Área 01. Administração Geral. Subárea Rotinas Administrativas. Carga horária: 16 horas. Participantes: 30

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Área 01. Administração Geral. Subárea 01.1. Rotinas Administrativas. Carga horária: 16 horas. Participantes: 30"

Transcrição

1 EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 017/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE INSTRUTORIA EDITAL DE RETIFICAÇÃO O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVIMOS NO ESTADO DE SÃO PAULO SESCOOP/SP, tendo em vista o Edital de Credenciamento nº 17/2010 Prestação de Serviço de Instrutoria, informa a ABERTURA de cursos, que a partir desta data, passam a fazer parte em complementação ao Anexo II do referido Edital e seguem as determinações e orientações contidas no mesmo. Área 01. Administração Geral Subárea Rotinas Administrativas Carga horária: 16 horas Participantes: 30 Objetivo: dar aos participantes conhecimentos e habilidades que permitam executar algumas das principais tarefas envolvidas na rotina de um setor de administração, além de trabalhar de acordo com as principais técnicas administrativas. I. Fluxo de documentos II. Arquivo III. Departamentos de uma cooperativa IV. Constituição de uma cooperativa V. Preenchimento de documentos financeiros/contábeis VI. Redação de documentos administrativos Subárea Técnicas Administrativas Carga Horária: 16 horas Participantes: 30 Objetivo: Dar Aos Participantes Conhecimentos E Habilidades Necessários Para Atuar Nas Diversas Frentes Da Área Administrativa De Uma Organização, Contribuindo Para Que Os Melhores Resultados Sejam Alcançados E Para Que As Atividades Das Áreas Finalísticas Desenvolvam-Se Com A Qualidade Desejada. I. Administração E Organização De Uma Cooperativa II. Organograma III. Níveis administrativos e hierárquicos IV. Contratos redação; partes V. Fluxograma de atividades VI. Papéis timbrados VII. Mala direta VIII. Cartas comerciais

2 IX. Documentos comunicação interna X. Informática XI. Organização da documentação XII. Técnicas de arquivamento XIII. Atendimento telefônico XIV. Internet XV. Enviar, receber e encaminhar s XVI. Arquivos anexos a s XVII. Documentos em formato PDF XVIII. Técnicas de secretariado XIX. Organização de reuniões e eventos Subárea O, S & M - Organização Sistemas E Métodos Carga horária: 16 horas Participantes: 30 Objetivo: dar aos participantes conhecimentos e habilidades para trabalhar com princípios e normas de planejamento, organização, direção, coordenação e controle dos esforços de grupos de indivíduos que se associam para atingir um resultado comum. I. Introdução a osm II. Objetivos da área de osm III. Conceitos da organização, sistemas e métodos. IV. Função de osm V. Atividades básicas da área de osm VI. Estrutura organizacional da área de osm VII. Fases de uma área de osm Subárea S /Housekeeping Carga horária: 16 horas Participantes: 30 Objetivo: dar aos participantes conhecimentos e habilidades que permitam sua atuação na implantação de um programa 5 s /housekeeping em suas cooperativas, com vistas à redução de custos, à melhoria da qualidade,ao bem estar das pessoas, à prevenção de acidentes e às questões ligadas à limpeza e higiene. I. A importância de se trabalhar e produzir em um local organizado II. Organização e limpeza melhoram a vida da cooperativa e das pessoas III. Os custos da desarrumação: perda de qualidade e de produtividade x ganho de riscos e insegurança IV. O que são os 5 s? V. O primeiro s (seiri): liberação de área

3 VI. O segundo s (seiton): organização VII. O terceiro s (seiso): limpeza VIII. O quarto s (seiketsu): padronização IX. O quinto s (shitsuke): disciplina X. Housekeeping: conceito e aplicação XI. Atividade prática Subárea Estruturação e Realização de Reuniões Assertivas Carga horária: 8 horas Objetivo do curso: Aprender a estruturar, preparar materiais, conduzir reuniões e formalizar os seus resultados. Conteúdo programático: I. Objetivos e propósitos; II. Frequência / periodicidade; III. Preparação da reunião; IV. Convocação e confirmação; V. Condução da reunião; VI. Elaboração de atas. Área 02. Planejamento Subárea Planejamento Estratégico Carga horária: 16 horas Objetivo: dar aos participantes os conhecimentos e as habilidades sobre o processo de planejamento estratégico empresarial, apresentando técnicas que demonstram o valor da utilização de ferramentas de planejamento como grande diferencial para as cooperativas. I. Objetivo do planejamento estratégico II. Contexto atual de negócios III. stakeholders IV. Definindo visão e missão V. Oportunidades e ameaças VI. Pontos fortes e fracos VII. Fatores críticos VIII. Matriz swot IX. Análise do ambiente externo X. Definição de objetivos e estratégias XI. Matriz bcg XII. Bsc Subárea Planejamento Financeiro Carga horária: 16 horas

4 Objetivo: dar aos participantes os conhecimentos e as habilidades para analisar e projetar estratégias empresariais a partir de informações financeiras. I. Administração financeira da empresa II. Projetar o fluxo de caixa III. Fatores que influenciam o planejamento IV. Definição de metas com base nos resultados gerenciais Subárea Planejamento Orçamentário Carga horária: 16 horas Objetivo: dar aos participantes conhecimentos e habilidades planejamento orçamentário, orçamento matricial e os novos recursos e softwares para o planejamento e controle orçamentário, a partir de abordagens sobre as práticas usuais do mercado. I. As principais práticas de planejamento orçamentário II. Implantação do planejamento orçamentário III. Macro visão do processo de planejamento orçamentário IV. O controle orçamentário V. O orçamento matricial VI. Ambiente tecnológico e softwares para planejamento orçamentário Subárea Planejamento Econômico Carga horária: 16 horas Objetivo: dar aos participantes conhecimentos e habilidades necessários à compreensão dos cenários, tendências e principais características da economia, com o fim de possibilitar-lhe melhores condições de elaborar um planejamento econômico. I. Cenários e tendências da economia II. Visão de negócio: business to business III. Gestão econômico-financeira IV. A linguagem dos números V. Contabilidade gerencial de custos VI. O lucro bruto, mix e as cotas de venda VII. Demonstrações financeiras: as peças VIII. Análise das demonstrações financeiras IX. O fluxo de caixa e a gestão do capital de giro X. O orçamento empresarial Subárea Planejamento Estratégico - Reciclagem Carga horária: 8 horas

5 Objetivo: Relembrar conceitos de planejamento estratégico, por meio de técnicas e ferramentas específicas, para a aplicação no dia a dia das cooperativas. I. Objetivo do planejamento estratégico alinhados à visão e missão da cooperativa II. Contexto atual de negócios da cooperativa III. Análise do ambiente interno e externo - matriz SWOT IV. Matriz BCG V. Balanced Scorecard VI. Definição de objetivos e estratégias Subárea Planejamento Financeiro - Reciclagem Carga horária: 08 horas Objetivo: Relembrar conhecimentos para os participantes analisarem e aplicarem estratégias empresariais a partir de informações financeiras. I. Administração financeira da empresa II. Projetar o fluxo de caixa III. Fatores que influenciam o planejamento financeira IV. Definição de metas com base nos resultados gerenciais Área 03. Gestão Estratégica Subárea Cultura Organizacional Carga horária: 16 horas Objetivos: proporcionar conhecimentos e habilidades que permitam compreender a cultura de uma organização como um fator importante para o desenvolvimento da gestão de pessoas e do seu posicionamento estratégico. I. Cultura organizacional e os seus elementos II. Os tipos de cultura organizacional III. A importância do indivíduo nas organizações IV. Estruturas organizacionais V. Elementos da cultura organizacional VI. Gestão de cultura organizacional VII. Clima versus cultura organizacional Subárea Gestão Da Inovação Carga horária: 16 horas

6 Objetivo: dar aos participantes, profissionais das mais diversas áreas, conhecimentos e habilidades sobre os temas referentes à gestão da inovação, instrumentalizando-os para identificar e discutir os principais desafios para a inovação na cooperativa. I. Sistema nacional de inovação II. Criatividade e inovação III. Aptidões e papéis no processo de inovação IV. Adoção de inovações V. Inovação de produtos VI. Inovação em serviços VII. Estrutura organizacional para inovação VIII. Cultura organizacional e inovação IX. Avaliação e seleção de projetos de inovação Subárea Plano De Negócios Carga horária: 16 horas Objetivo: dar aos participantes conhecimentos e habilidades sobre as técnicas de elaboração de planos de negócios, que possam servir de base a essas elaborações em suas cooperativas. I. Introdução a planos de negócios II. Definição de plano de negócios III. Diferenciando ideias de oportunidades de negócios cooperativistas IV. Análise de mercado e estratégias de marketing para cooperativas V. Passo a passo para formulação de um plano de negócios cooperativistas VI. Interpretação das projeções financeiras VII. Exemplos de planos de negócios completos VIII. Método de avaliação de cooperativas pelo plano de negócios IX. Erros e armadilhas fatais que você deve evitar ao formular um plano de negócios X. Formas de apresentação do plano de negócios XI. Estratégias para abordagem de investidores e parceiros Subárea Empreendedorismo Carga horária: 16 horas Objetivos: dar aos participantes conhecimentos e habilidades que possibilitem a utilização das ferramentas necessárias ao aprimoramento para criar, renovar, modificar, implementar e conduzir empreendimentos inovadores. I. O empreendedor II. O papel do empreendedor III. Perfil do empreendedor IV. O projeto do empreendimento V. Características do comportamento empreendedor

7 VI. Como fazer o plano de negócios VII. Diferenças e similaridade entre o administrador e o empreendedor VIII. Fatores inibidores do potencial empreendedor IX. Novas tendências e abordagens X. Empreendedorismo juvenil Subárea Administração Do Tempo Carga horária: 16 horas Objetivo: dar aos participantes conhecimentos e habilidades relativos às técnicas de administração e controle do tempo de trabalho, possibilitando-lhes melhorar seu desempenho no exercício das suas funções. I. Por que administrar o tempo? II. A administração do tempo aumentando a produtividade no trabalho III. Controlando seu tempo IV. A administração por objetivos V. Administração do tempo e redução do stress VI. Alguns passos para gerenciar seu tempo com maior eficácia VII. Ferramentas de administração do tempo VIII. Erros e falhas na administração do tempo Subárea Criatividade E Inovação Carga horária: 16 horas Objetivo: dar aos participantes conhecimentos e habilidades sobre criatividade, possibilitando a visualização da sua capacidade de mobilizar a capacidade criativa no enfrentamento de novas situações em seu dia a dia de trabalho, que permitam utilizar projetos criativos, com base em conceitos e práticas técnicos, administrativos e científicos. I. O pensamento criativo II. Os lados do cérebro III. Bloqueios IV. Resistências V. Ferramentas da criatividade VI. Chuva de ideias VII. Exercícios e simulações Subárea Governança Corporativa Em Cooperativas Carga horária: 08 horas Objetivo: dar aos participantes conhecimentos e habilidades sobre o sistema de governança corporativa, possibilitando que eles possam identificar as melhores práticas para as suas cooperativas.

8 I. Introdução à governança: princípios da boa governança corporativa; código das melhores práticas; conflitos de interesses; competências do executivo principal; relacionamento com as partes interessadas (stakeholders); avaliação do executivo principal e da diretoria II. Legislação e controles da governança: sistemas de controle e supervisão dos atos dos administradores; o ambiente regulatório da governança corporativa; direitos e deveres dos cooperados; ago, age e assembleia especial III. Conselho de administração: visão geral sobre as atribuições do conselho de administração; missão e atribuições; os papéis do conselho; composição; comitês do conselho; relacionamento com cooperativas e demais stakeholders ; o processo de tomada de decisão do conselho de administração IV. Ética: visão prática da ética; relação das empresas com a sociedade e o meio ambiente; a importância das empresas na sociedade moderna: ética nas empresas; os principais tipos de código de conduta; fatores críticos de sucesso dos códigos de conduta. Subárea Gestão Da Informação E Do Conhecimento Carga horária: 08 horas Participantes: 30 Objetivo: dar aos participantes conhecimentos e habilidades para identificar e interpretar dados e informações, conforme a natureza e tipologia das fontes, orientada aos objetivos estratégicos da organização. I. Tipologia do conhecimento II. Sistemas de informação III. Mapeamento de fontes de informação IV. Visão de processos V. Raciocínio estratégico VI. Metodologias de controle Área 04. Contabilidade E Finanças Subárea Matemática Financeira com o uso do Excel e HP 12C Carga Horária: 16 horas Participantes: 20 Objetivo: Proporcionar conhecimentos e habilidades que permitam aos participantes utilizar os conceitos e técnicas operacionais de matemática financeira através da HP 12-C e do Excel I. HP 12C

9 Operações matemáticas básicas Funções da HP 12C Fundamentos da matemática financeira Juros simples Juros compostos Operações com taxas de juros Descontos Séries uniformes de pagamentos Sistemas de amortização de empréstimos Financiamentos II. Excel Revisão dos conceitos básicos do Excel Operações de crédito direto ao consumidor (CDC) Relação entre compra à vista e a prazo Configuração do Excel para uso das funções financeiras (aplicação prática de juros simples e compostos) Fórmulas financeiras Funções financeiras: taxa; VP; VF; Nper; LN VP; VF; Nper; LN; Tipo; Pagamento; Tir; VPL Somar produto Dia trabalho total Índice Soma Média aritmética Maior; menor Texto Planilhas com teste de condição Comandos lógicos SE e PROCV Equivalência de taxas anuais, mensais e diárias Amortização de empréstimos sistema francês, planilha tabela PRICE Taxa interna de retorno (TIR): análise do custo efetivo, fluxo de caixa Valor presente líquido (VPL): análise de operação Análise de investimentos Planilhas com operações bancárias: CDB, CDI, poupança comparação entre operações para tomada de decisão Operações com descontos de duplicatas incidência de IOF, TAC, tarifas Obs.: Trazer calculadora HP 12C. Perfil do participante: profissionais da área financeira e/ou contábil. Pré-requisito: ter conhecimentos básicos de Excel. Subárea Contabilidade básica para dirigentes, conselheiros e cooperados Carga Horária: 8 horas Participantes: 20

10 Objetivo: Proporcionar aos participantes conhecimentos e habilidades sobre a aplicação da contabilidade em cooperativas, com enfoque nas principais estruturas contábeis envolvidas. I. Organograma do Sistema Cooperativista II. Sistema OCESP III. Atribuições do Conselho de administração IV. Atribuições do Conselho Fiscal V. Atribuições do Contador VI. Conceito de Contabilidade VII. Usuários da Contabilidade VIII. Objetivo das Demonstrações Contábeis IX. Elementos das Demonstrações Contábeis X. Equação Básica do Balanço XI. Representação Gráfica do Balanço XII. Técnica de Registro XIII. Método das Partidas Dobradas XIV. Estrutura do Balanço XV. Atos cooperativos X Não cooperativos XVI. Demonstração de Sobras e Perdas XVII. Demonstração das Mutações do Patrimônio Liquido XVIII. Demonstração de Fluxo de Caixa XIX. Demonstração de Valor Adicionado XX. Notas Explicativas XXI. Fundos/Reservas XXII. Exercícios Práticos Obs.: Trazer calculadora simples. Perfil do participante: ser cooperado, conselheiro ou dirigente. Pré-requisito: não se aplica. Subárea Contabilidade Cooperativista para Contadores Carga Horária: 8 horas Participantes: 20 Objetivo: fornecer conhecimentos e desenvolver habilidades para que os participantes consigam atuar e tomar decisões com base em dados contábeis e demonstrações financeiras. I. Organograma do Sistema Cooperativista II. Sistema OCESP III. Cooperativismo

11 IV. Contabilidade Cooperativista V. NBCT 10.8 VI. Atos Cooperativos X Não Cooperativos VII. Atos Cooperativos VIII. Atos Não Cooperativos IX. Estoques X. Sobras X Perdas XI. Fundos XII. Fundo de Reserva XIII. FATES XIV. Juros Sobre o Capital Próprio XV. Participação em Outras Sociedades XVI. Balanço Patrimonial XVII. Demonstração de Sobras e Perdas XVIII. Demonstração das Mutações do Patrimônio Liquido XIX. Demonstração de Fluxo de Caixa XX. Demonstração de Valor Adicionado XXI. Notas Explicativas XXII. Temas relevantes Obs.: Trazer calculadora simples. Perfil do participante: assistentes e analistas contábeis e contadores. Pré-requisito: conhecimento em contabilidade geral. Subárea Normas Contábeis Brasileiras Aspectos Importantes para Cooperativas Carga Horária: 16 horas Participantes: 20 Objetivo: dar aos participantes conhecimentos e habilidades para utilizar as Normas Contábeis Brasileiras e suas aplicações, destacando sua importância para as cooperativas e possibilitando a melhoria do desempenho desses participantes. I. Histórico - Contabilidade Internacional e o Papel do IASB. II. As Leis Nº e Nº III. Adoção das normas pelo Brasil Implantação do CPC, aprovação e obrigatoriedade dos pronunciamentos, IV. Apresentação das Demonstrações Contábeis: Balanço Patrimonial Demonstração do Resultado Abrangente Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido Demonstração dos Fluxos de Caixa-DFC Notas Explicativas V. Relatório por Segmento aspectos importantes do segmento cooperativas

12 VI. Ativos Imobilizados e Intangíveis VII. Perdas por Recuperabilidade de Ativos (Impairment) VIII. Investimentos, Consolidação e Consolidação Proporcional IX. Combinações de Negócios participação em coligadas e controladas X. Provisões e Contingências Ativas e Passivas XI. Reconhecimento das Receitas (Ingressos) XII. Imposto de Renda prós e contras para o cooperativismo XIII. Políticas Contábeis, Mudanças de Estimativas e Retificação de Erros XIV. Adoção Inicial da IFRS aspectos importantes na Conjuntura Brasileira e Cooperativista. Obs.: Trazer calculadora simples. Perfil do participante: assistentes e analistas contábeis, contadores, gestores financeiros e/ou contábeis. Pré-requisito: ter conhecimento em contabilidade geral. Subárea Escrituração Fiscal Digital - Contribuições Carga horária: 16 horas Participantes: 20 Objetivo: dar aos participantes conhecimentos e habilidades acerca dos cuidados especiais quanto à apuração do PIS e COFINS e geração do arquivo digital com a entrada em vigor da Instrução Normativa RFB n.º 1.052/10, que aprovou a EFD-PIS/COFINS, módulo de escrituração fiscal digital integrante do SPED. I. EFD - PIS/COFINS Instituição Base de cálculo o que deve e o que não deve ser considerado Integração ao SPED Prazos de entrega Assinatura digital (tipos de certificado) Pessoas jurídicas sujeitas à entrega Pessoas jurídicas desobrigadas Obrigações acessórias possibilidades de extinção Multas aplicáveis - vinculações com a nota fiscal eletrônica Retificação da EFD Vinculações com a restituição, ressarcimento e Compensação de créditos de PIS e COFINS II. Análise do leiaute do arquivo digital da EFD Quais informações serão inseridas no arquivo digital Blocos e tabelas para geração do arquivo digital Principais características do arquivo digital

13 Tabelas internas - cadastro de participantes - identificação do item Tabelas externas - Código de Situação Tributária (CST) - Código Fiscal da Operação e Prestação (CFOP) - Nomenclatura Comum do MERCOSUL (NCM) - código de tipo de crédito - base de cálculo do crédito Codificação dos documentos fiscais - bloco A - serviços - bloco C - mercadorias - bloco D - serviços de transportes - bloco F - demais documentos fiscais e operações - bloco P contribuições previdenciárias - bloco M apuração das contribuições e créditos - bloco 1 controle de saldos e operações extemporâneas Codificação do gênero do item e da operação (produtos e serviços) Codificação da situação tributária (ICMS, IPI, ISS) Regimes de apuração da contribuição social e de apropriação de crédito Tabela de receita bruta para fins de rateio de crédito comuns Percentuais de rateio Operações geradoras de crédito vinculadas a receitas não cumulativas III. Cuidados especiais nas apurações do PIS e COFINS Regime não cumulativo Quais os créditos admitidos pela legislação vigente Quais as formas de aproveitamentos dos créditos Quais as formas de ressarcimento, restituição e compensação dos créditos Quais são os itens geradores de crédito acelerado ou incentivado Quais os cuidados quanto à escrituração fiscal Quais os cuidados quanto à escrituração das receitas Quais os cuidados quanto à escrituração dos créditos Quais os cuidados quanto à escrituração dos incentivos fiscais Quais os cuidados quanto à escrituração dos valores retidos Regime cumulativo Quais são as receitas tributadas e sua forma de escrituração Quais são as receitas não tributadas e sua forma de escrituração Quais os cuidados quanto à escrituração dos valores retidos Regime importação Quais são as operações tributadas Quais são as operações geradoras de créditos Perfil do participante: profissionais da área contábil, fiscal e demais profissionais envolvidos no processo da geração dos arquivos digitais. Pré-requisito: conhecimento básico de PIS/COFINS. Subárea Curso: Administração de Contas a Pagar, Contas a Receber e Tesouraria

14 Carga horária: 8 horas Participantes: 20 Objetivo: Oferecer ao participante entendimento e capacidade de explorar as estratégias para administrar o contas a pagar, contas a receber e tesouraria, melhorando os processos, a operação e a eficácia na cooperativa, compartilhando informações com as demais áreas. I. Capital de giro, ciclo operacional, e ciclo financeiro II. Administração do Caixa III. Normas e procedimentos IV. Fluxo de processos V. Administração do Contas a Pagar VI. Risco de Crédito VII. Administração do Contas a Receber VIII. Formas de recebimento IX. Gestão da Tesouraria X. Principais controles internos XI. Fluxo de caixa diário e mensal XII. Fontes de Crédito XIII. Relatórios de desempenho Obs.: Trazer calculadora simples. Perfil do participante: profissionais envolvidos na gestão financeira da cooperativa. Pré-requisito: não se aplica. Subárea Custos e Orçamento Carga Horária: 8 horas Participantes: 20 Objetivo: Fornecer ferramentas de controle dos custos e dos orçamentos das cooperativas, que possam ser úteis no apoio à tomada de decisão, visando dar suporte às escolhas que gerem valor para a cooperativa. I. Visão Geral do Orçamento II. Planejamento e Orçamento Estratégico III. Planejamento e Controle Orçamentário IV. Mecanismos orçamentários V. Classificação de Custos e Despesas VI. Métodos de custeio VII. Ponto de equilíbrio VIII. Retorno de investimento IX. Formação de Preço

15 X. Margem de Lucro XI. Fluxo de caixa projetado XII. Planejamento e controles XIII. Comparativo: orçado X realizado Obs.: Trazer calculadora simples. Perfil do participante: profissionais envolvidos na gestão de custos e/ou orçamentária da cooperativa. Pré-requisito: não se aplica. Subárea Encerramento de Balanço Carga Horária: 16 horas Participantes: 20 Objetivo: capacitar os participantes a elaborar o encerramento das Demonstrações Contábeis do exercício corrente de acordo com as Normas Contábeis, Tributárias e Cooperativistas vigentes. I. Retrospectiva da Legislação Contábil/Fiscal II. Pronunciamentos Editados pelo CPC Pronunciamento Conceitual Básico Pronunciamento CPC 01 Pronunciamento CPC 02 Conversão de Demonstrações Contábeis Pronunciamento CPC 03 Minutas de Pronunciamentos III. Demonstração do Fluxo de Caixa IV. Principais Ajustes de Balanço Avaliação das Contas do Ativo Aplicações Financeiras e IRF Avaliação dos Estoques Produtos em Depósito Ajuste a Valor Presente IR e CSLL pagos por Estimativa + Créditos PIS e COFINS Créditos Incobráveis ou de difícil realização Depreciação, Amortização e Exaustão (Taxas) Ativo Diferido Avaliação das Contas do Passivo Financiamentos Provisões Dedutíveis e Indedutíveis Tributos e Encargos Sociais não pagos (Contingências) Reservas Legais e Estatutárias Realização da Reserva de Reavaliação V. Aspectos Fiscais e Tributários

16 Recolhimentos de IRPJ e CSLL por Estimativa Ajustes no Encerramento do Exercício (Lucro Real) Comentários gerais sobre o PIS e COFINS (Não Cumulativo) Apuração do resultado de atos cooperativos e não cooperativos Tributação do Ganho de Capital (alienação de bens) Tributação do Ganho de Aplicações Financeiras Aspectos importantes relacionados ao SPED VI. Escrituração do Lalur e Lacs VII. Demonstrações Contábeis (Aspectos Relevantes) Obs.: Trazer calculadora simples. Perfil do participante: profissionais da área de contábil e/ou fiscal. Pré-requisito: não se aplica Subárea Sped Para Contadores Carga horária: 8 horas Objetivo: dar aos participantes conhecimentos e habilidades para a execução da EFD escrituração fiscal digital, orientando-os sobre as informações a serem geradas para o SPED fiscal e sobre a origem destas, tornando-os capazes de efetuar a entrega dessa nova obrigação, com abordagens sobre controle de crédito de ICMS do ativo permanente CIAP e EFD PIS/COFINS. I. Sped fiscal Regulamentação Instituição e leiaute Obrigatoriedade e opção voluntária Livros abrangidos Periodicidade e prazo de entrega Penalidades Geração, validação e assinatura Recepção e compartilhamento de informações Dispensa de obrigações acessórias O guia prático A importância do guia Padrões técnicos de geração Nova regra de importação do arquivo Enfoque do declarante Tabelas de códigos Perfis de apresentação Composição dos blocos de registro Análise dos registros Análise dos registros dos blocos o, c, d, e, g, h e i Aplicação dos registros Principais regras de preenchimento e validação Considerações importantes Ações a serem tomadas

17 Cruzamento de dados II. III. EFD PIS/COFINS Aspectos legais Instituição Conceito Obrigatoriedade Validação do arquivo Certificação digital Periodicidade Retificação dispensa Penalidades Estrutura do arquivo Organizações Dados técnicos Regras gerais de preenchimento Apresentação dos blocos Análise do conteúdo dos principais registros Subárea Escrituração Fiscal Digital ICMS e IPI Carga Horária: 8 horas Participantes: 20 Objetivo: Capacitar o participante a compreender e elaborar corretamente a EFD ICMS e IPI, conhecendo a legislação pertinente. I. Regulamentação Instituição e Layout; Obrigatoriedade e Opção Voluntária; Livros abrangidos; Periodicidade e prazo de entrega; Penalidades; Geração, validação e assinatura; Recepção e compartilhamento de informações; Dispensa de obrigações acessórias. II. O guia prático A importância do guia; Padrões técnicos de geração; Nova regra de importação do arquivo; Enfoque do declarante; Tabelas de códigos; Perfis de apresentação; Composição dos blocos de registro.

18 III. Análise dos registros Análise dos registros dos blocos O, C, D, E G, H e I; Aplicação dos registros; Principais regras de preenchimento e validação. IV. Considerações importantes Ações a serem tomadas; Cruzamento de dados. Perfil do participante: profissionais da área contábil, fiscal e demais profissionais envolvidos no processo da geração dos arquivos digitais. Pré-requisito: conhecimento básico de ICMS e IPI. Subárea Demonstração de Fluxo de Caixa Carga Horária: 8 horas Participantes: 20 Objetivo: capacitar os participantes a elaborar a Demonstração de Fluxo de Caixa de acordo com as regras e legislação vigentes. I. Benefícios das informações sobre fluxos de caixa; II. DFC X DOAR; III. Caixa e equivalentes de caixa; IV. Atividades operacionais; V. Atividades de investimento; VI. Atividades de financiamento; VII. Métodos de elaboração; Método direto Método indireto VIII. Exercícios práticos. Obs.: Trazer calculadora simples. Perfil do participante: profissionais da área de contábil e/ou financeira. Pré-requisito: não se aplica. Subárea DIPJ e FCONT Carga Horária: 16 horas Participantes: 20 Objetivo: capacitar os participantes a elaborar as DIPJ e FCONT de acordo com as normas nacionais e internacionais de contabilidade.

19 DIPJ I. Principais mudanças e novidades na DIPJ; II. Pessoas jurídicas obrigadas à entrega da DIPJ; III. Prazo de apresentação da DIPJ; IV. Penalidades ; V. Entregas em situações especiais; VI. Fichas a serem preenchidas pelas cooperativas tributadas pelo Lucro Real; VII. Formas de apuração (anual e trimestral); VIII. Preenchimentos das fichas: ficha 04A/D - custos dos bens e serviços vendidos ficha 05A/D - despesas operacionais ficha 06A - demonstração do resultado ficha 07A - demonstração do resultado - critérios em (critérios fiscais) ficha 09A - demonstração do Lucro Real fichas 11 e 12A - cálculo do imposto de renda fichas 16 e 17 - cálculos da contribuição social fichas de informações econômicas, informações gerais e informações previdenciárias fichas das cooperativas tributadas pelo Lucro Presumido FCONT I. RTT, ECD e FCONT; II. Principais mudanças no programa; III. Prazo de apresentação e obrigatoriedade; IV. Lançamentos de expurgo e inclusão; V. Como preencher FCONT quando não há lançamentos; VI. Funcionalidades do programa; VII. Blocos, registros e tabelas: registro abertura do arquivo digital registro I050 - plano de contas registro I051 - plano de contas referencial registro I150 - saldos periódicos - identificação do período registro I155 - detalhes dos saldos periódicos registro I156 - mapeamento referencial do total de débitos e créditos registro I200 - lançamentos registro I250 - partidas do lançamento registro I256 - mapeamento referencial da partida do lançamento registro I350 - saldos das contas de resultado antes encerramento registro I355 - detalhes das contas de resultado antes do encerramento registro I356 - mapeamento referencial dos saldos finais das contas de resultado antes do encerramento registro J930 - signatários da escrituração registro M020 - qualificação da pessoa jurídica registro M025 - saldos iniciais das contas patrimoniais recuperadas/preenchidas registro M030 - identificação do período de apuração VIII. Cruzamento da DIPJ, FCONT e ECD.

20 Obs.: Trazer calculadora simples. Perfil do participante: profissionais da área de contábil e/ou fiscal. Pré-requisito: não se aplica. Subárea Tributação Básica das Sociedades Cooperativas Carga Horária: 8 horas Participantes: 20 Objetivo: proporcionar aos participantes conhecimentos básicos de tributação às cooperativas. I. Tributos diretos a) IRPJ e CSLL formas de tributação: Lucro Real, Presumido, Arbitrado e Simples; atos cooperativos X atos não cooperativos. II. Tributos Indiretos a) PIS/COFINS; regime cumulativo regime não cumulativo b) IPI; c) ISS; d) ICMS. Obs.: trazer calculadora simples. Perfil do participante: profissionais da área contábil e/ou fiscal. Pré-requisito: não se aplica. Subárea GFIP/SEFIP e Conectividade Social Carga Horária: 8 horas Participantes: 20 Objetivo: Demonstrar de forma clara e didática, o correto preenchimento e envio das informações por meio da GFIP/SEFIP. I. Orientações gerais da GFIP/SEFIP; II. GFIP/SEFIP de inclusão; III. GFIP/SEFIP retificadora; IV. GFIP/SEFIP sem movimento e de exclusão; V. Prestadores de serviços; VI. Construção Civil; VII. GFIP/SEFIP 13º salário; VIII. Conectividade Social ICP.

Área 01. Administração Geral. Subárea 01.1. Rotinas Administrativas. Carga horária: 16 horas. Participantes: 30

Área 01. Administração Geral. Subárea 01.1. Rotinas Administrativas. Carga horária: 16 horas. Participantes: 30 EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 017/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE INSTRUTORIA EDITAL DE RETIFICAÇÃO O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVIMOS NO ESTADO DE SÃO PAULO SESCOOP/SP, tendo em vista o Edital

Leia mais

Administração geral. Curso rotinas administrativas. Participantes: 30

Administração geral. Curso rotinas administrativas. Participantes: 30 EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 017/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE INSTRUTORIA EDITAL DE RETIFICAÇÃO O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVISMO NO ESTADO DE SÃO PAULO SESCOOP/SP, tendo em vista o edital

Leia mais

Administração geral. Curso rotinas administrativas. Participantes: 30

Administração geral. Curso rotinas administrativas. Participantes: 30 EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 017/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE INSTRUTORIA EDITAL DE RETIFICAÇÃO O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVISMO NO ESTADO DE SÃO PAULO SESCOOP/SP, tendo em vista o edital

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 017/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE INSTRUTORIA

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 017/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE INSTRUTORIA EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 017/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE INSTRUTORIA EDITAL DE RETIFICAÇÃO O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVISMO NO ESTADO DE SÃO PAULO SESCOOP/SP, tendo em vista o edital

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 017/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE INSTRUTORIA EDITAL DE RETIFICAÇÃO

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 017/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE INSTRUTORIA EDITAL DE RETIFICAÇÃO EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 017/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE INSTRUTORIA EDITAL DE RETIFICAÇÃO O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVIMOS NO ESTADO DE SÃO PAULO SESCOOP/SP, tendo em vista o Edital

Leia mais

1. COOPERATIVISMO CURSO ASSEMBLEIA GERAL

1. COOPERATIVISMO CURSO ASSEMBLEIA GERAL 1. COOPERATIVISMO CURSO COOPERATIVISMO OBJETIVO: propiciar conhecimentos sobre o cooperativismo, visando habilitar os participantes para aderirem e participarem mais eficazmente dessa forma de atividade

Leia mais

ECF DIPJ INCLUÍDA NO SPED

ECF DIPJ INCLUÍDA NO SPED ECF DIPJ INCLUÍDA NO SPED O que é ECF Escrituração Contábil Fiscal? Demonstra o cálculo do IRPJ e da CSLL Sucessora da DIPJ Faz parte do projeto SPED Instituída pela Instrução Normativa RFB 1.422/2013

Leia mais

Área 01. Administração Geral... 13 Curso Rotinas Administrativas... 13 Curso Técnicas Administrativas... 13 Curso O, S & M - Organização Sistemas E

Área 01. Administração Geral... 13 Curso Rotinas Administrativas... 13 Curso Técnicas Administrativas... 13 Curso O, S & M - Organização Sistemas E Área 01. Administração Geral... 13 Curso Rotinas Administrativas... 13 Curso Técnicas Administrativas... 13 Curso O, S & M - Organização Sistemas E Métodos... 14 Curso Programa 5 S... 14 Curso Estruturação

Leia mais

O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED?

O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED? SPED PIS/COFINS Teoria e Prática O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED? E v e l i n e B a r r o s o Maracanaú - CE Março/2 0 1 2 1 2 Conceito O SPED é instrumento que unifica as atividades

Leia mais

Ementário e Bibliografia do curso de. Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04

Ementário e Bibliografia do curso de. Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 01 - ADMINISTRAÇÃO Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 Introdução à Administração. Antecedentes históricos da Administração. Escolas de Administração. Administração e suas perspectivas. Variáveis

Leia mais

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF)

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF) ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF) Grant Thornton - Brasil Junho de 2015 Agenda Considerações Iniciais; Obrigatoriedade de Transmissão; Penalidades (Multas); Informações a serem Transmitidas; Recuperação

Leia mais

AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO

AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO Nossos serviços de auditoria das Obrigações Eletrônicas utilizam ferramentas que permitem auditar os arquivos enviados

Leia mais

Ementas e bibliografia básica das disciplinas

Ementas e bibliografia básica das disciplinas Ementas e bibliografia básica das disciplinas Gestão do Conhecimento e Inteligência Competitiva (10h) Conceitos gerais de gestão do conhecimento Conceitos gerais de inteligência competitiva Ferramentas

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Empresarial

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Empresarial CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Empresarial Coordenação Acadêmica FGV : Professora Denize Dutra CÓDIGO NO SIGA : VIANNA0/TMBAGE*1225-14 1. ECONOMIA EMPRESARIAL Fundamentos

Leia mais

Projeto SPED de A a Z

Projeto SPED de A a Z Consultoria e Treinamentos Apresentam: Projeto SPED de A a Z SPED Decreto nº 6.022 22/01/07 Instituir o Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) Promover a integração dos fiscos; Racionalizar e uniformizar

Leia mais

LEI 12.973/2014 E SPED: ADAPTAÇÃO ÀS NOVAS OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS

LEI 12.973/2014 E SPED: ADAPTAÇÃO ÀS NOVAS OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS LEI 12.973/2014 E SPED: ADAPTAÇÃO ÀS NOVAS OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS Visão geral dos impactos das novas evidenciações e diferenças de práticas contábeis advindas da IN 1.515. Subcontas. ECF e suas implicações.

Leia mais

Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ

Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ Um jeito Diferente, Inovador e Prático de fazer Educação Corporativa Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ Objetivo: Auxiliar o desenvolvimento

Leia mais

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu Coordenação Acadêmica: Prof. José Carlos Abreu, Dr. 1 OBJETIVO: Objetivos Gerais: Atualizar e aprofundar

Leia mais

PERÍODO DISCIPLINAS CH MÓDULO I - FORMAÇÃO BÁSICA Fundamentos da Administração 80 horas

PERÍODO DISCIPLINAS CH MÓDULO I - FORMAÇÃO BÁSICA Fundamentos da Administração 80 horas ESTRUTURA CURRICULAR PERÍODO DISCIPLINAS CH MÓDULO I - FORMAÇÃO BÁSICA Fundamentos da Administração 1º Comunicação Empresarial Contabilidade Gerencial Economia e Mercado Matemática Financeira Direito Empresarial

Leia mais

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso Sistema Questor SPED PIS E COFINS SPED Sistema Público de Escrituração Digital EFD Escrituração Fiscal Digital Instrutor: - Jocenei Friedrich Apoio: - Sejam todos bem-vindos Objetivos do Curso Conhecer

Leia mais

MBA EM GESTÃO DO MARKETING ESTRATÉGICO - EMENTAS

MBA EM GESTÃO DO MARKETING ESTRATÉGICO - EMENTAS MBA EM GESTÃO DO MARKETING ESTRATÉGICO - EMENTAS Branding Corporativo O que é Branding. O que é uma marca. História da Marcas. Naming. Arquitetura de Marcas. Tipos de Marcas. Brand Equity. Gestão de Marcas/Branding.

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Fundamentos

Gerenciamento de Projetos Fundamentos Gerenciamento de Fundamentos MBA EM GESTÃO DE PROJETOS - EMENTAS Definição de Projeto. Contexto e Evolução do Gerenciamento de. Areas de conhecimento e os processos de gerenciamento do PMI - PMBoK. Ciclo

Leia mais

MBA em Gestão Empresarial com Ênfase na Transformação Organizacional

MBA em Gestão Empresarial com Ênfase na Transformação Organizacional MBA em Gestão Empresarial com Ênfase na Transformação Organizacional Coordenação Acadêmica: Wankes da Silva Ribeiro Coordenação da Ênfase: Wankes Leandro Ribeiro JUSTIFICATIVA O MBA em Gestão Empresarial

Leia mais

MBA CONTROLADORIA, FINANÇAS E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

MBA CONTROLADORIA, FINANÇAS E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO MBA CONTROLADORIA, FINANÇAS E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO 1. APRESENTAÇÃO O curso de MBA em Controladoria, Finanças e Planejamento Tributário desenvolvido pela FAACZ visa oferecer aos participantes instrumentais

Leia mais

SPED Contábil e SPED ECF

SPED Contábil e SPED ECF SPED Contábil e SPED ECF Impactos nas Rotinas Empresárias Prof. Marcos Lima Marcos Lima Contador (graduado pela UECE) Especialista em Auditoria (UNIFOR) Diretor de Relacionamentos da Fortes Contabilidade

Leia mais

Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04

Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 01 - ADMINISTRAÇÃO Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 Introdução à Administração. Antecedentes históricos da Administração. Escolas de Administração. Administração e suas perspectivas. Variáveis

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão Estratégica de Negócios tem por objetivo desenvolver a

Leia mais

Programa Contag Consultoria e Escola de Negócios, representação da Nasajon Sistemas no Amapá

Programa Contag Consultoria e Escola de Negócios, representação da Nasajon Sistemas no Amapá Programa Contag Consultoria e Escola de Negócios, representação da Nasajon Sistemas no Amapá Instrutor: José Jeová Junior Contador, com formação nesta área pelo Instituto IOB de São Paulo Dinâmica das

Leia mais

Projetos da Receita Federal

Projetos da Receita Federal Escrituração Fiscal Digital - EFD Projetos da Receita Federal A Escrituração Fiscal Digital - EFD é um arquivo digital, que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras

Leia mais

POR QUE FAZER O CURSO?

POR QUE FAZER O CURSO? POR QUE FAZER O CURSO? Os sistemas digitais tornaram-se onipresentes, há cerca de um bilhão de computadores conectados à internet, e essenciais às atividades humanas. A Contabilidade e o Tributário estão

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2009.1A BRUSQUE (SC) 2014 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 ADMINISTRAÇÃO... 4 02 CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA I... 4 03 MATEMÁTICA... 4 04 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 05 NOÇÕES

Leia mais

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE 1º SEMESTRE 7ECO003 ECONOMIA DE EMPRESAS I Organização econômica e problemas econômicos. Demanda, oferta e elasticidade. Teoria do consumidor. Teoria da produção e da firma, estruturas e regulamento de

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Julgue os itens a seguir, a respeito da Lei n.º 6.404/197 e suas alterações, da legislação complementar e dos pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). 71 Os gastos incorridos com pesquisa

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

Projeção Integrada de Demonstrações Contábeis em MS Excel

Projeção Integrada de Demonstrações Contábeis em MS Excel Projeção Integrada de Demonstrações Contábeis em MS Excel Aprenda a fazer a projeção integrada do Balanço, da Demonstração de Resultado e do Fluxo de Caixa da empresa Objetivo Visão geral de finanças.

Leia mais

www.audicgroup.com.br DR SPED

www.audicgroup.com.br DR SPED www.audicgroup.com.br DR SPED a EMPRESA A Audic Group no Brasil tem o compromisso com os seus clientes de buscar a satisfação por eles desejada, para tanto dedica-se na identificação dos problemas, na

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2010.2 A BRUSQUE (SC) 2014 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INFORMÁTICA APLICADA À... 4 02 MATEMÁTICA APLICADA À I... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 04 PSICOLOGIA... 5 05

Leia mais

MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria

MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO Coordenação Acadêmica Prof. Carlos Alberto dos Santos Silva OBJETIVO: O MBA EM GESTÃO FINANCEIRA, CONTROLADORIA

Leia mais

PERÍODO DISCIPLINAS CH MÓDULO I - FORMAÇÃO BÁSICA GERENCIAL Fundamentos da Administração 80 horas. 120 horas Economia e Mercado

PERÍODO DISCIPLINAS CH MÓDULO I - FORMAÇÃO BÁSICA GERENCIAL Fundamentos da Administração 80 horas. 120 horas Economia e Mercado ESTRUTURA CURRICULAR PERÍODO DISCIPLINAS CH MÓDULO I - FORMAÇÃO BÁSICA GERENCIAL Fundamentos da Administração Comunicação e Expressão 1º Contabilidade Gerencial 120 Economia e Mercado Matemática Financeira

Leia mais

Mapeamento ECF. w w w. b r l c o n s u l t o r e s. c o m. b r

Mapeamento ECF. w w w. b r l c o n s u l t o r e s. c o m. b r Mapeamento ECF Projeto SPED ECF Introdução A Escrituração Contábil Fiscal (ECF) substitui a Declaração de Informações Econômico- Fiscais da Pessoa Jurídica (DIPJ), a partir do ano-calendário 2014. São

Leia mais

Fiscal - ECF. Me. Fábio Luiz de Carvalho. Varginha-MG, 31.julho.2015

Fiscal - ECF. Me. Fábio Luiz de Carvalho. Varginha-MG, 31.julho.2015 Escrituração Contábil Fiscal - ECF Me. Fábio Luiz de Carvalho Varginha-MG, 31.julho.2015 Causa & Efeito A Lei n. 11.638/07 combinada com os Pronunciamentos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis

Leia mais

ECD + ECF - NOVAS REGRAS - 2014

ECD + ECF - NOVAS REGRAS - 2014 XII ENCONTRO ALAGOANO DE CONTABILIDADE CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DE ALAGOAS ECD + ECF - NOVAS REGRAS - 2014 Prof. Filemon Augusto de Oliveira MUITO PRAZER!!! Fé Família Trabalho AGRADECIMENTOS

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS

Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS Legislação Conforme instituído pela Instrução Normativa RFB nº 1.052, de 5 de julho de 2010, sujeitam à obrigatoriedade de geração de arquivo da Escrituração Fiscal

Leia mais

ADM002 Filosofia e Ética Empresarial - 2 36 ADM003 Contabilidade Geral - 4 72 ADM004 Metodologia Científica - 2 36 ADM005 Métodos Quantitativos - 4 72

ADM002 Filosofia e Ética Empresarial - 2 36 ADM003 Contabilidade Geral - 4 72 ADM004 Metodologia Científica - 2 36 ADM005 Métodos Quantitativos - 4 72 Matriz Curricular do Curso de Administração 2015.1 1ª Fase CÓDIGO DISCIPLINAS PRÉ- REQUISITOS CRED ADM001 Interpretação e Produção de Textos - ADM002 Filosofia e Ética Empresarial - 2 36 ADM003 Contabilidade

Leia mais

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL SPED ECF. PROFESSOR: FELLIPE GUERRA Sergipe, 24 de Agosto de 2015.

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL SPED ECF. PROFESSOR: FELLIPE GUERRA Sergipe, 24 de Agosto de 2015. ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL SPED ECF PROFESSOR: FELLIPE GUERRA Sergipe, 24 de Agosto de 2015. PROFESSOR: FELLIPE GUERRA Contador, Consultor Empresarial e Especialista em SPED. Coordenador da Comissão

Leia mais

MBA em Controladoria e Auditoria Carga Horária: 360 Aulas: sábados 8h30 18h Valor: R$ 380,00* JUSTIFICATIVA: Faculdade INESP

MBA em Controladoria e Auditoria Carga Horária: 360 Aulas: sábados 8h30 18h Valor: R$ 380,00* JUSTIFICATIVA: Faculdade INESP Pág. 1/6 MBA em Controladoria e Auditoria Carga Horária: 360 horas/ aulas presenciais + monografia orientada. Aulas: sábados das 8h30 às 18h, com intervalo para almoço. Valor: 16 parcelas de R$ 380,00*

Leia mais

Neste bip. EFD Contribuições. Você sabia? Prazo final para entrega dos arquivos ECD e FCONT. edição 22 Junho de 2012

Neste bip. EFD Contribuições. Você sabia? Prazo final para entrega dos arquivos ECD e FCONT. edição 22 Junho de 2012 Neste bip EFD Contribuições... 1 Prazo final para entrega dos arquivos ECD e FCONT... 1 Configuração da Demonstração do Fluxo de Caixa... Configuração do Plano de Contas de acordo com a Lei 11.638/07...

Leia mais

Resumo de Contabilidade Geral

Resumo de Contabilidade Geral Ricardo J. Ferreira Resumo de Contabilidade Geral 4ª edição Conforme a Lei das S/A, normas internacionais e CPC Rio de Janeiro 2010 Copyright Editora Ferreira Ltda., 2008-2009 1. ed. 2008; 2. ed. 2008;

Leia mais

ECF Considerações Iniciais

ECF Considerações Iniciais Outubro de 2014 ECF Considerações Iniciais A ECF é mais um dos projetos da RFB que integrará o SPED (Disciplinada pela Instrução Normativa RFB 1.422/2013). O layout da ECF pode ser encontrado no website

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS 1º SEMESTRE

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS 1º SEMESTRE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS 1º SEMESTRE DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO Ementa: Identificar os elementos básicos das organizações: recursos, objetivos e decisões. Desenvolver

Leia mais

ANEXO I EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS Nº. 011/2010 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO I EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS Nº. 011/2010 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS Nº. 011/2010 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Página 1 de 5 1 - DO OBJETO 1.1. Contratação de empresa de consultoria tributária para rotinas de apuração de IRPJ/CSLL, PIS/COFINS, bem

Leia mais

GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES

GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES Maio de 2012 O QUE É A EFD-Contribuições trata de arquivo digital instituído no Sistema Publico de Escrituração Digital SPED, a ser utilizado pelas pessoas jurídicas de direito

Leia mais

MBA Gestão Financeira Controladoria e Auditoria. Coordenação: Agliberto Cierco

MBA Gestão Financeira Controladoria e Auditoria. Coordenação: Agliberto Cierco MBA Gestão Financeira Controladoria e Auditoria Coordenação: Agliberto Cierco Metodologia do TCC: O TCC se inicia na disciplina de Estratégia de Empresa, sendo acompanhado pela coordenação acadêmica do

Leia mais

Resumo Socion das configurações no JB Cepil para geração da ECF

Resumo Socion das configurações no JB Cepil para geração da ECF Resumo Socion das configurações no JB Cepil para geração da ECF 1 - Configurações Necessárias Empresa Lucro Real: 1.1 Pacote 3000 Apontar o plano referencial a ser utilizado pela empresa; 1.2 Pacote 3012

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital EFD - PIS/COFINS. São Paulo, agosto de 2011

Escrituração Fiscal Digital EFD - PIS/COFINS. São Paulo, agosto de 2011 Escrituração Fiscal Digital EFD - PIS/COFINS São Paulo, agosto de 2011 m28 Obrigações Tributárias: Emissão de Documento Fiscal Escrituração Contábil Obrigação Acessória Escrituração Fiscal Entrega de Declarações

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 WORKSHOPS CH DATA HORÁRIO INVESTIMENTO CONTEÚDO 1. Evolução e conceito de geomarketing. 2. Técnicas de geoprocessamento. Geomarketing : Tomada de Decisão no Varejo

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão Financeira e Controladoria tem por objetivo o fornecimento

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 18/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes

Leia mais

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66 Apresentação Parte I - CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE CONTABILIDADE, 1 1 Introdução ao Estudo da Ciência Contábil, 3 1 Conceito, 3 2 Objeto, 3 3 Finalidade, 4 4 Técnicas contábeis, 4 5 Campo de aplicação, 5

Leia mais

MTA 06 - ACADEMIA MASTERSAF TAX ANALYSER

MTA 06 - ACADEMIA MASTERSAF TAX ANALYSER MTA 06 - ACADEMIA MASTERSAF TAX ANALYSER PÚBLICO-ALVO Membros de equipe de projeto Consultores Profissionais da áea fiscal interessados em conhecer e fazer parte das soluções Mastersaf. PRÉ-REQUISITOS

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Sem. CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS I II III IV V VI VI I Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes

Leia mais

também é chamada de e tem como objetivo principal analisar se todas as obrigações tributárias estão sendo seguidas corretamente em uma empresa.

também é chamada de e tem como objetivo principal analisar se todas as obrigações tributárias estão sendo seguidas corretamente em uma empresa. A também é chamada de e tem como objetivo principal analisar se todas as obrigações tributárias estão sendo seguidas corretamente em uma empresa. É responsável pelo controle e bom andamento dos procedimentos

Leia mais

Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empreendedora

Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empreendedora Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empreendedora - TGE 2005-2 Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empreendedora 1 DADOS LEGAIS: Reconhecido pela

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 16/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Fase Cód. I

Leia mais

Baker Tilly Internacional

Baker Tilly Internacional Baker Tilly Internacional Baker Tilly Brasil A Baker Tilly Brasil é uma empresa de auditoria e consultoria, com atuação em todo o território nacional e membro independente da Baker Tilly Internacional,

Leia mais

EFD PIS COFINS Teoria e Prática

EFD PIS COFINS Teoria e Prática EFD PIS COFINS Teoria e Prática É uma solução tecnológica que oficializa os arquivos digitais das escriturações fiscal e contábil dos sistemas empresariais dentro de um formato digital específico e padronizado.

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE GERENCIAL ESTRATÉGICA

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE GERENCIAL ESTRATÉGICA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE GERENCIAL ESTRATÉGICA Disciplina: Matemática Financeira para Tomada de Decisões (20 horas) Os métodos quantitativos têm sido amplamente

Leia mais

1. O que é ECF? 2. Obrigatoriedade; 3. Prazo de Entrega; 4. Informações e Estrutura; 5. Penalidades; 6. Considerações Finais.

1. O que é ECF? 2. Obrigatoriedade; 3. Prazo de Entrega; 4. Informações e Estrutura; 5. Penalidades; 6. Considerações Finais. ECF Escrituração Contábil Fiscal Aspectos gerais. Por: Luana Romaniuk. Em junho de 2015. SUMÁRIO 1. O que é ECF? 2. Obrigatoriedade; 3. Prazo de Entrega; 4. Informações e Estrutura; 5. Penalidades; 6.

Leia mais

Bloco Contábil e Fiscal

Bloco Contábil e Fiscal Bloco Contábil e Fiscal EFD Contribuições Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo EFD Contribuições, que faz parte do Bloco Contábil e Fiscal. Todas informações aqui disponibilizadas

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

Portfólio de serviços - 1

Portfólio de serviços - 1 Portfólio de serviços - 1 www.valortributario.com.br { C om experiência de quem há mais de 12 anos oferece soluções empresariais para os mais diversos segmentos, a VALOR TRIBUTÁRIO destaca-se como uma

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) CIÊNCIAS CONTÁBEIS CIÊNCIAS CONTÁBEIS COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO A leitura como vínculo leitor/texto, através da subjetividade contextual, de atividades

Leia mais

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP Sistema de gestão ERP MÓDULOS E CLIENTES Os módulos podem ser adquiridos separadamente, conforme a sua necessidade. ÁREA COMERCIAL ÁREA ADMINISTRATIVA FINANCEIRA ÁREA PRODUÇÃO E SUPRIMENTOS ÁREA FISCAL

Leia mais

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP Sistema de gestão ERP Módulo MÓDULOS E CLIENTES Os módulos podem ser adquiridos separadamente, conforme a sua necessidade. COMERCIAL ADMINISTRATIVA FINANCEIRA PEDIDOS EXPORTAÇÃO CONTAS A RECEBER TELEMARKETING

Leia mais

MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria

MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria Pense antes de imprimir. A natureza agradece. MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria COMPROMISSO NÃO É CHEGAR SEMPRE NO HORÁRIO, É, ÀS VEZES, PERDER A NOÇÃO DO TEMPO. O que é ser bem-sucedido?

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 017/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE INSTRUTORIA EDITAL DE RETIFICAÇÃO

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 017/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE INSTRUTORIA EDITAL DE RETIFICAÇÃO EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 017/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE INSTRUTORIA EDITAL DE RETIFICAÇÃO O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVIMOS NO ESTADO DE SÃO PAULO SESCOOP/SP, tendo em vista o Edital

Leia mais

PALESTRA. A ECF e a Eficiência no Controle Fiscal

PALESTRA. A ECF e a Eficiência no Controle Fiscal PALESTRA A ECF e a Eficiência no Controle Fiscal Palestrante: Ivo Ribeiro Viana Advogado, contabilista, especialista em direito tributário pela PUC-SP, MBE em gestão e controladoria pela FECAP-SP. Consultor

Leia mais

ECF - Lucro Real - Regras Gerais e Preenchimento. 1. Tela inicial da ECF... 3. 2. Visualização dos dados da ECF... 3

ECF - Lucro Real - Regras Gerais e Preenchimento. 1. Tela inicial da ECF... 3. 2. Visualização dos dados da ECF... 3 ECF - Lucro Real - Regras Gerais e Preenchimento 1. Tela inicial da ECF... 3 2. Visualização dos dados da ECF... 3 3. Bloco 0 - Abertura e Identificação... 4 3.1 Registro 0000 - Abertura do Arquivo Digital

Leia mais

Conteúdo programático: Formação Gestão de Materiais

Conteúdo programático: Formação Gestão de Materiais Conteúdo programático: Formação Gestão de Materiais Informações gerais Família de Gestão: Gestão de Materiais Carga Horária: 172 horas (96 horas presencial + 76 horas e-learning) Objetivo: Proporcionar

Leia mais

EFD. Contribuições Atualização. Abril 2013. Elaborado por: Antônio Sérgio de Oliveira

EFD. Contribuições Atualização. Abril 2013. Elaborado por: Antônio Sérgio de Oliveira Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS APRESENTAÇÃO FGV Criado em 1999, o FGV Management é o Programa de Educação Executiva Presencial da Fundação Getulio Vargas, desenvolvido para atender a demanda do mercado por cursos de qualidade, com tradição

Leia mais

Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Logística

Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Logística Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Logística - TLO 2006/1 Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Logística 1 DADOS LEGAIS: Reconhecido pela Portaria MEC 134 de

Leia mais

www.avantassessoria.com.br

www.avantassessoria.com.br www.avantassessoria.com.br Nossa Empresa A AVANT Assessoria Contábil e Tributária é uma empresa de contabilidade especializada em consultoria e assessoria de empresas e profissionais liberais, oferecendo

Leia mais

ECF - escrituração contábil fiscal

ECF - escrituração contábil fiscal ECF - escrituração contábil fiscal O que é a ECF? Escrituração Contábil Fiscal é uma nova obrigação do SPED Sistema Público de Escrituração Digital, que entrará em vigor em 2015 e nessa deverão ser informados

Leia mais

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP Sistema de gestão ERP MÓDULOS E CLIENTES Os módulos podem ser adquiridos separadamente, conforme a sua necessidade. ÁREA COMERCIAL ÁREA ADMINISTRATIVA FINANCEIRA ÁREA PRODUÇÃO E SUPRIMENTOS ÁREA FISCAL

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA

A IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA A IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA Palestra no SINCOPEÇAS-RS 22 de maio de 2014 www.alfredo.com.br PREÇO DE VENDA E MARGEM DE LUCRO 2 GOVERNO CONCORRENTES FORNECEDOR EMPRESA CLIENTES PREÇO DE

Leia mais

GESTÃO ADMINISTRATIVA

GESTÃO ADMINISTRATIVA GESTÃO ADMINISTRATIVA A Andrade s Consultoria em Gestão Empresarial é uma empresa que desenvolve projetos de consultoria customizados de acordo com as necessidades de cada cliente. Nossos projetos são

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013

Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013 Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013 DOU de 17.9.2013 Dispõe sobre o Regime Tributário de Transição (RTT) instituído pelo art. 15 da Lei nº 11.941, de 27 de maio de 2009. O SECRETÁRIO

Leia mais

EFD Contribuições (PIS/Cofins)

EFD Contribuições (PIS/Cofins) EFD Contribuições (PIS/Cofins) Principais Aspectos no Preenchimento e Implantação da Escrituração Fiscal Digital do PIS/Pasep, da Cofins e da Contribuição Previdenciária sobre Receitas. Assunto: Escrituração

Leia mais

INFORMATIVO ESPECIAL SPED Comunicado SPED vs.4-02/03/2012

INFORMATIVO ESPECIAL SPED Comunicado SPED vs.4-02/03/2012 Comunicado SPED vs.4-02/03/2012 Prezado cliente, Para mantê-lo informado sobre as liberações e procedimentos referentes ao SPED PIS/COFINS, destacamos nesse comunicado os principais pontos que devem ser

Leia mais

TRIBUTOS: SAIBA COMO DOMINAR OS FANTASMAS DA BUROCRACIA CORPORATIVA

TRIBUTOS: SAIBA COMO DOMINAR OS FANTASMAS DA BUROCRACIA CORPORATIVA 1 SUMÁRIO Introdução Quais as principais obrigações com que devo me preocupar? ECF EFD Contribuições SPED Fiscal SPED Contábil esocial Como lidar com todas essas informações? Organize-se para evitar penalizações

Leia mais

Gestão Contábil e Financeira nas Pequenas e Médias Empresas PMEs

Gestão Contábil e Financeira nas Pequenas e Médias Empresas PMEs Gestão Contábil e Financeira nas Pequenas e Médias Empresas PMEs. 1 A Contabilidade como Ferramenta de Gestão: Nova Visão Empresarial Benefícios e Vantagens; Parceria do Administrador e do Profissional

Leia mais

Conteúdo programático: Formação Controladoria

Conteúdo programático: Formação Controladoria Conteúdo programático: Formação Controladoria Informações gerais Família de Gestão: Controladoria Carga Horária: 172 horas (96 horas presencial + 76 horas e-learning) Objetivo: Proporcionar ao mercado

Leia mais

MANUAL DO EMPRESÁRIO

MANUAL DO EMPRESÁRIO MANUAL DO EMPRESÁRIO ÍNDICE GERAL Pagina CAPITULO I VOCÊ, COMO EMPRESÁRIO E SUA EMPRESA 012 PARTE I TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER 012 ITEM I O QUE VOCÊ DEVE SER E TER 012 PARTE II O PLANEJAMENTO DA SUA

Leia mais

Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Logística

Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Logística Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Logística - TLO 2005/1 Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Logística 1 DADOS LEGAIS: Reconhecido pela Portaria MEC 134 de

Leia mais