FELIPE VILELA NUNES DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE SEGURANÇA UTILIZANDO MICROCONTROLADOR PIC18F4550

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FELIPE VILELA NUNES DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE SEGURANÇA UTILIZANDO MICROCONTROLADOR PIC18F4550"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO ESCOLA DE MINAS COLEGIADODO CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO - CECAU FELIPE VILELA NUNES DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE SEGURANÇA UTILIZANDO MICROCONTROLADOR PIC18F4550 MONOGRAFIA DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Ouro Preto, abril de 2013

2 FELIPE VILELA NUNES DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE SEGURANÇA UTILIZANDO MICROCONTROLADOR PIC18F4550 Monografia apresentada ao Curso de Engenharia de Controle e Automação da Universidade Federal de Ouro Preto como parte dos requisitos para a obtenção do Grau de Engenheiro de Controle e Automação. Orientador: Prof. Msc. Alex Vidigal Co-orientador: Prof. Msc. Alan Kardek Ouro Preto Escola de Minas UFOP abril/2013

3

4 AGRADECIMENTOS Primeiramente agradeço à Deus por iluminar meu caminho e possibilitar-me concluir o curso com força e saúde. Ao meu pai pelo apoio e conselhos. Aos meus irmãos, pela cumplicidade, carinho e auxílios. A Fernanda, que tanto me apoiou e me aconselhou nos momentos mais difíceis. A Cristina, minha sogra, pelo carinho e atenção. Ao meu orientador Prof. Alex Vidigal, Co-Orientador Alan Kardek e ao Técnico de Laboratório Robson Nunes pelo aprendizado e paciência. A turma 07.2 pelo cumplicidade e pelas amizades. Aos amigos Bruno Avelar e Bruno Dayrell da SEMPRA TECNOLOGIA pela ajuda no desenvolvimento do projeto. Aos professores e funcionários da Universidade Federal de Ouro Preto.

5 RESUMO O grande processo de globalização trouxe consigo a divisão de classes na sociedade. Essa divisão de classes inclui aqueles menos favorecidos, os quais, a maior parte desses, influenciados pelo consumismo a que o capitalismo induz, cometem vandalismo, furtos e roubos. Parte da sociedade tenta evitar essa agressão buscando mecanismos de escapatória. No atual nível de tecnologia em que se encontra o mundo, a automação se desenvolveu para enfatizar e inovar os vários sistemas controláveis que auxiliam o dia-a-dia das pessoas. Esses sistemas incluem mecanismos de seguranças, como câmeras, cercas elétricas e sistema de segurança de acesso controlado a residências, escritórios, etc. Neste trabalho, foi desenvolvida uma placa de circuito eletrônico com todos os dispositivos necessários, para controlar uma fechadura elétrica, do tipo residencial que incluem um teclado matricial, um LCD, e uma programação que permitiu a interação do usuário com o referido sistema de acesso seguro. Após a finalização do projeto, observou-se o funcionamento do sistema, como o esperado. Entretanto, melhorias podem ser implementadas. Um grande diferencial deste trabalho foi o baixo custo envolvido na sua produção. Palavras chaves: Fechadura elétrica, microcontrolador, sistema de segurança.

6 ABSTRACT The great globalization process brought the class division within the society. This includes those less privileged, whom, influenced by consumerism that capitalism induces, commit vandalism, theft and robbery. Part of the society tries to prevent this aggression by seeking escape mechanisms for security. At this present state of technology in which the world situates, automation has developed to emphasize and innovate controllable systems that supports the day-to-day of people's lives. These include security mechanism systems, such as cameras, electric fences and security system for controlled access to residential, offices, etc. In this work, it was developed an electronic circuit board with all the necessary devices, comprising a matrix keyboard and a LCD to control an electric lock (of the residential type) and a program that allows the interaction between the user and the system. At the end of this project, we found a perfect operating equipment. Nevertheless, improvements can be implemented. A great advantage of this study was the low cost involved in its production. KEYWORDS: Electronic lock, microcontroller, security system.

7 LISTA DE FIGURAS FIGURA Desenho esquemático de um Microcontrolador FIGURA Microcontrolador PIC18F FIGURA Teclado Matricial 4X FIGURA Teclado Matricial - Representação das linhas e das colunas...20 FIGURA Display LCD 16x FIGURA Escrita de caracteres no LCD de acordo com o código binário FIGURA WorkSpace do software MPLAB IDE da Microchip FIGURA Workspace ISIS Proteus FIGURA Circuito projetado no ISIS Proteus FIGURA Placa PCB finalizada FIGURA Placa PCB em formato 3D FIGURA Desenho da placa a ser impressa no papel fotográfico (layer inferior) FIGURA Desenho da placa a ser impressa no papel fotográfico FIGURA Fenolite ou placa cobreada FIGURA Processo de transferência da imagem para a placa cobreada FIGURA Exemplo de placa de circuito impresso antes e depois envernizar FIGURA Diâmetro das ilhas de acordo com as brocas a serem utilizadas FIGURA Esquema de um L.E.D de 5mm, com o anodo em destaque FIGURA Placa de circuito impresso finalizada FIGURA Projeto finalizado com a estrutura em acrílico FIGURA Projeto finalizado com a estrutura em acrílico FIGURA Projeto finalizado com a estrutura em acrílico FIGURA Exemplo da utilização do define associado às portas do microcontrolador FIGURA Programação das portas do microcontrolador FIGURA Utilização dos comandos da biblioteca de LCD FIGURA Endereço das portas associados aos nome dos componentes FIGURA Programação dos resistores internos de pull-u FIGURA Display ao pressionar o botão de cadastro de senha FIGURA Código para gravação na EEPROM FIGURA Função que compara a senha principal com a senha geral...43

8 "Querem que vos ensine o modo de chegar à ciência verdadeira? Aquilo que se sabe, saber que se sabe; aquilo que não se sabe, saber que não se sabe; na verdade é este o saber." (Confúcio)

9 LISTA DE TABELAS TABELA Pinagem do Microcontrolador PIC18F TABELA Displays L.C.D's disponíveis TABELA Pinos do LCD...22

10 LISTA DE SIGLAS CPU - Central Processing Unit (Unidade Central de Processamento) LCD - Liquid Cristal Display (Display de cristal liquido) PWM - Modulação de Largura de Pulso UART - Universal asynchronous receiver/transmitter USART - Universal Synchronous Asynchronous Receiver Transmitter ANSI - American National Standards Institute CI - Circuito Integrado

11 Sumário 1 INTRODUÇÃO Objetivos Objetivo geral Objetivos específicos Metodologia Proposta Material Equipamentos Reagentes Vidrarias e correlatos de uso geral Estrutura do trabalho REVISÃO BIBLIOGRÁFICA O Microcontrolador Linguagem C Sistemas embarcados Microcontrolador Família PIC Teclado matricial 4X Display LCD 16X MPLAB IDE Compilador MPLAB C DESENVOLVIMENTO Métodos Gerais Projeto de fabricação da placa de circuito impresso Software Proteus Desenho Esquemático no ISIS Proteus... 23

12 Montagem do PCB (3D) Fabricação da Placa Transferindo o desenho para a placa cobreada Acabamento da placa Corte da Placa Processo de pintura da placa Processo de furação da Placa Inserindo os componentes (CI) e finalização da placa de circuito impresso Inserindo os componentes nas ilhas Processo de soldagem Finalização da placa de circuito impresso PROGRAMAÇÃO Desenvolvimento do programa para PIC18F Programação inicial Programação dos "defines" Programação das portas do microcontrolador Programação do display LCD Programação dos L.E.D's, Push Button, Buzzer e Relé Programação do teclado matricial 4x Programação do sistema de senha principal Programação do sistema de senha geral CONCLUSÃO REFERÊNCIAS... 44

13 1 INTRODUÇÃO A finalidade de sistemas de informação utilizados para gerenciar o acesso de indivíduos a ambientes é garantir um acesso fácil e simplificado desses usuários devidamente autorizados e impedir a entrada dos não autorizados. (DE FARIAS SANTOS et al., 2009). Os grande problemas enfrentados para ambientes que são acessados por mais de uma pessoa são, o controle de acesso, a utilização de várias chaves na fechadura (o que pode levar a um defeito), principalmente a perda da chave, etc. O trabalho foi desenvolvido visando solucionar todos os problemas citados, e não citados, construindo um sistema eletrônico de acesso seguro, com um custo baixo e de grande confiabilidade. Os sistemas de controle de acesso eletrônico podem ser, de forma geral, de dois tipos: o primeiro, em que um sistema embarcado existe apenas para controlar o acesso de pessoas a um determinado ambiente; e o segundo tipo, em que os sistemas passam a ser também ferramentas de controle gerencial (SANTOS et al., 2007). Propôs a criação de uma placa de circuito impresso com um sistema microcontrolado, utilizando de componentes de baixo custo e que permitem a segurança necessária ao ambiente no qual o projeto será utilizado. 1.1 Objetivos Objetivo geral Fabricar placa de circuito impresso para controle de fechadura elétrica com todos os dispositivos necessários para o funcionamento do microcontrolador PIC18F4550; e desenvolver programação, em linguagem C, para que o microcontrolador acione a fechadura de acordo com a entrada de uma senha através de um teclado matricial Objetivos específicos a) desenhar o modelo da placa utilizando software Proteus para a confecção da placa de circuito impresso;

14 13 b) fabricar placa cobreada para a soldagem dos componentes a partir do desenho, necessários para o funcionamento do microcontrolador; c) programar, em linguagem C, o firmware do microcontrolador para permitir interação homem maquina; d) montar uma estrutura para a placa e os dispositivos utilizados, LCD 16 x 2, placa cobreada, teclado matricial. 1.2 Metodologia Proposta A priori foi realizado o estudo do microcontrolador, utilizando o datasheet do PIC18F4550, verificando os componentes necessários ao seu funcionamento quanto, também, as especificações dos componentes eletrônicos. Após a análise dos dispositivos necessários, foi projetado a placa de circuito impresso utilizando, para isso, o software Proteus. Após desenvolvimento do projeto de circuito impresso, iniciou-se o processo de fabricação e montagem da placa. Consequentemente, a programação em linguagem C pode ser realizada e testada Material Equipamentos a) multímetro Minipa ET-1100 DMM; b) estação de solda HAKO FX-951; c) prensa Térmica Termopress Industria de Maquinas LTDA; d) furadeira de bancada Ferrari Modelo FG 13B; e) brocas de 1mm e 0,8mm; f) secador Bluesky; g) chave de fenda; h) lupa iluminada de bancada Toyo TL-1020; i) segueta; j) ebulidor mergulhão (aquecedor de água); k) notebook DELL Vostro 3450.

15 Reagentes a) percloreto de Ferro; b) verniz Electrolube CPL a base de poliéster; c) verniz Electrolube PUC a base de Poliuretânica Vidrarias e correlatos de uso geral a) esponja Multiuso dupla face; b) bandeja em Polietileno 20x30 cm, altura 6 cm, capacidade 2,5 l; c) lã de aço; d) detergente; e) lixa nº Estrutura do trabalho O capítulo 1 foi realizada uma introdução sobre o sistema de acesso seguro, abordando-se também dois dos elementos mais importantes para o projeto, quais sejam, o microcontrolador e a programação em linguagem C. O objetivo e a metodologia são também descritos ao longo deste trabalho. O capítulo 2 faz uma revisão de outros trabalhos já realizados, detalhando os principais componentes utilizados. O capítulo 3 demonstra os procedimentos utilizados para chegar à montagem do dispositivo que controla a fechadura elétrica. O capítulo 4 exemplifica como a programação para o microcontrolador foi realizada e suas principais funções dentro do CI (circuito integrado). O capítulo 5 tem-se a conclusão do trabalho e são expostas sugestões para continuidade e melhoria do sistema desenvolvido.

16 2 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 2.1 O Microcontrolador Em 1969, a BUSICOM fez um pedido a Intel solicitando um circuito integrado para as suas calculadoras e que esse deveria ser produzido para os diversos tipos de produtos. Marcian Hoff, engenheiro da Intel, propôs a BUSICOM uma idéia revolucionária, um circuito integrado programável com esse dispositivo poderia ser utilizado em várias aplicações mudando-se apenas a programação. Dessa idéia, a Intel criou o primeiro microprocessador conhecido como 4004, que era capaz de trabalhar com 4 bits a uma velocidade de 6kHz. A partir desse circuito integrado, surgiu uma corrida para o desenvolvimento, chegando a uma evolução sem fim dos microprocessadores da atualidade. Com a evolução, surgiu a necessidade do conforto e praticidade. Televisores com controle remoto, máquinas de lavar roupa, micro-ondas. Desse ponto, nasce a era dos sistemas embutidos (os microcontroladores). Os microcontroladores seguem o mesmo princípio de um microprocessador, entretanto, o microcontrolador não necessita de memória externa e barramento externo para funcionar. Tudo isso (e mais) está embutido dentro de um circuito integrado. Segundo Miyadaira (2009), os microcontroladores são pequenos dispositivos dotados de "inteligência", basicamente constituídos de Unidade Central de Processamento - CPU (Central Processing Unit), memória (dados e programas) e periféricos (portas E/S, I 2 C, SPI, USART etc.), de acordo com a Figura 2.1. FIGURA Desenho esquemático de um Microcontrolador Fonte: Torres e Martins, 2011.

17 Linguagem C A programação do microcontrolador pode ser realizada em linguagem C. A linguagem C, também chamada de linguagem compilada, foi criada por Dennis Ritchie, em 1972, no centro de pesquisas da Bell Laboratories. Inicialmente utilizada para reescrever o sistema operacional UNIX, que anteriormente era escrito em Assembly, a linguagem C possui características como modularidade, compilação separada, recursos de baixo nível, confiabilidade, entre outros. Na década de 70, o UNIX foi liberado para as universidades e, a partir desse ponto, a linguagem C tornou-se amplamente conhecida e utilizada. Trata-se de uma linguagem de fácil manipulação ao homem. Após escrito todo o código, deve-se utilizar um compilador para tornar essa programação "legível" ao microprocessador ou microcontrolador. 2.3 Sistemas embarcados Sistema embarcado, ou sistema embutido, são dispositivos, circuito integrado, "invisíveis" que estão no nosso cotidiano como: TV's, celulares, câmeras digitais, etc. Pode-se afirmar tratar-se de um dispositivo microprocessado, no qual as funções de um computador estão embutidos nesse circuito integrado que realiza um conjunto de tarefas predefinidas pelo programador, (tarefas essas que será desenvolvida) de acordo com a finalidade a ser empregado pelo sistema embutido. 2.4 Microcontrolador Família PIC18 O microcontrolador utilizado nesse trabalho foi o PIC18F4550, da Microchip, devido o seu preço razoável e sua comunicação USB, que dispensa a utilização de uma gravadora para fazer o download dos programas na memória utilizando um notebook, por exemplo. Esse microcontrolador possui 40 pinos, sendo que 35 são pinos de I/O, configuráveis, de entrada e saída digitais, 13 portas analógicas, sendo algumas digitais e analógicas, distribuídos em 5 grupos de portas, PORT A, PORT B, PORT C, PORT D e PORT E. Esses pinos também tem outras funções como possuir comunicação serial, RX e TX, comunicação USB, entre outros. De acordo com a Figura 2.2 e a Tabela 2.1.

18 17 FIGURA Microcontrolador PIC18F4550 Fonte: MICROCHIP, TABELA Pinagem do Microcontrolador PIC18F4550 Fonte: MICROCHIP, 2003.

19 18 Segundo o DataSheet do PIC18F da Microchip (2003), a memória de programa do microcontrolador pode ser apagada e escrita cerca de vezes e de vezes para a memória EEPROM. 2.5 Teclado matricial 4X4 Foi utilizado um teclado matricial de membrana 4X4, quatro linhas e quatro colunas. A Figura 2.3 mostra o teclado matricial utilizado no projeto. FIGURA Teclado Matricial 4X4 Esse teclado tem suas teclas ligadas por linhas e colunas. Quando uma tecla é pressionada o barramento daquele botão faz ligação com o barramento da coluna do mesmo. De acordo com a Figura 2.4. FIGURA Teclado Matricial - Representação das linhas e das colunas

20 Display LCD 16X2 Por tratar-se de componente de fácil utilização e implementação, o display LCD (liquid cristal display) tornou-se um dispositivo amplamente utilizado. Mais versátil que o 7-segmentos, permite a escrita de palavras, números, símbolos, etc. De acordo com Figura 2.5 e Figura 2.6. FIGURA Display LCD 16x2 FIGURA Escrita de caracteres no LCD de acordo com o código binário Fonte: Ilett, Além de iluminação de fundo para uma melhor visualização no período noturno, o display 16x2 possui 16 colunas e 2 linhas, permitindo a escrita de 32 caracteres, 16 na linha 1 ou,

21 20 superior, e 16 na linha 2 ou, inferior. A Tabela 2.2 mostra outros módulos LCD disponíveis no mercado. TABELA Displays LCD's disponíveis Fonte: Barbacena e Fleury, "Estes módulos utilizam um controlador próprio, permitindo sua interligação com outras placas através de seus pinos, onde deve ser alimentado o módulo e interligado o barramento de dados e controle do módulo com a placa do usuário. Naturalmente que além de alimentar e conectar os pinos do módulo com a placa do usuário deverá haver um protocolo de comunicação entre as partes, que envolve o envio de bytes de instruções e bytes de dados pelo sistema do usuário" (BARBACENA e FLEURY, 1996).

22 21 A Tabela 2.3 mostra o display LCD 16x2, utilizado no projeto, o qual possui 16 pinos de conexão. TABELA Pinos do LCD Fonte: Barbacena e Fleury, Segundo Barbacena e Fleury (1996) "Os módulos LCD são projetados para conectar-se com a maioria das CPU s disponíveis no mercado, bastando para isso que esta CPU atenda as temporizações de leitura, escrita de instruções e dados, fornecido pelo fabricante do módulo." 2.7 MPLAB IDE O MPLAB IDE é um software de programação que permite uma integração fácil e rápida com o compilador C18 ou outro tipo de compilador. Ele permite gerenciar um projeto, compilar, debugar e gravar o microcontrolador, dentre outras funções. A Figura 2.7 mostra o workspace do software MPLAB IDE.

23 22 FIGURA WorkSpace do software MPLAB IDE da Microchip 2.8 Compilador MPLAB C18 O compilador MPLAB C18 é um software capaz de traduzir um código de alto nível, com interface ao programador, para um código correspondente de baixo nível. Geralmente uma linguagem simbólica conhecida como assembly, para que possa ser interpretado por uma máquina, por exemplo, o microcontrolador. Sua característica é ser compatível com o padrão ANSI, programação simultânea em linguagem C e Assembly no mesmo projeto, possui uma numerosa quantidade de bibliotecas (PWM, UART, USART, etc).

24 3 DESENVOLVIMENTO 3.1 Métodos Gerais O processo de desenvolvimento do projeto inicia-se com o desenvolvimento do desenho da placa de circuito impresso. Em seguida, impressão em placa cobreada, corrosão com ácido, limpeza, preparação da placa, soldagem dos componentes, verificação do sistema e inserção da programação no microcontrolador. Feito isso, dar-se ao inicio o processo de acabamento do projeto Projeto de fabricação da placa de circuito impresso Software Proteus Para projetar o desenho que foi utilizado para a fabricação da placa de circuito impresso, utilizou-se o software Proteus. "O software de desenho e simulação Proteus VSM é uma ferramenta útil para estudantes e profissionais que desejam acelerar e melhorar suas habilidades para do desenvolvimento de aplicações analógicas e digitais. Ele permite o desenho de circuitos empregando um entorno gráfico no qual é possível colocar os símbolos representativos dos componentes e realizar a simulação de seu funcionamento sem o risco de ocasionar danos aos circuitos. A simulação pode incluir instrumentos de medição e a inclusão de gráficas que representam os sinais obtidos na simulação. O que mais interesse despertou é a capacidade de simular adequadamente o funcionamento dos microcontroladores mais populares (PICS, ATMEL-AVR, Motorola, 8051, etc.)" (Bermúdez, 2000) Desenho Esquemático no ISIS Proteus Todo projeto inicia-se com o desenho da placa de circuito impresso, neste caso, utilizando o software Proteus. A Figura 3.1 mostra Workspace ISIS Proteus.

25 24 FIGURA Workspace ISIS Proteus Adiciona-se ao workspace o microcontrolador, nesse caso, o PIC18F4550, a partir dele foi montado toda a estrutura do sistema. Utilizou-se: a) 1 microcontrolador PIC18F4550 para o controle do sistema; b) 3 LED's: um vermelho para informar sistema fechado, um amarelo para informar entrada de dados e um verde para informar acesso permitido ; c) 1 buzzer: dispara um breve alarme quando a senha for digitada erroneamente; d) 1 relé: aciona a fechadura elétrica quando a senha for digitada corretamente; e) 4 push button: dois para entrar no modo de gravação via USB, um para gravação da senha principal e outro que não foi utilizado a priori. ; f) 1 teclado matricial 4x4: utilizado para entrada de dados; g) 1 LCD 16x2: permite a interação máquina usuário; h) USB Tipo B: para alimentação 5 volts da placa e gravação do firmware; i) regulador de tensão LM 7805: para que regule a alimentação da fechadura (12V) para tensão de trabalho da placa (5V); j) componentes necessários para o funcionamento da placa (resistores, capacitores, bornes e transistores). Após a montagem do circuito, foi feita uma simulação com o microcontrolador para poder testar o funcionamento do circuito, para isso, utilizou-se a programação do projeto, anteriormente escrita. A Figura 3.2 mostra o circuito projetado no ISIS Proteus.

26 25 FIGURA Circuito projetado no ISIS Proteus Montagem do PCB (3D) Concluído a etapa de desenho do circuito, deu-se o inicio a montagem do desenho da placa que foi impressa na fenolite cobreada, nessa etapa utilizou-se o software ARES Proteus. Dentro do ISIS clicou-se em transferir para o ARES. Em seguida, os componentes foram dispostos a adequar a uma instalação da placa na porta do ambiente a ser controlado. Componentes 3D que não estiverem na biblioteca do Proteus, terão que ser adicionado ou desenhados com uma ferramenta CAD. Utilizando a função autorouter do software Proteus, criaram-se as trilhas testando as possibilidades existentes para que uma trilha não cruze a outra. É necessário definir espaçamento de trilha com 0,4mm para que o processo de corrosão por ácido consiga separá-las. De acordo com as Figura 3.3 e Figura 3.4.

27 26 FIGURA Placa PCB finalizada FIGURA Placa PCB em formato 3D

28 Fabricação da Placa Finalizado os desenhos dos layouts, para a fabricação da placa, gerou-se um arquivo PDF no software Proteus para ser impresso em um papel fotográfico. Em seguida, em uma impressora a laser, faz-se a impressão no papel fotográfico. A Figura 3.5 e Figura 3.6 mostra como ficaram as impressões dos layouts. FIGURA Desenho da placa a ser impressa no papel fotográfico (layer inferior) FIGURA Desenho da placa a ser impressa no papel fotográfico.

29 Transferindo o desenho para a placa cobreada O processo de transferir o desenho para placa cobreada inicia-se limpando-a. Com uma lã de aço limpou-se a parte cobreada até que a mesma ficasse brilhando, esse processo permite a tinta do papel fotográfico aderir com melhor qualidade à placa de fenolite cobreada. A Figura 3.7 mostra uma placa cobreada após o processo de limpeza. FIGURA Fenolite ou placa cobreada Com a placa limpa, coloca-se o papel fotográfico com a parte impressa para baixo, ou seja, em contato com a parte cobreada da placa, e com uma prensa térmica, pressiona-se o papel contra a fenolite cobreada aquecendo-a durante um período aproximado de 100 segundos a uma temperatura de 150ºC. O próximo passo foi retirar o papel da placa. Coloca-se a placa dentro da bandeja de polietileno com água, detergente e com o ebulidor mergulhão aquece-se a água a uma temperatura próxima de 35ºC deixando de molho por 30 minutos. Passado o tempo, retirouse, com cuidado, o papel fotográfico da placa, consequentemente, a parte printada ficará no cobre. De acordo com a Figura 3.8 pode-se observar o resultado final.

30 29 FIGURA Processo de transferência da imagem para a placa cobreada Fonte: Faça você mesmo Acabamento da placa O processo de acabamento é dividido nas seguintes etapas, cortar a placa do tamanho do circuito, pintar a placa com um verniz protetor e furar as ilhas do circuito Corte da Placa A placa cobreada obtida no comércio possui dimensões de 30x30 cm. O projeto ficou na dimensão de 7,6x11 cm, com isso é necessária remover o excedente. Como uma segueta, espécie de serra menor para corte em metais, a placa foi cortada do tamanho desejado Processo de pintura da placa Segundo Fabio Domingos Pannoni 2007, "corrosão pode ser definida, de modo simples, como sendo a tendência do metal produzido e conformado de reverter ao seu estado original, de mais baixa energia livre. Uma outra definição, amplamente aceita, é a que afirma que corrosão é a deterioração que ocorre quando um material reage com seu ambiente." Com isso, após o corte da placa, deve-se envernizá-la com um verniz de proteção, no caso, o verniz Electrolube CPL que além de proteger o cobre da corrosão, facilita na soldagem dos

31 30 componentes eletrônicos e evita um curto circuito, pois isola as trilhas da placa. Na parte superior da placa, layout dos componentes, aplica-se o verniz PUC que fornece à placa brilho e resistência. Após corrosão, a placa fica com a parte do circuito desejado com o cobre e a parte que não deseja conexão fica apenas com a fenolite (Figura 3.9). FIGURA Exemplo de placa de circuito impresso antes e depois envernizar. Fonte: Nunes Dal Col, Processo de furação da Placa Com o verniz já seco, inicia-se o processo de montagem dos CI com a furação das ilhas do circuito impresso. Para isso, utiliza-se de uma furadeira de bancada. Para que os componentes possam ser afixados na placa de circuito impresso é necessário fazer as devidas furações levando em conta o tamanho da ilha produzida com o tamanho da broca a ser utilizada (Figura 3.10).

32 31 FIGURA Diâmetro das ilhas de acordo com as brocas a serem utilizadas. Fonte: Nunes Dal Col, Componentes em que o diâmetro do filamento são de 0,8mm, as ilhas foram definidas para brocas de 1mm, enquanto componentes com filamentos de 0,6mm, as ilhas foram desenhadas para brocas de 0,8mm, assim, após os furos, ainda teremos a presença de cobre ao redor do furo, permitindo a conexão do sistema e a soldagem dos componentes Inserindo os componentes (CI) e finalização da placa de circuito impresso Inserindo os componentes nas ilhas O processo de inserir os componentes na placa de circuito impresso é um fator determinante para que o projeto esteja em pleno funcionamento. Deve-se observar os componentes que possuem anodo e catodo, buscando sempre ligá-los de maneira correta. Seguir o modelo do projeto pelo Proteus é um fator que auxilia o processo de soldagem dos componentes. Dispositivos como L.E.D's (Diodo Emissor de Luz), possuem terminais com anodo e catodo. Na figura 3.11, observa-se que o anodo é o filamento de maior comprimento, sendo assim, o filamento menor é o catodo. Outros componentes também possuem anodo e catodo, com isso, a consulta do datasheet dos componentes faz-se necessário.

33 32 FIGURA Esquema de um L.E.D de 5mm, com o anodo em destaque Processo de soldagem Fonte: Everlight Eletronics, Verificado a posição dos componentes, utiliza-se uma estação de solda para fixar os CI's na placa de circuito impresso fazendo com que a solda prenda na parte cobreada da ilha e no filamento do dispositivo a ser fixado tornando possível a condução de corrente elétrica. Esse processo é demorado, melindroso e exige certa técnica no processo de soldagem, ou seja, deve-se posicionar a ponta da solda na ilha esquentando-a e posteriormente colocar o filamento de solda na ponta do equipamento de soldagem.

34 Finalização da placa de circuito impresso Após todo processo de projeto da placa, construção, soldagem dos componentes, foi fabricado uma estrutura, em acrílico, para fixação da placa de circuito impresso e do display LCD. Observa-se a Figura 3.13, Figura 3.14 e Figura 3.15, o resultado final da placa de circuito impresso e o projeto finalizado do sistema de controle de fechadura elétrica. FIGURA Placa de circuito impresso finalizada.

35 FIGURA Projeto finalizado com a estrutura em acrílico. 34

36 35 FIGURA Projeto finalizado com a estrutura em acrílico. Esse projeto é fixado na porta que se deseja o controle e nele ligado a entrada do sistema de acionamento da fechadura elétrica.

37 4 PROGRAMAÇÃO 4.1 Desenvolvimento do programa para PIC18F4550 Para a criação do código que comanda o microcontrolador, foi utilizado o software da Microchip, MPLAB IDE, que permite uma programação em linguagem C e Assembly simultaneamente. O compilador MPLAB C18, foi utilizador para converter a programação de alto nível, para uma de baixo nível, ou seja, linguagem facilmente interpretada pelo homem para linguagem de máquina. 4.2 Programação inicial A priori, deve-se declarar as bibliotecas necessárias ao funcionamento do microcontrolador, sendo a principal nesse caso a "#include <p18cxxx.h>". Com isso, o compilador irá adicionar ao projeto as definições da família PIC18. As outras bibliotecas são criadas e adicionadas ao longo do projeto para uso na programação. 4.3 Programação dos "defines" Os defines são uma das diretivas básicas do microcontrolador que são de pré-processador e não são compiladas. As diretivas básicas podem ser inseridas em qualquer parte do programa, são iniciadas com "#" e não possuem o ";" no final da linha de código. O define determina a uma palavra, ou identificador, a string que irá substituir. Por exemplo: #define teste 15. Toda vez que escrevermos teste, o microcontrolador entenderá o valor 15. Outro método de usar o define é para associar à configuração de portas do microcontrolador, assim, você poderá associar à porta, o elemento a ela ligado (Figura 4.1).

PIC18F4550. Curso Engenharia de Controle e Automação. Alex Vidigal Bastos www.decom.ufop.br/alex/ alexvbh@gmail.com

PIC18F4550. Curso Engenharia de Controle e Automação. Alex Vidigal Bastos www.decom.ufop.br/alex/ alexvbh@gmail.com PIC18F4550 Curso Engenharia de Controle e Automação Alex Vidigal Bastos www.decom.ufop.br/alex/ alexvbh@gmail.com 1 Agenda Características do PIC18F4550 Pinagem do PIC18F4550 Pinagem do PIC18F4550 Datasheet

Leia mais

Microcontroladores ARM Cortex-M3 - XM 700 -

Microcontroladores ARM Cortex-M3 - XM 700 - T e c n o l o g i a Microcontroladores ARM Cortex-M3 - XM 700 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. INTRODUÇÃO Microcontroladores ARM Cortex-M3 - XM 700

Leia mais

ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO PICKIT2... 4. 2.1. Ligação da porta USB... 4. 2.2. LEDs de estado... 4. 2.3. Botão... 5

ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO PICKIT2... 4. 2.1. Ligação da porta USB... 4. 2.2. LEDs de estado... 4. 2.3. Botão... 5 MANUAL PICKIT2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO PICKIT2... 4 2.1. Ligação da porta USB... 4 2.2. LEDs de estado... 4 2.3. Botão... 5 2.4. Conector de programação... 5 2.5. Slot para chaveiro...

Leia mais

Programação em BASIC para o PIC Mostrando Mensagens no Display LCD Vitor Amadeu Souza

Programação em BASIC para o PIC Mostrando Mensagens no Display LCD Vitor Amadeu Souza Programação em BASIC para o PIC Mostrando Mensagens no Display LCD Vitor Amadeu Souza Introdução Nesta terceira série de artigos que aborda a programação na linguagem BASIC para o microcontrolador PIC,

Leia mais

Guia do Usuário Placa de Desenvolvimento McLab1

Guia do Usuário Placa de Desenvolvimento McLab1 Placa de Desenvolvimento McLab1 Sumário 1. APRESENTAÇÃO...3 2. HARDWARE...4 2.1. MICROCONTROLADOR PIC16F628A...4 2.2. DISPLAYS DE 7 SEGMENTOS...5 2.3. TECLAS...5 2.4. LEDS...6 2.5. LÂMPADA...6 2.6. BOTÃO

Leia mais

Controle de Acesso. Automático de Veículos. saiba mais. automação

Controle de Acesso. Automático de Veículos. saiba mais. automação Controle de Acesso Automático de Veículos Este trabalho tem como objetivo desenvolver uma solução tecnológica que permita o controle dos portões automáticos remotamente através da internet. Aplicando-se

Leia mais

Suporta os microcontroladores: R. Leonardo da Vinci, 883 - Campinas/SP CEP 13.077-009 F.: (19) 4141.3351 / 3304.1605

Suporta os microcontroladores: R. Leonardo da Vinci, 883 - Campinas/SP CEP 13.077-009 F.: (19) 4141.3351 / 3304.1605 Suporta os microcontroladores: PIC16F877A, PIC18F452, PIC18F4520, PIC18F4550, PIC 18F876A, PIC18F252, PIC18F2550 e outros com 28 e 40 pinos O Kit de desenvolvimento ACEPIC PRO V2.0 foi projetado tendo

Leia mais

Aula 2. - Elaboração de algoritmos/fluxogramas. - Gravação do programa no microcontrolador

Aula 2. - Elaboração de algoritmos/fluxogramas. - Gravação do programa no microcontrolador Aula 2 - Elaboração de algoritmos/fluxogramas - Set de instruções do 8051 - Programação em Assembly - Gravação do programa no microcontrolador - Simulação Exercícios da aula passada... 1) Converta os números

Leia mais

Simulação de Circuitos Microcontrolados com o Proteus

Simulação de Circuitos Microcontrolados com o Proteus Universidade Federal do Pará Laboratório de Processamento de Sinais (LaPS) Simulação de Circuitos Microcontrolados com o Proteus Flávio Hernan Figueiredo Nunes flaviohernanfnunes@gmail.com 25 de janeiro

Leia mais

Curso microcontroladores PIC

Curso microcontroladores PIC Curso microcontroladores PIC Jean Carlos www.pk2lab.blogspot.com Curso de microcontroladores em linguagem C 2 Baseado no microcontrolador PIC18F4550 da Microchip, compilador MikroC e placa de desenvolvimento

Leia mais

Programação em BASIC para o PIC Projetos com Display Gráfico Vitor Amadeu Souza

Programação em BASIC para o PIC Projetos com Display Gráfico Vitor Amadeu Souza Programação em BASIC para o PIC Projetos com Display Gráfico Vitor Amadeu Souza Introdução No artigo desta edição, veremos os passos para controlar um dispaly gráfico de 128 x 64 pixels. A idéia será apresentar

Leia mais

1. CAPÍTULO COMPUTADORES

1. CAPÍTULO COMPUTADORES 1. CAPÍTULO COMPUTADORES 1.1. Computadores Denomina-se computador uma máquina capaz de executar variados tipos de tratamento automático de informações ou processamento de dados. Os primeiros eram capazes

Leia mais

Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação. Resumo Expandido

Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação. Resumo Expandido Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação Resumo Expandido Título da Pesquisa: Painel Braille para deficientes visuais: interface computacional. Palavras-chave: Painel Braille, Tecnologia Assistiva,

Leia mais

EA079 - Laboratório de Micro e Minicomputadores: Hardware Laboratório II

EA079 - Laboratório de Micro e Minicomputadores: Hardware Laboratório II EA079 - Laboratório de Micro e Minicomputadores: Hardware Laboratório II Projeto de Interface Paralela de Saída 1 Objetivo do Laboratório II 1. projetar e implementar um decodificador de endereços para

Leia mais

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL POR NÍVEL DE PERSONALIZAÇÃO DOS USUÁRIOS COMO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL POR NÍVEL DE PERSONALIZAÇÃO DOS USUÁRIOS COMO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL POR NÍVEL DE PERSONALIZAÇÃO DOS USUÁRIOS COMO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Stevan L. Machado stevan.machado@gmail.com Universidade do Norte do Paraná, Centro de Ciências Exatas

Leia mais

Projeto Fonte de Tensão Variável

Projeto Fonte de Tensão Variável Projeto Fonte de Tensão Variável Aluno: Fábio de Oliveira Ribeiro Turma: 2PE Turno da Noite Professor: Cristiano Amaral INTRODUÇÃO: O primeiro desafio que me deparei foi entender o esquemático do projeto

Leia mais

1 Utilizando o Protoboard

1 Utilizando o Protoboard Ensino Médio Integrado em Automação Industrial Sistemas Digitais e Projeto Integrador Professor: Rafael Garlet de Oliveira 1 Utilizando o Protoboard Aula Prática 1 É um equipamento utilizado para montagens

Leia mais

QSPIC40 Manual do usuário Ver 1.0

QSPIC40 Manual do usuário Ver 1.0 QSPIC40 Manual do usuário Ver 1.0 Introdução: É um excelente kit de microcontrolador da família PIC18F e PIC16F da Microchip. O kit QSPIC40 é um kit de desenvolvimento e aprendizagem utilizando microcontroladores

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO RELATÓRIO TÉCNICO FINAL

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO RELATÓRIO TÉCNICO FINAL CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO RELATÓRIO TÉCNICO FINAL CURITIBA JULHO DE 2008 ANDRÉ GELASCO MALSCHITZKY JOFFER JOSE NOVAK DE ALBUQUERQUE INTEGRAÇÃO DE MÓDULOS ELETRÔNICOS

Leia mais

Centro Universitário Positivo - UnicenP Núcleo de Ciências Exatas e Tecnológicas NCET Engenharia da Computação

Centro Universitário Positivo - UnicenP Núcleo de Ciências Exatas e Tecnológicas NCET Engenharia da Computação Centro Universitário Positivo - UnicenP Núcleo de Ciências Exatas e Tecnológicas NCET Engenharia da Computação MINI OSCILOSCÓPIO DIGITAL PORTÁTIL BASEADO EM MICROCONTROLADOR PIC Curitiba 2004 1 Ederson

Leia mais

ACENDENDO AS LUZES. Capitulo 2 - Aula 1 Livro: Arduino básico Tutor: Wivissom Fayvre

ACENDENDO AS LUZES. Capitulo 2 - Aula 1 Livro: Arduino básico Tutor: Wivissom Fayvre ACENDENDO AS LUZES Capitulo 2 - Aula 1 Livro: Arduino básico Tutor: Wivissom Fayvre Projeto 1 LED piscante Neste capitulo, todos os projetos utilizam luzes LED s de diversas formas. Em relação ao hardware,

Leia mais

Módulo de Desenvolvimento PIC16F877A

Módulo de Desenvolvimento PIC16F877A Objetivos: Módulo de Desenvolvimento PIC16F877A Realizar programação e projetos com microcontroladores e seus periféricos, integrando sistemas analógicos e digitais com a utilização de compilador (Mikro

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIDADES REMOTAS PARA CONEXÃO COM SISTEMA SUPERVISÓRIO

TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIDADES REMOTAS PARA CONEXÃO COM SISTEMA SUPERVISÓRIO 1 OBJETIVO... 2 2 REMOTA... 2 2.1 DESCRIÇÃO GERAL... 2 2.2 ALIMENTAÇÃO... 2 2.3 RELÓGIO INTERNO... 2 2.4 ENTRADA DE PULSOS... 2 2.5 ENTRADA DIGITAL AUXILIAR... 2 2.6 REGISTRO DA CONTAGEM DE PULSOS (LOG)

Leia mais

4. Controlador Lógico Programável

4. Controlador Lógico Programável 4. Controlador Lógico Programável INTRODUÇÃO O Controlador Lógico Programável, ou simplesmente PLC (Programmiable Logic Controller), pode ser definido como um dispositivo de estado sólido - um Computador

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A CRIAÇÃO DE PLACA IHL (INTERFACE DE HARDWARE LIVRE) ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO 1º SEMESTRE

RELATÓRIO SOBRE A CRIAÇÃO DE PLACA IHL (INTERFACE DE HARDWARE LIVRE) ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO 1º SEMESTRE RELATÓRIO SOBRE A CRIAÇÃO DE PLACA IHL (INTERFACE DE HARDWARE LIVRE) ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO 1º SEMESTRE Albert Cruz Loyanne Lemos Matheus Carvalho Pricilla Brandão Salvador Dezembro - 2010 Albert Cruz,

Leia mais

MÓDULO DE ORIENTAÇÃO TCA-MASTER

MÓDULO DE ORIENTAÇÃO TCA-MASTER 1 Tópicos pág. 1. Instalação do sistema... 02 2. Diagrama TCA Master... 07 3. CPU... 08 4. Display... 10 5. Leitor código de barras... 11 6. Tacômetro... 11 7. Modulo de Teste... 13 Elaborado por CQS Engenharia

Leia mais

Manual d o usuário DATAREPi8T

Manual d o usuário DATAREPi8T Manual d o usuário DATAREPi8T Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida sem permissão da Diponto Ltda. As informações e especificações técnicas podem mudar a qualquer momento sem aviso prévio.

Leia mais

Display de 7. PdP. Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/05/2006 Última versão: 18/12/2006

Display de 7. PdP. Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/05/2006 Última versão: 18/12/2006 TUTORIAL Montagem do Display de 7 Segmentos Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/05/2006 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br

Leia mais

ST 160 ST 160 0 # Manual de Referência e Instalação

ST 160 ST 160 0 # Manual de Referência e Instalação ST 160 ST 160 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 # Manual de Referência e Instalação Descrições 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 # 3 2 Número Descrição 1 Indicador de modo 2 Antena 3 Matriz do Teclado 4 Parafuso Especificações

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UMA INTERFACE GRÁFICA PARA INTERAÇÃO HOMEM-COMPUTADOR EM UM KIT DIDÁTICO MICROCONTROLADO

DESENVOLVIMENTO DE UMA INTERFACE GRÁFICA PARA INTERAÇÃO HOMEM-COMPUTADOR EM UM KIT DIDÁTICO MICROCONTROLADO DESENVOLVIMENTO DE UMA INTERFACE GRÁFICA PARA INTERAÇÃO HOMEM-COMPUTADOR EM UM KIT DIDÁTICO MICROCONTROLADO Luiz Gustavo C. Machado gu-castilho@live.com Bruno A. Angélico bangelico@utfpr.edu.br Arthur

Leia mais

BLOCKGAS. Sistema de Monitoração e Alarme de vazamento de gás SB330. Este módulo é parte integrante do sistema de detecção de gás SB330.

BLOCKGAS. Sistema de Monitoração e Alarme de vazamento de gás SB330. Este módulo é parte integrante do sistema de detecção de gás SB330. Este módulo é parte integrante do sistema de detecção de gás. É composto por um circuito inteligente (microcontrolado) que recebe o sinal gerado por um sensor eletrônico de gás, processa sua calibração

Leia mais

DESCRIÇÃO DO FUNCIONAMENTO Basicamente o ANTRON II-s recebe sinais provenientes da atuação de contatos elétricos externos, associados a equipamentos

DESCRIÇÃO DO FUNCIONAMENTO Basicamente o ANTRON II-s recebe sinais provenientes da atuação de contatos elétricos externos, associados a equipamentos DESCRIÇÃO DO FUNCIONAMENTO Basicamente o ANTRON II-s recebe sinais provenientes da atuação de contatos elétricos externos, associados a equipamentos ou sistemas que se queiram supervisionar, via contatos

Leia mais

Manual (versão 1.4) Kit 8051 Study

Manual (versão 1.4) Kit 8051 Study Manual (versão 1.4) Kit 8051 Study Microgenios Soluções Eletrônicas Ltda. ME - ano 2010 Todos os direitos reservados Proibida cópia integral ou parcial do material aqui contido www.microgenios.com.br Sumário

Leia mais

Duas capacidades de armazenamento de digitais: 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais (opcional);

Duas capacidades de armazenamento de digitais: 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais (opcional); Características Possui estrutura com design moderno e LEDs que indicam a confirmação de registros; Os dados são gravados em um cartucho USB. Este modo de gravação oferece total proteção contra a perda

Leia mais

XIX Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 13 a 17/08/2012 São Carlos-SP Artigo CREEM2012 SENSOR DE TEMPERATURA WIRELESS

XIX Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 13 a 17/08/2012 São Carlos-SP Artigo CREEM2012 SENSOR DE TEMPERATURA WIRELESS XIX Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 13 a 17/08/2012 São Carlos-SP Artigo CREEM2012 SENSOR DE TEMPERATURA WIRELESS Antonio Carlos Lemos Júnior, Ednaldo Lopes Rosa e Leandro Aureliano

Leia mais

Cerne Tecnologia e Treinamento

Cerne Tecnologia e Treinamento Tecnologia e Treinamento Tutorial para Testes na Placa GSM I/O (21)3062-1711 (11)4063-1877 Skype: suporte.cerne-tec MSN: suporte.cerne-tec@hotmail.com www.cerne-tec.com.br Kits Didáticos e Gravadores da

Leia mais

Datasheet Componentes Eletrônicos

Datasheet Componentes Eletrônicos Datasheet Componentes Eletrônicos Caixa de Pilhas... 2 LED (mini lâmpada)... 2 Conector INT... 3 HUB... 3 Sensor de Luz... 4 Circuito Relé... 4 Circuito Buzz... 5 Sensor de Ímã... 6 Ponte H com Relés...

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO MRC MONITORAMENTO REMOTO DE CALOR

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO MRC MONITORAMENTO REMOTO DE CALOR PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO MRC MONITORAMENTO REMOTO DE CALOR CURITIBA 2011 2 BRUNO BAPTISTA BUCKERIDGE HENRIQUE DUARTE

Leia mais

Kit de desenvolvimento de PIC16F ou PIC18F QSPIC28 Manual do usuário Versão 1.1 (2010)

Kit de desenvolvimento de PIC16F ou PIC18F QSPIC28 Manual do usuário Versão 1.1 (2010) Kit de desenvolvimento de PIC16F ou PIC18F QSPIC28 Manual do usuário Versão 1.1 (2010) QSP Tecnologia www.qsptec.com Av. Nova Cantareira 4798 Sala 01/02 Tel: 0xx11 2924-3323 Email: vendas@qsptec.com Copyright

Leia mais

www.vwsolucoes.com Copyright 2012 VW Soluções

www.vwsolucoes.com Copyright 2012 VW Soluções 1 Apresentação O Cabo PicKit2 é uma versão simplificada do gravador PicKit2 da Microchip com a idéia de podermos substituir o microcontrolador dos Clp Pic 28 e/ou Clp Pic40 por outros com maiores capacidades

Leia mais

Laboratório de Processadores Confecção das PCIs

Laboratório de Processadores Confecção das PCIs Laboratório de Processadores Confecção das PCIs Para a confecção das PCIs (Placa de Circuito Impresso) foram compiladas algumas sugestões práticas para o bom desenvolvimento das mesmas. Estas recomendações

Leia mais

CAPÍTULO 5. INTERFACES PARA PERIFÉRICOS DE ARMAZENAMENTO INTERFACES DIVERSAS: FIREWIRE, SPI e I 2 C INTERFACES COM O MUNDO ANALÓGICO

CAPÍTULO 5. INTERFACES PARA PERIFÉRICOS DE ARMAZENAMENTO INTERFACES DIVERSAS: FIREWIRE, SPI e I 2 C INTERFACES COM O MUNDO ANALÓGICO 28 CAPÍTULO 5 INTERFACES PARA PERIFÉRICOS DE ARMAZENAMENTO INTERFACES DIVERSAS: FIREWIRE, SPI e I 2 C INTERFACES COM O MUNDO ANALÓGICO Interfaces para periféricos de armazenamento: Periféricos de armazenamento,

Leia mais

Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N

Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N O Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N foi desenvolvido tendo em vista a integração de vários periféricos numa só placa, além de permitir a inserção de módulos externos para

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ - PUCPR CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA - CCET ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO DRUM MACHINE

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ - PUCPR CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA - CCET ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO DRUM MACHINE PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ - PUCPR CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA - CCET ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO DRUM MACHINE CURITIBA 2011 2 ADRIANNO ESNARRIAGA SERENO GUSTAVO HENRIQUE FURLAN

Leia mais

Desenvolvimento de Módulo Wireless para Acionamento de Cargas via Porta Paralela

Desenvolvimento de Módulo Wireless para Acionamento de Cargas via Porta Paralela Desenvolvimento de Módulo Wireless para Acionamento de Cargas via Porta Paralela Pedro H. M. Araújo 1, Renan P. Figueiredo 1, Douglas L. Dias 1, Sandro C. S. Jucá 1 1 Área da Telemática Instituto Federal

Leia mais

DataQuest. Soluções para Controle de Acesso. DataMini. Manual Técnico Software Ver. 1.0

DataQuest. Soluções para Controle de Acesso. DataMini. Manual Técnico Software Ver. 1.0 DataQuest Soluções para Controle de Acesso DataMini Manual Técnico Software Ver. 1.0 DataQuest DataQuest Comércio e Consultoria Ltda. Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, n 1050 Sala 11 Vila Suzana - São

Leia mais

Manual do usuário MINIREP

Manual do usuário MINIREP Manual do usuário MINIREP Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida sem permissão da Diponto Ltda. As informações e especificações técnicas podem mudar a qualquer momento sem aviso prévio. Leitura

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS COM MICROCONTROLADORES

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS COM MICROCONTROLADORES INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS COM MICROCONTROLADORES Matheus Montanini Breve (PIBIC-Jr), Miguel Angel Chincaro Bernuy (Orientador), e-mail: migueltrabalho@gmail.com Universidade Tecnológica

Leia mais

Manual de instalação e operação

Manual de instalação e operação Manual de instalação e operação Central de alarme de incêndio endereçável INC 2000 Central de alarme de incêndio INC 2000 Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Engesul.

Leia mais

Manual de Instruções Controladora Básica

Manual de Instruções Controladora Básica Manual de Instruções Controladora Básica 2 Sumário 1. Apresentação... 5 2. Recomendações Importantes... 5 3. Especificações Técnicas... 6 4. Configuração do Sistema... 6 5. Esquema de Ligação... 7 5.1.

Leia mais

Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações.

Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações. Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações. A partir de agora, iremos conhecer o hardware do Arduino e suas caracteristicas

Leia mais

Programação C para microcontroladores PIC

Programação C para microcontroladores PIC Programação C para microcontroladores PIC eletrocursos.gnomio.com 1/6 Sumário Histórico do Documento... 3 Treinadores Responsáveis... 3 Carga Horária... 3 Ementa... 3 Objetivos... 3 Conteúdo Programático...

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO 0 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO PROJETO INTEGRADO: COBERTURA AUTOMATIZADA COM DETECTOR DE CHUVA CURITIBA 2010 1 TAISA DAIANA DA COSTA PROJETO

Leia mais

SOLUTION. Painel Convencional de Alarme de Incêndio. SOLUTION - Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio. Revisão 1.1 Maio de 2006

SOLUTION. Painel Convencional de Alarme de Incêndio. SOLUTION - Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio. Revisão 1.1 Maio de 2006 SOLUTION Painel Convencional de Alarme de Incêndio TABELA DE CONTEÚDO Capitulo 1: Descrição do Produto... 2 1.1: Características...2 1.2: Especificações...2 Capitulo 2: Lógica de Detecção e Alarme de Incêndios...

Leia mais

Características técnicas Baseado no ATMega da empresa AVR, fabricante de micro-controladores em plena ascensão e concorrente do PIC Pode usar ATMega

Características técnicas Baseado no ATMega da empresa AVR, fabricante de micro-controladores em plena ascensão e concorrente do PIC Pode usar ATMega ARDUINO O que é Arduino Arduino foi criado na Itália por Máximo Banzi com o objetivo de fomentar a computação física, cujo conceito é aumentar as formas de interação física entre nós e os computadores.

Leia mais

DIGIPROX SA202 VERSÃO DO MANUAL

DIGIPROX SA202 VERSÃO DO MANUAL DIGIPROX SA202 VERSÃO DO MANUAL 1.0 de 01/04/02013 8672 2 Sumário 1. Apresentação... 5 2. Itens que Acompanham... 5 3. Especificações Técnicas... 5 4. Características Gerais... 6 5. Visão Geral do Equipamento...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EEL5105 Circuitos e Técnicas Digitais Prof. Eduardo L. O. Batista

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EEL5105 Circuitos e Técnicas Digitais Prof. Eduardo L. O. Batista UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EEL5105 Circuitos e Técnicas Digitais Prof. Eduardo L. O. Batista EXPERIMENTO 1 INTRODUÇÃO AO LABORATÓRIO A. Introdução O Quartus II é um software utilizado para

Leia mais

O equipamento está homologado de acordo com a Portaria nº 1.510/2009 MTE, disponível em 7 modelos:

O equipamento está homologado de acordo com a Portaria nº 1.510/2009 MTE, disponível em 7 modelos: Características O equipamento está homologado de acordo com a Portaria nº 1.510/2009 MTE, disponível em 7 modelos: --Prisma E - Display alfa numérico (biometria + código de barras); --Prisma F - Display

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CURVE TRACER

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CURVE TRACER PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CURVE TRACER CURITIBA 2011 GUSTAVO MURILO SCHMITT MASSANEIRO CURVE TRACER Documentação apresentada

Leia mais

Acabamento em aço inox (Tampa superior embutida, proporcionando um melhor acabamento);

Acabamento em aço inox (Tampa superior embutida, proporcionando um melhor acabamento); Características Fabricada em aço-carbono com pintura em epóxi preto; Tratamento anti-corrosivo; Acabamento em aço inox (Tampa superior embutida, proporcionando um melhor acabamento); Fechadura para acesso

Leia mais

DIGIPROX SA200 VERSÃO DO MANUAL. 2.1 de 09/09/2014

DIGIPROX SA200 VERSÃO DO MANUAL. 2.1 de 09/09/2014 DIGIPROX SA200 VERSÃO DO MANUAL 6282 2.1 de 09/09/2014 Sumário 1. Apresentação... 4 2. Itens que Acompanham... 4 3. Especificações Técnicas... 4 4. Características Gerais... 5 5. Visão geral do Equipamento...

Leia mais

Controle de acesso FINGER

Controle de acesso FINGER Controle de acesso FINGER MANUAL DE INSTRUÇÕES Sobre esse Guia Esse guia fornece somente instruções de instalação. Para obter informações sobre instruções de uso, favor ler o Manual do usuário.. ÍNDICE

Leia mais

Cerne Tecnologia e Treinamento

Cerne Tecnologia e Treinamento Tecnologia e Treinamento Tutorial para Testes na Placa DataLogger (21)4063-9798 (11)4063-1877 Skype: cerne-tec MSN: cerne-tec@hotmail.com www.cerne-tec.com.br Kits Didáticos e Gravadores da Cerne Tecnologia

Leia mais

Micro Controladores Programáveis

Micro Controladores Programáveis Micro Controladores Programáveis Transformando energia em soluções Os Micro Controladores Programáveis linha Clic WEG, caracterizam-se pelo seu tamanho compacto, fácil programação e excelente custo-benefício.

Leia mais

Projeto de uma Fonte de Tensão Ajustável

Projeto de uma Fonte de Tensão Ajustável Eletrônica Geral 1 Introdução Projeto de uma Fonte de Tensão Ajustável O projeto de uma fonte de tensão tem como principal objetivo o exercício de montagem prática, colocando o aluno face aos conceitos

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Unidade Universitária Escola de Engenharia Curso Engenharia Mecânica com formação específica em Mecatrônica Disciplina Microprocessadores I Professor(es) Ivair Reis Neves Abreu Carga horária 2 aulas semanais

Leia mais

Fundamentos de Automação. Controladores

Fundamentos de Automação. Controladores Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Controladores

Leia mais

Plus - Manual do equipamento

Plus - Manual do equipamento Plus - Manual do equipamento Plus - Manual do equipamento SUMÁRIO 1. CUIDADOS COM O EQUIPAMENTO... 4 2. DESCRIÇÃO... 5 2.1 Dimensões... 5 2.2 Funções e Características... 5 3. INSTALAÇÃO... 6 3.1 Gabarito

Leia mais

5 Entrada e Saída de Dados:

5 Entrada e Saída de Dados: 5 Entrada e Saída de Dados: 5.1 - Arquitetura de Entrada e Saída: O sistema de entrada e saída de dados é o responsável pela ligação do sistema computacional com o mundo externo. Através de dispositivos

Leia mais

Robot Soccer. Hustle 3000

Robot Soccer. Hustle 3000 Robot Soccer Hustle 3000 Rodrigo Abel de Bona - Alessandro Kiyoshi Tulio - João Luís Pompeu da Silva - Professores Orientadores: Profº Gil Marcos Jess - Física - gltjessj@terra.com.br Profº Afonso Ferreira

Leia mais

PONTIFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PROJETO PROTECTED

PONTIFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PROJETO PROTECTED PONTIFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PROJETO PROTECTED CURITIBA 2009 EDUARDO REBELO LOPES ELTON FOGGIATTO PROJETO PROTECTED Este

Leia mais

Guia de Instalação Rápida PLC KL320. Keylogix, abrindo portas para a automação industrial. KEYLOGIX

Guia de Instalação Rápida PLC KL320. Keylogix, abrindo portas para a automação industrial. KEYLOGIX Guia de Instalação Rápida PLC KL320 Keylogix, abrindo portas para a automação industrial. KEYLOGIX 1. Cuidados Iniciais Prezado cliente, você está recebendo o PLC KL320, um Controlador Lógico Programável,

Leia mais

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 (opcional);

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 (opcional); Características Fabricada em aço-carbono, com pintura em epóxi preto; Tratamento anticorrosivo; Acabamento em aço inox; Fechadura para acesso aos componentes eletrônicos; Iluminação frontal, com chave

Leia mais

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Capítulo1 - Introdução à Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Agosto de 2007 - Página

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Capítulo1 - Introdução à Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Agosto de 2007 - Página CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Capítulo1 - Introdução à Redes 1 Requisitos para Conexão à Internet Para disponibilizar o acesso de um computador à rede, devem ser levados em consideração 03 parâmetros:

Leia mais

Desenvolvendo Projetos em BASIC para o Microcontrolador AT89S8252. Com base no BASCOM - Teoria e Prática. Autor: Vitor Amadeu Souza

Desenvolvendo Projetos em BASIC para o Microcontrolador AT89S8252. Com base no BASCOM - Teoria e Prática. Autor: Vitor Amadeu Souza Desenvolvendo Projetos em BASIC para o Microcontrolador AT89S8252 Com base no BASCOM - Teoria e Prática Autor: Vitor Amadeu Souza Dedicatória Dedico este livro a minha querida noiva Renata Leal. Que preciosos

Leia mais

Controladora Paralela USB Serial OEM PCi3 / PCi3 v.02. Manual Técnico. hollemax. Soluções Eletrônicas

Controladora Paralela USB Serial OEM PCi3 / PCi3 v.02. Manual Técnico. hollemax. Soluções Eletrônicas Controladora Paralela USB Serial OEM PCi3 / PCi3 v.02 Manual Técnico hollemax Soluções Eletrônicas 2013 Hollemax Soluções Eletrônicas Ltda. Este documento é de propriedade da Hollemax Soluções Eletrônicas

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA CCET CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO Fabiano Burakoski Ribeiro Elias Marcus Vinicius Roecker Petri Renan Moris Ferreira

Leia mais

FingerTech Importação e Comércio de produtos tecnológicos LTDA

FingerTech Importação e Comércio de produtos tecnológicos LTDA FingerTech Importação e Comércio de produtos tecnológicos LTDA Avenida Tiradentes, 501 - Torre 2 5 Andar - Sala 502 Jardim Shangrilá A - 86070-565 Londrina - PR Sumário 1. Introdução...4 1.1 Características...4

Leia mais

Comunicação Serial com o AVR ATMEGA8

Comunicação Serial com o AVR ATMEGA8 Comunicação Serial com o AVR ATMEGA8 Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br Introdução Os microcontroladores AVR vem a cada dia tomando cada vez mais espaço nos novos projetos eletrônicos microcontrolados.

Leia mais

LABORATORIOS DE INFORMÁTICA. prof. André Aparecido da Silva Disponível em: www.oxnar.com.br/2015/profuncionario

LABORATORIOS DE INFORMÁTICA. prof. André Aparecido da Silva Disponível em: www.oxnar.com.br/2015/profuncionario LABORATORIOS DE INFORMÁTICA prof. André Aparecido da Silva Disponível em: www.oxnar.com.br/2015/profuncionario 1 O conhecimento da humanidade só evoluiu em virtude da incessante busca do ser humano em

Leia mais

CIRCUITOS COMBINACIONAIS Codificadores e decodificadores

CIRCUITOS COMBINACIONAIS Codificadores e decodificadores Disciplina: Circuitos Digitais CIRCUITOS COMBINACIONAIS Codificadores e decodificadores Prof. a Dra. Carolina Davanzzo Gomes dos Santos Email: profcarolinadgs@gmail.com Página: profcarolinadgs.webnode.com.br

Leia mais

MANUAL SENHA DIGITAL SUMÁRIO:

MANUAL SENHA DIGITAL SUMÁRIO: SUMÁRIO: APRESENTAÇÃO... 02 1- RECOMENDAÇÕES IMPORTANTES... 02 2- DESEMBALANDO O CONTROLE DE ACESSO... 02 3- ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS... 02 4- COMO INSTALAR... 03 5- EXEMPLO DE POSICIONAMENTO DO CONTROLE

Leia mais

Fundamentos da Informática

Fundamentos da Informática 1 PROCESSAMENTO DE DADOS I - FUNDAMENTOS A) CONCEITO DE INFORMÁTICA - é a ciência que estuda o tratamento automático e racional da informação. B) PROCESSAMENTO DE DADOS 1) Conceito Processamento de dados

Leia mais

Cerne Tecnologia e Treinamento

Cerne Tecnologia e Treinamento Tecnologia e Treinamento Tutorial para Testes na Placa AVR MASTER (21)4063-9798 (11)4063-1877 Skype: cerne-tec MSN: cerne-tec@hotmail.com www.cerne-tec.com.br Kits Didáticos e Gravadores da Cerne Tecnologia

Leia mais

Plataforma de desenvolvimento dspic - SIGMA128 -

Plataforma de desenvolvimento dspic - SIGMA128 - T e c n o l o g i a Plataforma de desenvolvimento dspic - SIGMA128 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. DESENVOLVIMENTO INTRODUÇÃO Plataforma de desenvolvimento

Leia mais

Viggia Manual de instruções

Viggia Manual de instruções Viggia Manual de instruções INDICE 1. INTRODUÇÃO...1 1.1. O QUE É O VIGGIA?...1 1.2. QUAIS AS APLICAÇÕES DO LEITOR VIGGIA?...2 2. KIT VIGGIA...3 3. CONFIGURAÇÃO DO LEITOR VIGGIA...4 3.1. TOP RONDA...4

Leia mais

Conteúdo deste Kit: E-6 uno

Conteúdo deste Kit: E-6 uno Conteúdo deste Kit: E-6 uno 1- Dispositivo Nano Proto 2.7 1- Microcontrolador 20 portas baseado no Uno 2- Metros Fio Premium para Jumper 4- Transistor BC337 1- Sensor magnético 1- Sensor de temperatura

Leia mais

SENHA LIGHT VERSÃO DO MANUAL

SENHA LIGHT VERSÃO DO MANUAL SENHA LIGHT VERSÃO DO MANUAL 1.2. de 05/02/2013 7767 2 Sumário 1. Apresentação... 5 2. Itens que Acompanham... 5 3. Especificações Técnicas... 5 4. Características Gerais... 6 5. Visão geral do Equipamento...

Leia mais

Versão 1.02. Manual. Neocontrol Soluções em Automação LTDA www.neoc.com.br

Versão 1.02. Manual. Neocontrol Soluções em Automação LTDA www.neoc.com.br Versão 1.02 Manual Neocontrol Soluções em Automação LTDA www.neoc.com.br Índice 1. Descrição do Equipamento... 3 2. Princípio de Funcionamento... 4 2.1 Operação... 4 2.2 Configuração de Cenas... 4 2.2.1

Leia mais

Cerne Tecnologia e Treinamento

Cerne Tecnologia e Treinamento Tecnologia e Treinamento Tutorial para Testes na Placa de I/O Ethernet Kits Didáticos e Gravadores da Cerne Tecnologia A Cerne tecnologia têm uma linha completa de aprendizado para os microcontroladores

Leia mais

Micro Controladores Programáveis

Micro Controladores Programáveis Micro Controladores Programáveis Transformando energia em soluções Compacto, fácil de programar e com excelente custo benefício, o ganha mais recursos de software e hardware, podendo assim atender a uma

Leia mais

Manual de Instruções do Senha Light

Manual de Instruções do Senha Light Manual de Instruções do Senha Light 2 Sumário 1. Apresentação... 4 2. Especificações Técnicas... 4 3. Configuração do Sistema... 5 4. Esquema de Ligação... 5 4.1. Ligação da Fechadura Eletroímã... 6 4.1.1.

Leia mais

15/08/2013 DIREITO DA. Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA

15/08/2013 DIREITO DA. Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA DIREITO DA INFORMÁTICA Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA 1 CONCEITOS BÁSICOS Informática infor + mática. É o tratamento da informação de forma automática Dado

Leia mais

Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego;

Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego; Características Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego; Poderá ser utilizado por empresas autorizadas por convenção ou acordo coletivo a usar sistemas

Leia mais

MicroLab X1 v1.4. Manual de Instruções REV 1.2

MicroLab X1 v1.4. Manual de Instruções REV 1.2 MicroLab X1 v1.4 Manual de Instruções REV 1.2 Apresentação A Microlab X1 é uma placa de desenvolvimento multi-plataformas, que permite o projeto e desenvolvimento de circuitos eletrônicos contendo microcontroladores,

Leia mais

Introdução ao Projeto de Placas de Circuito Impresso

Introdução ao Projeto de Placas de Circuito Impresso Objetivo: Introdução ao Projeto de Placas de Circuito Impresso Prof. Stefano Apresentar algumas considerações iniciais para permitir ao estudante se familiarizar com a placa de circuito impresso (PCI),

Leia mais

CONTROLADOR CONDAR MP3000.

CONTROLADOR CONDAR MP3000. CONTROLADOR CONDAR MP3000. O equipamento CONDAR MP3000 é um Controlador Eletrônico Microprocessado desenvolvido especificamente para automação de até três Condicionadores de Ar instalados em um mesmo ambiente

Leia mais

DIGIPROX VERSÃO DO MANUAL

DIGIPROX VERSÃO DO MANUAL DIGIPROX VERSÃO DO MANUAL 1.1 de 22/02/2013 6282 2 Sumário 1. Apresentação... 5 2. Itens que Acompanham... 5 3. Especificações Técnicas... 5 4. Características Gerais... 6 5. Visão geral do Equipamento...

Leia mais

MANUAL. - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio.

MANUAL. - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio. 1 P/N: AKDMP16-4.2A DRIVER PARA MOTOR DE PASSO MANUAL ATENÇÃO: - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio.

Leia mais

CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E

CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E SIGMA Sistema Integrado de Combate a Incêndio CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E CABO BLINDADO (SHIELD) 4 VIAS 2X2,50 MM + 2X0,75 MM IHM Possibilidade de até 95 loops. LOOP LOOP LOOP CABO

Leia mais