Os três principais tipos de firewall são o filtro de pacotes, o filtro de pacotes com estado e o proxy.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Os três principais tipos de firewall são o filtro de pacotes, o filtro de pacotes com estado e o proxy."

Transcrição

1 Tipos de Firewall Os três principais tipos de firewall são o filtro de pacotes, o filtro de pacotes com estado e o proxy. Entretanto os firewalls também exercem as funções adicionais como NAT (Network Address Translation), VPN (Virtual Private Netowork) e autenticação/ certificação de usuários. Acompanhe na sequência, detalhadamente, cada um desses tipos de firewalls. Filtro de Pacotes Este tipo de firewall consiste na ação de controle seletivo do fluxo de dados que chega e sai de um segmento de rede, habilitando, ou não, o bloqueio de pacotes com base em regras especificadas via endereços IP, protocolos (portas) e tratamento do início da conexão (tcp syn). Filtrar = peneirar, separar; Funciona na camada de rede e de transporte; Faz controle do tráfego que entra e sai na rede; É transparente aos usuários; As regras são estáticas static packet filter; As regras dos filtros contêm: Endereço IP de origem Endereço IP de destino Protocolos TCP, UDP, ICMP Portas TCP ou UDP de origem Portas TCP ou UDP de destino Tipo de mensagem ICMP

2 Filtro de pacotes no contexto da pilha TCP/IP Os filtros de pacotes simples também são chamados de stateless firewall, conforme se pode observar na figura 1. Cada pacote é tratado de forma isolada: não guarda o estado da conexão e não sabe se o pacote faz parte de uma conexão feita anteriormente. Segundo Scarfone e Hoffman (2008), os filtros de pacotes sem estado têm como características: alta vazão examinam os dados sobre a camada de rede; baixo overhead e flexíveis podem ser implantados em qualquer infraestrutura de redes, onde a sua velocidade e flexibilidade tornam ideal o uso como perímetro de uma rede não confiável, bloqueando o tráfego de entrada, um procedimento conhecido como filtro de entrada; abrem brechas permanentes no perímetro da rede são vulneráveis a ataques e exploits que tiram vantagens das vulnerabilidades existentes dentro da pilha TCP/IP; não oferecem autenticação.

3 Filtro de Pacotes com Estado Estes filtros realizam as mesmas funcionalidades do filtro de pacotes, mas também podem manter o estado das conexões por meio de máquinas de estado. Este tipo de firewall também possibilita o bloqueio de varreduras, controle efetivo de fluxo de dados e tratamento do cabeçalho TCP, além de verificar os campos do datagrama, com o objetivo de identificar possíveis ataques. A função de inspeção dos pacotes melhora em comparação com as funções do filtro de pacotes, pois ele acompanha o estado das conexões e bloqueia os pacotes que não estão de acordo com o estado esperado. Isto ocorre através da incorporação de uma maior sensibilização da camada de transporte, conforme pode ser constatado na figura 2. Tal como acontece com a filtragem de pacotes, a inspeção de estado intercepta pacotes na camada de rede e fiscaliza-os para ver se essas conexões são permitidas por uma regra de firewall existentes. Mas, ao contrário de filtragem de pacotes de inspeção, o stateful firewall acompanha cada conexão em uma tabela de estado, apesar de os detalhes das entradas da tabela de estado variarem de produto de firewall para firewall. As entradas da tabela de estado normalmente incluem o endereço IP de origem, o endereço IP de destino, números de porta e informações sobre o estado de conexão. O funcionamento do statefull firewall é o seguinte: o firewall verifica somente o primeiro pacote de cada conexão, de acordo com as regras de filtragem; a tabela de conexões ganha uma nova entrada, quando o pacote inicial é aceito; os demais pacotes são filtrados, utilizando-se as informações da tabela de estados.

4 Filtro de pacotes de estados (Statefull) A seguir é apresentado um exemplo de uma tabela de estado. Tabela 1: Exemplo de Tabela de Estados Tabela de Estados Repare a primeira linha onde um ativo da rede interna ( ) tenta acessar a outro ativo ( ) além do firewall. A tentativa de conexão é verificada, inicialmente, com o objetivo de verificar se ela é permitida pelas regras de firewall. Caso seja permitida, uma entrada é adicionada à tabela de estado e indica que

5 uma nova sessão está sendo iniciada, como apresentado na primeira entrada em estado de ligação. Caso os ativos e completem a conexão TCP, o estado da conexão irá mudar para estabelecida, e todo o tráfego posterior correspondente a essa entrada será permitido (SCARFONE e HOFFMAN, 2008). Arquiteturas de Firewall O firewall pode ser aplicado de formas diferentes em uma rede, atendendo as necessidades da empresa. Essas arquiteturas são apresentadas na sequência. Dual-homed host 1. Formada por um equipamento que tem duas interfaces de rede. 2. Funciona como separador entre duas redes. 3. O Firewall torna-se um ponto único de falhas. Dual-homed Host Screened host 1. Sem sub-rede de proteção.

6 2. Elementos = 1 filtro de pacotes e 1 bastion host. 3. Rede protegida que não possui acesso direto à rede externa. 4. Bastion host realiza o papel de procurador só ele passa pelo roteador. 5. O filtro deve ter regras que permitam o tráfego para a rede interna somente por meio do Bastion Host. 6. O Bastion Host reside na rede interna. 7. Se ele for comprometido, o atacante tem acesso à rede interna (Ex.: sniffer). 8. O Bastion Host concentra várias funções nesta arquitetura: se ele cair, várias funcionalidades da rede se perdem. Screened Host Screened Subnet 1. Apresenta múltiplos níveis de redundância. 2. É a mais segura. 3. Componentes: Roteador externo;

7 Sub-rede intermediária (DMZ); Bastion Hosts; Roteador Interno. 4. O que é a DMZ (De Militarized Zone): Trata-se de sub-rede. Sub-rede entre a rede externa e a protegida com os serviços oferecidos aos usuários da rede externa. Proporciona segurança. 5. Somente a sub-rede DMZ é conhecida pela Internet. 6. Um ataque à rede DMZ não deve comprometer a rede Interna. 7. Permite que serviços sejam providos para os usuários externos (por meio de bastion hosts) ao mesmo tempo em que protege a rede interna de acessos externos. 8. A DMZ cria uma zona de confinamento.

8 Screened Subnet Proxy Um gateway de aplicativo de proxy é um recurso do firewall que combina o controle de acesso com a funcionalidade da camada superior. Os firewalls contêm um agente proxy que atua como um intermediário entre dois hosts que desejam se comunicar uns com os outros, e nunca permite uma conexão direta entre eles. Cada tentativa de conexão bem-sucedida resulta, na verdade, na criação de duas conexões separadas, uma entre o cliente e o servidor proxy e outra entre o servidor proxy e o seu verdadeiro destino, conforme apresentado na figura 6. Proxy na rede O proxy, além de tornar a rede mais segura, também pode deixála com um maior desempenho. Essa eficiência vem com base na utilização dele como cache de informações solicitadas. Esta vantagem possibilita que, caso múltiplas máquinas solicitem o mesmo dado, este poderá estar disponível no proxy,

9 ocasionando um melhor desempenho, reduzindo o tráfego na rede, em virtude da redução do número de conexões solicitadas. O proxy é transparente para os dois usuários, de forma que, da sua perspectiva, parece haver uma conexão direta, como pode ser visto na figura 7. Como os hosts externos se comunicam com o agente de proxy, conforme apresentado na figura 6, os endereços IP internos não conhecem o mundo exterior. Cada agente proxy pode exigir a autenticação de cada usuário da rede individualmente (proxy de autenticação). Essa autenticação do usuário pode assumir muitas formas, incluindo a identificação de usuário e senha, token de hardware ou software, endereço de origem e dados biométricos (SCARFONE e HOFFMAN, 2008). Conexão direta entre cliente e servidor HTTP Desta forma, Morimoto (2010) resume as vantagens de se usar um proxy nos seguintes itens: 1. impõe restrições com base em horários, login, endereço IP e outras informações, além de bloquear páginas com conteúdos indesejados;

10 2. funciona como um cache de páginas e arquivos, armazenando informações já acessadas. Ao acessar uma página que já foi apresentada, o proxy envia os dados que armazenou no cache; 3. possibilita registrar todos os acessos (log) realizados através dele. Apresentadas as características iniciais do proxy, serão descritas algumas de suas funcionalidades e como ele trabalha. O gateway proxy opera na camada de aplicação e verifica o conteúdo real do tráfego. Ao contrário de análise do filtro de pacotes, que verifica, principalmente, se o tráfego é consistente com as regras de análise de IPs, serviços e protocolos, os gateways de aplicação proxy analisam mais profundamente o conteúdo do pacote, fazendo a distinção entre o tráfego normal de um determinado protocolo e o tráfego que podem conter URLs (Uniform Resource Locator Localizador Padrão de Recursos) indesejadas, isto é, páginas com conteúdos indesejados. Para que a comunicação possa ser realizada, os gateways executam a conexão TCP (3-way handshake) com o sistema de origem e são capazes de proteger a informação contra explorações em cada etapa de uma comunicação. Além disso, os gateways podem tomar decisões para permitir ou negar o tráfego com base nas informações contidas nos cabeçalhos de aplicação do protocolo ou de dados. Por exemplo: um gateway pode determinar se uma mensagem de contém um anexo de um determinado tipo que a organização não permite (como um arquivo executável), ou então as mensagens instantâneas utilizando a porta 80 (normalmente usado para HTTP). Outra característica do proxy é que ele pode restringir as ações a serem executadas (por exemplo, os usuários podem ser impedidos de usar o FTP). Também pode ser usado para permitir ou negar as páginas da Web que contêm determinados tipos ativos como Java ou ActiveX.

11 Como os serviços de proxy trabalham Os serviços proxy necessitam de dois componentes: o servidor proxy e o cliente. Ele recebe as requisições do cliente e realiza uma avaliação das mesmas. Desta forma, com base nas ACLs (Access Control Lists Listas de Controle de Acesso), o poxy decide quais requisições serão aprovadas, ou negadas. Caso a requisição seja aceita, o proxy realiza a conexão com o servidor de internet e encaminha a solicitação do cliente para o servidor, conforme descrito anteriormente e visualizado na figura 9. Assim, o servidor proxy, por sua vez, controla quais usuários podem acessar o quê, quando e como. Métodos de utilização do proxy: 1. Método da Conexão Direta (usuário se conecta ao proxy) no browser do cliente é configurado o endereço do servido proxy, a porta em que estará na escuta (Ex.: portas 3128 ou 8080) e quais serviços estarão sob sua análise; 2. Método de proxy de Autenticação essa forma de utilização do Proxy força a todo usuário ser identificado e autenticado, ao acessar inicialmente algum serviço monitorado pelo Proxy. Essa forma possibilita ao gerente da rede uma visão precisa quanto aos usos dos serviços, URLs, entre outros pontos, por usuário. Isto porque todo e qualquer acesso ficará registrado e relacionado ao usuário; 3. Método do Proxy Transparente muito utilizado pelas empresas, onde nessa situação os usuários não possuem conhecimento da existência do Proxy, isto é, todo o tráfego do cliente é analisado sem que o cliente tenha conhecimento. Com a finalidade de comparar uma requisição que passa pelo Proxy e uma requisição que não passa, são apresentadas a seguir essas situações.

12 Requisição HTTP sem Proxy Conforme apresentado na figura 8, as seguintes tarefas são executadas: 1. O cliente realiza a requisição http; 2. O servidor HTTP faz uso somente do caminho e da URL requisitada; 3. O tipo do protocolo http e o nome do servidor são claros para o servidor HTTP remoto; 4. O caminho requisitado especifica um documento no sistema de arquivos local do servidor; ou, ainda, algum outro recurso disponível daquele servidor. Requisição do usuário: O browser converte para: GET /depto/setor/pag.html> Requisição normal Requisição HTTP com Proxy Conforme apresentado na figura 9, as seguintes tarefas são executadas quando se encontra o Proxy no sistema de segurança:

13 1. o cliente realiza a requisição HTTP com proxy; 2. o cliente especifica toda a URL para o proxy; com isto, o proxy possui todas as informações necessárias para realizar a requisição ao servidor remoto especificado na URL. Requisição do usuário: O browser converte para: GET O browser se conecta ao servidor. O proxy realiza a conexão com o servidor de internet, convertendo a requisição para: GET /depto/setor/pag.html Uso do servidor proxy entre cliente e servidor HTTP Apesar de o Proxy apresentar vantagens, citadas anteriormente, ele também possui algumas desvantagens como: 1. pode-se necessitar servidores diferentes para cada serviço; 2. os serviços oferecidos por proxy ocasionam certo atraso na realização dos serviços. Referências SCARFONE, Karen e HOFFMAN, Paul. Guidelines on firewalls and firewall policy. National Institute of Standards and

14 Technology NIST, 800-3, MORIMOTO, Carlos E. Servidores Linux, guia prático. Porto Alegre: Ed. Sul Editores, Autor: Ms. Luiz Otávio Botelho Lento

Geralmente, o firewall também é configurado para não bloquear o tráfego de saída. Por exemplo, um banco pode querer isolar a rede da tesouraria do res

Geralmente, o firewall também é configurado para não bloquear o tráfego de saída. Por exemplo, um banco pode querer isolar a rede da tesouraria do res FIREWALL A conexão com a Internet traz às corporações os seguintes riscos: Relacionados a dados: confidencialidade, integridade e disponibilidade; Relacionados aos recursos e ativos da empresa; Relacionados

Leia mais

Firewalls Reginaldo Campos 1

Firewalls Reginaldo Campos 1 Firewalls Reginaldo Campos 1 Roteiro Introdução Características do Firewall Tipo de Firewall Filtro de Pacotes Servidores Proxy Tipos avançados de Firewall Bastion Host Firewalls híbridos 2 Roteiro (cont)

Leia mais

Firewalls. Carlos Gustavo A. da Rocha. ASSR

Firewalls. Carlos Gustavo A. da Rocha. ASSR Carlos Gustavo A. da Rocha Introdução Um Firewall cria uma barreira através da qual todo o tráfego que deixa ou chega a uma rede deve passar Suas regras ditam quais tráfegos estão autorizados a passar

Leia mais

CEA463 SEGURANÇA E AUDITORIA DE SISTEMAS

CEA463 SEGURANÇA E AUDITORIA DE SISTEMAS CEA463 SEGURANÇA E AUDITORIA DE SISTEMAS Universidade Federal de Ouro Preto Profa. Msc. Helen de DECEA Cássia / S. João da Monlevade Costa Lima Universidade Federal de Ouro Preto Definição

Leia mais

Firewall - Inspeção com estado. (Stateful Inspection)

Firewall - Inspeção com estado. (Stateful Inspection) Proxy e FIREWALL Firewall - Inspeção com estado. (Stateful Inspection) As primeiras gerações de firewall eram ditos "stateless". Cada pacote é analisado individualmente, sem levar em conta pacotes anteriores

Leia mais

Firewall. Andrei Jean Fabio Garzarella William Passig

Firewall. Andrei Jean Fabio Garzarella William Passig Firewall Andrei Jean Fabio Garzarella William Passig O que é? Firewall por Hardware Firewall por Software Camadas OSI Como funciona? Regras e Ações Tipo de Firewall Agenda O que é? Firewall é uma solução

Leia mais

Firewalls. Firewalls

Firewalls. Firewalls Firewalls Firewalls Paredes Corta-Fogo Regula o Fluxo de Tráfego entre as redes Pacote1 INTERNET Pacote2 INTERNET Pacote3 Firewalls Firewalls Barreira de Comunicação entre duas redes Host, roteador, PC

Leia mais

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini /

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini   / Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / andre.belini@ifsp.edu.br MATÉRIA: SEG Aula N : 11 Tema: Servidores Proxies

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação 1 Agenda Sistemas de Firewall 2 1 SISTEMAS DE FIREWALL 3 Sistemas de Firewall Dispositivo que combina software e hardware para segmentar e controlar o acesso entre redes de computadores

Leia mais

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Auditoria e Segurança da Informação GSI536 Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Tópicos Motivação Utilização cada vez maior da Internet e a criação de ambientes cooperativos, levam a uma crescente preocupação

Leia mais

Firewall. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Firewall. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Firewall Prof. Marciano dos Santos Dionizio Firewall (definições) Por que do nome firewall? Antigamente, quando as casas eram feitas de madeira o fogo era um grande problema, pois se alastrava facilmente

Leia mais

Segurança em Sistemas de Informação Tecnologias associadas a Firewall

Segurança em Sistemas de Informação Tecnologias associadas a Firewall Algumas definições Firewall Um componente ou conjunto de componentes que restringe acessos entre redes; Host Um computador ou um dispositivo conectado à rede; Bastion Host Um dispositivo que deve ser extremamente

Leia mais

Componentes de um sistema de firewall - I

Componentes de um sistema de firewall - I Componentes de um sistema de firewall - I O que são Firewalls? Os firewalls são sistemas de segurança que podem ser baseados em: um único elemento de hardware; um único elemento de software instalado num

Leia mais

Características de Firewalls

Características de Firewalls Firewall Firewall é um sistema de proteção de redes internas contra acessos não autorizados originados de uma rede não confiável (Internet), ao mesmo tempo que permite o acesso controlado da rede interna

Leia mais

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 09 Firewall

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 09 Firewall www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício O que é Firewall Um Firewall é um sistema para controlar o aceso às redes de computadores, desenvolvido para evitar acessos

Leia mais

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini /

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini   / Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / andre.belini@ifsp.edu.br MATÉRIA: SEG Aula N : 12 Tema: Aprimorando a segurança

Leia mais

Como funciona um Firewall

Como funciona um Firewall Como funciona um Firewall Toda a facilidade trazida pelo aumento do acesso à Internet também serviu para tornar os computadores menos seguros, transformando o uso de um firewall em uma regra básica de

Leia mais

Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Proxy, NAT Filtros de Pacotes

Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Proxy, NAT Filtros de Pacotes Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour Proxy, NAT Filtros de Pacotes Exercício 1 Configure as regras do filtro de pacotes "E" para permitir que os computadores da rede interna tenham

Leia mais

Firewalls. O que é um firewall?

Firewalls. O que é um firewall? Tópico 13 Firewall Ferramentas de defesa - Firewall. Princípios de projeto de firewall. Sistemas confiáveis. Critérios comuns para avaliação de segurança da tecnologia da informação. 2 Firewalls O que

Leia mais

Segurança de Redes. Firewall. Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br

Segurança de Redes. Firewall. Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br Segurança de Redes Firewall Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br Introdução! O firewall é uma combinação de hardware e software que isola a rede local de uma organização da internet; Com ele é possível

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores 8. Segurança de Rede DIN/CTC/UEM 2008 : o que é? Dispositivo que permite conectividade segura entre redes (interna e externa) com vários graus de confiabilidade Utilizado para implementar e impor as regras

Leia mais

Instituto Superior de Tecnologia em Ciências da Computação de Petrópolis VPN Virtual Private Network

Instituto Superior de Tecnologia em Ciências da Computação de Petrópolis VPN Virtual Private Network Instituto Superior de Tecnologia em Ciências da Computação de Petrópolis VPN Virtual Private Network Por: Bruno Fagundes Segurança Confidencialidade; Integridade; Autenticidade; Disponibilidade; Criptografia

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO http:// www.cefetrn.br/datinf ARQUITETURA TCP/IP Nome: Curso: Turma: LISTA DE EXERCÍCIO

Leia mais

FACSENAC. Versão:1.5. Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes. Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0. Histórico de revisões

FACSENAC. Versão:1.5. Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes. Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0. Histórico de revisões FACSENAC ECOFROTA Documento de Projeto Lógico de Rede Versão:1.5 Data: 21/11/2013 Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0 Localização: FacSenac

Leia mais

Administração de Sistemas Operacionais

Administração de Sistemas Operacionais Diretoria de Educação e Tecnologia da Informação Análise e Desenvolvimento de Sistemas INSTITUTO FEDERAL RIO GRANDE DO NORTE Administração de Sistemas Operacionais Serviço Proxy - SQUID Prof. Bruno Pereira

Leia mais

Utilização de Números de Porta FTP Não- Padrão com NAT

Utilização de Números de Porta FTP Não- Padrão com NAT Utilização de Números de Porta FTP Não- Padrão com NAT Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configurações de exemplo Configuração de exemplo 1 Configuração de exemplo

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação INF-108 Segurança da Informação Firewalls Prof. João Henrique Kleinschmidt Middleboxes RFC 3234: Middleboxes: Taxonomy and Issues Middlebox Dispositivo (box) intermediário que está no meio do caminho dos

Leia mais

Redes de Computadores e Aplicações Camada de aplicação IGOR ALVES

Redes de Computadores e Aplicações Camada de aplicação IGOR ALVES Redes de Computadores e Aplicações Camada de aplicação IGOR ALVES Camada de aplicação Um protocolo da camada de aplicação define como processos de uma aplicação, que funcionam em sistemas finais diferentes,

Leia mais

FIREWALL. Prof. Fabio de Jesus Souza. fabiojsouza@gmail.com. Professor Fabio Souza

FIREWALL. Prof. Fabio de Jesus Souza. fabiojsouza@gmail.com. Professor Fabio Souza FIREWALL Prof. Fabio de Jesus Souza fabiojsouza@gmail.com Professor Fabio Souza O que são Firewalls? Os firewalls são sistemas de segurança que podem ser baseados em: um único elemento de hardware; um

Leia mais

Introdução a Redes e a Internet. Introdução ao Computador 2010/01 Renan Manola

Introdução a Redes e a Internet. Introdução ao Computador 2010/01 Renan Manola Introdução a Redes e a Internet Introdução ao Computador 2010/01 Renan Manola Modelo OSI Criado pela ISO (International Organization for Standarization) Lançado em 1984 Criado baseado nos padrões da época

Leia mais

Estruturas de Comunicação de Dados Aula 3 Camadas de Aplicação e Transporte

Estruturas de Comunicação de Dados Aula 3 Camadas de Aplicação e Transporte Estruturas de Comunicação de Dados Aula 3 Camadas de Aplicação e Transporte Escola Maria Eduarda Ramos de Barros Curso técnico em redes de computadores Carpina - PE Roteiro Aplicações de Rede Transporte

Leia mais

SEGURANÇA APLICADA MATERIAL 19

SEGURANÇA APLICADA MATERIAL 19 Graduação Tecnologia em Redes Computadores SEGURANÇA APLICADA MATERIAL 19 Prof. Luís Mateus da Silva Matos TRIPLE CCIE # 17528 (R&S, SP, SECURITY) CCNA, CCDA, CCNP, DCNIS CCDP, MCP, MCP+Internet, MCSE

Leia mais

Firewalls Filtragem de Pacotes

Firewalls Filtragem de Pacotes Firewalls Filtragem de Pacotes Edgard Jamhour Firewalls Definição: Processo de permitir ou bloquear pacotes em uma camada arbitrária do modelo OSI, mas usualmente na camada de rede. Packet Filtering: quando

Leia mais

Curso Firewall. Sobre o Curso de Firewall. Conteúdo do Curso

Curso Firewall. Sobre o Curso de Firewall. Conteúdo do Curso Curso Firewall Sobre o Curso de Firewall Este treinamento visa prover conhecimento sobre a ferramenta de Firewall nativa em qualquer distribuição Linux, o "iptables", através de filtros de pacotes. Este

Leia mais

Componentes de um sistema de firewall - II. Segurança de redes

Componentes de um sistema de firewall - II. Segurança de redes Componentes de um sistema de firewall - II Segurança de redes O que são Bastion Hosts? Bastion host é o nome dado a um tipo especial de computador que tem funções críticas de segurança dentro da rede e

Leia mais

Prof. Marcelo Cunha Parte 6

Prof. Marcelo Cunha Parte 6 Prof. Marcelo Cunha Parte 6 www.marcelomachado.com ARP (Address Resolution Protocol) Protocolo responsável por fazer a conversão entre os endereços IPs e os endereços MAC da rede; Exemplo: Em uma rede

Leia mais

Administração de Redes I (LI) Ano, Semestre: 2, 1

Administração de Redes I (LI) Ano, Semestre: 2, 1 Administração de Redes I (LI) Ano, Semestre: 2, 1 Pedro M. M. Marques pedromarques.eng@gmail.com 1 OBJECTIVOS Estudar mecanismos de conectividade no acesso à Internet e no acesso remoto; Estudar estratégias

Leia mais

FUNDAMENTOS DE REDES DE COMPUTADORES Unidade 5 Camada de Transporte e Aplicação. Luiz Leão

FUNDAMENTOS DE REDES DE COMPUTADORES Unidade 5 Camada de Transporte e Aplicação. Luiz Leão Unidade 5 Camada de Transporte e Aplicação Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático 5.1 Protocolo UDP 5.2 Protocolo TCP 5.3 Principias Protocolos de Aplicação 5.3.1 SMTP

Leia mais

Técnico de Informática. Modulo II Segurança de Redes. Profª. Vanessa Rodrigues. Firewall

Técnico de Informática. Modulo II Segurança de Redes. Profª. Vanessa Rodrigues. Firewall Técnico de Informática Modulo II Segurança de Redes Profª. Vanessa Rodrigues Firewall Introdução Mesmo as pessoas menos familiarizadas com a tecnologia sabem que a internet não é um "território" livre

Leia mais

OSRC Segurança em Redes de Computadores Módulo 10: Firewalls e Proxies

OSRC Segurança em Redes de Computadores Módulo 10: Firewalls e Proxies OSRC Segurança em Redes de Computadores Módulo 10: Firewalls e Proxies Prof. Charles Christian Miers e-mail: charles.miers@udesc.br Pilha de Protocolo DARPA Programas de Aplicação CMOT FTP ASN1 SMTP Telnet

Leia mais

Protocolos e Serviços de Redes

Protocolos e Serviços de Redes Protocolos e Serviços de Redes Redes de Computadores Charles Tim Batista Garrocho Instituto Federal de São Paulo IFSP Campus Campos do Jordão garrocho.ifspcjo.edu.br/rdc charles.garrocho@ifsp.edu.br Técnico

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA 1. A arquitetura TCP/IP possui diferentes protocolos organizados em uma estrutura hierárquica. Nessa arquitetura, exemplos de protocolos das camadas de Rede, Transporte e Aplicação, são, respectivamente,

Leia mais

Roteador de Perímetro DMZ Hosts de Segurança Gateway de Aplicativo

Roteador de Perímetro DMZ Hosts de Segurança Gateway de Aplicativo Roteador de Perímetro DMZ Hosts de Segurança Gateway de Aplicativo Conectando-se à Internet com Segurança Soluções mais simples. Sistemas de Segurança de Perímetro Zona Desmilitarizada (DMZ) Roteador de

Leia mais

Estrutura do Iptables

Estrutura do Iptables Estrutura do Iptables Autor: Elgio Schlemer Data: 13/07/2007 Introdução: o que esperar deste artigo Ao contrário de outros artigos e tutoriais sobre iptables, este não se

Leia mais

Use o NAT para esconder o endereço IP real do ONS15454 para estabelecer uma sessão CTC

Use o NAT para esconder o endereço IP real do ONS15454 para estabelecer uma sessão CTC Use o NAT para esconder o endereço IP real do ONS15454 para estabelecer uma sessão CTC Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Informações de Apoio Topologia Configurar

Leia mais

Lista de exercícios - 1º bimestre 2016 REDES

Lista de exercícios - 1º bimestre 2016 REDES Lista de exercícios - 1º bimestre 2016 REDES Jean Nicandros Stragalinos Neto. Prontuário: 1616251. Curso: ADS 2º Módulo. 1) Desenhe duas redes com 7 e 8 computadores e defina a configuração IP de cada

Leia mais

ENDEREÇAMENTO PRIVADO PROXY E NAT

ENDEREÇAMENTO PRIVADO PROXY E NAT ENDEREÇAMENTO PRIVADO PROXY E NAT MOTIVAÇÃO PARA O ENDEREÇAMENTO IP PRIVADO Crescimento do IPv4 07/2007 490 milhões de hosts 01/2008 542 milhões de hosts IPv4 permite endereçar 4 bilhões de hosts. PREVISÃO

Leia mais

Projeto de Ensino. iptables. Grupo de Estudos em Tecnologia de Redes e Processamento Paralelo. Prof. Luiz Antonio Unioeste

Projeto de Ensino. iptables. Grupo de Estudos em Tecnologia de Redes e Processamento Paralelo. Prof. Luiz Antonio Unioeste Projeto de Ensino Grupo de Estudos em Tecnologia de Redes e Processamento Paralelo iptables Prof. Luiz Antonio Unioeste Introdução Firewall O Firewall é um programa que tem como objetivo proteger a máquina

Leia mais

Protocolos de Rede. Protocolos em camadas

Protocolos de Rede. Protocolos em camadas Protocolos de Rede Prof. Alexandre Beletti Protocolos em camadas Existem protocolos em diferentes camadas dos modelos de estudo (OSI e TCP/IP) Lembre-se de diferencias tipos de programas de tipos de protocolos

Leia mais

Firewalls. André Zúquete Segurança Informática e nas Organizações 1

Firewalls. André Zúquete Segurança Informática e nas Organizações 1 Firewalls André Zúquete Segurança Informática e nas Organizações 1 Firewall: Objectivos É um elemento indispensável na ligação de uma rede privada à Internet Controlo de acesso Controlo de fluxo Controlo

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Cap. 3: Visão Geral das Tecnologias de Segurança Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Introdução Projeto de segurança de Redes Page 2 Etapas: Segurança em camadas

Leia mais

Uma combinação de hardware e software que protege redes mediante a análise do tráfego de entrada e saída

Uma combinação de hardware e software que protege redes mediante a análise do tráfego de entrada e saída Sistemas de Firewall Luiz Henrique Barbosa luiz@oluiz.com Firewalls Um Firewall é um método de proteger hosts e redes conectados a outros computadores e redes contra ataques como: tentativas de obter acesso

Leia mais

Camada de Aplicação da Arquitetura TCP/IP

Camada de Aplicação da Arquitetura TCP/IP Arquitetura de Redes de Computadores e Tecnologia de Implementação de Redes 2016.1 Camada de Aplicação da Arquitetura TCP/IP Curso Técnico Integrado em Informática Turma: INT.INF.3M Arquitetura de Redes

Leia mais

Netfilter e Iptables

Netfilter e Iptables Netfilter e Iptables Iptables/Netfilter O projeto netfilter/iptables é um subsistema de firewalling para o kernel Linux 2.4 e superiores. Com o uso desta ferramenta podese definir regras especiais para

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Motivação Realidade Atual Ampla adoção das diversas tecnologias de redes de computadores Evolução das tecnologias de comunicação Redução dos

Leia mais

PROAPPS Security Data Sheet Professional Appliance / Apresentação

PROAPPS Security Data Sheet Professional Appliance / Apresentação O ProApps Security O ProApps Security é um componente da suíte de Professional Appliance focada na segurança de sua empresa ou rede. A solução pode atuar como gateway e como solução IDS/IPS no ambiente.

Leia mais

AULA EXPOSITIVA SOBRE: CONCEITOS E IMPLEMENTAÇÃO DE FIREWALL, VPN E SSH (REDES PRIVADAS E SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO)

AULA EXPOSITIVA SOBRE: CONCEITOS E IMPLEMENTAÇÃO DE FIREWALL, VPN E SSH (REDES PRIVADAS E SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO) AULA EXPOSITIVA SOBRE: CONCEITOS E IMPLEMENTAÇÃO DE FIREWALL, VPN E SSH (REDES PRIVADAS E SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO) Wanderléa Teixeira Gnoato Lodi gnoatow@yahoo.com.br 10 de Outubro de 2011 Roteiro de

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 2 - MODELO DE REFERÊNCIA TCP (RM TCP) 1. INTRODUÇÃO O modelo de referência TCP, foi muito usado pela rede ARPANET, e atualmente usado pela sua sucessora, a Internet Mundial. A ARPANET é de grande

Leia mais

Rede de computadores Cliente- servidor. Professor Carlos Muniz

Rede de computadores Cliente- servidor. Professor Carlos Muniz Rede de computadores Professor Carlos Muniz Definição Cliente-servidor é um modelo computacional que separa clientes e servidores, sendo interligados entre si geralmente utilizando-se uma rede de computadores.

Leia mais

PROJETO LÓGICO DE REDE

PROJETO LÓGICO DE REDE Instituto Federal de Santa Catarina Campus Lages Curso de Ciência da Computação Redes de Computadores Alberto Felipe Friderichs Barros Robson Costa Leonardo André de Oliveira Correa Lucas dos Anjos Varela

Leia mais

Roteamento Prof. Pedro Filho

Roteamento Prof. Pedro Filho Roteamento Prof. Pedro Filho Definição Dispositivo intermediário de rede projetado para realizar switching e roteamento de pacotes O roteador atua apenas na camada 3 (rede) Dentre as tecnologias que podem

Leia mais

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação.

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação. Protocolo TCP/IP PROTOCOLO é um padrão que especifica o formato de dados e as regras a serem seguidas para uma comunicação a língua comum a ser utilizada na comunicação. TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO,

Leia mais

Firewall. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática

Firewall. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Firewall Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Firewall (definições) Por que do nome firewall? Antigamente, quando as casas

Leia mais

Protocolo HTTP. Professor Leonardo Larback

Protocolo HTTP. Professor Leonardo Larback Protocolo HTTP Professor Leonardo Larback Protocolo HTTP No final da década de 1980, Tim Berners-Lee criou o protocolo HTTP (HyperText Transfer Protocol) e o padrão de arquivo HTML (HyperText Markup Language)

Leia mais

Aula 09 Firewall (Configuração) Prof. Roitier Campos Gonçalves

Aula 09 Firewall (Configuração) Prof. Roitier Campos Gonçalves Aula 09 Firewall (Configuração) Prof. Roitier Campos Gonçalves O que filtrar? Duas abordagens: Política padrão DROP e regras específicas para os serviços permitidos; Política padrão ACCEPT e regras para

Leia mais

Operations Research Serviços de Redes

Operations Research Serviços de Redes Serviços de Redes 3º Ano / 1º Semestre 2017 lvilanculos@up.ac.mz Curso de Informática Docente: Luís Vilanculos 1 Virtualização Para entender perfeitamente o conceito da tecnologia, deve-se traçar um paralelo

Leia mais

Camada de Rede. Endereçamento de Rede Protocolo IP

Camada de Rede. Endereçamento de Rede Protocolo IP Camada de Rede Endereçamento de Rede Protocolo IP Camada de Rede Protocolo mais importante: IP IPv4 (mais utilizada) IPv6 (atender ao crescimento das redes e a necessidade de novos endereços). PDU: Pacote

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Msc André Y. Kusumoto

Redes de Computadores. Prof. Msc André Y. Kusumoto Redes de Computadores Prof. Msc André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Open Systems Interconnection Modelo OSI No início da utilização das redes de computadores, as tecnologias utilizadas para

Leia mais

Internet Explorer 8.0 Navegador (Browser)

Internet Explorer 8.0 Navegador (Browser) Internet Explorer 8.0 Navegador (Browser) O Internet Explorer 8 foi projetado para facilitar a navegação e a interação com sites na Internet ou na intranet. Sempre que você usa a Internet, ou um software

Leia mais

Gerenciamento e interoperabilidade de redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Packet tracer Segurança: Firewall, ACLS e VPN

Gerenciamento e interoperabilidade de redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Packet tracer Segurança: Firewall, ACLS e VPN Gerenciamento e interoperabilidade de redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Packet tracer Segurança: Firewall, ACLS e VPN 1 Configuração de firewall em um servidor Configure a rede abaixo e teste

Leia mais

SEGURANÇA E CONTROLE DE ACESSO

SEGURANÇA E CONTROLE DE ACESSO SEGURANÇA E CONTROLE DE ACESSO Produzido por: Professor Elber professorelber@gmail.com AULA 01 -FIREWALL - O QUE É FIREWALL? A palavra firewall tem estado cada vez mais comum no nosso cotidiano, ainda

Leia mais

Sistemas de Detecção de Intrusão

Sistemas de Detecção de Intrusão Sistemas de Detecção de Intrusão Gabriel Antonio Fontes Rebello Matheus Lemos dos Reis Rafael Gonçalves Damasceno Raphael Oliveira Sathler de Souza Rodrigo Carvalho Ribeiro de Jesus Contexto para Sistemas

Leia mais

Arquitetura da Internet TCP/IP

Arquitetura da Internet TCP/IP Arquitetura da Internet TCP/IP A Internet Internet é a rede mundial de computadores, à qual estão conectados milhões de computadores do mundo todo; A idéia de concepção de uma rede mundial surgiu nos Estados

Leia mais

Redes de Computadores Arquitetura TCP/IP. Prof. Alberto Felipe

Redes de Computadores Arquitetura TCP/IP. Prof. Alberto Felipe Redes de Computadores Arquitetura TCP/IP Prof. Alberto Felipe Histórico TCP/IP O TCP/IP foi desenvolvido em 1969 pelo U.S. Departament of Defense Advanced Research Projects Agency DARPA, como um recurso

Leia mais

genérico proteção de rede filtragem dos pacotes Sem estado (stateless) no próprio pacote. Com estado (stateful) outros pacotes

genérico proteção de rede filtragem dos pacotes Sem estado (stateless) no próprio pacote. Com estado (stateful) outros pacotes FIREWALLS Firewalls Definição: Termo genérico utilizado para designar um tipo de proteção de rede que restringe o acesso a certos serviços de um computador ou rede de computadores pela filtragem dos pacotes

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores FTP Prof. Thiago Dutra Agenda n Definição de FTP n Características do FTP n Usos Comuns do FTP n Funcionamento do FTP n Mensagens FTP n Códigos de Resposta

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Transporte Parte I Prof. Thiago Dutra Agenda n Parte I n Introdução n Protocolos de Transporte Internet n Multiplexação e n UDP n Parte II n TCP

Leia mais

Camada de Transporte Protocolos TCP e UDP

Camada de Transporte Protocolos TCP e UDP Arquitetura de Redes de Computadores e Tecnologia de Implementação de Redes 2016.1 Camada de Transporte Protocolos TCP e UDP Curso Técnico Integrado em Informática Turma: INT.INF.3M Arquitetura de Redes

Leia mais

Guia de instalação. McAfee Web Gateway Cloud Service

Guia de instalação. McAfee Web Gateway Cloud Service Guia de instalação McAfee Web Gateway Cloud Service COPYRIGHT Copyright 2017 McAfee LLC ATRIBUIÇÕES DE MARCA McAfee e o logotipo da McAfee, McAfee Active Protection, epolicy Orchestrator, McAfee epo, Foundstone,

Leia mais

Protocolos e Arquiteturas de Redes. Thiago Leite

Protocolos e Arquiteturas de Redes. Thiago Leite Protocolos e Arquiteturas de Thiago Leite As redes são organizadas em camadas Forma de reduzir a complexidade Um conjunto de camadas forma uma pilha A função de cada camada da

Leia mais

Modelo OSI. Marcelo Assunção 10º13. Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Disciplina: Redes de Comunicação

Modelo OSI. Marcelo Assunção 10º13. Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Disciplina: Redes de Comunicação Modelo OSI Marcelo Assunção 10º13 Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Disciplina: Redes de Comunicação 2013/2014 Índice Modelo OSI Open System Interconnection (OSI)

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi fabianotaguchi@gmail.com http://fabianotaguchi.wordpress.com BENEFÍCIOS MODELO OSI Menor complexidade; Interfaces padronizadas; Interoperabilidade entre

Leia mais

ASA 7.x/PIX 6.x e acima: Aberto/bloco o exemplo de configuração das portas

ASA 7.x/PIX 6.x e acima: Aberto/bloco o exemplo de configuração das portas ASA 7.x/PIX 6.x e acima: Aberto/bloco o exemplo de configuração das portas Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Produtos Relacionados Convenções Configurar Diagrama de Rede

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Transporte Antonio Alfredo Ferreira Loureiro loureiro@dcc.ufmg.br Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais UFMG/DCC Redes de Computadores

Leia mais

Protótipo de um software de segurança em redes para monitoração de pacotes em uma conexão TCP/IP

Protótipo de um software de segurança em redes para monitoração de pacotes em uma conexão TCP/IP Protótipo de um software de segurança em redes para monitoração de pacotes em uma conexão TCP/IP Acadêmico: Paulo Fernando da Silva Orientador: Sérgio Stringari Roteiro Introdução Fundamentos Segurança

Leia mais

Nível de segurança de uma VPN

Nível de segurança de uma VPN VPN Virtual Private Network (VPN) é uma conexão segura baseada em criptografia O objetivo é transportar informação sensível através de uma rede insegura (Internet) VPNs combinam tecnologias de criptografia,

Leia mais

Firewalls - IPTables. Carlos Gustavo A. da Rocha. ASSR

Firewalls - IPTables. Carlos Gustavo A. da Rocha. ASSR Firewalls - IPTables Carlos Gustavo A. da Rocha Histórico de Firewalls no SO Linux O kernel do Linux disponibiliza funcionalidades de filtragem de pacotes desde meados de 1995 Kernel versão 1.2.x e 2.0.x

Leia mais

Emanuel Rebouças, MBA Disciplina: SEGURANÇA DE REDE DE COMPUTADORES E SEGURANÇA E AUDITORIA DE SISTEMAS AGENDA

Emanuel Rebouças, MBA Disciplina: SEGURANÇA DE REDE DE COMPUTADORES E SEGURANÇA E AUDITORIA DE SISTEMAS AGENDA Segurança em Redes de Computadores Segurança e FIREWALL Emanuel Rebouças, MBA AGENDA s Objetivo: Avaliar os diferentes tipos de firewall no mercado, como instalá-los em uma rede de computadores e como

Leia mais

Guia Primeiros Passos da Bomgar B400

Guia Primeiros Passos da Bomgar B400 Guia Primeiros Passos da Bomgar B400 Documento: 043010.15 Publicado: maio 2010 Guia Primeiros Passos da Bomgar B400 Documento: 043010.15 Publicado: maio 2010 Obrigado por usar a Bomgar. Na Bomgar, o atendimento

Leia mais

Estruturas básicas de redes Internet Padronização e Protocolos

Estruturas básicas de redes Internet Padronização e Protocolos Estruturas básicas de redes Internet Padronização e Protocolos Universidade Católica de Pelotas Cursos de Engenharia da Computação Disciplina: Rede Computadores I 2 Agenda Estruturas básicas de redes A

Leia mais

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft CPE Soft Manual 125/400mW 2.4GHz CPE Soft Campinas - SP 2010 Indice 1.1 Acessando as configurações. 2 1.2 Opções de configuração... 3 1.3 Wireless... 4 1.4 TCP/IP 5 1.5 Firewall 6 7 1.6 Sistema 8 1.7 Assistente...

Leia mais

Níkolas Timóteo Paulino da Silva Redes de Computadores I ADS 2ºTermo

Níkolas Timóteo Paulino da Silva Redes de Computadores I ADS 2ºTermo Níkolas Timóteo Paulino da Silva Redes de Computadores I ADS 2ºTermo 1) Desenhe duas redes com 7 e 8 computadores e defina a configuração IP de cada máquina com classe B e C, respectivamente. REDE A (7

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Agenda Motivação Objetivos Histórico Família de protocolos TCP/IP Modelo de Interconexão Arquitetura em camadas Arquitetura TCP/IP Encapsulamento

Leia mais

Segurança em Sistemas de Informação. Agenda. Conceitos Iniciais

Segurança em Sistemas de Informação. Agenda. Conceitos Iniciais Segurança em Sistemas de Informação Agenda 1. Conceitos Iniciais; 2. Terminologia; 3. Como funcionam; 4. : 1. Cache; 2. Proxy reverso; 5. Exemplos de Ferramentas; 6. Hands on; 7. Referências; 2 Conceitos

Leia mais

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Pós-graduação Lato Sensu em Desenvolvimento de Software e Infraestrutura

Leia mais

Criptografia e Certificação Digital Oitava Aula. Prof. Frederico Sauer, D.Sc.

Criptografia e Certificação Digital Oitava Aula. Prof. Frederico Sauer, D.Sc. Criptografia e Certificação Digital Oitava Aula Prof. Frederico Sauer, D.Sc. Detecção de Intrusos Intrusos são pessoas ou programas que acessam indevidamente sistemas alheios Categorias: Mascarader faz-se

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações

Redes de Dados e Comunicações Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Endereçamento IP Endereço IP Basicamente as máquinas quando estão ligadas em rede possuem um endereço IP configurado (seja ele IPv4 (normalmente) ou

Leia mais

CCT0298 ANALISE DE REDES Aula : Trafego HTTP

CCT0298 ANALISE DE REDES Aula : Trafego HTTP CCT0298 ANALISE DE REDES Aula : Trafego HTTP O que é o protocolo HTTP? Hyper Text Transfer Protocol é o protocolo usado na World Wide Web para a distribuição e recuperação de informação. A troca de informações

Leia mais