ÍNDICE. Aplicativos TOTVS Smart Analytics. Comercial. Controladoria. Financeiro. Materiais. Produção. Recursos Humanos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ÍNDICE. Aplicativos TOTVS Smart Analytics. Comercial. Controladoria. Financeiro. Materiais. Produção. Recursos Humanos"

Transcrição

1

2 ÍNDICE Aplicativos TOTVS Smart Analytics 03 Controladoria 07 Financeiro 10 Materiais 11 Produção 15 Recursos Humanos 18

3 App Avaliação de Crédito Vl Limite Crédito Vl Limite Crédito Disponível Indica o valor total do limite de crédito cedido ao cliente. Indica o saldo do crédito disponível para o cliente considerando o valor total do limite cedido menos o valor do crédito em uso. Carteira de Vendas Vl Carteira Qtde Entregas Carteira sem Atraso Qtde Entregas Carteira em Atraso Qtde Entregas Carteira Dias sem Atraso Carteira Dias Atraso Carteira Média de Atrasos Carteira Indica o valor da carteira de vendas, ou seja, o valor das vendas que ainda não foram faturadas. Este valor diz respeito às movimentações dos pedidos. Indica a quantidade de entregas em carteira que estão em dia, ou seja, a previsão de entrega não foi ultrapassada. Indica a quantidade de entregas em carteira que estão em atraso. Indica a quantidade total de entregas em carteira. Indica o número de dias que restam para efetuar a entrega em dia, ou seja, os dias decorridos entre a data programada para entrega no pedido e a data da extração. Indica o número de dias em atraso, ou seja, o número de dias decorridos entre a data de extração e a data programada para entrega no pedido. Indica a média de atrasos, em dias, das entregas em carteira. Para uma boa performance, esta média deve tender a zero. Igual a 1 quando Data Entrega >= Data Extração, Senão 0 (zero) Igual a 1 quando Data Extração > Data Entrega, Senão 0 (zero) Qtde Entregas Carteira sem Atraso + Qtde Entregas Carteira em Atraso Quando a Data Entrega >= Data Extração, Data Entrega Data Extração, senão 0 (zero) Quando a Data Extração > Data Entrega, Data Extração Data Entrega, senão 0 (zero) Dias Atraso Carteira / Qtde Entregas Carteira em Atraso Cotas de Vendas % Variação Faturada % Variação Pedida Cotas Canceladas Pedidas Cotas Canceladas Faturadas Cotas Suspensas Cotas Reprovadas Cotas Previstas Cotas Realizadas Faturadas Cotas Realizadas Pedidas Vl Preço Médio Previsto Indica a variação, em percentual, da relação entre a cota realizada faturada e a cota prevista. Indica a variação, em percentual, da relação entre cota realizada pedida e a cota prevista. Indica a quantidade de cotas que foram canceladas pela empresa, com base nos pedidos de venda. Esta quantidade poderá ser: valor financeiro, quantidade na unidade de medida do item ou pontuação. Indica a quantidade de cotas que foram canceladas pela empresa, com base nas notas fiscais de saída. Esta quantidade poderá ser: valor financeiro, quantidade na unidade de medida do item ou pontuação. Indica a quantidade de cotas que foram suspensas pela empresa, com base nos pedidos de venda que foram suspensos. Esta quantidade poderá ser: valor financeiro, quantidade na unidade de medida do item ou pontuação. Indica a quantidade de cotas que foram reprovadas pela empresa, com base nos pedidos de venda com situação de crédito reprovado. Esta quantidade poderá ser: valor financeiro, quantidade na unidade de medida do item ou pontuação. Indica a quantidade de cotas que foram previstas pela empresa. Esta quantidade poderá ser: valor financeiro, quantidade na unidade de medida do item ou pontuação. Indica a quantidade de cotas que foram realizadas pela empresa, com base nas notas fiscais. Indica a quantidade de cotas que foram realizadas pela empresa, com base nos pedidos de venda. Indica o valor do preço médio de venda possibilitando valorizar as cotas, quando estas não forem controladas por valor financeiro. (Cotas Realizadas Faturadas / Cotas Previstas) 1 (Cotas Realizadas Pedidas / Cotas Previstas) 1 Devolução de Vendas % Desconto Devolução Qtde Devolvida Item Qtde Devolvida Família Qtde Devolvida Família Vl COFINS Devolução Vl Custo Devolução Vl Devolução Líquida Vl Devolução Mercadoria Vl Devolução Total Vl ICMS Subst Devolução Vl Desconto Devolução Vl INSS Devolução Vl ICMS Devolução Vl IPI Devolução Vl PIS Devolução Indica o percentual de desconto concedido na venda, estornado na devolução. Indica a quantidade de itens devolvidos na unidade de medida do item. Indica a quantidade de itens devolvidos na unidade de medida da família comercial. Indica a quantidade de itens devolvidos na unidade de medida da família material. Indica o valor referente ao imposto COFINS calculado para a devolução. Indica o valor do custo de devolução do item de acordo com a definição do tipo de custo que a empresa trabalha. Indica o valor líquido da devolução, não considerando os impostos e os descontos, se houver. Indica o valor líquido da devolução acrescido do valor do ICMS. Indica o valor dos itens que foram devolvidos. Indica o valor do ICMS de substituição calculado para a devolução. Indica o valor do desconto concedido no faturamento que está em devolução. Baseiase no valor da mercadoria que consta na Nota Fiscal de saída. Indica o valor do INSS calculado para a devolução. Indica o valor do ICMS calculado para a devolução. Indica o valor do IPI calculado para a devolução. Indica o valor do PIS calculado para o faturamento. Vl Desconto Devolução / Vl Devolução Mercadoria Entregas de Vendas % Variação Atrasos Médio no Ano % Variação Qtd Entregas Ocorridas no Ano % de variação entre a média de atrasos para o período de tempo apresentado no relatório ou dashboard e o mesmo período do ano anterior. % de variação entre a quantidade de entregas ocorridas no periodo apresentado no relatório ou dashboard em relação ao mesmo período do ano anterior. Média de Atrasos/Média de Atrasos [Ano ]1 Qtde Entregas Ocorridas/ Qtde Entregas Ocorridas [Ano ]1 03

4 App Entregas de Vendas Dias Antecipação Dias Atraso Lead Time Interno Qtde Entregas Únicas Qtde Entregas Ocorridas Qtde Entregas Ocorridas no Ano Qtde Entregas Atrasadas Qtde Entregas Antecipadas % Entregas sem Atraso % Entregas Únicas Média de Antecipações Qtde Entregas na Data Média de Atrasos Média de Atrasos no Ano Nr Entregas Lead Time Entrega Lead Time Emissão Implantação Lead Time Médio de Implantação Variação média dias de atraso no Ano Indica o número de dias ocorridos entre a data de saída da mercadoria e a data de entrega programada no pedido. Pode ser utilizada como base para o cálculo da média de dias de antecipação. Indica o número de dias ocorridos entre a data de entrega programada no pedido e a data de saída da mercadoria. Pode ser utilizada como base para o cálculo da média de dias de atraso. Indica o número de dias entre data de entrega programada no pedido e a data de saída da mercadoria. Um valor negativo indica atraso e um valor positivo antecipação. Zero significa entrega na data prevista. Indica a quantidade de entregas únicas realizadas. Entrega única é quando ocorre a entrega total do item de uma só vez, sem haver entregas parciais. Indica a quantidade de entregas ocorridas independente do número total das entregas do item. Por exemplo, quando o número de entregas do item for 3, a quantidade de entregas ocorridas será 1. Indica a quantidade de entregas ocorridas independente do número total das entregas do item. Por exemplo, quando o número de entregas do item for 3, a quantidade de entregas ocorridas será 1. Essa métrica é calculada para o mesmo período do ano anterior em relação ao escolhido nos filtros ou em relação às quebras do relatório. Indica a quantidade de entregas ocorridas com atraso. Indica a quantidade de entregas ocorridas de forma antecipada. Indica o percentual de entregas na data programada, sem atraso. Indica o percentual das entregas únicas. Mostra o percentual de vezes que a entrega ocorreu de forma única e não em partes. Quanto maior o percentual, menor os custos de transporte. É interessante analisar esta medida juntamente com o % Entregas Sem Atraso, pois apesar da empresa estar entregando os pedidos de uma só vez, poderá estar fazendo com atraso. Indica a média de antecipação das entregas em número de dias. Se esse for alto, indica que os prazos poderiam ser mais curtos, tornando a empresa mais competitiva. Indica a quantidade de entregas realizadas na data programada. Indica a média de atraso das entregas em número de dias. Indica a média de atraso das entregas em número de dias para o mesmo período do ano anterior em relação à referência no relatório. Indica o número total de entregas realizadas. Indica o número de dias entre a data de implantação do pedido e a data da última nota fiscal. Pode ser utilizada como base para o cálculo do lead time médio de entrega. Indica o número de dias considerados entre a data de emissão e a data de implantação do pedido. Pode ser usada como base para cálculo do lead time médio de implantação. Indica o tempo médio, em dias, entre a emissão e a implantação do pedido. Através deste será possível identificar o tempo de colocação do pedido de venda na empresa. Variação nominal entre a média de dias de atraso apresentado para o período selecionado no relatório ou dashboard e o mesmo período no ano anterior. Dias Antecipação Dias Atraso Igual a 1 quando Nr Entregas = 1 senão 0 (zero) Igual a 1 quando Nr Entregas >= 1 senão 0 (zero) Soma ((SELECT IF ((SELECT SUM (Nr Entregas) BY Número do Pedido de Venda [Entregas de Vendas],Item)) >= 1 THEN 1 ELSE 0 END)) FOR PREVIOUS (Year (DATA)) Igual a 1 quando Dias Atraso > 0 senão 0 (zero) Igual a 1 quando Dias Antecipação > 0 senão 0 (zero) (Qtde Entregas Ocorridas Qtde Entregas Atrasadas) / Qtde Entregas Ocorridas (Qtde Entregas Únicas / Qtde Entregas Ocorridas) (Dias Antecipação / Qtde Entregas Antecipadas) Qtde Entregas Ocorridas Qtde Entregas Atrasadas Qtde Entregas Antecipadas Dias Atraso / Qtde Entregas Atrasadas Média de Atrasos (Ano ) Lead Time Emissão Implantação / Nr Entregas Média de Atrasos Média de Atrasos (Ano ) Exportação Despesas Vl Despesa Direta Vl Despesa Indireta Vl Despesa Total Vl Taxa Financeira Vl Desconto Despesa % Desconto Despesa Indica o valor total das despesas diretas de exportação. Indica o valor total das despesas indiretas de exportação. Indica o valor total líquido das despesas de exportação. Indica o valor da taxa financeira aplicada nas despesas de exportação, quando elas existirem. Indica o valor desconto para as despesas de exportação. Indica o percentual de desconto para as despesas de exportação. Vl Despesa Direta + Vl Despesa Indireta Vl Desconto Despesa / Vl Despesa Total Exportação Faturamento Peso Líquido Peso Bruto Vl Unitário Líquido Vl Unitário Original Qtde Faturada Item Vl Total do Processo Vl Desconto Exportação Vl Despesa Direta Vl Despesa Indireta Indica o peso líquido (kg) informado na nota fiscal de saída. Indica o peso bruto (kg) informado na nota fiscal de saída. Indica o preço unitário líquido do item exportado que é formado pelo preço original menos os descontos. Indica o preço unitário original do item exportado. Indica a quantidade inserida na nota fiscal na unidade de medida do item. Indica o valor total da venda realizada no processo de exportação. Indica o valor do desconto concedido no processo de exportação. Indica o valor das despesas diretas que formam o preço de venda. Indica o valor das despesas indiretas que não contribuem para a formação do preço de venda. 04

5 App Exportação Faturamento Vl Despesa Total Vl Líquido do Processo Vl Despesa Extra Indica o valor total das despesas de exportação. Indica o valor líquido da venda realizada no processo de exportação. Indica o valor de despesas extras no processo de exportação. Vl Despesa Direta + Vl Despesa Indireta Exportação Lead Time Lead Time Previsão Lead Time Última Previsão Lead Time Efetivo Indica a quantidade de dias previsto para cumprir o trecho de controle selecionado. Indica a quantidade de dias da última previsão para cumprir o trecho de controle selecionado. Indica a quantidade efetiva de dias para cumprir o trecho de controle selecionado. Faturamento % Desconto Faturamento % Margem % Margem no Ano % Variação da % Margem no Ano % Variação Faturamento Total no Ano % Variação Previsão Vendas x Faturamento Peso Bruto Peso Líquido Qtde Faturada Família Qtde Faturada Família Qtde Faturada Item Qtde Prazo Duplicata Vl COFINS Faturamento Vl Comissão Faturamento Vl Custo Faturamento Vl Desconto Faturamento Vl Despesas Vl Faturamento Líquido Vl Faturamento Líquido Sem Devoluções Vl Faturamento Mercadoria Vl Faturamento Total Vl Faturamento Total no Ano Vl Frete NF Vl ICMS Faturamento Vl ICMS Subst Faturamento Vl INSS Faturamento Vl IPI Faturamento Vl IRF Faturamento Vl ISS Faturamento Vl Margem Vl Margem no Ano Vl PIS Faturamento Vl Preço Médio Faturado Vl Receita Financeira Vl Variação Entre Vendas x Faturamento Indica o percentual de desconto praticado na nota fiscal de saída. Indica o valor, em percentual, da relação entre a margem de contribuição e o faturamento líquido. % de Margem no ano anterior, em relação ao periodo selecionado no relatório ou dashboard. % variação da % de margem do período filtrado no relatório/dashboard e esse mesmo período no ano anterior. % variação do faturamento total do periodo filtrado no relatório/dashboard e esse mesmo período no ano anterior. Indica a variação, em percentual, da relação entre a quantidade faturada e a quantidade prevista. Representa quanto da previsão falta atingir ou foi ultrapassada. Indica o peso bruto (kg) informado na nota fiscal de saída. Indica o peso líquido (kg) informado na nota fiscal de saída. Indica a quantidade inserida na nota fiscal na unidade de medida da família comercial. Indica a quantidade inserida na nota fiscal na unidade de medida da família material. Indica a quantidade inserida na nota fiscal na unidade de medida do item. Indica a quantidade média de dias (prazo) para vencimento da duplicata associada à nota fiscal. Indica o valor do COFINS calculado para o faturamento. Indica o valor da comissão do representante baseado nos valores faturados. Indica o valor do custo de faturamento do item de acordo com a definição do tipo de custo que a empresa trabalha. Indica o valor de desconto concedido na nota fiscal de saída. Indica o valor de despesas da nota fiscal. Somente considera o valor do seguro e das embalagens. Não considera frete. Indica o valor faturado sem o valor do imposto ICMS. Indica o valor faturado líquido de impostos e descontos, exceto devoluções. Indica o valor líquido da nota fiscal acrescido do valor do ICMS. Indica o valor faturado bruto. Valor faturamento total para o mesmo período do ano anterior em relação ao filtrado ou apresentado no relatório. Indica o valor do frete para a nota fiscal. Indica o valor do ICMS calculado para a nota fiscal. Indica o valor do ICMS Substituto calculado para a nota fiscal. Indica o valor do INSS calculado na nota fiscal de saída. Indica o valor do IPI calculado para a nota fiscal. Indica o valor do IRF calculado na nota fiscal de saída. Indica o valor do ISS calculado para a nota fiscal. Indica o valor da margem de contribuição que corresponde ao lucro líquido. O valor de faturamento líquido está isento de impostos e descontos. Indica o valor da margem de contribuição que corresponde ao lucro líquido. O valor de faturamento líquido está isento de impostos e descontos. Esta métrica apresenta o valor do ano anterior em relação ao período de tempo selecionado no filtro ou disponível na visualização do relatório. Indica o valor do imposto PIS incidente sobre o valor faturado. Indica o valor do preço médio. A análise desse valor deve ser feita por item ou por família comercial quando a família for composta de itens com a mesma unidade de medida. Indica o valor cobrado de juros, mora diária, entre outros valores que não estão inclusos no valor faturado. Indica a diferença entre o valor da venda bruto e o valor faturado bruto. Vl Desconto Faturamento / Vl Faturamento Mercadoria Vl Margem / Vl Faturamento Líquido % Margem (Ano ) Vl Faturamento Total/ Vl Faturamento Total [Ano ]1 % Margem/% Margem [Ano ]1 Qtde Faturada Item / Qtde Prevista Vl Faturamento Líquido Vl Devolução Líquida Soma(Vl Faturamento Total(Ano ) Vl Faturamento Líquido Vl Custo Faturamento Vl Receita Financeira Vl Comissão Faturamento Vl Faturamento Líquido Vl Custo Faturamento Vl Receita Financeira Vl Comissão Faturamento(Ano ) Vl Faturamento Mercadoria / Qtde Faturada Item Vl Venda Total Vl Faturamento Total Previsão de Vendas Qtde Prevista Qtde Prevista Família Qtde Prevista Família Indica a quantidade prevista da venda, expressa na unidade de medida do item. Indica a quantidade prevista da venda, expressa na unidade de medida da família comercial. Indica a quantidade prevista da venda, expressa na unidade de medida da família material. 05

6 App Previsão de Vendas Vl Previsão Indica o valor previsto da venda. Vendas % Desconto Venda % Desconto Vendas no Ano % Variação Previsão Vendas Qtde Pedidos de Venda no Ano Qtde Vendida Qtde Vendida Família Qtde Vendida Família Vl Desconto Venda Vl Impostos Venda Vl Venda Líquida Vl Venda Mercadoria Vl Venda Total Vl Venda Total no Ano Indica o percentual de desconto sobre a venda. % Desconto Vendas para o mesmo período do Ano em relação ao especificado no filtro ou como atributo no relatório. Indica a variação, em percentual, da relação entre a quantidade vendida e a prevista. Representa quanto da previsão falta atingir ou foi ultrapassada. Quantidade de pedidos únicos vendidos. Esta métrica irá apresentar os valores para o mesmo período do ano anterior em relação ao determinado no relatório ou dashboard. Indica a quantidade vendida na unidade de medida do item. Indica a quantidade vendida na unidade de medida da família comercial. Indica a quantidade vendida na unidade de medida da família material. Indica o valor total do desconto que está sendo concedido para a venda. Indica o valor referente a impostos vinculados ao pedido de venda. Indica o valor líquido da venda, relacionada às movimentações dos pedidos, sem os impostos IPI, PIS, COFINS, IRRF, ISS, INSS e descontos. O valor do ICMS pode estar descontado dependendo da origem da informação. Indica o valor líquido da mercadoria vendida, relacionado às movimentações dos pedidos. Indica o valor bruto da venda, relacionado às movimentações dos pedidos. Esse valor corresponde ao valor de venda da mercadoria acrescido de todos os impostos e das despesas da venda. Indica o valor bruto da venda relacionado às movimentações dos pedidos. Esse valor corresponde ao valor de venda da mercadoria acrescido de todos os impostos e das despesas da venda. Os valores apresentados correspondem ao mesmo período do Ano em relação ao período selecionado no relatório. Vl Desconto Venda / Vl Venda Mercadoria % Desconto Venda (Ano ) (Qtde Vendida / Qtde Prevista) 1 Contador(Pedido) em Registros de Vendas(Ano ) Soma(Vl Venda Total(Ano )) 06

7 App Controladoria Contabilidade % Variação Vl Ativo Vl Ativo Vl Ativo no Ano Vl Movimento Contábil Real Vl Crédito Real Vl Débito Real Vl Apuração Resultado Vl Saldo Inicial Real Vl Saldo Final Real Vl Saldo Inicial Real L/P Vl Débito Real L/P Vl Crédito Real L/P Vl Saldo Final Real L/P Vl Contábil Real L/P Vl Passivo Vl Passivo no Ano Vl Receita Vl Receita no Ano % de variação entre o Vl Ativo no período apresentado no relatório ou dashboard em relação ao mesmo período do ano anterior. Valor do saldo final real quando a Conta Contábil é igual a Ativo. Valor da métrica Vl Ativo para o mesmo período do ano anterior em relação ao definido no relatório ou dashboard. Indica o valor que foi realizado no período, ou seja, o valor do movimento contábil. Indica o valor do movimento a crédito no período. Indica o valor do movimento a débito no período. Indica o valor contábil referente à apuração de resultado Indica o saldo inicial contábil do período. Indica o saldo final contábil do período. Indica o saldo inicial contábil do período, considerando Lucros e Perdas. Indica o valor do movimento a débito no período considerando lucros e perdas. Indica o valor do movimento a crédito no período considerando lucros e perdas. Indica o saldo final contábil do período, considerando lucros e perdas. Indica o valor que foi realizado no período, ou seja, o valor do movimento contábil considerando lucros e perdas. Valor do Saldo Real quando o primeiro nível da Conta Contábil for igual a Passivo. Apresenta o Vl Passivo para o mesmo período do ano anterior em relação ao definido no relatório ou dahboard. Valor do Saldo da Conta contábil onde o primeiro nível é igual a Contas de Resultado Receita. Valor do Saldo da Conta contábil onde o primero nível é igual a Contas de Resultado Receita, para o mesmo período do ano anterior em relação ao determinado no relatório ou dashboard. Soma(Vl Saldo Final Real(Ano )) Onde Conta Contábil 1 = ATIVO Soma(Vl Saldo Final Real) Onde Conta Contábil 1 = ATIVO Soma(Vl Saldo Final Real(Ano )) Onde Conta Contábil 1 = ATIVO Se (Vl Apuração Resultado <= 0) => (Vl Movimento Contábil Real + Vl Apuração Resultado), caso contrário => (Vl Movimento Contábil Vl Apuração Resultado) Se (Vl Apuração Resultado <= 0) => Vl Débito Real + Vl Apuração Resultado, caso contrário 0 (zero) Se ( Vl Apuração Resultado >= 0) => Vl Crédito Real Vl Apuração Resultado, caso contrário 0 (zero) Vl Movimento Contábil Real + Vl Débito Real Vl Crédito Real Vl Débito Real L/P Vl Crédito Real L/P Soma(Vl Saldo Final Real) Onde Conta Contábil 1 = PASSIVO Soma(Vl Saldo Final Real(Ano )) Onde Conta Contábil 1 = PASSIVO Vl Saldo Final Real Onde Conta Contábil 1 = CONTAS DE RESULTADO RECEITA Soma(Vl Saldo Final Real(Ano )) Onde Conta Contábil 1 = CONTAS DE RESULTADO RECEITA Indicadores Gerenciais % Aumento de Vendas % Aumento de Vendas Acumulado % Custo das Vendas % Custo das Vendas Acumulado % Devoluções % Devoluções Acumuladas % Duplicatas Descontadas % Margem Operacional % Margem Operacional Acumulada Ativo Circulante Ativo Permanente Ativo Total Capital de Giro (Excedente de Aplicações) Indica o percentual de aumento no de receita de vendas. Indica o percentual de aumento no de aumento de vendas acumulado. Indica o percentual de custo das vendas. Indica o percentual de custo acumulado das vendas. Indica o percentual de devoluções. Indica o percentual de devoluções acumuladas. Indica o percentual de duplicatas descontadas. Indica o percentual de margem operacional. Indica o percentual de margem operacional acumulada. Indica o saldo final do ativo circulante que representa valores em caixa ou realizável a curto prazo. Indica o saldo final do ativo permanente, que representa o valor total em equipamentos, móveis, imóveis, etc. Indica o saldo final do ativo total que representa o valor total em ativo circulante e permanente e realizável a longo prazo. Indica o valor de capital de giro excedente de aplicações. Receita de Vendas / Receita de Vendas(Mês ) 1 Receita de Vendas Acumulada / Receita de Vendas Acumulada(Mês ) 1 Custo / Receita de Vendas Custo Acumulado / Receita de Vendas Acumulada Devoluções / Receita de Vendas Devoluções Acumulado / Receita de Vendas Acumulada Duplicatas Descontadas / Clientes Resultado Operacional / Receita Operacional de Vendas Resultado Operacional Acumulado / Receita Operacional de Vendas Acumulada Excedente de Aplicações) ((Patrimônio Líquido + Exigível Longo Prazo) (Ativo Permanente + Realizável Longo Prazo) 07

8 App Controladoria Indicadores Gerenciais Capital de Giro Próprio Ciclo de Caixa Ciclo de Caixa Acumulado Ciclo Financeiro Ciclo Financeiro Acumulado Ciclo Operacional Ciclo Operacional Acumulado Clientes Compras (Conta Transitória) Custo Custo Acumulado Despesas Financeiras Despesas Financeiras Acumuladas Despesas Operacionais Despesas Operacionais Acumuladas Devoluções Devoluções Acumulado Duplicatas Descontadas Empréstimos e Financiamentos Curto Prazo Empréstimos e Financiamentos Longo Prazo Endividamento de Curto Prazo Endividamento Financeiro Estoques Exigível Longo Prazo Fornecedores Giro do Ativo Giro do Ativo Acumulado Grau de Endividamento Imobilização do Patrimônio Líquido Imobilização Recursos Não Correntes Impostos sobre Vendas Impostos sobre Vendas Acumulado Liquidez Corrente Liquidez Geral Liquidez Seca Lucro Líquido/Lucros e Perdas Indica o valor de capital de giro próprio que se refere ao capital utilizado pela empresa para o financiamento da sua produção. Indica o ciclo de caixa. Indica o ciclo de caixa acumulado. Indica o ciclo financeiro. Indica o ciclo financeiro acumulado. Indica o ciclo operacional. Indica o ciclo operacional acumulado. Indica o saldo a receber de clientes. Indica o saldo de compras relacionado à conta transitória. Indica o valor dos custos. Indica o valor acumulado dos custos no ano. Indica o valor das despesas financeiras. Indica o valor acumulado das despesas financeiras no ano. Indica o valor das despesas operacionais. Indica o valor acumulado das despesas operacionais no ano. Indica o valor das devoluções. Indica o valor acumulado das devoluções. Indica o valor das duplicatas descontadas. Indica o valor de empréstimos e financiamentos de curto prazo. Indica o valor de empréstimos e financiamentos de longo prazo. Indica o valor de endividamento de curto prazo. Financiamentos Longo Prazo) / Patrimônio Líquido. Indica o saldo final dos estoques. Indica o valor do exigível a longo prazo. Indica o saldo a pagar aos fornecedores. Indica o giro do ativo que representa a eficiência com que a empresa usa seus ativos para gerar vendas. Indica o giro do ativo acumulado. Indica o grau de endividamento. Indica o valor de imobilização do patrimônio líquido. Indica o valor de imobilização de recursos não correntes. Indica o valor total de impostos sobre vendas. Indica o valor total acumulado de impostos sobre vendas. Indica a liquidez corrente que determina o quanto a empresa tem a receber no curto prazo em relação a cada unidade monetária que deve pagar no mesmo período. Indica a liquidez geral que ao contrário da liquidez corrente, que indica quanto uma empresa tem a receber em relação ao que deve no mesmo período, este engloba também os ativos e passivos de longo prazo, ou seja, aqueles que serão realizados em um prazo superior a um ano. Indica o valor de liquidez seca que reflete a capacidade da empresa em cumprir com suas obrigações de curto prazo. Indica o lucro ou prejuízo líquido que representa o valor disponível aos acionistas, ajustado para eventuais despesas ou receitas extraordinárias. Patrimônio Líquido Ativo Permanente Realizável Longo Prazo PMR PMP PMR Acumulado PMP Acumulado PME + PMR PMP PME Acumulado + PMR Acumulado PMP Acumulado PME + PMR PME Acumulado + PMR Acumulado Acumulado) no Acumulado) no Acumulado) no Acumulado) no Passivo Circulante / Patrimônio Líquido (Empréstimos e Financiamentos Curto Prazo + Empréstimos e Financiamentos Longo Prazo) / Patrimônio Líquido) Financiamentos Longo Prazo Receitas de Vendas / Ativo Total Receitas de Vendas Acumulada / Ativo Total Passivo Circulante / (Passivo Circulante + Exigível Longo Prazo) Ativo Permanente / Patrimônio Líquido Ativo Permanente / (Patrimônio Líquido + Exigível Longo Prazo) Acumulado) no Ativo Circulante / Passivo Circulante (Ativo Circulante + Realizável Longo Prazo) / (Passivo Circulante + Exigível Longo Prazo) (Ativo Circulante Estoques) / Passivo Circulante 08

9 App Controladoria Indicadores Gerenciais Lucro Líquido/Lucros e Perdas Acumulado Mês Referência Participação de Capital de Terceiros (% Endividamento) Passivo Circulante Patrimônio Líquido PME PME Acumulado PMP PMP Acumulado PMR PMR Acumulado Realizável Longo Prazo Receita de Vendas Receita de Vendas Acumulada Receita Operacional de Vendas Receita Operacional de Vendas Acumulada Receitas Financeiras Receitas Financeiras Acumuladas Resultado Operacional Resultado Operacional Acumulado Retorno Sobre o Ativo (%) Retorno Sobre o Ativo Acumulado (%) Retorno Sobre Patrimônio Líquido (%) Retorno Sobre Patrimônio Líquido Acumulado (%) Vl Realizado Mensal Vl Realizado Mensal Acumulado Indica o lucro ou prejuízo líquido acumulado no ano. Indica o mês de referência para os es que estão sendo analisados. (Invisível) Indica o percentual de participação de capital de terceiros que expressa a relação entre o capital da empresa contribuído por terceiros e aquele contribuído por seus acionistas. Também conhecido como endividamento sobre patrimônio. Indica o saldo final do passivo circulante que soma de todos os passivos de uma empresa cujo vencimento é inferior a um ano. Em geral inclui contas como fornecedores, dívida de curto prazo, imposto a pagar, etc. Indica o valor do patrimônio líquido que reflete a soma do capital social realizado, reservas de capital, reservas de reavaliação, reservas de lucro e lucro ou prejuízo acumulados. Indica o prazo médio de estocagem. Indica o prazo médio de estocagem acumulado no ano. Indica o prazo médio de pagamento. Indica o prazo médio de pagamento acumulado. Indica o prazo médio de recebimento. Indica o prazo médio de recebimento acumulado. Indica o valor realizável a longo prazo. Indica o valor das receitas de vendas. Indica o valor acumulado das receitas de vendas no ano. Indica o valor da receita operacional de vendas. Indica o valor acumulado da receita operacional de vendas no ano. Indica o valor das receitas financeiras. Indica o valor acumulado das receitas financeiras no ano. Indica o valor do resultado operacional que representa o lucro obtido pela empresa depois de se deduzir da receita líquida de vendas o custo de mercadoria vendida, as despesas de pessoal, as despesas administrativas, as despesas financeiras e outras despesas operacionais. Indica o valor do resultado operacional acumulado no ano Indica o percentual de retorno sobre o ativo. Indica o percentual de retorno sobre o ativo acumulado. Indica o percentual de retorno sobre o patrimônio líquido. Indica o percentual de retorno sobre o patrimônio líquido acumulado. (Invisível) (Invisível) Acumulado) no (Passivo Circulante + Exigível Longo Prazo) / Patrimônio Líquido (Estoques / Custo) * 30 * 1 (Estoques / Custo Acumulado) * Mês Referência * 30 * 1 Fornecedores / Compras (Conta Transitória) * 30 * 1 Fornecedores / Compras (Conta Transitória) * Mês Referência * 30 * 1 (Clientes / Receita Operacional de Vendas) * 30 (Clientes / Receita Operacional de Vendas Acumulada) * Mês Referência * 30 Acumulado) no Acumulado) no Acumulado) no Acumulado) no Lucro Líquido/Lucros e Perdas / Ativo Total Lucro Líquido/Lucros e Perdas / Patrimônio Líquido Lucro Líquido/Lucros e Perdas / Patrimônio Líquido Lucro Líquido/Lucros e Perdas Acumulado / Patrimônio Líquido Orçamento Vl Empenhado Vl Orçado Vl Contábil Real Vl Variação % Variação Indica o valor contábil que foi empenhado para o período. Indica o valor contábil que foi orçado para o período. Indica o valor que foi realizado no período, ou seja, o valor do movimento contábil. Indica o valor da variação entre o valor realizado do movimento contábil e o valor orçado. Indica a variação percentual entre o valor realizado do movimento contábil com o valor orçado. Vl Contábil Real Vl Orçado (Vl Contábil Real / Vl Orçado) 1 09

AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ):

AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ): Contabilidade Gerencial e Controladoria Prof. Oscar Scherer Dia 23/03/2012. AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ): Parte importante da administração financeira, devendo

Leia mais

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007 PLANO DE S FOLHA: 000001 1 - ATIVO 1.1 - ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 - DISPONÍVEL 1.1.1.01 - BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.0001 - (0000000001) - CAIXA 1.1.1.02 - DEPÓSITOS BANCÁRIOS 1.1.1.02.0001 - (0000000002)

Leia mais

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa V Pagamento de fornecedores Retenção de IRF sobre serviços Retenção de IRF sobre salários Pró-labore Integralização de capital em dinheiro Integralização de capital em bens Depreciação ICMS sobre vendas

Leia mais

1. INVENTÁRIOS 1.2 INVENTÁRIO PERIÓDICO. AGENTE E ESCRIVÃO DA POLICIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Corrêa. 1..

1. INVENTÁRIOS 1.2 INVENTÁRIO PERIÓDICO. AGENTE E ESCRIVÃO DA POLICIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Corrêa. 1.. 1. INVENTÁRIOS 1..1 Periódico Ocorre quando os estoques existentes são avaliados na data de encerramento do balanço, através da contagem física. Optando pelo inventário periódico, a contabilização das

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

Os valores totais do Ativo e do Patrimônio Líquido são, respectivamente,

Os valores totais do Ativo e do Patrimônio Líquido são, respectivamente, Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Exercícios de Contabilidade Professora Niuza Adriane da Silva 1º A empresa XYZ adquire mercadorias para revenda, com promessa de pagamento em 3 parcelas iguais, sendo

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Julgue os itens a seguir, a respeito da Lei n.º 6.404/197 e suas alterações, da legislação complementar e dos pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). 71 Os gastos incorridos com pesquisa

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM CONTABILIDADE CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

CURSO TÉCNICO EM CONTABILIDADE CONTABILIDADE SOCIETÁRIA 1 CURSO TÉCNICO EM CONTABILIDADE CONTABILIDADE SOCIETÁRIA Prof. Carmem Haab Lutte Cavalcante 2012 2 CONTABILIDADE SOCIETARIA 2 3 1 CONTABILIDADE Conceito de contabilidade, campo de atuação, usuários, objetivos

Leia mais

Balanço Patrimonial e DRE

Balanço Patrimonial e DRE Balanço Patrimonial e DRE Administração financeira e orçamentária Professor: Me. Claudio Kapp Junior Email: juniorkapp@hotmail.com 2 Demonstrações Financeiras (Contábeis) Dados Dados Coletados Coletados

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte BALANÇO PATRIMONIAL 1. CRITÉRIO DE DISPOSIÇÃO DAS CONTAS NO ATIVO E NO PASSIVO (ART. 178 DA LEI 6.404/76): a. No ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos

Leia mais

ANALISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS. Prof. Mário Leitão

ANALISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS. Prof. Mário Leitão ANALISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Prof. Mário Leitão Estrutura das Demonstrações Financeiras A análise das demonstrações financeiras exige conhecimento do que representa cada conta que nela figura. Há

Leia mais

http://www.itcnet.com.br/materias/printable.php

http://www.itcnet.com.br/materias/printable.php Página 1 de 5 1 de Setembro, 2011 Impresso por ANDERSON JACKSON TOASSI DEVOLUÇÃO DE MERCADORIAS COMPRADAS NAS OPERAÇÕES COMERCIAIS 1 - Introdução Nas relações comerciais as operações de devolução e retorno

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP 5º CCN 2012.1 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP 5º CCN 2012.1 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO O artigo 187 da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976 (Lei das Sociedades por Ações), instituiu a Demonstração do Resultado do Exercício. A Demonstração do Resultado

Leia mais

Gestão Financeira. Prof. Eduardo Pozzi

Gestão Financeira. Prof. Eduardo Pozzi Gestão Financeira Prof. Eduardo Pozzi Finanças Corporativas Questões centrais na gestão financeira de uma empresa: Quais investimentos de longo prazo precisam ser feitos? Que tipo de instalações, maquinário

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

CRITÉRIOS / Indicadores

CRITÉRIOS / Indicadores CRITÉRIOS / Indicadores A lista de conceitos desta MELHORES E MAIORES Os valores usados nesta edição são expressos em reais de dezembro de 2014. A conversão para dólares foi feita, excepcionalmente, com

Leia mais

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS 11 MODELO DE PLANO DE CONTAS Apresentamos a seguir uma sugestão de plano de contas, para as empresas de construção civil, utilizável também por aquelas que trabalham com obras por empreitada MODELO DE

Leia mais

Contabilidade Decifrada. Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo

Contabilidade Decifrada. Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo Contabilidade Decifrada Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo Demonstrações Contábeis - balanço patrimonial; - demonstração do resultado do exercício; e, - demonstração de lucros ou prejuízos acumulados.

Leia mais

QUESTÕES POTENCIAIS DE PROVA TROPA DE ELITE CURSO AEP PROF. ALEXANDRE AMÉRICO

QUESTÕES POTENCIAIS DE PROVA TROPA DE ELITE CURSO AEP PROF. ALEXANDRE AMÉRICO QUESTÕES POTENCIAIS DE PROVA TROPA DE ELITE CURSO AEP PROF. ALEXANDRE AMÉRICO Considere que o sistema contábil da empresa comercial Zeta S.A. tenha se extraviado logo no primeiro exercício de constituição

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais)

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais) DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Adiantamento para futuro Capital Prejuízos aumento Explicativa n o social acumulados Subtotal de capital Total SALDO EM 01 DE DEZEMBRO DE 2010 255.719.100

Leia mais

Já Pensou em um Sistema de Gestão? Então Pense no GESTOR!

Já Pensou em um Sistema de Gestão? Então Pense no GESTOR! Já Pensou em um Sistema de Gestão? Então Pense no GESTOR! Conheça as vantagens de ter o sistema Gestor, como sua melhor ferramenta de trabalho! Clique sobre a imagem para mais detalhes Para mais detalhes

Leia mais

GPME Prof. Marcelo Cruz

GPME Prof. Marcelo Cruz GPME Prof. Marcelo Cruz Política de Crédito e Empréstimos Objetivos Compreender os tópicos básicos da administração financeira. Compreender a relação da contabilidade com as decisões financeiras. Compreender

Leia mais

Conteúdo. Fundamento da Contabilidade. Prof. Adilson C. Bassan

Conteúdo. Fundamento da Contabilidade. Prof. Adilson C. Bassan Fundamento da Contabilidade Prof. Adilson C. Bassan Conteúdo Análise das Demonstrações Financeiras Análise da Rentabilidade Análise por Indicadores Análise Vertical e Horizontal e Avaliação Geral 1 Análise

Leia mais

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal após a Lei 11638/07 Quando informado o registro: as instituições sujeitas

Leia mais

TRABALHO AVALIATIVO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Financeira e Orçamentaria II Turma: 7º Periodo

TRABALHO AVALIATIVO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Financeira e Orçamentaria II Turma: 7º Periodo TRABALHO AVALIATIVO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Financeira e Orçamentaria II Turma: 7º Periodo Elaboração do Trabalho: valor 3,0 Apresentação : Valor 3,0 (Impressa/escrita e Slides)

Leia mais

Observação: As caixas em vermelho representam módulos adicionais.

Observação: As caixas em vermelho representam módulos adicionais. Fenícia Gestão ERP Introdução O FENÍCIA GESTÃO ERP é uma solução integrada, personalizável, de gerenciamento corporativo, que se destaca pela sua robustez aliada ao alto grau de tecnologia e conhecimento

Leia mais

Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte

Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte Profa. Dariane Reis Fraga Castanheira darianer@fia.com.br www.fia.com.br/proced Profa. Dariane Reis Fraga Castanheira 1 Objetivo Planejamento

Leia mais

Unidade II CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA. Profa. Divane Silva

Unidade II CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA. Profa. Divane Silva Unidade II CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA Profa. Divane Silva Contabilidade tributária A disciplina está dividida em 02 Unidades: Unidade I 1. Introdução 2. Impostos Incidentes sobre o Valor Agregado 3. Impostos

Leia mais

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC)

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) EMPRESA: LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) NOME DO ARQUIVO Existem dois nomes possíveis: um para as notas de saída e outro para as notas de entrada. - Saídas : O nome do arquivo deve

Leia mais

Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil.

Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil. Página 1 de 15 Layout 18 Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil. Faça isto 1. O arquivo está dividido em 3

Leia mais

Para poder concluir que chegamos a: a) registrar os eventos; b) controlar o patrimônio; e c) gerar demonstrações

Para poder concluir que chegamos a: a) registrar os eventos; b) controlar o patrimônio; e c) gerar demonstrações Contabilidade: é objetivamente um sistema de informação e avaliação, destinado a prover seus usuários com demonstrações e análise de natureza econômica financeira. tratar as informações de natureza repetitiva

Leia mais

FLUXO DE CAIXA: UMA ABORDAGEM GERENCIAL

FLUXO DE CAIXA: UMA ABORDAGEM GERENCIAL FLUXO DE CAIXA: UMA ABORDAGEM GERENCIAL Renato Lopes da Silva (G UEM) Cristiani Passolongo Noveli (UEM) RESUMO O caixa da empresa é formado por seus ativos circulantes montantes depositados em contas bancárias

Leia mais

Consulta de Produtos - Completa

Consulta de Produtos - Completa PROD1010 Consulta de Produtos - Completa Este programa é utilizado para consultar informação dos produtos de estoque ( cmprodut ), estejam eles em estoque ou não. A partir do Código ou da Descrição do

Leia mais

FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009

FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009 FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009 RELATÓRIO DE PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO: UM ESTUDO DE CASO EM EMPRESA QUE ATUA NO RAMO DE SITUADA NO MUNICÍPIO DE

Leia mais

Precision. A sua Solução de Gestão Empresarial. Características do Sistema: Principais Recursos:

Precision. A sua Solução de Gestão Empresarial. Características do Sistema: Principais Recursos: A sua Solução de Gestão Empresarial O Precision é a solução de Gestão Empresarial de baixo custo que a Maggiore Sistemas disponibiliza para pequenas e médias empresas. Desenvolvido e comercializado em

Leia mais

Notas de Saída. Modelo: Posições Observações. Descrição do Campo. Página 1 de 5

Notas de Saída. Modelo: Posições Observações. Descrição do Campo. Página 1 de 5 Espécie do documento 1 3 Alfanumérico - espécie da nota ou *CT Série e subsérie 4 3 Alfanumérico-0 a 9/A a Z Número da Nota Fiscal ( ) 7 6 Numérico com zeros a esquerda Número da Nota Fiscal ( Final )

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com relação a conceitos, objetivos e finalidades da contabilidade, julgue os itens que se seguem. 51 Auxiliar um governo no processo de fiscalização tributária é uma das finalidades

Leia mais

Hierárquico Nenhum. Nenhum. 01 - Cabeçalho do Arquivo. Decimais. Domínio. Fiscais. Fiscais. 02 - Corpo da Nota Fiscal de Saídas. Decimais.

Hierárquico Nenhum. Nenhum. 01 - Cabeçalho do Arquivo. Decimais. Domínio. Fiscais. Fiscais. 02 - Corpo da Nota Fiscal de Saídas. Decimais. Página: / do arquivo: 0 - Cabeçalho do Arquivo Código da Empresa CNPJ da Empresa Inicial das Notas Fiscais Final das Notas Fiscais Valor Fixo "N" da Nota Constante "00000" Sistema Valor Fixo "" 0 0 0 6

Leia mais

DVA Demonstração do Valor Adicionado

DVA Demonstração do Valor Adicionado DVA Demonstração do Valor Adicionado A DVA foi inserida pela Lei nº 11.638/2007, (artigo 176, inciso V), no conjunto de demonstrações financeiras que as companhias abertas devem apresentar ao final de

Leia mais

Contabilidade Financeira e Gerencial. Conceitos Básicos: bens, direitos e balanço patrimonial

Contabilidade Financeira e Gerencial. Conceitos Básicos: bens, direitos e balanço patrimonial Contabilidade Financeira e Gerencial Conceitos Básicos: bens, direitos e balanço patrimonial Demonstração de Resultados A DRE é a apresentação, em forma resumida, das operações realizadas pela empresa,

Leia mais

CADERNO DE QUESTÕES PROCESSO SELETIVO TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA (TRV) 2ª ETAPA EDITAL 02/2015-COPESE DATA: 08/02/2015. HORÁRIO: das 09 às 12 horas

CADERNO DE QUESTÕES PROCESSO SELETIVO TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA (TRV) 2ª ETAPA EDITAL 02/2015-COPESE DATA: 08/02/2015. HORÁRIO: das 09 às 12 horas Realização: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CADERNO DE QUESTÕES PROCESSO SELETIVO TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA (TRV) 2ª ETAPA EDITAL 02/2015-COPESE CURSO: BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CAPÍTULO 33 Este Capítulo é parte integrante do Livro Contabilidade Básica - Finalmente Você Vai Entender a Contabilidade. 33.1 CONCEITOS A demonstração dos fluxos de caixa evidencia as modificações ocorridas

Leia mais

Contmatic - Escrita Fiscal

Contmatic - Escrita Fiscal Lucro Presumido: É uma forma simplificada de tributação onde os impostos são calculados com base num percentual estabelecido sobre o valor das vendas realizadas, independentemente da apuração do lucro,

Leia mais

Contabilidade Básica Prof. Jackson Luis Oshiro joshiro@ibest.com.br Conceito Conta Nome dado aos componentes patrimoniais (bens, direitos, obrigações e Patrimônio Líquido) e aos elementos de resultado

Leia mais

Análise financeira da carteira de recebíveis

Análise financeira da carteira de recebíveis Análise financeira da carteira de recebíveis Por Carlos Alexandre Sá A análise e interpretação do desempenho da carteira de recebíveis é de extrema importância não só para o pessoal da área financeira,

Leia mais

BANCO DE QUESTÕES - CONTABILIDADE DE CUSTOS PARTE I (25 QUESTÕES) PESQUISA: EXAME DE SUFICIÊNCIA ENADE -

BANCO DE QUESTÕES - CONTABILIDADE DE CUSTOS PARTE I (25 QUESTÕES) PESQUISA: EXAME DE SUFICIÊNCIA ENADE - BANCO DE QUESTÕES - CONTABILIDADE DE CUSTOS PARTE I (25 QUESTÕES) PESQUISA: EXAME DE SUFICIÊNCIA ENADE - 1. Uma empresa produziu, no mesmo período, 100 unidades de um produto A, 200 unidades de um produto

Leia mais

Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti

Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti Perfil do Palestrante: Contador, Consultor e Professor Universitário Colaborador do Escritório Santa Rita desde 1991 Tributação das Médias e Pequenas Empresas Como

Leia mais

Ello Master & Ello Gerencial PRINCIPAIS RECURSOS

Ello Master & Ello Gerencial PRINCIPAIS RECURSOS Recursos Ello & Ello PRINCIPAIS RECURSOS SPED Compra Legal Sintegra Consulta preço Consignação Controle de entregas Pedido a fornecedor Ordem de produção (produtos produzidos/indústria) Entradas simplificada

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com relação aos conceitos, objetivos e finalidades da contabilidade, Julgue os itens subsequentes, relativos à correta classificação e julgue os itens a seguir. utilização de

Leia mais

Decisão Mensal. Abril/2013 (04) PUC-PR Marcio_7P CTEC. Diretor de Finanças. Diretor de Recursos Humanos. Diretoria de Produção.

Decisão Mensal. Abril/2013 (04) PUC-PR Marcio_7P CTEC. Diretor de Finanças. Diretor de Recursos Humanos. Diretoria de Produção. PUC-PR Decisão Mensal /213 (4) Diretoria de Recursos Humanos Diretoria de Finanças Admissões: 16 Empréstimo ($): 7. Demissões: Salário dos Empregados da Produção ($): Treinamento (%): Participação nos

Leia mais

Informe afill Tecnologia. afill Import

Informe afill Tecnologia. afill Import Informe afill Tecnologia afill Import 1 Objetivo Prezado(a), O objetivo e demonstrar de forma simples as funcionalidades que compõe a personalização de controle de Importação utilizando o módulo de Compras,

Leia mais

O IMPACTO DOS TRIBUTOS NA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA

O IMPACTO DOS TRIBUTOS NA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA TRIBUTOS CARGA TRIBUTÁRIA FLS. Nº 1 O IMPACTO DOS TRIBUTOS NA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA 1. - INTRODUÇÃO A fixação do preço de venda das mercadorias ou produtos é uma tarefa complexa, onde diversos fatores

Leia mais

FENICIA GESTÃO ERP Enterprise Resource Planning (Planejamento dos Recursos da Empresa)

FENICIA GESTÃO ERP Enterprise Resource Planning (Planejamento dos Recursos da Empresa) FENICIA GESTÃO ERP Enterprise Resource Planning (Planejamento dos Recursos da Empresa) O FENÍCIA GESTÃO ERP é uma solução integrada, personalizável, de gerenciamento corporativo, que se destaca pela sua

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos 2ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos Tópicos do Estudo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (Doar). Uma primeira tentativa de estruturar

Leia mais

13. Operações com mercadoria

13. Operações com mercadoria MATERIAL DE APOIO - ENVIADO PELO PROFESSOR 13. Operações com mercadoria Na comercialização de mercadoria (principal objeto de empresa comercial) existirão os tributos; entre eles o ICMS que será estudado

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO REMUNERADO EM CIÊNCIAS

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 8 Demonstração do Resultado do Exercício

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 8 Demonstração do Resultado do Exercício 2ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Demonstração do Resultado do Exercício Tópicos do Estudo Demonstração do Resultado do Exercício. Custo das Vendas. Despesas Operacionais. Resultados não Operacionais

Leia mais

Cliente: Processos. Nº 02ª Parte Configuração Geral Menu Data Responsável

Cliente: Processos. Nº 02ª Parte Configuração Geral Menu Data Responsável SisGEF DISTRIBUIDOR DE MEDICAMENTO Roteiro de Implantação Cliente: Data Início: Nº 01ª Parte Dados Gerais, Segurança e Outros Menu Data Responsável 01 Instalação do Sistema e Identificação da Estação PCM

Leia mais

Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil.

Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil. Página 1 de 17 Layout 19 Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil. Faça isto 1. O arquivo está dividido em 3

Leia mais

Comentários da prova SEFAZ-PI Disciplina: Contabilidade Geral Professor: Feliphe Araújo

Comentários da prova SEFAZ-PI Disciplina: Contabilidade Geral Professor: Feliphe Araújo Disciplina: Professor: Feliphe Araújo Olá amigos, Comentários da prova SEFAZ-PI ANÁLISE DA PROVA DE CONTABILIDADE GERAL - SEFAZ-PI Trago para vocês os comentários da prova da SEFAZ-PI realizado no último

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Gestão Financeira I Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2011 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Cap.1 A decisão financeira e a empresa 1. Introdução 2. Objetivo e Funções da

Leia mais

ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO

ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO Conta do ATIVO 1 ATIVO 1. Circulante 1.. Disponível 1.. Realizável 1... Créditos 1... Estoques 1... Combustíveis 1... Lubrificantes 1... Peças, Acessórios, Materiais 1...

Leia mais

CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA I CAPITAL DE GIRO

CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA I CAPITAL DE GIRO CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA I CAPITAL DE GIRO 1 Fundamentos sobre Capital de Giro O objetivo da Administração Financeira de Curto

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Texto para as questões de 31 a 35 conta saldo despesa de salários 10 COFINS a recolher 20 despesas de manutenção e conservação 20 despesa de depreciação 20 PIS a recolher 30 despesas

Leia mais

Basicamente, o relatório de fluxo de caixa deve ser segmentado em três grandes áreas:

Basicamente, o relatório de fluxo de caixa deve ser segmentado em três grandes áreas: CASHFLOW OU FLUXO DE CAIXA 1. CONCEITO É um demonstrativo que reflete dinamicamente o fluxo do disponível da empresa, em um determinado período de tempo. 2. FINALIDADES 2.1. Evidenciar a movimentação dos

Leia mais

WRM Auditoria e Consultoria Ltda. - CNPJ (MF) 00.164.845/0001/12.

WRM Auditoria e Consultoria Ltda. - CNPJ (MF) 00.164.845/0001/12. Lins (SP), 12 de Março de 2.010. À SOCIEDADE DE PROMOÇÃO SOCIAL DO FISSURADO LÁBIO- PALATAL - PROFIS Rua Silvio Marchione 3-55 Bauru SP. ILMO.SR. Diretor - Presidente Encaminhando em anexo, o Relatório

Leia mais

Ativo 2012 2011 Passivo e patrimônio líquido 2012 2011

Ativo 2012 2011 Passivo e patrimônio líquido 2012 2011 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 5) 45.431 15.305 Financiamentos e empréstimos (Nota 12) 71.389 40.388

Leia mais

Conceito. Praticamente todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam, gastam ou investem dinheiro.

Conceito. Praticamente todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam, gastam ou investem dinheiro. Plano de Ensino Conceito A Função Financeira nas Empresas Utilização das informações contábeis Áreas de Decisões Financeiras Objetivos do Administrador Financeiro Organização da Função Financeira Estrutura

Leia mais

Contabilidade Empresarial e Comercial 27-08-2012 - ETEC GUARACY. Prof. Procópio 2º CONTAB Aula - 8

Contabilidade Empresarial e Comercial 27-08-2012 - ETEC GUARACY. Prof. Procópio 2º CONTAB Aula - 8 AULA 8 Sistema para Controle de Estoques o Inventário Periódico o Contabilização Fórmula do CMV/RCM Sistema para Controle de Estoques Devemos observar o método de avaliação escolhido, pois ele afetará

Leia mais

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00.

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00. ESPE/Un SERE 2013 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento válido para

Leia mais

Aqui seus Resultados Aparecem

Aqui seus Resultados Aparecem Aqui seus Resultados Aparecem 2 Evolution - Cobrança, Contas a Pagar e Fluxo de Caixa Gerenciar títulos vencidos e a vencer, controlar adiantamentos, cobrança eletrônica Cobrança em atraso, comissões,

Leia mais

Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p. Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa):

Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p. Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa): Pesquisa Industrial Anual Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa): Aluguéis e arrendamentos Despesas com

Leia mais

Contabilidade Geral Correção da Prova 2 Analista Técnico Controle e Fiscalização - Susep 2010 Prof. Moraes Junior CONTABILIDADE GERAL

Contabilidade Geral Correção da Prova 2 Analista Técnico Controle e Fiscalização - Susep 2010 Prof. Moraes Junior CONTABILIDADE GERAL CONTABILIDADE GERAL 1 - A legislação vigente sobre as sociedades anônimas estabelece o que deve ser computado na determinação do resultado do exercício. Diz a lei que devem ser incluídas as receitas e

Leia mais

AULA 10 - PIS E COFINS

AULA 10 - PIS E COFINS AULA 10 - PIS E COFINS O PIS É A CONTRIBUIÇÃO PARA O PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO SOCIAL. A COFINS ÉA CONTRIBUIÇÃO PARA O FINANCIAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL. FATO DO PIS E DA COFINS SÃO OS MESMOS: a)a RECEITA

Leia mais

PLANO DE CONTAS ATIVO - CONTAS DEVEDORAS PASSIVO - CONTAS CREDORAS DESPESAS - CONTAS DEVEDORAS RECEITAS - CONTAS CREDORAS APURAÇÃO DE RESULTADO

PLANO DE CONTAS ATIVO - CONTAS DEVEDORAS PASSIVO - CONTAS CREDORAS DESPESAS - CONTAS DEVEDORAS RECEITAS - CONTAS CREDORAS APURAÇÃO DE RESULTADO PLANO DE CONTAS O plano de Contas normalmente é composto de cinco grupos. ATIVO - CONTAS DEVEDORAS PASSIVO - CONTAS CREDORAS DESPESAS - CONTAS DEVEDORAS RECEITAS - CONTAS CREDORAS APURAÇÃO DE RESULTADO

Leia mais

Versão 06/2012. Substituição Tributária

Versão 06/2012. Substituição Tributária Substituição Tributária 1 ÍNDICE 1. O que é a Substituição Tributária?... 3 1.1 Tipos de Substituição Tributária;... 3 1.2 Como é feito o Recolhimento da ST?... 3 1.3 Convênio e Aplicação... 3 1.4 Base

Leia mais

Hierárquico Nenhum. Nenhum. 01 - Cabeçalho do Arquivo. Decimais. Domínio. 02 - Corpo da Nota Fiscal de Entrada. Decimais. Fornecedor DIEF DIEF

Hierárquico Nenhum. Nenhum. 01 - Cabeçalho do Arquivo. Decimais. Domínio. 02 - Corpo da Nota Fiscal de Entrada. Decimais. Fornecedor DIEF DIEF Página: /0 do arquivo: 0 - Cabeçalho do Arquivo Código da Empresa CNPJ da Empresa Inicial Final Valor Fixo "N" de Nota (...) Constante "00000" Sistema (...) Valor Fixo "" 9 0 4 4 0 4 4 0 44 44 4 46 4 4

Leia mais

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66 Apresentação Parte I - CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE CONTABILIDADE, 1 1 Introdução ao Estudo da Ciência Contábil, 3 1 Conceito, 3 2 Objeto, 3 3 Finalidade, 4 4 Técnicas contábeis, 4 5 Campo de aplicação, 5

Leia mais

ASPECTOS FISCAIS NAS EXPORTAÇÕES

ASPECTOS FISCAIS NAS EXPORTAÇÕES ASPECTOS FISCAIS NAS EXPORTAÇÕES 1 INCIDÊNCIAS TRIBUTÁRIAS NAS EXPORTAÇÕES Optantes do SIMPLES Os transformadores plásticos exportadores optantes do SIMPLES devem analisar a conveniência da continuidade

Leia mais

TREINAMENTOS DEAK IN COMPANY

TREINAMENTOS DEAK IN COMPANY A DEAK Sistemas define como Treinamentos Básicos In Company a apresentação dos diversos módulos que compõem o ERP aos usuários. O Objetivo é apresentar cada módulo do ERP através de suas telas, campos

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL AULA 03: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS TÓPICO 03: ORIGEM E EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA QUALIDADE A DRE tem por objetivo evidenciar a situação econômica de uma empresa,

Leia mais

WWW.CARREIRAFISCAL.COM.BR

WWW.CARREIRAFISCAL.COM.BR Classifique as contas que geralmente caem em concursos e, muitas vezes, geram dúvidas. Banco c/ Movimento Banco conta Empréstimo Empréstimos a Diretores ou Acionistas Numerários em Trânsito Adiantamento

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO DEMONSTRATIVO DE RESULTADOS Mostra o fluxo de eventos ocorridos em um determinado período de tempo. Quanto a empresa lucrou no ano passado? BALANÇO PATRIMONIAL Fotografia

Leia mais

Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro. Contabilidade. História. Contabilidade e Balanço Patrimonial

Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro. Contabilidade. História. Contabilidade e Balanço Patrimonial Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro Contabilidade e Balanço Patrimonial Contabilidade É a ciência teórica e prática que estuda os métodos de cálculo e registro da movimentação financeira e patrimônio

Leia mais

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP Sistema de gestão ERP MÓDULOS E CLIENTES Os módulos podem ser adquiridos separadamente, conforme a sua necessidade. ÁREA COMERCIAL ÁREA ADMINISTRATIVA FINANCEIRA ÁREA PRODUÇÃO E SUPRIMENTOS ÁREA FISCAL

Leia mais

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP

Sistema de gestão. Sistema de Gestão ERP Sistema de gestão ERP Módulo MÓDULOS E CLIENTES Os módulos podem ser adquiridos separadamente, conforme a sua necessidade. COMERCIAL ADMINISTRATIVA FINANCEIRA PEDIDOS EXPORTAÇÃO CONTAS A RECEBER TELEMARKETING

Leia mais

Faculdade Carlos Drummond de Andrade Profa. Katia de Angelo Terriaga

Faculdade Carlos Drummond de Andrade Profa. Katia de Angelo Terriaga Faculdade Carlos Drummond de Andrade Profa. Katia de Angelo Terriaga CONTABILIDADE GERENCIAL ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA ATRAVÉS DE ÍNDICES Importância da Análise Através de Indicadores. Visa obter através

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.04

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.04 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.04 Estoque...2 Controlando a Garantia - Honda Motocicletas...2 Controlando a Boutique...6 Entrada de Peças no Estoque...7 Entrada de Mercadorias...7 Importação do Faturamento

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 15

PROVA ESPECÍFICA Cargo 15 14 PROVA ESPECÍFICA Cargo 15 QUESTÃO 31 O Ativo representa um conjunto de: a) bens intangíveis. b) dinheiro na empresa. c) bens para investimento. d) bens e direitos da empresa. QUESTÃO 32 Um pagamento

Leia mais

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar A seguir um modelo de Plano de Contas que poderá ser utilizado por empresas comerciais, industriais e prestadoras de serviços, com as devidas adaptações: 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante 1.1.1 Disponível 1.1.1.01

Leia mais

ORÇAMENTO DE PRODUÇÃO

ORÇAMENTO DE PRODUÇÃO ORÇAMENTO DE PRODUÇÃO Materiais e estoques ORÇAMENTO DE MATERIAIS E ESTOQUES É a segunda etapa do processo Orçamentário, é orçamentação dos gastos determinados pelos volume de produção pretendidos e os

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A. Índice

Raízen Combustíveis S.A. Índice Raízen Combustíveis S.A. Índice Balanço patrimonial...2 Demonstração do resultado...4 Demonstração do resultado abrangente...5 Demonstração das mutações do patrimônio líquido...6 Demonstração dos fluxos

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

MÓDULO. Básico. Grupo Acert - 1

MÓDULO. Básico. Grupo Acert - 1 MÓDULO Básico Grupo Acert - 1 ÍNDICE Clientes / Fornecedores Comercial Expedição Estoque Compras 03 04 05 06 07 Faturamento Finanças Controle de Crédito Sintegra Cobrança Eletrônica 08 09 10 10 11 Esta

Leia mais

Cerradinho Participações S.A. (Anteriormente denominada Cerradinho Holding S.A.) e Controladas

Cerradinho Participações S.A. (Anteriormente denominada Cerradinho Holding S.A.) e Controladas Cerradinho Participações S.A. (Anteriormente denominada Cerradinho Holding S.A.) e Controladas Demonstrações Financeiras Individuais e Consolidadas Referentes ao Exercício Findo em 31 de Março de 2012

Leia mais

Naquele artigo, de maneira elucidativa, como de costume, o Vale ministrou que:

Naquele artigo, de maneira elucidativa, como de costume, o Vale ministrou que: Olá, meus amigos. Como estão? Sejam bem-vindos ao Estratégia Concursos. Hoje, aproveitaremos o gancho do artigo postado pelo mestre Ricardo Vale (link a seguir), e falaremos sobre a incidência do IPI sobre

Leia mais

Métricas empresariais

Métricas empresariais Métricas empresariais 1 Índice 1. Lista de Indicadores Setoriais Pág. 4 2. Métricas de Marketing Geral Pág. 5. Métricas de Propaganda Pág. 4. Métricas de Promoção Pág. 7 5. Métricas de Distribuição Pág.

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE «21. A respeito das funções da Contabilidade, tem-se a administrativa e a econômica. Qual das alternativas abaixo apresenta uma função econômica? a) Evitar erros

Leia mais

Relatório do Plano de Contas

Relatório do Plano de Contas 1 10000 ATIVO 1.01 10001 ATIVO CIRCULANTE 1.01.01 10002 DISPONIVEL 1.01.01.01 10003 CAIXA 1.01.01.01.00001 10004 CAIXA GERAL S 1.01.01.02 10020 BANCO CONTA MOVIMENTO 1.01.01.02.00001 10021 BANCO DO BRASIL

Leia mais