O projecto Potencial C inclui ainda um número limitado de actividades a decorrer fora do país. Objectivos:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O projecto Potencial C inclui ainda um número limitado de actividades a decorrer fora do país. Objectivos:"

Transcrição

1 O projecto Potencial C é uma iniciativa da Agência INOVA e é constituído por um conjunto integrado e abrangente de actividades que, ao longo de 24 meses, procurará estimular a criação de empresas no âmbito das artes cultura e indústrias criativas, agindo sempre de forma complementar aos projectos específicos que têm vindo a ser desenvolvidos nesta área. O projecto Potencial C é assim um programa integrado de disseminação e sistematização de informação, consultoria e apoio, destinado a inspirar e promover mais e melhores projectos empresariais sustentados em sólidas práticas de gestão. O projecto Potencial C tem um âmbito nacional com a excepção da região de Lisboa e Vale do Tejo e focaliza-se essencialmente nas capitais de distrito e em localidades onde se encontram sediadas instituições de ensino superior e outros potenciais parceiros. O projecto Potencial C inclui ainda um número limitado de actividades a decorrer fora do país. Objectivos: 1. Aumentar de forma significativa o número de projectos empresariais desenvolvidos por jovens e mulheres com formação na área das Artes, Cultura e Indústrias Criativas 2. Lançamento sustentado de um conjunto de pequenos negócios, capazes de gerar situações de auto-emprego, ou mesmo de novos empregos e capazes de traduzir uma lógica de boa gestão e de caso demonstrativo 3. Divulgar as redes, informação, projectos e potenciais parceiros capazes de facilitar e incentivar, através da redução dos custos de informação, as iniciativas de empreendedorismo no sector 4. Criar nos agentes do sector uma noção de economia e gestão que conduza a um ambiente mais favorável á criação de riqueza e aumento da sustentabilidade dos projectos desenvolvidos 5. Constituição de novas equipas e de novas formas de trabalho, assentes em noções colaborativas, capazes de reduzir o efeito de atomização existente no sector e servir de caso de estudo e de divulgação 6. Divulgar e permitir o contacto com casos de sucesso a nível europeu, e mesmo em Portugal, que através de uma adequada divulgação e conhecimento incentivem a alterações qualitativas nas práticas de gestão 7. Contribuir para a evolução do estado da arte da gestão das artes e da cultura em Portugal

2 8. Garantir que uma percentagem elevada dos agentes do sector, reconhecem a importância da propriedade intelectual e em especial da propriedade industrial, e os mecanismos da sua defesa. Destinatários. Futuros e actuais empreendedores no sector das Artes, Cultura e Indústrias Criativas, com especial relevância para os jovens e as mulheres;. Indivíduos com ideias ou projectos com potencial empresarial, com especial relevância para os jovens e as mulheres;. Indivíduos a frequentar cursos superiores ou profissionais no âmbito das artes, cultura e indústrias criativas;. Outros profissionais do Sector das Artes, Cultura e Indústrias Criativas;. Outros empreendedores;. Todos os interessados;

3 Actividades Potencial C Número de Acções: 18 Número de Participantes: Ilimitado Duração média das acções: 3 horas 1. Acções de informação sobre empreendedorismo no sector das Artes, Cultura e Indústrias Criativas Descrição da actividade: Acções de informação destinadas a incentivarem o empreendedorismo, através da promoção de casos de sucesso, da divulgação dos programas e entidades de apoio, do alerta para potenciais armadilhas e da necessidade de uma boa preparação em gestão. Dispersão territorial: Todo o teritório nacional, com excepção da região de Lisboa e Vale do Tejo indústrias criativas. Indivíduos com ideias ou projectos com potencial empresarial, com especial relevância para os jovens e as mulheres. Parceiros: Instituições de ensino superior. Entidades do Terceiro Sector 2. Novos empreendedores nas Artes, Cultura e Indústrias Criativas: programa de mentoring Descrição da actividade: Pretende-se estimular e apoiar a criação de empresas. Há que distinguir o apoio a empresas já constituídas daquelas que ainda estarão numa fase da ideia ao projecto. Número de Participantes: 16 (acções individuais) Duração média das acções: 40 horas Mentores: Estas acções são desenvolvidas por indivíduos com experiência reconhecida em projectos similares. Destinatários: Futuros e actuais empreendedores no sector das Artes, Cultura e Indústrias Criativas, com especial relevância para os jovens e as mulheres. Parceiros: Instituições de ensino superior. Entidades do Terceiro Sector, Municípios e Estado.

4 3. Base de dados de projectos de apoio ao empreendedorismo e inovação Descrição da actividade: Desenvolvimento de uma base de dados, a disponibilizar na Internet, de projectos, redes e programas de apoio ao empreendedorismo e inovação no sector das Artes, Cultura e Indústrias Criativas.A base de dados será gratuita e incluirá perfis e notícias sobre cada projecto e deverá ser complementada por uma newsletter regular. O acesso on-line da base de dados deverá ser feito através do sítio da CultDigest, através de um interface de fácil utilização a desenvolver. Dispersão territorial: Nacional Criativas, com especial relevância para os jovens e as mulheres. Todos os interessados. 4. Programa integrado de capacitação de empreendedores Descrição da actividade: Visa dar instrumentos base de empowerment e decisão com a apreensão de mecanismos de gestão básicos necessários ao desenvolvimento e implementação de um plano empresarial. È uma consultoria com componentes de emporwerment e prestação de aconselhamento. O objectivo é promover o desenvolvimento do projecto de cada participante num plano estratégico de negócio. Número de Acções: 4 Número de Participantes: 40 (acções individuais) Duração média das acções: 35 horas/participante (125 horas total) Consultores: Equipas de 4 (dois consultores da Agência INOVA, um (ou dois) consultor da entidade parceira local (se instituição de ensino superior) e eventualmente consultor externo convidado). Destinatários: Futuros e actuais empreendedores no sector das Artes, Cultura e Indústrias Criativas, com especial relevância para os jovens e as mulheres.

5 5. Programa de desenvolvimento em colaborações interdisciplinares práticas de benchmarking Há aqui duas sub-actividades:a) Empresas que aceitam um criativo (ex: laboratórios) para colaborar durante período, como desafio à equipa interna à empresa e ao criativo. Duas situações: Criativo Português para fora; Criativo estrangeiro cá. Objectivos: a.1) Colocar criativo em empresa/laboratório em Portugal: mínimo de 3 criativos em mínimo de 3 entidades portuguesas. a.2.) Conseguir estágios internacionais e proporcioná-los ao INOVart (gerido AICEP /DG Artes do Ministério da Cultura). A agência INOVA colabora aqui ao nível do apoio à divulgação, captação de locais de colocação e disseminação de resultados. b) Projectos de 4 elementos, interdisciplinares, visando a criação de projectos empresariais Número de Acções: 4 Número de Participantes: 16 (4 por acção) -Duração média das acções: 6 meses -Consultores: Equipas de 4 Criativas, com especial relevância para os jovens e as mulheres. Parceiros: Instituições de ensino superior. Entidades do Terceiro Sector, Municípios e Estado.

6 6. Visitas de Estudo/Benchmarking Europa Descrição da actividade: Visitas de Estudo/benchmarking a cidades e regiões europeias de referência: Bruxelas, Lille, Galiza, Dublin, ou outras.cada acção deverá resultar em encontros entre profissionais e na apresentação e visita a casos de sucesso e boas práticas com potencial de transferência e aplicação a realidade portuguesa. Será ainda potenciada a capacidade de colaboração internacional dos participantes. Número de Acções: 4 Número de Participantes: 80 (20 por acção incluindo apoio) Duração média das acções: 5 dias Criativas, com especial relevância para os jovens e as mulheres. Outros profissionais do Sector das Artes, Cultura e Indústrias Criativas. Outros empreendedores. A participação está condicionada à apresentação de um projecto. 7. Serviço de informação sobre propriedade industrial no sector da cultura e criatividade Descrição da actividade: Criação e organização de um serviço de informação (no âmbito do Centro de Competências), complementado por acções de informação destinadas a profissionais e jovens empreendedores com o objectivo de alertar para a necessidade de protecção da propriedade intelectual e industrial no sector das Artes, Cultura e Indústrias Criativas. O serviço de informação ficará sediado no Porto (sede da Agência INOVA) e incluirá componentes de atendimento directo, telefónico e de informação on-line. O serviço irá igualmente produzir e disseminar exemplos de boas práticas e informação relevante através de uma newsletter electrónica e de um programa de 10 acções de sensibilização nas regiões envolvidas. Número de Acções: 10 Número de Participantes: Ilimitado Duração média das acções: 3 horas Oradores: 2 a 3 ( um orador da Agência INOVA, um orador das entidades parceiras e eventualmente da entidade parceira local) Criativas. Todos os interessados.

Descrição do Curso de Verão

Descrição do Curso de Verão Descrição do Curso de Verão Portugal - 1 de 7 - Introdução O BEST Board of European Students of Technology é uma associação sem fins lucrativos, políticos ou religiosos que reúne estudantes de Engenharia,

Leia mais

JOVEM EMPRESÁRIO RURAL

JOVEM EMPRESÁRIO RURAL JOVEM EMPRESÁRIO RURAL URGÊNCIA NACIONAL EM LISTA DE ESPERA - 1- NOTA INTRODUTÓRIA A AJAP lança o desafio do surgimento/reconhecimento da figura Jovem Empresário Rural (JER) numa tentativa de contrariar

Leia mais

CRIATIVIDADE E ECONOMIA INOVAÇÂO E INTERNACIONALIZAÇÃO

CRIATIVIDADE E ECONOMIA INOVAÇÂO E INTERNACIONALIZAÇÃO CRIATIVIDADE E ECONOMIA INOVAÇÂO E INTERNACIONALIZAÇÃO Criatividade e Economia Identificamos 4 pilares complementares que deveriam ter um papel dinamizador para a promoção do empreendedorismo e a articulação

Leia mais

Medida de apoio à inovação

Medida de apoio à inovação Medida de apoio à inovação Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 Maria Pedro Silva Organização: Apoio Institucional: Grupos Crescimento Valor Acrescentado Rentabilidade Económica Inovação Capacitação

Leia mais

BASE CONCEPTUAL DO CONCURSO FOMENTO DO EMPREENDEDORISMO NOS ALUNOS DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS

BASE CONCEPTUAL DO CONCURSO FOMENTO DO EMPREENDEDORISMO NOS ALUNOS DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS BASE CONCEPTUAL DO CONCURSO FOMENTO DO EMPREENDEDORISMO NOS ALUNOS DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS 1. Introdução Na sociedade do conhecimento o desenvolvimento económico é potenciado por empresas de base

Leia mais

Projecto Jovens anos

Projecto Jovens anos Projecto Jovens 18-24 anos Introdução Os jovens 18/24 anos - constituem o grupo etário com maior índice de sinistralidade rodoviária. Na realidade, constituíram entre 2003 e 2007, 16.0% dos mortos e 18.7%

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DOS SISTEMAS INTELIGENTES DE TRANSPORTES PARA A INCLUSÃO SOCIAL

A CONTRIBUIÇÃO DOS SISTEMAS INTELIGENTES DE TRANSPORTES PARA A INCLUSÃO SOCIAL A CONTRIBUIÇÃO DOS SISTEMAS INTELIGENTES DE TRANSPORTES PARA A INCLUSÃO SOCIAL Rui D. Camolino Lisboa, 9 de Julho 2008 1 AGENDA Projecto MATISSE Conclusões do Projecto A Contribuição da Associação ITS

Leia mais

A ALER E O SEU PAPEL NO APOIO À REGULAÇÃO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS

A ALER E O SEU PAPEL NO APOIO À REGULAÇÃO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS A ALER E O SEU PAPEL NO APOIO À REGULAÇÃO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS IX Conferência RELOP 5 de Dezembro de 2016 O QUE É E PARA QUE SERVE A ALER PROMOTORA A ALER é uma associação sem fins lucrativos que tem

Leia mais

Portugal Reinvente o seu Modelo de Negócio com o apoio da WINNING! Financie os seus projetos com as tipologias VALE Projeto Simplificado

Portugal Reinvente o seu Modelo de Negócio com o apoio da WINNING! Financie os seus projetos com as tipologias VALE Projeto Simplificado Portugal 2020 Financie os seus projetos com as tipologias VALE Projeto Simplificado Os apoios previstos são concedidos sob a forma de Incentivo Não Reembolsável até 75%. O limite máximo de despesa elegível

Leia mais

Uma iniciativa da câmara municipal do porto e da fundação da juventude.

Uma iniciativa da câmara municipal do porto e da fundação da juventude. Uma iniciativa da câmara municipal do porto e da fundação da juventude. ÍNDICE NOTA INTRODUTÓRIA PROGRAMA EMPREENDE JOVEM Objetivos Para quem Iniciativas PLATAFORMA EMPREENDEJOVEM MOVE YOUR WAY @ PORTO

Leia mais

ANÚNCIO PARA PARTICIPAÇÃO NO LEVANTAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DA REDE DE INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS

ANÚNCIO PARA PARTICIPAÇÃO NO LEVANTAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DA REDE DE INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS ANÚNCIO PARA PARTICIPAÇÃO NO LEVANTAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DA REDE DE INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS PROCESSO DE MAPEAMENTO DAS INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS NACIONAIS 9 de agosto de 2016 Página 1 de 6 Índice

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE TECNOLOGIAS E CIÊNCIAS REGULAMENTO PRÉMIO DE PROMOÇÃO AO EMPREENDEDORISMO

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE TECNOLOGIAS E CIÊNCIAS REGULAMENTO PRÉMIO DE PROMOÇÃO AO EMPREENDEDORISMO INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE TECNOLOGIAS E CIÊNCIAS REGULAMENTO PRÉMIO DE PROMOÇÃO AO EMPREENDEDORISMO Luanda, Setembro de 2016 ÍNDICE PRÊAMBULO... 2 I. OBJECTIVO... 2 II. CATEGORIA... 2 III. ELEGIBILIDADE...

Leia mais

EMPREENDEDO- RISMO E EMPREGABILIDADE

EMPREENDEDO- RISMO E EMPREGABILIDADE EMPREENDEDO- RISMO E EMPREGABILIDADE Programa de Ocupação de Jovens (POJ) Descrição: Programa que proporciona a jovens experiências iniciais de contacto com o mercado de trabalho facilitando o desenvolvimento

Leia mais

Guia do Formador de Igualdade de Oportunidades e Manual do Participante

Guia do Formador de Igualdade de Oportunidades e Manual do Participante CARACTERIZAÇÃO DO PRODUTO Guia do Formador de Igualdade de Oportunidades e Manual do Participante Produção apoiada pelo Programa Operacional de Emprego, Formação e Desenvolvimento Social (POEFDS), co-financiado

Leia mais

COE COMMUNICATION ON ENGAGEMENT

COE COMMUNICATION ON ENGAGEMENT COE COMMUNICATION ON ENGAGEMENT ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS EMPRESAS DO SETOR PRIVADO DE EMPREGO E DE RECURSOS HUMANOS 1. DECLARAÇÃO DE APOIO CONTÍNUO AO UN GLOBAL COMPACT A APESPE RH- Associação Portuguesa

Leia mais

O POTENCIAL HUMANO PARA de NOVEMBRO 2012

O POTENCIAL HUMANO PARA de NOVEMBRO 2012 O POTENCIAL HUMANO PARA 2013 28 de NOVEMBRO 2012 O POTENCIAL HUMANO PARA 2013 ORIENTAÇÕES ESTRATÉGICAS PARA O FUTURO - CAPITAL HUMANO PARA O CRESCIMENTO E O EMPREGO CONTRIBUTO DO POPH (ANOS 2013 E 2014)

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO entre Junta de Freguesia de Marvila e Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO entre Junta de Freguesia de Marvila e Instituto Superior de Engenharia de Lisboa PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO entre Junta de Freguesia de Marvila e Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Considerando que: 1. A Junta de Freguesia de Marvila (adiante JFM, ou Autarquia) assume como um

Leia mais

Plano de Actividades e Orçamento 2010

Plano de Actividades e Orçamento 2010 Plano de Actividades e Orçamento 2010 1 2 1. Missão A CooLabora é uma cooperativa de consultoria e intervenção social criada em 2008. Tem por missão contribuir para a inovação social no desenvolvimento

Leia mais

Programa de Doutoramento em Gestão, Liderança e Políticas no Sector Agroalimentar

Programa de Doutoramento em Gestão, Liderança e Políticas no Sector Agroalimentar Programa de Doutoramento em Gestão, Liderança e Políticas no Sector Agroalimentar Workshop Colaboração entre Moçambique e Portugal nos Sectores Agrícola, Alimentar e Florestal, Maputo, 2 de Junho 2015

Leia mais

INOVAR PARA CRESCER A MAIA NO CENTRO DA CRIAÇÃO DE EMPREGO

INOVAR PARA CRESCER A MAIA NO CENTRO DA CRIAÇÃO DE EMPREGO INOVAR PARA CRESCER A MAIA NO CENTRO DA CRIAÇÃO DE EMPREGO 1- O Mundo Global e os fenómenos de inserção colectiva O processo de globalização competitiva, o terrorismo religioso, a escassez do petróleo

Leia mais

FÓRUM EMPREGO FEUP. Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto 25 de Novembro Joana Bárbara Silva

FÓRUM EMPREGO FEUP. Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto 25 de Novembro Joana Bárbara Silva FÓRUM EMPREGO FEUP degrau Científico Carreiras pós graduadas nas empresas Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto 25 de Novembro 2005 Joana Bárbara Silva A Adi, em colaboração com a Fundação para

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROJETO ENQUADRAMENTO OBJETIVO CENTRAL ENTIDADES PROMOTORAS PARCEIROS ATIVIDADES E CRONOGRAMA GABINETES DE APOIO À INOVAÇÃO CONTACTOS

APRESENTAÇÃO DO PROJETO ENQUADRAMENTO OBJETIVO CENTRAL ENTIDADES PROMOTORAS PARCEIROS ATIVIDADES E CRONOGRAMA GABINETES DE APOIO À INOVAÇÃO CONTACTOS APRESENTAÇÃO DO PROJETO ENQUADRAMENTO OBJETIVO CENTRAL ENTIDADES PROMOTORAS PARCEIROS ATIVIDADES E CRONOGRAMA GABINETES DE APOIO À INOVAÇÃO CONTACTOS ENQUADRAMENTO NORTE 2020 - Programa Operacional Regional

Leia mais

CONCORRE, VENCE E CONCRETIZA A TUA IDEIA... MAIS DE EM PRÉMIOS

CONCORRE, VENCE E CONCRETIZA A TUA IDEIA... MAIS DE EM PRÉMIOS CONCORRE, VENCE E CONCRETIZA A TUA IDEIA... MAIS DE 50.000 EM PRÉMIOS IEP INNOVATION LAB 2017. APRESENTAÇÂO O IEP INNOVATION LAB 2017 visa promover a inovação tecnológica e a criação de novas técnicas

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO REGIONAL ALENTEJO 2020

PLANO DE ACÇÃO REGIONAL ALENTEJO 2020 FORUM REGIONAL ALENTEJO 2020 DESAFIOS E OPORTUNIDADES PLANO DE ACÇÃO REGIONAL ALENTEJO 2020 COMISSÃO DE COORDENAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO ALENTEJO Joaquim Fialho joaquim.fialho@ccdr-a.gov.pt Vendas

Leia mais

Gabinete de Apoio à Criação de Emprego e Captação de Investimentos

Gabinete de Apoio à Criação de Emprego e Captação de Investimentos Estudo de Caracterização do Tecido Empresarial do Concelho de Almada Observatório sobre Emprego, Empresas e Formação Gabinete de Apoio à Criação de Emprego e Captação de Investimentos 1 O Objecto da presente

Leia mais

REPUBLICAÇÃO DO ANÚNCIO PARA PARTICIPAÇÃO NO LEVANTAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DA REDE DE INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS

REPUBLICAÇÃO DO ANÚNCIO PARA PARTICIPAÇÃO NO LEVANTAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DA REDE DE INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS REPUBLICAÇÃO DO ANÚNCIO PARA PARTICIPAÇÃO NO LEVANTAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DA REDE DE INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS PROCESSO DE MAPEAMENTO DAS INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS NACIONAIS (13 DE OUTUBRO DE 2016)

Leia mais

Paulo Magalhães UC.GCI IVE tempo de sucesso. Curso de Empreendedorismo CE APEU 12. (3ª Edição) Organização

Paulo Magalhães UC.GCI IVE tempo de sucesso. Curso de Empreendedorismo CE APEU 12. (3ª Edição) Organização Paulo Magalhães UC.GCI IVE 2006 tempo de sucesso Curso de Empreendedorismo CE APEU 12 (3ª Edição) Organização CURSO DE EMPREENDEDORISMO Resumo O Curso de Empreendedorismo proposto tem como objectivo apoiar

Leia mais

MENTEE Mentoring, Networking e Formação para Empreendedores Europeus. Quadro de Competências-chave para o Mentoring

MENTEE Mentoring, Networking e Formação para Empreendedores Europeus. Quadro de Competências-chave para o Mentoring MENTEE Mentoring, Networking e Formação para Empreendedores Europeus Proj. nº: 2014-1-PL01-KA202-003383 Quadro de Competências-chave para o Mentoring Maio 2015 Índice 1. Introdução... 3 2. Quadro de Competências-Chave

Leia mais

CONCURSO. Pensar os Afectos Viver em Igualdade

CONCURSO. Pensar os Afectos Viver em Igualdade CONCURSO Pensar os Afectos Viver em Igualdade O concurso Pensar os Afectos Viver em Igualdade pretende premiar produtos e acções de sensibilização produzidos por alunos e alunas dos 1º, 2º e 3º Ciclos

Leia mais

CLUBE DE EMPREGO SOCIOHABITAFUNCHAL PLANO DE ACTIVIDADES

CLUBE DE EMPREGO SOCIOHABITAFUNCHAL PLANO DE ACTIVIDADES PLANO DE ACTIVIDADES 2010 2011 Identificação Entidade: Sociohabitafunchal, E.M Animadora: Célia Dantas Localização: Centro Cívico de Santo António Designação O Clube de Emprego é um serviço promovido pelo

Leia mais

Universidade de Aveiro 2010/02/05

Universidade de Aveiro 2010/02/05 Universidade de Aveiro 2010/02/05 Conteúdo - Apresentação da empresa - Porquê a certificação em NP 4457:2007? - Contexto para a certificação - Processo de implementação - Factores críticos de sucesso visão.c

Leia mais

Case study. Stakeholders internos MOBILIZAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL EMPRESA

Case study. Stakeholders internos MOBILIZAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL EMPRESA Case study 2010 Stakeholders internos MOBILIZAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL EMPRESA O grupo Águas de Portugal (AdP) actua nas áreas de abastecimento de água, saneamento de águas residuais e tratamento

Leia mais

Criação do Próprio Emprego, Negócio ou Empresa. Regulamento. apreender.fundacaoaep.pt

Criação do Próprio Emprego, Negócio ou Empresa. Regulamento. apreender.fundacaoaep.pt Criação do Próprio Emprego, Negócio ou Empresa Regulamento apreender.fundacaoaep.pt 2º Call for Ideas - Criação do Próprio Emprego, Negócio ou Empresa - Regulamento Artigo 1º Âmbito 1. O 2º Call for Ideas

Leia mais

Programa BIP/ZIP 2016

Programa BIP/ZIP 2016 Programa BIP/ZIP 2016 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 051 BOUTIQUE DO BAIRRO Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone:

Leia mais

Rodrigo da Rocha Loures Presidente do CONIC-FIESP. São Paulo,07de Outubrode 2014

Rodrigo da Rocha Loures Presidente do CONIC-FIESP. São Paulo,07de Outubrode 2014 Estratégias para a Inovação e Empreendedorismo Ecossistemas Regionais de Inovação, por meio do Empreendedorismo de Base Tecnológica e empresas Startups de Classe Mundial Visão de Futuro (2022), Competitividade

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO 2007-201 Apresentação da Proposta ÍNDICE 1 O PROBLEMA 2 A ESTRATÉGIA 4 PLANO DE FINANCIAMENTO 1 1 O PROBLEMA Taxa de emprego Emprego em média e alta tecnologia

Leia mais

Guia Metodológico do Utilizador dos

Guia Metodológico do Utilizador dos Guia Metodológico do Utilizador dos Produtos @Risco Projecto desenvolvido por: Co-financiado por: O Projecto @Risco é co financiado pela Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho e é desenvolvido

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS MENTES BRILHANTES PARA O TURISMO MILITAR

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS MENTES BRILHANTES PARA O TURISMO MILITAR REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS MENTES BRILHANTES PARA O TURISMO MILITAR Artigo 1º. Âmbito e Objetivos 1 - O Concurso de ideias Mentes Brilhantes para o Turismo Militar tem como principais objectivos: promover

Leia mais

INSTITUTO DE FORMAÇÃO PARA O COMÉRCIO, TURISMO E SERVIÇOS

INSTITUTO DE FORMAÇÃO PARA O COMÉRCIO, TURISMO E SERVIÇOS INSTITUTO DE FORMAÇÃO PARA O COMÉRCIO, TURISMO E SERVIÇOS ACTO FUNDACIONAL Acordo entre a: Associação Comercial de Braga Comércio, Turismo e Serviços; Casa Santos de Vila Verde; Instituto de Negociação

Leia mais

História das juniores empresas

História das juniores empresas História das juniores empresas A primeira Júnior Empresa surgiu na ESSEC (L'Ecole Empresarial Supérieure des Sciences Economiques et Commerciales de Paris) no ano de 1967, na FRANÇA em PARIS. Os alunos

Leia mais

A principal causa da obesidade infantil advêm de uma alimentação pouco saudável e. vida ao ar livre, ou seja com um estilo de vida menos saudável.

A principal causa da obesidade infantil advêm de uma alimentação pouco saudável e. vida ao ar livre, ou seja com um estilo de vida menos saudável. 5 ao Dia 2008 Enquadramento Mudança de hábitos alimentares das crianças A televisão, os jogos de computador e a internet têm mudado os hábitos das crianças e jovens, tornando-as mais inactivas, com menos

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS, DESENVOLVIMENTO LOCAL E PARCERIAS

DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS, DESENVOLVIMENTO LOCAL E PARCERIAS Lisboa, 10 de Dezembro 2007 DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS, DESENVOLVIMENTO LOCAL E PARCERIAS LIÇÕES DE UMA DÉCADA DE EXPERIMENTAÇÃO Alberto Melo Delegado Regional IEFP, Delegação Regional do Algarve

Leia mais

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A Gestão da Inovação Proposta de Utilização do Guia de Boas Práticas de IDI e das ferramentas desenvolvidas no âmbito da iniciativa DSIE da COTEC para o desenvolvimento do sistema

Leia mais

Local e Data: A GESTÃO DA INOVAÇÃO

Local e Data: A GESTÃO DA INOVAÇÃO A GESTÃO DA INOVAÇÃO Enquadramento: O ambiente no qual hoje actuam as empresas mudou radicalmente: imprevisibilidade, turbulência, mudança, rapidez,..., são constantes do processo de decisão. Num mundo

Leia mais

O Kit da Produtividade componente de valorização da oferta nacional prevista no projecto promovido pela AEP designado Compro o que é Nosso"

O Kit da Produtividade componente de valorização da oferta nacional prevista no projecto promovido pela AEP designado Compro o que é Nosso A elaboração do Kit da Produtividade é uma iniciativa da AEP, em co-produção com o IAPMEI, visando o desenvolvimento de uma campanha de melhoria da competitividade das empresas portuguesas O Kit da Produtividade

Leia mais

REGULAMENTO DO 2º CONCURSO DE IDEIAS DE NEGÓCIO NO ÂMBITO DO PROJETO INCUBAR+LEZIRIA

REGULAMENTO DO 2º CONCURSO DE IDEIAS DE NEGÓCIO NO ÂMBITO DO PROJETO INCUBAR+LEZIRIA REGULAMENTO DO 2º CONCURSO DE IDEIAS DE NEGÓCIO NO ÂMBITO DO PROJETO INCUBAR+LEZIRIA 1. ENQUADRAMENTO 1 a. O projecto INCUBAR+LEZIRIA é uma Ação Coletiva, dinamizada pela NERSANT, INSTITUTO POLITÉCNICO

Leia mais

DESPACHO. ASSUNTO: Regulamento de Candidatura - Programa Leonardo Da Vinci para diplomados ESTeSL

DESPACHO. ASSUNTO: Regulamento de Candidatura - Programa Leonardo Da Vinci para diplomados ESTeSL DESPACHO N.º 29/2013 Data: 2013/06/21 Para conhecimento de: Pessoal Docente, Discente e não Docente ASSUNTO: Regulamento de Candidatura - Programa Leonardo Da Vinci para diplomados ESTeSL 2012-2014. No

Leia mais

Plano de Acção

Plano de Acção - 2 - Nota Prévia A Rede Social afirmou-se ao longo da sua criação como uma medida inovadora e com capacidade de produzir alterações positivas na intervenção social. Esta medida assumiu-se, desde início,

Leia mais

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2015 Refª: 070 Gabinete de Apoio Jovem Futuro + Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA CULTURA E TURISMO INSTITUTO NACIONAL DO TURISMO TERMOS DE REFERÊNCIA

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA CULTURA E TURISMO INSTITUTO NACIONAL DO TURISMO TERMOS DE REFERÊNCIA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA CULTURA E TURISMO INSTITUTO NACIONAL DO TURISMO TERMOS DE REFERÊNCIA Título da Posição: TECNICO DE PROMOÇÃO TURÍSTICA Duração: Local: Instituição: RENOVAÇÃO DEPENDENDO

Leia mais

24 e 25 Março Pátio da Galé Terreiro do Paço

24 e 25 Março Pátio da Galé Terreiro do Paço 24 e 25 Março Pátio da Galé Terreiro do Paço +351 929 145 002 www.fef.com.pt miguel.cordeiro@empreendedor.com Apoio: FEF2017 FEIRA DE EMPREENDEDORISMO E FRANCHISING DE LISBOA O Empreendedor e a Associação

Leia mais

Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança

Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 25 de Abril de 2013 Constituição

Leia mais

APRESENTAÇÃO HUB SEBRAE-SP

APRESENTAÇÃO HUB SEBRAE-SP APRESENTAÇÃO HUB SEBRAE-SP HUB SEBRAE-SP O QUE É HUB? O princípio do HUB vem da informática, sendo um dispositivo com diferentes portas para conexão de pequenos equipamentos de vários tipos. Nessse contexto,

Leia mais

Escola ES/3 Dos Carvalhos Março 2007 Geografia A - 10

Escola ES/3 Dos Carvalhos Março 2007 Geografia A - 10 Análise da notícia Lisboa mais pobre Trabalho Realizado por: Ana Luísa nº2 Maria Elisa nº16 Mariana nº18 Marta Daniela nº19 10ºD 1 Título da Notícia Lisboa mais pobre Data de edição da notícia Setembro

Leia mais

ACELERA + PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DE NOVOS PROJETOS EMPRESARIAIS. Workshops de Trabalho e Capacitação Start-ups e Empreendedores

ACELERA + PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DE NOVOS PROJETOS EMPRESARIAIS. Workshops de Trabalho e Capacitação Start-ups e Empreendedores ACELERA + PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DE NOVOS PROJETOS EMPRESARIAIS Workshops de Trabalho e Capacitação Start-ups e Empreendedores Objetivos Dotar os jovens empreendedores de conhecimentos e competências-base

Leia mais

Rede europeia de apoio à inovação e à internacionalização de empresas: mais inovação, mais internacionalização, mais crescimento

Rede europeia de apoio à inovação e à internacionalização de empresas: mais inovação, mais internacionalização, mais crescimento Rede europeia de apoio à inovação e à internacionalização de empresas: mais inovação, mais internacionalização, mais crescimento Lisboa, 7 Julho 2016 Enterprise Europe Network Lançada em 2008 no âmbito

Leia mais

REGRAS DE EXECUÇÃO DA INICIATIVA NEOTEC. Artigo 1.º. Objecto

REGRAS DE EXECUÇÃO DA INICIATIVA NEOTEC. Artigo 1.º. Objecto REGRAS DE EXECUÇÃO DA INICIATIVA NEOTEC Artigo 1.º Objecto As presentes regras visam definir as condições de acesso e de atribuição de financiamento a projectos no âmbito da Iniciativa NEOTEC, através

Leia mais

Divulgação do Programa Estratégico +E + I. CIM Alto Minho Arcos de Valdevez

Divulgação do Programa Estratégico +E + I. CIM Alto Minho Arcos de Valdevez Divulgação do Programa Estratégico +E + I CIM Alto Minho Arcos de Valdevez 31.01.2013 O Programa +E+I O Empreendedorismo e a inovação são objectivos prioritários para o desenvolvimento e o aumento da competitividade

Leia mais

O PROGRAMA LEONARDO DA VINCI

O PROGRAMA LEONARDO DA VINCI O PROGRAMA LEONARDO DA VINCI Albino Oliveira O que é o Programa Leonardo da Vinci? É um Programa Comunitário de Acção em Matéria de Formação Profissional que agora se encontra na sua segunda fase (01 de

Leia mais

ASSESPRO/SEITAC ITIC. Portugal Sistema de Incentivos

ASSESPRO/SEITAC ITIC. Portugal Sistema de Incentivos ASSESPRO/SEITAC ITIC Portugal 2020 Sistema de Incentivos A Globalseven é uma consultora nacional, cujos principais negócios recaem na prestação de serviços de consultoria em Gestão de Negócios, dando prioridade

Leia mais

CÂMARA HISPANO-PORTUGUESA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA. O seu Aliado no Mercado Ibérico

CÂMARA HISPANO-PORTUGUESA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA. O seu Aliado no Mercado Ibérico CÂMARA HISPANO-PORTUGUESA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA O seu Aliado no Mercado Ibérico A Câmara Hispano Portuguesa de Comércio e Indústria em Espanha (CHP) foi constituída no ano de 1970, como uma organização

Leia mais

Desempregado ou Inactivo? Empreende!

Desempregado ou Inactivo? Empreende! Desempregado ou Inactivo? Empreende! Apoios à criação do próprio emprego ou empresa António Realinho Vice-Presidente da ADRACES ENQUADRAMENTO A ADRACES é a Entidade Gestora do Grupo de Acção Local - GAL

Leia mais

Secção1: Enquadramento Institucional

Secção1: Enquadramento Institucional The Triple Bottom Line Questionário de Investigação no âmbito do projecto: Secção1: Enquadramento Institucional Por favor insira o seu nome Q.1 Título P r i m e i r o N o m e Último Nom e Por favor insira

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO, DO ANO DE 2005

PLANO DE ACÇÃO, DO ANO DE 2005 PLANO DE ACÇÃO, DO ANO DE 2005 O ano de 2005 é o último ano de vigência do I Plano Estratégico para o Desenvolvimento da. Assim sendo, este Plano de Acção constitui, de certa forma, o encerrar de um ciclo

Leia mais

EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL

EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL Desenvolver as condições facilitadoras da criação de emprego, combate ao desemprego e incentivo à iniciativa local referente ao empreendedorismo

Leia mais

O concurso é uma iniciativa da DESTAC em parceria com a DOW Portugal, a SEMA e a Câmara Municipal de Estarreja.

O concurso é uma iniciativa da DESTAC em parceria com a DOW Portugal, a SEMA e a Câmara Municipal de Estarreja. PREÂMBULO O Concurso de Ideias é uma iniciativa promovida pela DESTAC em parceria com a DOW Portugal, a SEMA e a Câmara Municipal de Estarreja, com o objectivo estratégico de promover o Empreendedorismo

Leia mais

TORRES INOV-E /// O que é?

TORRES INOV-E /// O que é? TORRES INOV-E /// O que é? Programa de empreendedorismo orientado para o acolhimento de propostas de negócios assentes em ideias novas, diferenciadoras ou capazes de reinventar negócios já existentes aposta

Leia mais

QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO

QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO Ministério da Economia IAPMEI - Agência para a Competitividade e Inovação, I.P. MISSÃO: Promover a inovação e executar políticas de estímulo ao desenvolvimento empresarial, visando o reforço da competitividade

Leia mais

FORMAÇÃO AGRICULTURA, AMBIENTE E INOVAÇÃO

FORMAÇÃO AGRICULTURA, AMBIENTE E INOVAÇÃO FORMAÇÃO AGRICULTURA, AMBIENTE E INOVAÇÃO PROJECTO RURAL VALUE Desenvolvimento sustentável de sistemas agrícolas extensivos ameaçados Programa Castro Verde Sustentável Centro de Educação Ambiental do Vale

Leia mais

Portugal 2020 Investir no futuro. R&D and Government Incentives

Portugal 2020 Investir no futuro. R&D and Government Incentives Portugal 2020 Investir no futuro R&D and Government Incentives 1 Qualificação e Internacionalização (QI) das Pequenas e Médias Empresas (PME) Síntese Tipologias de projetos Atividades económicas elegíveis

Leia mais

Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em Moçambique (PEPIP )

Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em Moçambique (PEPIP ) REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CONFERENCIA DE INVESTIDORES DO CORREDOR DE NACALA Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em

Leia mais

CLUSTER VIRTUAL DE CRIATIVIDADE EMPRESARIAL CLUSTER VIRTUAL DE CRIATIVIDADE EMPRESARIAL

CLUSTER VIRTUAL DE CRIATIVIDADE EMPRESARIAL CLUSTER VIRTUAL DE CRIATIVIDADE EMPRESARIAL CLUSTER VIRTUAL DE CRIATIVIDADE EMPRESARIAL João Amaro (jamaro@ualg.pt) Faro, 20 de Abril de 2010 O PROJECTO Programa: INTERREG IVB SUDOE PROGRAMA DE COOPERAÇÃO TERRITORIAL (1st CALL) Título: Cluster Virtual

Leia mais

Portugal 2020 Investir no futuro. R&D and Government Incentives

Portugal 2020 Investir no futuro. R&D and Government Incentives Portugal 2020 Investir no futuro R&D and Government Incentives 1 Qualificação e Internacionalização (QI) das Pequenas e Médias Empresas (PME) Síntese Tipologias de projetos Atividades económicas elegíveis

Leia mais

CONCURSO DESIGN TO SALE by CAPITAL EUROPEIA DO MÓVEL

CONCURSO DESIGN TO SALE by CAPITAL EUROPEIA DO MÓVEL CONCURSO DESIGN TO SALE by CAPITAL EUROPEIA DO MÓVEL EMPREENDEDORISMO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE ÍNDICE 1. PREÂMBULO... 2 2. OBJECTIVO DO DESIGN TO SALE by CAPITAL EUROPEIA DO MÓVEL... 4 3. CANDIDATOS... 4

Leia mais

Programa Operacional da Administração Pública (POAP),

Programa Operacional da Administração Pública (POAP), Programa Operacional da Administração Pública (POAP), 2004-2006 Ministério das Finanças e da Administração Pública CONTEÚDO DO DOCUMENTO da Eixo 3 Qualificar para modernizar a do Programa Operacional Emprego,

Leia mais

Calendário Comum de Lançamento de Concursos

Calendário Comum de Lançamento de Concursos Calendário Comum de Lançamento de Concursos Domínio Competitividade e Internacionalização do Portugal 2020 Março de 2015 a Março de 2016 Frederico Mendes & Associados Sociedade de Consultores Lda. Rua

Leia mais

Projecto Inovação. Venture Lounge

Projecto Inovação. Venture Lounge Projecto Inovação Venture Lounge Frequentemente, as pequenas estruturas com conhecimento científico e/ou inovador e com ofertas diferenciadoras têm dificuldade em escalar a sua actividade, em consequência

Leia mais

OBJECTIVOS U.PORTO 2010

OBJECTIVOS U.PORTO 2010 OBJECTIVOS U.PORTO 2010 Durante o ano de 2009 foi publicada ou entrou em vigor vária legislação que introduziu inúmeras alterações às disposições legais que enformam a actividade da U.Porto (LVCR, acreditação

Leia mais

Síntese de Legislação Nacional e Comunitária. 04 de Janeiro de 2012

Síntese de Legislação Nacional e Comunitária. 04 de Janeiro de 2012 LEGISLAÇÃO Síntese de Legislação Nacional e Comunitária de 2012 Legislação Nacional Energias Renováveis Portaria n.º 8/2012 I Série n.º 3, de 4/01 Aprova, no âmbito da política de promoção da utilização

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROJETO

APRESENTAÇÃO DO PROJETO APRESENTAÇÃO DO PROJETO ENQUADRAMENTO OBJETIVO CENTRAL ENTIDADES PROMOTORAS PARCEIROS SETORES ECONÓMICOS ALVO ATIVIDADES E CRONOGRAMA INDICADORES DE RESULTADOS GABINETES DE APOIO À INTERNACIONALIZAÇÃO

Leia mais

Boas vindas O que é o projecto AWARE-P? Objectivo e programa do Seminário e do Curso Materiais para apoio ao curso

Boas vindas O que é o projecto AWARE-P? Objectivo e programa do Seminário e do Curso Materiais para apoio ao curso AWARE-P SEMINÁRIOS E CURSOS DE FORMAÇÃO Gestão Patrimonial de Infra-estruturas de Serviços de Águas 2011 Lisboa, Faro, Évora, Coimbra, Porto Módulo 0 Apresentação Estrutura do módulo Boas vindas O que

Leia mais

Programa de Internacionalização Agronegócios CPLP 2017/18

Programa de Internacionalização Agronegócios CPLP 2017/18 financiamento financiamento qualificação relações relações sector sector seguros comunicação comunicação desenvolvimento desenvolvimento legislação legislação logística keting keting keting keting mercado

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2009

PLANO DE ACTIVIDADES 2009 PLANO DE ACTIVIDADES 2009 0. INTRODUÇÃO De acordo com a estrutura dos planos anteriores, apresenta-se o PLANO DE ACTIVIDADES para o ano 2009, prosseguindo o desenvolvimento dos projectos em curso. 1. OBJECTIVO:

Leia mais

Criar Valor com o Território

Criar Valor com o Território Criar Valor com o Território 4 Valorizar Criar Valor com o Território Os territórios como ativos O VALORIZAR é um programa de valorização económica de territórios, que os vê como ativos de desenvolvimento

Leia mais

Apontar uma estratégia de comunicação ambiental de um projeto escolar de EAS

Apontar uma estratégia de comunicação ambiental de um projeto escolar de EAS Apontar uma estratégia de comunicação ambiental de um projeto escolar de EAS Seminário Agentes de educação ambiental, contributos de participação e cidadania Lisboa 9 de Maio de 2014 Associação Nacional

Leia mais

POCI 2020 PROGRAMA O PERACIONAL

POCI 2020 PROGRAMA O PERACIONAL POCI 2020 PROGRAMA O PERACIONAL PARA A COMP ETITIVIDADE E INTERNACIO NALIZAÇÃO Aveiro, maio de 2014 Prestação de Serviços de Consultoria Empresarial e Formação POCI PROGRAMA OPERACIONAL PARA A COMPETITIVIDADE

Leia mais

21 de Outubro de

21 de Outubro de 21 de Outubro de 2008 1 Conceito e Finalidade Sistema de articulação de diferentes parceiros públicos e privados que tem por objectivos: Criar um ambiente institucional favorável à expansão de um voluntariado

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO Proposta de PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO Entre: Município de Guimarães, primeiro Outorgante, representado pelo Presidente da Câmara Municipal E Escola Profissional Profitecla / Pólo de Guimarães, Pessoa Colectiva,

Leia mais

PROJETOS APOIADOS SISTEMA CACB E PARCEIROS

PROJETOS APOIADOS SISTEMA CACB E PARCEIROS PROJETOS APOIADOS SISTEMA CACB E PARCEIROS AL INVEST 5.0 03 grandes blocos focados no empoderamento feminino: Mentoring para Mulheres AÇÃO FOCO META Desenvolvimento de negócio, mulheres na política e mulheres

Leia mais

CARTA DE ÓBIDOS PACTO PARA A CRIATIVIDADE

CARTA DE ÓBIDOS PACTO PARA A CRIATIVIDADE CARTA DE ÓBIDOS PACTO PARA A CRIATIVIDADE Reuniram-se um conjunto de autarcas de Portugal, Espanha, Hungria, Roménia, Reino Unido e Itália no 1º Encontro de Autarcas para a Criatividade, que teve lugar

Leia mais

PROGRAMA DE ACÇÃO SAÚDE. - Advocacia junto ao Ministério da Saúde para criação de mais centros de testagem voluntária.

PROGRAMA DE ACÇÃO SAÚDE. - Advocacia junto ao Ministério da Saúde para criação de mais centros de testagem voluntária. PROGRAMA DE ACÇÃO A diversidade e complexidade dos assuntos integrados no programa de acção da OMA permitirá obter soluções eficazes nos cuidados primários de saúde, particularmente na saúde reprodutiva

Leia mais

ÁFRICA OCIDENTAL MELHOR CLIMA PARA OS NEGÓCIOS E PARA O INVESTIMENTO NA

ÁFRICA OCIDENTAL MELHOR CLIMA PARA OS NEGÓCIOS E PARA O INVESTIMENTO NA MELHOR CLIMA PARA OS NEGÓCIOS E PARA O INVESTIMENTO NA ÁFRICA OCIDENTAL Fazer com que a integração regional funcione para a população e para o sector privado na África Ocidental Este projecto é financiado

Leia mais

Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social. Programa EaSI. Antonieta Ministro

Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social. Programa EaSI. Antonieta Ministro Programa EaSI É um instrumento de financiamento, a nível europeu, gerido diretamente pela Comissão Europeia, para apoiar o emprego, a política social e a mobilidade profissional em toda a UE Visa contribuir

Leia mais

Sistemas de Incentivos do QREN

Sistemas de Incentivos do QREN Sistemas de Incentivos do QREN Sistemas de Incentivos do QREN 1. Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME 2. Sistema de Incentivos à Inovação 3. Sistema de Incentivos à Investigação

Leia mais

M I N H O R E G I Ã O E U R O P E I A D A G A S T R O N O M I A

M I N H O R E G I Ã O E U R O P E I A D A G A S T R O N O M I A M I N H O R E G I Ã O E U R O P E I A D A G A S T R O N O M I A 2 de março de 2016 16H15 1 1- APRESENTAÇÃO Candidatura submetida pelo Consórcio Minho In ao IGCAT Instituto Internacional de Gastronomia,

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES

RELATÓRIO DE ATIVIDADES RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2016 FEDERAÇÃO DE DOENÇAS RARAS DE PORTUGAL INTRODUÇÃO 2/8 Objectivos Estratégicos A FEDRA definiu para o ano de 2016, no Plano de Actividades que foi apresentado aos sócios, três

Leia mais

ENCONTRO DO EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO SOCIAL

ENCONTRO DO EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO SOCIAL ENCONTRO DO EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO SOCIAL 17 18 de Novembro 2017 Centro de Congressos de Lisboa Junqueira 1 PESO DO SECTOR NA ECONOMIA NACIONAL Fonte: INE, CASES 2013 61.268 5,2% 6% 14.308 Milhões

Leia mais

DESAFIO EMPREENDA UNESP ARARAQUARA

DESAFIO EMPREENDA UNESP ARARAQUARA 1. Introdução. REGULAMENTO DE SUBMISSÃO DE PROJETOS Este material tem como objetivo apresentar o regulamento de submissão de projetos para participação no Desafio Empreenda 2017 UNESP ARARAQUARA. 2. Apresentação.

Leia mais

REGULAMENTO 3º CONCURSO RIBATEJO EMPREENDE REGULAMENTO. 3º Concurso Temático de Ideias de Negócio no âmbito do Projeto RIBATEJO EMPREENDE

REGULAMENTO 3º CONCURSO RIBATEJO EMPREENDE REGULAMENTO. 3º Concurso Temático de Ideias de Negócio no âmbito do Projeto RIBATEJO EMPREENDE REGULAMENTO 3º Concurso Temático de Ideias de Negócio no âmbito do Projeto RIBATEJO EMPREENDE TORRES NOVAS, 29 de setembro de 2017 1 1. ÂMBITO O projeto RIBATEJO EMPREENDE, promovido pela NERSANT e co-financiado

Leia mais