PARECER CONTRIBUIÇÃO SINDICAL DOS SERVIDORES DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DA BAHIA. Página 1 de 20 DEMANDANTE: PRESIDENTE:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PARECER CONTRIBUIÇÃO SINDICAL DOS SERVIDORES DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DA BAHIA. Página 1 de 20 DEMANDANTE: PRESIDENTE:"

Transcrição

1 PARECER CONTRIBUIÇÃO SINDICAL DOS SERVIDORES DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DA BAHIA DEMANDANTE: SINDICATO DOS SERVIDORES DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DA BAHIA (SINDSALBA). PRESIDENTE: FLÁVIO AUGUSTO CÉZAR DE ABREU. ESCRITÓRIO: CIVITA ADVOCACIA E CONSULTORIA. ADVOGADO RESPONSÁVEL: BEL.. OBJETO DO PARECER: ASPECTOS GERAIS DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL. DATA DE APRESENTAÇÃO: 14 DE OUTUBRO DE Página 1 de 20

2 PARECER SOBRE A NATUREZA E REGIME JURÍDICOS DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL DOS SERVIDORES DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DA BAHIA SALVADOR (BA) OUTUBRO 2014 Página 2 de 20

3 I APRESENTAÇÃO ITEM I.I O ESCRITÓRIO. Amando e Torres Advocacia e Consultoria A Civita Advocacia e Consultoria (Razão Social: Amando e Torres Advocacia e Consultoria) atua no âmbito do assessoramento jurídico-administrativo a gestores públicos e possui expertise nas áreas de direito regulatório, municipal, administrativo e financeiro, adquirida ao longo de anos de atuação dos seus sócios fundadores na prestação de serviços técnicos para entidades públicas O escritório oferece serviços de consultoria e auditoria jurídicas, sendo a sua carteira de clientes composta por pessoas jurídicas de direito público (prefeituras, câmaras, órgãos administrativos e demais operadores públicos); sindicatos de servidores públicos e empresas privadas A equipe reúne advogados com formação prática e acadêmica, particularmente aptos a acompanhar os nossos clientes no desenvolvimento das suas atividades em ambientes culturais diferentes, além de uma equipe de apoio composta de profissionais especializados em gestão pública Ao longo dos últimos 10 (dez) anos tem desenvolvido trabalhos exitosos junto ao Sindicato dos Servidores da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia, o que o credencia para a apresentação desse trabalho técnico tão específico e importante para o desenvolvimento da entidade. Página 3 de 20

4 ITEM I.II ADVOGADOS. José Amando Junior e Bruno Torres O escritório apresenta os seguintes profissionais para o a coordenação das atividades propostas nesse Plano de Ação, assim como corpo técnico a ser oportunamente apresentado para o desenvolvimento das atividades de campo: (A) Advogado Mestre em Direito Público pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), com atuação concentrada nas áreas de Direito Eleitoral, Constitucional e Municipal; (B) Lecionou matérias de Direito Público e Direito Eleitoral nos cursos de pós-graduação da Faculdade Ruy Barbosa, EMAB, UNIBAHIA e outras instituições; (C) Foi presidente da Caixa de Assistência dos Advogados da Bahia no triênio , além de presidente da Comissão de Estudos Constitucionais da OAB/BA no biênio ; (D) Foi professor no curso de direito da UFBA, Centro Universitário Jorge Amado, FTC, Faculdades Rui Barbosa, UNINASSAU e UNIFACS; (E) É membro efetivo do Instituto dos Advogados da Bahia IAB. BRUNO ALMEIDA TORRES (A) Advogado com atuação concentrada na área de Direito Público, com ênfase em direito municipal, administrativo e financeiro; (B) Foi assessor jurídico na Caixa de Assistência dos Advogados da Bahia ( ); (C) Foi Procurador Geral do Município (D) de Santanópolis ( ); (E) Consultor jurídico e parecerista em diversas (F) Câmaras e Prefeituras da Bahia. Página 4 de 20

5 ITEM I.III ESCOPO DO PARECER. Contribuição Sindical dos Servidores Públicos O presente Parecer visa a informar os servidores da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia acerca dos aspectos mais importantes da contribuição sindical dos servidores públicos. II CONTRIBUIÇÃO SINDICAL ITEM II.I HISTÓRICO E LEGALIDADE. Contribuição Sindical dos Servidores Públicos A Constituição Federal de 1988 garantiu ao SERVIDOR PÚBLICO CIVIL o direito de associação/sindicalização, através de previsão contida no seu art. 37, inciso VI, não recepcionando o art. 566 da CLT, dispositivo infraconstitucional que vedava tal direito ao servidor público É inquestionável que essa proibição deixou de existir para o servidor público civil. Ora todos os componentes civis dos Poderes Executivo, Judiciário, Legislativo e Ministério Público estão autorizados a organizar-se em sindicato, fato jurídico que ocorre no momento em que a sua categoria resolve instituir uma entidade para tal fim, quer originariamente, quer por transformação de antiga associação de servidores, existente Entretanto, a contribuição sindical antigo imposto sindical que sempre foi recebida pelas entidades representativas dos trabalhadores contratados sob o regime jurídico da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), NÃO FOI RECEBIDA Página 5 de 20

6 IMEDIATAMENTE APÓS A CONSTITUIÇÃO FEDERAL PELOS SINDICATOS DOS SERVIDORES PÚBLICOS NO BRASIL Após a Constituição de 1988, com a incorporação ao sistema jurídico pátrio do direito de sindicalização dos servidores públicos, os Sindicatos de Servidores Públicos, não obtendo apoio da Administração para o recolhimento da contribuição sindical, começaram a demandar ações jurisdicionais para receberem-na, como no caso do SINDSALBA, que impetrou o mandado de segurança nº , em tramitação no Tribunal de Justiça do Estado da Bahia Se, anteriormente, a proibição da sindicalização do Servidor Público era via CLT, logo, garantido ao servidor público civil o direito à livre associação sindical, o direito à contribuição sindical das entidades registradas, previsto na CLT em seus arts. 579 c/c art. 580, inciso I, COROLÁRIO DO DIREITO DE SINDICALIZAÇÃO, também foi incorporado ao novo sistema sindical do serviço público: Art A contribuição sindical é devida por todos aquêles que participarem de uma determinada categoria econômica ou profissional, ou de uma profissão liberal, em favor do sindicato representativo da mesma categoria ou profissão ou, inexistindo êste, na conformidade do disposto no art (Redação dada pelo Decreto-lei nº 229, de ) (Vide Lei nº , de 2008) Art A contribuição sindical será recolhida, de uma só vez, anualmente, e consistirá: (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) (Vide Lei nº , de 2008) I - Na importância correspondente à remuneração de UM DIA DE TRABALHO, para os empregados, qualquer que seja a forma da referida remuneração; (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) Página 6 de 20

7 2.1.6 Sobre a CONTRIBUIÇÃO SINDICAL, vale ressaltar que o Supremo Tribunal Federal teve a oportunidade de decidir acerca da sua RECEPÇÃO PELA CONSTITUIÇÃO DE 1988, ao julgar pedido de medida cautelar na Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 1.076, relatada pelo então Ministro Sepúlveda Pertence No acórdão restou consignado que a contribuição sindical não só era constitucional, mas também tinha caráter tributário e ATINGIA TODA A CATEGORIA PROFISSIONAL REPRESENTADA PELO SINDICATO, consoante consta do acórdão devidamente acostado a este parecer: AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE Nº DISTRITO FEDERAL 4. Razoabilidade da proibição questionada, com relação às entidades sindicais, dada a limitação do princípio constitucional de sua liberdade e autonomia pela regra, também constitucional, da unicidade, que além de conferir-lhes poder de representação de toda a uma categoria, independentemente da filiação individual dos que a compõem -, propicia a manutenção da CONTRIBUIÇÃO SINDICAL, estabelecida por lei e de INEQUÍVOCO CARÁTER TRIBUTÁRIO, CUJO ÂMBITO DE INCIDÊNCIA TAMBÉM SE ESTENDE A TODOS OS INTEGRANTES DA CATEGORIA RESPECTIVA Assim, o DIREITO DE RECEBIMENTO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL POR ENTIDADES OFICIAIS DE SERVIDORES PÚBLICOS, devidamente registradas no Ministério do Trabalho, é direito corolário ao princípio fundamental da liberdade de associação sindical (art. 8 º, inciso I, da CF/88) que, em se cuidando do gênero servidor público civil, está concretizado no art. 37, inciso VI da Constituição Federal Ademais, o Supremo Tribunal Federal também já decidiu explicitamente que a contribuição sindical É DEVIDA AOS SINDICATOS DOS SERVIDORES PÚBLICOS, consoante acórdãos abaixo transcritos e acostados a esta exordial: Página 7 de 20

8 MANDADO DE INJUNÇÃO SÃO PAULO REQUERENTE: ASSOCIAÇÃO PROFISSIONAL DOS BOMBEIROS CIVIS. REQUERIDO: CONGRESSO NACIONAL. EMENTA: - Sindicato de servidores públicos: DIREITO À CONTRIBUIÇÃO SINDICAL COMPULSÓRIA (CLT, ART. 578 SS.), recebida pela Constituição (art. 8º, IV, in fine), condicionado, porém, à satisfação do requisito da unicidade. 1. A Constituição de 1988, à vista do art. 8º, IV, in fine, recebeu o instituto da contribuição sindical compulsória, exigível, nos termos dos arts. 578 ss. CLT, DE TODOS OS INTEGRANTES DA CATEGORIA, independentemente de sua filiação ao sindicato (cf. ADIn 1.076, med. cautelar, Pertence, ). 2. Facultada a formação de sindicatos de servidores públicos (CF, art. 37, IV), não cabe excluí-los do regime da contribuição legal compulsória exigível dos membros da categoria (ADIn 962, , Galvão). 3. A admissibilidade da contribuição sindical imposta por lei é inseparável, no entanto, do sistema de unicidade (CF, art. 8º, II), do qual resultou, de sua vez, o imperativo de um organismo central de registro das entidades sindicais, que, à falta de outra solução legal, CONTINUA SENDO O MINISTÉRIO DO TRABALHO (MI 144, , Pertence). AG. REG. NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO RIO DE JANEIRO RELATOR: MIN. CELSO DE MELLO. AGRAVANTE: INSTITUTO MUNICIPAL DE ARTE E CULTURA RIO ARTE. EMENTA: RECURSO EXTRAORDINÁRIO. CONTRIBUIÇÃO SINDICAL (CF, ART. 8º, IV, IN FINE ) SERVIDOR PÚBLICO EXIGIBILIDADE PRETENDIDA IMPOSIÇÃO DE MULTA AUSÊNCIA DE INTUITO PROCRASTINATÓRIO ATITUDE MALICIOSA QUE NÃO PRESUME Página 8 de 20

9 INAPLICABILIDADE DO ART. 18 E DO 2º DO ART. 557 DO CPC RECURSO DE AGRAVO IMPROVIDO. - A jurisprudência do Supremo Tribunal Federal CONSAGROU ENTENDIMENTO NO SENTIDO DE QUE SE REVELA EXIGÍVEL DOS SERVIDORES PÚBLICOS CIVIS A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL prevista no art. 8º, IV, in fine, da Constituição Federal Observa-se, apenas, que a representatividade sindical deve obedecer ao PRINCÍPIO DA UNICIDADE TERRITORIAL, a qual deverá ser comprovada pelo REGISTRO SINDICAL que, na falta de outro órgão específico, deverá ser providenciado junto ao Ministério do Trabalho, consoante trecho do acórdão do Mandado de Injunção 144, supratranscrito No caso do SINDSALBA, consoante é possível observar dos seus ATOS CONSTITUTIVOS E CERTIDÃO DE REGISTRO SINDICAL [DOCUMENTO 02], acostados a esta exordial, trata-se de ENTIDADE SINDICAL DE 1º GRAU ÚNICA REPRESENTANTE DOS SERVIDORES DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DA BAHIA, plenamente apta ao recebimento da contribuição sindical, inclusive com conta corrente específica junto à Caixa Econômica Federal para esta finalidade, em consonância com o disposto no art. 586 da CLT: Art A contribuição sindical será recolhida, nos meses fixados no presente Capítulo, à Caixa Econômica Federal ao Banco do Brasil S. A. ou aos estabelecimentos bancários nacionais integrantes do sistema de arrecadação dos tributos federais, os quais, de acordo com instruções expedidas pelo Conselho Monetário Nacional, repassarão à Caixa Econômica Federal as importâncias arrecadadas. (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) (Vide Lei nº , de 2008) Não foi à toa que a própria PROCURADORIA GERAL DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA vem sistematicamente opinando pelo recolhimento da contribuição sindical em benefício do SINDSALBA. Página 9 de 20

10 ITEM II.II CONTRIBUINTE E SUBSTITUTO TRIBUTÁRIO. Servidores Públicos e Assembleia Legislativa do Estado da Bahia O contribuinte, sujeito passivo da relação tributária, é o SERVIDOR PÚBLICO, sendo a contribuição sindical uma espécie de tributo compulsório, do qual o Poder Público empregador, a ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DA BAHIA é substituto tributário, responsável apenas pelo recolhimento da contribuição sindical: Art Os EMPREGADORES são obrigados a descontar, da folha de pagamento de seus EMPREGADOS relativa ao MÊS DE MARÇO DE CADA ANO, a contribuição sindical por estes devida aos respectivos sindicatos. (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) (Vide Lei nº , de 2008) Logo, a Assembleia Legislativa não é devedora da Contribuição Sindical, porém, está vinculada ao fato gerador, PORQUE DEVE EFETUAR A RETENÇÃO DO TRIBUTO EM FOLHA DE PAGAMENTO DOS SALÁRIOS DOS SERVIDORES e está obrigadas a recolherem a quantia arrecadada ao SINDSALBA, nos termos do art. 582 da CLT, acima transcrito Nesse sentido, vale ressaltar que a obrigação legal da Assembleia Legislativa decorre do art. 121, inciso II e, 128, do CTN, normas que estabelecem a responsabilidade de terceiros, vinculado aos fatos gerados, pelo pagamento de tributos: Art Sujeito passivo da obrigação principal é a pessoa obrigada ao pagamento de tributo ou penalidade pecuniária. Parágrafo único. O sujeito passivo da obrigação principal diz-se: II - RESPONSÁVEL, QUANDO, SEM REVESTIR A CONDIÇÃO DE CONTRIBUINTE, SUA OBRIGAÇÃO DECORRA DE DISPOSIÇÃO EXPRESSA DE LEI. Página 10 de 20

11 Art Sem prejuízo do disposto neste capítulo, A LEI PODE ATRIBUIR DE MODO EXPRESSO A RESPONSABILIDADE PELO CRÉDITO TRIBUTÁRIO A TERCEIRA PESSOA, vinculada ao fato gerador da respectiva obrigação, excluindo a responsabilidade do contribuinte ou atribuindo-a a este em caráter supletivo do cumprimento total ou parcial da referida obrigação Portanto, a responsabilidade da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia é decorrente de PREVISÃO LEGAL, que visa assegura a aplicação das disposições contidas no art. 578 e seguintes da CLT, visto que se não houvesse esta responsabilidade, a Impetrante teria grandes dificuldades para acionar todos os servidores da categoria. ITEM II.III PROCESSO DE RECOLHIMENTO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL. Retenção e Repasse da Contribuição Sindical A contribuição sindical será anualmente, em única parcela, na importância de um dia de trabalho do servidor público: Art A contribuição sindical será recolhida, de uma só vez, anualmente, e consistirá: (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) (Vide Lei nº , de 2008). I - Na importância correspondente à remuneração de um dia de trabalho, para os empregados, qualquer que seja a forma da referida remuneração; (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) Nos termos do art. 589 da CLT, o SINDSALBA possui direito ao receber 60% (SESSENTA POR CENTO) da receita arrecadada com a referida contribuição sindical, sendo que o restante da receita deverá ser distribuído entre as entidades sindicais de 2º e 3º grau: Página 11 de 20

12 Art Da importância da arrecadação da contribuição sindical serão feitos os seguintes créditos pela Caixa Econômica Federal, na forma das instruções que forem expedidas pelo Ministro do Trabalho: (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) (Vide Lei nº , de 2008) II - para os trabalhadores: (Redação dada pela Lei nº , de 2008) a) 5% (cinco por cento) para a confederação correspondente; (Incluída pela Lei nº , de 2008) b) 10% (dez por cento) para a central sindical; (Incluída pela Lei nº , de 2008) c) 15% (quinze por cento) para a federação; (Incluída pela Lei nº , de 2008) d) 60% (sessenta por cento) para o sindicato respectivo; e (Incluída pela Lei nº , de 2008) e) 10% (dez por cento) para a Conta Especial Emprego e Salário ; (Incluída pela Lei nº , de 2008) Nos termos do art. 589 da CLT, o SINDSALBA possui direito ao receber 60% (SESSENTA POR CENTO) da receita arrecadada com a referida contribuição sindical, sendo que o restante da receita deverá ser distribuído entre as entidades sindicais de 2º e 3º grau: ITEM II.IV ISENÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL. Advogados e Profissionais Liberais que Contribuam para Outro Sindicato Estão isentos do pagamento do tributo os SERVIDORES INVESTIDOS EM CARGOS PRIVATIVOS DE ADVOGADO, com base no art. 47 da Lei Federal nº 8.906/94, que determina: Art. 47. O pagamento da contribuição anual à OAB isenta os inscritos nos seus quadros do pagamento obrigatório da contribuição sindical. Página 12 de 20

13 2.4.2 Oportuno referir que a espécie de contribuição sindical de que trata o supracitado dispositivo do Estatuto da Advocacia é a mesma que ensejou a emissão do presente parecer. É a única dotada de obrigatoriedade, própria de sua natureza tributária. Não se trata, por conseguinte, das demais espécies de arrecadação de fundos sindicais, eis que as outras três espécies são facultativas e só oneram os sindicalizados A mesma lógica não pode ser aplicada aos servidores inscritos nos demais Conselhos de Classes Profissionais, como CRM, CRO, CREA, CRC, CRA e COREN. Ocorre que, afora o Estatuto da Advocacia, as leis que regulamentam as demais atividades profissionais não estabelecem a isenção do tributo sob análise Se a contribuição aos respectivos Conselhos de Classes Profissionais não os isenta do imposto sindical, o pagamento da contribuição à entidade sindical representativa da profissão, quando ocorrer, os libera de tal ônus. É o que dispõe o art. 585, da CLT: Art Os profissionais liberais poderão OPTAR PELO PAGAMENTO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL UNICAMENTE À ENTIDADE SINDICAL REPRESENTATIVA DA RESPECTIVA PROFISSÃO, desde que a exerça, efetivamente, na firma ou empresa e como tal sejam nelas registrados. Parágrafo único. Na hipótese referida neste artigo, à vista da manifestação do contribuinte e DA EXIBIÇÃO DA PROVA DE QUITAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO, dada por sindicato de profissionais liberais, o empregador deixará de efetuar, no salário do contribuinte, o desconto a que se refere o Art A propósito, oportuno discorrer acerca da definição de PROFISSIONAIS LIBERAIS. Constatou-se que não há consenso entre os doutrinadores acerca do significado da expressão. Alguns consideram sinônimo de profissionais autônomos no exercício de atividade de maior complexidade técnica, científica ou artística. Para outros, Página 13 de 20

14 basta a complexidade da atividade profissional com titulação acadêmica, sendo desnecessária a autonomia, razão pela qual admitem a possibilidade de que algumas classes de empregados e de servidores públicos sejam classificadas como profissionais liberais O art. 585, da CLT, ao referir os profissionais liberais, adotou a corrente da compatibilidade de entre as profissões liberais e o vínculo permanente de trabalho subordinado. Neste sentido, a jurisprudência do STJ: TRIBUTÁRIO. RECURSO ESPECIAL. CONTRIBUIÇÃO SINDICAL. EMPREGADOS. RECOLHIMENTO. CRITÉRIO DA PREPONDERÂNCIA DA ATIVIDADE DO EMPREGADOR. ART. 581 E SEGUINTES DA CLT. 1. A contribuição sindical dos empregados é recolhida pelo empregador, mediante desconto em folha de salários, ao sindicato relacionado à atividade preponderante da empresa. 2. Não possuindo o empregador atividade preponderante, deverá a contribuição dos empregados ser recolhida aos sindicatos representativos das diversas categorias profissionais ou econômicas existentes no estabelecimento. 3. A contribuição sindical devida pelos trabalhadores autônomos e profissionais liberais é recolhida diretamente por eles às respectivas entidades sindicais. 4. Caso o empregado, no exercício da liberdade sindical, opte por contribuir ao respectivo sindicato, deverá comunicar o empregador para que deixe de proceder aos descontos em folha de salários. 5. O empregador, até que o empregado comunique que está contribuindo para o sindicato respectivo e apresente o comprovante de quitação, deverá descontar a contribuição e recolhê-la ao sindicato relacionado à atividade preponderante da empresa. 6. Recursos especiais providos. (REsp /PR, Rel. Min Carlos Meira, 2ª T., STJ, Julgado em 22/3/2005) Página 14 de 20

15 2.4.7 Pode-se observar que para obter a isenção da contribuição sindical devida ao sindicato ou à federação dos servidores da Assembleia Legislativa não basta encontrar-se investido em cargo sujeito à inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil ou em cargo característico de profissional liberal É necessário comprovar o pagamento da contribuição sindical a tais entidades, instruindo o pedido de não-retenção do tributo ao setor de recursos humanos da Assembleia Legislativa com os seguintes documentos: (A) COMPROVANTE DE QUITAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL A SINDICATO DE CATEGORIA DE PROFISSIONAIS LIBERAIS, MEDIANTE APRESENTAÇÃO DE GUIA DE RECOLHIMENTO DO TRIBUTO OU CERTIDÃO DE QUITAÇÃO EMITIDA PELA ENTIDADE. (B) CERTIDÃO DE REGISTRO SINDICAL DO REFERIDO SINDICATO DE CATEGORIA DE PROFISSIONAIS LIBERAIS, COMPROVANDO QUE O MESMO ESTÁ APTO A RECEBER A REFERIDA CONTRIBUIÇÃO Comprovado documentalmente, o pedido deve ser feito ao setor de recurso humanos da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia. Não sendo realizado o pedido, o desconto em folha de pagamento do valor da contribuição sindical deverá continuar a ser realizado pela Assembleia. ITEM II.V BASE DE CÁLCULO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL. Remuneração do Servidor Público. Exclusão das Parcelas Indenizatórias O já transcrito inciso I, do art. 580, da CLT, ao referir a importância correspondente a um dia de trabalho estabelece que a base de cálculo do referido tributo é um dia do salário do servidor. Página 15 de 20

16 2.5.2 Disciplinando a matéria, o Ministério do Trabalho expediu a Nota Técnica SRT TEM nº 36/2009, estabelecendo que: 2. Entende esta Secretaria, em consonância com referida instrução, que todos os servidores públicos brasileiros, independentemente do regime jurídico a que pertençam, devem ter recolhida, a título de contribuição sindical prevista no art. 578 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, pelos entes da administração pública federal, estadual e municipal, direta e indireta, com desconto, sob rubrica própria, na folha de pagamento do mês de março de cada ano, a importância correspondente À REMUNERAÇÃO OU SUBSÍDIO DE UM DIA DE TRABALHO, EXCETUADAS AS PARCELAS DE NATUREZA INDENIZATÓRIA Destarte, vê-se que a base de cálculo do tributo não é o vencimento básico do servidor e sim a sua remuneração, excluindo-se da base de cálculo as parcelas de natureza indenizatórias, estabelecidas pelo art. 28, 9º da Lei 8.212/91, que não integram o salário de contribuição previdenciária: abonos de férias; cotas de saláriofamília; ajudas de custo; parcela in natura recebida de acordo com o PAT; aviso prévio e férias indenizadas; indenização por tempo de serviço e indenização adicional; valetransporte; diárias de viagem que não excedam 50% do salário; bolsa de complementação educacional de estagiário e participação nos lucros. ITEM II.VI COMPULSORIEDADE DO TRIBUTO. Obrigatoriedade da Retenção e Repasse da Administração Pública A cobrança do tributo é compulsória e se não for realizada no período devido ensejará aplicação de multa sobre o atraso: Art O recolhimento da contribuição sindical efetuado fora do prazo referido neste Capítulo, quando espontâneo, será acrescido da multa de 10% (dez por cento), nos 30 (trinta) primeiros dias, com o adicional de 2% (dois por cento) por mês subseqüente de atraso, além de juros de mora de 1 % Página 16 de 20

17 (um por cento) ao mês e correção monetária, ficando, nesse caso, o infrator, isento de outra penalidade. (Redação dada pela Lei nº 6.181, de ) (Vide Lei nº , de 2008) 1º - O montante das cominações previstas neste artigo reverterá sucessivamente: (Redação dada pela Lei nº 6.181, de ) a) ao Sindicato respectivo; b) à Federação respectiva, na ausência de Sindicato; c) à Confederação respectiva, inexistindo Federação. 2º - Na falta de Sindicato ou entidade de grau superior, o montante a que alude o parágrafo precedente reverterá à conta "Emprego e Salário". (Redação dada pela Lei nº 6.181, de ) Ratificou esse entendimento o Superior Tribunal de Justiça, em relação à cobrança da contribuição sindical para os servidores públicos: RECURSO ESPECIAL Nº RS (2002/ ) EMENTA 1. A concessão de Mandado de Segurança, para que a Administração efetue descontos em folha de pagamento não substitui qualquer ação de cobrança nem interfere com a Súmula 269, do Supremo Tribunal Federal. 2. Os artigos 545 e seguintes, da CLT obrigam a Administração a descontar, em folha de pagamento de seus servidores, INDEPENDENTEMENTE DE QUALQUER FORMALIDADE, a contribuição sindical Portanto, a Assembleia Legislativa do Estado da Bahia está obrigada a reter a contribuição sindical dos seus servidores, sob pena de aplicação das cominações legais, independentemente de qualquer formalidade tal qual requisição por parte do SINDSALBA, a qual se faz plenamente desnecessária. Página 17 de 20

18 2.6.4 O não-repasse, por sua vez, implica em caracterização de crime de apropriação indébita por parte do Administrador Público, no caso, o Presidente da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia: RECURSO ESPECIAL Nº RS (2002/ ) EMENTA 1. A concessão de Mandado de Segurança, para que a Administração efetue descontos em folha de pagamento não substitui qualquer ação de cobrança nem interfere com a Súmula 269, do Supremo Tribunal Federal. 2. Os artigos 545 e seguintes, da CLT obrigam a Administração a descontar, em folha de pagamento de seus servidores, INDEPENDENTEMENTE DE QUALQUER FORMALIDADE, a contribuição sindical. RECURSO ORDINÁRIO EM MS Nº DF (2002/ ) RELATOR: MINISTRO HUMBERTO GOMES DE BARROS EMENTA I - PROCESSUAL - RECURSO - ERRO NA DENOMINAÇÃO - APROVEITAMENTO. II - ADMINISTRATIVO - CONTRIBUIÇÃO SINDICAL - NATUREZA TITULARIDADE - RETENÇÃO PELO ESTADO - EMPREGADOR - ILICITUDE. III - ADMINISTRATIVO - DISTRITO FEDERAL - "CUSTO OPERACIONAL". I - O engano na denominação de ato processual não lhe altera a substância. Bem por isso, não se deve negar conhecimento ao apelo, em função do nome que o recorrente lhe emprestou. Se, embora sob denominação equivocada, o recurso tem como destinatário o órgão competente para conhecer do recurso cabível, e satisfaz todos os requisitos de admissibilidade não há como desconhecê-lo. II - A contribuição sindical retirada do salário do servidor público, não constitui parcela devida pela Administração ao sindicato, mas contribuição feita pelo trabalhador, diretamente à entidade a que se filiou. Assim, a parcela retida no pagamento do salário, incorpora-se automaticamente ao patrimônio do sindicato e deve ser imediatamente repassada a ele. Quando afirma que paga o valor líquido do vencimento devido ao servidor, a Administração está dizendo que reteve de tal remuneração, parcela que não Página 18 de 20

19 lhe pertence, mas a terceiro (o Sindicato). Deixando de transferir, sem demora, a parcela descontada ao patrimônio de seu dono, A ADMINISTRAÇÃO ESTÁ PRATICANDO APROPRIAÇÃO INDÉBITA ATO ILÍCITO, AGRESSOR DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO DO SINDICATO. III - Não é lícita a cobrança de custo operacional na retenção da contribuição mensal em favor de entidades sindicais na forma do Art. 8º, inciso IV da Constituição Federal. O Art. 3º do Dec /2.000 veda tal retenção. ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos os autos em que são partes as acima indicadas, acordam os Ministros da PRIMEIRA TURMA do Superior Tribunal de Justiça na conformidade dos votos e das notas taquigráficas a seguir, por unanimidade, dar parcial provimento ao recurso, nos termos do voto do Sr. Ministro Relator. Os Srs. Ministros José Delgado, Francisco Falcão e Teori Albino Zavascki votaram com o Sr. Ministro Relator. Ausente, justificadamente, o Sr. Ministro Luiz Fux. Brasília (DF), 13 de maio de 2003 (Data do Julgamento). MINISTRO HUMBERTO GOMES DE BARROS Relator Destarte, o repasse do recurso deve ser realizado imediatamente após a retenção do tributo pela Administração Pública. ITEM II.VII DESTINAÇÃO DOS RECURSOS. Aplicação dos Recursos da Contribuição Sindical pelas Entidades de Classe A destinação dos recursos provenientes da contribuição sindical pelas entidades de classe está disciplinada no art. 529 da CLT: Página 19 de 20

20 Art A contribuição sindical, além das despesas vinculadas à sua arrecadação, recolhimento e controle, será aplicada pelos sindicatos, na conformidade dos respectivos estatutos, usando aos seguintes objetivos: (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) (Vide Lei nº , de 2008) II - Sindicatos de empregados: (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) a) assistência jurídica; (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) b) assistência médica, dentária, hospitalar e farmacêutica; (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) c) assistência à maternidade; (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) d) agências de colocação; (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) e) cooperativas; (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) f) bibliotecas; (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) g) creches; (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) h) congressos e conferências; (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) i) auxilio-funeral; (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) j) colônias de férias e centros de recreação; (Redação dada pela Lei nº 6.386, de ) l) prevenção de acidentes do trabalho; (Incluída pela Lei nº 6.386, de ) m) finalidades deportivas e sociais; (Incluída pela Lei nº 6.386, de ) n) educação e formação profissicinal. (Incluída pela Lei nº 6.386, de ) o) bolsas de estudo. (Incluída pela Lei nº 6.386, de ) Ante o todo exposto, ressalvados novos entendimentos jurisprudenciais acerca da natureza e regime jurídicos da Contribuição Sindical, É O PARECER. SALVADOR, 14 DE OUTUBRO DE Página 20 de 20

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS fls. 122 Processo: 0135890-46.2012.8.06.0001 - Apelação Apelante: Sindicato dos Guardas Municipais da Região Metrolitana de Fortaleza - SINDIGUARDAS Apelado: Município de Fortaleza Vistos etc. DECISÃO

Leia mais

Contribuição Sindical. Conceito

Contribuição Sindical. Conceito Contribuição Sindical Conceito A Contribuição Sindical é um tributo federal (art. 149 da CF), descontada em folha de pagamento e que deve ser recolhida compulsoriamente pelos empregadores, conforme estabelecido

Leia mais

URGENTE. Para: SINDICATO DOS FISCAIS E AGENTES FISCAIS DE TRIBUTOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS- SINDIFISCO/MG PARECER

URGENTE. Para: SINDICATO DOS FISCAIS E AGENTES FISCAIS DE TRIBUTOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS- SINDIFISCO/MG PARECER URGENTE De: Departamento Jurídico do SINDIFISCO/MG Belo Horizonte, 23 de abril de 2009. Para: SINDICATO DOS FISCAIS E AGENTES FISCAIS DE TRIBUTOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS- SINDIFISCO/MG PARECER Trata-se

Leia mais

COMUNICADO nº 033/2013. Aos: Senhores prefeitos, secretários dos municípios e executivos de Associações de Municípios.

COMUNICADO nº 033/2013. Aos: Senhores prefeitos, secretários dos municípios e executivos de Associações de Municípios. COMUNICADO nº 033/2013 Aos: Senhores prefeitos, secretários dos municípios e executivos de Associações de Municípios. Referente: Contribuição Sindical. A na busca de auxiliar os gestores públicos municipais

Leia mais

Assunto Urgente: OBRIGATORIEDADE DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL DO PROFISSIONAL LIBERAL ( ASSISTENTE SOCIAL)

Assunto Urgente: OBRIGATORIEDADE DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL DO PROFISSIONAL LIBERAL ( ASSISTENTE SOCIAL) Assunto Urgente: OBRIGATORIEDADE DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL DO PROFISSIONAL LIBERAL ( ASSISTENTE SOCIAL) O Sindicato dos Assistentes Sociais vem prestar esclarecimentos com relação à contribuição sindical,

Leia mais

Contribuição Sindical Patronal

Contribuição Sindical Patronal Contribuição Sindical Patronal Aspectos Legais O recolhimento da contribuição sindical é obrigatório conforme se verifica nos artigos 578, 579 e 580 da Consolidação das Leis do Trabalho: TÍTULO V - DA

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. Assunto: Desconto da Contribuição Sindical previsto no artigo 8º da Constituição Federal, um dia de trabalho em março de 2015.

Leia mais

Ana Lúcia Ricarte OAB/MT 4.411 CUIABÁ, 12 DE FEVEREIRO DE 2015.

Ana Lúcia Ricarte OAB/MT 4.411 CUIABÁ, 12 DE FEVEREIRO DE 2015. CUIABÁ, 12 DE FEVEREIRO DE 2015. PARECER Nº 018/2015 INTERESSADO: PRESIDENTE DO CONSELHO REGIONAL DE ODONTOLOGIA DE MATO GROSSO ASSUNTO: CONTRIBUIÇÃO SINDICAL ADVOGADA: ANA LÚCIA RICARTE A Presidente do

Leia mais

Tal matéria é expressa pela Constituição Federal em seu art. 8º, IV:

Tal matéria é expressa pela Constituição Federal em seu art. 8º, IV: Parecer sobre Imposto Sindical A contribuição sindical, também denominada imposto sindical, é espécie de contribuição compulsória devida aos sindicatos, federações e confederações para sustentação econômica

Leia mais

Assunto: A Contribuição Sindical dos Profissionais Liberais.

Assunto: A Contribuição Sindical dos Profissionais Liberais. Rio de Janeiro, 05 de janeiro de 2015. Assunto: A Contribuição Sindical dos Profissionais Liberais. Carta Aberta aos Departamentos de Recursos Humanos e Jurídicos das Empresas Privadas, Públicas ou de

Leia mais

1. Do conjunto normativo que disciplina a criação de sindicatos e a filiação dos servidores públicos

1. Do conjunto normativo que disciplina a criação de sindicatos e a filiação dos servidores públicos Nota Técnica nº 07/2008 SINASEFE. Dispositivo do Estatuto que permite a incorporação de outros sindicatos à entidade, na condição de seções sindicais. Análise da legalidade da disposição à luz da Constituição

Leia mais

Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 1ª RF

Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 1ª RF Fls. 1 Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 1ª RF Solução de Consulta Interna nº 1 Data 15 de junho de 2012 Origem DIFIS/SRRF01 (e processo nº 10166.725012/2012 53) Assunto: Contribuições

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA AGRAVANTE : ONDREPSB LIMPEZA E SERVIÇOS ESPECIAIS LTDA ADVOGADO : IVAR LUIZ NUNES PIAZZETA E OUTRO(S) AGRAVADO : FAZENDA NACIONAL PROCURADORES : ANGELA T GOBBI ESTRELLA

Leia mais

Ilegalidade e inconstitucionalidade da cobrança da Contribuição Sindical Rural. Proposta de sua extinção

Ilegalidade e inconstitucionalidade da cobrança da Contribuição Sindical Rural. Proposta de sua extinção Ilegalidade e inconstitucionalidade da cobrança da Contribuição Sindical Rural. Proposta de sua extinção Kiyoshi Harada* É pacífico na doutrina e na jurisprudência que o crédito tributário resulta do ato

Leia mais

VOTO EM SEPARADO DA DEPUTADA ANDRÉIA ZITO

VOTO EM SEPARADO DA DEPUTADA ANDRÉIA ZITO COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 6.708, DE 2009. Acrescenta Capítulo III-A ao Título V da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei nº

Leia mais

A Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, Aprova:

A Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, Aprova: PROJETO DE LEI Nº 131/2010 Dispõe sobre a criação do Fundo Especial dos Procuradores, Consultores Jurídicos, Assessores Técnicos Jurídicos e Advogados Públicos Municipais de Foz do Iguaçu. Autor: Vereador

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Eduardo Gomes)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Eduardo Gomes) PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Eduardo Gomes) Acrescenta parágrafo único ao art. 23 da Lei nº 8.906, de 04 de Julho de 1994, que dispõe sobre o Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil

Leia mais

ENTIDADE DE EDUCAÇÃO SEM FINALIDADE LUCRATIVA ISENÇÃO DA COFINS SOBRE RECEITAS PRÓPRIAS E RECOLHIMENTO

ENTIDADE DE EDUCAÇÃO SEM FINALIDADE LUCRATIVA ISENÇÃO DA COFINS SOBRE RECEITAS PRÓPRIAS E RECOLHIMENTO ENTIDADE DE EDUCAÇÃO SEM FINALIDADE LUCRATIVA ISENÇÃO DA COFINS SOBRE RECEITAS PRÓPRIAS E RECOLHIMENTO DA CONTRIBUIÇÃO DO PIS/PASEP MEDIANTE ALÍQUOTA DE 1% (UM POR CENTO) INCIDENTE SOBRE A FOLHA DE SALÁRIO

Leia mais

Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação?

Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação? 1 Sumário I. Introdução... 3 II. Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação?... 3 III. As Imunidades Tributárias das Empresas Juniores... 4 IV. Incidência de Tributos sobre Empresas Juniores:...

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL EMPREGADOS

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL EMPREGADOS CONTRIBUIÇÃO SINDICAL EMPREGADOS INTRODUÇÃO Dispõe o Art. 578 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que a contribuição devida aos sindicatos pelos que participam das categorias econômicas ou profissionais

Leia mais

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL OBRIGATORIEDADE

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL OBRIGATORIEDADE FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Os artigos 578 e 579 da CLT preveem que as contribuições devidas aos sindicatos, pelos que participem das categorias econômicas ou profissionais ou das profissões liberais representadas

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli APELAÇÃO CÍVEL Nº 550822-PE (2001.83.00.010096-5) APTE : INSS - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL REPTE : PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE APDO : LUZIA DOS SANTOS SANTANA ADV/PROC : SEM ADVOGADO/PROCURADOR

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL EDILSON PEREIRA NOBRE JÚNIOR

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL EDILSON PEREIRA NOBRE JÚNIOR AC Nº 540866/PE (0010598-17.2010.4.05.8300) APTE : UNIMED GUARARAPES - COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO ADV/PROC : BRUNO BEZERRA DE SOUZA e outros APDO : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ASSIST MP : ANS - AGÊNCIA

Leia mais

SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO

SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO A OCB/TO é formada por cooperativas singulares, federações e centrais de todos os ramos. Pela Lei 5.764/71, ainda em vigor, todas

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA ADVOGADO : LUIZ ANTÔNIO MUNIZ MACHADO E OUTRO(S) EMENTA DIREITO SINDICAL. CONTRIBUIÇÃO SINDICAL RURAL. ART. 8º, IV, DA CF/88. COMPETÊNCIA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. PUBLICAÇÃO

Leia mais

PARCELAMENTO TRIBUTÁRIO

PARCELAMENTO TRIBUTÁRIO PARCELAMENTO TRIBUTÁRIO Depósitos Judiciais (REsp. 1.251.513/PR) e a conversão do depósito pela Fazenda Pública José Umberto Braccini Bastos umberto.bastos@bvc.com.br CTN ART. 151 o depósito é uma das

Leia mais

Honorários advocatícios

Honorários advocatícios Honorários advocatícios Os honorários advocatícios são balizados pelo Código de Processo Civil brasileiro (Lei de n. 5.869/73) em seu artigo 20, que assim dispõe: Art. 20. A sentença condenará o vencido

Leia mais

REDUÇÃO DOS ENCARGOS PREVIDENCIÁRIOS NOVAS TESES

REDUÇÃO DOS ENCARGOS PREVIDENCIÁRIOS NOVAS TESES REDUÇÃO DOS ENCARGOS PREVIDENCIÁRIOS NOVAS TESES INCIDÊNCIAS SOBRE A FOLHA-DE-SALÁRIOS EMPRESAS DE LIMPEZA (CNAE 81.21-4-00 + 81.29-0-00) (FPAS 515) 20% - COTA PATRONAL 3,0% - SAT 5,8% - ENTIDADES TERCEIRAS

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Diário da Justiça de 05/05/2006 28/03/2006 SEGUNDA TURMA RELATOR : MIN. EROS GRAU AGRAVANTE(S) : SINDICATO DOS TRABALHADORES EM HOTÉIS, APART-HOTÉIS, MOTÉIS, FLATS, PENSÕES, HOSPEDARIAS, POUSADAS, RESTAURANTES,

Leia mais

A Constituição Federal de 1988 estabeleceu:

A Constituição Federal de 1988 estabeleceu: A Constituição Federal de 1988 estabeleceu: Art. 8º É livre a associação profissional ou sindical, observado o seguinte: Art. 37º... VI - é garantido ao servidor público civil o direito à livre associação

Leia mais

DECISÕES» ISS. 3. Recurso especial conhecido e provido, para o fim de reconhecer legal a tributação do ISS.

DECISÕES» ISS. 3. Recurso especial conhecido e provido, para o fim de reconhecer legal a tributação do ISS. DECISÕES» ISS INTEIRO TEOR. EMENTA. TRIBUTÁRIO. RECURSO ESPECIAL. ATIVIDADE DE INCORPORAÇÃO DE IMÓVEIS. EXISTÊNCIA DE DOIS CONTRATOS: O DE COMPRA E VENDA E O DE EMPREITADA. CARACTERIZAÇÃO DE FATO GERADOR

Leia mais

1 Considerações Gerais

1 Considerações Gerais PARECER COLETIVO Nº 203 PROCESSO Nº 1.061532.08.8 INTERESSADA: Secretaria Municipal de Administração ASSUNTO: Contribuição Sindical 1 Considerações Gerais Contribuição sindical. Servidores estatutários.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 45.441 - SP (2014/0092323-3) RELATOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES RECORRENTE : CONFEDERAÇÃO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO BRASIL - CSPB ADVOGADOS : MARCELO HENRIQUE

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro.

Excelentíssimo Senhor Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. Excelentíssimo Senhor Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro., vem, auxiliado pela Amaerj Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro, com fulcro na jurisprudência e legislação

Leia mais

PARECER JURÍDICO. ORIGEM: Departamento Jurídico. DESTINO: Diretor Titular da Secretaria de Finanças Prof. Amarildo Pedro Cenci

PARECER JURÍDICO. ORIGEM: Departamento Jurídico. DESTINO: Diretor Titular da Secretaria de Finanças Prof. Amarildo Pedro Cenci PARECER JURÍDICO ORIGEM: Departamento Jurídico DESTINO: Diretor Titular da Secretaria de Finanças Prof. Amarildo Pedro Cenci QUESTÃO: - A Contribuição Sindical de Professores que laboram em Instituições

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 712.998 - RJ (2004/0180932-3) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN RECORRENTE : MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO PROCURADOR : MARIANA RODRIGUES KELLY E SOUSA E OUTRO(S) RECORRIDO : ADELINO

Leia mais

i iiiiii uni uni mil uni mil mil mil llll llll

i iiiiii uni uni mil uni mil mil mil llll llll sajfâu PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO 397 ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SAC>PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA REGISTRADO(A) SOB N i iiiiii uni uni mil uni mil mil mil llll llll Vistos,

Leia mais

SEÇÃO IX DISPOSIÇÕES GERAIS

SEÇÃO IX DISPOSIÇÕES GERAIS SEÇÃO IX DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 558 - São obrigadas ao registro todas as associações profissionais constituídas por atividades ou profissões idênticas, similares ou conexas, de acordo com o art. 511 e

Leia mais

LEI Nº 599/2011. Artigo 1 - As consignação Pública direta e indireta do Município de Novo São Joaquim são disciplinadas por esta Lei.

LEI Nº 599/2011. Artigo 1 - As consignação Pública direta e indireta do Município de Novo São Joaquim são disciplinadas por esta Lei. LEI Nº 599/2011 DISPÕE SOBRE AS CONSIGNAÇÕES EM FOLHA DE PAGAMENTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS E DA OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEONARDO FARIAS ZAMPA, Prefeito Municipal de Novo São Joaquim MT faz saber

Leia mais

ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR E REGIME TRIBUTÁRIO PROF. SERGIO MONELLO

ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR E REGIME TRIBUTÁRIO PROF. SERGIO MONELLO ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR E REGIME TRIBUTÁRIO PROF. SERGIO MONELLO 08/10/2013 Para as desonerações tributárias, as entidades podem ser divididas em dois campos: 1) as imunes 2) as isentas 2 IMUNIDADE

Leia mais

Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social

Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social 1.4.7.3. Contribuições do art.195 CF Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social (previdência, saúde e assistência social), espécies de contribuições sociais, como

Leia mais

Contribuições sindicais

Contribuições sindicais Contribuições sindicais 1. Aspectos gerais A contribuição sindical é uma receita que tem como fundamento, precípuo, viabilizar a atividade da entidade sindical para fins de defesa dos interesses de determinada

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL URBANA (IMPOSTO SINDICAL) ATUALIZADAS

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL URBANA (IMPOSTO SINDICAL) ATUALIZADAS PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL URBANA (IMPOSTO SINDICAL) ATUALIZADAS 1ª pergunta: Quem paga a Contribuição Sindical Urbana CSU (imposto sindical)? a) Os profissionais liberais, entre

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI PROCURADORES : CLAUDIO XAVIER SEEFELDER FILHO DEYSI CRISTINA DA 'ROLT E OUTRO(S) EMENTA TRIBUTÁRIO. EXECUÇÃO FISCAL. DECLARAÇÃO DO DÉBITO PELO CONTRIBUINTE (DCTF).

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS Disciplina: Direito do Trabalho II Professora: Cláudia Glênia JUR: NÃO DEVE SER USADO COMO CONTEÚDO DE ESTUDO, NÃO DEVE SER

Leia mais

Gestão Financeira de Entidades Sindicais

Gestão Financeira de Entidades Sindicais Gestão Financeira de Entidades Sindicais Constituição Federal Art. 150. Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao contribuinte, é vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:

Leia mais

Limitações na ação de consignação em pagamento. Sumário: 1 Conceito. 2 Sua disciplina legal. 3 Limites da ação em consignação em pagamento.

Limitações na ação de consignação em pagamento. Sumário: 1 Conceito. 2 Sua disciplina legal. 3 Limites da ação em consignação em pagamento. Limitações na ação de consignação em pagamento Kiyoshi Harada* Sumário: 1 Conceito. 2 Sua disciplina legal. 3 Limites da ação em consignação em pagamento. 1 Conceito O que significa consignação em pagamento?

Leia mais

02/2011/JURÍDICO/CNM. INTERESSADOS:

02/2011/JURÍDICO/CNM. INTERESSADOS: PARECER Nº 02/2011/JURÍDICO/CNM. INTERESSADOS: DIVERSOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS. ASSUNTOS: BASE DE CÁLCULO DO ADICIONAL DE INSALUBRIDADE DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS. DA CONSULTA: Trata-se de consulta

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 437.853 - DF (2002/0068509-3) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI RECORRENTE : FAZENDA NACIONAL PROCURADOR : DANIEL AZEREDO ALVARENGA E OUTROS RECORRIDO : ADVOCACIA BETTIOL S/C

Leia mais

VI Exame OAB 2ª FASE Padrão de correção Direito Tributário

VI Exame OAB 2ª FASE Padrão de correção Direito Tributário VI Exame OAB 2ª FASE Padrão de correção Direito Tributário Peça GABARITO COMENTADO O Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) é imposto de competência municipal, cabendo à lei complementar estabelecer

Leia mais

EMENTA ACÓRDÃO. LUÍSA HICKEL GAMBA Relatora

EMENTA ACÓRDÃO. LUÍSA HICKEL GAMBA Relatora INCIDENTE DE UNIFORMIZAÇÃO JEF Nº 2005.70.53.001322-8/PR RELATOR : Juiz D.E. Publicado em 20/02/2009 EMENTA ADMINISTRATIVO. SERVIDOR PUBLICO. ADICIONAL POR TEMPO DE SERVIÇO. ANUÊNIOS SUBSTITUÍDOS POR QÜINQÜÊNIOS.

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 5.423, DE 2009 Acrescenta dispositivo à Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, estabelecendo

Leia mais

Inteiro Teor (869390)

Inteiro Teor (869390) : Acórdão Publicado no D.J.U. de 19/10/2005 EMENTA PREVIDENCIÁRIO. REVISÃO DA RMI. IRSM DE FEVEREIRO/94 (39,67%). NÃO RETENÇÃO DE IRRF. JUROS MORATÓRIOS. 1. Os salários de contribuição devem ser reajustados,

Leia mais

Novély Vilanova da Silva Reis. Juiz Federal em Brasília. novely@df.trf1.gov.br

Novély Vilanova da Silva Reis. Juiz Federal em Brasília. novely@df.trf1.gov.br JUROS E CORREÇÃO MONETÁRIA DECORRENTES DE SENTENÇA Novély Vilanova da Silva Reis. Juiz Federal em Brasília. novely@df.trf1.gov.br Qualquer débito decorrente de decisão judicial, incide juros ainda que

Leia mais

Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014

Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014 Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014 Regulamenta o oferecimento e a aceitação do seguro garantia judicial para execução fiscal e seguro garantia parcelamento administrativo fiscal para

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.094.735 - PR (2008/0223408-4) RELATOR : MINISTRO FRANCISCO FALCÃO RECORRENTE : FAZENDA NACIONAL PROCURADOR : PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL RECORRIDO : ADELSON BARBOSA DOS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 340.091 - RS (2013/0142183-2) RELATOR AGRAVANTE AGRAVADO : MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO : METILDE CASAGRANDE SOUZA E OUTROS : CLARISSA ASSUNÇÃO VIEIRA E OUTRO(S) FLÁVIO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS RELATÓRIO O Excelentíssimo Senhor Desembargador Federal FRANCISCO BARROS DIAS (Relator): Trata-se de recurso de apelação interposto por JOSÉ PINTO DA NÓBREGA contra a sentença que, em sede de mandado de

Leia mais

NOTA TÉCNICA 48 2013. Lei nº 12.873 de 24/10/2013: PROSUS Registros de preços

NOTA TÉCNICA 48 2013. Lei nº 12.873 de 24/10/2013: PROSUS Registros de preços NOTA TÉCNICA 48 2013 Lei nº 12.873 de 24/10/2013: PROSUS Registros de preços Brasília, 29 de outubro de 2013 INTRODUÇÃO A Lei 12.873 de 24/10/13 trata de vários assuntos, altera algumas leis e entre os

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 716.939- RN(2005/0005605-5) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN RECORRENTE : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL RECORRIDO : SIBRA EMPREENDIMENTOS S/A ADVOGADO : RAULINO SALES SOBRINHO E OUTRO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO RECURSO ESPECIAL Nº 1.575.381 - ES (2015/0320103-6) : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES : COOPERATIVA DE ECONOMIA DE CREDITO MUTUO DOS SERVIDORES DO DEPARTAMENTO DE

Leia mais

ACUMULAÇÃO DE CARGOS PÚBLICOS POR MILITARES

ACUMULAÇÃO DE CARGOS PÚBLICOS POR MILITARES ACUMULAÇÃO DE CARGOS PÚBLICOS POR MILITARES 1. INTRODUÇÃO O presente estudo tem por finalidade analisar a possibilidade de um militar exercer, na ativa ou na reserva remunerada, outro cargo público e receber,

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.191.881 - RJ (2010/0080549-7) RELATOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES RECORRENTE : RECOMEX REPRESENTAÇÃO E COMÉRCIO EXTERIOR LTDA ADVOGADO : ALBERTO DAUDT DE OLIVEIRA E OUTRO(S)

Leia mais

LEI Nº 7.560, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1986

LEI Nº 7.560, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1986 LEI Nº 7.560, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1986 Cria o Fundo de Prevenção, Recuperação e de Combate às Drogas de Abuso, dispõe sobre os Bens Apreendidos e Adquiridos com Produtos de Tráfico Ilícito de Drogas ou

Leia mais

tributo e suas espécies

tributo e suas espécies CAPÍTULO I Direito Tributário, tributo e suas espécies Sumário 1. Breve introdução ao Direito Tributário 2. Tributo 3. Espécies tributárias: 3.1. Impostos; 3.2. Taxas; 3.3. Contribuição de melhoria; 3.4.

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO

DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO EXCLUSÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO Art. 175 ao Art. 182 CTN Centro de Ensino Superior do Amapá Direito Financeiro e Tributário II Professora: Ilza Facundes Macapá-AP, 2013.1

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SEGUNDO CONSELHO DE CONTRIBUINTES PRIMEIRA CÂMARA. BAURUCAR AUTOMÓVEIS E ACESSÓRIOS LTDA. DRJ em São Paulo - SP

MINISTÉRIO DA FAZENDA SEGUNDO CONSELHO DE CONTRIBUINTES PRIMEIRA CÂMARA. BAURUCAR AUTOMÓVEIS E ACESSÓRIOS LTDA. DRJ em São Paulo - SP CC02/C01 Fls. nfls txtfls182 Old MINISTÉRIO DA FAZENDA SEGUNDO CONSELHO DE CONTRIBUINTES PRIMEIRA CÂMARA Processo nº 10825.000305/2003-22 Recurso nº 135.656 Matéria PIS/Pasep Acórdão nº 201-81.013 Sessão

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 704.881 - RS (2004/0126471-0) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN AGRAVANTE : TRANSPORTADORA DE CARGAS MERCOSUL LTDA ADVOGADO : CLÁUDIO LEITE PIMENTEL E OUTRO(S) AGRAVADO

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO ATO CONJUNTO Nº 3/TST.CSJT, DE 1º DE MARÇO DE 2013

CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO ATO CONJUNTO Nº 3/TST.CSJT, DE 1º DE MARÇO DE 2013 CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO ATO CONJUNTO Nº 3/TST.CSJT, DE 1º DE MARÇO DE 2013 Uniformiza o Programa de Assistência Pré-Escolar no âmbito do Tribunal Superior do Trabalho e da Justiça do Trabalho

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais,

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais, RESOLUÇÃO Nº 01/99 NORMAS DE ARRECADAÇÃO DIRETA MEDIANTE CONVÊNIO, alterações, aprova A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares

Leia mais

(6^_ê0â1R0) (D=:A5) - Nº Lote: 2013101705-2_1 - REEXAME NECESSÁRIO N. 2008.34.00.006506-3/DF - TR14403 V O T O RELATÓRIO

(6^_ê0â1R0) (D=:A5) - Nº Lote: 2013101705-2_1 - REEXAME NECESSÁRIO N. 2008.34.00.006506-3/DF - TR14403 V O T O RELATÓRIO (6^_ê0â1R0) PODER JUDICIÁRIO RELATÓRIO Trata-se de reexame necessário de sentença em que o magistrado da 9ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, em ação de mandado de segurança, concedeu

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 893.036 - SP (2006/0221290-0) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI EMENTA ADMINISTRATIVO. SERVIÇOS DE TELEFONIA. DEMANDA ENTRE CONCESSIONÁRIA E USUÁRIO. INEXISTÊNCIA DE LITISCONSÓRCIO

Leia mais

A atividade contábil e o ISS

A atividade contábil e o ISS A atividade contábil e o ISS Janeiro de 2014. A prática da atividade de contabilista pode ser exercida por profissional autônomo, sociedade empresária e sociedade simples. Para tanto, o responsável tem

Leia mais

RELATÓRIO O SR. DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO ROBERTO DE OLIVEIRA LIMA (RELATOR):

RELATÓRIO O SR. DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO ROBERTO DE OLIVEIRA LIMA (RELATOR): PROCESSO Nº: 0806690-65.2014.4.05.8400 - APELAÇÃO RELATÓRIO O SR. DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO ROBERTO DE OLIVEIRA LIMA (RELATOR): Trata-se de apelação interposta pelo Conselho Regional de Corretores de

Leia mais

RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA NA CISÃO PARCIAL

RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA NA CISÃO PARCIAL RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA NA CISÃO PARCIAL Gilberto de Castro Moreira Junior * O artigo 229 da Lei das Sociedades Anônimas (Lei nº 6.404/76) define a cisão como sendo a operação pela qual a companhia

Leia mais

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO 1 1) O DIREITO MATERIAL DE PAGAMENTO POR CONSIGNAÇÃO a) Significado da palavra consignação b) A consignação como forma de extinção da obrigação c) A mora accipiendi 2 c)

Leia mais

BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE A RPV. (Requisição de Pequeno Valor)

BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE A RPV. (Requisição de Pequeno Valor) BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE A RPV (Requisição de Pequeno Valor) Hugo Soares Porto Fonseca O caput do art. 100 da Constituição Federal 1 determina que os pagamentos de valores devidos pelas Fazendas Federal,

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 306 1

LEI COMPLEMENTAR Nº 306 1 LEI COMPLEMENTAR Nº 306 1 Institui hipótese de responsabilidade pelo pagamento do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISSQN e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Faço

Leia mais

IMUNIDADES TRIBUTÁRIAS

IMUNIDADES TRIBUTÁRIAS IMUNIDADES TRIBUTÁRIAS Ives Gandra da Silva Martins Marilene Talarico Martins Rodrigues SUMÁRIO: Considerações Iniciais. Imunidades como Limitação ao Poder de Tributar. Imunidade das Instituições - Educacionais

Leia mais

SOARES & FALCE ADVOGADOS

SOARES & FALCE ADVOGADOS SOARES & FALCE ADVOGADOS ASPECTOS LEGAIS DA CAPTAÇÃO DE RECURSOS VIA BAZARES E VENDA DE PRODUTOS NAS ORGANIZAÇÕES Michael Soares 03/2014 BAZAR BENEFICENTE E VENDA DE PRODUTOS NAS ORGANIZAÇÕES Quais os

Leia mais

A Cobrança da Contribuição Sindical Rural via Ação Monitória

A Cobrança da Contribuição Sindical Rural via Ação Monitória A Cobrança da Contribuição Sindical Rural via Ação Monitória A ação monitória, prevista expressamente nos arts. 1102- A a 1102-C do Código de Processo Civil, consiste em uma advertência direcionada ao

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER Nº 13.895 Servidores do Quadro Especial criado pela Lei n o 10.959/98. Auxílio-rancho e gratificação ordinária incorporada. Inclusão na base de cálculo de outras vantagens pecuniárias. Vem a esta

Leia mais

AÇÕES COLETIVAS PREVIDENCIÁRIAS SINPRO/RS. a) Repetição de Indébito incidência de contribuição previdenciária em verba indenizatória

AÇÕES COLETIVAS PREVIDENCIÁRIAS SINPRO/RS. a) Repetição de Indébito incidência de contribuição previdenciária em verba indenizatória AÇÕES COLETIVAS PREVIDENCIÁRIAS SINPRO/RS a) Repetição de Indébito incidência de contribuição previdenciária em verba indenizatória A contribuição previdenciária só incide sobre o salário (espécie) e não

Leia mais

RELATÓRIO. TRF/fls. E:\acordaos\200381000251972_20080211.doc

RELATÓRIO. TRF/fls. E:\acordaos\200381000251972_20080211.doc *AMS 99.905-CE (2003.81.00.025197-2) APTE: INSS-INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ADV/PROC: PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE APDO: LAR ANTÔNIO DE PÁDUA ADV/PROC: LEONARDO AZEVEDO PINHEIRO BORGES

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 242 - Data 12 de setembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF Assunto: Normas Gerais de Direito Tributário ISENÇÃO. ANALOGIA INAPLICABILIDADE.

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2016 SIND DOS EMP VEN E VIAJ DO C P P V E VEN DE P FAR DO DF, CNPJ n. 00.449.181/0001-38, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). MARIA APARECIDA ALVES

Leia mais

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 29/11/2011

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 29/11/2011 ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 29/11/2011 Recolhimento Espontâneo 001 Quais os acréscimos legais que incidirão no caso de pagamento espontâneo de imposto ou contribuição administrado pela Secretaria da Receita

Leia mais

PROVIMENTO Nº 34. O CORREGEDOR NACIONAL DE JUSTIÇA em substituição, no uso de suas atribuições legais e constitucionais;

PROVIMENTO Nº 34. O CORREGEDOR NACIONAL DE JUSTIÇA em substituição, no uso de suas atribuições legais e constitucionais; PROVIMENTO Nº 34 Disciplina a manutenção e escrituração de Livro Diário Auxiliar pelos titulares de delegações e pelos responsáveis interinamente por delegações vagas do serviço extrajudicial de notas

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 575.590 - RS (2003/0130567-7) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI RECORRENTE : ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADOR : LUCIANA MABILIA MARTINS E OUTROS RECORRIDO : BANCO DO BRASIL

Leia mais

IV - APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO 2012.50.01.001991-0

IV - APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO 2012.50.01.001991-0 Nº CNJ : 0001991-31.2012.4.02.5001 RELATORA : JUÍZA FEDERAL CONVOCADA CARMEN SILVIA LIMA DE ARRUDA APELANTE : ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL - ESPÍRITO SANTO ADVOGADOS : LUIS ROBERTO BARROSO E OUTROS APELADO

Leia mais

RESOLUÇÃO N 2 21.823

RESOLUÇÃO N 2 21.823 tribunal superior eleitoral RESOLUÇÃO N 2 21.823 PROCESSO ADMINISTRATIVO N 2 19.205 - CLASSE 19 a - DISTRITO FEDERAL (Brasília). Relator: Ministro Francisco Peçanha Martins. Interessada: Corregedoria Regional

Leia mais

- A PBPREV é autarquia previdenciária estadual

- A PBPREV é autarquia previdenciária estadual AC no 200.2010.039908-4/001 1 Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL No 200.2 010.039908-4/001

Leia mais

Ordem dos Advogados do Brasil Seção do Estado do Rio de Janeiro Procuradoria

Ordem dos Advogados do Brasil Seção do Estado do Rio de Janeiro Procuradoria EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA CNJ A ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL SEÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, serviço público independente, dotado de personalidade jurídica e

Leia mais

Remuneração de Dirigentes de Entidades Sem Fins Lucrativos

Remuneração de Dirigentes de Entidades Sem Fins Lucrativos Remuneração de Dirigentes de Entidades Sem Fins Lucrativos Tomáz de Aquino Resende Promotor de Justiça. Coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Tutela de Fundações de Minas Gerais.

Leia mais

JURIDICIDADE DO AUMENTO DA JORNADA DE TRABALHO DE SERVIDORES PÚBLICOS

JURIDICIDADE DO AUMENTO DA JORNADA DE TRABALHO DE SERVIDORES PÚBLICOS ESTUDO JURIDICIDADE DO AUMENTO DA JORNADA DE TRABALHO DE SERVIDORES PÚBLICOS Leonardo Costa Schuler Consultor Legislativo da Área VIII Administração Pública ESTUDO MARÇO/2007 Câmara dos Deputados Praça

Leia mais

MONTEIRO E MONTEIRO ADVOGADOS ASSOCIADOS

MONTEIRO E MONTEIRO ADVOGADOS ASSOCIADOS MONTEIRO E MONTEIRO ADVOGADOS ASSOCIADOS RECUPERAÇÃO TRIBUTÁRIA REUNIÃO CMI - RJ Expositor: Samuel Soares Nossa Estrutura Recuperação Tributária Novos Benefícios Fiscais Aplicáveis ao Segmento da Construção

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: PRT da 4ª Região Órgão Oficiante: Dr. Roberto Portela Mildner Interessado 1: Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região. Interessado 2: Banco Bradesco S/A. Assuntos: Meio ambiente do trabalho

Leia mais

LEI Nº 2465/2013 SÚMULA: II 15.01, no caso da prestação dos serviços de administração de cartão de crédito ou débito e congêneres;

LEI Nº 2465/2013 SÚMULA: II 15.01, no caso da prestação dos serviços de administração de cartão de crédito ou débito e congêneres; LEI Nº 2465/2013 SÚMULA: Estabelece normas de incidência do ISS, relativas às operações efetuadas com cartões de crédito e de débito, e dá outras providências. AUTORIA: Poder Executivo A Câmara Municipal

Leia mais

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO MUNICIPIO DE RIO DE JANEIRO

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO MUNICIPIO DE RIO DE JANEIRO CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO MUNICIPIO DE RIO DE JANEIRO RECURSO VOLUNTÁRIO Nº 10.995 Recorrente: CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - CAARJ Recorrido: COORDENADOR DA COORDENADORIA

Leia mais

Responsável (CPF): Nelson Monteiro da Rocha (549.133.147-34)

Responsável (CPF): Nelson Monteiro da Rocha (549.133.147-34) Tribunal de Contas da União Data DOU: 19/07/2004 Colegiado: Segunda Câmara Número da Ata: 25/2004 Texto do Documento: RELAÇÃO Nº 58/2004 - Segunda Câmara - TCU Gabinete do Ministro Benjamin Zymler Relação

Leia mais