Manual de Trabalhos Escolares

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual de Trabalhos Escolares"

Transcrição

1 Manual de Trabalhos Escolares APRENDER A FAZER Organizadoras: VALÉRIA SILVEIRA FIGUEIREDO ROSE MARIE MEDEIROS

2 Manual de Trabalhos Escolares APRENDER A FAZER Diante da necessidade de orientar os alunos quanto à elaboração e organização dos trabalhos escolares, apresentamos aqui um manual que contém, de forma simples, noções de metodologia científica. Este manual traz um conjunto de normas comuns, para alunos e professores, a fim de facilitar tanto a produção de trabalhos escolares quanto a correção deles, que deverão seguir um padrão único de produção e apresentação. O objetivo é, portanto, oferecer um material que sirva de apoio tanto aos professores, na orientação e avaliação dos trabalhos escolares, como aos alunos, quando da elaboração de seus trabalhos. Organizamos, para tanto, um índice com as diversas atividades e tarefas mais solicitadas, desde aquelas mais simples, como produção de texto e de cartazes, até as que envolvam uso de meios tecnológicos, como apresentações on-line, criação de Sítio ou de Blog. Esperamos contribuir para a capacitação de nossos alunos, especialmente para sua futura vida acadêmica, oferecendo a eles o suporte necessário às suas práticas escolares e já incutindo-lhes a percepção de que as normas técnicas são essenciais na produção e apresentação de trabalhos com boa qualidade. Bom Trabalho!

3 ÍNDICE Este MANUAL DE TRABALHOS ESCOLARES traz orientações metodológicas referentes ao como fazer os trabalhos escolares. 1. APRESENTAÇÃO ORAL LEITURA 2. APRESENTAÇÃO ORAL AULA EXPOSITIVA, COM OU SEM RECURSOS AUDIOVISUAIS 3.TRABALHOS ESCOLARES: RESENHAS, RESUMOS, PESQUISAS, RELATÓRIOS, DISSERTAÇÕES E OUTROS TRABALHOS DIGITADOS * APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DIGITADOS * CAPA * REFERÊNCIAS 4. COMUNICAÇÃO EM PÔSTER, PAINEL OU CARTOLINA (CARTAZ) 5. APRESENTAÇÃO ORAL: POWERPOINT 6. PRODUÇÃO DE VÍDEOS TRABALHOS PUBLICADOS NA INTERNET: BLOGS, SÍTIO, PÁGINA OU WEBSITE * BLOGS * SÍTIO OU WEBSITES * HISTÓRIAS EM QUADRINHOS 8. ORIENTAÇÕES FINAIS * LINGUAGEM * AVALIAÇÃO DOS TRABALHOS ESCOLARES REFERÊNCIAS

4 1. APRESENTAÇÃO ORAL LEITURA Uma vez escolhido o texto... 1 Identificar a VARIANTE LINGUÍSTICA usada no texto: padrão culto, coloquial, técnico, regionalista, literário... 2 Adotar conduta de leitura coerente com a variante linguística usada no texto e com o objetivo do autor: postura corporal, timbre de voz, entonação, expressividade... Exemplo: Se o texto escolhido traz linguagem literária, é necessário fazer as vozes dos personagens; se a linguagem for irônica, é preciso imprimir ironia à fala. 3 Planejar a apresentação: Ÿ Entender o que o texto diz; dificilmente um aluno fará uma leitura expressiva se ele mesmo não entendeu a ideia do autor; Ÿ Digitar o texto em letra um pouco maior do que a comum e deixar um espaço entre as linhas também maior; assim, o aluno evitará se perder quando precisar tirar os olhos do texto; Ÿ Ler antes o texto mais de uma vez, familiarizando-se com as palavras. 4 Observar as condutas seguintes, que facilitam a compreensão das ideias por parte da plateia: SIM Ÿ Elevar constantemente os olhos para o público; Ÿ Atingir todo o público com a voz e com os olhos, não direcionando a leitura para alguém em especial, nem para o professor, nem para um só lado da sala; Ÿ Gesticular moderadamente, apenas por exigência dos sentidos do texto; Ÿ Controlar a velocidade da voz: lembrar-se de que a pessoa que está ouvindo não entende tão rapidamente quanto alguém que está lendo. Ÿ Cuidar da altura da voz, para que todo o ambiente ouça a leitura com facilidade. NÃO Ÿ Não esconder o rosto atrás do papel; Ÿ Não se escorar na parede nem na mesa enquanto faz a leitura; Ÿ Não interromper a leitura para qualquer esclarecimento. 5 Finalizar a apresentação: Ÿ Disponibilizar-se diante da plateia para dúvidas e esclarecimentos; Ÿ Agradecer a atenção de todos; Ÿ Despedir-se. 01

5 2. APRESENTAÇÃO ORAL AULA EXPOSITIVA, com ou sem recursos audiovisuais. Uma aula expositiva não é um momento de leitura. É um momento em que o aluno precisa desenvolver sua fala espontânea, buscar as próprias palavras, recorrer à sua linguagem natural e estilo próprio. Deve-se fazer uso de planos de aula, que tragam tópicos, lembretes, notas, que naturalmente podem ser consultados, mas o aluno não pode se limitar à leitura deles. É possível também selecionar pequenos trechos para leitura, a fim de complementar o conteúdo da aula, porém sem transformar a aula num momento exclusivo de leitura. 1 Planejar a aula: Ÿ Estudar com profundidade o assunto da aula. O domínio do conhecimento é a primeira condição para que seja dada uma boa aula. Estudar, inclusive, os prováveis questionamentos que os alunos poderão fazer. Ÿ Produzir os planos de aula. Anotar os tópicos na sequência em que devem ser expostos, observando a linearidade do raciocínio, para evitar ideias confusas e fora de ordem. Ÿ Produzir os recursos e mostrar ao professor com antecedência: cartazes, transparências, slides. Essa atitude pode garantir ao aluno uma melhor avaliação, já que possibilita que os erros possam ser corrigidos a tempo. Ÿ Cuidar para que os recursos didáticos obedeçam aos critérios próprios de produção, como cores de fundo, fontes, tamanho das gravuras, adequação das imagens, tamanho dos textos etc. Ÿ Selecionar os materiais com antecedência. De forma nenhuma o aluno deve, no momento em que vai começar a aula, pedir licença para ir buscar o aparelho de som, perguntar ao professor como fixará o cartaz na lousa, onde está o pincel do quadro branco. Tudo isso faz parte do planejamento, aspecto que deverá ser exigido do aluno tanto quanto o domínio do conteúdo que ele apresentar. Ÿ Agendar com a escola, se necessário, o ambiente onde vai acontecer a aula e o recurso escolhido: microfone, aparelho de som, retroprojetor, DVD, assim como auditório, quadra, sala de multiuso etc. Sem o devido agendamento, tais recursos poderão estar sendo usados em outra aula. 02

6 2 Ministrar a aula: Ÿ Postar-se no ambiente de forma que o aluno-professor possa atingir a todos com seu olhar e sua fala; jamais concentrar a aula somente nos alunos da frente ou no professor. Ÿ Imprimir à voz um tom que seja suficiente para que todos os alunos ouçam a aula. Ÿ Caso haja cartazes ou quaisquer outros recursos audiovisuais, somente apresentá-los no momento em que fizer uso deles; a exposição simultânea e antecipada dos recursos fará o aluno desviar a atenção do professor e concentrar-se no que está sendo visualizado. Ÿ Fazer uso efetivo do recurso escolhido para a aula: cartazes, esquemas no quadro ou transparências não servem apenas para ilustrar a aula, mas para dar suporte didático a ela. Ÿ Consultar o plano de aula a fim de verificar se ele está sendo cumprido conforme planejado. Ÿ Andar pela sala de aula, promovendo de qualquer forma uma interatividade com a turma: lançando perguntas e questionamentos, observando e percebendo o grau de envolvimento da turma com a aula... Ÿ Disponibilizar-se para perguntas e esclarecimentos complementares. Ÿ Agradecer a atenção e despedir-se. 03

7 3. TRABALHOS ESCOLARES: RESENHAS RESUMOS PESQUISAS RELATÓRIOS DISSERTAÇÕES e outros trabalhos digitados Os trabalhos propostos pelo professor para serem entregues digitados deverão obedecer a parâmetros regulares. O objetivo é incutir no aluno a ideia de que há referências e critérios a serem observados capazes de tornar seu trabalho mais claro, organizado e visualmente agradável. Além disso, é preciso entender que regras mínimas de metodologia científica são necessárias, mesmo para um aluno da Educação Básica. Os trabalhos escolares são exercícios acadêmicos; portanto, sujeitos a regras para produção e apresentação. 04

8 o APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DIGITADOS Ÿ Layout da Página: o A4; o Margens esquerda e superior: 3 cm; o Margens direita e inferior: 2cm o Tabulação: 2 cm; Ÿ Cabeçalho Modelo: Fonte Arial ou Times New Roman, 12 cm. Parágrafo (Alinhamento, Esquerdo; Entrelinhas 1,5) Tabulação 2 cm Ÿ Inserir Borda (borda de parágrafo - Bordas), delimitando o cabeçalho. o Inserir Borda (borda de parágrafo - Bordas), delimitando o cabeçalho Ÿ Logomarca: Inserir a logomarca no Corpo do Texto, centralizada, logo abaixo do cabeçalho; Ÿ Título dos textos: o CAIXA ALTA OU EFEITO VERSALETE; Centralizado; Arial ou Times New Roman, tamanho 12 cm. Ÿ Corpo do Texto: Ÿ Fonte: o Arial ou Times New Roman, tamanho 12 cm. Ÿ Parágrafo: o o o o Alinhamento: Justificado; Margem de parágrafo: 2,5 cm (Especial 1ª linha: 2,5 cm); Entrelinhas: 1,5 cm Espaçamento entre parágrafos Duplo 05

9 Ÿ Modelo Cabeçalho e Corpo do Texto: Logomarca centralizada, acima do corpo do texto Parágrafo: 2 cm Entrelinhas: 1,5 cm Espaçamento entre parágrafos: duplo Alinhamento: justificado Título Título: Caixa alta ou Versalete Alinhamento: Centralizado Margem esquerda 3 cm Corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, Entrelinhas 1,5 cm Espaçamento duplo entre parágrafo Corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, corpo do texto, Margem inferior 2 cm 06

10 o CAPA A inserção da capa no trabalho escolar é opcional ou a critério do professor. Caso o trabalho seja apresentado com capa fica dispensado o uso do cabeçalho, devendo constar apenas o título do trabalho no corpo do texto. Caso se faça uso da capa... Ÿ Logomarca do Liceu. Ÿ Nome da escola: localizado na margem superior, centralizado, letras maiúsculas, fonte 16, negrito. Ÿ Nome da disciplina: abaixo do nome da escola, em letras maiúsculas, centralizado, fonte 16. Ÿ Série e Turma. Centralizados, abaixo do nome da disciplina. Fonte 14. Ÿ Título do trabalho: centralizado, caixa alta, fonte 14 e em negrito. Ÿ Ementa do trabalho: Este espaço destina-se ao resumo da tarefa encomendada. o Recuo de 10 cm, alinhamento justificado, fonte 12, entrelinhas 1,0, minúsculas e sem margem de parágrafo. Exemplo: Trabalho apresentado à professora Valéria Silveira Figueiredo, da disciplina Redação resenha do filme O Clube do Imperador. Ÿ Nome(s) do(s) autor(es): nome e sobrenome do(s) autor(es), em ordem alfabética, em letras maiúsculas, alinhado à direita, fonte 14. Ÿ Cidade, mês e ano: localizados nas duas últimas linhas da folha, em letras maiúsculas, centralizado, fonte 12 e em negrito. É opcional o uso de bordas na capa e no corpo do texto. Caso o aluno opte por elas, deverá escolher um modelo sóbrio e clássico, jamais adotando bordas com temáticas específicas ou com finalidade artística e/ou lúdica. 07

11 Ÿ Modelo da Capa: (sempre respeitando as margens, vide item 3.1 deste manual) LICEU DE ESTUDOS INTEGRADOS Nome da Disciplina Série e Turma Título Trabalho apresentado à professora Valéria Silveira Figueiredo, da disciplina Redação - resenha do filme O Clube do Imperador. Alinhamento à direita Fonte 14, entrelinhas simples Nome(s) e sobrenomes(s) em maiúsculo Em ordem alfabética, em letras maiúsculas. ARACAJU Mês e Ano 08

12 o REFERÊNCIAS Para validar a pesquisa, devem ser listadas no final do trabalho as fontes de onde o aluno extraiu as informações que construíram o conteúdo do seu trabalho. Para tanto, usa-se a fonte Arial ou Times New Roman, tamanho 12 cm, conforme exemplificado abaixo: Livros: SOBRENOME, Nome. Título do livro. Cidade: Editora, ano. Número da página (68p) Sites: Nome do Site Acessado em dia/mês/ano Revistas e afins: SOBRENOME, Nome. Título do Artigo. In: Nome da Revista, nº da revista, Cidade: Editora, ano. Número da página (ex: 68p). TÍTULO DA MATÉRIA. In: Nome da Revista, nº da revista, Cidade: Editora, ano. Número da página (ex: 68p). Configurações importantes: Ÿ As referências devem ser alinhadas somente à margem esquerda; Ÿ O recurso negrito deve ser utilizado apenas para destacar o título da publicação. Ÿ Devem ser digitadas usando espaço simples entre as linhas e espaço duplo para separá-las. Ÿ Devem ser ordenadas em ordem alfabética, cronológica e/ou sistemática (por assunto). OBSERVAÇÕES GERAIS Ÿ De forma nenhuma o texto do trabalho deverá estar digitado em fonte colorida. Ÿ É preciso o máximo de cuidado com a inserção de figuras. O trabalho não deverá estar visualmente carregado, de forma que as ilustrações só são adequadas desde que deem suporte didático ao conteúdo; se não, elas devem ser pequenas e modestas, sem desviar a atenção do conteúdo do trabalho. Evite-se, portanto, inserção de textos decorativos, como por exemplo, WordArt. Ÿ Em nenhuma hipótese o aluno poderá entregar seu trabalho a partir de uma cópia extraída de sites. Ÿ Em caso de trabalhos manuscritos, deve-se usar papel pautado e caneta esferográfica de tinta preta ou azul. 09

13 4. COMUNICAÇÃO EM PÔSTER, PAINEL OU CARTOLINA (CARTAZ): A CARTOLINA é um recurso usado para apresentações escolares quando os alunos precisam expor figuras, ilustrações, esquemas, gráficos, tópicos, frases, e, pelo ambiente da apresentação, não é possível fazer uso de recursos multimídia. A cartolina não deve se destinar a textos extensos, pois ela é um recurso apropriado a leituras rápidas e informações simples. REGRAS BÁSICAS: Ÿ A escolha da cor da cartolina é relativamente livre; evite cores berrantes e procure combinar com as cores usadas nos textos e nas ilustrações; Ÿ A cartolina não deve estar amassada; Ÿ A cartolina não deve ser enfeitada com babados de papel crepom ou outros enfeites espalhafatosos; Ÿ Deve-se respeitar as margens (direita e esquerda, superior e inferior) de 1,5 cm; Ÿ O trabalho deve apresentar, além de texto resumido, figuras ilustrativas e pertinentes ao tema abordado; cuidado para não utilizar textos enormes, inapropriados a esse tipo de recurso; Ÿ A cor da tinta do texto e das legendas deve contrastar com a cor da cartolina, lembrando sempre que o importante nesse tipo de recurso é a perfeita visualização do leitor; Ÿ O título, o texto e as legendas não devem apresentar rasuras; Ÿ A letra do texto deve ser legível e bastante visível a certa distância (tamanho de 1 cm); ou utilize fonte Arial ou Times tamanho 24, sobre papel cuja cor combine harmoniosamente com a cor da cartolina; Ÿ O título deve se encontrar centralizado na parte superior da cartolina e não pode estar com suas sílabas separadas; Ÿ As figuras devem ter legendas, escritas em tamanho 0,5 cm e bem abaixo das ilustrações; Ÿ As figuras devem ser suficientemente grandes para serem vistas a certa distância; Ÿ As Fontes de Pesquisa (Bibliografia) devem ser citadas no canto direito inferior da cartolina e, abaixo destas, a identificação do aluno ou grupo (nomes completos), o ano e a turma. 10

14 5. APRESENTAÇÃO ORAL: POWERPOINT Esse tipo de recurso tanto serve para demonstração dos resultados alcançados por meio de uma pesquisa, como para apresentação de uma temática, em sala de aula, auditório ou local especial, com a facilidade do emprego de recursos de multimídia, que favorecem o entendimento do assunto abordado e permitem um ambiente interativo, dinâmico, de inovação e atualidade. São eles: Slides, Vídeos, Blogs e Web sites. o SLIDES Abertura: TÍTULO DA PESQUISA (Centralizado Tamanho da fonte: 48) NOME COMPLETO DO AUTOR OU AUTORES NOME COMPLETO DO PROFESSOR OU PROFESSORA DISCIPLINA LOGOMARCA DO LICEU Data (Fonte: 28 a 30) Usar letra tipo Arial ou Times New Roman, com negrito e sombreado. O tamanho da fonte se ajusta à quantidade de informações no slide, desde que esse padrão seja mantido até o final da apresentação. A fonte do título sempre é maior que a do texto. Formatar no sentido paisagem. No fundo de cor clara, usar letras com cores escuras e, no escuro, letras com cores claras. O número de slides varia de acordo com o tempo da exposição oral. Se o aluno preferir, pode usar marcadores e figuras tipos gifs ou clipart, desde que cuidadosamente, observando o local e o público a que se destina. Se precisar repetir o slide, seja qual for, utilizar o mesmo título. 11

15 Uma vez escolhido esse recurso... a. Fontes claras e dispostas harmoniosamente com o plano de fundo, transmitindo clareza e limpidez; b. A escolha do plano de fundo é muito importante para dar uma melhor visualização ao público do seu slide. Ele deve facilitar a leitura; cores claras para conteúdos leves, alegres; cores escuras ajudam a demonstrar seriedade. c. O tamanho da fonte aconselhável é 30, pois você estará valorizando a presença de quem sentou lá no fundo do auditório; d. Evite transformar o seu slide em páginas de livros, textos enormes e comprimidos. Coloque apenas os pontos principais da fala ou exemplos que não podem ser substituídos por palavras. e. Alguns temas permitem o uso de música ou áudio e isso torna a apresentação bastante interessante, mas é recomendável apenas no encerramento, pois assim, evitará dispersar a atenção da plateia. Efeitos especiais devem ser usados para chamar a atenção para um item, mas não podem distrair o público. f. Imagens servem para informar e não enfeitar a apresentação; busque cenas condizentes com o tema. PARTE, NÃO O TODO A apresentação em PowerPoint deve facilitar a memorização do que foi dito e servir de guia à audiência. Ela não se presta a longas narrativas ou à apresentação de grandes volumes de informação. PARA SE SAIR BEM EM EXPOSIÇÕES USANDO O POWERPOINT, SEGUEM ALGUMAS DICAS: Ÿ Busque conhecer o público e suas expectativas antes de preparar os slides; Ÿ Fuja de apresentações padronizadas; Ÿ Estude o assunto a ser abordado; Ÿ Faça um esboço do tema; Ÿ Um total de 10 slides é o aconselhável para que você demonstre o assunto; Ÿ Abrir espaço a jogos de interação quebra a monotonia; Ÿ Apresentações longas podem ser desinteressantes: 20 minutos é tempo suficiente para você vender seu peixe ; Ÿ Calcule o tempo da fala: Ÿ 5 slides = 5 minutos; 20 slides = 20 minutos. Ÿ Procure não disputar com os slides a atenção do público. Ÿ Há momentos em que a sua fala deve ser o único foco de atenção do público. Ÿ Há o momento em que o slide chama essa atenção. 12

16 Visando a uma boa reflexão sobre esse recurso tão explorado na atualidade, segue um artigo extraído da Revista Veja, de Cláudio de Moura e Castro. POWERPOINT COM CARTEIRINHA "Se Jesus usasse PowerPoint, não teria discípulos. Não se contam histórias emocionantes com ele" PowerPoint era o invento que faltava. Permite projetar na parede o que antes era colocado em garranchos escritos no quadro-negro. Fim do pó de giz. Fim da perda de tempo esperando o professor escrever. Viva o império das cores, dos desenhos elegantes, dos sons, dos hipertextos (com YouTube e animações). Fim das falhas de memória, pois, uma vez benfeito, dura para sempre. Mas, se necessário, corrigimos em segundos. Para a sucata o retroprojetor, que precisava de ajudante para passar seus acetatos caros, que não aceitavam correções, que caíam no chão e se misturavam. Só que, na prática, costuma ser um desastre. Cruzes! Lá vem um PowerPoint chatíssimo! Mas no escurinho, indecisa entre ouvir e ler, a plateia cochila. Aliás, está proibido em cada vez mais empresas e no Exército americano falar-se de morte por PowerPoint. Os erros se repetem, começando o congestionamento visual. Cores demais, borboletas, plimplins, acordes dramáticos, desenhos de mau gosto, pletora de caracteres tipográficos conflitantes, informações periféricas à aula, logotipos e outros balangandãs. Depois vem o excesso de informações e de slides, sobrecarregados com textos intermináveis. Culmina com o erro fatal: o texto lido! Como lemos cinco vezes mais rápido do que o professor fala, passamos à sua frente. Ou seja, o pobre professor levou para a aula um concorrente que tomou a sua cena, pois já lemos o texto e não escutamos mais o que ele diz. Há uma regra clássica: se alguém que não assistiu à aula recebe o PowerPoint e o entende, está errado por excesso. Os slides terão arruinado a aula, arrancando-a do professor e deixando desgovernada a atenção da plateia. Aliás, se é para ler, o que faz lá o conferencista? O texto dos slides deve ser apenas um recurso mnemônico, para fixar os conceitos mencionados e para criar a arquitetura mental das principais ideias. Que fique claro: o PowerPoint não substitui nem o professor nem as leituras. O que ele substitui é o quadro-negro! Ele é um resumo e, bem sabemos, não se aprende em resumos. Serve para fixar na memória as grandes ideias. Para aprender, precisamos dos exemplos e dos detalhes. 13

17 O PowerPoint é maravilhoso, se for bem usado. Visualmente, precisa ser de extrema simplicidade. Se a figura não vale mil palavras, lixo com ela. Já se disse, quem vê Steve Jobs e Bill Gates usá-io aprende tudo de que precisa. Imitemos o supremo despojamento de Jobs e seremos bem-sucedidos. Imitemos Gates e afundaremos na barafunda visual. Se Jesus usasse PowerPoint, não teria discípulos, pois histórias, parábolas, contos e narrativas são enredos na contramão das listas mostradas nos slides. Não se contam histórias emocionantes com ele. É impossível narrar uma aventura com PowerPoint (vá lá projetar o mapa). A sua lógica é a enumeração, e nem tudo pode ser transformado em uma lista. Para deduzir um teorema, mostrar uma lei da física ou fazer conexões lógicas, precisamos recorrer a gráficos ou a outra lógica de apresentação, fugindo dos marcadores (bullets) enfiados goela abaixo dos usuários. Para quem quer encontrar o bom caminho do PowerPoint, o livro Presentation Zen é a redenção. O autor nos lembra que nosso cérebro tem um hemisfério esquerdo, que cuida da razão, e um direito, encarregado das emoções, das evocações. Uma boa aula ativa na plateia os dois hemisférios: inspira o direito e explica ao esquerdo. E com qual hemisfério o PowerPoint vai se comunicar? Se falar ao esquerdo, da razão, vai competir com as palavras do professor. É o desastre anunciado. Nele, as poucas palavras são para reter na memória as ideias ouvidas, não para lançá-las. Portanto, sua missão deve ser evocar, inspirar, infiltrar sentimentos. Daí a importância da escolha judiciosa das imagens. Melhor que sejam fotografias (abundantes no Google Images), e que se fuja, como o diabo da cruz, da Clip-art e dos desenhos humorísticos. Diante disso tudo, só resta uma solução: exigir carteira de habilitação para usar PowerPoint. Vamos à autoescola e tiramos carteira, para reduzir o risco de atropelar uma velhinha na primeira esquina. Então, carteira para usar PowerPoint, para evitar que barbeiragens ponham a perder o potencial educativo de um recurso tão extraordinário, mas que pode ser usado também para confundir a plateia e mentir. 14

18 6. PRODUÇÃO DE VÍDEOS Exija do aluno um roteiro prévio, contendo a sinopse do enredo e a sequência de cenas que serão filmadas. Esse roteiro deverá fazer parte da avaliação do trabalho. Dessa forma, o professor praticará o Aprender a fazer, orientando os alunos em seus trabalhos escolares. Uma vez escolhido esse recurso... Ÿ Em nenhuma hipótese o aluno pode entregar a sua gravação de forma fragmentada. Sugerir ao aluno, portanto, após a filmagem, elaborar uma edição corrida. Assim, na hora de transferir o arquivo para o computador, utilizando-se de um software apropriado, o aluno irá editá-lo, desprezando cenas desnecessárias e incluindo elementos de efeitos. Ÿ Em relação à produção de vídeos, atente-se para o fato de o aluno converter os arquivos em um formato que possa ser utilizado e/ou visualizado em DVDs ou softwares comuns disponíveis na escola. Para tanto, o aluno deverá consultar a equipe do Laboratório de Informática antes da data de apresentação do trabalho. 15

19 7. TRABALHOS PUBLICADOS NA INTERNET: BLOGS, SÍTIO, PÁGINA OU HOMEPAGE. Esse tipo de recurso tanto serve para demonstração dos resultados alcançados por meio de uma pesquisa, como para apresentação de uma temática, em sala de aula, auditório ou local especial, com a facilidade do emprego de recursos da Internet, que favorecem o entendimento do assunto abordado e permitem um ambiente interativo, dinâmico, de inovação e atualidade. Podem ser apresentados através de blogs, homepages ou sítios e até de Histórias em Quadrinhos, recurso disponível na Internet. ATENÇÃO: Ao utilizar esse recurso, atente-se para o fato de preservar algumas informações, tendo em vista que o material será publicado na Internet e estará à disposição de todos. Por isso, o aluno deve evitar publicar endereço, foto pessoal, telefone de contato. 16

20 * BLOGS O Blog é uma das opções sugeridas pela lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, de 1996, quando possibilita ao aluno expressar-se por outras formas de linguagem. Entretanto, devem-se seguir algumas orientações para que se facilite a avaliação, objetivo deste Manual: Ÿ Nome de tela: nomes dos alunos (sem sobrenome); Ÿ Título do blog: tema do trabalho; Ÿ Endereço do blog: fica a critério do professor definir, pois ele poderá ser usado para outras publicações ou apenas a do assunto específico, como nos exemplos a seguir: ou Ÿ Fonte: - tamanho: 14, podendo se adequar ao tipo de letra, Arial ou Times New Roman; é interessante destacar que os blogs trazem em seus modelos pré-definidos uma estrutura adequada à publicação virtual, podendo haver flexibilidade em relação ao layout. Ÿ Evitar linguagem abreviada, muito utilizada na comunicação virtual; Ÿ Ilustrar o trabalho com imagens JPG, coerentes com o assunto abordado; Ÿ É preciso o máximo de cuidado com a inserção de animações e vídeos. Estes devem estar adequados ao assunto abordado, de forma que venham enriquecer a sua apresentação e deem suporte didático ao conteúdo. 17

21 * SÍTIO OU WEBSITES Expressar-se através de Sítio ou Website é outra opção para o aluno, podendo, inclusive, utilizarse de domínios gratuitos na rede. Como critérios avaliativos e norteadores, atente-se: Ÿ Identificar o nome e a logomarca da escola; apresentação do trabalho, seus objetivos; a equipe ou aluno que está desenvolvendo o trabalho; professores orientadores, se houver; a disciplina e a temática abordada; Ÿ Organizar as pastas por tipo de arquivo (Ex: imagens, textos, HTML); Ÿ Fontes claras e dispostas harmoniosamente com o plano de fundo, transmitindo clareza e limpidez; Ÿ A escolha do plano de fundo é muito importante para dar uma melhor visualização do blog; Ÿ Evitar figurinhas, letrinhas voando na tela, animações que não estão coerentes com o contexto estudado; afinal, aquele blog é um trabalho escolar; Regras básicas - Os blogs devem: Ÿ Ser simples e transmitir com facilidade a mensagem. Ÿ As fontes devem ser Arial ou Times New Roman. Ÿ Uniformidade de cores e formatos. Ÿ Inserção de Vídeos e de Animações coerentes com a temática apresentada. CUIDADOS ESPECIAIS: Ÿ No caso de utilizar imagens, vídeos, palestra, notícias, etc. que venham a ser publicados na Internet, atente-se para o respeito aos direitos autorais, verificando se o autor permite a divulgação e não esquecendo de citar os créditos. A Internet oferece material livre de penalidades, como, por exemplo, Open Clip Art Liberary. Ÿ Para evitar perda de tempo e o desconforto de passar o antivírus nos trabalhos dos alunos durante a apresentação dos trabalhos, o professor deverá marcar duas datas de entrega: a primeira, para o Laboratório de Informática, que ficará com a função de reunir os trabalhos em uma pasta específica, devidamente organizada e livre de possíveis vírus. A segunda, a data real da apresentação, definida e reservada pelo professor com a Coordenação. 18

22 * HISTÓRIAS EM QUADRINHOS Existem alguns sites em que tal atividade pode ser produzida na rede de forma gratuita: 19

23 8. ORIENTAÇÕES FINAIS * LINGUAGEM: Ÿ Concisão e simplicidade Para assegurar o que é relevante para o problema e os pontos focados, a linguagem deve ser simples e concisa, para que não dê margem a dupla interpretação. Ÿ Frases e parágrafos curtos páginas de texto denso intimidam e aborrecem. Ÿ Página organizada Tente ajudar o leitor na forma como organiza as páginas: use parágrafos, margens largas, títulos e subtítulos lógicos. Se for necessário, use gráficos e tabelas, para fazer perceber informação complexa. Ÿ Sem clichês Evite-os, pois demonstram falta de habilidade no uso da língua. Ex: aparar arestas, voltar à estaca zero, etc. Ÿ Sem redundâncias Elas empobrecem o texto. (Ex: Inaugura uma nova era etc.) Ÿ Gráficos e figuras se necessário, use figura ou gráfico, entretanto, dê subtítulo antes de inserir a imagem ou o gráfico, e se possível, descreva o que tenta mostrar. * AVALIAÇÃO DOS TRABALHOS ESCOLARES: Toda encomenda de tarefa deve ser acompanhada por uma Ficha de Avaliação, que deve trazer claramente em quais critérios o professor se baseará para atribuir sua nota e o valor quantitativo correspondente a cada um deles. O objetivo dessa ficha é orientar o aluno em Aprender a fazer, de forma que ele poderá saber exatamente onde acertou e onde errou. Veja o exemplo: MODELO DE FICHA DE AVALIAÇÃO Trabalho: Contribuições Culturais dos Indígenas 20

Normas para elaboração de trabalhos escolares

Normas para elaboração de trabalhos escolares Normas para elaboração de trabalhos escolares Ensino Fundamental 8 os e 9 os anos Ensino Médio fevereiro/2012 O que é um trabalho escolar? É uma atividade relacionada a um tema ou assunto sobre o conteúdo

Leia mais

Professora: Yandra Mello

Professora: Yandra Mello Professora: Yandra Mello Se você precisa realizar um trabalho, de qual matéria for, lembre-se que você não deve realizá-lo de qualquer maneira, entrar em qualquer site, colocar o texto no Word, e sem ler

Leia mais

tem como objetivo informar os destinatários sobre determinado tema, para que fiquem com conhecimento global sobre o que é exposto

tem como objetivo informar os destinatários sobre determinado tema, para que fiquem com conhecimento global sobre o que é exposto Exposições Orais Todos os anos, todos os cursos tem como objetivo informar os destinatários sobre determinado tema, para que fiquem com conhecimento global sobre o que é exposto Numa exposição oral existem

Leia mais

LED. Laboratório de Educação a Distância ORIENTAÇÕES PARA VIDEOAULA

LED. Laboratório de Educação a Distância ORIENTAÇÕES PARA VIDEOAULA LED Laboratório de Educação a Distância ORIENTAÇÕES PARA VIDEOAULA Videoaula Visite o Portfólio do LED Professor A aula inicial é o primeiro contato do aluno com você e sua disciplina. Por isso, é importante

Leia mais

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008)

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008) Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Curso de Sistemas de Informação Trabalho de Conclusão de Curso Prof. Dr. Luís Fernando Garcia - TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto

Leia mais

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal Word 1 - Introdução O Word para Windows ou NT, é um processador de textos cuja finalidade é a de nos ajudar a trabalhar de maneira mais eficiente tanto na elaboração de documentos simples, quanto naqueles

Leia mais

AULA 3: BrOffice Writer Numeração de páginas e outros comandos. Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de:

AULA 3: BrOffice Writer Numeração de páginas e outros comandos. Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de: AULA 3: BrOffice Writer Numeração de páginas e outros comandos Objetivo Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de: Conhecer o controle de exibição do documento; Fazer a correção ortográfica do documento

Leia mais

Formatando trabalhos acadêmicos com Word2007

Formatando trabalhos acadêmicos com Word2007 IESAP INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ Formatando trabalhos acadêmicos com Word2007 Prof. MARCOS MENDES Profa. MILENA MENDES MACAPÁ-AP 2008 Sumário O QUE É FORMATACÃO COMO CRIAR E SALVAR UM ARQUIVO

Leia mais

MJ Secretaria Nacional de Segurança Pública Orientações para o Conteudista. Estruturação dos Materiais Básicos para os Cursos da SENASP

MJ Secretaria Nacional de Segurança Pública Orientações para o Conteudista. Estruturação dos Materiais Básicos para os Cursos da SENASP MJ Secretaria Nacional de Segurança Pública Orientações para o Conteudista Estruturação dos Materiais Básicos para os Cursos da SENASP Contacto: erisson.pitta@mj.gov.br Telefono: 5561 2025 8991 Prezado(a)

Leia mais

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Editoração do Trabalho Acadêmico 1 Formato 1.1. Os trabalhos devem ser digitados em papel A-4 (210 X297 mm) apenas no anverso (frente) da folha. 2 Tipo e tamanho

Leia mais

PRINCÍPIOS DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS COM AUXÍLIO DO POWERPOINT

PRINCÍPIOS DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS COM AUXÍLIO DO POWERPOINT Universidade do Estado da Bahia Monitoria de Física Geral e Experimental I PRINCÍPIOS DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS COM AUXÍLIO DO POWERPOINT Victor Mendes Lopes 1.0 Design Simples, moderno ou

Leia mais

CENTRO DE ENSINO MÉDIO 02 DE CEILÂNDIA

CENTRO DE ENSINO MÉDIO 02 DE CEILÂNDIA CENTRO DE ENSINO MÉDIO 02 DE CEILÂNDIA Normas Técnicas para Apresentação de Trabalhos Escritos 1 Os trabalhos escritos serão apresentados aos professores de todos os componentes curriculares desta escola

Leia mais

Normas para Apresentação de Monografias

Normas para Apresentação de Monografias UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E COMPUTAÇÃO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Normas para Apresentação de Monografias Campina Grande, dezembro 2010

Leia mais

Instruções sobre como elaborar artigo para o Âmbito Jurídico

Instruções sobre como elaborar artigo para o Âmbito Jurídico Instruções sobre como elaborar artigo para o Âmbito Jurídico Nome do autor: principais atividades acadêmicas em no máximo 3 linhas, colocar e-mail. 1. Se estudante de direito colocar apenas: Acadêmico

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE DISSERTAÇÃO (FORMATO

Leia mais

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word 1 Iniciando o Word 2010 O Word é um editor de texto que utilizado para criar, formatar e imprimir texto utilizado para criar, formatar e imprimir textos. Devido a grande quantidade de recursos disponíveis

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA ANEXO da Norma 004/2008 CCQ Rev 1, 28/09/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE QUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Salvador 2009 2 1 Objetivo Estabelecer parâmetros para a apresentação gráfica

Leia mais

Título do trabalho: subtítulo do trabalho

Título do trabalho: subtítulo do trabalho Título do trabalho: subtítulo do trabalho Resumo Este documento apresenta um modelo de formatação a ser utilizado em artigos e tem como objetivo esclarecer aos autores o formato a ser utilizado. Este documento

Leia mais

Apresentação de Seminário

Apresentação de Seminário UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Filosofia e Ciências Campus de Marília Departamento de Ciência da Informação Apresentação de Seminário Profa. Marta Valentim Marília 2012 Introdução O seminário

Leia mais

Orientações de Como Estudar Segmento II

Orientações de Como Estudar Segmento II Orientações de Como Estudar Segmento II Aprender é uma tarefa árdua que exige esforço e método e por isso organizamos algumas dicas para ajudá-lo(la) a aprender Como Estudar! Você verá que as orientações

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ARACAJU 2012 2 PREFÁCIO A apresentação dos trabalhos acadêmicos

Leia mais

DATAS E CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES

DATAS E CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES NORMAS DE ENVIO DE TRABALHOS AO XVI CONGRESSO BRASILEIRO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS E XVII ENCONTRO NACIONAL DE PERFURADORES DE POÇOS São Luís - MA, 31 de agosto a 03 de setembro de 2010 DATAS E CONSIDERAÇÕES

Leia mais

14º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental

14º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental NORMAS PARA ENVIO DE TRABALHOS REGRAS BÁSICAS A submissão de trabalhos ao 14º Congresso Brasileiro de Geologia será totalmente online, não mais sendo necessário o envio de cópias impressas. Porém, para

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP FACULDADE (do aluno) CURSO TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO TÍTULO DO RELATÓRIO AUTOR(ES) DO RELATÓRIO SÃO PAULO 200_ NOTA PRÉVIA

Leia mais

GUIA PARA NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

GUIA PARA NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO GUIA PARA NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Apresentação Como forma de orientar nossos alunos na realização das atividades de pesquisa enviadas para casa ou realizadas em equipe

Leia mais

REGRAS PARA ENVIO DE RESUMOS

REGRAS PARA ENVIO DE RESUMOS NORMAS DE ENVIO DE RESUMOS EXPANDIDOS AO IV CONGRESSO INTERNACIONAL DE MEIO AMBIENTE SUBTERRÂNEO São Paulo - SP, 05 e 06 de outubro de 2015 REGRAS PARA ENVIO DE RESUMOS A submissão de resumos expandidos

Leia mais

FKB Biblioteca Padre Lambert Prins Tutorial de formatação MS-Word Agary Veiga Graf CRB/8-3809

FKB Biblioteca Padre Lambert Prins Tutorial de formatação MS-Word Agary Veiga Graf CRB/8-3809 1 INTRODUÇÃO Tutorial é um programa ou texto, contendo ou não imagens, que ensina passo a passo, didaticamente, como um aplicativo funciona. Regra geral a maioria dos educandos já conhece o Microsoft Office

Leia mais

MOSTRA DE CULTURA, CIÊNCIA E TECNOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA MONTAGEM DO DOSSIÊ

MOSTRA DE CULTURA, CIÊNCIA E TECNOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA MONTAGEM DO DOSSIÊ MOSTRA DE CULTURA, CIÊNCIA E TECNOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA MONTAGEM DO DOSSIÊ Prezada Equipe, É com grande prazer que recebemos sua proposta de participação na I Mostra de Cultura, Ciência e Tecnologia do

Leia mais

Como tornar sua apresentação atrativa e interessante

Como tornar sua apresentação atrativa e interessante Como tornar sua apresentação atrativa e interessante Luciana Alvim Santos Romani, alvim@icmc.usp.br, ICMC-USP São Carlos Agma Juci Machado Traina, agma@icmc.usp.br, ICMC-USP São Carlos Por onde começar

Leia mais

II M O S T R A D E C U L T U R A, C I Ê N C I A E T E C N O L O G I A D O I F R O. E d i t a l DOS OBJETIVOS DA ESTRUTURA DA MOSTRA

II M O S T R A D E C U L T U R A, C I Ê N C I A E T E C N O L O G I A D O I F R O. E d i t a l DOS OBJETIVOS DA ESTRUTURA DA MOSTRA II M O S T R A D E C U L T U R A, C I Ê N C I A E T E C N O L O G I A D O I F R O E d i t a l DOS OBJETIVOS Art. 1º A II Mostra de Cultura, Ciência e Tecnologia do IFRO, evento de caráter integrador, tem

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO Escola Profissionalizante Francisca Nobre da Cruz Educação Profissional Credenciada pelo o parecer Nº 0484/2009 do CEE/CE, DOE nº 005 08.01.2010 Recredenciamento nº 1788/2013, DOE nº 216 18.11.2013 - Censo

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ GESTÃO2010/2012 ESCOLASUPERIORDOMINISTÉRIOPÚBLICO(Art.1ºdaLei11.592/89) Credenciada pelo Parecer 559/2008, de 10/12/08, do CEC (Art. 10, IV da Lei Federal n.º 9.394, de 26/12/1996 - LDB) NORMAS PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

Dicas para melhorar sua apresentação de slides

Dicas para melhorar sua apresentação de slides 1 Dicas para melhorar sua apresentação de slides Prof. Giseli Trento Andrade e Silva 1. Regra de 3 Normalmente as pessoas tem facilidade de assimilar até três itens de uma lista. Quer ver? Pai, Filho e

Leia mais

NORMAS PARA EDITORAÇÃO E ENVIO DE TRABALHOS TÉCNICOS AO EVENTOS BRASIL 2014

NORMAS PARA EDITORAÇÃO E ENVIO DE TRABALHOS TÉCNICOS AO EVENTOS BRASIL 2014 NORMAS PARA EDITORAÇÃO E ENVIO DE TRABALHOS TÉCNICOS AO EVENTOS BRASIL 2014 07 a 08 de dezembro de 2014 São Paulo - SP DATAS E CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES Os trabalhos técnicos deverão ser enviados eletronicamente,

Leia mais

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA 1 Prezado(a) aluno(a), Este roteiro foi preparado para auxiliá-lo na elaboração de sua monografia (TCC). Ele o apoiará na estruturação das etapas do seu trabalho de maneira

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Introdução Aula 03: Pacote Microsoft Office 2007 O Pacote Microsoft Office é um conjunto de aplicativos composto, principalmente, pelos

Leia mais

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS MONOGRAFIA Trata-se de uma construção intelectual do aluno-autor que revela sua leitura, reflexão e interpretação sobre o tema da realidade. Tem como base a escolha de uma unidade ou elemento social, sob

Leia mais

Jovens do mundo todo Conheça outras culturas

Jovens do mundo todo Conheça outras culturas 5 a a 8 a séries Ensino Fundamental Jovens do mundo todo Conheça outras culturas Softwares Necessários: Microsoft Encarta 2000 Internet Explorer 5,0 Microsoft Publisher 2000 Microsoft Word 2000 Áreas:

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1,5 espaçamento entre as linhas CURSO xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Nome do Estagiário 2 espaços 1,5 Fonte 14 Fonte 14 RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Fonte 16 COLOCADO NO CENTRO DA FOLHA LOCAL ANO Fonte

Leia mais

A programação da Mostra com dia, local e horário de apresentação será disponibilizada no site da ANPG.

A programação da Mostra com dia, local e horário de apresentação será disponibilizada no site da ANPG. Mostra Científica do IV Salão Nacional de Divulgação Científica da Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) Desafios e perspectivas para o financiamento da Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

Demonstração de uma idéia, assunto, produto, serviço e etc; Podendo ser uma palestra, reunião, workshop entre outros eventos.

Demonstração de uma idéia, assunto, produto, serviço e etc; Podendo ser uma palestra, reunião, workshop entre outros eventos. Demonstração de uma idéia, assunto, produto, serviço e etc; Para duas ou mais pessoas; Podendo ser uma palestra, reunião, workshop entre outros eventos. Planejar Sempre! Para transmitir segurança você

Leia mais

EDITOR DE TEXTO BROFFICE WRITER

EDITOR DE TEXTO BROFFICE WRITER 1 1 Editor de Texto BrOffice Writer O Writer é o editor de texto do pacote OpenOffice, que corresponde ao Microsoft Word. Um editor de texto é um programa com recursos para formatação de texto que poderá

Leia mais

Continuação. 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART

Continuação. 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART Continuação 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART a) Vá para o primeiro slide da apresentação salva no item 31. b) Na guia PÁGINA INICIAL, clique no botão LAYOUT e selecione (clique) na opção TÍTULO

Leia mais

SEMINÁRIO DE PÓS-GRADUAÇÃO 2014. Normas para inscrição de trabalhos

SEMINÁRIO DE PÓS-GRADUAÇÃO 2014. Normas para inscrição de trabalhos SEMINÁRIO DE PÓS-GRADUAÇÃO 2014 Normas para inscrição de trabalhos 1. Disposições Gerais A Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação, no uso das atribuições que lhe são conferidas, comunica as normas e condições

Leia mais

Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) 1 Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Gepós Unidade de Gestão de Pós Graduação Como requisito obrigatório para a obtenção do certificado de pós-graduação, o TCC deve ser desenvolvido

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP 2011 ESTRUTURA 1 ELEMENTOS DE PRÉ-TEXTO 1.1 Capa 1.2 Lombada descendente 1.3 Folha de rosto 1.4 Folha de aprovação 1.5 Dedicatória 1.6 Agradecimentos 1.7 Epígrafe

Leia mais

AÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES

AÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES AÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES TEXTO RETIRADO E ADAPTADO DO MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE. CANOAS, 2014 A estrutura deste manual foi elaborada

Leia mais

Faculdade de Ciências Médicas FCM Unicamp Núcleo de Tecnologia de Informação NTI

Faculdade de Ciências Médicas FCM Unicamp Núcleo de Tecnologia de Informação NTI Manual do usuário Desenvolvendo páginas em Drupal Faculdade de Ciências Médicas FCM Unicamp Núcleo de Tecnologia de Informação NTI Conteúdo Primeiro Passo... 3 1.1 Login... 3 1.2 Recuperando a Senha...

Leia mais

Prática 3 Microsoft Word

Prática 3 Microsoft Word Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado da Paraíba, Campus Sousa Disciplina: Informática Básica Prática 3 Microsoft Word Assunto: Tópicos abordados: Prática Utilização dos recursos

Leia mais

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1 5/12/2008 Monografias - Apresentação Fazer um trabalho acadêmico exige muito de qualquer pesquisador ou estudante. Além de todo esforço em torno do tema do trabalho, é fundamental ainda, adequá-lo às normas

Leia mais

A estrutura de um trabalho, de acordo com a ABNT/NBR-14724, compreende três elementos: Pré textuais, Textuais Pós textuais.

A estrutura de um trabalho, de acordo com a ABNT/NBR-14724, compreende três elementos: Pré textuais, Textuais Pós textuais. APRESENTAÇÃO Para ficar claro, é necessário fazer distinções entre padrões e normas, já que normas da ABNT são constituídas de regras a serem seguidas, objetivando a qualidade em produções científicas,

Leia mais

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP REPRESENTAÇÕES GRÁFICAS DOS TRABALHOS Formato: A4 Cor preta Espaçamento entre linhas: 1,5cm Fonte texto: Times New Roman, 12 ou Arial, 11 Margem superior

Leia mais

Escola SENAI Jose Polizotto. Biblioteca - Escola SENAI Jose Polizotto. Manual para elaboração de trabalhos. acadêmicos

Escola SENAI Jose Polizotto. Biblioteca - Escola SENAI Jose Polizotto. Manual para elaboração de trabalhos. acadêmicos Escola SENAI Jose Polizotto Biblioteca - Escola SENAI Jose Polizotto Manual para elaboração de trabalhos acadêmicos Marília 2008 Biblioteca - Escola SENAI José Polizotto Manual para elaboração de trabalhos

Leia mais

Apresentação Gráfica e Formatação de Texto.

Apresentação Gráfica e Formatação de Texto. Apresentação Gráfica e Formatação de Texto. Prof. Dr. Gessé Marques Jr. Fac. Filosofia História e Letras UNIMEP Com o objetivo de estabelecer um padrão gráfico a ser utilizado por todos os trabalhos, exporemos

Leia mais

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO Finalidade de um Artigo Científico Comunicar os resultados de pesquisas, idéias e debates de uma maneira clara, concisa e fidedigna. Servir de medida da produtividade

Leia mais

Word 2010 Noções de Informática Henrique Sodré Página 1

Word 2010 Noções de Informática Henrique Sodré Página 1 Word 2010 1. Visão Geral 1.1. Guia/Aba 1.1.1. Guia Contextual (aparece quando se trabalha com contexto específico. Por exemplo, tabela, imagem, cabeçalho e rodapé ou equação) (aparece depois da guia exibição)

Leia mais

Dicas de como montar sua apresentação

Dicas de como montar sua apresentação Dicas de como montar sua apresentação NãomudeolayoutdoPPT Desenvolvemos algumas opções de layout para que a sua apresentação fique dinâmica e reforce a identidade do Sistema Fiep. É um para cada casa e

Leia mais

editor Writer, do BrOffice

editor Writer, do BrOffice editor Writer, do BrOffice Utilizar o editor Writer, do BrOffice, para editar textos e inserir tabelas; Conscientizar sobre o cuidado com os direitos autorais, citando sempre as fontes de onde foram retirados

Leia mais

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011 São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico As orientações abaixo estão de acordo com NBR 14724/2011 da Associação

Leia mais

Apostila de Word 2013

Apostila de Word 2013 Iniciando o word 2013...01 Regras Básicas para digitação de um texto...02 Salvando um arquivo com senha...02 Salvando um arquivo nas nuvens (OneDrive).... 02 Verificando a ortografia e a gramática do texto...

Leia mais

Power Point. Autor: Paula Pedone

Power Point. Autor: Paula Pedone Power Point Autor: Paula Pedone INTRODUÇÃO O POWER POINT é um editor de apresentações, pertencente ao Pacote Office da Microsoft. Suas principais características são: criação de apresentações através da

Leia mais

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório.

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório. 1 - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO O relatório do Estágio Supervisionado de todos os cursos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Minas Gerais Campus Formiga - irá mostrar

Leia mais

Aula: BrOffice Impress primeira parte

Aula: BrOffice Impress primeira parte Aula: BrOffice Impress primeira parte Objetivos Conhecer as características de um software de apresentação; Saber criar uma apresentação rápida com os recursos de imagem e texto; Saber salvar a apresentação;

Leia mais

BrOffice.org - Impress

BrOffice.org - Impress BrOffice.org Impress 1 BrOffice.org - Impress Programa de apresentação, utilizado para criação e manipulação de slides. Os slides criados para uma eletrônica podem conter texto, gráficos, objetos, formas,

Leia mais

Microsoft Powerpoint 2007

Microsoft Powerpoint 2007 Apostila de informática Breno Damasceno Microsoft Powerpoint 2007 É um software de apresentação multimídia da Microsoft. Com o PowerPoint podemos criar apresentações utilizando recursos de imagem, som

Leia mais

Normas para participação com apresentação de pôsteres e/ou Trabalhos completos (Comunicações Orais)

Normas para participação com apresentação de pôsteres e/ou Trabalhos completos (Comunicações Orais) Normas para participação com apresentação de pôsteres e/ou Trabalhos completos (Comunicações Orais) *Os participantes do Congresso Internacional de Saúde poderão participar na modalidade OUVINTE, APRESENTAÇÃO

Leia mais

Introdução. William Braga

Introdução. William Braga Introdução I William Braga II Introdução III William Braga Rio de Janeiro. 2007 IV - Copyright 2007 da Editora Alta Books Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 5988 de 14/12/73. Nenhuma

Leia mais

Relacionamento professor-aluno e os procedimentos de ensino

Relacionamento professor-aluno e os procedimentos de ensino Relacionamento professor-aluno e os procedimentos de ensino Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Relacionamento professor-aluno Professor:

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE POMPEIA FATEC CURSO TECNOLOGIA EM MECANIZAÇÃO EM AGRICULTURA DE PRECISÃO

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE POMPEIA FATEC CURSO TECNOLOGIA EM MECANIZAÇÃO EM AGRICULTURA DE PRECISÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA DE POMPEIA FATEC CURSO TECNOLOGIA EM MECANIZAÇÃO EM AGRICULTURA DE PRECISÃO NORMAS PARA REDAÇÃO DE ARTIGOS Pompeia 2012 A composição dos textos deverá obedecer as orientações abaixo.

Leia mais

ASPECTOS NORMATIVOS E TIPOGRÁFICOS DO ARTIGO CIENTÍFICO baseados na NBR 6022, 2003

ASPECTOS NORMATIVOS E TIPOGRÁFICOS DO ARTIGO CIENTÍFICO baseados na NBR 6022, 2003 FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DOM BOSCO CORNÉLIO PROCÓPIO - PR ASPECTOS NORMATIVOS E TIPOGRÁFICOS DO ARTIGO CIENTÍFICO baseados na NBR 6022, 2003 1 INTRODUÇÃO As orientações aqui apresentadas são baseadas

Leia mais

Programa de Edição de Textos- Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 3

Programa de Edição de Textos- Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 3 Programa de Edição de Textos- Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 3 FORMATAÇÃO DE TEXTOS A palavra formatação assume funções diferentes conforme a área de estudo. Para os aplicativos que compõe todos os pacotes

Leia mais

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Índice Como acessar o Moodle Editando seu PERFIL Editando o curso / disciplina no Moodle Incluindo Recursos

Leia mais

Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto

Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto Exercícios práticos de Word Exercício n.º 2 Localize no servidor Patinhas, a pasta APT-ExercicioWord-2. Copie esta pasta com todo o seu conteúdo para o seu ambiente de trabalho. Para resolução destes exercícios

Leia mais

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO NA RECeT POLÍTICA EDITORIAL

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO NA RECeT POLÍTICA EDITORIAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS PRESIDENTE EPITÁCIO CNPJ 10.882.594/0001-65 Al. José Ramos Júnior, 27-50, Jardim Tropical Presidente Epitácio

Leia mais

1ª Etapa: A Escolha do Tema

1ª Etapa: A Escolha do Tema O que é um trabalho escrito? Realizar um trabalho escrito é pegar num tema, clarificá-lo e tomar uma posição sobre o mesmo. Para isso, deve utilizar-se bibliografia adequada. Quando é pedido a um aluno

Leia mais

Aula 04 Word. Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br http://www.profbrunogomes.com.br/

Aula 04 Word. Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br http://www.profbrunogomes.com.br/ Aula 04 Word Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br http://www.profbrunogomes.com.br/ Agenda da Aula Editor de Texto - Word Microsoft Office Conjunto de aplicativos para escritório que contém programas

Leia mais

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA LEIAME Apresentação Nenhuma informação do TUTORIAL DO MICRO- SOFT OFFICE POWER POINT 2003 poderá ser copiada, movida ou modificada sem autorização prévia e escrita do Programador Roberto Oliveira Cunha.

Leia mais

SEMINÁRIO . ORGANIZAÇÃO DO SEMINÁRIO.

SEMINÁRIO . ORGANIZAÇÃO DO SEMINÁRIO. SEMINÁRIO Seminário é um grupo de pessoas que se reúnem com o propósito de estudar um tema sob a direção de um professor ou autoridade na matéria. O nome desta técnica vem da palavra semente, indicando

Leia mais

Instruções para Submissão de Trabalhos ao EPETUSP 2013

Instruções para Submissão de Trabalhos ao EPETUSP 2013 Instruções para Submissão de Trabalhos ao EPETUSP 2013 O trabalho deverá ser submetido em formato PDF e não serão feitas correções após o envio. Portanto, solicitamos o máximo cuidado e atenção na elaboração

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1,5 espacejamento entre as linhas CURSO xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 2 espaços 1,5 Fonte 14 Nome do Estagiário Fonte 14 RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Fonte 16 COLOCADO NO CENTRO DA FOLHA BAMBUÍ ANO Fonte

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 APRESENTAÇÃO Tanto o artigo quanto a monografia são trabalhos monográficos, ou seja, trabalhos que apresentam resultados de pesquisa sobre um

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA Atualizada em julho de 2011 A maior parte das Monografias

Leia mais

NORMAS ABNT- UFF - março de 2015 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

NORMAS ABNT- UFF - março de 2015 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE TURISMO 1 NORMAS ABNT- UFF - março de 2015 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Conforme estabelecido pela ABNT - NBR 14724:2011 Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação As informações

Leia mais

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5. 5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.2 Capa... 48 5.3 Folha de rosto... 51 5.4 Errata... 53

Leia mais

Introdução. Como adquirir o FrontPage?

Introdução. Como adquirir o FrontPage? Introdução O software FrontPage é muito utilizado para a criação, gerenciamento e publicação de páginas (sites) na Internet. Sendo um produto da Microsoft Corporation, ele apresenta uma interface bastante

Leia mais

AÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE ARTIGO TEXTO RETIRADO E ADAPTADO DO MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE.

AÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE ARTIGO TEXTO RETIRADO E ADAPTADO DO MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE. AÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE ARTIGO TEXTO RETIRADO E ADAPTADO DO MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE. CANOAS/2014 A estrutura deste manual foi elaborada com base

Leia mais

FORMATANDO O TRABALHO ACADÊMICO COM O WORD 2007 GUIDO DE OLIVEIRA CARVALHO

FORMATANDO O TRABALHO ACADÊMICO COM O WORD 2007 GUIDO DE OLIVEIRA CARVALHO FORMATANDO O TRABALHO ACADÊMICO COM O WORD 2007 GUIDO DE OLIVEIRA CARVALHO 2 FORMATANDO O TRABALHO ACADÊMICO COM O WORD 2007 Guido de Oliveira Carvalho UEG-Inhumas NÍVEL BÁSICO 1. Configurar página Aba

Leia mais

MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS PONTA GROSSA 2010 2 SUMÁRIO 1

Leia mais

APOSTILA BÁSICA COMO UTILIZAR A LOUSA DIGITAL E O SOFTWARE SMART NOTEBOOK

APOSTILA BÁSICA COMO UTILIZAR A LOUSA DIGITAL E O SOFTWARE SMART NOTEBOOK APOSTILA BÁSICA COMO UTILIZAR A LOUSA DIGITAL E O SOFTWARE SMART NOTEBOOK 1 SÚMARIO ASSUNTO PÁGINA Componentes da Lousa... 03 Função Básica... 04 Função Bandeja de Canetas... 05 Calibrando a Lousa... 06

Leia mais

Microsoft Power Point 2007

Microsoft Power Point 2007 Microsoft Power Point 2007 Sumário Layout e Design 4 Formatação de Textos 8 Salvando um arquivo do PowerPoint 15 Plano de Fundo 16 Marcadores 18 Réguas e grade 19 Tabelas 20 Gráficos 21 Imagens 22 Smart

Leia mais

ESTRUTURA DO TIID 2010

ESTRUTURA DO TIID 2010 ESTRUTURA DO TIID 2010 7. Anexos c 7. A ficha de entrevista, agora com as respostas, deve ser apresentada como anexo, após as referências bibliográficas. 6. Referências Bibliográficas 6. As referências

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA CURSO: AGRONOMIA

ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA CURSO: AGRONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO Av. Dom Manuel de Medeiros s/nº Dois Irmão, Recife PE Telefone: 3320-6203 ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA CURSO: AGRONOMIA I ESTRUTURA DO RELATÓRIO 1.1

Leia mais

MANUAL DE ELABORAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO E TESE

MANUAL DE ELABORAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO E TESE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO E MEIO AMBIENTE MANUAL DE ELABORAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO E

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES

ORIENTAÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES ORIENTAÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES Ao organizar um trabalho escolar é necessário que algumas normas sejam observadas pelo aluno. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) encarrega-se

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS ESTADO DO PARANÁ

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS ESTADO DO PARANÁ NOVEMBRO / 2007 17 APRESENTAÇÃO Este material foi solicitado pela Secretaria Municipal da Administração SEMAD, e elaborado com o intuito de capacitar os servidores desta prefeitura, de todos os cargos

Leia mais

Turma. PowerPoint 2003

Turma. PowerPoint 2003 PowerPoint 2003 Apresentação O Power Point é um aplicativo do Microsoft Office direcionado à criação de apresentações. Com ele você poderá criar rapidamente slides com esquemas, textos animados, sons e

Leia mais

Conceitos Fundamentais de Microsoft Word. Professor Rafael rafampsilva@yahoo.com.br www.facebook.com/rafampsilva

Conceitos Fundamentais de Microsoft Word. Professor Rafael rafampsilva@yahoo.com.br www.facebook.com/rafampsilva Conceitos Fundamentais de Microsoft Word Professor Rafael www.facebook.com/rafampsilva Introdução É um editor de texto ou processador de texto? editores de texto: editam texto (assim como uma máquina de

Leia mais

Aprendendo a ESTUDAR. Ensino Fundamental II

Aprendendo a ESTUDAR. Ensino Fundamental II Aprendendo a ESTUDAR Ensino Fundamental II INTRODUÇÃO Onde quer que haja mulheres e homens, há sempre o que fazer, há sempre o que ensinar, há sempre o que aprender. Paulo Freire DICAS EM AULA Cuide da

Leia mais

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS:

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS: MANUAL PARA TCC www.etecmonteaprazivel.com.br Estrada do Bacuri s/n Caixa Postal 145 Monte Aprazível SP CEP 15150-000 Tel.: (17) 3275.1522 Fax: (17) 3275.1841 NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT

Leia mais