Lei Nacional de Incentivo à Cultura

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Lei Nacional de Incentivo à Cultura"

Transcrição

1 Lei Nacional de Incentivo à Cultura

2 Lei nº de 23 de dezembro de 1991 Sancionada pelo ex-presidente Fernando Collor de Mello é a lei que institui políticas públicas para a cultura nacional, como o PRONAC Programa Nacional de Apoio a Cultura. Seu objetivo é apoiar e direcionar recursos para investimentos em projetos culturais. Os produtos e serviços que resultarem desse benefício serão de exibição, utilização e circulação públicas.

3 Ministério da Cultura Empresa patrocinadora Proponente

4 Papel de cada um na lei Governo Federal Responsável por renunciar parte do imposto de renda a ser arrecadado para financiamento de projetos culturais; Ministério da Cultura Responsável por operacionalizar todos os processos da lei, análise, aprovação, e monitoramento dos projetos culturais incentivados; Proponente Pessoa física Escritores, atores, artistas plásticos, diretores, agentes culturais, músicos; Proponente pessoa jurídica Direito privado sem fins lucrativos Fundações particulares, ONGs, Associações, Institutos,etc. Proponente pessoa jurídica Direito Privado com fins lucrativos Produtoras e empresas privadas especializadas na execução de projetos culturais; Proponente pessoa jurídica Direito Público (da Administração Indireta) Autarquias e Fundações;

5 Empresa patrocinadora Responsável pelo aporte de recursos ao projeto. Não pode apresentar vínculo com o proponente de parentesco até 3 grau, ou participar simultaneamente da empresa patrocinadora e da proponente como dirigente, sócio, quotista, acionista ou administrador. A única exceção é quando a entidade proponente é uma entidade de natureza cultural sem fins lucrativos oficialmente criada pela empresa patrocinadora

6 É permitido que os projetos culturais recebam recursos de empresas O incentivo (Lucro fiscal Real) e pessoas físicas, possibilitando o abatimento do patrocínio do imposto de renda. É permitido destinar uma parte do total do imposto de renda a pagar, com abatimento total ou parcial para projetos culturais aprovados pelo MinC com limite de: Pessoa física: 6% Pessoa Jurídica: 4%

7 ARTIGO 18 Artes cênicas Livros de valor artístico, literário ou humanístico; Música erudita ou instrumental; Exposições de artes visuais; Doações de acervos para bibliotecas, museus, arquivos e cinematecas; treinamento de pessoal e aquisição de equipamentos para manutenção desses acervos; Produção de curta e média metragem; Preservação de acervo audiovisual; Preservação do patrimônio cultural material e imaterial. Permite a dedução de 100% do valor da doação ou patrocínio realizado limitados ao total disposto na lei (4% ou 6%) Doação: vedado o uso de publicidade paga para a divulgação desse ato; Patrocínio: permite promoção e publicidade para o incentivador;

8 Dedução do imposto - Artigo 18

9 ARTIGO 26 Música popular e gospel (eventos exceto os promovidos por igrejas); Fotografia, artes plásticas, gráficas, gravura, filatelia; Design e moda; Formação técnica e artísticas para profissionais da arte; Manutenção de equipamentos culturais; Periódicos e outras publicações; Eventos e ações de incentivo a leitura; Dedução do patrocínio ou doação é parcial respeitando o limite total permitido (4 e 6%), seguindo: Pessoa física: 80% doação 60% patrocínio Pessoa Jurídica: 40% doação 30% patrocínio A pessoa jurídica que investir em projetos culturais enquadrados no artigo 26 poderá lançar o valor total do investimento como despesa operacional em sua contabilidade.

10 Dedução do imposto - Artigo 26

11 Proposta de Projeto Sistema SalicWeb Formalização da proposta; Inscrição no salicweb; Apresentação dos documentos do proponente (de constituição, identificação e regularidade); Apresentação dos documentos do projeto em PDF; Os projetos podem ser apresentados no sistema de 01/02 a 30/11.

12 Proposta de Projeto Sistema SalicWeb Data inicial e final de realização do projeto Apresentação, descrição resumida Objetivos Justificativa Acessibilidade Democratização de acesso Especificações técnicas do produto Estratégia de ação, descrição das atividades, etapas de trabalho Locais de realização Publico alvo

13 Proposta de Projeto Sistema SalicWeb Duração do projeto, cronograma; Periodicidade do evento; Ficha técnica; Direitos de autor; Sinopse da obra; Recursos materiais; Equipe, equipe técnica, recursos humanos; Orçamento; Outras fontes de recursos; Projeto pedagógico; Impacto ambiental; Plano de distribuição de produtos culturais; Plano de divulgação, comunicação e contrapartidas; Projetos com aprovação de leis complementares;

14 Proposta de Projeto Sistema SalicWeb É necessário observar as necessidades específicas de informação e documentação exigida para cada tipo de projeto, conforme relacionado na IN 1/2013; Durante a etapa de análise o MinC poderá solicitar informações complementares; Todo projeto é analisado por um técnico parecerista e encaminhado para a reunião da CNIC para aprovação. Prazos de aprovação Os projetos aprovados tem prazo de 24 meses, prorrogáveis por mais 12 meses para captar recursos no mínimo 20% do valor aprovado.

15 Limites no orçamento do projeto: Limite de custeio de serviços de captação em 10% do valor do projeto, limitado a 100 mil; Custos de divulgação não podem ultrapassar 20% do valor total do projeto; Despesas administrativas devem se limitar a 15% do valor total do projeto; É limitado a aquisição de ate 5 serviços ou produtos de um mesmo fornecedor; Caches artísticos são limitados a R$ 30 mil por artista e R$ 60 mil para banda por apresentação.

16 Após a aprovação: Publicação no DOU Abertura das contas correntes captação e movimentação; Captação de recursos; Recebimento do patrocínio na conta captação (para depósito de todos os recursos captados) A partir de 20% de captação, recebe autorização para transferências dos recursos para a conta de movimentação inicio do projeto;

17 Relacionamento com o MinC: Solicitar autorização para qualquer alteração de projeto; Solicitar prorrogações de prazo de captação e execução; Remanejar o orçamento - de itens orçamentários que superem os percentuais limites dos valores aprovados; Redimensionar o projeto: Aumento em mais de 25% - captação mínima de 50% Redução em até 40% - captação mínima de 20%

18 Prestação de Contas: Comprovação da execução do objeto e metas do projeto; Comprovação das contrapartidas para MinC e patrocinadores; Comprovação da aplicação da marca de governo; Apresentação de relatórios de prestação de contas;

19 Sistema SalicWeb:

20 Sistema SalicWeb:

21 Consulta de investidores:

22 Consulta de investidores:

23 Importante: Alterações da Lei Rouanet estão em tramitação no Senado Nacional O Projeto de Lei nº 6.722, de 2010 representa um grande avanço, trazendo dispositivos que corrigem distorções da lei atual. A desconcentração dos recursos captados via renúncia fiscal, por exemplo, é um deles. Atualmente a região Sudeste fica com cerca de 80% dos investimentos para a cultura. Além disso, 50% do dinheiro alavancado, via Lei Rouanet, beneficia apenas 3% dos que apresentam projetos. No PL, está prevista a regionalização dos recursos, destinando, no mínimo, 10% do Fundo Nacional de Cultura (FNC) para cada região do País. Os 50% restantes serão destinados para fundos estaduais e municipais.

24

25 Obrigada! Evelise Moraes Ribas Wiersinski (47) linkedin.com/evelisewiersinski

Patrocínio a Projetos Relativos ao Patrimônio Histórico e Arqueológico Brasileiro

Patrocínio a Projetos Relativos ao Patrimônio Histórico e Arqueológico Brasileiro Patrocínio a Projetos Relativos ao Patrimônio Histórico e Arqueológico Brasileiro O BNDES é hoje o maior patrocinador de ações de preservação do patrimônio histórico e arqueológico brasileiro. Desde 1997,

Leia mais

Lei Rouanet: Tipos e segmentos de projetos aceitos

Lei Rouanet: Tipos e segmentos de projetos aceitos Lei Rouanet: Tipos e segmentos de projetos aceitos por Samir Selman Jr. De uma maneira geral, a Lei Rouanet foi criada para estimular a cultura nacional, como já detalhamos em outros artigos, como em "A

Leia mais

Formulário de Apresentação de Projeto Cultural. Identificação do Projeto. Resumo do Projeto. Objetivos. Justificativa. Etapas de Trabalho

Formulário de Apresentação de Projeto Cultural. Identificação do Projeto. Resumo do Projeto. Objetivos. Justificativa. Etapas de Trabalho Formulário de Apresentação de Projeto Cultural Identificação do Projeto Resumo do Projeto Objetivos Justificativa Etapas de Trabalho Acessibilidade Democratização do Acesso Realização do Projeto Data do

Leia mais

Graduado em Educação Física - Universidade Estadual de Londrina

Graduado em Educação Física - Universidade Estadual de Londrina Graduado em Educação Física - Universidade Estadual de Londrina Especialista em Gestão de Pessoas Especialista em Gestão e Organização Pública Especialista em Qualidade e Produtividade no Setor Público

Leia mais

Passo a passo do investidor Para a Lei Rouanet Audiovisual Audiovisual Resumo das Leis de Incentivo à Cultura...

Passo a passo do investidor Para a Lei Rouanet Audiovisual Audiovisual Resumo das Leis de Incentivo à Cultura... 2 SUMÁRIO EXECUTIVO Passo a passo do investidor Para a Lei Rouanet........... 04 Passo a passo do investidor Para o Artigo 1 da Lei do Audiovisual........... 05 Passo a passo do investidor Para o Artigo

Leia mais

Soluções Culturais INCENTIVO FISCAL POR DENTRO DAS LEIS

Soluções Culturais INCENTIVO FISCAL POR DENTRO DAS LEIS Soluções Culturais INCENTIVO FISCAL POR DENTRO DAS LEIS LEI ROUANET LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA LEI Nº 8131/91; LEI 9.874/99 E A MEDIDA PROVISÓRIA Nº 2228-1/2001 Soluções Culturais O que é? Neste

Leia mais

Projetos culturais: desenvolvimento, captação e gestão

Projetos culturais: desenvolvimento, captação e gestão Projetos culturais: desenvolvimento, captação e gestão Módulo 2: Leis de incentivo André Fonseca Santo André / maio 2009 Pronac Programa Nacional de Apoio à Cultura (1991) estabeleceu três mecanismos de

Leia mais

FINALIZAÇÃO DE OBRAS CINEMATOGRÁFICAS

FINALIZAÇÃO DE OBRAS CINEMATOGRÁFICAS ANEXO IX PROGRAMA DE APOIO AO CINEMA SUBPROGRAMA DE APOIO À PRODUÇÃO, NA MODALIDADE DE APOIO À FINALIZAÇÃO DE OBRAS CINEMATOGRÁFICAS 1. Candidatos e beneficiários 1.1. Podem candidatar-se os produtores

Leia mais

FONTES DE FINANCIAMENTO CULTURAIS NOVEMBRO 2008

FONTES DE FINANCIAMENTO CULTURAIS NOVEMBRO 2008 FONTES DE FINANCIAMENTO CULTURAIS NOVEMBRO 2008 1 Conceito de Financiamento Público da Cultura Conjunto de ofertas governamentais e não governamentais de recursos para a concretização de produção cultural

Leia mais

Apoie a Orquestra Criança Cidadã por meio da Lei Rouanet.

Apoie a Orquestra Criança Cidadã por meio da Lei Rouanet. Conheça as vantagens de patrocinar a Orquestra Criança Cidadã por meio da Lei Rouanet Você sabia que é possível incentivar a cultura e a cidadania em Pernambuco com uma parte do imposto de renda da sua

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO AO INCENTIVO: P.A.I ( Lei Rouanet) Informações Importantes para o Empresário Patrocinador

PROGRAMA DE APOIO AO INCENTIVO: P.A.I ( Lei Rouanet) Informações Importantes para o Empresário Patrocinador Informações Importantes para o Empresário Patrocinador Se sua empresa deseja Patrocinar um dos projeto culturais, aprovados pelo Ministério da Cultura por meio por da Lei Rouanet. Isso significa que como

Leia mais

SISTEMA DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA Visão Geral, Evolução e Perspectivas no Brasil

SISTEMA DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA Visão Geral, Evolução e Perspectivas no Brasil SISTEMA DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA Visão Geral, Evolução e Perspectivas no Brasil Buenos Aires Argentina 13 de Agosto de 2004 Leis de Incentivo no Brasil 1. Leis Nacionais 1. Lei Rouanet (8313/91)

Leia mais

Curso de Gestão Cultural em Cidades do Interior Paulista código Prof e Coordenador - Edemilson José do Vale (Sete)

Curso de Gestão Cultural em Cidades do Interior Paulista código Prof e Coordenador - Edemilson José do Vale (Sete) Curso de Gestão Cultural em Cidades do Interior Paulista código 12986 Prof e Coordenador - Edemilson José do Vale (Sete) curso@sethassessoria.com - www.sethassessoria.com www.agcip.org.br Elaboração de

Leia mais

Transparência e acesso público a dados e informações de projetos do incentivo fiscal à cultura estabelecido pela Lei Rouanet

Transparência e acesso público a dados e informações de projetos do incentivo fiscal à cultura estabelecido pela Lei Rouanet Transparência e acesso público a dados e informações de projetos do incentivo fiscal à cultura estabelecido pela Lei Rouanet http://sistemas.cultura.gov.br/salicnet APRESENTAÇÃO O SalicNet foi disponibilizado

Leia mais

Lei de Incentivo à Cultura Lei 8.313 de 1991

Lei de Incentivo à Cultura Lei 8.313 de 1991 LEI Nº. 8.313, DE 23 DE DEZEMBRO DE 1991. Restabelece princípios da Lei n 7.505, de 2 de julho de 1986, institui o Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac) e dá outras providências O PRESIDENTE DA

Leia mais

6º EDITAL SULAMÉRICA SEGUROS, PREVIDÊNCIA, INVESTIMENTOS E CAPITALIZAÇÃO PARA CAPTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS

6º EDITAL SULAMÉRICA SEGUROS, PREVIDÊNCIA, INVESTIMENTOS E CAPITALIZAÇÃO PARA CAPTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 6º EDITAL SULAMÉRICA SEGUROS, PREVIDÊNCIA, INVESTIMENTOS E CAPITALIZAÇÃO PARA CAPTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS I. APRESENTAÇÃO A SulAmérica Seguros, Previdência, Investimentos e Capitalização entende sustentabilidade

Leia mais

TERCEIRO SETOR. Financiamento com recursos do orçamento público e ou do setor privado

TERCEIRO SETOR. Financiamento com recursos do orçamento público e ou do setor privado TERCEIRO SETOR Financiamento com recursos do orçamento público e ou do setor privado Modalidade de apoio e financiamento por parte do Estado ESPÉCIE Auxílios Contribuições Subvenções PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA CULTURA

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA CULTURA ATENÇÃO ARTISTAS, GRUPOS, PRODUTORES CULTURAIS E DEMAIS REALIZADORES! FORAM LANÇADOS OS EDITAIS PROAC 2014. ACOMPANHE AS NOVIDADES DESTA EDIÇÃO! Ficha de inscrição online: disponível no site da Secretaria

Leia mais

DECRETO Nº 7.808, DE 20 DE SETEMBRO DE 2012

DECRETO Nº 7.808, DE 20 DE SETEMBRO DE 2012 DECRETO Nº 7.808, DE 20 DE SETEMBRO DE 2012 Cria a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo - Funpresp-Exe, dispõe sobre sua vinculação no âmbito do Poder Executivo

Leia mais

Quadro comparativo do Projeto de Lei do Senado nº 294, de 2005

Quadro comparativo do Projeto de Lei do Senado nº 294, de 2005 1 Cria o Fundo Nacional Pró-Leitura, destinado à captação de recursos para atendimento aos objetivos da Lei nº 10.753, de 2003 (Política Nacional do Livro). O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Esta Lei

Leia mais

EXTRATO DE TERMO DE CONTRATO. Município de Comendador Levy Gasparian. RJ Comercio Atacadista e Varejista de Lubrificantes Eireli - EPP

EXTRATO DE TERMO DE CONTRATO. Município de Comendador Levy Gasparian. RJ Comercio Atacadista e Varejista de Lubrificantes Eireli - EPP EXTRATO DE TERMO DE CONTRATO CONTRATO: Nº 048/2014 CONTRATANTE: Município de Comendador Levy Gasparian CONTRATADA: RJ Comercio Atacadista e Varejista de Lubrificantes Eireli - EPP OBJETO: Fornecimento

Leia mais

EDIÇÃO Nº 230 QUINTA - FEIRA, 1 DE DEZEMBRO DE 2011 GABINETE DA MINISTRA

EDIÇÃO Nº 230 QUINTA - FEIRA, 1 DE DEZEMBRO DE 2011 GABINETE DA MINISTRA EDIÇÃO Nº 230 QUINTA - FEIRA, 1 DE DEZEMBRO DE 2011 GABINETE DA MINISTRA PORTARIA Nº 116, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2011 (com atualizações da Portaria nº 5 de 26/01/2012 DOU de 30/01/2012) Regulamenta os segmentos

Leia mais

Como funciona? Habilitação. Aprovação. Captação. Execução e Controle. Prestação de Contas

Como funciona? Habilitação. Aprovação. Captação. Execução e Controle. Prestação de Contas O que é a LIE A Lei nº 11.438/06 (Lei de Incentivo ao Esporte), sancionada em 29 de dezembro de 2006 e regulamentada em 3 de agosto de 2007 pelo Decreto nº 6.180/07, possibilita que pessoas físicas e pessoas

Leia mais

Projetos Culturais, Esportivos e Sociais: como aproveitar melhor os incentivos fiscais

Projetos Culturais, Esportivos e Sociais: como aproveitar melhor os incentivos fiscais A B B C Projetos Culturais, Esportivos e Sociais: como aproveitar melhor os incentivos fiscais MARCELO DE AGUIAR COIMBRA Graduado e Mestre em Direito pela USP/Doutorando pela Universidade de Colônia, Alemanha.

Leia mais

Legislação federal de cultura no Brasil

Legislação federal de cultura no Brasil Legislação federal de cultura no Brasil Quadro atual da organização da cultura no país: Constituição Federal de 1988; Emenda Constitucional 48/2005: cria o Plano Nacional de Cultura; Emenda Constitucional

Leia mais

DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM CUIABÁ MATO GROSSO

DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM CUIABÁ MATO GROSSO PROGRAMA DE DIVULGAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA/2016 DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM CUIABÁ MATO GROSSO SETEMBRO/2016 PIR/2016 PALESTRA: FUNDO DO IDOSO Palestrante: Yuiti Shimada Renato Moreira Pinheiro

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO AO INCENTIVO: P.A.I ( Lei Rouanet) Informações importantes para o Contador da Empresa

PROGRAMA DE APOIO AO INCENTIVO: P.A.I ( Lei Rouanet) Informações importantes para o Contador da Empresa Informações importantes para o Contador da Empresa É a lei que institui o Programa Nacional de Apoio à Cultura PRONAC, visando à captação de recursos para investimentos em projetos culturais. As pessoas

Leia mais

Porto Alegre, 6 de maio de 2013

Porto Alegre, 6 de maio de 2013 1! Porto Alegre, 6 de maio de 2013 Ministério da Cultura MinC Secretaria Executiva Gabinete da Ministra SEC SAV Funarte FBN ASPAR SPC SCDC Iphan Palmares CONJUR SEFIC SAI Ibram FCRB AECI Ancine DRI Representações

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO DE ARTISTAS. Edital n 001/2016

EDITAL DE CREDENCIAMENTO DE ARTISTAS. Edital n 001/2016 EDITAL DE CREDENCIAMENTO DE ARTISTAS Edital n 001/2016 A Produtora da Vila vem, por meio do presente edital, realizar o Credenciamento de Artistas dos diversos segmentos culturais: Artes Visuais, Artes

Leia mais

INVESTIMENTO CULTURAL UTILIZANDO O ICMS

INVESTIMENTO CULTURAL UTILIZANDO O ICMS INVESTIMENTO CULTURAL UTILIZANDO O ICMS CULTURA PARA DESENVOLVER A Cultura promove o desenvolvimento humano, social e econômico de uma sociedade. Ao patrocinar um projeto cultural, a empresa incentivadora

Leia mais

Danilo Tiisel CAPTAÇÃO (MOBILIZAÇÃO) DE RECURSOS E SUSTENTABILIDADE

Danilo Tiisel CAPTAÇÃO (MOBILIZAÇÃO) DE RECURSOS E SUSTENTABILIDADE Danilo Tiisel CAPTAÇÃO (MOBILIZAÇÃO) DE RECURSOS E SUSTENTABILIDADE CONTEXTO: O TERCEIRO SETOR Terceiro Setor O Terceiro Setor é um tipo de Frankenstein : grande, heterogêneo, construído de pedaços, desajeitado,

Leia mais

ESTADO DO ESPIRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACRUZ PROJETO DE LEI Nº. XXXX

ESTADO DO ESPIRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACRUZ PROJETO DE LEI Nº. XXXX ESTADO DO ESPIRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACRUZ PROJETO DE LEI Nº. XXXX DISPÕE SOBRE O PLANO MUNICIPAL DE APOIO E INCENTIVO À CIÊNCIA E TECNOLOGIA NO MUNICÍPIO DE ARACRUZ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

O SEU IMPOSTO DE RENDA PODE TER O DESTINO CERTO. Cartilha de Incentivo à doação com dedutibilidade do imposto de renda

O SEU IMPOSTO DE RENDA PODE TER O DESTINO CERTO. Cartilha de Incentivo à doação com dedutibilidade do imposto de renda O SEU IMPOSTO DE RENDA PODE TER O DESTINO CERTO Cartilha de Incentivo à doação com dedutibilidade do imposto de renda Uma pequena atitude de cidadania ajuda a construir um grande futuro para jovens e pessoas

Leia mais

BNDES Automático Prosoft Comercialização MPME Informações básicas sobre o apoio financeiro

BNDES Automático Prosoft Comercialização MPME Informações básicas sobre o apoio financeiro BNDES Automático Prosoft Comercialização MPME Informações básicas sobre o apoio financeiro A seguir as informações sobre as condições financeiras, o objetivo do financiamento, a orientação sobre como solicitar

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO ORÇAMENTO PÚBLICO (continuação)

DIREITO FINANCEIRO ORÇAMENTO PÚBLICO (continuação) DIREITO FINANCEIRO ORÇAMENTO PÚBLICO (continuação) III. VEDAÇÕES ORÇAMENTÁRIAS A vedação, tratada pelo art. 167, da CF, é dividida em 2 tópicos: a) Execução Orçamentária (limitações a serem aplicadas no

Leia mais

Lei do ISS de Belo Horizonte Decreto nº de 2002

Lei do ISS de Belo Horizonte Decreto nº de 2002 DECRETO Nº. 11.103, DE 05 DE AGOSTO DE 2002 Regulamenta a Lei nº 6.498, de 29 de dezembro de 1993, que "Dispõe sobre o incentivo fiscal para a realização de projetos culturais no âmbito do Município e

Leia mais

BREVIÁRIO DO EDITAL PETROBRAS DISTRIBUIDARA DE CULTURA 2017/2018 SELEÇÃO PÚBLICA DE CIRCULAÇÃO DE PEÇAS TEATRAIS SEGMENTO ADULTO E INFANTO-JUVENIL

BREVIÁRIO DO EDITAL PETROBRAS DISTRIBUIDARA DE CULTURA 2017/2018 SELEÇÃO PÚBLICA DE CIRCULAÇÃO DE PEÇAS TEATRAIS SEGMENTO ADULTO E INFANTO-JUVENIL BREVIÁRIO DO EDITAL PETROBRAS DISTRIBUIDARA DE CULTURA 2017/2018 SELEÇÃO PÚBLICA DE CIRCULAÇÃO DE PEÇAS TEATRAIS SEGMENTO ADULTO E INFANTO-JUVENIL Novembro/2016 EDITAL PETROBRAS 2017/2018 SELEÇÃO PÚBLICA

Leia mais

03 a 06 de julho de 2013

03 a 06 de julho de 2013 Proposta Comercial w w w. f i s l. o r g. b r Evento: Data: Local: 14º Fórum Internacional Software Livre fisl14 Centro de Eventos da PUCRS, Porto Alegre, RS, Brasil Equipe Captação: e-mail: Telefone:

Leia mais

Fórum de Políticas Culturais de Minas Gerais

Fórum de Políticas Culturais de Minas Gerais Fórum de Políticas Culturais de Minas Gerais 13 de maio de 2014 Desafios das Políticas de Incentivo Apoiar projetos culturais produzidos por artistas e produtores mineiros; Promover a descentralização

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA Nº 01 PATROCÍNIO PARA UNIFORME DE TIME ESCOLAR Edital nº 01/2015

CHAMADA PÚBLICA Nº 01 PATROCÍNIO PARA UNIFORME DE TIME ESCOLAR Edital nº 01/2015 CHAMADA PÚBLICA Nº 01 PATROCÍNIO PARA UNIFORME DE TIME ESCOLAR Edital nº 01/2015 O Diretor-Geral do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (Ifes) Campus São Mateus, torna

Leia mais

2016 Fernanda Monturil

2016 Fernanda Monturil 2016 Fernanda Monturil Mundial de Planadores A Federação Brasileira de Voo a Vela é uma entidade de fins não econômicos e de caráter desportivo, criada em 15 de janeiro de 1954, e vinculada ao Comitê Olímpico

Leia mais

Planejamento de aquisição de bens e serviços na Administração Pública. Magno Subtil

Planejamento de aquisição de bens e serviços na Administração Pública. Magno Subtil Planejamento de aquisição de bens e serviços na Administração Pública Magno Subtil Registro de Preços Decreto Estadual 7.437/2011 Sistema de Registro de Preços é o conjunto de procedimentos para registro

Leia mais

Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular SBBq

Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular SBBq A 1. Nome do Evento: 2. Organizador Sociedade Brasileira de Bioquímica e Formulário de Proposta para SBBq Conferences IDENTIFICAÇÃO DO EVENTO 3. Período da Realização: Início: Fim: 4. Local do Evento 5.

Leia mais

FUNDO ESTADUAL DE CULTURA EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS CÂMARAS SETORIAIS PARITÁRIAS EDITAL CSP 01/ 2013

FUNDO ESTADUAL DE CULTURA EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS CÂMARAS SETORIAIS PARITÁRIAS EDITAL CSP 01/ 2013 FUNDO ESTADUAL DE CULTURA EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS CÂMARAS SETORIAIS PARITÁRIAS EDITAL CSP 01/ 2013 A Secretaria de Estado de Cultura, no uso de suas atribuições legais e em consonância com a Lei nº 15.975/2006,

Leia mais

BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS

BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES 2009-2014 FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS MINHA CASA, MINHA VIDA - ENTIDADES PMCMV ENTIDADES/ FDS Produção e aquisição de unidades habitacionais

Leia mais

Regulamento Encontro Gospel

Regulamento Encontro Gospel Regulamento Encontro Gospel COMISSÃO DAS IGREJAS DE SANTAROSA Coordenador e Redator: Sanderson Belo Peres Secretário: Tiago Monteiro Neves Conselho Editorial: Willian Gonçalves, Volnei Schwartzhaupt, João

Leia mais

ANEXO I Plano de Trabalho Modelo. Nome da Instituição Proponente. Nome do Projeto

ANEXO I Plano de Trabalho Modelo. Nome da Instituição Proponente. Nome do Projeto ANXO I Plano de Trabalho Modelo Nome da Instituição Proponente Nome do Projeto 1. IDNTIFICAÇÃO DO PROJTO Título do Projeto: Local onde será realizado o projeto: 2. IDNTIFICAÇÃO DO PROPONNT De Direito Público

Leia mais

Sistema Nacional de Cultura

Sistema Nacional de Cultura Sistema Nacional de Cultura O Sistema Nacional de Cultura (SNC) é um instrumento de gestão compartilhada de políticas públicas de cultura entre os entes federados e a sociedade civil. Seu principal objetivo

Leia mais

Perguntas freqüentes FAQ

Perguntas freqüentes FAQ Perguntas freqüentes FAQ CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/FSA PRODECINE 01/2008 PRODUÇÃO CINEMATOGRÁFICA 1) Como faço para enviar meu projeto? O primeiro passo para inscrever um projeto em qualquer uma das seleções

Leia mais

Sumário. Serviço Público e Administração Pública

Sumário. Serviço Público e Administração Pública Sumário Capítulo 1 Contabilidade Pública 1.1 Conceito 1.2 Objeto 1.3 Objetivo 1.4 Campo de Aplicação 1.5 Exercício Financeiro 1.6 Regime Orçamentário e Regime Contábil 1.6.1 Regime de Caixa 1.6.2 Regime

Leia mais

CAPA CARTILHA LEI ROUANET

CAPA CARTILHA LEI ROUANET CARTILHA LEI ROUANET INTRODUÇÃO Esta cartilha tem por objetivo orientar e auxiliar proponentes a elaborarem e executarem projetos que sejam viabilizados através da Lei de Incentivo à Cultura, também chamada

Leia mais

ANEXO VI QUADRO DETALHADO DAS MODALIDADES DE APLICAÇÃO Modalidades de Aplicação

ANEXO VI QUADRO DETALHADO DAS MODALIDADES DE APLICAÇÃO Modalidades de Aplicação Código ANEXO VI QUADRO DETALHADO DAS MODALIDADES DE APLICAÇÃO Modalidades de Aplicação 20 Transferências à União 22 Execução Orçamentária Delegada a União 30 Transferências a Estados e ao Distrito Federal

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF Nº 1.131, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2011 DOU

INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF Nº 1.131, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2011 DOU INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF Nº 1.131, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2011 DOU 22.02.2011 Dispõe sobre os procedimentos a serem adotados para fruição dos benefícios fiscais relativos ao Imposto sobre a Renda das Pessoas

Leia mais

Congresso Ministério Público e Terceiro Setor Atuação Institucional na Proteção dos Direitos Sociais. Painel: Formas de Fomento ao Terceiro Setor

Congresso Ministério Público e Terceiro Setor Atuação Institucional na Proteção dos Direitos Sociais. Painel: Formas de Fomento ao Terceiro Setor Congresso Ministério Público e Terceiro Setor Atuação Institucional na Proteção dos Direitos Sociais Painel: Formas de Fomento ao Terceiro Setor Outubro-2010 ESTADO BRASILEIRO SUBSIDIÁRIO COM A PARTICIPAÇÃO

Leia mais

Programa Primeiro Museu

Programa Primeiro Museu R E G U L A M E N T O Programa Primeiro Museu O Instituto Cultural Ingá e o Museu da Família, ambos com sede e foro na cidade de Maringá-PR, no cumprimento de seus objetivos institucionais e inspirados

Leia mais

Incentivos Fiscais: Cultura. Marcelo de Aguiar Coimbra mcoimbra@cfaadvogados.com.br

Incentivos Fiscais: Cultura. Marcelo de Aguiar Coimbra mcoimbra@cfaadvogados.com.br Incentivos Fiscais: Cultura Marcelo de Aguiar Coimbra mcoimbra@cfaadvogados.com.br Data 28 de Outubro de 2008 Curriculum Vitae Graduado e Mestre em Direito pela USP/Doutorando pela Universidade de Colônia,

Leia mais

INTEGRANTE DA PORTARIA Nº 0, DE DE DE

INTEGRANTE DA PORTARIA Nº 0, DE DE DE ANEXO III - R.E.F. MODELO E INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE EXECUÇÃO FINANCEIRA REF - DA META DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL PARA OCUPAÇÃO EM FORMAÇÃO ARTÍSTICA E CULTURAL DO PROGRAMA CENTROS DE ARTES

Leia mais

DEMONSTRATIVO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA

DEMONSTRATIVO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA Fundação Nacional de Artes - FUNARTE 2 0166 - Música e Artes Cênicas RECURSOS RECEBIDOS Limite para Executado Saldo Execução 1.562 Concessão de Prêmios nas Áreas de Música e Artes Cênicas 100 332.500 0

Leia mais

REGULAMENTO PARA O PROJETO LABORATÓRIO DA CENA FUNARTE FUNARTE MG 2016

REGULAMENTO PARA O PROJETO LABORATÓRIO DA CENA FUNARTE FUNARTE MG 2016 REGULAMENTO PARA O PROJETO LABORATÓRIO DA CENA FUNARTE FUNARTE MG 2016 INTRODUÇÃO A Fundação Nacional de Artes/Funarte, entidade vinculada ao Ministério da Cultura/MINC, torna público que, no período de

Leia mais

PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO ELETRÔNICO

PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO ELETRÔNICO PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO ELETRÔNICO Seguem abaixo orientações acerca do preenchimento do Formulário Eletrônico para inscrição no Edital de Seleção de Projetos Culturais Lei Rouanet 2015 para patrocínio

Leia mais

LEI ROUANET Financiamento Público da Cultura Brasileira

LEI ROUANET Financiamento Público da Cultura Brasileira LEI ROUANET Financiamento Público da Cultura Brasileira Balaio do Patrimônio 2013 Belém - PA, 22 de agosto de 2013 Programa Nacional de Apoio à Cultura Mecanismos de Financiamento Segmentos Beneficiados

Leia mais

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS, PESQUISAS E ESTUDOS TECNOLÓGICOS COPPETEC. Regimento Interno. 01 de outubro de 2007

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS, PESQUISAS E ESTUDOS TECNOLÓGICOS COPPETEC. Regimento Interno. 01 de outubro de 2007 FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS, PESQUISAS E ESTUDOS TECNOLÓGICOS COPPETEC. 01 de outubro de 2007 Regimento elaborado e aprovado pelo Conselho de Administração da Fundação COPPETEC em 01/10/2007, conforme

Leia mais

ARTEBR LIVRO CONVERSAS COM A ARTE BRASILEIRA

ARTEBR LIVRO CONVERSAS COM A ARTE BRASILEIRA ARTEBR LIVRO CONVERSAS COM A ARTE BRASILEIRA A empresa ARTEBR desenvolve projetos em arte, educação e literatura para diversas instituições culturais brasileiras. Atua nas áreas de consultoria e assessoria

Leia mais

CAPTAÇÃO DE RECURSOS POR MEIO DE INCENTIVOS FISCAIS FEDERAIS

CAPTAÇÃO DE RECURSOS POR MEIO DE INCENTIVOS FISCAIS FEDERAIS CAPTAÇÃO DE RECURSOS POR MEIO DE INCENTIVOS FISCAIS FEDERAIS Comissão de Direito do Terceiro Setor Danilo Brandani Tiisel danilo@socialprofit.com.br INCENTIVOS FISCAIS Contexto MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS

Leia mais

ANEXO I OFÍCIO DE ENCAMINHAMENTO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS. Ofício nº /. -MG, de de. Assunto: Prestação de Contas de Transferência Voluntária

ANEXO I OFÍCIO DE ENCAMINHAMENTO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS. Ofício nº /. -MG, de de. Assunto: Prestação de Contas de Transferência Voluntária ANEXO I OFÍCIO DE ENCAMINHAMENTO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS Ofício nº /. -MG, de de. Assunto: Prestação de Contas de Transferência Voluntária SENHOR PRESIDENTE, A (NOME DA ENTIDADE), por seu representante

Leia mais

Contabilidade Pública. Aula 2. Apresentação. Aula 2. Orçamento Público. O orçamento nacional deve ser equilibrado

Contabilidade Pública. Aula 2. Apresentação. Aula 2. Orçamento Público. O orçamento nacional deve ser equilibrado Contabilidade Pública Aula 2 Apresentação Prof. Me. Adilson Lombardo Aula 2 Orçamento Público: conceito e finalidades. O orçamento nacional deve ser equilibrado As dívidas públicas devem ser reduzidas...

Leia mais

EDITAL PROPPI Nº 010/ FLUXO CONTÍNUO - Auxílio à Publicação em Periódicos Técnico-científicos

EDITAL PROPPI Nº 010/ FLUXO CONTÍNUO - Auxílio à Publicação em Periódicos Técnico-científicos EDITAL PROPPI Nº 010/2016 - FLUXO CONTÍNUO - Auxílio à Publicação em Periódicos Técnico-científicos O Pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS CULTURAIS PARA A LEI DE INCENTIVO À CULTURA 01/2011

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS CULTURAIS PARA A LEI DE INCENTIVO À CULTURA 01/2011 Publicado em Diário Oficial do em 26/04/2011 páginas 21 a 23 Republicado o Anexo 1 em Diário Oficial do em 28/04/2011 páginas 41 a 43 EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS CULTURAIS PARA A LEI DE INCENTIVO

Leia mais

PARECER SOBRE A LEI ROUANET

PARECER SOBRE A LEI ROUANET 1) FUNDAMENTO LEGAL: PARECER SOBRE A LEI ROUANET Objetivando expressar nosso Parecer Técnico sobre a legislação que fundamenta o Incentivo Fiscal (Renúncia Fiscal) através do Programa Nacional de Apoio

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO: ESSA PARCERIA É 10. VIGÊNCIA: 01/05/2016 à 30/04/2017

REGULAMENTO PROMOÇÃO: ESSA PARCERIA É 10. VIGÊNCIA: 01/05/2016 à 30/04/2017 REGULAMENTO PROMOÇÃO: ESSA PARCERIA É 10 VIGÊNCIA: 01/05/2016 à 30/04/2017 1. A MAPFRE VIDA S.A., que é a PROMOTORA DA PROMOÇÃO, irá mensalmente adquirir Títulos de Capitalização, que serão por ela integralmente

Leia mais

Camisas competição manga longa 35 Camisas competição em manga curta 35 Bermudas competição 29

Camisas competição manga longa 35 Camisas competição em manga curta 35 Bermudas competição 29 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS N 024/2016 DADOS DO PROJETO: Incentivo: Projeto aprovado nos termos da Lei de Incentivo ao Esporte Título do projeto: Competições Internacionais de Canoagem N do processo ME: 58.701.003622/2015-67

Leia mais

Captação de Recursos

Captação de Recursos ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO DE ITÁ Praça Dr. Aldo Ivo Stumpf, 100 - Fone (49) 3458-9500. CEP: 89760-000 ITÁ Santa Catarina E-mail: ita@ita.sc.gov.br - site: www.ita.sc.gov.br Captação de Recursos

Leia mais

INCENTIVOS FISCAIS PARA PROJETOS SOCIAIS, CULTURAIS E ESPORTIVOS

INCENTIVOS FISCAIS PARA PROJETOS SOCIAIS, CULTURAIS E ESPORTIVOS INCENTIVOS FISCAIS PARA PROJETOS SOCIAIS, CULTURAIS E ESPORTIVOS MARCONDES WITT Auditor-Fiscal e Delegado-Adjunto da Receita Federal do Brasil em Joinville I like to pay taxes, with them I buy civilization.

Leia mais

POL-006 Política de Investimentos Pessoais

POL-006 Política de Investimentos Pessoais POL-006 Política de Investimentos Pessoais POL-006 Política de Investimentos Pessoais (versão 01/2016) Sumário 1. Objetivo... 1 2. Âmbito de Aplicação... 1 3. Considerações Gerais... 1 4. Vínculos... 1

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Contrato de Gestão nº 010/2013 e nº 017/ SECT, TOMADA DE PREÇO Nº 02/ REDEH TIPO: MELHOR PREÇO E TÉCNICA

TERMO DE REFERÊNCIA. Contrato de Gestão nº 010/2013 e nº 017/ SECT, TOMADA DE PREÇO Nº 02/ REDEH TIPO: MELHOR PREÇO E TÉCNICA A Rede de Desenvolvimento Humano - REDEH, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do Ministério da Fazenda sob o nº 39.064.233/0001-93, com sede na Rua Álvaro

Leia mais

ANEXO I Circular SUSEP nº 07/94

ANEXO I Circular SUSEP nº 07/94 ANEXO I Circular SUSEP nº 07/94 1. Sociedades Seguradoras Nacionais, Sociedades de Capitalização e Sociedades de Previdência Privada Aberta com fins lucrativos. 1.1- ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA - AGE

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 21, DE 07 DE ABRIL DE Autoriza o Município de Guaíra a firmar Convênio com a SOGUBE de Guaíra e dá outras providências.

PROJETO DE LEI Nº 21, DE 07 DE ABRIL DE Autoriza o Município de Guaíra a firmar Convênio com a SOGUBE de Guaíra e dá outras providências. PROJETO DE LEI Nº 21, DE 07 DE ABRIL DE 2016. Autoriza o Município de Guaíra a firmar Convênio com a SOGUBE de Guaíra e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPALDE GUAÍRA APROVA: Art. 1º Fica o Poder

Leia mais

TERMO DE CONCESSÃO E ACEITAÇÃO DE APOIO FINANCEIRO A PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA E/OU TECNOLÓGICA

TERMO DE CONCESSÃO E ACEITAÇÃO DE APOIO FINANCEIRO A PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA E/OU TECNOLÓGICA 1 / 7 TERMO DE CONCESSÃO E ACEITAÇÃO DE APOIO FINANCEIRO A PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA E/OU TECNOLÓGICA CONCEDENTE: NOME: CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO NATUREZA JURÍDICA:

Leia mais

1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing do Sicoob:

1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing do Sicoob: 1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing do Sicoob: a) visa estabelecer diretrizes sistêmicas aplicáveis à execução do Planejamento Estratégico em vigência, no que se refere às ações de

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO TEATRO ENGENHEIRO SALVADOR ARENA

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO TEATRO ENGENHEIRO SALVADOR ARENA REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO TEATRO ENGENHEIRO SALVADOR ARENA CAPÍTULO I - DAS FINALIDADES Artigo 1º. O Teatro Engenheiro Salvador Arena faz parte das dependências do Centro Educacional Fundação Salvador

Leia mais

Contabilidade Introdutória

Contabilidade Introdutória Contabilidade Introdutória Profa. Mara Jane Contrera Malacrida 1 Ö : Parte residual do patrimônio Riqueza líquida da empresa PL = Ativo Passivo Evidencia os recursos dos proprietários aplicados no empreendimento

Leia mais

POLÍTICA DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO

POLÍTICA DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO POLÍTICA DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO Última atualização: 18/03/2014 Versão A EXCLUSIVO PARA USO INTERNO Produzido pela área de RH Aprovado e revisado pela Gerência de RH A reprodução e a distribuição

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVO 1. GALERIAS 1.1 OBJETO E LOCAIS DE REALIZAÇÃO

INTRODUÇÃO OBJETIVO 1. GALERIAS 1.1 OBJETO E LOCAIS DE REALIZAÇÃO PROGRAMA DE CULTURA ESPAÇOS VISUAIS REDE SESC DE GALERIAS Edição 2017 Artes Visuais INTRODUÇÃO O Serviço Social do Comércio Sesc, Departamento Regional de Santa Catarina, informa aos interessados os procedimentos

Leia mais

Busca de apoio para gravação do DVD DUDU DO CAVACO CONVIDA UM PROJETO APROVADO NA LEI ESTADUAL DE INCENTIVO À CULTURA. Apoie nossa causa.

Busca de apoio para gravação do DVD DUDU DO CAVACO CONVIDA UM PROJETO APROVADO NA LEI ESTADUAL DE INCENTIVO À CULTURA. Apoie nossa causa. Busca de apoio para gravação do DVD DUDU DO CAVACO CONVIDA UM PROJETO APROVADO NA LEI ESTADUAL DE INCENTIVO À CULTURA Apoie nossa causa. Vídeo: Acesse: idea.me/proyeto/ 589/(sintitulo) DUDU DO CAVACO A

Leia mais

LEI Nº 9.249, DE 26 DE DEZEMBRO DE 1995

LEI Nº 9.249, DE 26 DE DEZEMBRO DE 1995 LEI Nº 9.249, DE 26 DE DEZEMBRO DE 1995 Altera a Legislação do Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas, bem como da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido, e dá outras providências. Art. 13. Para efeito

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 03/2016

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 03/2016 EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 03/2016 APOIO AO FÓRUM DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA NORDESTE CAPAIXABA 2016: INTEGRANDO AGENDAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL O Diretor-Geral do Instituto Federal

Leia mais

REGULAMENTO 1º PRÊMIO DE BOAS PRÁTICAS DA REDE BRASILERIA DE OP

REGULAMENTO 1º PRÊMIO DE BOAS PRÁTICAS DA REDE BRASILERIA DE OP REGULAMENTO 1º PRÊMIO DE BOAS PRÁTICAS DA REDE BRASILERIA DE OP O PRÊMIO O 1º prêmio BOAS PRÁTICAS DA REDE BRASILEIRA DE OP é uma distinção anual promovida pela Rede Brasileira de Orçamento Participativo

Leia mais

PROPOSTAS APROVADAS NA 3ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA. EIXO 1 Implementação do Sistema Municipal de Cultura/Sistema Nacional de Cultura

PROPOSTAS APROVADAS NA 3ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA. EIXO 1 Implementação do Sistema Municipal de Cultura/Sistema Nacional de Cultura PROPOSTAS APROVADAS NA 3ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA EIXO 1 Implementação do Sistema Municipal de Cultura/Sistema Nacional de Cultura Foco: Impactos da Emenda Constitucional do SNC na organização

Leia mais

PARECER SOBRE A LEI ROUANET ARTIGO 26 APLICADOS ÀS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS

PARECER SOBRE A LEI ROUANET ARTIGO 26 APLICADOS ÀS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS PARECER SOBRE A LEI ROUANET ARTIGO 26 APLICADOS ÀS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS 1) FUNDAMENTO LEGAL: Objetivando expressar nosso Parecer Técnico sobre a legislação que fundamenta o Incentivo Fiscal (Renúncia

Leia mais

ITG 1000 PME s Giovana Garcia

ITG 1000 PME s Giovana Garcia ITG 1000 PME s Giovana Garcia Você bem preparado para o futuro da profissão. 1 RESOLUÇÃO CFC N.º 1.418/12 Aprova a ITG 1000 Modelo Contábil para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. X RESOLUÇÃO CFC

Leia mais

FILME EM MINAS - PROGRAMA DE ESTÍMULO AO AUDIOVISUAL ª EDIÇÃO

FILME EM MINAS - PROGRAMA DE ESTÍMULO AO AUDIOVISUAL ª EDIÇÃO ANEXO VI: FILME EM MINAS - PROGRAMA DE ESTÍMULO AO AUDIOVISUAL 2014 7ª EDIÇÃO REGULAMENTO - DESENVOLVIMENTO DE ROTEIROS 1. DO OBJETO DA PREMIAÇÃO 1.1 Serão analisadas propostas de desenvolvimento de roteiros

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL I. Foed Saliba Smaka Jr. 06/03/2015.

DIREITO EMPRESARIAL I. Foed Saliba Smaka Jr. 06/03/2015. DIREITO EMPRESARIAL I Foed Saliba Smaka Jr. 06/03/2015. Empresário Empresário é a pessoa que toma a iniciativa de organizar uma atividade econômica de produção ou circulação de bens ou serviços. Pode Ser

Leia mais

COLETA DE PREÇOS nº 01/2014

COLETA DE PREÇOS nº 01/2014 COLETA DE PREÇOS nº 01/2014 1. PREÂMBULO 1.1. A ASSOCIAÇÃO MUSEU AFRO BRASIL, torna pública a realização de Seleção de Fornecedores na modalidade Coleta de Preços, pelo critério de menor preço, objetivando

Leia mais

MANUAL EVENTOS APOIADOS

MANUAL EVENTOS APOIADOS MANUAL DE EVENTOS APOIADOS Atualizado em 06 de Maio de 2016 1. INTRODUÇÃO... 3 2. NATUREZA DO APOIO... 3 3. PROPOSTA DE REALIZAÇÃO DO EVENTO... 3 3.1 PERÍODO DE REALIZAÇÃO DOS EVENTOS... 4 4. SERVIÇOS

Leia mais

Programa de Fortalecimento das Cadeias e Arranjos Produtivos Locais - APLs

Programa de Fortalecimento das Cadeias e Arranjos Produtivos Locais - APLs Programa de Fortalecimento das Cadeias e Arranjos Produtivos Locais - APLs 1) Quanto à aquisição de equipamentos para apoio à infraestrutura da governança, podem os mesmos serem adquiridos via internet

Leia mais

Controle de Versões Versão Data Autor Notas da Revisão 1 12/06/2016 Angelita L Correa Criação Documento

Controle de Versões Versão Data Autor Notas da Revisão 1 12/06/2016 Angelita L Correa Criação Documento Controle de Versões Versão Data Autor Notas da Revisão 1 12/06/2016 Angelita L Correa Criação Documento Sumário 1 Time do projeto... 1 2 Descrição do projeto... 1 3 Objetivos do projeto... 2 4 Justificativa

Leia mais

Daniel Salgueiro Profº de Planejamento Tributário Universidade Federal de Alagoas

Daniel Salgueiro Profº de Planejamento Tributário Universidade Federal de Alagoas Daniel Salgueiro Profº de Planejamento Tributário Universidade Federal de Alagoas 1 Doações a Entidades Sem Fins Lucrativos Caracteriza-se como investimento social a doação voluntária da Pessoa Jurídica

Leia mais

I - a créditos extraordinários abertos e reabertos no exercício de 2016; II - a despesas financiadas com recursos de doações e convênios;

I - a créditos extraordinários abertos e reabertos no exercício de 2016; II - a despesas financiadas com recursos de doações e convênios; PORTARIA N o 67, DE 01 DE MARÇO DE 2016 O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso das atribuições que lhe confere o inciso II do parágrafo único do art. 87 da Constituição Federal,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Cap.1 A decisão financeira e a empresa 1. Introdução 2. Objetivo e Funções da

Leia mais

PROGRAMA REDE COLABORATIVA DE DIVULGAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DOS PRODUTOS DA COOPERATIVA DE MÚSICA. Apresentação

PROGRAMA REDE COLABORATIVA DE DIVULGAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DOS PRODUTOS DA COOPERATIVA DE MÚSICA. Apresentação PROGRAMA REDE COLABORATIVA DE DIVULGAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DOS PRODUTOS DA COOPERATIVA DE MÚSICA Apresentação PROGRAMA REDE COLABORATIVA DE DIVULGAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DOS PRODUTOS DA COOPERATIVA DE MÚSICA

Leia mais