Pingos da Língua Portuguesa...

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pingos da Língua Portuguesa..."

Transcrição

1 Pingos da Língua Portuguesa... Pequenas doses de Gramática, Literatura e Redação para você... no Rio Branco/Campinas Vol

2 Gramática Conhecer os verbos é muito importante! Os verbos, por serem palavras flexíveis, ou seja, variam conforme o efeito que queremos produzir em nosso texto, devem ser cuidadosamente escolhidos, pois é justamente por meio dessa escolha que a informação será transmitida. Observe: Dizer estudei bastante para a avaliação, por isso minha nota foi boa é diferente de dizer se eu tivesse estudado para a avaliação conseguiria melhor nota. Perceba que a situação é a mesma, mas o modo de usar os verbos ESTUDAR e CONSEGUIR modificou muito o efeito de sentido produzido. Isso acontece porque esses dois verbos foram utilizados em TEMPOS e MODOS verbais diferentes. Pense nisso quando for utilizar os verbos em seus textos!

3 Literatura de Cordel! O que é literatura de cordel Literatura de Cordel é, como qualquer outra forma artística, uma manifestação cultural. Por meio da escrita são transmitidas as cantigas, os poemas e as histórias do povo pelo próprio povo. O nome de Cordel teve origem em Portugal, onde os livretos, antigamente, eram expostos em barbantes, como roupas no varal.

4 Literatura de Cordel! Origens da literatura de cordel As primeiras manifestações da literatura popular no ocidente ocorreram por volta do século XII. Peregrinos encontravam-se no sul da França, em direção à Palestina; no norte da Itália, para chegar à Roma; e ainda na Galícia, no santuário de Santiago. Nesses encontros eram transmitidas as histórias e compostos os primeiros versos, de forma muito primitiva. O que interessa para nós é que foi dessa forma que surgiram os primeiros núcleos de cultura regional que espalharam-se pela Europa e, posteriormente, pela América.

5 Literatura de Cordel! A literatura de cordel no Brasil Devido ao atraso da chegada da imprensa por aqui e seu acesso pelo público, as produções literárias de populares tiveram seu apogeu apenas no século XX. Nossa literatura de cordel é caracterizada, principalmente, pela poesia popular. A prosa aparece muito mais na forma oral, que passa de geração para geração. Como é uma manifestação muito mais cultural do que intelectual, destaca-se em regiões onde a cultura é mais valorizada e delineada. Aqui no Brasil essas regiões são a Nordeste e a Sul. Grandes autores da poesia popular brasileira Centenas, talvez milhares de autores poderiam ser listados aqui, mas vou falar dos três mais conhecidos.

6 Literatura de Cordel! Leandro Gomes de Barros Foi o mais importante e mais famoso autor da literatura de cordel brasileira. Seu livreto O Cachorro dos mortos vendeu mais de um milhão de exemplares. João Martins de Athayde Autor popular que mais produziu. Comprou os direitos autorais de Leandro Gomes de Barros quando da sua morte, passando a editar também seus poemas. Cuíca de Santo Amaro O mais terrível poeta popular. Fazia denúncias contra corruptos e poderosos de sua época. Era amigo íntimo de Jorge Amado, que o incluiu como personagem em seus Tereza Batista, Cansada de Guerra e no conto A morte de Quincas Berro D água. Fonte:

7 Redação Como podemos dialogar com um texto fonte? Nos vestibulares, é imprescindível um bom diálogo com o texto fonte, o texto que a prova de redação seleciona para auxílio na elaboração do texto solicitado. Para que você estabeleça uma boa leitura, ou seja, um bom diálogo com esse texto, são necessários os seguintes movimentos: 1. Identificação do conteúdo do texto (tema principal, tese, objetivo do texto); 2. Compreensão das informações que autor relaciona para discutir o tema principal; 3. Eleição de pontos do texto fonte que podem ser aproveitados para a sua redação 4. Trabalho com a escrita, buscando articular os pontos selecionados no item 3. Veja um exemplo

8 Redação O Brasil, suas classes sociais e a implicação na economia O Brasil, segundo dados do IBGE, possuía no ano de 2009 uma população de habitantes, sendo composta por 95,4 milhões de homens e 98,3 milhões de mulheres. Desse total, 86,12% vivem na área urbana e por consequencia são potenciais consumidores de tudo o que é produzido e do que o mercado oferece. Com a aceleração da economia e a estabilidade econômica, o brasileiro passou a cuidar-se mais fisicamente, a alimentar-se melhor, e com isso a esperança de vida passou de 69,6 anos para 72,8 anos no período de 1998 a Mesmo com a melhora, a expectativa de vida brasileira ainda é considerada baixa levando-se em conta comparações com nações desenvolvidas, como Japão, Suíça, França e Itália, onde a média supera os 81 anos.

9 Redação Com o aumento da expectativa de vida, alguma melhora nas condições financeiras e o desenvolvimento da indústria interna, o consumo do brasileiro não pára de crescer. Parte deste consumo vem da chamada classe média, a atual classe C. Mas porque Classe Média ou C, Rica ou A? Classes Sociais são as divisões estabelecidas na sociedade, segundo critérios de renda, de acesso aos bens de consumo, moradia, educação e saúde. Falar-se em Classe Social atualmente, virou rotina. Fala-se em classe na economia, na educação, na cultura. As pesquisas nos classificam em classes. A segmentação em classes sociais usando a classificação econômica das classes A/B, C e D/E é comum no mercado publicitário e entre as empresas.

10 Redação A divisão das classes sociais visa segmentar o mercado levando em conta o poder aquisitivo de cada grupo. É obtida a partir principalmente da existência de diversos itens de consumo nas residências, além de avaliar o grau de instrução do chefe de família e se há empregado doméstico na residência. Uma pesquisa efetuada pelo Instituto Análise mostrou que os brasileiros querem o que é bom. A classe C quer o que as classes A e B já têm e as classes D e E querem o que a classe C já possui. Fonte: conomia/ Veja a análise

11 Redação Possíveis pontos a serem discutidos: A busca da razão de as pessoas da classe C terem os mesmos anseios que as classes A e B. Uma hipótese possível é a que essa aproximação se dá no nível dos valores, ultrapassando a divisão por valor do salário; Discussão da divisão desigual de rendas no Brasil e as consequências disso para a população das classes menos favorecidas, no que se refere ao acesso à saúde, educação, legislação etc.; Problematização da conclusão feita pelo autor do texto de que o mercado brasileiro não para de crescer; Reflexão do porquê o que vem da classe A e B é bom.

12 Fim Gostou? Por enquanto é isso, mas na próxima edição tem mais! Até a próxima semana!

Mercado de Trabalho: Ligeira Melhora com Informalização

Mercado de Trabalho: Ligeira Melhora com Informalização 3 Mercado de Trabalho: Ligeira Melhora com Informalização Vera Martins da Silva (*) O mercado de trabalho está finalmente dando sinais de recuperação, ainda que incipiente e apoiada na informalização.

Leia mais

Gêneros Textuais. E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais?

Gêneros Textuais. E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais? Gêneros Textuais E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais? Para começar, vamos observar as imagens abaixo, reproduções de uma receita, uma manchete de

Leia mais

Os Docentes: Luís Magalhães, Adélia Silvestre, Anabela Campos e Patrícia Lima PLANIFICAÇÃO ANUAL 10.º ANO DE ESCOLARIDADE OBJETIVOS GERAIS

Os Docentes: Luís Magalhães, Adélia Silvestre, Anabela Campos e Patrícia Lima PLANIFICAÇÃO ANUAL 10.º ANO DE ESCOLARIDADE OBJETIVOS GERAIS A planificação que se apresenta é uma adaptação da que acompanha o manual O Caminho das Palavras. Servirá de matriz a todos os professores que estão a leccionar o 10º, sendo adaptada e reajustada de acordo

Leia mais

Trovadorismo Trovadorismo

Trovadorismo Trovadorismo Trovadorismo Trovadorismo O Trovadorismo é a primeira manifestação literária da língua portuguesa. Seu surgimento ocorre no mesmo período em que Portugal começa a despontar como nação independente, no

Leia mais

No episódio de hoje...

No episódio de hoje... Redação 1/4 No episódio de hoje... Como é o modelo de redação da FATEC? 5 citações que você pode usar em sua redação Dicas práticas para escrever cada vez melhor COMO É O MODELO DE REDAÇÃO DA FATEC? Liiiii,

Leia mais

Reunião de Pais 3º ano A 2015 Professora: Renata Estagiária: Tatiane

Reunião de Pais 3º ano A 2015 Professora: Renata Estagiária: Tatiane Reunião de Pais 3º ano A 2015 Professora: Renata Estagiária: Tatiane Avaliação Relatório 1º Trimestre 3º ano 2015 Aluno(a): Professora: MATEMÁTICA Não atingiu os objetivos propostos Atingiu minimamente

Leia mais

Período Gênero textual Expectativa

Período Gênero textual Expectativa DISCIPLINA: Produção de texto ANO DE REFERÊNCIA: 2016 PROFESSORAS RESPONSÁVEIS: 6ºano Período Gênero textual Expectativa P35 Compreender o papel do conflito gerador no desencadeamento dos episódios narrados.

Leia mais

Indicadores de condições de vida

Indicadores de condições de vida Indicadores de condições de vida As desigualdades de condições de vida no Brasil são bastante conhecidas. Elas mostram diferenças que se expressam socialmente entre segmentos populacionais. Geograficamente

Leia mais

As Metas Curriculares de Português, para o 2º Ciclo, apresentam quatro características essenciais:

As Metas Curriculares de Português, para o 2º Ciclo, apresentam quatro características essenciais: DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS PORTUGUÊS _5º ANO_A Ano Letivo: 20/207. Introdução / Metas Curriculares Na disciplina de Português o desenvolvimento do ensino será orientado por Metas Curriculares cuja definição

Leia mais

Uso de Metáforas em Poesia e Canção

Uso de Metáforas em Poesia e Canção Uso de Metáforas em Poesia e Canção Ângela Gonçalves Trevisol Tamara dos Santos A partir de observações em sala de aula para a disciplina de Seminário para o ensino de literatura brasileira percebemos

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 8.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 8.º ANO DE PORTUGUÊS 8.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No final do 8.º ano de escolaridade, o aluno deve ser capaz de: interpretar e produzir textos orais com diferentes graus de formalidade, finalidade

Leia mais

Pingos da Língua Portuguesa...

Pingos da Língua Portuguesa... Pingos da Língua Portuguesa... Pequenas doses de Gramática, Literatura e Redação para você... no Rio Branco/Campinas Vol. 5 2011 O uso do GUARDA! As sugestões de gramática que serão apresentadas na revistinha

Leia mais

Escola Estadual Frederico J. Pedrera Neto

Escola Estadual Frederico J. Pedrera Neto Trovadorismo Escola Estadual Frederico J. Pedrera Neto Data 18/08/2016 professora(a); Mirleia Aluno(a); Marcos Vinicius Palmas - To Trovadorismo foi um movimento literário e poético que surgiu na Idade

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DE ESTUDOS 2016

PROGRAMAÇÃO DE ESTUDOS 2016 PROGRAMAÇÃO DE ESTUDOS 2016 2ª etapa: 16/05 a 31/08 2º Ano A/B Ensino Fundamental Educadoras: Flávia/Márcia 1 LÍNGUA PORTUGUESA PROPOSTA DE TRABALHO NOÇÕES /CONCEITOS HABILIDADES Leitura e interpretação

Leia mais

Prof. Ms. Renato Dering

Prof. Ms. Renato Dering Prof. Ms. Renato Dering A Redação é o primeiro critério de desempate na hora de escolher as Universidades e cursos superiores; A segunda forma de desempate é a prova de Linguagens; Tirar menos de 450 pontos

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA PARA O USO PEDAGÓGICO E INTEGRADO DO TABLET EDUCACIONAL PROFESSOR:

FORMAÇÃO CONTINUADA PARA O USO PEDAGÓGICO E INTEGRADO DO TABLET EDUCACIONAL PROFESSOR: FORMAÇÃO CONTINUADA PARA O USO PEDAGÓGICO E INTEGRADO DO TABLET EDUCACIONAL PROFESSOR: Diana Domingues Donato NTE 12 PÚBLICO: Todas as séries do Ensino Médio Sequência Didática Título da Atividade: A CANA

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDO DATA 23/10/2017 PROFESSORA: TAIS BORGES DISCIPLINA: FILOSOFIA

ROTEIRO DE ESTUDO DATA 23/10/2017 PROFESSORA: TAIS BORGES DISCIPLINA: FILOSOFIA ROTEIRO DE ESTUDO DATA 23/10/2017 PROFESSORA: TAIS BORGES DISCIPLINA: FILOSOFIA A cultura e os modos de vida Elementos fundamentais da cultura Livro de Filosofia pg. 102 a 108 Conceituar os diferentes

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA 4º ANO 1º BIMESTRE EIXO CONTEÚDO HABILIDADE ABORDAGEM

LÍNGUA PORTUGUESA 4º ANO 1º BIMESTRE EIXO CONTEÚDO HABILIDADE ABORDAGEM PRÁTIC DE ESCRIT PRÁTIC DE LEITUR ORLIDDE LÍNGU PORTUGUES 4º NO 1º BIMESTRE EIXO CONTEÚDO HBILIDDE BORDGEM Escuta de textos Escutar textos de diferentes gêneros, sobretudo os mais formais, analisando-os

Leia mais

EDITORIAL. Na chamada "grande imprensa", os editoriais são apócrifos isto é, nunca são assinados por alguém em particular.

EDITORIAL. Na chamada grande imprensa, os editoriais são apócrifos isto é, nunca são assinados por alguém em particular. - O QUE É ISSO? EDITORIAL Os editoriais são textos de um jornal em que o conteúdo expressa a opinião da empresa, da direção ou da equipe de redação, sem a obrigação de ter alguma imparcialidade ou objetividade.

Leia mais

29/11/2009. Entrevista do Presidente da República

29/11/2009. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na chegada ao hotel Villa Itália Cascais-Portugal, 29 de novembro de 2009 Jornalista: (incompreensível) Presidente:

Leia mais

GEOGRAFIA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL: NOTAS DE UMA EXPERIÊNCIA

GEOGRAFIA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL: NOTAS DE UMA EXPERIÊNCIA PRODUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO TICO-PEDAG PEDAGÓGICO GICO EM GEOGRAFIA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL: NOTAS DE UMA EXPERIÊNCIA Área Temática: Educação Aloysio Marthins de Araújo Junior (Coord Coord.) Leila

Leia mais

Interpretação de textos Avaliação Parcial II. Língua Portuguesa Brasileira Antonio Trindade

Interpretação de textos Avaliação Parcial II. Língua Portuguesa Brasileira Antonio Trindade Interpretação de textos Avaliação Parcial II Língua Portuguesa Brasileira Antonio Trindade Verbo ser Que vai ser quando crescer? Vivem perguntando em redor. Que é ser? É ter um corpo, um jeito, um nome?

Leia mais

Anthropos Consulting

Anthropos Consulting Anthropos Consulting www.marins.com.br Anthropos Consulting www.marins.com.br Anthropos Consulting www.marins.com.br 70% 25% Anthropos Consulting www.marins.com.br 5% Anthropos Consulting www.marins.com.br

Leia mais

A pesquisa foi realizada em 65 países. Foram entrevistas, representando mais de 75% da população adulta global.

A pesquisa foi realizada em 65 países. Foram entrevistas, representando mais de 75% da população adulta global. A WIN é uma associação que reúne as maiores empresas independentes de Pesquisa de Mercado do mundo. É uma plataforma global para intercâmbio de negócios internacionais entre mais de 70 países, presentes

Leia mais

Fonte:intervox.nce.ufrj.br/~diniz/d/direito/ ouapostila_portugues_varlinguistica_2.pdf

Fonte:intervox.nce.ufrj.br/~diniz/d/direito/ ouapostila_portugues_varlinguistica_2.pdf Sobre Variação Linguística Você já conversou com uma pessoa simples, que vive na roça? Teve oportunidade de observar como essa pessoa fala? Leia o texto a seguir: Texto I Seu dotô me conhece? Patativa

Leia mais

Bárbara da Silva. Literatura. Modernismo II

Bárbara da Silva. Literatura. Modernismo II Bárbara da Silva Literatura Modernismo II Em 1930 tiveram início os 15 anos de ditadura da ditadura de Getúlio Vargas. Com o intuito de obter o apoio das massas, Vargas adota uma série de medidas populistas,

Leia mais

Confraria do Verso. Recital de Música e Poesia

Confraria do Verso. Recital de Música e Poesia VUVUVU Confraria do Verso Recital de Música e Poesia VUVUVU V Apresentação U A Confraria do Verso é uma intervenção de música e poesia realizada por artistas da palavra, atores e músicos para diversos

Leia mais

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO Curso:Licenciatura em Letras Língua Portuguesa Semestre Letivo / Turno: 6º Semestre Disciplina: Literaturas Étnicas em Língua Professores: José Wildzeiss Neto / Ana Lúcia

Leia mais

Paulo Tumasz Junior. Demografia 2

Paulo Tumasz Junior. Demografia 2 Paulo Tumasz Junior Demografia 2 APRESENTAÇÕES Slides - População Absoluta: Quantitativo de pessoas em um determinado espaço (País, Estado, Cidade e etc); - Populoso: Grande quantidade de habitantes o

Leia mais

MPE INDICADORES Pequenos Negócios

MPE INDICADORES Pequenos Negócios MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil Categorias de pequenos negócios no Brasil MPE Indicadores MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta anual de até R$ 60 mil MICROEMPRESA Receita bruta

Leia mais

Pingos da Língua Portuguesa...

Pingos da Língua Portuguesa... Pingos da Língua Portuguesa... Pequenas doses de Gramática, Literatura e Redação para você... no Rio Branco/Campinas Vol. 8 2011 Gramática & Interpretação de textos Os estudos gramaticais podem auxiliar

Leia mais

PROJETO DE REFORÇO ESCOLAR:

PROJETO DE REFORÇO ESCOLAR: PROJETO DE REFORÇO ESCOLAR: NOS CAMINHOS DA ALFABETIZAÇÃO E DO LETRAMENTO ENSINO FUNDAMENTAL PROJETO: NOS CAMINHOS DA ALFABETIZAÇÃO E DO LETRAMENTO JUSTIFICATIVA: Produzir bons leitores é o grande desafio

Leia mais

Migração. João Vechio Laurent Alphonse Rafael Silva

Migração. João Vechio Laurent Alphonse Rafael Silva Migração João Vechio 076761 Laurent Alphonse - 094876 Rafael Silva 095831 Agenda Histórico Incongruência Comparativa Reflexão Econômica Fluxos Migratórios no Mundo: 2006 Fluxos Migratórios para o Brasil

Leia mais

Palavras-chave: Arranjos domiciliares; Benefício de Prestação Continuada; Idoso; PNAD

Palavras-chave: Arranjos domiciliares; Benefício de Prestação Continuada; Idoso; PNAD Idosos atendidos pelo Benefício de Prestação Continuada (BPC) que vivem em domicílios com outros rendimentos: perfil sociodemográfico e comparação com os idosos que vivem em domicílios com presença de

Leia mais

PROVA TEMÁTICA/2013 GERAÇÃO CONTEMPORÂNEA: desafios e novas possibilidades

PROVA TEMÁTICA/2013 GERAÇÃO CONTEMPORÂNEA: desafios e novas possibilidades PROVA TEMÁTICA/2013 GERAÇÃO CONTEMPORÂNEA: desafios e novas possibilidades 7 ANO / ENSINO FUNDAMENTAL MATRIZ DE REFERÊNCIA DE LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS (LÍNGUA PORTUGUESA, REDAÇÃO, ARTES E

Leia mais

Projeto Literatura Viva. Tema: Nacionalismo

Projeto Literatura Viva. Tema: Nacionalismo Projeto Literatura Viva Tema: Nacionalismo 2017 Justificativa Expressar-se oralmente é algo que requer confiança em si mesmo. Isso se conquista em ambientes favoráveis à manifestação do que se pensa, do

Leia mais

AS DESPESAS DOS GOVERNOS FEDERAL, ESTADUAIS E MUNICIPAIS COM A FUNÇÃO GESTÃO AMBIENTAL EM 2010

AS DESPESAS DOS GOVERNOS FEDERAL, ESTADUAIS E MUNICIPAIS COM A FUNÇÃO GESTÃO AMBIENTAL EM 2010 AS S DOS GOVERNOS FEDERAL, ESTADUAIS E MUNICIPAIS COM A FUNÇÃO AMBIENTAL EM 2010 (Estudo Técnico nº 173) François E. J. de Bremaeker Salvador, maio de 2012 2 AS DESPEAS DOS GOVERNOS FEDERAL, ESTADUAIS

Leia mais

Plano de Trabalho da Ouvidoria UFSJ (2017)

Plano de Trabalho da Ouvidoria UFSJ (2017) Plano de Trabalho da Ouvidoria UFSJ (2017) São João del-rei/mg 2017 1. APRESENTAÇÃO A Ouvidoria UFSJ é um espaço aberto para a comunidade, que recebe e responde manifestações relacionadas às atividades

Leia mais

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: a Literatura no Enem. Literatura Brasileira 3ª série EM Prof.: Flávia Guerra

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: a Literatura no Enem. Literatura Brasileira 3ª série EM Prof.: Flávia Guerra Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: a Literatura no Enem Literatura Brasileira 3ª série EM Prof.: Flávia Guerra Competência de área 4 Compreender a arte como saber cultural e estético gerador de significação

Leia mais

Por que algumas pessoas realizam seus sonhos e outras não?

Por que algumas pessoas realizam seus sonhos e outras não? 2ª Série Militar Segmento: 2º Militar Por que algumas pessoas realizam seus sonhos e outras não? Essa pergunta, aparentemente simples, sempre nos despertou interesse. Passamos boa parte de nossas vidas

Leia mais

AVALIAÇÕES 1⁰ TRIMESTRE DATA AVALIAÇÃO CONTEÚDO. 1/3/16 TABUADA RELÂMPAGO Estudar tabuada de 2 à 9

AVALIAÇÕES 1⁰ TRIMESTRE DATA AVALIAÇÃO CONTEÚDO. 1/3/16 TABUADA RELÂMPAGO Estudar tabuada de 2 à 9 AVALIAÇÕES 1⁰ TRIMESTRE 2016 151 DATA AVALIAÇÃO CONTEÚDO 1/3/16 TABUADA RELÂMPAGO Estudar tabuada de 2 à 9 8/3/16 AVALIAÇÃO DE DITADO DE TEXTO Texto próprio para 5º ano 9/3/16 AVALIAÇÃO DE ENSINO RELIGIOSO

Leia mais

CRÔNICA O Primeiro Dia de Foca 1. Janaína Evelyn Miléo CALDERARO 2 Luana Geyselle Flores de MOURA 3 Macri COLOMBO 4 Faculdade Boas Novas, Manaus, AM

CRÔNICA O Primeiro Dia de Foca 1. Janaína Evelyn Miléo CALDERARO 2 Luana Geyselle Flores de MOURA 3 Macri COLOMBO 4 Faculdade Boas Novas, Manaus, AM CRÔNICA O Primeiro Dia de Foca 1 Janaína Evelyn Miléo CALDERARO 2 Luana Geyselle Flores de MOURA 3 Macri COLOMBO 4 Faculdade Boas Novas, Manaus, AM RESUMO Tendo em vista que a crônica trata-se de uma narrativa

Leia mais

1º ano. Emprego da fala, adequando-a ao contexto comunicativo e ao que se supõe ser o perfil do interlocutor, em função do lugar social que ele ocupa.

1º ano. Emprego da fala, adequando-a ao contexto comunicativo e ao que se supõe ser o perfil do interlocutor, em função do lugar social que ele ocupa. Emprego da fala, adequando-a ao contexto comunicativo e ao que se supõe ser o perfil do interlocutor, em função do lugar social 1º ano Respeito à fala do outro e aos seus modos de falar. texto, com foco

Leia mais

27/11 Valéria (Ciências) Matéria Recuperação final -Astronomia -Sistema Solar -Planetas do Sistema Solar -A lua, nosso satélite natural -A terra, por

27/11 Valéria (Ciências) Matéria Recuperação final -Astronomia -Sistema Solar -Planetas do Sistema Solar -A lua, nosso satélite natural -A terra, por ATIVIDADES PARA CASA 6º ano DATA PROF LIVRO; PÁGINAS; EXERCÍCIO; ETC PRAZO 29/11 Leandro (História) Conteúdo Recuperação Final e REA -Esparta e Atenas -Roma Republicana e Imperial 28/11 Fabrício (Geografia)

Leia mais

AVALIAÇÃO: Instrumentos/ Pesos DOMÍNIOS DE REFERÊNCIA ATIVIDADES/ RECURSOS TEMPO / CALENDARIZAÇÃO OBJETIVOS

AVALIAÇÃO: Instrumentos/ Pesos DOMÍNIOS DE REFERÊNCIA ATIVIDADES/ RECURSOS TEMPO / CALENDARIZAÇÃO OBJETIVOS DOMÍNIOS DE REFERÊNCIA OBJETIVOS ATIVIDADES/ RECURSOS AVALIAÇÃO: Instrumentos/ Pesos TEMPO / CALENDARIZAÇÃO 1.Domínio Intercultural; Domínio intercultural: Entender o desenvolvimento da educação e da cultura

Leia mais

GENEROS TEXTUAIS E O LIVRO DIDÁTICO: DESAFIOS DO TRABALHO

GENEROS TEXTUAIS E O LIVRO DIDÁTICO: DESAFIOS DO TRABALHO GENEROS TEXTUAIS E O LIVRO DIDÁTICO: DESAFIOS DO TRABALHO Fernanda Félix da Costa Batista 1 INTRODUÇÃO O trabalho com gêneros textuais é um grande desafio que a escola tenta vencer, para isso os livros

Leia mais

ESTRUTURA E DINÂMICA DO SETOR PROVEDOR DE SERVIÇOS DE SAÚDE NO BRASIL: UMA ANÁLISE DOS EMPREGOS E SALÁRIOS NA DÉCADA DE 1990

ESTRUTURA E DINÂMICA DO SETOR PROVEDOR DE SERVIÇOS DE SAÚDE NO BRASIL: UMA ANÁLISE DOS EMPREGOS E SALÁRIOS NA DÉCADA DE 1990 Isabel Caldas Borges Mestranda do Programa de Pós Graduação em Economia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Marconi Gomes da Silva Professor Doutor do Departamento de Economia da Universidade

Leia mais

CONTEÚDO DAS AVALIAÇÕES GLOBAIS 1º ANO RECUPERAÇÃO / 2013

CONTEÚDO DAS AVALIAÇÕES GLOBAIS 1º ANO RECUPERAÇÃO / 2013 CONTEÚDO DAS AVALIAÇÕES GLOBAIS 1º ANO Leitura e Interpretação de texto / Gramática: sílabas, número e separação de sílabas / Ortografia: formação de palavras e frases, palavras com R, RR, S, SS, Z, X,

Leia mais

Luiz Marins

Luiz Marins Luiz Marins www.marins.com.br professor@marins.com.br Anthropos Consulting www.marins.com.br Conteúdo da palestra Todos os slides desta palestra estarão disponíveis aos participantes; Solicitar através

Leia mais

JUVENTUDE POR QUE MONITORAR INDICADORES DE JUVENTUDE? Juventude é um segmento da população brasileira de 15 a 29 anos caracterizado por representar um momento da vida com muitas inquietações e descobertas.

Leia mais

Cordel como ferramenta de ensino-aprendizagem em EJA, na disciplina de História

Cordel como ferramenta de ensino-aprendizagem em EJA, na disciplina de História Cordel como ferramenta de ensino-aprendizagem em EJA, na disciplina de História Patricia Maria dos Santos 1 patriciasanto@outlook.com Marinaide Lima de Queiroz Freitas 2 naide12@hotmail.com RESUMO Este

Leia mais

MAPA DE ATIVIDADES AVALIATIVAS DO ENSINO FUNDAMENTAL II TURMA: 6º A BIMESTRE: 3º/2016

MAPA DE ATIVIDADES AVALIATIVAS DO ENSINO FUNDAMENTAL II TURMA: 6º A BIMESTRE: 3º/2016 MAPA DE ATIVIDADES AVALIATIVAS DO ENSINO FUNDAMENTAL II TURMA: 6º A BIMESTRE: 3º/2016 ARTES 29/08 Criar uma pequena história para ser ilustrada. A ser realizada em sala. 05/08 Confecção de brinquedos:

Leia mais

Sobre o Pulso Brasil Ipsos.

Sobre o Pulso Brasil Ipsos. Sobre o Pulso Brasil 1 O que é o Pulso Brasil? É o mais completo monitoramento de opinião pública sobre política, economia, consumo e questões sociais realizado no Brasil. Fornece aos decisores das áreas

Leia mais

ENCAMINHAMENTO TRIMESTRAL DE LÍNGUA PORTUGUESA

ENCAMINHAMENTO TRIMESTRAL DE LÍNGUA PORTUGUESA ESCOLA EVANGELIUM INT/ ET ENCAMINHAMENTO TRIMESTRAL DE LÍNGUA PORTUGUESA CONTEÚDOS QUE SERÃO AVALIADOS UNIDADE / CAPÍTULO CADERNO ANEOS P1 : Versos que encantam Poesia Ortografia: palavras com s/ss/ç/x/sc/sç/c

Leia mais

25/11/2016 IBGE sala de imprensa notícias PNAD 2015: rendimentos têm queda e desigualdade mantém trajetória de redução

25/11/2016 IBGE sala de imprensa notícias PNAD 2015: rendimentos têm queda e desigualdade mantém trajetória de redução PNAD 2015: rendimentos têm queda e desigualdade mantém trajetória de redução fotos saiba mais De 2014 para 2015, houve, pela primeira vez em 11 anos, queda nos rendimentos reais (corrigidos pela inflação).

Leia mais

Controle de natalidade e estrutura etária

Controle de natalidade e estrutura etária Controle de natalidade e estrutura etária GG.10 PAG.06 Teorias o Malthus o Neomathusiana o Reformista As ideias de Malthus 1798, Thomas Malthus alertou que as populações tenderiam a crescer em progressão

Leia mais

do seu consumidor, provocar uma ação e ser fixada em sua memória, pois é preciso lembrar que essa ferramenta está ali para apenas um fim: vender

do seu consumidor, provocar uma ação e ser fixada em sua memória, pois é preciso lembrar que essa ferramenta está ali para apenas um fim: vender 15 INTRODUÇÃO A teledramaturgia tem uma importância única para a televisão brasileira, pois desde seu início na década de 1950, a TV destina grandes espaços de sua programação para produtos como telenovelas,

Leia mais

O JOVEM E O PRIMEIRO VOTO: MITOS E VERDADES

O JOVEM E O PRIMEIRO VOTO: MITOS E VERDADES O JOVEM E O PRIMEIRO VOTO: MITOS E VERDADES Bruna Calonego Orientadora: Pricila Rocha dos Santos RESUMO Este artigo tem por objetivo fazer a reflexão sobre os dados da pesquisa a respeito do jovem e o

Leia mais

PLANEJAMENTO Julho. Professor (a): Janete Neusa Perin NOME DO LIVRO: Objetivo geral:

PLANEJAMENTO Julho. Professor (a): Janete Neusa Perin NOME DO LIVRO: Objetivo geral: PLANEJAMENTO Julho NOME DO LIVRO: Estratégias de outras áreas do conhecimento A BRUXA SALOMÉ Leitura e escrita; Oralidade; Dias da Semana; Rimas. -Desenvolver o gosto pela leitura, valorizando a como fonte

Leia mais

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014 1º Ciclo Metas/Domínios Objetivos gerais Conteúdos Programáticos Critérios 2º Ano Oralidade O2 Comprensão do oral Expressão oral Respeitar regras da interação discursiva Respeitar o princípio de cortesia

Leia mais

Colégio Saber Construindo o conhecimento QSC 12 Lotes 1 e 3, Taguatinga, Brasília - DF Fone:(61)

Colégio Saber Construindo o conhecimento QSC 12 Lotes 1 e 3, Taguatinga, Brasília - DF Fone:(61) Ensino Fundamental II 6º ano PLANO DE ENSINO DISCIPLINA Língua Portuguesa PROFESSOR Ana Paula dos Santos Cabral CARGA HORÁRIA TURMA ANO LETIVO TOTAL SEMANAL 6º A 2017 1.1 Língua: diversidade e unidade

Leia mais

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014 1º Ciclo Metas/Domínios Objetivos gerais Conteúdos Programáticos Critérios 1º Ano Oralidade O1 Comprensão do oral Expressão oral Respeitar regras da interação discursiva Escutar discursos breves para aprender

Leia mais

Escola Básica 2/3 Dr. Vieira de Carvalho. Texto Narrativo e Outros textos 1º e 2º períodos

Escola Básica 2/3 Dr. Vieira de Carvalho. Texto Narrativo e Outros textos 1º e 2º períodos Escola Básica 2/3 Dr. Vieira de Carvalho Planificação de Língua Portuguesa 8º Ano - Ano Lectivo 2008/ 2009 Texto Narrativo e Outros textos 1º e 2º períodos Unidade Temática Conteúdos Competências Específicas

Leia mais

Lúcia Rolim Santana de Freitas, Leila Posenato Garcia, Ana Cláudia Sant Anna, Luís Carlos Garcia de Magalhães, Adriana Pacheco Aurea.

Lúcia Rolim Santana de Freitas, Leila Posenato Garcia, Ana Cláudia Sant Anna, Luís Carlos Garcia de Magalhães, Adriana Pacheco Aurea. Condições de vida das famílias brasileiras e gastos com medicamentos: estudo das desigualdades a partir das Pesquisas de Orçamentos Familiares 2002-2003 e 2008-2009 Eixo: Financiamento dos Sistemas de

Leia mais

Antes de estudarmos os complementos verbais, vamos relembrar alguns conceitos sobre os verbos das orações.

Antes de estudarmos os complementos verbais, vamos relembrar alguns conceitos sobre os verbos das orações. COMPLEMENTO VERBAL CONTEÚDO Complemento verbal Objeto direto Objeto indireto AMPLIANDO SEUS CONHECIMENTOS Antes de estudarmos os complementos verbais, vamos relembrar alguns conceitos sobre os verbos das

Leia mais

Regulamento Lusofonias

Regulamento Lusofonias Regulamento Lusofonias 2013 Rede de Bibliotecas da Mealhada Grupo de Disciplina de Português do AE da Mealhada AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MEALHADA Grupo de Disciplina de Português Bibliotecas Escolares

Leia mais

5. Objetivo geral (prever a contribuição da disciplina em termos de conhecimento, habilidades e atitudes para a formação do aluno)

5. Objetivo geral (prever a contribuição da disciplina em termos de conhecimento, habilidades e atitudes para a formação do aluno) ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 1. Curso: Missão do Colégio: Promover o desenvolvimento do cidadão e, na sua ação educativa,

Leia mais

INDICAÇÕES º ANO AxBxC

INDICAÇÕES º ANO AxBxC INDICAÇÕES 2016-1º ANO AxBxC 1º ANO A / ENS. FUNDAMENTAL ORAÇÃO DO DIA: Pai Nosso / CANÇÃO DO DIA: Bom dia! / elaboração de frases / LÍNGUA PORTUGUESA:Estudo das Págs.183 e 184 da Gramática / ENSINO RELIGIOSO:

Leia mais

A estrutura dos conteúdos curriculares

A estrutura dos conteúdos curriculares A estrutura dos conteúdos curriculares conteúdos da Escola Virtual 4.º ano abrangem todo o programa curricular e estão distribuídos em cinco temas, sendo cada um deles constituído por um conjunto de unidades

Leia mais

PLANO AQUARELA

PLANO AQUARELA PLANO AQUARELA 2007-2010 Evolução do Turismo no Mundo TABELA 1 TENDÊNCIAS DO TURISMO MUNDIAL - ENTRADA DE TURISTAS (MILHÕES) 2003 2004 2005 2006 Previsão 2010 Previsão 2020 MUNDO 694,0 764,0 806,0 842,0

Leia mais

ENEM e Métodos de Estudos. Prof. Franco

ENEM e Métodos de Estudos. Prof. Franco ENEM e Métodos de Estudos Prof. Franco Enem 2014 Perfil dos participantes Total de Inscritos: 8.721.946 Participantes com nota em pelo menos uma área: 6.193.565 Faltosos: 2.528.381 Situação escolar Concluintes

Leia mais

COLÉGIO PEDRO II MEC Exame de Seleção e Classificação 1ª Série do Ensino Médio Integrado Técnico em Instrumento Musical 2014

COLÉGIO PEDRO II MEC Exame de Seleção e Classificação 1ª Série do Ensino Médio Integrado Técnico em Instrumento Musical 2014 COLÉGIO PEDRO II MEC Exame de Seleção e Classificação 1ª Série do Ensino Médio Integrado Técnico em Instrumento Musical 2014 Texto I MÚSICA E POESIA Luciano Cavalcanti 10 1 A relação entre música e poesia

Leia mais

AB 2 1º ANO ENSINO FUNDAMENTAL I

AB 2 1º ANO ENSINO FUNDAMENTAL I AB 2 1º ANO ENSINO FUNDAMENTAL I 09.06 (Segunda) 10.06 (Terça) 11.06 (Quarta) 13.06 (Sexta) - Ortografia j h Gramática páginas 99 a 104. - Ponto de interrogação Gramática páginas 105 a 109. - Ortografia

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º PLANO DE ENSINO 2016 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º 1 - Ementa (sumário, resumo) Fundamentos teórico-metodológicos

Leia mais

SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005.

SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005. SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005. Maria Lúcia Santaella Braga (Catanduva, 13 de agosto de 1944). Pesquisadora brasileira e professora titular

Leia mais

EXERCÍCIOS INTERDISCIPLINARES: MATEMÁTICA & GEOGRAFIA 4º ano

EXERCÍCIOS INTERDISCIPLINARES: MATEMÁTICA & GEOGRAFIA 4º ano EXERCÍCIOS INTERDISCIPLINARES: MATEMÁTICA & GEOGRAFIA 4º ano O Brasil é o quinto maior país do mundo em extensão territorial e ocupa quase a metade da área da América do Sul. Tem 26 estados e um Distrito

Leia mais

Escola EB 2,3 António Feijó Planificação anual de Português 7º ano 2016/2017

Escola EB 2,3 António Feijó Planificação anual de Português 7º ano 2016/2017 Escola EB 2,3 António Feijó Planificação anual de Português 7º ano 2016/2017 1.º período (65 tempos) Unidades (tempos 45 ) / Textos Domínios / Conteúdos Recursos Unidade 0 (7 tempos) Partida largada fugida!

Leia mais

Plano de ensino: CONTEÚDO, METODOLOGIA E PRÁTICA DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA CONTEÚDO, METODOLOGIA E PRÁTICA DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA

Plano de ensino: CONTEÚDO, METODOLOGIA E PRÁTICA DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA CONTEÚDO, METODOLOGIA E PRÁTICA DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA Plano de ensino: CONTEÚDO, METODOLOGIA E PRÁTICA DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA Título Contextualização Ementa Objetivos gerais CONTEÚDO, METODOLOGIA E PRÁTICA DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA A língua portuguesa,

Leia mais

CAPÍTULO 2 QUEM SÃO OS BRASILEIROS? PROF. LEONAM JUNIOR 7º ANO COLÉGIO ARI DE SÁ CAVALCANTE

CAPÍTULO 2 QUEM SÃO OS BRASILEIROS? PROF. LEONAM JUNIOR 7º ANO COLÉGIO ARI DE SÁ CAVALCANTE CAPÍTULO 2 QUEM SÃO OS BRASILEIROS? PROF. LEONAM JUNIOR 7º ANO COLÉGIO ARI DE SÁ CAVALCANTE DIFERENTES ORIGENS, UM SÓ POVO P. 21 Somos um povo miscigenado. Os povos indígenas habitavam esse território.

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Inglês

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Inglês Produção CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Inglês Ensino Básico Ano letivo: 2017/2018 7º ANO Perfil de Aprendizagens Específicas O aluno é capaz: Compreender textos orais e audiovisuais

Leia mais

L ngua Portuguesa INTRODUÇÃO

L ngua Portuguesa INTRODUÇÃO Programação 1º- ao5º-ano INTRODUÇÃO Ser leitor-escritor competente nos dias de hoje é uma das condições básicas para uma participação social efetiva. Assim, cabe à escola rever seus currículos e estar

Leia mais

3. Qual o salário médio inicial? E depois de um certo tempo de formado?

3. Qual o salário médio inicial? E depois de um certo tempo de formado? PUBLICIDADE E PROPAGANDA Questões Gerais: 1. Como é o curso de graduação, ou seja, quais as principais matérias? Elas são interessantes? O Curso de graduação em Publicidade e Propaganda da USP oferece

Leia mais

Gêneros Textuais Acadêmicocientíficos. 3/6/5AD836_1.jpg

Gêneros Textuais Acadêmicocientíficos.  3/6/5AD836_1.jpg Gêneros Textuais Acadêmicocientíficos http://images.quebarato.com.br/photos/thumbs/ 3/6/5AD836_1.jpg Olá, Pessoal, Vamos acompanhar mais uma aula da prof. Alessandra. Hoje falaremos sobre alguns gêneros

Leia mais

Moda íntima na onda das megas liquidações

Moda íntima na onda das megas liquidações Releases Release Moda íntima na onda das megas liquidações Certamente é difícil achar uma mulher que não goste de moda íntima, não é mesmo? E, com certeza, irá gostar mais ainda quando milhares de peças

Leia mais

Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo de Referência da Rede Estadual de Educação de GOIÁS. Português Linguagens em Conexão

Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo de Referência da Rede Estadual de Educação de GOIÁS. Português Linguagens em Conexão Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo de Referência da Rede Estadual de Educação de GOIÁS Português Linguagens em Conexão 2 Caro professor, Este guia foi desenvolvido para ser uma ferramenta

Leia mais

Síntese da Planificação da Disciplina de Língua Portuguesa 6 º Ano

Síntese da Planificação da Disciplina de Língua Portuguesa 6 º Ano Síntese da Planificação da Disciplina de Língua Portuguesa 6 º Ano Período Dias de aulas previstos 2.ª 3.ª 4.ª 5.ª 6.ª 1.º período 13 12 12 12 14 2.º período 10 11 11 12 12 3.º período 8 8 8 8 9 (As Aulas

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa de Português do Ensino Básico, Metas Curriculares de Português do Ensino Básico

Leia mais

PORTUGUÊS ABEL MOTA PREPARAR OS TESTES

PORTUGUÊS ABEL MOTA PREPARAR OS TESTES 7 PORTUGUÊS ABEL MOTA PREPARAR OS TESTES PARTE 1 LEITURA 1 A IMPRENSA 5 6 A imprensa e os jornais Classificação dos jornais Público-alvo Secções Géneros jornalísticos Do acontecimento ao leitor fazer Escolher

Leia mais

COLÉGIO SANTA TERESINHA

COLÉGIO SANTA TERESINHA EU CONFIO COLÉGIO SANTA TERESINHA R. Madre Beatriz 135 Centro Tel. (33) 3341-1244 www.colegiosantateresinha.com.br PLANEJAMENTO DE AÇÕES DA 1ª ETAPA 2017 PROFESSOR (A): Juliana Silva Cordeiro PERÍODO DA

Leia mais

Planificação anual Português 6º ano

Planificação anual Português 6º ano Planificação anual Português 6º ano Unidades / Textos Unidade 0 Leitura 1.º período Domínios / Conteúdos Nº de aulas previstas Começar de novo Apresentação Texto não literário Texto narrativo. 65 Avaliação

Leia mais

Escola Básica 2.3 Martim de Freitas PORTUGUÊS Planificação anual 5ºano. Excerto informativo; excerto narrativo; excerto descritivo; excerto fílmico.

Escola Básica 2.3 Martim de Freitas PORTUGUÊS Planificação anual 5ºano. Excerto informativo; excerto narrativo; excerto descritivo; excerto fílmico. 1º Período (13 semanas) Escola Básica 2.3 Martim de Freitas PORTUGUÊS Planificação anual 5ºano Metas Oralidade Conteúdos Excerto informativo; excerto narrativo; excerto descritivo; excerto fílmico. Leitura

Leia mais

Sistema COC de Educação Unidade Portugal

Sistema COC de Educação Unidade Portugal Sistema COC de Educação Unidade Portugal Ribeirão Preto, de de 2009. Nome: 3 o ano (2 a série) AVALIAÇÃO DE CONTEÚDO DO GRUPO VIII 3 o BIMESTRE Eixo temático Herança social Disciplina/Valor Português 3,0

Leia mais

Medida Provisória nº 676. Brasília, setembro de

Medida Provisória nº 676. Brasília, setembro de Medida Provisória nº 676 Brasília, setembro de 2015 1 Medida Provisória nº 676/2015 A Medida Provisória nº 676/2015 altera a Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, que dispõe sobre os Planos de Benefícios

Leia mais

O envelhecimento da população é um dos maiores triunfos da humanidade. É também um dos nossos maiores desafios.

O envelhecimento da população é um dos maiores triunfos da humanidade. É também um dos nossos maiores desafios. O envelhecimento da população é um dos maiores triunfos da humanidade. É também um dos nossos maiores desafios. Características demográficas do envelhecimento Vera Andrade, 2014 Pirâmide Etária Pirâmide

Leia mais

Interpretação de Textos a Partir de Análises Isoladas

Interpretação de Textos a Partir de Análises Isoladas Interpretação de Textos a Partir de Análises Isoladas Análise Estética (formal) Análise Estilística (figuras de linguagem) Análise Gramatical (morfossintática) Análise Semântica (de significado) Análise

Leia mais

TRABALHO ASSALARIADO NA AGRICULTURA NORDESTINA NO PERÍODO

TRABALHO ASSALARIADO NA AGRICULTURA NORDESTINA NO PERÍODO TRABALHO ASSALARIADO NA AGRICULTURA NORDESTINA NO PERÍODO 2001-08 No período 2001-08, o total de pessoas ocupadas na agricultura nordestina apresentou um quadro de relativa estabilidade. No entanto, houve

Leia mais

Salário Mínimo: trajetória recente

Salário Mínimo: trajetória recente Salário Mínimo: trajetória recente Elevação do SM: conquista das Centrais Sindicais aumentos expressivos em 2005, 2006 e 2007 e política de valorização a partir de 2008 (lei em 2011) Contrariamente à visão

Leia mais

DATA: / / 2012 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7.º ANO/EF

DATA: / / 2012 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7.º ANO/EF SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: / / 0 UNIDADE: III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7.º ANO/EF PROFESSOR(A): VALOR: 0,0 MÉDIA: 6,0 RESULTADO:

Leia mais