O Analista só na dupla analítica: da (contra)-trans-ferência às. A psicanálise é um processo em que a relação analista/analisando é vivida com

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Analista só na dupla analítica: da (contra)-trans-ferência às. A psicanálise é um processo em que a relação analista/analisando é vivida com"

Transcrição

1 O Analista só na dupla analítica: da (contra)-trans-ferência às transformações. Eixo temático 3 A psicanálise é um processo em que a relação analista/analisando é vivida com intensidade pela dupla, seja no âmbito da fala, como de outras possibilidades de comunicação. Isto quer dizer que a presença dos participantes é condição fundamental para que se dê um trabalho desta natureza. A presença pode significar ausência, como também a fala pode significar silêncio. Destacarei aspectos onde o interjogo da transferência e contratransferência onde Ana (paciente) demonstrando suas capacidades intelectuais e comportamento eficientes, método utilizado para se manter viva desde seus mais remotos tempos de criança e a constatação de que esses métodos não a auxiliaram na sua melhor qualidade de vida, pois se não assim realmente, como explicar a dor enorme que sentia e a necessidade de mudanças.

2 Para que isto pudesse se dar no processo analítico, tentou e conseguiu impor uma enorme dor e sofrimento ao analista, reflexo de sua tão frágil personalidade, comunicação interpessoal não verbal. O que fazer num vôo cego onde a maior interessada estava obscurecendo ainda mais a visão, por pouca que eu pudesse ter? Seria possível entender o que se passava com esta senhora apenas pela presença/ausência, sem que o analista preenchesse com fatos e lembranças da sua própria mente? Deixado só com sua mente. Quero introduzir a questão de como a contratransferência pode se tornar um radar, se bem utilizado, na condição de continuar com a função analítica. Desenvolvimentos Paula Heimann (1949) Sobre a contratransferência expande mais além o significado desta condição: (contratransferência)...para designar a totalidade dos sentimentos que o analista vivencia em relação ao seu paciente. Mais adiante em seu artigo escreve: Minha tese é que a resposta emocional do analista a seu paciente dentro da situação analítica representa uma das ferramentas mais importantes para seu trabalho. A contratransferência do analista é um instrumento de investigação dirigido ao inconsciente do paciente. Surge a proposta de Bion de Transformações (1965) que a meu ver expande além da polêmica e cria a sucessão de transformações dentro da sessão analítica, onde

3 a presença do paciente e do analista numa sala é o suficiente para deflagrar séries de ações e re-ações de ambas as partes. Neste sentido, o campo formado mais parece uma arena e espera-se que o/a analista tenha condições de entrar neste campo e nos momentos oportunos poder se referir às experiências vivenciadas por ele, nos termos de praticar a função analítica, proposta nesta situação. Situação complexa na medida em que duas pessoas numa sala de análise têm versões particulares sobre o que se passa na sessão analítica. O analista também vive em estados de alucinose durante a sessão o que o impede muitas vezes de se aproximar do objeto psicanalítico com sua função plena de observação. Jacobs, T (1986) On countertransference enacments a observação da mútua influência entre pacientes e analistas, acabando por vez com o mito da neutralidade do analista. Pesquisa feita nos últimos anos Dunn, J. (1995) nos remete à oposição entre o positivismo e da intersubjetividade na relação analítica, positivismo ligado à transferência clássica e intersubjetividade valorizando a relação da dupla. Ogden, T. (1992,a 1992b e 1994) trabalha tentando integrar estes dois conceitos. Considera-se que o analista é capaz de situar-se de forma suficientemente objetiva fora da vida psíquica do paciente e pode identificar os constituintes dos

4 processos mentais do paciente que são vistos em operação dentro do paciente, relativamente independentes do clínico. De Bernardi, Beatriz de Leon (2002), Eizirik, e outros (2008) fazem parecer que esta noção se aplica aos supervisores tanto quanto aos analistas e aos investigadores. Manfredi,S (1998) é mais uma inspiração para pensarmos sobre o desenvolvimento da técnica. Há muito mais continuidade entre as partes psicóticas e não-psicóticas das personalidades do analista e do paciente do que a impressionante caesura da transferência/contratransferência poderia nos indicar, hoje sabemos claramente que a mãe vive a mente de seu bebê desde quando este ainda não nasceu. Nós, analistas, temos a oportunidade de presenciar o nascimento psíquico de nossos pacientes durante o processo psicanalítico, o que obviamente não coincide com o nascimento físico. Feliz é a dupla que pode se recuperar de estados primitivos onde tanto analista como paciente se vêem envolvidos por partes psicóticas e não psicóticas de suas personalidades. O analista só no processo psicanalítico. E nem poderia deixar de ser só, embora com toda a sua bagagem de formação e sua estrutura cultural, familiar possa dar algum conforto, na hora da sessão; é, como disse acima, uma arena onde se trava uma batalha entre as partes

5 primitivas e não primitivas das personalidades ali presentes, confrontar a doença e seu doente diante da cura (amadurecimento psíquico), viagem inversa do adoecer psíquico. A contratransferência e o uso desta, como instrumento valioso para guiar a cegueira do analista. No Ensaio sobre a Cegueira, José Saramago, traz situação semelhante a do analista numa sala de análise, que no meu modo de ver, precisa desenvolver um radar para estes momentos. Hoje estamos lidando, diferentemente de nossos pioneiros, com situações fronteiriças; sabemos ser portadores de áreas primitivas e áreas mais desenvolvidas, o que nos coloca sempre na fronteira entre o louco e o saudável. Eigen,M.(2007) apresenta sua compreensão sobre o louco Id,o louco Ego e o louco Superego. Estas instâncias se iniciam com a satisfação alucinatória de desejos e punições baseadas em vértices morais de extrema crueldade. Se assim é, a base de nossas vidas é a satisfação alucinatória de desejos como tentativa de escapar da dor psíquica. Assim, o destino de um psicanalista é experimentar conviver com a dor, e ainda fazendo desta dor sua matéria prima de transformações para prover seu paciente de condições de suportabilidade! Bibliografia Bion, W.R (1965) Transformações. Argentina Centro Editor de America Latina

6 De Bernardi, B de L.(2002) Contratransferencia:Uma perspectiva a partir da América Latina Dunn, J.(1995) Intersubjetividade em Psicanálise:Uma Revisão Crítica. INT. J. Psycho-Anal.(1995),76,4. Eigen, M. (2007) Conferências em Seul. Texto apresentado em lista de Bioncollective, moderador John Stone. Eizirik, C e outros (2008) Abordagem da contratransferência na supervisão psicanalítica:uma investigação qualitativa.livro Anual de Psicanálise(2008),XXI, Heimann, Paula (1949) Sobre a Contratransferência Rev.Psicanál., Porto Alegre,v.2,n.1,171-76,1995. Jacobs, T (1986) On coutertransference enactments. J.Amer.Psycoanal.Assn., 34: Manfredi, Stefania (1998) As certezas perdidas da Psicanálise, Editora Imago.R de Janeiro. Ogden, T. (1992a) The dialectally constituted decentred subject of psychoanalisis.i:the Freudian subject.int. J. Psychoanal..,73:

7 Ogden,T. (1992,b) The dialectally constituted decentred subject of psychoanalisis.ii:the contributions of Klein and Winncott. Int. J. Psychoanal.,73: Ogden,T (1994) The analytic third:working with intersubjective clinical facts.\int.j. Psychoanal..,75:3-19. Saramago, J (1996) O Ensaio sobre a Cegueira. Companhia Das Letras. Resumo O artigo reintroduz a polêmica situação do trabalho analítico ser definido pela posição do analista ser neutra ou de que é impossível a atividade do psicanalista sem a participação dos sentimentos evocados na relação. Estuda um caso extremo de atividade da relação analista/analisando, onde a relação desperta no analista sentimentos de dor movidos pela analisanda para se evadir de lidar com a própria dor mental. A conclusão é que seria impossível o trabalho analítico sem que o analista se utilizasse de seus sentimentos como radar para conhecer o que se passa com o analisando. Descritores: contratransferência,transformações,dinâmica da relação analista/analisando, dor mental.

8

DA INTERPRETAÇÃO À CONSTRUÇÃO DE SIGNIFICADOS NA PSICANÁLISE INFANTIL

DA INTERPRETAÇÃO À CONSTRUÇÃO DE SIGNIFICADOS NA PSICANÁLISE INFANTIL DA INTERPRETAÇÃO À CONSTRUÇÃO DE SIGNIFICADOS NA PSICANÁLISE INFANTIL Guiomar Papa de Morais 1 Breve histórico da técnica de Psicanálise Infantil: Freud desenvolveu um importante corpo teórico a partir

Leia mais

Lembro de uma cena em especial, no Hospital Psiquiátrico Cyro Martins, que muito

Lembro de uma cena em especial, no Hospital Psiquiátrico Cyro Martins, que muito UM TÊNUE LIMIAR... 1 Graciella Leus Tomé Lembro de uma cena em especial, no Hospital Psiquiátrico Cyro Martins, que muito me chocou. Foi a internação de uma jovem senhora, mãe, casada, profissão estável,

Leia mais

Loucura Mito e Realidade

Loucura Mito e Realidade Loucura Mito e Realidade Carmem Dametto Loucura Mito e Realidade 1ª Edição POD Petrópolis KBR 2012 Edição de texto Noga Sklar Editoração: KBR Capa KBR Copyright 2012 Carmem Dametto Todos os direitos reservados

Leia mais

CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DA CONTRATRANSFERÊNCIA NA PSICOTERAPIA ANALÍTICA

CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DA CONTRATRANSFERÊNCIA NA PSICOTERAPIA ANALÍTICA CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DA CONTRATRANSFERÊNCIA NA PSICOTERAPIA ANALÍTICA Greice Cristina Scatambulo¹; Maria Goreti Manchini da Costa¹; Maria Neuza Zambonato Parente¹; Sandra Alves de Oliveira Herek¹;

Leia mais

O AUTISMO NA PSICANÁLISE E A QUESTÃO DA ESTRUTURA Germano Quintanilha Costa 1

O AUTISMO NA PSICANÁLISE E A QUESTÃO DA ESTRUTURA Germano Quintanilha Costa 1 O AUTISMO NA PSICANÁLISE E A QUESTÃO DA ESTRUTURA Germano Quintanilha Costa 1 I Introdução O objetivo deste trabalho é pensar a questão do autismo pelo viés da noção de estrutura, tal como compreendida

Leia mais

de pacientes adultos, desde o início as questões relativas à infância nortearam as suas

de pacientes adultos, desde o início as questões relativas à infância nortearam as suas 9 1. PSICANÁLISE DE CRIANÇAS 1.1 Freud: uma criança é abordada Embora a pesquisa original de Freud tenha se desenvolvido a partir da análise de pacientes adultos, desde o início as questões relativas à

Leia mais

Feminilidade e Violência

Feminilidade e Violência Feminilidade e Violência Emilse Terezinha Naves O tema sobre a violência e a feminilidade apresenta-se, nas mais diversas áreas do conhecimento, como um tema de grande interesse, quando encontramos uma

Leia mais

PSICOTERAPIA INFANTIL

PSICOTERAPIA INFANTIL PSICOTERAPIA INFANTIL Claudia Ribeiro Boneberg 1 Demarcina K. Weinheimer 2 Ricardo Luis V. de Souza 3 Ramão Costa 4 Me. Luiz Felipe Bastos Duarte 5 1 TEMA Psicoterapia psicanalítica infantil 1.1 DELIMITAÇÃO

Leia mais

Sobre a intimidade na clínica contemporânea

Sobre a intimidade na clínica contemporânea Sobre a intimidade na clínica contemporânea Flávia R. B. M. Bertão * Francisco Hashimoto** Faculdade de Ciências e Letras de Assis, UNESP. Doutorado Psicologia frbmbertao@ibest.com.br Resumo: Buscou-se

Leia mais

A tradição traditio-onis remete à 'entrega', à 'transmissão', deriva de tradère: transmitir, entregar.

A tradição traditio-onis remete à 'entrega', à 'transmissão', deriva de tradère: transmitir, entregar. 29 Congresso Latino-Americano de Psicanálise Invenção - Tradiçào Tradição e invenção no tornar-se psicanalista Adriana Sorrentini Pensar o complexo tema da formação psicanalítica à luz da proposta do Congresso

Leia mais

Seminários Psicanalíticos 2014

Seminários Psicanalíticos 2014 Seminários Psicanalíticos 2014 CONSIDERAÇÕES SOBRE O MUNDO MENTAL BODERLINE: Teoria e manejo técnico Mara Guimarães Pereira Lima Degani Breve histórico Borderline = Limítrofe = Fronteiriço Conhecidos também

Leia mais

MOURA, Marisa Decat de (ORG). Psicanálise e hospital 3 Tempo e morte: da urgência ao ato analítico. Revinter: Rio de Janeiro, 2003.

MOURA, Marisa Decat de (ORG). Psicanálise e hospital 3 Tempo e morte: da urgência ao ato analítico. Revinter: Rio de Janeiro, 2003. MOURA, Marisa Decat de (ORG). Psicanálise e hospital 3 Tempo e morte: da urgência ao ato analítico. Revinter: Rio de Janeiro, 2003. Prefácio Interessante pensar em um tempo de começo. Início do tempo de

Leia mais

IX JORNADA CELPCYRO Sobre Saúde Mental JUNHO DE 2012.

IX JORNADA CELPCYRO Sobre Saúde Mental JUNHO DE 2012. IX JORNADA CELPCYRO Sobre Saúde Mental JUNHO DE 2012. *PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA: VISÃO CONTEMPORÂNEA DA TÉCNICA: LUIZ CARLOS MABILDE ** PSIQUIATRA E PROFESSOR/SUPERVISOR CONVIDADO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO

Leia mais

a justifique. Em resumo, a IASP reconhece que a dor poderia existir apenas no plano do vivido e na queixa que a exprime.

a justifique. Em resumo, a IASP reconhece que a dor poderia existir apenas no plano do vivido e na queixa que a exprime. No livro A DOR FÍSICA, Nasio se preocupa com as origens psicológicas da dor corporal, mais claramente falando, se preocupa com aquela parte enigmática que vem descrita nos artigos médicos como o fator

Leia mais

Durante toda sua vida, Anna Freud ocupou-se com a psicanálise, dando especial

Durante toda sua vida, Anna Freud ocupou-se com a psicanálise, dando especial 30 1. 3. Anna Freud: o analista como educador Durante toda sua vida, Anna Freud ocupou-se com a psicanálise, dando especial ênfase ao desenvolvimento teórico e terapêutico da psicanálise de crianças. Sua

Leia mais

REICH E A ECONOMIA SEXUAL

REICH E A ECONOMIA SEXUAL 1 REICH E A ECONOMIA SEXUAL José Henrique Volpi Freud havia postulado que o sintoma neurótico é resultado da repressão de um trauma sexual ocorrido na infância. Mas não conseguia explicar o porque tal

Leia mais

REVISITANDO A TEORIA DO SETTING TERAPÊUTICO

REVISITANDO A TEORIA DO SETTING TERAPÊUTICO REVISITANDO A TEORIA DO SETTING TERAPÊUTICO 2012 Letícia Machado Moreira Psicóloga, em formação psicanalítica pelo IEPP leticiamachadomoreira@gmail.com Cristiane Silva Esteves Psicóloga. Especialista em

Leia mais

A RELAÇÃO TERAPEUTA-CLIENTE

A RELAÇÃO TERAPEUTA-CLIENTE A RELAÇÃO TERAPEUTA-CLIENTE Os cinco textos que se seguem foram preparados para uma aula ministrada durante concurso de ingresso na carreira docente no Instituto de Psicologia da USP. Resolvemos reuni-los

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO AMOR MATERNO NA RELAÇÃO MÃE-BEBÊ: REFLEXÕES A PARTIR DA PSICANÁLISE.

A CONSTRUÇÃO DO AMOR MATERNO NA RELAÇÃO MÃE-BEBÊ: REFLEXÕES A PARTIR DA PSICANÁLISE. A CONSTRUÇÃO DO AMOR MATERNO NA RELAÇÃO MÃE-BEBÊ: REFLEXÕES A PARTIR DA PSICANÁLISE. Cléa Maria Ballão Lopes 1 Nos últimos tempos venho trabalhando com gestantes e puérperas, diretamente via atendimento

Leia mais

Sociedade Civil Sem Fins Lucrativos CNPJ 02.879.848 / 0001-68 Av. Suiça, 99 Piracicaba SP CEP 13416-280 (19) 3433-2568 associacaolivre@yahoo.com.

Sociedade Civil Sem Fins Lucrativos CNPJ 02.879.848 / 0001-68 Av. Suiça, 99 Piracicaba SP CEP 13416-280 (19) 3433-2568 associacaolivre@yahoo.com. ALTERIDADE E ÉTICA EM PSICANÁLISE Realização Associação Livre Instituto de Cultura e Psicanálise Sociedade Civil Sem Fins Lucrativos CNPJ 02.879.848 / 0001-68 Av. Suiça, 99 Piracicaba SP CEP 13416-280

Leia mais

A FUNÇÃO DO PAGAMENTO EM ANÁLISE: LIMITES E POSSIBILIDADES NA INSTITUIÇÃO

A FUNÇÃO DO PAGAMENTO EM ANÁLISE: LIMITES E POSSIBILIDADES NA INSTITUIÇÃO A FUNÇÃO DO PAGAMENTO EM ANÁLISE: LIMITES E POSSIBILIDADES NA INSTITUIÇÃO Fernanda de Souza Borges feborges.psi@gmail.com Prof. Ms. Clovis Eduardo Zanetti Na praça Clóvis Minha carteira foi batida, Tinha

Leia mais

Entrevista: Carlos Bernardi, Psicólogo clínico jungiano, fundador do grupo Rubedo [www.rubedo.psc.br]

Entrevista: Carlos Bernardi, Psicólogo clínico jungiano, fundador do grupo Rubedo [www.rubedo.psc.br] FONTE: CRP-RJ DEZEMBRO DE 2006 Entrevista: Carlos Bernardi, Psicólogo clínico jungiano, fundador do grupo Rubedo [www.rubedo.psc.br] Como funciona a terapia junguiana? A Análise junguiana está dentro da

Leia mais

Para o XVIII Encontro Latino-americano Winnicott contemporâneo. Desde Winnicott reflexões sobre a dimensão corporal da transferência

Para o XVIII Encontro Latino-americano Winnicott contemporâneo. Desde Winnicott reflexões sobre a dimensão corporal da transferência Para o XVIII Encontro Latino-americano Winnicott contemporâneo Tema Livre: Desde Winnicott reflexões sobre a dimensão corporal da transferência Autora: Ivanise Fontes Cada vez são mais evidentes os aspectos

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SOCIAL E DA PERSONALIDADE

DESENVOLVIMENTO SOCIAL E DA PERSONALIDADE Rede7 Mestrado em Ensino do Inglês e Francês no Ensino Básico ÁREAS DE DESENVOLVIMENTO: DESENVOLVIMENTO SOCIAL E DA PERSONALIDADE Teorias Psicodinâmicas A Psicanálise de Sigmund Freud A perspectiva de

Leia mais

Fator emocional. Fertilidade Natural: Fator emocional CAPÍTULO 8

Fator emocional. Fertilidade Natural: Fator emocional CAPÍTULO 8 CAPÍTULO 8 Fator emocional O projeto comum de ter filhos, construir a própria família, constitui um momento existencial muito importante, tanto para o homem como para a mulher. A maternidade e a paternidade

Leia mais

Viver Melhor com Inteligência Emocional: ADMINISTRANDO SEUS SENTIMENTOS COM EFICIÊNCIA

Viver Melhor com Inteligência Emocional: ADMINISTRANDO SEUS SENTIMENTOS COM EFICIÊNCIA Viver Melhor com Inteligência Emocional: ADMINISTRANDO SEUS SENTIMENTOS COM EFICIÊNCIA Entendendo (de verdade) sobre Inteligência Emocional Muito se fala sobre inteligência emocional, mas pouco se entende

Leia mais

Resenha bibliográfica sobre o livro O ser interior na psicanálise de Walter Trinca

Resenha bibliográfica sobre o livro O ser interior na psicanálise de Walter Trinca Psicologia: Teoria e Prática 2007, 9(2):149-154 Resenha bibliográfica sobre o livro O ser interior na psicanálise de Walter Trinca Iraní Tomiatto de Oliveira Universidade Presbiteriana Mackenzie Nessa

Leia mais

DEIXA VIR... ASSOCIAÇÃO LIVRE E RESISTÊNCIA NA PSICOTERAPIA CORPORAL

DEIXA VIR... ASSOCIAÇÃO LIVRE E RESISTÊNCIA NA PSICOTERAPIA CORPORAL DEIXA VIR... ASSOCIAÇÃO LIVRE E RESISTÊNCIA NA PSICOTERAPIA CORPORAL Ricardo Rego RESUMO Apresento aqui uma proposta em que a postura do psicoterapeuta corporal varia conforme o grau de resistência. Nos

Leia mais

Psicoterapia psicanalítica em ambientes prisionais: da mentalização à vida em liberdade

Psicoterapia psicanalítica em ambientes prisionais: da mentalização à vida em liberdade Psicoterapia psicanalítica em ambientes prisionais: da mentalização à vida em liberdade Eva Maria Migliavacca* Fábio Serrão Franco** Resumo: Este trabalho possui como tema o tratamento psicoterápico de

Leia mais

Entre a Tradição e a Invenção: Como nos tornamos analistas? Tradição e Invenção na Formação Analítica

Entre a Tradição e a Invenção: Como nos tornamos analistas? Tradição e Invenção na Formação Analítica Entre a Tradição e a Invenção: Como nos tornamos analistas? Tradição e Invenção na Formação Analítica Sousa, Nyvia; Teruchkin, Betina; Tomasel, Elena; Wiehe, Iara; Meyer, Laura; Secco, Luciana; Tiago,

Leia mais

Sou a nona filha entre dez irmãos. Nasci numa cultura com padrões rígidos de comportamento e com pouco afeto. Quando eu estava com um ano e quatro meses, contraí poliomielite que me deixou com sequelas

Leia mais

AULA: TERAPIA DE GRUPO PSICÓLOGA SIMONE HUMEL

AULA: TERAPIA DE GRUPO PSICÓLOGA SIMONE HUMEL Surgimento da Psicoterapia de Grupo: Joseph H. Pratt foi o fundador da Psicoterapia de Grupo, que em 1905 pela primeira vez foi empregada com pacientes tuberculosos, no Massachussetts General Hospital

Leia mais

Depressão Algumas considerações sobre seu entendimento e seu tratamento

Depressão Algumas considerações sobre seu entendimento e seu tratamento Depressão Algumas considerações sobre seu entendimento e seu tratamento Carmem Dametto Depressão Algumas considerações sobre seu entendimento e seu tratamento 1ª Edição POD Petrópolis KBR 2014 Revisão

Leia mais

Psicanálise e psicoterapia

Psicanálise e psicoterapia Psicanálise e psicoterapia Psicanálise e psicoterapia Zygouris, Radmila. São Paulo: Via Lettera, 2011, 75 p. Denise Cabral de Oliveira*... a clínica é sempre localizada numa cidade (polis) e se inscreve

Leia mais

Contardo Calligaris. Introdução a uma Clínica Diferencial das Psicoses. z Zagodoni. 2 a edição. Editora

Contardo Calligaris. Introdução a uma Clínica Diferencial das Psicoses. z Zagodoni. 2 a edição. Editora Contardo Calligaris Introdução a uma Clínica Diferencial das Psicoses 2 a edição z Zagodoni Editora Copyright 2013 by Contardo Calligaris Todos os direitos desta edição reservados à Zagodoni Editora Ltda.

Leia mais

Apresentação do Serviço de Psicologia. Roberta de Siqueira Meloso (coordenadora Psicologia CRI-Norte) Mário Amore Cecchini (Psicólogo CRI-Norte)

Apresentação do Serviço de Psicologia. Roberta de Siqueira Meloso (coordenadora Psicologia CRI-Norte) Mário Amore Cecchini (Psicólogo CRI-Norte) Sejam bem vindos no Apresentação do Serviço de Psicologia Roberta de Siqueira Meloso (coordenadora Psicologia CRI-Norte) Mário Amore Cecchini (Psicólogo CRI-Norte) CRI Norte C.R.I. - Centro de Referencia

Leia mais

Analista Didata da Sociedade Brasileira de Psicanálise de Ribeirão Preto - Brasil. Coordenadora da Comissão de Convidados Estrangeiros da SBPRP

Analista Didata da Sociedade Brasileira de Psicanálise de Ribeirão Preto - Brasil. Coordenadora da Comissão de Convidados Estrangeiros da SBPRP Eixo temático: Temporalidades en análisis A comunicação inconsciente interpsíquica (paciente/analista) segundo o modelo Bluetooth na psicanálise Descritores: Comunicação, Inconsciente, Intersubjetividade,

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores VIVENCIANDO A PRÁTICA ESCOLAR DE MATEMÁTICA NA EJA Larissa De Jesus Cabral, Ana Paula Perovano

Leia mais

A TRANSFERÊNCIA NA SALA DE AULA

A TRANSFERÊNCIA NA SALA DE AULA A TRANSFERÊNCIA NA SALA DE AULA BUCK, Marina Bertone Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: marina.bertone@hotmail.com SANTOS, José Wellington

Leia mais

"Crise ou tentativa de cura? - desafios para uma clínica do sujeito numa enfermaria psiquiátrica". 1

Crise ou tentativa de cura? - desafios para uma clínica do sujeito numa enfermaria psiquiátrica. 1 V Congresso de Psicopatologia Fundamental "Crise ou tentativa de cura? - desafios para uma clínica do sujeito numa enfermaria psiquiátrica". 1 Autora: Lorenna Figueiredo de Souza. Resumo: O trabalho apresenta

Leia mais

MUDANÇA PSÍQUICA NA VIDA ADULTA

MUDANÇA PSÍQUICA NA VIDA ADULTA MUDANÇA PSÍQUICA NA VIDA ADULTA * Kátia Hoffmann de Abreu Gostaria de agradecer o convite da Psican. Lucia Thaler, coordenadora da Comissão Científica do ITIPOA, para estar aqui compondo esta mesa. Espero

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

I - A evolução da Psicanálise

I - A evolução da Psicanálise Necessidades e cuidados no setting. Rosa M. C. Reis. Membro Efetivo da SPRJ - Sociedade Psicanalítica do Rio de Janeiro FEBRAPSI Federação Brasileira de Psicanálise IPA - International Association Psychoanalytical

Leia mais

René Roussillon. Beatriz Pinheiro de Andrade*** Pedro Salem*** Perla Klautau***

René Roussillon. Beatriz Pinheiro de Andrade*** Pedro Salem*** Perla Klautau*** Entrevista René Roussillon René Roussillon Beatriz Pinheiro de Andrade*** Pedro Salem*** Perla Klautau*** Durante o 71 Congresso de Psicanalistas de Língua Francesa (CPLF), realizado em Paris entre 2 e

Leia mais

6. Considerações Finais

6. Considerações Finais 6. Considerações Finais O estudo desenvolvido não permite nenhuma afirmação conclusiva sobre o significado da família para o enfrentamento da doença, a partir da fala das pessoas que têm HIV, pois nenhum

Leia mais

13 SE VOCÊ CRÊ. Venho para tentar despertar em você a compreensão de que todos os seus problemas, angústias e limitações já estão dentro de você.

13 SE VOCÊ CRÊ. Venho para tentar despertar em você a compreensão de que todos os seus problemas, angústias e limitações já estão dentro de você. 13 SE VOCÊ CRÊ Venho para tentar despertar em você a compreensão de que todos os seus problemas, angústias e limitações já estão dentro de você. Isto é assim porque os seus pensamentos surgem de suas características

Leia mais

Cuidados Paliativos em Câncer

Cuidados Paliativos em Câncer Cuidados Paliativos em Câncer Temos assistido nas últimas décadas a um envelhecimento progressivo da população, assim como o aumento da prevalência do câncer. O avanço tecnológico alcançado, associado

Leia mais

O que diferencia uma abordagem fenomenológicoexistencial

O que diferencia uma abordagem fenomenológicoexistencial O que diferencia uma abordagem fenomenológicoexistencial das demais? Ari Rehfeld Publicado no livro Gestalt-terapia : e apresentado no Congresso Latino de Gestalt Maceió, 20 a 24 out 2004 Abertura Começo

Leia mais

Uma globalização consciente

Uma globalização consciente Uma globalização consciente O apelo a uma globalização mais ética tornou se uma necessidade. Actores da globalização como as escolas, devem inspirar por estes valores às responsabilidades que lhes são

Leia mais

A RELAÇÃO HOMEM-TRABALHO DE PORTADORES DE HIV, DOENTES OU NÃO DE AIDS

A RELAÇÃO HOMEM-TRABALHO DE PORTADORES DE HIV, DOENTES OU NÃO DE AIDS A RELAÇÃO HOMEM-TRABALHO DE PORTADORES DE HIV, DOENTES OU NÃO DE AIDS Mariana Tironi de Camargo Mariana Gonçales Gerzeli Francisco Hashimoto Resumo: A presente pesquisa tem por objetivo compreender como

Leia mais

A sua revista eletrônica CONTEMPORANEIDADE E PSICANÁLISE 1

A sua revista eletrônica CONTEMPORANEIDADE E PSICANÁLISE 1 A sua revista eletrônica CONTEMPORANEIDADE E PSICANÁLISE 1 Patrícia Guedes 2 Comemorar 150 anos de Freud nos remete ao exercício de revisão da nossa prática clínica. O legado deixado por ele norteia a

Leia mais

A psicanálise Kleiniana 1

A psicanálise Kleiniana 1 A psicanálise Kleiniana A psicanálise Kleiniana 1 Flávio José de Lima Neves Resumo O autor apresenta as principais contribuições de Melanie Klein à psicanálise. Partindo da psicanálise clássica, Klein

Leia mais

A teoria de Transformações e àreas de não sonho Transformações autísticas: uma ampliação do paradigma Celia Fix Korbivcher 1

A teoria de Transformações e àreas de não sonho Transformações autísticas: uma ampliação do paradigma Celia Fix Korbivcher 1 A teoria de Transformações e àreas de não sonho Transformações autísticas: uma ampliação do paradigma Celia Fix Korbivcher 1 I- Sabemos que o psicanalista em seu trabalho clínico, assim como o arqueólogo

Leia mais

O Escutar através do Desenho

O Escutar através do Desenho 1 O Escutar através do Desenho Neide M.A.Corgosinho 1 RESUMO: O artigo aqui apresentado baseia-se em algumas experiências de trabalho na internação pediátrica do Hospital Militar de Minas Gerais no período

Leia mais

Elaboração de Projetos

Elaboração de Projetos Elaboração de Projetos 2 1. ProjetoS John Dewey (1859-1952) FERRARI, Márcio. John Dewey: o pensador que pôs a prática em foco. Nova Escola, São Paulo, jul. 2008. Edição especial grandes pensadores. Disponível

Leia mais

O MANEJO TERAPÊUTICO NA CLÍNICA CONTEMPORÂNEA

O MANEJO TERAPÊUTICO NA CLÍNICA CONTEMPORÂNEA O MANEJO TERAPÊUTICO NA CLÍNICA CONTEMPORÂNEA Donald Woods Winnicott, pediatra e psicanalista, foi uma das figuras de grande expressão no cenário psicanalítico. Ele nos trouxe contribuições valiosas e

Leia mais

Palestra Virtual. Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org.br

Palestra Virtual. Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org.br Palestra Virtual Promovida pelo http://www.irc-espiritismo.org.br Tema: Mediunidade (Consciência, Desenvolvimento e Educação) Palestrante: Vania de Sá Earp Rio de Janeiro 16/06/2000 Organizadores da palestra:

Leia mais

O SER WINNICOTTIANO E A CLÍNICA DA PÓS-MODERNIDADE. Winnicott viveu em uma época em que a concepção de pós-modernidade estava se

O SER WINNICOTTIANO E A CLÍNICA DA PÓS-MODERNIDADE. Winnicott viveu em uma época em que a concepção de pós-modernidade estava se 1 O SER WINNICOTTIANO E A CLÍNICA DA PÓS-MODERNIDADE Nahman Armony Winnicott viveu em uma época em que a concepção de pós-modernidade estava se formando, e, sabedor ou não disto, contribuiu com conceitos

Leia mais

TÍTULO: SÍNDROME DE BURNOUT VOLTADO À PROFISSIONAIS DO SETOR DE NEONATOLOGIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

TÍTULO: SÍNDROME DE BURNOUT VOLTADO À PROFISSIONAIS DO SETOR DE NEONATOLOGIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: SÍNDROME DE BURNOUT VOLTADO À PROFISSIONAIS DO SETOR DE NEONATOLOGIA CATEGORIA: EM ANDAMENTO

Leia mais

DE ONDE VEM A RESISTENCIA? 1

DE ONDE VEM A RESISTENCIA? 1 DE ONDE VEM A RESISTENCIA? 1 Maria Lia Avelar da Fonte 2 A terra da verdade é uma ilha, rodeada por um oceano largo e tormentoso, a região da ilusão; onde muitos nevoeiros, muitos icebergs, parecem ao

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico Unidade Universitária: CCBS - 040 Curso: PSICOLOGIA Disciplina: Núcleo Temático: SUPERVISÃO DE ESTÁGIO ESPECÍFICO EM PSICOTERAPIA BREVE DO ADOLESCENTE I Professores: Cristine Lacet Lourdes Santina Tomazella

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

Questão Resposta Questão Resposta 1 21 2 22 3 23 4 24 5 25 6 26 7 27 8 28 9 29 10 30 11 31 12 32 13 33 14 34 15 35 16 36 17 37 18 38 19 39 20 40

Questão Resposta Questão Resposta 1 21 2 22 3 23 4 24 5 25 6 26 7 27 8 28 9 29 10 30 11 31 12 32 13 33 14 34 15 35 16 36 17 37 18 38 19 39 20 40 SIMULADO SOBRE TEORIAS DA PERSONALIDADE Aluno(a) A prova contém 40 questões de múltipla escolha. Utilize a folha de respostas abaixo para assinalar suas respostas. Ao final da prova, devolva apenas esta

Leia mais

TOCAR E VER: O CORPO TORNANDO-SE SUJEITO

TOCAR E VER: O CORPO TORNANDO-SE SUJEITO TOCAR E VER: O CORPO TORNANDO-SE SUJEITO Iraquitan de Oliveira Caminha 1 O objetivo desse estudo é analisar a experiência de tocar e de ver, considerando a pulsão de domínio, concebida por Freud, e a motricidade

Leia mais

FALANDO DE CORAÇÃO PARA CORAÇÃO

FALANDO DE CORAÇÃO PARA CORAÇÃO FALANDO DE CORAÇÃO PARA CORAÇÃO A criança portadora de doença cardíaca congênita e o adoecer as emoções e dos sentimentos de sua família. Edna G. Levy O coração está associado à vida e à morte. É o primeiro

Leia mais

Decio Tenenbaum. XXII Congresso Brasileiro de Psicanálise Rio de Janeiro - 2009

Decio Tenenbaum. XXII Congresso Brasileiro de Psicanálise Rio de Janeiro - 2009 Decio Tenenbaum XXII Congresso Brasileiro de Psicanálise Rio de Janeiro - 2009 Relação narcísica S. Freud The average expectable environment Heinz Hartmann Relação pré-edipiana Ruth M. Brunswick Rêverie

Leia mais

Considerações acerca da transferência em Lacan

Considerações acerca da transferência em Lacan Considerações acerca da transferência em Lacan Introdução Este trabalho é o resultado um projeto de iniciação científica iniciado em agosto de 2013, no Serviço de Psicologia Aplicada do Instituto de Psicologia

Leia mais

Psicologia 1 22/8/2012. Objetivos. Profº Miguel Maiorino

Psicologia 1 22/8/2012. Objetivos. Profº Miguel Maiorino Administração Profº Miguel Maiorino Psicologia 1 Objetivos Reconhecer que a Psicologia produz conhecimentos muito importantes para o sucesso humano em qualquer atividade; Conhecer como os temas Comportamento

Leia mais

A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram

A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram Esquema de Palestra I. Por Que As Pessoas Compram A Abordagem da Caixa Preta A. Caixa preta os processos mentais internos que atravessamos ao tomar uma

Leia mais

TÍTULO: A VIVÊNCIA DO PSICÓLOGO HOSPITALAR DIANTE DA HOSPITALIZAÇÃO DA CRIANÇA COM CÂNCER

TÍTULO: A VIVÊNCIA DO PSICÓLOGO HOSPITALAR DIANTE DA HOSPITALIZAÇÃO DA CRIANÇA COM CÂNCER TÍTULO: A VIVÊNCIA DO PSICÓLOGO HOSPITALAR DIANTE DA HOSPITALIZAÇÃO DA CRIANÇA COM CÂNCER CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PSICOLOGIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO

Leia mais

A tecnologia e a ética

A tecnologia e a ética Escola Secundária de Oliveira do Douro A tecnologia e a ética Eutanásia João Manuel Monteiro dos Santos Nº11 11ºC Trabalho para a disciplina de Filosofia Oliveira do Douro, 14 de Maio de 2007 Sumário B

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Unidade Universitária Centro de Ciências Biológicas e da Saúde - 040 Curso Psicologia Disciplina TEORIAS E TÉCNICAS PSICOTERÁPICAS PSICODINÂMICAS Professor(es) e DRTs Fernando Genaro Junior 114071-3 Maria

Leia mais

By Dr. Silvia Hartmann

By Dr. Silvia Hartmann The Emo trance Primer Portuguese By Dr. Silvia Hartmann Dra. Silvia Hartmann escreve: À medida em que nós estamos realizando novas e excitantes pesquisas; estudando aplicações especializadas e partindo

Leia mais

REFLEXÕES ACERCA DA CONTRATRANSFERÊNCIA NA COORDENAÇÃO DE GRUPOS EM INSTITUIÇÃO DE SAÚDE MENTAL. Carolina Mendes Cruz Ferreira 1

REFLEXÕES ACERCA DA CONTRATRANSFERÊNCIA NA COORDENAÇÃO DE GRUPOS EM INSTITUIÇÃO DE SAÚDE MENTAL. Carolina Mendes Cruz Ferreira 1 REFLEXÕES ACERCA DA CONTRATRANSFERÊNCIA NA COORDENAÇÃO DE GRUPOS EM INSTITUIÇÃO DE SAÚDE MENTAL Carolina Mendes Cruz Ferreira 1 Manoel Antônio dos Santos 2 INTRODUÇÃO Com o advento da Reforma Psiquiátrica

Leia mais

O papel do corpo na contemporaneidade, as novas patologias e a escuta analítica.

O papel do corpo na contemporaneidade, as novas patologias e a escuta analítica. O papel do corpo na contemporaneidade, as novas patologias e a escuta analítica. Silvana Maria de Barros Santos Entre o século XVI a XIX, as transformações políticas, sociais, culturais e o advento da

Leia mais

Uma narrativa, uma história e um imaginário. Fernanda Cielo* 1

Uma narrativa, uma história e um imaginário. Fernanda Cielo* 1 Uma narrativa, uma história e um imaginário. Fernanda Cielo* 1 Meu nome é Maria Bonita, sou mulher de Vírgulino Ferreira- vulgo Lampiãofaço parte do bando de cangaceiros liderados por meu companheiro.

Leia mais

Palavras-chave: sonho, análise funcional, terapia comportamental. A análise dos sonhos é uma questão antiga na história da humanidade, sendo

Palavras-chave: sonho, análise funcional, terapia comportamental. A análise dos sonhos é uma questão antiga na história da humanidade, sendo SONHOS: uma questão de contingências Renata Cristina Rodrigues Alves 1 Resumo: O comportamento de sonhar, para a Análise do Comportamento, está associado a eventos privados cujo acesso se dá através do

Leia mais

A consciência no ato de educar

A consciência no ato de educar Família e escola: somando forças para construir o futuro Júlio Furtado www.juliofurtado.com.br A consciência no ato de educar Não se educa entre uma novela e outra. Não se educa nos finais de semana! Não

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE O ENSINO DA PRÁTICA CLÍNICA EM CURSOS DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA

CONSIDERAÇÕES SOBRE O ENSINO DA PRÁTICA CLÍNICA EM CURSOS DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA CONSIDERAÇÕES SOBRE O ENSINO DA PRÁTICA CLÍNICA EM CURSOS DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA Fabio Thá Psicólogo, psicanalista, doutor em estudos linguísticos pela UFPR, coordenador do curso de Psicologia da Faculdade

Leia mais

FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS

FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS Daniel Silveira 1 Resumo: O objetivo desse trabalho é apresentar alguns aspectos considerados fundamentais para a formação docente, ou

Leia mais

Patologias narcísicas e doenças auto-imunes: a questão da transferência [1]

Patologias narcísicas e doenças auto-imunes: a questão da transferência [1] Patologias narcísicas e doenças auto-imunes: a questão da transferência [1] Teresa Pinheiro [2] Este trabalho é um desdobramento da nossa participação na pesquisa clínico-teórica, Patologias narcísicas

Leia mais

ISSO NÃO ME FALA MAIS NADA! (SOBRE A POSIÇÃO DO ANALISTA NA DIREÇÃO DA CURA) 1

ISSO NÃO ME FALA MAIS NADA! (SOBRE A POSIÇÃO DO ANALISTA NA DIREÇÃO DA CURA) 1 ISSO NÃO ME FALA MAIS NADA! (SOBRE A POSIÇÃO DO ANALISTA NA DIREÇÃO DA CURA) 1 Arlete Mourão 2 Essa frase do título corresponde à expressão utilizada por um ex-analisando na época do final de sua análise.

Leia mais

Resumos. Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Teoria Psicanalítica

Resumos. Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Teoria Psicanalítica Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Teoria Psicanalítica Inovação em psicanálise: rumos e perspectivas na contemporaneidade Quarta-feira 10/6 10h30-12h Mesa-redonda Saúde mental e psicanálise

Leia mais

Um elefante incomoda muita gente, dois elefantes... Sandra Luiza Nunes Caseiro 1

Um elefante incomoda muita gente, dois elefantes... Sandra Luiza Nunes Caseiro 1 Um elefante incomoda muita gente, dois elefantes... Sandra Luiza Nunes Caseiro 1 Estive pensando sobre os conflitos e as frustrações na Vida em Família, e a primeira consideração que me ocorreu foi: precisamos

Leia mais

Márcio Peter de Souza Leite 4 de abril de 1997 PUC

Márcio Peter de Souza Leite 4 de abril de 1997 PUC O Pai em Freud 1997 O Pai em Freud Márcio Peter de Souza Leite 4 de abril de 1997 PUC Conteudo: Pais freudianos... 3 O pai de Dora... 3 O pai de Schreber.... 4 O pai castrador, que é o terceiro em Freud,

Leia mais

A CLÍNICA PSICANALÍTICA INFANTIL REVELANDO A NATUREZA DO PEDIDO POR ATENDIMENTO: a reparação do narcisismo dos pais.

A CLÍNICA PSICANALÍTICA INFANTIL REVELANDO A NATUREZA DO PEDIDO POR ATENDIMENTO: a reparação do narcisismo dos pais. A CLÍNICA PSICANALÍTICA INFANTIL REVELANDO A NATUREZA DO PEDIDO POR ATENDIMENTO: a reparação do narcisismo dos pais. Cristianne Spirandeli Marques 1 Iralva Moreira Soares Milagre 2 Introdução Alguns autores

Leia mais

VIAGEM BIOGRÁFICA AO SEU MUNDO INTERIOR. Por VIVIANE RIBEIRO

VIAGEM BIOGRÁFICA AO SEU MUNDO INTERIOR. Por VIVIANE RIBEIRO VIAGEM BIOGRÁFICA AO SEU MUNDO INTERIOR Por VIVIANE RIBEIRO VIAGEM BIOGRÁFICA AO SEU MUNDO INTERIOR Por VIVIANE RIBEIRO SUMÁRIO SUMÁRIO Introdução... 04 Boas-vindas e bases dos exercícios Preparativos...

Leia mais

ESPIRITUALIDADE E SAÚDE: UMA PERSPECTIVA BIOENERGÉTICA

ESPIRITUALIDADE E SAÚDE: UMA PERSPECTIVA BIOENERGÉTICA 1 ESPIRITUALIDADE E SAÚDE: UMA PERSPECTIVA BIOENERGÉTICA Périsson Dantas do Nascimento RESUMO O trabalho tem como objetivo principal elaborar um diálogo entre a Psicossomática e a Análise Bioenergética,

Leia mais

A alma da liderança Por Paulo Alvarenga

A alma da liderança Por Paulo Alvarenga A alma da liderança Por Paulo Alvarenga A palavra liderança é uma palavra grávida, tem vários significados. Desde os primórdios dos tempos a humanidade vivenciou exemplos de grandes líderes. Verdadeiros

Leia mais

Violência Simbólica: possíveis lugares subjetivos para uma criança diante da escolha materna

Violência Simbólica: possíveis lugares subjetivos para uma criança diante da escolha materna Violência Simbólica: possíveis lugares subjetivos para uma criança diante da escolha materna Henrique Figueiredo Carneiro Liliany Loureiro Pontes INTRODUÇÃO Esse trabalho apresenta algumas considerações,

Leia mais

1 Nesta dissertação, será utilizada a sigla CDA para situar o local onde o trabalho foi desenvolvido.

1 Nesta dissertação, será utilizada a sigla CDA para situar o local onde o trabalho foi desenvolvido. 1 Introdução As demências, principalmente a do tipo Alzheimer, vêm despertando interesse no meio acadêmico. Os diferentes saberes como a Medicina, a Psicologia, a Antropologia, a Sociologia entre outros,

Leia mais

Page 1 of 6. http://www2.unifap.br/borges

Page 1 of 6. http://www2.unifap.br/borges Page 1 of 6 Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Filosofia da Educação I Educador: João Nascimento Borges Filho Pequena

Leia mais

Tudo tem um tempo. Uma hora para nascer e uma hora para morrer.

Tudo tem um tempo. Uma hora para nascer e uma hora para morrer. CAPITULO 3 Ele não é o Homem que eu pensei que era. Ele é como é. Não se julga um Homem pela sua aparência.. Tudo tem um tempo. Uma hora para nascer e uma hora para morrer. Eu costumava saber como encontrar

Leia mais

A VISÃO ESPÍRITA DO SONO E DOS SONHOS

A VISÃO ESPÍRITA DO SONO E DOS SONHOS A VISÃO ESPÍRITA DO SONO E DOS SONHOS Capa: Equipe O Clarim Projeto gráfico: Equipe O Clarim Revisão: Enéas Rodrigues Marques Todos os direitos reservados Casa Editora O Clarim (Propriedade do Centro Espírita

Leia mais

O BRINCAR E A CLÍNICA

O BRINCAR E A CLÍNICA O BRINCAR E A CLÍNICA Christine Nunes (psicóloga clínica, candidata da SPRJ) RESUMO: O presente trabalho, propõe a uma breve exposição do que pensa Winnicott sobre o brincar e a sessão analítica estendendo

Leia mais

NOÇÕES DE CORPO E MOVIMENTO E SUAS IMPLICAÇÕES NO TRABALHO DO ESPETÁCULO CIDADE EM PLANO.

NOÇÕES DE CORPO E MOVIMENTO E SUAS IMPLICAÇÕES NO TRABALHO DO ESPETÁCULO CIDADE EM PLANO. NOÇÕES DE CORPO E MOVIMENTO E SUAS IMPLICAÇÕES NO TRABALHO DO ESPETÁCULO CIDADE EM PLANO. Luciana Lara 1 RESUMO: Este estudo pretende refletir sobre algumas implicações das noções de corpo e movimento

Leia mais

Instituto de Psicanálise e Saúde Mental de Minas Gerais Almanaque On-line n.7. Safar-se com a loucura

Instituto de Psicanálise e Saúde Mental de Minas Gerais Almanaque On-line n.7. Safar-se com a loucura Entrevista com Marcus André Vieira 1 Safar-se com a loucura Almanaque: O tema do V ENAPOL A saúde para todos não sem a loucura de cada um a se realizar em junho próximo enfatiza o singular dentro do universal.

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL E DE LIDERANÇA. Estilos de comportamento no ambiente de trabalho Diagnóstico

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL E DE LIDERANÇA. Estilos de comportamento no ambiente de trabalho Diagnóstico PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL E DE LIDERANÇA Estilos de comportamento no ambiente de trabalho Foco do programa O desenvolvimento de habilidades gerenciais e capacidades de liderança passa pelo

Leia mais

Psicologia USP versão impressa ISSN 0103-6564. Psicol. USP v.12 n.2 São Paulo 2001. http://dx.doi.org/10.1590/s0103-65642001000200019

Psicologia USP versão impressa ISSN 0103-6564. Psicol. USP v.12 n.2 São Paulo 2001. http://dx.doi.org/10.1590/s0103-65642001000200019 Psicologia USP versão impressa ISSN 0103-6564 Psicol. USP v.12 n.2 São Paulo 2001 http://dx.doi.org/10.1590/s0103-65642001000200019 PSICANÁLISE E UNIVERSIDADE: PESQUISA Cláudio Laks Eizirik 1 Universidade

Leia mais

Programa Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar - PNHAH

Programa Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar - PNHAH Programa Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar - PNHAH Relacionamento Inter-Pessoal na Prática Hospitalar End.: www.tenenbaum.com.br Fonte: Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica

Leia mais