ESTÁGIO CURRICULAR II IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA SPED FISCAL E ANÁLISE DE DESEMPENHO DE PROCESSOS SOBRE BANCO DE DADOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTÁGIO CURRICULAR II IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA SPED FISCAL E ANÁLISE DE DESEMPENHO DE PROCESSOS SOBRE BANCO DE DADOS"

Transcrição

1 Luiz Fernando Meier ESTÁGIO CURRICULAR II IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA SPED FISCAL E ANÁLISE DE DESEMPENHO DE PROCESSOS SOBRE BANCO DE DADOS EMPRESA: Conceito W SETOR: Banco de Dados SUPERVISOR: Ademir da Cunha Júnior ORIENTADOR: Fabiano Baldo CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGIAS - CCT UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC JOINVILLE SANTA CATARINA BRASIL NOVEMBRO/2009

2 APROVADO EM.../.../... Professor Fabiano Baldo Doutor (Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC) Professor Orientador Professor Alexandre Takahashi Doutor (Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC) Professor Roberto Silvio Ubertino Rosso Jr. Doutor (Loughborough University - Inglaterra) Ademir da Cunha Júnior Supervisor da CONCEDENTE

3 Carimbo da Empresa UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: Conceito W Desenvolvimento de Software Ltda EPP CGC/MF: / Endereço: Marcílio Dias, 468 Bairro: Santo Antônio CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Supervisor: Ademir da Cunha Júnior Cargo: Sócio Diretor ESTAGIÁRIO Nome: Luiz Fernando Meier Matrícula: Endereço: Benjamin Constant, 2159 Bairro: Glória CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Curso: Tecnologia em Sistemas de Informação Título do Estágio: Implantação do sistema SPED Fiscal e análise de desempenho de processos sobre banco de dados. Período: 01/09/2009 a 29/09/2009 Carga horária: 120 horas AVALIAÇÃO FINAL DO ESTÁGIO DE LUIZ FERNANDO MEIER PELO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS Representada pelo Professor Orientador: Fabiano Baldo CONCEITO FINAL DO ESTÁGIO DESENVOLVIMENT O E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS Excelente (9,1 a 10) Muito Bom (8,1 a 9,0) Bom (7,1 a 8,0) Regular (5,0 a 7,0) Reprovado (0,0 a 4,9) NOTA ETG I (Média do Processo) NOTA ETG II (Média do Processo) Rubrica do Professor da Disciplina Joinville / /

4 Nome do Estagiário: Luiz Fernando Meier QUADRO I AVALIAÇÃO NOS ASPECTOS PROFISSIONAIS QUALIDADE DO TRABALHO: Considerando o possível. ENGENHOSIDADE: Capacidade de sugerir, projetar, executar modificações ou inovações. CONHECIMENTO: Demonstrado no desenvolvimento das atividades programadas. CUMPRIMENTO DAS TAREFAS: Considerar o volume de atividades dentro do padrão razoável. ESPÍRITO INQUISITIVO: Disposição demonstrada para aprender. INICIATIVA: No desenvolvimento das atividades. SOMA Pontos QUADRO II AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS HUMANOS ASSIDUIDADE: Cumprimento do horário e ausência de faltas. DISCIPLINA: Observância das normas internas da Empresa. SOCIABILIDADE: Facilidade de se integrar com os outros no ambiente de trabalho. COOPERAÇÃO: Disposição para cooperar com os demais para atender as atividades. SENSO DE RESPONSABILIDADE: Zelo pelo material, equipamentos e bens da empresa. SOMA Pontos PONTUAÇÃO PARA O QUADRO I E II Sofrível - 1 ponto, Regular - 2 pontos, Bom - 3 pontos, Muito Bom - 4 pontos, Excelente - 5 pontos LIMITES PARA CONCEITUAÇÃO AVALIAÇÃO FINAL Pontos De 57 a SOFRÍVEL SOMA do Quadro I multiplicada por 7 De 102 a REGULAR SOMA do Quadro II multiplicada por 3 De 148 a BOM SOMA TOTAL De 195 a MUITO BOM De 241 a EXCELENTE Nome da Empresa: Conceito W Representada pelo Supervisor: Ademir da Cunha Júnior CONCEITO CONFORME SOMA TOTAL Rubrica do Supervisor da Empresa Local: Data : Carimbo da Empresa

5

6

7 CRONOGRAMA FÍSICO E REAL ATIVIDADES PERÍODO (8 horas) Implantação do SPED Fiscal na empresa Sabó. P R 2. Implantação do SPED Fiscal na empresa Incepa. P R 3. Implantação do SPED Fiscal na empresa M&G. P R 4. Identificação dos pontos com baixo desempenho. P R 5. Aperfeiçoamento da parte de banco de dados do sistema SPED Fiscal, através da melhoria dos pontos identificados na atividade 4. P R

8 AGRADECIMENTOS Gostaria de agradecer imensamente o apoio de minha família, sem o qual não seria possível a conclusão deste trabalho. Também gostaria de agradecer ao meu professor orientador, Fabiano Baldo, pela dedicação nas correções e pelas ótimas dicas que concederam imensa contribuição no resultado final.

9 SUMÁRIO RESUMO INTRODUÇÃO APRESENTAÇÃO DO SPED FISCAL OBJETIVOS Gerais Específicos METODOLOGIA JUSTIFICATIVA ESTRUTURA DO TRABALHO APRESENTAÇÃO DA EMPRESA CONCEDENTE PRINCIPAIS CLIENTES PARCERIA SOFTTEAM CONCEITOS E TECNOLOGIAS UTILIZADAS SGBD - SISTEMA GERENCIADOR DE BANCOS DE DADOS SQL STRUCTURED QUERY LANGUAGE AMBIENTE WEB E ASP.NET PL/SQL TUNNING DE BANCO DE DADOS VISITAS AOS CLIENTES SABÓ INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE AUTOPEÇAS LTDA M&G POLIÉSTER S.A INCEPA REVESTIMENTOS CERÂMICOS PONTOS DE MELHORIA DE DESEMPENHO PRIMEIRO CASO IMPORTAÇÃO SPED FISCAL SEGUNDO CASO IMPORTAÇÃO SPED FISCAL TERCEIRO E QUARTO CASOS VALIDAÇÃO DE LAYOUT QUINTO CASO IMPORTAÇÃO SPED FISCAL SEXTO CASO EXPORTAÇÃO SPED FISCAL CONSIDERAÇÕES FINAIS GLOSSÁRIO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS... 47

10 LISTA DE QUADROS Quadro 1 Exemplo de código antes de melhoria, primeiro caso Quadro 2 Exemplo de código após melhoria, primeiro caso Quadro 3 Exemplo de código antes da melhoria, segundo caso Quadro 4 Exemplo de código após melhoria, segundo caso Quadro 5 Exemplo de código antes da melhoria, terceiro e quarto casos Quadro 6 Consulta em uma tabela de metadados do Oracle Quadro 7 Exemplo de código após melhoria, terceiro e quarto casos Quadro 8 Criação do índice citado no quarto caso Quadro 9 Exemplo de código antes da melhoria, quinto caso Quadro 10 Exemplo de código após melhoria, quinto caso Quadro 11 Exemplo de código antes de melhoria, sexto caso Quadro 12 Exemplo de código após melhoria, sexto caso

11 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Estrutura básica da tabela TBLF_301_TMP Tabela 2 Estrutura básica da tabela TBLF_301_TMP_DEL

12 RESUMO O presente trabalho de estágio tem como principais objetivos a implantação do sistema SPED Fiscal em três clientes que utilizam o banco de dados Oracle e a identificação e melhoria de pontos críticos de desempenho relacionados ao banco de dados. Para a realização deste trabalho, foram selecionados seis pontos com baixo desempenho, onde o cenário de cada um deles é exemplificado, assim como os métodos que foram utilizados para amenizar ou solucionar os problemas. As funcionalidades do sistema SPED Fiscal consideradas para o levantamento de pontos com baixo desempenho foram as seguintes: importação, apuração, validação e exportação de dados. Com relação aos benefícios gerados para a empresa com a conclusão deste trabalho, é possível considerar a parte de implantação do sistema em caráter de homologação (ambiente de testes) em três clientes como sendo um ponto efetuado com sucesso, e também as melhorias efetuadas no sistema SPED Fiscal quanto ao desempenho dos processos relacionados ao banco de dados, pois foram solucionados problemas relatados inclusive por clientes, gerando ganho para a empresa. 12

13 1. Introdução A cada ano que passa, a quantidade de informação gerada pela humanidade aumenta consideravelmente. Para se ter uma idéia, estima-se que no ano de 2003, a quantidade de informação gerada no mundo foi aproximadamente cinco exabytes, contra duzentos e cinqüenta e cinco exabytes estimados para o ano de 2007 (NIEMIEC, 2007). Nos tempos atuais, se faz necessário o uso de ferramentas que tornem mais fácil e rápido o gerenciamento de todas essas informações, pois para que estas sejam úteis é importante também que sejam acessíveis e organizadas. É neste ponto que a utilização de bancos de dados robustos se faz presente, sendo estes responsáveis por armazenar e disponibilizar as informações de maneira organizada, para que estes dados possam ser melhor compreendidos como um todo ou individualmente Apresentação do SPED Fiscal Segundo o endereço eletrônico da Receita Federal Brasileira (SPED, 2009), a Escrituração Fiscal Digital - EFD é um arquivo digital, que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras informações de interesse dos fiscos das unidades federadas e da Secretaria da Receita Federal do Brasil, bem como de registros de apuração de impostos referentes às operações e prestações praticadas pelo contribuinte. Este arquivo deverá ser assinado digitalmente e transmitido, via Internet, pelo ambiente SPED. O SPED (Sistema Público de Escrituração Digiral) é um projeto que faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal (PAC), sendo composto por três subprojetos: Escrituração Contábil Digital, Escrituração Fiscal Digital e NF-e Ambiente Nacional. Ainda segundo o endereço eletrônico da Receita Federal Brasileira (SPED, 2009), o projeto SPED consiste na modernização da sistemática atual do cumprimento das obrigações acessórias, transmitidas pelos contribuintes às administrações tributárias e aos órgãos fiscalizadores, utilizando-se da certificação digital para fins de assinatura dos documentos eletrônicos, garantindo assim a validade jurídica dos mesmos apenas na sua forma digital. O governo federal divulgou uma lista contendo a relação das empresas que devem prestar suas contas fiscais de forma eletrônica e via internet, utilizando o sistema SPED, a partir de 13

14 setembro de Esta relação está disponível para consulta no endereço eletrônico da Receita Federal Brasileira, bem como a descrição detalhada da lei vigente, através do documento ATO COTEPE, de 18 de abril de Neste documento, além das regras para a vigência da lei, estão contidas informações detalhadas sobre o formato em que os arquivos devem ser transmitidos, e as informações que devem conter. Ainda segundo a mesma lei, os arquivos devem ser gerados a partir das bases de dados das empresas, de acordo com o layout estabelecido em ATO COTEPE, informando todos os documentos fiscais e outras informações de interesse dos fiscos federal e estadual, referentes ao período de apuração dos impostos ICMS e IPI. O governo fornece ainda um Programa Validador e Assinador (PVA), pelo qual os arquivos gerados devem ser submetidos à importação e validação, só sendo transmitidos após a conclusão desta etapa. O sistema que foi objeto de estudo neste trabalho, do qual foram realizadas as implantações em clientes e no qual foram encontrados os pontos com baixo desempenho é o SPED Fiscal, desenvolvido pela empresa Conceito W e de propriedade da empresa Softteam. Seu foco principal é a formatação e validação dos dados a serem enviados na declaração fiscal dos clientes. O processo principal de funcionamento, que é o mesmo utilizado nos testes aplicados nas empresas onde as implantações citadas neste trabalho foram realizadas, consiste na importação dos dados para o sistema SPED Fiscal da empresa Softteam, validação e apuração dos dados, e por fim a exportação do arquivo EFD, no formato que o governo federal estipula. Este arquivo teoricamente estará pronto então para ser submetido à validação no software PVA onde, se não possuir falhas, poderá ser assinado e transmitido ao ambiente SPED do governo federal Objetivos Gerais Realizar a implantação do sistema SPED Fiscal, identificando pontos com baixo desempenho relacionados a banco de dados e alterando os mesmos de forma a solucioná-los ou amenizá-los. 14

15 Específicos Os objetivos específicos deste trabalho atacam dois pontos principais. Implantando o sistema SPED Fiscal em três clientes: Sabó, Incepa e M&G. As principais atividades aqui desenvolvidas são: a finalização da implantação do sistema, a realização dos testes necessários das principais funcionalidades do sistema, e também a identificação dos pontos de processamento com baixo desempenho relacionados a rotinas implementadas no banco de dados, ex. stored procedures. Melhoria dos pontos com baixo desempenho identificados anteriormente, utilizando técnicas de melhoria de desempenho segundo referências bibliográficas, testes de campo, e melhores práticas de desenvolvimento Metodologia A metodologia utilizada para o desenvolvimento do trabalho foi de pesquisa bibliográfica juntamente com testes de campo. Ou seja, teorias aprendidas foram testadas na prática com casos reais, e os resultados são comentados ao longo do desenvolvimento do projeto. O conjunto de passos utilizado para a realização do trabalho é apresentado abaixo: 1. Implantação do sistema SPED Fiscal; 2. Testes das principais funcionalidades do sistema SPED Fiscal; 3. Identificação de pontos com baixo desempenho entre as funcionalidades testadas, que tenham o processamento realizado em bancos de dados; 4. Aplicação de métodos de melhoria de desempenho nos pontos identificados Justificativa Todas as empresas que se enquadram nas regras definidas pelo governo federal para a prestação de contas pelo SPED Fiscal deveriam iniciar o envio dos arquivos mensalmente já a partir do mês de setembro do ano de Garantir que o sistema 15

16 estivesse funcionando perfeitamente em todos os clientes que o adquiriram, com um desempenho aceitável, a tempo de enviar os arquivos dentro do prazo, era uma questão fundamental para a empresa. É neste ponto que o presente trabalho se justifica, auxiliando para a conclusão deste plano Estrutura do Trabalho O conteúdo do trabalho está estruturado da seguinte forma: primeiramente, no capítulo 2 é feita uma apresentação da empresa concedente, Conceito W, contando com alguns dados, principais ramos de atividade e clientes, além de uma breve apresentação da empresa Softteam, cliente da Conceito W que teve este trabalho de estágio como prestação de serviço. No capítulo 3 é feito um resumo sobre as tecnologias utilizadas e citadas neste trabalho, a fim de facilitar o entendimento do leitor a respeito do mesmo. No capítulo 4, são apresentadas as três empresas onde foi feito o trabalho de implantação do SPED Fiscal e a identificação de problemas de desempenho. Também é feita uma explanação geral sobre o andamento do processo de implantação do sistema em cada uma. Já no capítulo 5 são abordados os problemas de desempenho relacionados à parte de banco de dados do sistema SPED Fiscal identificados em cada empresa. A abordagem utilizada compreende a caracterização do ambiente em que o problema foi encontrado, e a explicação da solução aplicada, passando pela motivação da utilização da referida solução. Por fim, é apresentada uma conclusão sobre o trabalho, apresentando considerações gerais sobre o tema de melhoria de desempenho sugerido, além dos benefícios gerados pelo trabalho para o estagiário, bem como para a empresa concedente e os clientes envolvidos. 16

17 2. Apresentação da Empresa Concedente O estágio foi realizado na empresa Conceito W Sistemas, com sede em Joinville. A empresa conta atualmente com mais de quarenta funcionários, tendo dado início às suas atividades no início do ano de Segundo o site da empresa (CONCEITO W, 2009), a mesma é uma fábrica de software especializada em soluções corporativas para ambiente cliente/servidor e internet. Os principais serviços prestados pela Conceito W são: Fábrica de Software (terceirização); Desenvolvimento sob medida; Outsourcing. Ainda segundo o site da empresa (CONCEITO W, 2009), o nome Conceito W representa seguir os conceitos de simplicidade e usabilidade da Web (internet). Não é necessário fazer um curso ou ser um especialista para navegar e utilizar os serviços de um bom site, mesmo em seu primeiro acesso. A Conceito W utiliza esses parâmetros tanto no seu dia-a-dia, como nas soluções que desenvolve, seja Windows ou Web. Além disso, busca evolução constante nas novas tecnologias e tendências de soluções corporativas para a Web, a fim de estar a frente do mercado e, conseqüentemente, colocar nossos clientes nesta mesma posição. Entre as tecnologias utilizadas nos sistemas desenvolvidos pela empresa, destacam-se algumas como as linguagens de programação ASP.NET (C#) e Progress, além dos bancos de dados SQL Server, Oracle e Progress, utilizando muito a programação em stored procedures. Estas tecnologias são aplicadas para o desenvolvimento sobre a plataforma Windows e também em soluções para o ambiente Web. A Conceito W possui hoje clientes em várias áreas de atuação, desde o mercado de ERPs até o setor de alimentação, e com tamanho variando de cinco a três mil funcionários. 17

18 2.1. Principais Clientes Em quase dois anos de atividades, a Conceito W formou uma carteira com vários clientes, diretos e indiretos. A seguir é apresentada uma lista com os clientes mais expressivos em números de negócios. Becomex Black & Decker Brascabos Datasul Logman Datasul Centro-Sul Datasul Gestech Datasul Paulistana Datasul GWA Digital Printer Ditália Frasson Odontologia Inquery Consultoria IP Instituto de Pesquisas KG Laboratório Laboratório Ghanem Neogrid Nissin Savoir Faire Softteam T Systems 18

19 2.2. Parceria Softteam A Softteam é uma empresa de desenvolvimento de software que foi comprada pela empresa Datasul no ano de 2007, passando a ser uma franquia da mesma desde então. Seus principais nichos de mercado são software e serviços para as áreas fiscal, tributária e de auditoria. No ano de 2008 foi fechado um acordo de parceria com a Conceito W para trabalhar, enquanto fábrica de software, no desenvolvimento do produto SPED Fiscal, e também alguns outros projetos. Desde então, houveram muitas alocações de profissionais de uma empresa em outra, dependendo das necessidades do projeto no momento. Durante o período de desenvolvimento deste trabalho de estágio, apesar da empresa concedente ser a Conceito W, as atividades foram realizadas em alocação dentro da empresa Softteam, situada junto da empresa TOTVS, em Joinville, Santa Catarina. Durante a parte de implantação, atividade descrita no plano de estágio, os trabalhos foram realizados também em três outras empresas, conforme descrito no quarto capítulo. 19

20 3. Conceitos e Tecnologias Utilizadas Neste capítulo serão apresentados os principais conceitos e tecnologias utilizadas neste trabalho, e também serão explicados os termos técnicos utilizados no restante do texto. Uma explicação resumida dos termos técnicos contidos nesta seção pode ser encontrada no glossário SGBD - Sistema Gerenciador de Bancos de Dados Segundo Ramakrishnan e Gehrke (2003), um sistema gerenciador de bancos de dados, ou SGBD, é um programa construído para auxiliar na manutenção e utilização de grandes coleções de dados. A necessidade por estes sistemas, assim como seu uso, estão crescendo rapidamente. Existem atualmente vários modelos de bancos de dados sendo utilizados, porém o mais utilizado se trata do modelo relacional. O primeiro SGBD de uso genérico surgiu no início da década de 60, sendo criado por Charles Bachman, e foi chamado de Integrated Data Store, ou armazém de dados integrado. Ele formou a base para o modelo de dados em rede. No fim da mesma década, a IBM desenvolveu o Information Management System, ou sistema de gerenciamento de informações (IMS), e este formou a base para o modelo de dados hierárquico. No ano de 1970, Edgar Codd propôs uma nova representação de dados chamada modelo de dados relacional, e a história prova que este evento foi um divisor de águas no desenvolvimento dos bancos de dados, pois deste ponto para frente, este modelo se tornou o paradigma dominante entre os SGBDs, sendo que seu uso comercial se tornou padrão para o armazenamento de dados SQL Structured Query Language A SQL, linguagem de consulta estruturada, foi criada no início da década de 1970, pela empresa IBM, e padronizada no final da década de É hoje o padrão utilizado para consultas em praticamente todos os bancos de dados relacionais, sendo que sua última versão, SQL:1999, é aceita pela American National Standards Institute (ANSI), e também pela International Organization for Standardization (ISO). A 20

21 linguagem foi originalmente chamada SEQUEL, e embora seja de autoria da IBM, a primeira implementação efetiva foi realizada pela Oracle Corporation. As primeiras implementações comerciais foram concentradas em SGBDs de médio porte, rodando sobre sistemas baseados no sistema operacional UNIX, como Oracle, Ingres e Informix (HARRINGTON, 2003) Ambiente Web e ASP.NET Segundo Lotar (2007), ambiente Web é uma plataforma de desenvolvimento baseada na arquitetura cliente servidor. Os processamentos principais dos programas ficam alocados em um servidor, enquanto os clientes fazer as requisições através de endereços de rede disponibilizados, obtendo desta forma o resultado, que pode ser uma página carregada em um programa navegador, por exemplo. O sistema SPED Fiscal foi totalmente desenvolvido em ambiente Web, tendo seus processamentos de dados mais custosos executados diretamente no banco de dados. A linguagem utilizada para a programação da camada de apresentação foi ASP.NET, enquanto a linguagem utilizada para as regras de negócio e comunicação com o banco de dados foi C#. Ambas são integradas sobre a plataforma de desenvolvimento.net Framework 2.0, da empresa Microsoft PL/SQL PL/SQL é uma linguagem de programação que foi criada pela Oracle como uma linguagem procedural completamente integrada com SQL, para ser usada em bancos de dados Oracle. Em várias maneiras, PL/SQL é uma linguagem procedural padrão, possuindo recursos como funções, procedimentos, declaração de variáveis, loops, recursão, entre outros (ROSENBLUM et al., 2006). Os programas escritos com PL/SQL são sempre executados no servidor de banco de dados, podendo reduzir consideravelmente os dados trafegados em uma rede comparando com um aplicativo rodando em uma máquina cliente, com processamento de um grande volume de dados vindo da base de dados. 21

22 3.5. Tunning de Banco de Dados Segundo Fritchey e Dam (2009), tunning de bancos de dados, ou melhoria de desempenho, é uma parte importante das aplicações que utilizam bancos de dados. Freqüentemente é possível obter grandes economias em tempo e dinheiro com um aperfeiçoamento adequado de desempenho. Em muitos casos, uma pequena mudança, como a adição de um campo em um índice (estrutura de banco de dados utilizada para otimizar consultas, através da organização das informações em listas ordenadas), por exemplo, pode resultar em uma aplicação muito mais eficiente por um custo baixo. Existem muitos pontos a serem analisados para encontrar gargalos de desempenho, alguns exemplos são citados a seguir: Análise da eficácia do uso de cursores; Identificação de comandos problemáticos; Análise dos planos de execução; Avaliação da eficácia dos índices existentes. 22

23 4. Visitas aos Clientes A primeira etapa do trabalho consistiu em visitas a três empresas com a finalidade de instalar o sistema SPED Fiscal, incluindo as seguintes etapas: criação das bases de dados, configuração do servidor IIS, instalação da parte ASP do produto, configuração do produto e testes gerais das funcionalidades, seguindo um roteiro predeterminado. As instalações foram feitas todas em ambiente de homologação, que se trata de um ambiente de testes onde o cliente avalia as funcionalidades do produto, e verifica se estão de acordo com o esperado. As três empresas onde estas instalações foram realizadas são: Sabó, Incepa e M&G. As próximas seções apresentam resumidamente cada uma dessas empresas Sabó Indústria e Comércio de Autopeças Ltda. A empresa Sabó fica situada na capital de São Paulo, e desenvolve há mais de sessenta anos soluções em produtos e serviços para o segmento automotivo mundial. Embora sua matriz se localize na cidade de São Paulo, possui fábricas no Brasil, Argentina, Alemanha, Áustria e Hungria, filiais nos Estados Unidos e Austrália, além de escritórios técnico-comerciais na Itália e Inglaterra. A primeira atividade realizada nesta empresa foi a inclusão das bases unificadas SOFTTEAM e FISCAL para acesso do sistema SPED Fiscal em ambiente de homologação, sendo sobrescritas as bases de homologação já existentes. O sistema SPED Fiscal criado pela empresa Conceito W funciona com duas bases de dados, sendo uma responsável por armazenar dados de configuração, chamada de SOFTTEAM, e outra responsável por armazenar dados de negócio, como informações importadas, chamada de FISCAL. Estas bases são chamadas de unificadas pois foram desenvolvidas sobre as bases de dados de outro produto existente da empresa Softteam, o Livro Fiscal, sendo que ambos os sistemas podem funcionar em paralelo. A criação dos usuários (bases de dados são tratadas como usuários em Oracle) bem como a importação efetiva das bases FISCAL e SOFTTEAM foram atividades realizadas pelo DBA (sigla inglesa para administrador de bancos de dados) da empresa, onde o trabalho realizado pelo funcionário da Conceito W foi de acompanhamento, por questões de política de 23

24 segurança da empresa. Após este passo, foi atualizada a instância da parte ASP do sistema SPED Fiscal, indo para a versão da aplicação, para acesso ao ambiente de homologação. O passo de configuração do servidor Web IIS foi desnecessário, pois como já existia um ambiente de homologação antigo, as mesmas configurações foram aproveitadas. Foram feitos testes básicos no SPED Fiscal das rotinas de importação, tabelas externas, apuração e exportação dos dados, além dos cadastros principais, como notas fiscais e cupons fiscais. Estes testes foram realizados com arquivos de dados da própria empresa. Durante o processo de instalação e verificação, foram encontrados alguns problemas referentes ao produto SPED Fiscal, e estes foram reportados à empresa Softteam, para que as correções pudessem ser efetuadas. Dentre os erros, o que mais se destacou neste caso foi a falta da carga de dados em algumas tabelas do sistema SPED Fiscal, que deveriam vir preenchidas com dados padrão na instalação do produto, e estavam vazias ou incompletas. Também foram registrados alguns problemas de estrutura, como campos faltando em tabelas, e também stored procedures e funções inválidas, por falta de referências. Estes problemas puderam ser contornados rapidamente, e serviram como ajuste fino da versão do SPED Fiscal, já que a mesma havia sido liberada no dia anterior a esta instalação M&G Poliéster S.A. Possuindo operações industriais em São Paulo, Minas Gerais e Pernambuco, a M&G foi fundada no ano de 1994, a partir da associação dos negócios de poliéster da Rhodia e da Celbrás (Grupo Sinasa). Desenvolve resinas para embalagens PET e fibras de poliéster para a indústria têxtil. Foi integrada no ano de 2002 ao grupo italiano Mossi & Ghisolfi. Referente à inclusão das bases unificadas SOFTTEAM e FISCAL para acesso do sistema SPED Fiscal em ambiente de homologação nesta empresa, assim como no caso do primeiro cliente citado, foram sobrescritas as bases de homologação já existentes, e a criação dos usuários, bem como a importação efetiva das bases FISCAL e SOFTTEAM foram atividades realizadas pelo DBA da empresa, onde o trabalho realizado pelo funcionário da Conceito W foi de acompanhamento, vez ou outra assumindo o processo, por questões de política de segurança da empresa. Após este passo, foi 24

25 instalada uma nova instância da parte ASP do sistema SPED Fiscal. Para isso, foi necessário criar e configurar um novo diretório virtual no servidor Web IIS, passo que foi executado com sucesso. Foram feitos testes básicos no SPED Fiscal das rotinas de importação, tabelas externas, apuração e exportação dos dados, além dos cadastros principais, como notas fiscais e cupons fiscais. Estes testes foram realizados com arquivos de dados padrão enviados pela fábrica, além de alguns fornecidos pela própria M&G. Durante o processo de instalação e verificação, foram encontrados alguns problemas referentes ao produto SPED Fiscal, sendo alguns casos novos, e outros idênticos aos encontrados na instalação realizada na empresa Sabó, porém sendo todos da mesma natureza. Desta forma, puderam ser contornados facilmente Incepa Revestimentos Cerâmicos A empresa Incepa fica situada no município de Campo Largo, no estado do Paraná. Produz revestimentos cerâmicos e louças sanitárias, tendo sua fábrica brasileira fundada no ano de O grupo Laufen, fundado em 1892 na Suíça, foi o detentor da marca Incepa até o ano de 1999, quando o grupo foi adquirido pelo grupo Roca. O grupo Roca foi fundado em 1917 na Espanha, e hoje possui uma linha de produtos para banheiros produzidos em 65 fábricas espalhadas em 20 países. Diferentemente das outras duas empresas citadas, a instalação na Incepa foi realizada completamente sem acompanhamento de um profissional da empresa. Foram incluídas as bases unificadas SOFTTEAM e FISCAL para acesso do sistema SPED Fiscal em ambiente de homologação, criando usuários novos em ambos os casos. Houve problemas com relação ao uso da tablespace, porém foi resolvido rapidamente pelo pessoal de suporte da área de TI da Incepa. Logo após, foi instalada uma nova instância da parte ASP do sistema SPED Fiscal, para acesso em ambiente de homologação. Para isso, foi necessário criar e configurar um novo diretório virtual no servidor Web IIS, passo que também foi realizado com sucesso. Foram feitos testes básicos no SPED Fiscal das rotinas de importação, tabelas externas, apuração e exportação dos dados, além dos cadastros principais, como notas fiscais e cupons fiscais. Estes testes foram realizados com arquivos de dados fornecidos pela própria empresa Incepa. Tirando o 25

26 problema enfrentado quanto ao uso da tablespace, os outros foram basicamente os mesmos já encontrados anteriormente, podendo ser contornados de maneira simples. 26

27 5. Pontos de Melhoria de Desempenho Neste capítulo são apresentados os seis pontos de baixo desempenho mais relevantes identificados durante as implantações do sistema SPED Fiscal citadas no capítulo 4. As soluções apresentadas foram de grande valia para que o resultado destas implantações fosse positivo, possibilitando a melhoria do sistema SPED Fiscal e também contribuindo para a satisfação dos clientes com relação à facilidade de uso do mesmo, pois houve melhora no desempenho de vários processos que estavam sendo executados de forma insatisfatória Primeiro Caso Importação SPED Fiscal O primeiro caso a ser abordado neste trabalho foi encontrado durante a visita à empresa Sabó, onde a importação de um arquivo de quase cem megabytes estava sendo executada já há quase um dia, sem conclusão. Como no ambiente desta empresa foi disponibilizado para utilização um usuário de banco de dados com um nível muito baixo de permissões, não foi possível utilizar nenhuma ferramenta de análise de execução de scripts, fato este que criou um dilema sobre como descobriria o ponto exato que estava causando a lentidão. Através dos logs de acompanhamento do programa, foi possível saber qual stored procedure estava rodando no momento, porém dentro desta existe uma série de passos, sendo impossível descobrir o comando exato sem nenhum recurso adicional. A maneira utilizada para descobrir o ponto de travamento, dadas as circunstâncias adversas, foi o tratamento de erros da rotina de importação do SPED Fiscal, que está provida de mecanismos que gravam histórico dos comandos executados caso algum gere uma exceção. No entanto, o único problema foi que, para utilizar este recurso era necessário forçar uma exceção, pois apesar de que o processo estava lento, ele estava sendo executado em circunstâncias normais, sem erros. Neste caso, para forçar a exceção, foi solicitado ao responsável pela área de informática da empresa que realizasse um shutdown do banco de dados, o que causou uma exceção no processo corrente de importação, sendo ela o fim do canal de comunicação. A partir deste momento, foi possível obter acesso ao comando que estava sendo executado já havia quase vinte e quatro horas. O comando era o exibido no quadro 1. 27

ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DO BANCO DE DADOS

ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DO BANCO DE DADOS Bruno Luiz Corbani Garcia ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DO BANCO DE DADOS EMPRESA: Conceito W SETOR: Banco de Dados SUPERVISOR: Ademir da Cunha Junior ORIENTADOR: Edino Mariano

Leia mais

2008.1. A linguagem SQL

2008.1. A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

Oracle PL/SQL Overview

Oracle PL/SQL Overview Faculdades Network Oracle PL/SQL Overview Prof. Edinelson PL/SQL Linguagem de Programação Procedural Language / Structured Query Language Une o estilo modular de linguagens de programação à versatilidade

Leia mais

Introdução ao SQL. O que é SQL?

Introdução ao SQL. O que é SQL? Introdução ao SQL 1 O que é SQL? Inicialmente chamada de Sequel, SQL (Structured Query Language), é a linguagem padrão utilizada para comunicar-se com um banco de dados relacional. A versão original foi

Leia mais

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas SQL Autor: Renata Viegas A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua

Leia mais

O que são Bancos de Dados?

O que são Bancos de Dados? SQL Básico Liojes de Oliveira Carneiro professor.liojes@gmail.com www.professor-liojes.blogspot.com O que são Bancos de Dados? É o software que armazena, organiza, controla, trata e distribui os dados

Leia mais

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE BANCO DE DADOS II Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com eberton.marinho@ifrn.edu.br Curso de Tecnologia

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE FERNANDO RODRIGO NASCIMENTO GUSE i ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE EMPRESA: Globalmind Serviços em Tecnologia da Informação LTDA. SETOR: Infra Estrutura SUPERVISOR:

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 6.1 ARQUIVOS E REGISTROS De um modo geral os dados estão organizados em arquivos. Define-se arquivo como um conjunto de informações referentes aos elementos

Leia mais

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA MARÇO 1997 2 1 - CONCEITOS GERAIS DE 1.1 - Conceitos Banco de Dados - Representa

Leia mais

Treinamento Auditor Fiscal. Instrutor: Jaime Naves Gestora: Adriana Nunes

Treinamento Auditor Fiscal. Instrutor: Jaime Naves Gestora: Adriana Nunes Treinamento Auditor Fiscal Instrutor: Jaime Naves Gestora: Adriana Nunes Conceito: O Auditor Fiscal WEB é uma solução que permite a usuários de qualquer segmento empresarial realizar auditorias sobre os

Leia mais

SUPORTE, MANUTENÇÕES E MELHORIAS NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE SANTA CATARINA

SUPORTE, MANUTENÇÕES E MELHORIAS NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE SANTA CATARINA CLAYTON IVAN MENDES ESTÁGIO CURRICULAR I e II SUPORTE, MANUTENÇÕES E MELHORIAS NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE SANTA CATARINA EMPRESA: FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE

Leia mais

SQL. Curso Prático. Celso Henrique Poderoso de Oliveira. Novatec

SQL. Curso Prático. Celso Henrique Poderoso de Oliveira. Novatec SQL Curso Prático Celso Henrique Poderoso de Oliveira Novatec 1 Introdução Desde o início da utilização dos computadores, sabemos que um sistema é feito para aceitar entrada de dados, realizar processamentos

Leia mais

Banco de Dados. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br. Exercícios SQL

Banco de Dados. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br. Exercícios SQL Banco de Dados Exercícios SQL 1 TRF (ESAF 2006) 32. Analise as seguintes afirmações relacionadas a Bancos de Dados e à linguagem SQL: I. A cláusula GROUP BY do comando SELECT é utilizada para dividir colunas

Leia mais

MANUAL INSTALAÇÃO WEB SERVICE

MANUAL INSTALAÇÃO WEB SERVICE MANUAL INSTALAÇÃO WEB SERVICE Recebimento de dados pelo Hospital Versão 1.1 2/9/2014 Contato suporte@gtplan.com.br Índice Introdução... 2 Requerimentos para instalação do Web Service... 2 Instalação...

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 INTRODUÇÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 Leonardo Pereira leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti http://www.estudandoti.com.br Informações que precisam ser manipuladas com mais segurança

Leia mais

LINGUAGEM SQL. DML - Linguagem de Manipulação de Dados

LINGUAGEM SQL. DML - Linguagem de Manipulação de Dados LINGUAGEM SQL Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL, é uma linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional (base de dados relacional). Muitas das características

Leia mais

Integridade dos Dados

Integridade dos Dados 1 Integridade dos Dados Integridade dos Dados Melissa Lemos melissa@inf.puc-rio.br A integridade dos dados é feita através de restrições, que são condições obrigatórias impostas pelo modelo. Restrições

Leia mais

MANUAL DO SPED FISCAL Revisão: 1.1 29/09/2009

MANUAL DO SPED FISCAL Revisão: 1.1 29/09/2009 MANUAL DO SPED FISCAL Revisão: 1.1 29/09/2009 Vector Informática SPED Fiscal - EFD - PVA Este arquivo contém definições e funcionamento do SPED Fiscal, PVA, EFD, Certificado digital e outras informações

Leia mais

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável.

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. SQL (Structured Query Language) SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. Além de permitir a realização de consultas, SQL possibilita: definição

Leia mais

Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01

Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01 Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01 1 1- Bancos de dados compreendem desde agendas telefônicas até sistemas computadorizados. (Sim) 2- Só podemos instalar o SQL Server Express se tivermos

Leia mais

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita:

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita: SQL Tópicos Especiais Modelagem de Dados Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Mestrado Profissional em Ensino de Ciências

Leia mais

NF-e e seu impacto prático

NF-e e seu impacto prático NF-e e seu impacto prático Apresentação e Conceito SPED Instituído pelo Decreto n º 6.022, de 22 de janeiro de 2007, o projeto do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) faz parte do Programa de

Leia mais

Structured Query Language (SQL)

Structured Query Language (SQL) SQL Histórico Structured Query Language (SQL) Foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language) para suas primeiras tentativas

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

FAPLAN - Faculdade Anhanguera Passo Fundo Gestão da Tecnologia da Informação Banco de Dados II Prof. Eder Pazinatto Stored Procedures Procedimento armazenados dentro do banco de dados Um Stored Procedure

Leia mais

Introdução a Sistemas de Bancos de Dados

Introdução a Sistemas de Bancos de Dados Introdução a Sistemas de Bancos de Dados Prof. UFES - Universidade Federal do Espírito Santo rapchan@inf.ufes.br http://www.inf.ufes.br/~rapchan Roteiro da Apresentação Introdução Características de um

Leia mais

LINGUAGEM SQL. SQL Server 2008 Comandos iniciais

LINGUAGEM SQL. SQL Server 2008 Comandos iniciais 1 LINGUAGEM SQL SQL Server 2008 Comandos iniciais SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE Quando os Bancos de Dados Relacionais estavam sendo desenvolvidos, foram criadas linguagens destinadas à sua manipulação.

Leia mais

Módulo Contábil e Fiscal

Módulo Contábil e Fiscal Módulo Contábil e Fiscal SPED Contábil e Fiscal Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Contábil e Fiscal SPED. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

PRINCIPAIS DIFICULDADES PARA A APLICAÇÃO DO SPED CONTÁBIL E FISCAL 1

PRINCIPAIS DIFICULDADES PARA A APLICAÇÃO DO SPED CONTÁBIL E FISCAL 1 PRINCIPAIS DIFICULDADES PARA A APLICAÇÃO DO SPED CONTÁBIL E FISCAL 1 FERNANDES, Alexandre Roberto Villanova 2 ; KIRINUS, Josiane Boeira 3 1 Trabalho de Pesquisa _URCAMP 2 Curso de Ciências Contábeis da

Leia mais

Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08

Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08 Exercícios Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08 1. A linguagem SQL apresenta uma série de comandos que permitem a definição dos dados, chamada de DDL (Data Definition Language). Assinale a alternativa

Leia mais

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS POSTGRESQL O PostgreSQL é um sistema gerenciador de banco de dados dos mais robustos e avançados do mundo. Seu código é aberto e é totalmente gratuito,

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS THAYZE MAINKA NAIZER ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS EMPRESA: Linx Sistemas e Consultoria Ltda (Unidade Microvix) SETOR: Banco de Dados SUPERVISOR: Dalton Dhiergo

Leia mais

SPED CONTÁBIL CONTABILIDADE NOVA

SPED CONTÁBIL CONTABILIDADE NOVA SPED CONTÁBIL CONTABILIDADE NOVA RMS Software S.A. Uma Empresa TOTVS Todos os direitos reservados. A RMS Software é a maior fornecedora nacional de software de gestão corporativa para o mercado de comércio

Leia mais

SINTEGRA + DPI + LIVROS FISCAIS EM PAPEL + OUTROS

SINTEGRA + DPI + LIVROS FISCAIS EM PAPEL + OUTROS SINTEGRA + DPI + LIVROS FISCAIS EM PAPEL + OUTROS Coordenação do SPED FISCAL Página 1 de 38 ÍNDICE Apresentação...4 Agradecimentos...6 O que é Escrituração Fiscal Digital (EFD)?...7 Quem está obrigado

Leia mais

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias 2 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias Modelo de dados: Conjunto de conceitos

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO THALLES GRESCHECHEN ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO EMPRESA: NEOGRID INFORMÁTICA S/A SETOR: SUPORTE E MONITORAMENTO SUPERVISOR: FÁBIO ROBERTO MENDES ORIENTADOR: PROF. GERSON VOLNEY LAGEMANN

Leia mais

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR EMPRESA: TRÍPLICE CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: RONALDO GUIZARDI ORIENTADOR: VILSON VIEIRA CURSO DE BACHARELADO EM

Leia mais

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 10 - PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS - STORED PROCEDURES 1. INTRODUÇÃO Em muitas situações será necessário armazenar procedimentos escritos com a finalidade de se utilizar recursos como loop, estruturas

Leia mais

SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL

SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL O que você irá ver O que é o SPED; SPED Fiscal; Abrangência do projeto; O PAC e o SPED; Benefícios para as Empresas; Benefícios para a Fisco; SPED Contábil; Nota

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE SOLUÇÕES FISCAIS

ESTÁGIO CURRICULAR II MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE SOLUÇÕES FISCAIS VITOR MENDES ESTÁGIO CURRICULAR II MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE SOLUÇÕES FISCAIS EMPRESA: TOTVS LTDA. SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: FERNANDO BRUDER ORIENTADOR: CARLOS NORBERTO VETORAZZI

Leia mais

SPED-Fiscal ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Perguntas mais freqüentes

SPED-Fiscal ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Perguntas mais freqüentes SPED Versão 1.0.1 A. Conceito, uso e obrigatoriedade do SPED Fiscal: 1. O que é o SPED fiscal? Resp: A sigla SPED significa Sistema Público de Escrituração Digital. O SPED Fiscal ou Escrituração Fiscal

Leia mais

UNISA Universidade de Santo Amaro. http://www.unisa.br. Material de Estudo. Módulo I: Básico Banco de dados SQL Server. http://www.unisa-sis.

UNISA Universidade de Santo Amaro. http://www.unisa.br. Material de Estudo. Módulo I: Básico Banco de dados SQL Server. http://www.unisa-sis. UNISA Universidade de Santo Amaro http://www.unisa.br Material de Estudo Módulo I: Básico Banco de dados SQL Server http://www.unisa-sis.info Junho/2010 Objetivo do Workshop Compartilhar e apresentar

Leia mais

Comandos de Manipulação

Comandos de Manipulação SQL - Avançado Inserção de dados; Atualização de dados; Remoção de dados; Projeção; Seleção; Junções; Operadores: aritméticos, de comparação,de agregação e lógicos; Outros comandos relacionados. SQL SQL

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP

ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP Bruno Luiz Corbani Garcia ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP EMPRESA: Microvix SETOR: Banco de Dados SUPERVISOR: Dalton Dhiergo Fernandes ORIENTADOR: Alexandre Parra Silva Carneiro

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Antonio

Banco de Dados. Prof. Antonio Banco de Dados Prof. Antonio SQL - Structured Query Language O que é SQL? A linguagem SQL (Structure query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) é a linguagem padrão ANSI (American National Standards

Leia mais

: Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e

: Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e Produto : RM NUCLEUS - 11.52.61 Processo Subprocesso : Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e : Integração com o TSS / TopConnect / CT-e Data

Leia mais

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015 SQL - Banco de Dados 1 Disciplina: Banco de Dados Professor: José Antônio 2 Tópicos de discussão Criando um banco de dados Incluindo, atualizando e excluindo linhas nas tabelas Pesquisa básica em tabelas

Leia mais

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com SQL Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com Material dos professores Ana Carolina Salgado, Fernando Foncesa e Valéria Times (CIn/UFPE) SQL SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta

Leia mais

Histórico de revisões

Histórico de revisões Apostila 3 Histórico de revisões Data Versão Descrição Autor 30/09/2011 1.0 Criação da primeira versão HEngholmJr CONTEÚDO Exclusão de registros Consultas por Dados de Resumo Group by / Having Funções

Leia mais

MANIFESTO DE DOCUMENTOS FISCAIS ELETRÔNICOS MDF - E

MANIFESTO DE DOCUMENTOS FISCAIS ELETRÔNICOS MDF - E MANIFESTO DE DOCUMENTOS FISCAIS ELETRÔNICOS MDF - E RMS Software S.A. - Uma Empresa TOTVS Todos os direitos reservados. A RMS Software é a maior fornecedora nacional de software de gestão corporativa para

Leia mais

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza PHP e Banco de Dados progweb2@thiagomiranda.net Conteúdos Os materiais de aula, apostilas e outras informações estarão disponíveis em: www.thiagomiranda.net PHP e Banco de Dados É praticamente impossível

Leia mais

NORMA TÉCNICA PARA DEFINIÇÃO DE OBJETOS DE BANCO DE DADOS E DE ESTRUTURAS DE ARMAZENAMENTO QUE CONSTITUEM O BANCO DE DADOS CORPORATIVO

NORMA TÉCNICA PARA DEFINIÇÃO DE OBJETOS DE BANCO DE DADOS E DE ESTRUTURAS DE ARMAZENAMENTO QUE CONSTITUEM O BANCO DE DADOS CORPORATIVO NORMA TÉCNICA PARA DEFINIÇÃO DE OBJETOS DE BANCO DE DADOS E DE ESTRUTURAS DE ARMAZENAMENTO QUE CONSTITUEM O BANCO DE DADOS CORPORATIVO Referência: NT-AI.04.04.01 http://www.unesp.br/ai/pdf/nt-ai.04.04.01.pdf

Leia mais

Sistema Público de Escrituração Digital. Institui o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped)

Sistema Público de Escrituração Digital. Institui o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) Escrituração Fiscal Digital Evolução 2003 2004 2005 2006 2007 Decreto nº 6.022-22/01/07 Institui o (Sped) Objetivo: promover a atuação integrada dos fiscos, mediante a padronização e racionalização das

Leia mais

Padrões de Contagem de Pontos de Função

Padrões de Contagem de Pontos de Função Padrões de Contagem de Pontos de Função Contexto Versão: 1.0.0 Objetivo O propósito deste documento é apresentar os padrões estabelecidos para utilização da técnica de Análise de Pontos de Função no ambiente

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos

Sistema de Automação Comercial de Pedidos Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos Cabana - Versão 1.0 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.5 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011

Leia mais

Administração de Banco de Dados

Administração de Banco de Dados Administração de Banco de Dados Professora conteudista: Cida Atum Sumário Administração de Banco de Dados Unidade I 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS...1 1.1 Histórico...1 1.2 Definições...2 1.3 Importância

Leia mais

ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD O QUE É?

ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD O QUE É? ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD O QUE É? A Escrituração Fiscal Digital - EFD é um arquivo digital, que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras informações de interesse

Leia mais

Auditoria de sistemas Deixe que seu banco de dados faça o trabalho por você

Auditoria de sistemas Deixe que seu banco de dados faça o trabalho por você Auditoria de sistemas Deixe que seu banco de dados faça o trabalho por você por Cristóferson Guimarães Magalhães Bueno e Odilon Corrêa da Silva 1 O objetivo deste artigo é demonstrar como criar um sistema

Leia mais

COMITÊ GESTOR DA EFD

COMITÊ GESTOR DA EFD Cartilha da Escrituração Fiscal Digital - EFD COMITÊ GESTOR DA EFD Apresentação A Secretaria de Estado da Fazenda tem a satisfação de disponibilizar aos seus contribuintes, aos profissionais da Contabilidade

Leia mais

Projeto SAT-CF-e Guia de Procedimentos para uso do SRSAT e do Ambiente de Testes por Fabricantes

Projeto SAT-CF-e Guia de Procedimentos para uso do SRSAT e do Ambiente de Testes por Fabricantes 1 Índice Projeto SAT-CF-e Guia de Procedimentos para uso do SRSAT e do Ambiente de Testes por Fabricantes (Versão 1.4.4 atualizado em 14/05/2014) 1. Introdução... 1 2. Fluxo Geral... 1 3. Detalhamento

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Ementa Introdução a Banco de Dados (Conceito, propriedades), Arquivos de dados x Bancos de dados, Profissionais de Banco de dados,

Leia mais

SQL APOSTILA INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL

SQL APOSTILA INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL SQL APOSTILA INTRODUÇÃO Uma linguagem de consulta é a linguagem por meio da qual os usuários obtêm informações do banco de dados. Essas linguagens são, tipicamente, de nível mais alto que as linguagens

Leia mais

Logado no OracleXE vamos acessar a opção:

Logado no OracleXE vamos acessar a opção: Tutorial PL/SQL O PL/SQL é uma linguagem procedural que roda diretamente no núcleo do SGBD Oracle. O objetivo deste tutorial é mostrar a criação de funções e procedimentos em PL/SQL, interagindo com comandos

Leia mais

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 11-1. INTRODUÇÃO TRIGGERS (GATILHOS OU AUTOMATISMOS) Desenvolver uma aplicação para gerenciar os dados significa criar uma aplicação que faça o controle sobre todo ambiente desde a interface, passando

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS

ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS MURILO CARLOS CARDOSO ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS EMPRESA: LOJAS SALFER S.A SETOR: TI SUPERVISOR: FABIO ADRIANO DACORREGIO MEIER. ORIENTADOR: VALMOR

Leia mais

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR EMPRESA: TRÍPLICE CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: RONALDO GUIZARDI ORIENTADOR: VILSON VIEIRA CURSO DE

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

INICIAL. Guia de Criação da Base Produção Paralela IMPORTANTE: MESMO QUE SEJAM EXECUTADOS

INICIAL. Guia de Criação da Base Produção Paralela IMPORTANTE: MESMO QUE SEJAM EXECUTADOS Guia de Criação da Base Produção Paralela INICIAL SEQUENCES, tabelas de BMF e CADASTRO. Atualização de Bancos de Dados. Validações necessárias. IMPORTANTE: MESMO QUE SEJAM EXECUTADOS OS PROCEDIMENTOS DA

Leia mais

UFCD 787. Administração de base de dados. Elsa Marisa S. Almeida

UFCD 787. Administração de base de dados. Elsa Marisa S. Almeida UFCD 787 Administração de base de dados Elsa Marisa S. Almeida 1 Objectivos Replicação de base de dados Gestão de transacções Cópias de segurança Importação e exportação de dados Elsa Marisa S. Almeida

Leia mais

PROJETO SAT-CF-e Sistema Autenticador e Transmissor de Cupom Fiscal Eletrônico Sefaz SP / Deat IV / Documentos Digitais Reunião com contribuintes

PROJETO SAT-CF-e Sistema Autenticador e Transmissor de Cupom Fiscal Eletrônico Sefaz SP / Deat IV / Documentos Digitais Reunião com contribuintes PROJETO SAT-CF-e Sistema Autenticador e Transmissor de Cupom Fiscal Eletrônico Sefaz SP / Deat IV / Documentos Digitais Reunião com contribuintes 15/05/2012 Agenda Abertura O projeto SAT-CF-e Motivação

Leia mais

Manual de Registro de Saída. Procedimentos e Especificações Técnicas

Manual de Registro de Saída. Procedimentos e Especificações Técnicas Manual de Registro de Saída Procedimentos e Especificações Técnicas Versão 1.0 Dezembro 2010 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO GERAL... 3 2 INTRODUÇÃO AO MÓDULO REGISTRO DE SAÍDA - SIARE... 3 2.1 SEGURANÇA... 4 2.2

Leia mais

Antes de iniciar o processamento desta funcionalidade, é necessário aplicar o compatibilizador UPDFIS e UPDSFT.

Antes de iniciar o processamento desta funcionalidade, é necessário aplicar o compatibilizador UPDFIS e UPDSFT. SINCO Sistema Integrado de Coleta Notas Fiscais Produto : Microsiga Protheus Livros Fiscais versão 11 Data da publicação : 30/04/12 País (es) : Brasil Banco(s) de Dados : Todos Chamado : TEXDSC Esta melhoria

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD 2 1 Características dos SGBDs Natureza auto-contida de um sistema de banco de dados: metadados armazenados num catálogo ou dicionário de

Leia mais

Serviço de Informações Municipais Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e. Manual de Operação Versão 2.0

Serviço de Informações Municipais Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e. Manual de Operação Versão 2.0 Manual de Operação Versão 2.0 Índice de Operações 1. Apresentação...2 2. Solicitação de Uso da NFS-e...3 3. Consultar Andamento da Solicitação de Uso...5 4. Emitindo a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica...5

Leia mais

Confira também a legislação estadual do seu domicílio nos portais das Secretarias Estaduais de Fazenda.

Confira também a legislação estadual do seu domicílio nos portais das Secretarias Estaduais de Fazenda. Legislação pertinente ao SPED FISCAL em ordem anticronológica: Ato COTEPE/ICMS 17, de 15 de junho de 2011 - Altera o Ato COTEPE/ICMS 09/08, que dispõe sobre as especificações técnicas para a geração de

Leia mais

BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart.

BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart. 16/08/2013 BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart. Versão 1.0 19/12/2014 Visão Resumida Data Criação 19/12/2014 Versão Documento 1.0 Projeto

Leia mais

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Banco de Dados I Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Plano de Aula SQL Definição Histórico SQL e sublinguagens Definição de dados (DDL) CREATE Restrições básicas em SQL ALTER DROP 08:20 Definição de

Leia mais

SQL SQL BANCO DE DADOS 2. Componentes do SQL (1) Componentes do SQL (2) DDL Criação de banco de dados. Padrões de SQL

SQL SQL BANCO DE DADOS 2. Componentes do SQL (1) Componentes do SQL (2) DDL Criação de banco de dados. Padrões de SQL BANCO DE DADOS 2 SQL (CREATE TABLE, CONSTRAINTS, DELETE, UPDATE e INSERT) Prof. Edson Thizon SQL SQL ( structured query language ) é uma linguagem comercial de definição e manipulação de banco de dados

Leia mais

4.6. SQL - Structured Query Language

4.6. SQL - Structured Query Language 4.6. SQL - Structured Query Language SQL é um conjunto de declarações que é utilizado para acessar os dados utilizando gerenciadores de banco de dados. Nem todos os gerenciadores utilizam SQL. SQL não

Leia mais

Acadêmica: Giselle Mafra Schlosser Orientador: Everaldo Artur Grahl

Acadêmica: Giselle Mafra Schlosser Orientador: Everaldo Artur Grahl AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DO CÓDIGO FONTE ESCRITO EM PL/SQL Acadêmica: Giselle Mafra Schlosser Orientador: Everaldo Artur Grahl Roteiro Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES w w w. i d e a l o g i c. c o m. b r INDICE 1.APRESENTAÇÃO 2.ESPECIFICAÇÃO DOS RECURSOS DO SOFTWARE SAXES 2.1. Funcionalidades comuns a outras ferramentas similares 2.2. Funcionalidades próprias do software

Leia mais

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello Banco de Dados Maurício Edgar Stivanello Agenda Conceitos Básicos SGBD Projeto de Banco de Dados SQL Ferramentas Exemplo Dado e Informação Dado Fato do mundo real que está registrado e possui um significado

Leia mais

PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS (Stored Procedures)

PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS (Stored Procedures) PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS (Stored Procedures) 1. Introdução Stored Procedure é um conjunto de comandos, ao qual é atribuído um nome. Este conjunto fica armazenado no Banco de Dados e pode ser chamado a

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO MNT FROTA

ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO MNT FROTA RAFAEL REINERT ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO DO MNT FROTA EMPRESA: NG Informática SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: Rafael Diogo Richter ORIENTADOR: Carlos Norberto Vetorazzi Júnior CURSO DE

Leia mais

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM SQL CRIAÇÃO DE BANCO DE DADOS E OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM SQL CRIAÇÃO DE BANCO DE DADOS E OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS Esclarecimento Licenciamento de Uso Este documento é propriedade intelectual 2012 da NRSYSTEM COMÉRCIO E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA LTDA-ME, consiste de uma compilação de diversos materiais entre livros,

Leia mais

Outlook XML Reader Versão 8.0.0. Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia

Outlook XML Reader Versão 8.0.0. Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia Outlook XML Reader Versão 8.0.0 Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia Add-in para o Outlook 2003, 2007 e 2010 responsável pela validação e armazenamento de notas fiscais eletrônicas. Atenção,

Leia mais

Introdução à linguagem SQL

Introdução à linguagem SQL Introdução à linguagem SQL 1 Histórico A linguagem de consulta estruturada (SQL - Structured Query Language) foi desenvolvida pela empresa IBM, no final dos anos 70. O primeiro banco de dados comercial

Leia mais

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manual do Estágio Supervisionado Santa Rita do Sapucaí-MG Janeiro/2011 Sumário 1. Introdução 3 2. O que é

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML INTRODUÇÃO A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation

Leia mais

AUDITORIA ELETRÔNICA EM ARQUIVOS FISCAIS E CONTÁBEIS

AUDITORIA ELETRÔNICA EM ARQUIVOS FISCAIS E CONTÁBEIS VOCÊ JÁ TEM POUCO TEMPO. UTILIZE ESSE TEMPO PARA RESOLVER OUTROS PROBLEMAS. ACHAR E SOLUCIONAR OS PROBLEMAS TRIBUTÁRIOS E NO SPED FAZ PARTE DAS NOSSAS ESPECIALIDADES. AUDITORIA ELETRÔNICA EM ARQUIVOS FISCAIS

Leia mais

Sistema de Livros Fiscais Imediata

Sistema de Livros Fiscais Imediata 1 Sistema de Livros Fiscais Imediata 2 Descritivo das Rotinas Operacionais do Sistema de Livros Fiscais para geração EFD PIS/Cofins SPED Contribuições Após a instalação do Sistema de Livros Fiscais, basta

Leia mais

SQL Server Triggers Aprenda a utilizar triggers em views e auditar as colunas atualizadas em uma tabela

SQL Server Triggers Aprenda a utilizar triggers em views e auditar as colunas atualizadas em uma tabela SQL Server Triggers Aprenda a utilizar triggers em views e auditar as colunas atualizadas em uma tabela Certamente você já ouviu falar muito sobre triggers. Mas o quê são triggers? Quando e como utilizá-las?

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO, SUPORTE E ATENDIMENTO A PROGRAMAS ESPECÍFICOS PARA O ERP- DATASUL

ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO, SUPORTE E ATENDIMENTO A PROGRAMAS ESPECÍFICOS PARA O ERP- DATASUL 1 NAJARA SILVANA MUCHON ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO, SUPORTE E ATENDIMENTO A PROGRAMAS ESPECÍFICOS PARA O ERP- DATASUL EMPRESA: TNG SERVIÇOS DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DE PROGRAMAS DE COMPUTADOR

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 03 AT03 Diversos II Page 1 of 25 Indice EXEMPLOS COM GROUP BY E COM A CLÁUSULA HAVING - TOTALIZANDO DADOS... 3 GROUP BY... 3 Cláusula HAVING com GROUP BY... 5 ENTENDENDO

Leia mais

Projetos da Receita Federal

Projetos da Receita Federal Escrituração Fiscal Digital - EFD Projetos da Receita Federal A Escrituração Fiscal Digital - EFD é um arquivo digital, que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras

Leia mais

Monitoria GDI Aula Prática. DML + PL/SQL parte 1

Monitoria GDI Aula Prática. DML + PL/SQL parte 1 Monitoria GDI Aula Prática DML + PL/SQL parte 1 DML linguagem de manipulação de dados SQL Estrutura básica de uma consulta SQL SELECT Coluna1[,Coluna2[,Coluna3[,...]]] FROM Tabela1[,Tabela2[,...]] WHERE

Leia mais