Bicicleta, Ciclista e a Infraestrutura Cicloviária Município de São Paulo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Bicicleta, Ciclista e a Infraestrutura Cicloviária Município de São Paulo"

Transcrição

1 Bicicleta, Ciclista e a Infraestrutura Cicloviária Município de São Paulo

2 Características das Viagens de Bicicleta no Município de São Paulo

3 Sou + De Bicicleta

4 Viagens por Modo de Transporte Fonte: Pesquisa de Origem e Destino CMSP

5 Viagens Diárias de Bicicleta Acréscimo de 183% nas viagens de bicicleta em 10 anos, enquanto o total geral de viagens diárias aumentou 20%; Viagens realizadas majoritariamente em modo único, com poucas integrações com outros modos. Fonte: Pesquisa de Origem e Destino CMSP

6 Áreas de São Paulo onde mais se utiliza a bicicleta como modo de transporte diário TOTAL DE VIAGENS = Fonte: Pesquisa de Origem e Destino CMSP

7 Perfil das viagens por bicicleta e viagens a pé com potencial para migração de modal Engº Carlos Paiva Tipo de viagem Viagens Viagens % Coletivo Individual A pé Bicicleta A pé 15+* Caminha 15+** Total * a pé como único modo de transporte (15 minutos ou mais). ** a pé para acessar a ou regressar do transporte coletivo (15 minutos ou mais).

8 Perfil das viagens por bicicleta e viagens a pé com potencial para migração de modal Engº Carlos Paiva

9 Perfil das viagens por bicicleta e viagens a pé com potencial para migração de modal Engº Carlos Paiva

10 Perfil das viagens por bicicleta e viagens a pé com potencial para migração de modal Engº Carlos Paiva

11 Perfil das viagens por bicicleta e viagens a pé com potencial para migração de modal Engº Carlos Paiva

12 Infraestrutura Cicloviária Existente 247,90 Km Janeiro 2013

13 Ciclovia calçada BJ-6101 Pistas uni ou bidirecionais dedicadas à circulação exclusiva de bicicletas, totalmente segregadas dos demais fluxos viários (veículos e pedestres) Esta segregação pode ser desde uma pequena calçada até elementos segregadores como prismas de concreto, supertachões, desde que impeçam fisicamente a invasão da pista pelos demais veículos e pedestres. Podem situar-se na pista, calçadas laterais ou canteiros centrais. São dotadas de sinalização vertical e horizontal específica. BJ-6101 terrapleno ciclovia calçada Fonte: Manual GEIPOT, 2001 Ministério dos Transportes

14 Ciclovias : 66,5 Km Pista para circulação exclusiva de bicicletas segregada da circulação veicular motorizada Ciclova Butantã 0,3 Km Ciclova Rio Pinheiros / CPTM 21,2 Km

15 Ciclovias : 66,5 Km Ciclova Faria Lima 3 Km Ciclova Braz Leme 6 Km

16 Ciclovias : 66,5 Km Ciclova Adutora Rio Claro 7 Km Ciclova Radial Leste 12 Km

17 Ciclovias : 66,5 Km Ciclova Parque Praia de SP 3 Km Ciclova Parque Linear Alto Tietê - 14 Km

18 Ciclofaixa calçada BJ-6101 Faixas uni ou bidirecionais dedicadas à circulação exclusiva de bicicletas, definidas por sinalização horizontal que as caracteriza (sem separação física), acompanhadas por sinalização vertical. Exigem proibição de estacionamento. Podem ficar situada sobre calçadas, desde que haja espaço suficiente para a livre circulação de pedestres e a acomodação das demais interferências (posteamento e mobiliário urbano). BJ-6101 ciclofaixa calçada Fonte: Manual GEIPOT, 2001 Ministério dos Transportes

19 Ciclofaixa Definitiva: 3,3 Km Ciclofaixa Moema Ciclofaixa Moema

20 Ciclofaixa Operacional de Lazer Faixas da via destinadas à circulação exclusiva de bicicletas em dias e horários específicos (domingos e feriados nacionais das 07:00 hs às 16:00 hs). São montadas e desmontadas para seu funcionamento, sendo canalizadas por material operacional (cones, cavaletes, super-cones). Ciclofaixa Operacional de Lazer - Zona Sul

21 Ciclofaixa Operacional Seu funcionamento é regulamentado por sinalização vertical e horizontal específicas. Ciclofaixa Operacional de Lazer - Zona Sul Ciclofaixa Operacional de Lazer - Zona Sul Faixas de vinil também são utilizadas para advertir os demais usuários da via sobre os dias e horários de funcionamento da ciclofaixa.

22 Ciclofaixa Operacional Sinalização Horizontal (Pintura de solo) Ciclofaixa Operacional de Lazer - Zona Sul SinalizaçãoSemafórica (Foco para Ciclista) Ciclofaixa Operacional de Lazer - Zona Sul Sinalização Vertical (Placas) Ciclofaixa Operacional de Lazer - Zona Sul

23 Ciclofaixa Operacional de Lazer: 119,7 Km Domingos e feriados nacionais das 07h às 16h Atualmente com 119,7 Km: Ciclofaixa Operacional de Lazer Entre Parques/ Zona Sul: 45 Km Ligação Parques das Bicicletas, Ibirapuera, do Povo, Villa Lobos e futuro Pq. Chuvisco Ciclofaixa Operacional de Lazer da Zona Norte: 8,5 Km Ligação Pça. Heróis da FEB, Pq. da Juventude e SESC Santana e Ciclovia Braz Leme Ciclofaixa Operacional de Lazer da Zona Leste: 14 Km Contorna o Parque Tiquatira

24 Ciclofaixa Operacional de Lazer: 119,7 Km Domingos e feriados nacionais das 07h às 16h Atualmente com 119,7 Km: Ciclofaixa Operacional de Lazer Paulista Centro: 12 Km Ligação Av. Paulista / R. Vergueiro / Centro/Pça. Roosevelt Ciclofaixa Operacional de Lazer Paulista Ibirapuera : 19 Km Ligação Av. Paulista Parque do Ibirapuera Ciclofaixa Operacional de Lazer Guarapiranga : 11,2 Km Ligação Ibirapuera Represa de Guarapiranga

25 Rota de Bicicletas Vias favoráveis à circulação de bicicletas sem a necessidade de implantação de infraestrutura física de circulação de bicicletas (ciclovia, ciclofaixa). São constituídas por vias coletoras e locais. Estas vias são dotadas somente de sinalização vertical e horizontal específicas voltadas aos ciclistas e motoristas. Rota de Bicicleta do Brooklin 15 Km

26 Rota de Bicicleta Sinalização vertical com regulamentação de velocidade Sinalização horizontal (Pintura de solo)

27 ROTAS DE BICICLETA: : 58 Km Rota de Bicicleta Brooklin 15 Km Rota de Bicicleta Butantã 0,5 Km Rota de Bicicleta Moema 6,5 Km Rota de Bicicleta Moóca 8,0 Km Rota de Bicicleta Lapa 18,0 Km Rota de Bicicleta V. Mariana 10 Km Apoiando as estações do Bikesampa V. Mariana Rota Ciclistica Cultural Centro 4,5 Km

28 Bikesampa Programa de Bike Sharing Rota de Bicicleta da Vila Mariana com Estações de Bike Sharing Atualmente Atualmente estão estão implantadas implantadas estações estações do do Programa Programa Bikesampa Bikesampa

29 Rota de Bicicleta e 10 Estações de Bike Sharing Bairro: Vila Mariana Rota de Bicicleta da V. Mariana com Estações de Bikesampa Estação de Bikesampa Faculdade Belas Artes

30 Infraestrutura Cicloviária Proposta

31 Plano de Ciclovias SMT 60 Km Já elaborado projeto básico Bicicleta como Modo de Transporte Setor Norte Setor Leste Setor Sul Total: 55km + 5Km José Bonifácio

32 Plano de Ciclovias SMT Infraestrutura cicloviária proposta Com projeto pronto Planejado 60 km 268 km Total 328 km

33 Plano de Ciclovias SMT Todo novo corredor de ônibus terá, também, uma infraestrutura cicloviária associada

34 Plano de Ciclovias SMT

35 Plano de Ciclovias SMT

36 Av. Rio das Pedras

37 Av. Edu Chaves

38 Av. Belmira Marin

39 Projetos Futuros de outros órgãos

40 Projetos Futuros de outros órgãos

41 Projetos Futuros de outros órgãos

42

PAINEL 1 GERENCIAMENTO DA DEMANDA NO TRANSPORTE. Jilmar Tatto. Secretário municipal de transportes

PAINEL 1 GERENCIAMENTO DA DEMANDA NO TRANSPORTE. Jilmar Tatto. Secretário municipal de transportes PAINEL 1 GERENCIAMENTO DA DEMANDA NO TRANSPORTE Jilmar Tatto Secretário municipal de transportes GERENCIAMENTO DA DEMANDA DIRETRIZES DA POLÍTICA DE MOBILIDADE URBANA E TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO SÃO PAULO

Leia mais

Plano Cicloviário do Município de São Paulo. Secretaria Municipal de Transportes Companhia de Engenharia de Tráfego

Plano Cicloviário do Município de São Paulo. Secretaria Municipal de Transportes Companhia de Engenharia de Tráfego Plano Cicloviário do Município de São Paulo Secretaria Municipal de Transportes Companhia de Engenharia de Tráfego Plano Cicloviário do Município de São Paulo Dados existentes Dados da Pesquisa Origem

Leia mais

Desafios para Melhoria da Mobilidade Urbana

Desafios para Melhoria da Mobilidade Urbana Desafios para Melhoria da Mobilidade Urbana O Desafio da CET 7,2 milhões de veículos registrados 12 milhões de habitantes 7,3 milhões de viagens a pé 156 mil viagens de bicicleta 15 milhões de viagens

Leia mais

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS DEZEMBRO 2013 DENSIDADE DE EMPREGOS ÁREA CENTRAL Plano Diretor 2013 Referências Trata da política de transporte e mobilidade urbana integrada com

Leia mais

Companhia de Engenharia de Tráfego CET

Companhia de Engenharia de Tráfego CET Secretaria Municipal de Transporte SMT Sec e a a u cpa de a spo e S Companhia de Engenharia de Tráfego CET Anhanguera Bandeirantes Fernão Dias Presidente Dutra Ayrton Senna MAIRIPORÃ Castello Branco CAIEIRAS

Leia mais

Mobilidade Humana por Bicicleta em Fortaleza

Mobilidade Humana por Bicicleta em Fortaleza Mobilidade Humana por Bicicleta em Fortaleza 03 de Dezembro de 2013 Tópicos Apresentação da Ciclovida Sistema Cicloviário Estrutura Cicloviária de Fortaleza Situação Atual Fortaleza e Outras Cidades Benefícios

Leia mais

Rede Cicloviária de Moema uma experiência inicial.

Rede Cicloviária de Moema uma experiência inicial. Rede Cicloviária de Moema uma experiência inicial. AUTORES: Bruno Cosenza Botelho Nogueira (1) ; Edmundo José Moraes Negrão da Silva (1) ; Maria Ermelina Brosch Malatesta (1) (1) Companhia de Engenharia

Leia mais

Critérios de avaliação das rotas cicláveis Fonte: I-CE & GTZ (2009); MINISTÉRIO DAS CIDADES, (2007a).

Critérios de avaliação das rotas cicláveis Fonte: I-CE & GTZ (2009); MINISTÉRIO DAS CIDADES, (2007a). Anexo A 96 DIRECTIVIDADE ATRATIVIDADE CONFORTO COERÊNCIA SEGURANÇA Critérios de avaliação das rotas cicláveis Fonte: I-CE & GTZ (2009); MINISTÉRIO DAS CIDADES, (2007a). Nível de segurança social do entorno

Leia mais

PREFEITURA DE GOIÂNIA

PREFEITURA DE GOIÂNIA ANEXO III CORREDORES EXCLUSIVOS CORREDORES EXCLUSIVOS, definidos na Figura 3 Sistema de Transporte Coletivo, são vias dotadas de pistas exclusivas para a circulação dos ônibus, localizados no eixo central

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana. O Brasil vai continuar crescendo

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana. O Brasil vai continuar crescendo MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana O Brasil vai continuar crescendo O Brasil vai continuar crescendo PAVIMENTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DE VIAS URBANAS MINISTÉRIO

Leia mais

Introdução ao Mundo Cicloviário. Brasília, Novembro de 2008.

Introdução ao Mundo Cicloviário. Brasília, Novembro de 2008. Introdução ao Mundo Cicloviário. Parte II Dados e Infra-estrutura. t Brasília, Novembro de 2008. A Bicicleta hoje no Mundo: Europa Ásia África Américas PRODUÇÃO MUNDIAL DE BICICLETAS 2002 (em milhões de

Leia mais

CICLOVIAS EM SP INTEGRANDO A CIDADE

CICLOVIAS EM SP INTEGRANDO A CIDADE CICLOVIAS EM SP INTEGRANDO A CIDADE JUNHO 2014 PROGRAMA DE METAS Implantar uma rede de 400km de vias cicláveis. VIAS CICLÁVEIS CICLOVIAS CICLOFAIXAS CICLORROTAS - 40KM/H CICLOVIAS NO MUNDO Modelos no mundo

Leia mais

Introdução ao Mundo Cicloviário. Parte II Dados e Infra-estrutura. São Paulo, Novembro de 2008.

Introdução ao Mundo Cicloviário. Parte II Dados e Infra-estrutura. São Paulo, Novembro de 2008. Introdução ao Mundo Cicloviário. Parte II Dados e Infra-estrutura. São Paulo, Novembro de 2008. A Bicicleta hoje no Mundo: Europa África Ásia Américas PRODUÇÃO MUNDIAL DE BICICLETAS (em milhões de unidades

Leia mais

Normas de circulação

Normas de circulação Normas de circulação A bicicleta é um veículo, e por este motivo o espaço de circulação debe estar dentro do leito veicular e nunca sobre as calçadas. Os ciclistas deven circular no mesmo sentido que os

Leia mais

São Paulo, 06 de Novembro de Ao: Departamento de Planejamento Cicloviário - CET/SMT-SP Ref: Projeto Cicloviário de Moema

São Paulo, 06 de Novembro de Ao: Departamento de Planejamento Cicloviário - CET/SMT-SP Ref: Projeto Cicloviário de Moema São Paulo, 06 de Novembro de 2011 Ao: Departamento de Planejamento Cicloviário - CET/SMT-SP Ref: Projeto Cicloviário de Moema A Ciclocidade - Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo, entidade fundada

Leia mais

AVENIDA DONA BELMIRA MARIN MELHORAMENTOS E ALARGAMENTO IMPLANTAÇÃO DE CORREDOR DE ÔNIBUS

AVENIDA DONA BELMIRA MARIN MELHORAMENTOS E ALARGAMENTO IMPLANTAÇÃO DE CORREDOR DE ÔNIBUS AVENIDA DONA BELMIRA MARIN MELHORAMENTOS E ALARGAMENTO IMPLANTAÇÃO DE CORREDOR DE ÔNIBUS OPORTUNIDADES PROMOVER ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA VIÁRIO E ALÍVIO DOS VOLUMES DE TRÁFEGO IMPORTANTE VIA ESTRUTURAL.

Leia mais

Carta de compromisso com a mobilidade por bicicletas - candidatos a prefeito

Carta de compromisso com a mobilidade por bicicletas - candidatos a prefeito Em abril de 2012 a Ciclocidade e o CicloBR iniciaram o projeto Eleições 2012 e a bicicleta em São Paulo, com objetivo de promover a discussão sobre o tema durante as eleições e garantir o compromisso dos

Leia mais

CICLOFAIXA DE LAZER NO FIM DE SEMANA

CICLOFAIXA DE LAZER NO FIM DE SEMANA CICLOFAIXA DE LAZER NO FIM DE SEMANA Março/ 2009 CICLOFAIXA DE LAZER NO FIM DE SEMANA 1. Objetivo 2. Ciclovias existentes na Cidade 3. Áreas públicas de abrangência 4. Interligação das áreas através do

Leia mais

Título: Faixas exclusivas à direita e ciclovias: São Paulo, por uma mobilidade sustentável.

Título: Faixas exclusivas à direita e ciclovias: São Paulo, por uma mobilidade sustentável. Título: Faixas exclusivas à direita e ciclovias: São Paulo, por uma mobilidade sustentável. Autor: Tadeu Leite Duarte Arquiteto e Urbanista, Licenciado em Matemática pela Universidade Guarulhos, Diretor

Leia mais

EXCERTO A BICICLETA NO

EXCERTO A BICICLETA NO Plano Municipal de Circulação Viária e de Transportes EXCERTO A BICICLETA NO Plano Municipal de Circulação Viária e de Transportes São Paulo 2004 Rede Viária do Transporte Não Motorizado Rede Viária de

Leia mais

CICLOVIAS EM SP INTEGRANDO E FAZENDO O BEM PARA A CIDADE

CICLOVIAS EM SP INTEGRANDO E FAZENDO O BEM PARA A CIDADE CICLOVIAS EM SP INTEGRANDO E FAZENDO O BEM PARA A CIDADE AGOSTO 2014 PROGRAMA DE METAS IMPLANTAR UMA REDE DE 400KM DE VIAS CICLÁVEIS. PROPICIA MAIOR EQUIDADE NO USO DA VIA PÚBLICA GANHOS SOCIO-AMBIENTAIS

Leia mais

A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão. Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S.

A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão. Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S. A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S. Duarte Objeto da pesquisa Relação entre adensamento, multifuncionalidade

Leia mais

ANEXO 3 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DE FORMULÁRIO

ANEXO 3 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DE FORMULÁRIO ANEXO 3 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DE FORMULÁRIO CONTEXTO DEFINIÇÕES 1. ROTA: conjunto contíguo de vias que formará uma rota ciclável. A ROTA diferencia-se de uma via apenas pelo nome, ou seja, duas ou

Leia mais

Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte

Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte I Seminário Nacional de Política Urbana e Ambiental Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil Brasília abril 2016 Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte Tiago Esteves Gonçalves da Costa ESTRUTURA

Leia mais

Revisão do Plano Diretor Estratégico Mobilidade Urbana SMDU DEURB

Revisão do Plano Diretor Estratégico Mobilidade Urbana SMDU DEURB Revisão do Plano Diretor Estratégico Mobilidade Urbana SMDU DEURB 2013 Características da Mobilidade em São Paulo 25,2 milhões de viagens diárias motorizadas na RMSP; 18,0 milhões de viagens diárias motorizadas

Leia mais

Fabio Villas Bôas. Jardim das Perdizes, São Paulo

Fabio Villas Bôas. Jardim das Perdizes, São Paulo Fabio Villas Bôas Jardim das Perdizes, São Paulo O que é um bairro sustentável? Sustentabilidade a partir dos bairros Conceito: escala ideal para acelerar a implantação Portland: algumas iniciativas Anos

Leia mais

CICLOVIAS EM SP INTEGRANDO E FAZENDO O BEM PARA A CIDADE JUNHO 2014

CICLOVIAS EM SP INTEGRANDO E FAZENDO O BEM PARA A CIDADE JUNHO 2014 CICLOVIAS EM SP INTEGRANDO E FAZENDO O BEM PARA A CIDADE JUNHO 2014 PROGRAMA DE METAS IMPLANTAR UMA REDE DE 400KM DE VIAS CICLÁVEIS. VIAS CICLÁVEIS CICLOVIAS CICLOFAIXAS CICLORROTAS 40KM/H PROPICIA MAIOR

Leia mais

abril/2013 CICLOVIA ZONA NORTE

abril/2013 CICLOVIA ZONA NORTE abril/2013 CICLOVIA ZONA NORTE introdução Das temáticas de crise das grandes cidades nos dias de hoje, uma das questões mais contundentes é a mobilidade urbana. A cidade de São Paulo, metrópole que sofre

Leia mais

ANEXO 4 FORMULÁRIOS PREENCHIDOS 01 CENTRO-SUL

ANEXO 4 FORMULÁRIOS PREENCHIDOS 01 CENTRO-SUL ANEXO 4 FORMULÁRIOS PREENCHIDOS 01 CENTRO-SUL 1. Identificação Viária R. Marília de Dirceu, R. Curitiba, R. Bárbara Heliodora, entre Av. do Contorno e Logradouro R. Alvarenga Peioto Trecho Curitiba Bairro

Leia mais

IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE

IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE 1 IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE AUDIÊNCIA PÚBLICA OUTRAS INFORMAÇÕES 2266-0369 SMTR www.rio.rj.gov.br 2589-0557 SMO Rio de Janeiro

Leia mais

REDE CICLOVIAS NA CIDADE DE VILA NOVA DE FAMALICÃO PROJETOS EIXO 1 EIXO 4

REDE CICLOVIAS NA CIDADE DE VILA NOVA DE FAMALICÃO PROJETOS EIXO 1 EIXO 4 FAMALICÃO CICLÁVEL UMA REDE, UMA COMUNIDADE REDE CICLOVIAS NA CIDADE DE VILA NOVA DE FAMALICÃO PROJETOS EIXO 1 EIXO 4 Porquê criar corredores dedicados para bicicletas? para INCENTIVAR BICI COMO MEIO DE

Leia mais

Legislação de Trânsito

Legislação de Trânsito Legislação de Trânsito Dos Pedestres e Condutores de Veículos não Motorizados Professor: leandro Macedo www.acasadoconcurseiro.com.br Legislação de Trânsito DOS PEDESTRES E CONDUTORES DE VEÍCULOS NÃO

Leia mais

estruturando a mobilidade da metrópole COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS Sérgio Avelleda Diretor Presidente - CPTM

estruturando a mobilidade da metrópole COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS Sérgio Avelleda Diretor Presidente - CPTM estruturando a mobilidade da metrópole COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS Sérgio Avelleda Diretor Presidente - CPTM novembro/2008 Região Metropolitana da Grande São Paulo 39 municípios 19,7 milhões

Leia mais

Bicicleta nas cidades. Carsten Wass

Bicicleta nas cidades. Carsten Wass Bicicleta nas cidades Carsten Wass AGOSTO - 2014 Experiência da Dinamarca Bicicletas na Dinamarca Percentual de viagens de bicicleta Bicicleta Outros EUA 1 99 Dinamarca 18 82 Holanda 27 73 Cultura ciclista

Leia mais

INDICAÇÃO Nº 686/10 JUSTIFICATIVA

INDICAÇÃO Nº 686/10 JUSTIFICATIVA INDICAÇÃO Nº 686/10 Programa Municipal Pedal Legal de incentivo ao uso de bicicletas como alternativa saudável, econômica e ecológica de transporte. INDICA ao Senhor Prefeito Municipal, na forma regimental,

Leia mais

ANÁLISE DE EMPREENDIMENTO PÓLO GERADOR DE TRÁFEGO (PGT) A análise pela SETTRANS dos PGT utiliza-se da seguinte metodologia:

ANÁLISE DE EMPREENDIMENTO PÓLO GERADOR DE TRÁFEGO (PGT) A análise pela SETTRANS dos PGT utiliza-se da seguinte metodologia: ANÁLISE DE EMPREENDIMENTO PÓLO GERADOR DE TRÁFEGO (PGT) A análise pela SETTRANS dos PGT utiliza-se da seguinte metodologia: Projeto arquitetônico da edificação: além de observar, no que cabe, as leis de

Leia mais

Melhores práticas de mobilidade inteligente. Simone Gallo

Melhores práticas de mobilidade inteligente. Simone Gallo Melhores práticas de mobilidade inteligente Simone Gallo Nossas causas 3 cultura educação esporte mobilidade Definimos mobilidade urbana como uma causa dentro de nossa plataforma de sustentabilidade. Bicicleta

Leia mais

RESOLUÇÃO CONTRAN Nº 160, DE

RESOLUÇÃO CONTRAN Nº 160, DE RESOLUÇÃO CONTRAN Nº 160, DE 22-04-2004. Aprova o Anexo II do Código de Trânsito Brasileiro. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO - CONTRAN, usando da competência que lhe confere o art. 12, inciso VIII, da

Leia mais

Desenho de secções de infra-estrutura cicloviária

Desenho de secções de infra-estrutura cicloviária Desenho de secções de infra-estrutura cicloviária Eng. Jeroen Buis I-ce, Interface for Cycling Expertise (www.cycling.nl) buis_j@yahoo.com Curso Planejamento Cicloviário Dia 1 Rio de Janeiro, 26 de Novembro

Leia mais

EXEMPLOS DE APLICAÇÃO

EXEMPLOS DE APLICAÇÃO LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO 8. SINALIZAÇÃO VIÁRIA RS BR 386 Km 100 EXEMPLOS DE APLICAÇÃO 1 LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO Para facilitar a compreensão do conteúdo, nesta 4ª. Edição, foram criados eslaides com exemplos

Leia mais

LOTEAMENTO CA URBANISMO BAURU

LOTEAMENTO CA URBANISMO BAURU LOTEAMENTO CA URBANISMO BAURU RELATÓRIO DE IMPACTO VIÁRIO CA URBANISMO SPE LTDA. JUNHO / 2015 1 INDICE INTRODUÇÃO...2 1. EMPREENDIMENTO...3 1.1 ATIVIDADES E DIMENSÕES...3 1.2 TOPOGRAFIA...6 2. CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

Procedimento para a Implantação de Sinalização de Regulamentação de Velocidades nas Rodovias Estaduais

Procedimento para a Implantação de Sinalização de Regulamentação de Velocidades nas Rodovias Estaduais Procedimento para a Implantação de Sinalização de Regulamentação de Velocidades nas Rodovias Estaduais 1. Objetivo: O presente Procedimento, visa estabelecer critérios e diretrizes para a implantação de

Leia mais

Mobilidade Suave Humanização de Cidades. outubro 2013

Mobilidade Suave Humanização de Cidades. outubro 2013 Mobilidade Suave Humanização de Cidades outubro 2013 Estratégias Urbanas Planos de Revitalização Planos de Mobilidade Planos Cicloviários e Pedonais Espaços Públicos Projetos Viários e Cicloviários Parques

Leia mais

PESQUISA RESULTADOS ALCANÇADOS PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE COLATINA SEGUNDO OS EMPRESÁRIOS

PESQUISA RESULTADOS ALCANÇADOS PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE COLATINA SEGUNDO OS EMPRESÁRIOS PESQUISA RESULTADOS ALCANÇADOS PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE COLATINA SEGUNDO OS EMPRESÁRIOS EDIÇÃO 1/2014 Observação ¹: Como os dados em percentual aparecem de forma arredondada pode ocorrer que a soma

Leia mais

Transporte Coletivo: Chegando mais rápido ao futuro. Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo

Transporte Coletivo: Chegando mais rápido ao futuro. Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo As Cidades mudaram População mudou A Economia mudou Os Meios de Transportes mudaram E nós? Ainda pensamos igual ao passado? Em TRANSPORTE COLETIVO chega-se ao

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURO PRETO DADOS PARA O DIAGNOSTICO DO SISTEMA DE MOBILIDADE DE OURO PRETO

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURO PRETO DADOS PARA O DIAGNOSTICO DO SISTEMA DE MOBILIDADE DE OURO PRETO PREFEITURA MUNICIPAL DE OURO PRETO DADOS PARA O DIAGNOSTICO DO SISTEMA DE MOBILIDADE DE OURO PRETO Setembro 2014 OURO PRETO PESQUISA ORIGEM DESTINO MAIO 2014 DIRETRIZES GERAIS

Leia mais

Comitê Municipal de Mudanças do Clima e Ecoeconomia Grupo de Trabalho Sustentabilidade nos Transportes Ata da 5ª Reunião, ocorrida em 31/ 08/ 2010

Comitê Municipal de Mudanças do Clima e Ecoeconomia Grupo de Trabalho Sustentabilidade nos Transportes Ata da 5ª Reunião, ocorrida em 31/ 08/ 2010 Comitê Municipal de Mudanças do Clima e Ecoeconomia Grupo de Trabalho Sustentabilidade nos Transportes Ata da 5ª Reunião, ocorrida em 31/ 08/ 2010 Presentes: Lisandro Frigerio SMDU Daphne Savoy SMT Adriana

Leia mais

Objetivo Geral. 1. Ordenar o tráfego de passagem na Região Metropolitana de São Paulo

Objetivo Geral. 1. Ordenar o tráfego de passagem na Região Metropolitana de São Paulo PREFEITURA DA CIDADE DE Programa de Desenvolvimento do Sistema Viário Estratégico Metropolitano de SÃO PAULO Objetivo Geral 1. Ordenar o tráfego de passagem na Região Metropolitana de São Paulo 2. Hierarquizar

Leia mais

ESPAÇO URBANO: vias de circulação (hierarquias)

ESPAÇO URBANO: vias de circulação (hierarquias) UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE URBANISMO - ENGENHARIA CIVIL ESPAÇO URBANO: vias de circulação (hierarquias)

Leia mais

SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE

SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE Inicialmente, o que é BRT? O BRT (Bus Rapid Transit), ou Transporte Rápido por Ônibus, é um sistema de transporte coletivo de passageiros

Leia mais

Como ficará a Lei 14.266/07 com as modificações do Substitutivo da Comissão de Constituição e Justiça para o PL 655/09

Como ficará a Lei 14.266/07 com as modificações do Substitutivo da Comissão de Constituição e Justiça para o PL 655/09 Como ficará a Lei 14.266/07 com as modificações do Substitutivo da Comissão de Constituição e Justiça para o PL 655/09 Texto em letra Arial Narrow: texto da lei 14.266/07 que não foi alterado Texto em

Leia mais

Ofertas válidas para os restaurantes Burger King das capitais de São Paulo e Rio de Janeiro, de 12/08 a 31/08 ou enquanto durarem os estoques.

Ofertas válidas para os restaurantes Burger King das capitais de São Paulo e Rio de Janeiro, de 12/08 a 31/08 ou enquanto durarem os estoques. Ofertas válidas para os restaurantes Burger King das capitais de São Paulo e Rio de Janeiro, de 12/08 a 31/08 ou enquanto durarem os estoques. NOME ESTADO CIDADE SHOPPING BARRA - RJ RJ Rio de Janeiro SHOPPING

Leia mais

Planejamento de tráfego. Olímpiadas Rio2016

Planejamento de tráfego. Olímpiadas Rio2016 Planejamento de tráfego Olímpiadas Rio2016 1 Calendário Agosto 2016 FERIADOS E FINAIS DE SEMANA Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S D Agosto 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 Manhã Tarde

Leia mais

Compromissos à Prefeitura de São Paulo com a Mobilidade Ativa

Compromissos  à Prefeitura de São Paulo com a Mobilidade Ativa Compromissos d@s candidat@s à Prefeitura de São Paulo com a Mobilidade Ativa Histórico As demandas de mobilidade ativa vêm sendo discutidas e pautadas por diversas organizações e indivíduos da sociedade

Leia mais

As ciclovias na cidade de São Paulo e as políticas públicas para o uso da bicicleta como meio de transporte

As ciclovias na cidade de São Paulo e as políticas públicas para o uso da bicicleta como meio de transporte MARCO ANTONIO AUGUSTO As ciclovias na cidade de São Paulo e as políticas públicas para o uso da bicicleta como meio de transporte UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS

Leia mais

CARTA DE COMPROMISSO COM A MOBILIDADE POR BICICLETAS

CARTA DE COMPROMISSO COM A MOBILIDADE POR BICICLETAS CARTA DE COMPROMISSO COM A MOBILIDADE POR BICICLETAS Compreendendo que, Por todo o mundo, o uso da bicicleta vem sendo tratado como um importante indicador de qualidade de vida, havendo um consenso crescente

Leia mais

Aula 22. A travessia de pedestres em semáforos

Aula 22. A travessia de pedestres em semáforos Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de 2013 Aula 22 A travessia de pedestres em semáforos Esta aula é baseada no Texto 12 das Leituras complementares,

Leia mais

Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011

Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011 Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011 Cronograma Índice Apresentação da TC Urbes Objetivos do Plano de Mobilidade Sustentável Cidade e Mobilidade Diagnóstico Planejamento

Leia mais

PLANEJAMENTO DO TRANSPORTE NÃO MOTORIZADO

PLANEJAMENTO DO TRANSPORTE NÃO MOTORIZADO PLANEJAMENTO DO TRANSPORTE NÃO MOTORIZADO Márcio José Celeri Maisa Sanches Geogertti Universidade Federal de São Carlos Programa de Pós Graduação em Engenharia Urbana marcioceleri@yahoo.com.br; maisasg@yahoo.com.br

Leia mais

TÍTULO: Campus da UFMG - Reflexões para uma política de estacionamento. AUTOR: Tomás Alexandre Ahouagi

TÍTULO: Campus da UFMG - Reflexões para uma política de estacionamento. AUTOR: Tomás Alexandre Ahouagi TÍTULO: Campus da UFMG - Reflexões para uma política de estacionamento. AUTOR: Tomás Alexandre Ahouagi ENDEREÇO: BHTRANS, Rua Engenheiro Carlos Goulart, 900 Buritis, Belo Horizonte/MG, CEP 30.455-902,

Leia mais

CET NO SEU BAIRRO. Março 2014 Etapa 2

CET NO SEU BAIRRO. Março 2014 Etapa 2 CET NO SEU BAIRRO Março 2014 Etapa 2 DEFINIÇÃO POR BAIRROS 1º PASSO - 1 POR GET MARÇO ÁREAS SELECIONADAS 1. GET CN - Pq Novo Mundo 2. GET SU - Vargem Grande 3. GET OE -Jd Macedônia 4. GET SO -Jd Ibirapuera

Leia mais

RELATÓRIO DE IMPACTO NO TRÂNSITO

RELATÓRIO DE IMPACTO NO TRÂNSITO RELATÓRIO DE IMPACTO NO TRÂNSITO BOLSÃO RESIDENCIAL CITY BUSSOCABA OSASCO SP SETEMBRO/2012 Escritório Adm.: Rua Cenobelino Serra, 401, Jd. Trussardi São Paulo SP CEP 05518-010 Tel - (0--11) 97191-7644

Leia mais

3. Que esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação;

3. Que esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação; RESOLUÇÃO CPA/SMPED-G/015/2008 A Comissão Permanente de Acessibilidade CPA, em sua 43ª Reunião Ordinária do corrente ano, realizada em 14 de novembro de 2008, Considerando as disposições do Decreto Municipal

Leia mais

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM SP

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM SP DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM SP JUNHO 2013 DIMENSÃO DO DESAFIO EM TRANSPORTE COLETIVO PMSP Coletivo 10,1 milhões viagens 56% Individual 7,9 milhões viagens 44% DIMENSÃO DO DESAFIO EM

Leia mais

POLÍTICA DE MOBILIDADE

POLÍTICA DE MOBILIDADE POLÍTICA DE MOBILIDADE POLITICA DE MOBILIDADE + PRIORITÁRIO 1º PEDESTRES ACESSO À CIDADE 2º CICLISTAS PRIORIDADES: 3º TRANSPORTE PÚBLICO TRANSPORTE COLETIVO - PRIORITÁRIO 4º 5º TRANSPORTE DE CARGA AUTOMÓVEIS

Leia mais

de Belo Horizonte Projeto BRT Do sistema tronco alimentado convencional aos corredores de BRT

de Belo Horizonte Projeto BRT Do sistema tronco alimentado convencional aos corredores de BRT Sistema IntegradodeTransporte de porônibus de Belo Horizonte Projeto BRT Do sistema tronco alimentado convencional aos corredores de BRT Sumário Premissas e condicionantes do Projeto Conceito e características

Leia mais

Conforme Resolução 396/11 CONTRAN O preenchimento de cada item deverá seguir as instruções em vermelho. 36 ANEXO I A - ESTUDO TÉCNICO: INSTALAÇÃO DE INSTRUMENTOS OU EQUIPAMENTOS MEDIDORES DE VELOCIDADE

Leia mais

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE TRANSPORTE

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE TRANSPORTE Capítulo 1 INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE TRANSPORTE Tecnologia dos Transportes 2 SISTEMAS DE TRANSPORTE E SOCIEDADE De extrema importância para o desenvolvimento de uma sociedade O desenvolvimento está diretamente

Leia mais

Definição PlanMob Manaus

Definição PlanMob Manaus Definição O PlanMob Manaus é um instrumento da política de desenvolvimento urbano que contém diretrizes, programas, ações e projetos voltados a garantir acesso amplo e democrático às oportunidades que

Leia mais

Câmara Municipal de Fortaleza Vereador Evaldo Lima - PCdoB EXMO. SENHOR PRESIDENTE DA CAMARÁ MUNICIPAL DE FORTALEZA

Câmara Municipal de Fortaleza Vereador Evaldo Lima - PCdoB EXMO. SENHOR PRESIDENTE DA CAMARÁ MUNICIPAL DE FORTALEZA REQUERIMENTO N Requer seja efetuada a transcrição, para os Anais desta Casa Legislativa Municipal, do artigo assinado pela jornalista Eduarda Talicy, publicado no jornal O Povo, em sua edição de 26/10/16,

Leia mais

Macro. Localização. Corredor T5. Terreno. Taquara. Largo da Taquara Pechincha. Freguesia. Curicica Cidade de Deus. Anil. Camorim.

Macro. Localização. Corredor T5. Terreno. Taquara. Largo da Taquara Pechincha. Freguesia. Curicica Cidade de Deus. Anil. Camorim. Realização Localização Localização Macro Taquara Largo da Taquara Pechincha Terreno Freguesia Curicica Cidade de Deus Linha Amarela Anil Camorim Av. Emb. Abelardo Bueno Itanhangá Avenida das Américas Recreio

Leia mais

3. Referenciais. 3.1 Referenciais teóricos. 3.1.1 O sistema cicloviário e seus elementos componentes

3. Referenciais. 3.1 Referenciais teóricos. 3.1.1 O sistema cicloviário e seus elementos componentes 21 3. Referenciais "Se a mobilidade física é condição essencial da liberdade, a bicicleta talvez tenha sido o instrumento singular mais importante, desde Gutenberg, para atingir o que Marx chamou de plena

Leia mais

METRÔ DE SÃO PAULO EXPANSÃO ALBERTO EPIFANI Gerente de Planejamento e Expansão dos Transportes Metropolitanos - METRÔ

METRÔ DE SÃO PAULO EXPANSÃO ALBERTO EPIFANI Gerente de Planejamento e Expansão dos Transportes Metropolitanos - METRÔ METRÔ DE SÃO PAULO EXPANSÃO 2012-2030 ALBERTO EPIFANI Gerente de Planejamento e Expansão dos Transportes Metropolitanos - METRÔ SÃO PAULO 13//06/2012 Expansão 2012-2030 2 REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

Leia mais

TESTE DA CICLOVIA DA AV. IPIRANGA

TESTE DA CICLOVIA DA AV. IPIRANGA TESTE DA CICLOVIA DA AV. IPIRANGA Porto Alegre Junho/2012 1 TESTE DE PONTOS CRÍTICOS PARA IMPLANTAÇÃO DA FUTURA CICLOVIA DA AV. IPIRANGA, EM PORTO ALEGRE O Laboratório de Políticas Públicas e Sociais (Lappus),

Leia mais

NT Carla Alves de Oliveira Orlírio de Souza Tourinho Neto

NT Carla Alves de Oliveira Orlírio de Souza Tourinho Neto NT 227 2012 CARACTERIZAÇÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO NOS PRINCIPAIS CRUZAMENTOS SEMAFORIZADOS DA CICLOFAIXA OPERACIONAL ENTRE OS PARQUES DO IBIRAPUERA, DAS BICICLETAS E DO POVO Carla Alves de Oliveira Orlírio

Leia mais

João Fortini Albano Eng. Civil, Prof. Dr. Lastran/Ufrgs

João Fortini Albano Eng. Civil, Prof. Dr. Lastran/Ufrgs Bicicletas e ciclovias João Fortini Albano Eng. Civil, Prof. Dr. Lastran/Ufrgs O veículo Um prisma com: Largura: 1,0m Comprimento: 1,75m Altura: 2,25m Vantagens para saúde Ciclismo é um dos esportes aeróbicos

Leia mais

A A Pesquisa Origem e Destino O O se recupera frente ao O O por segmentos da população O O ao longo do dia O O por motivos de viagem O O por regiões d

A A Pesquisa Origem e Destino O O se recupera frente ao O O por segmentos da população O O ao longo do dia O O por motivos de viagem O O por regiões d 15ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA TRANSPORTE COLETIVO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO A RECUPERAÇÃO DO MODO COLETIVO FRENTE AO MODO INDIVIDUAL A A Pesquisa Origem e Destino O O se recupera

Leia mais

PLANO DE MITIGAÇÃO PERIMETRAL. Construção da nova Via Binário do Porto

PLANO DE MITIGAÇÃO PERIMETRAL. Construção da nova Via Binário do Porto PLANO DE MITIGAÇÃO PERIMETRAL Construção da nova Via Binário do Porto CRONOGRAMA 12/10 - sábado - Início da divulgação de medidas de redução de impacto sobre o trânsito Sinalização Incentivo ao uso de

Leia mais

A Abraciclo fecha o ano de 2012 com 13 associadas

A Abraciclo fecha o ano de 2012 com 13 associadas Local do evento: Amcham - SÃO PAULO, 06 DE DEZEMBRO DE 2012 Novas associadas BWM Motorrad Julho de 2012 Triumph Fabricação de Motocicletas Julho de 2012 A Abraciclo fecha o ano de 2012 com 13 associadas

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPALDE GUAÍRA APROVA:

A CÂMARA MUNICIPALDE GUAÍRA APROVA: Projeto de Lei 36 de 17 de Novembro de 2016. Aprova o Plano de Mobilidade Urbana de Guaíra, estabelece normas, diretrizes e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPALDE GUAÍRA APROVA: CAPÍTULO I DO CONCEITO

Leia mais

Mobilidade Não Motorizada

Mobilidade Não Motorizada Mobilidade Não Motorizada Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Transportes e da Mobilidade Urbana Março/16 Política Nacional Modos Não motorizados Mais vulneráveis Hierarquia segundo a Lei 12.587/2012

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA APLICADA EM FOZ DO IGUAÇU. Pricila Bevervanço Mantovani Engenheira Civil

POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA APLICADA EM FOZ DO IGUAÇU. Pricila Bevervanço Mantovani Engenheira Civil POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA APLICADA EM FOZ DO IGUAÇU Pricila Bevervanço Mantovani Engenheira Civil POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA Lei 12.587, de 3 de janeiro de 2012. Institui diretrizes

Leia mais

MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES

MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES JULHO 2015 SÃO PAULO UMA CIDADE A CAMINHO DO CAOS URBANO Fonte: Pesquisa de mobilidade 2012 SÃO PAULO UMA CIDADE A CAMINHO DO CAOS

Leia mais

Panorama do Plano Março de 2015

Panorama do Plano Março de 2015 Panorama do Plano Março de 2015 O PLAMUS foi elaborado por consórcio de três empresas Logit Engenharia, Strategy& e Machado Meyer Advogados, com cinco parceiros Consórcio Empresa brasileira, fundada há

Leia mais

SMART CAMPUS: UM NOVO PARADIGMA DE MOBILIDADE PARA O CAMPUS II DA UFG

SMART CAMPUS: UM NOVO PARADIGMA DE MOBILIDADE PARA O CAMPUS II DA UFG SMART CAMPUS: UM NOVO PARADIGMA DE MOBILIDADE PARA O CAMPUS II DA UFG A mobilidade urbana é um desafio crescente nas cidades brasileiras. Na metrópole goiana observa-se uma alta taxa de motorização individual.

Leia mais

Em resposta ao Requerimento n 84/2015, do Vereador Paulo Porto - PC do B, segue as informações solicitadas.

Em resposta ao Requerimento n 84/2015, do Vereador Paulo Porto - PC do B, segue as informações solicitadas. ij MUNICÍPIO DE CASCAVEL Estado do Paraná Cascavel, 07 de abril de 2015. Of. SEAJUR/ATL n 075/2015 Excelentíssimo Presidente, NlCiPALDKASCV PROTOCOLO N _3i33- DATA Ol/Jlk-l-2újtf Em resposta ao Requerimento

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO DE ESTACIONAMENTO E CIRCULAÇÃO DA UOGEC COVA DA PIEDADE 8.2

REGULAMENTO ESPECIFICO DE ESTACIONAMENTO E CIRCULAÇÃO DA UOGEC COVA DA PIEDADE 8.2 REGULAMENTO ESPECIFICO DE ESTACIONAMENTO E CIRCULAÇÃO DA UOGEC COVA DA PIEDADE 8.2 Secção I Definições e Conceitos Artigo 1º Âmbito de aplicação No termos do Artigo 11º do Regulamento Geral de e Circulação

Leia mais

Configuração e tipologias

Configuração e tipologias OsE s p a ç o sp ú b l i c o ses u ai n f l u ê n c i an ame l h o r i ad aq u a l i d a d ed ev i d a O que são Espaços Públicos? P O espaço público é considerado como aquele que, dentro do território

Leia mais

COMPATIBILIZAÇÃO DO SISTEMA CICLOVIÁRIO DE MANAUS COM AS DIRETRIZES EXISTENTES: ESTUDO DE CASO.

COMPATIBILIZAÇÃO DO SISTEMA CICLOVIÁRIO DE MANAUS COM AS DIRETRIZES EXISTENTES: ESTUDO DE CASO. Congresso Técnico Científico da Engenharia e da Agronomia CONTECC 2016 Rafain Palace Hotel & Convention Center- Foz do Iguaçu - PR 29 de agosto a 1 de setembro de 2016 COMPATIBILIZAÇÃO DO SISTEMA CICLOVIÁRIO

Leia mais

Medidas para a Humanização do Tráfego. A Cidade que Queremos

Medidas para a Humanização do Tráfego. A Cidade que Queremos Medidas para a Humanização do Tráfego A Cidade que Queremos Objetivo Publicação com o objetivo de divulgar, junto aos municípios, soluções técnicas para a humanização do trânsito. Estrutura Introdução

Leia mais

DIRETORIA DE OPERAÇÕES DESCRITIVO OPERACIONAL OBRAS REVITALIZAÇÃO AV. FRANCISCO GLICÉRIO

DIRETORIA DE OPERAÇÕES DESCRITIVO OPERACIONAL OBRAS REVITALIZAÇÃO AV. FRANCISCO GLICÉRIO DIRETORIA DE OPERAÇÕES DESCRITIVO OPERACIONAL OBRAS REVITALIZAÇÃO AV. FRANCISCO GLICÉRIO EMPRESA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO DE CAMPINAS S/A 1 REVITALIZAÇÃO AV. FRANCISCO GLICÉRIO APRESENTAÇÃO O projeto

Leia mais

6.2 ANEXO II MEMORIAL FOTOGRÁFICO

6.2 ANEXO II MEMORIAL FOTOGRÁFICO 6.2 ANEXO II MEMORIAL FOTOGRÁFICO I. BAIRRO AMÂNCIO PIMENTA Foto 1 Declividade acentuada acesso bairro Foto 2 Via em blocos sextavados em conjunto habitacional II. BAIRRO CAMPO VINTE Foto 3 Principal via

Leia mais

Elaboração do Plano de Mobilidade Urbana Segurança de Trânsito

Elaboração do Plano de Mobilidade Urbana Segurança de Trânsito Elaboração do Plano de Mobilidade Urbana Segurança de Trânsito Parauapebas, 11 de novembro de 2014 Apoio: Realização: Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Ministério das Cidades Caracterização

Leia mais

CARLOS EDUARDO DE PAIVA CARDOSO

CARLOS EDUARDO DE PAIVA CARDOSO EVOLUÇÃO DOS TEMPOS DAS VIAGENS DO MODO TREM NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO (EVOLUTION IN THE TRAIN MODE TRAVEL TIMES AT THE METROPOLITAN REGION OF SÃO PAULO) Engenheiro Eletrônico e Mestre em Transporte

Leia mais

3ª Reunião Agentes Olímpicos. 13 de Janeiro de 2016

3ª Reunião Agentes Olímpicos. 13 de Janeiro de 2016 3ª Reunião Agentes Olímpicos 13 de Janeiro de 2016 Faltam 29 semanas para os Jogos!! Pauta Cartão de Transporte Olímpico Restrições de circulação durante o período dos Jogos Faixas Olímpicas Cartão de

Leia mais

Rede Cicloviária Leblon. Rio de Janeiro 2012

Rede Cicloviária Leblon. Rio de Janeiro 2012 Rede Cicloviária Leblon. Rio de Janeiro 2012 Rede Cicloviária Leblon: O Leblon, passa por uma fase de intensas mudanças, com as obras da linha 4 do Metrô o trânsito do bairro sofreu e sofrerá várias alterações

Leia mais

Objetivo Geral Principais secretarias envolvidas: SMC, SEME, SMMA, SAS, SEMAB, SEHAB, SIURB, SSO, SEMPLA, SMT, SIS, SF, SMA, SJ e GP.

Objetivo Geral Principais secretarias envolvidas: SMC, SEME, SMMA, SAS, SEMAB, SEHAB, SIURB, SSO, SEMPLA, SMT, SIS, SF, SMA, SJ e GP. Plano Plurianual 2.002 2.005 Transformações Urbanas Objetivo Geral Principais secretarias envolvidas: SMC, SEME, SMMA, SAS, SEMAB, SEHAB, SIURB, SSO, SEMPLA, SMT, SIS, SF, SMA, SJ e GP. Melhorar a qualidade

Leia mais

Diretrizes da Mobilidade a Pé PlanMob- SP. Frente de Debates Temá/cos para a construção do Plan Mob SP 11 de abril de 2015

Diretrizes da Mobilidade a Pé PlanMob- SP. Frente de Debates Temá/cos para a construção do Plan Mob SP 11 de abril de 2015 Diretrizes da Mobilidade a Pé PlanMob- SP Frente de Debates Temá/cos para a construção do Plan Mob SP 11 de abril de 2015 Obje/vo Construir e fortalecer juntos as diretrizes ESSENCIAIS para garan/r o

Leia mais

Planejamento do trânsito ciclo-inclusivo

Planejamento do trânsito ciclo-inclusivo Planejamento do trânsito ciclo-inclusivo Eng. Jeroen Buis I-ce, Interface for Cycling Expertise (www.cycling.nl) buis_j@yahoo.com Curso de capacitação Rio de Janeiro, 26 de Novembro 2007 Introdução Eu

Leia mais

FACHADA DO CONDOMÍNIO (JUL/2016) VISTA AÉREA. Imagens meramente ilustrativas. Página 2

FACHADA DO CONDOMÍNIO (JUL/2016) VISTA AÉREA. Imagens meramente ilustrativas. Página 2 FACHADA DO CONDOMÍNIO (JUL/2016) VISTA AÉREA Imagens meramente ilustrativas Página 2 DADOS DO PROJETO - NOME COMERCIAL: DESCRIÇÃO: ENDEREÇO: Recanto do Outeiro Condomínio Residencial de 16 casas sobradas

Leia mais