SIMULADO DO PROF. SABBAG TEMA: SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SIMULADO DO PROF. SABBAG TEMA: SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL"

Transcrição

1 SIMULADO DO PROF. SABBAG TEMA: SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL 1. ( ) O Estado pode instituir contribuição, cobrada de seus servidores, para o custeio, em benefício destes, de sistema de previdência social. 2. ( ) A EC nº 33 sujeita a importação de petróleo (e seus derivados),de gás natural (e seus derivados) e de álcool combustível à incidência de contribuições sociais e de intervenção no domínio econômico. 3. ( ) Incide ICMS sobre a entrada de bem ou mercadoria importada do exterior por pessoa física ou jurídica, ainda que não seja contribuinte habitual do imposto e ainda que o bem ou a mercadoria importada seja destinada a consumo. 4. ( ) O serviço de transporte urbano, realizado no âmbito territorial de um só município, constitui fato gerador do ICMS. 5. ( ) Compete ao Senado Federal, pela maioria absoluta de seus membros, aprovar resolução que estabeleça as alíquotas de ICMS incidentes sobre operações e prestações interestaduais e de exportação. 6. ( ) Consoante entendimento do STF, os emolumentos judiciais são tributos da espécie taxa. 7. ( ) (JUIZ-SE/2004) A contribuição de melhoria somente pode ser cobrada em virtude de valorização imobiliária decorrente de obra pública. A contribuição deve ser cobrada dos proprietários dos bens imóveis valorizados e está sujeita a dois limites: geral e individual. Aquele impõe que o valor cobrado de todos os proprietários da região beneficiada não seja superior ao valor da despesa realizada com a obra. Este, por sua vez, determina que o valor cobrado de cada proprietário individualmente não seja superior ao total da despesa realizada com a obra pública dividida pelo número de proprietários da região beneficiada por ela. 8. ( ) (JUIZ-SE/2004) Os empréstimos compulsórios poderão ser instituídos apenas pela União, por meio de lei complementar, para atender despesas extraordinárias decorrentes de calamidade.pública, guerra externa e investimento público de caráter urgente e relevante, observado, em todos os casos, o princípio da anterioridade tributária. 9. ( ) A contribuição social tem caráter genérico, em razão de sua destinação incerta, sem finalidade predeterminada. 10. ( ) A taxa tem sempre como fato gerador a utilização efetiva de serviço público específico e divisível. 11. ( ) A aplicação dos recursos provenientes de empréstimo compulsório poderá, em casos extraordinários, ser desvinculada da despesa que fundamentou sua instituição.

2 12. ( ) O desvio da destinação, no plano fático da arrecadação de uma contribuição social, não a invalida como tributo. 13. ( ) A majoração de alíquota da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), criada por lei publicada em 31 de dezembro, permite sua cobrança no mês de janeiro seguinte. 14. ( ) É atribuída à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios a competência para instituir contribuições sociais, de interesse das categorias profissionais e econômicas, e de intervenção no domínio econômico. 15. ( ) Compete aos Estados instituir impostos sobre transmissão de bens causa mortis e inter vivos por ato oneroso e gratuito. 16. ( ) Compete à União instituir, mediante lei, impostos não previstos na CF, desde que sejam nãocumulativos e não tenham fato gerador ou base de cálculo próprios dos discriminados na Constituição. 17. ( ) No atual direito constitucional tributário positivo brasileiro, o empréstimo compulsório, poderá ser instituído em caso de conjuntura que exija a absorção temporária de poder aquisitivo. 18. ( ) No atual direito constitucional tributário positivo brasileiro, o empréstimo compulsório poderá ser criado apenas por meio de lei complementar, que estabelecerá as suas hipóteses de incidência, além daquelas previstas na Constituição Federal. 19. ( ) Desde que observados os limites e as condições estabelecidos em lei, podem ter as alíquotas alteradas pelo Poder Executivo os impostos sobre importação, exportação, produtos industriais e propriedade territorial rural. 20. ( ) No que concerne aos impostos sobre produtos industrializados, beneficiam-se da denominada imunidade extravagante os produtos industrializados destinados ao exterior. 21. ( ) O imposto sobre a propriedade territorial rural, dado o seu caráter extrafiscal, destinando-se a desestimular a manutenção de propriedades improdutivas, poderá ser utilizado como instrumento para o confisco de propriedades manifestamente improdutivas, para fins de reforma agrária. 22. ( ) Os impostos extraordinários, instituídos pela União na iminência ou no caso de guerra externa, poderão ensejar casos de bitributação. 23. ( ) O imposto sobre produtos industrializados será seletivo, em função da essencialidade do produto, e será não-cumulativo, compensando-se o que for devido em cada operação com o montante cobrado nas anteriores. 24. ( ) O imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação poderá ser seletivo, em função da essencialidade das mercadorias e dos serviços, e será não-cumulativo, compensando-se o que for devido

3 em cada operação relativa à circulação de mercadorias ou prestação com o montante cobrado nas anteriores pelo mesmo ou outro Estado ou pelo Distrito Federal. 25. ( ) A Constituição da República prevê que sobre a energia elétrica podem incidir somente três impostos e uma contribuição interventiva. 26. ( ) À luz do sistema tributário constitucional atual, o ICMS não incidirá: sobre operações que destinem ao exterior produtos industrializados. 27. ( ) Cabe à Lei Complementar Estadual definir os contribuintes do ICMS. 28. ( ) A Resolução do Congresso Nacional, de iniciativa do Presidente da República ou de um terço dos Senadores, aprovada pela maioria absoluta de seus membros, estabelecerá as alíquotas aplicáveis às operações e prestações, interestaduais e de exportação. 29. ( ) O ICMS não incidirá nas prestações de serviço de comunicação nas modalidades de radiodifusão sonora e de sons e imagens de recepção livre e gratuita. 30. ( ) Quanto ao ICMS, pode-se dizer que este poderá ser seletivo (em função da essencialidade do produto) e também não cumulativo. 31. ( ) Segundo a CF/88, cabe a lei definir seus contribuintes, a substituição tributária, bem como disciplinar o regime de compensação do ICMS. 32. ( ) A alíquota interestadual do ICMS compete aos Estados definirem. 33. ( ) O Estado de São Paulo não poderá instituir contribuição social-previdenciária. 34. ( ) É vedado União, Estados, Distrito Federal e aos Municípios estabelecer diferença tributária entre bem e serviços de qualquer natureza. 35. ( ) O ICMS poderá ser não-cumulativo, compensando-se o que for devido em cada operação relativa à circulação de mercadorias ou prestação de serviços com o montante cobrado nas anteriores pelo mesmo ou outro Estado ou pelo Distrito Federal. 36. ( ) Sobre a entrada de bem ou mercadoria importados do exterior por pessoa física ou jurídica, ainda que não seja contribuinte habitual do ICMS, qualquer que seja a sua finalidade, assim como sobre o serviço prestado no exterior, cabendo o imposto ao Estado onde estiver situado o domicílio ou o estabelecimento do destinatário da mercadoria, bem ou serviço. 37. ( ) O ICMS não incidirá sobre operações que destinem a outros Estados petróleo, inclusive lubrificantes, combustíveis líquidos e gasosos, e energia elétrica. 38. ( ) Segundo a CF, as alíquotas internas do ICMS, nas operações relativas à circulação de mercadorias e nas prestações de serviços, não poderão ser inferiores às previstas para as operações interestaduais.

4 39. ( ) (JUIZ-PA/2002) A respeito do sistema tributário nacional, a União pode excepcionalmente instituir tributo que não seja uniforme em todo o território nacional, concedendo incentivos fiscais destinados a promover o equilíbrio do desenvolvimento socioeconômico entre as regiões do país. 40. ( ) (JUIZ-PA/2002) Os preços públicos constituem a receita derivada das entidades públicas, na medida em que são compulsórios, cobrados em virtude da prestação de serviços relacionados com a exploração de atividades econômicas diretamente pelo Estado, ou indiretamente por concessionários e permissionários de serviços públicos. 41. ( ) (MP/MG-2003) A atualização do valor monetário da base de cálculo de qualquer tributo poderá ser feita por decreto. 42. ( ) (JUIZ FEDERAL - TRF5-2004) Entre as normas constitucionais sobre o conteúdo da lei complementar relativa à tributação, está a definição de tratamento tributário adequado ao ato cooperativo praticado por sociedade cooperativa. Em razão disso, a legislação do imposto de renda estabeleceu tratamento tributário especial para as cooperativas de consumo. 43. ( ) (JUIZ-BA/2004) Quando o estado da Bahia e seus órgãos e entidades da administração indireta pagam remuneração aos servidores e empregados, o imposto de renda retido é revertido aos cofres do governo estadual. 44. ( ) (JUIZ-BA/2004) Se o governo federal, no uso de sua competência tributária residual, instituir novo imposto, terá de destinar aos estados e municípios 20% da arrecadação que dele advier. 45. ( ) (JUIZ-BA/2004) Além dos 47% do IPI destinados aos fundos de participação e aos programas de financiamento do setor produtivo das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, mais 10% desse imposto é distribuído entre os Estados, que, por sua vez, repassam um quarto do recebido a seus municípios. 46. ( ) (JUIZ-BA/2004) As transferências constitucionais aos estados limitam-se às receitas arrecadadas de impostos. 47. ( ) (MP-BA/2004) A função do IPTU (Imposto sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana) é tipicamente fiscal, já que o seu objetivo primordial é a obtenção de arrecadação de recursos financeiros para os municípios. Todavia, a Constituição Federal também prevê uma função extrafiscal no IPTU, que pode taxar progressivamente a propriedade do solo urbano não edificada, não utilizada ou subutilizada, desestimulando, assim a especulação imobiliária e a criação de obstáculos ao crescimento normal das cidades. 48. ( ) (MP-BA/2004) No Distrito Federal, a arrecadação do IPTU (Imposto sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana) cabe ao município de Brasília. 49. ( ) (PROCURADOR DO TRIBUNAL DE CONTAS - PI/2005) Em nosso sistema tributário, a progressividade das alíquotas pode ser utilizada com finalidades extrafiscais, para instituição de IPTU e ITR.

5 50. ( ) (PROCURADOR JUDICIAL/RECIFE-2003) A respeito da competência dos Estados e Distrito Federal para instituir imposto, é correto afirmar que o imposto sobre transmissão causa mortis e doação de quaisquer bens ou direitos terá suas alíquotas máximas fixadas pelo Senado Federal. 51. ( ) (PROCURADOR JUDICIAL/RECIFE-2003) A respeito da competência dos Estados e Distrito Federal para instituir imposto, é incorreto afirmar que o imposto sobre transmissão causa mortis e doação, de quaisquer bens ou direitos, relativamente a bens imóveis compete ao Estado onde se processar o inventário ou arrolamento, ou tiver domicílio o doador, ou ao Distrito Federal. 52. ( ) (PROCURADOR JUDICIAL/RECIFE-2003) O Município tem a competência tributária de instituir alíquotas de IPTU, progressivas no tempo, independentemente da existência ou não de plano diretor. 53. ( ) (PROCURADOR JUDICIAL/RECIFE-2003) A empresa Imóveis de São Antônio S.A., que tem por objeto social a compra, venda e locação de bens imóveis, incorpora em realização de capital imóvel de propriedade de Joaquim dos Santos, um de seus sócios. Diante dessa operação, é correto afirmar que haverá a ocorrência do fato gerador do ITBI. 54. ( ) (PROCURADOR JUDICIAL/RECIFE-2003) A empresa imóveis de São Antônio S.A., que tem por objeto social a compra, venda e locação de bens imóveis, incorpora em realização de capital imóvel de propriedade de Joaquim dos Santos, um de seus sócios. Diante dessa operação, é correto afirmar que não haverá a ocorrência de fato gerador do ITBI, porque se está diante de uma das imunidades específicas, qual seja: o ITBI não incide sobre a transmissão de bens ou direitos incorporados ao patrimônio de pessoa jurídica em realização de capital, nem sobre a transmissão de bens ou direitos decorrentes de fusão, incorporação, cisão ou extinção de pessoa jurídica. 55. ( ) (JUIZ/PR-2003) Predomina na jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça a diretriz no sentido de que o estocador adquire o direito de transferência de crédito do ICMS quando realiza a exportação do produto, e não ao estocar a matéria-prima. 56. ( ) (JUIZ/PR-2003) Predomina na jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça a diretriz no sentido de que o ICMS é tributo de natureza direta, vez que o contribuinte é de fato o consumidor final da mercadoria objeto da operação. A compensação tributária, em favor da empresa, não depende, todavia, da prova de repercussão. 57. ( ) (JUIZ/PR-2003) No Direito Tributário, é correto afirmar que, no caso de omissão do legislador federal, no que tange ao ICMS, há previsão normativa para os convênios, que são regras complementares, vinculantes dos Estados-membros participantes. 58. ( ) (MP/MG-2003) Impostos progressivos são aqueles que podem ser aumentados gradativamente, em relação ao aumento dos valores sobre os quais incidem. 59. ( ) (AUDITOR DA RECEITA FEDERAL 2003 ESAF) A Constituição Federal veda a instituição de contribuição social para a seguridade social sobre o lucro auferido por pessoas jurídicas, que decorra de comercialização de livros, jornais, periódicos e papel destinado a sua impressão.

6 60. ( ) (AUDITOR DA RECEITA FEDERAL 2003 ESAF) Em relação à contribuição provisória sobre movimentação ou transmissão de valores e de créditos e direitos de natureza financeira (CPMF) e sua disciplina em disposição constitucional transitória, é vedada sua incidência sobre operações com ouro, quando definido em lei como ativo financeiro ou instrumento cambial. 61. ( ) (AUDITOR DA RECEITA FEDERAL 2003 ESAF) Em relação à contribuição provisória sobre movimentação ou transmissão de valores e de créditos e direitos de natureza financeira (CPMF) e sua disciplina em disposição constitucional transitória, trata-se de exação submetida ao princípio da anterioridade de que trata o art. 150, III, b, da Constituição Federal (vedação da cobrança de tributos no mesmo exercício financeiro em que haja sido publicada a lei que os instituiu ou aumentou). 62. ( ) (AUDITOR DA RECEITA FEDERAL 2003 ESAF) Em relação à contribuição provisória sobre movimentação ou transmissão de valores e de créditos e direitos de natureza financeira (CPMF) e sua disciplina em disposição constitucional transitória, o tributo não incide nos lançamentos em contas correntes de depósito especialmente abertas e exclusivamente utilizadas para operações de sociedades anônimas que tenham por objeto exclusivo a aquisição de créditos oriundos de operações praticadas no mercado financeiro. 63. ( ) A Constituição não limita os fatos geradores e respectivas bases de cálculo passíveis de ser utilizados para criação de empréstimos compulsórios. 64. ( ) O IOF é classificado, pelo CTN, como Imposto sobre o Patrimônio e a Renda. 65. ( ) Na instituição dos impostos sobre importação de produtos estrangeiros (II), sobre exportação, para o exterior, de produtos nacionais e nacionalizados (IE), sobre produtos industrializados (IPI), sobre operações de crédito, câmbio e seguro, ou relativos a títulos e valores mobiliários (IOF) e sobre impostos extraordinários de guerra (IEG), a medida provisória produzirá efeitos desde a sua edição. Na instituição dos demais impostos, a medida provisória só produzirá efeitos no exercício financeiro seguinte, se houver sido convertida em lei até o último dia daquele em que foi editada. 66. ( ) Compete ao Congresso Nacional: avaliar periodicamente a funcionalidade do Sistema Tributário Nacional, em sua estrutura e seus componentes, e o desempenho das administrações tributárias da União, dos Estados e do Distrito Federal e dos Municípios. 67. ( ) O artigo 147 da CF/88 determina que os tributos estaduais são de competência da União, em Território Federal e, se o Território não for dividido em municípios, cumulativamente os municipais. Pelo mesmo dispositivo, coube ao Distrito Federal os impostos municipais. Detém, em suma, o Distrito Federal, a competência dupla, o que lhe permite instituir impostos estaduais e municipais, nos termos dos artigos 147 e 155, da CF/ ( ) É chamada de competência tributária residual a permissão concedida pela Constituição Federal, em seu artigo 154, I, que faculta a União instituir impostos que não estejam previstos na Magna Carta, mediante lei complementar, desde que sejam não-cumulativos e não tenham fato gerador e base de cálculo de qualquer dos impostos discriminados na Constituição (federais, estaduais e municipais).

7 69. ( ) As contribuições parafiscais definidas pelo artigo 149 da Constituição Federal obedecem ao princípio da anterioridade, excetuando-se apenas as contribuições sociais (art. 195) que poderão ser exigidas após 90 dias da publicação da lei que a instituiu. Apenas a União tem competência para instituir contribuições parafiscais. A única exceção é a instituição pelos Estados, Distrito Federal e Municípios de contribuições, cobradas de seus servidores para financiar os sistemas de previdência e assistência social, em benefício dos mesmos. As contribuições sociais, que ajudam a financiar a seguridade social, são cobradas dos empregadores, incidente sobre a folha de pagamento, o faturamento e o lucro; dos trabalhadores e sobre a receita de concursos de prognósticos. 70. ( ) (Auditor da Previdência Social) O IPTU pode ter como fato gerador o imóvel por natureza ou acessão física. 71. ( ) (Auditor da Previdência Social) Uma área situada bem distante do centro urbano, por estar enquadrada no conceito de zona urbana, inserido em lei ordinária municipal, não poderá ter fato gerador do IPTU. 72. ( ) (Auditor da Previdência Social) É defeso ao Município atualizar o IPTU, mediante Decreto, em percentual superior ao índice oficial de correção monetária. 73. ( ) (Auditor da Previdência Social) É sabido que a CF/88 admite a progressividade do IPTU. No entanto, um Município, que ainda não previa tal norma em sua Lei Orgânica, instituiu mediante lei complementar tal exação em seu território passando a cobrar de seus munícipes no ano seguinte. Mediante a situação acima exposta, podemos afirmar que tal legislador agiu corretamente. 74. ( ) (Auditor da Previdência Social) Na caracterização do imóvel como rural ou urbano, prevalece o critério da destinação econômica, e não o critério da localização, à luz da jurisprudência majoritária e da inteligência doa arts. 29 e 32 do CTN. 75. ( ) (Auditor da Previdência Social) É lícito ao ente tributante estabelecer limitações ao tráfego de pessoas ou bens, mediante cobrança de pedágios, interestaduais ou intermunicipais, pela utilização de vias conservadas pelo Poder Público. 76. ( ) (Auditor da Receita Federal / 2002) A Constituição diz competir exclusivamente à União a instituição do imposto de renda e ser vedada a instituição de taxas que tenham por base de cálculo a mesma dos impostos. É, por isso, vedada a instituição de qualquer outra exação sobre o lucro (a renda). 77. ( ) (Auditor da Receita Federal / 2002) O DF legisla sobre impostos municipais (CF, art. 147); a União legisla sobre impostos municipais, nos territórios não divididos em municípios (CF, art. 147) e, também, no âmbito das normas gerais em matéria tributária (CF, art. 146, III, "a"); entretanto, em nenhuma hipótese, os estados-membros legislam sobre impostos municipais. 78. ( ) (Auditor da Receita Federal / 2002) Cabe à lei complementar federal, em relação aos impostos em geral, como o ICMS e o ISS, a definição dos respectivos fatos geradores, bases de cálculo e contribuintes.

8 79. ( ) (Auditor da Receita Federal / 2002) Resolução do Senado Federal, obedecidas as condições constitucionais, poderá estabelecer, para o ICMS, as alíquotas aplicáveis às operações e prestações, interestaduais e de exportação. 80. ( ) (Auditor da Receita Federal / 2002) Sobre o imóvel declarado de interesse social para fins de reforma agrária deixa, ipso facto, de incidir o imposto territorial rural (ITR). 81. ( ) (Auditor da Receita Federal / 2002) Poderão os Estados, como instrumento de sua atuação nas respectivas áreas, instituir contribuições sociais, de intervenção no domínio econômico e de interesse das categorias profissionais ou econômicas. 82. ( ) (Auditor da Receita Federal / 2002) Segundo a Constituição, mais de 40% do IPI e do imposto de renda que a União arrecada deve ser repartido com o Distrito Federal, os Estados e os Municípios. 83. ( ) (OAB/SP) Os empréstimos compulsórios (todos eles), tanto quanto os impostos da competência residual da União (art. 154, I, da CF) só podem ser instituídos por meio de lei complementar. Tal afirmação é verdadeira na medida em que a lei complementar é ato normativo que exige quorum de aprovação qualificada (art. 69 da CF), e, se o Presidente da República criar ou aumentar tais tributos por meio de medidas provisórias, cairá por terra o objetivo da Carta Magna de exigir que os mesmos sejam cobrados pela maioria absoluta dos congressistas. 84. ( ) (OAB/SP) Em casos especiais, é permitido à União instituir tratamento desigual entre contribuintes que se encontrem em situações equivalentes. 85. ( ) (OAB/SP) A União Federal elevou a alíquota do Imposto de Importação em determinado momento e exigiu essa nova alíquota quando do desembaraço aduaneiro de produtos que já se encontravam viajando em navios que navegavam em águas brasileiras, alguns deles com bandeira brasileira, e, inclusive, havia Declarações de Importação processadas, relacionadas com os mesmos produtos, embora não estivessem eles ainda embarcados. Esse procedimento é legal, pois o fato gerador do Imposto de Importação é o desembaraço aduaneiro dos produtos importados. 86. ( ) (OAB/SP) A Lei nº 9.960, de , instituiu a Taxa de Fiscalização Ambiental TFA, que passaria a incidir imediatamente, tendo como fato gerador a atividade desenvolvida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis IBAMA, com vistas ao controle de pessoas físicas ou jurídicas potencialmente poluidoras. É possível sustentar a ilegitimidade dessa exação e obter a restituição do valor porventura já pago no exercício de 2000, a partir, dentre outros, do seguinte fundamento: é inadmissível a cobrança de taxas, no mesmo exercício financeiro da lei que a instituiu. 87. ( ) (OAB/SP) Nas atividades econômicas que envolvam fornecimento de mercadorias e prestação de serviços não compreendidos na competência tributária dos Municípios, o imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias (ICMS) incide sobre o valor total da operação. 88. ( ) (OAB/SP) Caio, contribuinte do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), é proprietário de um imóvel sobre o qual foi edificada uma construção clandestina. Em 2004, a Prefeitura Municipal descobriu a nova edificação e realizou a revisão do lançamento, do imposto pago no exercício de 2003, lançando,

9 então, a diferença de imposto apurada. Esse lançamento complementar é possível porque o contribuinte tinha o dever de comunicar à Prefeitura a edificação realizada. 89. ( ) (Magistratura Estadual SP 2003) Acerca dos denominados impostos extraordinários, sabe-se que prescindem de lei complementar para a sua instituição. 90. ( ) (Delegado PF 1993) Sobre o ouro, quando definido em lei como ativo financeiro ou instrumento cambial, incide o imposto sobre operações de crédito, câmbio e seguro, ou relativas a títulos ou valores mobiliários. 91. ( ) (Técnico da Receita Federal ESAF) Na hipótese de ser criado um Território não dividido em municípios, é correto afirmar que nele a União pode ser sujeito ativo de todos os tributos, quer sejam federais, estaduais e municipais. 92. ( ) (Auditor-Fiscal da Receita Federal ESAF) O IPI é imposto que não pode incidir sobre a gasolina, em face de regra estabelecida pela Constituição. 93. ( ) (Auditor-Fiscal da Receita Federal ESAF) A empresa A, com sede em Brasília, que se dedica exclusivamente à fabricação de esquadrias para a construção civil, incorporou a empresa B, com sede no Rio de Janeiro, cujo objeto social abrangia, preponderantemente, a compra e venda de bens móveis e de bens imóveis. Em virtude dessa incorporação, foram transmitidos da empresa B para a empresa A os direitos que aquela detinha sobre imóvel comercial, localizado em Recife. Cada um dos Municípios citados pretendeu exigir o ITBI. Sobre essa transmissão, incide o ITBI, porque a atividade preponderante da empresa B era a compra e venda de bens imóveis, sendo devido em Recife. 94. ( ) (Auditor-Fiscal da Receita Federal ESAF) Os impostos criados através da competência residual somente podem ser instituídos se houver inovação na definição do fato gerador e da base de cálculo, e desde que se possa abater numa operação o valor do mesmo imposto pago nas operações anteriores. 95. ( ) (Juiz Federal TRF 3ª Região) Entre os impostos federais passíveis de instituição por lei ordinária, apenas o imposto sobre a renda e proventos de qualquer natureza e o imposto sobre a propriedade territorial rural não podem ser cobrados no mesmo exercício financeiro em que haja sido publicada a respectiva lei instituidora. 96. ( ) (Procurador da Fazenda Nacional 1992 ESAF) Nos territórios Federais divididos em Municípios, a competência para criar impostos estaduais e municipais é, respectivamente, da União e dos Municípios. 97. ( ) (Procurador da Fazenda Nacional 1992 ESAF) O exercício potencial do poder de polícia possibilita a incidência da taxa de polícia. 98. ( ) (Procurador da Fazenda Nacional 1992 ESAF) A venda, no varejo, de anel de ouro, adquirido de atacadista, sujeita-se ao imposto de circulação de mercadorias e prestação de serviços de transportes e comunicações.

10 99. ( ) (Procurador da Fazenda Nacional 1992 ESAF) Entidade beneficente de assistência social, sem fins lucrativos, e que preencha os requisitos para fruição de imunidade tributária, está sujeita às taxas e às contribuições de melhoria ( ) (Procurador da Fazenda Nacional 1992 ESAF) No caso de prestação de serviços de transporte rodoviário por terceiro, entre pontos situados em diferentes Municípios do mesmo Estado, é devido ICMS ao Estado em que ocorreu a prestação ( ) (Procurador do INSS 1993) A supressão das deduções no Imposto de Renda Pessoa Física IRPF, afeta negativamente o princípio constitucional da pessoalidade ( ) (Procurador do INSS 1993) O Imposto sobre a Importação de Produtos Estrangeiros é tributo cuja receita não é submetida a nenhuma repartição de natureza constitucional ( ) ( Ministério Público de Goiás) Os impostos extraordinários criados pela União devem ser suprimidos gradativamente, cessadas as causas que ditaram sua criação ( ) (Ministério Público Federal) Emolumentos devidos pela prestação de serviços notariais e/ou registrais têm natureza jurídica de taxa ( ) (Procurador do Distrito Federal 2004) A Constituição Federal impede que as contribuições sociais para a seguridade social tenham base de cálculo própria dos impostos ( ) (Auditor-Fiscal da Receita Federal 2003 ESAF) Com base na CF, é vedado que as contribuições sociais para a seguridade social tenham base de cálculo própria dos impostos ( ) (Procurador do Distrito Federal 2004) A vedação de incidência de correção monetária de créditos escriturais do ICMS não constitui violação dos princípios constitucionais da não-cumulatividade e da isonomia. Para o STF, tais créditos são puramente escriturais, diferentemente do crédito tributário ( ) (Procurador do Distrito Federal 2004) Na venda de salvados de sinistro pela seguradora incide o ICMS ( ) (Procurador do Distrito Federal 2004) O campo de incidência do IPVA inclui embarcações e aeronaves ( ) (Auditor do Tribunal de Contas do Estado do Paraná ) É permitida a edição de medida provisória para aumentar a contribuição social incidente sobre a folha de salários de empregados, devida por empregadores à seguridade social. Ademais, Medida Provisória que implique majoração do imposto sobre propriedade territorial rural só produzirá efeitos no exercício financeiro seguinte se houver sido convertida em lei até o último dia daquele em que foi editada ( ) (Analista de Comércio Exterior 2002) Denomina-se preço público a prestação pecuniária, decorrente de livre manifestação do comprador, exigida pelo Estado, ou órgão estatal, ou empresa associada, concessionária ou permissionária, em contraprestação pela aquisição de um bem material ou

11 imaterial. Oriundo de relação negocial, o preço público (ou tarifa), de caráter contratual, constitui receita originária ( ) (Auditor-Fiscal da Previdência Social 2002) A cobrança de pedágio pela utilização de vias conservadas pelo Poder Público não constitui violação do dispositivo constitucional que veda o estabelecimento de limitações ao tráfego de pessoas ou bens por meio de tributos interestaduais ou intermunicipais. GABARITO 1 C 2 C 3 C 4 E 5 C 6 C 7 E 8 E 9 E 10 E 11 E 12 C 13 E 14 E 15 E 16 E 17 E 18 E 19 E 20 C 21 E 22 C 23 C 24 C 25 C 26 E 27 E 28 E 29 C 30 E 31 E 32 E 33 E 34 E 35 E 36 C 37 E 38 E 39 C 40 E 41 C 42 E 43 E 44 E 45 C 46 E 47 C 48 E 49 C 50 C 51 C 52 E 53 C 54 E 55 C 56 E 57 C 58 C 59 E 60 E 61 E 62 C 63 C 64 E 65 C 66 E 67 E 68 E 69 C 70 C 71 E 72 C 73 E 74 E 75 C 76 E 77 C 78 C 79 E 80 E 81 E 82 C 83 C 84 E 85 C 86 C 87 C 88 C 89 C 90 C 91 C 92 C 93 E 94 C 95 C 96 C 97 E 98 C 99 C 100 C 101 C 102 C 103 C 104 C 105 E 106 E 107 C 108 C 109 E 110 C 111 C 112 C

DIREITO TRIBUTÁRIO CLAUDIO CARNEIRO. Blog: claudiocarneiroadv.blogspot.com.br. Site: Facebook: CLAUDIO CARNEIRO II

DIREITO TRIBUTÁRIO CLAUDIO CARNEIRO. Blog: claudiocarneiroadv.blogspot.com.br. Site:  Facebook: CLAUDIO CARNEIRO II 2012 DIREITO TRIBUTÁRIO CLAUDIO CARNEIRO Blog: claudiocarneiroadv.blogspot.com.br Site: www.claudiocarneiro.com.br Facebook: CLAUDIO CARNEIRO II IMPOSTOS: FEDERAIS: II, IE, IR, IPI, IOF, ITR, IGF, Extraordinário

Leia mais

CAPÍTULO. Competência Tributária. Competência Tributária Comum

CAPÍTULO. Competência Tributária. Competência Tributária Comum CAPÍTULO Competência Tributária Competência Tributária Comum C.F. art. 145 A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios poderão instituir os seguintes tributos: II - taxas, em razão do exercício

Leia mais

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO Prof. Cássio Marques da Silva 2016 TRIBUTOS Modalidades 1 Anteriormente vimos que... Estado bem-comum recursos financeiros (dinheiro); Dinheiro tributos, empréstimos, repasses, leilões; Tributo 2 tipos:

Leia mais

Direito Tributário Limitações ao Poder de Tributar

Direito Tributário Limitações ao Poder de Tributar Direito Tributário Limitações ao Poder de Tributar Sergio Karkache http://sergiokarkache.blogspot.com Limitações Constitucionais ao Poder de Tributar É vedado à União, Estados, Distrito Federal e Municípios

Leia mais

Sistema Tributário Nacional

Sistema Tributário Nacional Sistema Tributário Nacional Considerações Iniciais Direito Direito e Contabilidade como Ciências Ciência das Normas obrigatórias que disciplinam as relações dos homens em sociedade. É o conjunto das normas

Leia mais

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO CONTABILIDADE E Prof. Cássio Marques da Silva 2017 TRIBUTOS Modalidades MODALIDADES DE TRIBUTOS Como vimos tributo seria a receita do Estado, que pode estar ou não vinculada a uma contra-prestação. Entretanto

Leia mais

AULAS DE 20 e 22/10/15

AULAS DE 20 e 22/10/15 AULAS DE 20 e 22/10/15 8. IMPOSTOS EM ESPÉCIE 8.1. Impostos da União d) Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) Art. 153, da CF; art. 46 e seguintes do TN. - Também utilizado com finalidade extrafiscal.

Leia mais

Como a Constituição trata tal imposto:

Como a Constituição trata tal imposto: Como a Constituição trata tal imposto: Art. 155. Compete aos Estados e ao Distrito Federal instituir impostos sobre: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 3, de 1993) (...) II - operações relativas

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MIRACEMA 2014 FISCAL DE TRIBUTOS PROVA OBJETIVA

PREFEITURA MUNICIPAL DE MIRACEMA 2014 FISCAL DE TRIBUTOS PROVA OBJETIVA 1 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o Código Tributário do Município de Miracema (lei nº 1.453, de 26 de setembro de 2013), responda às questões de números 1 a 6. 1) É de competência do município

Leia mais

Questão 01 ESAF/PGFN-Procurador da Fazenda Nacional/2015

Questão 01 ESAF/PGFN-Procurador da Fazenda Nacional/2015 Questão 01 ESAF/PGFN-Procurador da Fazenda Nacional/2015 Sobre a competência tributária prevista no CTN, assinale a opção incorreta. a) Os tributos cuja receita seja distribuída, no todo ou em parte, a

Leia mais

SumáriO Direito tributário...2 O Direito tributário e as demais Ciências Jurídicas...5 O Direito tributário e os Limites ao poder de tributar...

SumáriO Direito tributário...2 O Direito tributário e as demais Ciências Jurídicas...5 O Direito tributário e os Limites ao poder de tributar... sumário Direito Tributário...2 Conceito...2 Polos...2 Receitas Públicas...2 Natureza...3 Exemplos de receitas derivadas...3 Exemplos de receitas originárias...4 O Direito Tributário e o Direito Público...4

Leia mais

SUMÁRIO Direito Tributário...2 O Direito Tributário e as demais ciências jurídicas...5 O Direito Tributário e os Limites ao Poder de Tributar...

SUMÁRIO Direito Tributário...2 O Direito Tributário e as demais ciências jurídicas...5 O Direito Tributário e os Limites ao Poder de Tributar... SUMÁRIO Direito Tributário...2 Conceito...2 Polos...2 Receitas públicas...2 Natureza...3 Exemplos de receitas derivadas...3 Exemplos de receitas originárias...4 O Direito Tributário e o Direito Público...4

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial 21/02/2016 Profa. Silvia Bertani M O M E N T O D E R E F L E X Ã O 21/02/2016 Profa. Silvia Bertani 21/02/2016 Profa. Silvia Bertani Planejamento Tributário atividade

Leia mais

Recife, 19 de julho de Armando Moutinho Perin Advogado

Recife, 19 de julho de Armando Moutinho Perin Advogado Recife, 19 de julho de 2016 Armando Moutinho Perin Advogado Constituição Federal de 1988 Art. 24. Compete à União, aos Estados e ao Distrito Federal legislar concorrentemente sobre: I direito tributário,

Leia mais

Unidade 2 Sistema Tributário Nacional: teoria do tributo e espécies tributárias.

Unidade 2 Sistema Tributário Nacional: teoria do tributo e espécies tributárias. Unidade 2 Sistema Tributário Nacional: teoria do tributo e espécies tributárias. Na aula anterior entendemos o conceito de Tributo, descrito no próprio CTN, em seu artigo 3º: Art. 3 - Tributo é toda prestação

Leia mais

Unidade I Teoria Geral dos Tributos. Capítulo 1 Conceito de Tributo e suas Espécies...3. Capítulo 2 Os Impostos Capítulo 3 As Taxas...

Unidade I Teoria Geral dos Tributos. Capítulo 1 Conceito de Tributo e suas Espécies...3. Capítulo 2 Os Impostos Capítulo 3 As Taxas... S u m á r i o Unidade I Teoria Geral dos Tributos Capítulo 1 Conceito de Tributo e suas Espécies...3 1.1. Conceito de Tributo... 3 1.2. As Espécies Tributárias... 8 Capítulo 2 Os Impostos... 18 2.1. Teoria

Leia mais

TAXAS Art. 145, II e 2º, CF e arts. 77 a 80, CTN

TAXAS Art. 145, II e 2º, CF e arts. 77 a 80, CTN CONCEITO DE INGRESSO PÚBLICO ORIGINÁRIO PRÓPRIO REPARAÇÕES DE GUERRA DEFINIÇÃO DE TRIBUTOS Art. 3, CTN TRIBUTO É TODA PRESTAÇÃO PECUNIÁRIA PENALIDADES COMPULSÓRIA INGRESSO PÚBLICO DERIVADO EM MOEDA OU

Leia mais

CURSO JURÍDICO FMB CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DOS MÓDULOS

CURSO JURÍDICO FMB CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DOS MÓDULOS CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DOS MÓDULOS Sumário DIREITO TRIBUTÁRIO... DIREITO TRIBUTÁRIO PROFS. GUILHERME ADOLFO DOS SANTOS MENDES E DIMAS MONTEIRO DE BARROS MÓDULO I Direito Tributário - Conceito; Tributo -

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO III: IMPOSTOS ESTADUAIS: ICMS

DIREITO TRIBUTÁRIO III: IMPOSTOS ESTADUAIS: ICMS DIREITO TRIBUTÁRIO III: IMPOSTOS ESTADUAIS: ICMS Prof. Thiago Gomes O ICMS E SEUS FUNDAMENTOS LEGAIS Incidente sobre as operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de

Leia mais

Sumário Capítulo 1 Direito tributário Capítulo 2 Espécies de tributo Capítulo 3 Empréstimos compulsórios e contribuições especiais

Sumário Capítulo 1 Direito tributário Capítulo 2 Espécies de tributo Capítulo 3 Empréstimos compulsórios e contribuições especiais Sumário Capítulo 1 Direito tributário... 1 1.1. Direito... 1 1.2. Direito público e direito privado... 1 1.3. Direito tributário... 2 1.4. Direito tributário e os demais ramos do Direito... 4 1.5. Estado...

Leia mais

REFORMA TRIBUTÁRIA: Análise da nova proposta de Governo Federal. FEDERASUL Meeting Jurídico Porto Alegre, 24 de abril de 2008

REFORMA TRIBUTÁRIA: Análise da nova proposta de Governo Federal. FEDERASUL Meeting Jurídico Porto Alegre, 24 de abril de 2008 REFORMA TRIBUTÁRIA: Análise da nova proposta de Governo Federal FEDERASUL Meeting Jurídico Porto Alegre, 24 de abril de 2008 Para que uma Reforma Tributária ria? simplificação do sistema tributário desoneração

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial 1

Planejamento Tributário Empresarial 1 Planejamento Tributário Empresarial 1 Imposto de Renda e proventos de qualquer natureza Do Lucro Arbitrado Pessoa Jurídica Tributada com base no lucro arbitrado Na ocorrência de qualquer das hipóteses

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO. Espécies Tributárias Impostos dos Estados, Municípios e do Distrito Federal. Prof.ª Luciana Batista

DIREITO TRIBUTÁRIO. Espécies Tributárias Impostos dos Estados, Municípios e do Distrito Federal. Prof.ª Luciana Batista DIREITO TRIBUTÁRIO Espécies Tributárias Impostos dos Estados, Municípios e do Distrito Federal Prof.ª Luciana Batista IMPOSTOS DOS ESTADOS/ DISTRITO FEDERAL (art. 155, CF/88). ITCD : transmissão causa

Leia mais

SUMÁRIO. Abreviaturas... 13

SUMÁRIO. Abreviaturas... 13 SUMÁRIO Abreviaturas... 13 Capítulo 1 Tributo: Conceito e Espécies... 15 1. Conceito de tributo... 15 1.1. Prestação pecuniária, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir... 15 1.2. Prestação compulsória...

Leia mais

Tribunais Exercícios Direito Tributário Exercício Rafael Saldanha Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Tribunais Exercícios Direito Tributário Exercício Rafael Saldanha Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Exercícios Direito Tributário Exercício Rafael Saldanha 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. QUESTÃO 01 Um município brasileiro, desconsiderando as regras

Leia mais

MÓDULO 01 DIREITO TRIBUTÁRIO IMPOSTOS DE COMPETÊNCIA DOS ESTADOS EVOLUIR CONCURSOS PLANILHA 04

MÓDULO 01 DIREITO TRIBUTÁRIO IMPOSTOS DE COMPETÊNCIA DOS ESTADOS EVOLUIR CONCURSOS PLANILHA 04 Questão 01 ESAF/AFRFB/2012 Sobre o imposto de transmissão causa mortis e doação, de quaisquer bens ou direitos, de competência dos Estados e do Distrito Federal, assinale a opção incorreta. a) Sua incidência

Leia mais

IMPOSTO SOBRE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS

IMPOSTO SOBRE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS HIPÓTESE DE INCIDÊNCIA Incide sobre produtos industrializados, nacionais ou estrangeiros. Entende-se por industrializado o produto que tenha sido submetido a qualquer operação que lhe modifique a natureza

Leia mais

QUESTÕES ENADE - DIREITO TRIBUTÁRIO

QUESTÕES ENADE - DIREITO TRIBUTÁRIO QUESTÕES ENADE - DIREITO TRIBUTÁRIO QUESTÕES ENADE 2011 1 - Os elementos que o Estado deve ter em mente ao determinar o valor da taxa a ser cobrada do contribuinte (...) devem resultar da intensidade e

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Instituto de Ciências Econômicas e Gerenciais Curso de Ciências Contábeis Direito Tributário

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Instituto de Ciências Econômicas e Gerenciais Curso de Ciências Contábeis Direito Tributário PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Instituto de Ciências Econômicas e Gerenciais Curso de Ciências Contábeis Direito Tributário Petterson Rodrigues Cordeiro Andrade TRABALHO DE DIREITO TRIBUTÁRIO

Leia mais

Tributos aduaneiros. I- Imposto sobre importação de produtos estrangeiros II (art.

Tributos aduaneiros. I- Imposto sobre importação de produtos estrangeiros II (art. Tributos aduaneiros Os tributos sobre o comércio exterior têm natureza predominantemente extrafiscal, ou seja, de interferência no domínio econômico, com importante papel no desempenho das exportações,

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DIREITO DO TRABALHO, TRIBUTÁRIO E EMPRESARIAL PROFESSOR DIEGO ALVES DE OLIVEIRA IFMG CAMPUS OURO PRETO MARÇO DE 2017

INTRODUÇÃO AO DIREITO DO TRABALHO, TRIBUTÁRIO E EMPRESARIAL PROFESSOR DIEGO ALVES DE OLIVEIRA IFMG CAMPUS OURO PRETO MARÇO DE 2017 INTRODUÇÃO AO DIREITO DO TRABALHO, TRIBUTÁRIO E EMPRESARIAL PROFESSOR DIEGO ALVES DE OLIVEIRA IFMG CAMPUS OURO PRETO MARÇO DE 2017 Direito Tributário Conjunto de normas que regulamentam a arrecadação de

Leia mais

SOS OAB Direito Tributário Rafael Saldanha Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

SOS OAB Direito Tributário Rafael Saldanha Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. SOS OAB Direito Tributário Rafael Saldanha 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. QUESTÃO 01 É tributo contraprestacional: (A) a CSLL. (B) o IRPJ. (C) a COFINS. (D)

Leia mais

CAPÍTULO 1 TRIBUTO. CONCEITO E ESPÉCIES...19 CAPÍTULO 2 COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA...21 CAPÍTULO 3 PRINCÍPIOS DO DIREITO TRIBUTÁRIO...

CAPÍTULO 1 TRIBUTO. CONCEITO E ESPÉCIES...19 CAPÍTULO 2 COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA...21 CAPÍTULO 3 PRINCÍPIOS DO DIREITO TRIBUTÁRIO... SUMÁRIO PARTE 1 TEORIA DIREITO MATERIAL CAPÍTULO 1 TRIBUTO. CONCEITO E ESPÉCIES...19 CAPÍTULO 2 COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA...21 2.1 Repartição das receitas tributárias... 23 2.2 Exercício da competência tributária...

Leia mais

VII CONGRESSO MINEIRO DE VEREADORES

VII CONGRESSO MINEIRO DE VEREADORES VII CONGRESSO MINEIRO DE VEREADORES SITUAÇÃO FINANCEIRA DOS MUNICÍPIOS EM FACE DO REEQUILÍBRIO FEDERATIVO Março/2017 Palestrante: Antônio José Calhau de Resende FORMAS DE ESTADO: Estado Federal ou Federação:

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5 CAPÍTULO 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS... 19 1. Breves considerações sobre o direito financeiro... 19 2. Direito tributário. Noção conceptual... 22 2.1. Autonomia do Direito Tributário...

Leia mais

Direito Tributário para o Exame de Ordem

Direito Tributário para o Exame de Ordem Direito Tributário para o Exame de Ordem Introdução, Normas Gerais, Competência Tributária e Imunidade Tributária Sergio Karkache http://sergiokarkache.blogspot.com COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA Competência tributária

Leia mais

tributarioparaconcursos.wordpress.com

tributarioparaconcursos.wordpress.com PROVA COMENTADA DE DIREITO TRIBUTÁRIO PARA PROCURADOR DO MUNICÍPIO DE GOIÂNIA APLICADA EM 13/12/2015 PELO CENTRO DE SELEÇÃO DA UFG QUESTÃO 34 Leia o conceito a seguir. É vedado aos Municípios cobrar tributos

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO. Professor: Mauro Moreira

DIREITO TRIBUTÁRIO. Professor: Mauro Moreira DIREITO TRIBUTÁRIO Professor: Mauro Moreira 1 RACIOCÍNIO JURÍDICO TRIBUTÁRIO CONSTITUIÇÃO -Princípios -Imunidades -Espécies Tributárias - I M P O S T O S T A X A S - C O N T R I B U IÇ Ã O D E M E L H

Leia mais

Exercícios: Princípios e Imunidades Coordenação do material: Emersom Fernandes TV EXAME DE ORDEM

Exercícios: Princípios e Imunidades Coordenação do material: Emersom Fernandes TV EXAME DE ORDEM Exercícios: Princípios e Imunidades Coordenação do material: Emersom Fernandes TV EXAME DE ORDEM 1-Lei catarinense, publicada em 01.12.2008, alterou, de 3% para 4%, a alíquota do IPVA relativo à propriedade

Leia mais

SUMÁRIO. Apresentação, xiii

SUMÁRIO. Apresentação, xiii SUMÁRIO Apresentação, xiii 1 A Contabilidade e a Gestão Tributária, 1 1.1 Introdução, 1 1.2 Os objetivos da atividade de gestão tributária, 1 1.3 Características profissionais exigidas para o cargo de

Leia mais

SUMÁRIO 1 O IMPOSTO SOBRE TRANSMISSÃO DE BENS IMÓVEIS 2 SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E O ITBI 3 DISCRIMINAÇÃO CONSTITUCIONAL DE IMPOSTOS

SUMÁRIO 1 O IMPOSTO SOBRE TRANSMISSÃO DE BENS IMÓVEIS 2 SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E O ITBI 3 DISCRIMINAÇÃO CONSTITUCIONAL DE IMPOSTOS SUMÁRIO 1 O IMPOSTO SOBRE TRANSMISSÃO DE BENS IMÓVEIS 1.1 Evolução histórica 1.2 Na Constituição Federal de 1988: arts. 155, I, e 156, II 2 SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E O ITBI 3 DISCRIMINAÇÃO CONSTITUCIONAL

Leia mais

Receitas Públicas. Entes tributantes, pessoas jurídicas de direito público interno, a União, os Estados-membros, os Municípios e o Distrito Federal.

Receitas Públicas. Entes tributantes, pessoas jurídicas de direito público interno, a União, os Estados-membros, os Municípios e o Distrito Federal. Eduardo Sabbag Resumos gráficos de direito Tributário DIREITO TRIBUTÁRIO Conceito Direito Tributário é o conjunto de normas do Direito Público que regulamenta o comportamento dos particulares na condução

Leia mais

Sumário CAPÍTULO 3 EMPRÉSTIMOS COMPULSÓRIOS E CONTRIBUIÇÕES ESPECIAIS

Sumário CAPÍTULO 3 EMPRÉSTIMOS COMPULSÓRIOS E CONTRIBUIÇÕES ESPECIAIS Sumário CAPÍTULO 1 DIREITO TRIBUTÁRIO 1. Direito 2. Direito público e direito privado 3. Direito tributário 4. Direito tributário e os demais ramos do Direito 5. Estado 6. Receitas do Estado 7. Definição

Leia mais

Direito Tributário. Aula 2: Legislação Tributária e Limitações ao Poder de Tributar

Direito Tributário. Aula 2: Legislação Tributária e Limitações ao Poder de Tributar Direito Tributário Sergio Karkache http://sergiokarkache.blogspot.com Aula 2: Legislação Tributária e Limitações ao Poder de Tributar Legislação Tributária ria (Conceito) A expressão "legislação tributária"

Leia mais

Competência Normas Gerais = LC nº 87/96 Características: Fiscal, Extrafiscal (quando dotado de seletividade), Indireto e Real PROF.

Competência Normas Gerais = LC nº 87/96 Características: Fiscal, Extrafiscal (quando dotado de seletividade), Indireto e Real PROF. ICMS IMPOSTO SOBRE OPERAÇÕES RELATIVAS À CIRCULAÇÃO DE MERCADORIAS E À PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE INTERESTADUAL E INTERMUNICIPAL E DE COMUNICAÇÃO Competência Normas Gerais = LC nº 87/96 Características:

Leia mais

Direito e Legislação. Prof.ª Rosélia Souza

Direito e Legislação. Prof.ª Rosélia Souza Direito e Legislação Prof.ª Rosélia Souza roseliaoliveira@ifsul.edu.br 2 DIREITO TRIBUTÁRIO: CONCEITOS Este ramo do Direito trata do estabelecimento de um conjunto sistematizado de normas para controlar

Leia mais

Profa. Silvia Bertani PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO EMPRESARIAL

Profa. Silvia Bertani PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO EMPRESARIAL Profa. Silvia Bertani PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO EMPRESARIAL Planejamento Tributário Empresarial 1. Princípios gerais de direito 2. O sistema tributário nacional 3. Constituição Federal/1988 (tripartição

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO III: IMPOSTOS MUNICIPAIS

DIREITO TRIBUTÁRIO III: IMPOSTOS MUNICIPAIS DIREITO TRIBUTÁRIO III: IMPOSTOS MUNICIPAIS Prof. Thiago Gomes O IPTU E SEUS FUNDAMENTOS LEGAIS Incidente sobre propriedade predial e territorial urbana. Fundamento Legal: Art. 156, I, CF; Art. 32-34,

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO Definição... 21

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO Definição... 21 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 11 Capítulo I Direito Tributário... 13 1. Definição... 13 2. Relação com outros ramos do direito... 13 3. Fontes do direito tributário... 14 4. Legislação tributária... 20 Capítulo

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO III: IMPOSTOS ESTADUAIS: ITCMD E IPVA. Prof. Thiago Gomes

DIREITO TRIBUTÁRIO III: IMPOSTOS ESTADUAIS: ITCMD E IPVA. Prof. Thiago Gomes DIREITO TRIBUTÁRIO III: IMPOSTOS ESTADUAIS: ITCMD E IPVA Prof. Thiago Gomes IMPOSTO SOBRE A TRANSMISSÃO CAUSA MORTIS E DOAÇÃO O ITCMD E SEUS FUNDAMENTOS LEGAIS Incidente sobre transmissão causa mortis

Leia mais

21/03/2017 LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA ESTADUAL

21/03/2017 LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA ESTADUAL LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA ESTADUAL Profs.: AndréFantoni e Eduardo da Rocha "Imagine uma nova história para sua vida e acredite nela" professorfantoni@yahoo.com.br 1 LEGISLAÇÃO APLICÁVEL: Constituição Federal/88

Leia mais

TRIBUTOS EM ESPÉCIE. Tributos estaduais: ICMS, IPVA, ITCMD

TRIBUTOS EM ESPÉCIE. Tributos estaduais: ICMS, IPVA, ITCMD TRIBUTOS EM ESPÉCIE Tributos estaduais: ICMS, IPVA, ITCMD 1 ICMS (155, II, CF + LC 87/96) Nomen juris: Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços. É tributo indireto, pois o ônus financeiro do

Leia mais

Prof. Dr. Silvio Aparecido Crepaldi www.professorcrepaldi.pro.br Página 1

Prof. Dr. Silvio Aparecido Crepaldi www.professorcrepaldi.pro.br Página 1 PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS TRIBUTÁRIOS Questões de múltipla escolha 01) Do princípio da legalidade tributária decorre a inconstitucionalidade: A. da lei que confere tratamento diferenciado a contribuintes

Leia mais

CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA MÓDULO 2

CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA MÓDULO 2 CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA MÓDULO 2 Índice 1. Impostos incidentes sobre o valor agregado...3 1.1 Fato gerador... 3 1.2 Contribuintes... 4 1.3 Competência... 4 1.4 Princípios constitucionais... 4 1.5 Base

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO. Professor Victor Alves Aula dia 28/03/2017

DIREITO TRIBUTÁRIO. Professor Victor Alves Aula dia 28/03/2017 DIREITO TRIBUTÁRIO Professor Victor Alves Aula dia 28/03/2017 PRINCÍPIO DA LEGALIDADE :Só paga tributo se houver lei. PRINCÍPIO DA NÃO SURPRESA PRINCÍPIO DA SEGURANÇA JURÍDICA PRINCÍPIO DA ANTERIORIDADE

Leia mais

Sumário PARTE 1 TEORIA DIREITO MATERIAL CAPÍTULO 1 TRIBUTO. CONCEITO E ESPÉCIES CAPÍTULO 2 COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA... 19

Sumário PARTE 1 TEORIA DIREITO MATERIAL CAPÍTULO 1 TRIBUTO. CONCEITO E ESPÉCIES CAPÍTULO 2 COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA... 19 Sumário PARTE 1 TEORIA DIREITO MATERIAL CAPÍTULO 1 TRIBUTO. CONCEITO E ESPÉCIES... 17 CAPÍTULO 2 COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA... 19 2.1 Repartição das receitas tributárias... 21 2.2 Exercício da competência

Leia mais

REPARTIÇÃO DE RECEITA TRIBUTÁRIA

REPARTIÇÃO DE RECEITA TRIBUTÁRIA A forma de Estado adotada pela Constituição Federal é a Federação, e esta só estará legitimada se cada ente da Federação gozar de autonomia administrativa e fiscal. Objetiva corrigir os desequilíbrios

Leia mais

PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS TRIBUTÁRIOS

PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS TRIBUTÁRIOS PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS TRIBUTÁRIOS Conjunto de normas que norteiam o ordenamento jurídico tributário não ultrapassar o limite do razoável, tendo em vista que a tributação implica na restrição ao direito

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XXI EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XXI EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL A União, por não ter recursos suficientes para cobrir despesas referentes a investimento público urgente e de relevante interesse nacional, instituiu, por meio da

Leia mais

1. A respeito das limitações constitucionais ao poder de tributar do Sistema Tributário Nacional, analise as afirmativas a seguir.

1. A respeito das limitações constitucionais ao poder de tributar do Sistema Tributário Nacional, analise as afirmativas a seguir. 1. A respeito das limitações constitucionais ao poder de tributar do Sistema Tributário Nacional, analise as afirmativas a seguir. I. Pelo princípio da legalidade somente a Constituição Federal pode criar

Leia mais

JOSIANE MINARDI TRIBUTÁRIO TEORIA E PRÁTICA. revista e atualizada. edição. 1ª e 2ª FASES

JOSIANE MINARDI TRIBUTÁRIO TEORIA E PRÁTICA. revista e atualizada. edição. 1ª e 2ª FASES JOSIANE MINARDI TRIBUTÁRIO TEORIA E PRÁTICA 7 edição revista e atualizada 1ª e 2ª FASES 2017 CAPÍTULO 2 Competência Tributária Os tributos serão inseridos no ordenamento jurídico por meio da competência

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XXI EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XXI EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL A União, por não ter recursos suficientes para cobrir despesas referentes a investimento público urgente e de relevante interesse nacional, instituiu, por meio da

Leia mais

CTN Lei n de 25 de Outubro de 1966 Dispõe sobre o Sistema Tributário Nacional e institui normas gerais de direito tributário aplicáveis à

CTN Lei n de 25 de Outubro de 1966 Dispõe sobre o Sistema Tributário Nacional e institui normas gerais de direito tributário aplicáveis à CTN Lei n 5.172 de 25 de Outubro de 1966 Dispõe sobre o Sistema Tributário Nacional e institui normas gerais de direito tributário aplicáveis à União, Estados e Municípios. Art. 3º Tributo é toda prestação

Leia mais

01) São funções do lançamento em matéria tributária, independente da modalidade adotada para sua realização, exceto:

01) São funções do lançamento em matéria tributária, independente da modalidade adotada para sua realização, exceto: Irapua Beltrao 01) São funções do lançamento em matéria tributária, independente da modalidade adotada para sua realização, exceto: a) atestar a ocorrência do fato gerador b) individualizar o sujeito passivo

Leia mais

Em consonância com o art. 5 e 217 do CTN, e 145, 148 e 149 da CF, são espécies do gênero tributo:

Em consonância com o art. 5 e 217 do CTN, e 145, 148 e 149 da CF, são espécies do gênero tributo: Espécies tributárias Em consonância com o art. 5 e 217 do CTN, e 145, 148 e 149 da CF, são espécies do gênero tributo: os impostos; as taxas; as contribuições de melhoria; os empréstimos compulsórios;

Leia mais

23/07/2014. ICMS Noções Básicas. Apresentação: Fábio Martins Lopes Samyr Qbar

23/07/2014. ICMS Noções Básicas. Apresentação: Fábio Martins Lopes Samyr Qbar 23/07/2014 ICMS Noções Básicas Apresentação: Fábio Martins Lopes Samyr Qbar O que é Tributo? - Art. 3º do CTN Toda prestação pecuniária compulsória em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir que não

Leia mais

PIS/COFINS SOBRE RECEITAS FINANCEIRAS: alcance e inconstitucionalidade do Decreto 8.426/2015

PIS/COFINS SOBRE RECEITAS FINANCEIRAS: alcance e inconstitucionalidade do Decreto 8.426/2015 1 2 PIS/COFINS SOBRE RECEITAS FINANCEIRAS: alcance e inconstitucionalidade do Decreto 8.426/2015 Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil 18 de junho de 2015 1. Introdução 3 Lei 10.637/02 e 10.833/03

Leia mais

IPVA, IPTU, ITBI E ITCMD

IPVA, IPTU, ITBI E ITCMD Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto IPVA, IPTU, ITBI E ASPECTOS CONCEITUAIS Prof. Amaury José Rezende Agenda 1. IPTU 2. ITBI 3. IPVA 4. ICMD

Leia mais

AULA 03. Conteúdo da aula: Tributo; Classificação Qualitativa; Impostos; Conceito.

AULA 03. Conteúdo da aula: Tributo; Classificação Qualitativa; Impostos; Conceito. Turma e Ano: Master A (2015) Matéria / Aula: Direito Tributário / Aula 03 Professor: Vanessa Siqueira Monitora: Evellyn Nobre AULA 03 Conteúdo da aula: Tributo; Classificação Qualitativa; Impostos; Conceito.

Leia mais

Estrutura da Obra Sobre os Autores Apresentação à 7.ª edição Vladimir Passos de Freitas... 17

Estrutura da Obra Sobre os Autores Apresentação à 7.ª edição Vladimir Passos de Freitas... 17 SUMÁRIO Estrutura da Obra... 9 Sobre os Autores... 11 Prefácio à 1. a edição Antônio de Pádua Ribeiro... 15 Apresentação à 7.ª edição Vladimir Passos de Freitas... 17 Apresentação à 6. a edição Vladimir

Leia mais

Novo Sistema Tributário. Síntese da Proposta

Novo Sistema Tributário. Síntese da Proposta 1 SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS (CAE) SUBCOMISSÃO TEMPORÁRIA DA REFORMA TRIBUTÁRIA (CAERT) Relatório Preliminar - Março de 2008 PRESIDENTE: Senador Tasso Jereissati - PSDB - CE VICE-PRESIDENTE:

Leia mais

Direito Tributário. Aula 09. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Direito Tributário. Aula 09. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Direito Tributário Aula 09 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO. Professor Victor Alves Aula dia 14/03/2017

DIREITO TRIBUTÁRIO. Professor Victor Alves Aula dia 14/03/2017 DIREITO TRIBUTÁRIO Professor Victor Alves Aula dia 14/03/2017 Conceito de Tributo: Art. 3º do CTN - Tributo é toda prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir, que não

Leia mais

1ª Fase PROVA OBJETIVA DIREITO DO TRIBUTÁRIO

1ª Fase PROVA OBJETIVA DIREITO DO TRIBUTÁRIO 1ª Fase PROVA OBJETIVA DIREITO DO TRIBUTÁRIO P á g i n a 1 QUESTÃO 1 - Quanto à sujeição passiva tributária, assinale a alternativa correta: A. O sujeito passivo é sempre aquele que pratica um fato signo-presuntivo

Leia mais

Direito Tributário. Aula 10. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Direito Tributário. Aula 10. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Direito Tributário Aula 10 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

SUMÁRIO. Sumário. Considerações preliminares Parte 1 IMPOSTOS MUNICIPAIS

SUMÁRIO. Sumário. Considerações preliminares Parte 1 IMPOSTOS MUNICIPAIS SUMÁRIO Sumário Considerações preliminares... 19 Parte 1 IMPOSTOS MUNICIPAIS Capítulo 1 IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE PREDIAL E TERRITORIAL URBANA (IPTU)... 23 1. Panorama geral da regra matriz de incidência

Leia mais

MANUAL DE DIREITO TRIBUTÁRIO

MANUAL DE DIREITO TRIBUTÁRIO MARCELO ALEXANDRINO Auditor Fiscal da Receita Federal desde 1997, exerce suas atribuições na Divisão de Tributação da Superintendência da Receita Federal, no Rio Grande do Sul. Professor de Direito Tributário

Leia mais

Direito Tributário - Teoria e Exercícios Curso Regular Prof. Marco Aurelio

Direito Tributário - Teoria e Exercícios Curso Regular Prof. Marco Aurelio AULA N 10 Primeiramente, gostaria de reforçar o que escrevi no fórum, houve um problema em relação às respostas do fórum, no entanto todas as observações foram levadas a sério e foram feitas as alterações

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 02 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

Introdução ao direito tributário

Introdução ao direito tributário Capítulo 1 - Introdução ao direito tributário 1.1. Considerações iniciais 17 1.2. Conceito de tributo 19 1.3. Tipos de tributo.. 20 1.3.1. Imposto.... 20 1.3.2. Taxas..25 1.3.2.1. Diferenças entre taxa

Leia mais

Sistema Tributário Nacional

Sistema Tributário Nacional A estrutura de um sistema tributário não se forma pelo lado da receita, mas do gasto público. Forma-se a partir da investigação de quais são os tributos necessários para a satisfação das necessidades coletivas.

Leia mais

Direito Tributário. Aula 06. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Direito Tributário. Aula 06. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Direito Tributário Aula 06 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

Instituições de Direito Profª Doutora Ideli Raimundo Di Tizio p 52

Instituições de Direito Profª Doutora Ideli Raimundo Di Tizio p 52 Instituições de Direito Profª Doutora Ideli Raimundo Di Tizio p 52 ICMS - IMPOSTO SOBRE OPERAÇÕES RELATIVAS A CIRCULAÇÃO DE MERCADORIAS E SOBRE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE INTERESTADUAL E INTERMUNICIPAL

Leia mais

AS MEDIDAS PROVISÓRIAS E OS PRINCÍPIOS DA LEGALIDADE E DA ANTERIORIDADE TRIBUTÁRIA

AS MEDIDAS PROVISÓRIAS E OS PRINCÍPIOS DA LEGALIDADE E DA ANTERIORIDADE TRIBUTÁRIA AS MEDIDAS PROVISÓRIAS E OS PRINCÍPIOS DA LEGALIDADE E DA ANTERIORIDADE TRIBUTÁRIA Sílvia Maria Brito SAMU 1 RESUMO: Este trabalho tem por finalidade definir a medida provisória, discorrer sobre a sua

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO. Princípio da Capacidade Contributiva. Prof.ª Luciana Batista

DIREITO TRIBUTÁRIO. Princípio da Capacidade Contributiva. Prof.ª Luciana Batista DIREITO TRIBUTÁRIO Princípio da Capacidade Contributiva Prof.ª Luciana Batista 145, parágrafo 1º, CF/88: Sempre que possível os impostos terão caráter pessoal e serão graduados segundo a capacidade econômica

Leia mais

ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS NA COMPRA DE ENERGIA NO MERCADO LIVRE. Julho / 2005

ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS NA COMPRA DE ENERGIA NO MERCADO LIVRE. Julho / 2005 ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS NA COMPRA DE ENERGIA NO MERCADO LIVRE Julho / 2005 TRIBUTOS QUE PODERÃO INCIDIR SOBRE A ENERGIA ELÉTRICA Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) Imposto

Leia mais

PONDERAÇÕES TRIBUTÁRIAS ACERCA DO ART. 103, DO CÓDIGO DE NORMAS/MG

PONDERAÇÕES TRIBUTÁRIAS ACERCA DO ART. 103, DO CÓDIGO DE NORMAS/MG PONDERAÇÕES TRIBUTÁRIAS ACERCA DO ART. 103, DO CÓDIGO DE NORMAS/MG KEZIAH ALESSANDRA VIANNA SILVA PINTO REGISTRADORA DE IMÓVEIS DA COMARCA DE BRUMADINHO/MG DOUTORA EM DIREITO PELA PUC/SP MESTRE EM DIREITO

Leia mais

Direito Tributário. Repartição das Receitas Tributárias. Professora Giuliane Torres.

Direito Tributário. Repartição das Receitas Tributárias.  Professora Giuliane Torres. Direito Tributário Repartição das Receitas Tributárias Professora Giuliane Torres www.acasadoconcurseiro.com.br www.estudaquepassa.com.br Direito Tributário REPARTIÇÃO DAS RECEITAS TRIBUTÁRIAS REPASSE

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 06 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

Apresentação da Disciplina

Apresentação da Disciplina DIREITO TRIBUTÁRIO III: APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA, SISTEMAS DE AVALIAÇÃO, INSTRUÇÕES CORRELATAS E NOÇÕES GERAIS DE IMPOSTOS Prof. Thiago Gomes Apresentação da Disciplina 1. IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA

Leia mais

Tropa de Elite Delegado Federal Direito Previdenciário

Tropa de Elite Delegado Federal Direito Previdenciário Tropa de Elite Delegado Federal Direito Previdenciário Seguridade Social André Studart 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Conceito de Seguridade Social Art. 194.

Leia mais

(F) (V) ITBI a. Transmissão, inter vivos, a qualquer título, de propriedade ou domínio útil de bens imóveis. b. Todos os itens estão corretos.

(F) (V) ITBI a. Transmissão, inter vivos, a qualquer título, de propriedade ou domínio útil de bens imóveis. b. Todos os itens estão corretos. Assinale verdadeira ou falsa nas questões sobre o IGF I. O imposto sobre grandes fortunas, de competência da União, pode ser instituído nos termos de lei ordinária, a exemplo do que ocorre, em regra, com

Leia mais

Tributo: Conceito e Espécies

Tributo: Conceito e Espécies Tributo: conceito e espécies CAPÍTULO 1 Tributo: Conceito e Espécies Sumário: 1. Conceito de tributo: 1.1. Prestação pecuniária, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir; 1.2. Prestação compulsória;

Leia mais

IUS RESUMOS. Espécies de Tributos: os impostos. Organizado por: Samille Lima Alves

IUS RESUMOS. Espécies de Tributos: os impostos. Organizado por: Samille Lima Alves Espécies de Tributos: os impostos Organizado por: Samille Lima Alves SUMÁRIO I. ESPÉCIES DE TRIBUTOS: OS IMPOSTOS... 3 1. Classificação dos tributos... 3 2 Tributos por espécies: impostos... 4 2.1... 4

Leia mais

PF1=AJUDA PF2=DETALHA PF3=SAI PF7=RECUA PF8=AVANCA PF12=RETORNA

PF1=AJUDA PF2=DETALHA PF3=SAI PF7=RECUA PF8=AVANCA PF12=RETORNA 06/10/08 21:49 M M17163PO USUARIO : ALEXANDRE PAGINA : 1 PREFIXO DA CONTA : 33390.47 CONTA TITULO SISTEMA 33390.47.00 OBRIGACOES TRIBUTARIAS E CONTRIBUTIVAS 33390.47.01 IMPOSTO S/ PROPRIEDADE TERRITORIAL

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial A Constituição Federal do Brasil Constituição Federal do Brasil de 05 de outubro de 1988: importante carta que trouxe o regime democrático e, com ele, direito e garantias

Leia mais

Porém, esta competência não é plena, pois, encontra limitações na própria Constituição Federal.

Porém, esta competência não é plena, pois, encontra limitações na própria Constituição Federal. Limitações do poder de tributar Como já visto, a competência tributária (competência da União, Estados, Municípios e Distrito Federal em instituir tributos) é matéria regulada pela Constituição Federal.

Leia mais

AULA 07. Conteúdo da aula: Empréstimos Compulsórios; Conceito; Requisitos; Natureza Jurídica.

AULA 07. Conteúdo da aula: Empréstimos Compulsórios; Conceito; Requisitos; Natureza Jurídica. Turma e Ano: Master A (2015) Matéria / Aula: Direito Tributário / Aula 07 Professor: Vanessa Siqueira Monitora: Evellyn Nobre AULA 07 Conteúdo da aula: Empréstimos Compulsórios; Conceito; Requisitos; Natureza

Leia mais

de fato, pertencê-la. Como exemplo, pode-se citar os depósitos e as retenções. CLASSIFICAÇÃO LEGAL DA RECEITA ORÇAMENTÁRIA Em conformidade com o Manua

de fato, pertencê-la. Como exemplo, pode-se citar os depósitos e as retenções. CLASSIFICAÇÃO LEGAL DA RECEITA ORÇAMENTÁRIA Em conformidade com o Manua CONTABILIDADE PÚBLICA AULA 01: ELEMENTOS DE CONTABILIDADE GERAL. ASPECTOS GERAIS DE RECEITA E DESPESA PÚBLICA SUPRIMENTO DE FUNDOS E RESTOS A PAGAR TÓPICO 02: RECEITA PÚBLICA VERSÃO TEXTUAL Definição Receita

Leia mais

Direito Tributário Toque 3 Competência Tributária (3)

Direito Tributário Toque 3 Competência Tributária (3) Olá pessoal! Neste encontro encerraremos a abordagem direta do tema competência tributária. Devido a sua importância no Direito Tributário e sua relação direta com outros assuntos da disciplina, eventualmente

Leia mais