RELATÓRIO 2013 ANUAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO 2013 ANUAL"

Transcrição

1 RELATÓRIO ANUAL2013

2 ÍNDICE

3 MENSAGEM DA DIRETORIA PESQUISA E DESENVOLVIMENTO GESTÃO DO CONHECIMENTO INFRAESTRUTURA LABORATORIAL GESTÃO DA QUALIDADE UNIVERSO CPqD ATENDIMENTO À SOCIEDADE UM CAPÍTULO ESPECIAL: AS PREMIAÇÕES BALANÇO SOCIAL BALANÇO PATRIMONIAL NOSSOS EXECUTIVOS TALENTOS DO CPqD

4 MENSAGEM DA DIRETORIA ÍNDICE ivemos em uma era de constantes V transformações tecnológicas, entretanto alguns valores são permanentes. A trajetória do CPqD é permeada por valores como inovação, excelência, respeito, confiança, objetividade e parceria, que lhe são caros e estão presentes em suas iniciativas. O CPqD, mais uma vez, superou inúmeros desafios e obteve importantes conquistas. Uma delas foi receber das mãos da Presidente da República, Dilma Rousseff, o Prêmio FINEP de Inovação como instituição de ciência e tecnologia mais inovadora do Brasil em E segue empenhando seus esforços em desenvolver soluções que contribuam para o aumento da competitividade do País e da inclusão digital de toda a sociedade brasileira. Para isso, a organização se reinventa, mantendo-se autônoma e independente, atuando na vanguarda tecnológica e transformando o conhecimento em tecnologias que trazem benefícios tangíveis à sociedade. O CPqD conta com precioso apoio de organismos financiadores como o FUNTTEL, do Ministério das Comunicações, do FNDCT, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, da FINEP, do BNDES e também de incentivos da Aneel e da Lei de Informática. Temos a satisfação de divulgar os resultados do maior programa de pesquisa e desenvolvimento da América Latina. Nossa atuação em comunicações ópticas foi marcada pelo início de dois novos projetos em microeletrônica: o ASIC para sistemas OTN e o ASIC-DSP para sistemas ópticos WDM coerentes, operando de 100 Gbit/s até 400 Gbit/s. Dentro do escopo do projeto europeu PARADIGM em cooperação com o Heinrich-Hertz-Institut, da Alemanha, foram selecionadas duas propostas para o desenvolvimento de circuitos integrados fotônicos em InP (índio-fosfato). Diferentes tecnologias foram utilizadas na realização de experimentos em redes-tronco e de acesso que permitirão identificar sistemas de alta capacidade e eficientes para produção na indústria. Um exemplo é a transmissão de supercanais de 1 Tbit/s e 2 Tbit/s, realizada na Rede Experimental de Alta Velocidade (GIGA). Em comunicações móveis e redes sem fio, o Projeto Redes de Acesso Sem Fio Avançadas (RASFA) foi marcado pela conclusão dos testes da rede experimental com frequência de operação abaixo de 1 GHz e pelo início dos testes com frequência de 2,6 GHz. Durante o ano, teve início o Projeto LTE 450 MHz, cujo foco é desenvolver uma solução de rede banda larga otimizada para implantação em ambiente rural. Foi implantado o ambiente de referência em banda larga sem fio 4G para testes e medição com foco nas tecnologias LTE e LTE Advanced, visando à certificação e à homologação nacional de equipamentos de telecomunicações sem fio banda larga para a tecnologia LTE, de acordo com as especificações do 3GPP. Essa estrutura laboratorial assume a posição de referência nacional em testes e medição para conformidade em LTE, LTE-Advanced e sistemas legados. O ambiente de referência contribuirá para o sucesso dos programas governamentais de inclusão digital e acesso à Internet de alta velocidade (Plano Nacional de Banda Larga PNBL). 4

5 MENSAGEM DA DIRETORIA A tendência de evolução das redes de telecomunicações baseadas no protocolo IP impõe a necessidade de disponibilizar novos sistemas de suporte a operações e negócios que ofereçam redução de custos e maior disponibilidade nas redes. A atuação do CPqD nessa área foi marcada por iniciativas do projeto de desenvolvimento de um sistema para aprovisionamento e tarifação, em tempo real, de serviços multimídia, em uma rede totalmente baseada no protocolo IP, integrado à gestão de contratos com provedores de serviços de valor agregado. O CPqD manteve as linhas de pesquisa voltadas para a inclusão digital para atender à população digitalmente excluída, cidadãos com baixo letramento e limitações sensoriais. No âmbito do Projeto VozMóvel (para deficientes visuais), foram desenvolvidas aplicações com o emprego de framework com síntese de voz natural para previsão do tempo, informações de provedores de notícias de Internet (RSS) e acesso à caixa de entrada de s. A aplicação, batizada de CPqD Alcance, foi disponibilizada gratuitamente na loja de aplicativos da Google. Em dois meses foram contabilizados mais de downloads, com boa avaliação de sua performance pelo público-alvo. Entre outras iniciativas em autenticação biométrica multimodal, destacaram-se a evolução dos algoritmos biométricos de face e de voz, o desenvolvimento de uma base de dados biométricos de face e de voz com brasileiros, e o desenvolvimento e os testes do protótipo Box Seguro, sendo possível demonstrar o uso dessas tecnologias em dispositivos móveis. O CPqD, em parceria com a Elektro, também atuou no desenvolvimento de uma metodologia para avaliação do nível de segurança em medidores inteligentes de energia, com a implantação do Laboratório de Avaliação de Segurança em Medidores de Energia pioneiro no Brasil. No que diz respeito a tecnologias de gerenciamento da decisão, o Centro trabalhou em cooperação com a Cemig Distribuição para a construção de um ambiente analítico com informações estratégicas de diversos sistemas legados, modelos estatísticos, aplicações de Business Intelligence e Business Analytics. Com a Elektro, encerrou o desenvolvimento de metodologia de implantação e solução de sistema de gerenciamento de decisão que permite aumentar a assertividade na identificação de unidades consumidoras com suspeitas de fraude. Dentro do conceito de redes inteligentes (smart grids), destacam-se: projetos de aprimoramento de sistema de comunicação baseado em PLC em faixa estreita (FE) para a Cosern; desenvolvimento de sistema de sensoriamento para monitoramento de barragens de terra para a DME Distribuição; desenvolvimento de sistema de supervisão de redes de distribuição em média tensão para a Celpe; e desenvolvimento de sistema óptico imune a interferências eletromagnéticas para a Cemig Distribuidora. Durante o ano, foi dada continuidade a outros projetos em smart grid com a Celpe, Elektro e Cemig Distribuição. O CPqD seguiu trabalhando com projetos voltados para as plataformas NGN que atuam na infraestrutura tecnológica de servidores de comunicação para o controle de conexões em um ambiente totalmente IP em componentes da arquitetura IMS, em plataformas de serviços e nova geração de redes para a Internet do Futuro, que inclui a busca de soluções avançadas de conectividade IP/Ethernet. No projeto de plataforma de produtos para administração de dados e recursos em redes IMS/NGN ADRIMS, o Centro atuou no desenvolvimento da base de dados centralizada, que efetua o tratamento de informações relativas aos usuários, e evoluiu para atender à operação em produção, que abrange o aperfeiçoamento de requisitos não funcionais, a implementação de funcionalidades somente aplicáveis a ambientes de produção e a melhoria da usabilidade do produto pelo cliente. O projeto InterVoIP foi concluído com a realização de workshop de inovação tecnológica em VoIP Peering e liberação de protótipo de software. O CPqD liderou a criação de um driver do protocolo OpenFlow, versão 1.3, e o submeteu como proposta para padronização na Open Network Foundation (ONF). Tal contribuição trará benefícios à comunidade científica e à indústria, na medida em que disponibiliza um componente básico para a evolução de equipamentos de rede. Em 2013, o Laboratório de Estudos e Aplicações em RFID foi acreditado como Test Center pela EPC Global. Sua infraestrutura teve a capacidade ampliada para a realização de ensaios na faixa de 900 MHz, de forma automatizada. Também foi adquirida plataforma para realização de ensaios do Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos (Siniav), tornandose um laboratório designado pelo Departamento Nacional de Trânsito para a emissão de laudos dos equipamentos que compõem esse sistema. Com 5

6 MENSAGEM DA DIRETORIA a Coelce, teve início o Projeto de Aperfeiçoamento do Sistema de Verificação da Utilização de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) em trabalhos de campo, com o emprego da tecnologia de identificação por radiofrequência. No escopo do Projeto de Sistema de Monitoramento e Detecção de Falhas por Corrosão e Perda de Massa em Estruturas Metálicas de Aeronaves, foram realizadas, entre outras atividades, a montagem experimental da rede de sensores e o desenvolvimento do software de aquisição em linguagem LabView. A partir dos resultados desse projeto, é possível estender a solução desenvolvida a outros setores, notadamente às áreas de petróleo (plataformas de extração de petróleo), nuclear, naval e militar. Para a área de sustentabilidade, foram desenvolvidas novas funcionalidades na plataforma tecnológica de Gestão de Gastos de Energia e Água. No setor elétrico tem continuidade o Projeto de Monitoração Ambiental da Qualidade da Água de Reservatórios de Usinas Hidroelétricas (UHEs), capaz de mensurar e transmitir dados de qualidade de água e meteorológicos por telemetria. A iniciativa está sendo realizada em parceria com a Energética Barra Grande S.A. Também no setor elétrico, foi iniciado o Projeto de Mobilidade Elétrica, que é conduzido em parceria com a CPFL, cujo objetivo é pesquisar a viabilidade de inserção de veículos elétricos nas frotas das empresas localizadas na Região Metropolitana de Campinas. Cabe ao CPqD a coordenação e a realização de estudos técnicos em conjunto com universidades e empresas que compartilham objetivos de inovação e sustentabilidade. Com recursos oriundos da Lei de Informática, o Centro iniciou um projeto de desenvolvimento de recuperação de polipropileno (PP) para aplicações fabris e industriais. Foi criado o Núcleo de Desenvolvimento de Tecnologias de Defesa de grande importância para o País, envolvendo o tema Defesa. A área, que contará com laboratórios específicos, atuou com o Centro Tecnológico do Exército (CTEx) em projeto de P&D da tecnologia de Rádio Definido por Software (RDS), e também para o Comando da Aeronáutica, visando à evolução do sistema de comunicações do controle do tráfego aéreo brasileiro, no suporte à Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA). inovação no Brasil com o lançamento dos editais de fomento INOVA. No âmbito dessas iniciativas, o CPqD e seus parceiros aprofundaram parcerias tecnológicas relevantes que promoverão o desenvolvimento de novas competências para o País, a criação local de produtos inovadores, o desenvolvimento de capital intelectual e a geração de mais riquezas para a sociedade. Com o objetivo de disseminar pela sociedade os seus resultados tecnológicos no decorrer do ano, foram empreendidos esforços para consolidar o uso das novas metodologias de vendas e marketing adotadas no ano anterior. Foram registrados avanços importantes que tiveram como resultado o crescimento de 25% nas vendas para o ano corrente e 60% nas vendas totais. Vale destacar também o aumento da produtividade, considerando que as despesas de vendas diminuíram e houve avanços na margem de contribuição. O aumento expressivo das vendas para os anos seguintes potencializa o crescimento e a longevidade da organização. O Índice de Satisfação do Cliente (ISC) se manteve em patamar bastante elevado: 95% dos clientes entrevistados atribuíram os conceitos Excelente, Muito Bom e Bom aos produtos e serviços do Centro. No mais precioso bem de uma organização os seus recursos humanos o CPqD obteve valiosas conquistas: figurou no ranking das 150 Melhores Empresas em Práticas de Gestão de Pessoas, da revista Gestão RH; entrou para a lista das 50 Melhores Empresas Psicologicamente Saudáveis; foi indicado pelo Grupo de Desenvolvimento de Pessoal da Região de Campinas (Gedepec) como uma das organizações da Região Metropolitana de Campinas que mais investem em capacitação de seu pessoal; e ainda figurou entre as 10 Melhores Empresas para Estagiar no Estado de São Paulo, segundo o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE-SP). O documento que ora o leitor tem em mãos é um conjunto com algumas realizações do período, e muito nos honra apresentá-las nesta oportunidade! Boa leitura! Diretoria Executiva Seu espírito de parceria desenvolvido com seus clientes do setor industrial compreende um fator impulsionador: iniciativas governamentais para a promoção da 6

7 TRANSFORMAÇÃO Tudo o que o CPqD transforma em realidade começa como ideia. Observando tendências e comportamentos, sua equipe realiza projetos de pesquisa e desenvolvimento, que são estruturados sob a forma de soluções para aplicação no mercado. PESQUISA e DESENVOLVIMENTO COMPETITIVIDADE E INCLUSÃO DIGITAL PARA A SOCIEDADE BRASILEIRA

8 PESQUISA e DESENVOLVIMENTO C omo provedor de tecnologias para os setores de Comunicação e Multimídia, Utilities, Administração Pública, Financeiro, Indústria, Defesa e Segurança, o CPqD mantém o maior programa de pesquisa e desenvolvimento em TICs da América Latina, englobando nove áreas tecnológicas consideradas estratégicas: Comunicações Ópticas; Comunicações Móveis e Redes sem Fio; Sistemas de Suporte a Operações e Negócios; Serviços, Aplicações, Terminais e Inclusão Digital; Segurança da Informação e Comunicação; Gerenciamento da Decisão; Smart Grid; Plataformas IP; Redes e Tecnologias de Sensores. Com o precioso apoio de fundos governamentais, as iniciativas desenvolvidas pelo CPqD contribuem para aumentar a competitividade do país e a inclusão digital na sociedade brasileira. No texto a seguir, são apresentados os resultados das ações promovidas em 2013, em cada uma das áreas. COMUNICAÇÕES ÓPTICAS Foram realizados vários experimentos em redes tronco e de acesso, utilizando diferentes tecnologias, com o objetivo de desenvolver sistemas de alta capacidade e eficiência, cujas características permitissem sua produção na indústria. Entre esses sistemas, destacam-se os de transmissão de supercanais de 1 Tbit/s e 2 Tbit/s realizada na Rede Experimental de Alta Velocidade (GIGA), no trecho entre Campinas e São Paulo. Obteve-se em laboratório a transmissão bem-sucedida, por 100 km de sinais a taxas de 1,25 Gbit/s, em redes WDM-PON, utilizando a técnica de autoalimentação e reuso de portadora óptica, desenvolvida e patenteada pelo Centro. Foi implementado e validado, em laboratório, um supercanal de 480 Gbit/s, ocupando 42,5 GHz (eficiência espectral de 11,33 bit/s/hz), com um alcance de 500 km e formato de modulação DP-64QAM. O CPqD realizou a transmissão de sinais ópticos com taxa de 224 Gbit/s, no formato DP-16QAM, com metade da banda ocupada por sinais DP-QPSK para a mesma taxa, o que possibilita uma maior capacidade de transmissão por fibra. O ano de 2013 foi especial para o grupo de pesquisa de componentes para sistemas ópticos, com o início de dois projetos de microeletrônica: o ASIC (Application Specific Integrated Circuit) para sistemas OTN (Optical Transport Network) e o ASIC- DSP (Digital Signal Processing) para sistemas ópticos WDM (Wavelength Division Multiplexing) coerentes, operando de 100 Gbit/s até 400 Gbit/s, financiados pelo BNDES/FUNTEC e FUNTTEL/Ministério das Comunicações, respectivamente. O Projeto ASIC OTN permitirá maior integração e acomodação de diversas funcionalidades da OTN em um único componente e, também, a inclusão de novas funcionalidades, tornando os equipamentos ópticos nacionais mais competitivos, inclusive no mercado internacional, graças à redução de custos e à independência de fornecedores específicos. O ASIC-DSP, que apresenta alto conteúdo estratégicomercadológico, será utilizado na nova geração de sistemas WDM coerentes para extrair os sinais ópticos modulados em fase e multiplexados em polarização. Além disso, duas propostas para o desenvolvimento de circuitos integrados fotônicos em InP (índiofosfato) foram selecionadas dentro do projeto europeu PARADIGM (Photonic Advanced Research and Development for Integrated Generic Manufacturing), em cooperação com o Instituto HHI (Heinrich-Hertz-Institut), da Alemanha. O primeiro circuito integrado fotônico em silício do CPqD foi fabricado e ativado pela IME (Institute of Microelectronics) Foundry, de Cingapura. Foi realizada, ainda, a transferência tecnológica para a Padtec do módulo transceptor coerente 8

9 PESQUISA e DESENVOLVIMENTO de 100 Gbit/s, desenvolvido conjuntamente com a empresa Civcom, de Israel. A Padtec iniciou a venda no mercado brasileiro do transceptor de 100 Gbit/s. No decorrer do ano, foram organizados dois eventos internacionais na área de comunicações ópticas: o II International Workshop on Trends in Optical Technologies Towards Terabit per Second Optical Networking (II WTON), com o apoio do CNPq, realizado em maio, e o WorkInnova 2013, que ocorreu no mês de novembro e foi realizado em conjunto com a Universidade Técnica da Dinamarca, DTU. O II WTON contou com um público de 230 participantes e reuniu, entre seus palestrantes, pesquisadores de renome, originários de diferentes países, como Brasil, Estados Unidos, Dinamarca, Reino Unido, Argentina, Canadá, Portugal e Japão, que discutiram as tendências de evolução das redes ópticas de alta capacidade. O WorkInnova 2013 teve como foco a inovação tecnológica e contou com a participação de professores, pesquisadores e representantes de universidades, centros de pesquisa e empresas do Brasil, Dinamarca e Colômbia. Na área de comunicações ópticas foram publicados e apresentados, ao longo do ano, diversos artigos em diversas revistas e eventos nacionais e internacionais, com alto fator de impacto na comunidade técnico-científica. Entre as publicações e apresentações mais relevantes, destacam-se os trabalhos publicados nas revistas IEEE/OSA Jornal of Lightwave Technology, JOCN Journal of Optical Communication Networking e Optics Express e apresentados nos eventos OFC 2013 (Optical Fiber Communication Conference) e na ECOC 2013 (39th European Conference and Exhibition on Optical Communication). COMUNICAÇÕES MÓVEIS E REDES SEM FIO A atuação do CPqD no campo das tecnologias de comunicação sem fio está voltada para o uso em aplicações banda larga para cidades digitais, smart grids, rádios cognitivos, universalização do acesso à banda larga, entre outros. REDES DE ACESSO SEM FIO AVANÇADAS RASFA O Projeto Redes de Acesso Sem Fio Avançadas (RASFA) tem por objetivo desenvolver uma solução tecnológica de rede de acesso sem fio banda larga multisserviço, com base em conceitos que estão na fronteira da tecnologia, que possa atender a uma grande abrangência de cenários de aplicação, contribuindo para as políticas de universalização no Brasil e ampliando a disponibilidade e eficiência da infraestrutura de comunicações para diferentes segmentos da economia. Após a conclusão dos testes da rede experimental, com frequência de operação abaixo de 1 GHz, iniciou-se a evolução para 2,6 GHz. Foram montados e validados protótipos de um terminal e de uma estação radiobase LTE 2,6 GHz em ambiente laboratorial. Com o objetivo de validar a solução, foi construída uma rede experimental completa para os testes do sistema LTE (Long Term Evolution), que compreendeu todos os elementos da rede de acesso e rede núcleo especificados pelo 3GPP (3rd Generation Partnership Project). O 3GPP é o órgão que padroniza as comunicações móveis celulares em todo o mundo. Os resultados alcançados com o desenvolvimento do sistema LTE viabilizam a transferência à indústria nacional, permitindo a futura ampliação do portfólio de produtos voltados ao atendimento das demandas de mercado. O desenvolvimento do sistema de gerência para rede LTE avançou, completou diversas etapas de desenvolvimento planejadas para produção de uma solução de gerência LTE compatível com versão da Master Information Block (MIB) especificada para o equipamento enodeb e foi integrado e validado com a rede LTE 2,6 GHz, no ambiente experimental LTE do CPqD. LTE 450 MHZ Iniciado em 2013, o Projeto LTE 450 MHz tem por objetivo desenvolver uma solução de rede banda larga otimizada para implantação em ambiente rural. Foram desenvolvidos os seguintes modelos industriais: Estações Radiobase (enodeb) para operação em ambiente externo, essenciais para propiciar o acesso 9

10 PESQUISA e DESENVOLVIMENTO aos terminais dos usuários e realizar a interface com a rede núcleo; Terminais de usuário do tipo CPE para aplicações fixas, que permitem o acesso dos usuários à rede em cenários de operação de rede fixa. Um resultado muito importante foi a padronização da banda de 450 MHz no fórum 3GPP - uma proposta inédita de uma representação brasileira. Foram realizados, ainda, testes de interoperabilidade com três operadoras. Em duas delas, a enodeb e o terminal foram integrados com sucesso à rede núcleo LTE. Na outra, foram realizados testes em campo com o terminal e a infraestrutura já disponível da operadora, possibilitando uma conexão com transferência de dados a quase 100 km de distância do centro da célula. A execução dos testes em campo, com a estação radiobase desenvolvida no projeto, está prevista para o início de AMBIENTE DE REFERÊNCIA EM BANDA LARGA SEM FIO 4G O objetivo desse projeto é implantar um ambiente de referência em testes e medição em tecnologias de redes sem fio de quarta geração (4G), com foco nas tecnologias LTE e LTE Advanced. Esse ambiente será acreditado e poderá ser utilizado para a condução de testes para certificação e homologação nacional de equipamentos de telecomunicações sem fio banda larga para a tecnologia LTE, de acordo com as especificações do 3GPP, organismo que padroniza a tecnologia e especifica os ensaios para conformidade, que são utilizados para a certificação de produtos por organismos internacionais certificadores, como o GCF (Global Certification Forum) e o PTCRB (PCS Type Certification Review Board). O projeto teve início com o levantamento do estado da arte de testes e medições da tecnologia LTE, com a implementação de novos recursos e funcionalidades, uma vez que a tecnologia está em constante evolução. Para a criação do ambiente de referência para o LTE, foi iniciada a etapa de especificação da infraestrutura de equipamentos de que o ambiente necessita. Foram especificados todos os sistemas de teste necessários para a realização dos ensaios e, também, avaliadas as evoluções dos sistemas de teste e medição para facilitar as próximas etapas do projeto. Simultaneamente à etapa de criação do ambiente, realizaram-se a pesquisa e o desenvolvimento dos procedimentos para os testes de interoperabilidade, conformidade e certificação de equipamentos LTE. Desta forma, a estrutura laboratorial do CPqD assume a posição de referência nacional em testes e medição para conformidade em LTE, LTE-Advanced e sistemas legados. Esse ambiente contribuirá para o sucesso dos programas governamentais de inclusão digital e acesso à Internet de alta velocidade (Plano Nacional de Banda Larga PNBL). A sociedade brasileira também poderá desfrutar de produtos e serviços de maior qualidade, validados através dos testes de certificação que serão executados no ambiente de referência, em conformidade com as normas internacionais. SISTEMAS DE SUPORTE A OPERAÇÕES E NEGÓCIOS A forte tendência de evolução das redes de telecomunicações, baseadas inteiramente no protocolo IP ( tudo IP ), gera a necessidade de disponibilizar, para operadoras de telecom e para empresas de serviços de valor agregado (SVA), novos sistemas de suporte a operações e negócios de tal forma que permitam oferecer a seus clientes preços mais competitivos e maior disponibilidade em suas redes. 10

11 PESQUISA e DESENVOLVIMENTO SISTEMA INTEGRADO DE OSS E BSS PARA PLATAFORMAS DE SERVIÇOS IP O objetivo desse projeto é desenvolver um sistema para aprovisionamento e tarifação, em tempo real, de serviços multimídia, em uma rede totalmente baseada no protocolo IP, integrado à gestão de contratos com provedores de SVA. Para acompanhamento dos serviços, o usuário receberá informações em tempo real sobre a evolução de sua fatura. Esse sistema oferece suporte à gestão do negócio e contratos, tanto do ponto de vista da operadora quanto das empresas fornecedoras (parceiras) de SVA. O projeto do CPqD apresenta uma solução em conformidade com essa tendência de evolução das redes de telecomunicações, pois, além da necessidade de definir uma arquitetura de rede tudo IP, faz-se necessária também a construção de novos sistemas de suporte a operações (Operations Support System OSS) e sistemas de suporte ao negócio (Business Support System BSS) baseados nesse novo conceito. Atualmente, as soluções existentes convivem numa rede de transição tecnológica, em que arquiteturas de telecomunicações são adaptadas entre si para fornecer serviços multimídia, o que dificulta a integração e a adaptação dos sistemas a novos serviços. de autoatendimento com acionamento direto, pelo assinante, do fluxo de atividades para aprovisionamento do serviço a ser contratado. No escopo de BSS, foi desenvolvido um protótipo para cadastro e gestão de parceiros de SVA, segundo a estratégia empregada atualmente pelas empresas operadoras, em que são estabelecidas parcerias com outras empresas para a oferta de novos produtos e serviços de valor agregado. Com os resultados obtidos, os novos sistemas OSS/BSS poderão absorver os impactos causados pela grande variedade de serviços multimídia que vêm sendo ofertados, conferindo maior dinamismo e rapidez na sua disponibilização e no seu aprovisionamento, e também os impactos dos diferentes e complexos modelos de tarifação que se apresentam. Com esses sistemas, a oferta de serviços convergentes poderá se basear na flexibilidade de composição e tempo de uso dos serviços, e sua modularidade, para fins de implantação, permitirá uma racionalização dos custos de operação da rede, com redução nos custos de expansão e planejamento. Ao longo do ano, foram obtidos importantes resultados, tanto na área de OSS quanto na área de BSS. Os trabalhos relativos a OSS consistiram no desenvolvimento do aprovisionamento de serviços, com o objetivo de permitir a alocação de recursos de rede interna a serviços contratados, cujos processos podem ser definidos e configurados no módulo de orquestração, com execução automática por meio do acionamento de Web services. Ainda no contexto dos sistemas OSS, um protótipo foi desenvolvido para complementar um portal 11

12 PESQUISA e DESENVOLVIMENTO SERVIÇOS, APLICAÇÕES, TERMINAIS E INCLUSÃO DIGITAL Com o crescimento da frequência no uso dos serviços de Internet, aumentam as expectativas dos usuários quanto a serviços, aplicações, onipresença dos acessos fixos e móveis e à evolução tecnológica de dispositivos. O CPqD busca soluções tecnológicas inovadoras, que propiciem aos cidadãos a experiência de uma comunicação multiforme. Processamento de fala, mobilidade, web semântica, serviços de comunicações e terminais são linhas de pesquisa cujos resultados dão suporte a uma pluralidade de serviços e aplicações. O CPqD mantém linhas de pesquisa voltadas à inclusão digital para atender à população digitalmente excluída, cidadãos com baixo letramento e limitações sensoriais, com foco na interação humano-computador e também na criação de novos modelos de interação para diferentes serviços e plataformas, considerando suas necessidades e suas experiências. Em 2013, destacam-se diversos resultados tecnológicos dessas pesquisas, descritos a seguir. DISPOSITIVOS MÓVEIS COM SÍNTESE DE VOZ PARA DEFICIENTES VISUAIS VOZMÓVEL O objetivo dessa linha de atuação é estender o conceito de acessibilidade ao mundo dos dispositivos móveis, definindo e implementando um conjunto de operações para acessibilidade que permitam a narração automática de telas de interação com o usuário de um dispositivo móvel. As funcionalidades de acessibilidade permitirão aos deficientes visuais utilizar os diversos recursos dos dispositivos móveis, contribuindo para a diminuição de seu isolamento, aumentando sua autonomia, promovendo sua inclusão social, facilitando sua inserção no mercado de trabalho e permitindo seu exercício de cidadania. Foram desenvolvidas aplicações para deficientes visuais com o emprego de um framework com síntese de voz natural. Foram concebidas três aplicações importantes para esses usuários, que foram identificadas durante pesquisas: previsão do tempo, informações de provedores de notícias de Internet (RSS) e acesso à caixa de entrada de . Essas funcionalidades compõem o pacote de informações provenientes de Internet e tornam-se acessíveis por deficientes visuais através de smartphones touchscreen com a solução VozMóvel instalada. O protótipo das funcionalidades de Internet foi desenvolvido e avaliado por colaboradores voluntários do Centro de Prevenção à Cegueira de Americana, SP, que participaram do projeto com o objetivo de avaliar a aderência da solução proposta às necessidades do dia a dia das pessoas com deficiência visual. A participação desses voluntários proporcionou o enriquecimento da qualidade de experiência do usuário, trazendo contribuições às funcionalidades existentes e identificando eventuais falhas. O destaque do ano foi a publicação na Google Play, loja de aplicativos da Google para Android, de uma versão totalmente gratuita dos principais resultados do Projeto VozMóvel, denominada CPqD Alcance, com o intuito de beneficiar toda a comunidade de deficientes visuais brasileira. Em menos de dois meses após o lançamento da aplicação, foram contabilizados mais de downloads, e avaliação média de 4,85 pontos (em escala de 1 a 5), uma clara evidência de que a iniciativa foi plenamente aceita pelo público-alvo. 12

13 PESQUISA e DESENVOLVIMENTO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Os projetos do CPqD colaboraram para elevar os níveis de maturidade dos controles de segurança da informação e comunicação, segundo os aspectos de confidencialidade, integridade, autenticidade e disponibilidade da informação. No período, o Centro desenvolveu suas atividades com foco nas frentes de atuação descritas a seguir. AUTENTICAÇÃO BIOMÉTRICA MULTIMODAL E ICONOGRÁFICA PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS BIOMODAL O objetivo dessa frente de trabalho é desenvolver tecnologias de autenticação biométrica multimodal para identificação de padrão de voz e de face de usuários com base nos respectivos registros obtidos pelo microfone e pela câmera do telefone, celular e tecnologias de autenticação iconográfica para dispositivos móveis, com a concepção de modelos de elementos gráficos, conduzindo exaustivos testes de usabilidade e memorização para a definição do modelo de imagens mais apropriado. Essas tecnologias serão uma alternativa às senhas convencionais com sequências arbitrárias de caracteres, que são de difícil memorização e estão sujeitas a variados ataques. Foram realizadas atividades como a evolução dos algoritmos biométricos de face e de voz, o desenvolvimento de uma base de dados biométricos de face e de voz com brasileiros e o desenvolvimento e testes do protótipo Box Seguro. As atividades de evolução dos algoritmos biométricos de face e de voz envolveram a realização de simulações em ambiente de laboratório e a implementação de algoritmos que foram incorporados à biblioteca de software de autenticação biométrica. A base de dados biométricos de face e de voz com brasileiros continuou a ser desenvolvida com a participação de voluntários e foi de fundamental importância para a evolução dos algoritmos biométricos. Os trabalhos de organização, coleta e consolidação da base de dados se mostraram complexos, porém os resultados alcançados indicaram seu grande valor para o projeto. O desenvolvimento do protótipo Box Seguro tornou possível demonstrar, na prática, o uso de tecnologias de autenticação biométrica multimodal de face e de voz em dispositivos móveis. TECNOLOGIAS DE SEGURANÇA PARA AMBIENTES MÓVEIS TSAM Está prevista no Projeto TSAM a construção de protótipos de serviços seguros de comunicação de dados e de voz sobre pacotes de dados, oferecidos por meio de smartphones em redes públicas (GPRS, 3G, Internet, Wi-Fi, entre outros). Pretende-se também desenvolver técnicas e ferramentas, tanto de verificação de integridade de smartphones, como de investigação ativa de incidentes de segurança e de testes de intrusão em smartphones. O plano de projeto contempla, ainda, a construção de um ambiente de experimentação, observação e análise de programas de software maliciosos próprios dos smartphones. Os principais resultados obtidos através de protótipos foram os seguintes: Biblioteca de software com implementações de algoritmos criptográficos e conjunto de componentes de administração de segurança criptográfica para aplicativos Android. Aplicativo móvel para comunicação criptograficamente segura fim a fim, por mensagens instantâneas criptografadas via serviços públicos. Aplicativo móvel para comunicação criptograficamente segura, por meio de mensagens SMS criptografadas. Esse protótipo utiliza apenas criptografia simétrica na proteção das mensagens. Aplicativo móvel para armazenamento seguro de arquivos, que oferece uma área privada no dispositivo móvel para acomodar documentos criptografados. Aplicativo móvel para agregação e contenção segura de dados e programas, que tem como diretiva principal controlar a instalação e a execução de aplicativos conhecidos e certificados. Os referidos protótipos foram construídos com ênfase na arquitetura e, por essa razão, serão refinados durante as próximas atividades do projeto para a incorporação de 13

14 PESQUISA e DESENVOLVIMENTO funcionalidades adicionais, e aumento da robustez no funcionamento, homogeneidade da interface e integração entre os aplicativos. Os acontecimentos recentemente revelados envolvendo espionagem eletrônica estrangeira sobre brasileiros, utilizando-se de vulnerabilidades e acessos aos sistemas de computação e comunicação nacionais, aumentaram a necessidade de desenvolvimento de competências brasileiras que possam fazer frente ao novo contexto instituído internacionalmente em relação à espionagem cibernética. Nesse sentido, os resultados obtidos até o momento contribuem não apenas para o aumento da capacitação técnica de brasileiros como também para o oferecimento de tecnologias de proteção de criptografia e seu uso nos protótipos do projeto. AVALIAÇÃO DE SEGURANÇA PARA MEDIDORES ELETRÔNICOS E DE SMART METERING No âmbito do Projeto Avaliação de Segurança para Medidores Eletrônicos e de Smart Metering, destaca-se o desenvolvimento de uma metodologia para avaliação do nível de segurança em medidores inteligentes. Para realização dos testes de intrusão nos medidores, tanto no nível de hardware quanto no nível de firmware, foi implantado o Laboratório de Testes de Segurança e Confiabilidade em dois níveis: um na Elektro e outro no CPqD. Trata-se de um laboratório pioneiro no País, equipado para realizar testes específicos de segurança e integridade desses novos medidores de energia, empregando ferramentas próprias de software. GERENCIAMENTO DA DECISÃO No ambiente competitivo em que vivemos, a aplicação do capital intelectual das organizações em seus processos de tomada de decisão precisa ser cada vez mais otimizada. Manter o foco na criação de regras de negócio eficazes e no tratamento das exceções, deixando por conta dos recursos computacionais a aplicação de regras fixas compatíveis com modelos estatísticos e preditivos, é o caminho para a efetividade e o ganho de escala. Trata-se de um grande desafio para os especialistas do Centro, que vêm atuando no desenvolvimento de tecnologias críticas de suporte ao gerenciamento da decisão, como algoritmos avançados de inferência, processamento complexo de eventos, motores de regras para ambiente distribuído, entre outras. Os sistemas de gerenciamento de decisão desenvolvidos pelo CPqD servem aos setores de energia, financeiro e comercial com muito sucesso, mas também podem ser úteis a empresas de pequeno e médio portes e ao público em geral. DESENVOLVIMENTO DE ESTRATÉGIAS DE TOMADA DE DECISÃO NOS PROCESSOS DA DISTRIBUIÇÃO Encontram-se em andamento, em parceria com a Cemig Distribuição, a construção de um ambiente analítico contendo informações estratégicas oriundas de diversos sistemas legados, modelos estatísticos, aplicações de Business Intelligence e Business Analytics, bem como a elaboração de uma metodologia de gerenciamento de decisão, cujo objetivo principal é suportar e melhorar as estratégias para a tomada de decisão na concessionária. Entre os resultados obtidos até o momento, podemos destacar: Metodologia de gerenciamento de decisão. Disponibilização para consulta, no ambiente analítico, das informações dos ativos da Cemig e das informações referentes às interrupções ocorridas nas áreas de atuação da empresa. Definição de padrões de documentos a serem utilizados 14

15 PESQUISA e DESENVOLVIMENTO no desenvolvimento de aplicações de Business Intelligence e Business Analytics. Plano de implantação de governança da informação. METODOLOGIA DE IMPLANTAÇÃO DE GERENCIAMENTO DE DECISÃO PARA O PROCESSO DE PERDAS NÃO TÉCNICAS Realizado em parceria com a Elektro, o projeto visou o desenvolvimento de uma metodologia de implantação e solução de sistema de gerenciamento de decisão, composta por modelos e regras automatizados, que permitem aumentar a assertividade na identificação de unidades consumidoras com suspeitas de fraude. Foram utilizados métodos de análise estatística e experimentos em campo para avaliar a qualidade das informações, verificar a assertividade dos modelos e regras propostos, analisar dados históricos e selecionar o conjunto de regras e modelo para aperfeiçoar o retorno à empresa. A introdução de um sistema de gerenciamento de decisão (SGD), especialmente em sua primeira implantação, representa uma quebra de paradigma em uma organização, mudando de forma radical a forma como ela se organiza e opera. Essa mudança sofre a influência de diversos fatores, em especial fatores intangíveis, oriundos da resistência a mudanças, de comportamentos e atitudes e da cultura organizacional. Nesse sentido, foi elaborada uma metodologia de implantação de sistemas de gerenciamento de decisão com foco na tangibilidade desses aspectos, com o objetivo de promover a identificação precoce de problemas, permitindo, assim, seu tratamento sem maiores impactos no projeto de implantação. 15

16 PESQUISA e DESENVOLVIMENTO SMART GRID Tecnologias de sensoriamento, de transmissão de dados (comunicação) e de integração das plataformas computacionais terão um papel cada vez mais relevante em todas as fases do ciclo de geração, transporte, distribuição e consumo de energia elétrica. O conhecimento e a experiência do CPqD em telecomunicações, redes elétricas, sensoriamento, sistemas de informação e computação contribuíram, no setor elétrico, para a evolução dos conceitos de redes elétricas inteligentes smart grids. Diversos resultados foram obtidos nesse campo. DISPOSITIVO PLC PARA TELEMEDIÇÃO E AUTOMAÇÃO DA REDE DE MÉDIA TENSÃO Realizado em parceria com a Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern), o projeto buscou o aprimoramento de um sistema de comunicação baseado em PLC (Power Line Communications) em faixa estreita (FE). Foram realizados testes laboratoriais e sistêmicos na rede experimental do CPqD dos protótipos do Modem PLC, do Acoplador PLC e do Repetidor PLC. Para a validação final, foram confeccionados pela Já! empresa do Universo CPqD 36 sistemas com composição individual de dois modems, um repetidor e três acopladores. O sistema desenvolvido é composto de modem e repetidor para o telecomando e a telessupervisão da rede da concessionária, bem como para a adequação do acoplador para aplicação em redes de média tensão (13,8 kv) e subtransmissão (69 kv) da Cosern. SISTEMA DE MONITORAMENTO DE BARRAGENS DE TERRA (DME DISTRIBUIÇÃO) Foi concluído durante o ano, projeto de desenvolvimento de um sistema de sensoriamento para monitoramento de barragens de terra, baseado na tecnologia de fibras ópticas, incluindo uma ferramenta de suporte ao sistema de sensoriamento óptico destinado a comparação, processamento e transmissão de dados. Esse projeto foi realizado em conjunto com a DME Distribuição, de Poços de Caldas, MG. Foi pesquisado, desenvolvido e testado, em laboratório e em campo, um método inovador de sensoriamento baseado em fibras ópticas para monitoração da integridade física de barragens de terra. Os sensores desenvolvidos são não invasivos e foram instalados em tubos piezômetros, originalmente instalados na barragem. De forma complementar, foi implantado um sistema de comunicação de dados para o sistema de monitoramento de barragens via rádio até o centro de controle e foi desenvolvido um software para ser integrado aos sistemas de gerência da empresa, empregando protocolos e interfaces de comunicação padronizadas, permitindo a aquisição de dados dos sensores ópticos. Outros sensores convencionais foram instalados para dar suporte ao sistema de monitoração, como câmera de vídeo e sensores de pluviosidade, pressão atmosférica, umidade, temperatura e velocidade dos ventos. O sistema de monitoração foi implantado na Barragem do Cipó, em Poços de Caldas. SISTEMA DE INDICAÇÃO DE FALTA DE ENERGIA Deu-se prosseguimento ao projeto para o desenvolvimento de um sistema de supervisão de redes de distribuição em média tensão para a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe). Ele permitirá a transmissão em tempo real de dados relacionados às medições realizadas em pontos escolhidos, possibilitando a indicação de faltas ocorridas nessas redes de energia. O projeto tem por objetivo o aperfeiçoamento e a definição das características básicas do sistema de indicação de falta, para obtenção e implementação de um cabeça de série na rede de distribuição da Celpe. Foram realizados a montagem e os testes laboratoriais no CPqD (Rede Experimental) de doze conjuntos de localização de faltas, com composição individual de três sensores e um concentrador. Eles serão implementados pela Já!. Foram também iniciados testes em campo dos conjuntos de localização de faltas, bem como a instalação da 16

17 PESQUISA e DESENVOLVIMENTO ferramenta em software para integração dos sensores com o centro de operações da concessionária. AVALIAÇÃO DE SEGURANÇA PARA MEDIDORES ELETRÔNICOS E DE SMART METERING Iniciado no final de 2012, esse projeto é conduzido em parceria com a Elektro para o desenvolvimento e aplicação de metodologias, incluindo métodos e procedimentos de testes, para avaliação de segurança cibernética em medidores eletrônicos e smart metering. Foram elaborados os procedimentos técnicos para avaliação de segurança de software de medidores eletrônicos de energia, segundo os requisitos do Inmetro e da Organização Internacional de Metrologia Legal (OIML), iniciados os testes em medidores eletrônicos, também seguindo os mesmos requisitos, e implantado software para emulação e teste da segurança do software embarcado. Também foi implementado no CPqD, o Laboratório de Avaliação de Segurança em Medidores de Energia. No âmbito da parceria CPqD/Elektro, várias atividades foram executadas na empresa, entre as quais destacamse: a validação do Manual da Gestão da Qualidade e procedimentos de gestão do laboratório, finalização dos procedimentos técnicos de ensaio em medidores de energia elétrica e em transformadores de corrente do laboratório - segundo os requisitos técnicos do Inmetro, auditoria interna no laboratório e pedido de acreditação, pelo Inmetro, do laboratório de ensaios metrológicos da empresa. SISTEMA ÓPTICO PARA MONITORAMENTO, TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO DE DADOS IMUNE A INTERFERÊNCIAS ELETROMAGNÉTICAS Foi finalizado o projeto de desenvolvimento de um sistema óptico imune a interferências eletromagnéticas para monitoramento, transmissão e recepção de dados. O sistema será utilizado no comando, controle e supervisão de equipamentos de alta tensão. Esse projeto foi realizado em conjunto com a Cemig Distribuição. Em razão da complexidade eletromagnética do ambiente das subestações e das linhas aéreas de transmissão de energia, os elementos de sensoriamento e controle e seu meio de transmissão devem oferecer imunidade a alta tensão, radiointerferência, campos magnéticos, descargas atmosféricas e pulsos eletromagnéticos. A fibra óptica, além de ser um meio de transmissão imune a esses efeitos, oferece alta largura de banda e baixa perda de transmissão, podendo transmitir energia na forma óptica, que pode ser convertida em energia elétrica na alimentação de sensores ou circuitos de telecomando com tecnologia eletrônica tradicional. Foram desenvolvidas várias soluções em sensoriamento óptico para uso em subestações e linhas de transmissão, entre elas, destacam-se: monitoramento de chaves seccionadoras usando as técnicas de alimentação pela fibra óptica e óptica de espaço livre, monitoramento de áreas de domínio de linhas de transmissão usando câmeras de vídeo alimentadas por fibra óptica, e dispositivos de transmissão óptica em espaço livre, associados a sensores de fibra óptica do tipo grade de Bragg, para uso na monitoração da temperatura de barramentos em subestações e em linhas de transmissão aéreas. CIDADES DO FUTURO CEMIG SMART GRID Com a Cemig Distribuição, foi desenvolvido um Calendário de Consumo, que faz uso de dados de consumo de energia elétrica disponibilizados pelo centro de medição, e oferece aos consumidores uma interface de relacionamento com a concessionária que proporciona um maior conhecimento e domínio de seu consumo de energia elétrica. Desenvolvido para acesso na Web, via aplicativos de computadores e dispositivos móveis (ios, Android e Windows Phone 8), o calendário permite que o usuário estabeleça metas de consumo diárias e as acompanhe, por dia, semana ou mês, e avalie seu desempenho como consumidor consciente. REDES ELÉTRICAS INTELIGENTES REI Deu-se prosseguimento ao projeto em parceria com a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) para desenvolver e implementar provas de conceito de Rede Inteligente, com foco nas restrições observadas na Ilha de Fernando de Noronha (local onde os resultados serão validados em teste-piloto). O projeto contempla: Infraestrutura com medição avançada, automação da rede, telecomunicação, microgeração distribuída, micromedição, suprimento a veículos elétricos com base em geração renovável. Avaliação da viabilidade e da eficácia de aspectos como redução de perdas, qualidade de energia, aplicação de tarifas diferenciadas, prosumer, gerenciamento pelo lado 17

18 PESQUISA e DESENVOLVIMENTO da demanda, obtenção de eficiência energética e também sustentabilidade ambiental da RI. Na área de medição automática de energia, foi definida uma solução de medição para implementação e efetuada a demonstração da interoperabilidade entre medidores e realizados testes de aceitação de medidores. Com relação à tarifação de energia, foi concluída a etapa de estudos da aplicação de tarifas diferenciadas. Foi conduzido o estudo de estabilidade do sistema elétrico de Fernando de Noronha e o desenvolvimento da interface do sistema de suporte à operação, com representação do Scada, e também foram iniciados os testes da interface do sistema de suporte à operação. Na etapa de eficiência energética, foi realizado o levantamento das condições de consumo dos cinco maiores consumidores de energia de Fernando de Noronha e a prospecção de locais na ilha para instalação do piloto de iluminação pública inteligente. Na etapa de microgeração distribuída, foi executado o projeto de sistema de monitoramento de sistemas de microgeração e o levantamento de tecnologias de acumuladores de energia elétrica para essa aplicação e também a seleção e a aquisição de baterias a serem avaliadas em laboratório para aplicação no projeto. SISTEMA PARA GESTÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA E MEDIÇÃO COM USO DE REDE DE COMUNICAÇÃO HÍBRIDA O projeto é conduzido em parceria com a Cemig para o desenvolvimento de uma solução capaz de gerenciar sistemas de iluminação pública e conjuntos de medidores eletrônicos de consumo de energia, por meio de uma rede NAN Mesh Ad Hoc, com tecnologias de comunicação ZigBee e PLC. O projeto visa proporcionar uma solução flexível para a implantação da medição eletrônica de energia elétrica acoplada também ao controle da iluminação pública em um ambiente operacional, migrando para uma rede elétrica inteligente. Foram especificados o sistema e todos os seus elementos constitutivos (concentrador, módulos AMM coletivo e individual, módulo de iluminação pública, módulo conversor de TV, módulo detector de tensão e roteamento, módulos PLC e ZigBee). PLATAFORMAS IP Atendendo um ambiente de convergência total de serviços, rede, acesso e terminais de telecomunicações, o CPqD seguiu trabalhando com projetos voltados às plataformas NGN, que atuam na infraestrutura tecnológica de servidores de comunicação para o controle de conexões em um ambiente totalmente IP, componentes da arquitetura IMS, plataformas de serviços e nova geração de redes para a Internet do Futuro, que inclui a busca de soluções avançadas de conectividade IP/Ethernet. PLATAFORMA DE PRODUTOS PARA ADMINISTRAÇÃO DE DADOS E RECURSOS EM REDES IMS/NGN ADRIMS O desenvolvimento da base de dados centralizada, que efetua o tratamento de informações relativas aos usuários, evoluiu para atender à operação em produção, que abrange o aperfeiçoamento de requisitos não funcionais, a implementação de funcionalidades somente aplicáveis a ambientes de produção e a melhoria da usabilidade do produto pelo cliente. Dentre os diversos avanços na plataforma, podemos destacar: o throughput do sistema aumentou, passando de menos de para mais de CAPS (Call Attempt per Second). Este ganho foi oriundo de inúmeras ações de melhorias no desempenho do software, envolvendo técnicas avançadas de armazenamento e coleta de dados, otimização no modelo de comunicação distribuída e melhoria nos algoritmos utilizados; a solução foi adaptada para viabilizar implantações de 18

19 PESQUISA e DESENVOLVIMENTO menor custo, permitindo que todos os componentes do produto sejam instalados em um único servidor; o nível da estabilidade do sistema evoluiu para atender aos requisitos de operadoras carrier grade, conforme as demandas para equipamentos de núcleo de rede; o mecanismo de redundância da base de dados definido para este produto foi implementado, aumentando a disponibilidade total do sistema. Foram ainda implementadas funcionalidades referentes ao controle de licenças, controle de tráfego, subscrições, além de funcionalidades avançadas para instalações de novas versões do software. Esta versão ainda contempla melhorias de usabilidade no sistema, relacionadas à gestão de falhas, relatórios de auditoria e controle de acesso granular às funcionalidades do sistema. Nesta etapa, foi realizado um grande esforço para garantir a qualidade e a aderência do produto aos cenários operacionais previstos, com o objetivo de aumentar a flexibilidade do produto e, com isto, aumentar sua atratividade comercial. Com relação ao elemento Controlador de Políticas de Rede, que envolve a concepção e o desenvolvimento de um motor de lógica de políticas e regras para controle de acesso à rede, foi realizado o enquadramento das necessidades das operadoras na gama de macrofuncionalidades previstas para o projeto. Além disso, foi realizada uma análise e extrapolação de cenários, por meio da criação de uma operadora virtual com sua massa de dados associada. Esta operadora contou com diferentes elementos de rede e planos da operadora para seus usuários. Foi criada uma vasta gama de políticas para a operadora, de acordo com os cenários previstos, visando a regulação do acesso e o uso dos recursos de rede pelos usuários. Tal estratégia teve como objetivos: Simular uma operadora real, testando com isto o núcleo central do sistema; Derivar APIs para facilitar a inserção de novas regras sem a necessidade de alteração do código fonte do produto. Para tanto, foram utilizados scripts de regras interpretadas; Exercitar os limites de orquestração do motor de regras do produto, garantindo que ele atenda aos requisitos de tráfego e estabilidade requeridos; Evoluir a customização de políticas, por meio de validações arquiteturais e tecnológicas do produto. Em paralelo à especificação destas políticas, foram concebidos cadernos de teste de todas as interfaces Diameter Gx, Sy, Rx e Sd, garantindo com isso uma maior abrangência nos testes executados e uma consequente maior qualidade final. INTERCONEXÃO DE REDES VOIP COM MAPEAMENTO ELETRÔNICO DE NÚMEROS O Projeto InterVoIP, concluído em dezembro, foi executado pelo CPqD, com a participação da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e o grupo Algar Telecom. Teve por objetivo desenvolver uma solução de software, integrada a um servidor DNS/ENUM, para promover a interconexão multilateral de redes VoIP, permitindo a realização de chamadas entre usuários VoIP de diferentes empresas operadoras, totalmente em ambiente IP, sem utilizar a rede tradicional de telecomunicações (STFC). A adoção de VoIP nas empresas de telefonia reduz o custo das chamadas e possibilita o oferecimento de novos serviços a seus clientes (como Instant Messaging e vídeo). Foi realizado o Workshop de Inovação Tecnológica em VoIP Peering nas instalações do Centro. O evento era aberto à comunidade acadêmica e empresarial e tinha como objetivos a divulgação de conhecimentos, o intercâmbio de experiências, a demonstração das tecnologias envolvidas e a identificação dos principais desafios de pesquisa, desenvolvimento e inovação associados à temática. A partir das pesquisas realizadas, foram publicados três artigos. Foi liberado um protótipo de software que explora os conceitos e a arquitetura projetada, baseada em padrões do Internet Engineering Task Force (IETF). Os principais módulos funcionais desse protótipo são Cadastro (operadoras, números, domínios, servidores etc.), Resolução de Chamada (endereço e rota), Interface com a Portabilidade Numérica, Encaminhamento das Chamadas VoIP e Gestão Estatística. AVANÇOS NA ARQUITETURA DE REDES DEFINIDAS POR SOFTWARE (SOFTWARE DEFINED NETWORK SDN) O CPqD liderou a criação de um driver do protocolo OpenFlow, versão 1.3, e o submeteu como proposta para padronização na Open Network Foundation (ONF), órgão que está à frente do movimento de consolidação da arquitetura SDN. Tal contribuição trará benefícios às comunidades científica e industrial, disponibilizando um 19

20 PESQUISA e DESENVOLVIMENTO componente básico para a evolução de equipamentos de rede e servirá como benchmark para soluções de fornecedores específicos. Através da análise dos principais fornecedores da tecnologia-alvo e de tendências de pesquisa, foi definido o escopo para uma infraestrutura de redes convergentes, capaz de orquestrar e abstrair redes de uma forma mais ampla, envolvendo redes ópticas e redes de acesso sem fio. Foram, ainda, conduzidos estudos de mercado para identificar a rede de parceiros industriais que podem se beneficiar com a nova arquitetura, além das necessidades primárias dos nichos envolvidos. Nessa prospecção, foram realizadas visitas e criados estudos de caso junto a operadoras para validação do cenário de migração da tecnologia atual para a arquitetura proposta. As visitas resultaram na construção de cenários e escopos mínimos para aplicações voltadas à validação da tecnologia e das soluções propostas. Foi implantada uma operação-piloto utilizando soluções de roteamento de borda de rede em uma abordagem SDN em um Ponto de Troca de Tráfego na Nova Zelândia. Tal iniciativa gerou evoluções colaborativas para a solução e validou alguns conceitos previamente desenvolvidos. O ano de 2013 ainda foi marcado por um conjunto de palestras e participações em workshops sobre o tema. REDES E TECNOLOGIAS DE SENSORES Incorporados em dispositivos inteligentes e acessíveis, disponibilizados em larga escala e interconectados via rede (por Internet ou celular), sensores e microssensores conectados criarão oportunidades sem precedentes para instrumentação, monitoração e controle de residências, do meio ambiente, de cidades e infraestruturas de prestação dos mais variados serviços à sociedade. A atuação do CPqD no segmento se dá com tecnologias de redes de sensores baseadas em tecnologias sem fio, como, por exemplo, RFID, e de sensores ópticos a fibra distribuídos. Os resultados mais relevantes obtidos durante o ano são descritos a seguir. RFID (RADIO FREQUENCY IDENTIFICATION) Foram realizados dois eventos na área de RFID. O PlugTest ETSI foi organizado em parceria com o European Telecommunications Standards Institute (ETSI) e teve como tema a Interoperabilidade em RFID e Internet of Things (IoT), utilizando a infraestrutura laboratorial em conjunto com o ETSI na realização de vários tipos de ensaio na tecnologia RFID. Também foi realizado, com o apoio do CNPq, o I International Workshop on RFID and IoT, que contou com a participação de vários especialistas brasileiros e estrangeiros para discutir a tecnologia. Foram iniciados dois novos projetos de pesquisa com recursos da Lei de Informática para aplicação da tecnologia RFID. Esses projetos aplicam-se à cadeia logística do setor automotivo e do setor financeiro. APERFEIÇOAMENTO DO SISTEMA DE VERIFICAÇÃO DO USO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EM TRABALHOS DE CAMPO BASEADO EM RFID Foi iniciado o Projeto de Aperfeiçoamento do Sistema de Verificação da Utilização de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) em trabalhos de campo, com o emprego da tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID). O trabalho está sendo realizado em parceria com a área de segurança do trabalho da Coelce, distribuidora de energia do Ceará. Esse projeto implementa uma solução de identificação do uso de EPI pelos funcionários da Coelce quando realizam trabalhos externos. Esse projeto visa o aperfeiçoamento do hardware do módulo leitor e antena para melhoria do desempenho de leitura e redução das dimensões da placa de circuito e o aperfeiçoamento do software através da evolução da interface web e da implementação de relatórios de indicadores (vida útil do equipamento de proteção, porcentagem de realização das verificações em campo, etc.) e a integração com os sistemas de geração de ordens de trabalho da concessionária de energia. 20

Apresentação institucional. Claudio A Violato Vice-Presidente de Tecnologia

Apresentação institucional. Claudio A Violato Vice-Presidente de Tecnologia Apresentação institucional Claudio A Violato Vice-Presidente de Tecnologia O CPqD Aumento da competitividade e inclusão digital do País Uma organização focada na inovação com base em Tecnologias de Informação

Leia mais

Testes e Experiência do CPqD em Sistemas PLC

Testes e Experiência do CPqD em Sistemas PLC Testes e Experiência do CPqD em Sistemas PLC Rogério Botteon Romano Pesquisador Maio/2007 www.cpqd.com.br PLC no CPqD Projeto P&D ANEEL - ciclo 2001/2002 - CPFL - ELETROPAULO - BANDEIRANTE - ELEKTRO (São

Leia mais

Programas Sistemas Projetos

Programas Sistemas Projetos Programas Sistemas Projetos A Cemig Maior empresa integrada do setor de energia elétrica do País, a Cemig também é o maior grupo distribuidor, responsável por aproximadamente 12% do mercado nacional. A

Leia mais

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Contexto As pressões do mercado por excelência em qualidade e baixo custo obrigam as empresas a adotarem sistemas de produção automatizados

Leia mais

AES ELETROPAULO. Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015

AES ELETROPAULO. Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015 AES ELETROPAULO Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015 1 AES Eletropaulo AES Eletropaulo % Brasil Area Concessão 4,526 (km 2 ) 0,05% Brazil Consumidores 6,8 (milhões) 9% Brasil Energia 46 (TWh) 11% São

Leia mais

2º Encontro Nacional da Inovação Tecnológica da Indústria Elétrica e Eletrônica ENITEE 2009. Marco Antonio Ongarelli Gestão da Inovação - CPqD

2º Encontro Nacional da Inovação Tecnológica da Indústria Elétrica e Eletrônica ENITEE 2009. Marco Antonio Ongarelli Gestão da Inovação - CPqD 2º Encontro Nacional da Inovação Tecnológica da Indústria Elétrica e Eletrônica ENITEE 2009 Marco Antonio Ongarelli Gestão da Inovação - CPqD O CPqD Instituição, focada na inovação com base nas tecnologias

Leia mais

Sistema de Supervisão de Rede Óptica

Sistema de Supervisão de Rede Óptica WORKSHOP sobre TELECOMUNICAÇÕES DO RIO MADEIRA Soluções para LT de Longa Distância Sistema de Supervisão de Rede Óptica Paulo José Pereira Curado Gerente de Tecnologia de Rede Óptica 17/03/2010 Sumário

Leia mais

Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D

Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D Tadeu Batista Coordenador Projeto Cidades do Futuro tbatista@cemig.com.br cidadesdofuturo@cemig.com.br www.cemig.com.br/smartgrid facebook.com/cemig.energia

Leia mais

Iniciativa para Identificação de Oportunidades Tecnológicas para o Desenvolvimento da Internet do Futuro. Tania Regina Tronco

Iniciativa para Identificação de Oportunidades Tecnológicas para o Desenvolvimento da Internet do Futuro. Tania Regina Tronco Iniciativa para Identificação de Oportunidades Tecnológicas para o Desenvolvimento da Internet do Futuro Tania Regina Tronco Data: 15/04/2009 Motivadores A evolução da Internet causará um forte impacto

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina A 1ª Cidade Inteligente da América Latina Imagine... gerar somente a energia que precisamos em nossas casas através de fontes renováveis... saber o consumo de energia de cada aparelho elétrico conectado

Leia mais

Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil

Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil IEEE Workshop SMART GRID Trends & Best Practices Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil Marco Aurélio Lenzi Castro Superintendência de Regulação dos Serviços de Distribuição SRD/ANEEL Salvador,

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

LINHAS TEMÁTICAS. EDITAL MCT/CNPq 066/2010 ICT 2011 Chamada coordenada UE/ Brasil. Linha temática 1: Microeletrônica/ Microssistemas

LINHAS TEMÁTICAS. EDITAL MCT/CNPq 066/2010 ICT 2011 Chamada coordenada UE/ Brasil. Linha temática 1: Microeletrônica/ Microssistemas (Anexo IV) LINHAS TEMÁTICAS EDITAL MCT/CNPq 066/2010 ICT 2011 Chamada coordenada UE/ Brasil Linha temática 1: Microeletrônica/ Microssistemas Metodologia, blocos e ferramentas específicas de projeto que

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL 38 ANOS DE INOVAÇÃO

RELATÓRIO ANUAL 38 ANOS DE INOVAÇÃO RELATÓRIO ANUAL 2014 38 ANOS DE INOVAÇÃO ÍNDICE 4 6 18 20 24 25 28 33 34 40 44 46 MENSAGEM DA DIRETORIA EXECUTIVA PESQUISA E DESENVOLVIMENTO GESTÃO DO CONHECIMENTO INFRAESTRUTURA LABORATORIAL GESTÃO DA

Leia mais

HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA.

HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. CRIANDO SOLUÇÕES COMPLETAS PARA EMPRESAS E PESSOAS DATA CENTER SOLUÇÃO ITMAX ENTERPRISE REDES

Leia mais

VI Forum Latino Americano de Smart Grid Estratégias e Tecnologias de Tranformação do Negócio. Claudio T Correa Leite

VI Forum Latino Americano de Smart Grid Estratégias e Tecnologias de Tranformação do Negócio. Claudio T Correa Leite VI Forum Latino Americano de Smart Grid Estratégias e Tecnologias de Tranformação do Negócio 27nov2013 Claudio T Correa Leite CPqD na Dinâmica de Transformação do Setor Elétrico A Dinâmica dos Mercados

Leia mais

Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia

Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia Introdução Formalmente, o IP Multimedia Subsystem (IMS) é definido como:... um novo 'domínio' principal da rede (ou

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CTS DE REDES DE COMPUTADORES INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo desde a história e a evolução

Leia mais

AES Eletropaulo. Area Concessão. Energia. Eletropaulo. Brasil. 4,526 (km 2 ) 0,05% 6,8 (milhões) 46 (TWh) 11% Brasil.

AES Eletropaulo. Area Concessão. Energia. Eletropaulo. Brasil. 4,526 (km 2 ) 0,05% 6,8 (milhões) 46 (TWh) 11% Brasil. AES ELETROPAULO 1 AES Eletropaulo AES Eletropaulo % Brasil Area Concessão 4,526 (km 2 ) 0,05% Brazil Consumidores 6,8 (milhões) 9% Brasil Energia 46 (TWh) 11% São Paulo Estado 2 PROJETO AES ELETROPAULO

Leia mais

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento A solução para relacionamento de Smart Grid com os consumidores Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento asmart Grid + Relacionamento ferramenta

Leia mais

A ESCOLHA CERTA EM COMUNICAÇÕES WIRELESS

A ESCOLHA CERTA EM COMUNICAÇÕES WIRELESS A ESCOLHA CERTA EM COMUNICAÇÕES WIRELESS Descrição As necessidades de telemedição (ou telemetria) e telecomando têm sido cada vez mais utilizadas nas mais variadas aplicações, principalmente onde o volume

Leia mais

Da ideia ao mercado Um caminho de percalços

Da ideia ao mercado Um caminho de percalços Da ideia ao mercado Um caminho de percalços CONTEXTO REGULATÓRIO % da ROL a ser investido em P&D Investimento Recolhimento SEGMENTO P&D Light FNDCT MME Light SESA 0,2% 0,2% 0,1% Light Energia 0,4% 0,4%

Leia mais

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1 Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio slide 1 Objetivos de estudo Quais os principais componentes das redes de telecomunicações e quais as principais tecnologias de rede? Quais os principais

Leia mais

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br Série Connect Switches e Conversores Industriais www.altus.com.br Conectividade e simplicidade Compacto: design robusto e eficiente para qualquer aplicação Intuitivo: instalação simplificada que possibilita

Leia mais

Introdução à família Aprisa SR. Confidencial da empresa

Introdução à família Aprisa SR. Confidencial da empresa Introdução à família Aprisa SR Confidencial da empresa Os produtos Aprisa Duas famílias de produtos Aprisa XE: Conexões por micro-ondas ponto-aponto a longa distância para aplicações exigentes. Aprisa

Leia mais

SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA

SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA Estado da arte Aplicações atuais Perspectivas Landulfo Mosqueira Alvarenga Consultor Técnico Diretoria de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação CEPEL 1 Seminário Internacional

Leia mais

ASPECTOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM REDES INTELIGENTES SMART GRIDS PROJETO DE PESQUISA 01: ANÁLISE DA MEDIÇÃO INTELIGENTE DE ENERGIA VIA PLC

ASPECTOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM REDES INTELIGENTES SMART GRIDS PROJETO DE PESQUISA 01: ANÁLISE DA MEDIÇÃO INTELIGENTE DE ENERGIA VIA PLC PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS, AMBIENTAIS E DE TECNOLOGIAS CEATEC PUC-CAMPINAS ASPECTOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM REDES INTELIGENTES SMART GRIDS PROJETO DE PESQUISA

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO.

TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. OneIT A gente trabalha para o seu crescimento. Rua Bento Barbosa, n 155, Chácara Santo

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

Processadores de telecomunicações

Processadores de telecomunicações 1 Processadores de telecomunicações ƒ Modems (modulação/desmodulação) ƒ Converte sinais entre os formatos analógico e digital. ƒ Multiplexadores ƒ Permitem que um canal de comunicação transporte simultaneamente

Leia mais

REDES CORPORATIVAS. Soluções Avançadas para Comunicação Empresarial

REDES CORPORATIVAS. Soluções Avançadas para Comunicação Empresarial REDES CORPORATIVAS Presente no mercado há 31 anos, a Compugraf atua em vários segmentos da comunicação corporativa, oferecendo serviços e soluções de alta tecnologia, com reconhecida competência em diversos

Leia mais

LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS

LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS INTRODUÇÃO: Entende-se por Mobilidade a possibilidade de poder se comunicar em qualquer momento e de qualquer lugar. Ela é possível graças às redes wireless, que podem

Leia mais

PERSPECTIVAS DO PROJETO SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES *

PERSPECTIVAS DO PROJETO SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES * PERSPECTIVAS DO PROJETO SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES * Rosemar Aquino de Rezende JUNIOR 1 ; Laura Vitória Rezende DIAS 2 ; Getúlio Antero de DEUS JÚNIOR 3. 1 Bolsista do PET

Leia mais

Prof. Dr. Arismar Cerqueira Sodré Junior Prof. Dr. Arismar Cerqueira S. Jr. arismar@inatel.br

Prof. Dr. Arismar Cerqueira Sodré Junior Prof. Dr. Arismar Cerqueira S. Jr. arismar@inatel.br Rádio sobre Fibra: Tecnologia Chave para Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016 Prof. Dr. Arismar Cerqueira Sodré Junior 1 Contexto Tecnológico 2 Sumário da apresentação I. Contexto Tecnológico II.

Leia mais

DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA

DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA OBJETIVOS Desenvolvimento de metodologia e sistema de automação do monitoramento de riscos e controles organizacionais para: Minimização dos riscos regulatórios

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL GE Distributed Power Jose Renato Bruzadin Sales Manager Brazil T +55 11 2504-8829 M+55 11 99196-4809 Jose.bruzadini@ge.com São Paulo, 11 de Julho de 2014 NOME DA INSTITUIÇÃO: GE Distributed Power AGÊNCIA

Leia mais

Série SV8000 UNIVERGE 360. UNIVERGE 360 - Unificando as Comunicações Empresariais

Série SV8000 UNIVERGE 360. UNIVERGE 360 - Unificando as Comunicações Empresariais Série SV8000 UNIVERGE 360 UNIVERGE 360 - Unificando as Comunicações Empresariais Tudo a ver com mudança E estar preparado para ela Com UNIVERGE360 você estabelece a direção. O ambiente de trabalho está

Leia mais

Redes Inteligentes. Como passo inicial do Conceito Smart Grid. Belo Horizonte - 11/08/2010

Redes Inteligentes. Como passo inicial do Conceito Smart Grid. Belo Horizonte - 11/08/2010 Redes Inteligentes Como passo inicial do Conceito Smart Grid Belo Horizonte - 11/08/2010 A Rede Elétrica ONS Mercado De Energia NOSSO FOCO Geração Geração renovável Armazenamento Rede de Distribuição Negócio

Leia mais

Área de concessão. 24 municípios incluindo a Capital. Abrangência: 4,526 km2 e 10% do consumo de energia do país. 6,7 milhões de unidades consumidoras

Área de concessão. 24 municípios incluindo a Capital. Abrangência: 4,526 km2 e 10% do consumo de energia do país. 6,7 milhões de unidades consumidoras Redes Inteligentes Área de concessão 24 municípios incluindo a Capital Abrangência: 4,526 km2 e 10% do consumo de energia do país 6,7 milhões de unidades consumidoras 8% da população do Brasil (aprox.

Leia mais

Anexo II: Especificações da Chamada de Propostas de Pesquisa.

Anexo II: Especificações da Chamada de Propostas de Pesquisa. Anexo II: Especificações da Chamada de Propostas de Pesquisa. Os temas de interesse da Fapesp e da Telesp e que serão objeto de Chamadas de Propostas de Pesquisa para projetos de pesquisa cooperativa entre

Leia mais

PORTFÓLIO www.imatec.com.br

PORTFÓLIO www.imatec.com.br História A IMATEC foi estabelecida em 1993 com o objetivo de atuar nos segmentos de microfilmagem, digitalização e guarda de documentos e informações, hoje conta com 300 colaboradores, têm em seu quadro,

Leia mais

QUEM SOMOS NOSSO NEGÓCIO

QUEM SOMOS NOSSO NEGÓCIO QUEM SOMOS Somos uma empresa brasileira dedicada a construir e prover soluções que empregam tecnologias inovadoras, combinadas com a identificação por rádio frequência (RFID), análise de imagens (imagens

Leia mais

Smart Energy Energias Inteligentes A Visão da Indústria, Instituições de P&D e Especialistas Álvaro Dias Júnior

Smart Energy Energias Inteligentes A Visão da Indústria, Instituições de P&D e Especialistas Álvaro Dias Júnior Smart Energy Energias Inteligentes Álvaro Dias Júnior 8 de maio de 2014, Curitiba Cenário Econômico Brasileiro A importância do Brasil tanto na área econômica quanto política, tem aumentado nos últimos

Leia mais

Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia

Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia 1 Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia Autor: Kobi Gol Gerente de Desenvolvimento de Negócios e Soluções da RAD Data Communications. 2 As redes das empresas de energia estão

Leia mais

DIMETRA IP Compact. uma solução TETRA completa e compacta

DIMETRA IP Compact. uma solução TETRA completa e compacta DIMETRA IP Compact uma solução TETRA completa e compacta MOTOROLA - SEU PARCEIRO DE TECNOLOGIA CONFIÁVEL E ATUANTE Uma herança que dá orgulho As soluções TETRA da Motorola alavancam mais de 75 anos de

Leia mais

Comparativo de soluções para comunicação unificada

Comparativo de soluções para comunicação unificada Comparativo de soluções para comunicação unificada Bruno Mathies Curso de Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Abril de 2010 Resumo Este artigo tem com objetivo

Leia mais

MANUAL CLIENTE TODA A

MANUAL CLIENTE TODA A MANUAL CLIENTE TODA A Qualidade GVT AOS OLHOS DOS CLIENTES. TODA A QUALIDADE GVT AOS SEUS OLHOS O Serviço de Gerência é uma ferramenta fundamental para garantir o melhor desempenho dos serviços de telecomunicações

Leia mais

LAGF. Otimizando Redes Comunicações Carlos Alberto Previdelli

LAGF. Otimizando Redes Comunicações Carlos Alberto Previdelli LAGF Otimizando Redes Comunicações Carlos Alberto Previdelli Setembro/2013 Agenda Smart Utilities & Smart Network Gestão integrada da Rede Conclusão Smart Utilities - Vetores da Governança Visão, Direção

Leia mais

BGAN. Transmissão global de voz e dados em banda larga. Banda larga para um planeta móvel

BGAN. Transmissão global de voz e dados em banda larga. Banda larga para um planeta móvel BGAN Transmissão global de voz e dados em banda larga Banda larga para um planeta móvel Broadband Global Area Network (BGAN) O firm das distâncias O serviço da Rede Global de Banda Larga da Inmarsat (BGAN)

Leia mais

Mapa de Processos de uma Operadora de Telecomunicações (etom)

Mapa de Processos de uma Operadora de Telecomunicações (etom) Mapa de Processos de uma Operadora de Telecomunicações (etom) Este tutorial apresenta o enhanced Telecom Operations Map (etom) desenvolvido pelo Tele Management Forum (TM Forum). Vergílio Antonio Martins

Leia mais

PRINCIPAIS CONSTATAÇÕES

PRINCIPAIS CONSTATAÇÕES PRINCIPAIS CONSTATAÇÕES GRUPO DE ESTUDOS DE GERAÇÃO HIDRÁULICA GGH É necessário o aprofundamento dos estudos para o uso de unidades geradoras hidráulicas que permitam a otimização do uso da água Geradores

Leia mais

Sistemas embarcados. Paulo Urbano paulo.urbano@cesar.org.br

Sistemas embarcados. Paulo Urbano paulo.urbano@cesar.org.br Sistemas embarcados Paulo Urbano paulo.urbano@cesar.org.br Sobre o palestrante... Ciência da Computação, Departamento de Informática, UFPE, 1998 Mestrado em Tecnologia da Informação, Universität Stuttgart,

Leia mais

A perspectiva de Operadoras Competitivas de Telecomunicações

A perspectiva de Operadoras Competitivas de Telecomunicações 24 de Março de 2011 As exigências de infraestrutura de TIC para a Copa do Mundo e Olimpíada no Brasil Desafios e Oportunidades na construção do IBC. A perspectiva de Operadoras Competitivas de Telecomunicações

Leia mais

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência O princípio de transmissão de dados de telemetria por rádio freqüência proporciona praticidade, agilidade,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

Caminhos para as cidades digitais no Brasil. Campinas, 26 de março de 2009

Caminhos para as cidades digitais no Brasil. Campinas, 26 de março de 2009 Caminhos para as cidades digitais no Brasil Campinas, 26 de março de 2009 Atualmente, faz-se necessário o exame de meios que estimulem a difusão de cidades digitais sustentáveis pelo país, porque, além

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado

Leia mais

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network)

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) 1. Objeto: 1.1. Contratação de uma Solução de rede de comunicação local (LAN) para interligar diferentes localidades físicas e os segmentos de

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

Herramientas inteligentes para el diagnóstico de transformadores sometidos a esfuerzos electromagnéticos severos

Herramientas inteligentes para el diagnóstico de transformadores sometidos a esfuerzos electromagnéticos severos Herramientas inteligentes para el diagnóstico de transformadores sometidos a esfuerzos electromagnéticos severos Nombre Carlos Guilherme Gonzales Correo cgonzale@cteep.com.br Empresa www.cteep.com.br Cargo

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD 1 de 9 Desde o nascimento do telemóvel e o seu primeiro modelo vários se seguiram e as transformações tecnológicas que estes sofreram ditaram o nascimento de várias gerações. O Motorola DynaTac 8000X é

Leia mais

ACCESSNET -T IP Técnica do sistema TETRA da Hytera. www.hytera.de

ACCESSNET -T IP Técnica do sistema TETRA da Hytera. www.hytera.de Técnica do sistema TETRA da Hytera é a solução abrangente e eficiente para todas as aplicações em transmissão móvel profissional. www.hytera.de Num piscar de olhos Para comunicação TETRA profissional TETRA

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

Atividade Capitulo 6 - GABARITO

Atividade Capitulo 6 - GABARITO Atividade Capitulo 6 - GABARITO 1. A Internet é uma força motriz subjacente aos progressos em telecomunicações, redes e outras tecnologias da informação. Você concorda ou discorda? Por quê? Por todos os

Leia mais

Objetivo. 0 Conceitos. 0 Funcionalidades. 0 Desafios. 0 Experiências de Implantação

Objetivo. 0 Conceitos. 0 Funcionalidades. 0 Desafios. 0 Experiências de Implantação Objetivo 0 Conceitos 0 Funcionalidades 0 Desafios 0 Experiências de Implantação Smart Grid Conceitos 0 NÃO é só Medição Eletrônica e Telecom!! 0 Envolve conhecimentos sobre: 0 Tecnologia, Padrões, Normas

Leia mais

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV:

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV: IFPB Concurso Público/Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (Edital 24/2009) CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓDIGO 06 UCs de Comunicações Móveis e/ou de Processamento de Sinais de Áudio e Vídeo

Leia mais

Programa Smart Grid da AES Eletropaulo. - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013

Programa Smart Grid da AES Eletropaulo. - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013 Programa Smart Grid da AES Eletropaulo - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013 1 Agenda Institucional Projeto Smart Grid Eletropaulo Digital Motivadores Objetivos

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010 I Fórum Lusófono de Comunicações Abril. 2010 Evolução do Setor de Telecomunicações no Brasil Pré-Privatização Monopólio estatal Poucos investimentos Baixa qualidade dos serviços 98 Grande demanda reprimida

Leia mais

ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 24/2014

ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 24/2014 ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 24/2014 NOME DA INSTITUIÇÃO: Associação UTC América Latina AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: Audiência Pública nº 024/2014

Leia mais

Tópicos. 1. Conceitos Gerais de Smart Grids. 2. Evolução das Redes Inteligentes e Resultados (PDRI) 3. Enerq em Smart Grids

Tópicos. 1. Conceitos Gerais de Smart Grids. 2. Evolução das Redes Inteligentes e Resultados (PDRI) 3. Enerq em Smart Grids IEEE Workshop SMART GRID - Trends & Best Practices Smart Grid no Contexto da Geração e Distribuição 18/10/2013 NAPREI Núcleo de Pesquisas em Redes Elétricas Inteligentes enerq Centro de Estudos em Regulação

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes Gerenciamento de Redes As redes de computadores atuais são compostas por uma grande variedade de dispositivos que devem se comunicar e compartilhar recursos. Na maioria dos casos, a eficiência dos serviços

Leia mais

PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411

PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411 PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411 Eng. João Marcos Castro Soares (Diretor de P&D) São Paulo, 29 de abril de 2015 REIVAX

Leia mais

Localização e Inteligência Móvel. Com a iguard todos os caminhos levam sua empresa onde ela precisa chegar.

Localização e Inteligência Móvel. Com a iguard todos os caminhos levam sua empresa onde ela precisa chegar. Localização e Inteligência Móvel Com a iguard todos os caminhos levam sua empresa onde ela precisa chegar. 1 2 Localização e Inteligência Móvel Todos os dias sua empresa enfrenta grandes desafios para

Leia mais

Serviços Prestados Infovia Brasília

Serviços Prestados Infovia Brasília Serviços Prestados Infovia Brasília Vanildo Pereira de Figueiredo Brasília, outubro de 2009 Agenda I. INFOVIA Serviços de Voz Softphone e Asterisk INFOVIA MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO INFOVIA MINISTÉRIO

Leia mais

Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento

Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento Um Único Dispositivo para Monitoramento e Controle Há várias formas de melhorar a eficiência e a confiabilidade

Leia mais

CASO DE SUCESSO MICROWARE

CASO DE SUCESSO MICROWARE CASO DE SUCESSO MICROWARE CLIENTE: Telcordia Technologies Telecomunicações Brasil LTDA SEGMENTO: Tecnologia e Telecomunicações ÁREA DE ATUAÇÃO: Conectividade DEMANDA: Diante das novas tecnologias agregadas

Leia mais

- Projeto & Concepção - Solicitação de Acesso - Venda de Equipamentos - Instalação - Conexão com Distribuidora. Campinas

- Projeto & Concepção - Solicitação de Acesso - Venda de Equipamentos - Instalação - Conexão com Distribuidora. Campinas A Blue Sol Energia Solar visa disseminar a tecnologia fotovoltaica e o conhecimento sobre os temas no Brasil promovendo, portanto, uma fonte limpa, renovável e inesgotável de energia, alinhada com a crescente

Leia mais

redes, infraestrutura e telecom

redes, infraestrutura e telecom redes, infraestrutura e telecom Integração de soluções, projetos, implementação e manutenção de redes, infraestrutura de TI e telecom para empresas de grande e médio portes. SERVIÇOS redes, infraestrutura

Leia mais

Caso de sucesso. Impacto no Negócio. A Empresa

Caso de sucesso. Impacto no Negócio. A Empresa Escola disponibiliza acesso wireless de qualidade para alunos, funcionários e visitantes, e contribui para um aprendizado cada vez mais dinâmico. Com o objetivo de aperfeiçoar a iniciativa BYOD (Bring

Leia mais

Este tutorial apresenta o enhanced Telecom Operations Map (etom) desenvolvido pelo Tele Management Forum (TM Forum).

Este tutorial apresenta o enhanced Telecom Operations Map (etom) desenvolvido pelo Tele Management Forum (TM Forum). Mapa de Processos de uma Operadora de Telecomunicações (etom) Este tutorial apresenta o enhanced Telecom Operations Map (etom) desenvolvido pelo Tele Management Forum (TM Forum). Eduardo Tude Engenheiro

Leia mais

tendências MOBILIDADE CORPORATIVA Setembro/2012 INFORMATIVO TECNOLÓGICO DA PRODESP EDIÇÃO 03 Introdução Cenário atual Tendências Vantagens Riscos

tendências MOBILIDADE CORPORATIVA Setembro/2012 INFORMATIVO TECNOLÓGICO DA PRODESP EDIÇÃO 03 Introdução Cenário atual Tendências Vantagens Riscos tendências EDIÇÃO 03 Setembro/2012 MOBILIDADE CORPORATIVA Introdução Cenário atual Tendências Vantagens Riscos Recomendações para adoção de estratégia de mobilidade 02 03 04 06 07 08 A mobilidade corporativa

Leia mais

HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA.

HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. CRIANDO SOLUÇÕES COMPLETAS PARA EMPRESAS E PESSOAS A Furukawa tem como foco ampliar os relacionamentos,

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA. Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores.

PROJETO DE PESQUISA. Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores. PROJETO DE PESQUISA 1. Título do projeto Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores. 2. Questão ou problema identificado Controlar remotamente luminárias, tomadas e acesso

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

A MOTOROLA E O PESSOAL DE EMERGÊNCIAS DA ÁREA DA BAÍA DE SAN FRANCISCO

A MOTOROLA E O PESSOAL DE EMERGÊNCIAS DA ÁREA DA BAÍA DE SAN FRANCISCO Matéria publicada na MOTOROLA ezine A MOTOROLA E O PESSOAL DE EMERGÊNCIAS DA ÁREA DA BAÍA DE SAN FRANCISCO A ÁREA DA BAÍA DE SAN FRANCISCO ESCOLHE A MOTOROLA PARA CONSTRUIR A PRIMEIRA REDE DE BANDA LARGA

Leia mais

Introdução à Computação Móvel. Carlos Maurício Seródio Figueiredo

Introdução à Computação Móvel. Carlos Maurício Seródio Figueiredo Introdução à Computação Móvel Carlos Maurício Seródio Figueiredo Sumário Visão da Computação Móvel Oportunidades de Pesquisa Alguns Interesses de Pesquisas Futuras Visão da Computação Móvel O que é Computação

Leia mais

A utilização das redes na disseminação das informações

A utilização das redes na disseminação das informações Internet, Internet2, Intranet e Extranet 17/03/15 PSI - Profº Wilker Bueno 1 Internet: A destruição as guerras trazem avanços tecnológicos em velocidade astronômica, foi assim também com nossa internet

Leia mais

Sistema Corporativo de Tele-Medição de Energia Elétrica. Eng. Eduardo Caldas Cardoso ELO Sistemas e Tecnologia eduardo@elotek.com.

Sistema Corporativo de Tele-Medição de Energia Elétrica. Eng. Eduardo Caldas Cardoso ELO Sistemas e Tecnologia eduardo@elotek.com. 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Sistema Corporativo de Tele-Medição de Energia Elétrica Eng. Eduardo Caldas Cardoso ELO Sistemas e Tecnologia eduardo@elotek.com.br RESUMO A tele-medição de

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

Sm S a m r a t r t Gr G i r d Bruno Erik Cabral

Sm S a m r a t r t Gr G i r d Bruno Erik Cabral Bruno Erik Cabral Smart Grid Agenda Introdução Definição Características Confiabilidade Flexibilidade Eficiência Sustentabilidade Medidores Inteligentes Controle avançado Cenário Internacional Cenária

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA Anexo II.6 Especificações do Sistema de Bilhetagem Eletrônica PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA ÍNDICE 1 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 2 CONCEPÇÃO DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA... 2 2.1 Processos

Leia mais

INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA

INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA O InterLIMS se apresenta

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK)

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) 1. VPN Segundo TANENBAUM (2003), VPNs (Virtual Private Networks) são redes sobrepostas às redes públicas, mas com

Leia mais

TOPOLOGIAS E CONCEITOS BÁSICOS SOBRE O PADRÃO IEEE 802.16 (WIMAX) MATHEUS CAVECCI

TOPOLOGIAS E CONCEITOS BÁSICOS SOBRE O PADRÃO IEEE 802.16 (WIMAX) MATHEUS CAVECCI TOPOLOGIAS E CONCEITOS BÁSICOS SOBRE O PADRÃO IEEE 802.16 (WIMAX) MATHEUS CAVECCI Dezembro 2011 INTRODUÇÃO A transmissão de dados via ondas de radio não é novidade, segundo Haykin e Moher, as primeiras

Leia mais

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas IW10 Rev.: 02 Especificações Técnicas Sumário 1. INTRODUÇÃO... 1 2. COMPOSIÇÃO DO IW10... 2 2.1 Placa Principal... 2 2.2 Módulos de Sensores... 5 3. APLICAÇÕES... 6 3.1 Monitoramento Local... 7 3.2 Monitoramento

Leia mais

COLABORAÇÃO COMPLETA PARA O MIDMARKET

COLABORAÇÃO COMPLETA PARA O MIDMARKET COLABORAÇÃO COMPLETA PARA O MIDMARKET Você está realmente conectado? Esse é o desafio atual no panorama dos negócios virtuais e móveis, à medida que as empresas se esforçam para ter comunicações consistentes

Leia mais