Aula 22. Conversão Sigma-Delta (continuação)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aula 22. Conversão Sigma-Delta (continuação)"

Transcrição

1 Aula 22 Conversão Sigma-Delta (continuação) A estrutura mostrada na figura A.22.1 é chamado modulador Sigma-Delta (Σ- ). Esta estrutura, além de ser mais simples, pode ser considerada como uma versão suavizada do modulador delta de 1 bit. O nome modulador Sigma-Delta vem do fato do integrador (sigma) ser colocado na frente do modulador delta. Algumas vezes, o modulador Σ- é referido como um codificador interpolado. A característica do ruído de quantização é dependente da freqüência em contraste com o modulador delta. Como será discutida adiante, esta propriedade de shaping ruído é bem adequada para aplicações de processamento de sinais. Figura A.22.1 Diagrama em bloco do Modulador Sigma-Delta.

2 Como o modulador Delta, o Modulador Σ- usa um simples comparador. Entretanto, diferente da modulação delta este sistema codifica a integral do sinal e desta forma o seu desempenho é insensível à razão de mudança do sinal de entrada. O princípio do shaping noise está ilustrado na figura A.22.2 para um modelo simplificado no domínio s de um modulador de primeira ordem Σ-. O nó de soma do lado direito do integrador representa o comparador. É neste ponto onde o processo de amostragem ocorre e, portanto, é onde o ruído de quantização é adicionado. Figura A.22.2 Análise no domínio das freqüências (s) do modulador Σ-.

3 A função de transferência da razão sinal ruído (S/N) mostrada na figura A.22.2 ilustra a principal ação do modulador. Como a malha de realimentação integra o erro entre o sinal amostrado e sinal de entrada implica num filtro passa-baixas para o sinal e passa-altas para o ruído de quantização. Em outras palavras, o sinal de entrada não se altera desde que este contenha freqüência dentro da banda do filtro passa baixa, mas a malha do Σ- empurra o ruído de quantização para altas freqüências. Assim, temos dois efeitos: A sobreamostragem faz com que a densidade de ruído de quantização se espalhe por uma larga banda de freqüência; A característica shaping noise do modulador Σ- modifica esta densidade de ruído de maneira que este aumenta em altas freqüências e diminui em baixas freqüências. A conseqüências disso é que a densidade de ruído de quantização em baixas freqüências (banda base) decresce significativamente. A figura A.22.3 mostra graficamente os efeitos descritos acima na densidade de ruído de quantização. É importante notar que este efeito pode ainda ser mais pronunciado se utilizarmos moduladores Σ- de ordem maior do que 1. O que consiste numa espécie de efeito cascata.

4 η N B f = B f B ( f ) fb df = 2 F S 2 q 12 F s /2=-kf s -f B f B F s /2=kf s Efeito da sobreamostragem η N B` << N B F s /2=-kf s -f B f B F s /2=kf s Efeito do shaping noise Figura A.22.3 Modificação na densidade espectral de ruído de quantização do modulador Σ-. A figura A.22.4 mostra o diagrama em bloco de modulador (oversampled) Σ- de primeira ordem. A saída digital de 1 bit do modulador alimenta um filtro decimador digital que produz na sua saida uma precisão maior (16 bits) do sinal de entrada na freqüência de amostragem f S.

5 Embora o erro de quantização em todo instante de amostragem seja alto, devido ao quantizador de dois níveis (0 1), a ação do modulador Σ- é gerar uma saída ±1 que pode ser filtrada em vários períodos de amostra de entrada para produzir um resulta preciso. A filtragem ou média é realizada pelo filtro de decimação mostrado na figura (64x). Figura A.22.4 Diagrama em bloco de um conversor Sigma-Delta de primeira ordem. As formas de ondas de x(t) e y(t) deste modulador são mostradas na figura A.22.5 quando o sinal de entrada é uma senóide. Em cada ciclo de clock o valor da saída do modulador ou é mais ou menos o fundo de escala de acordo com o conversor A/D de 1 bit. Quando a senóide de entrada está próxima do fundo de escala positivo, a saída é positiva durante mais ciclos de clock. De forma similar para o caso da senóide de entrada é próxima do fundo de escala negativo. Em ambos os casos, a média local da saída do modulador acompanha o sinal de entrada.

6 Quando a entrada está próxima de zero, o valor da saída do modulador varia rapidamente entre ± o fundo de escala com media próxima de zero. Figura A.22.5 Entrada e Saída de um Modulador Sigma-Delta de primeira ordem.

7 Análise da Modulação Sigma-Delta no domínio da Transformada Z Considere a malha de primeira ordem mostrada na figura A A função de transferência no domínio da freqüência de um integrador é denotada por I(z) e um quantizador de 1 bit é modelado como uma fonte de ruído aditivo. A análise discreta no tempo produz: 1 [ X ( z) z Y ( z) ] Y ( z) = Q( z) + I( z) (A.22.1) Figura A.22.6 Análise no domínio Z de Modulador Σ-.

8 E pode ser resolvido para Y(z) como: I( z) 1 Y ( z) = X ( z) + Q( z) (A.22.2) I ( z) z 1+ I( z) z Para um integrador ideal, temos 1 I ( z) = (A.22.3) 1 1 z 1 Y ( z) = X ( z) + (1 z ) Q( z) (A.22.4) Desde que o ruído de quantização é assumido ser randômico, o diferenciador (1-z -1 ) mostrado na equação (A.22.4) dobra a potência do ruído de quantização. Entretanto, o erro é maior em altas freqüências devido ao efeito do diferenciador (1-z -1 ). Portanto, desde que o sinal de entrada analógica é sobreamostrado, o ruído de quantização em altas freqüências pode ser removido por um filtro digital passa-baixas sem afetar a característica do sinal de entrada na banda base. Esse filtro passa-baixas é parte de um processo de decimação. Assim, após um processo de filtragem digital, a saída terá somente componentes entre 0 Hz e f B. O desempenho de um modulador Σ- pode ser comparado com um amostrador ( sampler ) convencional de 1 bit Nyquist e o tipo sigma-delta sobreamostrado. A figura A.22.7 mostra o espectro de um modulador Σ- de primeira ordem descrito na figura A Como pode ser observado, o ruído na banda base (f B ) de conversor Σ- apresenta-se muito menor que os conversores Nyquist ou Moduladores Delta.

9 Entretanto, para um modulador Σ- de primeira ordem, ainda não é menor que -96 db necessário para um conversor de 16 bits. Figura A.22.7 Espectro de um Modulador Σ- de primeira ordem. Moduladores de ordem maior de um podem ser obtidos simplesmente cascateando moduladores Σ-, num arranjo chamado feed-forward. O diagrama em bloco de moduladores Σ- de segunda e terceira ordem é mostrado na figura A Quando múltiplas malhas Σ- são cascateadas para obter moduladores de alta ordem, é possível mostrar que o sinal de saída é dado por: 1 N Y ( z) = X ( z) + (1 z ) Q ( z) (A.22.5) N Onde N é ordem do modulador e Q N (z) é o ruído de quantização do n- ésimo modulador de primeira ordem.

10 Figura A.22.8 Shapers (núcleo do conversor) Sigma-Delta de segunda e terceira ordem. Portanto, moduladores Σ- com mais que uma ordem um, tal como os sistemas de terceira ordem mostrados na figura A.22.8, desempenham uma operação diferencial de maior ordem e produzem um erro bem menor em baixas freqüências.

11 Figura A.22.9 Shaper Sigma-Delta de múltiplas ordem. A figura A.22.9 compara o espectro dos shaper de segunda e terceira ordem com o de primeira ordem. A potência do erro de quantização do sistema de terceira ordem é claramente menor que o de primeira ordem. O desempenho de um sistema de terceira ordem com estrutura cascateada como mostrado na figura A.22.8 também pode ser comparado quando a entrada é um sinal senoidal. A figura A mostra a resposta em freqüência dos três moduladores. O intervalo da freqüência no eixo x é a metade da freqüência de amostragem (3.2 MHz para 6.4 MHz de taxa de amostragem). Note que a freqüência de interesse é uma pequena porção do gráfico.

12 Figura A Resposta em freqüência para uma senoide de entrada com freqüência igual a 5 khz.

13 Filtragem Decimação Digital Dois principais objetivos da filtragem de ruído são: 1)evitar que aliasing pode ocorrer para banda base; 2) tornar uma seqüência (stream) de dados de 1 bit e transformá-lo em maior resolução (16 bits, por exemplo) numa menor taxa de amostragem. Este processo segundo objetivo é chamado de decimação. Essencialmente, decimação tem ambas as funções: média e redução da taxa de amostragem simultaneamente. Duas tarefas básicas são realizada na seção de filtro de um conversor Σ- : 1. Remover o ruído de quantização: como a maior parte do ruído está presente em altas freqüência, o filtro deve remover esta porção de ruído fora da banda base. Reduzir a quantidade de ruído na banda base significa aumento de resolução do conversor. 2. Decimação (redução de taxa de amostragem): após a filtragem do ruído de quantização fora da banda base, é possível e é conveniente reduzir a taxa de amostragem para a freqüência de Nyquist. Isto minimiza a quantidade de informação redundante). O mais simples e econômico filtro para realizar as tarefas acima é o chamado Comb-Filter. Nenhuma multiplicação é necessária nesse filtro porque todos os seus coeficientes são unitários. Normalmente os conversores Sigma-Delta atuais utilizam três a cinco filtros Comb cascateados e um filtro digital adicional. A figura A mostra esta topologia.

14 Figura A Processo de decimação digital. A estrutura de um filtro Comb Um filtro Comb de comprimento N é um filtro FIR (resposta ao impulso finita) com todos os seus coeficientes iguais a 1. A função transferência de um filtro Comb é: H ( z) Y ( z) X ( ) N 1 n = z = n= 0 z (A.22.6) Para N = 4 a equação (A.22.6 ) torna-se y ( n) = x( n) + x( n 1) + x( n 2) + x( n 3) (A.22.7)

15 Claramente o filtro é um simples acumulador que realiza uma média móvel. Usando a fórmula para uma soma geométrica a equação (A.22.7) pode ser escrita como e y ( n 1) = x( n 1) + x( n 2) + x( n 3) + x( n 4) y ( n) = x( n) + y( n 1) x( n 4) (A.22.8) Ou no espaço z, para qualquer N H N N Y ( z) 1 z 1 (1 z ) z) = = = (A.22.9) 1 X ( z) 1 z 1 z 1 ( 1 A figura A mostra o diagrama em bloco do processo de filtragem de um estágio Comb. Figura A Diagrama em bloco do filtro Comb.

16 A função de transferência de um filtro Comb para N = 16 é mostrada na figura A seguido por um processo de decimação. Figura A Função de transferência de um filtro Comb. Como pode ser observado um único filtro Comb não tem uma atenuação suficiente na banda de atenuação (stop band). Entretanto, como já falamos, cascateando três a cinco estágios desse filtro atingimos a atenuação necessária.

17 A figura A mostra a estrutura de um filtro Comb de quatro seções e o espectro resultante comparados filtros de ordem menores. Figura A Estrutura cascateada de um filtro Comb. A figura A a) mostra um shaper Σ- de terceira ordem; a resposta do filtro Comb de quatro estágios é mostrado na figura A b). Assim, o ruído de quantização teórico filtrado pelo filtro Comb de 4 ordem pode ser computado como mostrado na figura A c). Após um processo de decimação de 16:1, o ruído na banda

18 de 200 khz a 1.6 MHz poderá ser superposto ( aliasing ) para banda base até 200 khz. Figura A Ruído na saída do Filtro Comb de um Σ- de terceira ordem.

I-7 Digitalização e Reconstrução

I-7 Digitalização e Reconstrução I-7 Digitalização e Reconstrução (29 Novembro 2010) 1 Sumário 1. Teorema da Amostragem 1. Ritmo de Nyquist 2. Amostragem Ideal e Natural (análise no tempo e na frequência) 1. Sinais Passa Baixo 2. Sinais

Leia mais

Aula 23. DDS Digital Direct Synthesis

Aula 23. DDS Digital Direct Synthesis Aula 23 DDS Digital Direct Synthesis Introdução Síntese direta digital, DDS (do inglês, Direct digital synthesis) é uma técnica para uso com sistemas de processamento de dados digitais para gerar um sinal

Leia mais

CONVERSÃO ANALÓGICA PARA DIGITAL

CONVERSÃO ANALÓGICA PARA DIGITAL CONVERSÃO ANALÓGICA PARA DIGITAL CONVERSÃO ANALÓGICA PARA DIGITAL A maior parte dos sinais de interesse práticos são analógicos ( voz, biológicos, radar, sonar, comunicações ). Para processá-los por meios

Leia mais

Processamento Digital de Sinais. Conversão A/D e D/A. Prof. Dr. Carlos Alberto Ynoguti

Processamento Digital de Sinais. Conversão A/D e D/A. Prof. Dr. Carlos Alberto Ynoguti Processamento Digital de Sinais Conversão A/D e D/A Prof. Dr. Carlos Alberto Ynoguti Introdução A maioria dos sinais encontrados na natureza é contínua Para processá-los digitalmente, devemos: Converter

Leia mais

I-8 Digitalização e Reconstrução

I-8 Digitalização e Reconstrução I-8 Digitalização e Reconstrução Comunicações (15 de novembro de 2016) ISEL - ADEETC - Comunicações 1 Sumário 1. Enquadramento em SCD Transmissão de sinal analógico sobre SCD 2. Teorema da Amostragem Ritmo

Leia mais

Princípios de Telecomunicações. PRT60806 Aula 19: Modulação por Código de Pulso (PCM) Professor: Bruno Fontana da silva 2014

Princípios de Telecomunicações. PRT60806 Aula 19: Modulação por Código de Pulso (PCM) Professor: Bruno Fontana da silva 2014 1 Princípios de Telecomunicações PRT60806 Aula 19: Modulação por Código de Pulso (PCM) Professor: Bruno Fontana da silva 2014 Bloco de Comunicação Genérico Emissor sinais analógicos x sinais digitais Sinais

Leia mais

Conversores A/D e D/A

Conversores A/D e D/A Conversores A/D e D/A Walter Fetter Lages w.fetter@ieee.org Universidade Federal do io Grande do Sul Escola de Engenharia Departamento de Engenharia Elétrica Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica

Leia mais

Filtros Digitais. Filtros básicos, parâmetros no domínio do tempo e frequência, classificação de filtros

Filtros Digitais. Filtros básicos, parâmetros no domínio do tempo e frequência, classificação de filtros Filtros Digitais Filtros básicos, parâmetros no domínio do tempo e frequência, classificação de filtros Filtros são usados basicamente para dois propósitos: Separação de sinais combinados; Restauração

Leia mais

Amostragem de Sinais

Amostragem de Sinais UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA Amostragem de Sinais Prof. Juan Moises Mauricio Villanueva jmauricio@cear.ufpb.br 1 Amostragem (Sampling) Para um sinal

Leia mais

Parâmetros importantes de um Analisador de Espectros: Faixa de frequência. Exatidão (frequência e amplitude) Sensibilidade. Resolução.

Parâmetros importantes de um Analisador de Espectros: Faixa de frequência. Exatidão (frequência e amplitude) Sensibilidade. Resolução. Parâmetros importantes de um Analisador de Espectros: Faixa de frequência Exatidão (frequência e amplitude) Sensibilidade Resolução Distorção Faixa dinâmica Faixa de frequência: Determina as frequências

Leia mais

Curso de Engenharia Elétrica Processamento Digital de Sinais II Exercícios sobre filtros não recursivos Data de entrega: 17/11/2015

Curso de Engenharia Elétrica Processamento Digital de Sinais II Exercícios sobre filtros não recursivos Data de entrega: 17/11/2015 Curso de Engenharia Elétrica Processamento Digital de Sinais II Exercícios sobre filtros não recursivos Data de entrega: 17/11/2015 1) Projete um filtro FIR passa baixas de 3 etapas com frequência de corte

Leia mais

Processamento Digital de Sinais. Conversão A/D e D/A. Prof. Dr. Carlos Alberto Ynoguti

Processamento Digital de Sinais. Conversão A/D e D/A. Prof. Dr. Carlos Alberto Ynoguti Processamento Digital de Sinais Conversão A/D e D/A Prof. Dr. Carlos Alberto Ynoguti Introdução A maioria dos sinais encontrados na natureza é contínua Para processá los digitalmente, devemos: Converter

Leia mais

Efeitos da filtragem sobre sinais de onda quadrada

Efeitos da filtragem sobre sinais de onda quadrada Efeitos da filtragem sobre sinais de onda quadrada Autores: Pedro Rodrigues e André F. Kohn Introdução O texto a seguir ilustra efeitos que diferentes sistemas lineares invariantes no tempo (SLIT) podem

Leia mais

Exercícios para Processamento Digital de Sinal - Folha

Exercícios para Processamento Digital de Sinal - Folha Exercícios para Processamento Digital de Sinal - Folha 1 Interpolação Exercício 1 Suponha que uma sinusóide de frequência angular π/4 foi aplicada na entrada de um bloco expansor que aumenta a frequência

Leia mais

Conceitos Básicos de Áudio Digital

Conceitos Básicos de Áudio Digital Aula 07 Conceitos Básicos de Áudio Digital Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Ciências Exatas e Naturais Ciência da Computação Som Conceitos Iniciais

Leia mais

CONVERSORES D/A e A/D

CONVERSORES D/A e A/D CONVERSORES D/A e A/D Conversores A/D Analógico/Digital e D/A - Digital/Analógico são circuitos responsáveis pela conversão de sinais analógicos para digitais, e de sinais digitais para sinais analógicos.

Leia mais

Modulação por Pulsos

Modulação por Pulsos Modulação por Pulsos Propriedades Amostragem de sinais Modulação por amplitude de pulso (PAM) Modulação por pulso codificado (PCM) Modulação por largura de pulso (PWM) Modulação por posição de pulso (PPM)

Leia mais

Introdução a filtros digitais. Theo Pavan e Adilton Carneiro TAPS

Introdução a filtros digitais. Theo Pavan e Adilton Carneiro TAPS Introdução a filtros digitais Theo Pavan e Adilton Carneiro TAPS Filtro anti-aliasing Com um sinal já digitalizado não é possível distinguir entre uma frequência alias e uma frequência que realmente esteja

Leia mais

3 Conceitos básicos de filtragem digital multitaxa

3 Conceitos básicos de filtragem digital multitaxa Conceitos básicos de filtragem digital multitaxa.1 Introdução Filtragem digital multitaxa é um tipo de processamento de sinais em que são utilizados certos operadores que alteram a taxa de amostragem do

Leia mais

Processamento Digital de Sinais:

Processamento Digital de Sinais: Processamento Digital de Sinais: Conceitos e Aplicações Joseana Macêdo Fechine Régis de Araújo IC-DSC-UFCG 1 Por que estudar PDS? 2 PDS Conceitos Básicos Sinais Padrões de variações que representam uma

Leia mais

Módulos Funcionais para Instrumentação

Módulos Funcionais para Instrumentação Módulos Funcionais para Instrumentação Conversores DA/AD 1 Conversores DA e AD Alguém tem conversores DA/AD aqui na sala? Telemóveis Leitores de MP3 Placas de som de PCs E em casa? Sistemas de áudio Televisões

Leia mais

Edital 064/ Área 20 Engenharia

Edital 064/ Área 20 Engenharia CAMPUS PELOTAS PELOTAS INSTRUÇÕES GERAIS 1 - Este caderno de prova é constituído por 4 (quarenta) questões objetivas. 2 - A prova terá duração máxima de 4 (quatro) horas. 3 - Para cada questão são apresentadas

Leia mais

O processo de filtragem de sinais pode ser realizado digitalmente, na forma esquematizada pelo diagrama apresentado a seguir:

O processo de filtragem de sinais pode ser realizado digitalmente, na forma esquematizada pelo diagrama apresentado a seguir: Sistemas e Sinais O processo de filtragem de sinais pode ser realizado digitalmente, na forma esquematizada pelo diagrama apresentado a seguir: 1 Sistemas e Sinais O bloco conversor A/D converte o sinal

Leia mais

Analisador de espectros por FFT

Analisador de espectros por FFT Analisador de espectros por FFT A transformada de Fourier (FT) é uma ferramenta matemática utilizada essencialmente para decompor ou separar uma função ou forma de onda em senóides de diferentes frequências

Leia mais

Redução de ruído em sinais amostrados

Redução de ruído em sinais amostrados Redução de ruído em sinais amostrados Técnicas de redução de ruídos de sinais amostrados Técnicas de DSP são normalmente usadas para aumentar a relação sinal/ruído de sinais amostrados São também chamadas

Leia mais

PROJETO E IMPLEMENTAÇÃO DE UM TRANSDUTOR SIGMA-DELTA TÉRMICO LINEAR

PROJETO E IMPLEMENTAÇÃO DE UM TRANSDUTOR SIGMA-DELTA TÉRMICO LINEAR PROJETO E IMPLEMENTAÇÃO DE UM TRANSDUTOR SIGMA-DELTA TÉRMICO LINEAR Valter da Conceição Rosa Dissertação de Mestrado submetida ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica da Universidade Federal

Leia mais

Conversor A/D por aproximações sucessivas

Conversor A/D por aproximações sucessivas Conversor A/D por aproximações sucessivas É baseado no mesmo princípio do A/D de rampa digital, onde o sinal analógico de entrada i é comparado sucessivamente com a saída analógica do conversor D/A acoplado

Leia mais

TE-060 PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÃO Prof. Evelio M. G. Fernández LISTA DE EXERCÍCIOS N 3

TE-060 PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÃO Prof. Evelio M. G. Fernández LISTA DE EXERCÍCIOS N 3 f(x) 3 1 1.- O sinal xt πt πt 1 cos 1 sin 1 TE-6 PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÃO Prof. Evelio M. G. Fernández LISTA DE EXERCÍCIOS N 3 3 Volts, é amostrado e processado por um quantizador uniforme de 7 its, funcionando

Leia mais

CIRCUITOS E SISTEMAS ELECTRÓNICOS

CIRCUITOS E SISTEMAS ELECTRÓNICOS INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA Apontamentos sobre Conversores A/D e D/A CIRCUITOS E SISTEMAS ELECTRÓNICOS APONTAMENTOS SOBRE CONVERSORES ANALÓGICO-DIGITAL E DIGITAL-ANALÓGICO Índice

Leia mais

SEL 0412 Tecnologia Digital Teoria

SEL 0412 Tecnologia Digital Teoria SEL 0412 Tecnologia Digital Teoria Aquisição de Dados Profa. Tania Regina Tronco Conceito É a coleta de informações para fins de análise dos dados e consequente controle e monitoramento de um processo;

Leia mais

Analisador de Espectros

Analisador de Espectros Analisador de Espectros O analisador de espectros é um instrumento utilizado para a análise de sinais alternados no domínio da freqüência. Possui certa semelhança com um osciloscópio, uma vez que o resultado

Leia mais

Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco

Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco TV Analógica e Digital Codificação de Fonte Prof. Márcio Lima E-mail:marcio.lima@poli.br 12.06.2014 Introdução A principal função de um sistema

Leia mais

PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÃO

PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÃO PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÃO MODULAÇÃO DE PULSO Evelio M. G. Fernández - 2011 Sistemas de Comunicações Digitais Sistema digital no sentido de utilizar uma seqüência de símbolos pertencentes a um conjunto

Leia mais

Osciloscópio Digital. Diagrama em blocos:

Osciloscópio Digital. Diagrama em blocos: Osciloscópio Digital Neste tipo de osciloscópio, o sinal analógico de entrada é inicialmente convertido para o domínio digital através de um conversor A/D rápido, sendo em seguida armazenado em uma memória

Leia mais

I. B. de Paula CONDICIONAMENTO DE SINAIS E MEDIDAS ELÉTRICAS

I. B. de Paula CONDICIONAMENTO DE SINAIS E MEDIDAS ELÉTRICAS CONDICIONAMENTO DE SINAIS E MEDIDAS ELÉTRICAS 1 Revisão da aula passada Ruído e interferência: podem ocorrer em quase todas as aplicações de engenharia onde existe transmissão de informações 2 Revisão

Leia mais

Transmissão de impulsos em banda-base

Transmissão de impulsos em banda-base ransmissão de impulsos em banda-base ransmissão de impulsos através de um canal com ruído aditivo.3 O filtro adaptado e o correlacionador ransmissão de sinais em canais banda-base Introdução Consideremos

Leia mais

Princípios de Comunicação: Simulação /2

Princípios de Comunicação: Simulação /2 Princípios de Comunicação: Simulação 2 2015/2 18 de Novembro de 2015 Instruções 1. A simulação poderá ser feita em Matlab, Scilab ou C++; 2. A simulação deve ser entregue sob a forma de relatório em formato

Leia mais

Introdução aos Filtros Digitais

Introdução aos Filtros Digitais Processamento Digital de Sinais Introdução aos Filtros Digitais Prof. Dr. Carlos Alberto Ynoguti Conceitos Básicos Funções principais dos filtros: separação de sinais Exemplo: monitorar o sinal de ECG

Leia mais

Sumário. 1 Sinais e sistemas no tempo discreto 1. 2 As transformadas z e de Fourier 79

Sumário. 1 Sinais e sistemas no tempo discreto 1. 2 As transformadas z e de Fourier 79 Sumário 1 Sinais e sistemas no tempo discreto 1 1.1 Introdução 1 1.2 Sinais no tempo discreto 2 1.3 Sistemas no tempo discreto 7 1.3.1 Linearidade 8 1.3.2 Invariância no tempo 8 1.3.3 Causalidade 9 1.3.4

Leia mais

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS ENG JR ELETRON 2005 29 O gráfico mostrado na figura acima ilustra o diagrama do Lugar das Raízes de um sistema de 3ª ordem, com três pólos, nenhum zero finito e com realimentação de saída. Com base nas

Leia mais

Modulações de Espectro Espalhado

Modulações de Espectro Espalhado Modulações de Espectro Espalhado Propriedades Gerador de sequência aleatória Sequência Direta (DSSS) Chirp (CSS) Salto de Frequência (FHSS) Salto de Tempo (THSS) Prof. Marlio Bonfim Técnicas de Modulação

Leia mais

Apresentação... 1 Introdução... 1

Apresentação... 1 Introdução... 1 Apresentação O objetivo principal deste texto é servir como material básico para uma disciplina introdutória sobre sistemas de comunicações em um curso de Engenharia Elétrica. Ele tem abrangência limitada,

Leia mais

I. B. de Paula CONDICIONAMENTO DE SINAIS E MEDIDAS ELÉTRICAS

I. B. de Paula CONDICIONAMENTO DE SINAIS E MEDIDAS ELÉTRICAS CONDICIONAMENTO DE SINAIS E MEDIDAS ELÉTRICAS 1 Revisão da aula passada Ruído e interferência: podem ocorrer em quase todas as aplicações de engenharia onde existe transmissão de informações 2 Revisão

Leia mais

TRANSMISSÃO DE DADOS

TRANSMISSÃO DE DADOS TRANSMISSÃO DE DADOS Aula 2: Dados e sinais Notas de aula do livro: FOROUZAN, B. A., Comunicação de Dados e Redes de Computadores, MCGraw Hill, 4ª edição Prof. Ulisses Cotta Cavalca

Leia mais

Introdução a aquisição e processamento de sinais

Introdução a aquisição e processamento de sinais TAPS Introdução a aquisição e processamento de sinais Prof. Theo Z. Pavan Departamento de Física - Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto-USP Roteiro Aquisição de sinais e frequência

Leia mais

Ruído. Aula 11 Prof. Nobuo Oki

Ruído. Aula 11 Prof. Nobuo Oki Ruído Aula 11 Prof. Nobuo Oki Considerações Gerais Ruído O ruído limita o nível mínimo do sinal que um circuito pode processar com uma qualidade aceitável. O problema do ruído relaciona-se com a potência

Leia mais

Teorema de Nyquist Teorema da Amostragem

Teorema de Nyquist Teorema da Amostragem Teorema de Nyquist Teorema da Amostragem Em um canal livre de ruídos, a única limitação imposta à taxa de transmissão de dados será devida à largura de banda do canal. A formulação para esta limitação

Leia mais

Capítulo 6 Filtragem, Amostragem e Reconstrução

Capítulo 6 Filtragem, Amostragem e Reconstrução Capítulo 6 Filtragem, Amostragem e Reconstrução 6. Filtragem 6.2 Amostragem e reconstrução de sinais Capítulo 6 Filtragem, Amostragem e Reconstrução 6. Filtragem 6.2 Amostragem e reconstrução de sinais

Leia mais

Modulação e Codificação

Modulação e Codificação INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA Departamento de Ciências e Tecnologias de Informação Engenharia de Telecomunicações e Informática Modulação e Codificação Ano Lectivo 2001/2002 2º

Leia mais

Resumo. Sinais e Sistemas Amostragem. Introdução. Amostragem Periódica

Resumo. Sinais e Sistemas Amostragem. Introdução. Amostragem Periódica Resumo Sinais e Sistemas Amostragem lco@ist.utl.pt Instituto Superior écnico Representação da Amostragem no Domínio da Frequência Reconstrução do Sinal Amostrado Processamento em empo Discreto de Sinais

Leia mais

Aquisição rápida de sinais no tempo

Aquisição rápida de sinais no tempo Universidade Federal do Paraná Dep. De Engenharia Elétrica PPGEE Disciplina: Eletrônica Avançada Eletrônica Avançada 1 O processo de conversão de sinais analógicos no domínio do tempo para valores digitais

Leia mais

Módulo 3 Teoria da Amostragem Sistemas Multimédia Ana Tomé José Vieira

Módulo 3 Teoria da Amostragem Sistemas Multimédia Ana Tomé José Vieira Módulo 3 Teoria da Amostragem Sistemas Multimédia Ana Tomé José Vieira Departamento de Electrónica, Telecomunicações e Informática Universidade de Aveiro 1 Sumário Noção de filtro Conversão A/D Amostragem

Leia mais

Sistema Digitais. Bacharelado de Informática UEM DIN - Prof. Elvio 2016

Sistema Digitais. Bacharelado de Informática UEM DIN - Prof. Elvio 2016 5197 - Sistema Digitais Bacharelado de Informática UEM DIN - Prof. Elvio 2016 Roteiro Conversor Analógico/Digital Aquisição de Dados Sinal Analógico Sinal contínuo na ordenada e na abscissa Digitalização

Leia mais

Técnicas de Interface: conversor A/D e D/A

Técnicas de Interface: conversor A/D e D/A Técnicas de Interface: conversor A/D e D/A Prof. Adilson Gonzaga Interface com Conversores A/D e D/A Conversor A/D ADC Converte um Valor Analógico para Digital Conversor D/A DAC Converte um Valor Digital

Leia mais

EEC4164 Telecomunicações 2

EEC4164 Telecomunicações 2 Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores EEC4164 Telecomunicações (00/003) 1ª Parte Duração: 1 hora (sem consulta) 1ª chamada 4 de Janeiro de 003 1. a) Uma alternativa a PCM é a modulação

Leia mais

Conversão Analógica - Digital. Keylly Eyglys Orientação: Adrião Duarte

Conversão Analógica - Digital. Keylly Eyglys Orientação: Adrião Duarte Conversão Analógica - Digital Keylly Eyglys Orientação: Adrião Duarte Motivação Existem inúmeras técnicas de processamento de digital de sinais Para se armazenar um sinal, ele deve estar na forma digital

Leia mais

PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÃO

PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÃO PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÃO RUÍDO EM MODULAÇÕES ANALÓGICAS Evelio M. G. Fernández - 2011 Processo Aleatório (ou Estocástico): Função aleatória do tempo para modelar formas de onda desconhecidas. Processos

Leia mais

Experiência 5: Circuitos osciladores e conversores digital-analógicos

Experiência 5: Circuitos osciladores e conversores digital-analógicos Experiência 5: Circuitos osciladores e conversores digital-analógicos Esta experiência analisa circuitos osciladores e conversores digital-analógicos. Circuitos osciladores são fundamentais em eletrônica,

Leia mais

Sistemas Microcontrolados

Sistemas Microcontrolados Sistemas Microcontrolados Aula 8: Conversores A/D e D/A Marco Jose da Silva mdasilva@utfpr.edu.br Interface com o Mundo Analógico Na realização destas aplicações, verificamos cinco elemento envolvidos.

Leia mais

Resumindo:Discretização, ADC. ADC: aprox. sucessiva. Diagrama em blocos ADC. Como obter um DAC? Rede de resistores. Conversão Análogico-Digital (ADC)

Resumindo:Discretização, ADC. ADC: aprox. sucessiva. Diagrama em blocos ADC. Como obter um DAC? Rede de resistores. Conversão Análogico-Digital (ADC) Resumindo:Discretização, Conversão Análogico-Digital () Prof. Sérgio S Furuie LEB/PTC/ Converte valores analógicos em digitais Em geral valores de tensão elétrica, pois a maioria dos transdutores convertem

Leia mais

Processamento Digital de Sinais. Notas de Aula. Análise Espectral Usando a DFT

Processamento Digital de Sinais. Notas de Aula. Análise Espectral Usando a DFT Análise Espectral Análise Espectral Análise Espectral Usando a DFT Processamento Digital de Sinais Notas de Aula Análise Espectral Usando a DFT Uma das principais aplicações da DFT é a análise do conteúdo

Leia mais

Capítulo 8 Realimentação

Capítulo 8 Realimentação Capítulo 8 Realimentação Considerações Gerais A Fig. 1 mostra o sistema com realimentação negativa, onde H(s) e G(s) são chamados de malha direta e de realimentação, respectivamente. Fig. 1. Malha de Realimentação

Leia mais

ENGG55 REDES INDUSTRIAIS Introdução aos Sistemas de Comunicação Industrial

ENGG55 REDES INDUSTRIAIS Introdução aos Sistemas de Comunicação Industrial ENGG55 REDES INDUSTRIAIS Introdução aos Sistemas de Comunicação Industrial Prof. Eduardo Simas (eduardo.simas@ufba.br) DEE Departamento de Engenharia Elétrica Escola Politécnica - UFBA 1 Introdução Muitas

Leia mais

SUMÁRIO FUNDAMENTOS E VISÃO GERAL 19 CAPÍTULO 1 PROCESSOS ALEATÓRIOS 49

SUMÁRIO FUNDAMENTOS E VISÃO GERAL 19 CAPÍTULO 1 PROCESSOS ALEATÓRIOS 49 SUMÁRIO FUNDAMENTOS E VISÃO GERAL 19 1. O processo de comunicação 19 2. Principais recursos de comunicação 21 3. Fontes de informação 21 4. Redes de comunicação 27 5. Canais de comunicação 33 6. Processo

Leia mais

I-6 Sistemas e Resposta em Frequência. Comunicações (6 de Dezembro de 2012)

I-6 Sistemas e Resposta em Frequência. Comunicações (6 de Dezembro de 2012) I-6 Sistemas e Resposta em Frequência (6 de Dezembro de 2012) Sumário 1. A função especial delta-dirac 2. Sistemas 3. Resposta impulsional e resposta em frequência 4. Tipos de filtragem 5. Associação de

Leia mais

1 Técnicas de Seleção de Antenas Transmissoras

1 Técnicas de Seleção de Antenas Transmissoras 1 Técnicas de Seleção de Antenas Transmissoras Como visto em aulas anteriores, para se atingir uma ordem de diversidade espacial maior é necessário o emprego de múltiplas antenas no transmissor e/ou no

Leia mais

Formatação de fonte. PCM ( Pulse Code Modulation )

Formatação de fonte. PCM ( Pulse Code Modulation ) Formatação de fonte PCM ( Pulse Code Modulation ) Elementos básicos de um sistema PCM A obtenção de um sinal PCM envolve três operações: 1. Amostragem. uantização (uniforme ou não-uniforme) 3. Codificação

Leia mais

Aula 6 PS Prof. César Janeczko. Filtros Digitais

Aula 6 PS Prof. César Janeczko. Filtros Digitais Aula 6 PS Prof. César Janeczko Filtros Digitais Filtros digitais são usados em geral para dois propósitos: 1 o separação de sinais que foram combinados, por exemplo, modulados; 2 o restauração de sinais

Leia mais

BETA TELECOM Consultores. Parte 2

BETA TELECOM Consultores. Parte 2 Parte 2 Esta é a segunda parte do artigo BT.466/01. Na primeira parte foram vistos os princípios básicos que definem o sistema de Espalhamento Espectral. Nesta parte serão detalhados os dois principais

Leia mais

HARDWARE DOS RELÉS NUMÉRICOS

HARDWARE DOS RELÉS NUMÉRICOS HARDWARE DOS RELÉS NUMÉRICOS 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS Objetivos idênticos ao hardware dos relés convencionais, ou seja, recebem sinais analógicos de tensão, corrente e outros, sinais digitais de contatos

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO ENGENHARIA ELETRÔNICA CADERNO DE QUESTÕES

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO ENGENHARIA ELETRÔNICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO EXÉRCITO BRASILEIRO ENGENHARIA ELETRÔNICA CADERNO DE QUESTÕES 2012 l a QUESTÃO Valor: 1,00 Um filtro digital é especificado pela seguinte equação: y[n] = 4n-1]

Leia mais

Modulação por Pulsos

Modulação por Pulsos Modulação por Pulsos Propriedades Amostragem de sinais Modulação por amplitude de pulso (PAM) Modulação por pulso codificado (PCM) Modulação por largura de pulso (PWM) Modulação por posição de pulso (PPM)

Leia mais

Estudando com o MATLAB

Estudando com o MATLAB Estudando com o MATLAB Curso de Extensão Docentes: > Fabiano Araujo Soares > Marcelino M. de Andrade Monitor: >Luan Felipe Aula 4: Aplicações - Parte II 1ª Parte - Estatística Aula 4-1ª Parte: Estatística

Leia mais

Comunicações Digitais

Comunicações Digitais 1 - Introdução Enlace de um Sistema de Comunicação fonte mensagem transdutor Transmissor Modulador canal ruído receptor transdutor destino mensagem (estimada) sinal de entrada sinal com distorção sinal

Leia mais

Lição de Processamento Digital de Sinais. Operação de Zooming em Processamento de Imagem. Rui Jesus

Lição de Processamento Digital de Sinais. Operação de Zooming em Processamento de Imagem. Rui Jesus Lição de Processamento Digital de Sinais Operação de Zooming em Processamento de Imagem Rui Jesus ISEL, Julho 22 .INTRODUÇÂO. Enquadramento Esta lição destina-se aos alunos da disciplina de Processamento

Leia mais

Universidade de Brasília - UnB Faculdade UnB Gama - FGA Curso de Engenharia Eletrônica

Universidade de Brasília - UnB Faculdade UnB Gama - FGA Curso de Engenharia Eletrônica Universidade de Brasília - UnB Faculdade UnB Gama - FGA Curso de Engenharia Eletrônica PROJETO DE CONVERSOR A/D DO TIPO ΣΔ DE BAIXO CONSUMO DE POTÊNCIA APLICADO AO USO DO MARCA PASSO Autora: Karine Ribeiro

Leia mais

Métodos Matemáticos e Computacionais em Música

Métodos Matemáticos e Computacionais em Música Métodos Matemáticos e Computacionais em Música Luiz Velho, Paulo Cesar Carvalho, Sergio Krakowski, Marcelo Cicconet IMPA Processamento de Sinais Sonoros Luiz Velho Som - Sinal 1 D Música e Som Musica

Leia mais

ÍNDICE LISTA DE FIGURAS LISTA DE TABELAS PREFÁCIO AGRADECIMENTOS

ÍNDICE LISTA DE FIGURAS LISTA DE TABELAS PREFÁCIO AGRADECIMENTOS ÍNDICE LISTA DE FIGURAS LISTA DE TABELAS PREFÁCIO AGRADECIMENTOS 1 O SISTEMA TELEFÓNICO 1.1 Introdução 1.2 Terminais telefónicos 1.3 Rede telefónica 1.4 Princípios de comutação telefónica 1.4.1 Introdução

Leia mais

Sinais e Sistemas. Tempo para Sistemas Lineares Invariantes no Tempo. Representações em Domínio do. Profª Sandra Mara Torres Müller.

Sinais e Sistemas. Tempo para Sistemas Lineares Invariantes no Tempo. Representações em Domínio do. Profª Sandra Mara Torres Müller. Sinais e Sistemas Representações em Domínio do Tempo para Sistemas Lineares Invariantes no Tempo Profª Sandra Mara Torres Müller Aula 7 Representações em Domínio do Tempo para Sistemas Lineares e Invariantes

Leia mais

CONVERSORES AD/DA (ÁUDIO CODEC)

CONVERSORES AD/DA (ÁUDIO CODEC) MICROPROCESSADORES II (EMA864315) CONVERSORES AD/DA (ÁUDIO CODEC) 1 O SEMESTRE / 2017 Alexandro Baldassin MOTIVAÇÃO Sistemas digitais são usados para processar informação Informação no mundo real é analógica

Leia mais

Representação de Fourier para Sinais 1

Representação de Fourier para Sinais 1 Representação de Fourier para Sinais A representação de Fourier para sinais é realizada através da soma ponderada de funções senoidais complexas. Se este sinal for aplicado a um sistema LTI, a saída do

Leia mais

Sinais de Teste. A escolha deve ter em conta quer as propriedades do sistema, quer do método de estimação considerado.

Sinais de Teste. A escolha deve ter em conta quer as propriedades do sistema, quer do método de estimação considerado. 40 Sinais de Teste Em muitos casos, os sistemas em estudo permitem-nos escolher os sinais de entrada a aplicar. São sinais de teste típicos os seguintes: Escalões (ondas quadradas) Sinusoides Ruído Branco

Leia mais

3 Identificação de Locutor Usando Técnicas de Múltiplos Classificadores em Sub-bandas Com Pesos Não-Uniformes

3 Identificação de Locutor Usando Técnicas de Múltiplos Classificadores em Sub-bandas Com Pesos Não-Uniformes 3 Identificação de Locutor Usando Técnicas de Múltiplos Classificadores em Sub-bandas Com Pesos Não-Uniformes Neste capítulo, é apresentada uma nova proposta de combinação de múltiplos classificadores

Leia mais

COMUNICAÇÃO DIGITAL 1. INTRODUÇÃO PROF. MARCIO EISENCRAFT

COMUNICAÇÃO DIGITAL 1. INTRODUÇÃO PROF. MARCIO EISENCRAFT COMUNICAÇÃO DIGITAL 1. INTRODUÇÃO PROF. MARCIO EISENCRAFT Baseado em http://ocw.mit.edu/courses/electrical-engineering-and-computer-science/6-450- principles-of-digital-communications-i-fall-2006/video-lectures/lecture-1-introduction/

Leia mais

Convolução Correlação. Profs. Theo Pavan e Adilton Carneiro TAPS

Convolução Correlação. Profs. Theo Pavan e Adilton Carneiro TAPS Convolução Correlação Profs. Theo Pavan e Adilton Carneiro TAPS Sistema Sistema processo em que os sinais de entrada são transformados resultando em um outro sinal de saída. x(t) Sistema de tempo contínuo

Leia mais

Processamento Digital de Imagens

Processamento Digital de Imagens Ciência da Computação Processamento Digital de Imagens Prof. Sergio Ribeiro Tópicos Introdução Espectro Eletromagnético Aquisição e Digitalização de Imagens Efeitos da Digitalização Digitalização Sensoriamento

Leia mais

Processamento Digital de Sinais. Aplicações da DFT. Prof. Dr. Carlos Alberto Ynoguti

Processamento Digital de Sinais. Aplicações da DFT. Prof. Dr. Carlos Alberto Ynoguti Processamento Digital de Sinais Aplicações da DFT Prof. Dr. Carlos Alberto Ynoguti Aplicações da DFT Nesta seção iremos apresentar três aplicações bastante comuns da DFT: 1) Análise espectral de sinais

Leia mais

controle em instrumentação

controle em instrumentação Circuitos digitais para aquisição de dados e controle em instrumentação O objetivo primordial da conversão de sinais (de ou para sinais elétricos) realizada pelos transdutores, é o de transferir informação

Leia mais

Instrumentação e Técnicas de. Medidas. Conversores AD e DA

Instrumentação e Técnicas de. Medidas. Conversores AD e DA Instrumentação e Técnicas de Medidas Conversores AD e DA Controle de Versões 2010 Versão 1 Instrumentação e Técnicas de Medidas (ITM) 2012 Versão 2 Pequenas alterações no texto, links, CIs não obsoletos.

Leia mais

Conversão Analógico-digital

Conversão Analógico-digital Conversão Analógico-digital Trabalho Laboratorial Objectivos estudar vários aspectos da conversão analógico-digital, nomeadamente, a sobreposição espectral, a quantificação e alguns aspectos relativos

Leia mais

MIC78 Conversores de Sinais Analógicos e Digitais CMOS Introdução. Plano de Ensino

MIC78 Conversores de Sinais Analógicos e Digitais CMOS Introdução. Plano de Ensino MIC78 Conversores de Sinais Analógicos e Digitais CMOS Introdução Prof. Dr. Hamilton Klimach hamilton.klimach@ufrgs.br Prof. Dr. Eric Fabris Eric.fabris@ufrgs.br Plano de Ensino DISCIPLINA: MIC78 Tópicos

Leia mais

Técnicas de Gravação e Mixagem de Audio. Apostila 5. Audio Digital. 1. PCM Pulse Code Modulation

Técnicas de Gravação e Mixagem de Audio. Apostila 5. Audio Digital. 1. PCM Pulse Code Modulation Técnicas de Gravação e Mixagem de Audio Apostila 5 Audio Digital AC 1. PCM Pulse Code Modulation PCM é uma sigla para Pulse-Code Modulation, que é uma representação digital de um sinal analógico onde a

Leia mais

Exercícios de Telecomunicações 2

Exercícios de Telecomunicações 2 Departaento de Engenharia Electrotécnica e de Coputadores Exercícios de Telecounicações (004-005) Sílvio A. Abrantes Foratação de fonte (aostrage e PCM) 1.1. A densidade espectral de potência de ua ensage

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES. Comunicação de Dados

REDES DE COMPUTADORES. Comunicação de Dados Sinais Uma das funções mais importantes da camada física é converter informação em sinais eletromagnéticos para poder enviá-los num meio de transmissão. Sejam estas informações uma sequência de 1s e 0s

Leia mais

IST ELECTRÓNICA II. Conversores Analógico Digital º semestre

IST ELECTRÓNICA II. Conversores Analógico Digital º semestre IST ELECTRÓNICA II Conversores Analógico Digital 2002-2003 2º semestre Conversor A/D É um circuito que divide a tensão de entrada, V I, (dividendo) por uma tensão de referência contínua, V REF, (divisor)

Leia mais

Sistemas e Sinais. Universidade Federal do Rio Grande do Sul Departamento de Engenharia Elétrica

Sistemas e Sinais. Universidade Federal do Rio Grande do Sul Departamento de Engenharia Elétrica O método das frações parciais usa o conhecimento de diversos pares de transformada Z básicos e as propriedades da transformada Z para obtenção da transformada Z inversa das funções de interesse Admite-se

Leia mais

Professor: Jarbas Araújo.

Professor: Jarbas Araújo. Professor: Jarbas Araújo professorjarbasaraujo@gmail.com Sinais Digitais Analógicas 2 O que e o sinal Analógico? A onda senoidal possui um padrão que se repete (esse padrão é chamdo de ciclo). Cada ciclo

Leia mais

Análise de Sinais e Sistemas

Análise de Sinais e Sistemas Universidade Federal da Paraíba Departamento de Engenharia Elétrica Análise de Sinais e Sistemas Luciana Ribeiro Veloso luciana.veloso@dee.ufcg.edu.br ANÁLISE DE SINAIS E SISTEMAS Ementa: Sinais contínuos

Leia mais

Amostragem e PCM. Edmar José do Nascimento (Princípios de Comunicações) http://www.univasf.edu.br/ edmar.nascimento

Amostragem e PCM. Edmar José do Nascimento (Princípios de Comunicações) http://www.univasf.edu.br/ edmar.nascimento Amostragem e PCM Edmar José do Nascimento (Princípios de Comunicações) http://www.univasf.edu.br/ edmar.nascimento Universidade Federal do Vale do São Francisco Roteiro 1 Amostragem 2 Introdução O processo

Leia mais

Sumário. CAPÍTULO 1 Introdução 1. CAPÍTULO 2 Terminologia dos Sistemas de Controle 14

Sumário. CAPÍTULO 1 Introdução 1. CAPÍTULO 2 Terminologia dos Sistemas de Controle 14 Sumário CAPÍTULO 1 Introdução 1 1.1 Sistemas de controle 1 1.2 Exemplos de sistemas de controle 2 1.3 Sistemas de controle de malha aberta e malha fechada 3 1.4 Realimentação 3 1.5 Características da realimentação

Leia mais