Editorial EDITORIAL. Olá amigos,

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Editorial EDITORIAL. Olá amigos,"

Transcrição

1

2

3 EDITORIAL Editorial Olá amigos, THE CLUB Av. Profº Celso Ferreira da Silva, 190 Jd. Europa - Avaré - SP - CEP Informações: (14) Suporte: (14) Fax: (14) Internet Cadastro: Suporte: Informações: Dúvidas Correspondência ou fax com dúvidas devem ser enviados ao - THE CLUB, indicando "Suporte". Opinião Se você quer dar a sua opinião sobre o clube em geral, mande a sua correspondência para a seção "Tire sua dúvida". Reprodução A utilização, reprodução, apropriação, armazenamento em banco de dados, sob qualquer forma ou meio, de textos, fotos e outras criações intelectuais em cada publicação da revista The Club Megazine são terminantemente proibidos sem autorização escrita dos titulares dos direitos autorais. Impressão e acabamento: GRAFILAR Tel.: (14) Fax: (14) Rua Cel. Amando Simôes, 779 Cep São Manuel - SP Tiragem: exemplares Copyright The Club Megazine 2006 Diretor Técnico Mauro Sant Anna Colaboradores Alexandre Tarifa, Emerson Facunte, Victory Fernandes, Airton Miranda Delphi é marca registrada da Borland International, as demais marcas citadas são registradas pelos seus respectivos proprietários. Você está recebendo mais uma edição da revista The Club Megazine. Como não poderia deixar de ser esta revista está cheia de novidades. Estamos começando pela seção de Perguntas & Respostas onde temos algumas das solicitações enviadas ao suporte técnico neste ultimo mês. O nosso colaborador Alexandre Tarifa trás informações bastante interessantes sobre as versões do Visual Studio 2005 que estão disponíveis no mercado. Os nossos colaboradores Victory Fernandes e Airton Miranda trazem nesta edição a ultima parte da matéria sobre SEF falando sobre os processos relacionados às ferramentas oficiais do SEF, que incluem a validação, visualização e transmissão do arquivo magnético de SEF gerado pelo sistema gerencial. O nosso consultor técnico Claudinei Rodrigues trás informações valiosas sobre o componente TSQLDataSet. O nosso colaborador Emerson Facunte trás uma matéria muito interessante que visa auxiliar muito os programadores em Delphi que estão querendo aprender a trabalhar com o Visual Studio. O nosso consultor técnico Marcos César Silva trás uma matéria sobre um assunto muito abordado por nós que é a criação de relatórios em aplicações ASP.NET. E finalizando trazemos a seção de Dicas e Truques com informações que lhe auxiliará muito no dia a dia. Uma boa leitura a todos, Editorial Perguntas & Respostas Visual Studio, Visual Studio Team System, Team Fondation, Ferramentas Express - O que muda a partir de SEF - Sistema de Escrituração Fiscal Ferramentas Relacionadas Conhecendo o componente TSQLDataSet Free your Mind Primeiros passos com.net com Visual Studio Criando Relatórios no Visual Studio para aplicação Asp.Net. 20 Dicas & Truques

4 Perguntas & Respostas Pergunta: Como posso alterar a página inicial do Internet Explorer via programação? Resposta: Você pode realizar a alteração no registro do Windows. Veja abaixo: function PaginaInicialIE(endereco : string) : boolean; Var Reg : TRegistry; Reg:= TRegistry.Create; try Reg.RootKey:= HKEY_CURRENT_USER; Reg.OpenKey( Software\Microsoft\ Internet Explorer\Main,false); try try Reg.WriteString ( Start Page,endereco); result := true; finally Reg.CloseKey; result := True; except result := false; finally Reg.Free; procedure TForm1.Button1Click(Sender: TObject); if PaginaInicialIE( ) then ShowMessage( Foi alterado com sucesso ) else ShowMessage( Não foi alterado ); Dúvida enviada por Marcelo, Cachoeira do Itapemirim ES Pergunta: Gostaria de saber como eu faço para que após um filtro em um AdoQuery, caso não haja nenhum dado a ser impresso o sistema retorne uma mensagem avisando que naquela data não foi digitado nenhum dado. Resposta: Você pode utilizar o método IsEmpty, por exemplo: if ADOQuery1.IsEmpty then ShowMessage ( Não existe nenhum registro. ) Dúvida enviada por Sandro, Maracanaú CE Pergunta: Tenho no computador o caminho C:\gdb_matriz e em uma filiar o caminho :200:c:\gdb_filial. Como devo fazer para testar a conexão da filial, por exemplo: Ficar dentro de um loop enquanto a conexão não for estabelecida Resposta: Você poderia montar uma rotina da seguinte 4

5 Perguntas & Respostas forma: procedure TForm1.Button1Click(Sender: TObject); while not SQLConnection1.Connected do SQLConnection1.Connected := True; Application.ProcessMessages; Dúvida enviada por Sinval, Santana - AP Pergunta: Gostaria de saber como poderia usar máscara monetária para um componente QrExpr em um relatório. Resposta: Você pode utilizar a propriedade Mask do componente QRExpr. Você pode, por exemplo, utilizar a máscara R$ ###,##0.00. Dúvida enviada por Dennis, São Paulo - SP Pergunta: Estando em um componente StringGrid na última linha, preciso subir seu scroll para a primeira linha. Obs: Se der um clique na célula e utilizar StringGrid.Row:=x; ele sobe, mas se não clicar na célula não sobe. Resposta: Veja abaixo a rotina que você pode utilizar. with StringGrid1 do Row := 1; Col := 1; SetFocus; Dúvida enviada por Rubens, São Paulo - SP Pergunta: Eu gostaria de indexar um campo de um ClientDataSet, o campo é Qtd (Quantidade = Float), tem como ordenar por ele, via fonte? Resposta: Veja abaixo como criar um índice no ClientDataSet. procedure TForm1.Button1Click(Sender: TObject); ClientDataSet1.AddIndex( CapitalDesc, Capital, [ixdescending, ixcaseinsensitive]); ClientDataSet1.IndexName := CapitalDesc ; Dúvida enviada por Luiz, Santo Antonio da Platina PR Pergunta: Desenvolvemos uma rotina em Delphi 4.0 que anexa arquivos em um campo BLOB (oracle ou SQL server), porém quando grava(usando metodo edit/post) e o arquivo é tipo WAV, XLS, DOC (binários) está dando erro de INVALID BLOB LENGTH, se for tipo TXT ou BMP não dá problema. Tem algum tratamento que tem que ser dado a esses tipos de arquivos antes gravar? Resposta: Pelo que pude apurar este problema não seria do Delphi, mas sim do banco de dados. Veja a informação da Borland a este respeito no link devsupport/sqllinks/pub-24.html. Dúvida enviada por Marcio, São José Rio Preto - SP Pergunta: Olá pessoal gostaria de saber como fazer uma sql usando um like junto com um edit e tudo isso usando o componente query Resposta: Veja o exemplo abaixo: procedure TForm1.BitBtn1Click(Sender: TObject); // Fecha o componente Query Query1.Close; // Limpa a propriedade SQL Query1.Sql.Clear; // Nome dos campos Query1.Sql.Add( Select Teste1.Codigo, Teste1.Nome ); // Nome do banco de dados Query1.Sql.Add( From Teste1 ); // Condições do Filtro Query1.Sql.Add( Where ); // :Nome1 é a variável que receberá // o parâmetro. // O nome desta variável não importa, // pode ser usado qualquer nome. 5

6 Perguntas & Respostas Query1.Sql.Add( (Teste1.Nome like : Nome1) ); // Passagem do parâmetro para a variável // criada acima Query1.Params[0].AsString := % +Edit1.Text+ % ; // Abre o componente Query Query1.Open; Dúvida enviada por Rogério, São Paulo SP Pergunta: No Oracle nós podemos definir uma variável da seguinte forma: DECLARE Minha_Variavel MINHA_TABELA.CAMPO%TYPE Neste caso o tipo da variável é igual ao tipo do campo. Caso um dia este campo sofra alteração, nada preciso alterar na programação das stored procedures ou trigger para que ele faça referência. Existe algo similar no FireBird? Resposta: No Firebird tem o que chamamos de Domains. No Domain você define um tipo, por exemplo, varchar(50). Quando você for criar um novo campo ao invés de informar o tipo do campo você informa o nome d Domain. Dúvida enviada por Roberto, Salvador BA Pergunta: Eu tenho um arquivo em que o campo Nome, tem acentos e Ç e eu preciso na hora da impressão, imprimir sem acento e sem Ç. Você tem alguma rotina que possa estar enviando como exemplo? Resposta: A rotina a seguir irá resolver o seu problema. procedure TForm1.Button1Click(Sender: TObject); var Str: string; Str2: Array[0..255] of Char; F: TextFile; Str := áéíóúççãô ; { Troca o ã pelo â, pois o DOS não aceita o ã } Str := StringReplace (Str, ã, â, [rfreplaceall]); { Troca os demais acentos } AnsiToOem(PChar(Str), Str2); AssignFile(f, /LPT1 ); Rewrite(f); Writeln(f, Str2); Writeln(f, #12); CloseFile(f); Dúvida enviada por Waldemar, Barretos SP Pergunta: Como faço para trazer junto no próprio dblookupcombobox o nome e a função, ou seja, dois ou mais campos simultâneos? Se não for possível, existe algum outro componente que faça e que tenha a mesma funcionalidade do dblookupcombobox? Resposta: Para mostrar dois campos, basta que você informe na propriedade ListField os dois campos separados por ponto e vírgula, por exemplo CODIGO;NOME. Dúvida enviada por Clevanio Fortaleza BA Pergunta: Quando eu clico no dblookupcombobox é exibida uma parte dos dados, existe algum comando para fazer aumentar esta exibição? Resposta: Se for a quantidade de linhas, basta que você aumente o valor da propriedade DropDownRows. Dúvida enviada por Clevanio Fortaleza BA Pergunta: Como posso verificar se o BDE já está instalado. Resposta: Você pode utilizar a rotina a seguir // Usando o registrador do Windows procedure TForm1.Button1Click (Sender: TObject); var Reg: TRegistry; reg := TRegistry.create; try 6

7 Perguntas & Respostas reg.rootkey := HKEY_CURRENT_USER; reg.openkey( \Software\Borland, False); if Reg.KeyExists( BdeAdmin ) then ShowMessage( BDE já instalado ) else ShowMessage( Sem BDE ); finally Reg.CloseKey; Reg.Free; inherited; Dúvida enviada por Paiva, São Luiz MA. Pergunta: Quando procuramos uma determinada palavra no Help de um programa, escrevemos as primeiras letras da palavra e o Help vai selecionar a palavra mais parecida com a que digitamos. Como faço isto no Delphi? Resposta: Este pequeno exemplo demonstra como fazer isso em Delphi. Primeiro deve-se criar um projeto novo, inserir um componente Edit e um ListBox, depois pode-se inserir várias strings no ListBox. No evento OnChange do Edit deve-se colar o código abaixo. Quando rodar o programa, digite no Edit as primeiras letras da palavra que se quer, e repare que a palavra mais parecida é automaticamente selecionada no ListBox. procedure TForm1.Edit1Change(Sender: TObject); var S : Array[0..255] of Char; StrPCopy(S, Edit1.Text); with ListBox1 do ItemIndex := Perform (LB_SELECTSTRING, 0, Dúvidas enviadas por Antonio Carlos, Londrina PR Pergunta: Existe alguma forma para eu identificar se o executável está danificado? Resposta: Existe uma rotina que retorna o tipo de executável que é o arquivo. Ela é ideal para testar se o executável está corrompido ou é incompatível. function GetExetype( const fname: String ): TExetype; var signature: Word; WinHdrOffset: Word; fexe: TFileStream; result := etunknown; try fexe := TFileStream.Create( fname, fmopenread or fmsharedenynone); try fexe.readbuffer( signature, Sizeof(signature)); If signature = $5A4D { MZ } Then result := etdos; fexe.seek ( $18, sofrombeginning ); fexe.readbuffer( WinHdrOffset, Sizeof(WinHdrOffset)); If WinHdrOffset >= $40 Then Begin fexe.seek( $3C, sofrombeginning ); fexe.readbuffer ( WinHdrOffset, Sizeof(WinHdrOffset)); fexe.seek( WinHdrOffset, sofromning ); fexe.readbuffer( signature, Sizeof(signature)); If signature = $454E { NE } Then result := etwinne; end else If signature = $4550 { PE } Then result := etwinpe; { If } { If } finally fexe.free; end except 7

8 Visual Studio Visual Studio, Visual Studio Team System, Team Fondation, Ferramentas Express O que muda a partir de 2005 por Alexandre Tarifa No final de 2005 foram lançadas as novas versões do Visual Studio, o que causou uma grande confusão de nomes, versões, o que faz o que, para que serve um ou outro, e assim vai. Tudo isso porque a Microsoft transformou uma ferramenta de desenvolvedores para uma ferramenta mais completa, uma ferramenta para todos envolvidos no projeto. Toda essa mudança veio para acabar com o problema de comunicação e integração de ferramentas necessárias para todos que estão envolvidos em um projeto. (Todos: Arquiteto, Gerente de Projeto, Desenvolvedor, Tester, Etc.etc.etc.). Vamos por partes: Ferramentas Express Ferramentas de desenvolvimento para pessoas (estudantes, entusiastas, etc.) que querem aprender/conhecer a plataforma.net. São ferramentas com algumas limitações pensando em desenvolvimento corporativo, porém uma ferramenta com recursos incríveis e produtivos para pequenas aplicações. É possível sim desenvolver projetos de todos os portes com as ferramentas Express. Os benefícios das versões que em breve serão apresentadas, fazem com que as ferramentas sejam limitadas, porém é uma ferramenta poderosa para o desenvolvimento. São encontradas as seguintes versões: Visual Web Developer Visual Basic Express C# Express C++ Express J# Express SQL Express Desenvolvimento de aplicações Web (Asp.Net) com VB.Net ou C# Desenvolvimento de aplicações Windows Forms com VB.Net Desenvolvimento de aplicações Windows Forms com C#. Desenvolvimento de aplicações Windows Forms com C++. Desenvolvimento de aplicações Windows Forms com J#. Banco de dados SQL Saiba mais em: Indico a leitura dos livros da série express (http:// sou um dos três autores desta série J Visual Studio Standard O Visual Studio Stardard trás em um único produto a possibilidade de desenvolvermos aplicações Windows, Web e Mobile, voltada para o desenvolvimento profissional. A diferença para as ferramentas express é que em uma única ferramenta pode-se desenvolver todos os tipos de aplicação, inclusive mobile. Saiba mais em: Visual Studio Professional Semelhante ao Standard, porém com alguns recursos como Remote Debug, Desenvolvimento com SQL 2005 via Wizzards, etc. Os dois produtos, Standard e Professional, são ferramentas voltadas ao desenvolvedor, assim como o Visual Studio Para empresas onde este cenário é coberto, são as ferramentas recomendadas. Saiba mais em: Visual Studio Team System Essa é a grande novidade, o grande produto, a grande aposta da Microsoft. Com recursos para todos os envolvidos em um projeto, o VSTS traz ferramental para Arquitetos de Softwares, Testers e Developers em três versões de VSTS. VSTS Architect Os principais recursos: 8

9 Visual Studio - Diagrama de aplicação - Diagrama de infra-estrutura lógica - Diagrama de distribuição O principal objetivo destes diagramas é trazer uma comunicação entre a infra-estrutura e a aplicação trazendo a possibilidade de simular o deploy de uma aplicação em um servidor desenhado pelos arquitetos. Alguns recursos são compartilhados, ou seja, estão em mais de uma versão. - Class Designer (disponível em todas as versões do VSTS) um diagrama de classes completo, com muitos recursos disponíveis, totalmente sincronizado com o código fonte da aplicação. - Integração com o Visio VSTS Tester - Load test - Manual test - Test case Alguns recursos são compartilhados, ou seja, estão em mais de uma versão. - Unit test (disponível na versão Developer) recurso integrado para criação de testes unitários de código - Code Coverage (disponível na versão Developer) analisa quantos % do código testado por teste unitário. VSTS Developer - Analisador de código - Dinâmico - Estático - Code Profiler As principais funcionalidades estão voltadas ao controle de qualidade de código, onde é possível definir algumas regras no código e visualizar se estas regras estão sendo cumpridas. Cada versão é um produto diferente, porém existe o Visual Studio Team System Team Suíte que traz as três versões no mesmo produto. Saiba mais em: Team Foundation O Team Foundation é um serviço servidor voltado para todo o controle de gerenciamento de um projeto. Gerenciamento de pessoas, tarefas, versões, código fonte, etc. Tudo isso em um servidor, armazenando os registros no banco de dados. Trazendo assim um recurso central onde o gerente de projetos consegue saber tudo que está acontecendo em um projeto. Os principais recursos: - Gerenciamento - Relatórios - Itens de trabalho - Relatórios - Portal do Projeto - Integração de Serviços - Controle de Código Fonte - Integração com project e excel. Como ferramenta cliente deste serviço utilizamos o Visual Studio Team System, assim todos envolvidos em um projeto acessam as informações em uma ferramenta única, acabando principalmente com o problema de comunicação, ou seja, ninguém vai mais perguntar pra ninguém: - O que você está fazendo. Saiba mais em: teamsystem/team/default.aspx Conclusão O objetivo deste artigo é de mostrar as versões do Visual Studio 2005, trazendo uma pequena introdução sobre cada versão. Nos próximos artigos serão mostrados os novos recursos do VSTS e do Team Fondation. Se você tem interesse em aprender.net ou discutir.net entre no grupo de usuários Codificando.net - São Paulo. Se tiver alguma dúvida, crítica, sugestão de artigo, fale comigo: Sobre o autor Ministra palestras e treinamentos, MVP (Most Valuable Professional), MCAD (Microsoft Certified Application Developer) e MCT (Microsoft Certified Trainer). Bacharel pela UMESP e pós-graduando pela Universidade Federal de São Carlos em Ciência da Computação. Analista de Sistemas e Líder do grupo de usuários Codificando.net São Paulo (sp.codificando.net). Escreve artigos para a revista MSDN Magazine e para os sites Linha de Código, MSDN Brasil e Enterpriseguys. 9

10 SEF SEF - Sistema de Escrituração Fiscal Ferramentas Relacionadas. por Victory Fernandes e Airton Miranda No primeiro artigo da série, foram abordados os conceitos gerais acerca da implementação do SEF, estruturação básica do sistema gerencial e o fluxograma de procedimentos a serem seguidos para a geração do arquivo. No segundo artigo da série, foram abordados os conceitos e características gerais da implementação do SEF e a utilização da SEFFE32Dll.dll, incluindo o exemplo de montagem do Registro 50, através do qual foi demonstrada a geração do arquivo SEF, log de erro e log de uso. Finalizando a nossa série de artigos sobre o SEF, abordaremos os processos relacionados às ferramentas oficiais do SEF, que incluem a validação, visualização e transmissão do arquivo magnético de SEF gerado pelo sistema gerencial. Serão abordadas, sob a ótica de aplicação do desenvolvedor, as seguintes ferramentas oficiais: Programa Validador, Programa Visualizador de Arquivos do SEF e o Sistema de Transmissão de Documentos. O Programa Validador No segundo artigo da série demonstramos a geração do arquivo magnético de SEF. Uma vez gerado tal arquivo, estamos prontos para verificar a consistência do arquivo gerado através do uso do Programa Validador mostrado na Figura 01. O Programa Validador, verifica a consistência da estrutura e dos dados informados nos arquivos magnéticos do SEF, permite a alteração dos dados informados e prepara os arquivos para entrega às repartições fazendárias estaduais. O programa evita o fornecimento de dados incorretos, como Inscrições Estaduais e CNPJ inválidos, registros inexistentes, inconsistência entre os registros informados, etc. Após a validação, o programa cria um arquivo de mídia criptografado bem como emite um recibo que resume todas as informações contidas no mesmo. Caso o arquivo criptografado seja transmitido pela Internet através do programa de Transmissão Eletrônica de Documentos (TED), que será visto a seguir, será emitido também um recibo comprovando a transmissão do documento ao órgão competente. Este recibo garante que o arquivo passou pela validação prévia e foi encaminhado corretamente pelo contribuinte. Para validar um arquivo magnético gerado pelo sistema gerencial, deve-se: 1 - Instalar o Programa Validador 2 - Abrir o Programa Validador 3 - Abrir a pasta Operações 4 - Selecionar a opção Validar 5 - Selecionar o arquivo de SEF que deseja validar. 6 - Clicar no botão Validar. Após o processo de validação: - A opção Resumo lista os resultados da validação e a quantidade de registros aceitos e/ou rejeitados. - A opção Erros da Validação lista todos os erros e/ou advertências encontrados. Se o seu programa gerencial foi bem implementado, o número de erros e advertências encontrados durante o processo de validação será mínimo, mas ainda assim, a possibilidade de falhas existe. Neste caso, o usuário deve ser capaz de identificar e interpretar os erros listados na página Erros de Validação, retornar ao programa gerencial para realizar as alterações nos dados que apresentarem problemas, gerar e validar novamente o arquivo magnético do SEF. Havendo erros na validação do arquivo, o Programa Validador possibilita também que o usuário faça as modificações necessárias direto no arquivo magnético do SEF, como pode ser vista na Figura 02. Para isso, faz-se necessário que o arquivo gerado pelo software gerencial seja importado para o Programa Validador. Para importar o arquivo do SEF e alterar as 10

11 SEF informações diretamente no Programa Validador, selecione as opções Operações> Escrituração> Abrir Arquivo, e então selecione o arquivo que deseja importar. (ver figura 2) É importante ressaltar que nem sempre o usuário será capaz de interpretar as informações de erro e associá-las ao tipo de alteração que deve ser executada no programa gerencial de forma a corrigir o problema. Nestes casos, a experiência mostra que a melhor solução é pedir que o usuário envie por o arquivo magnético de SEF gerado com erro, para que você interprete o mesmo e sugira as devidas correções a serem efetuadas no cadastro de informações do sistema gerencial. Este serviço de consultoria na geração do arquivo do SEF é, na maioria dos casos, indispensável ao usuário inexperiente e constitui mais um serviço que pode ser oferecido pela software house e acrescido ao valor de manutenção do sistema gerencial. Figura 01: Programa Validador oficial, validação de arquivos do SEF Após a validação do arquivo, o Validador SEF exige que seja gerado o arquivo de mídia, que é uma versão criptografada do arquivo de SEF.txt original, acrescido de uma certificação digital. Isso garante a autenticidade, integridade e a validade jurídica das informações contidas nos arquivos enviados. O Programa Visualizador de Arquivos do SEF O programa Visualizador de Arquivos do SEF é uma ferramenta para leitura rápida de arquivos no padrão SEF que permite esclarecer dúvidas quanto ao conteúdo dos mesmos, através da visualização campo a campo de seus registros. Quando a opção de navegação campo a campo está ativa, ao selecionar um campo como mostrado na Figura 03, são apresentadas na barra inferior as informações do campo selecionado, que incluem: Número da linha, número da coluna, tipo de registro, posição do campo na linha e descrição do campo. Esta ferramenta é super importante Figura 02: Programa Validador oficial, criação dos arquivos do SEF quando nós desenvolvedores estamos testando nossas implementações ou desejamos obter informações mais detalhadas sobre um determinado campo do arquivo gerado. Em arquivos muito grandes, fica praticamente impossível se verificar visualmente, por exemplo, se um determinado campo foi colocado na posição correta durante a construção do arquivo. Neste momento, a ferramenta entra em ação permitindo o cruzamento imediato entre as informações passadas pelo programa gerencial e o respectivo valor encontrado no campo do arquivo gerado. 11

12 SEF O Sistema de Transmissão de Documentos Uma vez validado o arquivo magnético de SEF, e gerado o arquivo de mídia, o programa validador pergunta de você deseja enviar as informações automaticamente via Internet. Em caso positivo, o Programa Validador chama o aplicativo SEFAZ-NET mostrado na Figura 04, para que seja efetuada a transmissão dos documentos. O SEFAZ-NET é um programa muito simples, e devemos apenas instruir nossos clientes a operálo, uma vez que a transmissão dos arquivos para o Fisco é de responsabilidade do informante. Para efetuar o envio, basta selecionar o arquivo de mídia gerado pelo validador e clicar em Transmitir. Após o envio, aconselha-se que o cliente guarde em local seguro os comprovantes impressos de validação e envio do arquivo, bem como o arquivo magnético de SEF.txt original e a mídia.zip gerada. Caso seja solicitado durante uma fiscalização ou em caso de eventual necessidade de reenvio o contribuinte deve sempre ter a mão tal documentação. Figura 03: Programa oficial para visualização de arquivos SEF Conclusão Com esta série de três artigos, esperamos ter esclarecido critérios e questionamentos básicos sobre a sistemática do SEF, a sua implementação em sistemas gerenciais e a utilização das principais ferramentas relacionadas, bem como ter trazido ao seu conhecimento a SEFPE32Dll.dll, uma solução única no mercado, capaz de simplificar, o trabalho de implementação e/ou adaptação do seu software à legislação do SEF. Maiores informações sobre o SEF devem ser obtidas junto à Secretaria da Fazenda do Estado de Pernambuco através do endereço: Figura 04: Sistema de Transmissão de Documentos via Internet Sobre o autores Victory Fernandes é Engenheiro, Mestrando em Redes de Computadores e desenvolvedor sócio da TKS Software - Soluções de Automação Softwares Dedicados. Pode ser contactado em ou através dos sites Airton Miranda é estudante do Engenharia Mecatrônica e desenvolvedor da TKS Software - Soluções de Automação Softwares Dedicados. Pode ser contactado em 12

13 Conhecendo o componente TSQLDataSet Delphi Sobre o autor Por Claudinei Rodrigues O componente TSQLDataSet é um componente unidirecional usado para retornar as informações de um banco de dados suportado pelo dbexpress. Este componente pode ser utilizado para representar as informações de uma tabela do banco de dados, uma seleção feita através de uma instrução SQL ou ainda retornar informações de uma Stored Procedure. Este componente pode ainda executar uma Stored Procedure. O componente TSQLDataSet tem algumas propriedades chaves que precisamos saber, são elas: CommandType e CommandText. O valor informado na propriedade CommandType determina como será a informação utilizada pela propriedade CommandText. Veja na tabela 1 os valores possíveis a serem utilizados na propriedade CommandType. Retornando as informações como tabela A forma mais simples de retornar as informações é configurando a propriedade CommandType para cttable. Ao alterar o CommandType para cttable a propriedade CommandText é altera para um combobox que irá listar todas as tabelas disponíveis no banco de dados.. Mostrando o resultado de uma Query Para extrair os dados a partir de uma query, basta que você altere a propriedade CommandType para ctquery. Feito isto você poderá informar uma instrução sql na propriedade CommandText. Mostrando o result set através de uma Stored Procedure Com uma stored procedure que retorna um result set como mostrado a seguir, você pode retornar dados utilizando o componente SQLDataSet. CREATE PROCEDURE SELECIONA_PAISES RETURNS ( PAIS VARCHAR(15), MOEDA VARCHAR(10)) AS Claudinei Rodrigues, Consultor Técnico do The Club BEGIN FOR SELECT COUNTRY, CURRENCY FROM COUNTRY INTO :PAIS, :MOEDA DO SUSPEND; END Propriedade CommandType ctquery ctstoredproc cttable Descrição Informa que este componente vai utilizar uma instrução SQL. Se a instrução for um SELECT, esta instrução será executada no momento em que o componente for ativado. Se a instrução utilizada não retornar nenhum result set, ou seja, for um comando Update ou Delete, por exemplo, a mesma só será executada através do comando ExecSQL(). Informa que a propriedade CommandText vai receber o nome de uma Stored Procedure. O componente irá executar a Stored Procedure quando ele for ativado ou quando for executado o método ExecSQL() dependendo se a Stored Procedure retornar ou não um result set. Informa que a propriedade CommandText vai receber o nome de uma tabela do banco de dados. Ao alterar o CommandType para cttable a propriedade CommandText é altera para um combobox que irá listar todas as tabelas disponíveis no banco de dados. Internamente o componente automaticamente gera uma instrução SQL com o fetch all para os registros em todos os campos da tabela ordenando os campos através da propriedade SortFieldNames. Esta instrução será executada no momento que o componente for ativado Tabela 1: Dados sobre o CommandType extraídos do help do Delphi. 13

14 Delphi Para executar a rotina anterior, a propriedade CommandType do componente SQLDataSet deve ser igual a ctquery e você deve adicionar a seguinte linha a propriedade CommandText: SELECT * FROM SELECIONA_PAISES. Como você pôde notar, nós utilizamos o nome de uma stored procedure ao invés do nome de uma tabela. Executando uma Stored Procedure Usando o componente TSQLDataSet, você pode executar uma stored procedure que não retorne um result set. Para fazer isto a propriedade CommandType do componente TSQLDataSet deve ser configurada para ctstoredproc. A propriedade CommandText se tornará um combobox que irá mostrar o nome de todas as stored procedures encontradas no banco de dados. Você deverá selecionar uma stored procedure que não retorne nenhum result set. Por exemplo: CREATE PROCEDURE INCLUI_PAIS ( PAIS VARCHAR(15), MOEDA VARCHAR(10) ) AS BEGIN INSERT INTO COUNTRY(COUNTRY, CURRENCY) VALUES (:PAIS, :MOEDA); SUSPEND; END Esta procedure é bem simples e tem a finalidade de incluir um novo registro na tabela Country do banco de dados Employee. Para executar esta procedure você deve executar o método ExecSQL(), como está sendo mostrado no código a seguir: procedure TForm1.Button1Click(Sender: TObject); SQLDataSet1.ParamByName( PAIS ).AsString := Edit1.Text; SQLDataSet1.ParamByName( MOEDA ).AsString := Edit2.Text; SQLDataSet1.ExecSQL(False); O primeiro passo a ser feito é a configuração dos valores dos parâmetros e só depois chamar o método ExecSQL() como está sendo mostrado no código anterior. Como você deve ter notado eu incluí o valor False na chamada do método ExecSQL(). Este parâmetro é utilizado para determinar se qualquer parâmetro precisa ser preparado. Por padrão esta parâmetro é True. Representando um metadata Você pode retornar informações de um banco de dados usando um componente TSQLDataSet. Para fazer isto utilize a procedure SetSchemaInfo para determinar o tipo de informação que você quer. O SetSchemaInfo é definido da seguinte forma: procedure SetSchemaInfo( SchemaType: TSchemaType; SchemaObjectName, SchemaPattern: string ); O parâmetro SchemaType determina o tipo de informação que você está solicitando. O SchemaObjectName armazena o nome de uma tabela ou stored procedure no caso de uma solicitação de uma informação de um parâmetro, coluna ou índice. O SchemaPattern é um padrão SQL utilizado para filtrar um result set. A tabela 2 está preenchida com informações extraídas do help do próprio Delphi sobre o SetSchemaInfo(). Valor do SchemaType stnoschema stables stsystables stprocedures stcolumns stprocedureparams stindexes Descrição Sem esquema de configuração. O componente será preenchido com o resultado de sua query ou stored procedure de acordo com o metadata do servidor. Informação sobre todas as tabelas do servidor de banco de dados que esteja compatível com o critério informado pela conexão SQL. Informação sobre todas as tabelas de sistema do servidor de banco de dados. Nem todos os servidores de banco de dados utilizam tabelas de sistemas para armazenar o metadata. Quando você solicitar a relação de tabelas de sistemas de um servidor de banco de dados que não as utiliza, o componente ficará em branco, ou seja, vazio. Informação sobre todas as stored procedures do servidor de banco de dados. Informações sobre todas as colunas, ou campos, de uma determinada tabela. Informação sobre todos os parâmetros de uma determinada stored procedure. Informação sobre todos os índices definidos para uma determinada tabela. Tabela 2: Informações sobre o SetSchemaInfo(). 14

15 Delphi Mostrando na prática Agora nós vamos ver na prática como utilizar a procedure SetSchemaInfo(). Para montar o nosso exemplo crie uma nova aplicação no seu Delphi. Em um novo form inclua os seguintes componentes como mostrado na tabela 3 Componente Palheta Button RadioGroup DBGrid DataSource ClientDataSet DataSetProvider SQLDataSet SQLConnection Standard Standard Data Controls Data Access Data Access Data Access dbexpress dbexpress Tabela 3: Relação de componentes para montar o exemplo Agora vamos configurar os nossos componentes. Primeiro, vamos começar pelo componente SQLConnection. Neste componente dê um duplo clique e configure a conexão. Crie uma conexão com o nome Employee e configure o caminho onde está a sua base de dados, conforme mostrado na figura 2. Componente Propriedade Valor SQLDataSet1 SQLConnection SQLConnection1 DataSetProvider1 DataSet SQLDataSet1 Options poallowcommandtext = True ClientDataSet1 ProviderName DataSetProvider1 DataSource1 DataSet ClientDataSet1 DBGrid1 DataSource DataSource1 RadioGroup1 Items stsystables sttables stprocedures stcolumns stprocedureparams stindexes Tabela 4: Configuração dos componentes Ainda falta configurarmos o componente Button. Para isto, vá até o evento OnClick deste componente e inclua a seguinte rotina: procedure TForm1.Button1Click(Sender: TObject); ClientDataSet1.Close; Figura 1: Mostra a conexão Employee case RadioGroup1.ItemIndex of 0 : SQLDataSet1.SetSchemaInfo(stSysTables,, ); 1 : SQLDataSet1.SetSchemaInfo(stTables,, ); 2 : SQLDataSet1.SetSchemaInfo(stProcedures,, ); 3 : SQLDataSet1.SetSchemaInfo(stColumns, country, ); 4 : SQLDataSet1.SetSchemaInfo(stProcedureParams, ADD_COUNTRY, ); 5 : SQLDataSet1.SetSchemaInfo(stIndexes, COUNTRY, ); ClientDataSet1.Open; Neste exemplo nós estamos utilizando o componente RadioGroup para selecionar o tipo de Schema que vamos solicitar. Com base na informação selecionada pelo RadioGroup nós vamos chamar o SetSchemaInfo como está sendo mostrado no evento OnClick do componente Button. Você deve estar se perguntando o porquê de utilizarmos outros componentes de acesso já que estamos falando apenas do componente SQLDataSet. É que como eu disse no início deste artigo o componente SQLDataSet é unidirecional e por este motivo não é possível mostramos o seu retorno no componente DataGrid. Então eu incluí os outros componentes. Agora quando você selecionar o esquema desejado e clicar no botão, as informações serão mostradas no componente DBGrid. No final desta matéria você verá um link para fazer o download do exemplo. Conclusão Com base neste artigo você pode ter mais uma idéia do poder e flexibilidade dos componentes da palheta dbexpress. Até a próxima com mais um novo artigo. 15

16 Visual Studio Free your Mind Primeiros passos com.net com Visual Studio 2005 Sobre o autor Facunte é MVP Visual Developer ASP/ASP.Net, co-owner Framework.Net Microsoft Latam, evangelista de aplicações e-business, publicou 7 livros e mais de 100 artigos, ministrou palestras, cursos e workshops para cerca de pessoas em todo o país (TechEd 05, Borcon II, III e IV, União.Net-BH, TechWeek-SP-RS-RJ, TechDay-SP-RJ, Net Day 2005), membro do VSTS Rocks Brasil, lider do grupo Go.Net, co-lider do grupo Codificando.Net, consultor sênior do grupo DevMedia e Arquiteto de Software da Saraiva.COM. Nos tempos livres (isso ainda existe) curte programação MSX, Cinema, Basquete e uma boa pista de dança! (Parte 1 Aplicação Console) Salve DotNetianos! Eu os saúdo pela coragem e determinação no ciclo constante de aprendizado. Nesta série de artigos desenvolveremos simples aplicações utilizando as ferramentas da família Express e o VS Para facilitar o aprendizado, desenvolveremos o mesmo projeto em diferentes modelos (Console, Windows Forms, Web Application, WebServices, Mobile Applications) Overview do projeto Figura 1 Selecionando o tipo de aplicação O projeto é simples. O usuário deverá informar a sua idade e aplicação apresenta o número de dias já vividos, ou seja, idade multiplicada por 365. Modelos > Console Windows Forms Web Application Web Services Mobile Application Console Application Vamos desenvolver nossa primeira aplicação no Modelo Console. Figura 2 Selecionando o tipo de aplicação no Visual C# 2005 Express 16

17 Visual Studio [Visual Studio 2005] Selecione as opções File/New...Project, em seguida, selecione a opção Console Application (figura 1). Informe o nome da aplicação: consoleidade. [C# Express] Selecione as opções File/New...Project, em seguida, selecione a opção Console Application (figura 2). Informe o nome da aplicação: consoleidadeexpress. No editor de código, insira o código que segue. static void Main(string[] args) { int Idade; Console.Write ( Informe sua idade: ); Idade = Int16.Parse (Console.ReadLine()); Console.Write( Voce ja viveu aproximadamente ); Console.Write(Idade * 365); Console.Write( dias ); Console.Read(); } Mobile Application Windows Forms Application Vamos desenvolver nossa segunda aplicação no Modelo Windows Forms Application. [Visual Studio 2005] Selecione as opções File/New...Project, em seguida, selecione a opção Windows Application (figura 1). Informe o nome da aplicação: windowsidade. [C# Express] Selecione as opções File/New...Project, em seguida, selecione a opção Console Applicaton (figura 2). Informe o nome da aplicação: windowsidadeexpress. Pronto, nossa primeira aplicação já pode ser executada. Aperte a tecla F5 para executar a aplicação. Figura 1 Selecionando o tipo de aplicação no VS 2005 Figura 3 Aplicação em execução Parte 2 Aplicação Windows Forms Nesta segunda parte, desenvolveremos uma aplicação no modelo Windows Forms. Modelos Console > Windows Forms Web Application Web Services Figura 2 - Selecionando o tipo de aplicação no Visual C# Express 17

18 Visual Studio Repare que agora foi criado um formulário. Vamos inserir os objetos necessários para a nossa aplicação. Os objetos estão disponíveis na ToolBox (figura 3). Selecione a seção Windows Forms e insira os objetos que seguem: Neste ponto iremos codificar o botão calcula. Dê um duploclique no objeto button1 e insira o código que segue. int Idade = Int16.Parse(textBox1.Text) * 365; MessageBox.Show( Você já viveu aproximadamente + Idade.ToString() + dias. ); Ok. Agora podemos executar a aplicação. Aperte a tecla F5. A figura 5 ilustra o resultado de nossa aplicação, após informação do usuário. Figura 5 Mensagem da aplicação Figura 3 ToolBox Parte 3 Aplicação Web ASP.Net Nesta terceira parte, desenvolveremos uma aplicação no modelo Web Application utilizando VS 2005 e MSVWD (Microsoft Visual Web Developer 2005). Modelos Label textbox Propriedade Text = Informe a sua Idade Console Windows Forms > Web Application Web Services Mobile Application Button Propriedade Text = calcula A figura 4 ilustra a disposição dos objetos. Figura 4 Disposição dos objetos Web Application Vamos desenvolver nossa terceira aplicação no Modelo Web Application. [Visual Studio 2005] Selecione as opções File/New...Web Site, em seguida, selecione a opção Asp.Net Web Site (figura 1). Informe o nome da aplicação: webidade. [MSVWD 2005 Express] Selecione as opções File/New...Web Site, em seguida, selecione a opção Visual C#/Asp.Net WebSite (figura 2). Informe o nome da aplicação: webidadeexpress. 18

19 Visual Studio Objetos Label Propriedade Text = Informe a sua Idade textbox Button Propriedade Text = calcula Figura 1 Selecionando o tipo de aplicação no VS 2005 Label Propriedade Text = Informação Propriedade ID = lblidade A figura 4 ilustra a disposição dos objetos. Figura 4 Formulário da Aplicação Neste ponto iremos codificar o botão calcula. Dê um duploclique no objeto button1 e insira o código que segue. Figura 2 Selecionando o tipo de aplicação no MSVWD 2005 Express Repare que agora foi criada uma página ASPX. Selecione a seção Design (Figura 3) para inserirmos os objetos necessários para a nossa aplicação. int Idade = Int16.Parse(TextBox1.Text) * 365; lblidade.text = Você já viveu aproximadamente + Idade.ToString() + dias. ; Execute a aplicação teclando Ctrl-F5 (sem depuração). A figura 5 ilustra a aplicação em execução. Figura 5 Aplicação em execução Na próxima edição iremos trabalhar com a tecnologia Web Services e aplicações móveis, concluindo as partes 4 e 5. Figura 3 Selecionando a seção Design no MSVWD Forte abraço e até lá. 19

20 Visual Studio Criando Relatórios no Visual Studio para aplicação Asp.Net Por Marcos César Silva - Desenvolvendo aplicações em qualquer plataforma ou linguagem de programação que seja, nos desenvolvedores mais cedo ou mais tarde iremos nos deparar com a situação de termos que criar relatórios, assim neste artigo tenho o objetivo de mostrar como criar de forma simplificada um relatório e exíbi-lo em uma aplicação asp.net, onde iremos utilizar um componente ReportViewer que tem por finalidade e exibir o relatório, podendo trabalhar tanto em modo de processamento remoto com local, no caso do processamento local utilizaremos o arquivo client report definition (.rdlc) que terá toda definição e estrutura do relatório. Para iniciarmos o trabalho iremos criar um novo Website para a exibição do relatório, assim vá ao menu e selecione a opção File New WebSite e escolha o tipo da aplicação desejada. Em nosso caso será ASP.NET Web Site, informe a localização onde será criado o projeto (Imagem 1). Para quem já tiver o WebSite criado basta apenas adicionar um novo WebForm em menu WebSite Add New Item e selecione a opção WebForm. Iremos adicionar agora uma nova conexão com o banco de dados, onde neste nosso exemplo utilizaremos o banco de dados de exemplo Northwind do SQL Server. Assim em Server Explorer clique com o botão direito em Data Connections e selecione Add Connection... (Imagem 2). Irá ser exibido a janela Add Connection (Imagem 3), neste utilitário selecione em Server Name o nome da instância do seu servidor de banco de dados SQLServer e então o Database Name, neste caso como já foi dito será o Northwind. Agora sim iremos ao relatório propriamente dito, no menu do projeto selecione WebSite Add New Item...(Imagem 4), onde será criado o arquivo de definição de relatório (.rdlc), em Add Item selecione a opção Report (Imagem 5) e dê um nome para o arquivo rcld, onde neste nosso exemplo iremos manter o nome padrão Report.rdlc. Com a criação do relatório será exibido uma nova Aba com o Design do relatório (Imagem 6), as principio terá a penas o corpo (body) do relatório criado, iremos adicionar também neste relatório o seu cabeçalho e o rodapé, então para Sobre o autor Marcos César Silva, Consultor de Sistemas e Consultor Técnico do The Club, Bacharel em Ciência da Computação, MCAD (Microsoft Certified Application Developer) e MCSD.NET (Microsoft Certified Solution Developer.NET) Imagem 1 criar estas duas novas regiões no relatórios no menu na opção Report selecione Page Header e Page Footer (Imagem 7), criando assim duas novas regiões em nosso relatório. Sugiro que neste momento coloque um titulo para ele, assim em Toolbox arraste um componente TextBox para a Page Header criado, neste componente poderá fazer toda formatação de desejada, como fonte, tamanho de fonte, cor, borda entre outras, mas para adicionar um texto basta selecionar componente e digita o texto desejado. Podermos observar que ao criarmos o relatório será exibido a janela Website DataSource, ela tem a finalidade de mostrar todos arquivos de esquema de Datasets (.xsd) da aplicação, onde neste arquivo poderão ser criados todas consulta a dados que serão utilizados pelo relatório ou relatórios do projeto. Assim para criar uma nova origem de dados clique em Add New DataSource na janela WebSite DataSource, será exibido a tela de Wizard de configuração de um TableAdapter, nela o primeiro passo será a escolha da conexão (Imagem 8), selecione então a conexão Northwind já criada e clique em next. No segundo passo será perguntado se deseja salvar a string de conexão com o banco e o nome da conexão no arquivo de 20

SIntegra Abordagem Completa Ferramentas Relacionadas.

SIntegra Abordagem Completa Ferramentas Relacionadas. SIntegra Abordagem Completa Ferramentas Relacionadas. 1 por Victory Fernandes No segundo artigo da série, foram abordados os conceitos gerais acerca da implementação do Sintegra, estruturação básica do

Leia mais

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox.

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. - Construção do Banco de Dados: Para podermos inserir algo em um banco precisaremos de um Banco de Dados, para isto iremos montar um utilizando o Programa Database

Leia mais

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS FORMULÁRIOS COM ABAS Trabalhar com abas (ou guias) é um recurso

Leia mais

AMBIENTE. FORMULÁRIO: é a janela do aplicativo apresentada ao usuário. Considere o formulário como a sua prancheta de trabalho.

AMBIENTE. FORMULÁRIO: é a janela do aplicativo apresentada ao usuário. Considere o formulário como a sua prancheta de trabalho. DELPHI BÁSICO VANTAGENS Ambiente de desenvolvimento fácil de usar; 1. Grande Biblioteca de Componentes Visuais (VCL - Visual Component Library), que são botões, campos, gráficos, caixas de diálogo e acesso

Leia mais

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Apresentação da ferramenta Professor: Danilo Giacobo Página pessoal: www.danilogiacobo.eti.br E-mail: danilogiacobo@gmail.com 1 Introdução Visual

Leia mais

Fortes Report Parte 1 Desenvolvendo o Primeiro Relatório

Fortes Report Parte 1 Desenvolvendo o Primeiro Relatório Fortes Report Parte 1 1 Fortes Report Parte 1 Desenvolvendo o Primeiro Relatório Amigos, fazer relatórios é o famoso mal necessário, que particularmente eu não me incomodo em desenvolver, até porque, geralmente

Leia mais

Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10

Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10 Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10 Linha de Equipamentos MEC Desenvolvidos por: Maxwell Bohr Instrumentação Eletrônica Ltda. Rua Porto Alegre, 212

Leia mais

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 4 O Componente Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Ano: 03/2011

Leia mais

Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL.

Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL. Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2012 Edição 7 Listando e Gravando Listando itens em ComboBox e gravando os dados no

Leia mais

ASP.NET 2.0 - Gerando relatórios com o ReportViewer

ASP.NET 2.0 - Gerando relatórios com o ReportViewer 1 de 5 26/8/2010 18:07 ASP.NET 2.0 - Gerando relatórios com o ReportViewer Este artigo vai mostrar como você pode gerar relatórios em suas páginas ASP.NET 2.0 usando o add-in ReportViewer para o Visual

Leia mais

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI CRIANDO UMA AUTENTICAÇÃO DE USUÁRIO UTILIZANDO O COMPONENTE QUERY A autenticação de usuários serve para

Leia mais

CRIAÇÃO DE RELATÓRIOS EM DELPHI

CRIAÇÃO DE RELATÓRIOS EM DELPHI PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO CRIAÇÃO DE RELATÓRIOS EM DELPHI Relatórios são tão importantes quanto as consultas, com a vantagem de poder imprimir os valores armazenados nos Bancos

Leia mais

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI - UTILIZANDO OPENDIALOG PARA ARMAZENAR IMAGENS EM BANCO DE DADOS Criaremos uma solução simples para criar

Leia mais

Microsoft Visual Studio 2010 C# Volume II

Microsoft Visual Studio 2010 C# Volume II Microsoft Visual Studio 2010 C# Volume II Apostila desenvolvida pelos Professores Ricardo Santos de Jesus e Rovilson de Freitas, para as Disciplinas de Desenvolvimento de Software I e II, nas Etecs de

Leia mais

Coleção de Dicas sobre programação Delphi. Retiradas do E-Zine Grandes Dicas em Delphi

Coleção de Dicas sobre programação Delphi. Retiradas do E-Zine Grandes Dicas em Delphi Coleção de Dicas sobre programação Delphi. Retiradas do E-Zine Grandes Dicas em Delphi Por Ramos de Souza Janones www.ramosdainformatica.com.br 1 Índice 1 Índice... 2 Descobrindo o código ASCII de uma

Leia mais

Com criar relatório no Report Services do Microsoft SQL Server 2008 R2 integrado com o

Com criar relatório no Report Services do Microsoft SQL Server 2008 R2 integrado com o Com criar relatório no Report Services do Microsoft SQL Server 2008 R2 integrado com o SisMoura Objetivo Configurar o Reporting Services Como criar relatórios Como publicar relatórios Como acessar os relatórios

Leia mais

Projeto Supermercado - Produtos

Projeto Supermercado - Produtos OBJETIVO: Este projeto possibilitará fazer a manutenção dos dados da tabela de Produtos. Didaticamente, ele permite ao programador iniciante ter os primeiros contatos com os objetos de visualização individual

Leia mais

Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 5 SELECT * FROM Minha_memoria Revisando Sintaxes SQL e Criando programa de Pesquisa Ano:

Leia mais

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Nome Número: Série Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Proposta do projeto: Competências: Compreender a orientação a objetos e arquitetura cliente-servidor, aplicando-as

Leia mais

Display de 7. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Display de 7. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Display de 7 Segmentos Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

Interface para Regras de Negócios em Multi-Banco

Interface para Regras de Negócios em Multi-Banco 1 Interface para Regras de Negócios em Multi-Banco MARCELO JALOTO (marcelo@jaloto.net) é graduado no curso superior Projetos e Gestão de Redes de Computadores e formado no curso Técnico em Processamento

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo

Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo Prof. Gilbert Azevedo da Silva I. Objetivos Conhecer o Ambiente Integrado de Desenvolvimento (IDE) do Delphi 7, Desenvolver a primeira aplicação no Delphi 7, Aprender

Leia mais

PROJECT 1 Delphi Project (Extensão. DPR)

PROJECT 1 Delphi Project (Extensão. DPR) CAPÍTULO2 1. A ESTRUTURA DE UM APLICATIVO Quando iniciamos uma aplicação em Delphi ele interpreta que iremos desenvolver um projeto. Este gerencia um conjunto de recursos como Forms, Units, objetos, funções

Leia mais

Sistema básico de cadastro em Delphi com banco de dados InterBase.

Sistema básico de cadastro em Delphi com banco de dados InterBase. Sistema básico de cadastro em Delphi com banco de dados InterBase. Nesta apostila vamos abordar o uso do banco de dados Interbase e o acesso nativo com os componentes da paleta InterBase do Delphi, eu

Leia mais

Gabarito - Programação C# com Visual Studio - Intermediário - 05/08/2013 AULA 01. 1 Perguntas e Respostas

Gabarito - Programação C# com Visual Studio - Intermediário - 05/08/2013 AULA 01. 1 Perguntas e Respostas Gabarito - Programação C# com Visual Studio - Intermediário - 05/08/2013 1 Perguntas e s AULA 01 1- A ferramenta responsável pelo auto incremento chama- se Identity. (Sim) 2- A ferramenta responsável pelo

Leia mais

Iniciar o Data Adapter Configuration Wizard. Toolbox Data Duplo clique em OleDbDataAdapter. Botão next na caixa de diálogo

Iniciar o Data Adapter Configuration Wizard. Toolbox Data Duplo clique em OleDbDataAdapter. Botão next na caixa de diálogo Iniciar o Data Adapter Configuration Wizard Toolbox Data Duplo clique em OleDbDataAdapter Botão next na caixa de diálogo Se carregar em Cancel, o wizard é cancelado e podemos depois definir as propriedades

Leia mais

Memória Flash. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Memória Flash. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Memória Flash Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

Tarefa Orientada 2 Aplic. Manutenção de Produtos - DataGridView

Tarefa Orientada 2 Aplic. Manutenção de Produtos - DataGridView Tarefa Orientada 2 Aplic. Manutenção de Produtos - DataGridView Objectivos: Criação de fonte de dados (Data Source) a partir de base de dados. Utilização de um controlo DataGridView para visualizar dados.

Leia mais

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes)

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) 1. Sobre o Microsoft Dynamics CRM - O Microsoft Dynamics CRM permite criar e manter facilmente uma visão clara dos clientes,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C Resumo da Matéria de Linguagem de Programação Linguagem C Vitor H. Migoto de Gouvêa 2011 Sumário Como instalar um programa para executar o C...3 Sintaxe inicial da Linguagem de Programação C...4 Variáveis

Leia mais

Usando o evento OnFilterRecord para filtrar ClientDataSets

Usando o evento OnFilterRecord para filtrar ClientDataSets Usando o evento OnFilterRecord para filtrar ClientDataSets O objetivo mais importante no desenvolvimento de um programa é fornecer ao cliente maior liberdade para usar as interfaces e ao mesmo tempo tornar

Leia mais

Introdução ao BPEL utilizando o Oracle SOA Suíte 10g

Introdução ao BPEL utilizando o Oracle SOA Suíte 10g Introdução ao BPEL utilizando o Oracle SOA Suíte 10g 1. Introdução Neste artigo serão apresentados alguns conceitos inerentes a SOA Service Oriented Architecture e um exemplo prático de construção de processo

Leia mais

Avançado. Visão geral do ambiente do VBA Retornar à planilha Excel

Avançado. Visão geral do ambiente do VBA Retornar à planilha Excel Avançado Trabalhando com VBA Descubra a linguagem de programação do Microsoft Office e torne-se um expert no desenvolvimento de funções, macros e planilhas eletrônicas Nas edições anteriores da revista

Leia mais

Veja abaixo um exemplo de como os dados são mostrados quando usamos o

Veja abaixo um exemplo de como os dados são mostrados quando usamos o Objeto DataGridView O controle DataGridView é um dos objetos utilizados para exibir dados de tabelas de um banco de dados. Ele está disponível na guia de objetos Data na janela de objetos do vb.net. Será

Leia mais

Criando uma aplicação Web em C# usando o NHibernate

Criando uma aplicação Web em C# usando o NHibernate Criando uma aplicação Web em C# usando o NHibernate Apresento neste artigo como criar uma aplicação web totalmente orientada a objetos usando o framework NHibernate e a linguagem C#. Nossa meta é construir

Leia mais

Elementos do IDE do Delphi

Elementos do IDE do Delphi Capítulo 2 Um Tour pelo Ambiente de Programação do Delphi Ao final deste capítulo, você estará apto a: Identificar os elementos do IDE do Delphi Identificar os elementos essenciais que formam uma aplicação

Leia mais

Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Professor Sérgio Furgeri

Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Professor Sérgio Furgeri OBJETIVOS DA AULA: Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Fazer uma breve introdução a respeito do MS SQL Server 7.0; Criar uma pequena base de dados no MS SQL Server 7.0; Elaborar

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 Em qualquer profissão é importante que se conheça bem as ferramentas que serão usadas para executar o trabalho proposto. No desenvolvimento de software não é

Leia mais

Índice. Tutorial para Desenvolvimento de Conduits em Delphi

Índice. Tutorial para Desenvolvimento de Conduits em Delphi Índice Índice...1 Desenvolvendo Conduits...2 (Passo a Passo)...2 Criando um Arquivo.mdb... 2 Arquivos...6 Instalando os componentes... 7 Recompilando os Comonentes do Delphi...13 Configurando a Conexão

Leia mais

Introdução a Banco de Dados em Delphi

Introdução a Banco de Dados em Delphi Introdução a Banco de Dados em Delphi Daniela Caio André Gomes Roberto Scalco 2013 3 Sumário CAPÍTULO 1 ELEMENTOS DE UM BANCO DE DADOS... 4 1. O ARQUIVO DADOS... 4 2. CONCEITOS BÁSICOS DE BANCOS DE DADOS...

Leia mais

Entradas Digitais. PdP. Autores: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 27/12/2005 Última versão: 18/12/2006

Entradas Digitais. PdP. Autores: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 27/12/2005 Última versão: 18/12/2006 TUTORIAL Entradas Digitais Autores: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 27/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br

Leia mais

Podemos agora ver no IDE do Morfik os objetos que já incorporamos ao nosso projeto :

Podemos agora ver no IDE do Morfik os objetos que já incorporamos ao nosso projeto : Podemos agora ver no IDE do Morfik os objetos que já incorporamos ao nosso projeto : O form Index A tabela Fotos A query Q_seleção_de_fotos Vide figura 46. Figura 46 O próximo passo é criar um form que

Leia mais

Tarefa Orientada 5 Aplic. Manutenção de Facturas de Clientes

Tarefa Orientada 5 Aplic. Manutenção de Facturas de Clientes Tarefa Orientada 5 Aplic. Manutenção de Facturas de Clientes Objectivos: Aplicação Manutenção de Facturas de Clientes Utilização de uma fonte de dados. Formulários Master/Detail. Adicionar consultas a

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 26 de agosto de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é uma

Leia mais

Dando um passeio no ASP.NET

Dando um passeio no ASP.NET Dando um passeio no ASP.NET Por Mauro Sant Anna (mas_mauro@hotmail.com). Mauro é um MSDN Regional Director, consultor e instrutor. O principal objetivo da arquitetura.net é permitir ao usuário o fácil

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. PROFa. GILENE BORGES GOMES. Home page: http://www.gomeshp.com E-mail: gilene@gomeshp.com

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. PROFa. GILENE BORGES GOMES. Home page: http://www.gomeshp.com E-mail: gilene@gomeshp.com APOSTILA DE DELPHI 7.0 DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. PROFa. GILENE BORGES GOMES. Home page: http://www.gomeshp.com E-mail: gilene@gomeshp.com 1. INTRODUÇÃO Delphi possui um ambiente de desenvolvimento

Leia mais

Relatórios com Quickreport

Relatórios com Quickreport C A P Í T U L O 6 Relatórios com Quickreport O QuickReport permite a criação de relatórios que podem ser impressos diretamente a partir do Delphi. Ele elimina alguns problemas verificados em ferramentas

Leia mais

ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães

ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães O ASP.NET que é a camada de desenvolvimento de aplicações web da plataforma.net vem agradando em muito os desenvolvedores de todo o mundo desde o

Leia mais

Tutorial de Computação PWM v2010.08

Tutorial de Computação PWM v2010.08 Tutorial de Computação PWM v2010.08 Linha de Equipamentos MEC Desenvolvidos por: Maxwell Bohr Instrumentação Eletrônica Ltda. Rua Porto Alegre, 212 Londrina PR Brasil http://www.maxwellbohr.com.br 1 Introdução

Leia mais

Para que o NSBASIC funcione corretamente em seu computador, você deve garantir que o mesmo tenha as seguintes características:

Para que o NSBASIC funcione corretamente em seu computador, você deve garantir que o mesmo tenha as seguintes características: Cerne Tecnologia www.cerne-tec.com.br Conhecendo o NSBASIC para Palm Vitor Amadeu Vitor@cerne-tec.com.br 1. Introdução Iremos neste artigo abordar a programação em BASIC para o Palm OS. Para isso, precisaremos

Leia mais

Software e Serviços MANUAL DE HOMOLOGAÇÃO WEB SERVICE X SISTEMA DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL

Software e Serviços MANUAL DE HOMOLOGAÇÃO WEB SERVICE X SISTEMA DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL MANUAL DE HOMOLOGAÇÃO WEB SERVICE X SISTEMA DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL CONSIDERAÇÕES INICIAIS Este manual tem como objetivo propiciar a integração do SISTEMA DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL junto as ADMINISTRADORAS

Leia mais

Utilizando os componentes da paleta DBExpress para acesso ao banco Firebird

Utilizando os componentes da paleta DBExpress para acesso ao banco Firebird Utilizando os componentes da paleta DBExpress para acesso ao banco Firebird Esta apostila destina-se aqueles que tem algum interesse em aprender a conectar-se com um banco Firebird. Caso você seja um iniciante

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 18 de fevereiro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é

Leia mais

O Primeiro Programa em Visual Studio.net

O Primeiro Programa em Visual Studio.net O Primeiro Programa em Visual Studio.net Já examinamos o primeiro programa escrito em C que servirá de ponto de partida para todos os demais exemplos e exercícios do curso. Agora, aprenderemos como utilizar

Leia mais

(Nota Fiscal Eletrônica no Power Systems AS/400) Projeto Nacional Versão 1.0

(Nota Fiscal Eletrônica no Power Systems AS/400) Projeto Nacional Versão 1.0 Manual do usuário (Nota Fiscal Eletrônica no Power Systems AS/400) Projeto Nacional Versão 1.0 29-03-2011 1 de 32 Í ndice 1. Descrição Geral do Sistema 1.1 Descrição 1.2 Desenho do Processo 2. Aplicação

Leia mais

Volpe Enterprise Resource Planning

Volpe Enterprise Resource Planning Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado, reproduzido, traduzido ou reduzido a qualquer mídia eletrônica ou máquina de leitura, sem a expressa

Leia mais

Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 19/12/2005 Última versão: 18/12/2006. PdP. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 19/12/2005 Última versão: 18/12/2006. PdP. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Barra de LEDs Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 19/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

Java Exemplo MDI. Tela Principal

Java Exemplo MDI. Tela Principal Java Exemplo MDI Nesta aula criaremos uma aplicação simples de cadastro para avaliar o nível de dificuldade/facilidade que é desenvolver softwares com a tecnologia Java. No NetBeans, crie um novo projeto

Leia mais

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange Versão: 4.1 Service pack: 4B SWD-313211-0911044452-012 Conteúdo 1 Gerenciando contas de usuários... 7 Adicionar uma conta de usuário... 7 Adicionar

Leia mais

Manual. Pedido Eletrônico

Manual. Pedido Eletrônico Manual Pedido Eletrônico ÍNDICE 1. Download... 3 2. Instalação... 4 3. Sistema de Digitação SantaCruz... 8 3.1. Configuração... 8 4. Utilização do Sistema Digitação SantaCruz... 11 4.1. Atualizar cadastros...11

Leia mais

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA 4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA Vinicius A. de Souza va.vinicius@gmail.com São José dos Campos, 2011. 1 Sumário Tópicos em Microsoft Excel 2007 Introdução à criação de macros...3 Gravação

Leia mais

Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO. Versão: 1.0 Direitos reservados.

Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO. Versão: 1.0 Direitos reservados. Bem Vindo GDS TOUCH Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO O GDS Touch é um painel wireless touchscreen de controle residencial, com design totalmente 3D, interativo

Leia mais

Microsoft Office Excel

Microsoft Office Excel 1 Microsoft Office Excel Introdução ao Excel Um dos programas mais úteis em um escritório é, sem dúvida, o Microsoft Excel. Ele é uma planilha eletrônica que permite tabelar dados, organizar formulários,

Leia mais

Introdução ao X3. Exercício 1: Criando um registro de Contato

Introdução ao X3. Exercício 1: Criando um registro de Contato Introdução ao X3 Exercício 1: Criando um registro de Contato Inicie por adicionar um novo registro de Contato. Navegue para a tabela de Contato clicando na aba de Contato no alto da página. Existem duas

Leia mais

DIGISAT ERRO MIDAS.DLL

DIGISAT ERRO MIDAS.DLL DIGISAT ERRO MIDAS.DLL Para resolver esta questão, faça o download do "Registra Midas" e "midas.dll" que estão disponíveis nos links abaixo e salve-os dentro da pasta de instalação do sistema. Em seguida,

Leia mais

e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais eletrônicos

e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais eletrônicos Página1 e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais eletrônicos Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é o e-nota R?... 03 2. Configurações e Requisitos...

Leia mais

MÓDULO DE NOTA FISCAL ELETRONICA

MÓDULO DE NOTA FISCAL ELETRONICA MANUAL DO SISTEMA Versão 6.08 Introdução... 2 Requisitos para Utilização do Módulo NF-e... 2 Termo de Responsabilidade... 2 Certificados... 2 Criação de Séries... 2 Framework... 3 Teste de Comunicação...

Leia mais

Uma vez no form, dê um clique duplo sobre o objeto e insira a tela conforme abaixo. Não esqueça do & e das teclas de atalho.

Uma vez no form, dê um clique duplo sobre o objeto e insira a tela conforme abaixo. Não esqueça do & e das teclas de atalho. Exercício 03 Construir um programa em Delphi com um menu, cadastrando informações de clientes de um banco, conforme tela abaixo. Para tal, inserir, na paleta Standard clicar em menu. Uma vez no form, dê

Leia mais

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID Este material pertence a Carlos A. Majer, Professor da Unidade Curricular: Aplicações Corporativas da Universidade Cidade de São Paulo UNICID Licença de Uso Este trabalho está licenciado sob uma Licença

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3 WORD 2007 E 2010 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 A série... 3 01 CAPTURAS DE TELA WORD 2010... 3 02 IMAGENS 2007/2010... 5 03 NOTAS DE RODAPÉ... 13 04 NUMERAÇÃO DE PÁGINAS... 15 05 CONTAR PALAVRAS...

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2 Na aula anterior, vimos sobre: a) Janela de comando b) Gerenciador de Projetos c) Database Designer e Table Designer Prosseguiremos então a conhecer as ferramentas

Leia mais

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Índice Como acessar o Moodle Editando seu PERFIL Editando o curso / disciplina no Moodle Incluindo Recursos

Leia mais

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Livro: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados e Cenários, Tabelas e Gráficos Dinâmicos, Macros e Programação VBA - Através de Exemplos

Leia mais

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Nota Fiscal Paulista Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) Versão 1.1 15/02/2008 Página 1 de 17 Índice Analítico 1. Considerações Iniciais 3 2. Instalação do

Leia mais

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Versão 1.5 Histórico de revisões Revisão Data Descrição da alteração 1.0 18/09/2015 Criação deste manual 1.1 22/09/2015 Incluído novas

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Abril 2013 Sumário 1. Agente... 1 2. Onde instalar... 1 3. Etapas da Instalação do Agente... 1 a. Etapa de Instalação do Agente... 1 b. Etapa de Inserção

Leia mais

END OF FILE: Tutorial Chat Em Delphi

END OF FILE: Tutorial Chat Em Delphi END OF FILE: Tutorial Chat Em Delphi fórum: http://offile.umforum.net site: http://fts315.xp3.biz autor: kõdo no kami (www.facebook.com/hacker.fts315) - skype: hackefts315 greetz: mmxm, sir.rafiki, suspeit0@virtual,

Leia mais

Display de Cristal Líquido

Display de Cristal Líquido TUTORIAL Display de Cristal Líquido Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 09/03/2006 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

DIF-e - MANUAL DE ORIENTAÇÃO AO CONTRIBUINTE

DIF-e - MANUAL DE ORIENTAÇÃO AO CONTRIBUINTE Página 1 de REVISÃO DATA VERSÃO DO HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES SISTEMA 00 1.0 Emissão inicial. Página 2 de Sumário 1. Introdução... 4 2. Modelo Conceitual... 4 3. Programa Cliente... 5 3.1 Telas de Configuração...

Leia mais

Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática para Zebra EPL2

Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática para Zebra EPL2 1 Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática para Zebra EPL2 por Victory Fernandes Na internet estão disponíveis diversos componentes para geração e impressão de Código de Barras utilizando o

Leia mais

NOVO COMPONENTE ASSINADOR ESEC

NOVO COMPONENTE ASSINADOR ESEC NOTAS FISCAIS DE SERVIÇO ELETRÔNICAS PREFEITURA DE JUIZ DE FORA COMPLEMENTO AO SUPORTE A ATENDIMENTO NÍVEL 1 1.0 Autor: Juiz de Fora, Fevereiro 2015. PÁGINA 1 DE 38 SUMÁRIO 1REQUISITOS MÍNIMOS CONFIGURAÇÕES

Leia mais

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.10.1.8-05-12-2012

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.10.1.8-05-12-2012 Florianópolis, 05 de dezembro de 2012. Abaixo você confere as características e funcionalidades da nova versão 4.10.1.8-05-12-2012 do Channel. Para quaisquer dúvidas ou na necessidade de maiores esclarecimentos,

Leia mais

CRIANDO UM BANCO DE DADOS

CRIANDO UM BANCO DE DADOS CRIANDO UM BANCO DE DADOS Bem, antes de iniciarmos propriamente no delphi, devemos aprender a usar sua ferramentas, sendo uma das mais importantes o Database Desktop, pois é com esta que construímos nossos

Leia mais

Parte 5 LibreOffice Base

Parte 5 LibreOffice Base Parte 5 LibreOffice Base 1. Criação do banco de dados 1. Abra o LibreOffice Base; 2. Escolha Criar um novo banco de dados e clique em Concluir; 3. Salve o banco de dados em alguma pasta do computador.

Leia mais

PdP. Autor: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 26/12/2005 Última versão: 18/12/2006

PdP. Autor: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 26/12/2005 Última versão: 18/12/2006 TUTORIAL Servo-motor Autor: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 26/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

Construindo e Codificando o Projeto Conversor de Números

Construindo e Codificando o Projeto Conversor de Números Criando um Add-In no Visual Basic 6 Por John P. Cunningham Definindo um diretório, renomeando o formulário e salvando o projeto Passo 1: Crie um subdiretório na diretório do Visual Basic chamado ConverterAddIn.

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Compartilhamento de Arquivos no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução...

Leia mais

Microsoft Excel 2003

Microsoft Excel 2003 Associação Educacional Dom Bosco Faculdades de Engenharia de Resende Microsoft Excel 2003 Módulo II Macros e Tabelas Dinâmicas Professores: Eduardo Arbex Mônica Mara Tathiana da Silva Resende 2010 Macro

Leia mais

OASyS Informática Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0.7

OASyS Informática Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0.7 OASyS Informática Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0.7 Manual desenvolvido pela OASyS Informática, baseado na versão 2.0 da Nota Fiscal Eletrônica do SEFAZ. 1 Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0 Título

Leia mais

ATENÇÃO. Leitura Indispensável

ATENÇÃO. Leitura Indispensável ATENÇÃO Leitura Indispensável O Guia Rápido do Asure ID 2009 foi criado com base na versão Exchange, ou seja, a versão mais completa da linha Asure ID 2009, portanto, os usuários de outras versões ao utilizarem

Leia mais

Iniciando o MySQL Query Brower

Iniciando o MySQL Query Brower MySQL Query Brower O MySQL Query Browser é uma ferramenta gráfica fornecida pela MySQL AB para criar, executar e otimizar solicitações SQL em um ambiente gráfico. Assim como o MySQL Administrator foi criado

Leia mais

Adicionando Propriedades e Funcionalidades aos Componentes Parte II

Adicionando Propriedades e Funcionalidades aos Componentes Parte II Adicionando Propriedades e Funcionalidades aos Componentes Parte II Quantas vezes eu não lamentei por este componente não ter uma propriedade que guardasse uma lista paralela a lista que é mostrada em

Leia mais

INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL

INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL Este tutorial tem como objetivo mostrar como instalar o banco de dados My SQL em ambiente Windows e é destinado aqueles que ainda não tiveram um contato com a ferramenta.

Leia mais