Avaliação Institucional Docentes

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Avaliação Institucional Docentes"

Transcrição

1 Avaliação Institucional Docentes A avaliação é um processo fundamental para a qualidade do trabalho desenvolvido nas Instituições de Ensino Superior. Nesse sentido, a Comissão Própria de Avaliação (CPA) do Instituto Federal Farroupilha propõe um questionário com intuito de coletar opiniões sobre diferentes aspectos relacionados ao Ensino, Pesquisa, Extensão e Gestão. Os resultados desta avaliação servirão para redimensionar nossas ações, por isso, a sua opinião é de fundamental importância. Essa avaliação é obrigatória e está instituída através do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), tornando se importante subsídio junto ao Ministério de Educação. Há 33 perguntas neste questionário MISSÃO E PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL []1. Câmpus * Alegrete Jaguari Júlio de Castilhos Panambi Santa Rosa São Borja Santo Ângelo Santo Augusto São Vicente do Sul 1/17

2 []2. Curso ou eixo tecnológico. Selecione o curso ou eixo tecnológico em que atua neste semestre. Se atuar em mais de um curso e/ou eixo tecnológico, responda um questionário para cada curso e/ou eixo tecnológico. * Bacharelado em Administração Bacharelado em Engenharia Agrícola Bacharelado em Sistemas de informação Bacharelado em Zootecnia Licenciatura em Ciências Biológicas Licenciatura em Computação Licenciatura em Física Licenciatura em Matemática Licenciatura em Química Superior de Tecnologia em Agroindústria Superior de Tecnologia em Agronegócio Superior de Tecnologia em Alimentos Superior de Tecnologia em Análise e desenvolvimento de sistemas Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo Superior de Tecnologia em Gestão Pública Superior de Tecnologia em Irrigação e Drenagem Superior de Tecnologia em Produção de Grãos Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Produção Alimentícia Recursos Naturais Informação e Comunicação Controle e Processos Industriais Gestão e Negócios Infraestrutura Ambiente e Saúde Produção Industrial Turismo, Hospitalidade e Lazer Licenciatura em Educação do Campo Ciências da Natureza Licenciatura em Educação do Campo Ciências Agrárias 2/17

3 []3. Em sua opinião, a missão do Instituto Federal Farroupilha Promover a educação profissional, científica e tecnológica, pública, por meio do ensino, pesquisa e extensão, com foco na formação integral do cidadão e no desenvolvimento sustentável. está sendo cumprida, em quais dos seguintes aspectos? * Todos Por meio do ensino Por meio da pesquisa Por meio da extensão Por meio da inovação tecnológica []4. Você contribui com a implantação das políticas institucionais previstas no PDI? * 3/17

4 ORGANIZAÇÃO E GESTÃO [] 5. Avalie os itens considerando os seguintes critérios: Conceito Descrição 1 existe (m)/não há, não estão relacionadas 2 Insuficiente(s) 3 Suficiente(s) 4 Muito boa(s)/muito bem 5 Excelente(s) Com relação à Gestão Superior do Câmpus (Direção Geral e demais diretorias) * Por favor, escolha a resposta adequada para cada item: a) A eficiência da gestão... b) A democracia da gestão... c) A receptividade dos gestores quanto às demandas é... d) As devolutivas apresentadas pelos gestores quanto às demandas são [] 6. Avalie os itens considerando os seguintes critérios: Conceito Descrição 1 existe (m)/não há, não estão relacionadas 2 Insuficiente(s) 3 Suficiente(s) 4 Muito boa(s)/muito bem 5 Excelente(s) Com relação à Coordenação de Curso e /ou eixo tecnológico: * Por favor, escolha a resposta adequada para cada item: a) A eficiência da gestão... b) A democracia da gestão... c) A receptividade dos gestores quanto às demandas é... d) As devolutivas apresentadas pelos gestores quanto às demandas são /17

5 ENSINO [] 7. Avalie os itens a seguir considerando os seguintes critérios: Conceito Descrição 1 existe (m)/não há, não estão relacionadas 2 Insuficiente(s) 3 Suficiente(s) 4 Muito bom/muito boa/ Muito bem 5 Excelente(s) * Por favor, escolha a resposta adequada para cada item: a) O Projeto Pedagógico do Curso atende às necessidades e às especificidades da região onde está inserido o Câmpus de forma... b) A interdisciplinaridade prevista no PPC do curso ocorre de forma... c) O docente recebe efetivo apoio/suporte dos setores ligados ao ensino de forma... d) O NDE atua quanto à concepção, ao acompanhamento, à consolidação e à avalição do PPC de forma... e) A representatividade a atuação do colegiado do curso quanto ao registro e encaminhamentos das decisões se dá de forma... f) Nos cursos de Pós Graduação de seu Câmpus, a articulação com os eixos existentes no Câmpus ocorre de forma /17

6 PESQUISA E INOVAÇÃO []8. Você desenvolve projetos de pesquisa relacionados ao curso e/ou eixo em que atua? * []9. Se NÃO, por quê? * Só responder essa pergunta sob as seguintes condições: A resposta foi '' na questão '8 [a8]' (8. Você desenvolve projetos de pesquisa relacionados ao curso e/ou eixo em que atua?) Falta de disponibilidade de carga horária Falta de incentivo Falta de infraestrutura e recursos Outros []10. As pesquisas desenvolvidas buscam atender às demandas locais e/ou regionais? * Parcialmente []11. Você submete projetos voltados à inovação tecnológica? * 6/17

7 []12. Se NÃO, por quê? * Só responder essa pergunta sob as seguintes condições: A resposta foi '' na questão '11 [a11]' (11. Você submete projetos voltados à inovação tecnológica?) Falta de disponibilidade de carga horária Falta de incentivo Falta de infraestrutura e recursos Outros 7/17

8 EXTENSÃO []13. Você participa de projetos de extensão? * []14. Se NÃO, por quê? * Só responder essa pergunta sob as seguintes condições: A resposta foi '' na questão '13 [a13]' (13. Você participa de projetos de extensão?) Falta de disponibilidade de carga horária Falta de incentivo Falta de infraestrutura e recursos Outros []15. O curso e/ou eixo tecnológico em que você atua realiza atividades de extensão voltadas para as necessidades da sociedade? * 8/17

9 RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL []16. A Instituição desenvolve ações que estimulem a preservação do meio ambiente? * []17. A Instituição tem atitude ética e de respeito com relação à(s): Por favor, escolha as opções que se aplicam: Diferenças sexuais Étnicas Religiosas Politicas Condição social []18. Você estimula os discentes do curso em que atua a participar em eventos artístico culturais? * 9/17

10 COMUNICAÇÃO COM A SOCIEDADE [] 19. Avalie os itens a seguir considerando os seguintes critérios: Conceito Descrição 1 existe (m)/não há, não estão relacionadas 2 Insuficiente(s) 3 Suficiente(s) 4 Muito bom/muito boa/ Muito bem 5 Excelente(s) * Por favor, escolha a resposta adequada para cada item: a) Os mecanismos de divulgação da instituição na sociedade são... b) A divulgação do curso em que você atua busca identificar se com a formação do egresso de maneira... c) A interação do curso como empresas e/ou instituições da área ocorre de forma /17

11 TÉCNICO ADMINISTRATIVOS Com relação aos Técnico Administrativos que atendem em seu curso: []20. Eles são em número suficiente? * []21. Como você avalia a sua relação com os Técnico Administrativos? * Ótima Boa Regular Ruim Péssima []22. O relacionamento entre docentes e Técnico Administrativos, no seu câmpus, favorece o desenvolvimento das atividades profissionais e acadêmicas? * Parcialmente 11/17

12 POLITICA DE PESSOAL []23. As políticas para a capacitação dos servidores desenvolvidas pelo IF Farroupilha são satisfatórios? * []24. Com relação à sua carreira profissional, você considera que os servidores têm sido atendidos e valorizados? * Parcialmente []25. Qual a sua opinião em relação às políticas voltadas à qualidade de vida do servidor? * existe (m)/não há, não estão relacionadas Insuficiente(s) Suficiente(s) Muito boa(s) Excelente(s) []26. As políticas de incentivo à qualificação (Pós Graduação, Mestrado etc...) dos servidores definidas pelo IF Farroupilha são satisfatórias? * Parcialmente 12/17

13 INFRAESTRUTURA [] 27. Avalie os itens a seguir considerando os seguintes critérios: Conceito Descrição 1 existe (m)/não há, não estão relacionadas 2 Insuficiente(s) 3 Suficiente(s) 4 Muito bom/muito boa/ Muito bem 5 Excelente(s) * Por favor, escolha a resposta adequada para cada item: a) Sala de aula b) Laboratórios c) Infraestrutura da biblioteca d) Acervo da biblioteca e) Limpeza e conservação do Campus f) O serviço de reprografia (Xerox) atende as necessidades g) Serviço de segurança h) Serviços de alimentação i) Quanto à adequação das instalações para pessoas com necessidades especiais j) O serviço de atendimento de saúde /17

14 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO []28. As ações da gestão são baseadas nos resultados da autoavaliação institucional * Parcialmente []29. Como você avalia o retorno das pesquisas de Autoavaliação realizadas em anos anteriores? * Satisfatório Indiferente Insatisfatório participei das pesquisas anteriores []30. Diante das necessidades estabelecidas no planejamento de seu Câmpus, você considera que os recursos orçamentários destinados são satisfatórios? * Parcialmente Comente aqui sua escolha: Utilize a caixa ao lado para justificar sua resposta 14/17

15 POLITICAS DE ATENDIMENTO AOS ESTUDANTES []31. Existe devolutiva das demandas encaminhadas à coordenação de assistência estudantil? * [] 32. Avalie os itens a seguir considerando os seguintes critérios: Conceito Descrição 1 existe (m)/não há, não estão relacionadas 2 Insuficiente(s) 3 Suficiente(s) 4 Muito bom/muito boa/ Muito bem 5 Excelente(s) * Por favor, escolha a resposta adequada para cada item: a) TODOS OS NÚCLEOS b) NEABI (Núcleo de Estudos Afro brasileiros e Indígenas) c) NAPNE (Núcleo de Apoio às Pessoas com Necessidades Educacionais Especiais) d) NPI (Núcleo Pedagógico Integrado) e) NIT (Núcleo de Inovação Tecnológica) f) NDE (Núcleo Docente Estruturante) /17

16 []33. Caso deseje adicionar alguma informação, comentário e/ou sugestão, entre outros, escreva no espaço abaixo. Por favor, coloque sua resposta aqui: 16/17

17 Agradecemos por responder ao questionário da CPA. 03/10/ :58 Enviar questionário Obrigado por ter preenchido o questionário. 17/17

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação 25 de maio de 2016 EIXO 1: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e avaliação Fragilidades Melhorar as reuniões da CPA e reestruturar

Leia mais

E I X O S

E I X O S 0011 0010 1010 1101 0001 0100 1011 5 E I X O S 10 dimensões 5 eixos 8- Planejamento e Avaliação. 1- Missão e Plano de Desenvolvimento Institucional. 0011 3- Responsabilidade 0010 1010 1101 Social 0001

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 NATAL/RN MARÇO/2012

Leia mais

Avaliação do Curso de Engenharia Civil da UTFPR Campus Apucarana por seus Docentes.

Avaliação do Curso de Engenharia Civil da UTFPR Campus Apucarana por seus Docentes. Avaliação do Curso de Engenharia Civil da UTFPR Campus Apucarana por seus Docentes. AVALIAÇÃO DOCENTE DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL O processo de autoavaliação do Curso de Engenharia Civil constitui-se

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL - PRPDI Orientação Geral O Plano de Desenvolvimento Institucional -PDI, elaborado para um período de 5

Leia mais

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO AVALIAÇÃO DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA PERÍODO 2015 TABELA 1 Adesão de docentes e discentes na avaliação 2015

Leia mais

EIXO 1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e Avaliação Institucional* Título da Ação (o que?

EIXO 1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e Avaliação Institucional* Título da Ação (o que? ANEXO 2 PLANO DE AÇÃO COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO CCSH Questão Geral 1.1 Como você percebe a utilização dos resultados da autoavaliação como subsídio à revisão, proposição e implementação das ações

Leia mais

3. Formação Acadêmica. 4. Quais motivos levaram você a escolher as Faculdades INTA como local de trabalho? Mestrado (em andamento): 40 %

3. Formação Acadêmica. 4. Quais motivos levaram você a escolher as Faculdades INTA como local de trabalho? Mestrado (em andamento): 40 % 3. Formação Acadêmica Doutorado (Concluído): 40 % Mestrado (em andamento): 40 % Doutorado (em andamento): 0 % Mestrado (Concluído): 20 % 4. Quais motivos levaram você a escolher as Faculdades INTA como

Leia mais

Cadernos de Avaliação Institucional

Cadernos de Avaliação Institucional CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS DIRETORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO - CPA Cadernos de Avaliação Institucional Engenharia de Minas Araxá Resultado da Avaliação

Leia mais

Avaliação do Curso de Engenharia Civil da UTFPR Campus Apucarana por seus Discentes.

Avaliação do Curso de Engenharia Civil da UTFPR Campus Apucarana por seus Discentes. Avaliação do Curso de Engenharia Civil da UTFPR Campus Apucarana por seus Discentes. AVALIAÇÃO DISCENTE DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL O processo de autoavaliação do Curso de Engenharia Civil constitui-se

Leia mais

ORGANOGRAMA IFTM - REITORIA

ORGANOGRAMA IFTM - REITORIA ORGANOGRAMA IFTM - REITORIA CONSELHO SUPERIOR - Reitoria COLÉGIO DE DIRIGENTES REITOR CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO - CEPE COORDENAÇÃO GERAL DE AUDITORIA INTERNA COORDENAÇÃO DE APOIO AOS SERVIÇOS

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional

Plano de Desenvolvimento Institucional Plano de Desenvolvimento Institucional Âmbito de atuação Missão Visão Elementos Duráveis Princípios Elementos Mutáveis (periodicamente) Análise Ambiental Objetivos Estratégicos Metas Planos de Ação PDI

Leia mais

Cadernos de Avaliação Institucional

Cadernos de Avaliação Institucional CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS DIRETORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO - CPA Cadernos de Avaliação Institucional Administração Resultado da Avaliação do Curso Corpo

Leia mais

Comissão Própria de Avaliação - CPA

Comissão Própria de Avaliação - CPA AVALIAÇÃO DO CEFET-RJ PELOS DISCENTES -2013/2 A avaliação das Instituições de Educação Superior tem caráter formativo e visa o aperfeiçoamento dos agentes da comunidade acadêmica e da Instituição como

Leia mais

Pró Reitoria de Desenvolvimento Institucional - PRODIN. Estrutura Administrativa IFRR

Pró Reitoria de Desenvolvimento Institucional - PRODIN. Estrutura Administrativa IFRR Pró Reitoria de Desenvolvimento Institucional - PRODIN Estrutura Administrativa IFRR REITORIA CONSELHO SUPERIOR COLÉGIO DE DIRIGENTES PROCURADORIA JURÍDICA AUDITORIA INTERNA COMISSÃO PERMANENTE DE PESSOAL

Leia mais

Resolução n 225, de 21 de junho R E S O L V E: Art. 1º - Alterar a redação do parágrafo 2º artigo 12 do Regimento Geral da Universidade:

Resolução n 225, de 21 de junho R E S O L V E: Art. 1º - Alterar a redação do parágrafo 2º artigo 12 do Regimento Geral da Universidade: Resolução n 225, de 21 de junho 2016. Aprova emendas ao Regimento Geral da Universidade, cria setores e dá outras providências. O Conselho Universitário CONSUNI, da Universidade do Planalto Catarinense

Leia mais

Proposta Pedagógica Institucional da UFOB. Comissão de elaboração do Projeto Político Pedagógico da UFOB

Proposta Pedagógica Institucional da UFOB. Comissão de elaboração do Projeto Político Pedagógico da UFOB Proposta Pedagógica Institucional da UFOB Comissão de elaboração do Projeto Político Pedagógico da UFOB UNIVERSIDADE PÚBLICA Instituição social de formação humana e profissional que, por meio de um conjunto

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística RESOLUÇÃO N o 01/2011, DO COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ESTATÍSTICA Regulamenta a composição, as competências

Leia mais

APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2009.1 CORPO DOCENTE 2009.1 Auto-avaliação docente - 2009.1 Pontualidade no início e término das aulas 14,29% 28,57% Compatibilidade

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2014

AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2014 AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2014 Instrumento para avaliação do curso de graduação em Ciências Econômicas por parte dos docentes que nele ministraram alguma disciplina durante o ano letivo

Leia mais

PDI Plano de Desenvolvimento Institucional

PDI Plano de Desenvolvimento Institucional PDI 2015-2019 Plano de Desenvolvimento Institucional CENÁRIO PDI - 2016 METODOLOGIA DE TRABALHO SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO PAINEL DE BORDO DISPONIBILIDADE NO SITE DA UFERSA PRESENCIAL PAINEL DE BORDO

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL- CAL/2009

RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL- CAL/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE ARTES E LETRAS RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL- CAL/2009 SUBCOMISSÃO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CAL Santa Maria, Janeiro de 2010 1 UNIVERSIDADE

Leia mais

NORMATIZAÇÃO PARA FUNCIONAMENTO DO PRONATEC NO IF BAIANO

NORMATIZAÇÃO PARA FUNCIONAMENTO DO PRONATEC NO IF BAIANO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO COMITÊ GESTOR DO PRONATEC NORMATIZAÇÃO PARA FUNCIONAMENTO DO PRONATEC

Leia mais

Avaliação das condições de ensino - UFPE

Avaliação das condições de ensino - UFPE Avaliação das condições de ensino - UFPE Editar este formulário Prezado(a) professor(a), Considerando o ensino como uma das dimensões da docência na universidade (Ensino, pesquisa, extensão, gestão), este

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPIA DE AVALIAÇÃO

RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPIA DE AVALIAÇÃO 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR (IES) Instituto Federal Catarinense - Câmpus Concórdia 1.1 Dados de Identificação e Estrutura Organizacional 1.1.1 Nome/

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2016 NÚCLEO DE SAÚDE

PLANO DE AÇÃO 2016 NÚCLEO DE SAÚDE PLANO DE AÇÃO 2016 NÚCLEO DE SAÚDE 1 FORMULÁRIO 1 - PLANO DE AÇÃO 2016 Durante a discussão da Proposta Orçamentária e Diretrizes para o Plano de Ação 2016 no CONSAD foi recomendado a explicitação dos objetivos

Leia mais

Pró-Reitoria de Graduação. Realidades e Perspectivas

Pró-Reitoria de Graduação. Realidades e Perspectivas Pró-Reitoria de Graduação Realidades e Perspectivas Estrutura Organizacional da PROGRAD GABINETE DA PRÓ-REITORA DE GRADUAÇÃO SECRETARIA DA PRÓ-RETORIA DE GRADUAÇÃO PRÓ-REITORA REGISTRO SIE COORDENADORIA

Leia mais

EDITAL Nº 144/2016, DE 12 DE MAIO DE 2016 Retificação do Edital nº 137/2016 de 10 de maio de 2016

EDITAL Nº 144/2016, DE 12 DE MAIO DE 2016 Retificação do Edital nº 137/2016 de 10 de maio de 2016 EDITAL Nº 144/2016, DE 12 DE MAIO DE 2016 Retificação do Edital nº 137/2016 de 10 de maio de 2016 SELEÇÃO DE PROFESSORES PESQUISADORES DA REDE E-TEC BRASIL DO A REITORA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO,

Leia mais

SEMINÁRIO DE FORMAÇÃO PARA COORDENADORES DE CURSO. Bagé, 1º e 2/fev/2011

SEMINÁRIO DE FORMAÇÃO PARA COORDENADORES DE CURSO. Bagé, 1º e 2/fev/2011 SEMINÁRIO DE FORMAÇÃO PARA COORDENADORES DE CURSO Bagé, 1º e 2/fev/2011 O financiamento da Educação Superior Federal: desafios à gestão dos cursos de graduação Bagé, 1º e 2/fev/2011 Objetivo: evidenciar

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 NATAL/RN MARÇO/2013

Leia mais

UFV/COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA) III CICLO DA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AGOSTO-2011 QUESTIONÁRIO AUTO-AVALIAÇÃO PROFESSORES

UFV/COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA) III CICLO DA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AGOSTO-2011 QUESTIONÁRIO AUTO-AVALIAÇÃO PROFESSORES UFV/COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA) III CICLO DA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - 2009-2010 AGOSTO-2011 QUESTIONÁRIO AUTO-AVALIAÇÃO PROFESSORES A CPA agradece sua participação no processo de Autoavaliação

Leia mais

A extensão e ação comunitária é o canal aberto para a interação do ensino e da pesquisa com a sociedade, estimulando a formação profissional cidadã.

A extensão e ação comunitária é o canal aberto para a interação do ensino e da pesquisa com a sociedade, estimulando a formação profissional cidadã. EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS DE ATIVIDADES DE EXTENSÃO E DE AÇÃO COMUNITÁRIA PARA 2010 A UNIVERSIDADE POTIGUAR, mantida pela APEC - Sociedade Potiguar de Educação e Cultura S.A., com sede em Natal/RN,

Leia mais

Regulamento OUVIDORIA

Regulamento OUVIDORIA Regulamento OUVIDORIA CAPÍTULO I DA OUVIDORIA Art. 1º - A Ouvidoria da Faculdade Paulo Picanço é um elo entre a comunidade acadêmica ou externa e as instâncias administrativas da IES, visando agilizar

Leia mais

Os valores dos insumos da graduação são apresentados por unidade de observação (IES Município Área de Enquadramento).

Os valores dos insumos da graduação são apresentados por unidade de observação (IES Município Área de Enquadramento). LISTAGEM DE INSUMOS A SEREM CONSIDERADOS Período de manifestações: 03/11/2015 até 20/11/2015 Em caso de dúvidas, entre em contato pelo email: daes.indicadores@inep.gov.br Os insumos são apresentados por

Leia mais

RELATO INSTITUCIONAL

RELATO INSTITUCIONAL FACULDADE IEDUCARE - FIED COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA RELATO INSTITUCIONAL 2014-2016 Tianguá-CE Março 2016 1 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA RELATO INSTITUCIONAL 2014-2016 Tianguá-CE Março 2016

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DE DIAMANTINO. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses.

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DE DIAMANTINO. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses. FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DE DIAMANTINO 3.1.1.1. Organização Didático-Pedagógica (3) (4) (5) previsão de alunos por turma em disciplina teórica de, no máximo, 80. relação aluno por docente,

Leia mais

FACULDADE DE INHUMAS REGULAMENTO DA OUVIDORIA DA FACULDADE DE INHUMAS CAPÍTULO I DA OUVIDORIA

FACULDADE DE INHUMAS REGULAMENTO DA OUVIDORIA DA FACULDADE DE INHUMAS CAPÍTULO I DA OUVIDORIA REGULAMENTO DA OUVIDORIA DA FACULDADE DE INHUMAS CAPÍTULO I DA OUVIDORIA A ouvidoria é um serviço especial de comunicação interna e externa com identificação ou anonimamente, que tem o fim de ouvir e receber

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FATEC PINDAMONHANGABA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FATEC PINDAMONHANGABA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FATEC PINDAMONHANGABA 1. INTRODUÇÃO O objetivo de presente regulamento é estabelecer as normas e os procedimentos gerais do programa de iniciação científica-tecnológica

Leia mais

ENADE PARTE INTEGRANTE DO PROCESSO AVALIATIVO DE CURSOS E IES. Gustavo Monteiro Fagundes

ENADE PARTE INTEGRANTE DO PROCESSO AVALIATIVO DE CURSOS E IES. Gustavo Monteiro Fagundes ENADE PARTE INTEGRANTE DO PROCESSO AVALIATIVO DE CURSOS E IES Gustavo Monteiro Fagundes FONTES LEGAIS Lei do SINAES (Lei n. 10.861/2004): Objetivo SINAES: Assegurar processo nacional de avaliação das IES,

Leia mais

Indicadores de Qualidade da Educação Superior. Brasília-DF Agosto 2015

Indicadores de Qualidade da Educação Superior. Brasília-DF Agosto 2015 Indicadores de Qualidade da Educação Superior Brasília-DF Agosto 2015 Sobre o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES MARCOS LEGAIS da AVALIAÇÃO da EDUCAÇÃO SUPERIOR Constituição Federal

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011

RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011 COMISSÃO PROPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011 São Luis- MA 2011 1 RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA - 2011 Programa de sensibilização de discente, coordenadores

Leia mais

Art. 1º Aprovar, em extrato, o Instrumento de Avaliação para Reconhecimento de Cursos Superiores de Tecnologia, anexo a esta Portaria.

Art. 1º Aprovar, em extrato, o Instrumento de Avaliação para Reconhecimento de Cursos Superiores de Tecnologia, anexo a esta Portaria. SIC 01/09 Belo Horizonte, 06 de janeiro de 2009. RECONHECIMENTO. CURSOS DE TECNOLOGIA, BACHARE- LADO E LICENCIATURA, E DIREITO. INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO PORTARIAS Nºs 1, 2 E 3, PUBLICADAS DIA 06/01/09

Leia mais

Prezados colegas, servidores docentes e técnicoadministrativos

Prezados colegas, servidores docentes e técnicoadministrativos Prezados colegas, servidores docentes e técnicoadministrativos em educação; Queridos alunos e alunas; De forma especial, me dirijo aos novos alunos e alunas que iniciam, em 2015, suas trajetórias como

Leia mais

RELATÓRIO DA AUTO AVALIAÇÃO CICLO 8

RELATÓRIO DA AUTO AVALIAÇÃO CICLO 8 Instituto Paulista de Ensino FIPEN CPA - Comissão Própria de Avaliação RELATÓRIO DA AUTO AVALIAÇÃO CICLO 8 Dezembro/2014 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 4 A O PROCESSO DE AUTO AVALIACÃO... 6 B - DIMENSÕES... 7 1.

Leia mais

O credenciamento e o recredenciamento de Centros Universitários e. ABMES, Brasília julho/2010

O credenciamento e o recredenciamento de Centros Universitários e. ABMES, Brasília julho/2010 O credenciamento e o recredenciamento de Centros Universitários e Universidades ABMES, Brasília julho/2010 O credenciamento e o recredenciamento de Centros Universitários e Universidades Paulo M. V. B.

Leia mais

Avaliação da Educação Superior

Avaliação da Educação Superior CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA Avaliação da Educação Superior Profa. Dra. Luciane Torezan Viegas luciane.viegas@metodistadosul.edu.br AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO EXTERNA: Coordenadoria de Avaliação

Leia mais

ENADE Relatório da IES INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE MOSSORÓ

ENADE Relatório da IES INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE MOSSORÓ ENADE 2011 Relatório da IES G Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE MOSSORÓ O V E R N O F E D E R A L PAÍS RICO

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO NAI ANO LETIVO DE 2009

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO NAI ANO LETIVO DE 2009 UNIVERSIDADE DANTA CECÍLIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - NÚCLEO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL É preciso avaliar para mudar RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO ANO LETIVO DE 2009 PERÍODO FEVEREIRO

Leia mais

Condições gerais da Biblioteca de Dianópolis

Condições gerais da Biblioteca de Dianópolis CÂMPUS DIANÓPOLIS UNITINS SUDESTE A avaliação interna da Unitins destacou como principais problemas identificados pelos discentes, docentes e técnicos administrativos, nas instalações físicas da universidade:

Leia mais

MINUTA REGULAMENTO- DIRETRIZES OPERACIONAIS PARA INCLUSÃO DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS PRESENCIAIS DO IFG

MINUTA REGULAMENTO- DIRETRIZES OPERACIONAIS PARA INCLUSÃO DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS PRESENCIAIS DO IFG MINUTA REGULAMENTO- DIRETRIZES OPERACIONAIS PARA INCLUSÃO DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS PRESENCIAIS DO IFG CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

FACULDADE DE MAUÁ FAMA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO - BACHAREL EM SERVIÇO SOCIAL

FACULDADE DE MAUÁ FAMA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO - BACHAREL EM SERVIÇO SOCIAL FACULDADE DE MAUÁ FAMA CURSO BACHAREL EM SERVIÇO SOCIAL MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO - BACHAREL EM SERVIÇO SOCIAL MAUÁ, 2013/2014/2015 0 1 ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades complementares,

Leia mais

REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS

REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS Art 1º. A Extensão Acadêmica se constitui em uma prática permanente de interação universidade-sociedade, articulada ao ensino

Leia mais

ORIENTAÇÕES AVALIAÇÃO DA EQUIPE PRONATEC

ORIENTAÇÕES AVALIAÇÃO DA EQUIPE PRONATEC MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO- PRONATEC

Leia mais

Assessoria de Comunicação Social - ASCOM

Assessoria de Comunicação Social - ASCOM UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Assessoria de Comunicação Social - ASCOM Petrolina - PE Julho de 2016 2ª Versão Apresentação A Assessoria de Comunicação Social (Ascom) da Univasf tem como

Leia mais

A ATUALIDADE DO PLANO ORIENTADOR DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Timothy Mulholland

A ATUALIDADE DO PLANO ORIENTADOR DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Timothy Mulholland A ATUALIDADE DO PLANO ORIENTADOR DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Timothy Mulholland O Plano Orientador de Anísio Teixeira e Darcy Ribeiro e o início da Universidade de Brasília 1962 Universidade de Brasília

Leia mais

Orientações para Construção do Projeto Político Pedagógico. Lílian Lessa Andrade Lino

Orientações para Construção do Projeto Político Pedagógico. Lílian Lessa Andrade Lino Orientações para Construção do Projeto Político Pedagógico Lílian Lessa Andrade Lino Objetivos Discutir os objetivos do Projeto Político Pedagógico do Curso (PPC) baseado nas Diretrizes Curriculares do

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DOS GRUPOS DE TRABALHO

CONTRIBUIÇÕES DOS GRUPOS DE TRABALHO Luci Ferreira Ribeiro Ciências Biológicas Janes Lavoratti Geografia Elisabete Serviço social Renata Moreira Psicologia Ana Angélica dos Santos Letras (Frances) Claudemir Teixeira Pedagogia Eick Rojas Economia

Leia mais

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Formação de Professores para a Educação Básica DEB PIBID 2016/2017

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Formação de Professores para a Educação Básica DEB PIBID 2016/2017 Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Formação de Professores para a Educação Básica DEB PIBID 2016/2017 2016 OBJETIVO DO PIBID O Programa Institucional de Iniciação

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO DE SERVIÇO SOCIAL ACERCA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS E DO CURSO DE BACHARELADO EM SERVIÇO SOCIAL

PERCEPÇÃO DOS ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO DE SERVIÇO SOCIAL ACERCA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS E DO CURSO DE BACHARELADO EM SERVIÇO SOCIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL GOIÁS CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PERCEPÇÃO DOS ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO DE SERVIÇO SOCIAL ACERCA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS E DO CURSO DE BACHARELADO EM SERVIÇO

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA 2015

CHAMADA PÚBLICA 2015 EDITAL 37 CHAMADA PÚBLICA 2015 PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS TÉCNICOS COM FINALIDADE DIDÁTICO-PEDAGÓGICA EM CURSOS REGULARES NO 1/7 EXECUÇÃO: OUTUBRO/2015 A JUNHO/2016. A Reitora do

Leia mais

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES ENGENHARIA AMBIENTAL EAD

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES ENGENHARIA AMBIENTAL EAD RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES ENGENHARIA AMBIENTAL EAD Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Engenharia Ambiental - Campus EAD INDICADOR Curso* Campus EAD* ÍNDICE DE AVALIAÇÃO

Leia mais

Pesquisa Mestrado Alunos Regulares/Disciplinas Isoladas 2015/ º semestre de Garantias Penais Processuais da Cidadania

Pesquisa Mestrado Alunos Regulares/Disciplinas Isoladas 2015/ º semestre de Garantias Penais Processuais da Cidadania Pesquisa Mestrado Alunos Regulares/Disciplinas Isoladas 215/217 1º semestre de 215 Garantias Penais Processuais da Cidadania 1 Análise dos dados Pesquisa Mestrado Alunos Regulares/Disciplinas Isoladas

Leia mais

Realidade e perspectivas do ENADE

Realidade e perspectivas do ENADE Avaliação de cursos de Graduação em Ciência Contábeis: Realidade e perspectivas do ENADE Profa. Dra. Marion Creutzberg Coordenadora da Comissão Própria de Avaliação (CPA/PUCRS) Tópicos Coordenador x avaliação

Leia mais

LDB Lei de Diretrizes e Bases

LDB Lei de Diretrizes e Bases PEDAGOGIA LDB Lei de Diretrizes e Bases Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional O pedagogo estuda as teorias da ciência da educação e do ensino É

Leia mais

FACULDADE SALESIANA DE SANTA TERESA FSST AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 CORUMBÁ MS 2013

FACULDADE SALESIANA DE SANTA TERESA FSST AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 CORUMBÁ MS 2013 1 FACULDADE SALESIANA DE SANTA TERESA FSST AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 CORUMBÁ MS 2013 2 SUMÁRIO 1. FACULDADE SALESIANA DE SANTA TERESA FSST... 03 2. A COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA / 2011... 04 2.1

Leia mais

3 Cronograma de Implantação e Desenvolvimento da Instituição

3 Cronograma de Implantação e Desenvolvimento da Instituição 3 Cronograma de e Desenvolvimento da Instituição e dos Cursos Observação: As Instituições deverão apresentar dados relativos ao número de vagas, dimensões das turmas, turno de funcionamento e regime de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 012 DE 06 DE DEZEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº. 012 DE 06 DE DEZEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº. 012 DE 06 DE DEZEMBRO DE 2013 AVALIAÇÃO PERIÓDICA DE DESEMPENHO APD (ANEXO I) Este formulário destina-se à avaliação periódica dos servidores Assistente e Técnico-administrativo estáveis,

Leia mais

NADIME Núcleo de Apoio Didático e Metodológico. RELATÓRIO GERAL DAS ATIVIDADES DE e INÍCIO DE

NADIME Núcleo de Apoio Didático e Metodológico. RELATÓRIO GERAL DAS ATIVIDADES DE e INÍCIO DE RELATÓRIO GERAL DAS ATIVIDADES DE 2010.2 e INÍCIO DE 2011.1 DATA ATIVIDADE ENCAMINHAMENTOS / OBSERVAÇÕES 05.08.10 Acompanhamento da visita de reconhecimento do MEC no curso de Sistemas de Informação. Nas

Leia mais

2.1. Subcoordenador Técnico Operacional (Código STO) 1 vaga Atribuições:

2.1. Subcoordenador Técnico Operacional (Código STO) 1 vaga Atribuições: PRORROGAÇÃO DO EDITAL PARA SELEÇÃO DE BOLSISTAS PROJETO CVDS Manaus, 24 de Novembro de 2014. 1. CONTEXTUALIZAÇÃO O Centro Vocacional para o Desenvolvimento Sustentável (CVDS), trata-se de um projeto piloto

Leia mais

NUPLAN Núcleo de Planejamento

NUPLAN Núcleo de Planejamento NUPLAN Núcleo de Planejamento PRINCIPAIS FUNÇÕES Planejamento Orçamentário Alocação dos recursos financeiros disponibilizados pela Diplan, em categorias de despesas e em setores/projetos do CPqLMD. Planejamento

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2º Semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2º Semestre EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: PRODUÇÃO ALIMENTÍCIA CURSO: Curso Técnico em Agroindústria FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( )

Leia mais

DADOS SOBRE DOCENTES.

DADOS SOBRE DOCENTES. . DADOS SOBRE DOCENTES. Legenda utilizada: AR- Arquitetura EP- Engenharia de Produção GA- Gestão Ambiental RH- Recursos Humanos GH- Gestão Hospitalar RD- Radiologia SS- Serviço Social BI- Biomedicina EC-

Leia mais

CRONOGRAMA CARGOS, VAGAS E FUNÇÕES. MONTES CLAROS

CRONOGRAMA CARGOS, VAGAS E FUNÇÕES. MONTES CLAROS Atividade CRONOGRAMA Período Divulgação no Site 24/07/2016 Prazo para cadastro de currículos 24 à 31/07/2016 Publicação da relação de candidatos habilitados para realização da prova Até 05/08/2016 Aplicação

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR. Matriz Curricular

ESTRUTURA CURRICULAR. Matriz Curricular ESTRUTURA CURRICULAR A estrutura apresentada na organização curricular do Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas fundamenta-se e obedece ao disposto na Lei nº 9.394, de 20

Leia mais

CPA. Comissão Própria de Avaliação

CPA. Comissão Própria de Avaliação CPA Comissão Própria de Avaliação CPA O espelho da instituição A Avaliação reflete os sentidos, sentimentos e percepções. A consciência é requisito básico para garantir a veracidade do diagnóstico. CPA

Leia mais

Idéias sobre o dimensionamento de pessoal

Idéias sobre o dimensionamento de pessoal Idéias sobre o dimensionamento de pessoal Tônia Duarte da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Sul O processo de dimensionamento é um instrumento de gestão que se caracteriza como processo diagnóstico

Leia mais

XVII SEPEX SEMANA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

XVII SEPEX SEMANA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO XVII SEPEX SEMANA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO EDITAL DE CHAMADA DE TRABALHOS 1 APRESENTAÇÃO - A Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo promoverá, entre os dias 08 a 09 de dezembro de 2015, a

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA

PROGRAMA DE MONITORIA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO VICENTE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL PROGRAMA DE MONITORIA Agosto/2010 2 1. O QUE É MONITORIA A Monitoria é a modalidade de ensino-aprendizagem,

Leia mais

PAE: monitoria ou estágio supervisionado em docência?

PAE: monitoria ou estágio supervisionado em docência? PAE: monitoria ou estágio supervisionado em docência? Professora Beatriz Appezzato da Glória Representante do campus Luiz de Queiroz na Comissão Central do PAE _ 1993, por iniciativa da Professora Myriam

Leia mais

Padrão de Vencimento. João Pessoa, de maio de Cargo

Padrão de Vencimento. João Pessoa, de maio de Cargo INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA FICHA DE INSCRIÇÃO Curso: Excelência na Prestação de Serviços na Administração Pública Módulo I Excelência no Relacionamento e Atendimento

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Produção Alimentícia Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Alimentos FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Relatório de Autoavaliação Institucional

Relatório de Autoavaliação Institucional Relatório de Autoavaliação Institucional Ano base 11-1 Serra Setembro de 11 Direção Prof. Maria Angela Loyola de Oliveira Coordenações Sistemas de Informação: André Ribeiro da Silva Administração: Márcio

Leia mais

RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE, CURSO E COORDENADOR DE CURSO GRADUAÇÃO PRESENCIAL REGIME QUADRIMESTRAL

RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE, CURSO E COORDENADOR DE CURSO GRADUAÇÃO PRESENCIAL REGIME QUADRIMESTRAL RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE, CURSO E COORDENADOR DE CURSO GRADUAÇÃO PRESENCIAL REGIME QUADRIMESTRAL MÓDULO B 2015 CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL UNINTER COMISSÃO PRÓPRIA DE

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR - LICENCIATURA EM PEDAGOGIA

MATRIZ CURRICULAR - LICENCIATURA EM PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR - LICENCIATURA EM PEDAGOGIA 1 a FASE CÓD DISCIPLINAS EIXO C/H Créditos Filosofia da I Epistemologia Introdução à Ciência Epistemologia Científica educativa Português Comunicação e expressão

Leia mais

Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória

Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Brasília/DF, jun. 2015

Leia mais

Anexo II QUADRO DE CURSOS AFINS

Anexo II QUADRO DE CURSOS AFINS Anexo II QUADRO DE CURSOS AFINS Campus Universitário de Cuiabá Bacharelados em: Direito; Filosofia; Sociologia; Antropologia; História; Geografia; Ciências Sociais; Ciências FILOSOFIA - Políticas; Teologia;

Leia mais

POR DENTRO DO ENADE. Procuradoria Educacional Institucional Pró-Reitoria de Ensino IFG

POR DENTRO DO ENADE. Procuradoria Educacional Institucional Pró-Reitoria de Ensino IFG POR DENTRO DO ENADE Procuradoria Educacional Institucional Pró-Reitoria de Ensino IFG O QUE É O ENADE? O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE) é um dos instrumentos de avaliação institucional

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CEFET-MG. Diretor-Geral Prof. Flávio Antônio dos Santos

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CEFET-MG. Diretor-Geral Prof. Flávio Antônio dos Santos CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CEFET-MG Diretor-Geral Prof. Flávio Antônio dos Santos Vice-Diretora Profª. Maria Inês Gariglio Diretora de Graduação Profª. Suzana Lanna Burnier

Leia mais

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE)

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE) Identidade Organizacional - Acesso à informação - IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos R O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é uma autarquia

Leia mais

Estrutura Organizacional da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

Estrutura Organizacional da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo Estrutura Organizacional da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo Estrutura Básica - SEE GABINETE DO SECRETÁRIO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO - CEE FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO -

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO

PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE AVALIAÇÃO E INFORMAÇÕES DEAVI PROGRAMA DE AVALIAÇÃO INTERNA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIFAP Macapá/AP Maio/2015 1. Apresentação A proposta de autoavaliação

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: PRODUÇÃO ALIMENTÍCIA CURSO: Curso Técnico em Agroindústria FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( )

Leia mais

RELATÓRIO DE PARTICIPAÇÃO NA AVALIAÇÃO DOCENTE 1/2016 CURSOS PRESENCIAIS E EAD DE GRADUAÇÃO

RELATÓRIO DE PARTICIPAÇÃO NA AVALIAÇÃO DOCENTE 1/2016 CURSOS PRESENCIAIS E EAD DE GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE PARTICIPAÇÃO NA AVALIAÇÃO DOCENTE 1/2016 CURSOS PRESENCIAIS E EAD DE GRADUAÇÃO Equipe Técnica: COPLAI Marcia Helena do Nascimento

Leia mais

11. Demonstrativo de Capacidade e Sustentabilidade Financeira

11. Demonstrativo de Capacidade e Sustentabilidade Financeira 11. Demonstrativo de Capacidade e Sustentabilidade Financeira 188 PDI 2015-2019 11.1 Planejamento orçamentário e financeiro O Orçamento Público, em sentido amplo, é um documento legal (aprovado por lei)

Leia mais

DIRETORIA DE PESQUISAS SO- 1 Diretor 101.5

DIRETORIA DE PESQUISAS SO- 1 Diretor 101.5 1 ANEXO I REMANEJAMENTO DE CARGOS CÓDIGO DA FUNDAJ p/ a SEGES DA SEGES p/o MEC DA SEGES p/o FNDE DAS- (a) (b) (c) UNITÁRIO QTDE VA L O R QTDE VA L O R QTDE VA L O R TO TA L TO TA L TO TA L DAS 101.4 3,23

Leia mais

Avaliação da Educação a Distância

Avaliação da Educação a Distância I Fórum Especial EAD UFRGS Avaliação da Educação a Distância Equipe do Projeto: Profª. Drª. Cláudia Medianeira Cruz Rodrigues (Coord.)/DEPROT Prof. Dr. José Luis Duarte Ribeiro/ DEPROT Profª. Drª. Denise

Leia mais

Fundação Darcy Ribeiro

Fundação Darcy Ribeiro I Fundação Darcy Ribeiro ATUAÇÃO DOS EDUCADORES PONTOS ESSENCIAIS DA PROPOSTA Vídeo 05 Coordenação Nacional Formação Inicial e Continuada do Educador do ProJovem: o especialista, o pensador, o cidadão

Leia mais

B o l e t i m d e S e r v i ç o U N I P A M P A A n o IX N E d i ç ã o E x t r a o r d i n á r i a d e 1 6 de m a i o /

B o l e t i m d e S e r v i ç o U N I P A M P A A n o IX N E d i ç ã o E x t r a o r d i n á r i a d e 1 6 de m a i o / B o l e t i m d e S e r v i ç o U N I P A M P A A n o IX N 2 4 4 - E d i ç ã o E x t r a o r d i n á r i a d e 1 6 de m a i o / 2 0 1 6 P á g i n a 1 BOLETIM DE SERVIÇO PRESIDENTE DA REPÚBLICA INTERINO

Leia mais

A- INSTITUIÇÃO DE ENSINO

A- INSTITUIÇÃO DE ENSINO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE FISIOTERAPIA FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO PARA FINS DE AUTORIZAÇÃO

Leia mais

República Federativa do Brasil Governo Federal. Educação a Distância. e as novas tecnologias

República Federativa do Brasil Governo Federal. Educação a Distância. e as novas tecnologias República Federativa do Brasil Governo Federal Ministério da Educação Educação a Distância e as novas tecnologias Educação Personalizada Vencendo as Barreiras Geográficas e Temporais EAD NO ENSINO PRESENCIAL

Leia mais