PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PETI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA ANAC - PDTI 2012/2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PETI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA ANAC - PDTI 2012/2013"

Transcrição

1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PETI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA ANAC - PDTI 2012/2013

2 SUMÁRIO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PETI INTRODUÇÃO ASPECTOS ORGANIZACIONAIS E POLÍTICO-INSTITUCIONAIS AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL ANAC Organograma PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ANAC Missão Visão Valores Objetivos estratégicos PROGRAMA DE FORTALECIMENTO INSTITUCIONAL GDI e Projetos Prioritários ALINHAMENTO DO PETI/PDTI COM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA ANAC ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTO DE TI EM RELAÇÃO AOS OBJETIVOS DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Redução do Nível de Acidentes Aéreos Ampliação das Rotas e Frequências Internacionais Aumento do Número de Passageiros Transportados Implantação de Controles Informatizados para todos os Processos e Informações da Agência Ampliação e Consolidação de uma Política de Capacitação e Desenvolvimento de Pessoas Revisão dos Atos Normativos da Agência adequando-os à Lei / Aprimoramento dos Processos de Governança da ANAC ALINHAMENTO DO PDTI COM O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA ANAC Estratégia de Investimento de TI em Relação ao Mapa Estratégico da ANAC Estratégia de Investimento de TI em Relação à Cadeia de Valor da ANAC ALINHAMENTO DO PETI/PDTI COM OS PROJETOS PRIORITÁRIOS EGTI ESTRATÉGIA GERAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO STI MISSÃO VISÃO OBJETIVOS ATRIBUIÇÕES ORGANOGRAMA Gerência de Infraestrutura Tecnológica GEIT Gerência de Sistemas e Informações - GESI Gerência Técnica de Projetos e Governança de Tecnologia da Informação - GTPG DIAGNÓSTICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Aspectos Estratégicos De Tecnologia De Informação Análise da situação atual de Governança de TI Metas Intermediárias da ANAC para Metas Intermediárias da ANAC para

3 PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA ANAC - PDTI INTRODUÇÃO FINALIDADE ESCOPO OBJETIVO METODOLOGIA ELABORAÇÃO DO PDTI REVISÃO DO PDTI ACOMPANHAMENTO DO PDTI IDENTIFICAÇÃO DAS NECESSIDADES DECORRENTES DA ESTRATÉGIA DE TI NECESSIDADES DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO HISTÓRICO DO PDTI EXECUÇÃO DE 2010/ EXECUÇÃO DO PDTI 2012/2013 EXERCÍCIO DE PLANO DE AÇÃO METODOLOGIA PLANO DE AÇÃO Replanejamento Das Ações/2012 Revisões Quadrimestrais Ações concluídas no exercício de Ações Canceladas PLANO DE AÇÃO Replanejamento das Ações/2013 Revisões Quadrimestrais PLANO DE GESTÃO DE RISCOS NÃO MANUTENÇÃO DE UM OU MAIS CONTRATOS DE TERCEIRIZAÇÃO RESTRIÇÕES ORÇAMENTÁRIAS EVASÃO DE SERVIDORES QUANTIDADE INSUFICIENTE DE RECURSOS HUMANOS PARA EXECUÇÃO DAS AÇÕES GLOSSÁRIO... 48

4 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PETI 1 INTRODUÇÃO O Plano Estratégico de Tecnologia da Informação (PETI) é o instrumento utilizado para definir e planejar ações de Tecnologia da Informação que visem à promoção da missão, da visão e dos objetivos estratégicos estabelecidos no Planejamento Estratégico Institucional (PEI). Os objetivos estratégicos do PETI nortearão as ações do Plano Diretor de TI (PDTI), desta forma, procura-se garantir o alinhamento da TI às ações estratégicas da instituição e as necessidades das áreas de negócio, contribuindo para o alcance das metas institucionais e consolidando a importância estratégica da TI para o negócio. No exercício de 2012 os aspectos estratégicos de TI eram abordados no próprio PDTI, instrumento do nível tático por meio do qual se executa a estratégia e as prioridades do negócio. Porém, em virtude do ganho de maturidade obtido ao longo do último ano, decidiu-se por separar os aspectos táticos dos estratégicos, resultando na elaboração deste primeiro PETI. Com a finalização do atual ciclo do PDTI 2012/2013, espera-se elaborar nova versão do PETI, com início coincidente com o novo ciclo de planejamento do Planejamento Estratégico Institucional (PEI) e do PDTI. 2 ASPECTOS ORGANIZACIONAIS E POLÍTICO-INSTITUCIONAIS No intuito de fornecer o direcionamento das ações de TI de forma a atender as necessidades da ANAC, o PETI/PDTI foi elaborado considerando os princípios da administração pública, em particular: Legalidade - suporta legalmente os processos de contratação de soluções de tecnologia de informação. (IN04/2010) Publicidade - promove a divulgação dos planos de investimentos e projetos de Tecnologia dentro da esfera administrativa federal e ao público. Eficiência - visa aumentar a eficiência da atuação da ANAC na consecução de suas funções. Continuidade da Prestação do Serviço Público - promove a utilização de recursos de tecnologia de informação para a continuidade da prestação do serviço público no setor de aviação civil. Para melhor compreensão do contexto da necessidade de elaboração do PDTI da ANAC, segue uma breve descrição da Agência e como ela se situa na administração pública federal, bem assim, no capítulo 4, da Superintendência de Tecnologia da Informação, área responsável pelo planejamento e execução das ações de Tecnologia de Informação da ANAC.

5 2.1 Agência Nacional de Aviação Civil ANAC A Agência Nacional de Aviação Civil ANAC, criada pela Lei de 27/09/2005, constituise numa autarquia especial federal, dotada de autonomia administrativa e financeira para executar atividades típicas de Administração Pública, competindo-lhe planejar, gerenciar e controlar as atividades relacionadas com a aviação civil. Tem sede e foro no Distrito Federal e dispõe de unidades administrativas regionais. Compete à ANAC, por designação da União e nos termos das políticas estabelecidas pelos Poderes Executivo e Legislativo, regular e fiscalizar as atividades de aviação civil e de infraestrutura aeronáutica e aeroportuária. Como entidade integrante da Administração Pública Federal indireta, está submetida a regime autárquico especial, vinculada à Secretaria de Aviação Civil, com prazo de duração indeterminado. A natureza de autarquia especial conferida à ANAC é caracterizada por independência administrativa, autonomia financeira, ausência de subordinação hierárquica e mandato fixo de seus dirigentes. A ANAC atua como autoridade de aviação civil, sendo a ela asseguradas, pela Lei /2005 e pelo Projeto de Lei de Conversão 17/2011 as prerrogativas necessárias ao exercício adequado de sua competência. A ANAC tem como órgão de deliberação máxima a Diretoria, contando, também, com uma Procuradoria, uma Corregedoria e uma Ouvidoria, além das unidades especializadas. A Diretoria atua em regime de colegiado que decidirão por maioria absoluta, cabendo ao Diretor- Presidente, além do voto ordinário, o voto de qualidade. As atividades de representação judicial da ANAC são exercidas pela Procuradoria perante os juízos, em relação aos quais a representação judicial não tenha sido atribuída às unidades de execução da Procuradoria- Geral Federal, conforme atos específicos da PGF Organograma A ANAC está organizada de acordo com a estrutura apresentada na Figura 1 Estrutura organizacional da ANAC. 1 Instrução Normativa Nº 17 de 13 de janeiro de ANAC.

6 . Figura 1 Estrutura organizacional da ANAC. 2.2 Planejamento Estratégico ANAC O Planejamento Estratégico da Agência traz de forma detalhada os seguintes conceitos basilares da ANAC: missão, visão, valores e objetivos estratégicos. O Planejamento Estratégico é a base para que a organização se conheça e trace seus rumos. Ele define as razões da existência do órgão, o contexto em que está inserido, suas visões, perspectivas, anseios e direcionamentos. Apesar da rápida associação do termo planejamento à definição de marcos e cronogramas, o Planejamento Estratégico é um documento atemporal, cujo objetivo é transmitir a todos os interessados, sejam eles internos ou externos, o entendimento que a organização tem de si e do cenário em que está inserida, e o direcionamento que será dado às suas ações. Assim, para que a organização atue de forma coesa e alicerçada, todas as ações propostas devem estar fundamentadas em seu Planejamento Estratégico. A partir da fundamentação de suas bases, a organização passa à implementação da estratégia, elencando ações de toda sorte para alcance dos objetivos e visão propostos Missão Promover a segurança e a excelência do sistema de aviação civil, de forma a contribuir para o desenvolvimento do País e o bem-estar da sociedade brasileira Visão Ser uma autoridade modelo da aviação civil internacional, atingindo um dos cinco menores índices de acidentes do mundo até Valores Ética, Compromisso com o interesse público, Transparência, Valorização das Pessoas, Profissionalismo e Imparcialidade Objetivos estratégicos Redução do nível de acidentes aéreos; Ampliação das rotas e frequências internacionais; Aumento do número de passageiros transportados; Implantação de controles informatizados para todos os processos e informações da Agência; Ampliação e consolidação de uma política de capacitação e desenvolvimento de pessoas; Revisão dos atos normativos da Agência adequando-os à Lei /2005; Aprimoramento dos processos de governança da ANAC.

7 2.3 Programa de Fortalecimento Institucional Com o objetivo de que a ANAC possa responder aos desafios do crescimento do setor de aviação civil, a diretoria da Agência aprovou, no dia 13/11/2012, o Programa de Fortalecimento Institucional (PFI), por meio da Instrução Normativa nº 66 publicada no Boletim de Pessoal e Serviço (BPS) do dia 21/11/2012. As principais diretrizes do programa se norteiam na busca pelo aprimoramento contínuo dos processos organizacionais e na instalação de um processo de modernização em bases estruturantes, ou seja, permanentes e sustentáveis. São elas: Reforço da Gestão Estratégica, Fortalecimento da Área Corporativa, Integração das Iniciativas das Unidades Organizacionais, Aprimoramento das Metodologias de Gestão, Incremento na Qualidade dos Serviços, Uso Intensivo de Tecnologia da Informação e Valorização de Recursos Humanos. A criação de um conjunto de iniciativas que possibilite à Agência apresentar crescente capacidade de resposta para demandas de curto prazo, aliada a um planejamento sólido de médio e longo prazo, dotando a instituição de condições para que cumpra seus principais objetivos independentemente de qualquer cenário, era uma preocupação constante da diretoria colegiada. Em julho de 2012, ao completar um ano de mandato, o diretor-presidente Marcelo Guaranys publicou mensagem aos servidores deixando clara a necessidade da instituição de contar com um modelo de gestão moderno para uma governança mais eficiente da Agência. Assim, o PFI permitirá que a diretoria colegiada direcione seu trabalho ao debate de regulamentos e de diretrizes estratégicas, à coordenação de projetos prioritários e ao acompanhamento de metas de alto impacto, ou seja, àqueles assuntos de maior repercussão na sociedade e com caráter mais estratégico. Com isso, as superintendências se tornarão cada vez mais responsáveis pelos assuntos de sua competência, com mais autonomia técnica e produtividade em suas atividades GDI e Projetos Prioritários A Instrução Normativa nº. 66 prevê a instituição do Grupo de Desenvolvimento Institucional (GDI), que é encarregado do desenvolvimento do Programa de Fortalecimento Institucional (PFI), por meio da coordenação e elaboração de estratégias, diagnósticos, planos, metas e metodologias. A atuação do GDI proporcionará uma maior integração entre as áreas de gestão da Agência: a Superintendência de Administração e Finanças (SAF), a Superintendência de Gestão de Pessoas (SGP), a Superintendência de Tecnologia da Informação (STI) e a Superintendência de Planejamento Institucional (SPI). A melhoria da comunicação interna será possível pela integração de programas, projetos e sistemas das unidades organizacionais por meio da disseminação da informação. Também se busca o aperfeiçoamento do Modelo de Gestão da Agência que compreenderá ciclos de planejamento, com o objetivo de formulação das estratégias que nortearão as ações institucionais; o acompanhamento dos indicadores e metas associados aos macroprocessos organizacionais e os projetos prioritários. A criação de um Escritório de Projetos, vinculado à SPI, é outra iniciativa no âmbito do PFI. Entre as suas atividades estão: a capacitação dos gerentes de projetos prioritários, iniciada em

8 19 de novembro, o apoio metodológico aos gerentes de projeto e o monitoramento da execução desses projetos. Cada projeto prioritário contará com um patrocinador, entre os diretores da Agência, e um gerente de projeto. A seguir estão listados os 11 (onze) projetos prioritários selecionados pela diretoria colegiada: 1. Elaboração de Agenda Regulatória da ANAC; 2. Implantação e implementação do PSOE-ANAC nas atividades da Agência; 3. Novo Modelo da Fiscalização; 4. Elaboração da Metodologia de Produção de Normas Finalísticas; 5. Planejamento e racionalização da atuação da ANAC em Organismos Internacionais de Aviação Civil; 6. Melhoria do Atendimento aos Usuários de Serviços Regulados; 7. Elaboração do Plano de Contingência para eventos críticos; 8. Monitoramento da Prestação de Serviço de Transporte Aéreo de Passageiros e de Cargas; 9. Otimização da certificação de pessoal da aviação civil; 10. Planejamento e racionalização da atuação da ANAC sobre temas de meio ambiente; 11. Gestão da Exploração Aeroportuária. Os principais benefícios do Programa de Fortalecimento Institucional são: - Institucionalização do planejamento estratégico e a sua execução por meio de metas: projetos prioritários e indicadores de macroprocessos; - Criação de arcabouço institucional que possibilite o contínuo aprimoramento do modelo de gestão da Agência; - Alinhamento dos recursos organizacionais de todas as naturezas aos objetivos estratégicos estabelecidos e materializados em projetos prioritários; - Ênfase na gradativa melhoria dos serviços prestados aos usuários internos e externos; - Ênfase na criação de capacidade institucional como pré-requisito para cumprimento da missão da Agência; - Foco na visão sistêmica, integração das iniciativas, e gestão por processos; - Implantação de novo modelo de gestão de pessoas que busca promover a valorização dos servidores e colaboradores pelo fortalecimento da capacitação interna (técnica e gerencial) e adoção de ações voltadas ao aprimoramento contínuo das condições de trabalho do quadro de recursos humanos da Agência. 3 ALINHAMENTO DO PETI/PDTI COM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA ANAC 3.1 Estratégia de Investimento de TI em relação aos objetivos do Planejamento Estratégico

9 Entende-se que o processo de Governança de TI deverá buscar sempre o desenvolvimento dos projetos que apoiem a consecução dos objetivos estratégicos definidos pela Agência. A efetiva execução dos projetos de TI é fator fundamental para que as áreas finalísticas atinjam os objetivos estratégicos da Agência. A ANAC definiu os seguintes Objetivos Estratégicos em seu processo de planejamento institucional em 2010: Sob a perspectiva direta dos objetivos estratégicos, os investimentos em Tecnologia da Informação atendem principalmente aos objetivos 1, 4, 5, Redução do Nível de Acidentes Aéreos. A contribuição da STI para este objetivo estratégico é efetuado por meio de aquisição, desenvolvimento e manutenção de sistemas informatizados que permitam o controle e a supervisão de aeronaves, aeronautas e aeródromos. Tais controles são realizados pelas áreas finalísticas que atuam diretamente no atingimento desta meta. As principais solicitações e necessidades referentes a estes controles informatizados para o período são: NE-001, NE-002, NE-003 e NE-004, definidas no capítulo referente ao PDTI Ampliação das Rotas e Frequências Internacionais. Não foram identificadas nesse objetivo estratégico referências diretas a necessidades de novos recursos de TI Aumento do Número de Passageiros Transportados. Não foram identificadas nesse objetivo estratégico referências diretas a necessidades de novos recursos de TI.

10 3.1.4 Implantação de Controles Informatizados para todos os Processos e Informações da Agência. Este objetivo estratégico é efetuado por meio de aquisição, desenvolvimento e manutenção de sistemas informatizados que permitam a gestão dos diversos processos e informações da Agência. Para esse objetivo estratégico foram identificadas as seguintes necessidades de TI que devem ser atendidas: NE-001, NE-002, NE-003 e NE-004, definidas no capítulo referente ao PDTI Ampliação e Consolidação de uma Política de Capacitação e Desenvolvimento de Pessoas Este objetivo estratégico é efetuado por meio do apoio ao planejamento e execução dos planos de capacitação dos servidores e da garantia de que os colaboradores terceirizados se mantenham atualizados, dentro de suas áreas de atuação ao longo do período de prestação de serviços para a Agência. Para esse objetivo estratégico foi identificada a seguinte necessidade de TI que deve ser atendida: NE-005, definida no capítulo referente ao PDTI Revisão dos Atos Normativos da Agência adequando-os à Lei /2005 A necessidade de revisão dos atos normativos requer uma ação coordenada e integrada entre as Unidades Organizacionais, podendo refletir nos processos da Agência e, por conseguinte, nos controles informatizados existentes. Novos controles informatizados já são elaborados considerando a legislação vigente. No tocante à atuação da STI referente a este objetivo estratégico, é identificada a seguinte necessidade: NE-003, definida no capítulo referente ao PDTI Aprimoramento dos Processos de Governança da ANAC Para atingir a meta de aprimoramento dos processos de Governança da ANAC a STI atua em duas vertentes, uma visando a sua própria operação e outra visando o suporte às demais unidades da Agência. Processos de Governança de TI Para uma melhor gestão e controle das atividades da STI, em conformidade com os requisitos legais da administração pública, se faz necessário um contínuo aprimoramento dos processos e práticas de governança de TI, dentre os quais se podem citar: Instrução Normativa Nº 04 de 12 de novembro de 2010 da SLTI/MP; Acórdão Nº 2308/2010 TCU Plenário Acórdão Nº 1603/2008 TCU Plenário Para este objetivo estratégico, em relação às operações de TI, foi identificada a seguinte necessidade: NE-006, definida no capítulo referente ao PDTI.

11 Processos de Governança das demais Unidades Organizacionais A contribuição da STI para este objetivo estratégico é efetuado por meio de aquisição, desenvolvimento e manutenção de sistemas informatizados que permitam o aprimoramento dos processos de gestão e comunicação da Agência. Para esse objetivo estratégico foram identificadas as seguintes necessidades de TI que devem ser atendidas: NE-001, NE-002 e NE-003, definidas no capítulo referente ao PDTI. 3.2 Alinhamento DO PDTI com o Planejamento Estratégico da ANAC O PDTI 2012/2013 foi elaborado buscando alinhamento dos investimentos de tecnologia da informação com o Planejamento Estratégico da Agência, seus objetivos e o Mapa Estratégico. Além disso, analisaram-se o investimento em relação à Cadeia de Valor da ANAC e seus megaprocessos Estratégia de Investimento de TI em Relação ao Mapa Estratégico da ANAC O Mapa Estratégico da ANAC é a representação gráfica que traduz o desdobramento dos objetivos estratégicos em ações, agrupadas nas seguintes perspectivas: Sociedade corresponde ao destinatário final das ações da ANAC, ou seja, a sociedade como um todo; Regulados corresponde à regulação e fiscalização dos serviços aéreos; Processos Internos corresponde a constante melhoria dos processos internos de forma a que o atendimento da ANAC seja célere, efetiva e eficaz. Aprendizado e Crescimento corresponde à obtenção e retenção do conhecimento por parte do corpo de servidores da ANAC. Para efeito de análise demonstramos a seguir como os investimentos em TI estão relacionados com os itens do mapa estratégico da ANAC:

12 3.2.2 Estratégia de Investimento de TI em Relação à Cadeia de Valor da ANAC A estratégia de investimento de TI, além de estar alinhada ao Mapa Estratégico e Objetivos Estratégicos, também verificou o seu alinhamento com a Cadeia de Valor da ANAC, sob o enfoque dos seus processos: Certificação, Normatização, Fiscalização, Gestão Interna e Relacionamento Institucional. 3.3 Alinhamento do PETI/PDTI com os Projetos Prioritários Os projetos prioritários aprovados pela Diretoria da Agência foram contemplados no PDTI 2012/2013 para o exercício de Até a data de aprovação do PDTI exercício 2013 havia o seguinte planejamento dos projetos prioritário: Lista de projetos Final Demanda Início do projeto Projeto Término do projeto Necessidade de Tecnologia da Informação Início do sistema Término do sistema 1. Elaboração de Agenda Regulatória da ANAC Não previsto jan/13 out/13 N/A N/A 2. Implantação e implementação do PSOE-ANAC nas atividades da Agência SISDASO jan/13 out/14 sem estimativa sem estimativa 1)Sistemas para controle e guarda dos EF e seus dados. jan/14 abr/14 3. Novo Modelo da Fiscalização 2)Sistema para controlar e gerar a priorização da ação da ANAC de acordo com o modelo conceitual de priorização. mar/13 out/14 abr/14 ago/14 4. Elaboração da Metodologia de Produção de Normas Finalísticas Gestão de requisitos regulamentares jan/13 fev/15 mar/13 jan/15

13 Lista de projetos Final 5. Planejamento e racionalização da atuação da ANAC em Organismos Internacionais de Aviação Civil 6. Melhoria do Atendimento aos Usuários de Serviços Regulados Demanda Repositório de informações sobre o histórico dos grupos técnicos dos organismos internacionais de aviação civil, em especial, os painéis da OACI 1) Remodelagem no sistema de tratamento de informações; 2) Identificação e implantação de ferramentas de suporte para novo modelo de sistema de tratamento de informações. Início do projeto Projeto Término do projeto Necessidade de Tecnologia da Informação Início do sistema Término do sistema jan/13 dez/14 jan/13 dez/14 jan/13 jul/14 jan/13 ago/13 ago/13 jun/14 7. Elaboração do Plano de Contingência para eventos críticos Não previsto mar/13 mai/14 N/A N/A 8. Monitoramento da Prestação de Serviço de Transporte Aéreo de Passageiros e de Cargas 9. Otimização da certificação de pessoal da aviação civil Desenvolvimento de sistema de TI para coletar os dados necessários para produção dos indicadores. Desenvolvimento de sítio eletrônico para divulgação de indicadores ao público em geral. Descritivo do sistema informatizado vigente à luz do novo fluxo de certificação e regulação de suporte jan/14 ago/14 fev/13 dez/15 mai/14 dez/14 abr/13 out/15 jan/14 ago/ Planejamento e racionalização da atuação da ANAC sobre temas de meio ambiente 1)Desenvolvimento de bases de dados ambientais e incorporação ao B.O. com vistas a institucionalização de sistemas ambientais na Agência mar/13 dez/14 2)Pesquisa e aquisição de softwares para modelagem ambiental mar/13 mar/13 jun/13 set/ Gestão da Exploração Aeroportuária Não previsto fev/13 dez/13 N/A N/A No PDTI 2013 foram incluídos apenas os projetos prioritários que tiveram previsão de utilização de recursos de TI para esse exercício. Foram criadas, no item , ações para os projetos prioritários com previsão de utilização de recursos ou serviços de TI, caso haja necessidade de uso de TI em algum outro projeto ainda em 2013, uma nova ação será incluída no PDTI referente ao respectivo projeto em uma das revisões já previstas. E os demais projetos prioritários serão contemplados no PDTI de 2014/2015 caso tenham previsão de recursos ou serviços de TI necessários para o sucesso do projeto. 3.4 EGTI Estratégia geral de Tecnologia da Informação A Estratégia Geral de Tecnologia da Informação-EGTI, elaborada pela SLTI/MPOG, é o instrumento base para que os órgãos do Sistema de Administração dos Recursos de Informação e Informática - SISP elaborem os seus Planos Diretores de Tecnologia da Informação, visando o aprimoramento institucional e a maturidade da governança de Tecnologia da Informação nos órgãos que compõem o sistema, em atendimento ao que determina o Art. 3º da Instrução Normativa SLTI nº 04, de 12 de novembro de 2010:

14 Art. 3º em consonância com o art. 4º do Decreto nº 1.048, de 1994, o órgão central do SISP elaborará, em conjunto com os órgãos setoriais e seccionais do SISP, a Estratégia Geral de Tecnologia da Informação EGTI para a Administração direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo Federal, revisada e publicada anualmente, para servir de subsídio à elaboração dos PDTI pelos órgãos e entidades integrantes do SISP. A EGTI estabelece como missão da TI nos órgãos do SISP, Promover a gestão dos recursos de Tecnologia da Informação nos órgãos integrantes do sistema, visando apoiar o desenvolvimento social do País, e como visão, Ser gestor estratégico e indispensável de informações e de recursos de Tecnologia da Informação para o êxito das políticas públicas governamentais. O EGTI estabeleceu os seguintes objetivos estratégicos para as áreas gestoras de TI dos órgãos que compõem o SISP: Objetivo 1: Aprimorar a gestão de pessoas de TI Objetivo 2: Aprimorar a gestão orçamentária de TI Objetivo 3: Aperfeiçoar a governança no SISP Objetivo 4: Aperfeiçoar a gestão de processos de TI nos órgãos do SISP Objetivo 5: Estimular a adoção de padrões tecnológicos Objetivo 6: Promover o uso eficiente dos recursos de TI Objetivo 7: Melhorar continuamente a prestação de serviços eletrônicos à sociedade Os objetivos estratégicos da EGTI são mapeados nas seguintes necessidades: CORRELAÇÃO COM AS NECESSIDADES DE TI DA ANAC OBJETIVOS DA EGTI Necessidade: NE-001 Desenvolvimento de sistemas de informação para a Agência. Objetivos 5, 6 e 7 Necessidade: NE-002 Suporte a aquisição de novas soluções de tecnologia da informação para a Agência. Objetivos 6 Necessidade: NE-003 Manutenção de Sistemas de Informação da Agência. Objetivos 6 e 7 Necessidade: NE-004 Desenvolvimento de sistemas de apoio à decisão para a Agência. Objetivos 5, 6 e 7 Necessidade: NE-005 Capacitação dos servidores da STI. Objetivo 1 Necessidade: NE-006 Aprimoramento dos processos e práticas de governança de TI Objetivo 2 Necessidade: NE-007 Gerenciamento de Serviços de TI Objetivo 3, 4 e 6 Necessidade: NE-008 Estrutura normativa e soluções de segurança da informação Objetivos 3, 4 e 6 Necessidade: NE-009 Manutenção e evolução da infraestrutura de TI. Objetivos 6 e 7

15 4 SUPERINTENDÊNCIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO STI A Superintendência de Tecnologia da Informação é a unidade organizacional responsável por gerir os ativos e serviços de tecnologia de informação da ANAC. 4.1 Missão A STI tem como missão aplicar as tecnologias da informação na concepção desenvolvimento, integração, manutenção e segurança de ativos de TI que possibilitem a gestão e a tomada de decisão direcionada à consecução da missão e da visão da ANAC e que assegurem a permanente afirmação de seus valores. 4.2 Visão Ser agente facilitador para a ANAC na busca de soluções tecnológicas confiáveis, robustas, seguras e eficientes que assegurem a afirmação dos valores e metas institucionais da ANAC. 4.3 Objetivos A STI tem por objetivos: Oferecer soluções de TI robustas, confiáveis e eficazes que permitam a realização da missão institucional da ANAC; Avaliar a relação custo/benefício para opções tecnológicas e subsidiar a tomada de decisão dos gestores; Manter os ativos tecnológicos e as operacionalidades dos sistemas permanentemente atualizados e seguros. Atender aos projetos prioritários da Agência no que for cabível à TI; Manter os produtos e serviços de TI disponíveis; Ter processos de governança de TI que proporcione o atendimento dos demais objetivos estratégicos de TI. 4.4 Atribuições São atribuições gerais da STI: Estabelecer e formular estratégias e padrões relacionados com a administração dos recursos de tecnologia da informação para a sistematização e disponibilização de informações gerenciais, visando dar suporte ao processo decisório da Agência; Suprir e dar suporte às áreas da Agência quanto à infraestrutura, execução e gerenciamento dos projetos de tecnologia da informação necessários ao desenvolvimento das atividades finalísticas e de gestão interna; Coordenar, supervisionar, acompanhar, controlar e avaliar a execução das atividades relacionadas com a infraestrutura de tecnologia da informação,

16 desenvolvimento de projetos e sistemas de informação, segurança da informação e inovação tecnológica no âmbito da Agência; Elaborar, propor e manter o Plano Diretor de Tecnologia da Informação; Organizar, dirigir, controlar e avaliar os serviços de segurança da informação e inovação tecnológica da Agência; Propor parcerias e intercâmbios de recursos, informações, tecnologias, produtos e serviços com empresas públicas e privadas, instituições de pesquisa e desenvolvimento, e com demais organizações afins em matérias do seu âmbito de atuação; Definir e regulamentar a execução das normas e procedimentos de acesso e uso de serviços de comunicações, das atividades de gestão da infraestrutura de rede corporativa, dos serviços de suporte técnico das redes locais e remotas, da política de segurança e plano de contingência, e atendimento via suporte técnico aos usuários; Exercer outras atividades que lhe forem atribuídas pela Diretoria. 4.5 Organograma A STI está organizada de acordo com a estrutura apresentada na Figura 2. Figura 2 Estrutura organizacional da STI Gerência de Infraestrutura Tecnológica GEIT A GEIT é a unidade responsável pelos processos de produção dos serviços de TI, manutenção física dos Data Centers da ANAC, segurança da informação e gestão dos ativos de TI.

17 4.5.2 Gerência de Sistemas e Informações - GESI A GESI é a unidade responsável pela Administração de dados da ANAC, desenvolvimento/aquisição das soluções informatizadas para apoio aos processos da Agência e desenvolvimento dos sistemas de suporte à decisão Gerência Técnica de Projetos e Governança de Tecnologia da Informação - GTPG A GTPG é a unidade responsável pelo acompanhamento dos projetos de TI, acompanhando ou auxiliando sua execução dentro do escopo, custo, qualidade e prazos acordados, bem como estabelecer processos de Governança de TI. 4.6 DIAGNÓSTICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Neste tópico são expostos os aspectos estratégicos de Tecnologia da Informação para que o Planejamento Estratégico e operações da ANAC sejam suportados no período de abrangência deste plano, e no longo prazo, visando maior eficiência na prestação de serviços públicos pela Agência. A partir dos aspectos estratégicos, foi efetuado o diagnóstico da situação atual e identificadas as necessidades referentes à Tecnologia da Informação para que a estratégia seja atingida e mantida Aspectos Estratégicos De Tecnologia De Informação A estratégia de Tecnologia de Informação da ANAC é baseada no foco do negócio da Agência, podendo ser representado de acordo com o modelo de governança de TI COBIT. Neste modelo são identificados os principais componentes envolvidos com a operação da área de TI. Requisitos de Negócios A STI da ANAC é estruturada de forma a satisfazer os requisitos de negócios da Agência, traduzidos no alinhamento com os objetivos estratégicos já descritos neste documento.

18 Estes objetivos orientam os investimentos e gastos com os recursos necessários ao atendimento dos requisitos das áreas clientes, os quais contemplam projetos de novas necessidades e manutenção de operação por meio das atividades contínuas. Recursos São considerados recursos de Tecnologia da Informação: Recursos humanos, incluindo servidores e prestadores de serviço terceirizados; Instalações físicas onde se situam os servidores e os dispositivos físicos de armazenamento de dados (datacenters) incluindo os suprimentos de energia, ar condicionado, etc; Infraestrutura de comunicação de dados; Infraestrutura de processamento de dados Servidores de aplicações e de bancos de dados; Infraestrutura de armazenamento de dados Storages e dispositivos de backup; Programas necessários para a execução dos controles informatizados dos processos de negócios da ANAC, incluindo sistemas operacionais e ambientes de desenvolvimento e supervisão dos componentes da infraestrutura. Não incluem os programas aplicativos que implementam os controles informatizados em si. Processos Os processos abrangem como são executadas as diversas funções de Tecnologia de Informação na ANAC, permitindo que os recursos sejam utilizados de maneira eficiente e focados nos objetivos estratégicos da Agência. Os principais processos da Tecnologia da Informação na ANAC são: Atendimento e suporte em TI aos usuários; Operação continuada da infraestrutura; Mudanças da infraestrutura; Aquisições de soluções de TI; Apoio a outras unidades da Agência quanto a aquisições de soluções de TI; Desenvolvimento de novos sistemas; Manutenção de sistemas existentes; Gestão de projetos de Tecnologia da Informação; Segurança da Informação; Governança de TI. Informações organizacionais ativos de informações Os objetos resultantes das atividades de Tecnologia da Informação, que efetivamente fornecem os controles informatizados constituem o ativo de informações da Agência. Os principais ativos de informações são: Sistemas utilizados pelos usuários internos e externos à ANAC, incluindo as informações que estes sistemas utilizam e armazenam; Documentos manipulados (criados, digitalizados, alterados) pelos usuários utilizando as ferramentas de tecnologia da informação a eles disponibilizadas; Comunicações efetuadas por meio das ferramentas de Tecnologia da Informação, com ou sem armazenamento de seu conteúdo.

19 4.6.2 Análise da situação atual de Governança de TI Após estudo realizado sobre os diversos processos e práticas de governança de TI, foi obtido o mapa residual demonstrando o nível de maturidade da STI e de seus macros processos. Esse estudo derivou-se da ação AC-0029 do PDTI Houve também a priorização dentre os processos que tiveram menor nível de maturidade, para estabelecer os planos de ação visando à melhoria destes. Nesse contexto, o primeiro item a ser trabalhado no plano de ação foi a Segurança da Informação, coletando-se evidências, o que alterou o seu índice de maturidade para 21,95%. Devido às necessidades da própria STI e a indicação como meta intermediária Assegurar disponibilidade dos serviços essenciais de TI, foi dado início ao trabalho sobre o macro processo Gerenciamento de Serviços de TI. 21,95% Metas Intermediárias da ANAC para 2012 Foram definidas junto à Superintendência de Planejamento Institucional (SPI), as seguintes metas intermediárias para a STI: MI.1 Prover solução de sistema integrado de fiscalização Percentual alcançado com a execução da meta: Meta descontinuada. Será um projeto do Escritório de Projetos da SPI em MI.2 Assegurar disponibilidade dos serviços essenciais de TI Percentual alcançado com a execução da meta: 67% do planejado foi executado no período. MI.3 Implementar a Política de Segurança de Tecnologia da Informação na ANAC Percentual alcançado com a execução da meta: 88% do planejado foram executados no período. MI.4 Desenvolver 50% do repositório de metadados da Agência meta que visa o atendimento ao decreto presidencial n 6.932, de 11 de agosto de 2009, art. 4º: No

20 âmbito da administração pública federal, os órgãos e entidades gestores de base de dados oficial colocarão à disposição dos órgãos e entidades públicos interessados as orientações para acesso às informações constantes dessas bases de dados, observando as disposições legais aplicáveis e as diretrizes, orientações e procedimentos estabelecidos pelo Comitê Executivo do Governo Eletrônico, criado pelo Decreto de 18 de outubro de Além da necessidade legal, o desenvolvimento do repositório de metadados ampara o desenvolvimento de sistemas de apoio para a Agência. Percentual alcançado com a execução da meta: 90% do planejado para essa meta foi executado no período Metas Intermediárias da ANAC para 2013 As metas intermediárias para avaliação de Desempenho Institucional, referentes ao 4º ciclo, compreendido no período de 01/11/2012 à 31/10/2013 foram publicadas em novembro de Os resultados das metas serão acompanhados pela Diretoria e pelos Superintendentes durante as Reuniões de Gestão. As metas foram agrupadas nos seguintes seguimentos: Certificação, Fiscalização, Normatização, Gestão Interna e Representação Institucional. A STI apoiará todas as metas que necessitarem de TI e será responsável direto pela meta n 20: MI.20. Garantir que 80% das demandas de sustentação e desenvolvimento de software sejam atendidas dentro da produtividade de 12h por ponto de função.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012. Institui o Programa de Fortalecimento Institucional da ANAC. A DIRETORIA DA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL - ANAC, no exercício das competências

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Publicada no DJE/STF, n. 127, p. 1-3 em 3/7/2013. RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Dispõe sobre a Governança Corporativa de Tecnologia da Informação no âmbito do Supremo Tribunal Federal e dá outras

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI Plano de Trabalho Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Leia mais

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL 1 SUMÁRIO DIAGNÓSTICO GERAL...3 1. PREMISSAS...3 2. CHECKLIST...4 3. ITENS NÃO PREVISTOS NO MODELO DE REFERÊNCIA...11 4. GLOSSÁRIO...13 2 DIAGNÓSTICO GERAL Este diagnóstico é

Leia mais

Modelo de Referência. Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010

Modelo de Referência. Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010 Modelo de Referência Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010 Versão 1.0 Premissas do modelo 1. Este modelo foi extraído do material didático do curso Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 77, DE 18 DE MARÇO DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 77, DE 18 DE MARÇO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 77, DE 18 DE MARÇO DE 2014. Institui os procedimentos para o gerenciamento de projetos prioritários no âmbito da Agência Nacional de Aviação Civil - ANAC e dá outras providências.

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Simplificar e padronizar os processos internos, incrementando o atendimento ao usuário. Especificamente o projeto tem o objetivo de: Permitir

Leia mais

Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 1 Agenda Contexto SISP Planejamento de TI PDTI 2 SISP Sistema de Administração dos Recursos de Informação e Informática Decreto nº 1.048, de 21 de janeiro

Leia mais

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA 1 APRESENTAÇÃO Este conjunto de diretrizes foi elaborado para orientar a aquisição de equipamentos

Leia mais

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 29 de setembro de 2009 PLANO DE TRABALHO - PDTI O presente Plano de Trabalho objetiva o nivelamento do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima aos requisitos de tecnologia da informação

Leia mais

Governança de TI no Governo. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto

Governança de TI no Governo. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto Governança de TI no Governo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto Agenda Agenda Contexto SISP IN SLTI 04/2008 EGTI Planejamento

Leia mais

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Dezembro/2010 2 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Missão: Prover soluções efetivas de tecnologia

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 1 Missão 2 Exercer o controle externo da administração pública municipal, contribuindo para o seu aperfeiçoamento, em benefício da sociedade. Visão Ser reconhecida

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETI) Secretaria de Tecnologia da Informação Florianópolis, março de 2010. Apresentação A informatização crescente vem impactando diretamente

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 13/06/2014 14:08:02 Endereço IP: 177.1.81.29 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação

Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação Emerson de Melo Brasília Novembro/2011 Principais Modelos de Referência para Auditoria de TI Como focar no negócio da Instituição

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO)

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO) EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 CONCESSÃO PARA AMPLIAÇÃO, MANUTENÇÃO E EXPLORAÇÃO DOS AEROPORTOS INTERNACIONAIS BRASÍLIA CAMPINAS GUARULHOS EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA

Leia mais

DECRETO Nº 1.528, DE 21 DE AGOSTO DE 2008.

DECRETO Nº 1.528, DE 21 DE AGOSTO DE 2008. DECRETO Nº 1.528, DE 21 DE AGOSTO DE 2008. Dispõe sobre modificações no processo de implantação do monitoramento dos programas e ações governamentais, no âmbito da Administração Pública do Estado de Mato

Leia mais

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 A Estratégia do Conselho da Justiça Federal CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 SUEST/SEG 2015 A estratégia do CJF 3 APRESENTAÇÃO O Plano Estratégico do Conselho da Justiça Federal - CJF resume

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

Planejamento Estratégico da Tecnologia da Informação (PETI)

Planejamento Estratégico da Tecnologia da Informação (PETI) 00 dd/mm/aaaa 1/15 ORIGEM Instituto Federal da Bahia Comitê de Tecnologia da Informação ABRANGÊNCIA Este da Informação abrange todo o IFBA. SUMÁRIO 1. Escopo 2. Documentos de referência 3. Metodologia

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG Forplad Regional Sudeste 22 de Maio de 2013 Erasmo Evangelista de Oliveira erasmo@dgti.ufla.br Diretor de

Leia mais

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA Capítulo I - DA

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

Diretoria de Informática TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Brivaldo Marinho - Consultor. Versão 1.0

Diretoria de Informática TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Brivaldo Marinho - Consultor. Versão 1.0 TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Brivaldo Marinho - Consultor Versão 1.0 CONTROLE DA DOCUMENTAÇÃO Elaboração Consultor Aprovação Diretoria de Informática Referência do Produto

Leia mais

Gestão e Tecnologia da Informação

Gestão e Tecnologia da Informação Gestão e Tecnologia da Informação Superintendência de Administração Geral - SAD Marcelo Andrade Pimenta Gerência-Geral de Gestão da Informação - ADGI Carlos Bizzotto Gilson Santos Chagas Mairan Thales

Leia mais

-0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012.

-0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012. -0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012. Dispõe sobre os critérios e os procedimentos para promoção, organização e participação da ANAC em eventos internos e externos. A DIRETORIA DA AGÊNCIA

Leia mais

Diretoria de Informática

Diretoria de Informática Diretoria de Informática Estratégia Geral de Tecnologias de Informação para 2013-2015 EGTI 2013-2015 Introdução: Este documento indica quais são os objetivos estratégicos da área de TI do IBGE que subsidiam

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TRIÊNIO /2015 DSI/CGU-PR Publicação - Internet 1 Sumário 1. RESULTADOS

Leia mais

Prefeitura Municipal de Brejetuba

Prefeitura Municipal de Brejetuba INSTRUÇÃO NORMATIVA SPO Nº. 001/2014 DISPÕE SOBRE ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO E EXECUÇÃO DO PPA NO MUNICÍPIO DE BREJETUBA-ES. VERSÃO: 01 DATA DE APROVAÇÃO: 06/05/2014 ATO DE APROVAÇÃO: Decreto Municipal

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho

Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho Versão 1.0 Superintendência da Gestão Técnica da Informação SGI Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Índice INTRODUÇÃO... 3 FINALIDADE...

Leia mais

Modelo de Referência 2011-2012

Modelo de Referência 2011-2012 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação - SLTI Modelo de Referência 2011-2012 Plano Diretor de Tecnologia de Informação Ministério do Planejamento,

Leia mais

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006.

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. DEFINE a Política de Informática do Estado do Amazonas. O PRESIDENTE DO COMITÊ ESTADUAL DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI Objetivos Assegurar que os esforços despendidos na área de informática sejam consistentes com as estratégias, políticas e objetivos da organização como um todo; Proporcionar uma estrutura de serviços na

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 08/08/2014 19:53:40 Endereço IP: 150.164.72.183 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 12/06/2014 13:58:56 Endereço IP: 200.252.42.196 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO

ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO 05.11.2015 SUMÁRIO INTRODUÇÃO DEFINIÇÃO DE PORTFÓLIO CENÁRIO NEGATIVO DOS PORTFÓLIOS NAS ORGANIZAÇÕES GOVERNANÇA

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Reestrutura as unidades vinculadas à Secretaria de Tecnologia da Informação SETIN do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia mais

Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública. André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011

Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública. André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011 Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011 André Luiz Furtado Pacheco, CISA Graduado em Processamento de

Leia mais

1. Esta Política Institucional de Gestão de Continuidade de Negócios:

1. Esta Política Institucional de Gestão de Continuidade de Negócios: 1. Esta Política Institucional de Gestão de Continuidade de Negócios: a) é elaborada por proposta da área de gestão de continuidade de negócios da Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob Sicoob

Leia mais

ESCRITÓRIO DE PROJETOS CORPORATIVO DO INPI

ESCRITÓRIO DE PROJETOS CORPORATIVO DO INPI ESCRITÓRIO DE PROJETOS CORPORATIVO DO INPI O modelo implantado e as lições aprendidas PEDRO BURLANDY Maio/2011 SUMÁRIO 1. PREMISSAS E RESTRIÇÕES 2. DIAGNÓSTICO SUMÁRIO 3. O PROBLEMA E A META 4. O MODELO

Leia mais

UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos

UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos Exercício 2015 Auditoria Interna Unidade de Auditoria Interna - CEFET/RJ Normativos: Portaria nº 07, de 15/01/2001: cria a Unidade de Auditoria

Leia mais

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC Incentivar a inovação em processos funcionais Aprendizagem e conhecimento Adotar práticas de gestão participativa para garantir maior envolvimento e adoção de soluções de TI e processos funcionais. Promover

Leia mais

Alinhamento entre Estratégia e Processos

Alinhamento entre Estratégia e Processos Fabíola Azevedo Grijó Superintendente Estratégia e Governança São Paulo, 05/06/13 Alinhamento entre Estratégia e Processos Agenda Seguros Unimed Modelo de Gestão Integrada Kaplan & Norton Sistema de Gestão

Leia mais

RESOLUÇÃO GPGJ Nº 1.943 DE 13 DE OUTUBRO DE 2014.

RESOLUÇÃO GPGJ Nº 1.943 DE 13 DE OUTUBRO DE 2014. RESOLUÇÃO GPGJ Nº 1.943 DE 13 DE OUTUBRO DE 2014. Dispõe sobre o Modelo de Governança do Planejamento Estratégico do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PERÍODO 2012 A 2016 MANAUS/AM VERSÃO 1.0 1 Equipe de Elaboração João Luiz Cavalcante Ferreira Representante da Carlos Tiago Garantizado Representante

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

1 APRESENTAÇÃO. Página 3 de 16

1 APRESENTAÇÃO. Página 3 de 16 Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 OBJETIVOS... 4 3 PÚBLICO-ALVO DA GESTÃO ESTRATÉGICA... 4 4 INFORMAÇÕES SOBRE O MODELO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DO TCE/RN... 5 4.1 DIRECIONADORES ESTRATÉGICOS... 5 4.2 OBJETIVOS

Leia mais

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE COMITÊ ORGANIZADOR DOS JOGOS OLÍMPICOS RIO 206 RIO 206 POLÍTICA DE 25/02/205 / 2 Sumário. OBJETIVO... 2 2. DEFINIÇÕES... 2 3. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 5 4. DIRETRIZES... 7 4. Programa Geral de...

Leia mais

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MECANISMOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O Ciclo da Governança de T.I. ALINHAMENTO

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM 09/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 30 de setembro de 2015. Aprovado, Gabriela

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE GERÊNCIA DE CONTROLE DE TESOURARIA ANÁLISE DE RISCO OPERACIONAL RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG Belo Horizonte 01 de Julho de 2008 1 SUMÁRIO 1. Introdução...02

Leia mais

Marcelo Narvaes Fiadeiro Subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração

Marcelo Narvaes Fiadeiro Subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração Marta Suplicy Ministra da Cultura Ana Cristina Wanzeler Secretária-Executiva Marcelo Narvaes Fiadeiro Subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração Paulo Cesar Kluge Coordenador-Geral de Tecnologia

Leia mais

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009.

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. Institui a Política de Tecnologia da Informação e Comunicação no Governo do Estado do Piauí, cria o Sistema de Governança de Tecnologia da Informação e

Leia mais

TIControle. Governança Corporativa e Gestão Estratégica no Senado Federal. Doris Peixoto Diretora Geral

TIControle. Governança Corporativa e Gestão Estratégica no Senado Federal. Doris Peixoto Diretora Geral TIControle Governança Corporativa e Gestão Estratégica no Senado Federal Doris Peixoto Diretora Geral 11/04/2012 Tópicos para nossa conversa de hoje A migração da Governança de TI para o nível corporativo

Leia mais

PROGRAMA BRASILEIRO PARA A SEGURANÇA OPERACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL PSO-BR

PROGRAMA BRASILEIRO PARA A SEGURANÇA OPERACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL PSO-BR PROGRAMA BRASILEIRO PARA A SEGURANÇA OPERACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL PSO-BR PROGRAMA BRASILEIRO PARA A SEGURANÇA OPERA- CIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL PSO-BR ANTECEDENTES A Organização de Aviação Civil Internacional

Leia mais

A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment

A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment Cláudio Muniz Machado Cavalcanti claudio.cavalcanti@planejamento.gov.br

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor Gestão e Governança de TI Modelo de Governança em TI Prof. Marcel Santos Silva PMI (2013), a gestão de portfólio é: uma coleção de projetos e/ou programas e outros trabalhos que são agrupados para facilitar

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA

REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA Art. 1º. A Secretaria de Tecnologia de Informação e Comunicação SETIC é um Órgão Suplementar Superior

Leia mais

Processo de software: do alinhamento estratégico até a sustentação do software

Processo de software: do alinhamento estratégico até a sustentação do software Processo de software: do alinhamento estratégico até a sustentação do software Renata Assunção Farias Introdução Em 2007, após pesquisa com órgãos da Administração Pública Federal (APF), o TCU atestou

Leia mais

PORTARIA-TCU Nº 385, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2009 (Revogada) (Portaria - TCU nº 36, de 31/01/2011, BTCU nº 03, de 31/01/2011)

PORTARIA-TCU Nº 385, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2009 (Revogada) (Portaria - TCU nº 36, de 31/01/2011, BTCU nº 03, de 31/01/2011) PORTARIA-TCU Nº 385, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2009 (Revogada) (Portaria - TCU nº 36, de 31/01/2011, BTCU nº 03, de 31/01/2011) Dispõe sobre as competências da Secretaria de Infraestrutura de Tecnologia da

Leia mais

Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados

Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados E77p Espírito Santo. Tribunal de Contas do Estado. Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados / Tribunal de Contas do Estado. Vitória/ES: TCEES, 2015. 13p. 1.Tribunal

Leia mais

Modelo de Gestão por Processos da Anatel

Modelo de Gestão por Processos da Anatel Modelo de Gestão por Processos da Anatel 1º Evento de Intercâmbio em Planejamento & Gestão das Agências Reguladoras 03 de abril de 2009 Superintendência de Administração-Geral - SAD Gerência-Geral de Talentos

Leia mais

Secretaria de Gestão Pública de São Paulo. Guia de Avaliação de Maturidade dos Processos de Gestão de TI

Secretaria de Gestão Pública de São Paulo. Guia de Avaliação de Maturidade dos Processos de Gestão de TI Secretaria de Gestão Pública de São Paulo Guia de Avaliação de Maturidade dos Processos de Gestão de TI Objetivos As empresas e seus executivos se esforçam para: Manter informações de qualidade para subsidiar

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO, TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO BOLETIM

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

Levantamento de Governança e Gestão de Pessoas na APF

Levantamento de Governança e Gestão de Pessoas na APF Secretaria de Fiscalização de Pessoal Levantamento de Governança e Gestão de Pessoas na APF Fabiano Nijelschi Guercio Fernandes Auditor Federal de Controle Externo Brasília-DF, 25 de fevereiro de 2013

Leia mais

Publicada no D.O. de 14.06.2012 RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 714 DE 13 DE JUNHO DE 2012

Publicada no D.O. de 14.06.2012 RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 714 DE 13 DE JUNHO DE 2012 GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO Publicada no D.O. de 14.06.2012 RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 714 DE 13 DE JUNHO DE 2012 NORMATIZA A SOLICITAÇÃO PARA INCLUSÃO, NOS

Leia mais

Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências.

Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências. PORTARIA No- 192, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2010 Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências. O ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO, no uso de suas atribuições

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2016

Questionário de Governança de TI 2016 Questionário de Governança de TI 2016 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Coordenadoria de Tecnologia da Informação. Documentos Formais. Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR

Coordenadoria de Tecnologia da Informação. Documentos Formais. Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR NOV/2011 1 Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas de Governança de Auditoria Interna de TI...

Leia mais

Governança da Capacidade de TI

Governança da Capacidade de TI Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Governança da Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas do Documento de Governança da... 04 3 Governança da... 05 4 Principais Serviços para Governança

Leia mais

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas 1. Apresentação do Problema Epitácio José Paes Brunet É cada vez mais expressiva, hoje, nas cidades brasileiras, uma nova cultura que passa

Leia mais

Ângela F. Brodbeck. Ana Maria Rizzo Silva

Ângela F. Brodbeck. Ana Maria Rizzo Silva Alinhamento Estratégico entre TI e Negócio Alinhamento entre Ações Estratégicas, Processos e iniciativas de Tecnologia de Informação Novembro, 2013 Ângela F. Brodbeck Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

PORTARIA TC Nº 437, 23 DE SETEMBRO DE 2015

PORTARIA TC Nº 437, 23 DE SETEMBRO DE 2015 PORTARIA TC Nº 437, 23 DE SETEMBRO DE 2015 Disciplina os procedimentos para gestão de incidentes de segurança da informação e institui a equipe de tratamento e resposta a incidentes em redes computacionais

Leia mais

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII)

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII) PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO Secretaria-Executiva Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Plano de Integridade Institucional (PII) 2012-2015 Apresentação Como

Leia mais

Gestão de Portfólio de Projetos

Gestão de Portfólio de Projetos Dez/2010 Gestão de de Projetos Prof. Américo Pinto FGV, IBMEC-RJ, PUC-RJ, COPPEAD Email: contato@americopinto.com.br Twitter: @americopinto Linkedin: Americo Pinto Website: www.americopinto.com.br Por

Leia mais

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1.1. Diretoria Executiva (DEX) À Diretora Executiva, além de planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar as atividades da Fundação, bem como cumprir e fazer cumprir

Leia mais

PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro

PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Revisão do Plano Estratégico 2013/2014 PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 2014 Página 1 de 16 Sumário 1 Apresentação... 3 2 Objetivos... 4 3 Público-Alvo

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DO TRT DA 10ª REGIÃO NA IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA

A EXPERIÊNCIA DO TRT DA 10ª REGIÃO NA IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA A EXPERIÊNCIA DO TRT DA 10ª REGIÃO NA IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA Fabiana Alves de Souza dos Santos Diretora de Gestão Estratégica do TRT 10 1/29 O TRT da 10ª Região Criado em 1982 32 Varas do Trabalho

Leia mais

Liziane Castilhos de Oliveira Freitas Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão Escritório de Soluções em Comportamento Organizacional

Liziane Castilhos de Oliveira Freitas Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão Escritório de Soluções em Comportamento Organizacional CASO PRÁTICO COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL E GESTÃO DE TALENTOS: COMO A GESTÃO DA CULTURA, DO CLIMA E DAS COMPETÊNCIAS CONTRIBUI PARA UM AMBIENTE PROPÍCIO À RETENÇÃO DE TALENTOS CASO PRÁTICO: COMPORTAMENTO

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 Institui as diretrizes gerais de promoção da saúde do servidor público federal, que visam orientar os órgãos e entidades do Sistema de Pessoal Civil da Administração

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

Política Corporativa de Segurança da Informação

Política Corporativa de Segurança da Informação Política Corporativa de Segurança da Informação Emissão 12/08 /201 3 Aprovação - Diretoria / Presidência Página: 1 Sumário 1. OBJETIVO DA POLÍTICA... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. CONTEXTO JURÍDICO... 4 4.

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE CONTROLE INTERNO 2014

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE CONTROLE INTERNO 2014 Processo nº 2013/174887 PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE CONTROLE INTERNO 2014 Novembro/2013 Sumário INTRODUÇÃO... 2 PLANEJAMENTO DAS ATIVIDADES DE CONTROLE INTERNO... 2 1. ÁREA ADMINISTRATIVA... 3 1.1 Acompanhamento

Leia mais

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV Certificação ISO/IEC 27001 SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação A Experiência da DATAPREV DATAPREV Quem somos? Empresa pública vinculada ao Ministério da Previdência Social, com personalidade

Leia mais

PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012

PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012 PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012 Estabelece diretrizes para a implementação da política de Gestão da Informação Corporativa no âmbito do Ministério da Previdência Social e de suas entidades vinculadas

Leia mais