Custos de TI. Reavaliando e Inovando. Antonio Luiz Camanho e Octávio Lanna Março de Custos de TI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Custos de TI. Reavaliando e Inovando. Antonio Luiz Camanho e Octávio Lanna Março de 2009. Custos de TI"

Transcrição

1 Reavaliando e Inovando Antonio Luiz Camanho e Octávio Lanna Março de

2 Índice 1. Introdução 2. As 3 Frentes de Redução de Custos 3. Gestão dos Custos Externos de Serviços de TI 4. Gestão dos Custos Internos de Serviços de TI 5. Investimentos Priorizando Retorno e Essencialidade 6. Conclusão 2

3 Introdução Acima, inclusive, dos aspectos econômicos e financeiros, a Pedra Angular para uma nova abordagem de Gestão de Custos e Investimentos em TI, na realidade é o recurso tempo. Isto porque, o tempo é um recurso ainda mais escasso do que os financeiros! Tendo ou não recursos financeiros, cabe dar a necessária prioridade e alocar recursos efetivos em projetos de gestão de custos! Isto porque, sem Gestão não há como buscar Redução! Obtido o recursos de tempo necessário para uma efetiva gestão de custo, precisamos mudar alguns confortáveis posicionamentos do passado recente, tais como : Sair do Círculo do Medo criado pela estratégia mercadológica da indústria global, focado na compra por impulso frente a uma permanente ameaça de risco. Sair dos vícios de consumo. Experimentar sair da griffe para o genérico. Se não na aquisição, pelo menos na manutenção. Inovar bastante e arriscar um pouco mais. Experimentar novas modalidades e formas de contratação e parceria. Dividir o risco com o Cliente Interno, com a Direção do Negócio e com os Fornecedores. 3

4 As 3 Frentes de Redução de Custos 4

5 As 3 Frentes de Redução de Custos Com Clientes Internos Na própria Gestão de TI Com Fornecedores 5

6 Redução de Custos na própria Gestão de TI (1) Entender o seu Modelo de TI Voltado a Custo ou voltado a Inovação? Voltado ao Cliente Interno ou voltado à Supply Chain (Do Fornecedor ao Cliente)? Alocar tempo e recursos para Gestão de Custos dos Serviços de TI Benchmarking como referencial de práticas e de gestão de custo. Austeridade deve ser um elemento permanente e não só para períodos de crise. Austeridade não quer dizer economia porca. Manter um modelo de Planejamento de TI mais elaborado Priorizar pela essencialidade e contribuição dos projetos Medição de Pay-back Fazer e não só falar. Medidas de Austeridade Focar em exigências legais e regulatórias, Postergar Projetos, sem, entretanto, cancelar. Cancelar Projetos e Melhorias de baixa contribuição. 6

7 Redução de Custos na própria Gestão de TI (2) Perfil da Equipe de TI Aumentar o nível de envolvimento e comprometimento. Sair da Estratégia do Medo dos Fornecedores. Equipe interna deve ter perfil técnico para confrontar fornecedores. Auditar o seu fornecedor - Produtividade + Custos + Recursos Humanos + Ferramentas Tecnológicas, etc. O olho do dono é que engorda o porco. Envolver-se mais nas decisões tecnológicas. Decisão não pode ser de Fornecedores, mas sim da empresa. Trabalhar em regime de parceria e comprometimento mútuo. Não jogar total responsabilidade para o Fornecedor. Reduzir custo aumentando a produtividade da sua equipe interna. Implantar e medir Processos. Não negligenciar na responsabilidade e comprometimento com o gerenciamento dos serviços de terceiros. 7

8 Redução de Custos na própria Gestão de TI (3) Inovar na Prestação de Serviços de TI Correr Riscos. Sair da zona de conforto. Sair da Estratégia do Medo das Consultorias e Auditorias. Negociar alternativas com custos mais reduzidos Equilibrar foco. Custo X Qualidade Revisão de Perfil do seu Fornecedor Tradicional Internacional / Nacional / Regional. Mudar o modelo e os custos de Manutenção- ERPs / Office Automation / HW / etc. Inovar Modelo de Atendimento Questionar as Práticas incorporadas ao longo do tempo - Cortar Service Desk? Você tem Service Desk em casa? - Cortar LINKS Onde aplicar banda larga padrão. - Terceirizar Correio Eletrônico. - Ampliar a utilização da Videoconferência / SKIPE / Mesengers corporativos. 8

9 Redução de Custos com Clientes Internos Repactuar o Nível de Serviço junto aos Clientes Internos Pactuar reduções de Nível de Serviço x Adequação de Risco. Pactuar reduções na disponibilidade e tempos de reparos. - Micro da Secretária da Diretoria com atendimento padrão. Caso contrário paga mais. Reduzir cobertura 24 x 7. Atender somente a HW. Atendimentos de HW do tipo SPOT, no lugar do conforto do Service Desk. Praticar Charge Back com Nível de Serviço diferenciado - GOLD, SILVER, PADRÃO. Austeridade na avaliação da implementação de melhorias no ERP, sobretudo nas camadas administrativo-financeira. Aumentar prazos na renovação do parque de desktops e notebooks. Austeridade com relação as ondas de modismo. Não confundir modismo e excesso de conforto com Inovação aplicada ao negócio 9

10 Redução de Custos com Fornecedores Avaliar aplicar primarização onde for possível e recomendável, gerenciando planos de trabalhos de recursos internos junto com Clientes. Seguir a tendência do MULTISOURCING O FULL OUTSOURCING fracassou. O seu histórico de experiências no mercado nacional e internacional é extremamente negativo O MULTISOURCING faz crescer a concorrência entre fornecedores e, com isso, naturalmente apresenta maior competitividade no componente custo. Se orienta pela especialização de cada fornecedor e não pelo nome, permitindo que ocasionalmente se opte por fornecedores de menor porte e característica regional. Permite contratar seletivamente por tipo de serviço - Gestão de Servidores, Gestão de Redes, Service Desk, Suporte de Campo, Gestão de Ativos, etc. Permite aplicar diferentes métricas de Nível de Serviço Exige um forte gerenciamento sobre fornecedores e contratos, qualidade e níveis de serviço. Investigar as possibilidades de migração para modelos ON DEMAND (se realmente existir esta modalidade). Estudar a viabilidade de adotar contratações na modalidade SaS (Software as a Service). 10

11 Redução de Custos com Fornecedores Revisar todos Contratos, baseando-se numa em uma análise ABC Consolidar Contratos por especialização buscando ganhos de escala. Ex.: Manutenção de Servidores. Revisar Níveis de Serviço. Flexibilizar onde for possível, reduzindo custos. Estudar contratos baseados em outsourcing com SLA. Quando possível, migrar para body-shop e gerenciar planos de trabalhos de recursos externos de forma compartilhada, com fornecedores e Clientes internos. Estudar criteriosamente as Taxas de Manutenção verificando reais benefícios e valor agregado. Estabelecer negociações baseadas em Grupos de Empresas Ex.: Com a SAP / MICROSOFT e outras. Diluir pagamentos da taxas de manutenção num plano de desembolso anual. (Política Casa Bahia). Investigar as principais fontes de perda: ERP TELECOM - Banda Larga local ao invés de LINK e outras soluções / SKIPE / Menseger Interno OUTSOURCING de um modo geral Manutenção de Servidores 11

12 Gestão dos Custos Externos de Serviços de TI 12

13 Auditoria dos Contratos com Fornecedores Externos Levantar todos os contratos ativos, Consolidar por Fornecedor / Modalidade, Produzir uma análise ABC por Fornecedor / Modalidade, Detalhar os principais contratos, para entendimento de seus objetivos e principais cláusulas, Comparar situação de cada Contrato as práticas correntes de mercado, Estabelecer alternativas de migração, Exercitar a simulação de cenários alternativos, Produzir uma proposta de práticas futuras, incluindo as análises financeiras inerentes, Implementar as migrações. 13

14 Focos Telecomunicações TELEMAR / EMBRATEL / OI / etc. Infra-estrutura de Hardware HP / IBM / etc. Software Básico / Suporte e Upgrade - MICROSOFT / ORACLE / Antivirus / etc. Aplicativos ERPs / outros OUTSOURCING / Serviços de Terceiros Fábricas de Software / Service Desk / Field Service / etc. R$ Contratados por Serviços Hardw are 19% Aplicativos 26% Infra-estrutura 17% Benchmarking auxilia no referenciament o Telecomunicações 38% 14

15 ABC de Contratos CL TIPO Empresa Objeto Mês (R$) % % AC (R$) 1 HWA XXPP Equipamentos - Manutenção e Suporte ,33 18,15% 18,15% ,00 2 SOF ERP CCDD Manutenção e Suporte Técnico ,33 13,08% 31,24% ,00 3 TLC VOZ Tarifação Voz ,54 10,72% 41,95% ,44 4 INF GVFVB Microsoft - Manutenção ,67 7,76% 49,71% ,00 5 TLC DADOS Comunicação de Dados ,58 7,30% 57,01% ,00 6 TLC uhtoii Serviço de Segurança Gerenciada ,08 6,75% 63,76% ,00 7 TLC VOZ Serviços de Voz ,63 5,45% 69,21% ,56 8 TLC CELCEL Telefonia Celular Corporativa - GSM ,00 3,96% 73,17% ,00 10 INF BDBDBD SGBD - Manutenção e Suporte Técnico ,67 3,23% 80,27% ,00 11 SOF BODYBODY Serviço de Desenvolvimento de Sistemas ,00 2,71% 82,98% ,00 12 SOF AKSHSBNX GED - Manutenção e Suporte Técnico 7.333,33 1,98% 84,96% ,00 13 SOF SGHDS SW Fiscal- Manutenção e Suporte Técnico 5.833,33 1,58% 90,24% ,00 16 SOF FRGYGRFT SW/ CAD - Manutenção e Suporte Técnico 5.416,67 1,47% 91,71% ,00 17 TLC CEL!CEL1 Telefonia Celular Corporativa TDMA 5.000,00 1,35% 93,06% ,00 18 SOF FISCFISC LIVROS - Manutenção e Suporte Técnico 3.750,00 1,01% 94,08% ,00 19 INF VIRVIR Anti-Virus Manutenção 2.750,00 0,74% 94,82% ,00 20 INF SOFTSOFT MICROSOFT - Suporte Técnico 2.570,83 0,70% 95,52% ,00 24 SOF HBGBHBG Configuração de PLC's 1.500,00 0,41% 97,28% ,00 15

16 Telecomunicações Os contratos relativos às Telecomunicações são diretamente afetados pela concorrência de mercado, configurando um benefício para o contratante, o que nem sempre ocorre. A aplicação de SLAs aos contratos de telecomunicações é outra prática de mercado que deveria resultar em benefícios, neste caso qualitativos, o que também nem sempre ocorre. Manter pesquisas periódicas de mercado relativas aos custos dos serviços, buscando realinhamento de preços permanente. Concorrências em prazos mais curtos. Examinar contratos, buscando eliminar valores relativos a coberturas do tipo guarda-chuva (MIX de produtos). VOZ FIXA / MÓVEL e IMAGENS A transição imposta pela convergência de mídias traz um divisor de águas para as práticas tradicionais do segmento. Tecnologias já dominadas como a Videoconferência (clássica ou sobre IP) e VOIP passam a ser uma opção obrigatória para empresas que têm unidades ou representações dispersas. Serviços gratuitos como SKYPE e Mensegers também passam a ser uma opção a ser examinada para estas empresas. Aqui também sair do Círculo do Medo. O crescimento destas tecnologias, deveriam impor uma forte pressão sobre os fornecedores tradicionais de serviços de voz. A dos serviços de Voz oferece grandes possibilidades no momento de renegociação dos atuais contratos. Dividir ou consolidar contratos Não existe uma fórmula única. Trabalhar caso a caso 16

17 Telecomunicações DADOS As pressões originam-se mais da concorrência de mercado do que da ameaça de novas tecnologias. É também uma área na qual pressões ou distensões dos SLAs propiciam maior margem de negociação para os contratantes. Neste campo ousar e simplificar pode trazer grandes benefícios. Reduzir custo de links. Acessar serviços de TI via ferramentas de acesso remoto. Utilizar dispositivos compactadores/aceleradores. Cortar links dedicados e acessar via INTERNET e serviços de banda larga local. 17

18 Infra-estrutura de Servidores / Storage Cabe renegociar todos os contratos de manutenção de Hardware de forma rigorosa e agressiva, bem como otimizar a utilização de toda plataforma disponível. Investigar as possibilidades de migração para Contratos de Manutenção ON DEMAND. Consolidar Contratos por especialização buscando ganhos de escala. Revisar Níveis de Serviço. Flexibilizar onde for possível, reduzindo custos. Estudar criteriosamente as Taxas de Manutenção verificando reais benefícios e valor agregado. Diluir pagamentos da taxas de manutenção num plano de desembolso anual. Os serviços, fornecedores e contratos de manutenção, passam por ampla reestruturação com o surgimento de novas tecnologias e ferramentas que afetam positivamente o segmento. Ferramentas de gestão da infra-estrutura. Virtualização. Consolidação. Modalidades de disponibilização de recursos on demand. Servidores na modalidade de expansão "scale-out" ou "scale-up". Uma boa administração de ativos da TI propicia endereçar o risco, minimizar os custos e melhorar a eficiência operacional dos ambientes operacionais. Realizar check-ups cíclicos de toda infra-estrutura de TI, eliminando soluções desnecessárias, cortando o peso de equipamentos redundantes e os custos de suporte associados. 18

19 Software Básico Os chamados Softwares Básico (Banco de Dados, Office Automation, Antivírus, etc.) participam dos orçamentos de investimentos ou despesas operacionais da TI, há longo prazo. São produtos que oferecem maior dificuldade de absorção técnica e, por outro lado, apresentam práticas contratuais mais estabilizadas e, por isso mesmo, devem ser cuidadosamente revistas. A participação da manutenção como fluxo de receita para os fornecedores, cresceu em importância durante os últimos anos. Cabe renegociar todos os contrato de manutenção de Hardware de forma rigorosa e agressiva Diluir pagamentos da taxas de manutenção num plano de desembolso anual. Contratualmente a maioria dos modelos de licenciamento de software permite que um cliente escolha se quer ou não comprar manutenção nas suas licenças. Do ponto de vista prático, porém, os fornecedores mudaram gradualmente seu modelo, de modo a torná-lo o mais virtual possível. Algumas questões que afetam indistintamente contratos deverão ser obrigatoriamente discutidas com os fornecedores sempre que vierem a ocorrer : Vinculação, no mesmo contrato, das coberturas relativas à Atualização de Versão dos produtos e aos Serviços de Suporte. Vinculação de contratos à atualização monetária pelo Dólar norte-americano, no caso da maioria dos fornecedores internacionais, No caso dos fornecedores nacionais, a vinculação de contratos deve considerar a atualização monetária pelo IPCA, e não pelo IGPM, na medida em que dizem respeito a trabalhos intensivos em mão-de-obra. 19

20 Aplicativos O grupo dos aplicativos oferece em curto prazo as maiores possibilidades de reduções efetivas de custos de manutenção e de revisões de práticas contratuais. Sendo soluções menos complexas do que, por exemplo, um Gerenciador de Banco de Dados ou um Sistema Operacional, possibilitam que as equipes internas possam vir a assumi-los, no caso de uma descontinuidade de suporte. Este é um elemento de pressão ainda não experimentado fornecedores de aplicativos. Outros novos fatores de pressão também devem ser levados em conta nas renegociações dos contratos de manutenção de aplicativos, notadamente os ERPs: Substituição do modelo de licenças perpétuas pelo aluguel de software (SaS). Grande ociosidade da grande maioria dos aplicativos ou módulos licenciados, implicando em perdas para as empresas, sobretudo nos custos de manutenção, Estabilidade e crescimento de qualidade e sofisticação dos ERPs e aplicativos nacionais, criando uma alternativa de custo mais atrativo, sobretudo para a camada administrativo-financeira de empresas de qualquer porte. 20

21 Aplicativos ERPS Uma necessidade rediscussão! (1) Existe um amplo espaço para discussão de uma revisão nos contratos de manutenção dos ERPs. Os ERPs passam por um Ciclo de Vida bastante diferente de um sistema desenvolvido internamente. Isto implica em significativa diferença na composição no preço de sua manutenção, considerando que os custos do fornecedor serão rateados entre seus clientes. A determinação do custo de licenciamento de um ERP, por outro lado, resulta de cálculos precisos, na medida em que é formulada com base num tradicional desenvolvimento de sistemas. São várias as metodologias disponíveis para prever-se a partir de métricas conhecidas, o esforço de desenvolvimento dos sistemas e os custos daí decorrentes, propiciando um razoável grau de acerto. Todavia, nenhuma dessas metodologias aborda ou mesmo prevê a fase de manutenção de sistemas. Não é possível anteciparmos ou estabelecermos métricas para os diversos fatores que incidem sobre o sistema já na sua fase de produção, os quais implicam nos episódios de manutenção. Particularmente, no caso dos ERPs, os fatores que afetam a sua manutenção são, em vários aspectos, também bastante diferentes daqueles que incidem sobre um sistema desenvolvido domesticamente. Os fornecedores de ERPs, no entanto, estabeleceram uma taxa de manutenção genérica e universal, entre 17% e 22% ao ano, sobre o preço de licenciamento, que chegam até aos 24% quando incluídos os impostos incidentes. Ou seja, compra-se um novo ERP a cada 4 anos, tempo médio entre o lançamento e a adoção de uma nova versão. 21

22 Aplicativos ERPS Uma necessidade rediscussão! (2) As mesmas taxas de manutenção de ERPs são praticadas em diferentes países, da Alemanha à Malásia, para diversos modelos de negócios, de uma fábrica de massas a uma siderurgia, e em diferentes plataformas tecnológicas, de um pequeno servidor a um supercomputador. Sempre de 17% a 22%! Estes números são questionáveis se considerarmos o peso de diferentes fatores que afetam a manutenção de um ERP, tais como: Normalmente os ERPs funcionam como um semipronto, não atendendo totalmente às expectativas originais, sejam funcionais ou mesmo técnicas. A quantidade de adaptações funcionais agregadas por iniciativa do cliente não são cobertas pelo suporte do fornecedor. O domínio do produto e de suas ferramentas tecnológicas pela empresa cliente. A quantidade de usuários envolvidos, proporcional ao número de licenças. A quantidade e complexidade dos módulos implantados. O cruzamento da quantidade de usuários por módulo, frente a complexidade dos mesmos. A relação estatística entre o volume manutenções corretivas e evolutivas do produto. O posicionamento geográfico do cliente, frente à logística de suporte do fornecedor. O tamanho e dispersão física do cliente. A complexidade operacional e o modelo de gestão do cliente. São possíveis diversas composições de cenários de manutenção, implicando em diferentes esforços e custos. A socialização dos custos de manutenção, embora bastante prática para os fornecedores, torna-se injusta. 22

23 Aplicativos ERPS Uma necessidade rediscussão! (3) A significativa quantidade de intervenções para correção de bugs, que deveriam ser cobertos por uma garantia, acabam fazendo parte do escopo do contrato de manutenção. Contratos nos moldes de um SLA Acordo de Nível de Serviço seriam mais apropriados. Parte do valor das taxas de manutenção dizem respeito à garantia futura de releases e novas versões do produto. Com isso, remunera-se antecipadamente um projeto que sequer foi pensado, sobre uma plataforma tecnológica que, provavelmente, ainda não existe. O GARTNER alerta que a separação entre o direito de uso e manutenção, é a condição de crítica para a empresa exercer a opção por não pagar pela manutenção. Normalmente, as licenças de uso deveriam ser perpétuas. Entretanto, em alguns casos o direito de uso é chamado de renovável. Nestes casos cessa a possibilidade da empresa interromper a manutenção por um período de tempo, restabelecendo-a posteriormente sem penalidades. O GARTNER propõe revisões nos contratos existentes, separando o suporte técnico das atualizações de versão e considerando práticas mais modernas, tais como, acordos de nível de serviço e garantias adicionais de atualização. Após um longo período de acomodação, há uma notória mobilização para revisão das práticas contratuais de manutenção, embora, ainda, sem uma boa organização por parte dos grupos de usuários. Círculo do Medo - As principais auditorias externas (focadas nas questões dos riscos) buscam assegurar que os contratos de manutenção estejam sendo devidamente mantidos, sem preocupações com o custo/benefício dos contratos. 23

24 OUTSOURCING O crescimento de mercado do negócio OUTSOURCING acabou não acontecendo na escala e no tempo previsto pelos grandes grupos investidores no setor. A baixa resposta do mercado frente às expectativas iniciais desses players obrigou os mesmos a elevar seus custos devido à escala insuficiente e às exigências exageradas do contratante, e, por outro lado, reduzir a abrangência e qualidade dos serviços. O mercado tende para modelos de Multisourcing. ESTRATÉGIAS DE TERCEIRIZAÇÃO AVALIAÇÃO & ATENDIMENTO INTERNO Independentemente do nome do contratado, a distância entre o discurso dos fornecedores e a realidade dos serviços prestados pode ser enorme, caso a empresa contratante não seja minuciosa por ocasião da contratação e não exerça um rígido gerenciamento da execução. Segmentos de serviços como Help Desk, Gestão de Ativos, Impressão, Manutenção de Equipamentos, Gestão de WAN e LAN, passaram a contar com novos fornecedores com focos específicos, de menor porte e, em alguns casos, com perfil regional. SELEÇÃO ELABORAÇÃO DO SLA MONITORIA & REVISÕES Em função da especialização e foco, estes novos fornecedores conseguem associar um bom nível de serviço a custos mais razoáveis, se comparados aos grandes players. 24

25 OUTSOURCING - Pesquisa da Compass Outsourcing Trends, Tricks, Traps Análise (2007) de 240 contratos mundiais de OUTSOURCING levou às seguintes conclusões: Existe um nível alto de fracassos - 65% de todos os acordos de OUTSOURCING são encerrados antes do seu final acordado, normalmente por vias judiciais. Os Fornecedores de OUTSOURCING ofertam uma economia média de cerca de 18%, no primeiro ano, em comparação aos custos internos. No entanto, esses valores começam a aumentar sucessivamente. No terceiro ano, o montante terceirizado chega a um valor 36% maior do que o serviço equivalente realizado internamente, podendo chegar a 45%. Com estes números, é fácil entender como o discurso de que a terceirização é econômica não passa de um mito. Existem razões estratégicas para o OUTSOURCING, mas economizar em longo prazo não representa uma delas. (Simon Scarrott - Compass) Custos maiores que os esperados é o principal desafio dos contratos de OUTSOURCING. 25

26 Gestão dos Custos Internos de Serviços de TI 26

27 Gestão dos Custos Internos de Serviços de TI - Charge Back como motivador Projetos de Médio Prazo Projeto CHARGE-BACK de serviços prestados, de acordo com Nível de Serviço Interno: GOLD, SILVER, STANDARD. Projeto CONTABILIDADE de CUSTOS de Serviços de TI: Semelhante à contabilidade de custos de produtos da empresa. Definir centros de custos por fase e por atividade, e apurar custos dos serviços no modelo ABC. Para permitir Charge-back mais justo e mais adequado. Projeto Ordens de Serviços de TI: Medições para alocações e demonstrativos de custos. Objetivo: Motivar e comprometer áreas de negócio com redução de custos. 27

28 Charge Back de Serviços de TI CHARGEBACKS são importantes para: Conscientizam as áreas do negócio sobre os custos e os níveis de qualidade de serviços de TI, e que estes são recursos escasso. Uma maneira de comprometer e envolver as áreas do negócio em redução de custos de TI. CHARGEBACKS Como os custos serão alocados? Por rateio % fixo das despesas mensais? Por volume das transações? Por esforço ou tempo requerido para as tarefas? Por quantidade dos recursos utilizados? CHARGEBACKS Requerimentos de alocações de custos: Deverão ser justas, assim percebidas pelos clientes. Baseadas em medições, passíveis de auditoria, com métricas claras. Simples de entender e fáceis de implementar. Calculadas automaticamente. 28

29 Charge Back de Serviços de TI CHARGEBACKS - Benefícios: Facilitar a comunicação entre a TI e as Áreas do negócio. Facilitar o alinhamento das metas de TI com as metas do negócio. Comprometer as áreas do negócio nas reduções de custos de TI. Incentivar e criar cultura de medição das atividades de TI. Motivar TI para apurar e gerir os custos dos serviços de TI. Motivar TI para praticar melhorias contínuas de custos e de níveis de qualidade dos serviços. Importante instrumento para controlar os custos de TI a partir de uma eficiente gestão da demanda. CHARGEBACKS Implicações da ausência de CHARGE-BACK: Os clientes de TI não tratam os serviços de TI como recursos escassos. Os serviços de TI normalmente não estão claramente definidos em termos do negócio. Sem controle e clareza de custos dos serviços de TI. 29

30 Charge Back de Serviços de TI CHARGEBACKS Exemplo de Tabela de Serviços Serviços Nível Descricão Transação Uso de equipamentos de TI. Não critico. Critico. Chamado emergencial Instalar e manter desktops, notebooks e impressoras Quantidade de equipamentos, com adicional p/ atendimentos emergenciais. Uso de rede e software. Não critico. Critico. Chamado emergencial Disponibilidade de acessos a rede e a softwares Quantidade de contas de rede, com adicional p/ atendimentos emergenciais. Uso de Sistemas Uso de telefonia e Videoconferência. Alto Impacto. Critico. Não Critico. Apenas consultas. Telefonia fixa. Telefonia celular. Video-Conferenca Instalar e manter sistemas / aplicativos Instalar e manter serviços de telefonia e de videoconferência Quantidade de contas por sistema. Quantidade de ramais, de celulares e de pontos de vídeoconferencia. E tarifação de ligações 30

31 Charge Back de Serviços de TI CHARGEBACKS Exemplo de níveis serviços de Service Desk SLA Atendimento no Prazo 90% de solicitações atendidas no prazo padrão (fechamento Cliente) Atendimentos Primeiro Nível 80%de solicitações de incidentes atendidas no primeiro nível (restritas às passíveis de atendimento no primeiro nível) SLA Reverso Qualidade da Solicitação 10% das solicitações fora dos padrões Quantidade de Reagendamentos 10% de reagendamentos motivados por ausência do Cliente Interno no Local de atendimento 31

32 Charge Back de Serviços de TI CHARGEBACKS Exemplo de níveis Serviços de Redes SLA Atendimento no Prazo 85% de solicitações atendidas no prazo padrão Atendimentos Primeiro Nível 80%de solicitações de incidentes atendidas no primeiro nível (restritas as passíveis de atendimento no primeiro nível) Disponibilidade de Rede 99% de disponibilidade da rede (WAN, LAN, Internet e Servidores do correio) SLA Reverso Qualidade da Solicitação 8% das solicitações fora dos padrões Quantidade de Reagendamentos 10% de reagendamentos motivados por ausência do Cliente Interno no Local de atendimento 32

33 Charge Back de Serviços de TI CHARGEBACKS Exemplo de Preços de Serviços Serviços Uso de equipamentos de TI Nível Custo R$ Transação QTD Custo R$ Mês. Não critico 120, , ,00. Critico 360, , ,00. Emergencial 480, Custo R$ Ano % Observações Métrica boa. Preço justo? Uso de rede e softwares Total de equipamentos de TI , ,00 13%. Não critico 220, , ,00. Critico 660, , ,00. Emergencial 880, Métrica justa? E preço? Uso de Sistemas Uso de telefonia e Video-conf Total de uso de rede e softwares , ,00 28%. Alto Impacto 500, , ,00. Critico 350, , ,00. Não Critico 200, Consultas 100,00 0 Total de uso de Sistemas , ,00 49%. Telefonia fixa 30, , ,00. Telefonia celular 60, , ,00. Video-Confer , , ,00 Talvez devesse ser por transação tipo de cada sistema... Métrica boa. Preço justo? Total de uso de Telefonia e Video-conferência Total de Geral de Serviços de TI , ,00 10% , ,00 100% 33

34 Gestão dos Custos Internos de Serviços de TI Gestão de custos tradicional X Gestão de custos de serviços Modelo Gestão Financeira Direcionado para a criação de demonstrativos financeiros da TI como um todo. Gestão de custos modelada para determinar os custos de naturezas de despesas de TI. Medição de performance é feita contra um custeio da TI orçado versus realizado. Análises das despesas feita por uma assessoria de gestão econômica que retorna relatórios orçado versus realizado. Clientes deste modelo estão no nível gerencial. A equipe não é informada e não tem comprometimento com Custos. Modelo Gestão de custo operacional Accountability: Proporcionar feedback adequado à linha de frente de operação com as conseqüências de suas ações sobre os custos de serviços de TI sob seu controle. Foco no Processo: Oferecer informações financeiras e não-financeiras sobre os processos e serviços para suportar melhorias contínuas. Enpowerment: informações disponíveis para linha de frente tomar decisões. Aprendizado Operacional: Gestão de desempenho é evolutiva e o sistema provê feedback contínuo para definição de novas metas no processo de gestão de custos de serviços. Qualidade Total: Sistema de custos é parte do processo de gestão pela qualidade total. Cliente: a supervisão de 1o nível direcionado a propor mudanças no processo sob sua responsabilidade. 34

35 Gestão dos Custos Internos de Serviços de TI - Etapas 35

36 1ª Etapa: Definir Serviços 36

37 1ª Etapa: Definir Serviços Serviços de TI Com Serviços de TI definidos de forma compreensível, o cliente pode influenciar e controlar a sua utilização. As decisões sobre o custo versus o nível de serviço adequado passam a ser do cliente. Os Serviços de TI são prestados conforme as determinações dos clientes, aderente aos requisitos do negócio. 37

38 2ª Etapa: Apurar Custos dos Serviços 38

39 2ª Etapa: Apurar Custos dos Serviços 39

40 2ª Etapa: Apurar Custos dos Serviços Exemplo Analogia com Mineração 40

41 2ª Etapa: Apurar Custos dos Serviços Exemplo Analogia com Mineração 41

42 2ª Etapa: Apurar Custos dos Serviços Modelagem de custos ABC: 42

43 3ª Etapa: Gestão dos Custos dos Serviços 43

44 3ª Etapa: Gestão dos Custos dos Serviços ABM Activity Based Management avalia base de informações produzidas no ABC, com foco em melhorar os processos e os custos dos serviços de TI ABM tem como objetivo influenciar os responsáveis pelos processos e serviços e TI. ABM compreende os seguintes itens: Mix de serviços, Benchmarking de custos de serviços, Metas de custo por recurso e por fases dos processos, Melhorias das fases dos processos, Performance Gestão por Responsabilidade. ABM deve ser incorporado no ciclo de controle do planejamento e gestão de custos. 44

45 3ª Etapa: Gestão dos Custos dos Serviços Abordagem por projetos, com fases e produtos parciais: Projetos de charge-back e contabilidade de custos: grandes, complexos e trazem mudanças culturais 45

46 Investimentos Priorizando Retorno e Essencialidade 46

47 Custo $ Contribuição para o Negócio Projetos Essenciais de TI Suporte à estrutura do negócio focados em confiabilidade, escalabilidade e segurança. Software de Gestão (ERP) Automação de Escritório Redes de Comunicação Servidores Desktops Gestão de Serviços de TI Projetos de Valor Agregado Prospecção e implementação de Projetos focados na melhoria contínua de Processos-Chave suportados por TA e/ou TI Resultado Vantagem Competitiva Procurar vigorosamente projetos na área verde. Não descuidar, porém, da vida na área vermelha. 47

48 Método para Priorização dos Projetos de TI 4 - Inadequada 4 - Crítica para o Negócio ES - 1,5 3 - Deficiente 2 - Pode Melhorar 1 - Adequada X 3 - Aumenta Rentabilidade 2 - Otimiza Desempenho 1 - De Apoio = X SO - 1,25 ET - 1 Adequação Importância Prioridade Classificação Estratégica 48

49 Método para Priorização dos Projetos de TI - Adequação GRAU DESCRIÇÃO SIGNIFICADO 4 O Processo / Sistema / Serviço / Tecnologia está totalmente inadequado ou ainda não existe. Processo / Sistema / Serviço / Tecnologia deve ser reestruturado ou implementado. Usuário não consegue atingir seus Objetivos. 3 A Execução / Desempenho do Processo / Sistema / Serviço / Tecnologia é deficiente. Execução deve melhorar. Usuário manifesta insatisfação com a execução atual. 2 A Execução / Desempenho do Processo / Sistema / Serviço / Tecnologia precisa melhorar. Usuário vê possibilidade de melhorias. 1 A Execução / Desempenho do Processo / Sistema / Serviço / Tecnologia está adequada. Usuário está satisfeito com a execução atual. A inadequação ou a não existência do Processo / Sistema / Serviço / Tecnologia causa ineficiência na Função. O Processo / Sistema / Serviço / Tecnologia não está sendo bem executado(a). Sua execução é inadequada, causando problemas na atualidade. O Processo / Sistema / Serviço / Tecnologia apresenta-se de forma inadequada, já causando pequenos problemas e podendo causar problemas mais graves no médio prazo. Não há problemas presentes ou futuros na execução do Processo / Sistema / Serviço / Tecnologia. 49

50 Método para Priorização dos Projetos de TI - Importância GRAU DESCRIÇÃO SIGNIFICADO 1 O Processo / Sistema / Serviço / Tecnologia é meramente de apoio funcional, sem contribuição direta para a rentabilidade do Negócio. A execução adequada do Processo / Sistema / Serviço / Tecnologia pode melhorar a utilização de tempo funcional, sem alterar significativamente receitas, custos ou rentabilidade. 2 O Processo / Sistema / Serviço / Tecnologia é importante para otimizar o desempenho do Negócio. 3 O Processo / Sistema / Serviço / Tecnologia é importante para melhoria da rentabilidade / crescimento do Negócio. A execução adequada do Processo / Sistema / Serviço / Tecnologia pode reduzir alguns custos e / ou melhorar a utilização de recursos pelo Negócio. A execução adequada do Processo / Sistema / Serviço / Tecnologia causa impactos diretos sobre custos e / ou receitas, afetando a rentabilidade e crescimento do Negócio de forma significativa. 4 Processo / Sistema / Serviço / Tecnologia é crítico para o Negócio. A Execução adequada do Processo / Sistema / Serviço / Tecnologia é VITAL para a sobrevivência do Negócio. 50

51 Projetos de TI Ficha de Avaliação DATA FICHA DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE TI ID do Projeto TI-08-XXX Título 1 -Classificação do Investimento / Projeto Área Cliente DIRETORIA GERÊNCIA CC Responsável Funcional Área de TI Responsável CC Responsável Técnico DIRECIONAMENTO Amplia Mantém TECNOLOGIA BIN COL GES INF ERP SIS TLC TLF PRIORIZAÇÃO DO PROJETO Adequação Importância Peso 0 Prioridade Associação com Estratégias Corporativas ` Gerais Econômicas 51

52 Projetos de TI Ficha de Avaliação 2 - Descrição Resumida do Projeto 3 - Descrição da Demanda / Solução Proposta 4 - Impactos e Riscos da não implementação (Caso não seja aprovado) 5 - Beneficios Diretos - Qualitativos e Financeiros (Marcar com "X") > Aumento de Vendas > Aumento de Margem > Redução de Custos Operacionais > Redução de Custos Financeiros > Redução lícita de Impostos > Redução de Custos de Manutenção > Redução na aplicação de Ativos > Realocação de Pessoal > Redução de Custos e Prazos de Recebimento 52

53 Projetos de TI Ficha de Avaliação 6 - Beneficios Indiretos - Qualitativos e Financeiros (Marcar com "X") > Melhorias na Gestão dos Processos Redução do overhead Administrativo Aumento de Produtividade Operacional Redução de Retrabalho Redução de custos ocasionados por Não Conformidades Redução de tempo e custo de Work Flow - Análise e Aprovação Geração de Capital de Giro Redução de tempo e custo de Treinamento de terceiros > Melhorias na comunicação com Clientes, Parceiros e Acionistas Redução de custos de Comunicação Redução de custos de Marketing Redução de custos de Vendas Redução do Time to Market Melhorias na Cadeia de Suprimentos Melhorias na Gestão dos Estoques Redução dos custos de Logística Redução dos custos de Customer Care Aumento da Retenção de Clientes > Melhorias na organização e acesso à informação Aumento de Produtividade Redução do Turnover Redução de tempo e custo de Treinamento de funcionários > Criação de novas oportunidades de negócio > Melhorias na Gestão Tecnológica Redução no tempo de Integração Redução de custos de Desenvolvimento Redução de custos de Testes e Homologação Redução de custos de Manutenção Redução de tempo e custo de Treinamento da equipe de TIC Redução de custos de Infra-estrutura Redução de custos de Rede LAN / WAN Redução de custos de Avaliação e Seleção de soluções Redução de custos de Planejamento X 53

54 Projetos de TI Ficha de Avaliação 8 - Estimativa de Investimento Cotação US$ 1,85 Componentes de Custo Hardware - Infra-estrutura Hardware -TELECOM Software - Aplicativo Software - Infra-estrutura Consultoria e Serviços Despesas Gerais R$ US$ TOTAL R$ 100 $30 R$ 156 R$ 150 $200 R$ 520 R$ 150 $200 R$ 520 R$ 150 $200 R$ 520 R$ 150 $200 R$ 520 R$ 200 $300 R$ 755 TOTAL R$ 800 R$ 900 $1.130 R$ FONTE DE INFORMAÇÕES DA ESTIMATIVA (EM CASO DE PROPOSTAS, ANEXAR) Cronograma Físico/Financeiro Início Previsto (Mês) Duração Prevista (Meses) JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Carry Over p/

55 Conclusão 55

56 Resumo das Recomendações Dividir o risco com o Cliente Interno, com a Direção do Negócio e com os Fornecedores. Inovar e correr Risco. Sair do Círculo do Medo. Sair dos vícios de consumo. Dar a necessária prioridade e alocar recursos efetivos em projetos de gestão de custos. Promover ações organizadas por grupos de empresas que ensejem mudanças profundas nas atuais políticas comerciais dos fornecedores em todos os segmentos. Investigar os Contratos segundo análise ABC. Revisar de forma rigorosa e agressiva as práticas e custos envolvidos nos contratos. Melhorar a Gestão de Custos dos Serviços de TI. Repactuar Níveis de Serviços, reduzindo a zona de conforto dos Clientes Internos. Avaliar Investimentos através de métricas que se orientem à contribuição para o negócio. 56

57 Contatos Rua Raul Pompéia, 77 Cj. 501 São Pedro Belo Horizonte MG TELEFAX (31) CELULAR (31)

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI 1. PI06 TI 1.1. Processos a serem Atendidos pelos APLICATIVOS DESENVOLVIDOS Os seguintes processos do MACROPROCESSO

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 13/06/2014 14:08:02 Endereço IP: 177.1.81.29 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Governança de TI. Focos: Altas doses de Negociação Educação dos dirigentes das áreas de negócios

Governança de TI. Focos: Altas doses de Negociação Educação dos dirigentes das áreas de negócios Governança de TI Parte 3 Modelo de Governança v2 Prof. Luís Fernando Garcia LUIS@GARCIA.PRO.BR Modelo de Governança de TI Modelo adaptação para qualquer tipo de organização Componentes do modelo construídos/adaptados

Leia mais

GR SOLUÇÕES EMPRESARIAIS IMPULSIONANDO A COMPETITIVIDADE DE SUA EMPRESA

GR SOLUÇÕES EMPRESARIAIS IMPULSIONANDO A COMPETITIVIDADE DE SUA EMPRESA Quem Somos: A GR Soluções Empresarias é uma empresa provedora de soluções corporativas e serviços personalizados em Advocacia, Contabilidade e Tecnologia da Informação, orientada pelos interesses das empresas

Leia mais

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA.

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus valores e princípios,

Leia mais

O seu caminho em Tecnologia da Informação.

O seu caminho em Tecnologia da Informação. O seu caminho em Tecnologia da Informação. A Empresa Tecnologia da Informação é a essência da Company, empresa criada para fornecer soluções em produtos e serviços para o mercado composto por empresas

Leia mais

CONSIDERAÇOES SOBRE FORMAÇÃO DE PREÇOS E SISTEMAS DE CONTABILIDADE DE CUSTOS EM EMPRESAS DE OUTSOURCING DE IMPRESSÃO

CONSIDERAÇOES SOBRE FORMAÇÃO DE PREÇOS E SISTEMAS DE CONTABILIDADE DE CUSTOS EM EMPRESAS DE OUTSOURCING DE IMPRESSÃO CONSIDERAÇOES SOBRE FORMAÇÃO DE PREÇOS E SISTEMAS DE CONTABILIDADE DE CUSTOS EM EMPRESAS DE OUTSOURCING DE IMPRESSÃO Lisberto Cavalcanti Diretor Administrativo- financeiro da Solumax Soluções e Tecnologia,

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

Tendências de Investimentos em TI em 2013

Tendências de Investimentos em TI em 2013 Tendências de Investimentos em TI em 2013 Ivair Rodrigues Diretor de Estudos de Mercado Tatiane Ramos Coordenadora de Pesquisas Índice Direitos Autorais Objetivos deste estudo Metodologia Definição dos

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

Utilizando o CobiT e o Balanced Scorecard como instrumentos para o. Gerenciamento de Níveis de Serviço

Utilizando o CobiT e o Balanced Scorecard como instrumentos para o. Gerenciamento de Níveis de Serviço Utilizando o CobiT e o Balanced Scorecard como instrumentos para o Gerenciamento de Níveis de Serviço Win Van Grembergen, http://www/isaca.org Tradução de Fátima Pires (fatima@ccuec.unicamp.br) Na economia

Leia mais

Pós-Graduação Senac. Gerenciamento de Custos. Lista de Exercícios

Pós-Graduação Senac. Gerenciamento de Custos. Lista de Exercícios Pós-Graduação Senac Gerenciamento de Custos Lista de Exercícios Prof. Geovani Maciel 1 EXERCÍCIO 01 A empresa Tecnologia por Projetos Ltda atua no desenvolvimento de sistemas de gestão para seus clientes.

Leia mais

Guia de vendas Windows Server 2012 R2

Guia de vendas Windows Server 2012 R2 Guia de vendas Windows Server 2012 R2 Por que Windows Server 2012 R2? O que é um servidor? Mais do que um computador que gerencia programas ou sistemas de uma empresa, o papel de um servidor é fazer com

Leia mais

Agenda. Visão Geral Alinhamento Estratégico de TI Princípios de TI Plano de TI Portfolio de TI Operações de Serviços de TI Desempenho da área de TI

Agenda. Visão Geral Alinhamento Estratégico de TI Princípios de TI Plano de TI Portfolio de TI Operações de Serviços de TI Desempenho da área de TI Governança de TI Agenda Visão Geral Alinhamento Estratégico de TI Princípios de TI Plano de TI Portfolio de TI Operações de Serviços de TI Desempenho da área de TI Modelo de Governança de TI Uso do modelo

Leia mais

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte IBM Global Technology Services Manutenção e suporte técnico Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte Uma abordagem inovadora em suporte técnico 2 Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável

Leia mais

Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios.

Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios. Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios. Autor: Douglas Marcos da Silva 7 Sumário Executivo Nas últimas décadas, a evolução tecnológica, a interdependência dos mercados e a intensificação

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 12/06/2014 13:58:56 Endereço IP: 200.252.42.196 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

MAIS RENTABILIDADE, SEGURANÇA E AGILIDADE NA GESTÃO DE SEUS CONTRATOS, PROJETOS E SERVIÇOS.

MAIS RENTABILIDADE, SEGURANÇA E AGILIDADE NA GESTÃO DE SEUS CONTRATOS, PROJETOS E SERVIÇOS. MAIS RENTABILIDADE, SEGURANÇA E AGILIDADE NA GESTÃO DE SEUS CONTRATOS, PROJETOS E SERVIÇOS. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus

Leia mais

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br COBIT Governança de TI Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br Sobre mim Juvenal Santana Gerente de Projetos PMP; Cobit Certified; ITIL Certified; OOAD Certified; 9+ anos de experiência em TI; Especialista

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Referência: An Introductory Overview of ITIL v2 Livros ITIL v2 Cenário de TI nas organizações Aumento da dependência da TI para alcance

Leia mais

Perfil de investimentos em TI de 550 empresas e organizações em 2010 (Ferramenta de Geração de Leads)

Perfil de investimentos em TI de 550 empresas e organizações em 2010 (Ferramenta de Geração de Leads) Perfil de investimentos em TI de 550 empresas e organizações em 2010 (Ferramenta de Geração de Leads) O ISF entrevistou 1.140 empresas entre os meses de dezembro de 2009 e fevereiro de 2010, com o objetivo

Leia mais

Contrato de Suporte End.: Telefones:

Contrato de Suporte End.: Telefones: Contrato de Suporte Contrato de Suporte Desafios das empresas no que se refere à infraestrutura de TI Possuir uma infraestrutura de TI que atenda as necessidades da empresa Obter disponibilidade dos recursos

Leia mais

ERP. Agenda ERP. Enterprise Resource Planning. Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números

ERP. Agenda ERP. Enterprise Resource Planning. Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números ERP Enterprise Resource Planning 1 Agenda Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números ERP Com o avanço da TI as empresas passaram a utilizar sistemas computacionais

Leia mais

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED Implantação de um Sistema de GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Importância do GED O GED tem uma importante contribuição na tarefa da gestão eficiente da informação; É a chave para a melhoria da

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 08/08/2014 19:53:40 Endereço IP: 150.164.72.183 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

Maximize o desempenho das suas instalações. Gerenciamento Integrado de Facilities - Brasil

Maximize o desempenho das suas instalações. Gerenciamento Integrado de Facilities - Brasil Maximize o desempenho das suas instalações Gerenciamento Integrado de Facilities - Brasil Sua empresa oferece um ambiente de trabalho com instalações eficientes e de qualidade? Como você consegue otimizar

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

Controlar. Otimizar. Crescer.

Controlar. Otimizar. Crescer. Controlar. Otimizar. Crescer. Neste material de suporte, você encontrará informações de SAM para: Novos Líderes de Tecnologia Fusões e Aquisições True-Up Assist Serviço Microsoft EAP Assist Assuma o controle

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade II GOVERNANÇA DE TI

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade II GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Unidade II GOVERNANÇA DE TI Estratégia e governança em TI Estratégia empresarial A palavra estratégia vem do grego strategus = "o general superior ou "generalíssimo. Strategia

Leia mais

Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio?

Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio? Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio? A Tecnologia da Informação vem evoluindo constantemente, e as empresas seja qual for seu porte estão cada

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

CASO DE SUCESSO MICROWARE

CASO DE SUCESSO MICROWARE CASO DE SUCESSO MICROWARE CLIENTE: Jequiti Cosméticos SEGMENTO: Indústria JEQUITI INVESTE EM ESTRUTURA PRÓPRIA PARA GARANTIR MAIOR PROCESSAMENTO DE DADOS ÁREA DE ATUAÇÃO: Datacenter DEMANDA: Uma estrutura

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Tecnologia da Informação CAASP DIS Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Introdução...03 Projetos e Fatos Relevantes 2008...03 Raio X de Investimentos e Custos...10 Considerações

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

COBIT (CONTROL OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY)

COBIT (CONTROL OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY) Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística INE Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Projetos I Professor: Renato Cislaghi Aluno: Fausto Vetter Orientadora: Maria

Leia mais

Gestão integrada de múltiplos fornecedores. Do Caos ao Domínio. Maio/2009. Nós Fazemos as Empresas Mais Competitivas

Gestão integrada de múltiplos fornecedores. Do Caos ao Domínio. Maio/2009. Nós Fazemos as Empresas Mais Competitivas Gestão integrada de múltiplos fornecedores Do Caos ao Domínio Maio/2009 Nós Fazemos as Empresas Mais Uma página sobre a TGT Pg. 1 Somos dedicados exclusivamente à CONSULTORIA, o que garante aos nossos

Leia mais

CTI Coordenadoria de Tecnologia da Informação

CTI Coordenadoria de Tecnologia da Informação Coordenadoria de Tecnologia da Informação Estrutura CTI Infraestrutura e Telecomunicações Suporte Técnico CTI Contratos Desenvolvimento de Sistemas 2 0 0 7 equipe técnica insuficiente. equipamentos obsoletos.

Leia mais

ERP. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning -Sistema de Gestão Empresarial -Surgimento por volta dos anos 90 -Existência de uma base de dados

Leia mais

Gerenciamento de ativos de software - SAM

Gerenciamento de ativos de software - SAM ADVISORY Gerenciamento de ativos de software - SAM Serviços de Compliance de Contratos (CCS) kpmg.com/br Gerenciando ativos de software de forma eficaz O Gerenciamento de Ativos de Software Software Asset

Leia mais

Outsourcing de TI Field Service

Outsourcing de TI Field Service Outsourcing de TI Field Service Metodologia de Solução As soluções ofertadas pela IT2B são desenvolvidas em compliance com as melhores práticas e metodologias de mercado, visando sempre o sucesso da operação

Leia mais

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house ERP: Pacote Pronto versus Solução in house Introdução Com a disseminação da utilidade e dos ganhos em se informatizar e integrar os diversos departamentos de uma empresa com o uso de um ERP, algumas empresas

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Simplifique: consolidando a gestão do ambiente de trabalho do usuário final

Simplifique: consolidando a gestão do ambiente de trabalho do usuário final Simplifique: consolidando a gestão do ambiente de trabalho do usuário final Para muitas organizações, a rápida proliferação das tecnologias para o usuário final tem demonstrado uma ambigüidade em seus

Leia mais

Tendências Mundiais de Outsourcing (MPS)

Tendências Mundiais de Outsourcing (MPS) Tendências Mundiais de Outsourcing (MPS) Hamilton Terni Costa ANconsulting Photo_jscreationzs4 São Paulo, 31 de Maio de 2012 Agenda Photo_jscreationzs4 Tendências Mundiais de Outsourcing (MPS) Base: MPS

Leia mais

Alinhamento Estratégico da TI com o Modelo de Negócios da Empresa: um estudo sobre as melhores práticas da biblioteca ITIL

Alinhamento Estratégico da TI com o Modelo de Negócios da Empresa: um estudo sobre as melhores práticas da biblioteca ITIL Alinhamento Estratégico da TI com o Modelo de Negócios da Empresa: um estudo sobre as melhores práticas da biblioteca ITIL Fernando Riquelme i Resumo. A necessidade por criar processos mais eficientes,

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS IS/TI

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS IS/TI COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS IS/TI DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência se necessário.

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP A IMPORTÂNCIA DA CONSULTORIA NA SELEÇÃO / IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO - ERP Para as corporações, as mudanças são absorvidas pelas equipes internas, envolvendo tecnologia, contabilidade, logística

Leia mais

agility made possible

agility made possible RESUMO DA SOLUÇÃO Gerenciamento de ativos de software com o CA IT Asset Manager como posso administrar melhor os meus ativos de software e reduzir o risco de auditorias de conformidade? agility made possible

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Nome_da_Empresa

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Nome_da_Empresa PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Nome_da_Empresa 2008-2009-2010 Conteúdo Introdução... 3 Etapas para a elaboração do Planejamento Estratégico... 3 Análise de Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças... 5 Sugestão

Leia mais

GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL

GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL A Sytel Reply foi comissionada por uma grande operadora global de Telecom para o fornecimento de um Service Assurance de qualidade.

Leia mais

Minuta Relatório de resultados do PDTI anterior

Minuta Relatório de resultados do PDTI anterior RELATÓRIO DE RESULTADOS DO PDTI ANTERIOR Outubro de 2011 Elaborado pelo Grupo de Trabalho Intersetorial para elaboração do Plano Diretor de Tecnologia de Informação PDTI, nos termos da Portaria nº 4551,

Leia mais

agility made possible

agility made possible RESUMO DA SOLUÇÃO CA IT Asset Manager como gerenciar o ciclo de vida de ativos, maximizar o valor dos investimentos em TI e obter uma exibição do portfólio de todos os meus ativos? agility made possible

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO PROVA DE CONHECIMENTO SOBRE O MR-MPS-SV 10/12/2012 4 HORAS DE DURAÇÃO IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO PROVA DE CONHECIMENTO SOBRE O MR-MPS-SV 10/12/2012 4 HORAS DE DURAÇÃO IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO PROVA DE CONHECIMENTO SOBRE O MR-MPS-SV 10/12/2012 4 HORAS DE DURAÇÃO EMAIL: (DEIXAR EM BRANCO) RESULTADO Q1 (0,5) Q2 (0,5) Q3 (1,0) Q4 (1,0) Q5 (1,0) TOTAL (10,0) Q6 (1,0) Q7 (2,0) Q8 (1,0) Q9 (1,0) Q10

Leia mais

Empresa do Grupo como foco soluções completas em gestão de ambientes de TI, desenvolvimento de software e inteligência de CRM,

Empresa do Grupo como foco soluções completas em gestão de ambientes de TI, desenvolvimento de software e inteligência de CRM, A todo! Portfólio Clientes Empresa do Grupo, tendo como foco soluções completas em gestão de ambientes de TI, desenvolvimento de software e inteligência de CRM, Uma das 10 maiores empresas de TI do Brasil

Leia mais

MBA Execultivo em Gestão Estratégica Objetivo do curso:

MBA Execultivo em Gestão Estratégica Objetivo do curso: Com carga horária de 420 horas o curso de MBA Execultivo em Gestão Estratégica é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos diversos

Leia mais

Unidade II TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Prof. Me. Elvis Pontes

Unidade II TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Prof. Me. Elvis Pontes Unidade II TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Prof. Me. Elvis Pontes Conceitos e Componentes de Software Software (SW) são: os programas de computador; é a parte intangível do computador, representada pelos programas,

Leia mais

Planejamento Econômico-Financeiro

Planejamento Econômico-Financeiro Planejamento Econômico-Financeiro São Paulo, Junho de 2011 Esse documento é de autoria da E Cunha Consultoria. A reprodução deste documento é permitida desde que citadas as fontes e a autoria do estudo.

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Unidade IV PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Sobre esta aula Tendências e práticas emergentes em TI Outsourcing: objetivos e riscos Computação na nuvem

Leia mais

Proteção de Dados no Contexto do Outsourcing de Infraestrutura de TI TIVIT Leonardo Brito Gibrail

Proteção de Dados no Contexto do Outsourcing de Infraestrutura de TI TIVIT Leonardo Brito Gibrail Proteção de Dados no Contexto do Outsourcing de Infraestrutura de TI TIVIT Leonardo Brito Gibrail Engenharia de Negócios 1 Agenda 1 Sobre a TIVIT 2 IT Outsourcing 3 Parceria TIVIT & Symantec 4 Projeto

Leia mais

Eficiência operacional no setor público. Dez recomendações para cortar custos

Eficiência operacional no setor público. Dez recomendações para cortar custos Eficiência operacional no setor público Dez recomendações para cortar custos 2 de 8 Introdução Com grandes cortes no orçamento e uma pressão reguladora cada vez maior, o setor público agora precisa aumentar

Leia mais

2Avalie novos modelos de investimento. Otimize a estrutura de tecnologia disponível

2Avalie novos modelos de investimento. Otimize a estrutura de tecnologia disponível Crise? Como sua empresa lida com os desafios? Essa é a questão que está no ar em função das mudanças no cenário econômico mundial. A resposta a essa pergunta pode determinar quais serão as companhias mais

Leia mais

Nossa atuação no setor financeiro

Nossa atuação no setor financeiro Nossa atuação no setor financeiro No mundo No Brasil O porte da equipe de Global Financial Services Industry (GFSI) da Deloitte A força da equipe do GFSI da Deloitte no Brasil 9.300 profissionais;.850

Leia mais

Case automação de processos internos

Case automação de processos internos Case automação de processos internos Novembro, 2014 2014 Deloitte Touche Tohmatsu 1 Agenda 1 A Deloitte 2 A Necessidade 3 A Solução 4 Por que Bizagi 5 Fatores críticos de sucesso 2014 Deloitte Touche Tohmatsu

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP A IMPORTÂNCIA DA CONSULTORIA NA SELEÇÃO / IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO - ERP Alinhamento das expectativas; O por que diagnosticar; Fases do diagnóstico; Critérios de seleção para um ERP; O papel da

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO.

TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. OneIT A gente trabalha para o seu crescimento. Rua Bento Barbosa, n 155, Chácara Santo

Leia mais

Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia

Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia P ORTFÓ FÓLIO Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia versão 1.1 ÍNDICE 1. A EMPRESA... 3 2. BI (BUSINESS INTELLIGENCE)... 5 3. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS... 6 3.1. PRODUTOS

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

Relatório sobre Segurança da Informação nas Empresas RESULTADOS DA AMÉRICA LATINA

Relatório sobre Segurança da Informação nas Empresas RESULTADOS DA AMÉRICA LATINA 2011 Relatório sobre Segurança da Informação nas Empresas RESULTADOS DA AMÉRICA LATINA SUMÁRIO Introdução... 4 Metodologia... 6 Resultado 1: Cibersegurança é importante para os negócios... 8 Resultado

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Information Technology Infrastructure Library ou Biblioteca de Infraestrutura da Tecnologia da Informação A TI de antes (ou simplesmente informática ),

Leia mais

Especificação do KAPP-PPCP

Especificação do KAPP-PPCP Especificação do KAPP-PPCP 1. ESTRUTURA DO SISTEMA... 4 1.1. Concepção... 4 2. FUNCIONALIDADE E MODO DE OPERAÇÃO... 5 3. TECNOLOGIA... 7 4. INTEGRAÇÃO E MIGRAÇÃO DE OUTROS SISTEMAS... 8 5. TELAS E RELATÓRIOS

Leia mais

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS A decisão de automatizar 1 A decisão de automatizar Deve identificar os seguintes aspectos: Cultura, missão, objetivos da instituição; Características

Leia mais

RESPOSTA Nº 02 DO EDITAL ADG 002/2015 - Contratação de prestação dos serviços de Service Desk.

RESPOSTA Nº 02 DO EDITAL ADG 002/2015 - Contratação de prestação dos serviços de Service Desk. RESPOSTA Nº 02 DO EDITAL ADG 002/2015 - Contratação de prestação dos serviços de Service Desk. PERGUNTA 1: Sobre o Item Minuta Contratual: CONSIDERANDO QUE O ONS É UMA PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PRIVADO

Leia mais

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI Objetivos Assegurar que os esforços despendidos na área de informática sejam consistentes com as estratégias, políticas e objetivos da organização como um todo; Proporcionar uma estrutura de serviços na

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor]

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Data Gerador do documento: Gerente de Negociação: Versões Versão Data Revisão Autor Aprovação (Ao assinar abaixo, o cliente concorda com todos os

Leia mais

ivirtua Solutions 4 ITIL

ivirtua Solutions 4 ITIL ivirtua Solutions 4 ITIL ivirtua Solutions ITIL WHITEPAPER ITIL INTRODUÇÃO O ITIL é o modelo de referência para endereçar estruturas de processos e procedimentos à gestão de TI, organizado em disciplinas

Leia mais

NECESSIDADE DE UM PLANO DE CONTINGÊNCIA DE TIC

NECESSIDADE DE UM PLANO DE CONTINGÊNCIA DE TIC CI-206 Adm. de TI & IT Prof. Antonio URBAN Referência: Plano de Contingência para Recursos de Tecnologia de Informação e Comunicação Palavras-chave: Tecnologia de Informação, Tecnologia de Comunicação,

Leia mais

O Processo de Migração do Datacenter NET Novembro, 2014

O Processo de Migração do Datacenter NET Novembro, 2014 I D C C A S E S T U D Y O Processo de Migração do Datacenter NET Novembro, 2014 Renato Rosa, Brazil Research and Consulting Senior Analyst, IDC Brazil Patrocinado por HP Este estudo da IDC apresenta o

Leia mais

Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI

Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI COBIT Processos de TI Aplicativos Informações Infraestrutura Pessoas O que é o CObIT? CObIT = Control Objectives for Information and Related

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 16º Seminário Nacional de Gestão de Projetos APRESENTAÇÃO

Pesquisa realizada com os participantes do 16º Seminário Nacional de Gestão de Projetos APRESENTAÇÃO Pesquisa realizada com os participantes do de APRESENTAÇÃO O perfil do profissional de projetos Pesquisa realizada durante o 16 Seminário Nacional de, ocorrido em Belo Horizonte em Junho de, apresenta

Leia mais

Serviço de Avaliaça o e Planejamento de Governança de TI

Serviço de Avaliaça o e Planejamento de Governança de TI efagundes.com Serviço de Avaliaça o e Planejamento de Governança de TI O serviço especializado avalia, planeja e implanta um modelo de governança nas organizações de TI alinhado com as estratégias e operações

Leia mais

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Centro Universitário Geraldo di Biase 1. Enterprise Resouce Planning ERP O ERP, Sistema de Planejamento de Recursos

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Conteúdo Gerenciais Direcionadores de Arquitetura de TI Tipologia dos sistemas da informação Prof. Ms. Maria C. Lage marialage.prof@gmail.com As preocupações corporativas Gerenciar Mudanças Crescimento

Leia mais

1T10 RESULTADOS. Fitch ratings eleva de A para A+(bra) o Rating Nacional de Longo Prazo da Algar Telecom

1T10 RESULTADOS. Fitch ratings eleva de A para A+(bra) o Rating Nacional de Longo Prazo da Algar Telecom RESULTADOS 1T10 Uberlândia MG, Maio de 2010 A Algar Telecom, Empresa integrada de telecomunicações com um portfólio completo de serviços, divulga seus resultados do 1º Trimestre de 2010 (1T10). As Informações

Leia mais

Gestão estratégica em finanças

Gestão estratégica em finanças Gestão estratégica em finanças Resulta Consultoria Empresarial Gestão de custos e maximização de resultados A nova realidade do mercado tem feito com que as empresas contratem serviços especializados pelo

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise

Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise CUSTOMER SUCCESS STORY Dezembro 2013 Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise PERFIL DO CLIENTE Indústria: Setor público Companhia: Dataprev Empregados: 3.000+

Leia mais

Em 2004 iniciou suas atividades como Diretor de Outsourcing and Services Solutions na Alcatel Telecomunicações no Brasil.

Em 2004 iniciou suas atividades como Diretor de Outsourcing and Services Solutions na Alcatel Telecomunicações no Brasil. O Outsourcing aplicado a Operadoras de Telecomunicações Este tutorial apresenta os conceitos básicos e características do Outsourcing aplicado às Operadoras de Serviços de Telecomunicações. Pascal Daniel

Leia mais

Módulo 8 Gerenciamento de Nível de Serviço

Módulo 8 Gerenciamento de Nível de Serviço Módulo 8 Gerenciamento de Nível de Serviço Módulo 8 Gerenciamento de Nível de Serviço Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão

Leia mais

ITIL. Information Technology Infrastructure Library

ITIL. Information Technology Infrastructure Library Information Technology Infrastructure Library 34929 - Daniel Aquere de Oliveira 34771 - Daniel Tornieri 34490 - Edson Gonçalves Rodrigues 34831 - Fernando Túlio 34908 - Luiz Gustavo de Mendonça Janjacomo

Leia mais

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico CUSTOMER SUCCESS STORY Abril 2014 Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico PERFIL DO CLIENTE Indústria: Mídia Companhia: Valor Econômico Funcionários:

Leia mais

Como navegar no ciclo das Commodities de Petróleo. 10 Ações Estratégicas para Companhias Nacionais de Petróleo

Como navegar no ciclo das Commodities de Petróleo. 10 Ações Estratégicas para Companhias Nacionais de Petróleo Como navegar no ciclo das Commodities de Petróleo 10 Ações Estratégicas para Companhias Nacionais de Petróleo 10 Ações para Companhias Nacionais de Petróleo As Companhias Nacionais de Petróleo (NOCs) têm

Leia mais

Aquisição planejada do negócio de servidores x86 combinará fortalezas da IBM e da Lenovo para maximizar valor para clientes.

Aquisição planejada do negócio de servidores x86 combinará fortalezas da IBM e da Lenovo para maximizar valor para clientes. Aquisição planejada do negócio de servidores x86 combinará fortalezas da IBM e da Lenovo para maximizar valor para clientes Abril de 2014 Conteúdo Resumo Executivo 3 Introdução 3 IBM recebe alta pontuação

Leia mais

Modernização e Evolução do Acervo de Software. Gustavo Robichez de Carvalho guga@les.inf.puc-rio.br

Modernização e Evolução do Acervo de Software. Gustavo Robichez de Carvalho guga@les.inf.puc-rio.br Modernização e Evolução do Acervo de Software Gustavo Robichez de Carvalho guga@les.inf.puc-rio.br Tópicos 1. Estudo Amplo sobre Modernização 2. Visão IBM Enterprise Modernization 3. Discussão - Aplicação

Leia mais