Direito Empresarial

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Direito Empresarial"

Transcrição

1 Direito Empresarial Helder Goes Professor de Direito Empresarial do Universo de Estudos Advogado e Consultor Jurídico Graduado em Direito pela Universidade Tiradentes Especialista em Processo Civil pela UNIDERP/IBDP Mestrando em Direitos Humanos pela Universidade Tirandentes Professor da Graduação da Universidade Tirandetes nas disciplinas Direito Empresarial e Contratual. Minicurrículo. 1

2 Direito Empresarial Teoria Geral do Direito Societário Conceitos Gerais Conceito de Sociedade Empresária Tipos de Pessoas Jurídicas Sociedade Simples e Sociedade Empresária 2

3 Exceção à Empresarialidade Art Salvo as exceções expressas, considera-se empresária a sociedade que tem por objeto o exercício de atividade própria de empresário sujeito a registro (art. 967); e, simples, as demais. Parágrafo único. Independentemente de seu objeto, considera-se empresária a sociedade por ações; e, simples, a cooperativa. Art. 173, CF Art Ressalvados os casos previstos nesta Constituição, a exploração direta de atividade econômica pelo Estado só será permitida quando necessária aos imperativos da segurança nacional ou a relevante interesse coletivo, conforme definidos em lei. 1º A lei estabelecerá o estatuto jurídico da empresa pública, da sociedade de economia mista e de suas subsidiárias que explorem atividade econômica de produção ou comercialização de bens ou de prestação de serviços, dispondo sobre: 3

4 Empresário Nacional e Estrangeiro Art É nacional a sociedade organizada de conformidade com a lei brasileira e que tenha no País a sede de sua administração. Parágrafo único. Quando a lei exigir que todos ou alguns sócios sejam brasileiros, as ações da sociedade anônima revestirão, no silêncio da lei, a forma nominativa. Qualquer que seja o tipo da sociedade, na sua sede ficará arquivada cópia autêntica do documento comprobatório da nacionalidade dos sócios. Art A sociedade estrangeira, qualquer que seja o seu objeto, não pode, sem autorização do Poder Executivo, funcionar no País, ainda que por estabelecimentos subordinados, podendo, todavia, ressalvados os casos expressos em lei, ser acionista de sociedade anônima brasileira. Art A sociedade estrangeira autorizada a funcionar ficará sujeita às leis e aos tribunais brasileiros, quanto aos atos ou operações praticados no Brasil. Parágrafo único. A sociedade estrangeira funcionará no território nacional com o nome que tiver em seu país de origem, podendo acrescentar as palavras "do Brasil" ou "para o Brasil". 4

5 Questão FGV Com relação às sociedades nacionais e sociedades estrangeiras, analise as afirmativas a seguir. I. A sociedade constituída segundo a lei estrangeira poderá exercer atividade no Brasil, desde que autorizada pelo Poder Executivo, submetendo-se, quanto aos atos praticados no Brasil, às leis e aos tribunais do país em que se constituiu. II. A sociedade é nacional quando é organizada em conformidade com a lei brasileira, tem a sede de sua administração no território brasileiro e com a maioria de seu capital controlado por brasileiros natos. III. O estrangeiro está proibido de exercer qualquer atividade empresarial no Brasil. Assinale: a) se nenhuma afirmativa estiver correta. b) se somente a afirmativa I estiver correta. c) se somente a afirmativa II estiver correta. d) se somente a afirmativa III estiver correta. e) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas. Personificação Personalização da Sociedade Empresária Trata-se de pessoa jurídica criada por esses realizando atos de forma independente. - Consequências: i. Titularidade negocial a pessoa jurídica realiza os negócios em seu nome por meio de representante legal. ii. Titularidade processual a sociedade empresária, na qualidade de pessoa jurídica, tem capacidade para demandar e ser demanda em juízo. iii. Responsabilidade patrimonial tem patrimônio próprio, inconfundível e incomunicável com o patrimônio pessoal dos sócios (regra). 5

6 Art A sociedade adquire personalidade jurídica com a inscrição, no registro próprio e na forma da lei, dos seus atos constitutivos (arts. 45 e 1.150). Art O empresário e a sociedade empresária vinculam-se ao Registro Público de Empresas Mercantis a cargo das Juntas Comerciais, e a sociedade simples ao Registro Civil das Pessoas Jurídicas, o qual deverá obedecer às normas fixadas para aquele registro, se a sociedade simples adotar um dos tipos de sociedade empresária. Art A sociedade constitui-se mediante contrato escrito, particular ou público, que, além de cláusulas estipuladas pelas partes, mencionará: I - nome, nacionalidade, estado civil, profissão e residência dos sócios, se pessoas naturais, e a firma ou a denominação, nacionalidade e sede dos sócios, se jurídicas; II - denominação, objeto, sede e prazo da sociedade; III - capital da sociedade, expresso em moeda corrente, podendo compreender qualquer espécie de bens, suscetíveis de avaliação pecuniária; IV - a quota de cada sócio no capital social, e o modo de realizá-la; V - as prestações a que se obriga o sócio, cuja contribuição consista em serviços; VI - as pessoas naturais incumbidas da administração da sociedade, e seus poderes e atribuições; VII - a participação de cada sócio nos lucros e nas perdas; VIII - se os sócios respondem, ou não, subsidiariamente, pelas obrigações sociais. Parágrafo único. É ineficaz em relação a terceiros qualquer pacto separado, contrário ao disposto no instrumento do contrato. 6

7 Questão FGV Maria, Betânia e Custódia pretendem constituir uma sociedade empresária e consultam um especialista para saber quais são as cláusulas que devem, obrigatoriamente, constar no referido instrumento contratual. As opções a seguir apresentam cláusulas obrigatórias do contrato, à exceção de uma. Assinale-a. a) Denominação, objeto, sede e prazo da sociedade. b) De arbitragem ou compromissória. c) Indicação das pessoas naturais incumbidas da administração, seus poderes e atribuições. d) A quota de cada sócio e o modo de realizá-la. e) O capital, expresso em moeda corrente, podendo compreender qualquer espécie de bens, suscetíveis de avaliação pecuniária. Questão FCC As sociedades empresárias personificadas adquirem personalidade jurídica com a a) celebração, por instrumento público, do seu contrato ou estatuto social. b) inscrição do seu ato constitutivo no Registro Civil de Pessoas Jurídicas. c) sua inscrição no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ). d) inscrição do seu ato constitutivo no Registro Público de Empresas Mercantis, precedida, quando necessário, de autorização ou aprovação do Poder Executivo. e) publicação, na imprensa oficial, da sua inscrição no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ). 7

8 Extinção Dissolução Outros modos de Extinção: incorporação, fusão, cisão total e falência. Tipos Societários Sociedade em Nome Coletivo Sociedade em Comandita Simples Sociedade Limitada Sociedade Anônima (Companhia) Sociedade em Comandita por Ações Sociedade em Conta de Participação (despersonalizada) 8

9 Classificação das Sociedades Empresárias Classificação quanto à Responsabilidade dos Sócios: i. Sociedade ilimitada todos os sócios respondem ilimitadamente: ii. Sociedade Mista parte dos sócios respondem ilimitadamente e parte limitadamente: iii. Sociedade Limitada todos os sócios respondem limitadamente. Responsabilidade Subsidiária Art Os bens particulares dos sócios não podem ser executados por dívidas da sociedade, senão depois de executados os bens sociais. 9

10 Integralização de Capital Participação na sociedade Formas de integralizar Ação de Integralização de Capital Classificação quanto ao regime de Constituição e Dissolução: a) Sociedades Contratuais constituem-se mediante Contrato Social. A dissolução se dá mediante unanimidade dos sócios e não por maioria. b) Sociedades Institucionais Constituem-se mediante Estatuto Social. Pode ser dissolvida por maioria dos sócios. 10

11 Classificação quanto às Condições de Alienação da Participação Societária: a) Sociedades de pessoas há o direito de vetar terceiro adquirente de participação social. b) Sociedade de Capital não há o direito de vetar terceiro adquirente de participação social. Cota participação societária na modalidade contratual. estas podem ser de pessoas ou de capital. Ação participação societária na modalidade institucional. estas apenas podem ser de capital. Classificação quanto à Quantidade de Sócios: - Unipessoais EIRELI Subsidiária Integral - Pluripessoais 11

12 Sociedade Irregular Art Os sócios, nas relações entre si ou com terceiros, somente por escrito podem provar a existência da sociedade, mas os terceiros podem prová-la de qualquer modo. Sanção: Art Todos os sócios respondem solidária e ilimitadamente pelas obrigações sociais, excluído do benefício de ordem, previsto no art , aquele que contratou pela sociedade. Questão FCC Considere: I. Independentemente de seu objeto, consideram-se empresárias as sociedades por ações e as cooperativas. II. As sociedades anônimas podem ter qualquer objeto social, desde que vise ao lucro e que não contrarie o ordenamento jurídico, a moral e os bons costumes. III. A sociedade em comandita por ações tem o capital dividido em ações, rege-se pelas normas relativas às sociedades anônimas e opera necessariamente sob denominação, defeso o uso de firma. Está correto o que se afirma em a) II e III, apenas. b) III, apenas. c) I, apenas. d) II, apenas. e) I, II e III. 12

13 Desconsideração da Pessoa Jurídica Art. 50. Em caso de abuso da personalidade jurídica, caracterizado pelo desvio de finalidade, ou pela confusão patrimonial, pode o juiz decidir, a requerimento da parte, ou do Ministério Público quando lhe couber intervir no processo, que os efeitos de certas e determinadas relações de obrigações sejam estendidos aos bens particulares dos administradores ou sócios da pessoa jurídica. Desconsideração da Pessoa Jurídica Pressuposto: ocorrência de fraude por meio da separação patrimonial. Não há dissolução da sociedade, nem serão afetados os demais sócios. Há outra corrente que considera como pressupostos: confusão patrimonial e desaparecimento do objeto social. Teorias: - Indireta; - Inversa e; - Expansiva. 13

14 Questão CESPE Acerca da responsabilidade dos sócios, da sociedade em comum e da desconsideração da pessoa jurídica, julgue o próximo item. Conforme a jurisprudência do STJ, admite-se a desconsideração inversa da pessoa jurídica. Certo Errado Teorias Desconsideração da PJ Teoria maior, adotada pelo art. 50, do CC, exige-se o requisito específico do abuso caracterizado pelo desvio de finalidade ou confusão patrimonial. Teoria menor, mais fácil de ser aplicada, adotada pelo CDC e pela legislação ambiental (REsp SP). 14

15 Art. 28. O juiz poderá desconsiderar a personalidade jurídica da sociedade quando, em detrimento do consumidor, houver abuso de direito, excesso de poder, infração da lei, fato ou ato ilícito ou violação dos estatutos ou contrato social. A desconsideração também será efetivada quando houver falência, estado de insolvência, encerramento ou inatividade da pessoa jurídica provocados por má administração. 1 (Vetado). 2 As sociedades integrantes dos grupos societários e as sociedades controladas, são subsidiariamente responsáveis pelas obrigações decorrentes deste código. 3 As sociedades consorciadas são solidariamente responsáveis pelas obrigações decorrentes deste código. 4 As sociedades coligadas só responderão por culpa. 5 Também poderá ser desconsiderada a pessoa jurídica sempre que sua personalidade for, de alguma forma, obstáculo ao ressarcimento de prejuízos causados aos consumidores. Lei n 9605/98 Art. 4º Poderá ser desconsiderada a pessoa jurídica sempre que sua personalidade for obstáculo ao ressarcimento de prejuízos causados à qualidade do meio ambiente. 15

16 Lei 6.404/76 Art O acionista controlador responde pelos danos causados por atos praticados com abuso de poder. Questão CESPE Considerando a existência de relação jurídica referente a determinado objeto envolvendo dois sujeitos, julgue o próximo item. Caso um dos sujeitos da relação jurídica seja uma sociedade, admite-se excepcionalmente a desconsideração da regra de separação patrimonial entre a sociedade e seus sócios com o intuito de evitar fraude, situação em que haverá a dissolução da personalidade jurídica. Certo Errado 16

17 CURTA A PÁGINA UNIVERSO DE ESTUDOS (fan page facebook) 17

A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES

A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES 1 TIPOS DE SOCIEDADES NO DIREITO BRASILEIRO SOCIEDADE EM COMUM não tem personalidade jurídica os sócios são ilimitadamente responsáveis SOCIEDADE SIMPLES atividades

Leia mais

UNIDADE 2 CLASSIFICAÇÃO DAS SOCIEDADES

UNIDADE 2 CLASSIFICAÇÃO DAS SOCIEDADES UNIDADE 2 CLASSIFICAÇÃO DAS SOCIEDADES 1 Direito Empresarial II/ Profª Roberta Siqueira ATENÇÃO: Este material é meramente informativo e não exaure a matéria. Foi retirado da bibliografia do curso constante

Leia mais

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira As sociedades empresárias no Código Civil José Rodrigo Dorneles Vieira jrodrigo@portoweb.com.br 1. A LEGISLAÇÃO EMPRESARIAL: ANÁLISE GERAL 2. CARACTERIZAÇÃO DO EMPRESÁRIO Conceito de empresário A questão

Leia mais

Direito Empresarial

Direito Empresarial www.uniestudos.com.br Direito Empresarial Helder Goes Professor de Direito Empresarial do Universo de Estudos Advogado e Consultor Jurídico Graduado em Direito pela Universidade Tiradentes Especialista

Leia mais

1 Classificação das sociedades

1 Classificação das sociedades 1 Classificação das sociedades Qto à forma de exploração do objeto Qto à personificação Qto ao regime de constituição Qto à forma de constituição Qto à nacionalidade Qto ao capital Qto à responsabilidade

Leia mais

Aplicação do Código de Processo Civil ao Processo do Trabalho Quanto ao Incidente de Desconsideração da Personalidade Jurídica.

Aplicação do Código de Processo Civil ao Processo do Trabalho Quanto ao Incidente de Desconsideração da Personalidade Jurídica. Curso de Férias Aplicação do Código de Processo Civil ao Processo do Trabalho Quanto ao Incidente de Desconsideração da Personalidade Jurídica. 2 de fevereiro de 2017 Luís Carlos Moro (advogado) O INCIDENTE

Leia mais

PARTE GERAL CONTRATO DE SOCIEDADE

PARTE GERAL CONTRATO DE SOCIEDADE PARTE GERAL CONTRATO DE SOCIEDADE 1 CONTRATO DE SOCIEDADE 1 Elementos contratuais 2 Sociedades simples e empresárias 3 Sociedades não personificadas 4 Sociedade em comum 4.1 Patrimônio social e responsabilidade

Leia mais

Curso Direito Empresarial Ciências Contábeis

Curso Direito Empresarial Ciências Contábeis AULA 5 Sociedades. Empresárias ou simples. Personificadas e não personificadas. Sociedades empresárias, espécies. 5.1. Desconsideração da personalidade jurídica da empresa Em algumas situações, o patrimônio

Leia mais

UNIDADE 8 EMPRESA INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LIMITADA

UNIDADE 8 EMPRESA INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LIMITADA UNIDADE 8 EMPRESA INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LIMITADA 1 Profª Roberta Siqueira Direito Empresarial II ATENÇÃO: Este material é meramente informativo e não exaure a matéria. Foi retirado da bibliografia

Leia mais

Instituições de Direito FEA

Instituições de Direito FEA Instituições de Direito FEA MÓDULO II INTRODUÇÃO AO DIREITO EMPRESARIAL! Pessoa jurídica vs. Pessoa física! Personalidade jurídica! Registro dos atos constitutivos! Empresa e empresário! EIRELI e sociedade

Leia mais

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira As sociedades empresárias no Código Civil José Rodrigo Dorneles Vieira jrodrigo@portoweb.com.br 1. A LEGISLAÇÃO EMPRESARIAL: ANÁLISE GERAL 2. CARACTERIZAÇÃO DO EMPRESÁRIO Conceito de empresário A questão

Leia mais

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira As sociedades empresárias no Código Civil José Rodrigo Dorneles Vieira jrodrigo@portoweb.com.br 1. ESPÉCIES DE EMPRESÁRIO 2. SOCIEDADES EMPRESÁRIAS TIPOS SOCIETÁRIOS Sociedade em Comum Sociedade em Conta

Leia mais

Curso Direito Empresarial Administração

Curso Direito Empresarial Administração AULA 4 Sociedades. Empresárias ou simples. Personificadas e não personificadas. Sociedades empresárias, espécies. 4.1. As sociedades empresárias A pessoa jurídica Sociedade empresária é um agrupamento

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL 1. A recuperação extrajudicial é uma modalidade prevista na Lei Nº 11.101/2005, e pode ser adotada pelo empresário em dificuldade e com

Leia mais

Instituições de Direito Pessoas Jurídicas (i)

Instituições de Direito Pessoas Jurídicas (i) Instituições de Direito Pessoas Jurídicas (i) CAMILA VILLARD DURAN! Pessoa jurídica! Personalidade! Capacidade para adquirir direitos e contrair obrigações! Registro dos atos constitutivos 1 ! Pessoas

Leia mais

AULA Constituição da Sociedade de Pessoas

AULA Constituição da Sociedade de Pessoas AULA 3 6. Constituição da Sociedade de Pessoas Do Contrato Social Art. 997. A sociedade constitui-se mediante contrato escrito, particular ou público, que, além de cláusulas estipuladas pelas partes, mencionará:

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL DIREITO EMPRESARIAL

DIREITO EMPRESARIAL DIREITO EMPRESARIAL A SOCIEDADE NO CÓDIGO CIVIL DE 2002 Art. 981. Celebram contrato de sociedade as pessoas que reciprocamente se obrigam a contribuir, com bens ou serviços, para o exercício de atividade econômica e a partilha,

Leia mais

Direito Empresarial Econômico

Direito Empresarial Econômico Direito Empresarial Econômico Os sistemas econômicos e o Direito empresarial A ordem econômica valorização do trabalho humano e na livre iniciativa assegurar a todos existência digna soberania nacional

Leia mais

1. Dentre as sociedades empresariais abaixo elencadas, aponte aquela que não possui personalidade jurídica:

1. Dentre as sociedades empresariais abaixo elencadas, aponte aquela que não possui personalidade jurídica: 1. Dentre as sociedades empresariais abaixo elencadas, aponte aquela que não possui personalidade jurídica: a) sociedade em nome coletivo b) sociedade em comandita simples c) sociedade de capital e indústria

Leia mais

A responsabilidade pessoal dos sócios nas sociedades empresárias. Michele Schwan Advogada OAB/RS

A responsabilidade pessoal dos sócios nas sociedades empresárias. Michele Schwan Advogada OAB/RS A responsabilidade pessoal dos sócios nas sociedades empresárias Michele Schwan Advogada OAB/RS 86.749 As três modalidades de constituição de empresa mais utilizadas no Rio Grande do Sul, conforme a Junta

Leia mais

SOCIEDADES PERSONIFICADAS SOCIEDADES NÃO PERSONIFICADAS . SOCIEDADES SIMPLES . SOCIEDADES EM COMUM . SOCIEDADES EM CONTA DE PARTICIPAÇÃO

SOCIEDADES PERSONIFICADAS SOCIEDADES NÃO PERSONIFICADAS . SOCIEDADES SIMPLES . SOCIEDADES EM COMUM . SOCIEDADES EM CONTA DE PARTICIPAÇÃO 2014 SOCIEDADES NÃO PERSONIFICADAS SOCIEDADES PERSONIFICADAS. SOCIEDADES EM COMUM. SOCIEDADES SIMPLES. SOCIEDADES EM CONTA DE PARTICIPAÇÃO. SOCIEDADES EMPRESARIAIS CLASSIFICAÇÕES DAS SOCIEDADES QUANTO

Leia mais

DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE JURÍDICA NA JUSTIÇA DO TRABALHO

DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE JURÍDICA NA JUSTIÇA DO TRABALHO DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE JURÍDICA NA JUSTIÇA DO TRABALHO Se negativa a providência supra, diante da responsabilidade dos sócios conforme artigos 592 e 596 do C.P.C c/c o inciso V do artigo 4º da

Leia mais

Os efeitos da Desconsideração da personalidade jurídica à luz dos entendimentos consolidados nos Tribunais Superiores

Os efeitos da Desconsideração da personalidade jurídica à luz dos entendimentos consolidados nos Tribunais Superiores Brasília, 7 de março de 2016. Ao Público do 1 o Seminário do Conselho Jurídico da Câmara Brasileira da Indústria da Construção CONJUR Assunto: Compreensão da importância do tema Os efeitos da Desconsideração

Leia mais

Direito Empresarial e Trabalhista

Direito Empresarial e Trabalhista Profa. Dra. Silvia Bertani Direito Empresarial e Trabalhista As sociedades organização formada por duas ou mais pessoas, por meio de um contrato com ou sem o registro, para o exercício de uma atividade

Leia mais

LEGALE - PÓS GRADUAÇÃO DIREITO DO TRABALHO

LEGALE - PÓS GRADUAÇÃO DIREITO DO TRABALHO LEGALE - PÓS GRADUAÇÃO DIREITO DO TRABALHO Execução Trabalhista : Desconsideração da Personalidade Jurídica / Responsabilidade dos Sócios e Ex-Sócios Professor: Dr. Rogério Martir Doutorando em Ciências

Leia mais

CONCEITO DE SOCIEDADE EMPRESÁRIA

CONCEITO DE SOCIEDADE EMPRESÁRIA CONCEITO DE SOCIEDADE EMPRESÁRIA 1 CONCEITO DE SOCIEDADE Código Civil - Art. 981 Celebram contrato de sociedade as pessoas que reciprocamente se obrigam a contribuir, com bens ou serviços, para o exercício

Leia mais

Código Civil de 2002 TÍTULO II DAS PESSOAS JURÍDICAS. CAPÍTULOS I, II e III. ARTIGOS 40 a 69

Código Civil de 2002 TÍTULO II DAS PESSOAS JURÍDICAS. CAPÍTULOS I, II e III. ARTIGOS 40 a 69 Código Civil de 2002 TÍTULO II DAS PESSOAS JURÍDICAS CAPÍTULOS I, II e III ARTIGOS 40 a 69 PESSOA JURÍDICA (PJ) - CONCEITO Unidade de pessoas naturais ou de patrimônios, que visa à consecução de certos

Leia mais

Porto Alegre (RS), 20 de junho de 2016.

Porto Alegre (RS), 20 de junho de 2016. Slide 1 EIRELI: Análise Legal e os Resultados Práticos Porto Alegre (RS), 20 de junho de 2016. Slide 2 Conteúdo Programático: - Análise Histórica da Introdução das EIRELI s no Direito Brasileiro; - Conceito

Leia mais

Reunião de pessoas em prol de interesses comuns. (Aurélio, 2010).

Reunião de pessoas em prol de interesses comuns. (Aurélio, 2010). Prof. Thiago Gomes Empresariais O que é uma sociedade? Reunião de pessoas em prol de interesses comuns. (Aurélio, 2010). Qual o foco de nosso estudo? As sociedades cujo o objetivo é lucro para seus sócios.

Leia mais

Incidente de Desconsideração da Personalidade Jurídica no NOVO CPC e seus reflexos no Processo do Trabalho

Incidente de Desconsideração da Personalidade Jurídica no NOVO CPC e seus reflexos no Processo do Trabalho Incidente de Desconsideração da Personalidade Jurídica no NOVO CPC e seus reflexos no Processo do Trabalho CARLOS HENRIQUE BEZERRA LEITE Doutor e Mestre em Direito (PUC/SP) Professor de Direitos Sociais

Leia mais

Núcleo Interdisciplinar de Estudos Independentes

Núcleo Interdisciplinar de Estudos Independentes Núcleo Interdisciplinar de Estudos Independentes Universidade Estadual de Goiás - UEG Professor: Célio de Sousa Ramos Acadêmico: Samuel Filipe Mendonça Curso: Ciências Contábeis (3 Ano) Anápolis 2012 EIRELI

Leia mais

A sociedade de fato não tem ato constitutivo, ao passo que a sociedade irregular tem ato constitutivo, mas este não está registrado.

A sociedade de fato não tem ato constitutivo, ao passo que a sociedade irregular tem ato constitutivo, mas este não está registrado. Turma e Ano: Turma Regular Master A Matéria / Aula: Direito Civil Aula 08 Professor: Rafael da Mota Mendonça Monitora: Fernanda Manso de Carvalho Silva Pessoa Jurídica (continuação) 3. Entes despersonalizados:

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL QUESTÃO 1 - Sobre a disciplina do direito empresarial no Brasil: 1. O adquirente de um estabelecimento comercial jamais responderá pelo

Leia mais

A função social da empresa

A função social da empresa A função social da empresa Considerações iniciais A função social da empresa tem como fundamento fornecer a sociedade bens e serviços que possam satisfazer suas necessidades. A propriedade privada é um

Leia mais

1. Na ação de dissolução de sociedade limitada de apenas dois sócios, proposta pelo sócio dissidente:

1. Na ação de dissolução de sociedade limitada de apenas dois sócios, proposta pelo sócio dissidente: DIREITO EMPRESARIAL 1. Na ação de dissolução de sociedade limitada de apenas dois sócios, proposta pelo sócio dissidente: A) O juiz dissolve a sociedade, se acolher o pedido; B) Mesmo se acolhido o pedido,

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL PREPARATÓRIO XXII EXAME DE ORDEM

DIREITO EMPRESARIAL PREPARATÓRIO XXII EXAME DE ORDEM Prof. Ma Marina Zava de Faria FACE: Marina Zava INSTA: Marina Zava Periscope:@marinazava E-mail: profmarinazava@hotmail.com DIREITO EMPRESARIAL PREPARATÓRIO XXII EXAME DE ORDEM 1. CONCEITO: Modalidade

Leia mais

Sociedades 26/10/2010

Sociedades 26/10/2010 Prof. Thiago Gomes Empresariais Feedback aula anterior: Quem é o empresário? Quem é o empresário individual? O que é necessário para ser empresário individual? Impedidos de exercer a atividade empresarial.

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina DIR321 Direito Empresarial - Direto Societário

Programa Analítico de Disciplina DIR321 Direito Empresarial - Direto Societário 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Direito - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Número de créditos: 3 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 5 Carga horária semanal 3 Períodos

Leia mais

1) Não personificada * Doutrina DE FATO (contrato verbal) IRREGULAR (contrato escrito sem registro)

1) Não personificada * Doutrina DE FATO (contrato verbal) IRREGULAR (contrato escrito sem registro) 1 DIREITO EMPRESARIAL PONTO 1: SOC. EM COMUM; CONTA DE PARTICIPAÇÃO; EM COMANDITA SIMPLES E POR AÇÕES; PONTO 2: SOCIEDADE LIMITADA PONTO 3: SOCIEDADE ANÔNIMA SOCIEDADE EM COMUM: 1) Não personificada *

Leia mais

PLANO DE CURSO : DIREITO SOCIETÁRIO (CÓD. ENEX 60131) ETAPA: 6ª TOTAL DE ENCONTROS:

PLANO DE CURSO : DIREITO SOCIETÁRIO (CÓD. ENEX 60131) ETAPA: 6ª TOTAL DE ENCONTROS: PLANO DE CURSO DISCIPLINA: DIREITO SOCIETÁRIO (CÓD. ENEX 60131) ETAPA: 6ª TOTAL DE ENCONTROS: 15 SEMANAS Semana Conteúdos/ Matéria Categorias/ Questões Tipo de aula Habilidades e Competências Textos, filmes

Leia mais

GUIA PRÁTICO DO CONTABILISTA O DIA A DIA NA CONTABILIDADE

GUIA PRÁTICO DO CONTABILISTA O DIA A DIA NA CONTABILIDADE GUIA PRÁTICO DO CONTABILISTA O DIA A DIA NA CONTABILIDADE Mário Sebastião de Azevedo Pereira Consultor empresarial que atua há mais de 20 anos nas áreas Contábil e Administrativa. É autor dos livros Excel

Leia mais

Sumário COLEÇÃO SINOPSES PARA CONCURSOS GUIA DE LEITURA DA COLEÇÃO... 15

Sumário COLEÇÃO SINOPSES PARA CONCURSOS GUIA DE LEITURA DA COLEÇÃO... 15 COLEÇÃO SINOPSES PARA CONCURSOS... 13 GUIA DE LEITURA DA COLEÇÃO... 15 Capítulo 1 INTRODUÇÃO DO DIREITO EMPRESARIAL... 19 1. Breve histórico do Direito Empresarial... 19 2. A Empresa... 23 3. O Empresário...

Leia mais

STJ Ol!dl!G dp IBnUBW. {'BpBSdldw3. 010Vd oys. S10Z - 'V'S SVllV VCIOlIG3

STJ Ol!dl!G dp IBnUBW. {'BpBSdldw3. 010Vd oys. S10Z - 'V'S SVllV VCIOlIG3 S10Z - 'V'S SVllV VCIOlIG3 010Vd oys {'BpBSdldw3 Ol!dl!G dp IBnUBW " I STJ00101622 2005 by Editora Atlas S.A. 1. ed. 2005; 2. ed. 2006; 3. ed. 2008;4. ed. 2009; 5. ed. 2010; 6. ed. 2012; 7. ed. 2013; 8.

Leia mais

Poucos veem o que somos, mas todos veem o que aparentamos. (Nicolau Maquiavel)

Poucos veem o que somos, mas todos veem o que aparentamos. (Nicolau Maquiavel) Poucos veem o que somos, mas todos veem o que aparentamos. (Nicolau Maquiavel) Conceito Pessoa ficta, criada a partir da união de vontades que passa a distingui-la da de seus membros, a qual se atribui

Leia mais

Organograma do Direito de Empresa no Código Civil.

Organograma do Direito de Empresa no Código Civil. Organograma do Direito de Empresa no Código Civil www.mariacelesteadv.com.br CÓDIGO CIVIL (LEI 10.406/02) DO DIREITO DE EMPRESA Livro II, arts 966 a 1.195 SOCIEDADE - arts. 981 segs. EMPRESÁRIO - arts.966

Leia mais

Associação Jataiense de Educação Faculdade de Administração PLANO DE ENSINO

Associação Jataiense de Educação Faculdade de Administração PLANO DE ENSINO EMENTA Direito Comercial; Definição de Direito Comercial; Atos de comércio e a teoria da empresa; Direito de Empresa; Nome Empresarial; Estabelecimento Empresarial; Sociedades Empresariais Dos Vários tipos

Leia mais

Direito Empresarial. Professora Carolina Lima. (facebook idem)

Direito Empresarial. Professora Carolina Lima. (facebook idem) Turma e Ano: Regular/2015 Matéria / Aula: Direito Empresarial Professora: Carolina Lima AULA 01 Direito Empresarial Professora Carolina Lima (facebook idem) Bibliografia: a professora recomenda ler o caderno.

Leia mais

IUS RESUMOS. Empresário. Organizado por: Samille Lima Alves

IUS RESUMOS. Empresário. Organizado por: Samille Lima Alves Organizado por: Samille Lima Alves SUMÁRIO I. EMPRESÁRIO... 3 1. Caracterizando o empresário... 3 1.1 Conceito... 3 1.2 Elementos essenciais de caracterização do empresário... 4 1.3 Classificação do empresário...

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE DIREITO DE RIBEIRÃO PRETO DIREITO CIVIL

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE DIREITO DE RIBEIRÃO PRETO DIREITO CIVIL UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE DIREITO DE RIBEIRÃO PRETO DIREITO CIVIL DISCIPLINA: Direito do Consumidor II Aula: Desconsideração da personalidade jurídica Profª. Drª. Cláudia Berbert Campos cberbert@usp.br

Leia mais

UNIDADE 6 SOCIEDADE EM NOME COLETIVO

UNIDADE 6 SOCIEDADE EM NOME COLETIVO UNIDADE 6 SOCIEDADE EM NOME COLETIVO 1 Profª Roberta Siqueira Direito Empresarial II ATENÇÃO: Este material é meramente informativo e não exaure a matéria. Foi retirado da bibliografia do curso constante

Leia mais

PRESSUPOSTOS DA ATIVIDADE EMPRESARIAL

PRESSUPOSTOS DA ATIVIDADE EMPRESARIAL PRESSUPOSTOS DA ATIVIDADE EMPRESARIAL Requisitos Art. 972, Cod. Civil. Pressupostos: 2 elementos: capacidade civil e ausência de impedimento. Capacidade civil. Impedimentos são dados pela lei. Ex: sociedade

Leia mais

Sumário. 6. Fontes do direito empresarial 6.1. O Projeto de Lei 1.572/2011 (novo Código Comercial) 6.2. O novo CPC e o direito empresarial 7.

Sumário. 6. Fontes do direito empresarial 6.1. O Projeto de Lei 1.572/2011 (novo Código Comercial) 6.2. O novo CPC e o direito empresarial 7. Sumário 1. Origens do direito comercial 2. Da definição do regime jurídico dos atos de comércio 2.1. Definição e descrição dos atos de comércio e sua justificação histórica 2.2. Os atos de comércio na

Leia mais

Instituições de Direito Pessoas Jurídicas (ii)

Instituições de Direito Pessoas Jurídicas (ii) Instituições de Direito Pessoas Jurídicas (ii) CAMILA VILLARD DURAN Aula anterior: conceitos trabalhados! Pessoa Jurídica! Associações! Sociedade em conta de participação! Eireli vs. Empresário individual

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

GRUPOS ECONÔMICOS E RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA

GRUPOS ECONÔMICOS E RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA GRUPOS ECONÔMICOS E RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA Maria Rita Ferragut Livre-docente em Direito Tributário pela USP Mestre e Doutora pela PUC/SP rita@fmac.adv.br GRUPO ECONÔMICO Conjunto de sociedades empresárias

Leia mais

Roteiro de Aula- Introdução ao Direito Empresarial

Roteiro de Aula- Introdução ao Direito Empresarial 5. Sociedades empresárias 5.1. Sociedade em nome coletivo (art. 1039 a 1044, CC) Característica dos sócios: São obrigatoriamente pessoas físicas que respondem solidaria e ilimitadamente pelas obrigações

Leia mais

Direito Empresarial. Prof. Dr. Érico Hack

Direito Empresarial. Prof. Dr. Érico Hack Direito Empresarial Aula 6 Personalidade e direitos pessoa física e jurídica Prof. Dr. Érico Hack PUCPR Personalidade pessoas naturais Código Civil pessoa física sujeito de direitos e deveres Pessoas naturais

Leia mais

Pessoas Jurídicas. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Pessoas Jurídicas. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Pessoas Jurídicas Pessoas Jurídicas Pessoas jurídicas são entidades criadas para a realização de um fim e reconhecidas pela ordem jurídica como sujeitos de direitos e deveres. Pessoas Jurídicas Características:

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

código civil Art. 47 Art. 48 Art. 45 Art. 49 Art. 50 Art. 46 Art. 51

código civil Art. 47 Art. 48 Art. 45 Art. 49 Art. 50 Art. 46 Art. 51 34 código civil I - as associações; II - as sociedades; III - as fundações. IV - as organizações religiosas; V - os partidos políticos; VI - as empresas individuais de responsabilidade limitada. (Acrescido

Leia mais

ARTIGOS IMPORTANTES DE DIREITO EMPRESARIAL PARA O XX EXAME OAB

ARTIGOS IMPORTANTES DE DIREITO EMPRESARIAL PARA O XX EXAME OAB ARTIGOS IMPORTANTES DE DIREITO EMPRESARIAL PARA O XX EXAME OAB Olá, pessoal! Tudo bem? Prova do Exame de Ordem muito próxima, uma infinidade de matérias para estudar e nervos à flor da pele. Bom, sabemos

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL - AULA 2 SOCIEDADE QUESTÕES COMENTADAS. 1. (FCC TRT - 1ª REGIÃO (RJ) - Juiz do Trabalho) É correto afirmar:

DIREITO EMPRESARIAL - AULA 2 SOCIEDADE QUESTÕES COMENTADAS. 1. (FCC TRT - 1ª REGIÃO (RJ) - Juiz do Trabalho) É correto afirmar: ESCOLA SUPERIOR DA MAGISTRATURA DE PERNAMBUCO DIREITO EMPRESARIAL - AULA 2 SOCIEDADE QUESTÕES COMENTADAS 1. (FCC - 2012 - TRT - 1ª REGIÃO (RJ) - Juiz do Trabalho) É correto afirmar: a) O ato de transformação

Leia mais

Delegado de Policia Civil do Pará - Direito Empresarial Professor: José Humberto Souto Júnior

Delegado de Policia Civil do Pará - Direito Empresarial Professor: José Humberto Souto Júnior Delegado de Policia Civil do Pará - Direito Empresarial Professor: José Humberto Souto Júnior 1 - O título de crédito, documento necessário ao exercício do direito literal e autônomo nele contido, somente

Leia mais

CONCEITO DE EMPRESÁRIO

CONCEITO DE EMPRESÁRIO DIREITO EMPRESARIAL NO DIREITO DO TRABALHO DR. JOSÉ RODRIGO DORNELES VIEIRA 1. CARACTERIZAÇÃO DO EMPRESÁRIO Conceito de empresário A questão do registro 2. ESPÉCIES DE EMPRESÁRIO Empresário individual

Leia mais

Atos de comércio. Surge a teoria da empresa. Títulos de crédito: art CC e seguintes + lei 5474 e lei 7357

Atos de comércio. Surge a teoria da empresa. Títulos de crédito: art CC e seguintes + lei 5474 e lei 7357 1 DIREITO EMPRESARIAL PONTO 1: TEORIA GERAL DO DIREITO SOCIETÁRIO PONTO 2: DIREITO COMERCIAL X EMPRESARIAL PONTO 3: ESPÉCIES DE EMPRESÁRIO E DESDOBRAMENTOS TEORIA GERAL DO DIR. SOCIETÁRIO: A LEGISLAÇÃO

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL I. Foed Saliba Smaka Jr. 06/03/2015.

DIREITO EMPRESARIAL I. Foed Saliba Smaka Jr. 06/03/2015. DIREITO EMPRESARIAL I Foed Saliba Smaka Jr. 06/03/2015. Empresário Empresário é a pessoa que toma a iniciativa de organizar uma atividade econômica de produção ou circulação de bens ou serviços. Pode Ser

Leia mais

Pessoa Jurídica. Profa. Zélia Prates

Pessoa Jurídica. Profa. Zélia Prates Pessoa Jurídica Profa. Zélia Prates Pessoa jurídica - Conceito Consiste num conjunto de pessoas ou de bens, dotado de personalidade jurídica própria e constituído na forma da lei, para consecução de fins

Leia mais

BIBLIOGRAFIA: Fábio Ulhoa Coelho. Saraiva. André Luiz Santa Cruz Ramos. Juspodivm. 1. DIREITO DE EMPRESA ART. 966 do CC

BIBLIOGRAFIA: Fábio Ulhoa Coelho. Saraiva. André Luiz Santa Cruz Ramos. Juspodivm. 1. DIREITO DE EMPRESA ART. 966 do CC 1 DIREITO EMPRESARIAL DIREITO EMPRESARIAL PONTO 1: Direito de Empresa PONTO 2: Conceito de Empresário PONTO 3: Estabelecimento PONTO 4: Registro BIBLIOGRAFIA: Fábio Ulhoa Coelho. Saraiva. André Luiz Santa

Leia mais

SECÇÃO III - Regime da sociedade antes do registo. Invalidade do contrato

SECÇÃO III - Regime da sociedade antes do registo. Invalidade do contrato Legislação Comercial Ficha Técnica Código das Sociedades Comerciais TÍTULO I - Parte geral CAPÍTULO I - Âmbito de aplicação CAPÍTULO II - Personalidade e capacidade CAPÍTULO III - Contrato de sociedade

Leia mais

Fabyola Emilin Rodrigues - criminal Newton Coca Bastos Marzagão - cível

Fabyola Emilin Rodrigues - criminal Newton Coca Bastos Marzagão - cível Fabyola Emilin Rodrigues - criminal Newton Coca Bastos Marzagão - cível RESPONSABILIDADE INDIVIDUAL DOS ADMINISTRADORES CENÁRIO ATUAL RESPONSABILIDADE CRIMINAL - PERSPECTIVA GLOBALIZADA Convenção de Viena

Leia mais

Revisão OAB. Gabriel Rabelo

Revisão OAB. Gabriel Rabelo Revisão OAB Gabriel Rabelo Tópico 1) Empresário Art. 966. Considera-se empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou de serviços. Parágrafo

Leia mais

Os sistemas econômicos e o Direito empresarial

Os sistemas econômicos e o Direito empresarial Os sistemas econômicos e o Direito empresarial Os sistemas econômicos e o Direito Empresarial A ordem econômica no Brasil é disciplinada por um conjunto de princípios estabelecidos na Constituição Federal

Leia mais

Prof. Ms. Guilherme Martins Teixeira Borges FACE: Guilherme Martins INSTA: Professor Guilherme Martins

Prof. Ms. Guilherme Martins Teixeira Borges FACE: Guilherme Martins INSTA: Professor Guilherme Martins Prof. Ms. Guilherme Martins Teixeira Borges FACE: Guilherme Martins Periscope: @ProfGuilherm INSTA: Professor Guilherme Martins E-mail: g.martins.borges@hotmail.com 1. CONCEITO: PJ PLURALIDADE DE SÓCIOS

Leia mais

ATO CONSTITUTIVO DE SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA (MODELO)

ATO CONSTITUTIVO DE SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA (MODELO) ATO CONSTITUTIVO DE SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA (MODELO) Pelo presente instrumento, - [Nome do Advogado], [nacionalidade], [estado civil], advogado (a), inscrito(a) na OAB/RN sob n. [...], inscrito(a)

Leia mais

Direito Empresarial. Prof. Dr. Érico Hack

Direito Empresarial. Prof. Dr. Érico Hack Direito Empresarial Aula 7 Empresário e estabelecimento empresarial Prof. Dr. Érico Hack PUCPR Evolução - Empresa Teoria subjetiva Corporações de ofício Teoria objetiva atos de comércio lista taxativa

Leia mais

ANEXO II. Política de Divulgação de Negociação com Valores Mobiliários da Investimentos e Participações em Infra-Estrutura S.A.

ANEXO II. Política de Divulgação de Negociação com Valores Mobiliários da Investimentos e Participações em Infra-Estrutura S.A. ANEXO II Política de Divulgação de Negociação com Valores Mobiliários da Investimentos e Participações em Infra-Estrutura S.A. INVEPAR I. DO OBJETO 1.1. Em atendimento à Instrução da Comissão de Valores

Leia mais

ANEXO A POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATOS OU FATOS RELEVANTES DA VIX LOGÍSTICA S.A. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO

ANEXO A POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATOS OU FATOS RELEVANTES DA VIX LOGÍSTICA S.A. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO ANEXO A POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATOS OU FATOS RELEVANTES DA VIX LOGÍSTICA S.A. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO 2. PESSOAS SUJEITAS À POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E FORMA DE ADESÃO 3. DEVERES E RESPONSABILIDADES

Leia mais

MANUAL DE DIREITO EMPRESARIAL

MANUAL DE DIREITO EMPRESARIAL Benigno Cavalcante MANUAL DE DIREITO EMPRESARIAL Sumário Apresentação... 17 Abreviatura... 21 CAPÍTULO I HISTÓRIA DO DIREITO COMERCIAL 1. O Surgimento do Direito Comercial... 25 1.2. Evolução do Direito

Leia mais

Direito Empresarial Procurador Legislativo 3ª fase

Direito Empresarial Procurador Legislativo 3ª fase CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Direito Empresarial Procurador Legislativo 3ª fase 1) Com. Exam. (TRT 2) - JT TRT2/TRT 2/2006 As sociedades por ações são um tipo de sociedade empresarial, regulada pela

Leia mais

Questões Trabalhistas. Slide 1. Slide 2. Slide 3. Empresa Holding como Instrumento de Proteção Patrimonial e Sucessão Familiar

Questões Trabalhistas. Slide 1. Slide 2. Slide 3. Empresa Holding como Instrumento de Proteção Patrimonial e Sucessão Familiar Slide 1 Empresa Holding como Instrumento de Proteção Patrimonial e Sucessão Familiar Auditores Independentes II Congresso Nacional de Contabilidade CONACONTABIL Slide 2 Risco Patrimonial Despersonalização

Leia mais

SOCIEDADE EMPRESÁRIA. PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PRIVADO Art. 44 do CC. As sociedades podem ser: 1- Sociedade empresária

SOCIEDADE EMPRESÁRIA. PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PRIVADO Art. 44 do CC. As sociedades podem ser: 1- Sociedade empresária SOCIEDADE EMPRESÁRIA 1 PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PRIVADO Art. 44 do CC Associações caracteriza pela inexistência do fim lucrativo em seu objeto (pessoas ligadas a uma mesma causa: social, recreativa,

Leia mais

Direito Societário IV. Prof. Henrique Subi

Direito Societário IV. Prof. Henrique Subi Direito Societário IV Prof. Henrique Subi 1 8. Sociedades institucionais 8.1. Sociedade em comandita por ações - Tem o capital dividido em ações - Os diretores possuem responsabilidade ilimitada pelas

Leia mais

Provimento Nº.../2016. Dispõe sobre a Sociedade Individual de Advocacia

Provimento Nº.../2016. Dispõe sobre a Sociedade Individual de Advocacia Provimento Nº.../2016 Dispõe sobre a Sociedade Individual de Advocacia O CONSELHO FEDERAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 54, V, da Lei n 8.906,

Leia mais

SUMÁRIO PARTE I TEORIA GERAL DO DIREITO EMPRESARIAL

SUMÁRIO PARTE I TEORIA GERAL DO DIREITO EMPRESARIAL SUMÁRIO PARTE I TEORIA GERAL DO DIREITO EMPRESARIAL CAPÍTULO 1 Do Direito Comercial ao Direito Empresarial 3 1. Origem do Direito Comercial... 3 2. Teoria dos atos de comércio (sistema francês)... 4 3.

Leia mais

UNIDADE1 TEORIA GERAL DO DIREITO SOCIETÁRIO

UNIDADE1 TEORIA GERAL DO DIREITO SOCIETÁRIO UNIDADE1 TEORIA GERAL DO DIREITO SOCIETÁRIO 1 Direito Empresarial II/ Profª Roberta Siqueira ATENÇÃO: Este material é meramente informativo e não exaure a matéria. Foi retirado da bibliografia do curso

Leia mais

ATO CONSTITUTIVO DE SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA

ATO CONSTITUTIVO DE SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA ATO CONSTITUTIVO DE SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA Pelo presente instrumento, - [Nome do Advogado], [nacionalidade], [estado civil], advogado(a), inscrito(a) na OAB/Ba sob n. [...], inscrito(a) no CPF/MF

Leia mais

ª ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DO CONTRATO SOCIAL DA SOCIEDADE DE ADVOGADOS

ª ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DO CONTRATO SOCIAL DA SOCIEDADE DE ADVOGADOS ª ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DO CONTRATO SOCIAL DA SOCIEDADE DE ADVOGADOS...(nome da Sociedade)... [Nota: os instrumentos de alteração contratual devem conter o número de registro da sociedade no CNPJ e

Leia mais

Política de Divulgação de Atos ou Fatos Relevantes da Kepler Weber S.A.

Política de Divulgação de Atos ou Fatos Relevantes da Kepler Weber S.A. Política de Divulgação de Atos ou Fatos Relevantes da Kepler Weber S.A. 1. Introdução e Objetivo Este manual ( Manual ) contém a Política de Divulgação de Ato ou Fato Relevante da Kepler Weber S.A. ( Companhia

Leia mais

Ebook. Abra Sua Empresa. Tudo o que você precisa saber sobre abertura e legalização de empresa.

Ebook. Abra Sua Empresa. Tudo o que você precisa saber sobre abertura e legalização de empresa. Ebook Abra Sua Empresa Tudo o que você precisa saber sobre abertura e legalização de empresa. Índice Introdução Procedimentos, Natureza Jurídica e Consulta Comercial Busca de nome e marca, Solicitação

Leia mais

EIRELI - Empresa Individual de Responsabilidade Limitada. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 02/01/2012.

EIRELI - Empresa Individual de Responsabilidade Limitada. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 02/01/2012. EIRELI - Empresa Individual de Responsabilidade Limitada Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 02/01/2012. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - EXIGÊNCIAS PARA CONSTITUIÇÃO 2.1 - Nome Empresarial

Leia mais

TEORIA GERAL DO DIREITO SOCIETÁRIO

TEORIA GERAL DO DIREITO SOCIETÁRIO TEORIA GERAL DO DIREITO SOCIETÁRIO Armindo de Castro Júnior E-mail: armindocastro@uol.com.br Homepage: www.armindo.com.br Facebook: Armindo Castro Celular/WhatsApp: (82) 99143-7312 1. SOCIEDADE EMPRESÁRIA

Leia mais

PONTO 1: Sociedade Limitada PONTO 2: PONTO 3: PONTO 4: 1. SOCIEDADE LIMITADA 1.1 TEORIA DA DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE JURÍDICA

PONTO 1: Sociedade Limitada PONTO 2: PONTO 3: PONTO 4: 1. SOCIEDADE LIMITADA 1.1 TEORIA DA DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE JURÍDICA 1 DIREITO EMPRESARIAL DIREITO EMPRESARIAL PONTO 1: Sociedade Limitada PONTO 2: PONTO 3: PONTO 4: Art. 1.052 do CC e ss. 1. SOCIEDADE LIMITADA 1.1 TEORIA DA DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE JURÍDICA Prevista

Leia mais

Erros no registro de sociedades geram prejuízos pessoais a médicos

Erros no registro de sociedades geram prejuízos pessoais a médicos Erros no registro de sociedades geram prejuízos pessoais a médicos A sociedade empresária, formada por médicos, que não tiver seu registro na Junta Comercial é considerada como irregular, ou seja, uma

Leia mais

Sumário. Proposta da Coleção Leis Especiais para Concursos Apresentação Introdução Aplicabilidade... 21

Sumário. Proposta da Coleção Leis Especiais para Concursos Apresentação Introdução Aplicabilidade... 21 Sumário Proposta da Coleção Leis Especiais para Concursos... 15 Apresentação... 17 Introdução... 19 Aplicabilidade... 21 CAPÍTULO I Características e Natureza da Companhia ou Sociedade Anônima Características...

Leia mais

FECHAMENTO DE CONCESSIONÁRIAS

FECHAMENTO DE CONCESSIONÁRIAS ANEXO PRE 145.16 FECHAMENTO DE CONCESSIONÁRIAS ROTEIRO ILUSTRATIVO DE ASSUNTOS QUE MERECEM ATENÇÃO NA DESCONTINUIDADE DE NEGÓCIOS I ASPECTOS FISCAIS 1. Verificação de Passivos e Ativos Federais: 1.1. Secretaria

Leia mais

vamos agora estudar e classificar as empresas de acordo com o seu faturamento:

vamos agora estudar e classificar as empresas de acordo com o seu faturamento: Depois de estudar - a evolução do direito empresarial; - os conceitos de empregador, empresário e empresa; - O empresário e a sociedade empresária irregular (Diferente da Sociedade Simples); - A teoria

Leia mais

Empresário Irregular:

Empresário Irregular: ... depois de estudarmos que o conceito de empresário encontra-se no artigo 966 do CC e que o conceito de empresa se extrai do conceito de empresário, vejamos agora a figura do empresário e da sociedade

Leia mais

Atividades Não Empresariais. Por definição legal algumas atividades não são consideradas empresariais.

Atividades Não Empresariais. Por definição legal algumas atividades não são consideradas empresariais. Atividades Não Empresariais Por definição legal algumas atividades não são consideradas empresariais. Atividades Não Empresariais Profissionais liberais que prestam os serviços de forma direta e profissionais

Leia mais

Centro Universitário Serra dos Órgãos Recredenciamento Portaria nº de 7 de outubro de 2011 PROGRAMA DIDÁTICO CURSO: GRADUAÇÃO EM DIREITO

Centro Universitário Serra dos Órgãos Recredenciamento Portaria nº de 7 de outubro de 2011 PROGRAMA DIDÁTICO CURSO: GRADUAÇÃO EM DIREITO PROGRAMA DIDÁTICO CURSO: GRADUAÇÃO EM DIREITO COMPONENTE CURRICULAR: Direito Empresarial e Societário (Quinta-feira - 18:50 às 22:20) CÓDIGO: CARGA HORÁRIA: 80 horas PROFESSOR (ES): CAROLINE DA ROSA PINHEIRO

Leia mais

UNIDADE 4 SOCIEDADE EM CONTA DE PARTICIPAÇÃO

UNIDADE 4 SOCIEDADE EM CONTA DE PARTICIPAÇÃO UNIDADE 4 SOCIEDADE EM CONTA DE PARTICIPAÇÃO 1 Profª Roberta Siqueira/ Direito Empresarial II ATENÇÃO: Este material é meramente informativo e não exaure a matéria. Foi retirado da bibliografia do curso

Leia mais