PONTOS BÁSICOS PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS. Klecius Ellera Gomes

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PONTOS BÁSICOS PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS. Klecius Ellera Gomes"

Transcrição

1 PONTOS BÁSICOS PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS Klecius Ellera Gomes

2 Por que elaborar um projeto? Qual a necessidade de elaborar um projeto?

3 Principais aspectos de um projeto Foco definido/problema Objetivo Tempo determinado/prazo Necessita recursos materiais, humanos, financeiros Ações em ordem/planejamento Necessita de gerenciamento Necessita de resultados Tem incertezas

4 O que é um projeto? * É um empreendimento finito *Tem objetivos claramente definidos em função de um problema * Objetiva transformar ideias em resultados * Tem uma administração específica *Tem incertezas

5 Projeto: Conceito Projeto é um empreendimento planejado que consiste num conjunto de atividades interrelacionadas e coordenadas, com o fim de alcançar objetivos específicos dentro dos limites de um orçamento e de um período de tempo dados. (PROCHONW, Schaffer, 1999 apud ONU, 1984)

6 Que tipo de projeto queremos formular? PROJETO COMPETITIVO

7 O que é um Projeto Competitivo? Capacidade de participar, com boa probabilidade de sucesso, em processos competitivos de seleção e financiamento. Projeto Competitivo depende das suas próprias características, mas também dos objetivos da organização que o propõe e do processo de seleção de que participa.

8 Um projeto competitivo depende da relevância do projeto para quem o financia atendimento aos critérios, regras e procedimentos do processo de seleção clareza, consistência, legitimidade e compromisso na formulação do projeto

9 Recomendações preliminares 1: Priorizar o problema, o tema e/ou a ação de pesquisa a ser trabalhado, utilizando metodologia adequada. 2: Definir claramente o problema/tema/ação a ser trabalhado 3: Identificar as fontes de financiamento e buscar saber sobre os interesses e prioridades do patrocinador assim como os seus clientes e usuários. 4: Ler atentamente os editais/chamadas de financiamento. 5: Em caso de dúvidas, contatar pessoa da entidade patrocinadora, antes de elaborar a proposta. 6: Verificar se a sua organização é elegível para competir pelos recursos do patrocinador. 7: Seguir as instruções das chamadas na elaboração da proposta.

10 Tudo começa... Problema Solução Originado demanda interna ou externa PROJETO

11 Problema Solução 1.Caracterizaçã o do problema PROJETO

12 Problema Solução 1.Caracterizaçã o do problema PROJETO 2.Hipóteses

13 Problema Solução 1.Caracterizaçã o do problema PROJETO 2.Hipóteses 3. Objetivos

14 Problema Solução 1.Caracterizaçã o do problema PROJETO 2.Hipóteses 3. Estado 3.Objetivos da arte 4.Estado da Arte/Bco. Patente

15 Bancos de Patentes A busca em bancos de patentes pode trazer subsídios para a resolução de problemas, já que há muita informação tecnológica disponível nessas bases. 85 a 90% da informação tecnológica tem divulgação exclusiva em bancos de patentes Isso mostra a importância de se fazer busca em bancos de patentes (complementar ao levantamento científico), para compor o estado da arte de uma proposta de projeto. Muitas das propostas de projetos já tem solução tecnológica em bancos de patentes

16 Bancos de Patentes Consulta ao banco de patentes: No Brasil : No site do INPI também pode-se acessar o WIPO - World Intellectual Property Organization: Nos Estados Unidos:

17 Problema Solução 1.Caracterizaçã o do problema PROJETO 5.Metodologia 2. Hipóteses 3. Estado 3. Objetivos da arte 4.Estado da Arte/Bco. Patente

18 Problema Solução 6. Resultados 1.Caracterizaçã o do problema PROJETO 5.Metodologia 2.Hipóteses 3. Estado 3. Objetivos da arte 4.Estado da Arte/Bco. Patente

19 Problema Solução 7.Equipe, Cronograma e Orçam. 6. Resultados 1.Caracterizaçã o do problema PROJETO 5.Metodologia 2.Hipóteses 3. Estado 3. Objetivos da arte 4.Estado da Arte/Bco. Patente

20 Problema 8.Título e Resumo 7.Equipe, Cronograma e Orçam. Solução 6.Resultados 1.Caracterizaçã o do problema PROJETO 5.Metodologia 2.Hipóteses 3. Estado 3. Objetivos da arte 4.Estado da Arte/Bco. Patente

21 Título - Deve refletir e sintetizar, de forma clara e específica, os aspectos essenciais e o escopo do projeto em uma frase. Resumo- Apresentar de forma clara, concisa e direta. Descrever a natureza do problema, objetivo geral, público alvo, síntese da estratégia de ação, resultados e impactos esperados OBSERVAÇÃO Título, resumo, objetivo geral e específico devem ser MUITO BEM escritos são os primeiros componentes que os avaliadores irão ler.

22 DICAS 1: Propostas para empresas privadas devem conter clara mensagem que os recursos financeiros aplicados na pesquisa resultarão em benefícios para ela. 2: Fazer um Pré-Planejamento antes de começar a redigir projeto. 3. Cuidado com as versões!! Mas não esquecer da cópia de segurança. 4. Recordar sempre que: boas ideias são rejeitadas quando mal apresentadas. 5: Fazer uso de figuras, tabelas, gráficos, esquemas, que favoreçam o entendimento da proposta são muito úteis. 6. Antes de entregar o projeto, realizar uma revisão. É aconselhável a leitura do material por outras pessoas. Se for possível, realizar uma revisão ortográfica.

23 Obrigado

ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ELABORAÇÃO DE PROJETOS ELABORAÇÃO DE PROJETOS 1 CONCEITO Projeto é um empreendimento planejado que consiste num conjunto de atividades inter-relacionadas e coordenadas, com o fim de alcançar objetivos específicos dentro dos

Leia mais

Elaboração e Avaliação de Projetos Florestais. Iane Gomes UEA-CITA. E n g e n h e i r a F l o r e s t a l, M. S c.

Elaboração e Avaliação de Projetos Florestais. Iane Gomes UEA-CITA. E n g e n h e i r a F l o r e s t a l, M. S c. Elaboração e Avaliação de Projetos Florestais Iane Barroncas Gomes E n g e n h e i r a F l o r e s t a l, M. S c. Download de materiais www.professoraibg.wordpress.com Contato: professoraibg@outlook.com

Leia mais

INSTITUTO EUVALDO LODI

INSTITUTO EUVALDO LODI INSTITUTO EUVALDO LODI Integra o Sistema Indústria juntamente com CNI, SESI, SENAI e Federações Tem o compromisso com o aumento da competitividade da indústria brasileira Atua na Gestão Empresarial e capacitação

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS NÚCLEO UNIVERSITÁRIO BARREIRO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS NÚCLEO UNIVERSITÁRIO BARREIRO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS NÚCLEO UNIVERSITÁRIO BARREIRO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS: Estruturação e proposta de implantação de uma metodologia

Leia mais

O PAPEL ESTRATÉGICO DO INPI. DART Diretoria de Articulação

O PAPEL ESTRATÉGICO DO INPI. DART Diretoria de Articulação O PAPEL ESTRATÉGICO DO INPI DART Diretoria de Articulação CEDIN Centro de Divulgação, Documentação e Informação Tecnológica O PAPEL ESTRATÉGICO DO INPI CONCESSÃO DE PATENTES E REGISTROS consolida meio

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE NUTRIÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO - TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE NUTRIÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO - TCC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO - TCC Goiânia 2015 Das Finalidades: REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO - TCC Art. 1º - A elaboração do TCC, conforme estabelecido pelas Diretrizes

Leia mais

ORIENTAÇO ES PARA DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE INTERVENÇA O

ORIENTAÇO ES PARA DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE INTERVENÇA O ORIENTAÇO ES PARA DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE INTERVENÇA O O QUE É UM PROJETO DE INTERVENÇÃO? Na perspectiva do desenvolvimento das habilidades e competência do eixo do Programa de Aprendizagem em Atenção

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Departamento de Integração de Sistemas de Informação

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Departamento de Integração de Sistemas de Informação MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Departamento de Integração de Sistemas de Informação ANÁLISE PRELIMINAR DE PDTI Órgão: IFE - Brasília Objeto:

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS PARA ELABORAÇÃO E SUBMISSÃO DE RESUMOS DE TRABALHOS PARA APRESENTAÇÃO NA SECITEC 2016 DO IFG-ITUMBIARA

INSTRUÇÕES GERAIS PARA ELABORAÇÃO E SUBMISSÃO DE RESUMOS DE TRABALHOS PARA APRESENTAÇÃO NA SECITEC 2016 DO IFG-ITUMBIARA INSTRUÇÕES GERAIS PARA ELABORAÇÃO E SUBMISSÃO DE RESUMOS DE TRABALHOS PARA APRESENTAÇÃO NA SECITEC 2016 DO IFG-ITUMBIARA - As instruções e orientações a seguir devem ser rigorosamente observadas quanto

Leia mais

NORMAS PARA ENVIO DE RELATO DE CASO

NORMAS PARA ENVIO DE RELATO DE CASO NORMAS PARA ENVIO DE RELATO DE CASO Um relato de caso é a descrição de uma situação de gerenciamento. Os relatos de caso submetidos ao VII Simpósio de Administração: Os desafios do empreendedorismo frente

Leia mais

O processo seletivo será conduzido por uma Comissão Avaliadora constituída por membros docentes do mestrado em Engenharia Ambiental.

O processo seletivo será conduzido por uma Comissão Avaliadora constituída por membros docentes do mestrado em Engenharia Ambiental. EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO DE ALUNOS REGULARES NO MESTRADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO SEGUNDO SEMESTRE DE 2008 I - FINALIDADE O presente edital tem por

Leia mais

Aula 1 Projeto de Formatura PF2. PSI2594 2º. Semestre 2014

Aula 1 Projeto de Formatura PF2. PSI2594 2º. Semestre 2014 Aula 1 Projeto de Formatura PF2 PSI2594 2º. Semestre 2014 Agenda Revisão de PF1 Apresentação do PF2 Discussão Sumário Projeto de Formatura I Caderno de Engenharia Relatório Final Apresentações Prova de

Leia mais

Revisão de Metodologia Científica

Revisão de Metodologia Científica Revisão de Metodologia Científica Luiz Eduardo S. Oliveira Universidade Federal do Paraná Departamento de Informática http://lesoliveira.net Luiz S. Oliveira (UFPR) Revisão de Metodologia Científica 1

Leia mais

O PROCESSO DE AVALIAÇÃO PROFISSIONAL

O PROCESSO DE AVALIAÇÃO PROFISSIONAL O PROCESSO DE AVALIAÇÃO PROFISSIONAL Carmen Leite Ribeiro Bueno* A Avaliação Profissional tem como objetivo geral auxiliar o indivíduo em seu desenvolvimento pessoal e profissional, utilizando sistematicamente

Leia mais

UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL USCS PRÉ-PROJETO DE PESQUISA

UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL USCS PRÉ-PROJETO DE PESQUISA UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL USCS PRÉ-PROJETO DE PESQUISA 2015 UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL USCS CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM DOCÊNCIA E GESTÃO EDUCACIONAL (Tamanho

Leia mais

NORMAS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

NORMAS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO NORMAS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I - Das Disposições Preliminares Art. 1 - A presente norma tem como objetivo regulamentar a realização do

Leia mais

CENÁRIO ATUAL e PERSPECTIVAS FUTURAS da AÇÃO SOCIAL. Jôer Corrêa Batista

CENÁRIO ATUAL e PERSPECTIVAS FUTURAS da AÇÃO SOCIAL. Jôer Corrêa Batista CENÁRIO ATUAL e PERSPECTIVAS FUTURAS da AÇÃO SOCIAL Jôer Corrêa Batista Considerações Preliminares. Filantropia Assistência Ação Social Transformação Social Tendências O amadorismo no Terceiro Setor vem

Leia mais

PROJETO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

PROJETO EM ENGENHARIA ELÉTRICA PROJETO EM ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO-UNEMAT CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA ELÉTRICA ANDERSON ALVES DE SOUZA GABRIEL DE OLIVEIRA BARROS DA SILVA GUSTAVO DE OLIVEIRA HUGO

Leia mais

Nº 3 - Informações Sobre Execução

Nº 3 - Informações Sobre Execução Nº 3 - Informações Sobre Execução 1 1. VALORES ESTABELECIDOS NO CONTRATO DE EMPRÉSTIMO Nº 1628/OC-BR, PARA LICITAÇÃO /AQUISIÇÃO DE BENS E LICITAÇÃO/CONTRATAÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS (QUE NÃO OS DE CONSULTORIA)

Leia mais

introdução ao marketing - gestão do design

introdução ao marketing - gestão do design introdução ao marketing - gestão do design Universidade Presbiteriana Mackenzie curso desenho industrial 3 pp e pv profa. dra. teresa riccetti Fevereiro 2009 A gestão de design, o management design, é

Leia mais

Administração de Projetos

Administração de Projetos Administração de Projetos Iniciação: elaborando um TAP Prof. Robson Almeida UNIP. Administração de projetos. Aula 3 Fase de Iniciação de projetos [notas de aula]. Faculdade Online UVB, 2012. Acesso em:

Leia mais

Manual para elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso

Manual para elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso Manual para elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso 1 2 Manual para elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE

Leia mais

Trabalhos Acadêmicos MEMORIAL RESUMO RESENHA ARTIGO PROJETO

Trabalhos Acadêmicos MEMORIAL RESUMO RESENHA ARTIGO PROJETO Trabalhos Acadêmicos MEMORIAL RESUMO RESENHA ARTIGO PROJETO MEMORIAL Memorial é um depoimento escrito relativo à lembrança, à vivência de alguém; memórias. Deve conter um breve relato sobre a história

Leia mais

Processo de IC como suporte da Gestão Estratégica. Felipe Brandão de Melo

Processo de IC como suporte da Gestão Estratégica. Felipe Brandão de Melo Processo de IC como suporte da Gestão Estratégica Felipe Brandão de Melo O que é a Falconi? Global: 25 países Diversificada: 50 segmentos Consultoria Líder em gestão para resultados. Bem estruturada: 1000

Leia mais

Apresentação. Conteúdo. Conteúdo. Revisão Conceitos Didática utilizada Papel da Integração Processo de iniciação

Apresentação. Conteúdo. Conteúdo. Revisão Conceitos Didática utilizada Papel da Integração Processo de iniciação Apresentação Conteúdo Revisão Conceitos Didática utilizada Papel da Integração Processo de iniciação Conteúdo Contexto do termo de abertura do projeto Processo do termo de abertura do projeto Contexto

Leia mais

Engenharia de Software Aula 2.3 Processos da Engenharia de Requisitos. Prof. Bruno Moreno

Engenharia de Software Aula 2.3 Processos da Engenharia de Requisitos. Prof. Bruno Moreno Engenharia de Software Aula 2.3 Processos da Engenharia de Requisitos Prof. Bruno Moreno bruno.moreno@ifrn.edu.br Engenharia de Requisitos O objetivo do processo de Engenharia de Requisitos é criar e manter

Leia mais

Como elaborar um projeto de pesquisa?

Como elaborar um projeto de pesquisa? Como elaborar um projeto de pesquisa? O que é um projeto de pesquisa? Descreve as fases e os procedimentos de um processo de investigação científica a ser realizado. Projeto de Pesquisa pode ser definido

Leia mais

Usabilidade. Usabilidade refere-se ao grau com que o usuário consegue realizar uma tarefa

Usabilidade. Usabilidade refere-se ao grau com que o usuário consegue realizar uma tarefa Usabilidade Usabilidade refere-se ao grau com que o usuário consegue realizar uma tarefa Funcionalidade correta; Eficiência de uso; Facilidade de aprendizagem; Facilidade de relembrar; Tolerante a erro

Leia mais

Criação do Conhecimento como processo Sintetizador

Criação do Conhecimento como processo Sintetizador Criação do Conhecimento como processo Sintetizador Criação do Conhecimento como Processo Sintetizador Coleta de informações publicadas e não publicadas Coleta de informações externas Coleta de informações

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC REGULAMENTO

CURSO DE PEDAGOGIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC REGULAMENTO CURSO DE PEDAGOGIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC REGULAMENTO DAS CONDIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este Regulamento apresenta a definição, os objetivos, a caracterização e a explicitação das condições

Leia mais

Gestão de Projetos. Aula 1. Organização da Disciplina. Organização da Aula 1. Contextualização. Fatos sobre Projetos. O Projeto

Gestão de Projetos. Aula 1. Organização da Disciplina. Organização da Aula 1. Contextualização. Fatos sobre Projetos. O Projeto Gestão de Projetos Organização da Disciplina Planejamento, projeto e Aula 1 viabilidades Estrutura do projeto Profa. Dra. Viviane M. P. Garbelini Dimensionamento e riscos do projeto Organização da Aula

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO A - TCC (30-460) E DO PROJETO INTERDISCIPLINAR (30-094)

NORMATIZAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO A - TCC (30-460) E DO PROJETO INTERDISCIPLINAR (30-094) UNIVERSIDADE REGIONAL INTEGRADA DO ALTO URUGUAI E DAS MISSÕES DEPARTAMENTO DE ENGENHARIAS E CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA NORMATIZAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO A - TCC (30-460)

Leia mais

Marcelo Henrique dos Santos

Marcelo Henrique dos Santos Marcelo Henrique dos Santos Mestrado em Educação (em andamento) MBA em Marketing e Vendas (em andamento) Especialista em games Bacharel em Sistema de Informação Email: marcelosantos@outlook.com TECNOLOGIA

Leia mais

Curso Elaboração e Gestão de Projetos

Curso Elaboração e Gestão de Projetos Associação Brasileira de Formação e Desenvolvimento Social - ABRAFORDES www.cursosabrafordes.com.br DICA: Tecle Ctrl+s para salvar este PDF no seu computador. Curso Elaboração e Gestão de Projetos Lição

Leia mais

Etapas de uma Pesquisa

Etapas de uma Pesquisa Etapas de uma Pesquisa Planejamento Execução Divulgação Objetivos Justificativa Revisão Bibliográfica Metodologia Cronograma Projeto Coleta de dados Tabulação Analise Conclusão Relatório Relatório Apresentação

Leia mais

Metodologia de Pesquisa. Elaboração Projetos de Intervenção

Metodologia de Pesquisa. Elaboração Projetos de Intervenção Metodologia de Pesquisa Elaboração Projetos de Intervenção O que é um projeto de intervenção? É um plano que se faz para reformar algo que vem apresentando problema ou inviabilidade. Estrutura de um Projeto

Leia mais

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016 ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016 Cada projeto deve conter no máximo 20 páginas 1. APRESENTAÇÃO Faça um resumo claro e objetivo do projeto, considerando a situação do idoso, os dados

Leia mais

PROF. FÁBIO CAMPOS ARTIGO CIENTÍFICO

PROF. FÁBIO CAMPOS ARTIGO CIENTÍFICO PROF. FÁBIO CAMPOS ARTIGO CIENTÍFICO ARTIGO CIENTÍFICO DE ACORDO COM ABNT Pode ser definido como a publicação com autoria declarada, que apresenta e discute ideias, métodos, técnicas, processos e resultados

Leia mais

Informações sobre os Roteiros

Informações sobre os Roteiros Informações sobre os Roteiros O MakeMoney traz roteiros especialmente desenvolvidos para elaboração de Planos de Negócios, Estudos de Viabilidade e Planos de Inovação e Competitividade. Este documento

Leia mais

A PESQUISA. Prof. M.Sc Janine Gomes da Silva, Arq.

A PESQUISA. Prof. M.Sc Janine Gomes da Silva, Arq. A PESQUISA Prof. M.Sc Janine Gomes da Silva, Arq. A pesquisa Etapas da pesquisa científica Tipos de trabalhos científicos O projeto de pesquisa A PESQUISA Conceitos e definições Prof. M.Sc Janine Gomes

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DO ESPÍRITO SANTO FACULDADE PIO XII REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DO ESPÍRITO SANTO FACULDADE PIO XII REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DO ESPÍRITO SANTO FACULDADE PIO XII REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Cariacica 2011 1 1 - INTRODUÇÃO O Trabalho de Conclusão de Curso é uma atividade obrigatória

Leia mais

Aula Prática 2 Equipamentos de Laboratório Relacionados com a Medição de Grandezas Elétricas

Aula Prática 2 Equipamentos de Laboratório Relacionados com a Medição de Grandezas Elétricas Aula Prática 2 Equipamentos de Laboratório Relacionados com a Medição de Grandezas Elétricas Disciplinas: Física III ( DQF 06034) Fundamentos de Física III (DQF 10079) Física Experimental II ( DQF 10441)

Leia mais

Fases do método de pesquisa Projeto de Pesquisa

Fases do método de pesquisa Projeto de Pesquisa UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO - UPE ESCOLA POLITÉCNICA DE PERNAMBUCO - POLI PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL - PEC DISCIPLINA: METODOLOGIA DO ENSINO E DA PESQUISA TECNOLÓGICA PROFESSORA: EMILIA

Leia mais

Capítulo 5 Gerenciamento do Escopo do projeto. Introdução. Antes de iniciarmos vamos pensar um pouco.

Capítulo 5 Gerenciamento do Escopo do projeto. Introdução. Antes de iniciarmos vamos pensar um pouco. Capítulo 5 Gerenciamento do Escopo do projeto 1 Introdução Antes de iniciarmos vamos pensar um pouco. 2 Introdução 3 Introdução 4 Introdução 5 Introdução O projeto se inicia com a definição de quais objetivos

Leia mais

Avaliação de viab. e risco

Avaliação de viab. e risco Avaliação de viab. e risco Capítulo 3 -- parte 1 A proposta inicial Quatro finalidades: introduzir o conceito; testar as reações dos potenciais interessados; obter apoio; e estabelecer uma base para avaliação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PROCEDIMENTOS A SEREM ADOTADOS NA DISCIPLINA EDU388 - Trabalho de Conclusão do Curso (TCC)* 1. APRESENTAÇÃO: 1.1 - Conforme definido pelo Projeto Político Pedagógico do Curso

Leia mais

AS ETAPAS DA PESQUISA AS ETAPAS DA PESQUISA

AS ETAPAS DA PESQUISA AS ETAPAS DA PESQUISA AS ETAPAS DA PESQUISA Prof. MSc: Anael Krelling 1 O planejamento e a execução de uma pesquisa fazem parte de um processo sistematizado que compreende etapas que podem ser detalhadas da seguinte forma:

Leia mais

Apresentação da Disciplina. Planejamento e Controle de Projetos 5 TADS FSR. Apresentação do Professor. Apresentação da Disciplina (Continuação)

Apresentação da Disciplina. Planejamento e Controle de Projetos 5 TADS FSR. Apresentação do Professor. Apresentação da Disciplina (Continuação) Apresentação da Disciplina Componente Curricular: Planejamento e Controle de Projetos Carga horária: 80 horas Competências: Planejamento e Controle de Projetos 5 TADS FSR Prof. Esp. André Luís Belini Identificar

Leia mais

Curso de Educação Física - Bacharel. Nome do Aluno TÍTULO DO PROJETO

Curso de Educação Física - Bacharel. Nome do Aluno TÍTULO DO PROJETO Curso de Educação Física - Bacharel Nome do Aluno TÍTULO DO PROJETO PORTO ALEGRE, Ano Nome do Aluno TÍTULO DO PROJETO Projeto de pesquisa referente ao trabalho de conclusão de curso apresentado como requisito

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DE CANDIDATURA

GUIA PARA ELABORAÇÃO DE CANDIDATURA GUIA PARA ELABORAÇÃO DE CANDIDATURA A elaboração e submissão de uma candidatura ao concurso IJUP Empresas é feita com base nas normas de participação constantes do Regulamento do Concurso que se encontra

Leia mais

Teste de Software Projeto Real. Dinâmica entre equipes

Teste de Software Projeto Real. Dinâmica entre equipes Teste de Software Projeto Real Arilo Claudio Dias Neto - acdn@cos.ufrj.br Gladys Machado P. S. Lima - gladysmp@cos.ufrj.br Guilherme Horta Travassos - ght@cos.ufrj.br Dinâmica entre equipes Equipe de Desenvolvimento

Leia mais

MODELO PRÉ-PROJETO DE TCC

MODELO PRÉ-PROJETO DE TCC MODELO PRÉ-PROJETO DE TCC NOME DO ALUNO TEMA SERRA/ ES ANO NOME DO ALUNO TEMA Pré-projeto apresentado à disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso I, como requisito básico para a apresentação da disciplina

Leia mais

Administração de Projetos

Administração de Projetos Administração de Projetos gerenciamento do escopo Prof. Robson Almeida Gerenciamento do Escopo Sendo o primeiro passo do Planejamento do Projeto, esta fase identifica e documenta o trabalho que produzirá

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP/CJO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP/CJO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP/CJO Art. 1 o - Visando possibilitar a melhor adequação dos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), obrigatório e que corresponde

Leia mais

Como elaborar uma revisão de literatura

Como elaborar uma revisão de literatura Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz LZT 0310 Biotecnologia Como elaborar uma revisão de literatura Simone Fernanda Nedel Pértile Revisão de literatura Base que sustenta

Leia mais

FEDERAL DE INSTITUTO E EDUCAÇÃO CIÊNCIA TECNOLOGIA DE MATO GROSSO - OCTAYDE JORGE DA SILVA NOME COMPLETO MODELO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

FEDERAL DE INSTITUTO E EDUCAÇÃO CIÊNCIA TECNOLOGIA DE MATO GROSSO - OCTAYDE JORGE DA SILVA NOME COMPLETO MODELO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA FEDERAL DE INSTITUTO E EDUCAÇÃO CIÊNCIA TECNOLOGIA DE MATO GROSSO - OCTAYDE JORGE DA SILVA NOME COMPLETO (Negrito, Tamanho 14, centralizado e Letras Maiúsculas) MODELO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

Leia mais

Administração de Projetos

Administração de Projetos Administração de Projetos gerenciamento do escopo Prof. Robson Almeida Gerenciamento do Escopo Sendo o primeiro passo do Planejamento do Projeto, esta fase identifica e documenta o trabalho que produzirá

Leia mais

Ciência da Computação

Ciência da Computação Ciência da Computação Trabalhos de Conclusão de Curso I - TCC I Prof. Ricardo Villarroel Dávalos ricardo.davalos@unisul.br e rvdavalos@gmail.com Página - http://www.inf.unisul.br/~davalos Palhoça, Julho

Leia mais

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO 1 FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO Curso: (curso/habilitação) Ciências Contábeis Disciplina: Carga Horária: (horas/semestre) 50 aulas Semestre Letivo / Turno: 7º Semestre Professor: Período: Ementa da

Leia mais

PROJETO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Unidade II Concepção do Sistema. Luiz Leão

PROJETO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Unidade II Concepção do Sistema. Luiz Leão Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático 1. Histórico e atividades da organização 2. Organograma 3. Contexto e escopo do sistema 4. Análise de viabilidade 5. Premissas

Leia mais

ANEXO I MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS

ANEXO I MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS ANEXO I MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS 1. Resumo Executivo (Síntese das principais informações que constam em seu PN. É a principal seção do Plano de Negócios, pois através dele é que o leitor decidirá se

Leia mais

Por quê uma oficina de Projetos Culturais?

Por quê uma oficina de Projetos Culturais? Por quê uma oficina de Projetos Culturais? Introdução O Tipos de Financiamento: Leis de Incentivo (Rounet e Goiazes); Servem para captação de recursos junto à empresas para financiamento de projetos culturais

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG ESCOLA DE QUÍMICA E ALIMENTOS EQA CURSO DE ENGENHARIA BIOQUÍMICA NORMAS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG ESCOLA DE QUÍMICA E ALIMENTOS EQA CURSO DE ENGENHARIA BIOQUÍMICA NORMAS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG ESCOLA DE QUÍMICA E ALIMENTOS EQA CURSO DE ENGENHARIA BIOQUÍMICA 1 NORMAS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC O Parágrafo único do Art. 7º da Resolução CNE/CES

Leia mais

GERÊNCIA DE ANÁLISE DE CRÉDITO RURAL

GERÊNCIA DE ANÁLISE DE CRÉDITO RURAL GERÊNCIA DE ANÁLISE DE CRÉDITO RURAL TANIA ARAÚJO SILVA THOMAZINI IDENTIFICAR BOAS PRÁTICAS DOS CONSULTORES PARA DIVULGAÇÃO E REPLICAR PARA OS DEMAIS - Consistência de informações (indicação de fontes,

Leia mais

Regulamento de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do Bacharelado em Engenharia Mecânica

Regulamento de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do Bacharelado em Engenharia Mecânica Regulamento de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do Bacharelado em Engenharia Mecânica Organização: Colegiado do Curso de Engenharia Mecânica Coordenador: Eider Lúcio de Oliveira Goiânia, Fevereiro

Leia mais

Submódulo Elaboração do Relatório Preliminar de Ocorrências RPO

Submódulo Elaboração do Relatório Preliminar de Ocorrências RPO Submódulo 22.2 Elaboração do Relatório Preliminar de Ocorrências RPO Rev. N.º Motivo da Revisão 0 Este documento foi motivado pela criação do Operador Nacional do Sistema Elétrico. Data de Aprovação pelo

Leia mais

A PESQUISA CIENTÍFICA

A PESQUISA CIENTÍFICA A PESQUISA CIENTÍFICA CONCEITO e DEFINIÇÕES - A pesquisa surge quando temos consciência de um problema e nos sentimos impelidos a buscar a sua solução. (R. Mandolfo, citado em Asti Vera, 1976) - Investigação

Leia mais

Manual simplificado para as Contratações de Soluções de TI

Manual simplificado para as Contratações de Soluções de TI Manual simplificado para as Contratações de Soluções de TI Comissão para implementação da IN 04/2010 Portaria do Reitor 2.381/2013 Março de 2014 Versão 1.0 O presente documento constitui-se em instrumento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA SUELI SOLOVY Projeto de Revista Científica em meio eletrônico: GASTRONOMIA FLORIANÓPOLIS 2013 SUELI SOLOVY

Leia mais

Metodologia da Pesquisa Científico. Profa. Ms. Daniela Cartoni

Metodologia da Pesquisa Científico. Profa. Ms. Daniela Cartoni Metodologia da Pesquisa Científico Profa. Ms. Daniela Cartoni Metodologia da Pesquisa Científico Aula 2 Construção de um Projeto de Pesquisa Revisão da Aula 1 Conhecimento, ciência e paradigma - Tipos

Leia mais

REGIMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

REGIMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGIMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), do Curso de Pedagogia, em relação à orientação, acompanhamento, execução, elaboração do trabalho e critérios

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2016 Plano de Curso nº 213 aprovado pela portaria Cetec nº 134 de 04/10/2012 Etec PROFa. MARIA CRISTINA MEDEIROS Código:

Leia mais

Como os resultados do diagnóstico de segurança podem priorizar os riscos inerentes aos negócios Security Leaders Belo Horizonte/MG - 15/06/2016

Como os resultados do diagnóstico de segurança podem priorizar os riscos inerentes aos negócios Security Leaders Belo Horizonte/MG - 15/06/2016 Como os resultados do diagnóstico de segurança podem priorizar os riscos inerentes aos negócios Security Leaders Belo Horizonte/MG - 15/06/2016 Fernando Nicolau Freitas Ferreira, MSc, CISM, CRISC, CGEIT,

Leia mais

Submódulo 11.2 Avaliação de desempenho dos sistemas de proteção

Submódulo 11.2 Avaliação de desempenho dos sistemas de proteção Submódulo 11.2 Avaliação de desempenho dos sistemas de proteção Rev. Nº. 0.0 0.1 Motivo da revisão Este documento foi motivado pela criação do Operador Nacional do Sistema Elétrico. Atendimento à Resolução

Leia mais

O que é segmentação de clientes?

O que é segmentação de clientes? O que é: o segmento do cliente define o perfil do comprador, bem como seus hábitos e motivações na hora da compra. O segmento também define quais são os atributos que tornam um produto mais ou menos valioso.

Leia mais

OBTENDO RESULTADOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS

OBTENDO RESULTADOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS OBTENDO RESULTADOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS Delmer Aguiar Cesário, MBA, PMP Gerente de Engenharia / Produto & Processos COMAU LATAM Conceito de Engenharia Conceito de Gestão Gestão: É uma área do conhecimento

Leia mais

CAMPUS VALENÇA DO PIAUÍ DIREÇÃO GERAL COORDENAÇÃO DE AGRICULTURA/AGROPECUÁRIA EDITAL Nº 07/2017 PROJETOS INOVADORES PARA O VALE DO SAMBITO

CAMPUS VALENÇA DO PIAUÍ DIREÇÃO GERAL COORDENAÇÃO DE AGRICULTURA/AGROPECUÁRIA EDITAL Nº 07/2017 PROJETOS INOVADORES PARA O VALE DO SAMBITO CAMPUS VALENÇA DO PIAUÍ DIREÇÃO GERAL COORDENAÇÃO DE AGRICULTURA/AGROPECUÁRIA EDITAL Nº 07/2017 PROJETOS INOVADORES PARA O VALE DO SAMBITO Regulamenta o 1º Concurso de Projetos inovadores para o Vale do

Leia mais

Manual do Sistema de Consulta de Endereços

Manual do Sistema de Consulta de Endereços Manual do Usuário Manual do Sistema de Consulta de Endereços CONSCEG (CEG-CDL-LIGHT) Template Versão 1.1 SUMÁRIO 1. Introdução... 3 2. Orientações Gerais para o uso do Sistema... 4 Acesso... 4 CEG... 5

Leia mais

REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MINAS DO CEFET/MG/CAMPUS ARAXÁ

REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MINAS DO CEFET/MG/CAMPUS ARAXÁ SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE ARAXÁ COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MINA REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO

Leia mais

MARATONA EMPRENDEDORA FADERGS 1ª Edição

MARATONA EMPRENDEDORA FADERGS 1ª Edição MARATONA EMPRENDEDORA FADERGS 1ª Edição - 2016 REALIZAÇÃO: PÓS-GRADUAÇÃO FADERGS e FEIRA DE EMPREGABILIDADE FADERGS DOS OBJETIVOS O programa MARATONA EMPREENDEDORA é uma iniciativa da unidade de ensino

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO ANEXO 1 ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO :: INFORMAÇÕES PRÉVIAS :: O projeto deve ser apresentado em, no máximo, 15 (quinze) páginas A4, incluindo anexos, com letra tipo Arial, tamanho 12; Todos os itens

Leia mais

EDITAL 02/2016 SUBMISSÃO DE TRABALHOS

EDITAL 02/2016 SUBMISSÃO DE TRABALHOS EDITAL 02/2016 SUBMISSÃO DE TRABALHOS A Comissão Científica da Semana Universitária 2016 FACAPE & UPE, no uso de suas atribuições, torna público as normas que nortearão o processo de submissão, avaliação

Leia mais

Propriedade Intelectual. Horário de atendimento aos alunos:

Propriedade Intelectual. Horário de atendimento aos alunos: 1 Professor responsável: Anne Cristine Chinellato Horário de atendimento aos alunos: sextas 10h-12h Sala: 310 Bloco Delta SBC Duração em semanas: 12 Distribuição da carga: 4-0-4 (Teoria-Prática-Estudo)

Leia mais

GESTÃO E ANÁLISE DE PROJETOS

GESTÃO E ANÁLISE DE PROJETOS Atualizado em 02/02/2016 OBJETIVOS: Promover o conhecimento dos fundamentos teóricos e práticos do planejamento e gerenciamento de projetos, estimulando-os a utilizarem desses conhecimentos nas organizações

Leia mais

PLANO DE TRABALHO OFICINA PARA ELABORAÇÃO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS

PLANO DE TRABALHO OFICINA PARA ELABORAÇÃO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS PLANO DE TRABALHO OFICINA PARA ELABORAÇÃO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS 1 ÁREA DE CREDENCIAMENTO/SUBÁREA Área Planejamento Empresarial; Subáreas Planejamento Estratégico. 2 PROJETO/AÇÃO Linha

Leia mais

NORMAS PARA ENVIO DE RESUMO EXPANDIDO

NORMAS PARA ENVIO DE RESUMO EXPANDIDO NORMAS PARA ENVIO DE RESUMO EXPANDIDO Os resumos expandidos submetidos ao VII Simpósio de Administração: Os desafios do empreendedorismo frente ao contexto político e econômico brasileiro deverão ser apresentados

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES INTRODUTÓRIAS ARTº. 1 (NATUREZA, OBJECTIVOS E ORGANIZAÇÃO) 1. O Departamento de Engenharia

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES: CURRÍCULO

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES: CURRÍCULO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE - FACIBIS CURSO DE PSICOLOGIA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES: CURRÍCULO 2009.2 COORDENAÇÃO DO CURSO DE PSICOLOGIA BELO

Leia mais

GUIA DE SOLICITAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1º semestre de 2016

GUIA DE SOLICITAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1º semestre de 2016 GUIA DE SOLICITAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1º semestre de 2016 FACULDADE DE TECNOLOGIA DE BOTUCATU Fevereiro 2016 R0 Objetivo do Guia: Demonstrar o processo para elaboração de

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS PARA A HABITS HABITAT DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SOCIAL / ESPYRAL (2º Semestre 2017) Universidade de São Paulo

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS PARA A HABITS HABITAT DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SOCIAL / ESPYRAL (2º Semestre 2017) Universidade de São Paulo EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS PARA A HABITS HABITAT DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SOCIAL / ESPYRAL (2º Semestre 2017) Universidade de São Paulo 1. OBJETO A HABITS Habitat de Inovação Tecnológica e Social /

Leia mais

Unidade I ELABORAÇÃO E ANÁLISE. Prof. André Medeiros

Unidade I ELABORAÇÃO E ANÁLISE. Prof. André Medeiros Unidade I ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS Prof. André Medeiros O que é um projeto? É um empreendimento singular e temporário, com o objetivo de desenvolver um produto ou serviço. Segundo o PMI - Project

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA PROJETO DE REVISTA CIENTÍFICA:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA PROJETO DE REVISTA CIENTÍFICA: UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA PROJETO DE REVISTA CIENTÍFICA: CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO DE DOCUMENTOS FLORIANÓPOLIS, 2016 2 UNIVERSIDADE

Leia mais

AULA 2 GERENCIAMENTO DE PROJETOS

AULA 2 GERENCIAMENTO DE PROJETOS AULA 2 GERENCIAMENTO DE PROJETOS Gestão de Projetos O que é um Projeto? O que é Gerência de Projeto? O que é um Projeto? Um empreendimento único e não-repetitivo, de duração determinada, formalmente organizado

Leia mais

Aula Prática 4 Caracterização de Dispositivos Eletrônicos

Aula Prática 4 Caracterização de Dispositivos Eletrônicos Aula Prática 4 Caracterização de Dispositivos Eletrônicos Disciplinas: Física III (DQF 06034) Fundamentos de Física III (DQF 10079) Física Experimental II ( DQF 10441) Depto Química e Física CCA/UFES Estratégia:

Leia mais

Miguel Dias. Como elaborar um projeto de pesquisa para TCC.

Miguel Dias. Como elaborar um projeto de pesquisa para TCC. Como elaborar um projeto de pesquisa para TCC. migdias@gmail.com www.migdias.weebly.com www.facebook.com/migueldias.pt Miguel Dias Bolsista PNPD/CAPES Universidade do Estado do Rio Grande do Norte O que

Leia mais

A CONTABILIDADE PÚBLICA COMO FERRAMENTA PARA O CONTROLE: ESTÃO OS CONTADORES PREPARADOS? Rodrigo Zanzoni

A CONTABILIDADE PÚBLICA COMO FERRAMENTA PARA O CONTROLE: ESTÃO OS CONTADORES PREPARADOS? Rodrigo Zanzoni A CONTABILIDADE PÚBLICA COMO FERRAMENTA PARA O CONTROLE: ESTÃO OS CONTADORES PREPARADOS? Rodrigo Zanzoni CONTABILIDADE PARA O CONTROLE SOCIAL CONTABILIDADE COMO FERRAMENTA PARA O CONTROLE Estamos nós,

Leia mais

No dicionário: Local bem determinado a que se aposta atingir; Objetivo; Limite ou abrangência de uma operação.

No dicionário: Local bem determinado a que se aposta atingir; Objetivo; Limite ou abrangência de uma operação. Aula 06 1 2 No dicionário: Local bem determinado a que se aposta atingir; Objetivo; Limite ou abrangência de uma operação. No contexto projeto, escopo pode se referir a: Escopo do produto: as características

Leia mais

PSI2593 ESTÁGIO SUPERVISIONADO 2º. SEMESTRE DE 2017

PSI2593 ESTÁGIO SUPERVISIONADO 2º. SEMESTRE DE 2017 PSI2593 ESTÁGIO SUPERVISIONADO 2º. SEMESTRE DE 2017 Este documento segue as instruções gerais disponíveis no sitio da EPUSP http://www.poli.usp.br/pt/ensino/graduacao/aluno/atendimento-aoaluno/estagios.html

Leia mais

COMO ESTABELECER OBJETIVOS EDUCATIVOS

COMO ESTABELECER OBJETIVOS EDUCATIVOS COMO ESTABELECER OBJETIVOS EDUCATIVOS 1 OBJETIVOS EDUCATIVOS COMPORTAMENTO INICIAL + PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM -> COMPORTAMENTO FINAL NÃO BASTA DEFINIR OS CONTEÚDOS É NECESSÁRIO IDENTIFICAR OS

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ UESC DEPARTAMENTO DE LETRAS E ARTES CURSO DE LETRAS ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS A palavra projeto vem do latim projectu,

Leia mais