TERMO DE REFERÊNCIA PARA TELEDIAGNÓSTICO (TELE-ECG)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TERMO DE REFERÊNCIA PARA TELEDIAGNÓSTICO (TELE-ECG)"

Transcrição

1 TERMO DE REFERÊNCIA PARA TELEDIAGNÓSTICO (TELE-ECG) 1. Objeto Aquisição de unidades de eletrocardiógrafo digital, em especial os requisitos abaixo. 2. Justificativa Os equipamentos sugeridos serão utilizados na implementação do serviço de telediagnóstico pelo Tele-ECG. 3. Características, especificação e exigências do equipamento Numero de derivações simultâneas 12. Impedância de Entrada maior ou igual a 8 Mohm.. Taxa de amostragem maior ou igual a 500 amostras/ segundo por derivação. Resolução do conversor A/D mínimo de 12bits. - Resolução menor ou igual a 5 microv/lsb. - Faixa dinâmica maior ou igual 10 mvpp. Ruído Intrínseco < 30 microvpp Rejeição de modo comum > 90 db Filtros digitais no mínimo com correção automática da variação de linha de base, atenuação do ruído - muscular e atenuação da interferência de 60 Hz. - Entradas protegidas contra descarga de desfibrilador. 4. Normas de Segurança Atendidas NBR IEC NBR IEC NBR IEC Interface com Computador - USO 1.1, compatível 2.0 Alimentação através da interface USO Software: o Software totalmente elaborado para trabalhar com o sistema operacional Windows XP. Windows Vista e Windows 7. o Utilizar sistema de banco de dados relacional aberto, contendo versão cliente e servidor. Caso não haja compatibilidade atual com banco de dados relacional deverá Ser dada garantia de compatibilidade e apresentado cronograma de liberação desta atualização. Este cronograma deverá ser aprovado segundo os interesses do HC. Capacidade de imprimir os traçados em preto ou branco ou coloridos em impressora jato de tinta ou laser. Gravação de trechos de ritmo, medidas em tela, com anamnese orientada pelo solicitado neste edital. Permitir exportação do ECG nos formatos de GIF ou JPG ou BMP.

2 O sistema deve permitir a exportação e importação de todos os dados coletados e do sinal do ECG em arquivo XML. Padrão aberto de acordo com o especificado neste edital. Permitir que o laudo seja configurável. Permitir a assinatura digital ou proteger o laudo contra alterações após sua emissão pelo médico - Identificação dos eletros de emergência para que a central possa priorizar o atendimento dos mesmos. Emissão do laudo através sistema de banco de frases: o Os registros de ECG deverão ser exportados e recebidos da central de diagnósticos preferencialmente através de arquivos em formato DICOM. Caso não haja compatibilidade atual com o arquivo DICOM, deverá ser dada garantia de compatibilidade e apresentado cronograma de liberação desta atualização. Este cronograma deverá ser aprovado segundo os interesses do HC. 5. Dados das telas de anamnese De acordo com a padronização de coleta de dados definida abaixo: Tela de Identificação do paciente: Nome Data de Nascimento Sexo Registro Clínico Tipo Sanguíneo Nome da mãe Tela de Exame: Data Hora Pressão Arterial Altura Peso IMC Observações Município Estado Medicamento Tela de Comorbidades Fatores de Risco Tela de Investigação Da Dor:

3 Dor No Exame Data do último episódio de dor Duração do Ultimo Episódio Há Quanto Tempo Apresenta Sintomas Dor no Exame Localização Irradiação Da Dor Classificação da Dor Sintomas Associados Intensidade Da Dor Caracterização da Dor Torácica Tela de Hipótese Diagnostica: Dor Cardíaca Isquêmica Dor Cardíaca Não Isquêmica Dor Não Cardíaca Exame Sem Dor Observações Encaminhamento do Paciente para Investigação em outro serviço Tela de identificação dos Médicos: Responsável Nome CRM Solicitante Nome CRM Função do médico Tela de Medidas: Amplitude P Amplitude R ST P PR QT QRS QTC

4 RR Conteúdo do arquivo XML Informações referentes ao Paciente Nome do Paciente Data de Nascimento Sexo Informações do Exame Data e Hora do Exame Pressão Arterial Altura Peso IMC Observações Dor Torácica (Sim / Não) Medicamentos em Uso Diuréticos Digital Betabloqueadores Amiodorana Bloqueadores de Cálcio - Outro (campo texto) - Nenhum Comorbidades e Fatores de Risco Hipertensão Arterial Doença de Chagas Obesidade Diabete Mellitus

5 Tabagismo Infarto do Miocárdio Prévio Dislipdemia Histórico Familiar de Doença Coronária - Doença Renal Crônica Doença Pulmonar Crônica Revascularização Miocárdia Prévia - Nenhum Investigação de dor no Exame Se Sim Há quanto tempo a dor iniciou? (HH:mm) Se Não Data do último episódio Duração do último episódio Há quanto tempo apresenta os sintomas Localização e Irradiação da dor Classificação da Dor 1. Membro Superior Direito 2. Membro Superior Esquerdo 3. Pescoço 4. Dorso 5. Região Precordial 6. Região Torácica Direita 7. Epigástrio

6 Informações referentes aos médicos Nome do Médico Responsável e CRM Nome do Solicitante e CRM, caso seja médico Função do Solicitante Informações da Tela Medidas Unidade Amplitude Unidade Tempo Amplitude P Amplitude R STP PR QT QRS QTC RR Informações do Laudo - Data e Hora de Elaboração Laudo Data Hora Conteúdo (Formato RTF) Ritmo Blocos (classificados por numeração) Frequência Cardíaca Ganho Canal de Ritmo

7 Filtro Muscular Filtro de 60Hz Amostras (Formato Texto) Informações da Tela de Ritmo Frequência Sensibilidade Canal de Ritmo Filtro Muscular Filtro 60Hz Amostras (Formato Texto) Informações da Tela Registros Número de Registros Data e Hora de Realização Velocidade Frequência Cardíaca Filtros (Muscular e 60Hz) Nota (Formato RTF) Canal de Ritmo Canais Informações do Registro de Ritmo Número de Registros Velocidade Frequência Cardíaca Filtros (Muscular e 60Hz) Nota (Formato Texto)

8 Canal de Ritmo Amostras (Formato Texto)

MANUAL DO SISTEMA DE TELEDIAGNÓSTICO MANUAL DO SOLICITANTE

MANUAL DO SISTEMA DE TELEDIAGNÓSTICO MANUAL DO SOLICITANTE MANUAL DO SISTEMA DE TELEDIAGNÓSTICO MANUAL DO SOLICITANTE UTILIZAÇÃO APARELHO ECG MICROMED CENTRO DE TELESSAÚDE DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UFMG REDE DE TELEASSISTÊNCIA DE MINAS GERAIS JANEIRO DE 2017

Leia mais

Ergo PC 13. para Windows

Ergo PC 13. para Windows O sistema para teste de esforço ErgoPC 13 une qualidade e facilidade com capacidade de diagnóstico e prognóstico. Ele oferece a melhor relação custo benefício, dando um retorno seguro e protegendo seu

Leia mais

Eletrocardiografia Digital. Wincardio. O sistema mais avançado para a Eletrocardiografia Digital. w w w. m i c r o m e d. i n d.

Eletrocardiografia Digital. Wincardio. O sistema mais avançado para a Eletrocardiografia Digital. w w w. m i c r o m e d. i n d. Wincardio O sistema mais avançado para a w w w. m i c r o m e d. i n d. b r Apresentação O WinCardio é composto por um eletrocardiógrafo USB em 12 derivações simultâneas, software compatível com Windows

Leia mais

Apresentação. ECG Digital. Life Card. Telemedicina

Apresentação. ECG Digital. Life Card. Telemedicina ECG Digital Apresentação O WinCardio é composto por um eletrocardiógrafo USB em 12 derivações simultâneas, software compatível com Windows XP, Vista (32 bits), Windows 7 (32 bits) e filtros digitais que

Leia mais

Apresentação ANTECIPANDO TECNOLOGIAS

Apresentação ANTECIPANDO TECNOLOGIAS ANTECIPANDO TECNOLOGIAS Apresentação O WinCardio é composto por um eletrocardiógrafo USB em 12 derivações simultâneas, software compatível com Windows XP, Vista, Windows 7 e filtros digitais que garantem

Leia mais

Apresentação ANTECIPANDO TECNOLOGIAS

Apresentação ANTECIPANDO TECNOLOGIAS ANTECIPANDO TECNOLOGIAS Apresentação A Micromed tem o prazer de apresentar o Sistema para Telemedicina em Cardiologia mais avançado disponível no mercado. O Sistema utiliza tecnologia nacional e, de forma

Leia mais

Eletrocardiografia Digital LINHA MICROMED AIR. Eletrocardiógrafo Digital Sem Fio. w w w. m i c r o m e d. i n d. b r

Eletrocardiografia Digital LINHA MICROMED AIR. Eletrocardiógrafo Digital Sem Fio. w w w. m i c r o m e d. i n d. b r Eletrocardiografia Digital LINHA MICROMED AIR Eletrocardiógrafo Digital Sem Fio w w w. m i c r o m e d. i n d. b r Benefícios Mais qualidade de sinal e menos complicação Melhor Qualidade de Sinal Os equipamentos

Leia mais

Nome: Paulo Mendonça Ferreira Sexo: M Altura: 1.84 Peso: 98 Fumante: 0 Data de nascimento: 11/10/1981

Nome: Paulo Mendonça Ferreira Sexo: M Altura: 1.84 Peso: 98 Fumante: 0 Data de nascimento: 11/10/1981 Dados do Paciente Nome: Paulo Mendonça Ferreira Sexo: M Altura:.84 Peso: 98 Fumante: Data de nascimento: //98 O que é o Holter 4 Horas? O Holter 4 horas, ou Eletrocardiografia Dinâmica, é um exame que

Leia mais

Curso de capacitação em interpretação de Eletrocardiograma (ECG) Prof Dr Pedro Marcos Carneiro da Cunha Filho

Curso de capacitação em interpretação de Eletrocardiograma (ECG) Prof Dr Pedro Marcos Carneiro da Cunha Filho Curso de capacitação em interpretação de Eletrocardiograma (ECG) Prof Dr Pedro Marcos Carneiro da Cunha Filho Anatomia cardíaca Coração Anatomia cardíaca Coração Coração Coração Nó Sinoatrial Coração elétrico

Leia mais

C A R D I O V I D A On Line

C A R D I O V I D A On Line HOLTER de 4 horas Dr. Dário Sobral Relatório de Holter - Dados do Exame Nº do Exame Data do Exame: 6//5 9: Protocolo: Holter de canais Convênio: - Dados do Paciente Nome: Severino Pereira da Silva Idade:

Leia mais

C A R D I O V I D A On Line

C A R D I O V I D A On Line HOLTER de 4 horas Dr. Dário Sobral Relatório de Holter - Dados do Exame Nº do Exame Data do Exame: /4/5 8: Protocolo: Holter de canais AI-C-7 Convênio: XJ-58 Particular - Dados do Paciente Nome: Antonio

Leia mais

Síndrome Coronariana Aguda

Síndrome Coronariana Aguda Síndrome Coronariana Aguda Wilson Braz Corrêa Filho Rio de Janeiro, 2010 Curso de Capacitação de Urgência e Emergência Objetivos: Apresentar a epidemiologia da síndrome coronariana aguda nas unidades de

Leia mais

LINHA DE CUIDADO EM CARDIOLOGIA PNEUMOLOGIA E DOENÇAS METABÓLICAS

LINHA DE CUIDADO EM CARDIOLOGIA PNEUMOLOGIA E DOENÇAS METABÓLICAS LINHA DE CUIDADO EM CARDIOLOGIA PNEUMOLOGIA E DOENÇAS METABÓLICAS Nome da atividade: Estágio Supervisionado em Fisioterapia Cardiovascular Tipo de atividade: Disciplina de Graduação Responsáveis: Profª

Leia mais

Relatório de Holter ( 17%) ( 0%) Pausas. Elevação do ST

Relatório de Holter ( 17%) ( 0%) Pausas. Elevação do ST Relatório de Holter - Dados do Exame Nº do Exame Data do Exame: 5//004 :5 Protocolo: Holter de canais 85 M04-5896 - Dados do Paciente: Nome: Leizivan Batista Morgado Idade: 4 Sexo: F Altura:.6 Peso: 6

Leia mais

JAU 130 ANALISADOR DE DESFIBRILADO E SIMULADOR DE PACIENTE

JAU 130 ANALISADOR DE DESFIBRILADO E SIMULADOR DE PACIENTE JAU 130 ANALISADOR DE DESFIBRILADO E SIMULADOR DE PACIENTE 3 Néos Indústria de Tecnologia Ltda. www.neos.ind.br +55 31 3789-8600 JAU130 Versão 04 Apresentação Introdução O JAU130 é um equipamento eletrônico

Leia mais

Esteira e eletrocardiógrafo com conexões

Esteira e eletrocardiógrafo com conexões ANTECIPANDO TECNOLOGIAS Esteira e eletrocardiógrafo com conexões O sistema para teste de esforço ErgoPC 13 une qualidade e facilidade com capacidade de diagnóstico e prognóstico. Ele oferece a melhor relação

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE TELEDIAGNÓSTICO MANUAL DO SOLICITANTE

MANUAL DO SISTEMA DE TELEDIAGNÓSTICO MANUAL DO SOLICITANTE MANUAL DO SISTEMA DE TELEDIAGNÓSTICO MANUAL DO SOLICITANTE UTILIZAÇÃO APARELHO ECG BIONET CENTRO DE TELESSAÚDE DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UFMG REDE DE TELEASSISTÊNCIA DE MINAS GERAIS JANEIRO DE 2017 1.

Leia mais

ANEXO I-MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO I-MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I-MEMORIAL DESCRITIVO 1. Objeto Contratação de serviços de impressão de imagens médicas e laudos no InCor, incluindo fornecimento de acessórios, insumos, equipamentos e assistência técnica. 2. Volumes

Leia mais

DÚVIDAS E SUGESTÕES PARA PROJETO BÁSICO Parte 2

DÚVIDAS E SUGESTÕES PARA PROJETO BÁSICO Parte 2 DÚVIDAS E SUGESTÕES PARA PROJETO BÁSICO Parte 2 1) 4.3. CABO DE EXTENSÃO DE 15 METROS DO SISTEMA DE AUDIOCONFERÊNCIA : Eliminar o item 4.3 da especificação, já que o cabo solicitado é exclusivo de um fabricante.

Leia mais

O desafio: Desenvolver um analisador de segurança elétrica e desempenho para avaliação de marcapassos cardíacos externos e implantáveis.

O desafio: Desenvolver um analisador de segurança elétrica e desempenho para avaliação de marcapassos cardíacos externos e implantáveis. Analisador de marcapassos cardíacos "Com as condições ilustradas foi possível perceber que o programa desenvolvido em plataforma LabVIEW, com auxílio da interface para entrada e saída de sinais analógicos

Leia mais

Eletrocardiografia Teoria e pratica de interpretação de ritmos sinusais, arritmias e bloqueios de condução

Eletrocardiografia Teoria e pratica de interpretação de ritmos sinusais, arritmias e bloqueios de condução Eletrocardiografia Teoria e pratica de interpretação de ritmos sinusais, arritmias e bloqueios de condução Flávia Regina Ruppert Mazzo Coordenadora do Setor de Eletrocardiograma do Provet Coordenadora

Leia mais

Ergometria Digital LINHA MICROMED AIR. Ergometria Digital Sem Fio. w w w. m i c r o m e d. i n d. b r

Ergometria Digital LINHA MICROMED AIR. Ergometria Digital Sem Fio. w w w. m i c r o m e d. i n d. b r Ergometria Digital LINHA MICROMED AIR Ergometria Digital Sem Fio w w w. m i c r o m e d. i n d. b r Benefícios Mais qualidade de sinal e menos complicação Melhor Qualidade de Sinal Os equipamentos da Linha

Leia mais

traktor SCRATCH A6

<!--:pt-->traktor SCRATCH A6<!--:--> Descrição Pacote completo que combina uma interface top de linha de 6 canais com o principal software para DJs, o TRAKTOR SCRATCH PRO 2 além de CDs e Vinis com timecode. 6 entradas/saídas e conversores

Leia mais

SISTEMA CARDIOVASCULAR

SISTEMA CARDIOVASCULAR AVALIAÇÃO PRÉ-ANESTÉSICA SISTEMA CARDIOVASCULAR Paulo do Nascimento Junior Departamento de Anestesiologia Faculdade de Medicina de Botucatu AVALIAÇÃO PRÉ-ANESTÉSICA: OBJETIVOS GERAIS ESCLARECIMENTO DO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MÜLLER Núcleo Técnico Científico de Telessaúde

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MÜLLER Núcleo Técnico Científico de Telessaúde Elaboração MARIA CONCEIÇÃO DA ENCARNAÇÃO VILLA VALDELÍRIO VENITES Validação COR JESUS FERNANDES FONTES Capa OBERDAN FERREIRA COUTINHO LIRA Publicado em janeiro de 2015 FICHA CATALOGRÁFICA V712p Villa,

Leia mais

1 de 5 15/08/ :57

1 de 5 15/08/ :57 1 de 5 15/08/2016 10:57 Conselho Federal de Enfermagem Termo de Adjudicação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2016 Às 09:05 horas do dia 04 de agosto de 2016, após analisado o resultado do Pregão nº 00034/2016,

Leia mais

Freqüência Cardíaca Ventriculares SupraVentriculares. Segmento ST Variabilidade da FC Pausas e QT

Freqüência Cardíaca Ventriculares SupraVentriculares. Segmento ST Variabilidade da FC Pausas e QT CLIICAL ARMADO Q. MOTEIRO Data do exame: /3/3 Hora de início: 7:: Paciente: Sexo: Documento: Marcapasso: GUSTAVO ALMEIDA BARROS Masculino ão possui Idade: Anos Tempo de análise: Médico Responsável: Médico

Leia mais

JAU 130 ANALISADOR DE DESFIBRILADOR E MARCA PASSO E SIMULADOR DE PACIENTE

JAU 130 ANALISADOR DE DESFIBRILADOR E MARCA PASSO E SIMULADOR DE PACIENTE JAU 130 ANALISADOR DE DESFIBRILADOR E MARCA PASSO 3 Néos Indústria de Tecnologia Ltda. www.neos.ind.br +55 31 3789-8600 JAU130-MP Versão 03 Apresentação Introdução O JAU130 é um equipamento eletrônico

Leia mais

COMO CONTROLAR HIPERTENSÃO ARTERIAL?

COMO CONTROLAR HIPERTENSÃO ARTERIAL? COMO CONTROLAR HIPERTENSÃO ARTERIAL? Profa. Dra. Rosália Morais Torres VI Diretrizes Brasileiras de hipertensão arterial Arq Bras Cardiol 2010; 95 (1 supl.1): 1-51 HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA (HAS)

Leia mais

Principais Vantagens. Segurança. O acesso à base de dados só é permitido aos utilizadores autorizados.

Principais Vantagens. Segurança. O acesso à base de dados só é permitido aos utilizadores autorizados. dotlogic ECG (H) Sistema de Gestão de ECG Versão Hospitalar dotlogic-ecg O dotlogic-ecg é um sistema que gere todo o circuito de informação dos exames de electrocardiografia (ECG). Desenvolvido de uma

Leia mais

Where Great Recordings Begin

Where Great Recordings Begin Where Great Recordings Begin Microfone Dinâmico CR77 Microfone Dinâmico para aplicações ao vivo Padrão polar: Super Cardióide Resposta de frequência: de 50Hz a 14kHz Sensibilidade: -52dB re 1V/Pa Impedância:

Leia mais

Angiotomografia Coronária. Ana Paula Toniello Cardoso Hospital Nove de Julho

Angiotomografia Coronária. Ana Paula Toniello Cardoso Hospital Nove de Julho Angiotomografia Coronária Ana Paula Toniello Cardoso Hospital Nove de Julho S Aterosclerose S A aterosclerose é uma doença inflamatória crônica de origem multifatorial que ocorre em resposta à agressão

Leia mais

VIVER BEM SEU RAMIRO JARBAS E AS DOENÇAS CEREBROVASCULARES DOENÇAS CEREBROVASCULARES

VIVER BEM SEU RAMIRO JARBAS E AS DOENÇAS CEREBROVASCULARES DOENÇAS CEREBROVASCULARES 1 VIVER BEM SEU RAMIRO JARBAS E AS DOENÇAS CEREBROVASCULARES DOENÇAS CEREBROVASCULARES 2 3 Conheça o seu Ramiro Jarbas. Ele já se aposentou e sua vida não é mais tão agitada como antes. Hoje, suas maiores

Leia mais

Teste de Software Projeto Real. Dinâmica entre equipes

Teste de Software Projeto Real. Dinâmica entre equipes Teste de Software Projeto Real Arilo Claudio Dias Neto - acdn@cos.ufrj.br Gladys Machado P. S. Lima - gladysmp@cos.ufrj.br Guilherme Horta Travassos - ght@cos.ufrj.br Dinâmica entre equipes Equipe de Desenvolvimento

Leia mais

Atlas de Eletrocardiograma

Atlas de Eletrocardiograma Ary L. Goldberger Os eletrocardiogramas (ECG) neste atlas suplementam aqueles ilustrados no Cap. 228. As interpretações buscam enfatizar os achados específicos que tenham valor pedagógico. Todas as figuras

Leia mais

Prof. Charlie Antoni Miquelin O Equipamento de TC

Prof. Charlie Antoni Miquelin O Equipamento de TC e rli ha.c of Pr lin ue iq M ni to An O Equipamento de TC O equipamento de TC Prof. Charlie Antoni Miquelin Por mais variados que sejam os equipamentos de TC, todos possuem uma configuração básica que

Leia mais

Utilização de diretrizes clínicas e resultados na atenção básica b

Utilização de diretrizes clínicas e resultados na atenção básica b Utilização de diretrizes clínicas e resultados na atenção básica b à hipertensão arterial Construindo Estratégias e Avaliando a Implementação de Diretrizes Clínicas no SUS Edital 37/2004 CNPq ENSP/FIOCRUZ

Leia mais

Principais mudanças PEC 2.0. Lisandra Santos de Souza

Principais mudanças PEC 2.0. Lisandra Santos de Souza Principais mudanças PEC 2.0 Lisandra Santos de Souza Principais novidades: - Acompanhamento da gestante durante o pré-natal; - Registros da saúde bucal com o odontograma eletrônico; - Ficha de marcadores

Leia mais

SEL 0412 Tecnologia Digital Teoria

SEL 0412 Tecnologia Digital Teoria SEL 0412 Tecnologia Digital Teoria Aquisição de Dados Profa. Tania Regina Tronco Conceito É a coleta de informações para fins de análise dos dados e consequente controle e monitoramento de um processo;

Leia mais

15º FÓRUM DE FISIOTERAPIA EM CARDIOLOGIA AUDITÓRIO 10

15º FÓRUM DE FISIOTERAPIA EM CARDIOLOGIA AUDITÓRIO 10 Fóruns 28 de setembro de 2013 15º FÓRUM DE FISIOTERAPIA EM CARDIOLOGIA AUDITÓRIO 10 Insuficiência Cardíaca Como abordar na: IC Fração de ejeção reduzida / normal IC descompensada IC Crônica IC Chagásica

Leia mais

Sistema muculoesquelético. Prof. Dra. Bruna Oneda

Sistema muculoesquelético. Prof. Dra. Bruna Oneda Sistema muculoesquelético Prof. Dra. Bruna Oneda Sarcopenia Osteoporose A osteoporose é definida como uma desordem esquelética que compromete a força dos ossos acarretando em aumento no risco de quedas.

Leia mais

Avaliação do Risco Cardiovascular

Avaliação do Risco Cardiovascular NUNO CORTEZ-DIAS, SUSANA MARTINS, ADRIANA BELO, MANUELA FIUZA 20 Abril 2009 Objectivos Avaliação do Risco Cardiovascular Padrões de Tratamento Impacto Clínico Síndrome Metabólica HTA Diabetes Mellitus

Leia mais

Electrocardiografia. Liliana Andrade e Raposo. Centro Hospitalar Lisboa Norte Escola Superior de Saúde da Cruz Vermelha Portuguesa

Electrocardiografia. Liliana Andrade e Raposo. Centro Hospitalar Lisboa Norte Escola Superior de Saúde da Cruz Vermelha Portuguesa Electrocardiografia Liliana Andrade e Raposo Centro Hospitalar Lisboa Norte Escola Superior de Saúde da Cruz Vermelha Portuguesa Há 20 anos Atualmente Centro Hospitalar do Funchal Centro Hospitalar Lisboa

Leia mais

Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica.

Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica. Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica. Enf. Ana Paula de Mattos Coelho Hemodinâmica - Hospital TotalCor E-mail: acoelho@totalcor.com.br Joint Commission Acreditação do atendimento hospitalar;

Leia mais

TECNOLOGIA APLICADA A MÚSICA I. Prof Evandro Manara Miletto IFRS - Campus Porto Alegre

TECNOLOGIA APLICADA A MÚSICA I. Prof Evandro Manara Miletto IFRS - Campus Porto Alegre TECNOLOGIA APLICADA A MÚSICA I Prof Evandro Manara Miletto IFRS - Campus Porto Alegre Conceitos básicos sobre o som Som? O que é o som? Como percebemos o som? Que características possui o som? Elementos

Leia mais

FLEXIO 8.8 DIGITAL AUDIO ROUTER MATRIX. Nome do Cliente: Endereço: Nr.: Compl.: Bairro: Cidade: Estado: CEP: - Data da aquisição: / / Nota Fiscal:

FLEXIO 8.8 DIGITAL AUDIO ROUTER MATRIX. Nome do Cliente: Endereço: Nr.: Compl.: Bairro: Cidade: Estado: CEP: - Data da aquisição: / / Nota Fiscal: Modelo Lote Número FLEXIO 8.8 DIGITAL AUDIO ROUTER MATRIX Certificado de garantia A Sankya do Brasil Eletrônica Ltda. assegura, ao primeiro proprietário deste aparelho, garantia contra defeitos de matéria

Leia mais

Especialização em Engenharia Clínica

Especialização em Engenharia Clínica Especialização em Engenharia Clínica Instrumentação e Processamento de Sinais Biológicos Docentes: > João Luiz A. Carvalho, Ph.D. > Marcelino M. de Andrade, Dr. Segunda Aula!!! Sinal Biomédico? Uma Definição!

Leia mais

Cassio Nobre - Personal trainner e Consultori

Cassio Nobre - Personal trainner e Consultori Cassio Nobre - Personal trainner e Consultori cassiosantan@hotmail.com Dados da Avaliação Nome: Ricardo Chagas Rodrigues Idade: 62 Anos Data: 31/01/2017-11:52 Email: ricrodrigues@uol.com.br Etnia: Branco

Leia mais

FLUXO DE ATENDIMENTO DO PACIENTE COM SUSPEITA DE DENGUE NA ATENÇÃO BÁSICA (UBS/USF)

FLUXO DE ATENDIMENTO DO PACIENTE COM SUSPEITA DE DENGUE NA ATENÇÃO BÁSICA (UBS/USF) FLUXO DE ATENDIMENTO DO PACIENTE COM SUSPEITA DE DENGUE NA ATENÇÃO BÁSICA (UBS/USF) Padronização para a regulação do fluxo de atendimento do paciente com suspeita de dengue na Atenção Básica: Recepção:

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO

INSTRUÇÃO DE TRABALHO 1. Titulo: REALIZAÇÃO DE ELETROCARDIOGRAMA (ECG) 2. Definição: Consiste no registro gráfico, impresso em papel milimetrado, que mostra a atividade elétrica do músculo cardíaco através de eletrodos dispostos

Leia mais

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA COM FUNÇÃO VENTRICULAR PRESERVADA. Dr. José Maria Peixoto

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA COM FUNÇÃO VENTRICULAR PRESERVADA. Dr. José Maria Peixoto INSUFICIÊNCIA CARDÍACA COM FUNÇÃO VENTRICULAR PRESERVADA Dr. José Maria Peixoto Introdução A síndrome da IC poder ocorrer na presença da função ventricular preservada ou não. Cerca de 20% a 50 % dos pacientes

Leia mais

ECG-PS MÓDULO DE MEDIÇÕES. Manual de Operação. Março 2005

ECG-PS MÓDULO DE MEDIÇÕES. Manual de Operação. Março 2005 ECG-PS MÓDULO DE MEDIÇÕES Manual de Operação Março 2005 2555 Collins Avenue, Suite C-5 - Miami Beach FL - 33140 - U.S.A. Tel.: (305) 534-5905 Fax: (305) 534-8222 e-mail: info@galix-gbi.com INDICE 1.. INTRODUÇÃO...

Leia mais

Avaliação/Fluxo Inicial Doença Cardiovascular e Diabetes na Atenção Básica

Avaliação/Fluxo Inicial Doença Cardiovascular e Diabetes na Atenção Básica Avaliação/Fluxo Inicial Doença Cardiovascular e Diabetes na Atenção Básica 1 Proposta de Avaliação do Risco Cardiovascular na Atenção Básica Propõe-se a utilização da tabela de Framingham, para estratificação

Leia mais

Figura XX - Folha de Rosto com informações sumarizadas a partir de registros anteriores

Figura XX - Folha de Rosto com informações sumarizadas a partir de registros anteriores Figura XX - Folha de Rosto com informações sumarizadas a partir de registros anteriores 6.3.2 SOAP Fonte: SAS/MS. O SOAP, mais conhecido como nota de evolução, registra de forma objetiva e estruturada

Leia mais

Obesidade Mórbida Protocolos

Obesidade Mórbida Protocolos Obesidade Mórbida Protocolos Para análise da solicitação de cirurgia de Obesidade Mórbida, é imprescindível o envio à CABESP da relação completa dos documentos descritos abaixo: 1- Protocolo 01 - solicitação

Leia mais

Introdução à Instrumentação e Medida Biomédica. Prof. Adilton Carneiro Departamento de Física e Matemática

Introdução à Instrumentação e Medida Biomédica. Prof. Adilton Carneiro Departamento de Física e Matemática Introdução à Instrumentação e Medida Biomédica Prof. Adilton Carneiro Departamento de Física e Matemática Instrumentação Biomédica São ferramentas que transformam informações físicas, que estão direta

Leia mais

Freqüência Cardíaca Ventriculares SupraVentriculares. Segmento ST Variabilidade da FC Pausas e QT

Freqüência Cardíaca Ventriculares SupraVentriculares. Segmento ST Variabilidade da FC Pausas e QT CLIICAL ARMADO Q. MOTEIRO Data do exame: /3/3 Hora de início: 7:: Paciente: Sexo: Documento: Marcapasso: BEICIA GOMES TAVARES Feminino ão possui Idade: Anos Tempo de análise: Médico Responsável: Médico

Leia mais

Maio, Unidade de Cuidados na Comunidade de Castelo Branco. Hipertensão Arterial

Maio, Unidade de Cuidados na Comunidade de Castelo Branco. Hipertensão Arterial Maio, 2014 Unidade de Cuidados na Comunidade de Castelo Branco Hipertensão Arterial Sumário: O que é a Hipertensão Arterial (HTA)?; Causas da HTA; Fatores de Risco; Como prevenir a HTA; Sintomas; Problemas

Leia mais

INSUFICIÊNCIA CORONARIANA

INSUFICIÊNCIA CORONARIANA INSUFICIÊNCIA CORONARIANA Paula Schmidt Azevedo Gaiolla Disciplina de Clínica Médica e Emergência Clínica Depto Clínica Médica FMB - Unesp Definição Síndrome coronariana aporte insuficiente de sangue ao

Leia mais

J. AO EXP Senhor Presidente, Em 2

J. AO EXP Senhor Presidente, Em 2 S ~~r Prefeitura de SOROCABA. Gabinete do Prefeito GP-RI-0916/14 J. AO EXP Senhor Presidente, Em 2 Sorocaba, 13 de junho de 2014. Em p ta ao requerimento n 0881 /2014, de autoria do,: nobre Vereador FERÍDO

Leia mais

Analisador de Energia RE6001 ANALISADOR DE ENERGIA. Prog

Analisador de Energia RE6001 ANALISADOR DE ENERGIA. Prog EMBRASUL Analisador de Energia RE6001 EMBRASUL ANALISADOR DE ENERGIA EMBRASUL RE6001 Prog Amplo display gráfico; Fácil instalação e operação; Configurado por módulos opcionais; Excelente faixa de medição;

Leia mais

O MAIS COMPLETO PORTFOLIO DA CARDIOLOGIA

O MAIS COMPLETO PORTFOLIO DA CARDIOLOGIA 2017- Ano da Prevenção das Doenças Cardiovasculares O MAIS COMPLETO PORTFOLIO DA CARDIOLOGIA ECGs Digitais Sem Fio Eletrocardiografia Digital Ergometria Cardiopulmonar Esteira MAPA Holter Telemedicina

Leia mais

Atividade Física e Cardiopatia

Atividade Física e Cardiopatia AF e GR ESPECIAIS Cardiopatia Atividade Física e Cardiopatia Prof. Ivan Wallan Tertuliano E-mail: ivantertuliano@anhanguera.com Cardiopatias Anormalidade da estrutura ou função do coração. Exemplos de

Leia mais

O Processo de Enfermagem aplicado ao Sistema Cardiovascular

O Processo de Enfermagem aplicado ao Sistema Cardiovascular Curso preparatório para Concursos - ENFERMEIRO - 2012 O Processo de Enfermagem aplicado ao Sistema Cardiovascular Prof. Fernando Ramos - Msc 1 Eletrofisiologia e Eletrocardiografia cardíaca O Eletrocardiograma

Leia mais

Sessão Interativa. Atualizações do Protocolo de Dor Torácica

Sessão Interativa. Atualizações do Protocolo de Dor Torácica Sessão Interativa Atualizações do Protocolo de Dor Torácica Paciente J.D.M., masculino, 57 anos, deu entrada no Pronto Atendimento com queixa de dor torácica com irradiação para braço esquerdo e mandíbula,

Leia mais

FP 104. Portátil com alto desempenho e qualidade de imagem surpreendente.

FP 104. Portátil com alto desempenho e qualidade de imagem surpreendente. FP 104 Portátil com alto desempenho e qualidade de imagem surpreendente. Design ergonômico Fluxo de trabalho potente Aplicações Concorrentes Design Ergonômico Encaixe para dois transdutores Reduz o trabalho

Leia mais

ESTADO NUTRICIONAL E FREQUÊNCIA ALIMENTAR DE PACIENTES COM DIABETES MELLITUS

ESTADO NUTRICIONAL E FREQUÊNCIA ALIMENTAR DE PACIENTES COM DIABETES MELLITUS ESTADO NUTRICIONAL E FREQUÊNCIA ALIMENTAR DE PACIENTES COM DIABETES MELLITUS SOUZA, J. P.; MARIN, T. Resumo O diabetes vem sendo considerado um grave problema de saúde pública. O objetivo do estudo foi

Leia mais

COORDENAÇÃO DO NÚCLEO CURRICULAR FLEXÍVEL PRÁTICAS EDUCATIVAS FICHA DE OBSERVAÇÃO

COORDENAÇÃO DO NÚCLEO CURRICULAR FLEXÍVEL PRÁTICAS EDUCATIVAS FICHA DE OBSERVAÇÃO FICHA DE OBSERVAÇÃO ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE E ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA Acadêmico: Curso: Período: Turno: Disciplina: Atenção Primária à Saúde e Estratégia de Saúde da Família Local: Profissional

Leia mais

BitNota Eletrônica Gerenciador para Nota Fiscal Eletrônica 2.0 Manual Versão 1.0

BitNota Eletrônica Gerenciador para Nota Fiscal Eletrônica 2.0 Manual Versão 1.0 BitNota Eletrônica Gerenciador para Nota Fiscal Eletrônica 2.0 Manual Versão 1.0 Conteúdo 1. A Quem se Destina o BitNota Eletrônica 2. Requisitos Mínimos para o funcionamento do programa 3. Como Funciona

Leia mais

Serviço de Fisiologia

Serviço de Fisiologia Serviço de Fisiologia Aula Teórica-Prática: Electrocardiograma Características do ECG exame não invasivo, barato e versátil útil para avaliar orientação anatómica do coração dimensões relativas das diversas

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA 1 a Atividade Física 2013.indd 1 09/03/15 16 SEDENTARISMO é a falta de atividade física suficiente e pode afetar a saúde da pessoa. A falta de atividade física

Leia mais

1969:Estado da Guanabara IECAC Comunicação Inter-Ventricular com Hipertensão Pulmonar-13/08/1969

1969:Estado da Guanabara IECAC Comunicação Inter-Ventricular com Hipertensão Pulmonar-13/08/1969 1969:Estado da Guanabara IECAC Comunicação Inter-Ventricular com Hipertensão Pulmonar-13/08/1969 1969:Estado da Guanabara IECAC Insuficiência Coronária 13.08.1969 1969:Certificado - Associação Médica Fluminense

Leia mais

A Prova Prática tem como objetivo avaliar habilidades do candidato para que ele possa desenvolver atividades compatíveis com o cargo.

A Prova Prática tem como objetivo avaliar habilidades do candidato para que ele possa desenvolver atividades compatíveis com o cargo. CONCURSO PÚBLICO UFRN 2017_2 Editais 013/2016 e 08/2017 PROVA PRÁTICA / ENGENHEIRO/ NEUROENGENHARIA CANDIDATO: INSCRIÇÃO: LOCAL: Sala E-3 - Setor de Aulas IV do Campus Universitário da UFRN HORA: 9 horas

Leia mais

Registro Brasileiros Cardiovasculares. REgistro do pacientes de Alto risco Cardiovascular na prática clínica

Registro Brasileiros Cardiovasculares. REgistro do pacientes de Alto risco Cardiovascular na prática clínica Registro Brasileiros Cardiovasculares REgistro do pacientes de Alto risco Cardiovascular na prática clínica Arquivos Brasileiros de Cardiologia, Julho de 2011 Arquivos Brasileiros de Cardiologia, Agosto

Leia mais

Qual o Fluxograma da Dor Torácica na Urgência? Pedro Magno

Qual o Fluxograma da Dor Torácica na Urgência? Pedro Magno Pedro Magno - EUA: 119.000.000 recorrências ao S. Urgência / ano - : 8-10% do total destas recorrências ao S. Urgência Pitts SR, US Dept of Health and Human Services, 2010. -Doentes com enfarte do miocárdio

Leia mais

MÉTODO SOAP NA MEDICINA

MÉTODO SOAP NA MEDICINA MÉTODO SOAP NA MEDICINA uma excelente maneira de documentar seus atendimentos na Atenção Primária à Saúde Daniel Coriolano Núcleo M.D. 2017 MÉTODO SOAP NA MEDICINA uma excelente maneira de documentar seus

Leia mais

3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 3.2 CARACTERÍSTICAS DE SOFTWARE 1. CARACTERÍSTICAS O CLG535R é um controlador programável que integra os principais recursos empregados em uma automação industrial. Dispõe integrado

Leia mais

CREF13/BA MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA AVALIAÇÃO PRÉ-PARTICIPAÇÃO EM PROGRAMAS DE ATIVIDADES FÍSICAS

CREF13/BA MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA AVALIAÇÃO PRÉ-PARTICIPAÇÃO EM PROGRAMAS DE ATIVIDADES FÍSICAS MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA AVALIAÇÃO PRÉ-PARTICIPAÇÃO EM PROGRAMAS DE ATIVIDADES FÍSICAS APRESENTAÇÃO O presente documento tem como principal objetivo criar rotina de procedimentos para avaliação pré-participação

Leia mais

Cartão Nacional de Saúde Ministério da Saúde

Cartão Nacional de Saúde Ministério da Saúde Cartão Nacional de Saúde Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Informática do SUS Coordenação Geral Tópicos Abordados: Cartão Nacional de Saúde CADSUS WEB Web Services CARTÃO SUS Digital

Leia mais

Curso de Engenharia Elétrica Processamento Digital de Sinais II Exercícios sobre filtros não recursivos Data de entrega: 17/11/2015

Curso de Engenharia Elétrica Processamento Digital de Sinais II Exercícios sobre filtros não recursivos Data de entrega: 17/11/2015 Curso de Engenharia Elétrica Processamento Digital de Sinais II Exercícios sobre filtros não recursivos Data de entrega: 17/11/2015 1) Projete um filtro FIR passa baixas de 3 etapas com frequência de corte

Leia mais

USB Meter Reader -para - leitura dos medidores Kamstrup de água fria e água quente

USB Meter Reader -para - leitura dos medidores Kamstrup de água fria e água quente Especificações Técnicas USB Meter Reader -para - leitura dos medidores Kamstrup de água fria e água quente Sistema de leitura para medidores MULTICAL via M-Bus e Wireless M-Bus Modo C1, bem como, medidores

Leia mais

Prevenção de Eventos Cardiovasculares em Pacientes com Hipertensão Arterial PREVER 2 SEGUIMENTO 15 MESES

Prevenção de Eventos Cardiovasculares em Pacientes com Hipertensão Arterial PREVER 2 SEGUIMENTO 15 MESES Prevenção de Eventos Cardiovasculares em Pacientes com Hipertensão Arterial PREVER 2 Número do Centro l ID do Participante l Data do Atendimento l l l / l l l / 201l l Iniciais do Participante SEGUIMENTO

Leia mais

Síndrome Metabólica. Wilson Marques da Rosa Filho. (Tratamento pela Acupuntura e Homeopatia)

Síndrome Metabólica. Wilson Marques da Rosa Filho. (Tratamento pela Acupuntura e Homeopatia) Síndrome Metabólica (Tratamento pela Acupuntura e Homeopatia) Wilson Marques da Rosa Filho 1 Síndrome Metabólica 1ª edição: maio de 2017 Síndrome Metabólica / Wilson Marques da Rosa Filho São Paulo: Perse

Leia mais

PROVA 1 2) Justifique todas as suas respostas; 3) Mostre suas contas (primeiro escreva suas equações e só depois substitua valores)

PROVA 1 2) Justifique todas as suas respostas; 3) Mostre suas contas (primeiro escreva suas equações e só depois substitua valores) PROVA 1 Para esta prova: 1) considere que sinais de ECG possuem componentes de frequência entre 0 Hz e 80 Hz e amplitude menor do que ±1 mv e que sinais de EMG tem componentes de frequências entre 40 Hz

Leia mais

Pregão Presencial 02/2013. Retificação 02

Pregão Presencial 02/2013. Retificação 02 Pregão Presencial 02/2013 Retificação 02 A Câmara Municipal de Pará de Minas, através de sua pregoeira, vem retificar o pregão presencial 02/2013, cujo seu OBJETO é: aquisição de softwares de base, de

Leia mais

Curso Preparatório para Concursos- Enfermeiro 2012 Infarto Agudo do Miocárdio

Curso Preparatório para Concursos- Enfermeiro 2012 Infarto Agudo do Miocárdio Curso Preparatório para Concursos- Enfermeiro 2012 Infarto Agudo do Miocárdio Prof. Fernando Ramos-Msc IAM: definição É a necrose da célula miocárdica resultante da oferta inadequada de oxigênio ao músculo

Leia mais

A Primeira Multifuncional Tanque de Tinta Original Epson L200 (impressora / copiadora / scanner)

A Primeira Multifuncional Tanque de Tinta Original Epson L200 (impressora / copiadora / scanner) Linha L Series + A Primeira Multifuncional Tanque de Tinta Original Epson L200 (impressora / copiadora / scanner) A multifuncional com tinta que parece inesgotável. Fácil de recarregar Baixo custo de impressão

Leia mais

Cardiologia do Esporte Aula 2. Profa. Dra. Bruna Oneda

Cardiologia do Esporte Aula 2. Profa. Dra. Bruna Oneda Cardiologia do Esporte Aula 2 Profa. Dra. Bruna Oneda Eletrocardiograma O registro gráfico da atividade elétrica do coração é denominado eletrocardiograma. Onda P: despolarização dos átrios (contração

Leia mais

DOHERTY DIGITAL TV TRANSMITTERS

DOHERTY DIGITAL TV TRANSMITTERS 2k5W Digital (3 módulos) TE7800H-10K-2K5D DOHERTY DIGITAL TV TRANSMITTERS Transmissor de TV Digital DOHERTY Robustez e eficiência, com baixo consumo de energia. Equipamento compacto, com amplificadores

Leia mais

número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS INSULINAS ANÁLOGAS RÁPIDAS NO TRATAMENTO DO DIABETES MELLITUS

Leia mais

PET SCAN. neurológicos. Deverá também possibilitar sua utilização apenas como um equipamento de

PET SCAN. neurológicos. Deverá também possibilitar sua utilização apenas como um equipamento de PET SCAN DESCRIÇÃO Descrição Básica Sistema de diagnóstico por imagem composto por um PET e um tomógrafo de 64 cortes; Aplicação Geral Diagnósticos oncológicos, cardíacos e neurológicos. CARACTERÍSTICAS

Leia mais

Lista de Exercícios sobre Conceitos de Informática. Exercício 1: Correspondência

Lista de Exercícios sobre Conceitos de Informática. Exercício 1: Correspondência Lista de Exercícios sobre Conceitos de Informática Exercício 1: Correspondência Relacione os termos da tabela 1 abaixo com as definições da tabela 2. Para facilitar, os termos da tabela 1 estão colocados

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ANESTESIOLOGISTA

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ANESTESIOLOGISTA QUESTÃO 21 12 De acordo com a resolução 1802/2006 do Conselho Federal de Medicina, o médico anestesiologista pode: a) Dispensar a avaliação de risco cirúrgico cardiológico se considerar desnecessário.

Leia mais

Hipertensão Arterial. Educação em saúde. Profa Telma L. Souza

Hipertensão Arterial. Educação em saúde. Profa Telma L. Souza Hipertensão Arterial Educação em saúde Profa Telma L. Souza Introdução Conceito Importância HAS DHEG Metas Estratégica Classificação de pressão Fatores de risco Tratamento Introdução Conceito Pressão arterial

Leia mais

I. B. de Paula CONDICIONAMENTO DE SINAIS E MEDIDAS ELÉTRICAS

I. B. de Paula CONDICIONAMENTO DE SINAIS E MEDIDAS ELÉTRICAS CONDICIONAMENTO DE SINAIS E MEDIDAS ELÉTRICAS 1 Revisão da aula passada Ruído e interferência: podem ocorrer em quase todas as aplicações de engenharia onde existe transmissão de informações 2 Revisão

Leia mais

CATETERISMO CARDÍACO. Prof. Claudia Witzel

CATETERISMO CARDÍACO. Prof. Claudia Witzel CATETERISMO CARDÍACO CATETERISMO CARDÍACO Método diagnóstico invasivo É avaliada a presença ou não de estreitamentos nas artérias coronárias secundário às "placas de gordura" além do funcionamento das

Leia mais

LINHA COMPACTA. Especificação Técnica 1000 / 2000 / 3000 / 5000 VA. Engetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda

LINHA COMPACTA. Especificação Técnica 1000 / 2000 / 3000 / 5000 VA. Engetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda Especificação Técnica LINHA COMPACTA 1000 / 2000 / 3000 / 5000 VA Engetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda Atendimento ao consumidor: 0800-318008 Web: www.engetron.com.br As informações contidas

Leia mais