CLDS 3G REDONDO. Gerar Evolução

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CLDS 3G REDONDO. Gerar Evolução"

Transcrição

1 CLDS 3G REDONDO Gerar Evolução Enquadramento: A presente síntese do projeto CLDS 3G Redondo GERAR EVOLUÇÃO, da responsabilidade Entidade Coordenadora Local (Centro Infantil Nossa Senhora da Saúde de Redondo), do Núcleo executivo do CLAS Redondo e das Entidades Executoras (Centro Infantil Nossa Senhora da Saúde e Cruz Vermelha Delegação de Redondo), constitui-se como um instrumento resumo centrado nos problemas locais atuais e pretende apresentar um movimento de mudança e desenvolvimento, evidenciando medidas consentâneas com os eixos de intervenção, como também com as ações obrigatórias contempladas na portaria que o regulamenta (Portaria n.º 179- B/2015 de 17 de Junho). As suas finalidades entrelaçam-se entre si, de forma concertada e sistémica, para um fim único superior desenvolvimento local, através do empoderamento individual e comunitário da população de Redondo. Entidade Coordenadora Local da Parceria: Centro Infantil Nossa Senhora da Saúde de Redondo Coordenador Técnico: Tiago José Mendes Abalroado Entidades Executoras: Centro Infantil Nossa Senhora da Saúde de Redondo Cruz Vermelha Delegação de Redondo Território de Intervenção: Concelho de Redondo

2 Freguesias Abrangidas: Redondo Montoito Locais Rurais Abrangidos: Aldeias de Montoito Falcoeiras Freixo Foros da Fonte Seca Aldeia da Serra Santa Susana Destinatários: População Residente no Concelho de Redondo População Desempregada População Ativa, Crianças e Jovens Beneficiários de RSI Pais /Famílias População portadora de Deficiência e/ou Dependente e seus Cuidadores Familiares; Empresários População Idosa e/ou Isolada Dirigentes e Quadros associativos Voluntários

3 Objetivos Gerais: - Contribuir para o aumento da empregabilidade, através da informação, da formação, da valorização dos recursos e potencialidades existentes, e da articulação entre os diferentes agentes que interagem na comunidade, combatendo os níveis acentuados de desemprego e promovendo a sustentabilidade do território; - Combater de forma articulada a pobreza crítica, sobretudo nas pessoas idosas e nas crianças; - Prevenir situações de isolamento e exclusão social, nomeadamente associada a agregados familiares vulneráveis com crianças, idosos e isolados, mediante o recurso a medidas de inclusão ativa dessas populações na sociedade e ao desenvolvimento de instrumentos facilitadores tendo em vista a mobilidade de pessoas a serviços de utilidade pública, a nível local; - Promover o desenvolvimento de instrumentos capacitadores das instituições da economia social promovendo a implementação de serviços partilhados que permitam uma maior racionalidade de recursos e eficácia de gestão; - Promover uma cultura de comunicação intergeracional, e solidária, a fim de (re)construir laços e estabelecer dinamismo no quotidiano dos locais demarcados pela pobreza e pelo envelhecimento. O Plano de Ação a desenvolver, centra-se em 3 pilares, PESSOA, FAMÍLIA e COMUNIDADE, respetivamente associados aos três eixos chave da intervenção: Eixo 1 - Emprego, Formação e Qualificação Eixo 2 - Intervenção Familiar e Parental preventiva da Pobreza Infantil Eixo 3 - Capacitação da Comunidade e das Instituições A sua implementação foi dividida em Núcleos de Intervenção, fundamentados em três estratégias indissociáveis, são elas: - Investigação: Levantamento e tratamento de informação, preparação, planificação e calendarização das atividades a implementar pelo núcleo. - Valorização/Capacitação: Execução de sessões de esclarecimento/informação em várias áreas de reflexão/temáticas, ações de formação, oficinas e encaminhamento - Inclusão: Realização de dinâmicas integradoras do público-alvo.

4 Objetivos Gerais por Eixo de Intervenção: Eixo de Intervenção 1 - Emprego, Formação e Qualificação Descrição do Objetivo Geral: Pretende-se, em estreita parceria com o IEFP, e de forma descentralizada, favorecer os processos de integração profissional, social e pessoal dos desempregados e jovens à procura de 1º emprego, de todo o concelho, através da capacitação, qualificação e desenvolvimento de atitudes de procura ativa de emprego e potenciar o empreendedorismo, e a aproximação/integração ao mundo do trabalho, por meio da divulgação de apoios, e de oportunidades de emprego, envolvendo e responsabilizando os empresários e entidades locais para uma participação ativa de emprego e processos de inserção profissional e social. Estimular nos alunos do ensino secundário a inovação, criatividade, e gosto pelo risco e na comunidade promover a valorização dos recursos endógenos, fatores potenciadores do incremento da atividade empresarial futura e valorização do território. Meta do Objetivo Geral: Até Novembro de 2018 criar e dinamizar um conjunto de atividades que promovam e melhorem os níveis de empregabilidade, inserção, empreendedorismos e qualificação, de 20% da população em idade ativa, valorizando o potencial endógeno do território, promovendo o desenvolvimento sustentável do concelho. Indicador: Nº de indivíduos atendidos e encaminhados para respostas de emprego, formação, qualificação e /ou empreendedorismo; Nº de participantes em atividades integradas no eixo. Fontes de Verificação: Fichas e Processos individuais de Inscrição/caracterização/encaminhamento e atendimento.

5 Eixo de Intervenção 2 - Intervenção Familiar e Parental preventiva da Pobreza Infantil Descrição do Objetivo Geral: Através de atividades intergeracionais e mobilizadoras de toda a comunidade, ao nível da promoção da saúde, do desporto, da cultura e da educação para uma cidadania plena, pretende-se trabalhar as famílias, as crianças, os jovens, os grupos e os idosos, de forma a dota-los de competências de cidadania e auto-organização, numa perspetiva de integração social. Capacitar as famílias e contribuir para a proteção/promoção dos direitos das crianças e jovens, em articulação com as equipas locais especializadas, utilizando a mediação preventiva de comportamentos de risco, exclusão e/ou pobreza infantil. Com o apoio de voluntariado de proximidade, alargado a todo o concelho, desenvolver ações de combate à solidão e isolamento e promotoras do envelhecimento ativos e de autonomia das pessoas idosas. Meta do Objetivo Geral: Até Novembro de 2018 desenvolver estratégias e serviços que envolvam 200 crianças/jovens, 40 famílias, 60 idosos e 20 voluntários, de forma multissectorial, integrada e multidisciplinar, promovendo apoios individualizados e intervenções coletivas, intergeracionais, numa perspetiva holística e de envolvimento comunitário. Indicador: Nº de crianças, jovens, famílias, idosos, voluntários, envolvidos nas estratégias e serviços promovidos Fontes de Verificação: Registos diversos de participação e execução de atividades; Materiais e documentos de divulgação e registos fotográficos (suporte digital)

6 Eixo de Intervenção 3 - Capacitação da Comunidade e das Instituições Descrição do Objetivo Geral: Contribuir para o crescimento e revitalização do associativismo, no concelho, através da valorização e divulgação/promoção da sua intervenção, assim como da capacitação dos seus recursos humanos. Desenvolvimento e teste de metodologias de intervenção comunitária com vista à redução do isolamento e exclusão social. Meta do Objetivo Geral: Até Novembro de 2018 desenvolver atividades, de apoio à criação de novas associações e promotoras do crescimento/divulgação/envolvimento ativo do associativismo, no concelho, com o intuito de demonstrar o potencial das intervenções comunitárias em prole do desenvolvimento global, contribuindo para a criação de pelo menos mais 1 associação no concelho. Indicador: Nº de associações que participaram nas atividades; Nº de associações criadas; Nº de cidadãos envolvidos nas dinâmicas comunitárias. Fontes de Verificação Registos de Associações contactadas; Registo das atividades realizadas; Fichas de inscrição nas atividades

7 Eixo de Intervenção 1 - Emprego, Formação e Qualificação - Parceria com o Instituto de Emprego e Formação Profissional, visando a realização de intervenções de valorização/qualificação/requalificação profissional e apoio na informação sobre as oportunidades de qualificação (Centro de Encaminhamento); - Criação do Balcão de Empregabilidade, destinado ao fomento do empreendedorismo e inserção profissional, com vista ao desenvolvimento de atitudes de procura ativa de emprego, apoio ao enquadramento de projetos de autoemprego e de empreendedorismo (ações de informação/sensibilização/formação, atendimento técnico); - Divulgação de ofertas de emprego e oportunidades de trabalho, através de ações que incentivem a articulação entre empregadores e potenciais empregados e que promovam a sensibilização e informação aos agentes económicos (Feira de Empresas, bolsa de emprego concelhia, Desenvolvimento de ações de informação/sensibilização junto das empresas e organizações de cariz social, acerca de medidas de apoio e incentivo à contratação de pessoal e programas de estágios.). Eixo de Intervenção 2 - Intervenção Familiar e Parental preventiva da Pobreza Infantil - Criação de Centro de Recursos (desenvolvimento de estratégias ao nível da qualificação das famílias, designadamente informação dos seus direitos de cidadania, desenvolvimento de competências e aconselhamento em situação de crise); - Ações socioculturais intergeracionais - Desenvolvimento de estratégias direcionadas para as crianças, assentes na otimização dos recursos existentes e, quando necessário, dotação de meios complementares ao nível da saúde, da formação, do desporto e da educação para a cidadania (Centro de Nutrição Infantil); - Ações de voluntariado de proximidade com pessoas idosas e com necessidades especiais. Eixo de Intervenção 3 - Capacitação da Comunidade e das Instituições - Apoio ao Associativismo, organização de grupos/comissões; - Apoio à auto-organização dos habitantes; - Criação/revitalização de associações (moradores, temáticas ou juvenis); - Promoção da criação de cooperativas, sejam económicas, sociais ou de jovens e agrupamentos de produtores de forma a capacitar as pessoas para a vida em comunidade e suas vantagens, efetuando ao mesmo tempo o levantamento e divulgação dos incentivos ou apoios à criação de cooperativas ou agrupamentos de produtores; - Prestação de trabalho socialmente necessário e desenvolvimento de atividade socialmente úteis; - Dinamização de campanha às empresas locais no âmbito da Responsabilidade Social.

DICAS - Dinâmicas Comunitárias de Ativação Social

DICAS - Dinâmicas Comunitárias de Ativação Social ADILO PLANO DE AÇÃO CLDS 3G Lordelo do Ouro e Massarelos DICAS - Dinâmicas Comunitárias de Ativação Social 2016-2018 Eixo de Intervenção Objetivos Gerais por Eixo de Intervenção N.º Objetivo Descrição

Leia mais

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. Setor de Atividade Atividades de apoio social para pessoas idosas, com alojamento.

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. Setor de Atividade Atividades de apoio social para pessoas idosas, com alojamento. FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Organização Centro Social Paroquial de Dornelas Diretor(a) Dra. Ana Lopes Fernandes Setor de Atividade 87301 Atividades de apoio social para pessoas idosas, com alojamento. Número

Leia mais

Plano de Acção

Plano de Acção - 2 - Nota Prévia A Rede Social afirmou-se ao longo da sua criação como uma medida inovadora e com capacidade de produzir alterações positivas na intervenção social. Esta medida assumiu-se, desde início,

Leia mais

27 de junho de Domingos Lopes

27 de junho de Domingos Lopes 27 de junho de 2016 Domingos Lopes Objetivos Temáticos OT 8. Promover a sustentabilidade e a qualidade do emprego e apoiar a mobilidade dos trabalhadores assumindo como meta nacional, até 2020, o aumento

Leia mais

Núcleo Executivo do CLAS de Mafra, 28 Maio de

Núcleo Executivo do CLAS de Mafra, 28 Maio de Plano de Ação Rede Social Mafra Eixo I - DEMOGRAFIA E EQUIPAMENTOS (INFRA-ESTRUTURAS DE APOIO) Objectivo geral 1. Reforçar as estruturas de apoio ao idoso Objectivo Específico 1. Aumentar a capacidade

Leia mais

Centro de Recursos TEIA

Centro de Recursos TEIA Quem somos O Contrato Local Desenvolvimento Social 3ª Geração do Concelho Ourém (CLDS 3G) Centro de Recursos TEIA - iniciou a sua atividade a 2 de Novembro de 2015, tem como Entidade Coordenadora Local

Leia mais

ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL. GAL Eu Também Conto!

ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL. GAL Eu Também Conto! ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL GAL Eu Também Conto! ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL 1 ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL (EDL) A EDL incide em traços gerais nas seguintes problemáticas: Acesso

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO CLDS MARINHA SOCIAL

RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO CLDS MARINHA SOCIAL RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO CLDS MARINHA SOCIAL O presente relatório reflecte a actividade do CLDS Marinha Social, desde o inicio da sua actividade, em Julho de 2009 até Junho de 2010, analisando-se 2 momentos

Leia mais

Plano de Ação Rede Social de Alter do Chão

Plano de Ação Rede Social de Alter do Chão Plano de Ação Rede Social de Alter do Chão Conselho Local de Ação Social de Alter do Chão Câmara Municipal de Alter do Chão Centro Distrital de Portalegre, ISS, I.P. Santa Casa da Misericórdia de Alter

Leia mais

Plano desenvolvimento social

Plano desenvolvimento social Plano desenvolvimento social 2014-2016 Área Intervenção I FAMÍLIA (HABITAÇÃO/EDUCAÇÃO) - Problemas ao nível do parque habitacional; - Falta de expetativas/ objetivos ao nível educativo; - Défice de competências

Leia mais

EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL

EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL Desenvolver as condições facilitadoras da criação de emprego, combate ao desemprego e incentivo à iniciativa local referente ao empreendedorismo

Leia mais

Projecto co-financiado pelo FSE

Projecto co-financiado pelo FSE CLAS DE MONDIM DE BASTO PLANO DE AÇÃO 2013 REDE SOCIAL DE MONDIM DE BASTO Projecto co-financiado pelo FSE ÍNDICE ÍNDICE DE TABELAS... 3 CAPÍTULO I... 4 INTRODUÇÃO... 4 CAPÍTULO II... 7 PLANO DE ACÇÃO 2013...

Leia mais

Plano de Ação da Rede Social de Mafra 2017

Plano de Ação da Rede Social de Mafra 2017 EIXO I DEMOGRAFIA Objetivo Geral/Estratégico 1: Fortalecer as estruturas formais de apoio à Família OE1. Promover o alargamento da capacidade da resposta social Creche, nas Instituições onde já existe.

Leia mais

Fundos Europeus Estruturais e de Investimento

Fundos Europeus Estruturais e de Investimento GOVERNO DE MINISTERIO DA SOLIDARIEDADE E DA SEGURANÇA SOCIAL Fundos Europeus Estruturais e de Investimento FEEI 20142020 FEEI 2014 2020 C C )V hrn() Prioridades nacionais transversais: Promoção Prioridade

Leia mais

DO CONCELHO DE PROENÇA-A-NOVA

DO CONCELHO DE PROENÇA-A-NOVA PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E PLANO DE AÇÃO DO CONCELHO DE PROENÇA-A-NOVA JUNHO DE 2015 A DEZEMBRO 2017 1 NOTA INTRODUTÓRIA Atualmente torna-se cada vez mais evidente a necessidade de adequar o crescimento

Leia mais

Plano de Ação Índice Sumário Executivo A Rede Social no concelho de Alenquer O Plano de Ação...

Plano de Ação Índice Sumário Executivo A Rede Social no concelho de Alenquer O Plano de Ação... PLANO DE AÇÃO 2014 Índice 1. - Sumário Executivo... 1 Pág. 2. - A Rede Social no concelho de Alenquer... 2 2.1. - O Plano de Ação...2 3. - Análise de Eixos de Intervenção... 3 Eixo I.- Deficiência... 4

Leia mais

CLUBE DE EMPREGO SOCIOHABITAFUNCHAL PLANO DE ACTIVIDADES

CLUBE DE EMPREGO SOCIOHABITAFUNCHAL PLANO DE ACTIVIDADES PLANO DE ACTIVIDADES 2010 2011 Identificação Entidade: Sociohabitafunchal, E.M Animadora: Célia Dantas Localização: Centro Cívico de Santo António Designação O Clube de Emprego é um serviço promovido pelo

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2016 COMISSÃO SOCIAL DE FREGUESIA DE ENCOSTA DO SOL

PLANO DE AÇÃO 2016 COMISSÃO SOCIAL DE FREGUESIA DE ENCOSTA DO SOL PLANO DE AÇÃO 2016 COMISSÃO SOCIAL DE FREGUESIA DE ENCOSTA DO SOL Ficha Técnica: Titulo: Plano Ação 2016 Documento Elaborado Por: Núcleo Executivo da CSF de Encosta do Sol Coordenação Geral: Armando Jorge

Leia mais

Portugal APOIOS COMUNITÁRIOS às entidades da economia social. Versão de 11/jun/2015

Portugal APOIOS COMUNITÁRIOS às entidades da economia social. Versão de 11/jun/2015 Portugal 2020 APOIOS COMUNITÁRIOS às entidades da economia social Versão de 11/jun/2015 1 Regulamento FSE Através da Portaria nº 97-A/2015, de 30 de março, da Presidência do Conselho de Ministros e Ministério

Leia mais

ODEMIRA EMPREENDE

ODEMIRA EMPREENDE ODEMIRA EMPREENDE www.cm-odemira.pt PROGRAMA MUNICIPAL DE EMPREENDEDORISMO E EMPREGO Visão O Município de Odemira, com a implementação do Odemira Empreende pretende ter uma postura pró-ativa de estímulo

Leia mais

Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto CLDS - ESPIRAL

Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto CLDS - ESPIRAL Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto CLDS - ESPIRAL 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto(s) Projecto Espiral - Contrato Local de Desenvolvimento Promotor(es): CESIS - Centro de Estudos

Leia mais

Rede Social de Vila Pouca de Aguiar

Rede Social de Vila Pouca de Aguiar Introdução... 3 Plano de Desenvolvimento Social... 4 O que é o Plano de Desenvolvimento Social?... 4 Para que serve o Plano de Desenvolvimento Social?... 4 O Plano de Desenvolvimento Social como processo

Leia mais

Rede Social de Vila Nova de Famalicão 2013 Ano Europeu dos Cidadãos Famalicão promove Fóruns Comunitários nas Comissões Sociais Inter- Freguesias

Rede Social de Vila Nova de Famalicão 2013 Ano Europeu dos Cidadãos Famalicão promove Fóruns Comunitários nas Comissões Sociais Inter- Freguesias Rede Social de Valongo Pais, Mães & Companhia Rede Social de Aveiro Sessões de Sensibilização entre pares na área das demências Rede Social da Covilhã Efemérides e Atividades Atividades 2013 Ano Europeu

Leia mais

Plano de Ação 2013 Autoria:

Plano de Ação 2013 Autoria: Supraconcelhia BAIXO VOUGA (Cf. Dec- Lei n.º 115/2006 de 14 Junho) Plano de Ação Autoria: julho Introdução Corresponde o presente documento à proposta de Plano de Ação de da Territorial Supra concelhia

Leia mais

Apoios ao Empreendedorismo

Apoios ao Empreendedorismo Apoios ao Empreendedorismo IAPMEI Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação, I.P.MEI - Ministério da Economia e da Inovação Objetivos: Facilitar o acesso a soluções de financiamento

Leia mais

Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto. Vale de Alcântara CLDS +

Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto. Vale de Alcântara CLDS + Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto Vale de Alcântara CLDS + 1 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto(s) K'CIDADE para a Inclusão - Vale de Alcântara Entidade Coordenadora da Parceria Fundação

Leia mais

AGIR PARA SOLUCIONAR PLANO DE ACÇÃO PARA 2010

AGIR PARA SOLUCIONAR PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE ARMAMAR AGIR PARA SOLUCIONAR PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 Plano de Acção 20010 1 Após elaboração do Plano de Desenvolvimento Social, onde estão definidas as

Leia mais

Uma iniciativa da câmara municipal do porto e da fundação da juventude.

Uma iniciativa da câmara municipal do porto e da fundação da juventude. Uma iniciativa da câmara municipal do porto e da fundação da juventude. ÍNDICE NOTA INTRODUTÓRIA PROGRAMA EMPREENDE JOVEM Objetivos Para quem Iniciativas PLATAFORMA EMPREENDEJOVEM MOVE YOUR WAY @ PORTO

Leia mais

Conselho Local de Ação Social

Conselho Local de Ação Social Conselho Local de Ação Social Índice Introdução... 6 Eixo I - Demografia... 7 Eixo II Educação/Nível de Instrução... 8 Eixo III Economia... 11 Eixo IV Grupos Vulneráveis... 13 Avaliação.26 2 Ficha Técnica

Leia mais

Programa BIP/ZIP 2016

Programa BIP/ZIP 2016 Programa BIP/ZIP 2016 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 051 BOUTIQUE DO BAIRRO Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone:

Leia mais

Lucília Espanhol Serviço Local de Borba da Segurança Social

Lucília Espanhol Serviço Local de Borba da Segurança Social 2017 PLANO DE AÇÃO Elaborado no âmbito do Programa Rede Social Plano de Ação do Concelho de 2017 s parceiras (Núcleo Executivo do CLASB): António Anselmo - Sofia Alexandra Dias - Crispim Francisco Lopes

Leia mais

Programa de Ação e Investimentos

Programa de Ação e Investimentos Este documento pretende sintetizar o Programa de Ação que faz parte integrante da Estratégia de Desenvolvimento Local apresentada pela ADREPES na fase de pré-qualificação da parceria do GAL ADREPES COSTEIRO.

Leia mais

REUNIÃO DE TRABALHO PI 10.i 30 de setembro, Coimbra

REUNIÃO DE TRABALHO PI 10.i 30 de setembro, Coimbra REUNIÃO DE TRABALHO PI 10.i 30 de setembro, Coimbra CENTRO 2020 POR EIXOS Eixo 1 Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDEIAS) 7,8% 169 M 2,5% 54 M Eixo 10 Assistência Técnica Eixo 2 Competitividade

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social de Almodôvar 2015/2017

Plano de Desenvolvimento Social de Almodôvar 2015/2017 Plano de Desenvolvimento Social de FICHA TÉCNICA Título: Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Coordenação Técnica: Câmara Municipal de Divisão de Intervenção Social, Educação, Cultura, Desporto

Leia mais

REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA

REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA PLANODEAÇÃO DA REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA'15 Estrutura Resumida REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA Ficha Técnica Responsáveis Técnicos: - Nélia Silva - Fundação S. Barnabé - Graça Loução Centro Distrital

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO METROPOLITANO PARA A AÇÃO SOCIAL NA AMP (PEMAS14.17)

PLANO ESTRATÉGICO METROPOLITANO PARA A AÇÃO SOCIAL NA AMP (PEMAS14.17) PLANO ESTRATÉGICO METROPOLITANO PARA A AÇÃO SOCIAL NA AMP 2014-2017 - (PEMAS14.17) - O PEMAS14.17 estrutura e operacionaliza as diretrizes avançadas pelo REF-AMP tendo em vista a sua implementação no quadro

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS INSPEÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA PROGRAMA ACOMPANHAMENTO EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS RELATÓRIO Agrupamento de Escolas de Fajões 2014-2015 RELATÓRIO DE ESCOLA Agrupamento de Escolas de Fajões

Leia mais

Câmara Municipal de Elvas. Plano de Acção. Conselho Local de Acção Social de Elvas

Câmara Municipal de Elvas. Plano de Acção. Conselho Local de Acção Social de Elvas Câmara Municipal de Elvas Plano de Acção 2007 Julho de 2006 Conselho Local de Acção Social de Elvas PROGRAMA REDE SOCIAL Co-financiado pelo Estado Português, Ministério da Segurança Social PLANO DE ACÇÃO

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral Baixo Alentejo Planeamento Estratégico Regional

Leia mais

CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL (CLAS) Grupo de Trabalho Pessoas Idosas, Envelhecimento e Intergeracionalidade. ATA nº 1

CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL (CLAS) Grupo de Trabalho Pessoas Idosas, Envelhecimento e Intergeracionalidade. ATA nº 1 CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL (CLAS) Grupo de Trabalho Pessoas Idosas, Envelhecimento e Intergeracionalidade ATA nº 1 Data: 24 de fevereiro de 2012 (sexta-feira) Local: Câmara Municipal de Peniche Hora

Leia mais

ASSOCIAÇÃO TODOS PELOS OUTROS - TPO PLANO DE ATIVIDADES

ASSOCIAÇÃO TODOS PELOS OUTROS - TPO PLANO DE ATIVIDADES PLANO DE ATIVIDADES 2014 1. Introdução A ASSOCIAÇÃO TODOS PELOS OUTROS - TPO, é uma Associação sem fins lucrativos, com sede na Rua D. Duarte Nuno, nº 50, 3025-582 São Silvestre, na freguesia de São Silvestre,

Leia mais

Plano de Acção 2006/2007. Rede Social Concelho da Lourinhã

Plano de Acção 2006/2007. Rede Social Concelho da Lourinhã Plano de Acção 2006/2007 Rede Social Concelho da Lourinhã E I X O I Intervenção Dirigida a Grupos Específicos EIXO I : INTERVENÇÃO DIRIGIDA A GRUPOS ESPECIFICOS OBJECTIVO GERAL: Até Dezembro de 2007 existem

Leia mais

Entidades. Coordenadora ACM - Associação Cristã da Mocidade de Setúbal

Entidades. Coordenadora ACM - Associação Cristã da Mocidade de Setúbal CLDS Setúbal Entidades Coordenadora ACM - Associação Cristã da Mocidade de Setúbal Executoras ACM - Associação Cristã da Mocidade de Setúbal (Bela Vista e zona envolvente) APACCF - Associação de Professores

Leia mais

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Actividade Formativa - Intervenção Comunitária Data 17 de Junho de 2009 Local Auditório do Edifício Cultural Município de Peniche Participação:

Leia mais

Programa Cidadania Ativa. Participação das ONG na Conceção e Aplicação de Políticas Públicas, a Nível Nacional, Regional e Local

Programa Cidadania Ativa. Participação das ONG na Conceção e Aplicação de Políticas Públicas, a Nível Nacional, Regional e Local Programa Cidadania Ativa Participação das ONG na Conceção e Aplicação de Políticas Públicas, a Nível Nacional, Regional e Local Carta da Cidadania Infantojuvenil A Carta da Cidadania Infantojuvenil (Carta)

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES CLAS VISEU 2014

PLANO DE ATIVIDADES CLAS VISEU 2014 PLANO DE ATIVIDADES CLAS VISEU 2014 AÇÃO ATIVIDADES INTERVENIENTES Calendarização das Atividades J F M A M J J A S O N D 1) Realizar quatro reuniões plenárias durante o ano de 2014 1.1) Realização de uma

Leia mais

www.algarve.portugal2020.pt Região Competitiva, Resiliente, Empreendedora e Sustentável com base na valorização do Conhecimento CAPACITAR Fundo Social Europeu (FSE) Eixos Prioritários Prioridades de Investimento

Leia mais

EMPREENDEDO- RISMO E EMPREGABILIDADE

EMPREENDEDO- RISMO E EMPREGABILIDADE EMPREENDEDO- RISMO E EMPREGABILIDADE Programa de Ocupação de Jovens (POJ) Descrição: Programa que proporciona a jovens experiências iniciais de contacto com o mercado de trabalho facilitando o desenvolvimento

Leia mais

1 INTRODUÇÃO O PLANO DE ACÇÃO AVALIAÇÃO...14 PLANO DE ACÇÃO DE 2009 PÁGINA 1 DE 15

1 INTRODUÇÃO O PLANO DE ACÇÃO AVALIAÇÃO...14 PLANO DE ACÇÃO DE 2009 PÁGINA 1 DE 15 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...2 2 O PLANO DE ACÇÃO 2009... 3 3 AVALIAÇÃO....14 PLANO DE ACÇÃO DE 2009 PÁGINA 1 DE 15 INTRODUÇÃO Depois de elaborado o diagnóstico social e o plano de desenvolvimento social surge

Leia mais

REDE SOCIAL CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE MANGUALDE

REDE SOCIAL CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE MANGUALDE REDE SOCIAL CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE MANGUALDE PLANO DE AÇÃO 2014-1 ENTIDADES QUE CONSTITUEM O CLASM (CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE MANGUALDE) Câmara Municipal de Mangualde Centro Distrital

Leia mais

Região do Médio Tejo. Características e Desafios

Região do Médio Tejo. Características e Desafios Região do Médio Tejo Características e Desafios 09 março 2015 A Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo Território e Municípios A Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo Atribuições e Competências das

Leia mais

DIREÇÃO REGIONAL DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL DIVISÃO DE ENCAMINHAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS

DIREÇÃO REGIONAL DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL DIVISÃO DE ENCAMINHAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DIREÇÃO REGIONAL DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL DIVISÃO DE ENCAMINHAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS O que são? Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional Os CQEP são estruturas do Sistema Nacional

Leia mais

Conselho Local de Ação Social de. Pinhel. Plano de Ação 2014

Conselho Local de Ação Social de. Pinhel. Plano de Ação 2014 Conselho Local de Ação Social de Pinhel Plano de Ação 2014 Plano de Ação 2014 Enquadramento Legal Objetivo Geral Área Geográfica de Intervenção Eixos de Intervenção Resolução do Conselho de Ministros nº

Leia mais

Actividades de dinamização social e melhoria da qualidade de vida

Actividades de dinamização social e melhoria da qualidade de vida Actividades de dinamização social e melhoria da qualidade de vida O EXEMPLO DA CÂMARA MUNICIPAL DE VALONGO EUNICE NEVES OBJECTIVOS Igualdade Direitos Humanos Cidadania Activa e Inclusiva Conciliação Novas

Leia mais

O QUE SÃO OS BIP/ZIP?

O QUE SÃO OS BIP/ZIP? Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) de Lisboa O QUE SÃO OS BIP/ZIP? Sessão de Capacitação Apoios financeiros para a área social 27 de Maio Miguel BRITO, Maio 2013 COMO SURGE A CARTA BIP/ZIP?

Leia mais

Lisboa 2014 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2014 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2014 Refª: 039 População com Profissão Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60 Email -

Leia mais

Constituição do Núcleo Executivo:

Constituição do Núcleo Executivo: Índice Constituição do Núcleo Executivo Pág. 2 Constituição do Conselho Local de Ação Social de Sousel Pág. 3 Enquadramento Pág. 4 Introdução Pág. 5 Metodologia Pág. 6 Linhas Orientadoras Pág. 7 Eixo 1

Leia mais

ANEXO C. Guia Rápido dos Fundamentos da Rede Social

ANEXO C. Guia Rápido dos Fundamentos da Rede Social ANEXO C Guia Rápido dos Fundamentos da Rede Social Guia Rápido dos Fundamentos da Rede Social O trabalho em parceria é um conceito que só se materializa e operacionaliza quando as pessoas e entidades se

Leia mais

Regulamento Programa AnimaSénior

Regulamento Programa AnimaSénior Nota Justificativa O Município de Vouzela, ao longo dos anos, tem vindo a implementar programas e atividades destinados à população sénior residente no concelho, no âmbito do programa AnimaSénior, tendo

Leia mais

M U N I C Í P I O D E O L I V E I R A D O H O S P I T A L. Normas Regulamentares do Programa Férias + Solidárias

M U N I C Í P I O D E O L I V E I R A D O H O S P I T A L. Normas Regulamentares do Programa Férias + Solidárias Normas Regulamentares do Programa Férias + Solidárias Proposta de Normas Regulamentares do Programa Férias + Solidárias Preâmbulo Cabendo às autarquias locais um papel importante na promoção dos tempos

Leia mais

Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Estimular o desenvolvimento de projectos de vida;

Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Estimular o desenvolvimento de projectos de vida; São nossos objectivos: 1ª fase: Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Alargar e consolidar a rede de parcerias de forma a fomentar e a criar novos recursos, propiciando condições

Leia mais

(Portaria nº266/2012, de 30 de agosto)

(Portaria nº266/2012, de 30 de agosto) (Portaria nº266/2012, de 30 de agosto) dezembro, 2013 CARTA DE MISSÃO (Portaria n.º 266/2012, de 30 de agosto) Nome do Diretor Carlos Alberto Martins Carvalho Escalão 9º Unidade Orgânica : Agrupamento

Leia mais

COMUNIDADE DE INSERÇÃO SOCIAL DE ESPOSENDE REGULAMENTO

COMUNIDADE DE INSERÇÃO SOCIAL DE ESPOSENDE REGULAMENTO COMUNIDADE DE INSERÇÃO SOCIAL DE ESPOSENDE REGULAMENTO ESPOSENDE SOLIDARIO ASSOCIAÇÃO CONCELHIA PARA O DESENVOLVIMENTO INTEGRADO, é uma Organização Não Governamental Sem Fins Lucrativos e de Utilidade

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO MUNICIPIO DE MANTEIGAS E NERGA NÚCLEO EMPRESARIAL DA REGIÃO DA GUARDA ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO MUNICIPIO DE MANTEIGAS E NERGA NÚCLEO EMPRESARIAL DA REGIÃO DA GUARDA ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO MUNICIPIO DE MANTEIGAS E NERGA NÚCLEO EMPRESARIAL DA REGIÃO DA GUARDA ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL Considerando: Que o NERGA é uma Pessoa Coletiva de Utilidade Pública que, tem como objetivo

Leia mais

DESEMPREGO DE LONGA DURAÇÃO +45 ANOS

DESEMPREGO DE LONGA DURAÇÃO +45 ANOS DESEMPREGO DE LONGA DURAÇÃO +45 ANOS 1 Apresentação de Resultados: Mapa Conceptual Propostas Govint Painel de Comentadores Debate 2 O histórico 3 http://issuu.com/ipav/docs/problemas_sociais_complexos_-_atas_

Leia mais

Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital da Guarda

Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital da Guarda PLANEAMENTO ESTRATÉGICO SUPRACONCELHIO Plataforma Supraconcelhia * Beira Interior Norte (PSCBIN) Diagnóstico Social (DS) e Plano de Desenvolvimento Social (PDS) 11 / Dezembro / 2009 Instituto da Segurança

Leia mais

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2015 Refª: 038 DE JOVEM A LIDER Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60 Email - bip.zip@cm-lisboa.pt

Leia mais

CLDS Por um crescimento inclusivo. Instituto da Segurança Social, I.P.

CLDS Por um crescimento inclusivo. Instituto da Segurança Social, I.P. CLDS Por um crescimento inclusivo Instituto da Segurança Social, I.P. I ENQUADRAMENTO MACRO CLDS: Antecedentes Os CLDS e, neste caso, os CLDS+, constituem-se como uma ferramenta de combate à pobreza e

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO INSTITUCIONAL ENTRE PRIMEIRO:

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO INSTITUCIONAL ENTRE PRIMEIRO: 1 PROTOCOLO DE ENTRE PRIMEIRO: O Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, neste ato representado pela Secretária de Estado da Administração Local e Reforma Administrativa, Dr.ª Ana Rita Barosa O

Leia mais

Lucília Espanhol Serviço Local de Borba da Segurança Social

Lucília Espanhol Serviço Local de Borba da Segurança Social 2016 PLANO DE AÇÃO Elaborado no âmbito do Programa Rede Social Plano de Ação do Concelho de 2016 s parceiras (Núcleo Executivo do CLASB): António Anselmo - Sofia Alexandra Dias - Crispim Francisco Lopes

Leia mais

ANEXO I EQUIPAMENTOS MUNICIPAIS AFETOS À AÇÃO SOCIAL SETORES /ATIVIDADES /VALÊNCIAS

ANEXO I EQUIPAMENTOS MUNICIPAIS AFETOS À AÇÃO SOCIAL SETORES /ATIVIDADES /VALÊNCIAS ANEXO I EQUIPAMENTOS MUNICIPAIS AFETOS À AÇÃO SOCIAL SETORES /ATIVIDADES /VALÊNCIAS I COMPLEXO MULTIFUNCIONAL DE COUROS Endereço: Travessa de Vila Verde, São Sebastião, 4800 430 Guimarães Tipologia: Espaço

Leia mais

P L A N O D E D E S E N V L V I M E N T C I A L. Rede Social de Arganil

P L A N O D E D E S E N V L V I M E N T C I A L. Rede Social de Arganil P L A N O D E D E S E N V O L V I M E N T O Rede Social de Arganil 2010-2013 S O C I A L Plano Desenvolvimento Social 2010-2013 O Plano de Desenvolvimento Social deverá assumir-se como instrumento de definição

Leia mais

Portugal 2020: Objetivos e Desafios António Dieb

Portugal 2020: Objetivos e Desafios António Dieb Portugal 2020: Objetivos e Desafios 2014-2020 António Dieb Porto, 11 de julho de 2016 Tópicos: 1. Enquadramento Estratégico (EU 2020) 2. Portugal 2020: Objetivos e prioridades 3. Estrutura Operacional

Leia mais

Programa BIP/ZIP 2016

Programa BIP/ZIP 2016 Programa BIP/ZIP 2016 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 072 remix Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322

Leia mais

Comunidade Intermunicipal do Oeste OesteCIM

Comunidade Intermunicipal do Oeste OesteCIM Comunidade Intermunicipal do Oeste OesteCIM É uma pessoa coletiva de direito público de natureza associativa e âmbito territorial e visa a realização de interesses comuns aos Municípios que a integram,

Leia mais

Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde

Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde CASCAIS SAUDÁVEL 1. Contexto SÓCIO-POLÍTICO: Saúde na ordem do dia Envelhecimento da população Sustentabilidade do SNS Transferência de competências para as Autarquias

Leia mais

Plano Bienal de Desenvolvimento de Marvila (Março de 2014 a Março de 2016)

Plano Bienal de Desenvolvimento de Marvila (Março de 2014 a Março de 2016) 1. - Ação de Team Building - Nº de ações realizadas; Trabalho em - Consolidar - Realizar 1 ação em - ATM - Nº de entidades presentes por ação Rede parcerias conjunto. - Criar plano de comunicação da CSF;

Leia mais

OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PARA AS EMPRESAS NO PORTUGAL 2020

OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PARA AS EMPRESAS NO PORTUGAL 2020 OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PARA AS EMPRESAS NO PORTUGAL 2020 Sessão de apresentação/divulgação Barreiro Vítor Escária 28.01.2015 1. Enquadramento 2. Condições de Elegibilidade e Apoios Máximos 3. Apoio

Leia mais

Maria da Feira PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL SANTA MARIA DA FEIRA

Maria da Feira PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL SANTA MARIA DA FEIRA Maria da Feira PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL SANTA MARIA DA FEIRA 2012-2015 1 Introdução O Plano de Desenvolvimento Social (PDS) tem como objetivo servir de enquadramento a todas as intervenções para

Leia mais

Rede Social CLAS Fornos de Algodres C.L.A.S. CONSELH0 LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES

Rede Social CLAS Fornos de Algodres C.L.A.S. CONSELH0 LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES C.L.A.S. CONSELH0 LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES ABRIL DE 2009 NOTA INTRODUTÓRIA No documento aqui apresentado estão identificados os projectos e intervenções a realizar no Município

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social

Plano de Desenvolvimento Social Plano de Desenvolvimento Social 65 6. Planear para Intervir Objectivos e Estratégias Numa fase seguinte, após a consequente identificação das vulnerabilidades concelhias /eixos estratégicos de intervenção

Leia mais

Agrupamento de Escolas nº4 de Évora Escola Sede: Escola Secundária André de Gouveia 1. ÁREAS DE INTERVENÇÃO

Agrupamento de Escolas nº4 de Évora Escola Sede: Escola Secundária André de Gouveia 1. ÁREAS DE INTERVENÇÃO 1. ÁREAS DE INTERVENÇÃO 1.1. IMPLEMENTAR A ORGANIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR - Aprimorar ação educativa. Otimizar o desempenho de funções de coordenação. Valorizar a centralidade da escola e do

Leia mais

Missão, Visão, Valores e Objetivos Estratégicos NOTA INTRODUTÓRIA

Missão, Visão, Valores e Objetivos Estratégicos NOTA INTRODUTÓRIA NOTA INTRODUTÓRIA A definição da Missão, da Visão, dos Valores e dos Objetivos Estratégicos da Câmara Municipal de Câmara de Lobos, tem como escopo estabelecer a direção estratégica que o Município deverá

Leia mais

Rede Social de Gouveia. Conselho Local de Ação Social. Plano de Ação 2015

Rede Social de Gouveia. Conselho Local de Ação Social. Plano de Ação 2015 Conselho Local Ação Social Plano Ação Aprovado em reunião plenário 02-03- Eixo I : Intervenção com Famílias e Comunida Finalida Objetivo (s) Ação Desenvolver ações que permitam melhorar a qualida vida

Leia mais

PLANO DE AVISOS 2016 (*)

PLANO DE AVISOS 2016 (*) PO PO PO PO Calendário de de Dados do Identificação do Referência do Empreendedorismo Qualificado 3 3.1, 8.5 janeiro 16 abril 16 SI - 02/SI/2016 Inovação Empresarial Inovação Produtiva Científico e Tecnológico

Leia mais

Programa BIP/ZIP 2017

Programa BIP/ZIP 2017 Programa BIP/ZIP 2017 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 099 Desenha, Escreve e Conta Comigo Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060

Leia mais

Lisboa, 26 de Junho de 2012

Lisboa, 26 de Junho de 2012 Lisboa, 26 de Junho de 2012 Estímulo 2012 A medida ativa de emprego Estímulo 2012, aprovada pela Portaria nº 45/2012, tem por objetivo: Apoiar a contratação de desempregados; Promovendo e aumentando a

Leia mais

Lisboa 2012 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2012 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2012 Refª: 047 Reajustar Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60 Email - bip.zip@cm-lisboa.pt

Leia mais

REDE SOCIAL DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO PLANO DE ACÇÃO PARA 2010

REDE SOCIAL DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 REDE SOCIAL DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 EIXO I Promoção da Inclusão das famílias com especial enfoque às necessidades dos idosos OBJECTIVO GERAL Melhorar as condições de vida de

Leia mais

O POTENCIAL HUMANO PARA de NOVEMBRO 2012

O POTENCIAL HUMANO PARA de NOVEMBRO 2012 O POTENCIAL HUMANO PARA 2013 28 de NOVEMBRO 2012 O POTENCIAL HUMANO PARA 2013 ORIENTAÇÕES ESTRATÉGICAS PARA O FUTURO - CAPITAL HUMANO PARA O CRESCIMENTO E O EMPREGO CONTRIBUTO DO POPH (ANOS 2013 E 2014)

Leia mais

Plano Local de Promoção dos Direitos da Criança

Plano Local de Promoção dos Direitos da Criança Plano Local de Promoção dos Direitos da Criança Breve Enquadramento O Plano Local de Promoção dos Direitos da Criança constitui o resultado do Projeto Tecer a, promovido pela Comissão Nacional de Promoção

Leia mais

Índice. Índice de Quadros. Índice de Siglas

Índice. Índice de Quadros. Índice de Siglas 2016 Plano de Ação Índice Índice de Quadros... 2 Índice de Siglas... 2 Sumário Executivo... 4 1. Plano Operacional... 5 2. Monitorização / Avaliação... 11 Índice de Quadros Quadro 1 - Planificação da de

Leia mais

Desenvolvimento Local de Base Comunitária Cascais DesEnvolve Alcabideche e S. Domingos de Rana. 3ª Reunião do GAL

Desenvolvimento Local de Base Comunitária Cascais DesEnvolve Alcabideche e S. Domingos de Rana. 3ª Reunião do GAL Desenvolvimento Local de Base Comunitária Cascais DesEnvolve Alcabideche e S. Domingos de Rana 3ª Reunião do GAL Alcabideche, DNA Cascais 07 de julho de 2015 ORDEM DE TRABALHOS Ponto de situação sobre

Leia mais

3. Como podem ser constituídas as equipas dos projetos cooperativos?

3. Como podem ser constituídas as equipas dos projetos cooperativos? FAQ I Finalidade e âmbito do Programa COOPJOVEM 1. O que é o COOPJOVEM? O COOPJOVEM é um programa de apoio ao empreendedorismo cooperativo, destinado a apoiar os jovens NEET na criação de cooperativas,

Leia mais

PROPOSTA DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DE CONDEIXA 2013 I 2016

PROPOSTA DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DE CONDEIXA 2013 I 2016 NÚCLEO EXECUTIVO DO CLAS-C PROPOSTA DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DE CONDEIXA 2013 I 2016 Rede de Setembro de 2013 Proposta de Plano de Desenvolvimento de 1 Índice I - Parte 1- Introdução..... 3 2-

Leia mais

Programa BIP/ZIP 2016

Programa BIP/ZIP 2016 Programa BIP/ZIP 2016 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 018 Laços entre nós Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone:

Leia mais

Programa 2012 FICHA DE CANDIDATURA. Refª: 110 Movimento Low Cost

Programa 2012 FICHA DE CANDIDATURA. Refª: 110 Movimento Low Cost Programa 2012 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 110 Movimento Low Cost Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21

Leia mais

Medidas de combate ao insucesso e abandono escolar: Financiamentos Comunitários

Medidas de combate ao insucesso e abandono escolar: Financiamentos Comunitários Medidas de combate ao insucesso e abandono escolar: Financiamentos Comunitários Programa Operacional Norte 2020 Estrutura da Apresentação I. Eixo Prioritário/ Prioridade de Investimento/ Objetivo Específico

Leia mais

NOVEMBRO DE 2016 PLANO DE ATIVIDADES E ORÇAMENTO VEM VENCER ASSOCIAÇÃO DE APOIO A CRIANÇAS, IDOSOS E PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Barreiro

NOVEMBRO DE 2016 PLANO DE ATIVIDADES E ORÇAMENTO VEM VENCER ASSOCIAÇÃO DE APOIO A CRIANÇAS, IDOSOS E PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Barreiro NOVEMBRO DE 2016 PLANO DE ATIVIDADES E ORÇAMENTO 2017 VEM VENCER ASSOCIAÇÃO DE APOIO A CRIANÇAS, IDOSOS E PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Barreiro Para o ano 2017, decidimos como principais e prioritárias, as

Leia mais

FAMALICÃO INCLUSIVO. Município de Vila Nova de Famalicão

FAMALICÃO INCLUSIVO. Município de Vila Nova de Famalicão FAMALICÃO INCLUSIVO Município de Vila Nova de Famalicão FAMALICÃO INCLUSIVO O grupo temático Famalicão Inclusivo surge no âmbito das atividades desenvolvidas pela Rede Social de Vila Nova de Famalicão

Leia mais