Descartes. Colégio Anglo de Sete Lagoas - Professor: Ronaldo - (31)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Descartes. Colégio Anglo de Sete Lagoas - Professor: Ronaldo - (31)"

Transcrição

1 Descartes

2 René Descartes ou Cartesius ( ) Naceu em La Haye, França Estudou no colégio jesuíta de La Flèche Ingressa na carreira militar Estabeleceu contato com Blayse Pascal

3 Pai da filosofia moderna Obras principais: >Discurso do método >Meditações metafísicas

4 Método Cartesiano Busca uma verdade primeira indubitável. Converta a dúvida em método - ceticismo metodológico: começa duvidando de tudo.

5 Instituição da dúvida 1º meditação Percebe que tudo que conheceu até então, era duvidoso. Se desfaz de todas as opiniões que dera crédito até então.

6 Destruição da opiniões O menor motivo de dúvida que encontrar em qualquer de suas opiniões, basta para derrubálas. Destruirá as bases do edifício sobre o qual todas as suas antigas opiniões estavam apoiadas.

7 Sentidos enganam Percebe que tudo o tem como verdadeiro e seguro até então, conheceu pelos sentidos. Ele então conclui que não deve confiar em quem já o enganou uma vez..

8 Duvida se está dormindo ou acordado. Diz que o que representamos no sono são como quadros da realidade, é semelhante ao real e verdadeiro.

9 Matemática e geometria Conclui que a matemática e geometria são ciências indubitáveis. Enquanto as outras estão em constante mudança.

10 Quer eu esteja acordado quer esteja dormindo, dois mais três formarão sempre o número cinco e o quadrado nunca terá mais do que quatro lados.

11 Deus enganador Supõe que o deus que o criou, o engane o tempo todo, o faz ter todas as ideias. Esse deus não quer decepcioná-lo então o engana. Conclui que não deve confiar em nada do que sabe.

12 Gênio maligno A dúvida é universalizada. Supões que existe é um gênio maligno que o engana, e não um Deus. Que tudo que existe, tudo que ele vê e sente é enganação trazida por esse gênio maligno.

13 Essa meditação liberta o pensamento do senso comum.

14 2º meditação Quer continuar duvidando até que encontre pelo menos uma coisa certa e indubitável. Supõe que tudo que conhece através dos sentidos é falso. Supõe que não possui um corpo.

15 Pensa na possibilidade de haver um deus que impõe a ele tais pensamentos. Mas esse deus enganador não pode enganá-lo de que é. Pois se ele pensa, então é. Duvida de todas as coisas do corpo. Até concluir que Eu sou, eu existo. cogito, ergo sun.

16 Penso, logo existo. Descartes só interrompe a cadeia de dúvidas diante do seu próprio ser que duvida. Chega a sua primeira certeza universal e indubitável. Se duvido, penso; se penso, existo. Eis o fundamento para a construção de toda sua filosofia.

17 Eu penso Este eu cartesiano é puro pensamento= res congitans (ser pensante). A realidade do corpo (= res extensa, coisa material) foi colocada em questão. A partir dessa intuição primeira, Descartes distingue ideias confusas e duvidosas, das claras e distintas.

18 Ideias claras e distintas Ideias gerais que já se encontram no espírito como fundamentação para a apreensão de outras verdades. Ideias inatas, verdadeiras, não sujeitas a erro, pois vêm da razão. > Inatas porque inerentes a nossa capacidade de pensar.

19 A primeira ideia inata - clara e distinta é o cogito. Agora necessitamos da garantia de que as ideias pensadas existem fora da realidade de nossos pensamentos. É necessário sair do próprio pensamento e recuperar o mundo no qual tínhamos dúvida.

20 Então surge a prova ontológica da existência de Deus. O pensamento deste objeto Deus- é a ideia de um ser perfeito.

21 A existência de Deus é a garantia de que outros objeto pensados por ideias claras e distintas são reais. O mundo tem realidade e dentro desta meu corpo existe.

22 se temos a idéia de um ser perfeito, a perfeição absoluta existe, logo o ser perfeito existe. Se Ele existe e é infinitamente perfeito, então ele não me engana.

Descartes filósofo e matemático francês Representante do racionalismo moderno. Profs: Ana Vigário e Ângela Leite

Descartes filósofo e matemático francês Representante do racionalismo moderno. Profs: Ana Vigário e Ângela Leite Descartes filósofo e matemático francês 1596-1650 Representante do racionalismo moderno Razão como principal fonte de conhecimento verdadeiro logicamente necessário universalmente válido Inspiração: modelo

Leia mais

CORRENTES DE PENSAMENTO DA FILOSOFIA MODERNA

CORRENTES DE PENSAMENTO DA FILOSOFIA MODERNA CORRENTES DE PENSAMENTO DA FILOSOFIA MODERNA O GRANDE RACIONALISMO O termo RACIONALISMO, no sentido geral, é empregado para designar a concepção de nada existe sem que haja uma razão para isso. Uma pessoa

Leia mais

Filosofia. IV Conhecimento e Racionalidade Científica e Tecnológica 1. DESCRIÇÃO E INTERPRETAÇÃO DA ACTIVIDADE COGNOSCITIVA JOÃO GABRIEL DA FONSECA

Filosofia. IV Conhecimento e Racionalidade Científica e Tecnológica 1. DESCRIÇÃO E INTERPRETAÇÃO DA ACTIVIDADE COGNOSCITIVA JOÃO GABRIEL DA FONSECA Filosofia IV Conhecimento e Racionalidade Científica e Tecnológica 1. DESCRIÇÃO E INTERPRETAÇÃO DA ACTIVIDADE COGNOSCITIVA JOÃO GABRIEL DA FONSECA 1.2 Teorias Explicativas do Conhecimento René Descartes

Leia mais

FILOSOFIA. 1º ano: Módulo 07. Professor Carlos Eduardo Foganholo

FILOSOFIA. 1º ano: Módulo 07. Professor Carlos Eduardo Foganholo FILOSOFIA 1º ano: Módulo 07 Professor Carlos Eduardo Foganholo Como podemos ter certeza de que estamos acordados e que tudo o que vivemos não é um sonho? Qual é a fonte de nossos conhecimentos? É possível

Leia mais

O GRANDE RACIONALISMO: RENÉ DESCARTES ( )

O GRANDE RACIONALISMO: RENÉ DESCARTES ( ) O GRANDE RACIONALISMO: RENÉ DESCARTES (1596-1650) JUSTIFICATIVA DE DESCARTES: MEDITAÇÕES. Há já algum tempo que eu me apercebi de que, desde meus primeiros anos, recebera muitas falsas opiniões como verdadeiras,

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE DIREITO

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE DIREITO CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE DIREITO Profª: Kátia Paulino dos Santos 14/8/2012 14:56 1 O método cartesiano René Descartes, nascido em 1596 em La Haye França "Assim que a idade me permitiu

Leia mais

Filosofia Prof. Frederico Pieper Pires

Filosofia Prof. Frederico Pieper Pires Filosofia Prof. Frederico Pieper Pires Teoria do conhecimento em Descartes Objetivos Compreender as principais escolas da teoria do conhecimento da modernidade. Abordar a epistemologia cartesiana. Introdução

Leia mais

PROBLEMA DA ORIGEM DO CONHECIMENTO

PROBLEMA DA ORIGEM DO CONHECIMENTO PROBLEMA DA ORIGEM DO CONHECIMENTO Questão Problema: O conhecimento alcança-se através da razão ou da experiência? (ver página 50) Tipos de conhecimento acordo a sua origem Tipos de juízo de acordo com

Leia mais

Tópicos da História da Física Clássica

Tópicos da História da Física Clássica Tópicos da História da Física Clássica Descartes Victor O. Rivelles Instituto de Física da Universidade de São Paulo Edifício Principal, Ala Central, sala 354 e-mail: rivelles@fma.if.usp.br http://www.fma.if.usp.br/~rivelles

Leia mais

Racionalismo. René Descartes Prof. Deivid

Racionalismo. René Descartes Prof. Deivid Racionalismo René Descartes Prof. Deivid Índice O que é o racionalismo? René Descartes Racionalismo de Descartes Nada satisfaz Descartes? Descartes e o saber tradicional Objetivo de Descartes A importância

Leia mais

Trabalho sobre: René Descartes Apresentado dia 03/03/2015, na A;R;B;L;S : Pitágoras nº 28 Or:.Londrina PR., para Aumento de Sal:.

Trabalho sobre: René Descartes Apresentado dia 03/03/2015, na A;R;B;L;S : Pitágoras nº 28 Or:.Londrina PR., para Aumento de Sal:. ARBLS PITAGORAS Nº 28 Fundação : 21 de Abril de 1965 Rua Júlio Cesar Ribeiro, 490 CEP 86001-970 LONDRINA PR JOSE MARIO TOMAL TRABALHO PARA O PERÍODO DE INSTRUÇÃO RENE DESCARTES LONDRINA 2015 JOSE MARIO

Leia mais

O problema do conhecimento

O problema do conhecimento O problema do conhecimento Teoria do conhecimento na Idade Moderna e Contemporânea Aranha, M. L. de A. &, M. H. P. (1986). Filosofando: introdução à filosofia. São Paulo: Moderna (165-170). Introdução

Leia mais

Descartes e o Raciona. Filosofia 11ºAno Professor Paulo Gomes

Descartes e o Raciona. Filosofia 11ºAno Professor Paulo Gomes Descartes e o Raciona Filosofia 11ºAno Professor Paulo Gomes http://sites.google.com/site/filosofarliberta/ O RACIONALISMO -O Racionalismo é uma corrente que defende que a origem do conhecimento é a razão.

Leia mais

Filosofia Moderna. Antecedentes e pensamento cartesiano (epistemologia racionalista)

Filosofia Moderna. Antecedentes e pensamento cartesiano (epistemologia racionalista) Filosofia Moderna Antecedentes e pensamento cartesiano (epistemologia racionalista) O projeto moderno se define, em linhas gerais, pela busca da fundamentação da possibilidade de conhecimento e das teorias

Leia mais

Descartes viveu numa época turbulenta, instável e, por isso, talvez uma das mais

Descartes viveu numa época turbulenta, instável e, por isso, talvez uma das mais A Contextualização de Descartes O século XVI Descartes viveu numa época turbulenta, instável e, por isso, talvez uma das mais profundas da história europeia. Descartes viveu numa época dividida, possuída

Leia mais

A FUNDAMENTAÇÃO METAFÍSICA DA CIÊNCIA CARTESIANA

A FUNDAMENTAÇÃO METAFÍSICA DA CIÊNCIA CARTESIANA A FUNDAMENTAÇÃO METAFÍSICA DA CIÊNCIA CARTESIANA Paulo Rogerio Sequeira de Carvalho Bacharel e licenciado em filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e pósgraduado em Filosofia Medieval

Leia mais

DESCARTES E A FILOSOFIA DO. Programa de Pós-graduação em Educação UEPG Professora Gisele Masson

DESCARTES E A FILOSOFIA DO. Programa de Pós-graduação em Educação UEPG Professora Gisele Masson DESCARTES E A FILOSOFIA DO COGITO Programa de Pós-graduação em Educação UEPG Professora Gisele Masson René Descartes (1596 1650) 1650) Ponto de partida - Constatação da crise das ciências e do saber em

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br A Dúvida Metódica Em Descartes Antonio Wardison Canabrava da Silva* A busca pelo conhecimento é um atributo essencial do pensar filosófico. Desde o surgimento das investigações mitológicas,

Leia mais

REGRAS DO MÉTODO encontrar por si mesmo uma solução evidente que permita reorganizar nossos juízos e separar neles o falso do verdadeiro;

REGRAS DO MÉTODO encontrar por si mesmo uma solução evidente que permita reorganizar nossos juízos e separar neles o falso do verdadeiro; René Descartes REGRAS DO MÉTODO Primeira parte: encontrar por si mesmo uma solução evidente que permita reorganizar nossos juízos e separar neles o falso do verdadeiro; REGRAS DO MÉTODO Método: Meta por,

Leia mais

Filosofia Moderna. Artigo sobre o Erro de Descartes. ogia-sabedoria/16/artigo

Filosofia Moderna. Artigo sobre o Erro de Descartes.  ogia-sabedoria/16/artigo Filosofia Moderna Antecedentes e pensamento cartesiano (epistemologia racionalista) Artigo sobre o Erro de Descartes. http://filosofia.uol.com.br/filosofia/ideol ogia-sabedoria/16/artigo181214-1.asp Filosofia

Leia mais

Fil. Lara Rocha (Leidiane Oliveira)

Fil. Lara Rocha (Leidiane Oliveira) Fil. Semana 17 Lara Rocha (Leidiane Oliveira) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados. Descartes

Leia mais

A REVOLUÇÃO CARTESIANA. Apresentação baseada principalmente em Friedrick Copleston: History of Philosophy, vol. IV.

A REVOLUÇÃO CARTESIANA. Apresentação baseada principalmente em Friedrick Copleston: History of Philosophy, vol. IV. A REVOLUÇÃO CARTESIANA Apresentação baseada principalmente em Friedrick Copleston: History of Philosophy, vol. IV. Descartes (1596-1650) foi educado por jesuítas. Ele iniciou a filosofia moderna com um

Leia mais

A FORÇA DA DÚVIDA E A RESISTÊNCIA DO COGITO NA METAFÍSICA DE DESCARTES THE FORCE OF DOUBT AND THE COGITO RESISTANCE IN THE METAPHYSICS OF DESCARTES

A FORÇA DA DÚVIDA E A RESISTÊNCIA DO COGITO NA METAFÍSICA DE DESCARTES THE FORCE OF DOUBT AND THE COGITO RESISTANCE IN THE METAPHYSICS OF DESCARTES RevistaAmbiente:GestãoeDesenvolvimento3Volume9,n.2,Dezembro/2016 ISSNONLINE:198134127 A FORÇA DA DÚVIDA E A RESISTÊNCIA DO COGITO NA METAFÍSICA DE DESCARTES THE FORCE OF DOUBT AND THE COGITO RESISTANCE

Leia mais

Sócrates: após destruir o saber meramente opinativo, em diálogo com seu interlocutor, dava início ã procura da definição do conceito, de modo que, o

Sócrates: após destruir o saber meramente opinativo, em diálogo com seu interlocutor, dava início ã procura da definição do conceito, de modo que, o A busca da verdade Os filósofos pré-socráticos investigavam a natureza, sua origem de maneira racional. Para eles, o princípio é teórico, fundamento de todas as coisas. Destaca-se Heráclito e Parmênides.

Leia mais

O conhecimento e a incerteza do ponto de vista do ceticismo

O conhecimento e a incerteza do ponto de vista do ceticismo O conhecimento e a incerteza do ponto de vista do ceticismo IF UFRJ Mariano G. David Mônica F. Corrêa 1 O conhecimento e a incerteza do ponto de vista do ceticismo Aula 1: O conhecimento é possível? O

Leia mais

O FUNDAMENTO CARTESIANO DO CONHECIMENTO: UMA RUPTURA COM O ALICERCE FILOSÓFICO TRADICIONAL

O FUNDAMENTO CARTESIANO DO CONHECIMENTO: UMA RUPTURA COM O ALICERCE FILOSÓFICO TRADICIONAL O FUNDAMENTO CARTESIANO DO CONHECIMENTO: UMA RUPTURA COM O ALICERCE FILOSÓFICO TRADICIONAL Maria Helena Ferreira de Sousa 1 RESUMO: Este artigo tem como objetivo mostrar por que Descartes (1596-1650) rompe

Leia mais

Aula 17. OI xuxuzinhos! Filosofia Moderna Descartes

Aula 17. OI xuxuzinhos! Filosofia Moderna Descartes Aula 17 OI xuxuzinhos! Filosofia Moderna Descartes O que é, afinal, conhecer? Conhecer é representar, cuidadosamente, o que é exterior à mente. No processo de conhecimento, dois elementos são indispensáveis:

Leia mais

PROGRAMA ANUAL DE CONTEÚDOS ENSINO FUNDAMENTAL II - 7ª SÉRIE PROFESSOR EDUARDO EMMERICK FILOSOFIA

PROGRAMA ANUAL DE CONTEÚDOS ENSINO FUNDAMENTAL II - 7ª SÉRIE PROFESSOR EDUARDO EMMERICK FILOSOFIA FILOSOFIA 1º VOLUME (separata) FILOSOFIA E A PERCEPÇÃO DO MUNDO Unidade 01 Apresentação O Começo do Pensamento - A coruja é o símbolo da filosofia. - A história do pensamento. O que é Filosofia - Etimologia

Leia mais

RESUMO. Filosofia. Psicologia, JB

RESUMO. Filosofia. Psicologia, JB RESUMO Filosofia Psicologia, JB - 2010 Jorge Barbosa, 2010 1 Saber se o mundo exterior é real e qual a consciência e o conhecimento que temos dele é um dos problemas fundamentais acerca do processo de

Leia mais

A FILOSOFIA DE RENÉ DESCARTES

A FILOSOFIA DE RENÉ DESCARTES Filosofia / Sociologia 3ª Série do Ensino Médio Prof. Danilo Arnaldo Briskievicz A FILOSOFIA DE RENÉ DESCARTES Penso, logo existo? Existo, logo penso? VIDA René Descartes, nascido em 1596 em La Haye -

Leia mais

n. 26 PRODUTO CARTESIANO

n. 26 PRODUTO CARTESIANO n. 26 PRODUTO CARTESIANO Os nomes Plano Cartesiano e Produto Cartesiano são homenagens ao seu criador René Descartes (1596 1650), filósofo e matemático francês. O nome de Descartes em Latim era Renatus

Leia mais

França René Descartes ( ) Inglaterra John Locke ( ) e David Hume - ( ) Alemanha Immanuel Kant ( )

França René Descartes ( ) Inglaterra John Locke ( ) e David Hume - ( ) Alemanha Immanuel Kant ( ) Antecedentes filosóficos da fenomenologia França René Descartes (1596 1650) Inglaterra John Locke (1632 1704) e David Hume - ( 1711 1776) Alemanha Immanuel Kant (1724 1804) Os gregos indagavam: Como o

Leia mais

FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA

FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE FILOSOFIA Mais uma vez a UFPR oferece aos alunos uma prova exigente e bem elaborada, com perguntas formuladas com esmero e citações muito pertinentes. A prova de filosofia da UFPR

Leia mais

Origem do conhecimento

Origem do conhecimento 1.2.1. Origem do conhecimento ORIGEM DO CONHECIMENTO RACIONALISMO (Racionalismo do século XVII) EMPIRISMO (Empirismo inglês do século XVIII) Filósofos: René Descartes (1596-1650) Gottfried Leibniz (1646-1716)

Leia mais

Uma introdução acerca das Meditações cartesianas

Uma introdução acerca das Meditações cartesianas UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE EDUCAÇÃO CEDUC II DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS SOCIAIS DFCS SAMARA RAQUEL DA SILVA COSTA Uma introdução acerca das Meditações cartesianas CAMPINA GRANDE

Leia mais

FILOSOFIA MODERNA: DESCARTES E KANT (CURSINHO)

FILOSOFIA MODERNA: DESCARTES E KANT (CURSINHO) FILOSOFIA MODERNA: DESCARTES E KANT (CURSINHO) RENÉ DESCARTES (1596-1650): A DÚVIDA METÓDICA E O MÉTODO CARTESIANO POR QUE O MÉTODO? Ruiu a autoridade da Igreja em termos de conhecimento e definição do

Leia mais

IV Análise comparativa de duas teorias explicativas do conhecimento - Trabalho de investigação e debate Descartes versus Hume

IV Análise comparativa de duas teorias explicativas do conhecimento - Trabalho de investigação e debate Descartes versus Hume IV. 1-1.2 Análise comparativa de duas teorias explicativas do conhecimento - Trabalho de investigação e debate Descartes versus Hume I - Proposta A - Fundamentação Propõe-se um debate entre grupos de trabalho

Leia mais

A prova cosmológica da existência de deus em René Descartes: o princípio de causalidade como elemento fundamental

A prova cosmológica da existência de deus em René Descartes: o princípio de causalidade como elemento fundamental em René Descartes: o princípio de causalidade como elemento fundamental The cosmological proof of the existence of God in René Descartes: the principle of causality as a fundamental element Letícia Luiz

Leia mais

A Filosofia Moderna e Descartes (*) Eduardo O C Chaves

A Filosofia Moderna e Descartes (*) Eduardo O C Chaves Este e outros textos de Eduardo Chaves podem ser encontrados em: http://www.chaves.com.br/menuport/publicsp.htm I. A Filosofia Pré-Moderna: Tendências Básicas A Filosofia Moderna e Descartes (*) Eduardo

Leia mais

Preocupações do pensamento. kantiano

Preocupações do pensamento. kantiano Kant Preocupações do pensamento Correntes filosóficas Racionalismo cartesiano Empirismo humeano kantiano Como é possível conhecer? Crítica da Razão Pura Como o Homem deve agir? Problema ético Crítica da

Leia mais

2- A Dúvida Metódica e o Cogito

2- A Dúvida Metódica e o Cogito 2- A Dúvida Metódica e o Cogito 2.1- A Dúvida Metódica 2.1.1 - A função e as principais características da Dúvida Metódica A função essencial da dúvida metódica é purificar o entendimento de todo prejuízo

Leia mais

CRÍTICA DE HEIDEGGER A DESCARTES

CRÍTICA DE HEIDEGGER A DESCARTES CRÍTICA DE HEIDEGGER A DESCARTES Guilherme Devequi Quintilhano Orientador: Prof. Dr. Eder Soares Santos RESUMO Nesta comunicação será apresentada uma crítica de Martin Heidegger, filósofo contemporâneo,

Leia mais

O CRITÉRIO EPISTEMOLÓGICO DA EVIDÊNCIA E CLAREZA EM DESCARTES THE EPISTEMOLOGICAL CRITERION OF EVIDENCE AND CLARITY IN DESCARTES

O CRITÉRIO EPISTEMOLÓGICO DA EVIDÊNCIA E CLAREZA EM DESCARTES THE EPISTEMOLOGICAL CRITERION OF EVIDENCE AND CLARITY IN DESCARTES O CRITÉRIO EPISTEMOLÓGICO DA EVIDÊNCIA E CLAREZA EM DESCARTES THE EPISTEMOLOGICAL CRITERION OF EVIDENCE AND CLARITY IN DESCARTES Angela Gonçalves 1 Resumo: Primeiramente explicitarei o primeiro preceito

Leia mais

A Filosofia Moderna e Descartes (*)

A Filosofia Moderna e Descartes (*) A Filosofia Moderna e Descartes (*) Eduardo O. C. Chaves I. A Filosofia Pré-Moderna: Tendências Básicas Para entender a filosofia moderna é necessário entender a filosofia que a precedeu a medieval e,

Leia mais

Professor Ricardo da Cruz Assis Filosofia - Ensino Médio FILOSOFIA MODERNA

Professor Ricardo da Cruz Assis Filosofia - Ensino Médio FILOSOFIA MODERNA Professor Ricardo da Cruz Assis Filosofia - Ensino Médio FILOSOFIA MODERNA 1 Filosofia moderna é toda a filosofia que se desenvolveu durante os séculos XV, XVI, XVII, XVIII, XIX; começando pelo Renascimento

Leia mais

Descartes ( ) a) Quem Era?

Descartes ( ) a) Quem Era? Descartes (1596-1650) a) Quem Era? René Descartes viveu no começo do século XVII, num período por vezes chamado de Revolução Científica, uma era de rápidos avanços nas ciências, O cientista e filósofo

Leia mais

Racionalismo Capítulo XXXIII

Racionalismo Capítulo XXXIII Racionalismo Capítulo XXXIII Renè Descartes (ou Catesio, 1596 1650) Doutrina: I) Método: Meta ou Finalidade: Estabelecer uma ciência geral que permaneça a mesma aplicada a vários sujeitos. Para obtê-la,

Leia mais

FILOSOFIA MODERNA (XIV)

FILOSOFIA MODERNA (XIV) FILOSOFIA MODERNA (XIV) CORRENTES EPSTEMOLÓGICAS (I) Racionalismo Inatismo: existem ideias inatas, ou fundadoras, de onde se origina todo o conhecimento. Ideias que não dependem de um objeto. Idealismo:

Leia mais

O PAPEL DA VONTADE NA CONSTITUIÇÃO DO ERRO NA QUARTA MEDITAÇÃO DE DESCARTES Diôgo Costa Fernandes

O PAPEL DA VONTADE NA CONSTITUIÇÃO DO ERRO NA QUARTA MEDITAÇÃO DE DESCARTES Diôgo Costa Fernandes O PAPEL DA VONTADE NA CONSTITUIÇÃO DO ERRO NA QUARTA MEDITAÇÃO DE DESCARTES Diôgo Costa Fernandes Graduado em Filosofia pela Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE) RESUMO O filósofo René Descartes

Leia mais

O verdadeiro conhecimento ética utilitarista procede da razão

O verdadeiro conhecimento ética utilitarista procede da razão CONTEÚDO FILOSOFIA Avaliação Mensal Professora Célia Reinaux 6º ANO Módulo Unidade 3 A sombra na madrugada Páginas 34 até 39 Um obstáculo na trilha Páginas 40 até 46 Filósofos trabalhados: René Descartes

Leia mais

Filosofia (aula 10) Dimmy Chaar Prof. de Filosofia. SAE

Filosofia (aula 10) Dimmy Chaar Prof. de Filosofia. SAE Filosofia (aula 10) Prof. de Filosofia SAE leodcc@hotmail.com Gnosiologia (GNOSIOLOGIA) - Relação do sujeito cognoscente com o objeto cognoscível. (GNOSIOLOGIA) - Relação do sujeito cognoscente com o objeto

Leia mais

A teoria do conhecimento

A teoria do conhecimento conhecimento 1 A filosofia se divide em três grandes campos de investigação. A teoria da ciência, a teoria dos valores e a concepção de universo. Esta última é na verdade a metafísica; a teoria dos valores

Leia mais

Teoria do conhecimento de David Hume

Teoria do conhecimento de David Hume Hume e o empirismo radical Premissas gerais empiristas de David Hume ( que partilha com os outros empiristas ) Convicções pessoais de David Hume: Negação das ideias inatas A mente é uma tábua rasa/folha

Leia mais

ATIVIDADE: AV. PARCIAL 3ª ETAPA DISCIPLINA: FILOSOFIA 2º ANO

ATIVIDADE: AV. PARCIAL 3ª ETAPA DISCIPLINA: FILOSOFIA 2º ANO ATIVIDADE: AV. PARCIAL 3ª ETAPA DISCIPLINA: FILOSOFIA 2º ANO QUESTÃO 0 Kant mostrou que a estrutura do pensamento se dá sob a forma de juízos. A partir dessa hipótese, elaborou as doze formas de juízos

Leia mais

Considerações sobre a teoria cartesiana do conhecimento (Epistemologia)

Considerações sobre a teoria cartesiana do conhecimento (Epistemologia) Considerações sobre a teoria cartesiana do conhecimento (Epistemologia) Aristóteles caiu e agora? A filosofia medieval, fundada na doutrina aristotélica, sucumbia às pressões do Renascimento e da modernidade.

Leia mais

Revista do Seminário dos Alunos do PPGLM/UFRJ, v. 6, n. 1, (ISSN: )

Revista do Seminário dos Alunos do PPGLM/UFRJ, v. 6, n. 1, (ISSN: ) NOTAS SOBRE A DÚVIDA CARTESANA Juliana Abuzaglo Elias Martins 1 RESUMO: O texto aborda a dúvida cartesiana, mostrando suas etapas e seu objetivo. Mais especificamente, nos debruçaremos sobre um dos aspectos

Leia mais

1 - ) Investigação textual:

1 - ) Investigação textual: Plano de Aula de Filosofia para o Ensino Médio Tema: Empirismo e Criticismo Antes de aplicar a aula, o professor deve preparar uma caixa não muito grande, pouco menor que uma laranja. Dentro, o professor

Leia mais

O que é o conhecimento?

O que é o conhecimento? Disciplina: Filosofia Ano: 11º Ano letivo: 2012/2013 O que é o conhecimento? Texto de Apoio 1. Tipos de Conhecimento No quotidiano falamos de conhecimento, de crenças que estão fortemente apoiadas por

Leia mais

Educar em Revista ISSN: ISSN: Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná

Educar em Revista ISSN: ISSN: Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná Educar em Revista ISSN: 0104-4060 ISSN: 1984-0411 Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná Análise da trama de argumentos na obra "Meditações" cartesianas na construção da ideia do "Cogito":

Leia mais

Daniel Manzoni de Almeida 1

Daniel Manzoni de Almeida 1 Análise da trama de argumentos na obra Meditações cartesianas na construção da ideia do Cogito : uma proposta para um modelo didático para o ensino de Filosofia An analysis of arguments schemes in the

Leia mais

DESCARTES E O COMEÇO ABSOLUTO: A INTERPRETAÇÃO HEGELIANA SOBRE DESCARTES

DESCARTES E O COMEÇO ABSOLUTO: A INTERPRETAÇÃO HEGELIANA SOBRE DESCARTES 44 DESCARTES E O COMEÇO ABSOLUTO: A INTERPRETAÇÃO HEGELIANA SOBRE DESCARTES Carlos Gustavo Monteiro Cherri 1 Resumo Segundo Hegel, a Filosofia Moderna se inicia com Descartes. Hoje em dia, tal afirmação

Leia mais

FILOSOFIA QUESTÃO 01. Com base no pensamento de Parmênides, assinale a alternativa correta.

FILOSOFIA QUESTÃO 01. Com base no pensamento de Parmênides, assinale a alternativa correta. Processo Seletivo/UFU - 2009/2-2ª Prova Comum TIPO 1 FILOSOFIA QUESTÃO 01 Leia o texto abaixo: Afasta o pensamento desse caminho de busca e que o hábito nascido de muitas experiências humanas não te force,

Leia mais

Hume e o empirismo radical

Hume e o empirismo radical Hume e o empirismo radical Premissas empiristas de David Hume (que partilha com os outros empiristas) Não há ideias inatas A mente é uma tábula rasa/folha em branco Todo o conhecimento deriva da experiência

Leia mais

Versão 1. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Versão 1. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Filosofia Versão 1 Teste Intermédio Filosofia Versão 1 Duração do Teste: 90 minutos 17.04.2013 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Na folha de respostas,

Leia mais

Entrelinha 1,5. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Entrelinha 1,5. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Filosofia Entrelinha 1,5 Teste Intermédio Filosofia Entrelinha 1,5 (Versão única igual à Versão 1) Duração do Teste: 90 minutos 17.04.2013 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004,

Leia mais

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Recuperação do 4 Bimestre disciplina Filosofia 2º Ano EM A B Conteúdo: Introdução ao Período Moderno Filosofia René Descartes Regras do Método Filosofia Espinosa

Leia mais

PESSOA, LOGOS E EDUCAÇÃO A PERSPECTIVA ANTROPOLÓGICA DE VIKTOR FRANKL Considerações Finais

PESSOA, LOGOS E EDUCAÇÃO A PERSPECTIVA ANTROPOLÓGICA DE VIKTOR FRANKL Considerações Finais PESSOA, LOGOS E EDUCAÇÃO A PERSPECTIVA ANTROPOLÓGICA DE VIKTOR FRANKL Considerações Finais Eloisa Marques Miguez Universidade de São Paulo/Faculdade de Educação 2º semestre de 2011 Seminários de Estudos

Leia mais

HERMENÊUTICA E INTERPRETAÇÃO

HERMENÊUTICA E INTERPRETAÇÃO HERMENÊUTICA E INTERPRETAÇÃO Hermenêutica e Interpretação não são sinônimos: HERMENÊUTICA: teoria geral da interpretação (métodos, estratégias, instrumentos) INTERPRETAÇÃO: aplicação da teoria geral para

Leia mais

TEORIA DO CONHECIMENTO Immanuel Kant ( )

TEORIA DO CONHECIMENTO Immanuel Kant ( ) TEORIA DO CONHECIMENTO Immanuel Kant (1724-1804) Obras de destaque da Filosofia Kantiana Epistemologia - Crítica da Razão Pura (1781) Prolegômenos e a toda a Metafísica Futura (1783) Ética - Crítica da

Leia mais

SOBRE A NOÇÃO DE MORAL PROVISÓRIA EM DESCARTES 1

SOBRE A NOÇÃO DE MORAL PROVISÓRIA EM DESCARTES 1 SOBRE A NOÇÃO DE MORAL PROVISÓRIA EM DESCARTES 1 Fabiano Pereira Dos Santos 2, Maciel Antoninho Viera 3. 1 Ensaio teórico acerca de estudos sobre moral provisória de René Descartes 2 Graduando do curso

Leia mais

1- O Método Cartesiano

1- O Método Cartesiano 1- O Método Cartesiano 1.1- A necessidade e a função geral do método Embora o objetivo maior deste trabalho seja a análise das provas da existência de Deus nas Meditações Metafísicas, não prescindimos

Leia mais

Filosofia (aula 9) Dimmy Chaar Prof. de Filosofia. SAE

Filosofia (aula 9) Dimmy Chaar Prof. de Filosofia. SAE Filosofia (aula 9) Prof. de Filosofia SAE leodcc@hotmail.com Lógica O problema lógico, embora para alguns possa parecer artificial, impõe-se por si. Ele surge logo que se nota que alguns conhecimentos

Leia mais

O ARGUMENTO DO SONHO NO TEETETO DE PLATÃO: UMA ABORDAGEM EXTERNALISTA (2011)

O ARGUMENTO DO SONHO NO TEETETO DE PLATÃO: UMA ABORDAGEM EXTERNALISTA (2011) O ARGUMENTO DO SONHO NO TEETETO DE PLATÃO: UMA ABORDAGEM EXTERNALISTA (2011) ZARTH, Fernando Henrique Faustini 1 1 Mestrando em Filosofia, bolsista CAPES - Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa

Leia mais

Resolução de Questões Específicas de Filosofia e Sociologia Aula 2

Resolução de Questões Específicas de Filosofia e Sociologia Aula 2 Resolução de Questões Específicas de Filosofia e Sociologia Aula 2 Resolução de Questões Específicas de Filosofia e Sociologia Aula 2 (UFPR 2007) As questões 1, 2 e 3 referem-se ao texto a seguir. bem

Leia mais

FILOSOFIA Capítulo 09 Epistemologia moderna

FILOSOFIA Capítulo 09 Epistemologia moderna FILOSOFIA Capítulo 09 Epistemologia moderna A BUSCA PELO CAMINHO QUE LEVA À VERDADE 01 RACIONALISMO MODERNO 03 EMPIRISMO MODERNO 11 O EMPIRISMO INGLÊS 13 EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 20 EXERCÍCIOS PROPOSTOS 21

Leia mais

FUNDAMENTOS DA GESTÃO DO CONHECIMENTO NA MODERNIDADE: RENÉ DESCARTES

FUNDAMENTOS DA GESTÃO DO CONHECIMENTO NA MODERNIDADE: RENÉ DESCARTES FUNDAMENTOS DA GESTÃO DO CONHECIMENTO NA MODERNIDADE: RENÉ DESCARTES Ricardo Vélez Rodríguez Coordenador do Centro de Pesquisas Estratégicas Paulino Soares de Sousa, da Universidade Federal de Juiz de

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Na folha de respostas, indique de forma legível a versão da prova (Versão 1 ou Versão 2).

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Na folha de respostas, indique de forma legível a versão da prova (Versão 1 ou Versão 2). EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Filosofia 11.º Ano de Escolaridade Prova 714/2.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30

Leia mais

O Racionalismo em David Hume

O Racionalismo em David Hume O Racionalismo em David Hume Lorena Fiungo da Silva 1 Resumo: O presente estudo tem como objetivo expor a teoria do conhecimento em David Hume e como ele problematiza o racionalismo. Para tanto, pretende-se

Leia mais

Processo Seletivo/UFU - abril ª Prova Comum - PROVA TIPO 1 FILOSOFIA QUESTÃO 01

Processo Seletivo/UFU - abril ª Prova Comum - PROVA TIPO 1 FILOSOFIA QUESTÃO 01 FILOSOFIA QUESTÃO 01 Considere as seguintes afirmações de Aristóteles e assinale a alternativa correta. I -... é a ciência dos primeiros princípios e das primeiras causas. II -... é a ciência do ser enquanto

Leia mais

Do corpo em face da dúvida: explicação das duas primeiras Meditações Metafísicas

Do corpo em face da dúvida: explicação das duas primeiras Meditações Metafísicas Do corpo em face da dúvida: explicação das duas primeiras Meditações Metafísicas Roberto S. Kahlmeyer-Mertens 1 Resumo: O artigo pretende uma apresentação didática das duas primeiras Meditações Metafísicas

Leia mais

O nosso conhecimento do mundo que nos rodeia

O nosso conhecimento do mundo que nos rodeia O nosso conhecimento do mundo que nos rodeia Num canto remoto do universo, cheio e resplandecente de inúmeros sistemas solares, houve uma vez uma estrela onde animais inteligentes inventaram o conhecimento.

Leia mais

Page 1 of 8.

Page 1 of 8. Page 1 of 8 Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Fundamentos da Filosofia Educador: João Nascimento Borges Filho Descartes

Leia mais

O CONCEITO DE REALIDADE OBJETIVA NA TERCEIRA MEDITAÇÃO DE DESCARTES 1

O CONCEITO DE REALIDADE OBJETIVA NA TERCEIRA MEDITAÇÃO DE DESCARTES 1 NA TERCEIRA MEDITAÇÃO DE DESCARTES 1 ETHEL MENEZES ROCHA Ethel Menezes Rocha UFRJ O objetivo deste texto é problematizar a tese de que a intencionalidade da representação na teoria cartesiana das idéias

Leia mais

Realismo como Fundamento Empírico ou Ideias

Realismo como Fundamento Empírico ou Ideias Realismo como Fundamento Empírico ou Ideias Angela Gonçalves PUC-RS Resumo: O presente artigo tem a finalidade de mostrar a influência do ceticismo na estratégia cartesiana para chegar à primeira verdade.

Leia mais

INSTITUTO DE TREINAMENTO E PESQUISA EM GESTALT TERAPIA DE GOIÂNIA-ITGT TEORIA DO CONHECIMENTO

INSTITUTO DE TREINAMENTO E PESQUISA EM GESTALT TERAPIA DE GOIÂNIA-ITGT TEORIA DO CONHECIMENTO TEORIA DO CONHECIMENTO - Embora os filósofos da Antiguidade e da Idade Média tratassem de questões referentes ao conhecimento, não se pode dizer que a teoria do conhecimento existisse enquanto disciplina

Leia mais

CONHECIMENTO, REALIDADE E VERDADE

CONHECIMENTO, REALIDADE E VERDADE CONHECIMENTO, REALIDADE E VERDADE SERÁ QUE TUDO QUE VEJO É REAL e VERDADEIRO? Realidade Realismo A primeira opção, chamada provisoriamente de realismo : supõe que a realidade é uma dimensão objetiva,

Leia mais

1ª Lição: Considerações sobre a teoria do conhecimento de David Hume (Edimburgo )

1ª Lição: Considerações sobre a teoria do conhecimento de David Hume (Edimburgo ) 1ª Lição: Considerações sobre a teoria do conhecimento de David Hume (Edimburgo 1711-1776) A teoria do conhecimento de David Hume posiciona-se contra o racionalismo. Começa por concordar com Descartes

Leia mais

1. Explicite os graus de sabedoria propostos por Descartes. 2. Indique e justifique o grau de sabedoria privilegiado por Descartes.

1. Explicite os graus de sabedoria propostos por Descartes. 2. Indique e justifique o grau de sabedoria privilegiado por Descartes. Descartes: Da Possibilidade do conhecimento Texto 1: Graus de Sabedoria e quais são os graus de sabedoria a que se chegou. O primeiro grau contém noções tão claras em si próprias que podem ser adquiridas

Leia mais

A Filosofia de Descartes. Sua Vida

A Filosofia de Descartes. Sua Vida A Filosofia de Descartes 1 Sua Vida René Descartes, nascido em 1596 em La Haye - não a cidade dos Países-Baixos, mas um povoado da Touraine, numa família nobre - terá o título de senhor de Perron, pequeno

Leia mais

RENÉ DESCARTES ( )

RENÉ DESCARTES ( ) RENÉ DESCARTES (1596 1650) Mais importante como filósofo do que como cientista. Entretanto, foi um dos autores que mais influenciaram Newton. Autor do célebre Discurso do Método (1637), onde apresenta

Leia mais

Locke ( ) iniciou o movimento chamado de EMPIRISMO INGLÊS. Material adaptado, produzido por Cláudio, da UFRN, 2012.

Locke ( ) iniciou o movimento chamado de EMPIRISMO INGLÊS. Material adaptado, produzido por Cláudio, da UFRN, 2012. Locke (1632-1704) iniciou o movimento chamado de EMPIRISMO INGLÊS. Material adaptado, produzido por Cláudio, da UFRN, 2012. Racionalismo x Empirismo O que diz o Racionalismo (Descartes, Spinoza, Leibiniz)?

Leia mais

DÚVIDA E EPISTEMOLOGIA NA CONSTRUÇÃO DA METAFÍSICA CARTESIANA. 1

DÚVIDA E EPISTEMOLOGIA NA CONSTRUÇÃO DA METAFÍSICA CARTESIANA. 1 DÚVIDA E EPISTEMOLOGIA NA CONSTRUÇÃO DA METAFÍSICA CARTESIANA. 1 Luis Carlos Ribeiro Alves 2 RESUMO: Pretendemos analisar o processo de desenvolvimento da metafísica cartesiana a partir utilização da duvida

Leia mais

DOSSIÊ SOBRE O RACIONALISMO DE DESCARTES DOSSIÊ SOBRE O RACIONALISMO DE DESCARTES

DOSSIÊ SOBRE O RACIONALISMO DE DESCARTES DOSSIÊ SOBRE O RACIONALISMO DE DESCARTES DOSSIÊ SOBRE O RACIONALISMO DE DESCARTES DOSSIÊ SOBRE O RACIONALISMO DE DESCARTES I Síntese da teoria cartesiana do conhecimento O projeto Construir um sistema de verdades indubitáveis em que de uma verdade

Leia mais

Filosofia (aula 10) Dimmy Chaar Prof. de Filosofia. SAE

Filosofia (aula 10) Dimmy Chaar Prof. de Filosofia. SAE Filosofia (aula 10) Prof. de Filosofia SAE leodcc@hotmail.com Lógica Tipos de Argumentação Dedução parte-se do Universal para o Particular Tipos de Argumentação Dedução parte-se do Universal para o Particular;

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul QUESTÃO: 13 Conforme o gabarito da prova de Filosofia, a resposta correta da questão 13 sobre a ética em Aristóteles é a alternativa d) II, III, V. A formulação do último número, V. O ato virtuoso pressupõe

Leia mais

O gap entre res cogitans e res extensa sob o crivo da neurociência de António Damásio

O gap entre res cogitans e res extensa sob o crivo da neurociência de António Damásio O gap entre res cogitans e res extensa sob o crivo da neurociência de António Damásio Francisco Jozivan Guedes de Lima RESUMO: A comunicação objetiva problematizar a dicotomia cartesiana entre res cogitans

Leia mais

Resenha HOBBES CONTRA DESCARTES

Resenha HOBBES CONTRA DESCARTES Resenha HOBBES CONTRA DESCARTES CURLEY, Edwin 1. Hobbes contre Descartes. IN: Descartes Objecter et répondre. (Org.) J. -M. Beyssade; J. - L. Marion. 1994. - p. 149-162. Edgard Vinícius Cacho Zanette 2

Leia mais

Unidade 2 Conceito de Funções

Unidade 2 Conceito de Funções Unidade 2 Conceito de Funções Conceito Sistema Cartesiano Ortogonal Estudo do domínio, contradomínio e imagem de função Representações de funções por meio de tabelas, gráficos e fórmulas Conceito de Função

Leia mais

As provas da existência de Deus nas Meditações Metafísicas de René Descartes

As provas da existência de Deus nas Meditações Metafísicas de René Descartes João André Fernandes da Silva As provas da existência de Deus nas Meditações Metafísicas de René Descartes Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pós-graduação em Filosofia da PUC-Rio

Leia mais

KANT: A DISTINÇÃO ENTRE METAFÍSICA E CIÊNCIA. Marcos Vinicio Guimarães Giusti Instituto Federal Fluminense

KANT: A DISTINÇÃO ENTRE METAFÍSICA E CIÊNCIA. Marcos Vinicio Guimarães Giusti Instituto Federal Fluminense KANT: A DISTINÇÃO ENTRE METAFÍSICA E CIÊNCIA Marcos Vinicio Guimarães Giusti Instituto Federal Fluminense marcos_giusti@uol.com.br Resumo: A crítica kantiana à metafísica, diferentemente do que exprimem

Leia mais