1751 Richardson, Suite 2525, Montréal, Qc, Canada

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1751 Richardson, Suite 2525, Montréal, Qc, Canada"

Transcrição

1 A Survey of Smart Grid Research and Development Involving Real-Time Simulation Technology Uma Avaliação sobre Pesquisa e Desenvolvimento de Smart Grids envolvendo Tecnologias de Simulação em Tempo Real 1 Christian Dufour, 2 Simone Araújo, 1 Jean Bélanger, 1 Opal-RT Technologies Inc Richardson, Suite 2525, Montréal, Qc, Canada 2 OpenCadd Advanced Technology, São Paulo, SP, Brasil Abstract- This paper discusses the various aspects involving the research and development of smart grids. Discussed are applications going from large grid renewable integration, WAMPAC systems to micro-grids. Load scheduling and power balance, communications issues, understanding customer behavior, large area protection, distribution control are only some aspects of the challenge of making power grids more robust, more intelligent. The potential complexity of such smart grids requires careful study and analysis before actual realization. This paper explains how such challenges are addressed using real-time simulation technologies in different laboratories around the world. Resumo - Este artigo discute diversos aspectos envolvendo a pesquisa e o desenvolvimento de Smart Grids. As discussões incluem aplicações que vão desde grandes grids com integrações de fontes renováveis de energia, conhecidos como sistemas WAMPAC, até micro-grids. Load scheduling e balanceamento de carga, grandes áreas de proteção e controle de distribuição são apenas alguns dos aspectos do desafio de fazer Smart-Grids mais robustos e mais inteligentes. A complexidade potencial dos Smart-Grids requer diversos estudos e análises antes de partir para a execução. Este artigo explica como tais desafios podem ser encarados usando tecnologias de simulação em tempo real em diferentes laboratórios no mundo. Keywords: Smart-Grid, HIL, Simulation, Renewables, RT-LAB I. INTRODUÇÃO O que é smart grid ou rede inteligente? Segundo o dicionário, inteligência é a habilidade de aprender, entender ou lidar com novas ou inusitadas situações, ou a abilidade de usar o conhecimento para manipular o ambiente. Uma definição de inteligência também se relaciona com informação relativa a um inimigo, ou possível inimigo, ou uma área. A analogia com a rede inteligente é que a coleta de informações (feita por meio de sensores) e comunicação são essenciais para atingir bom desempenho "contra" os vários atores da rede cujas ações podem comprometê-la. A rede inteligente pode ser vista de duas maneiras: em função da inteligência do projeto para lidar com os desafios modernos tais como confiabilidade, eficiência e meio ambiente; e em função da capacidade da rede inteligente para lidar com sua própria complexidade que, inevitavelmente, trará situações difíceis. Rede inteligente, portanto, significa mais do que simplesmente aumentar a eficiência energética. Redes de distribuição inteligentes podem incluir todas as ações para melhorar a confiabilidade para o usuário, reduzir a demanda de pico, deslocar a consumo para fora do horário de pico e diminuir consumo de energia total. Também pode gerenciar diversas maneiras inovadoras de usar a energia gerada pelos clientes tais como energia solar, eólica e outras fontes renováveis e re-injetá-la na rede, como ilustrado na Fig. 1. O aumento da utilização de veículos elétricos pode também causar um impacto sobre a rede, seja para o carregamento das baterias ou para manter uma reserva de energia para o parque automotivo. Engenheiros envolvidos nos projetos de redes inteligentes também devem compreender melhor como a energia é consumida/gerada por um novo perfil de consumidor que surge. Fig. 1. Exemplo de Smart-Grid A elevada complexidade das redes de energia modernas exigem testes e projetos mais avançados na elaboração dos seus projetos. Simuladores em tempo real podem ser de grande ajuda neste ponto, possibilitando que pesquisadores testem, sistemas complexos e métodos aplicados ao desenvolvimento de smart-grids.. O foco deste trabalho é mostrar tais aplicações usando exemplos de pesquisas feitas por grandes universidades pelo mundo. A pesquisa

2 envolvendo smart grids é feita usando exaustivamente simuladores de sistema de potência em tempo real. Neste artigo discutiremos algumas aplicações, feitas em diversos locais, diferentes laboratórios, e relacionadas ao desenvolvimento de smart grids usando tecnologias de simuladores em tempo real como: - Novas metodologias distribuídas de controle de redes - Testes de protocolos de comunicação, como IEC Diferentes abordagens sobre estimação de estado em redes de distribuição usando PMUs de alta distinção. - Desenvolvimento e teste de sistemas WAMPAC - Métodos para utilização de filtros ativos conectando a variados conversores de eletrônica de potência das smart grids. - Integração de grandes áreas de energia renovável. - Simulação Power-HIL Estes estudos envolvem diferentes plataformas de simulação em tempo real como RT-LAB, RTDS, xpc Target, dspace e HyperSim. II.SMART-GRID E COMUNICAÇÃO Os links de comunicação são um ponto crítico para que se possa coordenar corretamente a operação de redes de potência. Por exemplo, numa topologia clássica de rede de potência consistindo de um pequeno número de pontos de geração síncronos conectados às cargas, o correto recebimento das medições fasoreais já é, há um certo tempo, mantadória para se operar uma rede. Redes mais modernas e verdes, em contrapartida, são feitas de muitos dispositivos ativos. Estas redes são projetadas para permitir a incorporação de muitos pontos de geração, tais como turbinas eólicas e energia solar, onde o comportamento é muito difícil de ser previsto. Um outro ponto é que smart grids podem tirar proveito da capacidade de armazenamento disponível em carros elétricos conectados à rede como fontes alternativas de geração. RT-Lab Real-Time Simulator Thevenin Bus 1 Synchronous Generartor Bus 2 500MVA, 20kV Transmission Line L 1-3 Transmission Line L 1-3 a Step Up Transformer 20kV / 380 kv Bus 3 Process BUS (Sampled Values) (IEC ) Bus 4 Step Down Transformer 380 kv / 6.3 kv Bus 5 Transmission Line L 3-5 ABB RED-670 Fig. 2. Teste do protocol IEC usando RT-LAB M Induction Motor 4.9 MVA, 6.3 kv OLTC Controlled Load Todas essas novas funções e capacidades dependem de uma coordenação e comunicação adequadas. O IEC é um protocolo de comunicação baseado em IP e vem ganhando rapidamente aceitação na área de energia. Ele foi originalmente desenvolvido para proteção e controle de substações, mas foi adaptado para lidar com a complexidade dos smart grids. O Simulador RT-LAB suporta os protocoles IEC e DNP3 e permite ao usuário testar diferentes estratégias de controle usando este protocol de comunicação. Estudos envolvendo o protocolo IEC-61850, como descrito acima, vem sendo realizados pela KTH Smart-TS Laboratory, em Estocolmo, Suécia. O barramento de processamento IEC é relativo à transferência de dados entre equipamentos primarios e IEDS através da rede Ethernet. O uso de relés baseados no IEC elimina a necessidade de cabos de cobre de alto custo e facilita a interoperabilidade entre equipamentos de diferentes fabricantes numa subestação. Fabricantes de relés de proteção estão adicionando novas características considerando os valores amostrados em seus IEDs. A confiabilidade do barramento de dados do processo está ainda em fase de análise, e alguns projetos pilotos vem sendo testados mundialmente para avaliar seu desempenho se comparado à tradicional arquitetura de cabos de cobre. Na KTH, existe uma abordagem para Hardware-in-the-loop (HIL), em tempo real, para avaliar as características de proteção através da implantação de um barramento de dados [1]. Como descrito na Fig. 2, a característica de proteção diferencial da ABB RED-670 foi avaliada para dois modelos de tranformadores de múltiplos enrolamentos utilizando o simulador em tempo real emegasim Opal-RT. Um procedimento extensivo de testes do relé SEL-478E que utiliza o IEC e o simulador de relés RT-LAB também foi feito em [14]. III.FILTRAGEM COOPERATIVA EM REDES DISTRIBUÍDAS Pesquisadores da Universidade de Campina Grande (UFCG), Paraíba, Brasil, vêm usando o simulador RTDS, da RTDS Technologies, Canadá, e mais recentemente o RT- LAB, da Opal-RT Technologies, para estudar diversos problemas como controle cooperativo de filtros ativos múltiplos baseados na detecção de tensão e computação de Distorção Harmonica Total (THD Total Harmonic Distortion) a fim de aumentar a qualidade da energia. Fig. 3. Representação simplificada de uma rede de distribuição de energia e o proposto esquema de controle APLC Cargas dinâmicas, capacitores shunt, faltas ou outros tipos de problemas que podem aparecer num sistema, não são totalmente previsíveis. Estes cenários dinâmicos podem se beneficiar de um controle distribuído, onde uma série de

3 Filtros ativos de Linhas de Potência (APLC - Active Power Line Conditioner) reduzem cooperativemente todos os harmônicos a partir de pontos de acoplamento comum (PCC- Point of Common Coupling), num sistema de potência. O objetivo é se assegurar de que a redução dos harmônicos satisfaça a norma IEEE-519, que impõe que o valor THD seja menor que 5%. Em [2], controladores APLC foram implementados em processadores DSP da Texas Instruments e interfaceados com simuladores em tempo real para verificar sua efetividade. O esquema de controle APLC proposto para uma rede de distribuição de energia é mostrado na Fig. 3. Na figura, LS representa um segmento de linha de distribuição de energia, PCC é entendido como um ponto de acoplamento comum, Nc é um controlador de nó local instalado num PCC, o bloco APLC é representa os PCCs que possuem compensação e SCA é a central de controle supervisório autômato. O valor da THD da tensão é então transferida para o SCA. O bloco APLC possui um processador local que implementa as leis de controle APLC baseado numa corrente fornecida pelo SCA. Uma descoberta importante da pesquisa foi que utilizando menos APLC que cargas de potência é possível respeitar a norma IEEE-519, desde seja feito um posicionamento correto do APLC e eles trabalhem em cooperação. tornar difícil de realizar um controle centralizado. Muitos eventos e/ou modificações podem surgir numa rede de distribuição e os limites de um sistema de controle centralizado podem ser alcançados rapidamente. Através de um simulador em tempo real, pesquisadores do laboratório L2EP, em Lilles, França, vêm trabalhando no desenvolvimento de um método decentralizado para controle de tensão numa rede de distribuição. Cada fonte resolve sua própria função de otimização baseada principalmente na informação local. Um método muito simples de coordenação foi proposto e permite um integração fácil de uma nova fonte no controle global de tensão. Este método é baseado no conceito de Sistemas de Múltiplos Agentes (MAS - Multi Agent System) [3][4]. IV. CONTROLE DISTRIBUIDO BASEADO EM AGENTES DO SMART GRID Atualmente, a importante integração da produção de energia elétrica de usinas éolicas pode introduzir problemas na regulação de tensão. A maior razão para isso reside no fato que a rede de distribuição existente não foi projetada pensando na inclusão deste tipo de geração. Por exemplo, a conexão de geradores eólicos na rede de distribuição pode gerar sobretensão local e afetar a operação correta de transformadores com comutação sob carga. Diferentes estratégias de regulação da tensão secundária em redes de distribuição vêm sendo propostas na literatura. Na maior parte dos casos, as estratégias para regulação de tensão são centralizadas e realizadas por um computador central que supervisiona a produção de todos os geradores distribuídos (i.e. geradores eólicos), e procura otimizar a tensão considerando os set points desses geradores distribuídos. Um exemplo deste príncipio de controle está no Controle de Tensão Distribuido Coordenado (DCVC- Distribution Coordinated Voltage Control) que é uma adaptação para a rede de distribuição do controle coordenado usado em algumas redes de transmissão. Este algoritmo centralizado de regulação de tensão precisa conhecer toda a configuração da rede e ainda necessita de um grande número de componentes para efetuar tanto a aquisição de dados quanto a comunicação do sistema. Ele resolve uma função de otimização única que precisa ser recalculada se um ponto de geração é conectado ou desconectado. Entretanto, para um desenvolvimento em larga escala com muitos geradores distribuídos, um sistema de controle centralizado pode se Fig. 4. Plataforma de teste multi agente para smart grid usando RT-LAB Em sua experimentação, acoplou-se o simulador RT-LAB a três programas de agentes independentes. Cada um deles tinha como tarefa controlar a tensão e o nível de potência em seu próprio ponto de geração eólica de conexão à rede. A rede foi simulada em tempo real usando o SimPowerSystems BlockSet (MathWorks), e o plugin para tempo real ARTEMiS (Opal-RT). O controle do agente e a interação com a rede foi feito através de links TCP/IP. Como mostra a Fig. 4, desenvolveu-se uma plataforma de pesquisa dedicada ao estudo de controle de energia distribuído e do comportamento de redes elétricas num futuro proximo. Esta plataforma inclui diversas sub-plataformas que podem interagir entre si e com o simulador RT-LAB, conhecido como plataforma JADE para desenvolvimento de Agentes e uma ferramenta de monitoramento SCADA.

4 V. SIMULAÇÃO EM TEMPO REAL DE UMA REDE DE DISTRIBUIÇÃO A incorporação de fontes renováveis à rede de distribuição traz consigo novos desafios em termos de capacidade demandada para simulação de transitórios eletromagnéticos em tempo real. Este é um aspecto da simulação em tempo real que é objeto de estudo num esforço conjunto do G2Elab do Grenoble Institute of Technology e o L2EP of University Lille Nord de France, ambos localizados na França. ativa e reativa (comparado com uma simulação sem atrasos). O passo da simulação em tempo real alcançado foi de 50 µs. Espera-se que este desempenho aumente com o advento de novas tecnologias como modelos externos SSN (adicionado em 2012) e o agrupamento SSN em dois níveis. O algoritmo SSN (State-Space Nodal) cria uma partições em espaço de estado virtual que descrevem a rede que é resolvida simultaneamente usando um método nodal nos pontos de particionamento da conexão. As partições podem ser resolvidas em paralelo em diferentes núcleos de um PC sem atrasos nos algoritmos. F1 A. Modelagem OLTC em SSN usando Código Customizado (SSN External models) Em [6], os pontos OLTC foram divididos em 17, devido ao método de implementação do SimPowerSystems da MathWorks que usa 15 chaves por fase. O SSN é capaz de suplantar esta limitação através do uso dos modelos externos (SSN external model). Modelos externos permitem a codificação direta de equações de um OLTC em domínio discreto. De fato, no domínio discreto, um OLTC é simplesmente um transformador que possui uma relação de transformação variável e uma indutância de dispersão. GRID Transformer + OLTC 63 kv / 20 kv 36 MVA F2 F3 Fig. 5. Integração de Fontes Renováveis com Redes de Distribuição Uma das principais razões para isto é que, contrapondo os sistemas clássicos de potência que se encontram em áreas geograficamente esparsas, redes de distribuição são aglomeradas por natureza. Isto implica que métodos clássicos de desacoplamento de equações com o uso de linhas tipo Bergamon não podem ser facilmente utilizados neste tipo de rede. Em [6], a rede de distribuição apresentada na Fig. 5 foi simulada em tempo real. Esta rede possui 210 barramentos, 210 linhas e 121 cargas, separadas em 5 subredes principais e conectadas num alimentador OLTC. O comprimento total das linhas é de 68 km e comprimento médio da linha principal de 7,5 km de comprimento, o que acarreta impossibilidade de desacoplamento das equações utilizando-se dos atrasos naturais de propagação em linhas de transmissão. Para realizar uma simulação em tempo real de tal rede, é preciso 1) usar métodos de desacoplamento inteligente usando agrupamento, ou as capacitâncias dispersas das linhas, para criar atrasos [10], 2) adicionar atrasos com método de compensação, ou 3) usar um algoritimo de simulação baseado em desacoplamento/particionamento virtual como o ARTEMiS-SSN. Em [6], o método de atraso compensatório foi usado com sucesso, resultando num erro menor que 0,002% na potência F4 F5 B. Simulação sem atraso SNN em Redes de distribuição Em [6] novamente, também foi descoberto que redes completas não podem ser simuladas utilizando apenas o algoritimo SSN (i.e. sem adicionar atrasos), apesar da possibilidade de se computar em paralelo as 5 subredes utilizando múltiplos núcleos do simulador RT-LAB. Uma das razões para isso esta na forma com que o algoritmo SSN trata as várias partições que ele cria. Na versão atual do SSN, os grupos SSN (ou partições) são alocados nos núcleos disponíveis com um simples balanceamento de carga computacional, sem se importar com a localização dos cálculos computacionais. Ainda nesta versão, a solução LU completa é feita em um único núcleo. Fig. 6. Método de separação de dois níveis por núcleo núcleo no SSN

5 Esforços foram feitos para implementar um método de separação em dois níveis por núcleo no SSN que é também chamado de SSN Supergrupo e corresponde a um grande número de grupos SSN altamente acoplados que são atribuídos a um núcleo específico. Esta técnica requer a paralelização da solução LU através dos núcleos. A referência [8] explica de forma clara como isso pode ser realizado com sucesso. A Fig. 6 exemplifica este método numa rede de distribuição alimentada por um OLTC (mostrado para 2 Supergrupos SSN apenas). Este é um caso interessante devido à configuração em estrela da rede. Existe um ponto de separação natural no ponto de conexão do OLTC, onde todos os Supergrupos se conectam. Isto, leva a um mínimo de comunicação intercentrais. O grupo SSN padrão ainda é necessário no sentido de minimizar o número total de nós usados no LU e précomputar a equação do grupo com relação aos switches pertecentes. Não obstante, até mesmo com um simples método de balanceamento de carga o SSN permite cálculo em tempo real de um link HVDC bipolar com diversos bancos filtros chaveados [9]. VI. ESTIMAÇÃO DE ESTADOS EM TEMPO REAL EM UMA REDE DE DISTRIBUIÇÃO ATIVA Dentro do contexto de redes de distribuição ativas, técnicos do Distributed Electrical Systems Laboratory (DESL) da EPFL, na Suíça estão utilizando uma plataforma em tempo real com o objetivo de desenvolver um estimador de estados, em tempo real, para ser utilizado no controle ótimo de tensão e na detecção e localização de faltas. Nesta plataforma de tempo real, um simulador RT-LAB é usado para aplicar um modelo de rede de distribuição, com linhas desequilibradas e cargas dinâmicas, como o modelo de teste IEEE de 13 barramentos. O simulador em tempo real calcula, também, as injeções de potência em todos os nós em correspondência aos eventos GPS-PPS enviados ao simulador por um PMU dedicado. As potências calculadas em tempo real são transmitidas pelo simulador IR para um concentrador de dados fasoriais (PDC) através do protocolo IEC O PDC baseia-se na plataforma OpenPDC. O simulador de tempo real está conectado a um certo número de PMUs através de AO (para o sistema de IEEE 13 barramentos há 7 PMUs). Como mostrado na Fig. 7, os PMUs transmitem as medições do sincrofasores ao PDC utilizando o protocolo IEEE C O PMU executa algoritmo especial para aplicações de redes de distribuição [11][12]. O PDC coleta dados das medições de PQ (fornecida pelo simulador em tempo real) e das PMUs, criando um banco de dados em tempo real que é atualizado a cada 20 ms (ambos PQ e medições de PMU são transmitidos a cada 20 ms). Notadamente, o sistema permite que o simulador em tempo real sincronize as suas medições com uma fonte de GPS externo. A estimação de estado de rede é feita a partir deste banco de dados utilizando um estimador baseado no filtro de Kalman [13]. Fig. 7. Testes do dispositivo de Sincronofasores com um simulador em tempo real VII. DESNVOLVIMENTO DE SISTEMAS WAMPAC Um dos objectivos do KTH Royal Institute of Technology é desenvolver novos e avançados Sistemas de monitoramento, Proteção e Controle (WAMPAC - Wide- Area Monitoring, Protection, and Control Systems). No centro do desenvolvimento de "redes de transmissão inteligentes" está o projeto, implementação e testes de aplicações de medição fasorial sincronizada de dados que podem complementar WAMPAC. Em [15], são descritas duas aplicações WAMPAC: um aplicativo de monitoramento de freqüência média e um estimador on-line de estado eletromecânico, ambos utilizando o simulador em tempo real Opal-RT emegasim e a interface com openwams e Plataforma PowerIT. A plataforma openwams é uma parte importante de SmartTS Lab, pois fornece a plataforma para desenvolvimento de aplicações de monitoramento e controle. A plataforma consiste em vários componentes openwams open-source de terceiros e bibliotecas que permitem classificar os dados PMU e a concentração, arquivamento e gerenciamento de dados fasoriais. A. Aplicação de monitoramento de freqüência média O aplicativo de monitoramento de freqüência média no PowerIT calcula a freqüência média em um dado conjunto de valores de freqüência de vários PMUs. Esta aplicação calcula a freqüência média assim que cada valor chega ao sistema. Esta aplicação também permite traçar tanto a freqüência de cada PMU no mesmo gráfico como a tendência de frequência média. A Fig. 8 mostra a tela de saída do aplicativo.

6 Tais sistemas de distribuição de energia e geração distribuida vão se tornar muito complexos devido as possíveis interações entre equipamentos inteligentes localizados em cada casa com a rede de energia. Por exemplo, o comportamento do sistema quando desligado da rede de alimentação deve ser determinada. Controle de freqüência nos modos desligado ou defeituoso é também um tema de pesquisa. Number of nodes: 60 Minimum sample time : 25µs Processor type: Core i7, 3.3 GHz Used Cores: 1 Free Cores: /66KV 154kV Grid 24MVA RT-LAB emegasim Real-time Simulated Distribution network 6600V/100V/100V 30KVA Neighbourhood1 Low-Voltage Residential Zone 2 Total of 9 Neighbourhoods Neighbourhood9 Fig. 8. Aplicação de Monitoramento de freqüência média KTH B. Estimador de Estado Eletromecânico On-line A aplicação de estimação de estado on-line é baseada no trabalho descrito em [16] onde os dados arquivados são usados para estimar as propriedades eletromecânicas de sistemas de potência. Esta aplicação coleta medições em tempo real considerando uma janela de tempo prédeterminada e em seguida, processa estas medições em duas etapas utilizando estimativa espectral. A tela deste aplicativo é mostrado na Fig. 9. Fig. 9. Estimador Eletromecânico on-line de estado VIII. LABORATÓRIO SMART-GRID COM POWER-HIL Em [17], é apresentado o laboratório montado por um consórcio japonês para estudar micro-redes. Este laboratório inclui uma casa real ligada a um amplificador de potência de 10 kw interfaceado com uma rede de distribuição simulada com o simulador Opal-RT s emegasim utilizando Powerhardware-in-the-loop (Power-HIL) conforme ilustrado na Fig. 10. A casa está equipada com eletrodomésticos e outros equipamentos, incluindo células de combustível, sistemas fotovoltaicos e outros equipamentos que estão sendo contemplados para as casas do futuro. Estas casas serão integradas em modernas micro-redes, onde cada casa poderia também retornar energia para a rede. Transmission Line 40KM High-Voltage Zone Real House A B C a b c Yg Neutral Impedance 6600V/100V/100V 30KVA Distribution Line 10KM From ADC To DAC Power HIL Interface Distribution Line 10KM Neighbourhood2 of 12 Houses Neighbourhood1 Low-Voltage Residential Zone 1 Neighbourhood3 Neighbourhood 5 Neighbourhood 7 Neighbourhood 4 Neighbourhood 6 Neighbourhood 8 of 13 Houses Neighbourhood 9 Fig. 10. Laboratório Smart-Grid com power-hil com uma casa real O Laboratório MicroGrid permitirá analisar tais interações entre a rede elétrica e equipamentos de casa, injetando corrente produzida pela casa no alimentador simulado pelo emegasim em tempo real, que por sua vez retornará a tensão do alimentador para a casa através da conexão power- HIL A estabilidade da simulação Power-HIL é de especial preocupação pois o simulador, o amplificador, e a casa formam um sistema em loop fechado que pode tornar-se instável sob certas condições operacionais, tal como quaisquer outros sistemas de loop fechado. Tais problemas de estabilidade têm sido estudados na literatura [18] [19]. IX. TESTE DE FONTE RENOVÁVEL USANDO HIL E POWER-HIL Os pesquisadores do GE2LAB de Grenoble usam uma bancada de teste com hardware-in-the-loop concebido para avaliar desempenho do controle das unidades fotovoltaicas. Os painéis fotovoltaicos, ligados a um circuito Boost, são simulados em software num ambiente em tempo real (RT- Lab) e acoplados em circuito fechado com a unidade de controle a ser testada. [20] Em [21], a simulação Power-HIL também foi utilizada para projetar um conjunto de turbinas eólicas. Neste conjunto uma turbina eólica é controlada tendo seu eixo ligado a uma segunda máquina, que emula o torque promovido pelo vento. O simulador xpc Target foi utilizado para simular a ação do vento na máquina DC, enquanto um DSpace foi usado para controlar os inversor DFIM. O conjunto mais sofisticado, descrito na Fig. 11, envolveu a simulação em tempo real, no RT-LAB, de uma rede completa em interação com uma DFIM turbina eolica real [22].

7 amplificador AC totalmente linear como uma unidade de amplificação de alto poder de fidelidade e Clamps LEM PR30 para a medição. O uso da ponta de prova de corrente PR30 é suficiente para obter boa precisão, dinâmica e a estabilidade na simulação Power-HIL[23]. De interesse particular é o efeito de controle do PV em relação à rede, considerando as diferentes impedâncias. Na Fig. 12, as impedâncias da rede implementadas para o nó a, são definidas de acordo com um valor relativamente baixo, enquanto as impedâncias entre o nó a e b são escolhidas com valores significativamente maiores. O efeito sobre o inversor no nó b pode ser estressado, a fim de se observar as modificações na magnitude da tensão. X. INTEGRAÇÃO DE FONTES RENOVÁVEIS NUMA REDE DE GRANDE PORTE Fig. 11. Testes de Power-HIL para Geradores Eólicos Pesquisadores do Austrian Institute of Technology (AIT), Viena, Áustria, também estão estudando a integração de fontes renováveis com a rede usando simulação Power-HIL. Em [10], a rede de energia completa da Província de Quebec, incluindo 25 DFIG baseados em usinas eólicas, foi simulada, em tempo real, no simulador Hypersim. A rede continha os seguintes elementos: 643 barramentos trifásicos, 34 hidro-geradores (turbina, AVR, estabilizador), um gerador com turbina a vapor, 25 usinas eólicas com geradores DFIG, 7 compensadores estáticos, 6 condensadores síncronos, 167 linhas trifásicas e 150 transformador trifáixos com modelagem de saturação. Fig. 12. Estudo de Ingração de Sistmas Fotovoltaicos utilizando Power-HIL Eles utilizam o simulador em tempo real para várias investigações em redes de distribuição de baixa tensão, como integração das fontes de energia fotovoltaica com redes de distribuição, tal como ilustrado na fig. 12. Vários cenários com redes de diferentes impedâncias, que são de interesse e estão sob investigação, são implementados no modelo e executado no computador em tempo real. Assim, estratégias de controle de potencia ativa e reativa (P/Q) são emulados na simulação e seu impacto sobre a estabilidade da rede e qualidade é determinada. Todo o sistema elétrico é executado no RT-LAB e, com exceção dos dois painéis solares e equipamentos de medição periférica, todos os componentes são implementados por software. Esta simulação Power-HIL múltipla é definida com largura de banda máxima de 1 khz, o que é um bom compromisso com a precisão na investigação de cenários PQ, que normalmente apresentam constante de tempo muito lenta na faixa de milissegundos. As duas interfaces de energia (PI) são implementadas como transformadores ideais clássicos, modelo (ITM) ou algoritmos multi rating (MR), porque o modelo do inversor PV não é conhecido em profundidade (fonte de corrente e filtro). O AIT está usando um Fig. 13. Inserção de Componentes LC para criar um delay O Hypersim usa 72 processadores de um super-computador SGI para realizar a simulação em tempo real da rede a um passo de integração de 50 us. Métodos bastante sofisticados foram usados para desacoplar as equações do sistema e permitir que tal simulação massiva fosse realizada em paralelo. Por exemplo, conforme ilustrado na Fig. 13, deslocamentos de L e C a partir de componentes adjacentes permitiram o desacoplamento das equações do sistema coletor da plant de potência eólica da equação dos alimentadores. XI.CONCLUSÃO O objetivo deste artigo foi mostrar como simuladores em tempo real estão sendo utilizados em laboratórios de pesquisa que buscam desenvolver o smart grid ao redor do mundo. Muitas aplicações interessantes têm sido relatadas tais como os testes IEC-61850, a estimação de estado da rede, controle de rede distribuída, desenvolvimento de sistemas WAMPAC, filtragem ativas cooperativa e integração de fontes renovaveis com sistemas de grande porte. Levando-se em conta as crescentes exigências de confiabilidade de sistemas de energia, nos testes, estas exigências também serão maiores na mesma proporção. Nas redes de distribuição, notadamente, o número de nós elétricos pode facilmente exceder a capacidade atual de simulação em

8 tempo real padrão. Com isto em mente, a Opal-RT está desenvolvendo uma solução de simulação em tempo real chamada ephasorsim baseada em algoritmos fasoriais [24] [25]. O ephasorsim pode simular sistemas na faixa de barramentos mais rápido do que os simuladores em tempo real, no passo de tempo de 10 milissegundos. Esta técnica é bastante adequada para aplicação de simulação HIL, em tempo real, para testes de controle global do sistema de energia e sistemas de proteção implementados no SCADA moderno. Este algoritimo fasorial utiliza o método de integração explícito de Euler para discretizar as equações diferenciais de forma a alcançar tais desempenhos. Além disso, as soluções de matrizes esparsas foram exploradas de forma eficiente para fatorar e resolver equações de rede nodais. XII.AGRADECIMENTOS Os autores gostariam de agradecer a ajuda do Prof Xavier Guillaud, Universidade de Lille-Nord de France, L2EP, Ecole Centrale de Lille, França, Prof Luigi Vanfretti, Estocolmo KTH, Suécia, Prof Mario Paolone, EPLF Lauzanne e Maurício BR Corrêa do Centro de Engenharia Elétrica e Informática da UFCG, Brazil. REFERÊNCIAS [1] S. Almas, L. Vanfretti, Performance Evaluation of Protection Functions using IEC Process Bus through Real-Time Simulation Hardware-In-the-Loop (HIL) Approach", accepted for publication at CIRED 2013, Stockholm, Sweden, June 10-13, 2013 [2] C. S. Gehrke, A. M.N. Lima, A.C. Oliveira, Cooperative control for active power compensators allocated in distributed networks, 2012, 4th annual IEEE Energy Conversion Congress and Expo (ECCE- 2012), Raleigh, North Carolina, USA, Sept.15-20, [3] H.Fakham, A.Ahmidi, F.Colas and X.Guillaud "Multi-Agent System for Distributed Voltage Regulation of Wind Generators Connected to Distribution Network ", IEEE PES Conference on Innovative Smart Grid Technologies Europe October 11-13, 2010, Gothenburg, Sweden, [4] H.Fakham, A.Doniec, F.Colas and X.Guillaud A Multi-agents System for a Distributed Power Management of Micro Turbine Generators Connected to a Grid. IFAC Conference on Control Methodologies and Technology for Energy Efficiency, CMTEE 2010, Algarve, Portugal, March [5] F. Bellifemine, G. Caire and D.Greenwood (2007) developing multiagent systems with JADE. John Wiley & Sons, Wiely series in agent technology [6] A. Teninge, Y. Besanger, F. Colas, H. Fakham, X. Guillaud, Real- Time Simulation of a Medium Scale Distribution Network. Decoupling method for multi-cpu computation, 2012 IEEE Workshop on Complexity in Engineering (COMPENG-2012), Aachen, Germany, June 11-13, 2012 [7] C. Dufour, J. Mahseredjian, J. Bélanger, A Combined State-Space Nodal Method for the Simulation of Power System Transients, IEEE Transactions on Power Delivery, Vol. 26, no. 2, April 2011 (ISSN ), pp [8] T. Maguire, Multi-Processor Cholesky Decomposition of Conductance Matrices, Proceeding of the 2011 International Conference on Power System Transients (IPST-2011), Delft, The Netherlands, June 14-17, 2011 [9] C. Dufour, L.-A. Grégoire, J. Bélanger, Solvers for Real-Time Simulation of Bipolar Thyristor-Based HVDC and 180-cell HVDC Modular Multilevel Converter for System Interconnection and Distributed Energy Integration, 2011, CIGRÉ conference proceedings, Recife, Brazil, April 3-8, [10] R. Gagnon, G. Turmel, C. Larose, J. Brochu, G. Sybille, M. Fecteau, Large-Scale Real-Time Simulation of Wind Power Plants into Hydro- Québec Power System, Ninth International Workshop on Large-scale Integration of Wind Power into Power Systems as well as on Transmission Networks for Offshore Wind Plants, Quebec City, Canada, October 18-19, [11] M. Paolone, A. Borghetti, C. A. Nucci, A Synchrophasor Estimation Algorithm for the Monitoring of Active Distribution Networks in Steady State and Transient Conditions, Proc. of the 17th Power Systems Computation Conference (PSCC 2011), Stockholm, Sweden, Aug , 2011 [12] K. Christakou, J.-Y. Le Boudec, M. Paolone, D.-C. Tomozei, Efficient Computation of Sensitivity Coefficients of Node Voltages and Line Currents in Unbalanced Radial Electrical Distribution Networks, accepted for publication in IEEE Transactions on Smart Grids. [13] S. Sarri, M. Paolone, R. Cherkaoui, A. Borghetti, F. Napolitano, C.A. Nucci, State Estimation of Active Distribution Networks: Comparison Between WLS and Iterated Kalman-Filter Algorithm Integrating PMUs, rd IEEE PES Innovative Smart Grid Technologies Europe (ISGT Europe), Berlin. [14] S. Almas, R. Leelaruji, L. Vanfretti, Over-Current Relay Model Implementation for Real Time Simulation & Hardware-In-the-Loop (HIL) Validation, Invited Paper, Panel Session: Real-Time Simulation and Validation Methods for Power and Energy Systems, IEEE IECON 2012, Montreal, Canada, Oct , [15] L. Vanfretti, SmarTS Lab A Laboratory for Developing Applications for WAMPAC Systems, Proceedings of the IEEE 2012 PES General Meeting, San Diego, USA, July 22-26, [16] L. Vanfretti, L. Dosiek, J. W. Pierre, D. Trudnowski, J. H. Chow, R. Garcia-Valle, and U. Aliyu, Application of ambient analysis techniques for the estimation of electromechanical oscillations from measured pmu data in four different power systems, European Transactions on Electrical Power, vol. 21, no. 4, pp , [17] A. Yamane, W. Li, J. Bélanger, T. Ise, I. Iyoda, T. Aizono, C. Dufour, A Smart Distribution Grid Laboratory, Proceedings of the 37th Annual Conference of the IEEE Industrial Electronics Society (IECON-2011), Melbourne, Australia, November 7-10, [18] M. Hong, Y. Miura, T. Ise, Y. Sato, T. Momose and C. Dufour: Stability and Accuracy Analysis of Power Hardware-in-the-loop Simulation of Inductor Coupled Systems, IEEJ Trans. IA, Vol. 130, No. 7, pp (2010) [19] W.Ren, M.Steurer, T.L.Baldwin, "Improve the stability and the Accuracy of Power Hardware-in-the-loop simulation by selecting appropriate Interface Algorithm", Industry & Commercial Power System technical Conference, 2007, ICPS 2007, IEEE/IAS, May, 2007 [20] L. Bun, B. Raison, G. Rostaing, S. Bacha, A. Rumeau, A. Labonne, Development of a real time photovoltaic simulator in normal and abnormal operations, IECON th Annual Conference on IEEE Industrial Electronics Society, Melbourne, Australia, Nov. 7-10, 2011 [21] I.Munteanu, A. I. Bratcu, S. Bacha, D. Roye, J. Guiraud Hardwarein-the-Loop-based Simulator for a Class of Variable-speed Wind Energy Conversion Systems: Design and Performance Assessment, IEEE Trans. On Energy Conversion, Vol. 25, No. 2, June 2010 [22] D. Ocnasu, S. Bacha, I. Munteanu, C. Dufour, Real-Time Power- Hardware-In-the-Loop Facility for Shunt and Serial Power Electronics Benchmarking, Proceedings of the 13th European Conference on Power Electronics and Applications (EPE-2009), Barcelona, Spain, Sept. 8-10, 2009 [23] A. Viehweider, G. Lauss, and F. Lehfuss, "Stabilization of Power Hardware-in-the-Loop simulations of electric energy systems", Simulation Modelling Practice and Theory, vol. 19, no.7, pp , August [24] C. Dufour, V. Jalili-Marandi, J.Bélanger, Real-Time Simulation using Transient Stability, ElectroMagnetic Transient and FPGA-based High-Resolution Solvers, 2nd International Workshop on High Performance Computing, Networking and Analytics for the Power Grid (SC 12, HiPCNA-PG), Salt Lake City, Utah, USA, Nov.10-16, [25] C. Dufour, V. Jalili-Marandi, J. Bélanger, Laurence Snider, Power System Simulation Algorithms for Parallel Computer Architectures, Proceedings of the 2012 IEEE PES General Meeting, San Diego, USA, July 22-26, 2012.

RT TECHNOLOGIES ação... Para o tempo real!

RT TECHNOLOGIES ação... Para o tempo real! RT TECHNOLOGIES ação... Para o tempo real! ão em Tempo Real, Hardware-in-the-loop, cialidades e Exemplos Simone Araujo TAG Inovação Tecnológica Sao Paulo, Brasil Tópicos s s Partners & OPAL-RT Solutions

Leia mais

Simulação em tempo real via Hardware-in-the-Loop (HIL) em rede elétrica altamente dinâmica. Murilo Almeida - Typhoon HIL, Inc

Simulação em tempo real via Hardware-in-the-Loop (HIL) em rede elétrica altamente dinâmica. Murilo Almeida - Typhoon HIL, Inc Simulação em tempo real via Hardware-in-the-Loop (HIL) em rede elétrica altamente dinâmica. Murilo Almeida - Typhoon HIL, Inc A rede elétrica está se tornando altamente dinâmica. A Eletrônica de Potência

Leia mais

Estudos Pré-Operacionais do Controle de Corrente para Geradores Eólicos

Estudos Pré-Operacionais do Controle de Corrente para Geradores Eólicos Estudos Pré-Operacionais do Controle de Corrente para Geradores Eólicos Camila M. V. Barros 1, Luciano S. Barros 2, Aislânia A. Araújo 1, Iguatemi E. Fonseca 2 1 Mestrado em Ciência da Computação Universidade

Leia mais

Co-simulação gráfica. André Pereira Gerente de Marketing Técnico. ni.com

Co-simulação gráfica. André Pereira Gerente de Marketing Técnico. ni.com Co-simulação gráfica André Pereira Gerente de Marketing Técnico A revolução da energia digital Meça(Entenda o problema) Adquira Analise Apresente Implemente Prototipe Melhore(Crie soluções) Projete 2 NI

Leia mais

ESTUDO DE TOPOLOGIAS APLICADAS NA CONVERSÃO DE FREQÜÊNCIA EM SISTEMAS DE MÉDIA TENSÃO

ESTUDO DE TOPOLOGIAS APLICADAS NA CONVERSÃO DE FREQÜÊNCIA EM SISTEMAS DE MÉDIA TENSÃO ESTUDO DE TOPOLOGIAS APLICADAS NA CONVERSÃO DE FREQÜÊNCIA EM SISTEMAS DE MÉDIA TENSÃO Guilherme Sebastião da Silva, Cassiano Rech Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul UNIJUI

Leia mais

Introdução a redes ativas de distribuição

Introdução a redes ativas de distribuição Introdução a redes ativas de distribuição Eletrônica de Potência para Redes Ativas de Distribuição Marcelo Lobo Heldwein, Dr. Sc. Refs.: Z. Styczynski et al., NetMod: Reduced Models

Leia mais

VI SBQEE. 21 a 24 de agosto de 2005 Belém Pará Brasil

VI SBQEE. 21 a 24 de agosto de 2005 Belém Pará Brasil VI SBQEE 2 a 24 de agosto de 25 Belém Pará Brasil Código: BEL 6 793 Tópico: Qualidade da Energia em Sistemas com Geração Distribuída IMPACTO DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA NO AFUNDAMENTO DE TENSÃO EM REDES DE

Leia mais

Estudo do Impacto de Geradores. Distribuídos em Redes de Distribuição de. Energia Elétrica.

Estudo do Impacto de Geradores. Distribuídos em Redes de Distribuição de. Energia Elétrica. Estudo do Impacto de Geradores Distribuídos em Redes de Distribuição de Energia Elétrica. Oliveira, F. B. R. 1 Cardoso, J. B. 2 Resumo: Os Sistemas Elétricos de Potência se estabelecem como unidades de

Leia mais

Minigeração e Microgeração Distribuída no Contexto das Redes Elétricas Inteligentes. Djalma M. Falcão

Minigeração e Microgeração Distribuída no Contexto das Redes Elétricas Inteligentes. Djalma M. Falcão Smart Grid Trends & Best Practices 17 e 18 de Outubro de 2013 Salvador-BA Minigeração e Microgeração Distribuída no Contexto das Redes Elétricas Inteligentes Djalma M. Falcão Redes Elétricas Inteligentes

Leia mais

Avaliação do Impacto dos Controladores de Excitação na Estabilidade Transitória de Geradores Síncronos conectados em Sistemas de Distribuição

Avaliação do Impacto dos Controladores de Excitação na Estabilidade Transitória de Geradores Síncronos conectados em Sistemas de Distribuição Avaliação do Impacto dos Controladores de Excitação na Estabilidade Transitória de Geradores Síncronos conectados em Sistemas de Distribuição M. Resener, Member, IEEE, R. H. Salim, Member, IEEE, and A.

Leia mais

Capítulo XIV Interface Homem Máquina (IHM) e sistemas supervisórios

Capítulo XIV Interface Homem Máquina (IHM) e sistemas supervisórios 30 Capítulo XIV Interface Homem Máquina (IHM) e sistemas supervisórios Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL) A principal ferramenta para a operação de uma subestação de energia

Leia mais

Prof. Dr. Ernesto Ruppert Filho DSCE Departamento de Sistemas e Controle de Energia/FEEC/UNICAMP ruppert@fee.unicamp.

Prof. Dr. Ernesto Ruppert Filho DSCE Departamento de Sistemas e Controle de Energia/FEEC/UNICAMP ruppert@fee.unicamp. CONVERSORES ELETRÔNICOS DE POTÊNCIA PARA SISTEMAS FOTOVOLTAICOS DE BAIXA TENSÃO CONECTADOS À REDE Prof. Dr. Ernesto Ruppert Filho DSCE Departamento de Sistemas e Controle de Energia/FEEC/UNICAMP ruppert@fee.unicamp.br

Leia mais

Equivalentes Dinâmicos de Redes Elétricas Multi-conectadas Utilizando Análise Modal

Equivalentes Dinâmicos de Redes Elétricas Multi-conectadas Utilizando Análise Modal Artigo GDS-31 apresentado no XX SNPTEE (22 a 25 de Novembro de 2009 - Recife - PE) Equivalentes Dinâmicos de Redes Elétricas Multi-conectadas Utilizando Análise Modal Franklin Clement Véliz Sergio Luis

Leia mais

CALCULANDO A CAPACIDADE DE HOSPEDAGEM DA REDE COM VISTAS À INSERÇÃO DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA NO TOCANTE ÀS DISTORÇÕES HARMÔNICAS

CALCULANDO A CAPACIDADE DE HOSPEDAGEM DA REDE COM VISTAS À INSERÇÃO DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA NO TOCANTE ÀS DISTORÇÕES HARMÔNICAS CALCULANDO A CAPACIDADE DE HOSPEDAGEM DA REDE COM VISTAS À INSERÇÃO DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA NO TOCANTE ÀS DISTORÇÕES HARMÔNICAS Ivan Nunes Santos e Laura Elisa Issa Universidade Federal de Uberlândia, Faculdade

Leia mais

Análise dos Sistemas de Medição do Consumo de Energia Elétrica em Plantas Industriais

Análise dos Sistemas de Medição do Consumo de Energia Elétrica em Plantas Industriais UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA Análise dos Sistemas de Medição do Consumo de Energia Elétrica em Plantas Industriais Proposta de Trabalho

Leia mais

Controle de Conversores Estáticos Controladores baseados no princípio do modelo interno. Prof. Cassiano Rech cassiano@ieee.org

Controle de Conversores Estáticos Controladores baseados no princípio do modelo interno. Prof. Cassiano Rech cassiano@ieee.org Controle de Conversores Estáticos Controladores baseados no princípio do modelo interno cassiano@ieee.org 1 Objetivos da aula Projeto de um controlador PID para o controle da tensão de saída de um inversor

Leia mais

UTILIZANDO O LABVIEW EM UMA EXPERIÊNCIA DE MINI SISTEMA DE ENERGIA POSSIBILITANDO ACESSO REMOTO.

UTILIZANDO O LABVIEW EM UMA EXPERIÊNCIA DE MINI SISTEMA DE ENERGIA POSSIBILITANDO ACESSO REMOTO. UTILIZANDO O LABVIEW EM UMA EXPERIÊNCIA DE MINI SISTEMA DE ENERGIA POSSIBILITANDO ACESSO REMOTO. Vinícius José Santos Lopes vinicius.lopes@poli.usp.br Departamento de Eng. de Energia e Automação Elétricas

Leia mais

Um Estudo da Aplicação do Relé de Taxa de Variação de Frequência para Detecção de Ilhamento de Geração Distribuída *

Um Estudo da Aplicação do Relé de Taxa de Variação de Frequência para Detecção de Ilhamento de Geração Distribuída * Um Estudo da Aplicação do Relé de Taxa de Variação de Frequência para Detecção de Ilhamento de Geração Distribuída * Rafael Brenner Sousa Campos, Sérgio Garcia Oliveira, Igor Kopcak, Wander Gonçalves da

Leia mais

Substações MT/BT Teoria e exemplos de cálculo das correntes de curto circuito trifásicas

Substações MT/BT Teoria e exemplos de cálculo das correntes de curto circuito trifásicas Substações MT/BT Teoria e exemplos de cálculo das correntes de curto circuito trifásicas Filippe Pereira Dolgoff Engenheiro de Aplicação Produtos e Sistema de Baixa Tensão ABB 1 INTRODUÇÃO Um sistema elétrico

Leia mais

O ambiente de simulação final para eletrônica de potência e acionamentos de motores

O ambiente de simulação final para eletrônica de potência e acionamentos de motores O ambiente de simulação final para eletrônica de potência e acionamentos de motores DESEMPENHO EXCEPCIONAL Rapidez na simulação Intuitivo e fácil de usar Biblioteca de acionamentos de motores Simulação

Leia mais

Medidas de mitigação de harmônicos

Medidas de mitigação de harmônicos 38 Apoio Harmônicos provocados por eletroeletrônicos Capítulo XII Medidas de mitigação de harmônicos Igor Amariz Pires* A maneira mais comum de mitigar harmônicos é por meio da utilização de filtros. O

Leia mais

Análise de Sistemas Elétricos de Potência 1

Análise de Sistemas Elétricos de Potência 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Análise de Sistemas Elétricos de Potência 1 A ula 0 2 : Vi s ã o Geral do S i s tema E l é trico de P otência P r o f. F l á v i o V a n d e r s o n G o m e s E - m

Leia mais

Introdução à Engenharia Elétrica Planejamento da Operação e Controle de Sistemas de Energia

Introdução à Engenharia Elétrica Planejamento da Operação e Controle de Sistemas de Energia Introdução à Engenharia Elétrica Planejamento da Operação e Controle de Sistemas de Energia Prof. Marcelo A. Tomim marcelo.tomim@ufjf.edu.br Sistemas Elétricos de Energia Conjunto de equipamentos que transformam

Leia mais

Análise de uma rede Smart Grid usando a norma IEC 61850 e dados de medições

Análise de uma rede Smart Grid usando a norma IEC 61850 e dados de medições Análise de uma rede Smart Grid usando a norma IEC 61850 e dados de medições Fernando Petenel e Cristiano Panazio Resumo Este artigo apresenta uma análise de uma rede Smart Grid baseada na norma IEC 61850

Leia mais

IEC 61850 HardFiber Process Bus BRICK

IEC 61850 HardFiber Process Bus BRICK Digital Energy IEC 61850 HardFiber Process Bus BRICK Licinio Ribeiro de Miranda GE Digital Energy Engenheiro de Aplicações América Latina GE Digital Energy GE Energy The The GE GE Smart Smart Grid Grid

Leia mais

Regulador de Tensão e Geração Distribuída em uma Implementação de Fluxo de Potência a Três e a Quatro Fios

Regulador de Tensão e Geração Distribuída em uma Implementação de Fluxo de Potência a Três e a Quatro Fios Regulador de Tensão e Geração Distribuída em uma Implementação de Fluxo de Potência a Três e a Quatro Fios R. M. de Carvalho A. C. B. Alves H. Longo Resumo À medida que cresce uma rede de distribuição,

Leia mais

RESULTADOS PARCIAIS DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE CONVERSOR CC-CC PARA APLICAÇÃO EM PAINÉIS FOTOVOLTAICOS

RESULTADOS PARCIAIS DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE CONVERSOR CC-CC PARA APLICAÇÃO EM PAINÉIS FOTOVOLTAICOS RESULTADOS PARCIAIS DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE CONVERSOR CC-CC PARA APLICAÇÃO EM PAINÉIS FOTOVOLTAICOS Autores: Felipe JUNG, Tiago DEQUIGIOVANI, Jessé de PELEGRIN, Marcos FIORIN Identificação autores:

Leia mais

Esquema de Rejeição de Cargas Flexível e de Alta Velocidade Usando Crosspoint Switches

Esquema de Rejeição de Cargas Flexível e de Alta Velocidade Usando Crosspoint Switches Esquema de Rejeição de Cargas Flexível e de Alta Velocidade Usando Crosspoint Switches Will Allen e Tony Lee, Schweitzer Engineering Laboratories Resumo Os sistemas de rejeição de cargas industriais devem

Leia mais

Avaliação do Impacto da Compensação Série na Proteção de Distância de Linhas de Transmissão Usando Estimação de Fasores

Avaliação do Impacto da Compensação Série na Proteção de Distância de Linhas de Transmissão Usando Estimação de Fasores 1 Avaliação do Impacto da Compensação Série na Proteção de Distância de Linhas de Transmissão Usando Estimação de Fasores Dêdison. S. Moura, Fernando. A. Moreira, Member, IEEE, Kleber. M. Silva, Member,

Leia mais

Tecnologias para o sistema Elétrico do Futuro: Smart Grid. Marco Amorim Gerente de Negócios para o segmento de Energia National Instruments

Tecnologias para o sistema Elétrico do Futuro: Smart Grid. Marco Amorim Gerente de Negócios para o segmento de Energia National Instruments Tecnologias para o sistema Elétrico do Futuro: Smart Grid Marco Amorim Gerente de Negócios para o segmento de Energia National Instruments #1 Geração, Transmissão e Distribuição de Eletricidade Complexidade

Leia mais

UNITROL 1000 Regulador compacto de tensão para máquinas síncronas menores UNITROL 1000-15 e UNITROL 1000-40

UNITROL 1000 Regulador compacto de tensão para máquinas síncronas menores UNITROL 1000-15 e UNITROL 1000-40 UNITROL 1000 Regulador compacto de tensão para máquinas síncronas menores UNITROL 1000-15 e UNITROL 1000-40 Copyright 2000 Photodisc, Inc. 5812-01 A ampla gama de aplicações do UNITROL 1000-15 O UNITROL

Leia mais

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação. Seminário Interno de Preparação para a Bienal 2008

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação. Seminário Interno de Preparação para a Bienal 2008 Cigré/Brasil CE B5 Proteção e Automação Seminário Interno de Preparação para a Bienal 2008 Rio de Janeiro, 26-27 de junho de 2008 Dados do Artigo Número: B5-109 Título: Functional and Interoperability

Leia mais

Qualidade e Eficiência Energética

Qualidade e Eficiência Energética Fabio Balesteros, Engenharia de Aplicação, 2010 Qualidade e Eficiência Energética September 2, 2010 Slide 1 Introdução A cada dia aumenta-se a preocupação com a produtividade dos sistemas elétricos. Economia

Leia mais

Operação Dinâmica de Bancos de Capacitores com Eliminação de Correntes de Inrush

Operação Dinâmica de Bancos de Capacitores com Eliminação de Correntes de Inrush Operação Dinâmica de Bancos de Capacitores com Eliminação de Correntes de Inrush Sidelmo M. Silva CEFET-MG Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais. Av. Amazonas, 7675. Nova Gameleira. Belo

Leia mais

TOSHIBA INFRAESTRUTURA AMÉRICA DO SUL. Rafaele D. Nicolotti Abril, 2014

TOSHIBA INFRAESTRUTURA AMÉRICA DO SUL. Rafaele D. Nicolotti Abril, 2014 TOSHIBA INFRAESTRUTURA AMÉRICA DO SUL Rafaele D. Nicolotti Abril, 2014 TOSHIBA CORPORATION Fundada em Tóquio, em 1875 Nr. de funcionários: 206.087 Áreas de atuação: - Infraestrutura e energia - Médica

Leia mais

Fatores limítrofes, arranjos e aterramento de geradores

Fatores limítrofes, arranjos e aterramento de geradores 22 Capítulo I Fatores limítrofes, arranjos e aterramento de geradores Por Geraldo Rocha e Paulo Lima* Novo! As retiradas de geradores do sistema de potência devido a curto-circuitos, operação anormal ou

Leia mais

SIMULADOR DE SISTEMAS DE PROTEÇÃO, CONTROLE E SUPERVISÃO: UMA FERRAMENTA PARA CAPACITAÇÃO DA OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO.

SIMULADOR DE SISTEMAS DE PROTEÇÃO, CONTROLE E SUPERVISÃO: UMA FERRAMENTA PARA CAPACITAÇÃO DA OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO. SIMULADOR DE SISTEMAS DE PROTEÇÃO, CONTROLE E SUPERVISÃO: UMA FERRAMENTA PARA CAPACITAÇÃO DA OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO. J. A. P. MOUTINHO Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A ELETRONORTE Brasil RESUMO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA E CONDIÇÕES GERAIS

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA E CONDIÇÕES GERAIS CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 04 6. PROCEDIMENTOS 08 7. ALTERAÇÕES 09 8. ANEXOS 09 Elaboração: Anderson Muniz Data: 04/10/2011.

Leia mais

A Solução de Problemas com Harmônicos em um Cliente Industrial: Uma Cooperação entre Concessionária e Consumidor

A Solução de Problemas com Harmônicos em um Cliente Industrial: Uma Cooperação entre Concessionária e Consumidor 1 A Solução de Problemas com Harmônicos em um Cliente Industrial: Uma Cooperação entre Concessionária e Consumidor Flávio R. Garcia(*), Tércio dos Santos e Alexandre C. Naves SADEFEM S/A Ernesto A. Mertens,

Leia mais

Condicionamento da Energia Solar Fotovoltaica para Sistemas Interligados à Rede Elétrica

Condicionamento da Energia Solar Fotovoltaica para Sistemas Interligados à Rede Elétrica Condicionamento da Energia Solar Fotovoltaica para Sistemas Interligados à Rede Elétrica Autor: Pedro Machado de Almeida O aproveitamento da energia gerada pelo sol, considerada inesgotável na escala de

Leia mais

Efeito de Filtro Capacitivo na redução de ruídos e artefatos. harmônicos na rede elétrica

Efeito de Filtro Capacitivo na redução de ruídos e artefatos. harmônicos na rede elétrica Efeito de Filtro Capacitivo na redução de ruídos e artefatos harmônicos na rede elétrica Prof. Dr. Ernane José Xavier Costa; Eng o. MSc. Aldo Ivan Céspedes Arce; Eng a. Luciana Vieira Piza LAFAC- Laboratório

Leia mais

Automação de Subestações

Automação de Subestações Automação de Subestações Geração Distribuição Transmissão Indústria Produtos e Serviços: Merging Units Gateway DNP -IEC 61850 Projeto, Integração, TAF, TAC Montagem de Painéis Configuração de Sistemas

Leia mais

Estudos e Consultorias Estudos de Sistemas Elétricos de Potência e Consultorias. Eng. Leandro Mascher, BRPSYS-5000084401-R1

Estudos e Consultorias Estudos de Sistemas Elétricos de Potência e Consultorias. Eng. Leandro Mascher, BRPSYS-5000084401-R1 Estudos e Consultorias Estudos de Sistemas Elétricos de Potência e Consultorias Eng. Leandro Mascher, BRPSYS-5000084401-R1 A Empresa A PSYS Consultoria em Engenharia e Sistemas Ltda. surgiu do desejo de

Leia mais

ATPDRAW APLICADO À ANÁLISE BÁSICA DE CIRCUITOS ELÉTRICOS UM PREPARO PARA A PÓS-GRADUAÇÃO

ATPDRAW APLICADO À ANÁLISE BÁSICA DE CIRCUITOS ELÉTRICOS UM PREPARO PARA A PÓS-GRADUAÇÃO ATPDRAW APLICADO À ANÁLISE BÁSICA DE CIRCUITOS ELÉTRICOS UM PREPARO PARA A PÓS-GRADUAÇÃO Eduardo Contar econtar@gmail.com Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Departamento de Engenharia Elétrica

Leia mais

Inversor Solar Conectado à Rede Inversor Solar Fotovoltaico HIVERTER - Série NP201i

Inversor Solar Conectado à Rede Inversor Solar Fotovoltaico HIVERTER - Série NP201i Inversor Solar Fotovoltaico HIVERTER - Série NP201i HIVERTER - Série NP201i Os Inversores Fotovoltaicos da Hitachi são do tipo Grid-Tied (GT Conectados à Rede) com controle reativo de potência e alta eficiência,

Leia mais

Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração HYMV05

Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração HYMV05 Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração Revisão 1 Mai2005 O é um sistema inteligente de Monitoramento, Aquisição de Dados e Supervisão Local para utilização com os softwares da linha Dynamic.

Leia mais

Tópicos. 1. Conceitos Gerais de Smart Grids. 2. Evolução das Redes Inteligentes e Resultados (PDRI) 3. Enerq em Smart Grids

Tópicos. 1. Conceitos Gerais de Smart Grids. 2. Evolução das Redes Inteligentes e Resultados (PDRI) 3. Enerq em Smart Grids IEEE Workshop SMART GRID - Trends & Best Practices Smart Grid no Contexto da Geração e Distribuição 18/10/2013 NAPREI Núcleo de Pesquisas em Redes Elétricas Inteligentes enerq Centro de Estudos em Regulação

Leia mais

2. Energia Eólica em uma Empresa e sua Viabilização

2. Energia Eólica em uma Empresa e sua Viabilização 2. Energia Eólica em uma Empresa e sua Viabilização 2.1. Definições Para utilização de conversores de energia eólica numa empresa, a avaliação exata da vida útil de seus componentes estruturais e de todo

Leia mais

Objetivo. 0 Conceitos. 0 Funcionalidades. 0 Desafios. 0 Experiências de Implantação

Objetivo. 0 Conceitos. 0 Funcionalidades. 0 Desafios. 0 Experiências de Implantação Objetivo 0 Conceitos 0 Funcionalidades 0 Desafios 0 Experiências de Implantação Smart Grid Conceitos 0 NÃO é só Medição Eletrônica e Telecom!! 0 Envolve conhecimentos sobre: 0 Tecnologia, Padrões, Normas

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Avaliação do Sistema de Transformação em Subestações e Painéis de Média Tensão - Operação, Manutenção e Ensaios Eng. Marcelo Paulino Subestações

Leia mais

Integração de Tecnologias para Viabilização da Smart Grid

Integração de Tecnologias para Viabilização da Smart Grid 1 Integração de Tecnologias para Viabilização da Smart Grid Djalma M. Falcão, Fellow, IEEE Resumo A expressão Smart Grid deve ser entendida mais como um conceito do que uma tecnologia ou equipamento específico.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM CENTRO DE TECNOLOGIA CT GRUPO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA E CONTROLE - GEPOC SEPOC 2010

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM CENTRO DE TECNOLOGIA CT GRUPO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA E CONTROLE - GEPOC SEPOC 2010 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM CENTRO DE TECNOLOGIA CT GRUPO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA E CONTROLE - GEPOC SEPOC 2010 FILTRO ATIVO DE POTÊNCIA SÉRIE PARALELO APRESENTADOR: MÁRCIO STEFANELLO,

Leia mais

Desafios de engenharia em energia. André Pereira Gerente de Marketing Técnico

Desafios de engenharia em energia. André Pereira Gerente de Marketing Técnico Desafios de engenharia em energia André Pereira Gerente de Marketing Técnico Desafios de engenharia em energia... Geração Transmissão Consumo Tornar a produção de energia renovável eficiente Tornar as

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM CENTRO DE TECNOLOGIA CT GRUPO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA E CONTROLE - GEPOC SEPOC 2010

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM CENTRO DE TECNOLOGIA CT GRUPO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA E CONTROLE - GEPOC SEPOC 2010 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM CENTRO DE TECNOLOGIA CT GRUPO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA E CONTROLE - GEPOC SEPOC 2010 UPS Fontes Ininterruptas de Energia APRESENTADOR: LEANDRO ROGGIA, ME. ORIENTADOR:

Leia mais

Simplifique a complexidade do sistema

Simplifique a complexidade do sistema 1 2 Simplifique a complexidade do sistema Com o novo controlador de alto desempenho CompactRIO Rodrigo Schneiater Engenheiro de Vendas National Instruments Leonardo Lemes Engenheiro de Sistemas National

Leia mais

Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada

Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada XI SIMPÓSIO DE AUTOMAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS 16 a 19 de Agosto de 2015 CAMPINAS - SP Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada Paulo Antunes Souza Wagner Hokama

Leia mais

Os Diferentes tipos de No-Breaks

Os Diferentes tipos de No-Breaks Os Diferentes tipos de No-Breaks White Paper # 1 Revisão 4 Resumo Executivo Existe muita confusão no mercado a respeito dos diferentes tipos de No-Breaks e suas características. Cada um desses tipos será

Leia mais

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GPC.YY 22 a 25 Novembro de 2009 Recife - PE GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO, CONTROLE E AUTOMAÇÃO EM SISTEMAS DE

Leia mais

Utilização de Circuitos Elétricos Equivalentes na Avaliação das Condições de Estabilidade de Tensão

Utilização de Circuitos Elétricos Equivalentes na Avaliação das Condições de Estabilidade de Tensão Laura Cristina Paniagua Palacio Utilização de Circuitos Elétricos Equivalentes na Avaliação das Condições de Estabilidade de Tensão Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial

Leia mais

ANÁLISE DA QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA EM CONVERSORES DE FREQUENCIA

ANÁLISE DA QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA EM CONVERSORES DE FREQUENCIA ANÁLISE DA QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA EM CONVERSORES DE FREQUENCIA Nome dos autores: Halison Helder Falcão Lopes 1 ; Sergio Manuel Rivera Sanhueza 2 ; 1 Aluno do Curso de Engenharia Elétrica; Campus

Leia mais

PRINCIPAIS CONSTATAÇÕES

PRINCIPAIS CONSTATAÇÕES PRINCIPAIS CONSTATAÇÕES GRUPO DE ESTUDOS DE GERAÇÃO HIDRÁULICA GGH É necessário o aprofundamento dos estudos para o uso de unidades geradoras hidráulicas que permitam a otimização do uso da água Geradores

Leia mais

S G O R T A FRAMEWORK TO SUPPORT SMART GRID SOLUTIONS WITH UBIQUITOUS AND AUTONOMIC FEATURES ECDU. INF 621 - Seminários Científicos II

S G O R T A FRAMEWORK TO SUPPORT SMART GRID SOLUTIONS WITH UBIQUITOUS AND AUTONOMIC FEATURES ECDU. INF 621 - Seminários Científicos II A FRAMEWORK TO SUPPORT SMART GRID SOLUTIONS WITH UBIQUITOUS AND AUTONOMIC FEATURES Aluno: Me. Flávio Galvão Calhau Orientador: Dr. Romildo Bezerra S G O R T ECDU INF 621 - Seminários Científicos II Um

Leia mais

5 Controle de Tensão em Redes Elétricas

5 Controle de Tensão em Redes Elétricas 5 Controle de Tensão em Redes Elétricas 5.1 Introdução O objetivo principal de um sistema elétrico de potência é transmitir potência dos geradores para as cargas e esta responsabilidade é dos agentes que

Leia mais

10 Referências bibliográficas

10 Referências bibliográficas 10 Referências bibliográficas [1] VEGA, J.L.L. Avaliação e reforço das condições de estabilidade de tensão em barras de tensão controlada por geradores e compensadores síncronos. 259f. Tese (Doutorado)-

Leia mais

O Papel dos Sistemas Integrados de Gerenciamento de Distribuição nas Implementações do Smart Grid. Brasil & Austrália

O Papel dos Sistemas Integrados de Gerenciamento de Distribuição nas Implementações do Smart Grid. Brasil & Austrália O Papel dos Sistemas Integrados de Gerenciamento de Distribuição nas Implementações do Smart Grid HERING, Ricardo (1), BOARDMAN, Eathan (2) AREVA T&D de Energia Ltda. ULPH, Ian IRU Consulting Pty. Ltd.

Leia mais

Action₀EMS Power System Simulator

Action₀EMS Power System Simulator SCLN 212, Bloco D, Sala 101 Brasília DF CEP: 70.865-540 fone: +55 61 3340-8486 contato@spinengenharia.com.br www.spinengenharia.com.br Action₀EMS Power System Simulator Descrição Funcional 00101.01 Action₀EMS

Leia mais

Dimensionamento e Engenharia de Tráfego: Optimização de Redes de Telecomunicações

Dimensionamento e Engenharia de Tráfego: Optimização de Redes de Telecomunicações Dimensionamento e Engenharia de Tráfego: Optimização de Redes de Telecomunicações Prof. Amaro F. de Sousa asou@ua.pt, DETI-UA, gab.325 23 de Abril de 2008 Objectivos Desenvolvimento e implementação de

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE PRODUTOS. Painéis de controle Controladores eletrônicos para grupos geradores

APRESENTAÇÃO DE PRODUTOS. Painéis de controle Controladores eletrônicos para grupos geradores APRESENTAÇÃO DE PRODUTOS Painéis de controle Controladores eletrônicos para grupos geradores APLICAÇÕES AMF Automatic Mains Failure em caso de falhas de alimentação da rede (Grupo gerador individual) ATS

Leia mais

ESTUDO SOBRE CONTROLE DE MOTORES DE INDUÇÃO TRIFÁSICOS

ESTUDO SOBRE CONTROLE DE MOTORES DE INDUÇÃO TRIFÁSICOS ESTUDO SOBRE CONTROLE DE MOTORES DE INDUÇÃO TRIFÁSICOS Autores : Marina PADILHA, Tiago DEQUIGIOVANI. Identificação autores: Engenharia de Controle e Automação - Bolsista Interno; Orientador IFC - Campus

Leia mais

II. IMPACTO DA SUPORTABILIDADE DE GERADORES SÍNCRONOS

II. IMPACTO DA SUPORTABILIDADE DE GERADORES SÍNCRONOS 1 Impactos da Suportabilidade de Geradores Síncronos Distribuídos a Afundamentos de Tensão na Proteção de Sobrecorrente e Anti-ilhamento Rafael S. Silva, Fernanda C. L. Trindade, Walmir Freitas Resumo--Este

Leia mais

Capítulo IX. Exemplos de automação em sistemas de supervisão e controle de subestações e redes de distribuição. Automação de subestações

Capítulo IX. Exemplos de automação em sistemas de supervisão e controle de subestações e redes de distribuição. Automação de subestações 54 Capítulo IX Exemplos de automação em sistemas de supervisão e controle de subestações e redes de distribuição A operação do sistema elétrico de potência é extremante dependente das informações de estados,

Leia mais

Controle e Estabilidade de Sistemas Elétricos de Potência. Antonio J.A. Simões Costa e Aguinaldo S. e Silva

Controle e Estabilidade de Sistemas Elétricos de Potência. Antonio J.A. Simões Costa e Aguinaldo S. e Silva Controle e Estabilidade de Sistemas Elétricos de Potência Antonio J.A. Simões Costa e Aguinaldo S. e Silva Florianópolis, agosto de 2000 Capítulo 1 Introdução 1.1 Controle de Freqüência e Tensão na Operação

Leia mais

on-line para transformadores de potência baseados em uma arquitetura descentralizada Por Marcos E. G. Alves e Vagner Vasconcellos*

on-line para transformadores de potência baseados em uma arquitetura descentralizada Por Marcos E. G. Alves e Vagner Vasconcellos* Aula Prática 114 O Setor Elétrico / Setembro de 2009 Especificação de sistemas de monitoração on-line para transformadores de potência baseados em uma arquitetura descentralizada Por Marcos E. G. Alves

Leia mais

SYNCHROTACT 5. Sistemas e equipamentos de sincronização e paralelismo para redes e máquinas síncronas

SYNCHROTACT 5. Sistemas e equipamentos de sincronização e paralelismo para redes e máquinas síncronas SYNCHROTACT 5 Sistemas e equipamentos de sincronização e paralelismo para redes e máquinas síncronas Aplicação SYNCHROTACT 5 é a quinta geração dos equipamentos para sincronização produzidos pela ABB Switzerland

Leia mais

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina A 1ª Cidade Inteligente da América Latina Imagine... gerar somente a energia que precisamos em nossas casas através de fontes renováveis... saber o consumo de energia de cada aparelho elétrico conectado

Leia mais

Relatório Iniciação Científica

Relatório Iniciação Científica Relatório Iniciação Científica Ambientes Para Ensaios Computacionais no Ensino de Neurocomputação e Reconhecimento de Padrões Bolsa: Programa Ensinar com Pesquisa-Pró-Reitoria de Graduação Departamento:

Leia mais

De: Luis Alberto Katz Data: Janeiro 17 2007 Número: PA1906

De: Luis Alberto Katz Data: Janeiro 17 2007 Número: PA1906 ANÚNCIO DE PRODUTO De: Luis Alberto Katz Data: Janeiro 17 2007 Número: PA1906 Fluke 345 Alicate de medição de qualidade de energia Apresentamos o alicate de medição de qualidade de energia mais avançado

Leia mais

O Simulador de Sistemas de transmissão em Corrente Contínua (SSCC) do ONS

O Simulador de Sistemas de transmissão em Corrente Contínua (SSCC) do ONS O Simulador de Sistemas de transmissão em Corrente Contínua (SSCC) do ONS Rio de Janeiro, 21 de outubro de 2015 ONS Operador Nacional do Sistema Elétrico TÓPICOS 1. Introdução 2. Escopo dos estudos do

Leia mais

PAPER 2/6 PAPER-251-16032010.DOC 2 / 6

PAPER 2/6 PAPER-251-16032010.DOC 2 / 6 PAPER 1/6 Title Otimização do Sistema de Distribuição Subterrãneo Reticulado da Cidade de São Paulo Registration Nº: (Abstract) 251 Company Sinapsis Inovação em Energia / Universidade de São Paulo / AES

Leia mais

Redes Convergentes no Cenário da IEC-61850. Brasil

Redes Convergentes no Cenário da IEC-61850. Brasil Redes Convergentes no Cenário da IEC-61850 O. J. M. da MOTTA e C.A. CORDEIRO FURNAS M. G. CASTELLO BRANCO* e C. H. R. de OLIVEIRA CPqD Brasil RESUMO Neste trabalho, os autores propõem uma abordagem dos

Leia mais

6 Redes Elétricas Inteligentes

6 Redes Elétricas Inteligentes 6 Redes Elétricas Inteligentes Neste item, serão apresentadas pesquisas desenvolvidas em programas da Coppe/UFRJ sobre a temática redes elétricas inteligentes. Alguns resultados parciais desta linha temática

Leia mais

PARALELISMO DE SISTEMAS INDUSTRIAIS AUTOGERADORES E REDE PÚBLICA: ASPECTOS TÉCNICOS DA INTEGRAÇÃO DOS SISTEMAS E PERSPECTIVAS FUTURAS

PARALELISMO DE SISTEMAS INDUSTRIAIS AUTOGERADORES E REDE PÚBLICA: ASPECTOS TÉCNICOS DA INTEGRAÇÃO DOS SISTEMAS E PERSPECTIVAS FUTURAS PARALELISMO DE SISTEMAS INDUSTRIAIS AUTOGERADORES E REDE PÚBLICA: ASPECTOS TÉCNICOS DA INTEGRAÇÃO DOS SISTEMAS E PERSPECTIVAS FUTURAS Alexandre Vasconcellos FIGENER S/A Engenheiros Associados Av. Paulista,

Leia mais

For-All - Uma Plataforma para Sistemas Pervasivos Orientados a Serviço

For-All - Uma Plataforma para Sistemas Pervasivos Orientados a Serviço For-All - Uma Plataforma para Sistemas Pervasivos Orientados a Serviço Elenilson Vieira da S. Filho 1, Ângelo L. Vidal de Negreiros 1, Alisson V. Brito 2 1 Departamento de Informática Universidade Federal

Leia mais

Disciplina: Eletrônica de Potência (ENGC48)

Disciplina: Eletrônica de Potência (ENGC48) Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina: Eletrônica de Potência (ENGC48) Tema: Conversores CA-CC Monofásicos Controlados Prof.: Eduardo Simas eduardo.simas@ufba.br

Leia mais

Investimento: R$ 2.200,00 (dois mil e duzentos) por participante. Investimento: R$ 2.200,00 (dois mil e duzentos) por participante

Investimento: R$ 2.200,00 (dois mil e duzentos) por participante. Investimento: R$ 2.200,00 (dois mil e duzentos) por participante CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SISTEMAS ELÉTRICOS - CESE - ÊNFASE GERAÇÃO 2013 - www.cese.unifei.edu.br CALENDÁRIO CESE GERAÇÃO 1 MÉTODOS COMPUTACIONAIS APLICADOS A SISTEMAS ELÉTRICOS 11/03/13 a 15/03/13 2

Leia mais

Disciplina Eletrônica de Potência (ENGC48) Tema: Conversores de Corrente Contínua para Corrente Alternada (Inversores)

Disciplina Eletrônica de Potência (ENGC48) Tema: Conversores de Corrente Contínua para Corrente Alternada (Inversores) Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina Eletrônica de Potência (ENGC48) Tema: Conversores de Corrente Contínua para Corrente Alternada (Inversores)

Leia mais

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br Série Connect Switches e Conversores Industriais www.altus.com.br Conectividade e simplicidade Compacto: design robusto e eficiente para qualquer aplicação Intuitivo: instalação simplificada que possibilita

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Laboratório de Máquinas Especiais

Universidade Federal de Goiás Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Laboratório de Máquinas Especiais Aspectos Relacionados ao Acionamento e Controle de Velocidade de um Motor Linear a Relutância Variável. MARIANO, Rodrigo Leandro; SANTOS, Euler Bueno. Universidade Federal de Goiás Escola de Engenharia

Leia mais

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro Introdução às Redes de Computadores Por José Luís Carneiro Portes de computadores Grande Porte Super Computadores e Mainframes Médio Porte Super Minicomputadores e Minicomputadores Pequeno Porte Super

Leia mais

Controle de Conversores Estáticos Controle de um conversor boost CCM para correção do FP. Prof. Cassiano Rech cassiano@ieee.org

Controle de Conversores Estáticos Controle de um conversor boost CCM para correção do FP. Prof. Cassiano Rech cassiano@ieee.org Controle de Conversores Estáticos Controle de um conversor boost CCM para correção do FP cassiano@ieee.org 1 Operação como PFP Como a freqüência de comutação do interruptor S é muito maior que a freqüência

Leia mais

Análise de Desempenho de um SGBD para Aglomerado de Computadores

Análise de Desempenho de um SGBD para Aglomerado de Computadores Análise de Desempenho de um SGBD para Aglomerado de Computadores Diego Luís Kreutz, Gabriela Jacques da Silva, Hélio Antônio Miranda da Silva, João Carlos Damasceno Lima Curso de Ciência da Computação

Leia mais

2 - SISTEMA POWER DONUT MEDIÇÃO DA TEMPERATURA DE CABO AÉREO

2 - SISTEMA POWER DONUT MEDIÇÃO DA TEMPERATURA DE CABO AÉREO GLT/004 21 a 26 de Outubro de 2001 Campinas - São Paulo - Brasil GRUPO III GRUPO DE ESTUDOS DE LINHAS DE TRANSMISSÃO Aplicação de Tecnologias de Monitoramento em Tempo Real para Aumentar a Capacidade de

Leia mais

Sistema de Supervisão da Rede de Baixa Tensão e Ramais de Média Tensão da Coelce. Avilez Batista de Oliveira Lima Coelce Companhia Energética do Ceará

Sistema de Supervisão da Rede de Baixa Tensão e Ramais de Média Tensão da Coelce. Avilez Batista de Oliveira Lima Coelce Companhia Energética do Ceará XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Sistema de Supervisão da Rede de Baixa Tensão e Ramais de Média Tensão da Coelce

Leia mais

Aplicação de Filtros Adaptativos em Compensadores Ativos Híbridos (HAVarC) em Sistemas Distorcidos e Desequilibrados

Aplicação de Filtros Adaptativos em Compensadores Ativos Híbridos (HAVarC) em Sistemas Distorcidos e Desequilibrados Aplicação de Filtros Adaptativos em Compensadores Ativos Híbridos (HAVarC) em Sistemas Distorcidos e Desequilibrados S. C. Ferreira, R. B. Gonzatti, C. H. da Silva, L. E. B. da Silva, G. Lambert-Torres,

Leia mais

FAdC Frauscher Advanced Counter

FAdC Frauscher Advanced Counter FAdC Frauscher Advanced Counter PT FAdC FRAUSCHER Advanced Counter A detecção de via livre do futuro O Frauscher Advanced Counter (FAdC) é a mais nova geração de sistemas de contagem de eixos com base

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Soluções em Energia Solar

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Soluções em Energia Solar Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas www.weg.net Tecnologia para minimizar o consumo das indústrias. Sustentabilidade para maximizar a qualidade de vida das pessoas. O sol é uma

Leia mais

Relés de Proteção Térmica Simotemp

Relés de Proteção Térmica Simotemp Relés de Proteção Térmica Simotemp Confiabilidade e precisão para controle e proteção de transformadores Answers for energy. A temperatura é o principal fator de envelhecimento do transformador Os relés

Leia mais

DIRETORIA DE OPERAÇÃO - DO

DIRETORIA DE OPERAÇÃO - DO ANEXO II ESPECIFICAÇÕES PARA UCD / CONCENTRADOR DE DADOS A2. Unidade Controle Digital Remota / Concentrador de Dados 2.1. Introdução Esta seção tem a finalidade de especificar tecnicamente a Unidade de

Leia mais

IX Seminário Técnico de Proteção e Controle. 1 o a 5 de Junho de 2008. Belo Horizonte Minas Gerais Brasil

IX Seminário Técnico de Proteção e Controle. 1 o a 5 de Junho de 2008. Belo Horizonte Minas Gerais Brasil IX Seminário Técnico de Proteção e Controle 1 o a 5 de Junho de 2008 Belo Horizonte Minas Gerais Brasil Testes de Performance em IED s através de ensaios utilizando mensagens GOOSE (IEC61850) Paulo Sérgio

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO X SOBRETENSÕES E COORDENAÇÃO DE ISOLAMENTO (GSC)

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO X SOBRETENSÕES E COORDENAÇÃO DE ISOLAMENTO (GSC) SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GSC 04 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO X SOBRETENSÕES E COORDENAÇÃO DE ISOLAMENTO (GSC) EXPERIÊNCIA DA CEMIG NA

Leia mais