SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS SOBRE TRABALHO E EDUCAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS SOBRE TRABALHO E EDUCAÇÃO"

Transcrição

1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS SOBRE TRABALHO E EDUCAÇÃO (www.ufpa.br/ce/gepte) AS PRÁTICAS FORMATIVAS EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTADO DO PARÁ: em busca de uma didática da educação profissional RELATÓRIO FINAL BELÉM PARÁ 2010

2 DADOS GERAIS DO PROJETO E PESQUISADORES EDITAL: MCT/CNPq 15/ Universal - Faixa B - De R$ ,00 a R$ ,00 ÁREA / SUB ÁREA DO PROJETO: Educação Nº DO PROCESSO: / TÍTULO DA PESQUISA: AS PRÁTICAS FORMATIVAS EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTADO DO PARÁ: em busca de uma didática da educação profissional COORDENADOR GERAL: Profº Dr. Ronaldo Marcos de Lima Araujo EQUIPE DE PESQUISA: Pesquisadores Profº Dr. Ronaldo Marcos de Lima Araujo Coordenador UFPA Período de vinculação à Pesquisa: janeiro de 2008 a janeiro de 2010 Profº Dr. Gilmar Pereira da Silva Vice-Coordenador UFPA Período de vinculação à Pesquisa: janeiro de 2008 a janeiro de 2010 Profº Dr. Justino de Souza Junior pesquisador UFC Período de vinculação à Pesquisa: janeiro de 2008 a janeiro de 2010 Doutorandos Doriedson do Socorro Rodrigues doutorando - UFPA Orientador: Prof Ronaldo Marcos de Lima Araujo Período de vinculação à Pesquisa: janeiro de 2008 a janeiro de 2010 Elinilze Guedes Teodoro doutoranda PUC-RJ Orientador: Prof Ronaldo Marcos de Lima Araujo Período de vinculação à Pesquisa: janeiro de 2008 a janeiro de 2010 Maria Auxiliadora Maués de Lima Araujo doutoranda UFPA Período de vinculação à Pesquisa: janeiro de 2008 a janeiro de 2010 Orientador: Profª Terezinha Fátima Andrade Monteiro dos Santos Mestrandos Cristiane Silva de Almeida mestranda UFPA Orientador: Prof Ronaldo Marcos de Lima Araujo Período de vinculação à Pesquisa: janeiro de 2008 a agosto de 2008 Sônia de Fátima Rodrigues Santos mestranda UFPA Orientador: Prof Ronaldo Marcos de Lima Araujo Período de vinculação à Pesquisa: janeiro de 2008 a agosto de 2008 Raimunda do Socorro Rodrigues mestranda UFPA Orientador: Prof Ronaldo Marcos de Lima Araujo Período de vinculação à Pesquisa: janeiro de 2008 a agosto de 2008 Rosineide de Belém Lourinho dos Santos mestranda UFPA

3 ii Orientador: Prof Ronaldo Marcos de Lima Araujo Período de vinculação à Pesquisa: janeiro de 2008 a setembro de 2008 Sandra Suely da Silva Gomes mestranda UFPA Orientador: Prof Ronaldo Marcos de Lima Araujo Período de vinculação à Pesquisa: janeiro de 2008 a agosto de 2009 Rejane do Socorro da Silva Carvalho mestranda UNB Orientador: Prof Ronaldo Marcos de Lima Araujo Período de vinculação à Pesquisa: janeiro de 2008 a janeiro de 2010 Elizabete Batista Ramos mestranda UNB Orientador: Prof Ronaldo Marcos de Lima Araujo Período de vinculação à Pesquisa: janeiro de 2008 a janeiro de 2010 Deusa de Nazaré Martins Lobato mestranda - UFPA Orientador: Prof Ronaldo Marcos de Lima Araujo Período de vinculação à Pesquisa: março de 2008 a janeiro de 2010 Egídio Martins mestrando UFPA Orientador: Prof Ronaldo Marcos de Lima Araujo Período de vinculação à Pesquisa: março de 2009 a janeiro de 2010 Adriana Maria Nazaré de Souza mestranda UFPA Orientador: Prof Ronaldo Marcos de Lima Araujo Período de vinculação à Pesquisa: março de 2009 a janeiro de 2010 Heloisa Helena Barbosa Canali mestranda UFPA Orientador: Prof Gilmar Pereira da Silva Período de vinculação à pesquisa: março de 2009 a janeiro de 2010 Ana Cristina Moraes mestranda UFPA Orientador: Prof Gilmar Pereira da Silva Período de vinculação à pesquisa: março de 2009 a janeiro de 2010 Especializandos Jaqueline do N. Rodrigues discente de especialização UFPA Período de vinculação à Pesquisa: março de 2009 a janeiro de 2010 Adriane S. R. do Nascimento discente de especialização UFPA Período de vinculação à Pesquisa: março 2009 a janeiro de 2010 Adriana Maria Nazaré de Souza discente de especialização IFPA Período de vinculação à Pesquisa: janeiro de 2008 a novembro de 2008 Frederico dos Remédios Correa discente de especialização IFPA Período de vinculação à Pesquisa: janeiro de 2008 a novembro de 2008 Bolsistas de iniciação científica (PIBIC/CNPq) Adriane S. R. do Nascimento bolsista de iniciação científica / discente de especialização - UFPA Orientador: Prof Ronaldo Marcos de Lima Araujo Período de vinculação à Pesquisa: janeiro de 2008 a março de 2009 Jaqueline do N. Rodrigues discente de especialização - UFPA Orientador: Prof Ronaldo Marcos de Lima Araujo

4 Período de vinculação à Pesquisa: janeiro de 2008 a março de 2008 Manuela Tavares Santos bolsista PIBIC- UFPA Orientador: Prof Ronaldo Marcos de Lima Araujo Período de vinculação à Pesquisa: março de 2008 a março de 2009 Bruna de Moraes Damasceno bolsista PIBIC- UFPA Orientador: Prof Ronaldo Marcos de Lima Araujo Período de vinculação à Pesquisa: março de 2009 a janeiro de 2010 Lívia Fernanda Nascimento dos Santos bolsista PIBIC- UFPA Orientador: Prof Ronaldo Marcos de Lima Araujo Período de vinculação à Pesquisa: março de 2009 a janeiro de 2010 Fred Júnior Costa Alfaia Bolsista PIBIC/INTERIOR UFPA Orientador: Prof Gilmar Pereira da Silva Período de vinculação à Pesquisa: março de 2009 a janeiro de 2010 Fábio Coelho Pinto Bolsista PIBIC UFPA Orientador: Prof Gilmar Pereira da Silva Período de vinculação à Pesquisa: março de 2008 a março de 2009 Humberto de Jesus Caldas Ribeiro Bolsista PIBIC/INTERIOR UFPA Orientador: Prof Gilmar Pereira da Silva Período de vinculação à Pesquisa: março de 2008 a março de 2009 Hundriana de Jesus Caldas Ribeiro Bolsista PIBIC UFPA Orientador: Prof Gilmar Pereira da Silva Período de vinculação à Pesquisa: março de 2009 a março de 2010 Adriana Viana Valente Bolsista PIBIC UFPA Orientador: Prof Gilmar Pereira da Silva Período de vinculação à Pesquisa: março de 2009 a março de 2010 iii

5

6 AS PRÁTICAS FORMATIVAS EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTADO DO PARÁ: em busca de uma didática da educação profissional SUMÁRIO Lista de Siglas Lista de quadros Apresentação Considerações iniciais Práticas formativas ou práticas pedagógicas? Existe uma didática ou uma pedagogia da educação profissional? A didática da educação profissional paraense Acerca da pesquisa qualitativa: um debate temporão? Sobre a base de dados da pesquisa documental CAPÍTULO 1 REFERÊNCIAS SOBRE PRÁTICAS FORMATIVAS EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: diferentes projetos em disputa Considerações inicias O PROJETO DO CAPITAL A institucionalização da educação profissional no Brasil: o sistema S e as séries metódicas ocupacionais A renovação do velho: A Pedagogia das Competências O PROJETO CONTRA-HEGEMÔNICO ESBOÇO DE ORIENTAÇÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Considerações do capítulo CAPÍTULO 2. O QUE DIZEM OS PERIÓDICOS DE TRABALHO E EDUCAÇÃO SOBRE A DIDÁTICA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL? Considerações iniciais do capítulo A DIDÁTICA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NA REVISTA TRABALHO & EDUCAÇÃO DO NETE Revista Trabalho & Educação 1999/ Revista Trabalho & Educação Revista Trabalho & Educação Revista Trabalho & Educação Revista Trabalho & Educação Revista Trabalho & Educação Revista Trabalho & Educação Considerações sobre a produção da Revista Trabalho & Educação A DIDÁTICA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO BTS BOLETIM TÉCNICO DO SENAC Boletim Técnico do SENAC Boletim Técnico do SENAC

7 Boletim Técnico do SENAC Boletim Técnico do SENAC Boletim Técnico do SENAC Boletim Técnico do SENAC Boletim Técnico do SENAC Boletim Técnico do SENAC Boletim Técnico do SENAC Considerações sobre a produção do Boletim Técnico do SENAC A DIDÁTICA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NOS ANAIS DO GT09 DA ANPED A produção da ANPED Reunião Anual da ANPEd Reunião Anual da ANPEd Reunião Anual da ANPEd Reunião Anual da ANPEd Reunião Anual da ANPEd Reunião Anual da ANPEd Reunião Anual da ANPEd Reunião Anual da ANPEd Considerações sobre a produção do GT 09 (Trabalho e Educação) da ANPEd SÍNTESE PROVISÓRIA ACERCA DA DIDÁTICA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NA VISÃO DOS AUTORES DOS TRÊS VEÍCULOS ESTUDADOS A DIDÁTICA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL PARAENSE IFPA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ CAMPUS CASTANHAL Objetivos de ensino Conteúdos de ensino Métodos de ensino e de avaliação Considerações em processo sobre a didática no IFPA Campus Castanhal ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL MAGALHÃES BARATA ETEMB Objetivos de ensino Conteúdos de Ensino Métodos de Ensino e de Avaliação Considerações em processo sobre a didática na ETEMB ESCOLA BOSQUE PROFESSOR EIDORFE MOREIRA Objetivos de ensino Conteúdos de ensino vi

8 Métodos de ensino e de avaliação Considerações em processo sobre a didática na Escola Bosque CESEP CENTRO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS DO PARÁ Objetivos de ensino Conteúdos de ensino Métodos de ensino e de avaliação Considerações em processo sobre a didática no CESEP Outras experiências paraenses estudadas (SENAI e IFPA) Considerações do capítulo: as práticas tradicionais e o desafio da integração CONSIDERAÇÕES FINAIS Filosofia da Práxis e ensino integrado: também uma questão éticopolítica Pensar & fazer: prática pedagógica atitude humana transformadora Práxis: atitude humana transformadora um arquétipo propositivo Notas para um norte Referências bibliográficas Descrição das despesas Produtos Anexos vii

9

10 AS PRÁTICAS FORMATIVAS EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTADO DO PARÁ: em busca de uma didática da educação profissional Relatório Final Lista de siglas ANPED Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação BTS Boletim Técnico do SENAC CEA Centro de Educação de Adultos CEETEPS Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula e Souza CEFETMG Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais CESEP Centro de Serviços Educacionais do Pará CETEP Centro de Estudos Técnicos do Pará CIC Centro Integrado de Controle CNM Confederação Nacional dos Metalúrgicos CTT Ciência Tecnologia Trabalho CUT Central Única dos Trabalhadores EDUFORUM Fórum de Coordenadores dos Programas de Pós- Graduação em Educação EMJAT Ensino Médio Para Jovens e Adultos Trabalhadores ENEM Exame nacional de Ensino Médio ETEMB Escola Técnica Estadual Magalhães Barata FHC Fernando Henrique Cardoso FIOCRUZ Fundação Oswaldo Cruz FUNDACENTRO Fundação Jorge Duprat Figueiredo, de Segurança e Medicina do Trabalho GEPTE Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Trabalho e Educação GT Grupo de Trabalho IFPA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do ParáMST INCRA Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária Inmetro Instituto Nacional de Metrologia ISSO International Organization for Standardization MEC Ministério da Educação MST Movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem Terra MTE Ministério do Trabalho e Emprego PCNEM Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio PCS Programa Capacitação Solidária Planfor Plano Institucional de Formação de Quadros Docentes PNQ Prêmio Nacional de Qualidade Proe Programa de Complementação Educacional Proep Programa de Expansão da Educação Profissional PROEJA Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação Jovens e Adultos Profae Projeto de Profissionalização dos Trabalhadores da Área de Enfermagem PRONERA Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária

11 PUC-MINAS Pontifícia Universidade Católica de Minas REPAR Refinaria Presidente Vargas SENAC Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial SENAI Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial T & E Revista Trabalho e Educação UEMG Universidade do Estado de Minas Gerais UFC Universidade Federal do Ceará UFMG Universidade Federal de Minas Gerais UFPA Universidade Federal do Pará UFPE Universidade Federal de Pernambuco UNAMA Universidade da Amazônia 10

12 AS PRÁTICAS FORMATIVAS EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTADO DO PARÁ: em busca de uma didática da educação profissional Relatório Final Lista de quadros Quadro 1 ARTIGOS CONSULTADOS SOBRE PRÁTICAS 19 FORMATIVAS EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Quadro 2 QUADRO INSTITUCIONAL DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 20 NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM (1995 A 2004) Quadro 3 ARTIGOS DA REVISTA TRABALHO E EDUCAÇÃO 54 ANALISADOS Quadro 4 A DIDÁTICA NA VISÃO DOS AUTORES DA REVISTA 86 TRABALHO E EDUCAÇÃO Quadro 5 ARTIGOS DO BOLETIM TÉCNICO DO SENAC 88 ANALISADOS Quadro 6 A DIDÁTICA NA VISÃO DOS AUTORES DA REVISTA 112 TRABALHO E EDUCAÇÃO Quadro 7 - ARTIGOS DO GT09 DA ANPED ANALISADOS 117 Quadro 8 SÍNTESE DOS ELEMENTOS DIDÁTICOS NA VISÃO DOS 156 AUTORES Quadro 8 ENTREVISTAS DO IFPÁ CASTANHAL 163 Quadro 9 EXCERTOS SOBRE OBJETIVOS DE ENSINO 166 IFPA/Castanhal Quadro 10 EXCERTOS SOBRE CONTEÙDOS DE ENSINO 168 IFPA/Castanhal Quadro 11 EXCERTOS SOBRE METODOS DE ENSINO 170 IFPA/Castanhal Quadro 12 ENTREVISTADOS NA ETEMB 174 Quadro 13 EXCERTOS SOBRE OBJETIVOS DE ENSINO ETEMB 176 Quadro 14 EXCERTOS SOBRE CONTEÚDOS DE ENSINO ETEMB 179 Quadro 15 EXCERTOS SOBRE MÉTODOS DE ENSINO ETEMB 181 Quadro 16 ENTREVISTADOS NA ESCOLA BOSQUE 184 Quadro 17 EXCERTOS SOBRE OBEJTIVOS DE ENSINO Escola 185 Bosque Quadro 18 EXCERTOS SOBRE CONTEÙDOS DE ENSINO Escola 188 Bosque Quadro 19 EXCERTOS SOBRE MÉTODOS DE ENSINO Escola 191 Bosque Quadro 20 ENTREVISTADOS NO CESEP 195 Quadro 21 EXCERTOS SOBRE OBJETIVOS DE ENSINO CESEP 196 Quadro 22 EXCERTOS SOBRE CONTEÚDOS DE ENSINO CESEP 198 Quadro 23 EXCERTOS SOBRE MÉTODOS DE ENSINO CESEP 199

13 AS PRÁTICAS FORMATIVAS EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTADO DO PARÁ: em busca de uma didática da educação profissional Relatório Final RESUMO O presente relatório expõe resultados de 02 anos ( ) de pesquisas concernentes ao projeto Práticas Formativas em Educação Profissional no Estado do Pará: em busca de uma didática da educação profissional. Metodologicamente, adotamos procedimentos próprios da pesquisa de cunho qualitativa tendo o materialismo dialético como marco teórico para a investigação empreendida e tomando as entrevistas semi-estruturadas, a pesquisa bibliográfica e a análise de conteúdo (técnica de categorização) como procedimentos para o levantamento, a organização e a análise dos dados. Do ponto de vista teórico, o Pragmatismo e a Filosofia da Práxis foram as duas referências basilares utilizadas para a organização e análise da produção bibliográfica e das práticas formativas em educação profissional, consideradas a partir de três categorias básicas da didática: (i) objetivos de ensino, (ii) conteúdos de ensino, e (iii) metodologia de ensino e de avaliação. Com foco nestas três categorias analisamos as produções de três veículos de comunicação da área de trabalho e educação em seus artigos que tratam de prática pedagógica: Revista Trabalho & Educação, Boletim Técnico do SENAC e Anais do GT09 da ANPED, bem como a fala de entrevistados de quatro instituições que, no Pará, ofertam educação profissional: Instituto Federal de Educação Tecnológica do Pará (IFPA), Escola Técnica Estadual Magalhães Barata (ETEMB), Escola Bosque Professor Eidorfe Moreira e o Centro de Serviços Educacionais do Pará (CESEP). Nos periódicos, observamos que, reconhecendo o caráter dual da educação brasileira e a realidade social de luta de classes, a educação profissional é compreendida como campo de disputa, atualmente hegemonizada pela ótica empresarial de base pragmática que toma a noção de competência como principal referência pedagógica, compreendida como renovação de formas tradicionais de formação profissional, antes identificadas com práticas de treinamento. Formulações de um projeto de educação profissional identificados com a Filosofia da Práxis ainda são incipientes e este referencial tem servido muito mais para o estabelecimento de críticas ao instituído do que para proposições de práticas pedagógicas contra-

14 13 hegemônicas. Esta produção também revelou marcos distintivos entre projetos de educação profissional focados pela ótica dos trabalhadores e aqueles apoiados pelas demandas do capital. Observou-se que, no Pará, nas diferentes instituições analisadas, prevalece o tradicionalismo pedagógico que tem no mercado e nas competências as suas referências centrais, mesmo que outras também sejam reais. Quanto aos procedimentos metodológicos e às estratégias de organização curricular e de avaliação, verificamos que nas instituições elas assemelham-se, mesmo naquelas em que existam tentativas de efetivação de um ensino integrado, não sendo, portanto este o fator decisivo e distintivo de práticas orientadas pela lógica do mercado ou dos trabalhadores. Do ponto de vista das finalidades, contudo, ficaram claras a existências de diferenças essenciais. Estas diferenças ficaram evidentes e permitem considerar que mesmo as questões técnicas das práticas pedagógicas são definidas, explicadas e entendidas em função dos projetos político-filosóficos aos quais elas se assentam e se articulam. Como não se pode apartar a dimensão pedagógica da dimensão ético-política, compreende-se que um projeto de ensino integrador pressupõe a edificação de uma práxis revolucionária, não sendo esta uma questão curricular, mas fundamentalmente política e filosófica. Esse aspecto depende muito mais dos projetos institucionais e da postura ideológica que os profissionais da educação profissional assumem frente à realidade, do que dos procedimentos didáticocurriculares utilizados. Estes são necessários, mas não têm força estruturante de práticas formativas. PALAVRAS-CHAVE: Educação Profissional - Didática; Filosofia da Práxis - Pragmatismo - Estado do Pará.

15 1 AS PRÁTICAS FORMATIVAS EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTADO DO PARÁ: em busca de uma didática da educação profissional Relatório Final Apresentação O relatório final da pesquisa As práticas formativas em educação profissional no Estado do Pará: em busca de uma didática da educação profissional, financiada pelo CNPq, encontra-se distribuído em três capítulos que visam expor a trajetória dos esforços de investigação depreendidos em dois anos , tanto no que se refere aos procedimentos teóricometodológicos quanto aos resultados obtidos. Estruturalmente, esses capítulos são constituídos de uma introdução e das considerações finais. Nas considerações iniciais, apresentamos o objeto de pesquisa a didática da educação profissional, os objetivos que nortearam a investigação e os pressupostos teórico-metodológicos, considerando a pedagogia fundamentada no Pragmatismo e a baseada na Filosofia da Práxis, como também a pesquisa qualitativa tendo o materialismo dialético como marco teórico. Na introdução, apresentamos o projeto de pesquisa e esclarecemos o objeto sobre o qual incide a investigação, as questões motivadoras do estudo, os procedimentos adotados e as referências teóricas assumidas. No primeiro capítulo, intitulado REFERÊNCIAS SOBRE PRÁTICAS FORMATIVAS EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: diferentes projetos em disputa, partimos da idéia de que a educação em geral e a educação profissional, em particular, constituem campos de disputa no qual predominam abordagens de dois tipos: aquelas que buscam a conformação dos homens à realidade dada e outras que buscam a transformação social, e que tais abordagens consubstanciam em nossa sociedade, prioritariamente, dois projetos antitéticos de formação de trabalhadores: uma pedagogia focada no trabalho e outra pedagogia focada no capital. A primeira, com base no materialismo histórico, busca identificar as referências que permitam a avaliação de práticas formativas em educação profissional articuladas ao projeto educacional do capital, de cunho pragmático, relacionadas com a segregação do desenvolvimento das capacidades de pensar e de fazer do

16 2 trabalhador e à acomodação social frente à realidade dada. A segunda busca identificar referências de práticas formativas em educação profissional que se articulem ao ideário da Filosofia da Práxis, tendo em vista, para além da simples negação, a formulação de estratégias que favoreçam a atividade humana auto-realizadora. Dessa forma, o primeiro capítulo encontra-se organizado com duas seções principais: uma que foca e problematiza o projeto de educação profissional do capital, de cunho pragmático, e outra que, com base nas formulações de autores marxistas, busca considerar a possibilidade de um projeto pedagógico de formação dos trabalhadores. No segundo capítulo, com o título O QUE DIZEM OS PERIÓDICOS DE TRABALHO E EDUCAÇÃO SOBRE A DIDÁTICA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL?, levantamos e sistematizamos as fontes bibliográficas, considerando artigos publicados na Revista Trabalho & Educação, no Boletim Técnico do SENAC e nos anais do GT09 da ANPED, que tratam sobre didática da educação profissional, por meio de análise interpretativa, no intuito de identificar as contribuições de diferentes autores a respeito dessa didática, considerando (i) objetivos de ensino, (ii) conteúdos de ensino, (iii) metodologia de ensino e de avaliação presentes nessa prática. A partir dos textos lidos, apresentamos elementos de diferentes projetos formativos que estão em disputa por hegemonizar as práticas formativas em educação profissional. No terceiro capítulo, com o título A DIDÁTICA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL PARAENSE, apresentamos elementos das práticas pedagógicas dos professores de quatro instituições de educação profissional o Instituto Federal de Educação Tecnológica do Pará (IFPA), Escola Técnica Estadual Magalhães Barata (ETEMB), Escola Bosque Professor Eidorfe Moreira e o Centro de Serviços Educacionais do Pará (CESEP) -, permitindonos uma caracterização inicial de uma didática da educação profissional. Nesse capítulo, as falas dos entrevistados estão organizadas em função das três categorias da didática elencadas para o desenvolvimento das análises. Nas considerações finais, expomos reflexões sobre a didática da educação profissional, tanto a partir da pesquisa empírica quanto bibliográfica, ressaltando-se que, questões técnicas da didática são definidas, explicadas e

17 3 entendidas em função dos projetos político-filosóficos aos quais elas se assentam e se articulam, não havendo forma de ver a dimensão pedagógica dissociada da dimensão política. Destacamos ainda que a compreensão de um projeto de ensino integrador pressupõe a edificação de uma práxis revolucionária, não sendo uma questão curricular, mas uma questão fundamentalmente política e filosófica, dependendo muito mais dos projetos institucionais e da postura que o profissional da educação assume frente à realidade do que aos procedimentos didáticos utilizados aos quais são necessários, mas não suficientes. Estruturalmente, as considerações finais apresentam uma reflexão inicial sintetizadora dos achados, para, em seguida, abordar o tópico a Filosofia da práxis e ensino médio integrado: também uma questão de atitude, com uma divisão em três momentos: (i) Pensar e fazer: prática pedagógica atitude humana transformadora; (ii) Práxis: atitude humana transformadora um arquétipo propositivo; (iii) Notas para um norte. Por último, apresentamos a descrição de despesas ocorridas na vigência do projeto, assim como produtos gerados pela pesquisa, com indicação de fontes de gastos, tais como eventos, publicações.

18 1 AS PRÁTICAS FORMATIVAS EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTADO DO PARÁ: EM BUSCA DE UMA DIDÁTICA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Considerações iniciais A história da educação brasileira, tal como afirma Saviani (1999), inclusive a profissional, é marcada pela disputa entre dois projetos principais: uma pedagogia pragmática, que busca subordinar a educação aos interesses imediatos da realidade dada, e uma pedagogia da práxis, que se orienta para um tipo de formação que se compromete com a construção de um futuro e que busca favorecer processos de ampla qualificação dos trabalhadores. Essas duas abordagens podem ser entendidas de diferentes maneiras e também são diferentes as formas como elas se apresentam nas estratégias formativas.vinculadas a uma pedagogia pragmática podemos identificar as formulações do escolanovismo 1, do tecnicismo educacional, das formulações orientadas pela Teoria do Capital Humano e, mais recentemente, pela chamada Pedagogia das Competências 2. Também podem ser associadas a esta perspectiva propostas mais recentes (ou sofisticadas), que defendem uma certa Didática da Técnica para sustentar a maior valorização do saber técnico como síntese de saberes de outra ordem 3. Vinculadas à Pedagogia da Práxis, podemos identificar as formulações críticas, sustentadas pelo materialismo histórico, que propugnam uma educação referenciada principalmente em conceitos marxistas e gramscianos, tais como escola unitária, politecnia, formação onilateral e escola desinteressada. O discurso da formação do cidadão produtivo 4, da educação para a empregabilidade e da referência fundamental no mercado se coloca enquanto elemento discursivo sob a perspectiva pragmática, enquanto o homem amplamente desenvolvido serve como principal referência para uma pedagogia fundada na práxis. Nesta direção, cabe destacar a diferenciação que faz Silvia 1 Ver Dewey (1936). 2 Sobre a Pedagogia das Competências ver Araújo (2001) e Ramos (2003). 3 Apud Barato (2004). 4 Ver Frigotto e Franco (2006).

19 2 Manfredi (2006) dos processos formativos focados no trabalho, na profissão e na ocupação, distinguindo estes conceitos em função do alargamento do foco e na consideração de que eles remetem a estratégias formativas que interessam mais ou menos aos trabalhadores. E como as estratégias de formação dos trabalhadores não podem ser dissociadas de projetos de desenvolvimento social, é necessário reconhecer que qualquer leitura que se faça acerca da educação profissional, inclusive de suas práticas pedagógicas, pressupõe uma opção política pautada no projeto de sociedade que se toma como referência. Os projetos educacionais em disputa, no fundamental, remetem ou à conformação da educação ao status quo, ou seja, procuram se ajustar à realidade instituída, ou se contrapõem ao estabelecido e se comprometem com outro modelo societário, no qual o ser humano seja o elemento balizador das decisões. Mas se por um lado ficam claras as diferenças de perspectiva entre estes dois projetos político-pedagógicos, por outro lado faltam experiências sistematizadas de formação profissional orientadas pela Filosofia da Práxis. Assim, buscamos, como primeiro objetivo, levantar, organizar e sistematizar um quadro de referências que permita a avaliação de práticas formativas de educação profissional, com base na Filosofia da Práxis. Especificamente interessa enfrentar o desafio de subsidiar uma didática da educação profissional pautada nos referenciais do materialismo-histórico. O segundo objetivo é o de, em continuidade a uma pesquisa anterior (ARAUJO, 2007), analisar as estratégias formativas dos trabalhadores efetivadas nas instituições de educação profissional sediadas no Estado do Pará, em particular àquelas da Região Metropolitana de Belém. Em relação a este segundo objetivo, interessanos, em particular, identificar elementos que permitam e/ou dificultem uma ação formativa contra-hegemônica. A consecução destes objetivos permitiria, de um lado, avançar na produção teórica da área de trabalho e educação que como afirma Bomfim (2006) ao analisar a produção do GT de Trabalho e Educação da ANPED Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação -, tem uma agenda que ainda precisa ser cumprida. Como item desta agenda destaca-se a organização de referências e indicações teórico-metodológicas para uma

20 3 didática de formação de trabalhadores pautada no princípio da formação unitária. Reconhece-se, assim, que um dos maiores desafios da área está na indicação de experiências alternativas e contra-hegemônicas. Assim sendo, esta pesquisa também foi motivada pela necessidade de aprofundamento do reconhecimento da realidade educacional paraense, em particular das práticas de formação em educação profissional, visando à construção de subsídios para a estruturação de propostas de formação profissional que interessassem aos movimentos sociais ou às instituições que têm seus objetivos comprometidos com a utopia da emancipação humana. Práticas formativas ou práticas pedagógicas? Toda prática formativa é uma prática social que se constitui num processo através do qual os sujeitos vão produzindo as condições materiais, espirituais e as relações sociais que garantem a sua existência; consiste num fenômeno social integrante das relações sociais, econômicas, políticas e culturais de uma determinada sociedade, cujas finalidades e meios do processo formativo se subordinam à estrutura e à dinâmica das relações entre as classes sociais, sendo, pois, socialmente determinado. Isto significa que além de ser constituída, é constituinte destas relações, e compõe-se, segundo Frigotto (1995), num campo de disputa hegemônica, em que as concepções, a organização dos processos e dos conteúdos, nas diversas esferas da vida social se dão em sintonia com os interesses de classes.. Do ponto de vista macrossocial, os processos formativos decorrem da organização política e econômica de uma sociedade, constituindo uma dinâmica de aprendizagem contínua e incidental que ocorre no meio social, em todas as instâncias e atividades sociais, de modo informal, permanente e não organizado, durante toda a vida de homens e mulheres. Dinâmica que proporciona o desenvolvimento de potencialidades e apropriação do saber social, num conjunto de conhecimentos e habilidades, atitudes e valores produzidos pelas classes no contexto histórico de relações sociais, de acordo com os interesses e necessidades de uma dada sociedade.. Ocorre, portanto,

AS PRÁTICAS FORMATIVAS EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTADO DO PARÁ: em busca de uma didática da educação profissional

AS PRÁTICAS FORMATIVAS EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTADO DO PARÁ: em busca de uma didática da educação profissional CNPQ CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO AS PRÁTICAS FORMATIVAS EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTADO DO PARÁ: em busca de uma didática da educação profissional RONALDO MARCOS DE LIMA ARAUJO 2

Leia mais

O MARXISMO E A PESQUISA QUALITATIVA COMO REFERÊNCIAS PARA INVESTIGAÇÃO SOBRE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 1

O MARXISMO E A PESQUISA QUALITATIVA COMO REFERÊNCIAS PARA INVESTIGAÇÃO SOBRE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 1 O MARXISMO E A PESQUISA QUALITATIVA COMO REFERÊNCIAS PARA INVESTIGAÇÃO SOBRE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 1 Considerações iniciais Ronaldo Marcos de Lima Araujo 2 rlima@ufpa.br Financiamento: CNPq Seria o referencial

Leia mais

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA GT-1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA RESUMO Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. PARFOR E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br

Leia mais

PROFISSIONALIZAÇÃO E ESCOLARIZAÇÃO: A EXPERIÊNCIA DE ARTICULAÇÃO DO SENAI-PA CARNEIRO, Verônica Lima UFPA GT-09: Trabalho e Educação

PROFISSIONALIZAÇÃO E ESCOLARIZAÇÃO: A EXPERIÊNCIA DE ARTICULAÇÃO DO SENAI-PA CARNEIRO, Verônica Lima UFPA GT-09: Trabalho e Educação PROFISSIONALIZAÇÃO E ESCOLARIZAÇÃO: A EXPERIÊNCIA DE ARTICULAÇÃO DO SENAI-PA CARNEIRO, Verônica Lima UFPA GT-09: Trabalho e Educação Introdução A investigação e análise contidas neste trabalho tomam por

Leia mais

Palavras-Chave: Projeto Político-Pedagógico; Prática Pedagógica; Currículo Interdisciplinar; Proposta Pedagógica.

Palavras-Chave: Projeto Político-Pedagógico; Prática Pedagógica; Currículo Interdisciplinar; Proposta Pedagógica. A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO LICEU ESCOLA DE ARTES E OFÍCIOS MESTRE RAIMUNDO CARDOSO: UM ESTUDO AVALIATIVO JUNTO A PROFESSORES E ALUNOS *Alcemir Pantoja Rodrigues ** Arlete Marinho Gonçalves Universidade do

Leia mais

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal.

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal. A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA MUNICIPAL RECANTO DO BOSQUE: LIMITES E POSSIBILIDADES PARA UMA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA A PARTIR DO SUBPROJETO DA EDUCAÇÃO FÍSICA DA ESEFFEGO/UEG.

Leia mais

A EDUCAÇÃO E A ESCOLA NUMA PERSPECTIVA GRAMSCIANA

A EDUCAÇÃO E A ESCOLA NUMA PERSPECTIVA GRAMSCIANA A EDUCAÇÃO E A ESCOLA NUMA PERSPECTIVA GRAMSCIANA CARDOSO NETO, Odorico Ferreira i ; CAMPOS, Cleanil Fátima Araújo Bastos ii ; FREITAS, Cleyson Santana de iii ; CABRAL, Cristiano Apolucena iv ; ADAMS,

Leia mais

A PRÁTICA DE FORMAÇÃO DE DOCENTES: DIFERENTE DE ESTÁGIO Maria de Fátima Targino Cruz Pedagoga e professora da Rede Estadual do Paraná.

A PRÁTICA DE FORMAÇÃO DE DOCENTES: DIFERENTE DE ESTÁGIO Maria de Fátima Targino Cruz Pedagoga e professora da Rede Estadual do Paraná. A PRÁTICA DE FORMAÇÃO DE DOCENTES: DIFERENTE DE ESTÁGIO Maria de Fátima Targino Cruz Pedagoga e professora da Rede Estadual do Paraná. O Curso de Formação de Docentes Normal, em nível médio, está amparado

Leia mais

PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA

PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA O que é o Projeto de Intervenção Pedagógica? O significado de projeto encontrado comumente nos dicionários da Língua Portuguesa está associado a plano de realizar,

Leia mais

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior.

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Josimar de Aparecido Vieira Nas últimas décadas, a educação superior brasileira teve um expressivo

Leia mais

PRÁTICAS FORMATIVAS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: PERSPECTIVAS DE UM ESTUDO NA REVISTA TRABALHO & EDUCAÇÃO DO NETE/UFMG

PRÁTICAS FORMATIVAS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: PERSPECTIVAS DE UM ESTUDO NA REVISTA TRABALHO & EDUCAÇÃO DO NETE/UFMG PRÁTICAS FORMATIVAS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: PERSPECTIVAS DE UM ESTUDO NA REVISTA TRABALHO & EDUCAÇÃO DO NETE/UFMG Adriane Suely Rodrigues do Nascimento (Bolsista PIBIC-CNPq) Universidade Federal do Pará

Leia mais

1.3. Planejamento: concepções

1.3. Planejamento: concepções 1.3. Planejamento: concepções Marcelo Soares Pereira da Silva - UFU O planejamento não deve ser tomado apenas como mais um procedimento administrativo de natureza burocrática, decorrente de alguma exigência

Leia mais

Resumo. Introdução. Grupo de pesquisadores da rede municipal de ensino da cidade do Recife PE.

Resumo. Introdução. Grupo de pesquisadores da rede municipal de ensino da cidade do Recife PE. TRABALHO DOCENTE: POR UMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL CRÍTICA, TRANSFORMADORA E EMANCIPATÓRIA OLIVEIRA, Marinalva Luiz de Prefeitura da Cidade do Recife GT-22: Educação Ambiental Resumo Este trabalho tem o objetivo

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA.

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. Profa. Elizabeth Rodrigues Felix 1 I- INTRODUÇÃO Com dezoito anos de existência, o

Leia mais

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica)

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) GRUPO PAIDÉIA FE/UNICAMP Linha: Episteduc Coordenador: Prof. Dr. Silvio Sánchez Gamboa Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) Os projetos de pesquisa se caracterizam

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE SERVIÇO SOCIAL INTRODUÇÃO AO SERVIÇO SOCIAL EMENTA: A ação profissional do Serviço Social na atualidade, o espaço sócioocupacional e o reconhecimento dos elementos

Leia mais

OFICINAS DE REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR REFLEXÕES SOBRE O ENSINO MÉDIO INTEGRADO A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A AÇÃO DOCENTE

OFICINAS DE REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR REFLEXÕES SOBRE O ENSINO MÉDIO INTEGRADO A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A AÇÃO DOCENTE OFICINAS DE REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR REFLEXÕES SOBRE O ENSINO MÉDIO INTEGRADO A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A AÇÃO DOCENTE NASCIMENTO, Elaine Cristina Universidade Tecnológica Federal do Paraná AMORIM, Mário

Leia mais

Currículo nº2 DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

Currículo nº2 DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Turno: INTEGRAL Currículo nº2 Reconhecido pelo Decreto Federal n 82.413, de 16.10.78, D.O.U. nº198 de 17.10.78. Renovação de Reconhecimento Decreto Est. nº. 1064, de 13.04.11 DOE

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO Secretaria de Estado da Educação Estado do Paraná Núcleo Regional de Educação de União da Vitória COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio Rua Presidente Kennedy, 200 Fone: (42) 3552

Leia mais

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Turno: INTEGRAL Currículo nº Reconhecido pelo Decreto Federal n 8.1, de 16.10.78, D.O.U. nº198 de 17.10.78. Renovação de Reconhecimento Decreto Est. nº. 106, de 1.0.11 DOE nº 85

Leia mais

TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO: A CONSTITUIÇÃO DE UM CORPUS DE PESQUISA Moema Gomes Moraes PUC-GO/UFG Agência Financiadora: CAPES PROSUP

TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO: A CONSTITUIÇÃO DE UM CORPUS DE PESQUISA Moema Gomes Moraes PUC-GO/UFG Agência Financiadora: CAPES PROSUP TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO: A CONSTITUIÇÃO DE UM CORPUS DE PESQUISA Moema Gomes Moraes PUC-GO/UFG Agência Financiadora: CAPES PROSUP Resumo O propósito deste trabalho é apresentar o processo de constituição

Leia mais

O BOM PROFESSOR DA PÓS-GRADUAÇÃO E SUA PRÁTICA. PALAVRAS-CHAVE: docência universitária, formação docente, representações, perspectivas paradigmáticas

O BOM PROFESSOR DA PÓS-GRADUAÇÃO E SUA PRÁTICA. PALAVRAS-CHAVE: docência universitária, formação docente, representações, perspectivas paradigmáticas O BOM PROFESSOR DA PÓS-GRADUAÇÃO E SUA PRÁTICA Núbia Vieira TEIXEIRA; Solange Martins Oliveira MAGALHÃES Mestrado - Programa de Pós - Graduação em Educação - FE/UFG vitenubia@yahoo.com.br;solufg@hotmail.com

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE: O PAPEL DA EQUIPE PEDAGÓGICA E A INTERLOCUÇÃO COM O PROFESSOR

PLANO DE TRABALHO DOCENTE: O PAPEL DA EQUIPE PEDAGÓGICA E A INTERLOCUÇÃO COM O PROFESSOR PLANO DE TRABALHO DOCENTE: O PAPEL DA EQUIPE PEDAGÓGICA E A INTERLOCUÇÃO COM O PROFESSOR P L A N E J A M E N T O Projeto PolíticoPedagógico Proposta Pedagógica curricular Plano de Trabalho Docente Plano

Leia mais

Balanço DA Política Educacional Brasileira (1999-2009) ações e programas

Balanço DA Política Educacional Brasileira (1999-2009) ações e programas Balanço DA Política Educacional Brasileira (1999-2009) ações e programas ESTA OBRA FOI IMPRESSA EM PAPEL RECICLATO 75% PRÉ-CONSUMO, 25 % PÓS- CONSUMO, A PARTIR DE IMPRESSÕES E TIRAGENS SUSTENTÁVEIS. CUMPRIMOS

Leia mais

METODOLOGIA PARTICIPATIVA NA AVALIAÇÃO DE CURRICULO

METODOLOGIA PARTICIPATIVA NA AVALIAÇÃO DE CURRICULO METODOLOGIA PARTICIPATIVA NA AVALIAÇÃO DE CURRICULO Maria Célia B. Aires - UFPR Ceusa Valério Gabardo - UFPR Suely Carta Cardoso - UFPR Vilma M. Barra - UFPR RESUMO - O trabalho de pesquisa aqui relatado

Leia mais

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Salvador, 21 de setembro de 2015 Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Nos dias 19, 20 e 21 de agosto de 2015 realizou-se no Hotel Vila Velha, em

Leia mais

Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais)

Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais) UFPR SETOR DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA EMENTAS DAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais) 1º ANO

Leia mais

Estágio Supervisionado: Pesquisa e Mobilização de Saberes na Construção da Identidade Docente

Estágio Supervisionado: Pesquisa e Mobilização de Saberes na Construção da Identidade Docente Estágio Supervisionado: Pesquisa e Mobilização de Saberes na Construção da Identidade Docente CARVALHO, Ademar de Lima 1 RESSUMO O presente texto tem por objetivo apresentar uma reflexão sobre o Estágio

Leia mais

O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL

O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL Larissa dos Santos Gomes Resumo O presente artigo refere-se ao trabalho de conclusão

Leia mais

UM OLHAR PEDAGÓGICO SOBRE A RELAÇÃO ENSINO E PESQUISA NOS CURSOS DE LICENCIATURA NA ÁREA DA SAÚDE

UM OLHAR PEDAGÓGICO SOBRE A RELAÇÃO ENSINO E PESQUISA NOS CURSOS DE LICENCIATURA NA ÁREA DA SAÚDE UM OLHAR PEDAGÓGICO SOBRE A RELAÇÃO ENSINO E PESQUISA NOS CURSOS DE LICENCIATURA NA ÁREA DA SAÚDE Ana Cristina Oliveira Lima, bolsista PIBIC/ CNPq, anacristinaoliveiralima@yahoo.com.br, UECE. Brena de

Leia mais

PROFESSORES DO CURSO DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA: CONHECENDO A CONSTITUIÇÃO DE SEUS SABERES DOCENTES SILVA

PROFESSORES DO CURSO DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA: CONHECENDO A CONSTITUIÇÃO DE SEUS SABERES DOCENTES SILVA PROFESSORES DO CURSO DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA: CONHECENDO A CONSTITUIÇÃO DE SEUS SABERES DOCENTES SILVA, Daniela C. F. Barbieri Programa de Pós-Graduação em Educação Núcleo: Formação de professores UNIMEP

Leia mais

A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO COMO PRINCÍPIO EDUCATIVO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO COMO PRINCÍPIO EDUCATIVO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO COMO PRINCÍPIO EDUCATIVO NA FORMAÇÃO DE Universidade Estadual De Maringá gasparin01@brturbo.com.br INTRODUÇÃO Ao pensarmos em nosso trabalho profissional, muitas vezes,

Leia mais

Estratégias atuais para a mudança na graduação das profissões da saúde Laura C.M. Feuerwerker 1

Estratégias atuais para a mudança na graduação das profissões da saúde Laura C.M. Feuerwerker 1 Estratégias atuais para a mudança na graduação das profissões da saúde Laura C.M. Feuerwerker 1 A mudança na graduação das profissões da saúde segue sendo um tema fundamental para todos aqueles preocupados

Leia mais

A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL. Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes

A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL. Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes FACULDADE ALFREDO NASSER INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO III PESQUISAR

Leia mais

Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia

Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia Eixo temático 1: Fundamentos e práticas educacionais Telma Sara Q. Matos 1 Vilma L. Nista-Piccolo 2 Agências Financiadoras: Capes / Fapemig

Leia mais

OS SIGNIFICADOS DA DOCÊNCIA NA FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA - A PERSPECTIVA DOS PROFISSIONAIS DAS ESCOLAS FAMILIA AGRÍCOLA

OS SIGNIFICADOS DA DOCÊNCIA NA FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA - A PERSPECTIVA DOS PROFISSIONAIS DAS ESCOLAS FAMILIA AGRÍCOLA OS SIGNIFICADOS DA DOCÊNCIA NA FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA - A PERSPECTIVA DOS PROFISSIONAIS DAS ESCOLAS FAMILIA AGRÍCOLA SILVA, Lourdes Helena da - UFV GT: Educação Fundamental /n.13 Agência Financiadora:

Leia mais

UMA ANÁLISE DAS TESES E DISSERTAÇÕES NO PORTAL DA CAPES: A EDUCAÇÃO ESPECIAL EM FOCO 1

UMA ANÁLISE DAS TESES E DISSERTAÇÕES NO PORTAL DA CAPES: A EDUCAÇÃO ESPECIAL EM FOCO 1 UMA ANÁLISE DAS TESES E DISSERTAÇÕES NO PORTAL DA CAPES: A EDUCAÇÃO ESPECIAL EM FOCO 1 Mary Ellen Silva Santos Angélica Marcelino Diana Araújo Souza Nathália Araújo Patrícia Alves Ivania Reis 2 RESUMO

Leia mais

Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015

Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015 Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015 Apresentação: O presente plano de trabalho incorpora, na totalidade, o debate e indicativo do coletivo docente e discente do Centro de Educação e

Leia mais

Ensino de Enfermagem. Aprendizagem (AVA) Claudia Prado claupra@usp.br. Maria Madalena Januário Leite. Heloisa Helena Ciqueto Peres

Ensino de Enfermagem. Aprendizagem (AVA) Claudia Prado claupra@usp.br. Maria Madalena Januário Leite. Heloisa Helena Ciqueto Peres Escola de Enfermagem Ensino de Enfermagem em Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Heloisa Helena Ciqueto Peres Maria Madalena Januário Leite Claudia Prado hhcperes@usp.br marimada@usp.br claupra@usp.br

Leia mais

A Prática como Componente Curricular nos Cursos de Licenciatura em Matemática

A Prática como Componente Curricular nos Cursos de Licenciatura em Matemática A Prática como Componente Curricular nos Cursos de Licenciatura em Matemática Kely Fabricia Pereira Nogueira 1 Patrícia Sândalo Pereira 2 RESUMO Este trabalho desenvolvido no Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1

Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1 Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1 É comum hoje entre os educadores o desejo de, através da ação docente, contribuir para a construção

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edson Crisostomo dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES edsoncrisostomo@yahoo.es

Leia mais

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia Anais do I Seminário Internacional de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia A CONTRIBUIÇÃO DA DIDÁTICA CRÍTICA NA INTERLIGAÇÃO DE SABERES AMBIENTAIS NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES

Leia mais

Sumário. Prefácio: A dimensão freireana na Educação Ambiental Philippe Pomier Layrargues... 7

Sumário. Prefácio: A dimensão freireana na Educação Ambiental Philippe Pomier Layrargues... 7 5 Sumário Prefácio: A dimensão freireana na Educação Ambiental Philippe Pomier Layrargues... 7 Educação ambiental crítico transformadora no contexto escolar: teoria e prática freireana Juliana Rezende

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Erika Cristina Pereira Guimarães (Pibid-UFT- Tocantinópolis) Anna Thércia José Carvalho de Amorim (UFT- Tocantinópolis) O presente artigo discute a realidade das

Leia mais

A Gestão Democrática como instrumento de transformação das Práticas Escolares

A Gestão Democrática como instrumento de transformação das Práticas Escolares UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ESCOLAR (EaD) A Gestão Democrática como instrumento de transformação das Práticas Escolares Profª Drª Maria Auxiliadora Maués de L. Araujo

Leia mais

PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO NA ESCOLA DA EDUCAÇÃO BÁSICA: POSSIBILIDADES E LIMITES

PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO NA ESCOLA DA EDUCAÇÃO BÁSICA: POSSIBILIDADES E LIMITES PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO NA ESCOLA DA EDUCAÇÃO BÁSICA: POSSIBILIDADES E LIMITES Antônio Cabral Neto Universidade Federal do Rio Grande do Norte Brasil cabranl@ufrnet.br Maria Doninha de Almeida Universidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Orientações para a elaboração do projeto escolar

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Orientações para a elaboração do projeto escolar MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MÉDIA E TECNOLÓGICA Coordenação-Geral de Ensino Médio Orientações para a elaboração do projeto escolar Questões norteadoras: Quais as etapas necessárias à

Leia mais

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor Juliana Graciano Parise 1 Eliane de Lourdes Felden 2 Resumo: O trabalho apresenta uma experiência de ensino articulado à pesquisa

Leia mais

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME)

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) Palmas 2010 1. Apresentação O Núcleo de Apoio Didático e Metodológico NADIME é o órgão da Faculdade Católica do Tocantins responsável pela efetivação da

Leia mais

REFLEXÕES ACERCA DO PAPEL DO PEDAGOGO NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: ARTICULANDO OS SABERES DO DOCENTE E DO PEDAGOGO

REFLEXÕES ACERCA DO PAPEL DO PEDAGOGO NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: ARTICULANDO OS SABERES DO DOCENTE E DO PEDAGOGO REFLEXÕES ACERCA DO PAPEL DO PEDAGOGO NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: ARTICULANDO OS SABERES DO DOCENTE E DO PEDAGOGO BACHETI, Luciane Serrate Pacheco, FERNANDES, Márcia Alessandra de Souza, SILVA, Maria Izabel

Leia mais

GRAMSCI E A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO CENTRO DE TRABALHO E CULTURA

GRAMSCI E A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO CENTRO DE TRABALHO E CULTURA GRAMSCI E A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO CENTRO DE TRABALHO E CULTURA SPINELLI, Mônica dos Santos IE/PPGE/UFMT RESUMO O texto apresenta resultados parciais da pesquisa teórica sobre categorias conceituais em

Leia mais

principalmente na UFES (três), na UFSCar (dois) e a UERJ (dois). Em 2005 a produção tem ápice com doze estudos em diferentes universidades.

principalmente na UFES (três), na UFSCar (dois) e a UERJ (dois). Em 2005 a produção tem ápice com doze estudos em diferentes universidades. A PRODUÇÃO CIENTÍFICA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL/INCLUSÃO ESCOLAR NA PERSPECTIVA DA PESQUISA-AÇÃO: REFLEXÕES A PARTIR DE SEUS CONTEXTOS Mariangela Lima de Almeida UFES Agência Financiadora: FAPES Num contexto

Leia mais

Universidade Estadual de Goiás Unidade Universitária de Itaberaí. Projeto de Estágio Supervisionado Obrigatório: Práxis pedagógica e formação docente

Universidade Estadual de Goiás Unidade Universitária de Itaberaí. Projeto de Estágio Supervisionado Obrigatório: Práxis pedagógica e formação docente Universidade Estadual de Goiás Unidade Universitária de Itaberaí Projeto de Estágio Supervisionado Obrigatório: Práxis pedagógica e formação docente Itaberaí 2012 Sebastião Alonso Júnior Diretor da Unidade

Leia mais

CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE. Elaine Fernanda Dornelas de Souza

CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE. Elaine Fernanda Dornelas de Souza Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 721 CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE Elaine Fernanda Dornelas de Souza Serviço Nacional de

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA Disciplina: ESTÁGIO I Carga Horária: 90h Teórica: Prática: 80h Semestre: 2013.2 Professora: Claudia Mara Soares

Leia mais

O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE.

O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE. O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE. Joelma Carvalho Vilar(UFS) 1 Cleverton dos Santos(UFS) 2 Érica Santos de Jesus(UFS) 3 Vera Lúcia Mendes de Farias(UFS)

Leia mais

PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE

PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE RESUMO Leandro Pedro de Oliveira José Rubens de Lima Jardilino (orientador) Este trabalho

Leia mais

PEDAGOGIA DE PROJETOS MANUAL DE ORIENTAÇÕES

PEDAGOGIA DE PROJETOS MANUAL DE ORIENTAÇÕES PEDAGOGIA DE PROJETOS MANUAL DE ORIENTAÇÕES 1 APRESENTAÇÃO Educadores(as) da Faculdade Canção Nova, Este Manual tem o propósito de aprimorar a aplicação da Pedagogia de Projetos nos períodos previstos

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Regulamento de Projeto Integrador dos Cursos Superiores de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Segurança da Informação e Sistemas para Internet

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA PROFESSORES. Profa. M. Ana Paula Melim Profa. Milene Bartolomei Silva

CURSO PREPARATÓRIO PARA PROFESSORES. Profa. M. Ana Paula Melim Profa. Milene Bartolomei Silva CURSO PREPARATÓRIO PARA PROFESSORES Profa. M. Ana Paula Melim Profa. Milene Bartolomei Silva 1 Conteúdo: Concepções Pedagógicas Conceitos de Educação; Pedagogia; Abordagens Pedagógicas: psicomotora, construtivista,

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA INTRODUÇÃO O Estágio Curricular foi criado pela Lei 6.494, de 7 de dezembro de 1977 e regulamentado pelo Decreto 87.497, de 18 de agosto

Leia mais

A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL

A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL JOSÉ MATEUS DO NASCIMENTO zenmateus@gmail.com POLIANI SANTOS DA SILVA poliany_mme@hotmail.com MARIA AUXILIADORA DOS SANTOS MARINHO Campus IV(CCAE)

Leia mais

PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: Uma estratégia de integração curricular

PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: Uma estratégia de integração curricular PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: Uma estratégia de integração curricular Daiele Zuquetto Rosa 1 Resumo: O presente trabalho objetiva socializar uma das estratégias de integração curricular em aplicação

Leia mais

A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes. Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI

A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes. Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI Maria Antonia Alves Lima Graduanda em Pedagogia /UFPI Bárbara Maria Macedo

Leia mais

A PRÁTICA PROFISSIONAL NO ÂMBITO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL: UM ENFOQUE NOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS.

A PRÁTICA PROFISSIONAL NO ÂMBITO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL: UM ENFOQUE NOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS. A PRÁTICA PROFISSIONAL NO ÂMBITO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL: UM ENFOQUE NOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS. CLáudia Mônica dos Santos RESUMO: Esse estudo tem por objetivo conhecer como a prática profissional vem

Leia mais

PEDAGOGIA DA TERRA: diálogos entre MST e universidade FOERSTE, GT: Agência Financiadora: 1. Tema 2. Problema e metodologia 3.

PEDAGOGIA DA TERRA: diálogos entre MST e universidade FOERSTE, GT: Agência Financiadora: 1. Tema 2. Problema e metodologia 3. PEDAGOGIA DA TERRA: diálogos entre MST e universidade FOERSTE, Erineu - UFES GT: Movimentos Sociais e Educação / n.03 Agência Financiadora: PRONERA/Ação Educativa 1. Tema O curso Pedagogia da Terra/ES

Leia mais

A DIDÁTICA ONLINE NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR: o curso de Pedagogia a distância -UFJF em destaque

A DIDÁTICA ONLINE NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR: o curso de Pedagogia a distância -UFJF em destaque A DIDÁTICA ONLINE NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR: o curso de Pedagogia a distância -UFJF em destaque Ana Carolina Guedes Mattos 1 Luciana de Almeida Cunha 2 Priscila Silva Schröder 3 Adriana Rocha Bruno (orientadora)

Leia mais

A PESQUISA NA FORMAÇÃO DE PEDAGOGOS: UM ESTUDO DE CASO

A PESQUISA NA FORMAÇÃO DE PEDAGOGOS: UM ESTUDO DE CASO A PESQUISA NA FORMAÇÃO DE PEDAGOGOS: UM ESTUDO DE CASO Msc. Maria Iolanda Fontana - PUCPR / UTP miolandafontana@hotmail.com RESUMO O presente trabalho sintetiza parcialmente o conteúdo da dissertação de

Leia mais

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional Maria Madalena Dullius, madalena@univates.br Daniela Cristina Schossler,

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CENTRO DE ENSINO ATENAS MARANHENSE FACULDADE ATENAS MARANHESE DIRETORIA ACADÊMICA NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO E DE DESENVOLVIMENTO PEDAGÓGICO - NADEP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL SÃO

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E ENSINO INTEGRADO Ronaldo Marcos de Lima Araujo UFPA Agência(s) Financiadora(s): CNPq /Capes. Introdução

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E ENSINO INTEGRADO Ronaldo Marcos de Lima Araujo UFPA Agência(s) Financiadora(s): CNPq /Capes. Introdução PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E ENSINO INTEGRADO Ronaldo Marcos de Lima Araujo UFPA Agência(s) Financiadora(s): CNPq /Capes Introdução Consideramos o desafio de pensar práticas pedagógicas que nos aproximem de

Leia mais

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES 1 O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES GUEDES, Shirlei Terezinha Roman 1 SCHELBAUER, Analete Regina 2 A proposta deste texto é compartilhar algumas idéias a título de primeiros

Leia mais

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA Jaqueline Oliveira Silva Ribeiro SESI-SP josr2@bol.com.br Dimas Cássio Simão SESI-SP

Leia mais

GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NO ENSINO INTEGRADO RESUMO

GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NO ENSINO INTEGRADO RESUMO GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NO ENSINO INTEGRADO Ronaldo Marcos de Lima Araujo (UFPA. Brasil. rlima@ufpa.br) RESUMO Trata de orientações para a gestão e a organização do trabalho pedagógico

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CENTRO DE RECURSOS HUMANOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CENTRO DE RECURSOS HUMANOS UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CENTRO DE RECURSOS HUMANOS Projeto de pesquisa: Significados e sentidos do trabalho docente: o caso da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA) Proponente:

Leia mais

O TRABALHO DE MONOGRAFIA

O TRABALHO DE MONOGRAFIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Módulo VI-a 27 a 29 de janeiro de 2011 O TRABALHO DE MONOGRAFIA PRINCÍPIO PARA O CONHECIMENTO E A FORMAÇÃO PROFISSIONAL Prof. Ms. Adriana Fernandes

Leia mais

A GESTÃO ESCOLAR E O PROCESSO DE DEMOCRATIZAÇÃO DA ESCOLA PÚBLICA

A GESTÃO ESCOLAR E O PROCESSO DE DEMOCRATIZAÇÃO DA ESCOLA PÚBLICA A GESTÃO ESCOLAR E O PROCESSO DE DEMOCRATIZAÇÃO DA ESCOLA PÚBLICA Shirlei de Souza Correa - UNIVALI 1 Resumo: No contexto educacional pode-se considerar a gestão escolar como recente, advinda das necessidades

Leia mais

sua terceira versão, o PNDH-3 lançado em 2009 governo do ex-presidente Lula (2003-2010).

sua terceira versão, o PNDH-3 lançado em 2009 governo do ex-presidente Lula (2003-2010). FORMAÇÃO CONTINUADA NA LIDA DO POLICIAL CIVIL: estudo sobre as estratégias de formação continuada de policiais civis para o atendimento aos grupos vulneráveis Bárbara Aragão Teodoro Silva UFMG Este pôster

Leia mais

ACOMPANHAMENTO FAMILIAR NA ASSISTENCIA SOCIAL: UMA PROPOSTA DE METODOLOGIA PARA O ESTADO DO RIO DE JANEIRO

ACOMPANHAMENTO FAMILIAR NA ASSISTENCIA SOCIAL: UMA PROPOSTA DE METODOLOGIA PARA O ESTADO DO RIO DE JANEIRO ACOMPANHAMENTO FAMILIAR NA ASSISTENCIA SOCIAL: UMA PROPOSTA DE METODOLOGIA PARA O ESTADO DO RIO DE JANEIRO Subsecretaria de Assistência Social e Descentralização da Gestão O PAIF NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

A DIDÁTICA NA FORMAÇÃO DOCENTE: ENTRE A INOVAÇÃO TÉCNICA E A EDIFICANTE

A DIDÁTICA NA FORMAÇÃO DOCENTE: ENTRE A INOVAÇÃO TÉCNICA E A EDIFICANTE A DIDÁTICA NA FORMAÇÃO DOCENTE: ENTRE A INOVAÇÃO TÉCNICA E A EDIFICANTE Ilma Passos Alencastro Veiga 1 Edileuza Fernandes da Silva 2 Odiva Silva Xavier 3 Rosana César de Arruda Fernandes 4 RESUMO: O presente

Leia mais

Portfólio Easy to Learn SERVIÇO SOCIAL

Portfólio Easy to Learn SERVIÇO SOCIAL Portfólio Easy to Learn SERVIÇO SOCIAL ÍNDICE Pensamento Social...2 Movimentos Sociais e Serviço Social...2 Fundamentos do Serviço Social I...2 Leitura e Interpretação de Textos...3 Metodologia Científica...3

Leia mais

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia Anais do I Seminário Internacional de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UMA NECESSÁRIA RELAÇÃO PARA A CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA. Dayane

Leia mais

O PAPEL DO PSICÓLOGO SOCIAL

O PAPEL DO PSICÓLOGO SOCIAL Página 1 de 5 O PAPEL DO PSICÓLOGO SOCIAL Leandro Nunes 1 Primeiramente, gostaria de me posicionar e anunciar de que campo da ciência psicológica vou estruturar meu argumento. No entanto afirmo que me

Leia mais

O PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO NO CONTEXTO DA GESTÃO ESCOLAR 1

O PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO NO CONTEXTO DA GESTÃO ESCOLAR 1 O PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO NO CONTEXTO DA GESTÃO ESCOLAR 1 Janete Maria Lins de Azevedo 2 Falar sobre o projeto pedagógico (PP) da escola, considerando a realidade educacional do Brasil de hoje, necessariamente

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino O bom professor é o que consegue, enquanto fala trazer o aluno até a intimidade do movimento de seu pensamento. Paulo Freire INTRODUÇÃO A importância

Leia mais

Dra. Margareth Diniz Coordenadora PPGE/UFOP

Dra. Margareth Diniz Coordenadora PPGE/UFOP Dra. Margareth Diniz Coordenadora PPGE/UFOP Pela sua importância destacam-se aqui alguns dos seus princípios: Todos/as os/ssujeitos, de ambos os sexos, têm direito fundamental à educação, bem como a oportunidade

Leia mais

OFICINA PEDAGÓGICA DE PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO DO CURSO DE ENFERMAGEM DAS FACULDADES INTA

OFICINA PEDAGÓGICA DE PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO DO CURSO DE ENFERMAGEM DAS FACULDADES INTA 1 OFICINA PEDAGÓGICA DE PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO DO CURSO DE ENFERMAGEM DAS FACULDADES INTA Maria Adelane Monteiro da Silva Antonia Eliana de Araújo Aragão Keila Maria de Azevedo Ponte Lourdes Claudênia

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E ELABORAÇÃO DO PROJETO EDUCATIVO ESCOLAR

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E ELABORAÇÃO DO PROJETO EDUCATIVO ESCOLAR Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 1245 AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E ELABORAÇÃO DO PROJETO EDUCATIVO ESCOLAR Maria Luiza de Sousa Pinha, José Camilo dos

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR NO ENSINO MÉDIO. - práticas, saberes e habitus -

EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR NO ENSINO MÉDIO. - práticas, saberes e habitus - EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR NO ENSINO MÉDIO - práticas, saberes e habitus - Fabíola Santini Takayama do Nascimento Mestranda em Educação da PUCGOIÁS e Técnica em Assuntos Educacionais do IFG - Campus Inhumas

Leia mais

OS PROCESSOS DE TRABALHO DO SERVIÇO SOCIAL EM UM DESENHO CONTEMPORÂNEO

OS PROCESSOS DE TRABALHO DO SERVIÇO SOCIAL EM UM DESENHO CONTEMPORÂNEO OS PROCESSOS DE TRABALHO DO SERVIÇO SOCIAL EM UM DESENHO CONTEMPORÂNEO Karen Ramos Camargo 1 Resumo O presente artigo visa suscitar a discussão acerca dos processos de trabalho do Serviço Social, relacionados

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social O Projeto pedagógico do Curso de Serviço Social do Pólo Universitário de Rio das Ostras sua direção social, seus objetivos, suas diretrizes, princípios,

Leia mais

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem da Criança de 0 a 5 anos Docente do Curso Gilza Maria Zauhy Garms Total da Carga

Leia mais

anped 25ª reunião anual

anped 25ª reunião anual O PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA ESCOLA-PDE NO ENSINO FUNDAMENTAL:O QUE MUDOU NA ESCOLA 1 GT Ensino Fundamental N.º13 Catarina de Almeida Santos- UFG Laydes Seabra Guimarães e Souza-UCG Sueli Azevedo de Souza

Leia mais

Educação permanente em saúde através da EAD

Educação permanente em saúde através da EAD Educação permanente em saúde através da EAD Claudia da Silva Pinto Rogel claudiarogel77@hotmail.com Maurício AlvesVieira Mauricio.veira@hotmail.com RESUMO O objetivo do artigo é o de fornecer uma descrição

Leia mais

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO ESTRUTURA GERAL DOS ROTEIROS DE ESTUDOS QUINZENAL Os roteiros de estudos, cujo foco está destacado nas palavras chaves, estão organizados em três momentos distintos: 1º MOMENTO - FUNDAMENTOS TEÓRICOS -

Leia mais

Pós-Graduação em Administração e Gestão de Escolas

Pós-Graduação em Administração e Gestão de Escolas Pós-Graduação em Administração e Gestão de Escolas ENQUADRAMENTO DO CURSO As escolas são estabelecimentos aos quais está confiada uma missão de serviço público, que consiste em dotar todos e cada um dos

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais