafios, Novas Perspectivas. 14 a 16 de Maio Iguassu Resort Foz do Iguaçu - Paraná

Seminário O controle interno governamental no Brasil Velhos Desafios, Novas Perspectivas. 14 a 16 de Maio Iguassu Resort Foz do Iguaçu - Paraná Seminário O controle interno governamental no Brasil Velhos Desafios, Novas Perspectivas 14 a 16 de Maio Iguassu Resort Foz do Iguaçu - Paraná Controle Interno na visão dos Auditores Externos Situação

Leia mais

O Controle Externo na Área de Auditoria de Tecnologia da Informação

O Controle Externo na Área de Auditoria de Tecnologia da Informação O Controle Externo na Área de Auditoria de Tecnologia da Informação José Auriço Oliveira Analista de Controle Externo 1 AGENDA Apresentação Institucional Ações do TCE na área de Auditoria de TI Discussão

Leia mais

Governança Corporativa Gestão de Riscos, Auditoria, Controles Internos, Compliance e Continuidade de Negócios.

Governança Corporativa Gestão de Riscos, Auditoria, Controles Internos, Compliance e Continuidade de Negócios. Apresentação Executiva 2014 Governança Corporativa Gestão de Riscos, Auditoria, Controles Internos, Compliance e Continuidade de Negócios. Tecnologia para Gestão da Auditoria Interna Murah - Institucional

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA CRM. Prof. Wilson Míccoli, MsC

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA CRM. Prof. Wilson Míccoli, MsC IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA CRM 1 Fase 1: Contextualização Fase 2: Revisão do Plano Estratégico da Organização Fase 3: Revisão do Portfólio de Produtos Fase 4: Definição da Visão e dos Objetivos do CRM Fase

Leia mais

APRENDA COMO GERENCIAR SEUS SERVIÇOS

APRENDA COMO GERENCIAR SEUS SERVIÇOS APRENDA COMO GERENCIAR SEUS SERVIÇOS Treinamento ISO 20000 Foundation Presencial ou EAD O Gerenciamento de Serviços de TI tem como foco o fornecimento eficiente e eficaz de serviços que assegura a satisfação

Leia mais

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO. Sistema (Conceitos) Sistema (Conceitos) Sistemas de Informação Bancos de Dados

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO. Sistema (Conceitos) Sistema (Conceitos) Sistemas de Informação Bancos de Dados TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO Sistemas de Informação Bancos de Dados Paulo Roberto de Lima Carvalho, MSc. Home: www.paulocarvalho.adv.br E-mail: paulocarvalho@paulocarvalho.adv.br Sistema (Conceitos) (...)

Leia mais

Contexto Histórico da Implantação. dos Consórcios de Saúde

Contexto Histórico da Implantação. dos Consórcios de Saúde Contexto Histórico da Implantação dos Consórcios de Saúde Os Consórcios de Saúde O que são? Iniciativa autônoma de municípios circunvizinhos, associados para gerir e prover, conjuntamente, serviços de

Leia mais

Contratação de Serviços de TI. Ministro-Substituto Augusto Sherman Cavalcanti

Contratação de Serviços de TI. Ministro-Substituto Augusto Sherman Cavalcanti Contratação de Serviços de TI Ministro-Substituto Augusto Sherman Cavalcanti O antigo modelo de contratação de serviços de TI 2 O Modelo antigo de contratação de serviços de TI Consiste na reunião de todos

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TC 029.074/2010-0 Fiscalização 1.047/2010 Relator: Aroldo Cedraz DA FISCALIZAÇÃO Modalidade: Conformidade Ato originário: Despacho de 13/10/2010 do Min. Aroldo Cedraz (TC 009.329/2010-2)

Leia mais

I Compatibilização e integração de procedimentos; III Garantir a linearidade do processo, sob a perspectiva do usuário;

I Compatibilização e integração de procedimentos; III Garantir a linearidade do processo, sob a perspectiva do usuário; RESOLUÇÃO Nº 25, DE 18 OUTUBRO DE 2011. Dispõe sobre parâmetros e padrões para desenvolvimento do modelo de integração da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 13ª REGIÃO SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 13ª REGIÃO SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO c) Atividades de controle; d) Informação e Comunicação; e) Monitoramento. Escopo: Amostra de servidores definida com base nos critérios de materialidade, relevância e criticidade; Cronograma: 01 a 30/05/2015.

Leia mais

Você pode não perceber, mas nós estamos sempre presentes

Você pode não perceber, mas nós estamos sempre presentes Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina Você pode não perceber, mas nós estamos sempre presentes Missão Marco Legal Atuação do CIASC Sistemas Data Center Rede Governo Responsabilidade

Leia mais

JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL

JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL Coordenadoria de Acompanhamento e Orientação da Gestão Seção de Acompanhamento da Gestão Seção de Controle de Pessoal PLANO ANUAL DE AUDITORIA 2015 14 de outubro de 2014 1. Introdução Tendo em vista a

Leia mais

INFOJUD, RENAJUD E BACENJUD INSTRUMENTOS DE EFETIVIDADE DA JURISDIÇÃO

INFOJUD, RENAJUD E BACENJUD INSTRUMENTOS DE EFETIVIDADE DA JURISDIÇÃO INFOJUD, RENAJUD E BACENJUD INSTRUMENTOS DE EFETIVIDADE DA JURISDIÇÃO I PROGRAMA DE INTERCÂMBIO DE MAGISTRADOS FÓRUM BRIC Exchange Program for Judges BRIC Forum Marivaldo Dantas de Araújo Juiz de Direito

Leia mais

RENAJUD Restrições Judiciais de Veículos Automotores. Manual do Usuário Versão 1.0

RENAJUD Restrições Judiciais de Veículos Automotores. Manual do Usuário Versão 1.0 RENAJUD Restrições Judiciais de Veículos Automotores Manual do Usuário Versão 1.0 1 ÍNDICE I. SOBRE O SISTEMA RENAJUD... 3 1- RENAJUD versão 1.0... 3 2- Usuários... 4 3- Habilitação no Sistema... 4 II.

Leia mais

RELATÓRIO [...] TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 015.570/2011-8

RELATÓRIO [...] TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 015.570/2011-8 GRUPO I CLASSE V Plenário TC 015.570/2011-8. Natureza: Relatório de Auditoria. Entidades: Centrais Elétricas do Norte S/A (Eletronorte), Centrais Elétricas Brasileiras S/A (Eletrobras), Casa da Moeda do

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DE MG Rua Tomaz Gonzaga 686 - Bairro de Lourdes - CEP 30180-140 - Belo Horizonte - MG 4 andar PLANO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DE MG Rua Tomaz Gonzaga 686 - Bairro de Lourdes - CEP 30180-140 - Belo Horizonte - MG 4 andar PLANO TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DE MG Rua Tomaz Gonzaga 686 - Bairro de Lourdes - CEP 30180-140 - Belo Horizonte - MG 4 andar PLANO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA EXERCÍCIO 2014 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação

Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação Agenda Antes da Sefti Criação da Sefti O que já fizemos Trabalhos mais relevantes Resultados alcançados 2 Impacto da TI na gestão pública Criticidade

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE CONTROLE INTERNO

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE CONTROLE INTERNO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE CONTROLE INTERNO 2013 1 Sumário PLANEJAMENTO DAS ATIVIDADES DE CONTROLE INTERNO... 3 ESTRUTURA TÉCNICA... 4 1. ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO... 4 1.1 Apoio ao Controle Externo

Leia mais

Divisão de Logística e Apoio Administrativo - DLA GESTÃO DA QUALIDADE NORMA DE USO DE RECURSOS DE TELEFONIA MÓVEL Código Revisão Data Página

Divisão de Logística e Apoio Administrativo - DLA GESTÃO DA QUALIDADE NORMA DE USO DE RECURSOS DE TELEFONIA MÓVEL Código Revisão Data Página Divisão de Logística e Apoio Administrativo - DLA GESTÃO DA QUALIDADE NORMA DE USO DE RECURSOS DE TELEFONIA MÓVEL Código Revisão Data Página NAD NO. 001/09 12 08/07/2014 1 de 9 Elaboração: Audrey A. Appendino

Leia mais

Data do início da implementação da experiência: OUTUBRO / 2000

Data do início da implementação da experiência: OUTUBRO / 2000 Experiência: Sistema Integrado de Informações Previdenciárias SIPREV Ministério da Previdência e Assistência Social MPAS Secretaria de Previdência Social SPS Departº dos Regimes de Previdência no Serviço

Leia mais

Boas Práticas em Contratação de Soluções de TI Riscos e Controles para o planejamento da Contratação

Boas Práticas em Contratação de Soluções de TI Riscos e Controles para o planejamento da Contratação Tribunal de Contas da União Boas Práticas em Contratação de Soluções de TI Riscos e Controles para o planejamento da Contratação Carlos Mamede, MSc, CISA, CGEIT Tribunal de Contas da União - TCU Secretaria

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

CONTAS CONTROLADAS. Sede do TCU em Brasília R I S K M A N A G E M E N T R E V I E W 1 9 DIVULGAÇÃO

CONTAS CONTROLADAS. Sede do TCU em Brasília R I S K M A N A G E M E N T R E V I E W 1 9 DIVULGAÇÃO CONTAS CONTROLADAS TCU adota modelo de governança de TI no ambiente interno alinhando com seu plano estratégico para realizar o controle externo das contas da União com maior eficiência COMO ÓRGÃO RESPONsável

Leia mais

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 29 de setembro de 2009 PLANO DE TRABALHO - PDTI O presente Plano de Trabalho objetiva o nivelamento do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima aos requisitos de tecnologia da informação

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS EM CAMPO UTILIZANDO REDES MÓVEIS

GESTÃO DE PROJETOS EM CAMPO UTILIZANDO REDES MÓVEIS GESTÃO DE PROJETOS EM CAMPO UTILIZANDO REDES MÓVEIS Estudo de caso em empresa de instalação de Cabeamento Mauro Faccioni Filho, Dr. Eng. Pedro Moritz de Carvalho Neto FAZION Sistemas CREARE Engenharia

Leia mais

A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, Institui a Política de Gerenciamento de Serviços de TI no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª. Região. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições

Leia mais

Missão dos Órgãos de Controle Interno, Desafios e Visão de Futuro. Renato Santos Chaves

Missão dos Órgãos de Controle Interno, Desafios e Visão de Futuro. Renato Santos Chaves Missão dos Órgãos de Controle Interno, Desafios e Visão de Futuro Renato Santos Chaves Sumário 1) Conceitos Básicos: Controle Interno e Externo, Controles Internos Administrativos, Auditoria Interna e

Leia mais

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD CONCORRÊNCIA PÚBLICA INTERNACIONAL Nº 02430/2008

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD CONCORRÊNCIA PÚBLICA INTERNACIONAL Nº 02430/2008 Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD CONCORRÊNCIA PÚBLICA INTERNACIONAL Contratação de empresa especializada em tecnologia da informação para o desenvolvimento de Sistema Nacional de

Leia mais

Governança de TI com COBIT, ITIL e BSC

Governança de TI com COBIT, ITIL e BSC {aula #2} Parte 1 Governança de TI com melhores práticas COBIT, ITIL e BSC www.etcnologia.com.br Rildo F Santos rildo.santos@etecnologia.com.br twitter: @rildosan (11) 9123-5358 skype: rildo.f.santos (11)

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2009 PROCESSO Nº

Leia mais

Questão de auditoria Informações Requeridas Fontes de Informação Procedimentos Possíveis Achados

Questão de auditoria Informações Requeridas Fontes de Informação Procedimentos Possíveis Achados Questão de auditoria Informações Requeridas Fontes de Informação s Possíveis Achados 1 As características da unidade de controle interno atendem aos preceitos normativos e jurisprudenciais? Ato que criou

Leia mais

Segurança + Conformidade. Dentro do Prazo e Orçamento Previsto Sob Demanda

Segurança + Conformidade. Dentro do Prazo e Orçamento Previsto Sob Demanda Segurança + Conformidade Dentro do Prazo e Orçamento Previsto Sob Demanda Segurança e Conformidade via Software-as-a-Service (SaaS) Hoje em dia, é essencial para as empresas administrarem riscos de segurança

Leia mais

Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação

Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação Encontro com o mercado privado de TI Contratações Públicas de TI Cláudio Souza Castello Branco, CGAP, CIA1 Brasília, setembro 2012 Agenda Antes da

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (modelo )

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (modelo ) POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (modelo ) A Política de segurança da informação, na A EMPRESA, aplica-se a todos os funcionários, prestadores de serviços, sistemas e serviços, incluindo trabalhos executados

Leia mais