PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO"

Transcrição

1 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO

2 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 2 ÍNDICE SUMÁRIO EXECUTIVO I - DELIMITAÇÃO DO OBJETO II - FUNDOS E SUBVENÇÕES II.1 - FUNDOS ESTRUTURAIS E DE COESÃO II.2 - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO GERIDOS PELA COMISSÃO EUROPEIA II CICLO ORÇAMENTAL SÉTIMO PROGRAMA QUADRO PROGRAMA-QUADRO PARA A COMPETITIVIDADE E INOVAÇÃO II CICLO ORÇAMENTAL ENQUADRAMENTO GERAL: A ESTRATÉGIA EUROPA 2020 AGENDA EUROPA 2020 HORIZONTE 2020 EUREKA CONNECTING EUROPE FACILITY (CEF) TELECOM LIFE PROGRAMA QUADRO PARA A COMPETITIVIDADE DAS EMPRESAS E DAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 57 EUROPA CRIATIVA

3 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 3 ÍNDICE III - INSTRUMENTOS FINANCEIROS III.1 - DEFINIÇÃO E EXEMPLIFICAÇÃO III.2 - CICLO ORÇAMENTAL INSTRUMENTOS FINANCEIROS NO ÂMBITO DO PROGRAMA QUADRO PARA A COMPETITIVIDADE E INOVAÇÃO INSTRUMENTOS FINANCEIROS NO ÂMBITO DO 7.º PROGRAMA QUADRO 65 III.3 - CICLO ORÇAMENTAL INSTRUMENTOS FINANCEIROS NO ÂMBITO DO COSME INSTRUMENTOS FINANCEIROS NO ÂMBITO DO HORIZONTE IV - CONTRATAÇÃO PÚBLICA IV.1 - DEFINIÇÃO IV.2 - TIPOLOGIA PROCEDIMENTAL IV.3 - PARTICIPAÇÃO IV.4 - PUBLICAÇÃO IV.5 - A DIREÇÃO GERAL DE DESENVOLVIMENTO E COOPERAÇÃO, EM PARTICULAR IV.6 - A DIREÇÃO GERAL DA INFORMÁTICA, EM PARTICULAR V - CONCLUSÕES

4 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 4 SUMÁRIO EXECUTIVO Enquadrado no âmbito do projeto Informer le secteur TICE desenvolvido pela ANETIE Associação Nacional das Empresas das Tecnologias de Informação e Eletrónica, este estudo identifica e analisa programas de financiamento na União Europeia vocacionados para os setores das tecnologias de informação e eletrónica. Tecnologias de Informação e Comunicação são uma prioridade política fundamental na UE, e, em especial, para a Comissão Europeia, um instrumento de superação da crise; constituem, assim, indubitavelmente, uma área na qual a Comissão Europeia está disposta a apostar fortemente. Oportunidades de financiamento podem subsumir-se à seguinte tipologia: subvenções, oportunidades de contratação pública e instrumentos financeiros. No que concerne a subvenções, adota-se uma lógica bidimensional. Por um lado, abordam-se programas pertencentes ao ciclo orçamental , de forma a ter por referência casos de sucesso. Por outro lado, providenciam-se detalhes relativamente a oportunidades no âmbito do novo ciclo. Numa atmosfera progressivamente mais competitiva, criação de empresas, investigação e desenvolvimento, fornecimento de serviços e produtos, instrumentos financeiros, e, de uma forma geral, incentivos (i)mediatos à internacionalização, são algumas das mais relevantes fontes de oportunidades.

5 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 5 I DELIMITAÇÃO DO OBJETO A União Europeia concede financiamentos a uma vasta gama de projetos e programas nas mais variadas áreas. O presente estudo tem como objetivo identificar os mais relevantes programas de financiamento existentes na União Europeia direcionados para os setores das tecnologias da informação e eletrónica. O sistema de financiamento da União Europeia é complexo: existem vários tipos de programas geridos por diversos organismos europeus e mais de 76% do orçamento europeu é gerido pelos países da União Europeia inserindo-se aqui os chamados fundos estruturais. A Comissão Europeia, composta por várias Direções Gerais e Serviços, é o organismo que tem a seu cargo a gestão dos programas de financiamento mais relevantes, atribuindo grande parte do orçamento da União Europeia a empresas e organizações. Todavia, o financiamento concedido pela União Europeia pode assumir a forma não apenas de subvenções mas também de concursos e ainda programas de microcrédito. 1. Subvenções - são contribuições financeiras diretas atribuídas para apoiar projetos ou organizações que prosseguem os interesses da União Europeia ou contribuem para a execução dos seus programas ou políticas. 2. Contratação Pública - Instituições europeias, nomeadamente, a Comissão Europeia, recorrem frequentemente a contratos públicos para adquirir bens e serviços como a realização de estudos ou ações de formação, trabalhos de consultoria ou assistência técnica, aquisição de equipamentos, etc.

6 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 6 3. Programas de microcrédito - (empréstimos inferiores a euros) são geridos por intermediários e encontram-se disponíveis para trabalhadores por conta própria ou empresas com menos de 10 postos de trabalho. Na medida em que importa compreender casos de sucesso na obtenção de financiamento, como também, a lógica de transição entre o quadro financeiro plurianual (QFP) e , neste documento abordam-se, por um lado, programas existentes no âmbito do quadro orçamental que terminou a 31 de dezembro de 2013 e, por outro, aqueles que relevam no âmbito do ciclo O quadro financeiro plurianual traduz em termos financeiros as prioridades políticas da UE para um período de pelo menos cinco anos. Sob proposta da Comissão Europeia (CE), o QFP é estabelecido por um regulamento do Conselho, adotado por unanimidade após aprovação do Parlamento Europeu. Nele são definidos os limites máximos anuais para a despesa da UE em geral e para as principais categorias de despesas (rubricas). Não é tão pormenorizado quanto um orçamento anual.

7 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 7 II FUNDOS E SUBVENÇÕES DEFINIÇÃO A Comissão Europeia faz contribuições financeiras diretas na forma de subvenções para apoio de projetos ou organizações que promovem os interesses da UE ou contribuem para a implementação de uma política ou programa da UE. As partes interessadas podem candidatar-se, respondendo aos convites à apresentação de propostas. As subvenções poderão ser atribuídas por uma das Direções-Gerais da Comissão Europeia, serviços e agências da Comissão Europeia ou por outras autoridades (nacionais ou regionais). Os convites à candidatura a subvenções são publicados na forma de convites à apresentação de propostas ao abrigo de uma série de programas de financiamento que foram criados com o objetivo de apoiar políticas e atividades específicas da UE. Serão apresentados de seguida alguns dos programas de financiamento da União Europeia vocacionados para os setores das tecnologias de informação e eletrónica.

8 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 8 FUNDOS ESTRUTURAIS E DE COESÃO QUAL A IMPORTÂNCIA DOS FUNDOS ESTRUTURAIS E DE COESÃO? Os fundos estruturais e de coesão são os instrumentos financeiros de política regional da União Europeia. Pretende-se a redução das diferenças de desenvolvimento entre as regiões e os Estados-Membros de forma a atingir o objetivo de coesão económica, social e territorial. Entre 2007 e 2013, estes instrumentos contaram com um orçamento de cerca de 348 mil milhões de euros (35% do orçamento comunitário): 278 mil milhões para os fundos estruturais e 70 mil milhões para o fundo de coesão. O crescimento regional está relacionado com a capacidade de inovação e mudança das economias dos diferentes Estados-Membros. Estes serão as unidades primárias de transferência de conhecimento e de construção dos sistemas inovação o que por sua vez levará a um aumento de competitividade e atrairá novos investimentos. Em seguimento, os fundos estruturais têm um importante papel apoiando as regiões na construção de capacidades de investigação e inovação correspondentes à sua situação e prioridades. Estas ideias encontramse claramente contidas no Plano de Coesão da Comissão Europeia. O plano de Coesão propõe um orçamento total de 376 mil milhões de euros e uma política de coesão que incida nas prioridades da Estratégia Europa 2020 para um crescimento inteligente, sustentável e inclusivo.

9 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 9 QUE FUNDOS ESTRUTURAIS E DE COESÃO EXISTEM? FUNDO EUROPEU DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL (FEDER) O FEDER tem por objetivo fortalecer a coesão económica, social e territorial na União Europeia colmatando os desequilíbrios entre regiões e apoiando o desenvolvimento regional e local para contribuir para todos os objetivos temáticos. As prioridades de interesse estabelecidas no Plano de Coesão prendem-se com a investigação, desenvolvimento e inovação; acesso à informação e às tecnologias de comunicação; alterações climáticas e transição para uma economia assente num baixo nível de emissões de carbono; apoio empresarial às PME e desenvolvimento urbano sustentável. Para assegurar que os investimentos da UE se concentram nessas prioridades, definiram-se dotações mínimas para uma série de áreas prioritárias: 50% dos recursos do FEDER deverão ser direcionados para a eficiência energética e energias renováveis, inovação e apoio às PME. FUNDO SOCIAL EUROPEU (FSE) O Fundo Social Europeu (FSE) é o principal instrumento financeiro da União Europeia para investir nas pessoas. Instituído em 1958, o FSE apoia a inserção profissional dos desempregados e das categorias da população desfavorecidas, financiando, nomeadamente, ações de formação. Em , o FSE será direcionado para quatro objetivos temáticos em toda a União: 1. Promover o emprego e apoiar a mobilidade laboral; 2. Promover a inclusão social e combater a pobreza;

10 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO Investir em educação, competências e aprendizagem ao longo da vida; 4. Melhorar a capacidade institucional e a eficiência das administrações públicas. No entanto, o FSE também deverá contribuir para outros objetivos temáticos, tais como apoiar a transição para uma economia assente num baixo nível de emissões de carbono, resistente às alterações climáticas e eficiente em termos de recursos; fomentar a utilização de tecnologias da informação e da comunicação; reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação; e melhorar a competitividade das PME. FUNDO DE COESÃO Para acelerar a convergência económica, social e territorial, a União Europeia instituiu um Fundo de Coesão em Este fundo destina-se aos países cujo PIB médio por habitante é inferior a 90% da média comunitária. O Fundo de Coesão tem por finalidade conceder financiamentos a favor de projetos de infraestruturas nos domínios do ambiente e dos transportes. Contudo, o apoio do Fundo de Coesão está sujeito a determinadas condições. Se o défice público de um Estado Membro beneficiário exceder 3% do PIB nacional (regras de convergência da UEM), nenhum novo projeto será aprovado enquanto o défice não estiver outra vez sob controlo. Para , o Fundo de Coesão apoiará o investimento na adaptação às alterações climáticas e na prevenção dos riscos associados, assim como investimentos nos setores da água e dos resíduos e no ambiente urbano. Em consonância com as propostas da Comissão no Quadro Financeiro Plurianual, o investimento na energia também é passível de obter apoio desde que tenha vantagens ambientais positivas. Por conseguinte, o investimento em eficiência energética e em energias renováveis também é apoiado.

11 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 11 No campo dos transportes, para além da rede TEN-T, o Fundo de Coesão contribuirá para investimentos em sistemas de transporte com baixo nível de emissões de carbono e em transportes urbanos.

12 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 12 PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO GERIDOS PELA COMISSÃO EUROPEIA A Comissão Europeia é o organismo que tem a seu cargo a gestão dos programas mais relevantes, atribuindo grande parte do orçamento da União Europeia a empresas e organizações. CICLO ORÇAMENTAL: SÉTIMO PROGRAMA QUADRO 1 O 7º Programa Quadro foi um programa gerido pela Direção Geral de Investigação e Inovação que visou o apoio a atividades de investigação e desenvolvimento. O mesmo reuniu todas as iniciativas europeias relacionadas com a investigação desempenhando um papel crucial na prossecução dos objetivos de crescimento, competitividade e emprego da União. Tal tarefa foi desempenhada em conjunto com o CIP (Programa Quadro para a Competitividade e Inovação) outros programas de Educação e Formação e Fundos Estruturais de forma a obter coesão e competitividade regional. O 7º Programa Quadro contou com um orçamento de cerca de 50,521 milhões de euros distribuídos pelos diversos programas específicos. 1. Ver

13 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 13 Os seus objetivos foram agrupados em quatro categorias sendo que para cada categoria existiu um específico programa que correspondeu às grandes prioridades da política de investigação europeia: COOPERAÇÃO Este eixo visou apoiar atividades de investigação desenvolvidas por diferentes entidades numa lógica de cooperação transnacional tendo contado com um orçamento de cerca de milhões de euros. IDEIAS O Programa Ideias destinou-se a reforçar a investigação de fronteira na Europa. Para tal, foi criado o Conselho Europeu da Investigação (European Research Council) para apoiar os projetos de investigação mais ambiciosos e mais inovadores. O objetivo foi reforçar a excelência da investigação europeia, ao favorecer a concorrência e a aceitação de riscos. PESSOAS O Programa Pessoas, com um orçamento de 4727 milhões de euros, mobilizou recursos financeiros importantes destinados a melhorar as perspetivas de carreira dos investigadores na Europa e a atrair mais jovens investigadores de qualidade. CAPACIDADES Com um orçamento de cerca de 4291 milhões de euros, o programa Capacidades visou oferecer aos investigadores ferramentas eficientes de forma a reforçar a qualidade e competitividade da investigação europeia. A iniciativa Investigação em Benefício das PME visou reforçar as capacidades de inovação das PME Europeias com vista ao desenvolvimento de novos produtos, processos e acesso a novos mercados através de novas tecnologias inovadoras.

14 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 14 A PRESENÇA DO SETOR NO 7º PROGRAMA QUADRO No âmbito do 7º Programa Quadro, o tema Tecnologias da Informação e Comunicação contou com uma rubrica orçamental de 9,1 mil milhões de euros para todo o período de As atividades de investigação atenderam a prioridades estratégicas em áreas como as redes de comunicação, sistemas incorporados, nanoeletrónica e tecnologias do conteúdo audiovisual incidindo em temas como: 1. Estabilidade e segurança das redes e infraestruturas; 2. Desempenho e fiabilidade dos sistemas e componentes eletrónicos; 3. Sistemas TIC personalizados; 4. Gestão de conteúdos digitais. No que diz respeito à participação portuguesa em projetos ao abrigo do programa, as entidades nacionais participam em 265 projetos do 7ºPQ para o tema Tecnologias da Informação e Comunicação. No total foram submetidas cerca de 1949 propostas sendo a taxa de sucesso de 13, 6% face à média de UE de 13,8 %. As propostas provieram dos mais variados géneros de entidades: Centros de Investigação (39,5 %); Grandes Empresas (21,1%); PME (18,1%); Ensino Superior (17,3%) e outras entidades (4,1%). 2 Em termos de valores de financiamento, as participantes nacionais obtiveram da UE um total de financiamento de 105,66 milhões de euros. 3 Financiamento para entidades PT (M ) TOTAL 29,80-30,88 0,50 12,68 14,47 17,33 105,66 Financiamento atribuido (M ) 2.021, ,3 68, , , , ,07 Percentagem PT 1,47 % 1,60 % 0,73 % 1,15 % 1,21 % 1,01 % 1.32 % 2 Ver, a este respeito: 3 Dados disponibilizados pelo Gabinete de Promoção do Programa Quadro de I&DT em:

15 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 15 EXEMPLO DE CASO DE SUCESSO Projeto Personalised Centralized Authentication System 4 O CAS tem por objetivo providenciar um serviço inovador, de confiança e funcional. O Secured Personal Device (SPD) permitirá aos seus utilizadores o alojamento de forma segura dos seus dados, a partilha através de aplicações fiáveis e a sua autenticação de forma simples. O mesmo permitirá o reconhecimento de utilizador através da utilização de múltiplos sensores biométricos incluindo um que permite a avaliação de níveis de stress para detetar situações de coação. Através da autenticação biométrica, o SPD possibilitará uma comunicação mais segura com os servidores de nuvens de alojamento dispensando o seu utilizador da memorização de palavras passe. O SPD poderá ser integrado no smartphone utilizando os seus serviços de comunicação. Os mecanismos de segurança e autenticação utilizarão os componentes do SPD, do telemóvel e da nuvem. Estes componentes do software permitirão uma segura autenticação, o acesso seguro aos dados alojados e ainda a transferência de dados a partir de/para os aparelhos de acesso remoto: USB ou computadores com conexão NFC. CUSTO TOTAL DO PROJETO DURAÇÃO 36 meses FINANCIAMENTO UE COORDENADOR DO PROJETO INESC ID Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Investigação e Desenvolvimento Lisboa

16 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 16 PROGRAMA-QUADRO PARA A COMPETITIVIDADE E A INOVAÇÃO (CIP) 5 O Programa-Quadro para a Competitividade e a Inovação (CIP) apoiou ações a favor da competitividade e da capacidade de inovação no interior da União Europeia (UE) no período de Incentivou, em especial, a utilização das tecnologias da informação, das tecnologias ambientais e das fontes de energia renováveis e contou com um orçamento de 3621 milhões de euros. Teve a sua gestão a cargo da Direção Geral das Empresas e da Indústria. Os interesses das pequenas e médias empresas (PME) e a ecoinovação constituiram prioridades transversais, compreendendo o CPI três subprogramas específicos: PROGRAMA PARA O ESPÍRITO EMPRESARIAL E A INOVAÇÃO Reuniu as ações destinadas a promover o espírito empresarial, a competitividade industrial e a inovação. PROGRAMA DE APOIO ESTRATÉGICO EM MATÉRIA DE TIC Teve por objetivo a promoção da adoção e da exploração das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), que constituem a espinha dorsal da economia do conhecimento; PROGRAMA «ENERGIA INTELIGENTE EUROPA» (EN) Contribuiu para acelerar a realização dos objetivos no domínio da energia sustentável. Apoia, portanto, a melhoria da eficiência energética, a adoção de fon- 5. Ver

17 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 17 tes de energia novas e renováveis, uma mais ampla penetração no mercado dessas fontes de energia, a diversificação da energia e dos combustíveis, o aumento da quota de energias renováveis EXEMPLO DE CASO DE SUCESSO Projeto Personalised Centralized Authentication System 6 A empresa Fortumo foi fundada em Tartu, na Estónia, em 2007 por um grupo de estudantes com o objetivo de criar sistemas de pagamento através da utilização de um telemóvel para jovens que não possuam cartões de crédito e para utilização em economias emergentes. Atendendo ao sucesso do projeto, a Fortumo rapidamente compreendeu que seria necessário expandir-se para outros Estados. Assim, contatou a Enterprise Europe Network Rede Europeia de Empresa, um projeto criado pela Comissão Europeia através do CIP, que conta com cerca de 600 membros, a partir do qual pequenas e médias empresas podem obter aconselhamento, contatos e outro tipo de colaboração necessária para a entrada em novos mercados. A empresa finalizou já parcerias com outras PME em mais de 60 outros países por todo o mundo. Andrei Dementyev, chefe de operações da Fortumo explica que: Two years ago, we couldn t even imagine writing an to such companies or think of working with them. Now we work for the 30 top world game developers. We like what they do and they like what we do and how we do it, and this is really the best sign of success for us. 6. Ver

18 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 18 CICLO ORÇAMENTAL: ENQUADRAMENTO GERAL: A ESTRATÉGIA EUROPA 2020 A estratégia económica da União Europeia implementada para a década 2010/2020 é orientada pelos seguintes vetores: 1. Crescimento inteligente (promover o conhecimento, a inovação, a educação e a sociedade digital); 2. Crescimento sustentável (tornar a nosso aparelho produtivo mais eficiente em termos de recursos, ao mesmo tempo que se reforça a nossa competitividade); 3. Crescimento inclusivo (aumento da taxa de participação no mercado de trabalho, aquisição de qualificações e luta contra a pobreza). O novo quadro orçamental 2014/2020 continuará a refletir estas prioridades europeias concretizando as principais ações Europa 2020 e tendo por objetivos o aumento da taxa de emprego, o aumento dos investimentos da UE na I&D; a sustentabilidade e eficiência energética e a redução da emissão de gases com efeito estufa; a redução da taxa de insucesso escolar e o combate à pobreza e exclusão social. 7.

19 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 19 AGENDA EUROPA Para atingir os objetivos Europa 2020, a Comissão propôs uma agenda Europa 2020 que consiste numa série de sete iniciativas emblemáticas, cuja execução constitui uma prioridade partilhada com ações a todos os níveis: organizações à escala da UE, Estados-Membros e autoridades locais e regionais: União da Inovação Recentrar a política de I&D e inovação nos principais desafios societais, colmatando o desfasamento existente entre ciência e mercado, transformando as invenções em produtos. A título de exemplo, a patente comunitária poderia traduzir-se numa economia anual de 289 milhões de euros para as empresas; Juventude em Movimento Reforçar a qualidade e a capacidade de atração internacional do sistema de ensino superior europeu, promovendo a mobilidade dos estudantes e dos jovens profissionais. As vagas existentes devem ser mais facilmente acessíveis em toda a Europa e as qualificações e experiência profissional reconhecidas de forma adequada; Agenda digital para a Europa Retirar de forma sustentável benefícios económicos e sociais do mercado único digital com base na internet de alta velocidade. Até 2013, todos os europeus deverão ter acesso à internet de alta velocidade;

20 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 20 Europa Eficiente em Termos de Recursos Apoiar a transição para uma economia hipocarbónica e eficiente na utilização de recursos. A Europa deve manter-se fiel aos objetivos que fixou para 2020 no domínio da produção, eficiência e consumo de energia. Deste modo, será possível uma poupança de 60 mil milhões de euros nas importações de petróleo e gás em 2020; Política Industrial para a Era da Globalização Contribuir para a competitividade da indústria da UE no mundo que emergirá da crise, promover o empreendedorismo e desenvolver novas qualificações. Deste modo, será possível criar milhões de novos postos de trabalho; Agenda para Novas Competências Emprego Criar as condições para a modernização dos mercados de trabalho, com vista a aumentar as taxas de emprego e assegurar a sustentabilidade dos nossos modelos sociais no momento da passagem à reforma da geração dos «baby- -boomers»; Plataforma Europeia contra a Pobreza Assegurar a coesão económica. social e territorial, permitindo que as camadas mais pobres e socialmente excluídas da população desempenhem um papel ativo na sociedade. A estratégica Europa 2020 exige uma concentração de esforços ente a União e os seus países. Ao nível da União têm sido tomadas medidas para concretizar o mercado interno dos serviços, da energia e dos produtos digitais e para investir em atividades

21 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 21 transfronteiriças essenciais. A nível nacional importa eliminar os obstáculos à livre concorrência e à criação de emprego. Tais esforços devem ser coordenados a todos os níveis e por isso, a concretização da estratégia Europa 2020 depende em grade parte dos quadros orçamentais aprovados. Neste contexto assume relevância o semestre europeu, um ciclo anual de coordenação no domínio das políticas económicas, no âmbito do qual a Comissão e o Conselho formulam orientações políticas, os países da UE comprometem-se a realizar reformas em sequência de um conjunto de recomendações específicas elaboradas pela Comissão e aprovadas pelos dirigentes dos Estados-Membros no quadro do Conselho Europeu. Estas recomendações terão que ser depois tidas em conta nas políticas e orçamentos dos países da UE. A estratégia Europa 2020 será o escopo de um dos maiores programas financeiros no quadro plurianual , o Horizonte 2020.

22 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 22 HORIZONTE O Horizonte 2020 é um programa financeiro que reflete as prioridades da estratégia Europa Com um orçamento de cerca de 77,2 mil milhões de euros, este programa decorre entre 2014 e 2020 e tem como foco o apoio à investigação, inovação, criação de emprego e, dessa forma, o crescimento económico da Europa. Caraterísticas: Simplificação O Horizonte 2020 apresenta uma estrutura mais simples do que o anterior programa-quadro para a inovação e investigação, tornando mais fácil a identificação de oportunidades de financiamento que se consubstancia da seguinte forma: 1. Um único ponto de acesso para os participantes; 2. Um único conjunto de regras de participação aplicáveis a todas as componentes do H2020; 3. Critérios de avaliação mais simples (Excelência Impacto Implementação) 4. Redução do Time-to-Grant (em 100 dias) 5. Aceitação generalizada dos custos médios com pessoal (através de certificação). Regras de financiamento mais disponíveis 1. Custos diretos (100% para R&D, 70% para ações próximas de mercado), taxa fixa para os custos indiretos (25%); 2. Não há timesheets para o pessoal que trabalha em tempo integral num único projeto; 3. IVA será considerado elegível para as instituições que não o conseguem recuperar. 8. Ver

23 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 23 Instrumento para financiamento de projetos de PME O programa inclui um instrumento apenas dedicado às Pequenas e Médias Empresas (PME), o SME Instrument, criado para financiar projetos na área da inovação. Este instrumento apoia as 3 fases que cobrem o ciclo de inovação: 1. Fase de avaliação do potencial tecnológico e comercial do projeto; 2. Fase de investigação e desenvolvimento (com enfâse na demonstração e na replicação de mercado); 3. Fase da comercialização. Com um orçamento de mais de 500 milhões de euros para 2014 e 2015, o SME Instrument procura colmatar lacunas para a investigação e inovação num estádio inicial, assim como potenciar o desenvolvimento e inovação de alto-risco e estimular inovações revolucionárias. Pilares O programa de apoio à investigação e inovação assenta em três pilares fundamentais: excelência científica, liderança industrial e desafios societais. Cada pilar engloba um conjunto de convites à apresentação de propostas que, por sua vez, se dividem em vários tópicos podendo diferentes entidades responder ao tópico que lhe mais lhes interessar. Excelência Científica Pretende-se o apoio da posição da União Europeia como líder mundial em ciência com um aumento de financiamento para o Conselho Europeu de Investigação (ERC).

24 O SETOR DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ELETRÓNICA NA UNIÃO EUROPEIA - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO 24 Iniciativas 1. European Research Council (Conselho Europeu de Investigação), aberto a todos os temas, investigadores jovens promissores (Starters, Consolidators) e estabelecidos (Advanced Grants); 2. FET, Future and Emerging Technologies, ideias novas, radicais e com risco elevado para acelerar o desenvolvimento em áreas emergentes da ciência e da tecnologia, incluindo FET-Open (novos conceitos), FET-Proactive (explorar ideias promissoras), e FET Flagships (para obter breakthroughs ). 3. Bolsas Marie-Curie, internacionais (entradas e saídas) e entre setores (universidade-indústria), inc. Doutoramentos em ambiente industrial - possibilidade de alavancar fundos próprios com o COFUND. 4. Infraestruturas de Investigação de Classe Mundial, acessíveis a todos os investigadores. Liderança Industrial O objetivo deste pilar consiste no reforço da liderança industrial em matéria de inovação. Inclui grande investimento em tecnologias-chave e um melhor acesso ao capital e apoio às PME. É atribuído destaque a: 1. Liderança em Tecnologias Facilitadoras e Industriais: Tecnologias de Informação e Comunicação; Nanotecnologias, Materiais Avançados, Processos de Manufatura e Fabrico Avançados, Biotecnologia; Espaço. 2. Acesso ao financiamento de risco. 3. Inovação nas PMEs.

Horizonte 2020. Pilar II Liderança Industrial Tecnologias da Informação e Comunicação (ICT)

Horizonte 2020. Pilar II Liderança Industrial Tecnologias da Informação e Comunicação (ICT) Horizonte 2020 Pilar II Liderança Industrial Tecnologias da Informação e Comunicação (ICT) Filipa Duarte Elisabete Pires Pontos de Contacto Nacional de ICT & FET TIC no Horizonte 2020 Liderança Industrial

Leia mais

Horizonte 2020. Pilar II Liderança Industrial Tecnologias da Informação e Comunicação (ICT)

Horizonte 2020. Pilar II Liderança Industrial Tecnologias da Informação e Comunicação (ICT) Horizonte 2020 Pilar II Liderança Industrial Tecnologias da Informação e Comunicação (ICT) Filipa Duarte Elisabete Pires Pontos de Contacto Nacional de ICT & FET TIC no Horizonte 2020 Liderança Industrial

Leia mais

Tecnologias da Informação e Comunicação (ICT)

Tecnologias da Informação e Comunicação (ICT) Gabinete de Promoção dos Programa Quadro ID&I Tecnologias da Informação e Comunicação (ICT) João Mil-Homens Castelo Branco 28/01/2015 Liderança em Tecnologias Facilitadoras e Industriais (LEIT) NMP+B TIC

Leia mais

Horizonte 2020 Financiamento europeu para Investigação, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (2014-2020)

Horizonte 2020 Financiamento europeu para Investigação, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (2014-2020) Horizonte 2020 Financiamento europeu para Investigação, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (2014-2020) Eduardo Maldonado Coordenador dos Pontos de Contacto Nacional Estratégia Europa 2020 Objectivos:

Leia mais

Pensar a Investigação na Europa num Mundo em Mudança

Pensar a Investigação na Europa num Mundo em Mudança Pensar a Investigação na Europa num Mundo em Mudança Horizonte 2020 Programa-Quadro de Investigação e Inovação (2014-2020) Maria da Graça Carvalho LNEG, Lisboa 25 Outubro 2013 Mundo Multipolar na investigação

Leia mais

Introdução ao Horizonte 2020

Introdução ao Horizonte 2020 Gabinete de Promoção dos Programa Quadro ID&I Introdução ao Horizonte 2020 Maria João Fernandes mariajoao.fernandes@fct.pt IPCB, Castelo Branco 28 de Janeiro de 2015 Estratégia UE2020 Uma estratégia para

Leia mais

Pensar a Investigação na Europa num Mundo em Mudança

Pensar a Investigação na Europa num Mundo em Mudança Pensar a Investigação na Europa num Mundo em Mudança Horizonte 2020 Programa-Quadro de Investigação e Inovação (2014-2020) 2020) Maria da Graça a Carvalho IPO, Lisboa 9 Maio 2013 Mundo Multipolar na investigação

Leia mais

Horizonte 2020 Estrutura, organização, aspetos legais e regras de participação Eduardo Maldonado, Coordenador de NCPs (GPPQ-FCT) 27 de Fevereiro de

Horizonte 2020 Estrutura, organização, aspetos legais e regras de participação Eduardo Maldonado, Coordenador de NCPs (GPPQ-FCT) 27 de Fevereiro de Horizonte 2020 Estrutura, organização, aspetos legais e regras de participação Eduardo Maldonado, Coordenador de NCPs (GPPQ-FCT) 27 de Fevereiro de 2014 Horizonte 2020 - Novidades Um único programa que

Leia mais

inovação & nas empresas 2020 competitividade

inovação & nas empresas 2020 competitividade inovação & nas empresas 2020 competitividade FACING THE INNOVATION CHALLENGE Lisboa 02 MARÇO 2016 1 Desafios e oportunidades: fatores críticos de sucesso PRINCIPAIS ALTERAÇÕES SETORES VERSUS CADEIAS DE

Leia mais

Horizonte 2020: Oportunidades de financiamento para a Administração Pública. Elisabete Pires Ponto de Contacto Nacional dos temas ICT & FET do H2020

Horizonte 2020: Oportunidades de financiamento para a Administração Pública. Elisabete Pires Ponto de Contacto Nacional dos temas ICT & FET do H2020 Horizonte 2020: Oportunidades de financiamento para a Administração Pública Elisabete Pires Ponto de Contacto Nacional dos temas ICT & FET do H2020 elisabete.pires@fct.pt Horizonte 2020: Quais os objetivos

Leia mais

Horizonte 2020. Tecnologias da Informação e Comunicação (ICT) José Silva Matos Delegado Nacional do tema ICT

Horizonte 2020. Tecnologias da Informação e Comunicação (ICT) José Silva Matos Delegado Nacional do tema ICT Horizonte 2020 Tecnologias da Informação e Comunicação (ICT) José Silva Matos Delegado Nacional do tema ICT Horizonte 2020 Novo programa quadro de investigação e inovação (2014 2020) Características Principais

Leia mais

Marta Candeias: marta.candeias@fct.pt Ponto de Contato Nacional NMP e PME. Horizonte 2020

Marta Candeias: marta.candeias@fct.pt Ponto de Contato Nacional NMP e PME. Horizonte 2020 Marta Candeias: marta.candeias@fct.pt Ponto de Contato Nacional NMP e PME PME, empreendedores, inovação no centro da Estratégia EU2020 COSME Fundos Regionais Da Investigação Fundamental ao Mercado Pilares

Leia mais

O QUE ABORDAMOS, EM PARTICULAR, NESTE EU REPORT?

O QUE ABORDAMOS, EM PARTICULAR, NESTE EU REPORT? Cosme 1 O QUE ABORDAMOS, EM PARTICULAR, NESTE EU REPORT? Neste EU Report abordamos, em particular, o COSME, o novo programa quadro europeu para a competitividade das Empresas e das PME (pequenas e médias

Leia mais

CTCV. seminários. Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020. Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015

CTCV. seminários. Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020. Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015 23 10 2014 Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020 Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015 Victor Francisco Gestão e Promoção da Inovação 21 de outubro

Leia mais

Novas tecnologias. Novas tecnologias. Oportunidades de financiamento na UE destinadas a empresas e jovens empresários

Novas tecnologias. Novas tecnologias. Oportunidades de financiamento na UE destinadas a empresas e jovens empresários Novas tecnologias Oportunidades de financiamento na UE destinadas a empresas e jovens empresários 1 O QUE ABORDAMOS HOJE? Oportunidades de financiamento no seio da UE destinadas a jovens empresários e

Leia mais

O Futuro dos Programas Europeus de Ciência e Inovação Maria da Graça a Carvalho

O Futuro dos Programas Europeus de Ciência e Inovação Maria da Graça a Carvalho O Futuro dos Programas Europeus de Ciência e Inovação Maria da Graça a Carvalho Workshop sobre Políticas de Investigação no Ensino Superior Universidade da Beira Interior 2 Junho 2011 Índice Estratégia

Leia mais

7º Programa-Quadro de I&DT (2007-2013)

7º Programa-Quadro de I&DT (2007-2013) 7º Programa Quadro Tema ENERGIA O 7ºPrograma Quadro e o PPQ Eduardo Maldonado Coordenador dos Pontos de Contacto Nacionais 7º Programa-Quadro de I&DT (2007-2013) Promoção da carreira de investigação e

Leia mais

Tecnologia e inovação na UE Estrategias de internacionalização

Tecnologia e inovação na UE Estrategias de internacionalização Tecnologia e inovação na UE Estrategias de internacionalização Belém, 25 de Setembro 2014 Estrutura da apresentação 1. Porque a cooperação com a União Europeia em inovação é importante para o Brasil? 2.

Leia mais

HORIZONTE 2020 A INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA E A INOVAÇÃO

HORIZONTE 2020 A INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA E A INOVAÇÃO HORIZONTE 2020 A INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA E A INOVAÇÃO XX Congresso Nacional da Ordem dos Engenheiros Porto, 17-19 de outubro de 2014 Sebastião Feyo de Azevedo, professor de engenharia química, Reitor da

Leia mais

Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020

Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 30 de julho de 2014 Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020 Informações gerais O Acordo de Parceria abrange cinco fundos: Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional

Leia mais

Horizonte 2020 : O que é? Quais os objetivos? Novo programa quadro de investigação e inovação (2014 2020)

Horizonte 2020 : O que é? Quais os objetivos? Novo programa quadro de investigação e inovação (2014 2020) Horizonte 2020 : O que é? Quais os objetivos? Novo programa quadro de investigação e inovação (2014 2020) Características Principais Projetos financiados com base na excelência científica Projetos selecionados

Leia mais

Cidades e Comunidades Inteligentes: oportunidades de financiamento no Horizonte 2020

Cidades e Comunidades Inteligentes: oportunidades de financiamento no Horizonte 2020 Cidades e Comunidades Inteligentes: oportunidades de financiamento no Horizonte 2020 CONVENÇÃO - Low Carbon de um OesteSustentável Ana Raposo (ana.raposo@fct.pt) 10 de Julho de 2014 Horizonte 2020 - Novidades

Leia mais

Horizonte 2020. Horizonte 2020

Horizonte 2020. Horizonte 2020 Horizonte 2020 1 O QUE ABORDAMOS, EM PARTICULAR, NESTE EU REPORT? Este EU Report pretende apresentar o novo programa financeiro plurianual, da União Europeia, o Horizonte 2020. Este programa decorre entre

Leia mais

Horizonte 2020. Marta Candeias: marta.candeias@fct.pt Ponto de Contato Nacional NMP e PME

Horizonte 2020. Marta Candeias: marta.candeias@fct.pt Ponto de Contato Nacional NMP e PME Marta Candeias: marta.candeias@fct.pt Ponto de Contato Nacional NMP e PME H2020 (2014-2020) Três prioridades que se reforçam mutuamente ~79M 7% para o SME Instrument Projetos de uma única PME (ou consórcio

Leia mais

A Ciência e a Inovação no Portugal2020. ISEG, Universidade de Lisboa 17 de dezembro de 2014

A Ciência e a Inovação no Portugal2020. ISEG, Universidade de Lisboa 17 de dezembro de 2014 A Ciência e a Inovação no Portugal2020 ISEG, Universidade de Lisboa 17 de dezembro de 2014 QUADRO FINANCEIRO PLURIANUAL 2014-2020 960 mil milhões para crescimento e emprego 1. HORIZONTE 2020 Programa Europeu

Leia mais

Fundos Comunitários. geridos pela Comissão Europeia. M. Patrão Neves. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.

Fundos Comunitários. geridos pela Comissão Europeia. M. Patrão Neves. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves. Fundos Comunitários geridos pela Comissão Europeia M. Patrão Neves Fundos comunitários: no passado Dependemos, de forma vital, dos fundos comunitários, sobretudo porque somos um dos países da coesão (e

Leia mais

Desafio Societal 3 Energia segura, não poluente e eficiente

Desafio Societal 3 Energia segura, não poluente e eficiente Desafio Societal 3 Energia segura, não poluente e eficiente Ana Raposo ana.raposo@fct.pt Ponto de Contacto Nacional Eunice Ribeiro eunice.ribeiro@fct.pt Ponto de Contacto Nacional Programa de Trabalhos

Leia mais

A União Europeia e o apoio às Empresas. Margarida Marques, Chefe da Representação da Comissão Europeia em Portugal

A União Europeia e o apoio às Empresas. Margarida Marques, Chefe da Representação da Comissão Europeia em Portugal A União Europeia e o apoio às Empresas Margarida Marques, Chefe da Representação da Comissão Europeia em Portugal Abril 2010 Programa-Quadro para a Competitividade e a Inovação (CIP) Programa-Quadro para

Leia mais

O que é HORIZONTE 2020?

O que é HORIZONTE 2020? O que é HORIZONTE 2020? Maior Programa Mundial para financiamento da Pesquisa e Inovação 80 bilhões (2014-2020) Responder a crise econômica através de investimentos em empregos, crescimento e inovação

Leia mais

Startups na UE. Startups na UE. Da idealização à concretização

Startups na UE. Startups na UE. Da idealização à concretização Startups na UE Da idealização à concretização 1 DO QUE TRATAMOS HOJE? Subvenções, instrumentos financeiros e outros mecanismos que potenciem a criação e o reconhecimento de startups. As novas empresas,

Leia mais

GPPQ - Gabinete de Promoção do Programa-Quadro de I&DT HORIZONTE 2020. Oportunidades de financiamento de I&I. Anabela Carvalho GPPQ/FCT

GPPQ - Gabinete de Promoção do Programa-Quadro de I&DT HORIZONTE 2020. Oportunidades de financiamento de I&I. Anabela Carvalho GPPQ/FCT GPPQ - Gabinete de Promoção do Programa-Quadro de I&DT HORIZONTE 2020 Oportunidades de financiamento de I&I Anabela Carvalho GPPQ/FCT GPPQ Gabinete de Promoção do Programa-Quadro Mandato do GPPQ Promoção

Leia mais

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa Apresentação ERASMUS+ - Ensino Superior O Erasmus+ é o novo programa da UE dedicado à educação, formação, juventude e desporto. O programa tem início

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO Jorge Abegão Secretário-Técnico do COMPETE Coimbra, 28 de janeiro de 2015 Estratégia Europa 2020 ESTRATÉGIA EUROPA 2020 CRESCIMENTO INTELIGENTE

Leia mais

PROGRAMA QUADRO EUROPEU PARA A INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO

PROGRAMA QUADRO EUROPEU PARA A INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO PROGRAMA QUADRO EUROPEU PARA A INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO Programa Específico de execução do Horizonte 2020 Programa-Quadro de Investigação e Inovação (2014-2020) Maria da Graça Carvalho Índice Mundo Multipolar

Leia mais

Fundos Estruturais e de Investimento 2014-2020

Fundos Estruturais e de Investimento 2014-2020 + competitivo + inclusivo + sustentável Fundos Estruturais e de Investimento 2014-2020 Piedade Valente Vogal da Comissão Diretiva do COMPETE Santarém, 26 de setembro de 2014 Estratégia Europa 2020 ESTRATÉGIA

Leia mais

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO 7.6.2008 C 141/27 V (Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO Convite à apresentação de propostas de 2008 Programa Cultura (2007-2013) Execução das seguintes acções do programa: projectos plurianuais

Leia mais

CONFERÊNCIA FINAL EUROPEAN TEXTILE COOPERATION. Covilhã, Museu de Lanifícios da UBI 27/05/2015

CONFERÊNCIA FINAL EUROPEAN TEXTILE COOPERATION. Covilhã, Museu de Lanifícios da UBI 27/05/2015 CONFERÊNCIA FINAL EUROPEAN TEXTILE COOPERATION Covilhã, Museu de Lanifícios da UBI 27/05/2015 Joana Mafalda Dias Investigadora 1 OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO NA UE Entre os vários domínios contemplados

Leia mais

HORIZONTE 2020. Oportunidades de financiamento para a investigação e inovação marinha e marítima. Maria João Fernandes mariajoao.fernandes@fct.

HORIZONTE 2020. Oportunidades de financiamento para a investigação e inovação marinha e marítima. Maria João Fernandes mariajoao.fernandes@fct. GPPQ - Gabinete de Promoção do Programa-Quadro de I&DT HORIZONTE 2020 Oportunidades de financiamento para a investigação e inovação marinha e marítima Maria João Fernandes mariajoao.fernandes@fct.pt NCP

Leia mais

PROGRAMA QUADRO EUROPEU PARA A INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO HORIZON 2020 (2014-2020) 2020)

PROGRAMA QUADRO EUROPEU PARA A INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO HORIZON 2020 (2014-2020) 2020) PROGRAMA QUADRO EUROPEU PARA A INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO HORIZON 2020 (2014-2020) 2020) Maria da Graça a Carvalho Universidade de Évora 5 Janeiro 2012 Índice Mundo Multipolar na investigação e inovação Europa

Leia mais

Horizonte 2020 e Oportunidades para as PME

Horizonte 2020 e Oportunidades para as PME e Oportunidades para as PME Alexandre Marques National Contact Point Legal and Financial Issues, Innovation in SMEs, Access to Risk Finance and EIT Da Investigação Fundamental ao Mercado Pilares II e III

Leia mais

Oportunidades para as PME no Horizonte 2020

Oportunidades para as PME no Horizonte 2020 Oportunidades para as PME no Horizonte 2020 Marta Candeias Ponto de Contato Nacional NMP e PME PME, empreendedores, inovação no centro da Estratégia EU2020 Horizonte 2020 COSME Fundos Regionais H2020 (2014-2020)

Leia mais

3º Programa de Saúde 2014-2020

3º Programa de Saúde 2014-2020 2014-2020 INFARMED, 25 de junho de 2014 1. Enquadramento estratégico 2. Apresentação 3. Objetivos 4. Prioridades temáticas 5. Ações 6. Beneficiários 7. Tipos de subvenção 8. Regras de financiamento 9.

Leia mais

aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Instrumentos financeiros

aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Instrumentos financeiros aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Os instrumentos financeiros cofinanciados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional são uma forma eficiente

Leia mais

INTERVENÇÃO PRECOCE NA INFÂNCIA (IPI) ORIENTAÇÕES PARA AS POLÍTICAS

INTERVENÇÃO PRECOCE NA INFÂNCIA (IPI) ORIENTAÇÕES PARA AS POLÍTICAS INTERVENÇÃO PRECOCE NA INFÂNCIA (IPI) ORIENTAÇÕES PARA AS POLÍTICAS Introdução O presente documento pretende apresentar uma visão geral das principais conclusões e recomendações do estudo da European Agency

Leia mais

Newsletter #3 Abril 2014. Apresentação Resultados obtidos O programa Horizon2020

Newsletter #3 Abril 2014. Apresentação Resultados obtidos O programa Horizon2020 Newsletter #3 Abril 2014 Apresentação Resultados obtidos O programa Horizon2020 Apresentação O GetFP7 Potenciar a Participação de Empresas Portuguesas no 7ºPQ IDT&T é um projecto privado, apresentado pela

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Medida 2 CONHECIMENTO Ação 2.1 CAPACITAÇÃO E DIVULGAÇÃO Enquadramento Regulamentar Regulamento (UE) n.º 1305/2013, do Conselho e do Parlamento

Leia mais

Programa Quadro para a Competitividade e Inovação. Programa de Apoio às Políticas das Tecnologias da Informação e da Comunicação (CIP ICT PSP)

Programa Quadro para a Competitividade e Inovação. Programa de Apoio às Políticas das Tecnologias da Informação e da Comunicação (CIP ICT PSP) Programa Quadro para a Competitividade e Inovação Programa de Apoio às Políticas das Tecnologias da Informação e da Comunicação (CIP ICT PSP) Elisabete Pires Ponto de Contacto Nacional CIP ICT PSP, ICT,

Leia mais

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 O desafio Horizonte 2020 Compromissos Nacionais Metas UE-27 20%

Leia mais

Programas Europeus. 09 de Julho de 2010 Salão Nobre. Eurodeputada Parlamento Europeu

Programas Europeus. 09 de Julho de 2010 Salão Nobre. Eurodeputada Parlamento Europeu Programas Europeus de Ciência e Inovação 09 de Julho de 2010 Nobre do Instituto Superior Técnico, Lisboa Salão Nobre Maria da Graça Carvalho Eurodeputada Parlamento Europeu ESTRATÉGIA EU2020 CIÊNCIA E

Leia mais

Portugal 2020. 03-11-2014 Areagest Serviços de Gestão S.A.

Portugal 2020. 03-11-2014 Areagest Serviços de Gestão S.A. Portugal 2020 Os Nossos Serviços Onde pode contar connosco? Lisboa Leiria Braga Madrid As Nossas Parcerias Institucionais Alguns dos Nossos Clientes de Referência Bem Vindos à Areagest Índice O QREN;

Leia mais

Oportunidades de Financiamento no âmbito do tema ICT: Programa de Trabalho 2013. Elisabete Pires Ponto de Contacto Nacional do tema ICT

Oportunidades de Financiamento no âmbito do tema ICT: Programa de Trabalho 2013. Elisabete Pires Ponto de Contacto Nacional do tema ICT Oportunidades de Financiamento no âmbito do tema ICT: Programa de Trabalho 2013 Elisabete Pires Ponto de Contacto Nacional do tema ICT Gabinete de Promoção do 7º Programa-Quadro de IDT Fundação da Ciência

Leia mais

Portugal 2020: Investigação e Inovação no domínio da Competitividade e Internacionalização

Portugal 2020: Investigação e Inovação no domínio da Competitividade e Internacionalização Portugal 2020: Investigação e Inovação no domínio da Competitividade e Internacionalização Duarte Rodrigues Vogal da Agência para o Desenvolvimento e Coesão Lisboa, 17 de dezembro de 2014 Tópicos: 1. Portugal

Leia mais

Soluções para SMART CITIES. Nuno Alves

Soluções para SMART CITIES. Nuno Alves Soluções para SMART CITIES Nuno Alves Agenda Contexto Organizacional Conceito e Objetivos Intergraph Smart Cities 12/7/2014 2014 Intergraph Corporation 2 Intergraph Corporation Intergraph Intergraph helps

Leia mais

Elegibilidade do Brasil no Horizonte 2020 CIÊNCIA DE EXCELÊNCIA

Elegibilidade do Brasil no Horizonte 2020 CIÊNCIA DE EXCELÊNCIA Elegibilidade do Brasil no Horizonte 2020 Horizonte 2020 (H2020) - o Programa Europeu de apoio à Pesquisa, Innovação e Cooperação Internacional - é o maior programa de pesquisa e inovação da União Europeia

Leia mais

Síntese Informativa. Síntese Informativa

Síntese Informativa. Síntese Informativa Síntese Informativa 1 O QUE ABORDAMOS? Procedemos a uma síntese de informação que foi recolhida, tratada e apresentada em anteriores EU Reports. Entre toda a informação que foi transmitida, procuramos

Leia mais

Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020. Isabel Damasceno, Vogal Executiva CCDRC, 28 de janeiro de 2015

Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020. Isabel Damasceno, Vogal Executiva CCDRC, 28 de janeiro de 2015 Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020 Isabel Damasceno, Vogal Executiva CCDRC, 28 de janeiro de 2015 Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020 Dotação financeira reforçada: 2.155 M

Leia mais

micro-empresas e activid i a d de d ec e onómica c TAGUS, 24 de Janeiro de 2015

micro-empresas e activid i a d de d ec e onómica c TAGUS, 24 de Janeiro de 2015 micro-empresas e actividade económica TAGUS, 24 de Janeiro de 2015 20 anos Uma estratégia com o objectivo único de contribuirpara fixar população no interior do seu território. Combater o exodo rural e

Leia mais

Uma Rede de apoio à competitividade das empresas. 30 de abril de 2014, ISCTE-IUL, Lisboa

Uma Rede de apoio à competitividade das empresas. 30 de abril de 2014, ISCTE-IUL, Lisboa Uma Rede de apoio à competitividade das empresas 30 de abril de 2014, ISCTE-IUL, Lisboa Quem somos Quem somos? Onde estamos? Criada pela Comissão Europeia no âmbito do Programa Quadro para a Competitividade

Leia mais

Oportunidades para as PME

Oportunidades para as PME Programa-Quadro de I&I da CE: Horizonte 2020: Oportunidades para as PME Gonçalo Lobo Xavier Delegado Nacional Inovação nas PME e Acesso a Financiamento de Risco Horizonte 2020 -Oportunidades para a indústria

Leia mais

Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020. Ana Abrunhosa Presidente da Comissão Diretiva do CENTRO 2020

Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020. Ana Abrunhosa Presidente da Comissão Diretiva do CENTRO 2020 Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020 Ana Abrunhosa Presidente da Comissão Diretiva do CENTRO 2020 PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO CENTRO 2014-2020 Dotação financeira: 2.155 M FEDER: 1.751

Leia mais

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 Vítor Escária CIRIUS ISEG, Universidade de Lisboa e Augusto Mateus & Associados Barreiro, 30/06/2014 Tópicos Enquadramento A Estratégia de Crescimento

Leia mais

ESPECIAL PMEs. Volume III Fundos europeus 2ª parte. um Guia de O Portal de Negócios. www.oportaldenegocios.com. Março / Abril de 2011

ESPECIAL PMEs. Volume III Fundos europeus 2ª parte. um Guia de O Portal de Negócios. www.oportaldenegocios.com. Março / Abril de 2011 ESPECIAL PMEs Volume III Fundos europeus 2ª parte O Portal de Negócios Rua Campos Júnior, 11 A 1070-138 Lisboa Tel. 213 822 110 Fax.213 822 218 geral@oportaldenegocios.com Copyright O Portal de Negócios,

Leia mais

Financiamento Regional e Portugal 2020. Alexandra Rodrigues Seminário CTCV

Financiamento Regional e Portugal 2020. Alexandra Rodrigues Seminário CTCV Financiamento Regional e Portugal 2020 Alexandra Rodrigues Seminário CTCV 9 abril 2015 Foco Temático no conjunto dos FEEI Sustentabilidade e eficiência no Uso de Recurso 6.259 M 25% Competitividade e Internacionalização

Leia mais

aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Social Europeu Instrumentos financeiros

aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Social Europeu Instrumentos financeiros aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Social Europeu Os instrumentos financeiros cofinanciados pelo Fundo Social Europeu são uma forma eficiente e sustentável de investir no crescimento

Leia mais

ESTRATÉGIA REGIONAL DE ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE: ATELIÊ DAS TECNOLOGIAS DE LARGO ESPECTRO

ESTRATÉGIA REGIONAL DE ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE: ATELIÊ DAS TECNOLOGIAS DE LARGO ESPECTRO ESTRATÉGIA REGIONAL DE ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE: ATELIÊ DAS TECNOLOGIAS DE LARGO ESPECTRO ccdr-n.pt/norte2020 4DE JUNHO DE 2013 BRAGA Principais Conceitos A competitividade das regiões deve fundar se

Leia mais

SME Instrument e Fast Track to Innovation

SME Instrument e Fast Track to Innovation Apoio às PME no H2020 SME Instrument e Fast Track to Innovation Horizonte 2020 Apoio às PME no H2020 H2020 (2014-2020) Três prioridades que se reforçam mutuamente ~79M 7% para o SME Instrument Projectos

Leia mais

DESAFIO PORTUGAL 2020

DESAFIO PORTUGAL 2020 DESAFIO PORTUGAL 2020 Estratégia Europa 2020: oportunidades para os sectores da economia portuguesa Olinda Sequeira 1. Estratégia Europa 2020 2. Portugal 2020 3. Oportunidades e desafios para a economia

Leia mais

EFIÊNCIA DOS RECURSOS E ESTRATÉGIA ENERGIA E CLIMA

EFIÊNCIA DOS RECURSOS E ESTRATÉGIA ENERGIA E CLIMA INTRODUÇÃO Gostaria de começar por agradecer o amável convite para participar neste debate e felicitar os organizadores pela importância desta iniciativa. Na minha apresentação irei falar brevemente da

Leia mais

Projetos Inovadores de Mobilidade Sustentável

Projetos Inovadores de Mobilidade Sustentável Projetos Inovadores de Mobilidade Sustentável Promoção, Financiamento e Apoio Comunitário Rui Dias Camolino Presidente da Direção - ITS Portugal Patrícia Jesus Silva Gestora de Projeto TRANSIS - ITS Portugal

Leia mais

Atelier Inclusão Social

Atelier Inclusão Social Atelier Inclusão Social Porto, 3 de setembro de 2013 ccdr-n.pt/norte2020 Atelier Inclusão Social: Estrutura de apresentação Sumário 1. Enquadramento Europeu: Próximo ciclo da Politica de Coesão 2. Investimentos

Leia mais

Enquadramento do sector

Enquadramento do sector ESTRATÉGIA NACIONAL DE INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO PARA UMA ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE 2 Enquadramento do sector No âmbito da Estratégia Nacional de Especialização Inteligente, o desafio que se coloca à economia

Leia mais

Ano Europeu da Criatividade e Inovação

Ano Europeu da Criatividade e Inovação Ano Europeu da Criatividade e Inovação Imaginar criar inovar Índice A União Europeia O caminho da UE O Ano Europeu Criatividade e Inovação. Porquê? Criatividade e Inovação. Importância Criatividade e Inovação.

Leia mais

Programa de trabalho da Presidência Portuguesa para o Conselho Ecofin

Programa de trabalho da Presidência Portuguesa para o Conselho Ecofin Programa de trabalho da Presidência Portuguesa para o Conselho Ecofin A Presidência Portuguesa na área dos Assuntos Económicos e Financeiros irá centrar-se na prossecução de três grandes objectivos, definidos

Leia mais

CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA. 22 de junho de 2015

CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA. 22 de junho de 2015 CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA UMA UNIÃO EUROPEIA MAIS FORTE 22 de junho de 2015 A União Europeia deve contar com um quadro institucional estável e eficaz que lhe permita concentrar-se

Leia mais

Horizonte 2020. Marta Candeias: marta.candeias@fct.pt Ponto de Contato Nacional NMP e PME

Horizonte 2020. Marta Candeias: marta.candeias@fct.pt Ponto de Contato Nacional NMP e PME Marta Candeias: marta.candeias@fct.pt Ponto de Contato Nacional NMP e PME PME, inovação no centro da Estratégia EU2020 Horizonte 2020 COSME Fundos Regionais Da Investigação Fundamental ao Mercado Pilares

Leia mais

Principais diferenças entre 2007-2013 / 2014-2020

Principais diferenças entre 2007-2013 / 2014-2020 Principais diferenças entre 2007-2013 / 2014-2020 Fundos 2 Objetivos 2 Etapas formais de programação 2 Abordagem estratégica 2 Âmbito Geográfico 3 Concentração Temática 4 Condicionalidades Ex ante 5 Adicionalidade

Leia mais

As regiões Portuguesas: Lisboa: Competitividade e Emprego; Madeira: Phasing-in; Algarve: Phasing-out; Norte, Centro, Alentejo, Açores: Convergência

As regiões Portuguesas: Lisboa: Competitividade e Emprego; Madeira: Phasing-in; Algarve: Phasing-out; Norte, Centro, Alentejo, Açores: Convergência A Nova Agenda da Política de Coesão no Espaço Europeu Nuno Teixeira CCDR-LVT 26.Novembro.2010 A Nova Agenda da Política de Coesão no Espaço Europeu 1 ÍNDICE I. A coesão no espaço europeu II. O Tratado

Leia mais

SEGUNDO PILAR DA PAC: A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO RURAL

SEGUNDO PILAR DA PAC: A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO RURAL SEGUNDO PILAR DA PAC: A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO RURAL A última reforma da política agrícola comum (PAC) manteve a estrutura em dois pilares desta política, continuando o desenvolvimento rural a representar

Leia mais

POLÍTICA DE COESÃO 2014-2020

POLÍTICA DE COESÃO 2014-2020 DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL INTEGRADO POLÍTICA DE COESÃO 2014-2020 As novas regras e legislação para os investimentos futuros da política de coesão da UE durante o período de programação 2014-2020

Leia mais

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO EUROPEIA

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO EUROPEIA 28.10.2014 C 382/1 V (Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO EUROPEIA CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS EACEA/31/2014 Programa Erasmus+, Ação-chave 3 Apoio à reforma de políticas Cooperação com

Leia mais

Portugal 2020 Lançados Programas Operacionais

Portugal 2020 Lançados Programas Operacionais Portugal 2020 Lançados Programas Operacionais Novos PO detêm um valor global de quase 12,2 mil M de financiamento comunitário Alerta de Cliente Dezembro de 2014 Temas/Assuntos: Numa cerimónia realizada

Leia mais

HORIZONTE 2020. Aberto para o mundo! O Programa da União Europeia para Pesquisa e Inovação. Dr. Piero Venturi Comissão Europeia DG Pesquisa e Inovação

HORIZONTE 2020. Aberto para o mundo! O Programa da União Europeia para Pesquisa e Inovação. Dr. Piero Venturi Comissão Europeia DG Pesquisa e Inovação HORIZONTE 2020 O Programa da União Europeia para Pesquisa e Inovação Aberto para o mundo! Dr. Piero Venturi Comissão Europeia DG Pesquisa e Inovação O que é HORIZONTE 2020? Um programa de financiamento

Leia mais

Alexandre Marques NCP Assuntos Legais e Financeiros do 7.º PQ da UE

Alexandre Marques NCP Assuntos Legais e Financeiros do 7.º PQ da UE SEMINÁRIO ENERGIAS RENOVÁVEIS MARINHAS EM PORTUGAL O GPQ R S F F 24 de Novembro 2008 Museu da Electricidade Fundação EDP Al d M Alexandre Marques NCP Assuntos Legais e Financeiros do 7.º PQ da UE GPPQ

Leia mais

CONHECIMENTO como GERADOR

CONHECIMENTO como GERADOR CONHECIMENTO como GERADOR 2001 Licenciada Bioquímica (Coimbra) 2008 Doutorada Biologia Molecular, Microbiologia e Evolução (Aveiro, Oxford e Barcelona) 2012 MBA Especialização Finanças, Porto Business

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO E AO PARLAMENTO EUROPEU

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO E AO PARLAMENTO EUROPEU COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 21.1.2003 COM(2003) 26 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO E AO PARLAMENTO EUROPEU PENSAR EM TERMOS DE PEQUENAS EMPRESAS NUMA EUROPA EM ALARGAMENTO COMUNICAÇÃO

Leia mais

PME e Financiamento de Risco

PME e Financiamento de Risco Programa-Quadro de I&I da CE: Horizonte 2020: Oportunidade de financiamento para as PME e Financiamento de Risco Alexandre Marques, GPPQ-FCT NCP PME, Acesso a Financiamento de Risco, Assuntos Legais e

Leia mais

HORIZONTE 2020. Aberto para o mundo! O Programa da União Europeia para Pesquisa e Inovação. Dr. Piero Venturi Comissão Europeia DG Pesquisa e Inovação

HORIZONTE 2020. Aberto para o mundo! O Programa da União Europeia para Pesquisa e Inovação. Dr. Piero Venturi Comissão Europeia DG Pesquisa e Inovação HORIZONTE 2020 O Programa da União Europeia para Pesquisa e Inovação Aberto para o mundo! Dr. Piero Venturi Comissão Europeia DG Pesquisa e Inovação A União Europeia 500 milhões de pessoas - 28 países

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Acordo de Parceria Consagra a política de desenvolvimento económico, social, ambiental e territorial Define

Leia mais

Oportunidades para as PME no Horizonte 2020

Oportunidades para as PME no Horizonte 2020 Oportunidades para as PME no Horizonte 2020 10 de Dezembro de 2013 Universidade da Madeira Funchal Alexandre Marques National Contact Point Legal and Financial Issues, Innovation in SMEs, Access to Risk

Leia mais

A Inovação, a Ciência e Tecnologia e o Território no período 2014-2020 Perspetivas e Oportunidades

A Inovação, a Ciência e Tecnologia e o Território no período 2014-2020 Perspetivas e Oportunidades A Inovação, a Ciência e Tecnologia e o Território no período 2014-2020 Perspetivas e Oportunidades Bragança, 16 de Outubro 2014 1 A Inovação em Portugal - Alguns dados recentes Em relação à média da União

Leia mais

ACORDO DE PARCERIA 2014-2020

ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 30 de julho 2014 ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 PORTUGAL 2020 1 Portugal 2020, o Acordo de Parceria (AP) que Portugal submeteu à Comissão Europeia estrutura as intervenções, os investimentos e as prioridades

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade ACORDO DE PARCERIA Consagra a política de desenvolvimento económico, social, ambiental e territorial Define

Leia mais

CONSELHO EUROPEU Bruxelas, 14 de março de 2013 (OR. en)

CONSELHO EUROPEU Bruxelas, 14 de março de 2013 (OR. en) CONSELHO EUROPEU Bruxelas, 14 de março de 2013 (OR. en) EUCO 23/13 CO EUR 3 CONCL 2 NOTA DE ENVIO de: Secretariado-Geral do Conselho para: Delegações Assunto: CONSELHO EUROPEU 14/15 de março de 2013 CONCLUSÕES

Leia mais

Ensino Superior em Portugal, Que Futuro? Maria da Graça Carvalho 1 de Fevereiro 2013, Lisboa Reitoria UL

Ensino Superior em Portugal, Que Futuro? Maria da Graça Carvalho 1 de Fevereiro 2013, Lisboa Reitoria UL Ensino Superior em Portugal, Que Futuro? Maria da Graça Carvalho 1 de Fevereiro 2013, Lisboa Reitoria UL Índice Investimento público e privado no Ensino Superior Propinas Investimento público e privado

Leia mais

Horizonte 2020. Sessão de informação Programa-Quadro de I&I Horizonte 2020 - Aspetos Legais e Financeiros

Horizonte 2020. Sessão de informação Programa-Quadro de I&I Horizonte 2020 - Aspetos Legais e Financeiros Sessão de informação Programa-Quadro de I&I Horizonte 2020 - Aspetos Legais e Financeiros Horizonte 2020 O Horizonte Sessão 2020: de informação Objetivos Programa-Quadro de e I&I Estrutura Horizonte 2020

Leia mais

Prémios europeus de iniciativa empresarial 2010 2 / 10

Prémios europeus de iniciativa empresarial 2010 2 / 10 MANUAL OPERACIONAL Prémios europeus de iniciativa empresarial 2010 2 / 10 Julho 2010 ÍNDICE 1. DEFINIÇÃO E JUSTIFICAÇÃO... 3 1.1. Um prémio que reconhece a excelência na iniciativa empresarial... 3 1.2.

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Medida 1 INOVAÇÃO Ação 1.1 GRUPOS OPERACIONAIS Enquadramento Regulamentar Artigos do Regulamento (UE) n.º 1305/2013, do Conselho e do Parlamento

Leia mais

Apoios à Internacionalização e à Inovação. António Costa da Silva Santarém, 26 de setembro de 2014

Apoios à Internacionalização e à Inovação. António Costa da Silva Santarém, 26 de setembro de 2014 Apoios à Internacionalização e à Inovação António Costa da Silva Santarém, 26 de setembro de 2014 ALENTEJO PRIORIDADES PARA UMA ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE 1. Alimentar e Floresta 2. Recursos Naturais,

Leia mais

Incentivos Financeiros e Fiscais Global Incentives Management

Incentivos Financeiros e Fiscais Global Incentives Management Incentivos Financeiros e Fiscais Global Incentives Management Incentivos Índice 1. Apresentação i. Incentivos Financeiros ii. Incentivos Fiscais 2. Metodologia i. Apresentação ii. iii. iv. Analysis & Reporting

Leia mais