16,8 44,3% 11,8% liderança. gestão O PANORAMA DO TREINAMENTO NO BRASIL: DADOS, INFORMAÇÕES, FATOS E ANÁLISES.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "16,8 44,3% 11,8% liderança. gestão O PANORAMA DO TREINAMENTO NO BRASIL: DADOS, INFORMAÇÕES, FATOS E ANÁLISES."

Transcrição

1 Pesquisa Anual ABTD/Integração/Revista T&D 2014 O PANORAMA DO TREINAMENTO NO BRASIL: DADOS, INFORMAÇÕES, FATOS E ANÁLISES. 16,8 44,3% Horas de treinamento anual por colaborador Percentual de despesas de treinamento terceirizadas 11,8% Ações de treinamento são e-learning Atendimento liderança Vendas foco em resultados gestão Comportamental Foco dos treinamentos para 2015 Realização Publicação C Inteligência Corporativa

2 PESQUISA REALIZAÇÃO A ABTD é uma associação sem fins lucrativos. Fundada em 1971, participa ativamente dos movimentos educacionais que buscam o desenvolvimento profissional do cidadão. Tem por missão propiciar condições facilitadoras para os profissionais que atuam no desenvolvimento de pessoas buscarem a excelência. ORGANIZAÇÃO Integração Escola de Negócios. Há 49 anos este nome é sinônimo de capacitação profissional no Brasil. Uma empresa que oferece uma nova maneira de pensar: unir o crescimento corporativo à evolução pessoal dos alunos, para que assim as empresas e seus colaboradores cresçam juntos. São 180 cursos abertos no total e mais de 30 mil profissionais capacitados por ano. PROCESSAMENTO Consultoria especializada em desenvolvimento de pessoas por meio de Pesquisas de Clima Organizacional, Planos de Ação Pós-Pesquisa de Clima e Avaliações de Competências. Tem uma equipe especializada em transformar números em informações acionáveis, simples, diretas e valiosas. Com mais de 600 Pesquisas de Clima em nove anos de vida, acredita que o desenvolvimento de seus clientes depende do desenvolvimento das pessoas que trabalham com ele. C Inteligência Corporativa PUBLICAÇÃO Com circulação nacional e distribuição dirigida desde 1992, é a única publicação brasileira especializada em Educação Corporativa e Gestão Inteligente de Pessoas. APOIO INSTITUCIONAL 52 T&D Inteligência Corporativa Ed. Especial Melhores Soluções 2015

3 APRESENTAÇÃO FERNANDO CARDOSO, SÓCIO DIRETOR DA INTEGRAÇÃO A maioria dos profissionais de RH sabe que sua área passa por uma grande transformação. Hoje, o diferencial competitivo de uma empresa são as pessoas, o que coloca o RH no centro das atenções quando se fala em desempenho e resultados. Até nosso vocabulário do dia a dia mudou. Usamos conceitos como alinhamento estratégico, indicadores comportamentais, indicadores de liderança, alinhamento de cultura, clima, turn over, resultados em RH, entre outros. Mas tudo é ainda muito recente. Toda uma área em construção representa um desafio e isso é estimulante de diversas formas. Como disse Nicholas Negroponte na época do surgimento da Internet: Em tempos de tempestade, uns constroem abrigos, outros moinhos. Por isso, este momento também incentiva caminhos não trilhados, uma oportunidade incrível de fazer diferença na busca por excelência na nossa área. Esta pesquisa tem sido extremamente relevante na orientação dos profissionais de T&D em métricas, indicadores, práticas e reflexão sobre como dirigir suas atividades rumo aos melhores resultados. Só para dar um exemplo, recebemos depoimentos de profissionais que diziam que o simples fato de organizar os dados para preencher a pesquisa já é uma grande ajuda para entender e gerenciar melhor sua área. São depoimentos como esse que nos fazem seguir em frente cada vez mais motivados. A pesquisa O Panorama do Treinamento no Brasil está em seu 9º ano e parte dela é alinhada com a pesquisa State of Industry da ATD (Associação Americana de Desenvolvimento de Talentos nova denominação da ASTD), uma referência no mercado global. Neste ano batemos um recorde, tivemos 599 empresas participantes, o que representa um crescimento de 210% em relação ao ano passado e reafirma a relevância deste trabalho. É um prazer participar deste trabalho, realizado em parceria com a ABTD, a Revista T&D Inteligência Corporativa e a Carvalho & Mello Consultoria. Juntos, procuramos ampliar as possibilidades da atividade de T&D e também apoiar o profissional na gestão de talentos e busca de resultados. Nós, da Integração Escola de Negócios, buscamos há 49 anos a excelência no Desenvolvimento de Pessoas. E é em nome da Integração que eu, Fernando Cardoso, desejo agradecer a todos os participantes deste importante trabalho de levantamento de indicadores e referências para determinar o Panorama do Treinamento no Brasil. Também desejo que este material seja de grande importância no direcionamento e evolução de seu trabalho. Atuo há 20 anos nesta área, e o que melhor posso dizer sobre ela é que tenho paixão por trabalhar com Desenvolvimento de Pessoas. E a cada dia me impressiono mais com a complexidade e a força deste trabalho. No Sumário Executivo a seguir, procuro apresentar as principais práticas e tendências de T&D adotadas pelas empresas brasileiras, bem como variações por setor, porte, origem de capital e comparativos com outros anos e com a pesquisa das empresas americanas (ATD). T&D Inteligência Corporativa Ed. Especial Melhores Soluções

4 PESQUISA ESTRUTURA DA ÁREA DE T&D NO BRASIL Apresentamos aqui alguns indicadores que ajudam a dimensionar a equipe necessária para realizar todas as atividades de treinamento, desde as operacionais (logística, operação de sistemas de treinamento e e-learning) até as mais complexas como diagnóstico da necessidade do treinamento, construção de projetos de aprendizado, gestão de universidade corporativa, aferição de resultados, sustentação das ações, atendimento a clientes internos, gestão de fornecedores e escolas. NÚMERO DE COLABORADORES PARA CADA FUNCIONÁRIO DA ÁREA DE T&D 1 para cada 399 Para: 1:299 EUA - Pesquisa ASTD 438 De 501 a 4999 colaboradores ou mais colaboradores 2013 = 1: 431 Este é um dado que varia bastante conforme o tamanho da empresa: quanto mais colaboradores a organização tem, maior o número de colaboradores por profissional de T&D. Outra questão para a nossa reflexão: nos Estados Unidos, as equipes de treinamento são 25% maiores do que no Brasil, o que provavelmente permite mais atenção aos projetos e às suas etapas, possibilitando maior adequação dos mesmos às necessidades, melhores diagnósticos e estruturas didáticas. MÉDIA DE COLABORADORES NA EQUIPE DE T&D 5,7 5, TEM UNIVERSIDADE CORPORATIVA 11% 19% 4,9 De 501 a 4999 colaboradores 22% Nacionais 16% Multinacionais 4, De 501 a 4999 colaboradores 5000 ou mais colaboradores 5000 ou mais colaboradores Empresas públicas 54 T&D Inteligência Corporativa Ed. Especial Melhores Soluções 2015 Empresas com 501 a funcionários têm 100% mais universidades corporativas que empresas menores. E 260% mais universidades que as empresas maiores.

5 2. MÉTRICAS PARA DEFINIÇÃO DA VERBA DE T&D OS CRITÉRIOS MAIS UTILIZADOS PARA DEFINIÇÃO DA VERBA ANUAL PARA T&D 50,0% 48,1% 24,3% 22,9% 14,8% 11,4% 10,5% Previsão, considerando valores dos anos anteriores Previsão considerando planejamento futuro Valor fixado, independente do faturamento % sobre o faturamento Quantidade de horas de treinamento por treinando % sobre folha de pagamento Quantidade de horas de treinamento por efetivo da empresa O que percebemos? São dois os critérios predominantes para a definição da verba de T&D: o valor utilizado nos anos anteriores e a previsão de gastos com base em um planejamento de treinamento futuro. O setor público apresenta características bem específicas nesta análise, sendo o principal critério para definição da verba de T&D a previsão com base em anos anteriores (41%), depois o valor fixado independente de faturamento (33%). Nesse setor, o critério para definição de verba com base no plano de T&D é 40% menos utilizado do que a média nacional. Porcentagens sobre folha de pagamento e faturamento não são utilizadas no primeiro caso, e raramente no segundo. MÉDIA DE HORAS ANUAIS DE TREINAMENTO FORMAL POR COLABORADOR A média de horas anuais de treinamento formal por colaborador é utilizada apenas por 10,5% das empresas para definição de sua verba de T&D, porém, muitas organizações utilizam este indicador como meta para a área. Notamos então que as empresas públicas realizam mais (32%) horas de treinamento por colaborador que a média nacional, enquanto as americanas oferecem 80% a mais. Não seria um ótimo motivo para as empresas brasileiras buscarem maior competitividade, ampliando a capacitação e o desenvolvimento de seus profissionais? T&D Inteligência Corporativa Ed. Especial Melhores Soluções

6 PESQUISA 2014 DISTRIBUIÇÃO DOS GASTOS DA ÁREA DE T&D Atividades Terceirizadas Inclui: Consultores, professores e serviços, desenvolvimento de conteúdo e licenças, cursos e seminários realizados por empresas de serviços, cursos de idiomas 44% 18% 38% Cursos Curriculares Gastos com Ensino Fundamental, Médio, Graduação, Pós-Graduação, MBA, Mestrado, Doutorado. Despesas Internas Com este dado, nossa análise mostra como é relevante a terceirização de serviços de T&D: quase metade do gasto da área, e ainda 16% maior do que os gastos internos. Para chegar a esta conclusão, basta observar a crescente evolução em quantidade e qualidade dos fornecedores. Outro ponto de extrema relevância são os investimentos das empresas na formação curricular dos seus colaboradores (quase um quinto de seu investimento), o que representa um forte apoio na formação do profissional brasileiro. Este indicador da pesquisa deve ser observado também pela sua negativa, ou seja, apenas 7% das empresas não terceirizam suas atividades de T&D, mais uma vez reforçando a importância da terceirização e gestão de seus fornecedores. Já 23% das empresas nacionais não investem na formação curricular. Analisando as variações por grupos, notamos que o tamanho das empresas não tem impacto nestas porcentagens. As organizações nacionais gastam 49% mais do que as multinacionais na formação curricular de seus profissionais. Já estas últimas terceirizam 26% mais suas atividades de T&D. PERCENTUAL DE DESPESAS DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO POR TIPO DE SOLUÇÃO Os profissionais de T&D buscam diariamente metodologias que tornem a intervenção mais efetiva. Fala-se muito em como fazer o treinamento deixar de ser uma ação pontual. São diversas as possibilidades metodológicas neste caminho, podemos observar especificamente aqui um representativo investimento Despesas não relacionadas ao treinamento (26,9%) em treinamento no ambiente de trabalho, que permite a Treinamento no ambiente de trabalho sua prática e sustentação, ampliando a efetividade inclusive do trei- Treinamento Formal namento formal. 56 T&D Inteligência Corporativa Ed. Especial Melhores Soluções 2015

7 3. DISTRIBUIÇÃO DE CONTEÚDO E MÉTODOS DE ENTREGA DO T&D PERCENTUAL DE CONTEÚDO DE TREINAMENTO FORMAL DESTINADO PARA AS SEGUINTES ÁREAS Operacional são os treinamentos ligados ao seu produto ou a sua operação de negócio. Obrigatórios são treinamentos de segurança, NRs, CIPA, etc. nal Operacional são os treinamentos ligados ao seu produto ou a sua operação de negócio. Obrigatórios Gerência e Comportamental Capacitação Alta liderança Obrigatórios Supervisão treinamentos de segurança, NRs, CIPA, etc. % 15,7% 14,4% 12,3% 12,1% 7,7% Capacitação são os treinamentos para o desempenho de sua atividade, em temas ligados a back office. % 8,0% 5,0% 12,0% 15,0% 21,0% 22,0% Capacitação 15,9% são os treinamentos 15,7% para o 14,4% 12,3% 12,1% 7,7% desempenho de sua atividade, em temas ligados a back office. Formação Técnica Operacional Obrigatórios Gerência e Supervisão Realizam treinamentos nestas áreas Comportamental Capacitação Alta liderança Operac seu pro Obriga NRs, CI Capaci desemp ligados Não realizam treinamentos nestas áreas 5,0% 13,0% 8,0% 5,0% 12,0% 15,0% 21,0% Realizam treinamentos nestas áreas Não realizam treinamentos nestas áreas Reali Não Este é um critério de classificação utilizado pelas empresas brasileiras para a gestão de suas prioridades nas ações de T&D. Percebemos que o mais importante nessas ações são os colaboradores da base da empresa, tendo como principal tema a formação técnica (o setor público prioriza 30% mais do que a média nacional) e, em seguida, treinamento operacional e obrigatório, para o mesmo público. Também observamos que a área que mais empresas não treinam é a Capacitação da Alta Liderança (21%), o que é um ponto de atenção. Seguindo a máxima de que uma equipe é reflexo de seu líder, não realizar ações de desenvolvimento para a alta liderança pode representar desperdício de verba em treinamento para seus liderados, pois estes talvez não vão ter apoio na aplicação de seu aprendizado. Já o treinamento que menos empresas deixam de realizar é a capacitação de seus gerentes e supervisores (5%). Um dado para gerar reflexão: os 5% das empresas que não capacitam seus gerentes e supervisores também não capacitam sua alta liderança! Em Treinamento Operacional, as empresas multinacionais treinam 47% menos. E as nacionais, 7% mais que a média. Aqui novamente o setor público apresenta resultados diferentes da média nacional: 30% mais de treinamento técnico (como já citado), 48% menos de treinamento obrigatório e 44% menos de treinamento operacional. Os dois últimos itens são menores provavelmente devido a maioria das empresas públicas desta pesquisa não serem indústrias e sim do setor de serviços. Já em Capacitação, as empresas públicas priorizam 74% mais do que as empresas nacionais. E os cursos para Alta Liderança são 29% menos priorizados que a média nacional. T&D Inteligência Corporativa Ed. Especial Melhores Soluções

8 PESQUISA 2014 PERCENTUAL DE ABSENTISMO NAS AÇÕES DE TREINAMENTO Uma curiosidade que constatamos: quanto maior a empresa, maior é a taxa de absentismo. As empresas com mais de 500 colaboradores têm uma taxa de absentismo 50% maior que as menores. 13,2% PERCENTUAL DE TREINAMENTOS REALIZADOS DE ACORDO COM A FORMA DE ENTREGA A busca de efetividade nas e-learning intervenções de treinamento 65,0% requer metodologias complementares. Exemplo: fala- -se cada vez mais de ciclo de Presencial aprendizado ao invés de Treinamento Pontual. Mas quais Prático no local de trabalho (on the job) 17,3% recursos podemos usar para e-learning ampliar as ações de T&D ou aumentar sua eficácia? Treinamento no local de trabalho 11,8% Misto ( blended ) (17,3%), e-learning (11,8%) e, como destaque, ações Não usam e-learning 6,0% blended (6%) treinamento 29,5% presencial e e-learning em um mesmo projeto, recurso que apresenta excelentes resultados em treinamento para lideranças. O e-learning ou EAD é uma tendência há mais de uma década e percebemos que o RH já tem conhecimento e experiência para desenhar projetos complexos utilizando este recurso. Mesmo assim, ainda é grande o número de empresas que não utiliza a tecnologia no Desenvolvimento de Pessoas (29,5%). As variações expressivas nesta análise são: As empresas multinacionais utilizam o e-learning como meio de treinamento 27% a mais, e o presencial 5% a menos, do que a média das empresas nacionais; As empresas com mais de colaboradores utilizam a metodologia blended 60% a mais que a média; As empresas públicas utilizam 24% menos o treinamento prático no local de trabalho (on the job). 58 T&D Inteligência Corporativa Ed. Especial Melhores Soluções 2015

9 66,0% PERCENTUAL DE E-LEARNING OU EAD REALIZADOS DE ACORDO COM A FORMA DE ENTREGA E-learning assíncrono é quando o aluno faz o curso no seu ritmo, a qualquer momento. Este é disparado o recurso predominante nas ações de e-learning (47,6%), sendo que a grande maioria desses projetos não tem a figura do professor (tutor), o que denominamos autotreinamento. Os profissionais de e-learning devem considerar todos os meios alternativos de treinamento, como apostilas, manuais e gibis (28,6%). Recursos a distância que utilizam o professor ao vivo representam juntos 15,80% e essa é uma Tecnologia móvel Outro tipo de tecnologia Remoto ao vivo, mas não online e-learning ao vivo e-learning Sem utilização de tecnologia tendência crescente que eu costumo chamar de a segunda grande onda do e-learning. Este recurso pode ser chamado de web conferência, webinário ou até Skype for learning, por que não? Citamos o exemplo do Skype para ilustrar a grande quantidade de tecnologia barata disponível para a aula ao vivo a distância, muito utilizada hoje, inclusive informalmente pelos líderes. Algumas variações: as empresas multinacionais usam 34% mais o e-learning do que a média nacional, e as empresas com mais de colaboradores, 15% mais. Já para treinamentos a distância sem utilização de tecnologia, empresas nacionais usam 23% mais que a média, e as multinacionais 51% menos. 4. RESULTADOS EM T&D PORCENTAGEM DOS PROJETOS DE TREINAMENTO QUE SÃO AVALIADOS 3,6% 4,5% 4,8% 11% 47,6% 21,0% 11,5% 9,2% 1,9% Avaliação de Reação Avaliação de Aprendizado Avaliação de Aplicabilidade Avaliação de Resultados Avaliação de Retorno sobre o investimento Em 2013: 59,0% 27,0% 11,0% 9% T&D Inteligência Corporativa Ed. Especial Melhores Soluções

10 PESQUISA 2014 Falamos muito sobre a importância do profissional de T&D aumentar a efetividade de suas intervenções e a efetividade será medida e gerenciada com base na análise dos resultados. A efetividade está diretamente ligada a um correto diagnóstico e a uma intervenção bem desenhada, com atenção especial à metodologia para o aprendizado e às ações para sustentar a transferência do aprendizado. Agora, como saber se tivemos êxito? E como corrigir ou melhorar os próximos projetos de T&D se não sabemos os resultados dos atuais? Como disse William Deming: Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende e não há sucesso no que não se gerencia. A teoria mais consagrada para avaliar as ações de treinamento são os 4 níveis de avaliação de Donald Kirkpatrick, reproduzidos neste gráfico com a inclusão de um quinto nível: ROI (retorno sobre o investimento). A lógica é a seguinte: para obter resultados (nível 4), precisamos da mudança de comportamento por parte dos alunos (aplicação, nível 3). Mas para haver aplicação é necessário, antes, haver aprendizado (nível 2) e só se aprende se o curso for bem conduzido com conteúdos e metodologias corretas (avaliação de reação, nível 1). Resumindo, existe uma interdependência entre os níveis. Este relatório deve ser entendido da seguinte forma: 66% dos projetos de treinamento das empresas brasileiras têm avaliação de reação, 21% têm avaliação de aprendizado e assim sucessivamente. Nota-se uma variação, em que o setor público avalia 50% menos os níveis de resultado (4 e 5), que o setor privado. O 4º nível de avaliação dos projetos de treinamento é a avaliação Indicadores Mais utilizados na avaliação da efetividade da Área de T&D de resultados. Para isso, precisamos de bons indicadores. Melhoria de Processos Melhoria do Clima Organizacional 37,6% 34,8% O passo seguinte é medir Qualidade da Liderança 34,3% a melhoria desses indicadores Aumento de Produtividade 31,0% e assim gerenciar nossa atividade e apresentar os resultados. No questionário desta pesquisa, Indicadores Menos utilizados na avaliação da efetividade da Área de T&D apresentamos os principais indicadores utilizados em ações de treinamento. Veja na figura ao lado quais indicadores são mais e menos utilizados para avaliar a efetividade da área de T&D. Índice de retrabalho Certificações Redução de absenteísmo Faturamento per capta 13,8% 11,4% 9,0% 2,4% Como você pode ver, Qualidade da Liderança foi determinado como um dos indicadores mais relevantes e necessita de outros mais para a sua medição, por exemplo: avaliação de desempenho de competências do líder (360º), pesquisa de clima, turn over, entre outros. 60 T&D Inteligência Corporativa Ed. Especial Melhores Soluções 2015

11 5. PERFIL DA PESQUISA Esta pesquisa considerou 599 empresas, um número bastante expressivo para representar com consistência o Panorama do Treinamento no Brasil. Qual o perfil dos participantes? 88,6% são empresas privadas, 11,4% são empresas públicas. Dentre as privadas, 27,6% são multinacionais e 72,4% são nacionais. NÚMERO DE COLABORADORES RAMO DE ATUAÇÃO Construção Civil 8,6% Administração Pública 7,6% Serviços Educacionais 6,2% Tecnologia da Informação 6,2% Serviços de Saúde 5,7% Agronegócio 5,2% Indústria Automotiva 4,3% Financeiro 3,3% Outros 52,9% 6. CONCLUSÕES Treinamento & Desenvolvimento não é uma atividade simples nem linear. Para complicar, trabalhamos ouvindo crenças como treinamento resolve tudo. Às vezes, tentamos de fato resolver problemas complexos com intervenções simples, mas o RH em geral utiliza apenas indicadores primários em suas atividades de T&D, então como saber o resultado de nosso trabalho? A pesquisa mostra que trabalhamos com equipes de T&D reduzidas, uma média 25% menor que nos Estados Unidos, e que também treinamos 45% menos que os americanos. Nosso desafio vai além de treinar mais. Temos que caminhar na busca da maior efetividade de nossas intervenções, seja criando metodologias mais elaboradas, ampliando nossa atuação no diagnóstico, avaliando mais os resultados das ações de T&D ou utilizando melhores indicadores que reflitam impacto no negócio, apontando a efetividade do nosso trabalho. Já vemos um movimento neste sentido, priorizando o treinamento das lideranças, ampliação dos investimentos e maior alocação de verbas em metodologias complementares como o e-learning, treinamento no local de trabalho e, principalmente, uma melhor qualificação do profissional de T&D. Agora, garantir e gerenciar efetividade dá muito trabalho. E como analisamos, as equipes de T&D são reduzidas. Com esse excesso de trabalho, o diagnóstico pré-intervenção e acompanhamento do resultado, pós-intervenção, etapas fundamentais para movimentar o ciclo evolutivo da metodologia, provavelmente vão ser negligenciados. T&D Inteligência Corporativa Ed. Especial Melhores Soluções

12 PESQUISA 2014 Sobre este aspecto, alguns movimentos que o e-learning tem promovido vão melhorar toda a cadeia de trabalho em T&D. O e-learning está fortalecendo o surgimento de um novo cargo e uma nova área de especialização: o DI Designer Instrucional de Arquitetura Didática. E já existem até cursos de pós-graduação e especialização específicos nessa área. Mas quem é o DI? Na sua maioria, ele ainda é visto ou se vê como o profissional que constrói a Arquitetura Didática do e-learning, mas precisa ser muito mais do que isso. O DI deve ser um profissional especializado em construir estruturas didáticas de intervenção de treinamento e do ciclo de aprendizado, nos quais entram todos os meios como presencial e práticas no local de trabalho. Assim o e-learning tem desafiado nosso trabalho com novas especializações de profissionais de T&D e também com novas possibilidades metodológicas, todas com foco no aluno. Concluímos este raciocínio dizendo que no e-learning o aluno deve ter uma atuação ativa, o que auxilia em um movimento cultural no qual ele está se tornando um aluno melhor. Já o professor que vai conduzir estas novas metodologias vai ampliar seu repertório, para também se tornar um professor melhor. Notamos que quanto maior a empresa, maior a equipe de T&D, porém, o número de colaboradores para cada profissional de T&D também é maior (empresas com mais de colaboradores têm uma relação Número de Colaboradores x Profissional de T&D 215% maior que a média). Ou seja, a organização tem maior volume de trabalho por profissional de T&D. A questão que tiramos disso é: como atuar e quais atividades priorizar dentro deste cenário de equipes reduzidas de T&D? Conversando com estes profissionais, percebemos que as atividades que acabam ficando em segundo plano são justamente as mais importantes: buscar indicadores no diagnóstico, construir metodologias complexas, acompanhar e sustentar a aplicação do aprendizado e, finalmente, medir resultados. Ou seja, todo o ciclo da efetividade. Uma provocação a este cenário é: não seria melhor treinar menos e melhor? Provocações à parte, convidamos você a uma reflexão do que deve delegar ou terceirizar, e a pensar no que realmente é estratégico na sua atividade e deve ser conduzido pela equipe de T&D. Esperamos que esta pesquisa ajude você nesta reflexão e provoque decisões importantes no seu trabalho. Gostaríamos de discutir agora algumas variações expressivas encontradas nesta pesquisa, quando comparamos diferentes grupos. EMPRESAS NACIONAIS X MULTINACIONAIS Percebemos em diversos indicadores que as empresas nacionais são melhores referências que as multinacionais, menos no e-learning, no qual as estrangeiras investem mais (27%). Por outro lado, as multinacionais têm menos universidades corporativas (38%), têm equipes de T&D menores (39%) e investem menos (49%) na formação do profissional brasileiro em cursos curriculares, tudo isso se comparado às empresas nacionais. Na aferição de resultados, ambas são semelhantes na avaliação dos seus projetos de treinamento nos seguintes níveis: reação, aprendizado, aplicação e resultados. Mas verificamos algumas variações nos indicadores usados por elas: as duas utilizam como principais indicadores a Melhoria do Clima e a Melhoria nos Processos. Já as empresas nacionais elegem como um dos principais indicadores o Aumento de Produtividade e as multinacionais utilizam a Redução de Acidentes. 62 T&D Inteligência Corporativa Ed. Especial Melhores Soluções 2015

13 BRASIL x ESTADOS UNIDOS Além das variações já citadas nesta conclusão, queremos dar destaque ao investimento na formação do profissional, nos cursos curriculares. No Brasil, as empresas investem significativamente mais (63%) na formação dos profissionais que as empresas americanas. PORTE DE EMPRESA Considerando as empresas com mais de 100 colaboradores, as práticas de T&D têm uma variação pequena entre elas, surpreendentemente. As variações pelo porte da empresa são: quanto maior a empresa, maior a equipe de T&D, mas também maior o número de colaboradores por profissional de T&D (esta relação cresce 180% entre cada grupo de porte). Outra variação relevante é que quanto maior a empresa, maior o número de horas de treinamento realizado em toda a empresa por profissional de T&D, ou seja, o profissional tem muito mais trabalho a fazer, o que resgata nossa reflexão sobre qual será sua prioridade, o que será terceirizado ou delegado e a pergunta provocativa: está dando tempo de buscar efetividade? EMPRESA PÚBLICA X PRIVADA Entre todos os grupos, as empresas públicas são as que investem mais horas de treinamento: 22 horas por colaborador/ano. Essas empresas quase não têm universidades corporativas quando comparadas com as privadas e usam mais metodologias tradicionais em suas intervenções, utilizando 22% menos e-learning e menos treinamento prático (24%) no local de trabalho (on the job). Contudo, na avaliação de resultados, as empresas públicas têm melhor desempenho: 16% mais do que as privadas na avaliação de reação, 29% menos na avaliação de aprendizado, 85% mais na avaliação de aplicabilidade e 36% menos na avaliação de resultados. Por fim, e muito importante, agradecemos às pessoas que nos apoiaram neste projeto: Igor Cozzo e Alexandre Slivnik, da ABTD, que têm mantido a tradição e relevância desta pesquisa; Marcos Baumgartner, da Revista T&D Inteligência Corporativa, por sua longa jornada difundindo as melhores práticas do setor, inclusive esta pesquisa; Elaine Ferreira, por trazer sua visão e expectativa como gestora de RH; Álvaro Mello e Rony Costa que contribuíram com todo seu conhecimento estatístico e Lucas Pimenta que contribuiu construindo estes gráficos incríveis. T&D Inteligência Corporativa Ed. Especial Melhores Soluções

14 Ações de desenvolvimento INTEGRADAS são mais efetivas. Há 49 anos, a INTEGRAÇÃO ESCOLA DE NEGÓCIOS desenvolve carreiras nas maiores empresas do Brasil, através de cursos e capacitações que unem crescimento corporativo e evolução pessoal, ajudando profissionais e organizações a crescerem juntos. Acesse e conheça em detalhes as nossas soluções de aprendizagem: EFICÁCIA EM LIDERANÇA PROGRAMAS CUSTOMIZADOS CURSOS ABERTOS CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO PÓS-GRADUAÇÃO PARCERIA MACKENZIE SÃO PAULO: R. Manuel Guedes, 504 Itaim Bibi CEP OUTRAS LOCALIDADES: Filiais: Porto Alegre, Brasília e Rio de Janeiro

518,00 16,6 42% TREINAMENTO NO BRASIL 2015 O PANORAMA DO. Fatos, Indicadores,Tendências e Análises. colaboradores para cada profissional de T&D

518,00 16,6 42% TREINAMENTO NO BRASIL 2015 O PANORAMA DO. Fatos, Indicadores,Tendências e Análises. colaboradores para cada profissional de T&D 2015 O PANORAMA DO TREINAMENTO NO BRASIL Fatos, Indicadores,Tendências e Análises 42% das ações de treinamento são para líderes 425 Empresas respondentes 16,6 horas de treinamento anual por colaborador

Leia mais

Ilca Maria Moya de Oliveira

Ilca Maria Moya de Oliveira Plano de Desenvolvimento Relação Ergonomia e Moda e Educação Corporativa Ilca Maria Moya de Oliveira Segundo Dutra (2004), a preparação para o futuro exige investimentos simultâneos: um na modernização

Leia mais

Perspectivas da Educação a Distância na Capacitação e Formação Permanente do Profissional

Perspectivas da Educação a Distância na Capacitação e Formação Permanente do Profissional Painel Setorial - Inmetro Perspectivas da Educação a Distância na Capacitação e Formação Permanente do Profissional Prof. Dr. Stavros Panagiotis Xanthopoylos Xerém, 31 de julho de 2009 Tópicos Os Novos

Leia mais

1. DADOS DA EMPRESA. Nome do contato: do contato: Telefone do contato: Nome da Empresa: Endereço: Cidade: CEP:

1. DADOS DA EMPRESA. Nome do contato:  do contato: Telefone do contato: Nome da Empresa: Endereço: Cidade: CEP: PANORAMA DO TREINAMENTO NO BRASIL - 2015 Dados, informações, fatos, análises. Este questionário em PDF é para auxiliar na coleta de dados. As perguntas devem ser respondidas no link: www.cmpesquisa.com.br/t&d

Leia mais

O Retrato do Treinamento no Brasil 2013 / 2014. Pesquisa Anual MOT/ABTD/ Revista T&D. Publicação. Realização. Organização

O Retrato do Treinamento no Brasil 2013 / 2014. Pesquisa Anual MOT/ABTD/ Revista T&D. Publicação. Realização. Organização Pesquisa Anual MOT/ABTD/ Revista T&D O Retrato do Treinamento no Brasil 2013 / 2014 Organização www.mot-td.com Publicação C Inteligência Corporativa www.rtd.com.br Realização www.abtd.com.br pesquisa 2014

Leia mais

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 Rosely Vieira Consultora Organizacional Mestranda em Adm. Pública Presidente do FECJUS Educação

Leia mais

Administração e Gestão de Pessoas

Administração e Gestão de Pessoas Administração e Gestão de Pessoas Aula de Capacitação e Desenvolvimento Prof.ª Marcia Aires www.marcia aires.com.br mrbaires@gmail.com Era Industrial Era Conhecimento Competência..., o que é? Qualidade

Leia mais

AUTORAS ROSANGELA SOUZA

AUTORAS ROSANGELA SOUZA AUTORAS ROSANGELA SOUZA Especialista em Gestão Empresarial com MBA pela FGV e Professora de Estratégia na Pós-Graduação da FGV. Desenvolveu projetos acadêmicos sobre segmento de idiomas, planejamento estratégico

Leia mais

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO Apesar de as empresas brasileiras estarem despertando para o valor das ações de educação corporativa em prol dos seus negócios, muitos gestores ainda

Leia mais

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar 1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar Prof. Dr. Stavros Panagiotis Xanthopoylos stavros@fgv.br Brasília, 27 de novembro de 2009

Leia mais

O papel da remuneração no engajamento profissional

O papel da remuneração no engajamento profissional O papel da remuneração no engajamento profissional 15 de Maio de 2014 Agenda 1. Sobre o Hay Group 2. Contexto de mercado 3. Estudo global: O papel da remuneração no engajamento 4. Estudo Brasil: Melhores

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis APRESENTAÇÃO A FGV é uma instituição privada sem fins lucrativos, fundada em

Leia mais

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM É COM GRANDE PRAZER QUE GOSTARÍAMOS DE OFICIALIZAR A PARTICIPAÇÃO DE PAUL HARMON NO 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE BPM!! No ano passado discutimos Gestão

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias 15ª Turma

MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias 15ª Turma MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias 15ª Turma Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você

Leia mais

www.coachnetwork.com.br

www.coachnetwork.com.br www.coachnetwork.com.br (55) 3333-3033 Seja um mestre na arte de liderar pessoas e inspirá-las rumo ao sucesso. OBJETIVOS Oferecer uma ampla gama de conhecimentos para estruturar metodologias de sucesso

Leia mais

Como calcular o número necessário de servidores? E QUANDO O PROCESSO DE TRABALHO NÃO É QUANTIFICÁVEL COM FACILIDADE? ALTERNATIVA 2 Uma possibilidade para transpor essa restrição seria a utilização de um

Leia mais

Treinamento - Como avaliar sua eficácia? FÁTIMA TAHIRA COLMAN

Treinamento - Como avaliar sua eficácia? FÁTIMA TAHIRA COLMAN Treinamento - Como avaliar sua eficácia? FÁTIMA TAHIRA COLMAN Objetivos Apresentar os fundamentos da avaliação de treinamento Apresentar os tipos de indicadores para mensurar a eficácia do treinamento

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

1. DADOS DA EMPRESA. Nome do contato: do contato: Telefone do contato: Nome da Empresa: Endereço: Cidade: Estado: CEP:

1. DADOS DA EMPRESA. Nome do contato:  do contato: Telefone do contato: Nome da Empresa: Endereço: Cidade: Estado: CEP: PANORAMA DO TREINAMENTO NO BRASIL - 2016 Dados, informações, fatos, análises. Este questionário em PDF é para auxiliar na coleta de dados. As perguntas devem ser respondidas no link: www.cmpesquisa.com.br/t&d

Leia mais

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS Ensinar para administrar. Administrar para ensinar. E crescermos juntos! www.chiavenato.com GESTÃO E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS Para Onde Estamos Indo? Idalberto Chiavenato Algumas empresas são movidas

Leia mais

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 1 EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 NADINE WASSMER TREINA E-LEARNING treina@treina.com.br ROSANA GOMES CONTEÚDOS E HABILIDADES EDUCAÇÃO CORPORATIVA DESCRIÇÃO DE PROJETO

Leia mais

Preparação para a Certificação de Gestor da Qualidade - Excelência Organizacional

Preparação para a Certificação de Gestor da Qualidade - Excelência Organizacional Preparação para a Certificação de Gestor da Qualidade - Excelência Organizacional OBJETIVOS DO CURSO Apresentar aos participantes os conteúdos do Corpo de Conhecimento necessários à certificação, possibilitando

Leia mais

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve.

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve. Balanced Scorecard BSC 1 2 A metodologia (Mapas Estratégicos e Balanced Scorecard BSC) foi criada por professores de Harvard no início da década de 90, e é amplamente difundida e aplicada com sucesso em

Leia mais

Avaliando Ações de Treinamento e Desenvolvimento. Daniel Orlean

Avaliando Ações de Treinamento e Desenvolvimento. Daniel Orlean Avaliando Ações de Treinamento e Desenvolvimento Daniel Orlean ou... 6Ds + ROI Daniel Orlean Como você faz para aprovar um programa de T&D Na sua percepção, qual a maior barreira ao implementar um processo

Leia mais

Formar LÍDERES e equipes. Atrair e reter TALENTOS. www.grupovalure.com.br

Formar LÍDERES e equipes. Atrair e reter TALENTOS. www.grupovalure.com.br Formar LÍDERES e equipes. Atrair e reter TALENTOS. www.grupovalure.com.br www.grupovalure.com.br Estes são alguns dos grandes desafios da atualidade no mundo profissional e o nosso objetivo é contribuir

Leia mais

PLATAFORMAS EAD SOB MEDIDA

PLATAFORMAS EAD SOB MEDIDA PLATAFORMAS EAD SOB MEDIDA Soluções e-learning para a sua empresa, com foco real nos resultados A GPEC FORMA, sediada em São Paulo, atua há mais de sete anos no segmento EAD, e possui uma equipe de profissionais

Leia mais

Inscrições abertas. Programa Essencial de Desenvolvimento Fundamentos de Liderança

Inscrições abertas. Programa Essencial de Desenvolvimento Fundamentos de Liderança Inscrições abertas Programa Essencial de Desenvolvimento Fundamentos de Liderança Fundamentos de Liderança O Programa Fundamentos de Liderança foi especialmente desenhado para quem pretende iniciar uma

Leia mais

Treinamento do Sistema RH1000

Treinamento do Sistema RH1000 Treinamento do Sistema RH1000 = Conceitos de Gestão por Competências = Ohl Braga Desenvolvimento Empresarial Atualizado em 21Ago2015 1 Tópicos abordados Principais processos 4 Vantagens 5 Avaliação de

Leia mais

Estratégias de EAD na Vale

Estratégias de EAD na Vale Estratégias de EAD na Vale Mineradora pioneira que trabalha com paixão, transformando recursos minerais em ingredientes essenciais o dia-a-dia das pessoas. É a segunda maior mineradora diversificada do

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com.

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com. A pós-graduação é fundamental para manter-se bem colocado no mercado de trabalho e para aperfeiçoar competências profissionais. Além de enriquecer o currículo, este tipo de especialização ajuda a melhorar

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

Gestão orçamentária na Construção Civil

Gestão orçamentária na Construção Civil Um retrato dos desafios, práticas e resultados do planejamento orçamentário Maio, 2014 Agenda Metodologia e amostra Desafios e cultura da organização na gestão orçamentária Processos e riscos do planejamento

Leia mais

LIDERANÇA & GESTÃO DE PESSOAS 12 DESAFIOS, 3 FERRAMENTAS E UMA DECISÃO

LIDERANÇA & GESTÃO DE PESSOAS 12 DESAFIOS, 3 FERRAMENTAS E UMA DECISÃO LIDERANÇA & GESTÃO DE PESSOAS 12 DESAFIOS, 3 FERRAMENTAS E UMA DECISÃO INTRODUÇÃO O setor de RH deve ser extinto. Ram Charan em artigo na Harvard Business Review Você concorda? OBJETIVOS DESTE WORKSHOP

Leia mais

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Antes de tudo como sugestão aos donos de construtoras, incorporadoras, imobiliárias e escritórios de arquitetura

Leia mais

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Já passou a época em que o pedagogo ocupava-se somente da educação infantil. A pedagogia hoje dispõe de uma vasta

Leia mais

RH: GESTÃO INOVADORA ORGANIZACIONAL

RH: GESTÃO INOVADORA ORGANIZACIONAL programação do evento 4ª edição RH: GESTÃO INOVADORA ORGANIZACIONAL 10 de abril de 2014 Staybridge Suites São Paulo PATROCÍNIO GOLD PATROCÍNIO SILVER EXPO BRAND APOIO REALIZAÇÃO Os desafios do futuro na

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

» O conceito. Posicionando o e-learning dentro de uma estratégia de Educação Corporativa eficaz, alinhada aos objetivos de negócio de sua organização

» O conceito. Posicionando o e-learning dentro de uma estratégia de Educação Corporativa eficaz, alinhada aos objetivos de negócio de sua organização Posicionando o e-learning dentro de uma estratégia de Educação Corporativa eficaz, alinhada aos objetivos de negócio de sua organização» O conceito Um Clique à Frente. » O conceito Posicionando o e-learning

Leia mais

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Boas propostas são essenciais para que uma gestão tenha êxito, mas para que isso ocorra é fundamental que os dirigentes organizacionais

Leia mais

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão Esse artigo tem como objetivo apresentar estratégias para assegurar uma equipe eficiente em cargos de liderança, mantendo um ciclo virtuoso

Leia mais

1 SEPAGE Seminário i Paulista de Gestão em Enfermagem. Liderança Coaching e Desenvolvimento de Pessoas

1 SEPAGE Seminário i Paulista de Gestão em Enfermagem. Liderança Coaching e Desenvolvimento de Pessoas 1 SEPAGE Seminário i Paulista de Gestão em Enfermagem Liderança Coaching e Desenvolvimento de Pessoas Maria Lúcia Alves Pereira Cardoso GEPAG UNIFESP abril / 2009 CONTEXTO Características do Trabalho no

Leia mais

Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012

Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012 Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu início a

Leia mais

Quatro Níveis de Avaliação de Treinamento

Quatro Níveis de Avaliação de Treinamento Quatro Níveis de Avaliação de Treinamento Resenha por Eliana Dutra KIRKPATRICK, Donald L., Evaluating Training Programs - THE FOUR LEVELS. Berrett-Koehler Publishers, Inc. 1994. De acordo com Donald Kirkpatrick,

Leia mais

Proposta de novos Indicadores para Gestão em Setores de Manutenção

Proposta de novos Indicadores para Gestão em Setores de Manutenção SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 Proposta de novos Indicadores para Gestão em Setores de Manutenção RESUMO Atualmente, as organizações vêm buscando incessantemente novas ferramentas

Leia mais

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO COMO FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA. Rogerio Leme rogerio@lemeconsultoria.com.br

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO COMO FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA. Rogerio Leme rogerio@lemeconsultoria.com.br TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO COMO FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA Rogerio Leme rogerio@lemeconsultoria.com.br PUBLICAÇÕES Solicitar slides: eventos@lemeconsultoria.com.br Contato: rogerio@lemeconsultoria.com.br

Leia mais

3 - Introdução. gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos. 11 - Indicadores operacionais. 14 - Indicadores financeiros.

3 - Introdução. gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos. 11 - Indicadores operacionais. 14 - Indicadores financeiros. 3 - Introdução 4 - Quais são as métricas para alcançar uma boa ÍNDICE As Métricas Fundamentais da Gestão Hospitalar gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos 11 - Indicadores operacionais 14 - Indicadores

Leia mais

Elton Moraes. O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa?

Elton Moraes. O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa? Elton Moraes O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa? Sobre o Hay Group O Hay Group é uma consultoria mundial em gestão: Trabalhamos com líderes para transformar estratégias em realidade.

Leia mais

Desenvolvimento Humano

Desenvolvimento Humano ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Desenvolvimento Humano ADVISORY Os desafios transformam-se em fatores motivacionais quando os profissionais se sentem bem preparados para enfrentá-los. E uma equipe

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann 1 OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade As empresas têm passado por grandes transformações, com isso, o RH também precisa inovar para suportar os negócios

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015

TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015 TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015 CONTEÚDO 1. Como estamos até agora? 2. O que vem por aí... 3. Prioridades do RH para 2015 4. Nossa visão de 2015 01 COMO ESTAMOS ATÉ AGORA? PERFIL DOS PARTICIPANTES

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Sumário 1. A Empresa i. Nossas Crenças O Grupo Voitto i Método de Trabalho iv. Nossos Diferenciais v. Nossos Clientes vi. Equipe Societária 2. Mercado de Consultoria no Brasil

Leia mais

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil P e s q u i s a d a F u n d a ç ã o G e t u l i o V a r g a s I n s t i t u t o d e D e s e n v o l v i m e n t o E d u c a c i o n a l Conteúdo 1. Propósito

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Questões sobre o tópico Desenvolvimento e treinamento de pessoal: levantamento de necessidades, programação, execução e avaliação. Olá Pessoal, hoje veremos outro

Leia mais

O RH Alinhado ao Negócio. Ferramentas da Qualidade Aplicada ao RH

O RH Alinhado ao Negócio. Ferramentas da Qualidade Aplicada ao RH O RH Alinhado ao Negócio Ferramentas da Qualidade Aplicada ao RH O RH ALINHADO AO NEGÓCIO Essencial x fundamental As pessoas e a empresa A importância da estratégia Navegar é preciso A espinha dorsal do

Leia mais

CONSULTORIA MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO

CONSULTORIA MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO CONTEÚDO 1 APRESENTAÇÃO 2 PÁGINA 4 3 4 PÁGINA 9 PÁGINA 5 PÁGINA 3 APRESENTAÇÃO 1 O cenário de inovação e incertezas do século 21 posiciona o trabalho

Leia mais

Pesquisa sobre: Panorama da Gestão de Estoques

Pesquisa sobre: Panorama da Gestão de Estoques Pesquisa sobre: Panorama da Gestão de Estoques Uma boa gestão de estoques comprova sua importância independente do segmento em questão. Seja ele comércio, indústria ou serviços, o profissional que gerencia

Leia mais

Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ

Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ Um jeito Diferente, Inovador e Prático de fazer Educação Corporativa Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ Objetivo: Auxiliar o desenvolvimento

Leia mais

Gestão Estratégica de Marketing

Gestão Estratégica de Marketing Gestão Estratégica de Marketing A Evolução do seu Marketing Slide 1 O Marketing como Vantagem Competitiva Atualmente, uma das principais dificuldades das empresas é construir vantagens competitivas sustentáveis;

Leia mais

Nani de Castro. Sumário. Resumo de Qualificações... 2. Atuação no Mercado... 3. Formação Profissional... 5. Contatos... 6.

Nani de Castro. Sumário. Resumo de Qualificações... 2. Atuação no Mercado... 3. Formação Profissional... 5. Contatos... 6. Sumário Resumo de Qualificações... 2 Atuação no Mercado... 3 Formação Profissional... 5 Contatos... 6 Página 1 de 6 Resumo de Qualificações Consultora responsável pela organização e gestão da RHITSolution,

Leia mais

Aspectos Comportamentais no desenvolvimento organizacional

Aspectos Comportamentais no desenvolvimento organizacional Aspectos Comportamentais no desenvolvimento organizacional O que os Gestores e as Empresas tem se perguntado e talvez não encontrem boas respostas? Gestão centralizadora, delargadora ou melhor funcionário

Leia mais

Gestão e Sustentabilidade das Organizações da Sociedade Civil. Alfredo dos Santos Junior Instituto GESC

Gestão e Sustentabilidade das Organizações da Sociedade Civil. Alfredo dos Santos Junior Instituto GESC Gestão e Sustentabilidade das Organizações da Sociedade Civil Alfredo dos Santos Junior Instituto GESC QUEM SOMOS? INSTITUTO GESC - IGESC Fundação da AMBA, pelos alunos do primeiro curso de MBA. Serviços

Leia mais

FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS

FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS ROGERIO LEME rogerio@lemeconsultoria.com.br /rogeriolemeoficial PUBLICAÇÕES ALGUNS DOS NOSSOS CLIENTES SETOR PÚBLICO SERVIÇOS

Leia mais

Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010)

Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010) Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010) 1) Fale a respeito de sua formação profissional e atuação. Sou engenheiro de produção pela Escola

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA Executivo em Saúde Coordenação Acadêmica: Drª Tânia Regina da Silva Furtado

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA Executivo em Saúde Coordenação Acadêmica: Drª Tânia Regina da Silva Furtado CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA Executivo em Saúde Coordenação Acadêmica: Drª Tânia Regina da Silva Furtado APRESENTAÇÃO A FGV é uma instituição privada sem fins lucrativos, fundada

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1 BUSINESS GAME UGB Eduardo de Oliveira Ormond Especialista em Gestão Empresarial Flávio Pires Especialista em Gerencia Avançada de Projetos Luís Cláudio Duarte Especialista em Estratégias de Gestão Marcelo

Leia mais

Luiz Ildebrando Pierry Porto Alegre, Maio de 2006

Luiz Ildebrando Pierry Porto Alegre, Maio de 2006 Luiz Ildebrando Pierry Porto Alegre, Maio de 2006 Evolução Estratégica do Movimento Qualidade RS 13 anos de atividade Instalação do Programa Cumulativo Consolidação do Programa como Promotor da Causa Evolução

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA

PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA SUMÁRIO DE PROJETOS WORKFLOW... 03 ALINHAMENTO ESTRATÉGICO... 04 IDENTIDADE CORPORATIVA... 04 GESTÃO DE COMPETÊNCIAS... 05 TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO... 05 REMUNERAÇÃO...

Leia mais

4 ANDRÉ VINÍCIUS. Apresentação André Vinícius. Consultor Professor Palestrante. www.andrevinicius.com. www.andrevinicius.com. www.andrevinicius.

4 ANDRÉ VINÍCIUS. Apresentação André Vinícius. Consultor Professor Palestrante. www.andrevinicius.com. www.andrevinicius.com. www.andrevinicius. 4 ANDRÉ VINÍCIUS Apresentação André Vinícius Consultor Professor Palestrante 4 ANDRÉ VINÍCIUS André Vinícius Formação Acadêmica e Extra-Currícular Pós-Graduando no MBA em Gestão de Recursos Humanos (UNINTER)

Leia mais

Como melhorar a produtividade de sua equipe

Como melhorar a produtividade de sua equipe Como melhorar a produtividade de sua equipe Conteúdo - Contexto consumidor no Brasil e no mundo - A importância da gestão de pessoas na visão dos CEOs - HR Analytics suportando a geração de insights e

Leia mais

A Educação a Distância no Brasil (2001 a 2006) Álvaro Augusto Araújo Mello 1

A Educação a Distância no Brasil (2001 a 2006) Álvaro Augusto Araújo Mello 1 A Educação a Distância no Brasil (2001 a 2006) Álvaro Augusto Araújo Mello 1 Partindo-se do pressuposto de que a educação a distância é entendida como a utilização de tecnologias que apóiam os vários processos

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Revisitando os Desafios da Web: Como Avaliar Alunos Online

Revisitando os Desafios da Web: Como Avaliar Alunos Online Revisitando os Desafios da Web: Como Avaliar Alunos Online Neide Santos neide@ime.uerj.br 2º Seminário de Pesquisa em EAD Experiências e reflexões sobre as relações entre o ensino presencial e a distância

Leia mais

LinkedIn - Tendências globais em recrutamento para 2013 1

LinkedIn - Tendências globais em recrutamento para 2013 1 LinkedIn - Tendências globais em recrutamento para 2013 Visão Brasil As cinco principais tendências em atração de talentos que você precisa saber 2013 LinkedIn Corporation. Todos os direitos reservados.

Leia mais

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação O artigo fala sobre os vários aspectos e desafios que devem ser levados em consideração quando se deseja transformar ou fortalecer uma cultura organizacional, visando a implementação de uma cultura duradoura

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

Despertamos o Potencial escondido e Transformamos em Resultados!

Despertamos o Potencial escondido e Transformamos em Resultados! Despertamos o Potencial escondido e Transformamos em Resultados! Empresa Diferenciais A MB Soluções nasceu com propósito de desenvolver Pessoas, no âmbito Profissional e Pessoal. Atuamos no desenvolvimento

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

Organização de Gerenciamento de Processos. Palestrante: Samyra Salomão

Organização de Gerenciamento de Processos. Palestrante: Samyra Salomão Organização de Gerenciamento de Processos Palestrante: Samyra Salomão Contextualização O foco do gerenciamento de processos de negócio pode também modificar a forma como os executivos pensam e estruturam

Leia mais

SEMIPRESENCIAL 2013.1

SEMIPRESENCIAL 2013.1 SEMIPRESENCIAL 2013.1 MATERIAL COMPLEMENTAR II DISCIPLINA: GESTÃO DE CARREIRA PROFESSORA: MONICA ROCHA LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO Liderança e Motivação são fundamentais para qualquer empresa que deseja vencer

Leia mais

Equipe com mais de 17 anos de experiência em Avaliação de Executivos, Coaching e Desenvolvimento de Lideranças

Equipe com mais de 17 anos de experiência em Avaliação de Executivos, Coaching e Desenvolvimento de Lideranças Equipe com mais de 17 anos de experiência em Avaliação de Executivos, Coaching e Desenvolvimento de Lideranças Responsável pela elaboração e realização de projetos em empresas de porte que foram reconhecidos

Leia mais

INSIGHTS DO MAIOR EVENTO MUNDIAL SOBRE TREINAMENTO & DESENVOLVIMENTO PARA O FRANCHISING & VAREJO BRASILEIRO

INSIGHTS DO MAIOR EVENTO MUNDIAL SOBRE TREINAMENTO & DESENVOLVIMENTO PARA O FRANCHISING & VAREJO BRASILEIRO INSIGHTS DO MAIOR EVENTO MUNDIAL SOBRE TREINAMENTO & DESENVOLVIMENTO PARA O FRANCHISING & VAREJO BRASILEIRO De 17 a 20 de maio de 2015 aconteceu em Orlando (Flórida-EUA) o maior congresso mundial de Treinamento

Leia mais

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL Alessandro Siqueira Tetznerl (1) : Engº. Civil - Pontifícia Universidade Católica de Campinas com pós-graduação em Gestão de Negócios

Leia mais

APRESENTAÇÃO PROFISSIONAL GABRIELA ALMEIDA. Consultora Independente de RH Novembro/2014

APRESENTAÇÃO PROFISSIONAL GABRIELA ALMEIDA. Consultora Independente de RH Novembro/2014 APRESENTAÇÃO PROFISSIONAL GABRIELA ALMEIDA Consultora Independente de RH Novembro/2014 Quem sou eu Psicóloga, Consultora de RH, Instrutora de treinamentos e Professora 8 anos de experiência em RH Pós-graduada

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EXCELÊNCIA EM VENDAS

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EXCELÊNCIA EM VENDAS Apresentação Atenta aos movimentos do mercado e ao cenário competitivo vivenciado pelas empresas e profissionais, a ADVB/RS atua na área de educação corporativa e oferece conhecimentos alinhado às principais

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

Mensuração de Resultados

Mensuração de Resultados Mensuração de Resultados A Educação Corporativa mais Próxima da Estratégia do Negócio coleção 3 02 olá! A Affero Lab, maior empresa de Educação Corporativa do Brasil, tem se envolvido com todos os aspectos

Leia mais

Miguel de Paula. Gente, Gestão e Serviços

Miguel de Paula. Gente, Gestão e Serviços Miguel de Paula Gente, Gestão e Serviços Provendo Serviços e Talentos 2 Estrutura GENTE, GESTÃO E SERVIÇOS SERVIÇOS COMPARTILHADOS TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO GENTE Serviços Acadêmicos Serviços Financeiros

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Marketing

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Marketing Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Marketing Apresentação Em uma economia globalizada e extremamente competitiva, torna-se cada vez mais imprescindível a visão estratégica

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Pessoas tem por objetivo o fornecimento de instrumental que possibilite

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 Even e Junior Achievement de Minas Gerais UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO Resultados Conquistados... 3 Resultados do Projeto... 4 Programa Finanças Pessoais... 5 Conceitos

Leia mais

Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo

Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo INTRODUÇÃO O Balanced Scorecard (BSC) é uma metodologia desenvolvida para traduzir, em termos operacionais, a Visão e a Estratégia das organizações

Leia mais