Mercado de Derivativos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mercado de Derivativos"

Transcrição

1 Mercado de Derivativos Contratos de Futuros Prof. Bertolo OBJETIVOS definir derivativos; indicar as aplicações práticas das operações com derivativos; apontar as diferenças entre contratos a termo, contratos futuros, contratos de opções e contratos de swaps; nomear os agentes participantes do mercado de derivativo e identificar suas características; descrever uma operação a termo; apontar as deficiências do mercado a termo; definir um contrato futuro; propor a estratégia de abertura ou fechamento de posição no mercado futuro; enunciar as principais especificações de um contrato futuro de dólar; formular a estratégia de entrada e saída no mercado futuro de dólar; avaliar o resultado de uma operação no mercado futuro de dólar. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 2 1

2 Contrato de Futuros Um contrato futuro é um acordo mediante o qual um agente econômico se compromete a comprar ou vender um determinado ativo, em uma data futura, a um preço predeterminado. Diferentemente de um contrato a termo, um futuro é um contrato padronizado e negociados exclusivamente pelas Bolsas. No contrato padronizado, são especificados o ativo objeto de negociação, a quantidade negociada, a data de liquidação e de entrega do ativo. A padronização confere aos contratos futuros maior liquidez que os contratos a termo, o que facilita sua transferência aos demais participantes do mercado. Assim, um detentor de um contrato futuro pode encerrar antecipadamente o compromisso assumido, isto é, fechar sua posição, transferindo o contrato para outro agente,mediante uma operação inversa à que fez originalmente. Dessa forma: um investidor que abre posição comprando futuros, encerra sua posição vendendo contratos futuros; um investidor que abre posição vendendo contratos futuros, encerra sua posição comprando contratos futuros. Graças à padronização, os contratos futuros são importantes instrumentos de transferência de risco. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 3 Mercado Futuro cont... Uma característica do mercado futuro que merece ser destacada é a impessoalidade dos negócios: quando uma operação é realizada, as partes intervenientes no contrato não mais se relacionam entre si, pois a câmara de compensação da Bolsa (a clearing house) assume a parte oposta (contraparte). Em uma operação com futuros, raramente uma operação se encerra com a entrega efetiva do ativo negociado. Geralmente, os contratos são liquidados financeiramente, mediante o pagamento ou recebimento de dinheiro, pela diferença entre o valor de compra e o de venda. Na prática, no mercado de futuros o que se negocia mesmo é o risco de preços (BESSADA, 1995, p.26). De um lado, operam os hedgers, que procuram se proteger das oscilações imprevistas de preços de seus ativos; de outra parte, atuam os especuladores, que compram o risco dos hedgers, responsáveis por proporcionarem liquidez ao mercado. Conforme já citado, a BM&FBOVESPA é a instituição que organiza e mantém o funcionamento do mercado de futuros. Nesse mercado, os contratos futuros são o principal derivativo negociado, representando mais de 90% dos contratos negociados na BM&FBOVESPA (FIGUEIREDO, 2005, p.5). 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 4 2

3 Contratos Futuros Mais Negociados na BM&FBOVESPA Os contratos futuros mais negociados na Bolsa, segundo a quantidade de contratos e volume financeiro, são: 1. DI-1dia: Futuro de juros de CDI-over; 2. DOL: Dólar comercial futuro; 3. IND: Futuro Ibovespa. Os contratos futuros DI-1 dia negociam a taxa de juro efetiva dos depósitos interfinanceiros (DI). Os contratos futuros de dólar comercial negociam a taxa de câmbio de reais por dólar dos Estados Unidos. Os contratos futuros do Ibovespa negociam o índice de ações da BM&FBOVESPA. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 5 Abertura e Fechamento de Posições Um investidor abre uma posição quando entra no mercado futuro, mediante uma ordem de compra ou de venda que dá à sua corretora. O investidor fecha sua posição no mercado futuro realizando (saindo) uma operação inversa à realizada originalmente. Assim: se o investidor abre posição comprando contratos futuros, ele fecha sua posição vendendo contratos futuros de especificação igual ao de abertura de posição. Exemplificando, se em 12 de novembro de 2013 um investidor abre posição comprando 50 contratos futuros de dólar comercial, com vencimento em 01 de dezembro de 2013, ele fecha sua posição vendendo 50 contratos futuros de dólar comercial, com vencimento em 01 de dezembro de 2013; se o investidor abre posição vendendo contratos futuros, ele fecha sua posição comprando contratos futuros com a mesma especificação dos contratos de abertura de posição. Dessa forma, se em 12 de novembro de 2013 um investidor abre posição vendendo 150 contratos futuros de dólar comercial, com vencimento em 04 de janeiro de 2014, ele fecha sua posição comprando 150 contratos futuros de dólar comercial, com vencimento em 04 de janeiro de A operação de fechamento pode ser feita a qualquer instante até o último dia de negociação do contrato. São comuns as operações day trade, aquelas nas quais o investidor abre e fecha posição no mesmo dia. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 6 3

4 O que é Margem de Garantia? A margem de garantia é uma quantia em dinheiro depositada pelos participantes do contrato futuro (comprador e vendedor) com o objetivo de garantir o cumprimento do mesmo. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 7 Codificação dos Futuros O código dos contratos futuros negociados no Mercado BM&F é composto por 06 (seis) caracteres. Esta estrutura indica qual o ativo-objeto, o mês de vencimento e o ano de vencimento. AAAMNN AAA - Ativo-objeto M - Mês de Vencimento NN - Ano de Vencimento A tabela a seguir mostra combinação de caracteres representam o ativo-objeto, e qual letra indica o mês de vencimento das contratos futuros negociados no Mercado BM&F. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 8 4

5 Codificação dos Futuros Código ISU BGI ICF ETN ETH CCM CTM COP CVR CPG OZ1 Ativo Objeto Contrato Futuro de Açúcar Cristal Especial Contrato Futuro de Boi Gordo com Liquidação Financeira Contrato Futuro de Café Arábica Contrato Futuro de Etanol Denominado em Dólar Americano Contrato Futuro de Etanol Hidratado com Liquidação Financeira Contrato Futuro de Milho com Liquidação Financeira Contrato Futuro de Base de Preço de Milho / Triângulo Mineiro (MG) Contrato Futuro de Base de Preço de Milho / Cascavel (PR) Contrato Futuro de Base de Preço de Milho / Rio Verde (GO) Contrato Futuro de Base de Preço de Milho / Paranaguá (PR) Contrato Futuro de Ouro 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 9 Codificação dos Futuros SFI IND BRI IGM IAP Contrato Futuro de Soja com Liquidação Financeira Contrato Futuro de Índice Ibovespa Contrato Futuro de Índice Brasil-50 Contrato Futuro de Índice Geral de Preços do Mercado Contrato Futuro de Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo JSE Contrato Futuro BVMF do Índice FTSE/JSE Top 40 HSI MIX BSE Contrato Futuro BVMF do Índice Hang Seng Contrato Futuro BVMF do Índice MICEX-RTS Contrato Futuro BVMF do Índice SENSEX-BSE ISP Contrato Futuro BVMF do Índice S&P 500 DDI DDM DAP DI1 DIL SCC Contrato Futuro de Cupom Cambial Contrato Futuro de Cupom de IGP-M Contrato Futuro de Cupom de IPCA Contrato Futuro de Taxa Média de Depósitos Interbancários de 1 Dia Contrato Futuro de Taxa Média de Depósitos Interbancários de Longo Prazo Contrato de Swap Cambial com Ajuste Periódico 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 10 5

6 Codificação dos Futuros A18 BC3 BC5 BC7 Contrato Futuro de A-Bond Contrato Futuro de Swap de Crédito de 3 Anos da Dívida Soberana do Brasil Contrato Futuro de Swap de Crédito de 5 Anos da Dívida Soberana do Brasil Contrato Futuro de Swap de Crédito de 7 Anos da Dívida Soberana do Brasil B13 Contrato Futuro de Global Bond Due 2013 B14 Contrato Futuro de Global Bond Due 2014 B15 Contrato Futuro de Global Bond Due 2015 B19 Contrato Futuro de Global Bond Due 2019 B20 Contrato Futuro de Global Bond Due 2020 B24 Contrato Futuro de Global Bond Due 2024 B25 Contrato Futuro de Global Bond Due 2025 B27 Contrato Futuro de Global Bond Due 2027 B30 Contrato Futuro de Global Bond Due 2030 B34 Contrato Futuro de Global Bond Due 2034 B37 Contrato Futuro de Global Bond Due 2037 B40 Contrato Futuro de Global Bond Due /05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 11 Codificação dos Futuros T10 DOL AUD CAD NZD EBR EUR CHF JPY CNY GBP TRY CLP MXN ZAR WBG WCF WDO WEU WIN Contrato Futuro de US Treasury Note de 10 Anos Contrato Futuro de Dólar Americano Comercial Contrato Futuro de Dólar Australiano Contrato Futuro de Dólar Canadense Contrato Futuro de Dólar Neozelandês Contrato Futuro de Euro Contrato Futuro de Euro Contrato Futuro de Franco Suíço Contrato Futuro de Iene Contrato Futuro de Iuan Contrato Futuro de Libra Esterlina Contrato Futuro de Lira Turca Contrato Futuro de Peso Chileno Contrato Futuro de Peso Mexicano Contrato Futuro de Rande Sul-africano Contrato Futuro Mini de Boi Gordo Contrato Futuro Mini de Café Arábica Contrato Futuro Mini de Dólar Americano Comercial Contrato Futuro Mini de Euro Contrato Futuro Mini de Índice Ibovespa 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 12 6

7 Mês de Vencimento dos Futuros Código Vencimento Código Vencimento F JAN N JUL G FEV Q AGO H MAR U SET J ABR V OUT K MAI X NOV M JUN Z DEZ EXEMPLO BGIJ16 - Contrato Futuro de Boi Gordo com vencimento em Abril de 2016 DOLU13 - Contrato Futuro de Dólar Comercial com vencimento em Setembro de /05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 13 Custos Operacionais Sempre que abre e fecha uma posição, o investidor incorre nos seguintes custos operacionais, que devem ser pagos no dia útil seguinte (chamado D+1) ao da realização da operação no pregão da Bolsa. Os custos são constituídos pelas seguintes taxas: taxa de corretagem, também chamada taxa operacional básica, que é paga à corretora. Os percentuais da taxa e bases de cálculo são estabelecidos pela BM&FBOVESPA; taxa de Emolumentos ou Taxa da Bolsa édevidaàbolsaeconstituia receita pelo serviço que presta; taxa de registro. É devida ao governo 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 14 7

8 Mercado Futuro de Dólar Comercial A seguir, desenvolveremos exemplos de operações com futuros de dólar comercial. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 15 Mercado Futuro de Dólar Comercial No mercado futuro da BM&FBOVESPA são negociados os contratos futuros de dólar comercial. Ao operar com contratos futuros de dólar, exportadores e importadores, empresas com ativos a receber em dólares e empresas com obrigações a pagar em dólares podem se proteger do risco de câmbio. Esses contratos são padronizados pela Bolsa quanto ao objeto de negociação, tamanho e data de vencimento. A seguir, resumimos os principais termos do contrato. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 16 8

9 Principais Especificações do Contrato Futuro de Dólar Comercial Objeto de negociação É a taxa de câmbio de reais por dólar dos Estados Unidos, para pronta entrega, contratada nos termos da Resolução 1690/90, do Conselho Monetário Nacional - CMN. Cotação Reais por US$ 1.000,00, com até três casas decimais. Unidade de negociação US$ ,00. Meses de vencimento Todos os meses. Último dia de negociação Último dia útil (dia de pregão) do mês anterior ao mês de vencimento do contrato. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 17 Principais Especificações do Contrato Futuro de Dólar Comercial cont... Data de vencimento Primeiro dia útil (dia de pregão) do mês de vencimento do contrato. Ajuste diário O ajuste diário é calculado de acordo com as seguintes fórmulas: a) Ajuste de operações realizadas na abertura de posição AD = (PA t PO) x M x n b) Ajuste das posições em aberto no dia anterior AD = (PA t PA t-1 ) x M x n a) Ajuste de operações realizadas no fechamento de posição AD = (PA t-1 PO) x M x n em que: O que se faz diariamente com o ajuste AD O valor do ajuste diário, se positivo, é creditado ao comprador e debitado ao vendedor. Caso o valor seja negativo, é debitado ao comprador e creditado ao vendedor. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 18 9

10 Principais Especificações do Contrato Futuro de Dólar Comercial cont... Margem de garantia Ao abrir uma posição, o investidor deve depositar uma margem de garantia na BM&FBOVESPA, que é um valor fixo por contrato, devida em D+1, com redução de 20% para hedgers. A margem serve para cobrir o risco de oscilação de preço de dois ajustes diários e é devolvida ao cliente quando a operação é liquidada. Custos operacionais Ao abrir e ao fechar uma posição, o investidor ainda incorre nos seguintes custos operacionais: a. A Taxa Operacional Básica -TOBéataxa de corretagem estipulada pela BM&F, devendo ser paga no dia seguinte ao da abertura e do fechamento (antes do vencimento do contrato) de posição (D+1) à corretora que intermedeia a operação. O valor da TOB é de 0,20% nas operações normais e de 0,10% nas operações day trade. A taxa operacional básica por contrato incide sobre a seguinte base de cálculo: Base de Cálculo BC = (PA t-1 x M) em que PA t-1 = preço de ajuste do dia anterior, referente ao primeiro vencimento em aberto e M = multiplicador do contrato, estabelecido em 50. b. As Taxas da Bolsa (emolumentos e fundos) correspondem a 1,2% e 0,75% da taxa operacional básica (TOB) para as operações normais e day trade. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 19 Operação Especulativa com Futuros de Dólar Em uma operação especulativa, o investidor aposta em uma alta ou em uma queda na taxa de câmbio, em busca de um ganho financeiro. O investidor que aposta que a cotação do dólar comercial à vista subirá, abre posição comprando contratos futuros. Se sua aposta se confirmar, ele terá um ganho financeiro. Se o dólar cair de preço, ele terá uma perda. O investidor que aposta que o preço do dólar comercial à vista cairá, abre posição vendendo contratos futuros. Se sua aposta se concretizar, ele obterá um ganho financeiro. Se a cotação do dólar subir, ele terá uma perda. De acordo com sua posição líquida para um determinado vencimento no mercado futuro, será classificado como: Short (vendido) quando o nº de contratos vendidos for maior que o nº de comprados no mesmo vencimento; Long (comprado) quando o nº de contratos comprados for maior que o nº de vendidos no mesmo vencimento; 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 20 10

11 Exemplo - Estruturando uma Operação No pregão de 10/05/2013, sexta-feira, um investidor, apostando na alta da taxa de câmbio, compra 30 contratos futuros de dólar futuro DOLM13 (vencto em junho-2013) na abertura do pregão a R$ 2.010,50. O investidor fecha essa posição em 15/05/2013, quarta-feira, no final do pregão, vendendo os 30 contratos a R$ 2.027,00. Durante esse período, a Bolsa realizou os ajustes especificados na Tabela 01: Tabela 01 Mercado Futuro de Dólar Comercial. Valores dos Ajustes Diários (R$/US$ 1.000) Data Cotação de ajuste Cotação de Ajuste por Dia da Semana (R$/US$1.000) ajuste (R$/US$) contrato R$ 09/05/2013 Quinta Feira 2.021,5000 2, /05/2013 Sexta Feira 2.033,6200 2, (R$ 606,00) 13/05/2013 Segunda Feira 2.016,2480 2, R$ 868,60 14/05/2013 Terça Feira 2.022,4650 2, (R$ 310,85) 15/05/2013 Quarta Feira 2.032,7410 2, (R$ 513,80) FONTE: BM&FBovespa (2013) Sistema Pregão Considerando ainda: 1. Margem de Garantia: R$ ,39 por contrato. 2. Taxa Operacional Básica (TOB): 0,2 %. TOB = Taxa x nº de contratos x valor do contrato x ajuste do dia anterior. 3. Taxa de Registro (TR): R$ 0, por contrato. 4. Taxa de Emolumentos (TE): 1,2 % da TOB Apuraremos o ganho ou a perda do investidor nessa operação, mediante o registro das ocorrências que forem se sucedendo dia a dia. SOLUÇÃO Em 13/05/2013: a) Depósito da Margem de Garantia de 0,2% sobre o valor da operação. No cálculo MG = R$ ,39/contrato 30 do valor da operação, utiliza-se a cotação de contratos = R$ ,70 ajuste do dia anterior ao da abertura de b) Pagamento da Taxa Operacional posição. Como o investidor abriu sua posição no Básica dia 10/05, usaremos a cotação de ajuste do dia A taxa operacional básica é calculada 09/05 para converter o valor do dólar em real. aplicando-se o percentual TOB = 0, R$ 2, US$ = R$6.064,50 05/11/ /05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 21 Exemplo - Estruturando uma Operação c) Pagamento da Taxa de Registro TR = R$ 0, = R$ 3,50 d) Pagamento da Taxa de Emolumentos TE = 0,012 R$ 6.064,50 = R$ 72,77 e) Ajuste Diário Lembrando que o ajuste para as operações realizadas no dia é calculado pela expressão AD=(PA t PO)x M x n, em que: PA t = preço de ajuste do dia = preço de ajuste do dia 10/05 = 2.033,6200; PO = preço da operação = preço de abertura de posição = R$ 2.010,50; M = multiplicador do contrato = 50 n = número de contratos = 30 AD = (Ajuste de 10/05 Cotação de abertura de posição) nº de contratos multiplicador do contrato AD = (2.033, ,50) = R$ ,00. Logo, no dia D+1, qual seja 13/05/2013, o investidor tem que depositar a margem de garantia de R$ ,70 e desembolsar (R$6.064,50 + R$3,50 + R$72,77)= 6.140,77. Por outro lado, receberá um crédito em sua conta corrente de (2.033, ,5000)x30x50 = R$ ,00, relativos ao ganho apurado no dia da abertura de posição (10/05/2013). Em 14/05/2013 Ajuste diário = (Ajuste de 13/05/13 ajuste de 10/05/13) nºde contratos multiplicador do contrato. AD = (2.016, ,6200) = (R$ ,00). No dia 14/05/2013, a Bolsa apurou uma perda de R$ ,00 na posição do investidor, que lhe serão debitados em sua conta corrente. Em 15/05/2013 (fechamento de posição) AD = (Ajuste de 14/05/13 ajuste de 13/05/13) nº de contratos multiplicador do contrato. AD = (2.022, ,2480) = R$ 9.325,50. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 22 11

12 Exemplo - Estruturando uma Operação Em 16/05/2013 (Liquidação financeira) Neste dia, é efetuada a liquidação financeira relativa ao fechamento de posição, que ocorreu no dia anterior. O investidor faz o pagamento dos custos e a Bolsa apura o ganho ou perda na posição do dia anterior. Também é feita a devolução da Margem de Garantia. a. Pagamento da Taxa Operacional Básica 14/05/2013 dia anterior à venda TOB = 0, R$ 2.022, = R$ 6.067,39 b. Pagamento da Taxa de Registro TR = R$ 0, = R$ 3,50 c. Pagamento da Taxa de Emolumentos TE = 0,012 R$ 6.067,39 = R$ 72,81 d. Ajuste Diário AD = (valor de venda ajuste de (14/05/13) nº de contratos multiplicador do contrato. AD = (2.027, ,4650) = R$ 6.802,50 (ganho). Dessa forma, no dia 16/15/2013 serão debitados na conta do investidor R$ 6.067,39 + R$ 3,50 + R$ 72,81 = R$ 6.143,70, valor esse relativo ao pagamento dos custos operacionais mas será creditado R$ 6.802,50 relativo ao ganho de ajuste diário verificado no dia de encerramento de posição. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 23 Exemplo - Estruturando uma Operação A conta corrente do investidor registrou as seguintes movimentações: Tabela 02 Movimentação da conta corrente do investidor Data Histórico Débito Crédito Saldo TOB 6.064,50 Tx Registro 3,50 13/05/2013 Tx Emolumentos 72,77 AD , ,23 14/05/2013 AD , ,23 15/05/2013 AD 9.325, ,73 TOB 6.067,39 Tx Registro 3,50 16/05/2013 Tx Emolumentos 72,81 AD 6.802, ,53 Custos Operacionais Custos Operacionais ,00 (26.058,00) 9.325, , ,00 No exemplo, o investidor teve um ganho líquido de R$ ,53, ganho esse decorrente de uma aposta acertada: o investidor formou uma expectativa de que a taxa de câmbio aumentaria, e, de fato, essa expectativa se confirmou. As altas da taxa de câmbio acarretou um gsnho na operação com o contrato futuro. Atente para o fato de que a soma dos ajustes diários totaliza R$ ,00, que é o valor do ganho apurado na operação se desprezarmos os custos operacionais. Observe também que o investidor comprou US$ (equivalentes a 30 contratos), a R$ 2,01050/US$, e vendeu a mesma quantidade de dólares por R$ 2,027000/US$, o que resultou em ganho de R$ ,00, valor esse igual à soma dos ajustes diários. Conforme se vê no exemplo, o ajuste diário de posições, com liquidação financeira no dia útil seguinte, permite que o resultado da operação um ganho ou uma perda seja distribuído ao longo do período em que o contrato permaneça em aberto. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 24 12

13 Operação de Hedging com Dólar Futuro Estudaremos, agora, duas situações em que os agentes econômicos usam o mercado futuro para se protegerem contra oscilações na taxa de câmbio. Posição Comprada (long) Os agentes econômicos que desejam se proteger contra uma desvalorização do real frente ao dólar, tais como empresas importadoras e empresas que possuem obrigações a pagar em dólares, devem abrir posição comprando contratos futuros de dólar comercial. Assim, se houver uma desvalorização maior do real no período, a empresa que efetuou a operação de hedge comprará os dólares ao preço da operação no mercado futuro na data zero, não sofrendo os efeitos da desvalorização. (FIGUEIREDO, 2005, p.15). 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 25 Outro Exemplo A Cia. Fertilizantes Terrafértil S.A. importou de um país europeu um importante mineral usado na fabricação de fertilizantes. O valor da importação atingiu US$ No dia 30/11/2009, a empresa fechará o câmbio. No dia 03/11/2009, o dólar comercial estava cotado, no mercado à vista, a R$ 1,7744. Se fechasse o câmbio no dia 03/11, a empresa desembolsaria R$ 1,7744/US$ US$ = R$ ,00. Quantos reais a empresa desembolsará em 30/11? SOLUÇÃO - Depende da cotação que o dólar alcançar em 30/11. Se o dólar subir acima de R$1,7744, a empresa desembolsará uma quantia superior a R$ ,00; se o dólar cair abaixo de R$ 1,77744, a empresa desembolsará uma quantia inferior a R$ ,00. Para se proteger de uma alta do dólar, suponhamos que a empresa comprasse 5 contratos de dólar futuro DEZ09 a R$ 1.787,00/US$ 1.000, isto é, ao câmbio de R$ 1,787. Imaginemos, agora, que em 30/11/2009 o dólar, no mercado à vista, estivesse cotado a R$ 1,80. Qual seria o resultado da operação? A empresa pagaria a importação, desembolsando US$ R$ 1,80 = R$ ,00. A empresa obteria um ganho na operação de hedging igual a (1,80-1,787) US$ = R$ 3.250,00. O desembolso líquido com a importação seria de R$ ( , ,00) = R$ ,00. Atente para esse resultado, que é igual US$ R$ 1,787 = R$ ,00. Esse resultado nos mostra que: Ao fazer a operação no mercado futuro, a empresa conseguiu travar a taxa de câmbio em R$ 1,787. O ganho financeiro obtido no hedging compensou a perda ocasionada pela variação da taxa de câmbio. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 26 13

14 Posição Vendida (short) Os agentes econômicos que desejam se proteger contra uma queda da taxa de câmbio, como empresas exportadoras e empresas que têm ativos a receber em dólares, devem abrir posição vendendo contratos futuros de dólar comercial. Dessa forma, se houver uma desvalorização do real no período, a empresa que efetuou a operação de hedge venderá os dólares ao preço da operação no mercado futuro na data zero, não sofrendo os efeitos da valorização. (FIGUEIREDO, 2005, p.16). Diz-se que um investidor está com posição vendida ou short quando, em determinado momento, o número de contratos vendidos é maior que o número de contratos comprados 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 27 Mais um Exemplo A Cia. Lacustre de Confecções S.A. exporta biquínis para o mercado norte-americano. Em 30/11/2009, fechará o câmbio relativo a uma exportação no valor de US$ ,00. Para se proteger de uma valorização do real frente ao dólar, no dia 03/11/2009, a empresa abre posição vendendo 10 contratos futuros de dólar DEZ09 a R$ 1.787,00/US$ 1.000, isto é, ao câmbio de R$ 1,787. Suponhamos que em 30/11/2009 o dólar, no mercado à vista, estivesse cotado a R$ 1,76. Qual seria o resultado da operação? SOLUÇÃO No fechamento do câmbio, a empresa receberia U$ R$ 1,76/US$ = R$ ,00. Apuraria um ganho na operação de hedging igual a R$(1,787 1,76) US$ = R$ O resultado final da operação seria R$ ,00 + R$ ,00 = R$ ,00 quantia esta correspondente a US$ R$ Em resumo, ao operar no mercado futuro, a empresa conseguiu garantir a taxa de câmbio de R$ 1,787, mediante um ganho que compensou a perda decorrente da queda do dólar. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 28 14

15 DERIVATIVOS AGROPECUÁRIOS 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 29 Por que a agropecuária opera no Mercado Futuro? Pelas razões que já elencamos até agora, ou seja: Garantia de preço Venda antecipada Troca insumo-produto Empresa quer garantir compra de matéria-prima Especulação A agricultura é responsável por cercade1/3da riqueza gerada no país. Insumos Produção Processamento Varejo máquinas, adubos, sementes, etc. agricultura, pecuária, etc. frigoríficos, agroindústria, usinas, etc. supermercados, fast-food, etc. Antes da porteira a montante Dentro da porteira a montante Depois da porteira a jusante Depois da porteira a jusante 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 30 15

16 Riscos associados ao agronegócio Mercado associado à volatilidade de preços Cambial vinculado às oscilações da moeda Taxa de juros variações nas taxa de juros podem inviabilizar e onerar operações financeiras devido a custo financeiro diferente do previamente calculado Base relacionado ao preço à vista (spot) e futuro da commodity Crédito devido a incapacidade de uma das partes em honrar seus contratos na data prefixada Liquidez devido à dificuldade em negociar um ativo rapidamente para prevenir ou diminuir perdas TÉCNICAS BÁSICAS de GESTÃO de RISCO Retenção do risco, significa absorver o risco e cobrir as perdas com os próprios recursos Prevenção de perdas e controle, providências tomadas para reduzir a probabilidade de perdas e a variabilidade de resultados Transferência de risco para outro, pode ser através de hedge, seguro e diversificação. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 31 Algumas características das commodities Padronização Pouca perecibilidade Mercado razoavelmente grande Fluxo livre de negociação, onde o preço possa refletir oferta x demanda Condição de matéria-prima ou pouco elaborada para não ser afetada por falhas na cadeia Bear = Urso Bull = Boi X Mercado Bearish Mercado Bullish 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 32 16

17 Características dos Derivativos Agropecuários Permite que se obtenham estimativas de preço futuro, diminuindo os riscos da atividade econômica; Padronização dos contratos; Padronização da qualidade; Diminui a sazonalidade de preços entre safras; Difusão de preços; Transparência nas negociações, maior credibilidade; Possibilidade de encerramento antecipado da operação; Aproxima-se da competição perfeita; Convergência do desenho às necessidades dos traders. A clearing (câmara de compensção) garante a operação; São mecanismos alternativos de precificação, mas eles não servem como fontes de oferta e procura de commodities físicas; Não podem e nem foram desenvolvidos para substituir os mercados físicos. Na verdade o mercado físico e o mercado futuro são complementarese não substitutos, onde o hedging é o mecanismo que os liga; A correlação de preços entre os mercados futuros e o físico geralmente é alta; A atividade agropecuária apresenta-se com características específicas que a diferencia dos setores industrial e comercial, caracterísitcas essas relacionadas a fatores adversos: clima, sazonalidade, doenças e pragas. 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 33 Derivativos Agropecuários na BM&F 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 34 17

18 Exemplo Básico de Hedge de Venda Suponha um produtor de soja em Ponta Grossa que está para iniciar o plantio de soja em 15 de setembro de 2013 e está preocupado com uma possível queda de preços até março de 2014 quando deverá colher o produto. Ele dá uma ordem para o seu corretor VENDER 10 contratos futuros de soja na BM&F com vencimento em março de Após a ordem o corretor conseegue vender a U$ 31,44/saca. Por enquanto, vamos considerar que o preço praticado em Ponta Grossa é o mesmo da Bolsa (base zero) PREÇO OBJETIVO = Preço Futuro + Base Preço Objetivo = 31, = US$ 31,44/saca 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 35 Diagrama de Retorno (Posição Vendida) SHORT A soja caiu! A soja subiu! 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 36 18

19 Exemplo Básico de Hedge de Compra Uma cooperativa localizada em Ponta Grossa já assinou um contrato de exportação de soja em grão para uma indústria na União Européia em setembro de 2013 e está preocupada que o preço da soja SUBA até março de Como esta coperativa não trabalha com contrato a termo, faria então uma operação de hedge de comprra para garantir o preço da matéria-prima, digamos a US$ 31,44/saca Por enquanto, vamos considerar que o preço praticado em Ponta Grossa é o mesmo da Bolsa (base zero) PREÇO OBJETIVO = Preço Futuro + Base Preço Objetivo = 31, = US$ 31,44/saca 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 37 Legenda LEGENDA Cód. Mês Cód. Mês F Janeiro N Julho G Fevereiro Q Agosto H Março U Setembro J Abril V Outubro K Maio X Novembro M Junho Z Dezembro 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 38 19

20 Leitura e interpretação de Informações BM&F Volume Geral 06/02/13 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 39 Leitura e interpretação de Informações BM&F Vencimento: mês de vencimento do contrato Número de contratos na abertura do pregão (abertos) indica a liquidez do mercado Número de contratos no fechamento do pregão (abertos) Volume em reais (nº de negócios x valor médio da saca x 450 sacas) 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 40 20

21 Entendendo os Ajustes Diários Data Operação Preço Negociado Preço Ajuste 10/05 V13N13 30,33 30,17 Sábado e Domingo 13/05 p/ Julho ,49 14/05 C13N13 30,63 30,51 Prova (short vendido) PAGA Ajuste para o vendido AD = -(PA t PO) x tamanho x n AD = -(PA t PA t-1 ) x tamanho x n AD = +(PA t-1 PO) x tamanho x n AT = -(P final P inicial ) x tamanho x n comprou em 2013 =-(P final - P inicial )x450x10 = ,00 A cotação subiu!! o vendido paga e o comprado recebe Ajuste para o comprado AD = +(PA t PO) x tamanho x n AD = +(PA t PA t-1 ) x tamanho x n AD = -(PA t-1 PO) x tamanho x n AT = (P final P inicial ) x tamanho x n Ajuste Total AD=-(30,17-30,33)x450x10 = 720,00 AD=-(30,49-30,17)x450x10 = ,00 AD=+(30,49-30,63)x450x10 = 630,00 Fluxo de Caixa 720, (-1.440) = -720, = ,00 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 41 Regrinhas Básicas Comprado (long) paga se os preços caem, recebe se os preços sobem Vendido (short) recebe se os preços caem, paga se os preços sobem Regra Geral: se o mercado for contra, você recebe, se for a seu favor, você paga! Por isso ele protege!! De onde vem os recursos? Do comprador e do vendedor, a Bolsa fica no meio garantindo o sistema!!! 27/05/2013 Bertolo - Mercado de Derivativos 42 21

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO...1 CAPÍTULO 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MERCADOS FUTUROS..5 CAPÍTULO 3 MERCADO FUTURO DE DÓLAR COMERCIAL...

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO...1 CAPÍTULO 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MERCADOS FUTUROS..5 CAPÍTULO 3 MERCADO FUTURO DE DÓLAR COMERCIAL... SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO..................................1 CAPÍTULO 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MERCADOS FUTUROS..5 2.1 Introdução...........................................5 2.2 Posições.............................................6

Leia mais

PRODUTOS AUTORIZADOS PARA NEGOCIAÇÃO EM MERCADO DE BOLSA OU BALCÃO ORGANIZADO

PRODUTOS AUTORIZADOS PARA NEGOCIAÇÃO EM MERCADO DE BOLSA OU BALCÃO ORGANIZADO PRODUTOS AUTORIZADOS PARA NEGOCIAÇÃO EM MERCADO DE BOLSA OU BALCÃO ORGANIZADO 1. SEGMENTO BM&F Contratos Derivativos Ouro Futuro de Ouro (OZ1) Opção de Compra sobre Disponível Padrão Ouro Opção de Venda

Leia mais

Operações com derivativos (item 7 do edital BB)

Operações com derivativos (item 7 do edital BB) Operações com derivativos (item 7 do edital BB) Prof.Nelson Guerra set / 2012 INTRODUÇÃO Os preços gerais das mercadorias agrícolas, das taxas de juros e do câmbio têm-se mostrado altamente instável no

Leia mais

5/3/2012. Derivativos. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho

5/3/2012. Derivativos. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho Derivativos Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho 1 Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho Currículo Economista com pós-graduação em Finanças pela FGV-SP, mestrado em Administração pela PUC-SP

Leia mais

Apostila Mercado de Capitais Uninove. Parte XI Os Derivativos

Apostila Mercado de Capitais Uninove. Parte XI Os Derivativos Apostila Mercado de Capitais Uninove Parte XI Os Derivativos 1 Fundamentos dos Derivativos 2 O que são Derivativos? Os Instrumentos financeiros: Um instrumento financeiro é qualquer contrato que dá origem

Leia mais

Mercado a Termo e Futuro de Dólar: Estratégias de Hedge

Mercado a Termo e Futuro de Dólar: Estratégias de Hedge Mercado a Termo e Futuro de Dólar: Estratégias de Hedge 1 Hedge no Mercado a Termo No Brasil, são muito comuns as operações a termo real/dólar. Empresas importadoras, exportadoras, com dívidas ou ativos

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com História Antes do dólar a moeda de referência internacional era a Libra Esterlina, pois a Inglaterra era a grande economia mundial. Somente após a segunda

Leia mais

Contratos Derivativos. Futuro de Soja Brasil

Contratos Derivativos. Futuro de Soja Brasil Contratos Derivativos Futuro de Soja Brasil Futuro de Soja Brasil Proteja o seu preço e administre os riscos da produção O produto A produção de soja atende a uma cadeia de diversos produtos acabados derivados

Leia mais

Perguntas Freqüentes Operações em Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F)

Perguntas Freqüentes Operações em Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) 1. O que é contrato futuro? É um acordo entre duas partes, que obriga uma a vender e outra, a comprar a quantidade e o tipo estipulados de determinada commodity, pelo preço acordado, com liquidação do

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com História do Milho - Os primeiros registros do cultivo datam de 7.300 anos - Origem Americana: litoral do México - Nome, de origem indígena, significa "sustento

Leia mais

O QUE É HEDGE E COMO ELE FUNCIONA

O QUE É HEDGE E COMO ELE FUNCIONA O QUE É HEDGE E COMO ELE FUNCIONA! O que é hedge?! Como estar protegido de um eventual prejuízo de uma operação financeira da empresa no futuro?! Como podemos hedgear uma operação efetuada em dólar?! Como

Leia mais

Derivativos Prática. Igor Forte Pedro Jonas

Derivativos Prática. Igor Forte Pedro Jonas Derivativos Prática Igor Forte Pedro Jonas Jul/2013 Mini-case 1 Hedge com DOL Dólar Usado para transferência de risco cambial em US$. Empresas importadoras exportadoras e/ou com ativos e passivos indexados

Leia mais

FUTUROS DE AÇÚCAR E ÁLCOOL

FUTUROS DE AÇÚCAR E ÁLCOOL FUTUROS DE AÇÚCAR E ÁLCOOL Bolsa de Mercadorias & Futuros Apresentação Este folheto tem por objetivo apresentar aspectos técnicos e operacionais ligados aos mercados futuros de açúcar e álcool negociados

Leia mais

Mercado de Capitais e seu Papel Indutor no Desenvolvimento do Agronegócio

Mercado de Capitais e seu Papel Indutor no Desenvolvimento do Agronegócio Mercado de Capitais e seu Papel Indutor no Desenvolvimento do Agronegócio Fabio Dutra Diretor Comercial e de Desenvolvimento de Mercados 16/06/2015 1 AGENDA DESAFIOS DO AGRONEGÓCIO MERCADO DE CAPITAIS

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com O que é o Índice Futuro Para falar de índice futuro, primeiro precisamos falar do ÍNDICE no presente, que é o Ibovespa. O famoso índice que serve para medir

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS. Bolsas de Valores ou de Mercadorias. Cronologia da criação dos mercados de bolsas no mundo e no Brasil

MERCADO DE CAPITAIS. Bolsas de Valores ou de Mercadorias. Cronologia da criação dos mercados de bolsas no mundo e no Brasil MERCADO DE CAPITAIS Prof. Msc. Adm. José Carlos de Jesus Lopes Bolsas de Valores ou de Mercadorias São centros de negociação onde reúnem-se compradores e vendedores de ativos padronizados (ações, títulos

Leia mais

Míni de Dólar WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você.

Míni de Dólar WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você. Míni de Dólar WEBTRADING É acessível. É descomplicado. É para você. FUTURO WEBTRADING EM UM CLIQUE O futuro em um clique Com apenas um clique, você pode negociar minicontratos. O acesso ao WTr é simples,

Leia mais

DERIVATIVOS DE Balcão. Termo de Moedas

DERIVATIVOS DE Balcão. Termo de Moedas DERIVATIVOS DE Balcão Termo de Moedas Termo de Moedas Registro de negociação de taxas de câmbio ou de paridade futura O produto O Contrato a Termo de Moedas possibilita a negociação de taxa de câmbio ou

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com Boi - Mercado Mercado de Boi gordo - Brasil: * Maior exportador mundial, * Consumo interno: mais de 70%, * Maior rebanho comercial, * Perda de área para outras culturas. - Mundo:

Leia mais

Apresentação. Este folheto tem por objetivo apresentar aspectos técnicos e operacionais ligados aos contratos de câmbio negociados na BM&F.

Apresentação. Este folheto tem por objetivo apresentar aspectos técnicos e operacionais ligados aos contratos de câmbio negociados na BM&F. MERCADO DE CÂMBIO Apresentação Este folheto tem por objetivo apresentar aspectos técnicos e operacionais ligados aos contratos de câmbio negociados na BM&F. Vale ressaltar que o câmbio futuro pode ser

Leia mais

Fundamentos de Mercado Futuro e de Opções no Agronegócio

Fundamentos de Mercado Futuro e de Opções no Agronegócio Fundamentos de Mercado Futuro e de Opções no Agronegócio Quais alternativas um produtor rural tem para diminuir os riscos de preços na hora de vender sua safra? Modelo tradicional: contato direto com o

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de Boi Gordo

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de Boi Gordo CONTRATOS DERIVATIVOS Futuro de Boi Gordo Futuro de Boi Gordo Ferramenta que permite a gestão financeira do risco existente nas operações realizadas no mercado físico. O Contrato Futuro de Boi Gordo é

Leia mais

Míni de Ibovespa WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você.

Míni de Ibovespa WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você. Míni de Ibovespa WEBTRADING É acessível. É descomplicado. É para você. WEBTRADING O futuro em um clique Com apenas um clique, você pode negociar minicontratos. O acesso ao WTr é simples, rápido e seguro.

Leia mais

Diretoria de Agronegócios

Diretoria de Agronegócios Proteção de Preços no Mercado Agropecuário Renato Barreto Riscos da atividade agropecuária Climáticos e/ou intempéries Preço Crédito... Mitigadores de Risco de Preço Risco: Oscilação nos preços das mercadorias

Leia mais

Critérios para a Apuração dos Preços de Ajuste e Prêmios das Opções de Compra e de Venda Setembro 2015

Critérios para a Apuração dos Preços de Ajuste e Prêmios das Opções de Compra e de Venda Setembro 2015 Critérios para a Apuração dos Preços de Ajuste e Prêmios das Opções de Compra e de Venda Setembro 2015 Informamos os procedimentos a serem aplicados durante o mês de setembro 2015 para a apuração dos preços

Leia mais

Programa de Formação de Investidores no Mercado de Ações

Programa de Formação de Investidores no Mercado de Ações Programa de Formação de Investidores no Mercado de Ações Conheça o Mercado Futuro Sumário É proibido transmitir, afixar, distribuir, armazenar, retransmitir, ou reproduzir, ainda que fragmentados, imagens

Leia mais

taxa de câmbio de reais por dólar dos Estados Unidos da

taxa de câmbio de reais por dólar dos Estados Unidos da Contrato Futuro de Boi Gordo com Liquidação Financeira Especificações 1. Definições Contrato: termos e regras específicos sob os quais os negócios serão realizados e liquidados. Day trade compra e venda,

Leia mais

Guia Rápido. Como negociar Commodities Agrícolas. Leandro Benitez

Guia Rápido. Como negociar Commodities Agrícolas. Leandro Benitez Guia Rápido Como negociar Commodities Agrícolas Leandro Benitez O objetivo deste artigo é apresentar-lhe os princípios dos contratos agrícolas para que você possa iniciar suas negociações neste segmento.

Leia mais

OPERAÇÕES PRÁTICAS DE MERCADO DE DERIVATIVOS NO BRASIL

OPERAÇÕES PRÁTICAS DE MERCADO DE DERIVATIVOS NO BRASIL OPERAÇÕES PRÁTICAS DE MERCADO DE DERIVATIVOS NO BRASIL AUTORES: Marcelo Cabus Klötzle André Cabus Klötzle Antônio Carlos Figueiredo - 1 - CAPÍTULO 1 - Introdução 1) Contextualização: Este livro, diferente

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro BVMF de Standard & Poor s 500 (S&P 500)

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro BVMF de Standard & Poor s 500 (S&P 500) CONTRATOS DERIVATIVOS Futuro BVMF de Standard & Poor s 500 (S&P 500) Futuro de S&P 500 Solução unificada para administração de risco ou alavancagem relativa a um portfólio diversificado de ações de primeira

Leia mais

Bolsa de Mercadorias & Futuros

Bolsa de Mercadorias & Futuros OPERAÇÕES EX-PIT Bolsa de Mercadorias & Futuros Apresentação Este folheto tem por objetivo apresentar aspectos técnicos e operacionais ligados aos negócios ex-pit. O que é a operação ex-pit, para que

Leia mais

ANÁLISE DE RISCO DERIVATIVOS. Prof.ª Me. Cláudia Bomfá Caldas 6/11/2012. Fundamentos de Risco e Retorno Derivativos: tipos, participantes e mercados.

ANÁLISE DE RISCO DERIVATIVOS. Prof.ª Me. Cláudia Bomfá Caldas 6/11/2012. Fundamentos de Risco e Retorno Derivativos: tipos, participantes e mercados. ANÁLISE DE RISCO E DERIVATIVOS Prof.ª Me. Cláudia Bomfá Caldas 09.11.2012 OBJETIVOS DA AULA Fundamentos de Risco e Retorno Derivativos: tipos, participantes e mercados. 1 Relembrando a aula de VAR... O

Leia mais

Participantes dos Mercados da BM&FBOVESPA Segmentos BOVESPA e BM&F

Participantes dos Mercados da BM&FBOVESPA Segmentos BOVESPA e BM&F 01 de julho de 2016 061/2016-DO C O M U N I C A D O E X T E R N O Participantes dos Mercados da BM&FBOVESPA Segmentos BOVESPA e BM&F Ref.: Registro da BM&FBOVESPA pela U.S. Commodity Futures Trading Commission

Leia mais

Fernando Nogueira da Costa Professor do IE- UNICAMP h2p://fernandonogueiracosta.wordpress.com/

Fernando Nogueira da Costa Professor do IE- UNICAMP h2p://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Fernando Nogueira da Costa Professor do IE- UNICAMP h2p://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Estrutura da apresentação 2 Breve histórico Os Mercados Futuros no mundo têm sua história diretamente vinculada

Leia mais

Derivativos Agropecuários Mercado Futuro

Derivativos Agropecuários Mercado Futuro 1 Índice 1. INTRODUÇÃO...Pág. 01 2. A BM&FBOVESPA...Pág. 01 3. CONCEITOS DE MERCADO À VISTA E MERCADOS DE DERIVATIVOS...Pág. 01 4. DIFERENÇA ENTRE MERCADO BALCÃO, ORGANIZADO, NÃO ORGANIZADO, E MERCADO

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA SEMANA DE 21 A 25 DE SETEMBRO de 2009 Semana de preço estável no mercado de Boi Gordo no Rio Grande do Sul, com o preço encerrando a semana a R$ 4,61/kg carcaça.

Leia mais

CARACTERÍSTICAS OPERACIONAIS DOS MERCADOS 239 questões com gabarito

CARACTERÍSTICAS OPERACIONAIS DOS MERCADOS 239 questões com gabarito 239 questões com gabarito FICHA CATALOGRÁFICA (Catalogado na fonte pela Biblioteca da BM&F BOVESPA Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros) CARACTERÍSTICAS OPERACIONAIS : 239 questões com gabarito. São

Leia mais

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas Tributação Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas 1 Índice Imposto de Renda para Mercado de Opções 03 Exemplos de Apuração dos Ganhos Líquidos - Antes do Exercício

Leia mais

Luciano de Souza Vacari Mercado Futuro Hedging e Opções Novembro/2006

Luciano de Souza Vacari Mercado Futuro Hedging e Opções Novembro/2006 Luciano de Souza Vacari Mercado Futuro Hedging e Opções Novembro/2006 O que é uma Bolsa de Futuros? Local organizado para administrar risco; Organização sem fins lucrativos; Dar visibilidade nos preços;

Leia mais

Capítulo 6 Parte B Mercados Derivativos

Capítulo 6 Parte B Mercados Derivativos Capítulo 6 Parte B Mercados Derivativos 6.B.1 Apresentação do capítulo Neste capítulo, são apresentados detalhes da forma como os diferentes mercados derivativos sobre ativos financeiros e commodities

Leia mais

Mercados Futuros (BM&F)

Mercados Futuros (BM&F) Neste segmento de mercado se negociam contratos e minicontratos futuros de ativos financeiros ou commodities. Ou seja, é a negociação de um produto que ainda não existe no mercado, por um preço predeterminado

Leia mais

GUIA SOBRE RISCOS DE RENDA VARIÁVEL V1. 04_2012

GUIA SOBRE RISCOS DE RENDA VARIÁVEL V1. 04_2012 AO FINAL DESTE GUIA TEREMOS VISTO: GUIA SOBRE RISCOS DE RENDA VARIÁVEL V1. 04_2012 O objetivo deste material é prestar ao investidor uma formação básica de conceitos e informações que possam auxiliá-lo

Leia mais

Gestão Tesouraria e Derivativos Prof. Cleber Rentroia MBA em Gestão Financeira Avançada

Gestão Tesouraria e Derivativos Prof. Cleber Rentroia MBA em Gestão Financeira Avançada 1. O direito de compra de um ativo, a qualquer tempo, pelo respectivo preço preestabelecido, caracteriza uma opção? a) Européia de venda b) Européia de compra c) Americana de venda d) Americana de compra

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Opção sobre Futuro de Boi Gordo

CONTRATOS DERIVATIVOS. Opção sobre Futuro de Boi Gordo CONTRATOS DERIVATIVOS Opção sobre Futuro de Boi Gordo Opção sobre Futuro de Boi Gordo O Contrato de Opção sobre Futuro de Boi Gordo com Liquidação Financeira foi lançado pela BM&FBOVESPA, em 22/07/1994,

Leia mais

Tendências comerciais da pecuária de corte no cenário muncial

Tendências comerciais da pecuária de corte no cenário muncial Tendências comerciais da pecuária de corte no cenário muncial Ivan Wedekin Diretor de Produtos do Agronegócio e Energia ENIPEC Encontro Internacional dos Negócios da Pecuária 1 Brasil o gigante da pecuária

Leia mais

Derivativos FIDC - Diagnóstico e Perspectivas. Mercados IBEF PAULO LAMOSA BERGER. Instrumentos do Mercado Financeiro. Mercados.

Derivativos FIDC - Diagnóstico e Perspectivas. Mercados IBEF PAULO LAMOSA BERGER. Instrumentos do Mercado Financeiro. Mercados. Mercados Derivativos IBEF PAULO LAMOSA BERGER 1 Instrumentos do Mercado Financeiro Emissão Os ativos de renda fixa são emitidos de forma escritural e registrados em Sistemas de Custódia. Existem no Brasil

Leia mais

CONTRATO FUTURO DE AÇÚCAR CRISTAL COM LIQUIDAÇÃO FINANCEIRA. Especificações

CONTRATO FUTURO DE AÇÚCAR CRISTAL COM LIQUIDAÇÃO FINANCEIRA. Especificações CONTRATO FUTURO DE AÇÚCAR CRISTAL COM LIQUIDAÇÃO FINANCEIRA Especificações 1. Definições Hedgers: Preço de ajuste (PA): PTAX: Taxa de câmbio referencial BM&FBOVESPA: Dia útil: comitentes que negociam o

Leia mais

Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição

Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição Ao comprar uma opção, o aplicador espera uma elevação do preço da ação, com a valorização do prêmio da opção. Veja o que você, como aplicador, pode fazer: Utilizar

Leia mais

O MERCADO FUTURO E SUAS APLICAÇÕES

O MERCADO FUTURO E SUAS APLICAÇÕES O MERCADO FUTURO E SUAS APLICAÇÕES MESA DE OPERAÇÕES BM&F "O único homem que nunca comete erros é aquele que nunca faz coisa alguma. Franklin Roosevelt 1 Prezado (a) Investidor (a), Esse texto foi elaborado

Leia mais

Capítulo 6 Parte A Mercados Derivativos

Capítulo 6 Parte A Mercados Derivativos Capítulo 6 Parte A Mercados Derivativos 6.A.1 Apresentação do capítulo Nesta unidade, é abordado o estudo dos diferentes tipos de mercados derivativos. O objetivo deste capítulo é dar ao leitor uma visão

Leia mais

Critérios para a Apuração dos Preços de Ajuste e Prêmios das Opções de Compra e de Venda Setembro 2012

Critérios para a Apuração dos Preços de Ajuste e Prêmios das Opções de Compra e de Venda Setembro 2012 Critérios para a Apuração dos Preços de Ajuste e Prêmios das Opções de Compra e de Venda Setembro 2012 Informamos os procedimentos a serem aplicados durante o mês de setembro de 2012 para a apuração dos

Leia mais

César Frade Finanças Aula 02

César Frade Finanças Aula 02 César Frade Finanças Aula 02 Olá Pessoal. Estamos nós aqui mais uma vez para tentar entender essa matéria. Concordo que a sua compreensão não é das mais fáceis, mas vocês terão que concordar comigo que

Leia mais

Mercado de Derivativos

Mercado de Derivativos Mercado de Derivativos Prof. Cid Roberto prof.bancario@gmail.com 8141-4045 I. Mercado de Derivativos 1. Conceito de Derivativos 2. Mercado a Termo 2.1 Mercado a Termo de Derivativos Sobre Commodities 2.2

Leia mais

INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM. Rafael Ribeiro Vinhal

INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM. Rafael Ribeiro Vinhal INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM Rafael Ribeiro Vinhal COFFEE EXPORT - HEDGE CAMBIAL VIA MERCADO FUTURO DE DÓLAR São Paulo 2012 Rafael Ribeiro Vinhal Coffee

Leia mais

2 Contratos Futuros Agropecuários no Brasil

2 Contratos Futuros Agropecuários no Brasil 2 Contratos Futuros Agropecuários no Brasil A presente seção apresenta as commodities agrícolas negociadas no mercado futuro brasileiro. Além disso, revela a estrutura básica dos contratos futuros e traça

Leia mais

Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO ADVERTÊNCIA AO INVESTIDOR Risco de perda súbita total, superior ou parcial do capital investido Remuneração não garantida Existência de comissões Possibilidade de exigência

Leia mais

Mercado de Derivativos $

Mercado de Derivativos $ Mercado de Derivativos SWAPS Prof. Bertolo O que são SWAPS? São acordos estabelecidos entre duas partes visando a uma troca de fluxos de caixa futuros (sem trocar o principal) por um certo período de tempo.

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA MONOGRAFIA DE FINAL DE CURSO ANÁLISE DOS MERCADOS FUTUROS DE CÂMBIO NO BRASIL Carlos Fernando Martins Miranda Nº de matrícula:

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA O mês de março de 2015 foi marcado pelo anúncio dos principais resultados da economia de 2014 e deste início de 2015. Dentre eles destacaramse o PIB, taxa de desemprego nas principais

Leia mais

FUTUROS DE SOJA E MILHO

FUTUROS DE SOJA E MILHO FUTUROS DE SOJA E MILHO Bolsa de Mercadorias & Futuros Apresentação Este folheto tem por objetivo apresentar aspectos técnicos e operacionais ligados aos mercados de soja e milho negociados na BM&F. O

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas quarta-feira, 18 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 133,50 0,00 0,00-4,85 SET13 111,05 114,75 111,10-3,75

Leia mais

Negociação de contratos futuros e de opções de milho na BVMF

Negociação de contratos futuros e de opções de milho na BVMF Negociação de contratos futuros e de opções de milho na BVMF Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Milho e Sorgo 11 de março de 2010 Agenda 1 Características do Mercado de Milho 2 Contratos Futuros e

Leia mais

Novos produtos e serviços para o agronegócio. Ivan Wedekin

Novos produtos e serviços para o agronegócio. Ivan Wedekin Novos produtos e serviços para o agronegócio Ivan Wedekin Agenda 1 Evolução do mercado de derivativos 2 Financeirização dos contratos agropecuários 3 Novos produtos e serviços para o agronegócio Mercado

Leia mais

Manual de Apreçamento da BM&FBOVESPA

Manual de Apreçamento da BM&FBOVESPA Classificação das Informações [ ] Confidencial [ ] Uso Interno [ x ] Uso Público ÍNDICE CONTRATOS FUTUROS FINANCEIROS E AGROPECUÁRIOS... 3 1. CONTRATOS FUTUROS SOBRE ATIVOS FINANCEIROS... 3 1.1. Contrato

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Opções sobre Futuro BVMF de Standard & Poor s (S&P 500)

CONTRATOS DERIVATIVOS. Opções sobre Futuro BVMF de Standard & Poor s (S&P 500) CONTRATOS DERIVATIVOS Opções sobre Futuro BVMF de Standard & Poor s (S&P 500) Opções sobre Futuro de S&P 500 Diversifique o seu portfólio com derivativos que possuem exposição no mercado financeiro internacional

Leia mais

Seminário: O impacto da Lei no. 11.638/2007 no fechamento das Demonstrações Financeiras de 2008. CT.Cláudio Morais Machado Conselheiro CFC

Seminário: O impacto da Lei no. 11.638/2007 no fechamento das Demonstrações Financeiras de 2008. CT.Cláudio Morais Machado Conselheiro CFC Seminário: O impacto da Lei no. 11.638/2007 no fechamento das Demonstrações Financeiras de 2008 CT.Cláudio Morais Machado Conselheiro CFC Instrumento Financeiro: Derivativo DEFINIÇÃO (com base no CPC 14)

Leia mais

PRODUTOS DE COMMODITIES. Guia auto-didático para Hedge com Futuros e Opções de grãos e sementes oleaginosas

PRODUTOS DE COMMODITIES. Guia auto-didático para Hedge com Futuros e Opções de grãos e sementes oleaginosas PRODUTOS DE COMMODITIES Guia auto-didático para Hedge com Futuros e Opções de grãos e sementes oleaginosas Em um mundo de volatilidade crescente, o CME Group é o local onde todos os negociantes congregam

Leia mais

CURSO PRÁTICO MINI CONTRATO XP Interfloat Ago/ 2014

CURSO PRÁTICO MINI CONTRATO XP Interfloat Ago/ 2014 CURSO PRÁTICO MINI CONTRATO XP Interfloat Ago/ 2014 A História da BM&F Uma história de Sucesso criada em Junho de 1985. Constituída sob a forma de sociedade por ações. Desenvolver, organizar e operacionalizar

Leia mais

Contratos Diferenciais CFDs: Contracts For Difference

Contratos Diferenciais CFDs: Contracts For Difference Contratos Diferenciais CFDs: Contracts For Difference PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO ADVERTÊNCIA AO INVESTIDOR Risco de perda súbita total, superior ou parcial do capital investido Remuneração não garantida

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS. 4 o. ANO DE ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO, REFERENTE À 2 A. AVALIAÇÃO.

MERCADO DE CAPITAIS. 4 o. ANO DE ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO, REFERENTE À 2 A. AVALIAÇÃO. MERCADO DE CAPITAIS 4 o. ANO DE ADMINISTRAÇÃO MATERIAL DE ACOMPANHAMENTO DAS AULAS PARA OS ALUNOS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, REFERENTE À 2 A. AVALIAÇÃO. PROFESSOR FIGUEIREDO SÃO PAULO 2007 Mercado de Capitais

Leia mais

Commodities são produtos básicos padronizados. A palavra deriva do inglês e

Commodities são produtos básicos padronizados. A palavra deriva do inglês e Commodities são produtos básicos padronizados. A palavra deriva do inglês e significa mercadoria. É usado para designar bens sem diferenciação (por não possuírem valor agregado), e são habitualmente extraídas

Leia mais

Instituto Educacional BM&F. MERCADO FUTURO: Conceitos e Definições

Instituto Educacional BM&F. MERCADO FUTURO: Conceitos e Definições Instituto Educacional BM&F MERCADO FUTURO: Conceitos e Definições São Paulo, 2007 FICHA CATALOGRÁFICA (Catalogado na fonte pela Biblioteca da BM&F Bolsa de Mercadorias & Futuros) B67m Mercado futuro: conceitos

Leia mais

Capítulo 6 Parte A Mercados Derivativos

Capítulo 6 Parte A Mercados Derivativos Capítulo 6 Parte A Mercados Derivativos 6.A.1 Apresentação do capítulo Nesta unidade, é abordado o estudo dos diferentes tipos de mercados derivativos. O objetivo deste capítulo é dar ao leitor uma visão

Leia mais

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS O que é? uma operação A TERMO É a compra ou a venda, em mercado, de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado,

Leia mais

TAXAS DE JURO. 1. Contrato Futuro de Taxa Média de Depósitos Interfinanceiros de Um Dia 01 a 03

TAXAS DE JURO. 1. Contrato Futuro de Taxa Média de Depósitos Interfinanceiros de Um Dia 01 a 03 TAXAS DE JURO ÍNDICE Contratos Pag. 1. Contrato Futuro de Taxa Média de Depósitos Interfinanceiros de Um Dia 01 a 03 2. Alterado pelo Ofício Circular 015/2002-DG, DE 01/02/2002 04 3. Novos procedimentos

Leia mais

Reiteradas Vendas Pressionam a Curva Futura das Cotações do Café 1

Reiteradas Vendas Pressionam a Curva Futura das Cotações do Café 1 % v. 10, n. 5, maio 2015 Reiteradas Vendas Pressionam a Curva Futura das Cotações do Café 1 A elevação da taxa SELIC anunciada pelo Comitê de Política Monetária (COPOM) na última quarta-feira do mês de

Leia mais

Material complementar à série de videoaulas de Opções.

Material complementar à série de videoaulas de Opções. Apostila de Opções Contatos Bradesco Corretora E-mail: faq@bradescobbi.com.br Cliente Varejo: 11 2178-5757 Cliente Prime: 11 2178-5722 www.bradescocorretora.com.br APOSTILA DE OPÇÕES Material complementar

Leia mais

Pessoa Jurídica: Agentes Financeiros (Fundos e Tesourarias)

Pessoa Jurídica: Agentes Financeiros (Fundos e Tesourarias) PERFIL DOS CLIENTES Pessoa Física: Investidores Pessoa Jurídica: Agentes Financeiros (Fundos e Tesourarias) ATUAÇÃO Não Financeiros (Exportadores, Tradings, Indústria) Não Residentes (Agentes Financeiros,

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de IGP-M

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de IGP-M CONTRATOS DERIVATIVOS Futuro de IGP-M Futuro de IGP-M Ferramenta de gerenciamento de risco contra a variação do nível de preços de diversos setores da economia O produto Para auxiliar o mercado a se proteger

Leia mais

MERCADOS FUTUROS DE COMMODITIES AGROPECUÁRIAS

MERCADOS FUTUROS DE COMMODITIES AGROPECUÁRIAS MERCADOS FUTUROS DE COMMODITIES AGROPECUÁRIAS Márcio Aleixo da Cruz Graduado em Administração pela UFRRJ Rod. BR 465, Km 07 - Seropédica - RJ - CEP 23.890-000 Marcelo Alvaro da Silva Macedo Professor da

Leia mais

Bolsa de Mercadorias e Futuros

Bolsa de Mercadorias e Futuros Bolsa de Mercadorias e Futuros Mercado de Capitais Origens das Bolsas de mercadoria No Japão em 1730, surgiu o verdadeiro mercado futuro de arroz(que já era escritural), chamado chu-aí-mai, foi reconhecido

Leia mais

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS Como Investir no Mercado a Termo 1 2 Como Investir no Mercado a Termo O que é? uma OPERAÇÃO A TERMO É a compra ou a venda, em mercado, de uma determinada quantidade

Leia mais

FUTURO E OPÇÕES DE CAFÉ ARÁBICA

FUTURO E OPÇÕES DE CAFÉ ARÁBICA FUTURO E OPÇÕES DE CAFÉ ARÁBICA Bolsa de Mercadorias & Futuros Apresentação Este folheto tem por objetivo apresentar aspectos técnicos e operacionais ligados aos mercados futuro e de opções de café arábica

Leia mais

Bom Dia Commodities. Commodities. 12 de Agosto, 2013. Café

Bom Dia Commodities. Commodities. 12 de Agosto, 2013. Café Bom Dia Café Semana positiva para o café. Finalmente saiu a medida que os produtores estavam esperando. A presidente Dilma anunciou que enxugará do mercado 3 milhões de sacas em março/14 a R$346,00/saca

Leia mais

O que é e como funciona uma operação de swap

O que é e como funciona uma operação de swap O que é e como funciona uma operação de swap! O que é Swap! O que é Hedge! Mecanismo básico de funcionamento de uma operação de Swap Autores: Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br)! Administrador de Empresas

Leia mais

MERCADOS DE 11 DERIVATIVOS

MERCADOS DE 11 DERIVATIVOS MERCADOS DE 11 DERIVATIVOS 11. Mercados de Derivativos 11.1. Conceitos Básicos Derivativos é o nome dado à família de mercados em que operações com liquidação futura são realizadas, tornando possível a

Leia mais

Apresentação. Edemir Pinto Diretor Geral

Apresentação. Edemir Pinto Diretor Geral FUTURO DE DI Apresentação Este folheto tem por objetivo apresentar aspectos técnicos e operacionais ligados ao mercado futuro de taxa de juro negociado na BM&F. O que é o contrato futuro de DI, para que

Leia mais

DOS DERIVATIVOS E SEUS MERCADOS

DOS DERIVATIVOS E SEUS MERCADOS XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de outubro

Leia mais

Características e Utilização para Hedge

Características e Utilização para Hedge CAPÍTULO 3 Mercados Futuros: Características e Utilização para Hedge Os mercados futuros possibilitam a redução de risco dos agentes econômicos, de forma semelhante aos mercados a termo. Eles podem ser

Leia mais

Mercado a Termo e Futuro I. Contratos a Termo. Contrato a Termo Standard. Prf. José Fajardo. Fundação Getulio Vargas-EBAPE

Mercado a Termo e Futuro I. Contratos a Termo. Contrato a Termo Standard. Prf. José Fajardo. Fundação Getulio Vargas-EBAPE Mercado a Termo e Futuro I Prf. José Fajardo Fundação Getulio Vargas-EBAPE Contratos a Termo O Contrato a Termo é um acordo OTC (Over The Counter), é dizer negociado no Mercado de Balcão, entre 2 companhias

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas CAFÉ CAFÉ Bolsas BM&F ICE FUTURES Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação SET13 136,80 136,50 135,80-1,80 SET 113,50 115,70 113,25-1,45

Leia mais

Aplicação (1 + idi) t/n F = S(1 + idi) t=0 1 2 n-1 n. Risco cambial

Aplicação (1 + idi) t/n F = S(1 + idi) t=0 1 2 n-1 n. Risco cambial Comércio e Finanças Internacionais Prof. José Alfredo A. Leite 8c. MERCADO DE CUPÕES CAMBIAIS (Dólar doméstico) 1 Cupões Cambiais São aplicações financeiras em dólares teóricos, chamados de dólares domésticos.

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Assunto: Derivativos Prof. Ms Keilla Lopes

Assunto: Derivativos Prof. Ms Keilla Lopes Assunto: Derivativos Prof. Ms Keilla Lopes Graduada em Administração pela UEFS Especialista em Gestão Empresarial pela UEFS Mestre em Administração pela UFBA Assunto: DERIVATIVOS Objetivos da aula: Conceito

Leia mais

UMe Sobre a Um Investimentos

UMe Sobre a Um Investimentos UMe Sobre a Um Investimentos A UM INVESTIMENTOS é uma instituição financeira independente e atua no mercado financeiro há 44 anos. Atualmente é a maior corretora de investimentos brasileira nas redes sociais,

Leia mais

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi...

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi... Page 1 of 8 Aplicações Financeiras - Renda Fixa e Renda Variável 617 Quais são as operações realizadas nos mercados financeiro e de capital? Nesses mercados são negociados títulos, valores mobiliários

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas segunda-feira, 23 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 134,55 0,00 0,00 0,00 DEZ13 117,75 121,95 121,50-1,25

Leia mais

INFORMAÇÕES REFERENTES À VENDA DOS PRODUTOS OFERECIDOS PELA ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. (CNPJ/MF N 62.178.

INFORMAÇÕES REFERENTES À VENDA DOS PRODUTOS OFERECIDOS PELA ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. (CNPJ/MF N 62.178. INFORMAÇÕES REFERENTES À VENDA DOS PRODUTOS OFERECIDOS PELA ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. (CNPJ/MF N 62.178.421/0001-64) O cliente, devidamente qualificado em sua ficha cadastral,

Leia mais

ESALQ USP Cuiabá. Praticas de Trading. Carlos Alberto Widonsck 25/03/2011

ESALQ USP Cuiabá. Praticas de Trading. Carlos Alberto Widonsck 25/03/2011 ESALQ USP Cuiabá Praticas de Trading Carlos Alberto Widonsck 25/03/2011 Apresentação Engenheiro Elétrico FAAP Especialização de Matemática Financeira Aplicada FGV MBA em Derivativos - USP Atuação no mercado

Leia mais

3 A forma de funcionamento do mercado cambial

3 A forma de funcionamento do mercado cambial 27 3 A forma de funcionamento do mercado cambial Neste Capítulo, apresentar-se-á a forma de funcionamento do mercado cambial, algumas das suas principais instituições, seus participantes e algumas especificidades

Leia mais