TUTELA PROVISÓRIA - Artigo 294, do Novo CPC.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TUTELA PROVISÓRIA - Artigo 294, do Novo CPC."

Transcrição

1 TUTELA PROVISÓRIA - Artigo 294, do Novo CPC. A Tutela Antecipada anteriormente disciplinada no artigo 273, do Código de Processo Civil, com a redação que lhe deu a Lei 8.952/94, dizia: Art O juiz poderá, a requerimento da parte, antecipar, total ou parcialmente, os efeitos da tutela pretendida no pedido inicial, desde que, existindo prova inequívoca, se convença da verossimilhança da alegação e: I - haja fundado receio de dano irreparável ou de difícil reparação; ou II - fique caracterizado o abuso de direito de defesa ou o manifesto propósito protelatório do réu. Com a reforma instituída pela Lei /2015, a matéria passou a constar do Livro V, sob a denominação de Tutela Provisória, que passa a ser disciplinada a partir do artigo 294, do Novo Código de Processo Civil. Assim, conceitualmente temos que a tutela antecipada era uma faculdade do magistrado (pois o dispositivo dizia o juiz poderá ) de adiantar no tempo, uma decisão que provavelmente tomará quando da decisão de mérito. A Tutela Antecipatória poderia ser concedida total ou parcialmente e deveria ser sempre solicitada pela parte, i. e., poderia ser pedida tanto pelo autor como pelo réu. A decisão que concedia ou negava a antecipação da tutela tinha caráter interlocutório, atacada, portanto, por meio do Agravo, nos termos do artigo 522, do Codex Processual Civilista anterior, com redação que lhe destinou a Lei /05, que assim fora redigido: Art Das decisões interlocutórias caberá agravo, no prazo de 10 (dez) dias, na forma retida, salvo quando se tratar de decisão suscetível de causar à parte lesão grave e de difícil reparação, bem como nos casos de inadmissão da apelação e nos relativos aos efeitos em que a apelação é recebida, quando será admitida a sua interposição por instrumento. Para a concessão da tutela antecipada, o art. 273, "caput" e seus incisos I e II, do Código de Processo Civil anterior, exigiam que estivessem presentes a prova inequívoca capaz de convencer o julgador da verossimilhança das alegações e desde que houvesse "fundado receio de dano irreparável ou de difícil reparação; ou que fique caracterizado o abuso de direito de defesa ou o manifesto propósito protelatório do réu". PAULO AFONSO BRUM VAZ, acerca do assunto, escreveu: "À análise da verossimilhança, que corresponde a um juízo de probabilidade, calcado em cognição sumária, importam duas operações. Num primeiro momento, faz-se um juízo de probabilidade quanto à situação fática refletida na inicial. Positivo este juízo, porque os fatos aparentemente são verossímeis, impõe-se verificar se as conseqüências jurídicas pretendidas pelo autor são também plausíveis, vale dizer, se a tese jurídica contida na inicial é provida de

2 relevância, tem respaldo na ordem jurídica. "Esta aparência verossímil deve apresentar-se de forma inequívoca, ou seja, revestida de contornos tais que permitam ao juiz um convencimento razoável. Deve-se lembrar, no entanto, que não se exige um convencimento pleno, pois a certeza é apanágio da verdade real (utópica), não de mera probabilidade. "A contradição entre as expressões prova inequívoca e verossimilhança (a prova inequívoca transmite muito mais do que a idéia de verossimilhança) é só aparente. Quis o legislador reforçar a necessidade de se contar com algo mais do que mera fumaça do bom direito, contraindicando o provimento antecipado quando a prova apresentada se revela equívoca. Verossimilhança e prova inequívoca são conceitos que se completam exatamente para sinalizar que a tutela somente pode ser antecipada na hipótese de juízo de máxima probabilidade, a quase certeza, mesmo que de caráter provisório, evidenciada por suporte fático revelador de razões irretorquíveis de convencimento judicial." (Manual da tutela antecipada - Doutrina e jurisprudência. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2002, p. 136/137). Colhe-se, ainda, dos ensinamentos de CÂNDIDO RANGEL DINAMARCO: "O art. 273 condiciona a antecipação da tutela à existência de prova inequívoca suficiente para que o juiz 'se convença da verossimilhança da alegação'. A dar peso ao sentido literal do texto, seria difícil interpretá-lo satisfatoriamente porque prova inequívoca é prova tão robusta que não permite equívocos ou dúvidas, infundindo no espírito do juiz o sentimento de certeza e não mera verossimilhança. Convencer-se da verossimilhança, ao contrário, não poderia significar mais do que imbuir-se do sentimento de que a realidade fática pode ser como a descreve o autor. "Aproximadas as duas locuções formalmente contraditórias contidas no art. 273 do Código de Processo Civil (prova inequívoca e convencer-se da verossimilhança), chega-se ao conceito de probabilidade, portador de maior segurança do que a mera verossimilhança. Probabilidade é a situação decorrente da preponderância dos motivos convergentes à aceitação de determinada proposição, sobre os motivos divergentes. As afirmativas pesando mais sobre o espírito da pessoa, o fato é provável; pesando mais as negativas, ele é improvável (Malatesta). A probabilidade, assim conceituada, é menos que a certeza, porque lá os motivos divergentes não ficam afastados mas somente suplantados; e é mais que a credibilidade, ou verossimilhança, pela qual na mente do observador os motivos convergentes e os divergentes comparecem em situação de equivalência e, se o espírito não se anima a afirmar, também não ousa negar. "O grau dessa probabilidade será apreciado pelo juiz, prudentemente e atento à gravidade da medida a conceder. A exigência da prova inequívoca significa que a mera aparência não basta e que a verossimilhança exigida é mais do que o fumus boni juris exigido para a tutela cautelar" (A reforma do código de processo civil. 2 ed., São Paulo: Malheiros, p. 143). Em outras palavras, a prova inequívoca, para deferimento da tutela antecipatória, não se confundia com a prova irrefutável, segura e inarredável, mas apenas detinha expressiva credibilidade fática, suficiente para formar o convencimento do Juiz. Oportuno citar importante lição do ilustre doutrinador ATHOS GUSMÃO CARNEIRO: "A rigor, em si mesma, prova alguma será inequívoca, no sentido de absolutamente

3 incontestável. Mesmo a escritura pública, lavrada por notário conceituado e revestida de todos os requisitos formais, é passível de ser impugnada. "[...] O juízo da verossimilhança repousa na forte convicção de que tanto a quaestiones facti como as quaestiones iuris induzem a que o autor, requerente da antecipação de tutela, merecerá a prestação jurisdicional a seu favor." (Da antecipação dos efeitos da tutela. 5. ed., Rio de Janeiro: Forense, 2004, p. 23 e 28). Assim, o requisito objetivo da tutela antecipada consubstanciado na prova inequívoca e verossimilhança das alegações da parte não requeriam a comprovação absoluta dos fatos que implicavam o direito buscado, mas tão somente que, dentro do juízo de cognição sumária, fosse apta a alicerçar a convicção do Magistrado acerca da probabilidade das alegações Agravo de Instrumento nº , do Tribunal de Justiça de Santa Catarina. A Tutela antecipada poderia ser deferida tanto em primeiro grau, como também em sede recursal e visava, também, dar maior celeridade à entrega da prestação jurisdicional. O advento da Lei /15 deu novos ares ao instituto, e, como já dito, passou a adotar a denominação de Tutela Provisória para, ao meu entender, ampliar os horizontes da antecipação de tutela, ampliando também as denominações conceituais próprias para tratar de tutela provisória de urgência, cautelar e antecipada, conforme artigo 294, que assim está expresso: Art A tutela provisória pode fundamentar-se em urgência ou evidência. No Parágrafo único do artigo 294 está previsto que a tutela provisória de urgência, cautelar ou antecipada, pode ser concedida em caráter antecedente ou incidental, i. e., antes da existência do processo principal ou durante o processamento do mesmo. O pedido de tutela provisória feito em caráter incidental independe do pagamento de custas (artigo 295) e, uma vez deferida, conserva sua eficácia na pendência do processo, não impedindo que, se for o caso, venha a ser revogada ou modificada (artigo 296). A tutela de urgência vem prevista no Título II, a partir do artigo 300, que diz: Art A tutela de urgência será concedida quando houver elementos que evidenciem a probabilidade do direito e o perigo de dano ou o risco ao resultado útil do processo. De fácil entendimento, o artigo 300 prevê a possibilidade de concessão da medida tutelar de urgência sempre que houver probabilidade de direito (verossimilhança) e perigo de dano ou risco (periculum in mora) ao resultado útil do processo quando de seu termo. Esta possibilidade não exclui a possibilidade de exigência de caução ( 1º). Pode, ainda, ser deferida em caráter liminar ou após justificativa prévia ( 2º). em havendo perigo de irreparabilidade dos efeitos da antecipação da tutela de urgência, esta não será concedida ( 3º). A tutela de urgência de natureza cautelar pode ser efetivada mediante arresto, sequestro, arrolamento de bens, registro de protesto contra alienação de bem e qualquer outra medida

4 idônea para asseguração do direito, conforme previsão do artigo 301. Independentemente da reparação por dano processual, a parte responde pelo prejuízo que a efetivação da tutela de urgência causar à parte adversa (artigo 302 e seus incisos). E, finalmente, no capítulo II, o novo CPC, trata Do Procedimento da Tutela Antecipada Requerida em Caráter Antecedente, isto é, da tutela antecipada pedida antes da efetiva existência de um processo principal propriamente dito. Vejamos: Art Nos casos em que a urgência for contemporânea à propositura da ação, a petição inicial pode limitar-se ao requerimento da tutela antecipada e à indicação do pedido de tutela final, com a exposição da lide, do direito que se busca realizar e do perigo de dano ou do risco ao resultado útil do processo. Se pararmos para analisar veremos clara semelhança com a Medida Cautelar. Porém, com esta não de confunde, eis que nesta a decisão assegura (protege) um direito que será definido no momento do julgamento de mérito, enquanto que na antecipação de tutela a decisão futura é antecipada no tempo, sendo, pois, pelo menos em tese, desnecessário, a presença dos requisitos ensejadores da proteção cautelar. Concedida a tutela antecipada a que se refere o caput deste artigo: I - o autor deverá aditar a petição inicial, com a complementação de sua argumentação, a juntada de novos documentos e a confirmação do pedido de tutela final, em 15 (quinze) dias ou em outro prazo maior que o juiz fixar; II - o réu será citado e intimado para a audiência de conciliação ou de mediação na forma do art. 334; III - não havendo autocomposição, o prazo para contestação será contado na forma do art ( 1º). Não realizado o aditamento a que se refere o inciso I do 1o deste artigo, o processo será extinto sem resolução do mérito ( 2º). O aditamento a que se refere o inciso I do 1o deste artigo dar-se-á nos mesmos autos, sem incidência de novas custas processuais ( 3º). Na petição inicial a que se refere o caput deste artigo, o autor terá de indicar o valor da causa, que deve levar em consideração o pedido de tutela final ( 4º). O autor indicará na petição inicial, ainda, que pretende valer-se do benefício previsto no caput deste artigo ( 5º). E, caso entenda que não há elementos para a concessão de tutela antecipada, o órgão jurisdicional determinará a emenda da petição inicial em até 5 (cinco) dias, sob pena de ser indeferida e de o processo ser extinto sem resolução de mérito ( 6º). Não sendo interposto o respectivo recurso da decisão que concedeu a tutela antecipada nos termos do artigo 300, do CPC, esta tornar-se-á estável conforme previsão do artigo 304. A saber: Art A tutela antecipada, concedida nos termos do art. 303, torna-se estável se da decisão que a conceder não for interposto o respectivo recurso. A Lei /2015 trouxe grandes avanços quanto a matéria de antecipação dos efeitos, no tempo e espaço, de futura sentença. Foi assertivo na nomenclatura utilizada, bem como na conceituação dos novos postulados referente à antecipação dos efeitos da tutela, trazendo

5 consigo uma ampliação de horizontes para os operadores do direito, possibilitando uma entrega da prestação jurisdicional cada vez mais rápida e eficaz.

AULA 24. Os pressupostos genéricos são a probabilidade do direito, perigo de dano ou risco ao resultado útil do processo.

AULA 24. Os pressupostos genéricos são a probabilidade do direito, perigo de dano ou risco ao resultado útil do processo. Turma e Ano: Master A (2015) 06/07/2015 Matéria / Aula: Direito Processual Civil / Aula 24 Professor: Edward Carlyle Silva Monitor: Alexandre Paiol AULA 24 CONTEÚDO DA AULA: Tutela provisória : tutela

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Tutela provisória II. Prof. Luiz Dellore

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Tutela provisória II. Prof. Luiz Dellore DIREITO PROCESSUAL CIVIL Tutela provisória II Prof. Luiz Dellore Gênero Espécies Subespécies Tutela Provisória Tutela de urgência - Tutela cautelar - Tutela antecipada Tutela de evidência -- Art. 294.

Leia mais

Apesar de os negros serem menos da metade dos usuários de drogas nos Estados Unidos, eles compõem muito mais da metade dos presos por causa de

Apesar de os negros serem menos da metade dos usuários de drogas nos Estados Unidos, eles compõem muito mais da metade dos presos por causa de Apesar de os negros serem menos da metade dos usuários de drogas nos Estados Unidos, eles compõem muito mais da metade dos presos por causa de drogas. Um em cada três jovens negros americanos serão presos

Leia mais

Tutelas no novo CPC: Liminares?

Tutelas no novo CPC: Liminares? Tutelas no novo CPC: Liminares? Valter Nilton Felix Quando os efeitos da tutela definitiva são antecipados pelo juízo, tem-se a tutela provisória, satisfativa (fornecimento de certidão negativa é ordenada

Leia mais

TUTELA PROVISÓRIA NO NOVO CPC

TUTELA PROVISÓRIA NO NOVO CPC TUTELA PROVISÓRIA NO NOVO CPC Prof. Advogado. Mestre em Processo Civil pela PUC/SP. LL.M pela University of California Berkeley School of Law. DA TUTELA PROVISÓRIA Disposições gerais Art. 294 A tutela

Leia mais

Pratica Jurídica Civil II 8 semestre Profa. Ana Luísa Reale confecção do conteúdo

Pratica Jurídica Civil II 8 semestre Profa. Ana Luísa Reale confecção do conteúdo AULA 3, segundo nosso plano de ensino Tutela Antecipada requerida em caráter antecedente Esta ação não possui regulamentação no CPC de 73. Trata-se de previsão inovadora em nosso sistema, regulamentada

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Faculdade de Direito Teoria Geral do Processo 2 Professor Vallisney Grupo: Daniel Rezende (13/0106607), Leonardo Maia (13/0120171), Vitor Salazar (13/0137227), Diogo Eira (13/0107701).

Leia mais

CURSO ESCOLA DE DEFENSORIA PÚBLICA Nº

CURSO ESCOLA DE DEFENSORIA PÚBLICA Nº CURSO ESCOLA DE DEFENSORIA PÚBLICA 2016.1 Nº DATA DISCIPLINA Processo Civil PROFESSOR Ival Heckert MONITOR Bruna Oliveira AULA Aula 05 Contatos: Facebook: Professor Ival Heckert @prof_ival (twitter e instagram)

Leia mais

AS ESPÉCIES DE TUTELA PROVISÓRIA NO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL BRASILEIRO E SEUS

AS ESPÉCIES DE TUTELA PROVISÓRIA NO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL BRASILEIRO E SEUS AS ESPÉCIES DE TUTELA PROVISÓRIA NO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL BRASILEIRO E SEUS REFLEXOS NA ARBITRAGEM ANDRÉA SECO TARCISIO JOSÉ MOREIRA JÚNIOR aseco@almeidalaw.com.br tjjunior@almeidalaw.com.br CONSIDERAÇÕES

Leia mais

ROTEIRO TUTELAS PROVISÓRIAS DE URGÊNCIA E DE EVIDÊNCIA

ROTEIRO TUTELAS PROVISÓRIAS DE URGÊNCIA E DE EVIDÊNCIA PROFESSORA: DRA. JULIANA JUSTO ROTEIRO TUTELAS PROVISÓRIAS DE URGÊNCIA E DE EVIDÊNCIA 07.05.2015 1. HISTÓRICO 1.1 1973 PRIMEIRO MOMENTO 1.2 1994 SEGUNDO MOMENTO Art. 273. O juiz poderá, a requerimento

Leia mais

É preciso diferenciar a natureza jurídica da antecipação de tutela da decisão de antecipação de tutela, não sendo expressões sinônimas.

É preciso diferenciar a natureza jurídica da antecipação de tutela da decisão de antecipação de tutela, não sendo expressões sinônimas. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Processo Civil / Aula 24 Professor: Edward Carlyle Conteúdo: Antecipação de Tutela: Efetividade, Momento do Requerimento; Revogação e Modificação; Fungibilidade;

Leia mais

AULA ) Competência de 1 Grau para exame da Tutela Provisória. 12.8) Natureza Jurídica da Decisão da Tutela Provisória

AULA ) Competência de 1 Grau para exame da Tutela Provisória. 12.8) Natureza Jurídica da Decisão da Tutela Provisória Turma e Ano: Master A (2015) 06/07/2015 Matéria / Aula: Direito Processual Civil / Aula 23 Professor: Edward Carlyle Silva Monitor: Alexandre Paiol CONTEÚDO DA AULA: Tutela provisória : AULA 23 12.7) Competência

Leia mais

Conteúdo: Antecipação dos Efeitos da Tutela: Conceito, Requisitos, Conteúdo, Legitimidade, Antecipação de Tutela em Pedido Incontroverso.

Conteúdo: Antecipação dos Efeitos da Tutela: Conceito, Requisitos, Conteúdo, Legitimidade, Antecipação de Tutela em Pedido Incontroverso. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Processo Civil / Aula 23 Professor: Edward Carlyle Conteúdo: Antecipação dos Efeitos da Tutela: Conceito, Requisitos, Conteúdo, Legitimidade, Antecipação de Tutela

Leia mais

A IMPOSSIBILIDADE DE CONCESSÃO DA TUTELA ANTECIPADA EX OFFICIO

A IMPOSSIBILIDADE DE CONCESSÃO DA TUTELA ANTECIPADA EX OFFICIO A IMPOSSIBILIDADE DE CONCESSÃO DA TUTELA ANTECIPADA EX OFFICIO AUTORA: Gimene Vieira da Cunha Bacharel em Direito pela Universidade Federal de Pelotas Advogada inscrita na OAB/RS sob o nº 80.830 Pós-Graduada

Leia mais

COMPARATIVO SOBRE AS TUTELAS PROVISÓRIAS NO CPC DE 1973 E O NOVO CPC DE 2015

COMPARATIVO SOBRE AS TUTELAS PROVISÓRIAS NO CPC DE 1973 E O NOVO CPC DE 2015 COMPARATIVO SOBRE AS TUTELAS PROVISÓRIAS NO CPC DE 1973 E O NOVO CPC DE 2015 Eliana Maria Pavan de Oliveira * elianapavan@uniaraxa.edu.br Julia Pimentel Steiner de Camargo ** jupisteca@gmail.com e, consequentemente,

Leia mais

PRIMEIRAS PERCEPÇÕES

PRIMEIRAS PERCEPÇÕES PRIMEIRAS PERCEPÇÕES Art. 294. A tutela provisória pode fundamentar-se em urgência ou evidência. Parágrafo único. A tutela provisória de urgência, cautelar ou antecipada, pode ser concedida em caráter

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO VIGÉSIMA SEGUNDA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº: 0050632-74.2013.8.19.0000 AGRAVANTE: EUZENI FARIA GONÇALVES AGRAVADO: LEANDRO DE TAL Relator: Desembargador MARCELO LIMA BUHATEM Vistos, etc... D

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Federal da Vara Cível do Juizado Especial Federal da Subseção Judiciária de (nome da cidade).

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Federal da Vara Cível do Juizado Especial Federal da Subseção Judiciária de (nome da cidade). Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Federal da Vara Cível do Juizado Especial Federal da Subseção Judiciária de (nome da cidade). (Nome do autor), brasileiro, casado, engenheiro de minas, carteira de identidade

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br A prova inequívoca da fumaça do bom direito Fabricio Rebelo* À primeira vista, a frase que intitula este artigo pode levar o leitor à impressão de se tratar de um contra-senso. Entretanto,

Leia mais

A Tutela Provisória no Novo Código de Processo Civil - 2ª Edição SUMÁRIO

A Tutela Provisória no Novo Código de Processo Civil - 2ª Edição SUMÁRIO A Tutela Provisória no Novo Código de Processo Civil - 2ª Edição SUMÁRIO PARTE 1 A TUTELA PROVISÓRIA PREVISTA NO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL A PARTIR DE UMA PERSPECTIVA CRÍTICA... 19 CAPÍTULO I TEORIA

Leia mais

Bom dia, hoje trago um modelo de petição de auxílio reclusão previdenciário com pedido de tutela antecipada em face do INSS perante a Justiça Federal.

Bom dia, hoje trago um modelo de petição de auxílio reclusão previdenciário com pedido de tutela antecipada em face do INSS perante a Justiça Federal. Bom dia, hoje trago um modelo de petição de auxílio reclusão previdenciário com pedido de tutela antecipada em face do INSS perante a Justiça Federal. Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da Vara

Leia mais

Professor Rogerio Licastro Torres de Mello

Professor Rogerio Licastro Torres de Mello Professor Rogerio Licastro Torres de Mello Doutor e Mestre em Direito Direito Processual Civil pela PUC / SP Facebook: Rogerio Licastro NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Recurso de apelação, agravo e outros

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS DEFENSORES PÚBLICOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS ADEP MG ANÁLISE PRELIMINAR DO ANTEPROJETO DE REFORMA DO CPC

ASSOCIAÇÃO DOS DEFENSORES PÚBLICOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS ADEP MG ANÁLISE PRELIMINAR DO ANTEPROJETO DE REFORMA DO CPC Nº Aspectos Positivos 1 Capítulo IV, Seção III - Da Defensoria Pública (havia a previsão específica de uma seção para tratar apenas da Defensoria Pública) Há o reconhecimento da instituição como essencial

Leia mais

8) Gratuidade da Justiça e Honorários Advocatícios

8) Gratuidade da Justiça e Honorários Advocatícios PETIÇÃO INICIAL 8) Gratuidade da Justiça e Honorários Advocatícios Nas bancas anteriores à FGV, o item gratuidade da justiça somente veio pontuado em gabarito quando era necessário requerer o pagamento

Leia mais

LIMINARES NO PROCESSO CAUTELAR

LIMINARES NO PROCESSO CAUTELAR LIMINARES NO PROCESSO CAUTELAR TEIXEIRA, Renato de Sousa 1 CASTRO, Marco 1 FERNANDES, Ariane de Oliveira 2 1. Processo Cautelar. Processo x Tempo, II. O Processo Cautelar e Processo Principal, III. Características

Leia mais

Preparo efetuado. 1. Data e assinatura.

Preparo efetuado. 1. Data e assinatura. 1. RECEBIMENTO DE PETIÇÃO INICIAL (Rito ordinário) Autos n. Comarca de Preparo efetuado. 1 282). Recebo a petição inicial, por ser a mesma apta (CPC, art. Cite-se o requerido para que, caso queira, apresente

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO DECISÃO MONOCRÁTICA

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO DECISÃO MONOCRÁTICA fls. 237 Registro: 2016.0000609797 DECISÃO MONOCRÁTICA Agravo de Instrumento Processo nº 2163570-75.2016.8.26.0000 Relator(a): Luis Mario Galbetti Órgão Julgador: 7ª Câmara de Direito Privado Voto nº:

Leia mais

TÍTULO: TUTELA ANTECIPADA

TÍTULO: TUTELA ANTECIPADA 1 TÍTULO: TUTELA ANTECIPADA Adriana Jesus Guilhen 1 Sumário: I Histórico; II Constitucionalidade da Tutela Antecipada; III Objetivo; IV Diferenças e semelhanças entre a tutela antecipada e a medida cautelar;

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Recursos III agravo de instrumento e embargos de declaração. Prof. Andre Roque

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Recursos III agravo de instrumento e embargos de declaração. Prof. Andre Roque DIREITO PROCESSUAL CIVIL Recursos III agravo de instrumento e embargos de declaração Prof. Andre Roque 1. Agravo de instrumento: cabimento Somente cabe AI das decisões interlocutórias do CPC, 1015 I -

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA A NOVA PETIÇÃO INICIAL DO NOVO CPC

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA A NOVA PETIÇÃO INICIAL DO NOVO CPC A NOVA PETIÇÃO INICIAL DO NOVO CPC 1. Conceito Art. 319 do CPC A petição inicial é o ato formal do autor que dá início à causa. É um requerimento que contém a exposição do fato e dos fundamentos jurídicos

Leia mais

(7) Agravo de Instrumento nº

(7) Agravo de Instrumento nº TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO VIGÉSIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0003412-46.2014.8.19.0000 JUÍZO DE ORIGEM: VARA ÚNICA DA COMARCA DE IGUABA GRANDE AGRAVANTE:

Leia mais

1. CONTINUAÇÃO TUTELA ANTECIPADA. Responsabilidade civil pela concessão de efeitos antecipatórios:

1. CONTINUAÇÃO TUTELA ANTECIPADA. Responsabilidade civil pela concessão de efeitos antecipatórios: 1 PROCESSO CIVIL PONTO 1: Continuação Tutela Antecipada PONTO 2: Tutela Antecipada da Parcela Incontroversa PONTO 3: Tutela Antecipada Específica PONTO 4: Medidas Coercitivas 1. CONTINUAÇÃO TUTELA ANTECIPADA

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Federal da Vara Federal da Subseção Judiciária de (nome da cidade).

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Federal da Vara Federal da Subseção Judiciária de (nome da cidade). Bom dia, hoje trago um modelo de petição de pensão por morte e, razão da morte do filho com pedido de tutela antecipada em face do INSS perante a Justiça Federal. Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Federal

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO DECISÃO MONOCRÁTICA

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO DECISÃO MONOCRÁTICA fls. 1 Registro: 2013.0000161312 DECISÃO MONOCRÁTICA Agravo de Instrumento Processo nº 0051663-37.2013.8.26.0000 Relator(a): Erickson Gavazza Marques Órgão Julgador: 5ª Câmara de Direito Privado Decisão

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO COMARCA DE SÃO PAULO FORO CENTRAL CÍVEL 43ª VARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO COMARCA DE SÃO PAULO FORO CENTRAL CÍVEL 43ª VARA CÍVEL fls. 202 DECISÃO / OFÍCIO Processo Digital nº: 1105266-91.2016.8.26.0100 Classe - Assunto Procedimento Comum - Sustação/Alteração de Leilão Requerente: XXXXXXXXXXX Requerido: Carlos Vicari Spe Empreendimentos

Leia mais

Cumprimento provisório da sentença e competência do Juizado Especial Fazendário

Cumprimento provisório da sentença e competência do Juizado Especial Fazendário Cumprimento provisório da sentença e competência do Juizado Especial Fazendário A Lei n 12.153/09, ao disciplinar os Juizados Especiais Fazendários, omitiu-se quanto ao cumprimento da sentença, porém,

Leia mais

Fredie Didier Jr. Paula Sarno Braga Rafael Alexandria de Oliveira

Fredie Didier Jr. Paula Sarno Braga Rafael Alexandria de Oliveira Fredie Didier Jr. Paula Sarno Braga Rafael Alexandria de Oliveira Teoria da Prova, Direito Probatório, 2 Decisão, Precedente, Coisa Julgada e Tutela Provisória 12ª edição revista, ampliada e atualizada

Leia mais

A C Ó R D Ã O. ACORDA, em Turma, a Terceira Câmara Civil do Tribunal de Alçada do Estado de Minas Gerais, NEGAR PROVIMENTO.

A C Ó R D Ã O. ACORDA, em Turma, a Terceira Câmara Civil do Tribunal de Alçada do Estado de Minas Gerais, NEGAR PROVIMENTO. EMENTA: PROCESSUAL CIVIL - AGRAVO DE INSTRUMENTO AÇÃO CAUTELAR PREPARATÓRIA DÉBITO CONTRAÍDO COM INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DESCONTO EM CONTA CORRENTE VENCIMENTOS DEBITADOS EM CONTA LIMINAR QUE REDUZIU O PERCENTUAL

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Teoria Geral da Prova no Processo Civil Daniel Nobre Morelli INTRODUÇÃO Podemos considerar prova como o meio pelo qual se procura demonstrar que certos fatos, expostos no processo,

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO: Um Novo Modelo

AGRAVO DE INSTRUMENTO: Um Novo Modelo AGRAVO DE INSTRUMENTO: Um Novo Modelo SÁLVIO DE FIGUEIREDO TEIXEIRA* Ministro do Superior Tribunal de Justiça, Juiz do Tribunal. Alçada de Minas Gerais e Diretor da Rev. de Julgados do TAMG 1.CONSIDERAÇÕES

Leia mais

DIFERENCA ENTRE AS PROVIDENCIAS DESTINDAS A PROTEGER O RESULADO PRÁTICO DO PRONUNCIAMENTO FINAL (PRINCIPAL)MEDIANTE A CONSERVAÇÃO DE UMA SITUAÇÃO E

DIFERENCA ENTRE AS PROVIDENCIAS DESTINDAS A PROTEGER O RESULADO PRÁTICO DO PRONUNCIAMENTO FINAL (PRINCIPAL)MEDIANTE A CONSERVAÇÃO DE UMA SITUAÇÃO E TEORIA GERAL DO PROCESSO CAUTELAR PROCESSO CAUTELAR É AQUELE POR MEIO DO QUAL SE OBTEM MEIOS DE GARANTIR A EFICACIA PLENA DOPROVIMENTO JURISDICIONAL, A SER OBTIDO POR MEIO DE FUTURO (OU CONCOMITANTE) PROCESSO

Leia mais

Comentários à Prova de Direito Processual Civil TRF da 2ª Região CONSULPLAN provas em 13/3/2017

Comentários à Prova de Direito Processual Civil TRF da 2ª Região CONSULPLAN provas em 13/3/2017 --- à Prova de Direito Processual Civil TRF da 2ª Região CONSULPLAN provas em 13/3/2017 Segue, abaixo, comentário das questões de Direito Processual Civil aplicados nas provas do TRF da 2º Região. Antes

Leia mais

ALGUNS APONTAMENTOS SOBRE A TUTELA ANTECIPADA NO DIREITO BRASILEIRO

ALGUNS APONTAMENTOS SOBRE A TUTELA ANTECIPADA NO DIREITO BRASILEIRO 1 ALGUNS APONTAMENTOS SOBRE A TUTELA ANTECIPADA NO DIREITO BRASILEIRO Maria Christina M. O. Neves Cordeiro 1 1 INTRODUÇÃO As reformas processuais levadas a efeito pelo Estado apontam a busca de soluções

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO. PEDIDO LIMINAR. DESCONTO EM FOLHA DE PAGAMENTO PACTUADO CONTRATUALMENTE. CONTRATO BANCÁRIO. LIMITE DE 30%.

AGRAVO DE INSTRUMENTO. PEDIDO LIMINAR. DESCONTO EM FOLHA DE PAGAMENTO PACTUADO CONTRATUALMENTE. CONTRATO BANCÁRIO. LIMITE DE 30%. AGRAVO DE INSTRUMENTO. PEDIDO LIMINAR. DESCONTO EM FOLHA DE PAGAMENTO PACTUADO CONTRATUALMENTE. CONTRATO BANCÁRIO. LIMITE DE 30%. É válido o desconto em folha para pagamento de empréstimo bancário livremente

Leia mais

Olá, pessoal! Chegamos ao nosso sétimo módulo. Falaremos da petição inicial, da(s) resposta(s) do réu e do fenômeno da revelia.

Olá, pessoal! Chegamos ao nosso sétimo módulo. Falaremos da petição inicial, da(s) resposta(s) do réu e do fenômeno da revelia. CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROCESSO CIVIL PONTO A PONTO PARA TRIBUNAIS MÓDULO 7 PETIÇÃO INICIAL. RESPOSTA DO RÉU. REVELIA. Professora: Janaína Noleto Curso Agora Eu Passo () Olá, pessoal! Chegamos

Leia mais

AU A LA 2 Prof. VannaCoelho Cabral

AU A LA 2 Prof. VannaCoelho Cabral AULA 2 Prof. Vanna Coelho Cabral DA TUTELA PROVISÓRIA DA TUTELA PROVISÓRIA A crise das Providências Emergenciais `O que é Tutela? O que é Tutela Provisória? O que é Tutela Definitiva? O que é Liminar?

Leia mais

SUMÁRIO PARTE I INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA UMA APROPRIADA POSTULAÇÃO EM JUÍZO 1 INTRODUÇÃO

SUMÁRIO PARTE I INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA UMA APROPRIADA POSTULAÇÃO EM JUÍZO 1 INTRODUÇÃO SUMÁRIO PARTE I INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA UMA APROPRIADA POSTULAÇÃO EM JUÍZO 1 INTRODUÇÃO 2 SOLUÇÃO DE LITÍGIOS PERANTE O PODER JUDICIÁRIO 2.1 Estrutura jurisdicional brasileira 2.2 Lide, processo e

Leia mais

LEGALE ADVOCACIA TRABALHISTA E O NOVO CPC - IV

LEGALE ADVOCACIA TRABALHISTA E O NOVO CPC - IV LEGALE ADVOCACIA TRABALHISTA E O NOVO CPC - IV As Tutelas Provisórias de Urgência e a Execução no Novo CPC Professor: Rogério Martir Doutorando em Ciências Jurídicas e Sociais, Advogado militante e especializado

Leia mais

1. Sobre as medidas cautelares pessoais no processo penal, é correto afirmar que:

1. Sobre as medidas cautelares pessoais no processo penal, é correto afirmar que: P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO PROCESSUAL PENAL 1. Sobre as medidas cautelares pessoais no processo penal, é correto afirmar que: I - De acordo com o Código de Processo Penal, as

Leia mais

ATUALIZAÇÃO PROFISSIONAL DIANTE DO NOVO CPC: DESAFIOS PRESENTES E FUTUROS

ATUALIZAÇÃO PROFISSIONAL DIANTE DO NOVO CPC: DESAFIOS PRESENTES E FUTUROS ATUALIZAÇÃO PROFISSIONAL DIANTE DO NOVO CPC: DESAFIOS PRESENTES E FUTUROS Bruno Vasconcelos Carrilho Lopes Advogado; Mestre e Doutor em Direito Processual Civil pela Faculdade de Direito da Universidade

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL

DIREITO PROCESSUAL CIVIL DIREITO PROCESSUAL CIVIL Reinaldo Branco de Moraes (Juiz do Trabalho do TRT12) -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE DIRETO PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Lenora Chiden Bengochea

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE DIRETO PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Lenora Chiden Bengochea 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE DIRETO PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL Lenora Chiden Bengochea A TUTELA PROVISÓRIA NO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL: A previsão da Tutela

Leia mais

A PRODUÇÃO ANTECIPADA DE PROVAS

A PRODUÇÃO ANTECIPADA DE PROVAS A PRODUÇÃO ANTECIPADA DE PROVAS Raphael Lourenço LANG 1 Sheila Collini da Cruz CORDEIRO 2 Ariane Fernandes de OLIVEIRA 3 O instituto da produção antecipada de provas está inserido no Livro III Do Processo

Leia mais

Procedimentos no Novo CPC e Julgamento Conforme. Professor Zulmar Duarte

Procedimentos no Novo CPC e Julgamento Conforme. Professor Zulmar Duarte Procedimentos no Novo CPC e Julgamento Conforme Professor Zulmar Duarte Procedimentos no Novo CPC Processo Relação Processual Art. 238. Citação é o ato pelo qual são convocados o réu, o executado ou o

Leia mais

Direito Processual Civil (NOVO CPC) Aula 4 - Tutela Provisória

Direito Processual Civil (NOVO CPC) Aula 4 - Tutela Provisória Direito Processual Civil (NOVO CPC) Aula 4 - Tutela Provisória Professora Jaqueline Mielke Tutela Provisória (Livro V, art. 294 e seguintes, do CPC) - INTRODUÇÃO Importante ressaltar que o Novo CPC trouxe

Leia mais

Registro de desenho industrial e antecipação da tutela

Registro de desenho industrial e antecipação da tutela Registro de desenho industrial e antecipação da tutela Anali de Oliveira Anhuci A antecipação da tutela jurisdicional, introduzida no sistema processual civil brasileiro pela Lei 8952/94, adquiriu enorme

Leia mais

Bom dia, hoje trago um modelo de petição de benefício assistencial do LOAS com pedido de tutela antecipada em face do INSS perante a Justiça Federal.

Bom dia, hoje trago um modelo de petição de benefício assistencial do LOAS com pedido de tutela antecipada em face do INSS perante a Justiça Federal. Bom dia, hoje trago um modelo de petição de benefício assistencial do LOAS com pedido de tutela antecipada em face do INSS perante a Justiça Federal. Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da Vara

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 990.810 - DF (2016/0255643-4) RELATOR : MINISTRO NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO AGRAVANTE : FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE - FUNASA AGRAVADO : GRUPO OK CONSTRUCOES E EMPREENDIMENTOS

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 865. JURANDYR REIS JUNIOR RELATORA DESIGNADA : DES. DENISE KRÜGER PEREIRA

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 865. JURANDYR REIS JUNIOR RELATORA DESIGNADA : DES. DENISE KRÜGER PEREIRA AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 865.377-0, DE CASCAVEL - 1ª VARA CÍVEL AGRAVANTE : UNIMED CASCAVEL COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO AGRAVADO : VALDIR BILIBIO RELATOR ORIGINÁRIO : DES. JURANDYR REIS JUNIOR RELATORA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Vistos, relatados e discutidos estes autos de

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Vistos, relatados e discutidos estes autos de ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SAO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA d REGISTRADO(A) SOB H Vistos, relatados e discutidos estes autos de APELAÇÃO CÍVEL n 24 6.418-4/7-00, da Comarca de ITAPETININGA, em

Leia mais

Núcleo de Pesquisa e Extensão do Curso de Direito NUPEDIR VIII MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (MIC) 20 de novembro de 2015

Núcleo de Pesquisa e Extensão do Curso de Direito NUPEDIR VIII MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (MIC) 20 de novembro de 2015 TUTELA ANTECIPADA NO DIREITO DO TRABALHO Cristiano Ricardo Grasel 1 Isabel Maciel Mousquer 2 SUMÁRIO: 1. INTRODUÇÃO. 2. TUTELA ANTECIPADA. 3. NATUREZA JURÍDICA DA TUTELA ANTECIPADA. 4. REQUISITOS DA TUTELA

Leia mais

REVELIA (ART. 319 A 322)

REVELIA (ART. 319 A 322) REVELIA (ART. 319 A 322) Ocorre quando o réu, regularmente citado, deixa de responder à demanda. O CPC regulou esse instituto, considerando revel o réu que deixa de oferecer contestação após regularmente

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 37ª Câmara de Direito Privado

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 37ª Câmara de Direito Privado ACÓRDÃO Registro: 2016.0000683259 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 2164180-43.2016.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é agravante BANCO VOTORANTIM S/A, são

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 A Situação Concreta Exposição da Situação Concreta e de suas mais de 50 Petições Vinculadas...1

Sumário. Capítulo 1 A Situação Concreta Exposição da Situação Concreta e de suas mais de 50 Petições Vinculadas...1 Sumário Capítulo 1 A Situação Concreta... 1 1.1. Exposição da Situação Concreta e de suas mais de 50 Petições Vinculadas...1 Capítulo 2 Petições Cíveis: Procedimento Comum... 7 2.1. Petição Inicial...7

Leia mais

DESEMBARGORA AMÉLIA MARTINS DE ARAÚJO. Colenda Corte Especial Eminente Desembargador Relator,

DESEMBARGORA AMÉLIA MARTINS DE ARAÚJO. Colenda Corte Especial Eminente Desembargador Relator, MANDADO DE SEGURANÇA 354029-13.2014.8.09.0000 (201493540297) IMPETRANTES SILVIO MOREIRA DA COSTA E OUTRA IMPETRADO DESEMBARGADOR RELATOR DA 4ª CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS RELATORA

Leia mais

Processo Civil OAB - FGV. O Agravo, conforme a atualização legislativa, pode ser interposto de duas formas:

Processo Civil OAB - FGV. O Agravo, conforme a atualização legislativa, pode ser interposto de duas formas: AGRAVO Aspectos Introdutórios O Agravo, conforme a atualização legislativa, pode ser interposto de duas formas: - AGRAVO DE INSTRUMENTO, interposto por instrumento, na forma do art. 522 do CPC; - AGRAVO

Leia mais

AÇÃO MONITORIA. Elan Marcos de Matos TEIXEIRA¹ Priscila Moreira MARCONDES² Ariane Fernandes OLIVEIRA³ 1. INTRODUÇÃO.

AÇÃO MONITORIA. Elan Marcos de Matos TEIXEIRA¹ Priscila Moreira MARCONDES² Ariane Fernandes OLIVEIRA³ 1. INTRODUÇÃO. AÇÃO MONITORIA Elan Marcos de Matos TEIXEIRA¹ Priscila Moreira MARCONDES² Ariane Fernandes OLIVEIRA³ 1. INTRODUÇÃO. O Presente artigo tem como finalidade discutir o processo monitório e seu respective

Leia mais

DECISÃO SUPERMERCADO DIA BRASIL

DECISÃO SUPERMERCADO DIA BRASIL fls. 1 DECISÃO Processo Físico nº: 0003811-51.2015.8.26.0063 Ordem nº 1871/2015 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Indenização por Dano Moral Requerente: SUPERMERCADOS BURGOS & CIA LTDA. Requerido:

Leia mais

TUTELA ANTECIPADA E O PERIGO DE IRREVERSIBILIDADE DO PROVIMENTO JURISDICIONAL ANTECIPADO: A LUZ DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

TUTELA ANTECIPADA E O PERIGO DE IRREVERSIBILIDADE DO PROVIMENTO JURISDICIONAL ANTECIPADO: A LUZ DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL TUTELA ANTECIPADA E O PERIGO DE IRREVERSIBILIDADE DO PROVIMENTO JURISDICIONAL ANTECIPADO: A LUZ DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL ROSSI, G. Resumo: Refere-se a antecipação os efeitos da sentença, do art. 273,

Leia mais

IMPACTOS CORPORATIVOS SOBRE AS ALTERAÇÕES DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Carolina Sayuri Nagai Calaf

IMPACTOS CORPORATIVOS SOBRE AS ALTERAÇÕES DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Carolina Sayuri Nagai Calaf IMPACTOS CORPORATIVOS SOBRE AS ALTERAÇÕES DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Carolina Sayuri Nagai Calaf O QUE MUDOU EM LINHAS GERAIS Parágrafo 5º, no art. 46: Execução Fiscal sempre será proposta no domicílio

Leia mais

ACÓRDÃO lilllillliili V

ACÓRDÃO lilllillliili V TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO AC0 R SEGISTRADO(A)SOBN ACÓRDÃO lilllillliili V Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento n 990.10.409899-8, da Comarca de São Paulo, em que é

Leia mais

ANTECIPAÇÃO DA TUTELA EM FACE DE PEDIDO INCONTROVERSO

ANTECIPAÇÃO DA TUTELA EM FACE DE PEDIDO INCONTROVERSO ANTECIPAÇÃO DA TUTELA EM FACE DE PEDIDO INCONTROVERSO Teori Albino Zavascki Magistrado federal Professor de Direito na UFRGS SUMÁRIO: 1. Características gerais; 2. Fundamento constitucional; 3. Conceito

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Cumprimento de sentença II. Prof. Luiz Dellore

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Cumprimento de sentença II. Prof. Luiz Dellore DIREITO PROCESSUAL CIVIL Cumprimento de sentença II Prof. Luiz Dellore 1. Liquidação de sentença: cabível quando o título não determinar exatamente o valor devido pela condenação. Enquanto estiver pendente

Leia mais

A FUNÇÃO SOCIAL DA TUTELA ANTECIPADA NO PROCESSO DO TRABALHO COMO MEIO DE FACILITAÇÃO DO ACESSO À JUSTIÇA

A FUNÇÃO SOCIAL DA TUTELA ANTECIPADA NO PROCESSO DO TRABALHO COMO MEIO DE FACILITAÇÃO DO ACESSO À JUSTIÇA A FUNÇÃO SOCIAL DA TUTELA ANTECIPADA NO PROCESSO DO TRABALHO COMO MEIO DE FACILITAÇÃO DO ACESSO À JUSTIÇA THE ROLE OF SOCIAL PROTECTION EARLY IN THE PROCESS WORK AS ACCESS TO JUSTICE FACILITATION MEDIA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL DECISÃO /2014 MANDADO DE SEGURANÇA IMPETRANTE: LAUDEMI FRAGA IMPETRADO: PRESIDENTE DA COMISSÃO ESPECIAL INTERMINISTERIAL - CEI DECISÃO Cuida-se de mandado de segurança impetrado por LAUDEMI FRAGA contra

Leia mais

EXECUÇÃO DAS OBRIGAÇÕES DE FAZER E DE NÃO FAZER (Art. 632 ao 645, CPC): Procedimento das execuções de obrigações de fazer fungíveis:

EXECUÇÃO DAS OBRIGAÇÕES DE FAZER E DE NÃO FAZER (Art. 632 ao 645, CPC): Procedimento das execuções de obrigações de fazer fungíveis: EXECUÇÃO DAS OBRIGAÇÕES DE FAZER E DE NÃO FAZER (Art. 632 ao 645, CPC): Noções gerais: - Lei 11.232/05 revogou expressamente os artigos 639, 640 e 641, todos CPC. - Obrigação de fazer: Negócio jurídico

Leia mais

D E C I S Ã O M O N O C R Á T I C A

D E C I S Ã O M O N O C R Á T I C A AGRAVO DE INSTRUMENTO. FAMÍLIA. AÇÃO DE EXONERAÇÃO DE ALIMENTOS. OBRIGAÇÃO AVOENGA. AUSÊNCIA DE PROVA DA DIMINUIÇÃO DAS POSSIBILIDADES DO ALIMENTANTE. NECESSIDADE DE DILAÇÃO PROBATÓRIA. 1. No caso, corretamente

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL

MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL Coordenador: Leonardo Barreto Moreira Alves MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL Promotor de Justiça Estadual 2ª edição 2016 DIREITO PROCESSUAL CIVIL Renato Bretz Pereira 1. DO PROCESSO DE CONHECIMENTO (MPE/SP/Promotor/2015)

Leia mais

TUTELA CAUTELAR E TUTELA ANTECIPADA ALVARO PHILLIPE VILAS BOAS

TUTELA CAUTELAR E TUTELA ANTECIPADA ALVARO PHILLIPE VILAS BOAS TUTELA CAUTELAR E TUTELA ANTECIPADA Conceitos, Diferenças e Relevantes Aspectos ALVARO PHILLIPE VILAS BOAS Acadêmico do oitavo período de Direito do Centro Universitário de Itajubá FEPI. Estagiário da

Leia mais

Embargos de Declaração 1

Embargos de Declaração 1 Embargos de Declaração 1 1. Noções introdutórias Como expõe Leite (2014) a prestação jurisdicional deve ser completa e clara, nesse sentido repousa a existência dos embargos de declaração que tem como

Leia mais

Olá, pessoal! Chegamos ao nosso décimo primeiro módulo. No módulo 10, tratamos dos recursos. Agora veremos algumas questões sobre a fase executiva.

Olá, pessoal! Chegamos ao nosso décimo primeiro módulo. No módulo 10, tratamos dos recursos. Agora veremos algumas questões sobre a fase executiva. CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROCESSO CIVIL PONTO A PONTO PARA TRIBUNAIS MÓDULO 11 EXECUÇÃO Professora: Janaína Noleto Curso Agora Eu Passo () Olá, pessoal! Chegamos ao nosso décimo primeiro módulo.

Leia mais

Direito Processual do Trabalho. Professor Raphael Maia

Direito Processual do Trabalho. Professor Raphael Maia Direito Processual do Trabalho Professor Raphael Maia 2.1 Funções dos Princípios no Processo do Trabalho: a) Função informadora: a) Tem por objetivo é orientar o legislador b) Função Interpretativa: a)

Leia mais

Escola Superior do Ministério Público de S. Paulo. Ação Civil Pública. Tutelas de Urgência. Fundo de Defesa dos Direitos Difusos. Hugo Nigro Mazzilli

Escola Superior do Ministério Público de S. Paulo. Ação Civil Pública. Tutelas de Urgência. Fundo de Defesa dos Direitos Difusos. Hugo Nigro Mazzilli Escola Superior do Ministério Público de S. Paulo Ação Civil Pública. Tutelas de Urgência. Fundo de Defesa dos Direitos Difusos. Hugo Nigro Mazzilli 2013 1 www.mazzilli.com.br 2 Distinguiremos inicialmente:

Leia mais

Petição Inicial I. Professor Zulmar Duarte

Petição Inicial I. Professor Zulmar Duarte I Professor Zulmar Duarte Instaura a relação processual (linear) Apresenta a Demanda (causa de pedir e pedido) Litispendência (art. 312) Fixação da competência (art. 43) Requisitos Art. 319 Competência

Leia mais

1 Elaborado em: 06/04/2016

1 Elaborado em: 06/04/2016 SIMPLIFICANDO O NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL 1º Resumo Elaborado por Beatriz Galindo Conteúdo: explicações informais e descontraídas sobre o CPC/15, extraídas da página: www.facebook.com/beatrizgalindocpc

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Execução II defesa do executado. Prof. Luiz Dellore

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Execução II defesa do executado. Prof. Luiz Dellore DIREITO PROCESSUAL CIVIL Execução II defesa do executado Prof. Luiz Dellore PARTE ESPECIAL LIVRO II DO PROCESSO DE EXECUÇÃO TÍTULO I DA EXECUÇÃO EM GERAL TÍTULO II DAS DIVERSAS ESPÉCIES DE EXECUÇÃO TÍTULO

Leia mais

Escola de Ciências Jurídicas-ECJ

Escola de Ciências Jurídicas-ECJ Posição legal Momento processual Necessidade, finalidade, objeto e limites Natureza jurídica Liquidação na pendência de recurso Liquidação concomitante com execução Modalidades Liquidação de sentença Sumário

Leia mais

SUMÁRIO A ESSÊNCIA DO CPC DE 2015 E AS NOVAS

SUMÁRIO A ESSÊNCIA DO CPC DE 2015 E AS NOVAS Sumário SUMÁRIO A ESSÊNCIA DO CPC DE 2015 E AS NOVAS TENDÊNCIAS PARA OS CONCURSOS PÚBLICOS... 15 CÓDIGO PROCESSUAL CIVIL... 37 PARTE GERAL LIVRO I DAS NORMAS PROCESSUAIS CIVIS... 37 TÍTULO ÚNICO DAS NORMAS

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0372.13.002525-0/001 Númeração 0025250- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Fernando Caldeira Brant Des.(a) Fernando Caldeira Brant 10/04/2014 22/04/2014

Leia mais

Curso Preparatório para o Concurso Público do TRT 12. Noções de Direito Processual Civil Aula 5 Prof. Esp Daniel Teske Corrêa

Curso Preparatório para o Concurso Público do TRT 12. Noções de Direito Processual Civil Aula 5 Prof. Esp Daniel Teske Corrêa Curso Preparatório para o Concurso Público do TRT 12 Noções de Direito Processual Civil Aula 5 Prof. Esp Daniel Teske Corrêa Sumário Antecipação dos Efeitos da Tutela Teoria Geral da Execução Execução

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores FELIPE FERREIRA (Presidente sem voto), RENATO SARTORELLI E VIANNA COTRIM.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores FELIPE FERREIRA (Presidente sem voto), RENATO SARTORELLI E VIANNA COTRIM. 1 Registro: 2016.0000888926 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 2223275-04.2016.8.26.0000, da Comarca de Santa Bárbara D Oeste, em que é agravante ELZA DOMINGOS

Leia mais

CPC 2015 X PLC Nº 168/2015

CPC 2015 X PLC Nº 168/2015 CPC 2015 X PLC Nº 168/2015 QUADRO COMPARATIVO Janeiro/2016 CPC/2015- LEI Nº 13.105 16/03/2015 PLC Nº 168, DE 2015 Art. 12. Os juízes e os tribunais deverão obedecer à ordem cronológica de conclusão para

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA OFICINA DO NOVO CPC RECURSOS

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA OFICINA DO NOVO CPC RECURSOS OFICINA DO NOVO CPC RECURSOS RECURSO DE APELAÇÃO Artigos 1.009 a 1.014 do Código de Processo Civil 1. Recurso de Apelação Conceito Cabe recurso de apelação contra a sentença do juiz que põe fim à fase

Leia mais

Estado da Paraíba Poder Judiciário Tribunal de Justiça

Estado da Paraíba Poder Judiciário Tribunal de Justiça á Estado da Paraíba Poder Judiciário Tribunal de Justiça AGRAVO INTERNO N" 200.2009.036736-4/001 RELATOR : Juiz Miguel de Britto Lyra Filho, Juiz de Direito Convocado AGRAVANTE : Banco Real Leasing S/A

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº /RS

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº /RS AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 5039570-94.2016.4.04.0000/RS RELATOR : LUÍS ALBERTO D AZEVEDO AURVALLE AGRAVANTE : UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL - UFRGS AGRAVADO : MARLON LUCKMANN DE DEUS ADVOGADO

Leia mais

AULA 9 AÇÃO TRABALHISTA Elementos da Resposta do Réu DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFª KILMA GALINDO DO NASCIMENTO

AULA 9 AÇÃO TRABALHISTA Elementos da Resposta do Réu DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFª KILMA GALINDO DO NASCIMENTO AULA 9 AÇÃO TRABALHISTA Elementos da Resposta do Réu DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFª KILMA GALINDO DO NASCIMENTO RESPOSTAS DO RÉU CONTESTAÇÃO; EXCEÇÃO (Incompetência relativa, suspeição

Leia mais

Petição Inicial II. Professor Zulmar Duarte

Petição Inicial II. Professor Zulmar Duarte Petição Inicial II Professor Zulmar Duarte Petição Inicial Controle de Admissibilidade pelo Juiz (arts. 321, 330, 332 e 334) Petição Inicial Emenda da Inicial Juízo de Admissibilidade Improcedência Liminar

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) DOUTOR(A) DESEMBARGADOR(A) FEDERAL PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA REGIÃO

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) DOUTOR(A) DESEMBARGADOR(A) FEDERAL PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA REGIÃO EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) DOUTOR(A) DESEMBARGADOR(A) FEDERAL PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA REGIÃO Autos nº: Recorrente: Joaquim José da Silva Xavier Recorrido: União Federal Joaquim

Leia mais

Teoria geral dos recursos e apelação. 1. Normais fundamentais 2. Classificação 3. Princípios 4. Efeitos dos recursos 5. Apelação

Teoria geral dos recursos e apelação. 1. Normais fundamentais 2. Classificação 3. Princípios 4. Efeitos dos recursos 5. Apelação 1. Normais fundamentais 2. Classificação 3. Princípios 4. Efeitos dos recursos 5. Apelação 1. Normais fundamentais: Duração razoável : rol AI, IRDR, RE e REsp repetitivos. Isonomia: Vinculação dos precedentes;

Leia mais

Autos nº Tratam os autos de Ação Declaratória de Nulidade de Cláusulas Contratuais c/c

Autos nº Tratam os autos de Ação Declaratória de Nulidade de Cláusulas Contratuais c/c PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO PARANÁ COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA - FORO CENTRAL DE CURITIBA 9ª VARA CÍVEL DE CURITIBA - PROJUDI Rua Cândido de Abreu, 535 - Centro Cívico - Curitiba/PR Autos

Leia mais